Você está na página 1de 53
| ESPECIAL NARCISISMO | rene neulectencte TE | a, fern ETT — Bets ror : Ei eRe! po! undo « ant. om i ‘omas : bem além ys a0 enxergar como 5 i de cabegy 1° i osinsetos 4 a — 1 W carta da editora O jogo de esconde-esconde ma vez ou outra quase todo mundo deixa para mais tarde aquilo que deve ser feito (e quem jamais se aventura por algumas postergagbes pode estar num ou- tro extremo, inflexivel ¢ obcecado pelo controle). © que pode ser preocupante no $20 os adiamentos eventuais, mas quando esse comportamento se torna um habi- to. Em um estudo sobre o tema, o economista Piers Steel, da Universidade de Calgary, nos Estados Unidos, constatou que dois em cada 10 adultos rotineiramente postergam atividades que sabem conscientemente que seria melhor que enfrentassem de uma vez por todas, Segundo resultados da anilise feita por Steel, a procrastinacao afeta de 80% a 959% dos estudantes universitdrios, cujo equilibrio entre hordrios académicos e busca por distragdes como “festas na repiiblica” nem sempre ¢ facil de ser administrado Procrastinar, no entanto, ndo significa deliberadamente programar o que é menos crucial para momentos futuros. O termo é mais adequado quando uma pessoa deixa de seguir essa logica e acaba adiando as tarefas de maior importancia ou urgéncia. Ou seja, seo simples pensamento sobre o trabalho de amanha provoca um arrepio no pescaco ou a compulsdo de fazer algo mais trivial, vocé provavelmente estaré procrastinando. Como mostram textos desta edicdo digital de Mente e Cérebro, o problema é que adiamento cobra seu prego: acarreta perda financeira, prejudica relacionamentos ¢ a car- reira profissional. “A procrastinacio mina 0 bem-estar em ampla escala, aumentando. sentimentos de angiistia ¢ prejudicando a autoestima”, observa o psicologo Timothy A. Pychyl, diretor do Grupo de Pesquisa de Procrastinacao da Universidade Carleton, em Ottawa, E uma espécie de jogo de esconde-esconde com o tempo, na tentativa de driblar situagdes pouco prazerosas, dificilmente inevitiveis. Para fugir dessa armadilha, alguns pesquisadores sugerem medidas priticas, como simplesmente interromper o ciclo, fa- zendo © que chamam de “dar a partida”: simplesmente comegar a fazer 0 que motiva tanta fuga. Psicdlogos afirmam também que se os adiamentos so constantes vale a pena avaliar se aquela atividade condiz com o que a pessoa quer de sua vida, pois pode serum sinal de que algo mais amplo precisa ser revisto, E agora, nada de deixar para depois: boa leitural GLAUCIA LEAL, editora-chefe slaucialeal@beditorasegmento,com.be