Você está na página 1de 47

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUÍ

CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM LETRAS PORTUGUES

RESIDÊNCIA PEDAGÓGICA (CICLO 1)

ALUNA: JÉSSICA MINEIRO ALVES

PORTFÓLIO

PARNAÍBA - PIAUÍ
Neste dia ocorreu nossa primeira reunião com a
coordenação acerca do programa Residência Pedagógica, nela
estiveram presentes os preceptores de cada escola, bem
como todos os participantes do programa. Durante a reunião
foram explicitadas quais os direitos e deveres dos
residentes, juntamente com a divisão dos alunos nas escolas,
mediante a nossa disponibilidade de tempo, segundo
informamos durante a entrevista que havia ocorrido durante
a seleção. Conhecendo a escola em que iriamos residir, e
ouvindo os discursos de cada preceptor, nos dividimos e
conversamos em grupo com ele, expondo nossas ideias, e
deixando previamente marcada a próxima reunião, que
ocorreria na escola.
Neste dia houve a primeira reunião na escola em que
residimos (CETI - Polivalente Lima Rebelo), nela expomos
nossas ideias e sorteamos as turmas em que cada residente
ficou, como são 8 residentes e 7 turmas, ficaram 6 pessoas
responsáveis por uma turma individualmente, e uma dupla
responsável por outra. Na ocasião, fomos oportunizados de
expor nossas ideias, de inicio sugerimos fazer um trabalho
com a disciplina de redação, já que a escola abrange somente
ensino médio e a redação é um requisito de suma importância
para o ingresso na universidade. Porem, a diretora achou por
bem nos oportunizar em outros trabalhos, a sugestão foi que
nós ficássemos responsáveis pela execução de 2 projetos
que são de exigência do estado, bem como a regência
durante as aulas de componente eletivo (aulas para as
turmas de 1º ano destinadas aos alunos que tem mais
dificuldades na disciplina de língua portuguesa).
Havia-nos sido disponibilizado dois horários semanais
na turma destinada através do sorteio para que
executássemos os dois projetos, bem como as aulas de
componente eletivo, que ocorrem as terças feiras, durante
os dois primeiros horários da manhã, essas aulas seriam
dadas em dupla. Neste dia nos reunimos na uespi no período
da tarde, para que nós nos planejássemos previamente antes
da próxima reunião na escola. Na ocasião nos dividimos
segundo os horários de língua portuguesa, e planejamos as
atividades que seriam executadas ao longo do projeto
Ciranda Literária e Sarau de Literatura Piauiense. Para o
primeiro planejamos abranger alguns gêneros textuais bem
como a produção textual, e para o segundo dividimos obras
de literatura piauiense para cada turma, para que no dia do
evento, que foi a culminância do projeto, cada uma
abrangesse em alguma atividade sua obra designada.
Neste dia, retornamos a escola para uma ultima
reunião antes de iniciar os trabalhos em sala de aula, nela
obtivemos apoio dos professores da disciplina e da direção
em todas as nossas ideias explicitadas e fizemos o
reconhecimento de todas as turmas.
Neste dia ocorreu a minha primeira aula com a turma
em que trabalhei durante esses meses de regência, a turma
do 1º ano B é composta por 37 alunos, as aulas sempre
ocorreram nos dois primeiros horários da quarta feira, das
7:20 as 9. Ao chegar na sala, organizei as carteira em meia
lua, os alunos chegaram e a aula foi iniciada por um
esclarecimento básico do que era o programa residência
pedagógica bem como a minha apresentação, depois foi feita
uma dinâmica com eles que transcorreu da seguinte maneira:
havia um balão passando pela mão de cada um, enquanto uma
música tocava, quando a musica parasse a pessoa que estava
com o balão em mãos deveria dizer seu nome e o tipo de
literatura que mais gosta. Depois que todos já haviam se
apresentado, passei para o inicio da execução do projeto
Sarau de Literatura Piauiense, explanando os primeiros
conceitos acerca do gênero, bem como os principais autores.
Neste dia ocorreu a iniciação do projeto ciranda
literária, o primeiro gênero abrangido foi a crônica, a aula
começou com uma explicação teórica acerca do tema,
mostrando as característica e a exemplificação com a
crônica “O delicado - Nelson Rodrigues”, foi feita a leitura
dessa crônica em grupo e ela foi reproduzida em vídeo
também, logo após os alunos tiveram tempo para fazer
comentários sobre a temática retratada nela, e em seguida
começaram a produzir suas próprias crônicas. No segundo
horário, durante a execução do segundo projeto, foi feita a
explicação de tudo que iria ocorrer durante o sarau literário
(culminância do projeto).
Neste dia aconteceu a primeira aula no horário de
componente eletivo, juntamente com minha dupla, Virna. A
intenção era trabalhar diferentes gêneros textuais de
maneira criativa, bem como sugerir a produção textual.
Levamos o gênero textual música. A princípio explicamos a
parte teórica já que a música nem sempre é trabalhado como
um gênero textual, eles ficaram bastante surpresos e
eufóricos, apresentamos duas músicas juntamente com os
vídeo clips ( senhor presidente - projota, já pensou - Fábio
Brazza), ambas apresentam criticas sociais. Após a análise
das músicas e comentários sobre ela, os alunos produziram
textos criativos embasados nelas, tanto em suas letras,
quando no vídeo clip de cada uma.
Nesses dois dias, foi feita a correção individualizada
de cada crônica, os alunos se dirigiam até a minha mesa, e
liamos o texto juntos, para analisar cada erro e acerto, após
a análise de cada um, eles fizeram a reescrita com as
adequações necessárias.
Neste dia iniciamos os trabalhos com a obra que seria
objeto de estudo e apresentação na culminância do projeto
Sarau de Literatura Piauiense. Beira Rio Beira Vida do
escritor Parnaibano Assis Brasil foi reconhecida
imediatamente pelos alunos, eles sabiam superficialmente do
que a obra se tratava. Então foram feitos comentários
acerca do autor, bem como a reprodução de uma entrevista
com ele, em que em que são contadas várias curiosidade e
fatos especiais sobre sua própria vida.
Neste dia iniciamos as produções da nossa
contribuição para o sarau literário. A produção de uma
exposição visual acerca da obra trabalhado na aula anterior
ocorreu da seguinte maneira: a sala foi dividida em 7 grupo,
cada um se responsabilizou pela produção de um cartaz,
feito através de corte e colagem.
Neste dia ocorreu mais uma aula do componente
eletivo com a temática “poesia de memória”, os alunos
gostaram de imediato. Levamos alguns exemplos de poesias
em que o eu lírico retratava a sua própria vida em tempos
passados, seja pelo fato de se arrepender pelo que fez, ou
por uma simples saudade dos seus tempos de criança ou de
um amor que não era mais existente. Após a leitura coletiva
das obras, os alunos produziram os seus próprios poemas,
retratando fatos da sua própria vida, principalmente
lembranças da época de criança.
Neste dia os alunos produziram a segunda parte da
contribuição da turma para o sarau literário: poesias sobre o
Piauí. A principio foi explicado a estrutura da poesia e a
temática que ela deveria abranger, a produção foi feita no
pátio da escola, sentados ao chão eles puderam compartilhar
entre si ideias e até ter mais inspiração para produzir, visto
que ao longo dos dias, eles quase nunca assistem aulas em
ambientes fora da sala de aula.
Neste dia a aula ocorreu no período da tarde e foi
utilizada para organizar toda a exposição para o sarau, todos
os cartazes foram colocados na parede com a ajuda de todos
os alunos. Já as poesias, foram escolhidas 3 para que os
autores as declamasse durante o sarau, que ocorreu no dia
seguinte.
Neste dia ocorreram duas reuniões, a primeira foi a
tarde na escola, com a presença da coordenadora do
programa, a diretora da escola, os professores da disciplina
e todos os residentes. A proposta exposta na reunião foi a
de elencar aos residentes a responsabilidade de fazer uma
revisão com os alunos durante as próximas 3 semanas para a
prova SAEPI, prova que avalia o nível de conhecimento dos
alunos do ensino médio em escolas estaduais. A noite, houve
uma reunião entre todos os residente na UESPI, durante a
reunião, dividimos os conteúdos vigentes na prova, entre as
próximas 3 semanas que estariam disponíveis para que a
revisão fosse realizada, uma vez que a prova ocorreu dia 28.
Neste dia ocorreu a execução do projeto
interdisciplinar dirigido pela professora Rita Alves, neste, eu
e minha dupla Virna, iniciamos a aula explicando os conceitos
e exemplificando através de charges e tirinhas o que era a
sociolinguística. Após feita essa introdução, partimos para o
principal objeto de pesquisa do projeto: a reescrita de
músicas. Levamos três musicas e seus vídeo clips, cada uma
de um gênero diferente , após escutar, ler e comentar sobre
cada uma delas, a sala foi dividida em 3 grupos, cada um
ficou com uma música bem como encarregados de reescreve-
la , tirando do português não padrão e colocando no padrão,
ou vice versa. Após esse trabalho finalizado, um
representante de cada grupo foi até a frente ler a reescrita
feita pelo grupo.
Tá Patrão
MC Guimê

Tapa, tapa ta patrao

Quando da uma hora da manha


É que o bonde se prepara pra vibe
Abotoa a polo listrada
Da um no no cardaço, no tenis da Nike

Joga o cabelo pra cima


Ou poe o bone que combina com a roupa
A picadilha pode ser de boy
Mas nao vale esquecer que somos vida loca

As mais top vem do nosso lado


Ficam surpresas, ganha mo moral
Se o paparazzi chega nesse baile
Amanha seu pai ve sua foto no jornal

Portando o kit de nave do ano


Éssa e a nossa condiçao
Olha so como que o bonde ta

Tapa, tapa, ta patrao


Tapa, tapa, ta patrao
Tenis Nike Shox, Bermuda da Oakley
Camisa da Oakley, olha a situaçao

Tapa, tapa, ta patrao


Tapa, tapa, ta patrao
Tenis Nike Shox, Bermuda da Oakley
Camisa da Oakley, olha a situaçao

Tapa, tapa, ta patrao


Tapa, tapa, ta patrao
Caralho, moleque, vai segurando

Tapa, tapa, ta patrao

Quando da uma hora da manha


É que o bonde se prepara pra vibe
Abotoa a polo listrada
Da um no no cardaço, no tenis da Nike

Joga o cabelo pra cima


Ou poe o bone que combina com a roupa
A picadilha pode ser de boy
Mas nao vale esquecer que somos vida loca

As mais top vem do nosso lado


Ficam surpresas, ganha mo moral
Se o paparazzi chega nesse baile
Amanha seu pai ve sua foto no jornal

Portando o kit de nave do ano


Éssa e a nossa condiçao
Olha so como que o bonde ta

Tapa, tapa, ta patrao


Tapa, tapa, ta patrao
Tenis Nike Shox, Bermuda da Oakley
Camisa da Oakley, olha a situaçao

Tapa, tapa, ta patrao


Tapa, tapa, ta patrao
Tenis Nike Shox, Bermuda da Oakley
Camisa da Oakley, olha a situaçao

Tapa, tapa, ta patrao


Tapa, tapa, ta patrao
Caralho, moleque, vai segurando

Tapa, tapa, ta patrao

Quando ouviu o barulho do motor


Éra nos passando pela sua quebrada
Levantou e foi ver na janela
Na hora que viu ficou impressionada.

De Hornet ou de R1
Se so foder, de moto eu paro
Éu vou ate minha garagem
Buscar meu Veloster, Sonata ou Camaro

Tapa, tapa, ta patrao


Tapa, tapa, ta patrao
Borboletas
Victor e Leo

Percebo que o tempo ja nao passa


Voce diz que nao tem graça amar assim
Foi tudo tao bonito, mas voou pro infinito
Parecido com borboletas de um jardim

Agora voce volta


É balança o que eu sentia por outro alguem
Dividido entre dois mundos
Sei que estou amando, mas ainda nao sei quem

Nao sei dizer o que mudou


Mas nada esta igual
Numa noite estranha a gente se estranha e fica mal
Voce tenta provar que tudo em nos morreu
Borboletas sempre voltam
É o seu jardim sou eu

Percebo que o tempo ja nao passa


Voce diz que nao tem graça amar assim
Foi tudo tao bonito, mas voou pro infinito
Parecido com borboletas de um jardim

Agora voce volta


É balança o que eu sentia por outro alguem
Dividido entre dois mundos
Sei que estou amando, mas ainda nao sei quem

Nao sei dizer o que mudou


Mas, nada esta igual
Numa noite estranha a gente se estranha e fica mal
Voce tenta provar que tudo em nos morreu
Borboletas sempre voltam
É o seu jardim sou eu

Nao sei dizer o que mudou


Mas nada esta igual
Numa noite estranha a gente se estranha e fica mal
Voce tenta provar que tudo em nos morreu
Borboletas sempre voltam
É o seu jardim sou eu

Sempre voltam
É o seu jardim sou eu
Cálice
Chico Buarque

Pai, afasta de mim esse calice


Pai, afasta de mim esse calice
Pai, afasta de mim esse calice
De vinho tinto de sangue

Pai, afasta de mim esse calice


Pai, afasta de mim esse calice
Pai, afasta de mim esse calice
De vinho tinto de sangue

Como beber dessa bebida amarga


Tragar a dor, engolir a labuta
Mesmo calada a boca, resta o peito
Silencio na cidade nao se escuta
De que me vale ser filho da santa
Melhor seria ser filho da outra
Outra realidade menos morta
Tanta mentira, tanta força bruta

Pai, afasta de mim esse calice


Pai, afasta de mim esse calice
Pai, afasta de mim esse calice
De vinho tinto de sangue

Como e difícil acordar calado


Se na calada da noite eu me dano
Quero lançar um grito desumano
Que e uma maneira de ser escutado
Ésse silencio todo me atordoa
Atordoado eu permaneço atento
Na arquibancada pra a qualquer momento
Ver emergir o monstro da lagoa

Pai, afasta de mim esse calice


Pai, afasta de mim esse calice
Pai, afasta de mim esse calice
De vinho tinto de sangue

De muito gorda a porca ja nao anda


De muito usada a faca ja nao corta
Como e difícil, pai, abrir a porta
Éssa palavra presa na garganta
Ésse pileque homerico no mundo
De que adianta ter boa vontade
Mesmo calado o peito, resta a cuca
Dos bebados do centro da cidade
Pai, afasta de mim esse calice
Pai, afasta de mim esse calice
Pai, afasta de mim esse calice
De vinho tinto de sangue

Talvez o mundo nao seja pequeno


Nem seja a vida um fato consumado
Quero inventar o meu proprio pecado
Quero morrer do meu proprio veneno
Quero perder de vez tua cabeça
Minha cabeça perder teu juízo
Quero cheirar fumaça de oleo diesel
Me embriagar ate que alguem me esqueça
Neste dia foi realizado a execução de um outro
projeto, dirigido pelo professora Lucélia Almeida, este
ocorreu durante o horário do componente eletivo, o projeto
interdisciplinar tratou de releitura de contos de fadas. A
principio fizemos uma introdução teórica sobre o tema,
mostrando os principais autores e obras, logo em seguida a
turma foi dividida novamente em três grupos, cada um
escolheu um conto previamente selecionado por nós e assim
fizeram a releitura modificando o espaço, tempo e até
mesmo o nome dos personagens presentes no texto original,
após concluída a atividade, um representante de cada grupo
fez a leitura para toda a sala.
A pequena sereia

Ariel era uma jovem sereia, filha do rei Tritão. Gostava muito de nadar na superfície do
mar, e ficar espiando a maneira de como viviam os humanos. Um dia, ela encontrou um
navio que afundava, e salvou um de seus tripulantes. Ela o levou até a praia, e passou a
noite cuidando do príncipe desmaiado. Pela manhã, quando o príncipe Eric acordou,
Ariel já havia ido embora, e ele só conseguia lembrar da linda voz de sua salvadora. Os
dois se apaixonaram, embora o príncipe não se lembrasse do rosto de Ariel. Ela decidiu
que queria casar com Eric, e foi conversar com seu pai:
– Minha filha, você é uma sereia, e não pode amar um humano. Os humanos tem pernas,
e nós temos cauda, portanto você não conseguiria sobreviver fora do mar.
Muito triste, ela foi procurar a Bruxa dos Mares, e pediu que seu rabo fosse
transformado em pernas. A bruxa pediu em troca sua linda voz. Ariel concordou com a
troca. A bruxa ainda disse que ela teria um mês para conquistar o príncipe, caso
contrário, viraria escrava dos mares. A Pequena Sereia, tomou uma poção mágica, e
depois desmaiou. Quando acordou estava em uma linda praia, com o Eric ao seu lado.
Eles se tornaram amigos, e o príncipe levou Ariel para morar no seu castelo. Ele contou
a ela que estava apaixonado por uma moça, mas apenas se lembrava da linda voz que
ouvira. Como Ariel estava muda, não conseguiu falar de seu amor por ele. O tempo
estava passando e a cada dia Eric se encantava mais com a bondade de Ariel. A bruxa
percebendo isso, resolveu, que estava na hora de interferir. Ela se transformou em uma
linda moça, e foi procurar o príncipe. Ela carregava a voz de Ariel em um medalhão
pendurado no pescoço. Quando escutou aquela linda voz, Eric achou que havia
encontrado a moça que o salvara. Encantado com o acontecimento, foi marcado o
casamento. Este seria realizado no navio do príncipe Eric. No sair do casamento, por
acidente, o medalhão caiu no chão e se quebrou. Imediatamente a bruxa voltou a sua
antiga forma, e Ariel recuperou sua voz. O príncipe percebeu que estava sendo
enganado, e expulsou a bruxa do navio. Ele ficou muito feliz porque descobriu que a sua
salvadora era Ariel. Os dois se casaram, e o pai de Ariel a transformou em humana
para sempre. Ariel e o príncipe Eric foram muito felizes.
Chapeuzinho vermelho

Era uma vez uma linda menina, que morava com sua mãe, numa bela casinha. Ela
sempre usava uma capa com um chapeuzinho bem vermelho. Certo dia, sua mãe pediu
que ela fosse levar uma cestinha de doces, para sua vovó:
– Chapeuzinho, evite o caminho da floresta que é perigoso, vá pelo bosque e não fale
com estranhos.
Chapeuzinho adorava sua avó, e saiu em disparada, cantando de alegria. Queria fazer
uma surpresa para vovó e começou a colher as flores que encontrava no caminho. A
menina estava distraída com as flores, quando deu de cara com o lobo mau. Ela não
sabia que ele era o lobo malvado, mas não se assustou e nem sentiu medo.
– Bom dia, chapeuzinho Vermelho.
– Bom dia.
– A onde você está indo assim tão cedinho?
– Vou visitar minha vovozinha, que está muito doente.
O lobo, como era muito esperto, disse a ela bem depressa:
– Por que não vai pela floresta, que é bem mais perto?
Ela ficou em dúvida, porque não gostava de desobedecer sua mãe, mas resolveu seguir o
conselho do lobo. Enquanto chapeuzinho seguia pelo caminho da floresta, o lobo
rapidamente seguiu pelo bosque, cantando e correndo. O lobo chegou na casa da
vovozinha e bateu na porta:
_Quem está aí? — Perguntou a velhinha.
O lobo respondeu, disfarçando a voz:
– Sou eu, Chapeuzinho Vermelho.
– Entre minha querida, aporta está aberta.
O lobo, que era muito rápido, foi entrando e de uma só vez engoliu a vovozinha. Depois
vestiu as roupas dela, e ficou esperando Chapeuzinho Vermelho. Chegando na casa da
vovó, ela encontrou o lobo e perguntou:
– Vovó! Por que suas orelhas estão tão grandes?
– É para te ouvir melhor.
– Vovó! Para que esses olhos tão grandes?
– É para te ver melhor.
– Credo vovó, por que a senhora está com essa boca tão grande?
– É para te comer! — respondeu o lobo.
Dizendo isso, o lobo começou a correr atras de Chapeuzinho. Depois de algum tempo ele
tropeçou e caiu no chão. Enquanto isso a menina escondeu dentro de um velho armário.
O lobo resolveu dar uma cochilada e começou a roncar. Um caçador que passava
escutou:
– Que ronco esquisito?

Ele entrou, e encontrou o lobo:


– Ah! É você que está aí seu malvado!
Escutando isso, Chapeuzinho apareceu e contou toda a história para o caçador.
Aproveitando que o lobo estava dormindo, cortaram a sua a barriga, e tiraram a
vovózinha de dentro. As duas se abraçaram muito felizes.
– E agora o que faremos com esse malvado?
Os três resolveram encher a barriga do lobo de pedras. Quando o lobo acordou, tentou
fugir, mas ele caiu e nunca mais levantou. Todos ficaram aliviados e felizes. O caçador foi
embora, e as duas foram se sentar na varanda e saborear os doces. Chapeuzinho
prometeu nunca mais desobedecer a sua mãezinha.

O patinho feio

Em um dia quente de verão, os ovos da mãe pata começaram a estalar e quebrar.


Pequenos patinhos tentavam sair de lá de dentro dos ovinhos, um após o outro. “Quá
quá,” eles gritavam. Mas um dos patinhos era diferente, esse patinho era muito alegre e
sempre queria participar de todas as brincadeiras das suas irmãs e irmãos. Mas
infelizmente, seus irmãos não queriam que o patinho brincasse com eles. Ele não
conseguia entender o motivo pelo qual ninguém gostava dele, até que um dia ele viu seu
reflexo na água. “Éu sou tão feio! É por isso que ninguém gosta de mim,” pensou o
patinho e depois decidiu fugir de casa. Ele saiu de casa e foi embora. No caminho passou
por uma mulher, que o levou para a casa dela e o alimentou. Mas seu o gato e sua galinha
trataram o patinho muito mal. Então ele fugiu da casa da mulher. O inverno chegou e o
patinho estava sozinho e com muito frio. Foi quando um homem o viu e o levou para a
casa dele, o homem cuidou muito bem do patinho, mas os filhos dele o aterrorizaram.
Eles pulavam, corriam e gritavam por todos os lados, então o patinho fugiu. Finalmente a
primavera chegou e o patinho estava muito feliz porque poderia voltar a nadar. Um dia
ele estava nadando e viu um lindo cisne no lago. Ele se apaixonou instantaneamente. Só
que o patinho se lembrou que ele era muito feio, e esse pensamento o fez abaixar a
cabeça de tanta tristeza. Mas aí o que foi que ele viu refletido na água? Durante o inverno
ele tinha se transformado em um gracioso e jovem cisne! “Éntendi agora! Meus irmãos e
irmãs são todos patos, mas eu sou um cisne,” pensou ele e nadou até a linda cisne.
Depois de um tempo eles se casaram e viveram felizes para sempre.
Durante as próximas três semanas começaram a ser
trabalhados os conteúdos da prova SAEPI. Inicialmente cada
aluno recebia uma folha que continha os assuntos que seriam
ministrados na aula, juntamente com dois textos
exemplificadores, para serem utilizados durante a
explicação, logo em seguida, eles recebiam uma folha de
atividades com questões que abrangiam no assunto proferido
incialmente em cada aula. A pós os alunos terminarem de
responder, foi feita uma correção coletiva, para que as
duvidas fossem sanadas.
Neste dia aconteceu mais uma aula durante o horário
do componente eletivo, o assunto abordado foi o gênero
história em quadrinhos. A aula iniciou com uma introdução do
tema, explanamos conceitos, autores e exemplificações
acerca desse gênero tão popular em todas as gerações. Após
a exposição de todos esses fatores, os alunos produziram
suas próprias histórias individualmente.
Este foi o ultimo dia em que estive com a turma,
fizemos a culminância do projeto ciranda literária com um
café literário em que trabalhei a obra “O pequeno príncipe”
explicitando as 5 lições mais importantes trazidas na obra, e
que podem ser levadas para o nosso contexto social, familiar
etc. Durante a explicação ocorreu uma dinâmica: cada aluno
recebia uma papel colado em suas costas, nele deveria ser
escrito uma qualidade e um defeito por outro colega, uma
música tocava, e quando pausada eles se dirigiam as costas
do colega para escreverem tais observações, após o fim da
dinâmica, cada aluno lia as suas características e entregava
um brinde para alguém que considerava importante na sala
dizendo o motivo, isso aconteceu com todos os alunos, como
nenhum aluno poderia receber o brinde duas vezes, todos se
sentiram especiais pois quem entregava o brinde, tinha que
falar o motivo pelo qual escolhera esta pessoa. Ao final da
dinâmica e da explicação, fizemos um lanche coletivo com
diversas comidas que os alunos haviam levado.