Você está na página 1de 2

A música viva de Mozart

Claudio Galperin
Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791), aprendeu a
tocar piano antes de completar cinco anos e, aos seis,
já era aplaudido pelo reis mais importantes da Europa.
O compositor é freqüentemente tido como um
mensageiro da palavra de Deus na forma de música –
essa história, porém não faz justiça ao trabalho árduo
a que ele se entregava para compor. Com texto
poético e envolvente, o livro evita a armadilha de
reproduzir essa e outras tantas lendas criadas em
torno da figura do músico. Detém-se, ao contrário, em
acontecimentos e pequenas curiosidades fiéis à sua
biografia. O leitor vai descobrir, por exemplo, que
quando era pequeno, Mozart não parava quieto, vivia
inventando histórias com a irmã e adorava ser
paparicado (tanto que, ao receber seus primeiros
aplausos no Palácio de Schönbrunn, em Viena, pulou
no colo da imperatriz Maria Teresa e sapecou-lhe um
beijo!). Mesmo depois de tornar-se adulto, o músico
não perdeu o jeito brincalhão. Um personagem
entusiasmado e apaixonante – e não menos genial do
que aquele das lendas – apresentado aos pequenos
leitores de maneira acessível e prazerosa.

1. Possibilidades Pedagógicas
- Conhecer a vida do grande compositor de peças musicais clássicas famosas,
como as óperas As Bodas de Fígaro, Don Giovanni e A Flauta Mágica.
- Reconhecer a música como produto cultural e histórico, observando na vida
de Mozart os seguintes conteúdos destacados pelos Parâmetros Curriculares
Nacionais de 1a a 4a série, no volume 6, p. 80/81:
- Músicos como agentes sociais: vidas, épocas e produções.
- A música e sua importância na sociedade e na vida dos indivíduos.
- Os sons ambientais, naturais e outros, de diferentes épocas e lugares, e
sua influência na música e na vida das pessoas.
- Identificar o relato como um gênero em que predomina o discurso de
experiências vividas, situadas no tempo: “O outono de 1762 marcou o início
de uma fantástica jornada para Mozart. Não sabia ainda, mas passaria a vida
toda viajando por lugares que nem ele, com a grande imaginação que tinha,
poderia sonhar.” (p. 8)
- Valorizar o pensamento de Mozart sobre a importância do conhecimento de
culturas de outros lugares para a realização de sua arte: “Sem poder viajar,
pessoas das artes e das ciências tornam-se criaturas miseráveis! Quem tem
talentos medíocres permanecerá sempre medíocre, viajando ou não, mas um
homem de talentos superiores, como reconheço que tenho, torna-se
insignificante permanecendo no mesmo lugar.” (p. 20).
- Conhecer conceitos, instrumentos e características da arte musical (cf.
Glossário, p. 39)
- Conhecer o contexto sócio-histórico da vida de Mozart: as relações de
poder, as condições de vida tanto da realeza quanto do povo (cf. Apêndice
informativo (Outras notas), p. 34-38).
- Comparar semelhanças e diferenças entre os valores e os procedimentos
sociais em relação à criança, no tempo de Mozart e na atualidade: “
Experiente viajante que era, Leopoldo planejou tudo nos mínimos detalhes.
Tivesse ele sucesso, haveria de ganhar muito dinheiro com as exibições do
filho.” (p. 6)

2. Abordagens Interdisciplinares
Língua Portuguesa
- o relato como documentação e memorização de ações humanas: os dados
que localizam a experiência vivida tanto no tempo quanto no espaço. Cf.
Outras notas: onde, quando (p. 34/37)
- ampliação de vocabulário relacionado à música. Cf. Glossário p. 39.

Arte
- música: ópera, sinfonia, sonata, concerto. Importância/abrangência da obra
musical de Mozart, nos dias de hoje: “(...) uma música tão sublime que não
envelhece jamais” (p. 31)
- arte visual: ilustração como possibilidade de concretização das
características de espaços e tempos distantes: escolha de cores, tonalidade,
técnica e textura.

História
- localização de fatos ocorridos há mais de 250 anos, na linha do tempo.
- mudanças e permanências no tempo.

Geografia
- semelhanças e diferenças no espaço geográfico europeu de 250 anos atrás e
de hoje, bem como semelhanças e diferenças entre ele e o brasileiro: clima,
vegetação, topografia, organização urbana...

Ciências
- a importância do desenvolvimento científico para a melhoria da vida: “Em
uma época de muitas epidemias e poucos remédios, era grande o número de
crianças que não chegavam à vida adulta.” (p. 4)

3. Temas Transversais
Ética
- a exploração do trabalho infantil e a infância de Mozart
- a polêmica sobre as cópias piratas eletrônicas de hoje e a ação de Mozart ao
gravar na memória, e depois transcrever, uma música misteriosa: “Assim,
durante sua estada em Roma, Mozart não apenas seria homenageado pelo
papa com a Ordem da Espora de Ouro como produziria a primeira cópia pirata
da música que, até hoje, é tocada durante a Semana Santa na Capela
Sistina.” (p. 16)

Saúde
- a falta de saneamento básico e de vacinas e as epidemias do século XVIII:
febre tifóide e varíola.