Você está na página 1de 23

ATERROS

SANITÁRIOS

CENTRO UNIVERSITÁRIO 7 DE SETEMBRO


ARQUITETURA E URBANISMO
É T I C A E R E S P O N S A L I B I D A D E S O C I O - A M B I E N TA L | P R O F ª : K A R I N A D I Ó G E N E S H I S S A

F E R N A N D A C A S T R O | K A R LY N E L A C E R D A | R A FA E L A I B I A P I N A
1524825 1513886 1513885
SUMÁRIO
LIXÃO, ATERROS
ATERROS CONSIDERAÇÕES
CONTROLADOS E LEIS / NORMAS
SANITÁRIOS FINAIS
ATERROS SANITÁRIOS

PARTE 1 PARTE 2 PARTE 3 PARTE 4


PARTE 1 LIXÃO
ATERROS
LIXÃO

 Lixo é depositado a céu aberto.

 Grande problema tanto para o meio ambiente


quanto para a sociedade.

 Poluição do solo e das águas, o acúmulo de


material não degradável ou tóxico e a
proliferação de insetos e ratos que podem
transmitir várias doenças.

 Decomposição bacteriana da matéria


orgânica: CHORUME.

Fonte: Hypeverde
LIXÕES – DADOS DE 2018
 O Brasil tem quase 3 mil lixões funcionando em 1.600 cidades;

 Por lei, todos os lixões do Brasil deveriam ter sido fechados até 2014,
prazo dado pela Política Nacional dos Resíduos Sólidos.
ATERROS CONTROLADOS

 Lixo é disposto de forma controlada e os


resíduos recebem uma cobertura de solos.

 Não recebem impermeabilização do solo


nem sistema de dispersão de gases e de
tratamento do chorume gerado.

 Geralmente é a criação de uma célula


próxima ao lixão, que foi remediada,
recebendo cobertura de grama e argila.

Fonte: Hypeverde
ATERROS SANITÁRIOS

 O lixo residencial e industrial é depositado


em solos que recebem tratamento.

 O solo é impermeabilizado, o que inclui


uma preparação com o nivelamento de terra
e com a selagem da base com argila e
mantas de PVC.

 Possuem sistema de drenagem para o


CHORUME que é levado para tratamento, e
depois devolvido ao meio ambiente sem risco
de contaminação.

Fonte: Hypeverde
ATERROS
PARTE 2

SANITÁRIOS
O QUE É UM ATERRO SANITÁRIO?

Um aterro sanitário é um espaço


destinado à deposição final de
resíduos sólidos gerados pela
atividade humana, são
provenientes de residências,
indústrias, hospitais, construções
e consiste em camadas
alternadas de lixo e terra que
evita mau cheiro e a proliferação
de animais.
O QUE UM
ATERRO
SANITÁRIO
DEVE TER
 Depósitos devem manter
distância entre casas e
rios.
COMO FUNCIONA UM ATERRO SANITÁRIO
1. O solo é compactado para dar firmeza ao 4. Os gases produzidos pela decomposição do
aterro que receberá uma camada de polietileno lixo são captados e levados por dutos a uma
de alta densidade, por baixo e pelos lados, que usina geradora de energia
impede o contato entre os detritos e o subsolo e
por cima quando ele estiver cheio. 5. Na usina, os gases entram em combustão e
movem geradores, que produzem energia
2. Na base, as camadas de geotêxtil (tela de elétrica. Não há emissão de metano e pouca de
tecido com betume, semipermeável), brita e dióxido de carbono.
areia, permitem a drenagem do chorume.
6. O chorume (líquido que escorre do lixo) vai
3. O lixo é depositado em camadas no aterro para tratamento. Separada a água, os resíduos
sanitário, periodicamente intercaladas por sólidos voltam para o aterro sanitário.
camadas de terra.
IMPERMEABILIZAÇÃO DO TERRENO
NÃO CONTAMINA O SOLO
GERAÇÃO DE ENERGIA NOS ATERROS
 Processo de decomposição do material orgânico: gera dois tipos de gases
problemáticos para o ambiente. Cerca de 60% dele é de metano, e os outros
40% são de dióxido de carbono.

 Quando há a instalação de uma usina de geração de energia através de


aterros sanitários, este metano é recolhido por tubulações e misturado com
outros gases. Assim ele torna-se combustível para o funcionamento de
turbinas. Estas turbinas são capazes de gerar energia elétrica, consumindo o
metano no processo de combustão.
PARTE 3 LEIS E
NORMAS
A NBR 15849:2010

Especifica os requisitos e condições


mínimas para:

 Localização;
 Projeto;
 Implantação;
 Operação;
 Encerramento de aterros sanitários de
pequeno porte.
 Instalações de pequeno porte para a
disposição final de resíduos sólidos
urbanos;
 Proteção dos corpos hídricos superficiais
e subterrâneos;
 Proteção do ar, do solo, da saúde e do
bem-estar das populações vizinhas.
RESOLUÇÃO 404
Conselho Nacional do Meio Ambiente - CONAMA :
“Estabelece critérios e diretrizes para licenciamento
ambiental de aterros de pequeno porte.”

LEI 11.107/2005
Define Normas para a Gestão em Consórcio intermunicipal.

“Dispõe sobre normas gerais (...) para contratarem consórcios


públicos para a realização de objetivos de interesse com e dá
outras providências.”
CONSIDERAÇÕES
PARTE 4
FINAIS
CONSIDERAÇÕES FINAIS
 Segundo os dados da Abrelpe, 90% das cidades brasileiras têm coleta de
lixo, mas só 59% usam aterros adequados. Além dos impactos ao meio
ambiente, o acúmulo de resíduos sólidos traz impactos sociais.

 Estudo afirma que o país gasta R$ 3 bilhões por ano com o tratamento de
saúde de pessoas que ficaram doentes por causa da contaminação
provocada pelos lixões.

 Aterros sanitários: possibilidade de geração de energia.

 Os dados acimam confirmam a importância dos aterros sanitários.


REFERÊNCIAS
 http://www.hypeverde.com.br/diferencas-entre-lixao-aterro-controlado-e-aterro-sanitario/

 https://graltec.com/como-funciona-um-aterro-sanitario-e-a-que-tipo-de-residuos-se-direciona

 www.grupoescolar.com/pesquisa/aterro-sanitario.html

 https://www.senado.gov.br/noticias/Jornal/emdiscussao/revista-em-discussao-edicao-junho-2010/infografico-
destino-dos-residuos-solidos-quase-sempre-e-inadequado.aspx

 https://g1.globo.com/natureza/noticia/2018/09/14/brasil-tem-quase-3-mil-lixoes-em-1600-cidades-diz-
relatorio.ghtml

 https://www.vgresiduos.com.br/blog/como-funciona-o-aterro-sanitario/

 http://www.Siam.Mg.Gov.Br/sla/download.Pdf?Idnorma=8931

 http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2005/Lei/L11107.htm
FERNANDA CASTRO
85 99998.1305
fernanda.arqproj@gmail.com

K A R LY N E L A C E R D A
85 98624.1010
kalacedesign@gmail.com

R A FA E L A IB IA P IN A
85 99748.9487
rafaelaibiapinaf@gmail.com