Você está na página 1de 3

ALTERAÇÕES DE DESENVOLVIMENTO FACIAL: visíveis através do epitélio devem ser fissuras ou sulcos na superfície dorsal da língua.

A
FISSURAS OROFACIAIS: São defeitos congênitos consideradas como grânulos de Fordyce. sua causa é incerta, mas a hereditariedade
maiores e mais comuns em seres humanos. Não LEUCOEDEMA: Principalmente em negros; parece ter um papel significante. Evidências
há uma etiologia definida para as fissuras, mas alteração branco-leitosa da mucosa jugal indicam que esta condição pode ter tanto caráter
estas ocorrem em nível embriológico. Classificação bilateralmente; desaparece quando distendida a poligênico, como autossômico dominante com
de Spina: Fissura Labial Esquerda Pré-forame mucosa. penetrância incompleta. Fatores ambientais e
Incompleta – Fissura Labial Bilateral Pré-forame MICROGLOSSIA: é uma alteração de idade também podem contribuir para o seu
Incompleta – Fissura Labial Esquerda Pré-forame desenvolvimento incomum, de etiologia desenvolvimento.
completa – Fissura Labial Bilateral Pré-forame desconhecida, caracterizada por uma língua LÍNGUA PILOSA/PILOSA NEGRA/SABURRADA:
Completa – Fissura Labial Esquerda Transforame anormalmente pequena. Em casos raros, a língua caracteriza-se por acúmulo acentuado de ceratina
Completa – Fissura Labial Bilateral Transforame pode estar ausente (aglossia). A microglossia nas papilas filiformes do dorso lingual, resultando
Completa – Fissura Palatina Pós-forame Completa isolada pode ocorrer e um grau pequeno de em uma aparência semelhante a pelos.
– Fissura Palatina Pós-forame Incompleta. microglossia pode ser difícil de diagnosticar, Aparentemente, essa condição ocorre por um
LÁBIO DUPLO: anomalia oral rara, caracterizada podendo não ser notado. No entanto, a maioria aumento na produção de ceratina ou por um
pelo crescimento exuberante de tecido na mucosa dos casos relatados tem sido associada a um decréscimo na descamação da ceratina normal. A
labial. A sua maior frequência é de natureza grupo de condições sobrepostas conhecidas como língua pilosa é observada em aproximadamente
congênita, porém pode ser adquirido tardiamente síndromes de hipogênese oro-mandibular- 0,5% dos adultos. Embora a sua causa seja incerta,
durante a vida. Acredita-se que os casos membros. Tais síndromes são caracteristicamente muitos pacientes afetados são tabagistas crônicos.
congênitos desenvolvam-se durante o segundo ou associadas a anomalias dos membros, como Outros fatores possivelmente associados são:
terceiro mês da gestação como resultado da hipodactilia (ausência de dedos) e hipomelia debilitação geral, higiene oral deficiente e um
persistência do sulco entre a parte vilosa e a (hipoplasia de parte ou de todo o membro). histórico de radioterapia na região de cabeça e
parte glaba do lábio. O lábio duplo adquirido MACROGLOSSIA: crescimento anormal da língua, pescoço.
pode ser um componente da síndrome de fazendo com que esta alcance um tamanho maior TÓRUS PALATINO: crescimento ósseo no palato,
Ascher, ou pode ser causado por traumatismo ou do que a cavidade bucal permite e trazendo normalmente presente na linha média do palato
hábitos orais, como sugar o lábio. prejuízos à função de fonação, respiração, sucção duro. Possui diâmetro menor que 2cm, mas a sua
GRÂNULOS DE FORDYCE: glândulas sebáceas e/ou deglutição. dimensão pode variar ao longo da vida.
assintomáticas comumente encontradas na ANQUILOGLOSSIA: anomalia de desenvolvimento TÓRUS MANDIBULAR: crescimento ósseo
mucosa oral, no lábio superior e região da língua, caracterizada pelo freio lingual curto, na mandíbula, ao longo da superfície mais próxima
retromolar. Caracterizam- se por múltiplas pápulas resultando na limitação dos movimentos da à língua. Estão habitualmente presentes perto
amareladas ou esbranquiçadas de 0,1 a 1 mm de língua. aos pré-molares. Em 90% dos casos, há um toro
diâmetro que ocasionalmente podem coalescer e LÍNGUA FISSURADA: condição relativamente em ambos os lados.
formar placas. Somente as glândulas sebáceas comum caracterizada pela presença de várias

ANORMALIDADES DENTÁRIAS: EROSÃO: é a perda da estrutura dentária causada (desenvolvimento de um número maior de
FLUOROSE DENTÁRIA: são manchas, em geral por processo químico somado à interação dentes, e os dentes adicionais são chamados
esbranquiçadas, que aparecem nos dentes por bacteriana com o dente. de supranumerários), Hipodontia (demonstra a
excesso de flúor, geralmente de forma simétrica. ABFRAÇÃO: se refere à perda de estrutura falta de desenvolvimento de um ou mais dentes) e
Geralmente acomete crianças de 0 a 12 anos em dentária devido a um estresse oclusal, que por Oligodontia (uma subdivisão da Hipodontia, indica
regiões onde a água é fluoretada ou possui nível flexão repetida provoca falha no esmalte e na a falta de desenvolvimento de seis ou mais
de fluoreto natural maior que 4mg/L e em dentina distante do ponto de pressão. dentes).
trabalhadores da industria de flúor. REABSORÇÕES: Além da perda da estrutura FORMA: Geminação (uma tentativa de um único
HIPOPLASIA DE TURNER: é uma anormalidade dentária que tem início nas superfícies coronárias germe dentário dividir-se, com a resultante
encontrada em dentes. Sua aparência é variável, expostas, a destruição dos dentes também pode formação de um dente com coroa chanfrada e,
embora geralmente se manifeste como a falta ou ocorrer por reabsorção, que é realizada por geralmente, uma raiz e um canal radicular em
diminuição do esmalte em dentes permanentes. células localizadas na polpa dentária (reabsorção comum).Fusão (considerada a união de dois
Ao contrário de outras anomalias que afetam um interna) ou no ligamento periodontal (LP) germes dentários normalmente separados, com
vasto número de dentes, esta anormalidade (reabsorção externa). a resultante formação de um dente unido com
geralmente afeta apenas um dente na boca.Se REABSORÇÃO INTERNA: A reabsorção interna é confluência de dentina), Concrescência (união de
hipoplasia é encontrada em um canino ou um pré- geralmente assintomática e descoberta em dois dentes pelo cemento em comum sem
molar, a causa mais provável é uma infecção que radiografias de rotina. A dor pode ser relatada confluência da dentina), Cúspides acessórias
estava presente ainda recém-nascido. Os tecidos quando o processo é associado à significativa (existem 3: Cúspide de Carabelli - é uma cúspide
inflamados ao redor da raiz do dente (chamado inflamação pulpar. São observados dois padrões acessória localizada na superfície palatina da
de inflamação periapical), afetam o principais: 1. reabsorção inflamatória e 2. cúspide mesiolingual de um molar superior -,
desenvolvimento do dente permanente. Os reabsorção por substituição ou reabsorção Cúspide em Garra – cúspide adicional bem
dentes mais afetados por essa causa é o dente metaplásica. delimitada localizada na superfície lingual de um
canino. A aparência da anormalidade irá depender REABSORÇÃO EXTERNA: apresenta-se dente anterior - e Dente Evaginado - é uma
da gravidade da infecção e longevidade. Se é caracteristicamente como uma perda de estrutura elevação semelhante a uma cúspide de
encontrada na parte da frente (anterior), a causa dentária com aspecto semelhante a “roída por esmalte localizada no sulco central ou na crista
mais provável é uma lesão traumática em traça”, na qual a radiolucidez é bem menos lingual da cúspide vestibular de pré-molares ou de
um dente primário. Geralmente afeta o esmalte definida e demonstra variações na densidade. molare - , Dente invaginado (Dens In Dent):
dentário se o trauma ocorre antes do terceiro ano PIGMENTAÇÃO EXTRÍNSECA: ocorrem pelo Profunda invaginação da superfície da coroa ou da
de vida. Lesões ocorridas após esta data são acúmulo superficial de um pigmento exógeno e, raiz que é limitada pelo esmalte, Esmalte
menos susceptíveis a defeitos pois esmalte já está geralmente, podem ser removidas com o ectópico: refere à presença de esmalte em
calcificado. tratamento da superfície. localizações incomuns, principalmente na raiz
PIGMENTAÇÃO INTRÍNSECA: surgem de uma dentária. As mais conhecidas são as pérolas de
DESGASTE DENTÁRIO: é um processo fisiológico coloração intrínseca de material endógeno que é esmalte. São estruturas hemisféricas que
que ocorre com o decorrer do envelhecimento, incorporado ao esmalte e à dentina, e não pode podem consistir inteiramente em esmalte ou
mas pode ser considerado patológico quando o ser removidas por pasta profilática ou pedra conter dentina e polpa subjacentes. A maioria é
grau de destruição cria problemas funcionais, pomes. projetada da superfície da raiz, acreditando-se que
estéticos ou de sensibilidade dentária. IMPACÇÃO: Dentes que cessam a erupção antes surja de uma projeção localizada da camada
ATRIÇÃO: é a perda da estrutura dentária causada de emergirem estão impactados. odontoblástica. Esta saliência propicia contato
pelo contato entre os dentes antagonistas durante ANQUILOSE: A interrupção da erupção após o seu prolongado entre a bainha radicular de Hertwig e
a oclusão e a mastigação. começo é chamada anquilose. a dentina em desenvolvimento, desencadeando a
ABRASÃO: é a perda patológica da estrutura ALTERAÇÕES DE DESENVOLVIMENTO: indução da formação de esmalte.
dentária ou restauração pela ação mecânica de NÚMERO: Anadontia (refere-se à total falta de
um agente externo. desenvolvimento dentário), Hiperodontia
Taurodontia: aumento do corpo e da câmara condições que demonstram alterações de entre o azul, âmbar e marrom. Radiograficamente,
pulpar de um dente multirradicular com desenvolvimento na estrutura do esmalte na as alterações dentárias incluem coroas bulbosas,
deslocamento apical do soalho pulpar e da ausência de uma alteração sistêmica), constrição cervical, raízes delgadas e obliteração
bifurcação das raízes. Hipercementose: A Dentinogênese imperfeita (distúrbio de precoce da polpa. Os dentes permanentes
hipercementose (hiperplasia cementária) é desenvolvimento da dentina na ausência de exibem coloração clínica normal; entretanto,
uma deposição excessiva de cemento não qualquer desordem sistêmica), Displasia radiograficamente, as câmaras pulpares mostram
neoplásico ao longo do cemento radicular Dentinária Tipo I (dentes sem raízes, porque a aumento significativo e extensão apical),
normal. Raízes acessórias, Dilaceração: é a perda de organização da dentina radicular leva Odontodisplasia regional (Dentes Fantasmas):
angulação anormal ou curvatura na raiz ou, menos ao encurtamento do tamanho da raiz), anomalia localizada, não hereditária, com
frequentemente, na coroa do dente. Displasia Dentinária Tipo II (distúrbio hereditário extensos efeitos adversos sobre a formação do
de caráter autossômico dominante que exibe esmalte, da dentina e da polpa. Muitos casos são
TAMANHO: Microdontia (presença de dentes numerosas características da dentinogênese idiopáticos, mas alguns têm sido relacionados
excepcionalmente pequenos) e Macrodontia imperfeita. Ao contrário da displasia dentinária com várias síndromes, anormalidade de
(dentes maiores que a média). do tipo I, o tamanho da raiz é normal em ambas as crescimento, distúrbios neurais e
dentições. Os dentes decíduos lembram aqueles malformações vasculares.
ESTRUTURA DOS DENTES: Amelogênese da dentinogênese imperfeita. Clinicamente, os
imperfeita (compreende um grupo complexo de dentes apresentam uma transparência que varia

PATOLOGIAS DE POLPA E PERIÁPICE: demonstra, microscopicamente, uma inflamação através dos planos fasciais dos tecidos moles. Esta
PULPITE REVERSÍVEL: denota um grau de granulomatosa verdadeira. Embora o termo disseminação aguda e edemaciada de um
inflamação pulpar no qual o tecido é capaz de periodontite apical possa ser mais apropriado, processo inflamatório agudo é denominada
retornar a um estado normal de saúde se os este pode causar uma confusão para o clínico. celulite. Embora vários padrões de celulite possam
estímulos nocivos forem retirados. CISTO PERIAPICAL: O epitélio na região do ápice ser observados pela disseminação de infecções
PULPITE IRREVERSÍVEL: significa que um nível de um dente desvitalizado presumivelmente pode dentárias, duas formas especialmente perigosa
maior de inflamação se desenvolveu, no qual a ser estimulado pela inflamação para formar um merecem uma discussão adicional: (1) a angina de
polpa dentária sofreu um dano além da cisto verdadeiramente revestido por epitélio ou Ludwig e (2) a trombose do seio cavernoso.
possibilidade de recuperação. Com frequência, a cisto periapical. A resposta inflamatória parece ANGINA DE LUDWIG: refere-se à celulite da
invasão bacteriana é o limite entre a pulpite aumentar a produção do fator de crescimento de região submandibular. Angina vem do termo em
reversível e a irreversível. ceratinócitos pelo estroma das células latim angere, que significa “estrangular” (um
PULPITE CRÔNICA HIPERPLÁSICA: é um padrão periodontais, levando ao aumento da proliferação termo adequado, considerando as
único de inflamação pulpar. Esta condição ocorre de epitélio normalmente quiescente na região. A características clínicas descritas na seção a
em crianças e adultos jovens que apresentam fonte epitelial é formada pelos restos epiteliais de seguir). Em torno de 70% dos casos, a angina de
grande exposição da polpa, nas quais muitas vezes Malassez, mas também pode estar relacionada ao Ludwig se desenvolve da disseminação de uma
toda a dentina do teto da câmara pulpar está epitélio crevicular, ao revestimento sinusal ou ao infecção aguda proveniente de um molar inferior.
ausente. Os dentes mais envolvidos são os revestimento epitelial dos tratos fistulosos. O Outras situações associadas a esta apresentação
molares decíduos ou permanentes, que desenvolvimento cístico é comum; a frequência clínica são os abscessos periamigdalianos ou
possuem câmaras pulpares amplas nesta faixa relatada varia de 7% a 54% das imagens parafaringeanos, lacerações orais, fraturas de
etária. radiolúcidas periapicais. mandíbula ou sialoadenites submandibulares.
DENTINA SECUNDÁRIA E TERCIÁRIA: A formação ABSCESSO PERIAPICAL: O acúmulo de células Ainda que o processo possa ocorrer em
da dentina ocorre durante toda a vida. A dentina inflamatórias agudas no ápice de um dente não indivíduos saudáveis, há um aumento da
formada antes da formação completa da raiz vital é denominado abscesso periapical. As lesões prevalência em pacientes imunodeprimidos
chamada de dentina primária. Esse processo é inflamatórias agudas com formação de abscesso secundariamente devido à presença de distúrbios,
seguido pela formação da dentina secundária. Os podem surgir como uma alteração periapical tais como a diabetes melito, o transplante de
mesmos odontoblastos que formaram a dentina inicial ou de uma exacerbação aguda de uma lesão órgãos, a síndrome da imunodeficiência adquirida
primária permanecem funcionais e produzem a periapical inflamatória crônica (ver discussão (AIDS) e a anemia aplásica.
dentina secundária. Com o avançar da idade, a anterior sobre abscesso fênix). Frequentemente, a TROMBOSE DO SEIO CAVERNOSO: O seio
deposição de dentina secundária leva a uma fonte da infecção é evidente. Algumas vezes, cavernoso é um seio dural maior posicionado
diminuição da câmara pulpar e do sistema de entretanto, a necrose pulpar pode estar entre as camadas meníngeas e as camadas
canais. A deposição da dentina é lenta e gradual, relacionada a um traumatismo, e o dente pode periosteais da dura-máter. A camada meníngea
mas de fato aumenta após os 35 a 40 anos de não apresentar cavidades nem restaurações. No contém os nervos troclear e oculomotor e os
idade. Pesquisadores forenses comprovaram que estágio mais inicial de todas as formas de ramos maxilar e oftálmico do nervo trigêmeo.
a formação da dentina secundária ocorre de doença inflamatória periapical, as fibras Além disso, a artéria carótida interna e o
maneira tão consistente que a proporção da periapicais do ligamento periodontal (LP) podem nervo abducente passam pelo interior do seio.
espessura da dentina retirada em três exibir uma inflamação aguda, mas nenhuma O seio recebe drenagem venosa da órbita por
diferentes níveis radiculares está intimamente formação evidente de abscesso. Esta alteração meio das veias oftálmicas superior e inferior. A
relacionada à idade. localizada, com denominação mais correta infecção do seio pode produzir uma série de
GRANULOMA PERIAPICAL: refere-se a uma massa periodontite apical aguda, pode ou não evoluir sintomas clínicos relacionados a diversas
de tecido de granulação crônica ou agudamente para a formação de um abscesso. estruturas anatômicas que atravessam essa
inflamado no ápice de um dente desvitalizado. CELULITE: Se um abscesso não é capaz de drenar região. A trombose do seio cavernoso pode
Esta denominação bastante utilizada não é através da superfície cutânea ou para o interior da ocorrer por uma via anterior ou posterior.
totalmente correta, pois a lesão não cavidade oral, ele pode disseminar difusamente

DOENÇAS SISTÊMICAS: ICTERÍCIA: Uma coloração amarela na pele ou nos olhos secreção ou na ação do hormônio insulina, que é
MUCOPOLISSACARIDOSES: enfermidade hereditária, que causada pelo excesso de bilirrubina, uma substância produzido no pâncreas, pelas chamadas células beta.
de uma forma simplificada significa dizer que há falta de criada quando os glóbulos vermelhos se rompem. DEFICIÊNCIAS VITAMÍNICAS:
uma enzima para digerir um açúcar (o HIPOTIREOIDISMO: Condição na qual a glândula tireoide ANEMIA FERROPRIVA: Quantidade insuficiente de
mucopolissacarídeo). São doenças genéticas graves, não produz a quantidade suficiente de hormônio da glóbulos vermelhos saudáveis devido a muito pouco ferro
causadas por erros inatos do metabolismo, que afetam a tireoide. no organismo.
produção das enzimas responsáveis pela síntese de HIPERTIREOIDISMO: Produção em excesso de um HIPOFOSFATASIA: Hipofosfatasia congênita é a ausência
proteínas das células, afetando diretamente o hormônio pela glândula em forma de borboleta localizada ou a presença de níveis baixos da fosfatase alcalina sérica
funcionamento de todos os órgãos. Existe mais de um no pescoço (tireoide). devido a mutações do gene que codifica a fosfatase
tipo de MPS. A tipologia é determinada pela enzima que o DIABETES MELLITUS: Diabetes Mellitus é uma doença alcalina tecidual não específica.
organismo não consegue produzir. caracterizada pela elevação da glicose no sangue RAQUITISMO RESISTENTE À VITAMINA D: Raquitismo é
(hiperglicemia). Pode ocorrer devido a defeitos na uma doença decorrente da mineralização inadequada
do osso em crescimento, ou seja, da placa epifisária.