Você está na página 1de 3

5ª TURMA RECURSAL DOS JUIZADOS ESPECIAIS CÍVEIS E CRIMINAIS DA

BAHIA

PROCESSO Nº 0199056-16.2011.8.05.0001
CLASSE: RECURSO INOMINADO
RECORRENTE: COELBA – COMPANHIA DE ELETRICIDADE DO ESTADO DA
BAHIA
RECORRIDO(A): ANTONIO FERNANDES DE CARVALHO
JUIZ PROLATOR: AILTON BATISTA DE CARVALHO
JUIZ RELATOR: ROSALVO AUGUSTO VIEIRA DA SILVA

EMENTA

RECURSO INOMINADO. SERVIÇO DE ENERGIA ELÉTRICA.


REGISTRO DE CONSUMO ACIMA DO USUAL. AUSÊNCIA DE
PROVA, A CARGO DA FORNECEDORA, DA REGULARIDADE
NA MEDIÇÃO. SENTENÇA QUE ORDENOU O
REFATURAMENTO COM BASE EM MÉDIA DE CONSUMO
ANTERIOR. MANUTENÇÃO INTEGRAL DO JULGADO. NÃO
PROVIMENTO DO RECURSO.

Dispensado o relatório nos termos do artigo 46 da Lei nº 9.099/95.

Circunscrevendo a lide e a discussão recursal para efeito de registro,


saliento que a Recorrente, COELBA – COMPANHIA DE ELETRICIDADE DO
ESTADO DA BAHIA, pretende a reforma da sentença lançada nos autos que, ante a
ausência de prova da regularidade da medição do consumo, a seu cargo, ordenou o
refaturamento da dívida total imputada à parte Recorrida, ANTONIO FERNANDES DE
CARVALHO, com base na média anterior de consumo.

Presentes as condições de admissibilidade do recurso, conheço-o,


apresentando voto com a fundamentação aqui expressa, o qual submeto aos demais
membros desta Egrégia Turma.

VOTO

No mérito, após acurado exame do quanto se contem nestes autos, entendo


que a irresignação manifestada pelo Recorrente não merece acolhimento.

O exame dos autos evidencia que o ilustre a quo examinou com acuidade a
demanda posta à sua apreciação, pois avaliou com acerto o conjunto probatório, referido
expressamente na sentença.

Por isso, incensurável, o decisum não merece reforma, a meu sentir.

Os aspectos observados pelo douto a quo quando da condenação em danos


morais foram ponderados, ademais porque o valor da indenização deve ser fixado de modo a
desencorajar novas lesões.

Os fundamentos do julgado são precisos, não havendo o que reformar,


simplesmente que ratificar a judiciosa decisão pelos seus próprios fundamentos.
1
Assim, VOTO no sentido de CONHECER E NEGAR PROVIMENTO
AO RECURSO, mantendo integralmente a sentença guerreada, condenando a Recorrente ao
pagamento das custas processuais, deixando de fazê-lo relativamente aos honorários
advocatícios em razão de não ter sido a parte autora assistida por advogado em quaisquer
atos do processo.
Salvador-Ba, Sala das Sessões, 14 de julho de 2015.

Rosalvo Augusto Vieira da Silva


Juiz Relator

COJE – COORDENAÇÃO DOS JUIZADOS ESPECIAIS


TURMAS RECURSAIS CÍVEIS E CRIMINAIS

PROCESSO Nº 0199056-16.2011.8.05.0001
CLASSE: RECURSO INOMINADO
RECORRENTE: COELBA – COMPANHIA DE ELETRICIDADE DO ESTADO DA
BAHIA
RECORRIDO(A): ANTONIO FERNANDES DE CARVALHO
JUIZ PROLATOR: AILTON BATISTA DE CARVALHO
JUIZ RELATOR: ROSALVO AUGUSTO VIEIRA DA SILVA

EMENTA

RECURSO INOMINADO. SERVIÇO DE ENERGIA ELÉTRICA.


REGISTRO DE CONSUMO ACIMA DO USUAL. AUSÊNCIA DE
PROVA, A CARGO DA FORNECEDORA, DA REGULARIDADE
NA MEDIÇÃO. SENTENÇA QUE ORDENOU O
REFATURAMENTO COM BASE EM MÉDIA DE CONSUMO
ANTERIOR. MANUTENÇÃO INTEGRAL DO JULGADO. NÃO
PROVIMENTO DO RECURSO.

ACÓRDÃO

Realizado julgamento do Recurso do processo acima epigrafado, a


QUINTA TURMA, composta dos Juízes de Direito, EDSON PEREIRA FILHO, ROSALVO
AUGUSTO VIEIRA DA SILVA e ELIENE SIMONE SILVA OLIVEIRA decidiu, à
unanimidade de votos, CONHECER E NEGAR PROVIMENTO AO RECURSO,
mantendo integralmente a sentença guerreada, condenando a Recorrente ao pagamento das
custas processuais, deixando de fazê-lo relativamente aos honorários advocatícios em razão
de não ter sido a parte autora assistida por advogado em quaisquer atos do processo.

Salvador, Sala das Sessões, 14 de julho de 2015.

JUIZ EDSON PEREIRA FILHO


Presidente

2
JUIZ ROSALVO AUGUSTO VIEIRA DA SILVA
Relator