Você está na página 1de 2

O folclore é definido como a expressão da cultura popular, pois é um conjunto de tudo que o povo

sabe, inventa, aprende e ensina como os mitos e as lendas que as pessoas passam de geração para
geração. Muitas dessas histórias são relatos de pura imaginação das pessoas, principalmente dos
moradores das regiões do interior do Brasil.
O folclore pode ser dividido em lendas e mitos e, muitos deles, deram origem às festas populares,
que ocorrem pelos quatro cantos do país. Devido ao fato de o Brasil ser muito grande, em cada região do
país, o povo se expressa de forma diversa através de danças, pratos típicos, brincadeiras, cantigas e
vocabulário próprio.
As lendas que hoje conhecemos são heranças de nossos antepassados que se valeram da linguagem
oral por meio das interações sociais no contexto familiar, em aldeias e comunidades onde se contavam
histórias. Devido à transmissão oral, as lendas sofriam alterações com o passar do tempo e eram
modificadas à medida que iam sendo contadas. Numa linguagem simples, as lendas nos permitem
misturar fatos reais com imaginários, podem transmitir valores, ensinamentos, regras de conduta e
fenômenos da natureza, particularidades anatômicas de certos animais, origens de plantas, animais e
alimentos. Em seus conteúdos, pode-se observar a presença do sobrenatural. Existe uma pequena
diferença entre mito e lendas. A lenda é uma narrativa popular, sempre inspirada em fatos históricos,
cujo herói reflete os anseios de um grupo ou de um povo - um exemplo seria a lenda de "Robin Wood".
Já o mito seria um tipo de lenda, só que com os personagens divinizados - o mito de Apolo, por
exemplo. No Brasil, devido à miscigenação, existem muitas lendas que explicam particularidades de
várias regiões do país. Em resumo, podemos citar as principais caraterísticas desse gênero como: -
mistura fatos reais, históricos, com acontecimentos que são fantasiosos. - apresenta um relato que se
refere a um passado remoto, portanto, o tempo é indefinido. - na lenda pessoas se transformam em
animais e plantas, animais se transformam em pessoas, existem seres que realizam feitos extraordinários
e muitas lendas apresentam objetos mágicos.
- parecida com as fábulas, a lenda traz também forte ensinamentos morais por punir ou valorizar
certos comportamentos.
- as lendas encerram-se com acontecimentos sobrenaturais, extraordinários, mágicos.
- são relatos anônimos e transmitidos oralmente por muitas gerações e geralmente apresentam
narrativas de cunho popular.
- Quase sempre as lendas dão uma explicação mágica para a origem de certos animais, plantas e
costumes de pessoas ou povos.
- por ser um texto narrativo, apresenta seus elementos essenciais: personagens, ações, tempo,
espaço e narrador
Apresentamos abaixo um trecho do texto que fala sobre a preocupação dos personagens folclóricos
com o esquecimento das pessoas.

Um encontro fantástico Todos os anos eles se


reuniam na floresta (…) para ver a quantas andava a
sua fama. O Saci-Pererê chegou primeiro. Logo
apontou no céu a Serpente Emplumada (…). Do meio
das folhagens, saltou o Lobisomem (…). Não tardou,
(…) o Negrinho do Pastoreio (…)
— E então — perguntou o Boto, (…)
— Como estão as coisas?
— Difíceis — respondeu o Saci (…). — Não
assustei muita gente nessa temporada.
— Acho que é a concorrência — disse o Boto.
— Andam aparecendo muitos heróis e vilões
novos.
— A diferença é que somos autênticos — disse
o Negrinho do Pastoreio.
— Nós nascemos do povo. — Se pegarmos no
pé de uns escritores, a coisa pode melhorar — disse a
Serpente Emplumada.
— Eu conheço um — disse o Saci. — Vamos
juntos atrás dele! (…)
Passaremos agora a analisar a composição do Gênero lenda. Sabendo que a lenda é um texto narrativo que
contém vários fatores de dependência extremamente importantes para a boa estruturação do texto, começaremos por
expor os elementos que formam a estrutura da narrativa.
ENREDO: É o fato que se narra. Também conhecido por trama, ação, história. O enredo é composto
por: - começo, dividido em duas partes: a) introdução ou exposição na qual são apresentados fatos iniciais,
personagens, tempo, espaço. Esta parte serve para situar o leitor quanto ao texto que irá ler; b) complicação é
a parte do texto em que se desenvolve a crise; o conflito ou conflitos, que Segundo Gancho (2006), “é
qualquer componente da história (personagens, fatos, ambientes, ideias, emoções) que se opõe a outro,
criando uma tensão que organiza os fatos da história e prende a atenção do leitor.” Constitui-se da parte em
que agem forças opositoras ao desejo da personagem principal. - meio ou clímax: O clímax é o momento
chave da narrativa, no qual o conflito ou crise chega a seu ponto máximo. Deve ser um trecho dinâmico e
emocionante. Na verdade, as outras partes do enredo se organizam em função dele. - fim ou desfecho: O
desenlace é a conclusão da narração, onde tudo é esclarecido configurando-se em final feliz, triste,
surpreendente, trágico, irônico, cômico, mágico entre outros.
Além do enredo, a narrativa apresenta outros elementos importantes como:
PERSONAGENS: são seres sempre fictícios que fazem a história acontecer. Podem ser animais,
pessoas ou coisas que se definem como protagonistas ou antagonistas, principais ou secundárias, heróis ou
anti-heróis devido as suas ações dentro da história.
TEMPO: os fatos de um enredo estão ligados ao tempo em vários níveis como: a época em que se
passa a história, duração da história, tempo cronológico, ou seja, um tempo que transcorre na ordem natural,
do começo para o fim do texto e que geralmente aparece especificado durante o texto; ou um tempo
psicológico, onde existe um intervalo em que as ações ocorreram, mas não se consegue distingui-lo, pois
acontece numa ordem determinada pelo desejo ou pela imaginação do narrador ou das personagens.
ESPAÇO: O lugar físico onde ocorrem as ações do enredo e é imprescindível para o leitor imaginar a
ação com maior facilidade.
NARRADOR: É o elemento estruturador da história, ou seja, quem conta a história. Pode se apresentar
em primeira pessoa, aquela que participa do fato narrado, é chamado narrador-personagem ou em terceira
pessoa, o qual não participa dos fatos, e é denominado narrador-observador.
Existem algumas perguntas que podem nos ajudar na construção do enredo: O que aconteceu
(enredo), quando aconteceu? (tempo), onde aconteceu? (espaço), com quem aconteceu? (personagens), como
aconteceu? (trama, clímax, desenlace). Vamos começar! Para produzir uma boa lenda, planeje seu texto a
partir das orientações a seguir:
1) Primeiro, escolha uma das lendas abaixo e depois crie uma história explicando, de uma forma fantástica, o
surgimento desses seres mitológicos.
2) Defina o enredo da história. Lembre-se que, por se tratar de uma lenda, você pode abusar da imaginação,
elementos fantásticos e mágicos. Como viu na unidade anterior, você deve dividir bem a sua história em começo
(exposição), meio (complicação e clímax) e fim (desfecho) que deve ser surpreendente.
3) Defina quem serão os personagens da história. Procure dar características físicas para que o leitor possa
imaginar a sua imagem. Não se esqueça de dizer como eles se comportam e quais são suas atitudes. d) Faça um
pequeno resumo do enredo e depois vá acrescentando informações enriquecedoras, descrições das personagens e
outros elementos importantes para uma história fantástica.
a) BOI-VAQUIM - É um boi com chifre de ouro, asas e olhos de diamante. Haja coragem para laçá-lo, porque solta chispas de fogo
pelos chifres.
b) COBRA-NORATO ou HONORATO – È um belo rapaz que ora tem corpo de serpente, ora de ser humano. Adora dançar e, quando
vai aos bailes, assume a forma humana e encanta a todos com sua beleza.
c) CHUPA-CABRA – É um animal misterioso que morde o pescoço e chupa o sangue de animais rurais em alguns países como Brasil,
Porto Rico e México.
d) CAVALO DAS ALMAS – É um animal que anda pelas estradas em busca de almas de pessoas recém-falecidas para levá-las ao céu.
e) PORCA DOS SETE LEITÕES – Era uma rainha que foi castigada por um feiticeiro e virou uma porca. Anda na beira das estradas
com seus sete leitões, soltando fogo pelo nariz, olhos e boca.
f) CUCA – É uma bruxa horrível com cara de jacaré e garras nos dedos. Muito cuidado com ela, pois não tolera crianças
desobedientes.
g) MÃE DE OURO - Representada por uma bola de fogo que indica os locais onde se encontra jazidas de ouro. Também aparece em
alguns mitos como sendo uma mulher luminosa que voa pelos ares. Em alguns locais do Brasil, toma a forma de uma mulher bonita
que habita cavernas e após atrair homens casados, os faz largar suas famílias.
h) COMADRE FLORZINHA - É uma fada pequena que vive nas florestas do Brasil. Vaidosa e maliciosa possui cabelos compridos e
enfeitados com flores coloridas. Vive para proteger a fauna e a flora. Junto com suas irmãs, vivem aplicando sustos e travessuras
nos caçadores e pessoas que tentam desmatar a floresta.
i) PISADEIRA - É uma velha de chinelos que aparece nas madrugadas para pisar na barriga das pessoas, provocando a falta de ar.
Dizem que costuma aparecer quando as pessoas vão dormir de estômago muito cheio.
j) BOITATÁ - Representada por uma cobra de fogo que protege as matas e os animais e tem a capacidade de perseguir e matar
aqueles que desrespeitam a natureza.