Você está na página 1de 11
Cee Pee ate 1 © eipaco urbano ndo se consti apenas pele tradicional combinogde da éreat adifieadas « recs lives, intimamente relocionadas entie si ou fragmeniadas © docarticuladas, confarma 2 cazo. Do eepaso urbana também fozem porte as redes de infra-estutura que posstiltam seu tue , de acorde com sua concepgic, te transformem em elemento deassociacéo entre aforma, a funcao ec estrutura, Também podem contribuir para que © conjunto urbano se ‘presente como fragmentos de um catélogo incoerente de clementos que néo e:téo articuledas entre # ‘A ciéncia ubana deve, por isso, incorporor & sue femélica umcapitule que trate dainfra-esirutura, de maneire © completor sua abrargéncia e poder recompor. por combinagio de enfoques, a imogem globel « sintélica de cidade, Ela exo tarto 20 feneformor em um esses captulos © dedicado & infre-esvutera urbana. 1.1 = CLASSIFICAGAO DOS SISTEMAS DE REDES INFRA-ESTRUTURA URBANA (Osittema de redes de info-estutura de uma cidade pode ser divdido, pare sua melhor compreensao, em varios subsistomas ou sidtemos parcicis. Um ertério pore dividir at dilerenies des & 0 de sucs funcées, sendo uma classificacao tomativacique as orgoriza segindo ava posicdo no expace urbane. 1.1.1 - Clossficagio dos redes segundo sua fungéo TLLA = Sistema viério Compie-sede umo ov mais redes de circulagio, de ecordo com tipo de expaca urbano, para receber veicvlor coutomotores, bicicletes, pedestres, ete. © conjunto de vies de circulagéo ¢ complamentado pela rede de drenagem pluvial que essegura © uso do sistema sob quaisquer condigbee cliéticas [figure 1.1), © nde otendimento o esta complementacdo bésica do sistema viano por parte dos prefeituros (ou de particulares, quando ado eles os resporsaveis pelas obros de pavimentacio) leva a sitvacoes como a ilustrada na figure 1.2, frequentes nas cidades do Terceiro Mundo. Essa figura ¢ também um bom exemolo do mou vso dos recuncs ptblicas ne érea urbana, tipico do subdesenvolvimento. Carros circulendo sobre rua pavimentada totalmente alagade ocasionerd em povce ‘tempo um parimento totalmente quebredo, como mostra a figura 1.9e 1.4 De todos os sistemas, © viério 6 o mais delicado, merecendo estudos cuidadosos porque: 1) 8omeis caro do conjunto de sisteras urbanos,j6 {que normalmente abronge mais de 50% do custo total de urban acd; 2) ecupo uma parcela importante do solo urbano {entre 20 0 25%); 3) ura ve2 implartado, @ 0 subsstema que mais difeuldede apresonta pare avmentar ava copacidade por 13 causa do solo que ocypa, dor custor que envols difculdades operavas que cris sua cleracdes 4) 66 aubsistema que esta mais vinculado aos Uusvirios (os outs sstemes condizem fluidos; ett, pessoas veiculee), palo que os acartose encs de projet e execucSo 140 mole euidentes pare quem deve fez uso. Fg 1.1 Paery a Halt, metonda tapenade “ a 1.1.2 ~ Sistemo Santé © formato por duce rodes sirens 9 oposias: 0 rede de abosiocimerio de aqua potivel ea rede de esget, ‘A primera se aprezena sob o forma de une évvore co tronce naice nos depéstes urbonos de gua, o seus ramos mais finos (inci abaztecem os urutros. sistema sont fio, que se completa com rede de esgoto, também se apre- senta sob a forma de drvore, s6 que funcionande no sentido ‘posto co do cbostecimento de Sava potével as devas se “ilos enim pales romos mais finos @2eem pee tonco). A Figura 1 5th seta sorta Figs 15 loqvrn conahnl da enn wi. A Se ee earn Fir [= Raw panes donenes per ag CARE dyes Toe eat a ede ago, Roe once new fn es ot es Savino, ror ness ese. fees eto 5