Você está na página 1de 6
‘v0s'2015 Revista Eltcidade Moderna - Abril 2015 Eliminagao mais rdpida de faltas com a seletividade Idgica Joao Roberto Cogo e Pethra Brito Ribeiro, da GSI Engenharia e Consultoria; @ Felipe Lotte de S4 Magalhaes, da Siemens objetivo da seletividade logica _protegdes a montante¢ a jusante da se- Jé identiticar a existéncia de letividade cronomética, fazendo com ‘uma falta em um menor inter- que, em boa parte dos casos, seletivi- valo de tempo, em torno de 50.2 100 ms dade lgica atue mais ripido do que a — muito inferior ans intervalos de tem ennvencional po associados ao sistema de proteglo A seletividade logica & formada por ‘com seletividade convencional, que fi-_relés de protesio associadas a cabos de ‘eam entre 50 ¢ 1000 ms. A troca de in- comunicagZo ou fios pilotos que tans- formagdes entre os relés permite eli- mitem informagdes a outros equipa- ‘minar 08 intervalos de tempo entre as mentos de protegdo, Desta forma, na 70 EM Atk 2015 hitpikwww arardanet com brimislaolinetletrcidade_ moderna/201Slabrilindex php A seletividade reduz 0 tempo de resposia para eliminagao do faltas sem que haja comprometimento da coordenasao dos equivamentos de protecao, independentemente do ponto de falha, tornando 0 sistema mais confidvel ¢ seguro. Este artigo apresenta cconceitos e critérios para adogao da seletividade Idgica, compara seu desempenho com 0 da seletividade convencional e descreve simulagdes realizadas para comprovar sua eficiéncia ‘ocorréncia de um curto-cireuito, 0 relé mais a jusante blequeia as proteydes dos relés a montante, © que resulta em uum ganho significative nos tempos de nage do sistsma de protoei. ara que o sistema de protegio seja ccopaz de efetuar a seletividade logica, deve haver toca de informagdes entre toxlos os relés que serio utiizados por meio de uma rede de comunicagio (uti- lizando a norma IEC 61850) ou de sai- ‘dase entradas fisicas denominadas de BI (inirias de entrada) e BO (bindtias de said), ¢ estes dever ser configurados ‘enviar somandos do blo ‘aa roo ueios. Odiagrama de blocos apresenta- do na figura 1 mostra um exemplo de «envio do blogueio de um relé para outro, A pattida (pick-up) de um dos esti- azios da fungdo de protegio ANSI 50 do relé mais proximo da falta enviar osi- nal de bloqueio aos relés instalados montante. Desta forma, somtente 0 felé mais préximo a falta realizaré a conta- wou de tempo paramettizada elit rho defeito, Contudo, o reé a montante continua bloqueada enquanto o relé a jusante cestiver sensibilizado (“enxergando” dofito ou curto-circuito), ou sea, pickup. Com isso, caso o disjuntor mais proximo ao curto falhe, o relé a mon- tante ndo seri capaz de eliminara falta pois estar bloqueado. Por isso, & es- Seneial que nos sistemas de protegso ne ‘ovns2015 Revista Eltcidade Moderna - Abril 2015 por seletividade logica exista uma pro- tego de setaguards, que pode cer a te- letividade convencional, a fungao de fa- tha de disjuntor ANSI SOBF ou ambas, Porém, considerando que a rede de co- ‘munieagdo ou o fo piloto pode falhar, & ‘mais seguro utilizar aseletividade con- vencional como protegdo de reaguarda, ‘Sendo assim, para que o sistema de protegio apresente seletividade logiea de forma segura, & necessirio que os r- 1s envolvidos tenharn ao minime dois estigios da fungdo ANSI 50 (tempo de- finido), sendo um estigio para a selet vidade lagicn © outro para a seletivi dade convencional como backup. E ‘importante também o uso da fungio ANSI SOBF. ‘A partir da andlise da seletividade lgica, apresentada na figuea 2, consi- dderando uma falta no ponto A, verifi se que para a seletividade logiea ¢ fun- damental que os telés R1, R2 e R3 “en: xerguem” a mesma corrente de falta. Loge, a corrente do pickap da fungi ANSI 50 do relé RI€ ativada ¢ envia instantaneamente um sinal de blogueio ao relé @ montante (R2). ave. por sua vvez,envia um sinal de bloqueio no R3, Aida em relagio a figura 2, deve-se ajustar os parimetros dos relés RI, R2 © RS referentes & seletividade logica, ceonsiderando que todos os relésideati- fiquem a falta para um curto-cireuito no pouto A. importante observar que, na priti- a, as correntes de pickup da protegio ANSI 50 so iguais. Todavia, preciso cconsiderar 0 erro dos transformadores de corrente (TCs) ao ajustar os parime- {ros dessas correntes. Uma comparagio entre as seletivi- ddades légiea © convencional mostra que quanto mais proximo da fonte for 0 certo, mais etitente se toma a seletvi- dade Logica, pois em qualquer barra do tiaterna 06 tempos eo oe metros. Ha ‘convencional, o tempo obrigatoriamen- te se eleva para possbilitar a coordens- ‘edo com 8 relés a jusante Contud, para que a seletividade l- gica seja implementada de forma ade- ‘quada, & imprescindivel define alguns Pontos: ‘Estabelecer as dreas em que sua im= plementagio seré vantajosa. 14 que essa tecnologia requer uma infiaestrutura para comunicagio, os relés deverdo ter plaeas de comunicacdo LEC 61850 e es: tar intrlipads a uma rede com eahos de cobre ou dpticas, ou eno deverio Possuir entradas e saidas binirias sufi- cientes para trocar informagdes através de uma fiagdo suplementa, 0 que pode ser uma ago invidvel para dreas dis- tantes, por exemplo. Verificar os tempos de atuagio dos dispostivos de protegdo tanto para a se- ey letividade convencional quanto para a logica, pois poderi haver casos em que 0 tempo de atuacio & 0 mesmo. Definir © meio de transmissio a ser uilizado para a troca de dados entre (os relés, fo piloto ou rede “*Definir 0s relés de protegao a serem uilizados, levando em conta a quan- tidade de estigios da fungo ANSI 50 ANSI SON, possbilidade de envio e revebimento de comundos de bloqueio. para cada estigio separadamente, ni- mero de entradas e saidas bindrias ou place de rede de comunicagio prevista, pela norma IEC 61850. Porsua vez, para determinar os ajus- {es dos pardmetros dos relés envolvidos na seltividade loziea, devem ser consi- dderados os seguites itens: * Corrente de energizagio (inrush) de transformadores de poténcia, Corrente de operagio normal do ‘maior alimentador. Corrente de partida de, maior motor instalado no painel a ser protegido, © Corrente erties, ou seja, a maior cor- rente possivel a ser obtida no sistema em operagdo normal, © Corrente de falta para um curto cto a jusante do rele © Corrente de curto-creuito no lado se- ccundaio do transformador de poténcia refletida no lado primar, ‘onde cttio on rulée com seletividade logiea, * Corrente de contribuigio dos motores. e inducio Iifisicos para 0 curto- Comparacao entre a seletividade légica e falha de disjuntor com a seletividade convencional ara realizar essa ane lise, utiliza.se o sistema ‘mostrado na figura 2¢ ¢on- Foplixoou ‘ede (Gece) hitpikwww arardanet com brimislaolinetletrcidade_ moderna/201Slabrilindex php A824 2015 EM 71 ane. ‘ovns2015 PROTEGAO Sidera-se que os relés de prove- Revista Eltcidade Moderna - Abril 2015 ‘Tab. 1 Comparagse de tommpo entre ooletividade to esdo configurados como fo primeiro estégio da fungio ANSI 50 para a seletividade Togica temporizado em 100 ims, um segundo estigio da funedo ANSI 50 para a seleti- vidade convencional com o re- IE RI em 250 ms ¢ os demais com degraus de 250 ms entre cles, © com a protegio ANSI SOD fabiltada ecetsporizala fem 250 ms. Considera-se ain- dda que o intervalo de tempo para a abertura de qualquer dlisjuntor em alta tensfo € de 90 ms, ‘Adimitindo-se a falta no ponto A, os rlés RI, R2 ¢ R3 entrario em pickup. pickup ANSI 50-1 do relé RI blo- ueari o estigio ANSI 50-1 do relé R2, © 0 relé R2 bloqueard 0 estigio ANSI 50-1 do rele R3. Como o rele RI (mais prdximo falta ado seri bloqueade por rnenhum outro rel, ele devera eliminar 2 falta em torno de 190 ms fempo atuar {glo ANSI 50-1 (100 ms) + tempo de abertura do disjuntor (90 ms) Na sele tividade eonvencional, 0 tempo seria de proximadamente 340 ms (tempo atua- io ANSI 50-2 (250 ms) + tempo de ahertura do disjuntor (90 ms)). Observa-se que a abertura do dis- juntor DI ocorreu cm 190 ms com o uso da scletividade logics. Na selet dade convencional, esse tempo seria de 340 ms, ‘Ainda sobre a anélise da falta no ponte A: cate cece a falha do aborts ido disjuntor DI, os relés RI, R2¢ R3 entratdo em pickup, Por sua vez, 0 piek- up ANSIS0-I do relé RI bloqueari 0 estigio ANSI 50-1 do relé R2, e 0 relé 2 bloqueari 0 estigio ANSI 50-1 do relé R3. Como o relé RI (mais proximo 8 falta no sera bloqueado por nenhum outro relé, ele deverd eliminar a fata Com a fatha na abertura do disjuntor DI, or R2 contin com v estigio da fungo ANSI 50-1 referente selet- vidade ligica bloqueado pelo relé RI. mas receberi 0 trip da fungio ANSI SOBF do relé RI, assim que completa- doo tempo de atuaglo da fungao. esta forma, o rele R2 vai operar para falta no ponto A em toro de 440 ms (tempo de atuagio ANSI 50-1 de 1 (100 ms) + trip ANSI SOBF de RI (20 ms) + tompo de abertura do dis- 72 EM Abel, 2015 “Tempo do oliminagdo da fata (ms) Selotvidade —Seotvidade convencionsl —legiea 190 40 00 190 40 190 juntor D2 (90 ms)), Na seletividade cconvencional, com & falha do disjuntor DiI, o rele R2 eliminaria a falta em tor- ‘no de 590 ms (tempo atuag30 ANSI 50- 2 (500 ms) + tempo de abertura do dis- Jjuntor (90 ms). ‘Anda considerando a falta no ponto A, caso ocora falha de abertura dos disjumtores DI € D2, 0relé R3 elimina ria falta em torno de 690 ms, Na sele- tividade convencional, 0 mesmo relé climinaria a falta em torno de 840 ms, Sea falta ocarrer no ponte B, come ‘rele R2 no estara bloqueado por ne- inhum outro relé, a falta seri eliminada ‘em torno de 190 ms. Na seletividade cconvencional, o relé R2 eliminaria a falta em torno de 590 ms. Caso ocorra um falta ro ponto B fata na abertura do disjumtor D2, 0 re- 16 RS eliminaria a falta em tomo de 440 ‘ms. Jina seletividade convencional, es ae rolé climinarin « falta orn torne do 840 ms, hitpikwww arardanet com brimislaolinetletrcidade_ moderna/201Slabrilindex php at (ms) 150 150 150 400 +400 50 SOBF, mostrou-s HH se a falta ocorrer no ponto C, ¢ rlé R3 elimina ria a falta em torno de 190 ‘ms. Na seletividade conven- ional. a falta seria elimina dda em torno de 840 ms, A tabela I resume os i tervalos de tempos de atua- gio da seletividade conven- ional e da seletividade 16- ica e a diferenga (At) entre cles. Pode-se verilicar que a soletividade légica, em cconjunto com a seletividade convencional ¢ « fingio mais adequada do ‘que a seletividade convencional,fiean- do inclusive cada vez mais el medida que a falha (curto-circuito) se aproxima da fonte. Essa situagio favor rivel € mantida mesmo quando se co sidera a oeorrencia de fala de abertura nos disjuntores. Estudo de caso Para exemplificat 0 que foi exposto, realizou-se um estudo de caso, deserito a seguir Descrigdo do sistema A figura 3 mostra uma determina- ‘da drea de um sistema elérico indus- trial, em que existem virias saidas do Paine! em 13,8 kV com diferentes car- laos. Nesse sistema, adotou-se que © primeito estagio de fungdo ANSI 50 é destinado & seletividade Logica, € 0 se ‘gundo 0 tarecize aid siow 4 snatonci nal, bem como uso da fungao de falha «do disjuntor. Sen- do assim. para 0 ajuste da corrente de pickup do p meio estigio da ANSI 50 (150-1), referemte aos res Ral, RA, R43, RIN, R72 e R73, ddeve-se levar em conta 0 valor da corrente de eurta- a6.