Você está na página 1de 36

CCE0123 – CIRCUITOS ELÉTRICOS I

Aula 2: REVISÃO DOS CIRCUITOS EM SÉRIE E PARALELO, LEIS DE KIRCHORFF


DAS TENSÕES, FONTE DE TENSÃO EM SÉRIE E FONTES DE CORRENTE EM
PARALELO PARA INICIAR O MÉTODO DAS TENSÕES DE NÓ.
.
INDICAÇÃO DE MATERIAL DIDÁTICO

CAPÍTULO 1 DO LIVRO TEXTO DA DISCIPLINA:


RAMALHO, Robson dias. CIRCUITOS ELÉTRICOS I, 1º Ed. Rio de
Janeiro, 2017.

O livro texto pode ser obtido pelo aluno através do seu ambiente
virtual.
PLANO DE ENSINO
PLANO DE ENSINO
PLANO DE ENSINO
PLANO DE ENSINO
PLANO DE ENSINO
PLANO DE ENSINO
PLANO DE AULA

AULA 2
1. CIRCUITOS EM SÉRIE

Um circuito consiste de um número qualquer de elementos unidos


por seus terminais, estabelecendo pelo menos um caminho fechado
através do qual a carga possa fluir.
Dois elementos estão em série se possuem somente um terminal
em comum e o ponto comum entre os dois elementos não está
conectado a outro elemento percorrido por corrente.

a) b)
Figura 1.1 - a)Elementos dispostos em série em um circuito. b) Elementos não dispostos em série.
1. RESISTÊNCIA EQUIVALENTE DE RESISTORES EM SÉRIE

𝑅𝑒𝑞 = 𝑅1 + 𝑅2 + 𝑅3 + ⋯ + 𝑅𝑛 Eq. 1.1

Em geral, para se determinar a resistência equivalente de n


resistores ligados em série, se utiliza a equação 1.1.
1. RESISTÊNCIA EQUIVALENTE DE RESISTORES EM SÉRIE

EXEMPLO 1
a. Determine a resistência total para o circuito em série da figura
1.2.

𝑹𝒆𝒒 = 𝑵𝑹𝒏
𝑹𝒆𝒒 = 𝟒𝒙𝟑. 𝟑𝑲𝛀
𝑹𝒆𝒒 = 𝟏𝟑, 𝟐𝑲𝛀

Figura 1.2
1. RESISTÊNCIA EQUIVALENTE DE RESISTORES EM SÉRIE
EXEMPLO 2
a. Determine a resistência total para o circuito em série da figura
1.3 ( a e b ).
Solução das letras a) e b)
𝑅𝑡 = 30 + 82 + 10
𝑅𝑡 = 122Ω

Figura 1.3 (a e b)
1. DETERMINAÇÃO DE TENSÃO E CORRENTE EM UM CIRCUITO
COM RESISTORES EM SÉRIE
EXEMPLO 3
a. Determine a resistência total, tensão e corrente para o circuito
em série da figura 1.4. Solução:
𝑅 = 10 + 30 + 100
𝑡
𝑅𝑡 = 140Ω
𝐸
𝐼𝑡 =
𝑅𝑡
8,4
𝐼𝑡 =
140
𝐼𝑡 = 0,06𝐴

𝑉𝑛 = 𝐼𝑡 𝑥𝑅𝑛
𝑉1 = 𝐼𝑡 𝑥𝑅1 = 0,06𝑥10 = 0,6𝑉
𝑉2 = 𝐼𝑡 𝑥𝑅2 = 0,06𝑥30 = 1,8𝑉
Figura 1.4 𝑉3 = 𝐼𝑡 𝑥𝑅3 = 0,06𝑥100 = 6𝑉
2. LEI DE KIRCHHOFF PARA CORRENTES (LKC)

A lei, chamada de lei de Kirchhoff para correntes (LKC), foi


desenvolvida por Gustav Kirchhoff em meados do século XIX, 1847,
Universidade de Berlim, e afirma:
“A soma algébrica das correntes em um nó em qualquer
instante é zero” ou “A soma das correntes que entram
em uma região, sistema ou nó tem de ser igual à soma
das correntes que deixam essa mesma região, sistema
ou nó”.

“Nós são os pontos de ligação entre os componente”.


2. LEI DE KIRCHHOFF PARA CORRENTES (LKC)

EXEMPLO 1
-𝑖1 − 𝑖4 + 𝑖2 + 𝑖3 = 0

𝑖1 + 𝑖4 = 𝑖2 + 𝑖3

Figura 2.1
2. RESISTORES EM PARALELO E DIVISORES DE CORRENTE
Dizemos que dois ou mais componentes em um circuito,
resistores, por exemplo, estão ligados em paralelo quando estão
submetidos a mesma tensão, ou dois elementos, ramos ou
resistores estão em paralelo se tiverem dois pontos em comum.

Figura 2.2
2. RESISTORES EM PARALELO E DIVISORES DE CORRENTE
Considere o circuito com dois resistores e uma fonte de corrente
que aparece na figura. Aplicando a LKC ao nó a obtemos,
𝑖𝑠 − 𝑖1 − 𝑖2 = 0
𝑖𝑠 = 𝑖1 + 𝑖2

De acordo com a lei de ohm:


𝑣
𝑖1 =
𝑅1
𝑣
𝑖2 =
𝑅2
𝑣 𝑣
Portanto: 𝑖𝑠 = +
Figura 1.6 𝑅1 𝑅2
3. LEI DE KIRCHHOFF PARA TENSÕES

A lei, chamada de lei de Kirchhoff para tensões (LKT), foi


desenvolvida por Gustav Kirchhoff em meados do século XIX, 1847,
Universidade de Berlim, afirma:

A soma algébrica das tensões ao longo de uma malha em


qualquer instante é zero.

Malha é um caminho fechado em um circuito que não passa mais de


uma vez por um nó intermediário.

Figura 3.1
3. LEI DE KIRCHHOFF PARA TENSÕES

−𝐸 + 𝑉1 + 𝑉2 = 0

Figura 3.1
3. LEI DE KIRCHHOFF PARA TENSÕES

EXEMPLO 1

Determine a tensão desconhecida no circuito da figura 3.2:

−𝑬𝟏 + 𝑽𝟏 + 𝑽𝟐 + 𝑬𝟐 = 𝟎
𝑽𝟏 = 𝑬𝟏 − 𝑽𝟐 − 𝑬𝟐
𝑽𝟏 = 𝟏𝟔 − 𝟒, 𝟐 − 𝟗 = 𝟐, 𝟖𝑽
𝑽𝟏 = 𝟐, 𝟖𝑽

Figura 3.2
2. LEI DE KIRCHHOFF PARA TENSÕES

EXEMPLO 2

−𝐄 + 𝑽𝟏 + 𝑽𝒙 = 𝟎
𝑽𝒙 = 𝑬 − 𝑽𝟏 = 𝟑𝟐 − 𝟏𝟐
𝑽𝒙 = 𝟐𝟎, 𝟎 𝑽

Figura 3.3
4. REGRA DOS DIVISORES DE TENSÃO

Nos circuitos em série a tensão entre os terminais dos elementos


resistivos divide-se na mesma proporção que os valores de
resistência. Por exemplo, as tensões entre os terminais dos
elementos resistivos mostrados na figura 4.1 são apresentadas.

O maior resistor, o de 6 Ω, captura a


maior parte da tensão aplicada,
enquanto o menor, fica com a menor
tensão.

Figura 4.1
4. REGRA DOS DIVISORES DE TENSÃO
A regra dos divisores de tensão que permite determinar as tensões
sem determinar primeiro a corrente é da seguinte forma. Considere
o circuito da figura 4.2:

A resistência equivalente RT = R1 + R2, dessa


𝐸
forma 𝐼 = .
𝑅𝑇
Aplicando a lei de ohm temos:
𝐸 𝑅1 𝐸
𝑉1 = 𝐼𝑅1 = . 𝑅1 =
𝑅𝑇 𝑅𝑇

𝐸 𝑅2 𝐸
𝑉2 = 𝐼𝑅2 = . 𝑅2 =
𝑅𝑇 𝑅𝑇

Figura 4.2
4. REGRA DOS DIVISORES DE TENSÃO

EXEMPLO 1

Determine a tensão V1 para o circuito da figura 4.3:


𝑅𝑇 = 𝑅1 + 𝑅2 = 20 + 60 = 80Ω
𝑅1 𝐸 20.64
𝑉1 = = = 16 𝑉
𝑅𝑇 80

Figura 4.3
4. REGRA DOS DIVISORES DE TENSÃO
EXEMPLO 2

Determine a tensão V1 e V3 para o circuito em série representado


na figura 4.4.
𝑅𝑇 = 𝑅1 + 𝑅2 + 𝑅3 = 15𝑘Ω
𝑅1 𝐸 2000.45
𝑉1 = = =6𝑉
𝑅𝑇 15000
𝑅3 𝐸 8000.45
𝑉3 = = = 24 𝑉
𝑅𝑇 15000

Figura 4.4
Bibliografia

Boylestad, Robert L. Introdução a Análise de


Circuitos. São Paulo, . 12ª Ed. LTC, 2012.
EXERCÍCIO
EXERCÍCIO 1

Determine a resistência total para o circuito em série da figura 1


Solução:
𝑅𝑡 = 0,02 + 0,22 + 1,2 + 5,6
𝑅𝑡 = 7,04𝐾Ω

Figura 1.5
EXERCÍCIO 2
Determine a resistência e corrente para os circuitos em série da
figura 2 (a,b,c,d). Soluções:

Figura 2
EXERCICIO 3
Utilizando a Lei de Kirchhorff para tensões, determine as tensões
desconhecidas para o circuito mostrado na figura 3:

Solução:

−𝟔𝟎 + 𝟒𝟎 + 𝑽𝒙 − 𝟑𝟎 = 𝟎
𝑽𝒙 = 𝟓𝟎, 𝟎 𝑽

Figura 3
EXERCÍCIO 4

Determine V1 e V2 para o circuito mostrado na figura 4:


−𝟐𝟓 + 𝑽𝟏 − 𝟏𝟓 = 𝟎
𝑽𝟏 = 𝟒𝟎, 𝟎 𝑽

𝟐𝟎 + 𝑽𝟐 = 𝟎
𝑽𝟐 = −𝟐𝟎, 𝟎 𝑽

O sinal negativo indica que as


polaridades reais das diferenças
de potencial são opostas àquelas
escolhidas incialmente.

Figura 4
EXERCÍCIO 5

Determine 𝑉𝑋 no circuito da figura 5:

𝟔 + 𝟏𝟒 + 𝑽𝒙 − 𝟐 = 𝟎
𝑽𝒙 = −𝟐𝟎 + 𝟐
𝑽𝑿 = −𝟏𝟖, 𝟎 𝑽

Figura 5
EXERCÍCIO 6
Para o circuito integrado da figura 6, determine 𝑉0 , 𝑉02 , 𝑉23 , 𝑉12 , 𝐼𝑖 .

Figura 6
EXERCÍCIO 7

Para o circuito da figura 7 determine a tensão medida pelo


voltímetro e mostre que a potência absorvida pelos dois
resistores é igual a potência fornecida pela fonte.
Solução:
Resistência equivalente:
40.10
𝑅𝑒𝑞 = = 8Ω
40 + 10
Tensão no voltímetro:
𝑉𝑚 = 8(−0,25) = −2𝑉
Potência absorvida:
𝑉𝑚 2 𝑉𝑚 2 22 22
𝑃𝑅 = + = + =
40 10 40 10
𝑃𝑅 = 0,1 + 0,4 = 0,5W
Figura 7 𝑃𝑠 = 𝑉𝑚 0,25
= −2 0,25 = −0,5𝑊