Você está na página 1de 20

Primeiro-ministro finta o fisco

Ja
Na rota dos dias

Queixa contra governo


SEMANÁRIO GRATUITO
ANO I • N.º 16 • 4 Novembro 2010
Director: Vlademiro Marçal
Propriedade: Medi@Capital, SA
Neves
deve mais
de um
segue para OIT
Encerradas as empresas há largos anos, os trabalhadores
da ex-EMPA e ex-TRANSCOR esperam (e desesperam)
que com eles acertem as indemnizações devidas. Para a
CCSL, Confederação Cabo-Verdiana dos Sindicatos Li-
vres, já não há paciência: fez avançar queixa para a Or-
milhão
Emanuel Moreira
ganização Internacional do Trabalho. No mundo laboral
multiplicam-se casos, alguns deles espantosos: o proces-
so da Cooperativa de Construção Civil, velho de 17 anos,
levou sumiço do tribunal. Dá para acreditar? Pág. 4
mais de 500 contos
“Eles” querem transformar Cabo
Isto vimos
Verde na “república das bananas”:
Estatísticas revelam a verdade do País o primeiro ministro está em
dívida – quatro anos fiscais de
Números do INE IUR, 1.194.416$00 (um milhão
cento e noventa e quatro mil,

desmentem quatrocentos e dezasseis escudos).


O Diretor-Geral das Contribuições e Impostos,

propaganda José Emanuel Moreira, segue o exemplo do chefe


e ele próprio foge a pagar impostos: três anos
de IUR - 521.499$00 (quinhentos e vinte um mil,
Às voltas com a sua pré-campanha eleitoral, JMN tudo tem feito para enco-
brir aos cabo-verdianos a “verdadeira verdade” da situação no País, que a quatrocentos e noventa e nove escudos). Para
propaganda oficial pinta de bonitas cores. Por isso, sempre que do controla-
do INE vêm estatísticas, é um ai-jesus no Palácio da Várzea. Mesmo mani-
esconder a pouca vergonha e obrigar os cidadãos
pulados, os dados estatísticos não deixam dúvidas: a Construção e o Turismo, a pagar, enquanto os bosses se recusam a fazê-lo,
dois dos principais setores da economia, estão em crise. E, para ultrapassar “eles” não estão com meias medidas: colocam os
esta situação, o governo (ocupado na pré-campanha) não tem tempo para
tomar medidas Páginas centrais seus jotinhas como inspetores das Finanças Pág. 9

Agora são as matrizes dos terrenos Mistério a esclarecer

Mais um ataque Baleias e golfinhos: hecatombe nas praias


B aleias e golfinhos têm vindo a morrer,
às centenas, nas praias do arquipélago.

ao Poder Local Os cientistas e os ambientalistas não encon-


tram explicação para este desastre ecológico
que transforma a orla das ilhas em cemitério
O governo prepara-se para esvaziar as competências do Poder
Local: em causa estão as matrizes dos terrenos, num momento
em que há perspetivas de aumento exponencial da procura de terras
de cetáceos e sirénios. Há coincidência que
os biólogos relevam: os grandes “suicídios
coletivos” destes mamíferos marinhos acon-
por investidores estrangeiros e nacionais. Espanto dos espantos: o tecem quando há submarinos nas proximi-
governo alega irregularidades havidas em Câmaras, então sob gestão dades: os sonares podem fazê-los perder o
PAICV (Praia, por exemplo), para atacar as Autarquias agora sob sentido de orientação, levando-os a encalhar
gestão MpD Pág. 12 na costa Pág. 8
2 • Já • Quinta-feira 4 Novembro 2010

marco do correio editorial


As cartas destinadas a esta secção devem indicar o nome e a morada do autor,
bem como um número telefónico de contacto. Vlademiro
O Já reserva-se o direito de seleccionar e, eventualmente, reduzir os textos não solicitados, Osvaldo Marçal
nem se prestará informação postal sobre eles. semanarioja@gmail.com

Afinal, quem é o cargo de Chefe do Estado Maior


das Forças Armadas. Está mais do
Portanto, a Sr.ª Cristina Fontes
Lima deve colocar-se no seu lugar
o Chefe do que claro! Este, é um chefe que
obedece politicamente a tudo o que
de Ministra da Defesa e deixar o
Tambra trabalhar como Chefe do
Estado Maior a Ministra mandar. Estado Maior. O ministro só deve
aparecer, de vez em quando, em
das Forças Faz-se um Juramento da Bandeira, grandes cerimónias militares. Com

Faça-se luz
lá está a ministra a falar da tropa. a vinda desta senhora, a sua tão
Armadas? Organiza-se uma manobra militar,
quem dá entrevista à comunicação
propalada Reforma das Forças
Armadas foi acabar com a instrução
Desde a nomeação da Sr.ª Cristina social é a Sr.ª Cristina. Organiza-se contínua dos Soldados nas

C
Fontes como Ministra da Defesa, a “atelier” sobre a saúde, quem mais Unidades Militares, colocou a onsciente de que o falhanço da sua política
confusão se instalou na tropa. Esta fala aos jornalistas é a Sr.ª Ministra. Polícia Militar na Ordem Pública, energética pode ser uma das causas da “morte do
Senhora fala muito e não diz coisa Aquando das manobras da NATO pôs a tropa na limpeza do lixo, na
com coisa. Foi levada pela conversa
artista”, JMN desdobra-se, tarde e já péssimas
esta ministra passou todo o tempo a Capital e na “Guerra contra os
do Tey Matos, fez uma Orgânica dar entrevistas. Macacos me mosquistos”. horas, para achar o que, há muito, devia ter procurado: uma
das FA que não serve para nada. mordam, o que entende a Cristina de solução. Durante 10 anos quis fintar os cabo-verdianos com
Criaram dois comandos junto do manobras militares? O interessante, Só fachada, Sr.ª Ministra! Venha às discursos, até descobrir que o paleio não faz geradores
Estado Maior só para dar cargos a é que ela, nas entrevistas, diz as casernas ver o estado dos colchões, funcionar e os cabo-verdianos estão fartos de “palavras
camaradas e criar mais dificuldades mesmas coisas: “Reforma das FA”, das camas, dos lençóis (?), o
futuras. Caso um dia queira-se
bonitas” e de apagões.
“Soldado Cidadão”, “Vamos fardamento, e, por fim, dê uma
cessar dessas funções, os titulares adquirir dois helicópteros”, olhadela à volta dos muros do Já com eleições à vista, Neves atirou-se para os braços de
desses cargos, para onde serão “Estamos em condições de patrulhar quartel de Achada Mato e repare o Jorge Coelho/Mota Engil, gizando negociata, com pano
colocados ou nomedos? Pois é, as nossas costas”, blá, blá, blá. estado em que se encontra. Muita para muitas mangas, para que eleitores vejam moinhos de
Senhora Ministra, para onde? mer… Já agora, nessa mesma vento a rodar sobre cutelos sem se interrogarem que custos
Felizmente, mais tarde, a senhora Aonde está o Tambra? Afinal, quem Unidade de Achada Mato, veja lá o
Ministra descobriu que o Tey Matos
isso terá, quando e como serão pagos e se não existiam
é o Chefe do Estado Maior das estado do Refeitório e a cozinha dos
era perigoso. Assim, resolveu Forças Armadas? Em toda a parte Soldados. Portanto, Sr.ª Ministra, contratos alternativos e menos onerosos para o País. E
afastá-lo desse cargo de Chefe do do mundo, quem manda na Tropa é deixe o Tambra tomar conta da andou em escondida roda-viva da Praia até Luanda para
Estado Maior das FA. o Chefe do Estado Maior. Ministro, tropa. Não venha fazer campanha mendigar junto da Sonangol e dos seus amigos do MPLA a
é o um cargo político. Já esteve o com a tropa. resolução da “conta calada” (900 mil contos) que a Electra
Com a entrada do Pereira (Tâmbra) Maurício, saiu. Está agora a
a senhora Ministra resolveu assumir
com eles tem – a razão verdadeira das “sabotagens” que
Cristina que amanhã pode não estar. Um oficial preocupado
têm posto Cabo Verde às escuras. Entretida na contra-
informação ao serviço de Neves & Cia, a distraída “A
Semana”, falhada a invencionice das “sabotagens” (de que
O que faz a diferença dias referia-se ao senhor manifestasse toda a sua percurso na história valorosa
depois certamente seriam responsabilizadas as oposições),
Deputado Pascoal Santos ordinarice e grosseria, do honrado povo cabo-
Durante os dez anos em que o como sendo pessoa confusa e insultando os adversários e verdiano. só agora soube o que toda a gente, sabia: os credores
Dr. Carlos Veiga serviu como aluno medíocre. fingindo, hipocritamente, de Curioso ainda é que alguns
Primeiro-ministro deste país, Salta à vista de qualquer coitado. representantes do Corpo
fechavam a torneira à Electra porque a calotice tem limites.
nunca se lhe ouviu uma ouvinte ou observador atento É um facto que, hoje, com o Diplomático, que é gente, As repetidas viagens de Neves a Luanda começam a
palavra insultuosa dirigida a que a Mesa que conduz os alastramento do ensino, muita geralmente, de boas maneiras, colocar a Electra nas mãos da Sonangol/Enacol: decorrem
qualquer Deputado, durante os trabalhos da assembleia, lá gente tem curso superior e não têm olhos para estas
vários debates que tiveram recomenda, de vez em qualquer um é membro do diferenças. Fazem ou fingem
conversações para os angolanos entrarem no capital da
lugar no Parlamento. quando, a algum Deputado, Governo. Mas educação fazer vistas grossas sobre Electra, admitindo-se a conversão de parte da dívida em
Desde 2001, porém, que em que modere a linguagem. caseira e saber estar, só muito aspectos importantes que capital. Entretanto, a Electra obtém do BAI financiamento
todos os debates que têm Mas, nunca chama atenção ao poucos têm e demonstram. E caracterizam a democracia, o
lugar na Assembleia Nacional, Primeiro-ministro e aos é fundamentalmente isto que respeito pelo adversário de 700 mil contos para acudir às dívidas à Enacol e Shell
o ainda Primeiro-ministro, membros do Governo, como faz a diferença, num país que político e enobrecem qualquer (total 1,1 milhões de contos). No entanto, há total silêncio
senhor José Maria Neves não se este não fosse sujeito se quer democrático, povo educado, preferindo sobre as condições deste crédito – apagão de informações.
passa uma sessão sem insultar parlamentar. Desta maneira, moderno, desenvolvido e de palmadinhas e arrotos do
os Deputados da Oposição, ainda na semana passada o referência. Carlos Veiga é uma pessoal do poder. Depois de, com demagogia “nacionalista” e patrioteira,
homens e mulheres, jovens e Presidente em exercício e referência positiva; José Maria Será por Cabo Verde pertencer Neves ter rompido com os portugueses da EDP, deita-se
menos jovens. Já lhes chamou camarada do senhor José Neves é um mau exemplo; o ao soit-disant tiers monde? agora no regaço angolano. Irá isso resolver o problema da
de velhos, de aves de rapina, Maria Neves permitia a este que não deve ser, nem
de antipatriotas e ainda há que, impunemente, acontecer; um acidente de Zulu Electra (que já chupou o INPS e as pensões dos
cabo-verdianos)? Há sobejas razões para ter dúvidas, até
porque tudo isto se faz com transparência nula.

Anuncie Já
Neves teve 10 anos para resolver o problema energético e
garantir eletricidade a Cabo Verde e aos cabo-verdianos.
Não o fez. Agora, com as calças na mão, corre, corre,

no jornal de maior
corre: a poucos meses da ida às urnas, o que move Neves
não é o interesse nacional, é o terror de saltar do poleiro.
Há que lhe exigir o total esclarecimento deste negócio. Até

tiragem do País porque os angolanos são camaradas, mas de certeza que


não são burros. 

20 000 exemplares! Telefone: (00238) 2623817


Já SEMANÁRIO GRATUITO E-mail: semanarioja@gmail.com
semanarioja@gmail.com Administração e Redação:
Propriedade: Medi@capital, SA
Director: Vlademiro Marçal
Largo Eusébio da Silva Ferreira, Design e Paginação: Medi@capital, SA
Achada de Santo António, Cidade da Praia, Impressão: Grafedisport SA
Aproveite os preços promocionais. Ligue 262 38 17 e reserve o seu espaço Ilha de Santiago, Cabo Verde C.P. 669 Tiragem: 20.000 exemplares
Já • Quinta-feira 4 Novembro 2010 • 3

na rota dos dias


Pesadelo assalta Mindelo Autarcas indignados

Electra
ataca em
S. Domingos
O Auditório Nacional esteve na eminência de a Electra
lhe cortar a luz. Mas os técnicos da empresa recuaram,
em cima da hora: José Maria Neves organizava, nesse
dia, uma sessão com jovens. Com as Câmaras não
pintadas de amarelo, a Electra não tem pruridos: vai lá
e corta mesmo a energia. Aconteceu em S. Domingos

Kasu-bodi
por todo o lado
Relatos de kasu-bodi mostram que Mindelo já não é cidade pacífica: as pessoas têm medo de
andar nas ruas, sozinhas, à noite. A Polícia soma números para apresentar estatísticas a
provar que não existe violência na cidade do Porto Grande. Todavia, a realidade é outra

A
s autoridades policiais e polí- mais preocupadas em esconder os fac- que havia no porta-luvas. Depois, sen-
ticas de São Vicente tentam tos para não prejudicar a imagem do tiu o golpe de uma pedra na cabeça.
fazer crer que o kasu-bodi é
um tipo de assalto marginal e que só
País. Então que sejamos nós a fazer
justiça”.
Mais precisamente, um pouco acima
do sobrolho.
O s autarcas de S. Domingos
estão indignados com a
Electra que, na semana passada,
A Electra foi cortar
energia à Câmara
acontece de vez em quando. Mostram As marcas que ficam em quem é Muitas são as histórias e o sofrimento decidiu cortar o fornecimento de Municipal de S.
números e fazem comparações com o assaltado não são folhetim policial. O de quem já foi assaltado nas ruas de energia aos Paços do Concelho, Lourenço dos Órgãos
fenómeno thug na cidade da Praia - a apelo à criação de brigadas populares São Vicente - são cicatrizes que estão por alegada dívida da Câmara. Em
velha mania de se comparar com os armadas para caçar kasu-bodistas é no corpo, faltando avaliar os transtor- (PAICV) e esta
declarações ao Já, o Vereador
piores. Mas, já não conseguem dizer linha constante nas vítimas e certifica- nos psicológicos que tais ações provo- Francisco Moreira disse não ter-lhe-á passado um
que os casos relatados na comunicação do de incompetência para a Policia. cam nos mindelenses. Muitos têm me- entender a atitude da empresa e a cheque no valor de 200
social são invenção dos jornalistas. Uma vítima pergunta: “Vai ser neces- do e já não andam, pelo menos à noite, ofensiva contra a Câmara, “saben-
Isto porque as denúncias são muitas. sário que eu ande ar- sem estarem acom-
contos que,
do-se, de antemão que todas as
As vítimas começam a falar. Contam o mado e forme o meu Muitas são as histórias panhados. Os que já Câmaras do País devem dinheiro à
alegadamente, não
sofrimento que lhes atingiu a carne ora grupo para dar caça a e o sofrimento de foram assaltados não Electra”. tinha cobertura: mas
com socos, ora com pedradas, ora com esses bandidos, indo
facadas, ora com pontapés. Falam do desalojá-los lá onde
quem já foi assaltado entendem uma coisa: a
violência desproporcio-
Já sabe do caso da Câmara continuou com energia
Municipal de S. Lourenço dos Ór-
medo que lhes ficou na mente. Do estão? Para o que serve nas ruas de São nada que os assaltantes gãos: os serviços da Electra foram tendimento com a Electra, mas os
pavor. Das lembranças que evitam a polícia? Só para dar Vicente - são cicatrizes utilizam. fazer corte de energia e esta terá autarcas de S. Domingos garan-
sempre que vão a rua. Para as autori- show, passando multas
que estão no corpo, Uma vítima de kasu- passado um cheque no valor de tem que não vão tolerar situações
dades essas vítimas são apenas estatís- estúpidas a honestos ci- bodi no Madeiralzinho 200 contos que, alegadamente, de discriminações do género e
ticas, números. Mas, não é assim. É dadãos, ou para exibir- faltando avaliar os disse-nos: “Não enten-
não tinha cobertura: mas conti- fazem menção de denunciar o
gente que sofreu na pele a agressão. se cercando a CMSV. transtornos do. Dei-lhe o meu tele- nuou com energia. caso na comunicação social quan-
Que convive com o pesadelo. Com de- Onde está o governo?” psicológicos que tais móvel. Não reagi e, Apesar dos ataques sistemáticos e tas vezes for necessário.
poimentos, de que respeitamos o ano- mesmo assim, atirou- do cerco que o governo tenta mon-
nimato, seguimos o rasto de dor deixa- Dor no corpo, ações provocam nos me ao chão e deu-me O mais caricato, chocante e elu-
tar à Câmara de S. Domingos – cidativo é que uma equipa da
do pelas vítimas de assalto, na cidade medo na alma mindelenses vários socos na cara e agora via Electra –, o autarca Electra foi cortar energia ao
do Mindelo. Ermitério, conhecido na cabeça”. Cadê o mi- acrescentou ao Já que essa ofensi- Auditório Nacional, na terça-feira
“Eu fui vítima dos kasu–bodi. A mi- por Iuta, foi assaltado e agredido por nistro da Administração Interna? Cadê va é como deitar água em balaio da passada semana, precisamente
nha frustração não foi o que me leva- dois homens. Apanhou uma pedrada na a Policia? furado: “estão a perder tempo, no dia em que José Maria Neves
ram, mas a forma como agiram. Colo- cabeça, que lhe provocou um ferimen- Fica aqui provado que as vítimas do porque aqui trabalha-se”, expres- agendara para aí um encontro com
carem-me duas catanas no pescoço de- to - teve de levar dezoito pontos. Iuta kasu-bodi não são apenas números de sou Moreira, na ausência do edil jovens: a equipa teve de recuar
pois de me terem atirado ao chão. Pen- estava numa confraternização no estatísticas manobradas: são gente que local (Fernando Jorge Borges) que desse intento, porque, em Cabo
so que, nós, cidadãos honestos, devía- Monte Sossego, junto do Campo de sofre. Gente que tem medo de sair à se encontra nos Estados Unidos da Verde, há filhos e enteados e as
mo-nos reunir com paus, catanas, fa- Bitm e, quando ia a entrar no seu carro, rua, enquanto as autoridades dizem América em missão de serviço. regras com que se cose o gover-
cas e tudo o que pode ferir e perseguir foi surpreendido por um dos assaltantes que não se passa nada e tentam fazer Certo é que a situação voltou à no/PAICV não são as mesmas
esses meliantes como os lobos perse- que lhe tentou retirar um fio de ouro. O crer que os crimes contra pessoas estão normalidade depois de um en- com que o resto se amanha.
guem as ovelhas. As autoridades estão outro entrou no carro e tentou levar o a diminuir em São Vicente.
4 • Já • Quinta-feira 4 Novembro 2010

na rota dos dias


Já não há pachorra
CCSL apresenta na O.I.T.
queixa contra
o governo
Promessas e demagogia não enchem barriga. Fintados ao longo de anos,
recebendo promessas atrás de promessas, mas não vendo a cor do dinheiro
das indemnizações, os ex-trabalhadores da EMPA e da TRANSCOR fartaram-se.
E a CCSL apresentou queixa à Organização Internacional do Trabalho

A
Confederação Cabo-Verdiana bens vendidos foi largamente superior efetuados para Instituto Nacional de
dos Sindicatos Livres à projecção que tinha sido feita”, diz o Previdência Social: há trabalhadores
(CCSL) é mais um organis- dirigente sindical que considera o caso que efetuaram descontos que não
mo sindical a insurgir-se contra a da TRANSCOR em tudo igual ao da foram encaminhados para o INPS, o
situação laboral reinante no País. José EMPA. “Os trabalhadores estão expec- que, para ele, é uma ilegalidade brutal
Manuel Vaz, líder dessa confederação, tantes há anos, e não há forma do gov- e deve ser corrigido.
apresentou, na semana passada, à Or- erno pôr a mão na consciência para ver O presidente da Confederação Cabo-
ganização Internacional do Trabalho que o que está em causa não é um Verdiana dos Sindicatos Livres
(OIT) queixa contra o governo de mero capricho dos sindicatos, mas um mostra-se também preocupado com o
Cabo Verde pela sua inércia na reso- direito dos trabalhadores”, insurge-se, caso da empresa Justino Lopes: esses
lução do problema das indemnizações esperando que as organizações dos trabalhadores passam por situações
dos trabalhadores da antiga EMPA e Direitos Humanos assumam as suas difíceis e, desde 2002, o chefe do
TRANSCOR. responsabilidades nesta matéria. Governo tinha assumido que resolve-
O dirigente sindical disse a Já que ria o problema. “A questão arrasta-se e
todas as vezes que a CCSL toma a ini-
ICS apropria-se de o governo faz orelhas moucas”.
ciativa de reunir os trabalhadores da descontos trabalhadores
EMPA para análise da situação, o gov- Para José Manuel Vaz, o Instituto
erno e deputados afetos ao PAICV des- Cabo-Verdiano de Solidariedade é
dobram-se em contatos para convencer outro caso bicudo, onde a situação
esses trabalhadores e as suas famílias a parece não ter saída. “São cerca de 18
não tomar parte nas reuniões, alegando trabalhadores nesta situação. Há qua-
que não vale a pena porque o executi- tro trabalhadores para quem o
vo de José Maria Neves já tem todo o Ministério das Finanças diz ter envia-
montante de indemnização preparado. do o dinheiro das indemnizações, mas
José Manuel Vaz considera que há des- apenas um recebeu esse dinheiro. A
gaste na psique dos trabalhadores da verdade é que os 3 que ficaram a tra-
EMPA que têm sido alvo de promessas balhar para Finanças já não têm qual-
que nunca são concretizadas. O gover- quer vínculo à administração pública.
no tinha mesmo prometido que se a O ICS ficou com o dinheiro das inde-
venda do património da EMPA fosse mnizações desses três trabalhadores”,
superior ao valor fixado, procederia à acusa José Manuel Vaz. O sindicalista
liquidação da outra parte da indem- diz que há outra situação ligada ao
nização: “nós sabemos que o valor dos ICS, que tem a ver com os descontos

Escandaloso

Processo da CCC leva sumiço em tribunal


J osé Manuel Vaz traz à liça a questão
da Cooperativa de Construção Civil,
um caso que remonta há 17 anos, portanto
mação de que o processo voltou a desa-
parecer”, conta o sindicalista, que se
mostra agastado com os tribunais.
ao Ministério do Trabalho, que não assume
as suas responsabilidades. “Temos uma
ministra vaidosa que aparece todos os dias
já com barbas… brancas. “Eram mais de José Manuel Vaz considera que há juízes na televisão, mas que não tem qualquer
20 trabalhadores despedidos sem justa “sérios e trabalhadores”, mas também há preocupação com a classe trabalhadora.
causa. Demos entrada do processo no os que não prestam para isso. Não poupan- Em relação aos trabalhadores da EMPA é
Tribunal, o processo desapareceu nessas do críticas aos tribunais, o dirigente o Ministério de Trabalho que os tem nesta
instâncias. Posteriormente, tivemos a mostra-se decidido a continuar a luta em situação; foi esse Ministério que fixou o
informação de que o processo fora encon- prol da verdade e da justiça. valor das indemnizações abaixo do valor
trado. Voltámos a ter agora de novo infor- José Manuel Vaz aponta o dedo acusador que era devido”.
Já • Quinta-feira 4 Novembro 2010 • 5

PAICV no Fogo
Casa para todos é ficção
Manuel da Luz
dja brancu dja
N epotismo e peculato
(aproveitamento ilícito de
bens do Estado), por parte de
Manuel da Luz, secretário do
PAICV em DjarFogo, e a
marginalização de quantos
criticam tais práticas está a
levar ao rubro a discussão
política na ilha do vulcão.
Entre os críticos do
comportamento de Luz estão
elementos do seu próprio
partido, incomodados com o
que dizem estar a “ultrapassar

Coitados
as marcas” e prejudicar
gravemente a imagem da
estrela negra junto da
população.
Manuel da Luz serve-se do seu
cargo partidário para acumular
tarefas e os benefícios deles

não se deixam enganar decorrentes. É, a um tempo,


vereador da Câmara Municipal
de S. Filipe, presidente da
Associação Sol do Fogo (onde
todas associações depositam
A campanha foi lançada com alarido: “Casa para todos”, anunciou o governo. Vai-se a ver e a realidade nua e crua é “Casa para fundos que ele gere), dirige o
alguns” – os coitados, a grande maioria, estão excluídos. A reportagem de Já foi observar e ouvir. E conta Programa Luta Contra
Pobreza, e é responsável pela

A
questão da habitação é dos a cair: Dina ocupa dois pequenos quar- gestão do Fundo MCA no
problemas que mais afetam a tos que servem para tudo. Atualmente Fogo. “Até parece que o
capital de Cabo Verde. Há está desempregada e, para sobreviver, PAICV está vazio de quadros,
coitados em barracas que nem para lava roupas de outras pessoas, limpa e não há mais ninguém…”, é o
animais servem; há casas a ameaçar casas quando solicitada – é empregada
que se ouve nas hostes
cair a todo o momento; há miséria a doméstica. No entanto, com a crise
tambarinas foguenses.
impedir dignidade de alojamento. E que por aí vai, Dina, hoje, já não re-
cebe roupas para lavar, nem a chamam
Para esbater as críticas dos
todo o País sofre do mesmo mal. É
algo que está generalizado e cuja para limpar as casas: “as dificuldades camaradas, Manuel da Luz, à
solução, apesar da exigência de autar- estão por todo o lado”. Por esta razão, frente da Luta Contra Pobreza,
cas (por exemplo, o da Praia), o gover- Dina e os filhos têm passado fome. tem beneficiado militantes do
no recusa respostas e até fica inco- PACV de forma ilegal,
modado quando se reclama um Plano
“Não enganem mais os situação que também já
de Emergência, porque há dinheiro coitados” suscitou protestos, ao ponto de
para campanhas publicitárias, não há Há dias, um senhor que se identificou haver quem reclame a
para acudir às carências dos cabo-ver- como sobrinho do dono do “hotel”, intervenção do Ministério
dianos. esteve no local e perguntou-lhe quanto Público. Até porque existem
Bernardina Lopes Borges, conhecida pagava de renda. Ela respondeu que densos “fumos” de corrupção,
por Dina, tem 30 anos, é mãe de três não pagava nada, que o lugar estava como fonte revelou a Já:
filhos e vive num espaço chamado abandonado quando ela foi ali morar “Manuel da Luz tem 12
“hotel”, situado em Achada Grande porque não tinha onde morar com os terrenos adquiridos na Câmara
Frente, cidade da Praia. O local rece- filhos. O tal senhor, condoído, resol- Municipal - ninguém sabe
beu o nome de “hotel” porque, há “Casa para todos”, Dina abana a cabeça. “Para todos? Para veu deixá-los permanecer no “hotel” e como. É financiador de vários
vários anos, funciona como residência todos, como, se nem tenho dinheiro para um garrafão de água? nunca mais apareceu. estudantes no Fogo e na Praia;
forçada daqueles que nunca tiveram Casa para todos é casa também para os coitados que não têm Ao ouvir falar em “Casa para todos”,
o filho dele beneficiou de
oportunidade de ter lar próprio. O onde cair mortos, mas também têm direito a um sítio para Dina abana a cabeça. “Para todos?
bolsas de Estudo da Câmara
espaço está a ruir mas, apesar disso, é Para todos, como, se nem tenho
refúgio para muitas famílias. viver com dignidade”. Como Dina estão muitos cabo-verdianos dinheiro para um garrafão de água?
Municipal. Enfim, existe um
que não têm um lar e riem-se da mentira que lhes querem Casa para todos é casa também para os ror de ilegalidades que
Uma história entre muitas meter pelos olhos: “casa para todos é ficção” coitados que não têm onde cair mortos, precisam de ser apuradas”.
O caso de Dina só é “especial” porque mas também têm direito a um sítio O nosso jornal sabe que,
ela, um dia, teve casa e família muito resolveu trocar a casa por um Havia quartos disponíveis: Dina, com para viver com dignidade”. Como nalguns círculos, se recolhem
bem estruturada. O destino foi-lhe automóvel, e pouco depois Dina foi vontade de ter um lar, limpou o local e Dina estão muitos cabo-verdianos que dados aparentemente
cruel e o que parecia ser conto de fadas expulsa do espaço que entretanto fez aí a sua morada. Sem ninguém que não têm um lar e riem-se da mentira comprometedores para o
tornou-se num pesadelo. Morava em mudara de locatário. Teve que se refu- a ajudasse nas despesas, Dina descreve que lhes querem meter pelos olhos: “multifacetado” Manuel da
Bela Vista com os filhos e o pai das giar na casa da mãe, onde não pôde os últimos anos da sua vida como um “casa para todos é ficção”. A ela basta- Luz, comprometendo-o em
crianças. A dado momento acontece- permanecer por muito tempo, porque a “inferno”. Vive no local há nove anos va um quarto para viver e onde ainda atos de “enriquecimento
ram problemas de índole pessoal e, mãe também não tinha condições para com dois filhos e tem necessidade de pudesse alimentar a esperança de um ilícito” que podem saltar para
como a casa encontrava-se no nome do lhe dar abrigo. tudo. amanhã diferente. Com os olhos, a opinião pública a qualquer
companheiro, Dina ficou impotente Nessa altura, Dina soube do “hotel” A casa não tem as mínimas condições deixa-nos um apelo: “Casa para todos? momento.
para o impedir do desvario: o homem em AGF e foi conhecer o espaço. de habitabilidade, os tetos estão prestes Não enganem mais os coitados”
PUB
PUB
8 • Já • Quinta-feira 4 Novembro 2010

o que por aí vai


Mais cetáceos mortos em Cabo Verde

Vasos de guerra
não rimam com golfinhos
Cerca de uma centena de golfinhos deu à costa na ilha da Boavista, a 19 de Outubro. Quase metade foram devolvidos
ao mar com a ajuda da população e de turistas que se encontravam de férias na ilha. Foram contabilizados 53 os
golfinhos mortos (43 na praia do Estoril e 10 no ilhéu de Sal Rei)

E
ste “encalhe” de cetáceos é o artificiais – incluindo-se aqui os sona-
terceiro caso na ilha depois dos res”, escrevia igualmente o jornal.
verificados em 2003 e 2007 (es- Coincidências ou não, diz o Dr. Azá-
te último com mais de 260 mortos). E é gua, em artigo de opinião publicado na
o segundo caso de “suicídio” destes ani- FORCV, cientistas e pesquisadores li-
mais marinhos em Cabo Verde. Depois gados ao estudo de sonares de baixa e
dos “suicídios” Junho (na praia de Co- média frequência utilizado pelos na-
queiro, ilha de Santiago e na praia perto vios militares, tais como os operados
de Monte Leão, ilha do Sal) no qual pela Marinha dos Estados Unidos da
morreram uma centena de baleias piloto. América, têm verificado que podem es-
Os especialistas têm dificuldade em ex- tar ligados aos encalhes em massa, bem
plicar as causas destes arrojamentos como a várias outras mortes e feridos
coletivos, onde se verificaram hemor- graves entre baleias e golfinhos.
ragia nalguns espécimes. Os biólogos
em Cabo Verde não descartam a possi-
Coincidências e mais
bilidades destes animais, que seguem coincidências
sempre um líder do cardume, terem De acordo com o autor do texto, o “so-
perdido a orientação no alto mar, diri- nar militar envia ondas sonoras subma-
gindo-se para a proximidade da costa. rinas intensas - essencialmente um som
Outros especialistas falam em proble- muito alto, que pode manter o seu po-
mas fisiológicos que podem prejudicar der através de centenas de quilómetros.
o seu sentido de orientação ou em inter- Cientistas britânicos sugeriram recente-
ferências do meio ambiente. Mas nin- mente, na publicação científica Nature,
guém explica as causas para o surgi- que o sonar pode estar ligado aos inci-
mento repentino dos problemas fisioló- dentes de mortes de baleias em praias,
gicos e de desorientação. devido a indícios de que essas baleias
Na edição on-line do “ASemana”, de mortas teriam sofrido descompressão”.
27 de Junho de 2010 - referindo-se aos Provas de quão perigoso pode ser o so-
“suicídios” em Santa Cruz -, escrevia- nar para os mamíferos marinhos surgi-
se que os arrojamentos das baleias-pi- ram em 2000, quando as baleias de
loto, verificados dias antes, poderiam quatro espécies diferentes encalharam
ter sido provocados por um navio mili- nas praias das Bahamas, após um gru-
tar norte-americano que esteve nos po de batalha da Marinha EUA ter usa-
nossos mares, tendo inclusive atracado do o sonar de média frequência na área.
no Porto Grande. “Segundo a bióloga “A Marinha inicialmente negou a res-
do Instituto Nacional de Desenvolvi- ponsabilidade, mas uma investigação
mento das Pescas, Vanda Marques, na do governo concluiu que o sonar po-
tarde do último domingo atracou no derá ter causado o encalhe de baleia”,
Porto Grande, em São Vicente, o navio escreve.
de guerra americano USS John L. Hall. Muitas baleias vítimas de encalhes as-
Estes navios militares, diz, quase sem- sociados aos sonares também mostram
pre são escoltados por submarinos cujos evidência de trauma físico, incluindo o
sonares desorientam a espécie”, escreve sangramento em seu cérebro, orelhas e
o jornal digital, referindo ainda que não tecidos internos, como aconteceu nal-
era primeira vez que suicídios em mas- guns casos em Cabo Verde.
sa acontecem logo a seguir à presença Coincidência ou não, o último arroja-
de navios militares nas águas de Cabo mento de golfinhos verificados na ilha da
Verde. “Da última vez foram cerca de Boa Vista, a 17 de Outubro, aconteceu
300 animais da espécie cabeça-melão precisamente quando se encontrava nos
que arrojaram na Boa Vista” (2007). nossos mares um navio da Marinha Re-
“Vanda Marques garante que o INDP já al britânica (o “HMS Ocean”) para exer-
alertou a Direção-Geral do Ambiente cícios militares na ilha de S. Nicolau.
para essas ‘coincidências’. Entretanto, Apesar do alerta dos biólogos do INPD
a nossa entrevistada admite que o suicí- para esse fato, os arrojamentos de cetá-
dio coletivo de baleias-piloto pode ter ceos continuam nos nossos mares, o
outras causas: falta de alimentos, into- que os especialistas consideram autên-
xicação por algas marinhas e/ou sons ticos desastres ecológicos.
Já • Quinta-feira 4 Novembro 2010 • 9

sem tirar nem pôr


Calote é maior do que antes divulgado

Neves deve mais de


um milhão
ao fisco
Contrariando palavreado sobre “ética de boa governação” que alarda, José Maria Neves revela-se
“caloteiro”. Deve à Câmara da Praia prestações do IUP, Imposto Único sobre o Património, que
não paga desde 2008 – foi matéria abordada na anterior edição de Já. Mas deve mais do que isso

A
dívida fiscal de JMN, Primeiro nada menos que 521.499$00 (quinhentos e vítima do sistema somos nós e os mais fracos “enxames” de militantes da JPAI. “Não se
Ministro, é mais extensa do que a vinte um mil, quatrocentos e noventa e nove que vêem, muitas vezes os seus salários e bens percebe como é possível contratar jovens afetos
dívida do IUP: também não pagou à escudos), relativos aos anos 2003, 2004 e 2005. penhorados por causa do não cumprimento das à JPAI para exercerem o cargo de inspetores
Direção-Geral das Contribuições e Impostos É anedótico, embora choque a consciência obrigações fiscais”. Um exemplo entre das Finanças, quando existem pessoas
(DGCI), o Imposto Único Sobre Rendimento democrática ver Cabo Verde reduzido a uma centenas: Francisca Tavares, funcionária dos licenciadas ocupando funções de técnico-
(IUR) dos anos fiscais de 2003, 2004, 2005 e espécie de TACV, viu, recentemente, parte do seu salário verificador e há mais de cinco anos aguardam
2007, o que perfaz 1.194.416$00 (um milhão “república das penhorado em virtude da sua dívida com o concurso para o preenchimento das vagas de
cento e noventa e quatro mil, quatrocentos e bananas”, por fisco. inspetores”, denuncia fonte da DGCI refugiada
dezasseis escudos). obra e graça de no anonimato por receio de represália.
Um chefe de Governo que foge a pagar JMN e seu Militantes da JPAI contratados Para silenciar os mais de 20 verificadores nesta
impostos que o seu próprio governo taxa é um grupo. situação, foi aberto concurso interno, com
As dívidas de
para inspetores de Finanças menos vagas para inspetores do que seriam
espanto: os cidadãos que cumpram a lei que os
JMN deixam Enquanto o primeiro-ministro foge ao fisco necessárias, uma vez que o resto estava
governantes se dispensam de cumprir. Em
estarrecidos os com a conivência de José Emanuel Moreira, a preenchido pelos jotas do partido, que
“atenuante” de JMN ocorre, talvez, o fato de o
funcionários de maioria dos funcionários de administração militantemente se dispõem a esconder da
próprio Diretor-Geral das Contribuições e O Director-Geral das fiscal estão desapontados com a gestão danosa
Impostos, José Emanuel Tavares Moreira, Contribuições e Impostos administração do responsável máximo da DGCI, que contrata
opinião pública os calotes dos seus chefes. A
militante do PAICV, dever ao Fisco nada mais, também deve ao fisco fiscal: “quem é isto chegamos.

Eleições a quanto obrigas

Governo promete bolsas… com dinheiro que não tem


É o vale tudo. À falta de obra que a legitime em novo mandato, a rapaziada de Neves agarra-se à velha máxima: “com papas e bolos se enganam os tolos”

O
Governo de Cabo Verde vai mentar o número de bolsas de estudo, por - a pouco tempo das eleições - se compreende como é que, num todos nós.”
conceder, para este ano leti- por que não o fazer? O que deixa qual- que a Assembleia Nacional vote or- momento pré-eleitoral, o Governo O governo mentiu ao acenar com o
vo, cerca de 5 mil bolsas de quer um com ‘a pulga atrás da orelha’ çamento extraordinário? E quando o faz este aumento”. O montante para perdão do empréstimo aos bolseiros,
estudo contra as 4 mil concedidas no são os expedientes do PAICV para vai propor? São questões legítimas bolsas de estudo contemplado no porque dele não beneficiaram quem o
ano anterior. Arnaldo Brito, Diretor tentar seduzir o eleitorado… Já agora: que se colocam a quem, mesmo não Orçamento de Estado - sublinha a havia pago: apenas os faltosos se
Geral de Ensino, fez a revelação, di- que publiquem os critérios de percebendo de economia, sabe per- deputada -, é fixo e não foi alvo de livraram do calote, mercê da patran-
zendo ser um passo para a formação atribuição das bolsas, para evitar atos feitamente não poder gastar o que se qualquer alteração. hice de JMN que, ao invés de exaltar
de quadros no País. Mas fontes por de apadrinhagem”, adverte uma fonte. não tem. A ex-ministra da Educação considera o mérito, prefere premiar os in-
nós contatadas são críticas desta O anúncio do Governo embate num Filomena Delgado não esconde sur- que a medida está enquadrada na fratores.
“cartada” do Governo em período condicionalismo: não havendo verba presa. “Eu não sou contra o aumento mesma estratégia do perdão da dívi- Agora, o Governo ensaia nova patra-
pré-eleitoral. orçamentada, como é que o executivo de bolsas de estudo, pois há benefi- da aos antigos bolseiros. “São atos do nhice: promete dar com o dinheiro
“Se o País está em condições de au- pode implementar a medida? Vai pro- ciários e o País é que ganha. Mas não Governo que merecem a reflexão de que não tem…
10 • Já • Quinta-feira 4 Novembro 2010

isto vimos
Indicador de Clima Económico (VE-MM3)
Fonte: INE
25

20

15

10

-5

-10

-15
2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010

Conjuntura económica

INE desmen
O governo mostra sorrisos enquanto
os setores económicos sofrem com os
O
s dados relativos ao clima
económico em Cabo Verde e
firmado pela evolução do indicador
de confiança nos dois setores com
governo em matéria de atribuição de
obras financiadas pelo Governo por-
efeitos negativos da falta de medidas à conjuntura no II trimestre, maior impato no crescimento e na tuguês.
publicados pelo Instituto Nacional de criação de emprego: Construção e
adequadas e atempadas que o governo Estatística, INE, desmentem categori- Turismo. Turismo: apenas
camente o discurso otimista do gover- Como revela o gráfico respetivo, o
devia anunciar e aplicar e não o faz. no sobre a economia. Em vez de aler- setor da Construção continua no ver- navegação à vista
tar as pessoas para as dificuldades que melho, dando seguimento à tendência O Turismo é o setor onde as expetati-
Transformado em comité de se avizinham, em vez de falar verdade, negativa que vem desde 2008. A vas dos agentes económicos são as
mais baixas. A atividade do setor
o governo insiste em mostrar boa cara insuficiência da procura, as dificul-
propaganda com vista às eleições de - em pré-campanha eleitoral, José Ma- dades de acesso ao crédito e o custo desacelerou de novo no 3º trimestre,
depois de uma pequena melhoria no
ria Neves mente com sorrisos, tentan- elevado do crédito são os principais
2011, o executivo de José Maria Neves do convencer os incautos com “bonda- fatores condicionantes do setor que, trimestre anterior, aproximando-se
do nível mínimo registado no
des” inexistentes. ainda por cima, vê-se confrontado
foge das questões mais difíceis e O indicador de clima económico, cuja com a política discriminatória do primeiro trimestre do corrente ano.
degradação desde finais de 2008 é evi-
procura ludibriar os cabo-verdianos. denciada no gráfico seguinte, voltou a
cair no III trimestre de 2010, depois de
Mas não consegue ludibriar os um pequeno sobressalto no trimestre
anterior. A evolução deste indicador re-
números: a Construção está no vela um novo abrandamento da ativi-
dade económica no 3º trimestre, nas
vermelho, o Turismo está em crise. palavras do próprio INE.

No horizonte há nuvens negras. Mas o Construção: setor está


governo só pensa na propaganda no vermelho
A construção continua no vermelho
O abrandamento da economia é con-
Já • Quinta-feira 4 Novembro 2010 • 11

A economia de Cabo Verde corre sérios riscos


derivados do enorme crescimento da dívida pública (mais de 15 milhões de contos nos últimos 18
meses, até Junho de 2010), do défie orçamental (deverá aproximar-se dos 15% do PIB até finais do
ano), e do desiquilíbrio acentuado das contas externas - tudo isso acompanhado por uma carga fiscal
exagerada, desemprego em grande escala, dificuldades crescentes do próprio setor financeiro

Indicador de Confiança Construção (VE-MM3)


Fonte: INE
10

-10

-20

-30

-40

-50
2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010

nte governo
De certa forma, este é o setor que
mais se tem ressentido da navegação
à vista que o governo erigiu como
planos, quilómetros de conferências,
simposiums e seminários, milhões de
decibéis de discursos, não foi capaz
crescer a bom ritmo? Só se com-
preende tal palavreado no contexto
da campanha permanente a que o
défice orçamental (deverá aproxi-
mar-se dos 15% do PIB até finais do
ano), e do desiquilíbrio acentuado
Enquanto outros destinos,
como as ilhas Canárias,
“estratégia”. Em vão se tentam iden- de tomar qualquer medida de fundo governo se vem, desde há muito, das contas externas - tudo isso que conheceram uma
tificar medidas de fundo para estimu- capaz de repor o destino turístico dedicando, mesmo que isso impli- acompanhado por uma carga fiscal quebra mais importante
lar o setor que, no entanto, é consid- cabo-verdiano no mapa turístico que a distorção da verdade dos fatos exagerada, desemprego em grande
erado como o motor (sic) da econo- mundial. e total desrespeito pela inteligência escala, dificuldades crescentes do
do que a de Cabo Verde,
mia. Enquanto outros destinos, como dos cidadãos. próprio setor financeiro. Sem medi- viram o setor recuperar
as ilhas Canárias, que conheceram Números oficiais A verdade é esta, definida pelos das de fundo que melhorem a capa- rapidamente, graças a
uma quebra mais importante do que a números oficiais, do INE: a econo- cidade concorrencial dos principais
de Cabo Verde, viram o setor recu-
põem a descoberto mia de Cabo Verde corre riscos im- setores da economia, nomeadamente
políticas dos respetivos
perar rapidamente, graças a políticas propaganda enganosa portantes, derivados do enorme o Turismo, a situação tenderá a de- governos, no nosso caso,
dos respetivos governos, no nosso Nestas condições, como pode o go- crescimento da dívida pública (mais gradar-se, enquanto o governo dor- o governo além de
caso, o governo além de produzir verno afirmar, como descarada- de 15 milhões de contos nos últimos me a sonhar com mais estradas as-
toneladas de papel com planos e mais mente o faz, que a economia está a 18 meses, até Junho de 2010), do faltadas para… lugar nenhum.
produzir toneladas de
papel com planos e mais
planos, quilómetros de
conferências, simposiums
e seminários, milhões de
decibéis de discursos, não
foi capaz de tomar
qualquer medida de fundo
capaz de repor o destino
turístico cabo-verdiano no
Governo não consegue estimular o turismo Continuamos fora do mapa turístico mundial
mapa turístico mundial
12 • Já • Quinta-feira 4 Novembro 2010

isto vimos
Manifestação contra “abandono e traição” Poder Local de novo em cheque

Do Facebook Várzea quer


para as ruas do Mindelo matrizes
Manifestação convocada é início de caminhada: “a luta” passa “por protestos pontuais,
cirúrgicos e constantes. Não podemos baixar os abraços”- dizem os de “Cordá Monte Cara”

prediais
Tudo indica que o governo está a preparar mais um
ataque ao Poder Local e esvaziar as suas competências: já
foi publicado no Boletim Oficial, de 11 de Outubro,
despacho conjunto dos Ministérios das Finanças e da
Descentralização e Ordenamento do Território que
ordena inspeção às matrizes prediais da Praia, Ribeira
Grande de Santiago e S. Domingos

P
ara esta decisão, o governo e agora na gestão de três Câmaras
argumenta com alegada ventoinhas, José Maria Neves vem
“ausência de um sistema se- à socapa ordenar uma inspeção à
guro e credível de gestão fundiária, matriz da Praia, Ribeira Grande e S.
situação tolerada em consequência Domingos.
da fraca procura de solos em Cabo Só que, mal avisado, o tiro pode sair

P
essoas de São Vicente criaram em reunião havida no dia 26. No seu lizar o nosso protesto, e ir levando as
Verde para a realização de investi- pela culatra à estratégia do governo
no Facebook uma página desig- manifesto pode ler-se: “…vamos à luta nossas preocupações a todos quantos
mentos” e “o aumento exponencial e o partido que o sustenta, o PAICV,
nada “Cordá Monte Cara”. De com força e contamos com o apoio po- nos puderem ouvir”.
da procura de terras por investidores afiançam-nos fontes ligadas à
acordo com os promotores, “passa sitivo de todos os que amam São Vicen- No núcleo duro estão pessoas de diver-
estrangeiros e nacionais”. Câmara da Praia. “É que existem
principalmente por uma mudança de te; vamos à luta em forma de protesto, sas sensibilidades, “sobretudo pessoas
Diz o executivo que “se, por um muitos podres” da gestão de Filú
mentalidade de todos nós. O nosso sim, mas sobretudo vamos à luta em desiludidas com as políticas que os su-
lado, medidas firmes começaram a que, num País normal, “davam a
futuro a nós pertence, estamos há já forma de contribuição positiva, para cessivos governo e Câmara Municipal
ser adotadas no sentido de conferir prisão efetiva do ex-autarca da
vários anos tentando nos desculpabi- apresentar soluções, fazer valer a nossa têm tomado em relação a São Vicente”.
segurança ao património do Estado Praia”. Aliás, como é sabido, existe
lizar pela nossa situação, temos tido presença como povo desta ilha! Decidi- O grande teste do “Cordá Monte Cara”
e regulamentar a gestão fundiária, queixa-crime sobre alegada cor-
vida difícil sim: abandonados pelo mos que iremos começar a nossa cami- é a reunião a ter lugar no fim de semana
acrescem, por outro lado, os confli- rupção de Felisberto Vieira e José
nosso Governo e traídos pela nossa nhada convocando uma manifestação onde devem anunciar a data da mani-
tos de propriedade, avolumam-se as Maria Veiga, o atual ministro do
Câmara! Compete-nos erguer e lutar!”. de rua, uma manifestação para que con- festação. No Facebook o movimento
denúncias públicas Ambiente, Agricul-
Pretendem convocar manifestação para tamos com o apoio de todos. Vamos ter conseguiu angariar, em poucos dias,
sobre situações me- Como é sabido, existe tura e Recursos Ma-
“Cordá São Vicente”, decisão tomada de sair do espaço cibernético e materia- cerca de mil seguidores.
nos claras relativas a
queixa-crime sobre rinhos – na altura,
braço direito de Filú
movimentações de
terrenos envolvendo alegada corrupção de -, e que continua en-

UniCV de pernas para o ar alguns municípios Felisberto Vieira e José gavetada na Procu-
do país, nomeada- Maria Veiga, o atual radoria da Praia.
mente na cintura ur- Fontes deste jornal
bana da Praia, po- ministro do Ambiente, garantem-nos que a
A situação da Universidade de Cabo Verde é caótica: parece estar sob o signo da desorganização, dendo afetar os mu- Agricultura e Recursos intenção do governo
fruto de excessiva politização, onde o partido no poder é quem dá as cartas de forma arbitrária nicípios limítrofes”. Marinhos – na altura, é outra: “querem,
“No caso concreto com esta inspeção,
tardiamente: se as aulas começam em partido no poder ou próximos da Reito- da Praia”, completa
braço direito de Filú –, justificar passar a
Outubro, como é possível que o con- ria. “Têm havido concursos, mas o que o governo, “têm sido e que continua gerir a matriz dos
curso seja lançado em Outubro? A si- tem prevalecido é o recrutamento de
tuação afeta o funcionamento da Uni- professores por via de despacho da
denunciadas irregu- engavetada na Municípios”,
laridades e anoma- Procuradoria da Praia retirando este poder
versidade, pois as aulas começaram a Reitoria - essas pessoas recrutadas têm lias na gestão e con- às autarquias, mais
11 de Outubro, e os alunos do 4º ano de sempre ligação com o PAICV, o que é servação dos livros matriciais, ale- uma “machadada” do Poder Central
Ciências Sociais (é um exemplo) quase ilegal”. Há docentes com receio de se gadas situações de alterações irreg- contra o Poder Local.
A inexistência de Conselho Cientifi-
co é, na opinião de docentes con-
tatados, um dos problemas mais gra-
que não tiveram aulas.
As salas inauguradas na semana passa-
da também não entraram a tempo em
posicionar contra esse estado de coisas,
pois a maioria tem contratos a prazo e
receiam represálias.
ulares das matrizes, denúncias de
situações em que terrenos antes
Entretanto, para ajudar o interesse
manifesto do governo em eventuais
inscritos no registo predial em irregularidades em matéria de ma-
ves. “Como é possível que outras Uni- funcionamento, fruto da manifesta de- Outras fontes da Uni-CV garantem que trizes fundiárias, Já tem em curso
nome do Estado, do Município da
versidades que operam no País, já dis- sorganização. a instabilidade por que tem passado a algumas averiguações muito curio-
Praia ou de particulares poderão ter
ponham desse órgão e a UniCV não o equipa da Reitoria afeta aquela institui- sas sobre práticas havidas na zona
institui”, indaga fonte bem posicionada
Concursos viciados versus ção, presumindo-se que a situação tem
passado para o nome de terceiros,
sem que tivesse ocorrido qualquer metropolitana da Praia, em que
para quem a situação da administração recrutamento por despacho impato a nível de ensino e do sistema relação jurídica a justificar o fato”. foram protagonistas Felisberto Viei-
é muito complicada, decorrente de má Outra situação que merece a denúncia organizacional. Por ora, segundo as ra e seus homens de mão. Estarão
Situação que já vem da gestão de
planificação. de vários docentes que, por medo de re- fontes contatadas, o que reina é o des- concluídas em tempo. E desde ago-
Jacinto Santos e depois da de
Para essa fonte o concurso para recruta- taliação, se refugiam no anonimato, é o potismo e apadrinhamento, estando o ra prometemos: vai ser bonito.
Felisberto Vieira. Dez anos depois,
mento de novos professores é lançado recrutamento de técnicos próximos do mérito totalmente posto de lado.
Já • Quinta-feira 4 Novembro 2010 • 13

nota$ solta$
A verdade deve ser dita

Crise a caminho
e Governo não toma medidas
Tal como Sócrates, Neves exorciza a crise com sorrisos e otimismos: nem os dias difíceis que Portugal vive, por
causa disso, o levam a arrepiar caminho - as eleições estão aí e o PAICV tem medo que lhe escapem votos.
Consequência: o eleitoralismo empurra Cabo Verde para o abismo


P
ortanto, temos o equilíbrio nomia estava bem e recomendava-se”. areia, como as avestruzes. A derra- O fim do período de transição para a
dos fundamentais da eco- Nunca mais se lhes ouviu comentários pagem das contas públicas e do endi- OMC está à vista, e Cabo Verde não
nomia e, sobretudo, a eco- do mesmo teor. vidamento é evidente para qualquer está preparado para a baixa das tari-
nomia está a crescer. Apesar da crise, É curioso como o PM se comporta, observador imparcial. Em vez de fas aduaneiras que acontecerá - não
Cabo Verde deverá crescer entre 6,5 e seguindo as pisadas do seu homólogo reconhecer a realidade, de alertar os interessa, as empresas nacionais que
sete por cento em 2009, o que, mesmo e émulo português. Em Portugal, o cidadãos para as dificuldades que a se lixem, o governo não quer falar de
assim, é ainda um crescimento robus- Primeiro Ministro Sócrates negou e breve trecho se vão apresentar, gov- coisas desagradáveis em tempo
to e um crescimento que resulta da voltou a negar que o país estivesse em erno e JMN têm um discurso de eleitoral.
dinâmica do sector privado cabo-ver- crise. Insistiu num discurso de otimis- otimismo bacoco para efeitos O comportamento irresponsável de
diano e dos fortes investimentos pú- mo, afirmando que Portugal não ne- eleitoralistas. A dívida pública está a JMN pode vir a custar muito caro ao
blicos que têm sido feitos" - extrato do cessitava de medidas de austeridade, e ficar fora de controlo, dentro de País que, não estando preparado para
discurso do Primeiro Ministro na deixou a despesa pública aumentar pouco tempo acabaram-se os as dificuldades que se avizinham,
inauguração do Banco Africano de sem controlo, o mesmo acontecendo empréstimos concessionais? Não arrisca-se a ser apanhado de surpresa
Investimento, BAI (5/2/2009). Toda a ao endividamento externo. Até que… interessa, o País há-de resolver… quando a verdadeira crise bater à
gente sabe o que aconteceu em 2009, a crise disse “presente, aqui estou”. E continuemos a endividar-nos alegre- porta. A oposição tende a copiar a
apesar da fanfarronada de JMN. A agora? O discurso muda completa- mente. atitude de JMN e, em vez de dizer a
economia cresceu de forma anémica, mente, é preciso cortar nos salários Os investimentos públicos não criam verdade aos cabo-verdianos (“vejam
apenas 3% (menos de metade da pre- dos funcionários públicos e nas pen- emprego nem fazem a economia que a situação é muito difícil e será
visão de JMN). A crise instalou-se, o sões, é preciso parar investimentos crescer? Não interessa, continuemos pior no futuro próximo, é preciso dar
défice público disparou, o endivida- que há muito se sabia impossíveis de a endividar-nos para construir prioridade a umas coisas e deixar de
mento subiu em flecha, o défice das financiar. Portugal está a beira de ter estradas onde só as vacas passam. fazer outras; estamos a viver acima
contas externas entrou em paranóia. O de receber a temível visita de uma Alguém há-de pagar depois. das nossas posses”), parece preferir o
cenário não é melhor em 2010. missão do FMI… As receitas fiscais crescem muito silêncio que lhe custará caro quando
Antes da declaração de Fevereiro de lentamente e estão 10% abaixo do for Governo.
2010, JMN afirmara que a economia
Neves, à imagem de nível de 2008? Não interessa, prome- A verdade deve ser dita. O eleitorado
cabo-verdiana estava blindada contra a Sócrates temos o 13º, e se for o caso até o 14º, cabo-verdiano é suficientemente
crise. O seu secretário de Estado da Em Cabo Verde a situação não é me- aos funcionários. Alguém há-de maduro para compreender e distin-
Economia afirmava, ufano, que “a eco- lhor: o Governo enterra a cabeça na pagar. guir as coisas.

Estudo do INE é demolidor

Economia informal atesta não-desenvolvimento


A economia paralela (informal e subterrânea) toma conta do mercado: os números são avassaladores e mostram que a tal “economia de
desenvolvimento médio”, alardeada pelo governo, é apenas uma falácia

E studo do Instituto Nacional de


Estatística (INE) cabo-verdiano
é demolidor da propaganda governa-
dos que se ocupam no setor trabalham
por conta de outrem, auferem salário
médio de 11,8 mil escudos mensais
efetivo dos montantes sobre os quais
incide a fiscalidade, quando ela
exista.
não produziram mais riqueza e mais
emprego para o País. Pelo contrário,
trouxeram precariedade, o empobrec-
mental assente na bandeira de “Cabo laborando em média cerca de 45 imento das empresas e a miséria das
Verde - país de desenvolvimento horas semanais. Um Governo sem norte famílias em contraste com o discurso
médio”: não fora o setor informal da Decorrente da inexistência de estraté- Se na economia formal a iniquidade e altissonante do PAICV.
economia, que ocupa 32 mil pessoas, gia clara que aposte no desenvolvi- desrespeito pelos direitos sociais são Se à economia informal se juntar a
mais de 10 porcento da população mento da economia, e não no folclore constante que os sindicatos denunci- subterrânea (onde pontificam o tráfi-
ativa, o drama do desemprego seria das “grandes obras”, e na ausência de am, na economia informal só 6,1 por co de estupefacientes, de armas, a
ainda mais avassalador, com o espetro linhas de crédito que apostem no cento dos trabalhadores beneficiam prostituição e a atividade cambial
da fome a pairar sobre as famílias. desenvolvimento do tecido empresar- de proteção social institucional. ilícita a eles ligada), cujos dados são
O estudo, silenciado pelo governo - ial e na criação de emprego com dire- As mulheres, na ordem dos 52,5 por- difíceis de apurar mas cuja importân-
que oculta também os números reais itos, os indicadores do estudo cento, estão em maioria num setor cia no tecido social se percebe, con-
do desemprego - revela que o rendi- mostram que o setor informal é prati- cuja atividade se centra no comércio e cluímos que o desemprego real (que a
mento mensal per capita desta ativi- camente auto-suficiente, fornecendo- oferece trabalho precário e sem dire- economia informal e a subterrânea
dade situa-se na ordem dos 22,341 se a si próprio, dispensando a inter- itos, tornando os seus trabalhadores mitigam) atinge taxa elevadíssima: 70
mil escudos, sendo que 68,2 por cento relação com a economia formal, mas vulneráveis às flutuações da relação a 80 por cento. A “informalidade” é a
trabalham por conta própria e 90 por causando-lhe dano em termos de con- oferta/procura decorrentes da in- escapatória, mas não produz, antes
cento encontram nesta atividade o corrência, na medida em que a “infor- flação. pelo contrário, uma “economia de
emprego principal. E 31,8 por cento malidade” impossibilita o controlo Dez anos de governação tambarina desenvolvimento médio”
14 • Já • Quinta-feira 4 Novembro 2010

Mugabe em “desgrace” Chama-se Grace Mugabe, tem 41 anos,

coisas do mundo é casada com Robert Mugabe, 82. Grace anda há cinco anos de affaire com
Gideon Gone, 50 anos e Governador do Banco Central do Zimbabwe. Robert,
marido enganado, foi o último a saber do escândalo que há muito anima
Harare: os serviços secretos esconderam-lhe o “arranjinho”. Robert ficou
furioso ao descobrir que até o seu mais fiel guarda-costas, Cain Chademana,
conhecia a traição de Grace. Cain apareceu assassinado.

Portugal: Presidenciais 2011 Brasil

Dilma
Planalto no feminino
Era tão certo como o destino: Dilma ganhou. Haverá continuidades

Entre Alegre e Cavaco, C relativamente a Lula. Mas haverá certamente distâncias que irão
incomodar alguns políticos-papagaios de todo o mundo
omo no banquete de Baltazar:
pesado, contado, dividido – feito
forças efetiva no plano interno
brasileiro, como dependerá das

o deserto…
o escrutínio, Dilma ganhou. Sucede a evoluções a surgirem no concerto
Lula da Silva e é a primeira Presidente internacional. E internamente, a não
do Brasil. A vantagem sobre Serra foi existirem clivagens no PT, Dilma terá
larga: 56 contra 44 por cento dos mãos mais livres que o seu antecessor,
votos. Entre Dilma Rousseff e o derro- porquanto a oposição perdeu a maioria
tado tucano mediaram 12 milhões de no Congresso e no Senado brasileiros,
votos, com uma abstenção de 20 por ainda que detenha oito dos principais
cento, um recorde. estados do Brasil – entre eles, São
Desde a noite de domingo, Dilma Paulo, Minas Gerais, Pará, Paraná,
A pré-campanha para as eleições presidenciais parece não estar a mobilizar tornou-se a décima sétima mulher no Goiás. Por isso, e mesmo assim, tal
os portugueses. Esquerda e direita órfãs de candidatos estão fora de jogo. E mundo de hoje a conduzir os destinos como aconteceu com Lula, Dilma irá
de um país – uma lista onde se inclui a com “navegação à vista”. Para já,
o Presidente nem precisa de fazer as malas, Belém continuará sua residência Rainha de Inglaterra (com poucos esperemos pela formação do seu
nos próximos cinco anos poderes), as presidentes da Índia e da Governo, para ter ideias mais
Finlândia, mas se exclui a todo- definidas.
poderosa Angel Markel que, embora Quase certo: Dilma Rousseff represen-

A
máxima “há candidatos para nheceu outra atividade que não fosse mas e das arengas ideológicas, surge
todos os gostos” parece não a de amesendado do Orçamento –, o patusco Defensor Moura, deputado tão só Primeiro Ministro da Alemanha, ta continuidades e, talvez, com menos
se aplicar às presidenciais não está a conseguir fazer o pleno da do partido do governo, aparente- tem mais poderes que Isabel II e do demagogia e mais autoritarismo. Para
portuguesas. Da esquerda à direita – esquerda, pese o apoio formal do mente descontente por o seu “bril- que Prathiba Patil, que preside em prosseguir a política Sul-Sul, que Lula
dicotomia pouco entendível no uni- Bloco, que no parlamento esgrime hantismo” nunca ter sido aproveitado Nova Dehli. ensaiou com relativo êxito e a afir-
verso político cabo-verdiano, até por contra o governo de Sócrates, mas pelos camaradas, verbalizado na Ex-guerrilheira, que combateu uma mação do Brasil como potência no
nem sempre ser aferível onde está que nas presidenciais com ele sobe lengalenga de o espaço do centro ditadura de militares, Dilma Rousseff continente americano e no Mundo.
uma e outra… – grassa o desconforto ao palanque no apoio à candidatura político “não estar representado” nas de imediato incendiou o imaginário de Curiosidade, com importância para
e mesmo o descontentamento pelo do poeta Alegre. candidaturas em presença. futurologistas mascarados de comenta- Cabo Verde: qual será a política de
precário naipe de candidatos a sufrá- Com um setor da direita que não se dores políticos que, logo-logo, previ- Dilma para a Lusofonia e CPLP, sendo
gio, embora nenhum seja ainda for-
Candidatos pulverizam revê em Cavaco – mais por razões de ram o seu distanciamento das políticas de prever que algum do “porreirismo”
malmente detentor dessa circunstân- eleitorado forma do que de substância, onde de Lula, ou o regresso de Lula em lulista tenha os dias contados, ajudan-
cia. Ou seja, nenhum entregou no Ainda à esquerda, Francisco Lopes sobressai a promulgação presidencial 2014. O que vai ser a gestão de Dilma do ao desfazer de feira de alguns
Tribunal Constitucional as neces- (dirigente e candidato oficial do das leis do casamento entre pessoas dependerá muito, tal como aconteceu políticos-papagaios, para mais em
sárias 7.500 assinaturas que farão PCP), procura suster a do mesmo sexo e a lei com Lula da Silva, da correlação de época de fim de poleiro.
deles candidatos “de fato” às eleições implosão da base elei- Depois de um ano das uniões de fato –,
de Janeiro. toral dos comunistas, inteiro em mas que não tem cor-
Cavaco Silva, o atual Presidente,
anunciou na passada semana a inten-
muito dividida entre a
inutilidade do voto ex-
agem de avançar com
deslocações oficiais candidato próprio, e Abidjan volta ao bom caminho
ção de se recandidatar. Nada de novo, presso e a divisão por pelo país, pagas pelo uma esquerda anti- sobressaem entre 14 candidatos: o
porque mesmo ávido de tabus – o pro- outras candidaturas, erário público, espera sistémica que não presidente cessante, Laurent Gbag-
fessor procura sempre criar na opinião
pública o manto expetante das “figu-
nomeadamente a de
Fernando Nobre, o
a Aníbal Cavaco Silva apoia Alegre por pre-
tender “um candidato
bo; Alassane Ouattara, ex-primeiro
ministro; e Henri Konan Bédié, ex-
ras providenciais”… –, era previsível médico fundador da uma alegre que levasse o protesto -presidente deposto pelo golpe mili-
que o fizesse, nas circunstâncias em Assistência Médica caminhada para a social às presidenci- tar de 1999. Depois de 10 con-
que o fez e nas condições por ele Internacional (AMI) reeleição ais” – mas que tam- turbados anos (com guerra civil e
avançadas. Cavaco vai a votos, mas que, não sendo nem de bém “não os teve no seis adiamentos eleitorais), Abidjan
não faz campanha… porque “o País esquerda nem de direita - antes pelo sítio” para avançar -, as próximas
atravessa uma profunda crise”.
Pudera, depois de um ano inteiro em
contrário, parece estar a reunir à sua
volta número importante de descon-
eleições de Janeiro podem vir a regis-
tar a maior taxa de abstenção desde
C om inevitável segunda volta,
Costa do Marfim está em pro-
cesso eleitoral para a Presidência da
regressa à normalidade democrática,
esperando-se que as eleições unifi-
quem o país dividido entre o norte,
deslocações oficiais pelo país pagas tentes da política. Mas pairam sobre que os Presidentes são eleitos demo- República. Na primeira volta apre- maioritariamente muçulmano, nas
pelo erário público, espera a Aníbal ele suspeitas de simpatias monárqui- craticamente. Será sinal claro do des- sentaram-se 14 candidatos. À hora de mãos de rebeldes, e o sul, sobretudo
Cavaco Silva uma alegre caminhada cas, coisa “pouco abonatória” para contentamento dos portugueses rela- fecho da nossa edição, não há resul- cristão, dirigido pelo governo. Ape-
para a reeleição. E, desde logo, as- uma esquerda – o seu tendencial elei- tivamente a uma classe política que, tados conhecidos - só quarta-feira sar destas dificuldades, o ato eleitoral
segurada pela falta de comparência da torado – que ainda não exorcizou os da esquerda à direita, colocou a País (dia de fecho) os haverá. O escrutínio foi exemplar para outros países afri-
esquerda sob uma candidatura única. fantasmas do assalto ao Palácio de no abismo e frustrou ambições legíti- decorreu sem incidentes e grande canos em termos de recenseamento e
Manuel Alegre, o histórico deputa- Inverno… mas a uma vida digna e ao desen- afluência às urnas. Três nomes fortes campanhas eleitorais. Lição a reter.
do/poeta do PS – a quem nunca se co- À margem das dicotomias, dos trau- volvimento económico e social.
Já • Quinta-feira 4 Novembro 2010 • 15

polichinelo Aviso à navegação:


polichinelo é sátira e xuxadera. Aqui não se respeita ninguém: são ditas as coisas sem recato. É o reino da má-língua, pura
e dura. A quem tenha temores e pudores, um conselho: não leia. Quem goste de rumores e tenha bons humores, leia, leia!

Malandrices Manhosices Ratices


O governo de Zé Maria Neves evolui em
compasso binário: Zé Maria (Neves) &
Zé Maria (Veiga), qual deles mais Zé Maria.
Momento 1 - José Maria Veiga disputou a Felisberto Vieira a primazia em
“habilidades” nos “bons velhos tempos” da Câmara Municipal da Praia, ao
ponto do “insuspeito” Filu desconfiar das suas manhosices. Resultado, com
J osé Maria Veiga, que teve a
habilidade de surripiar eletricidade
à Electra, um caso ocorrido lá para os
Um e outro, os dois juntos, produzem a pulga atrás da orelha, mandou JM Veiga dar uma curva e dispensou-o da lados do Palmarejo e abafado mal foi
“maravilhas” e puxam, um atrelado ao outro, sua equipa: ao que então constou, Filu acusou-o de graves “irregularidades”. descoberto, meteu-se à espreita das
a carroça tambarina para a beira do Momento 2 - Lá no alto do Poder, Neves assumiu que os inimigos habilidades alheias. E viu: Neves
precipício. Inocêncio de Sousa anda (JM Veiga) dos meus inimigos (Filu) meus amigos são e arregimentou inaugurar em Porto Mosquito uma
perturbado: o protagonismo de ZMV, Veiga para a carroça do Governo. No entanto, o mundo tambarina dá rede de abastecimento de água… sem
alimentado por ZMN, embaça o seu. Por isso, muitas voltas e JMN, para acautelar-se das arremetidas de Filu e da água. Pondo-se em bicos de pés, JM
o até há bem pouco todo-poderoso possibilidade deste se apresentar como alternativa a si, Veiga cogitou que seria capaz de
agora desconfia. Se ZMV roeu a chamou Filu, derrotado na Praia, a seu “conselheiro”: fazer melhor. Vai daí: decidiu
corda a Filu, não será ele Filu meteu as alegadas “irregularidades” de JM desenvolver o regadio na
também capaz de roer-lhe a Veiga no saco e promoveu-o a santinho. Ribeira Grande de Santiago.
corda e meter areia na Momento 3 – O domesticado Filu espreitou a Num rasgo de génio, fez
engrenagem montada para a oportunidade e lançou-se contra Rui Semedo construir depósitos de água…
sua promoção a candidato (apoiado por Neves) na estrutura do PAICV em sem água, próximo de Águas
amarelo à Presidência da Santiago-Sul. Ganhou e deixou Neves com pedra Verdes. Qual mágico, ele teve o
República? Em certos meios, já no sapato e na vesícula. Marcando à zona, Neves condão de inovar: promoveu o
se cochicha que Inocêncio se fez avançar JM Veiga para Santiago Norte – para regadio a seco, uma originalidade
dispõe a engendrar um trinómio manhoso, manhoso e meio, terá pensado “Sua tambarina. Ave-maria, tal
de fintados (Aristides + Excelência”. A “estrela negra” coisa nunca antes
Hopffer + ficou mais negra em se houvera
Inocêncio) contra Santiago: Filu e JM visto. A
o binómio Veiga, um para o continuar
malandreco. outro. Assim se faz assim, ainda
Ainda irá a política por vai a
tempo? aquelas bandas. Nobel.

!?!
boka bedjo !!
kasu-bodi
Em campanha para se
apresentar como candidato à
Presidência da República,
Manuel Inocêncio de Sousa,
participou num encontro
debate em Carnaxide, Oeiras,
Portugal, no dia 1 de
Novembro, Dia de Todos os
Santos. Mau prenúncio para a
candidatura. Escreve Mons.
Arnaldo Beltrami:
“O Dia de Todos os Santos
celebra todos os que
morreram em estado de
graça e não foram
canonizados. O Dia de Todos
os Mortos celebra todos os
que morreram e não são
lembrados na oração.”
16 • Já • Quinta-feira 4 Novembro 2010

em jogo
Se a Associação pagar os árbitros… Luso-cabo-verdiano não tem dúvidas

Supertaça “Mundinho”
é sábado na Várzea
Nani: “Sou um dos
melhores do Mundo”
N o último sábado marcou um dos
golos mais caricatos na sua carreira
e somou mais um ao serviço do Man-
O luso-cabo-verdiano sabe o que tem
de fazer no Manchester United: “Jogo
no melhor clube do mundo e tenho o
chester United de Inglaterra. O interna- papel de ser decisivo em todos os desa-
cional português nascido na ilha do Sal, fios, ou seja, tenho de marcar golos e
Nani, não tem dúvidas das suas capaci- fazer assistências”.
dades e considera que atualmente já é um Nani assegura que está pronto para os
dos “melhores jogadores do mundo”. embates decisivos do United, o que pa-
“Estou próximo de atingir o máximo ra ele é razão acrescida para jogar o seu
das minhas capacidades. Agora, posso futebol: “Não tenho medo dos grandes
dizer que sou um dos melhores jogado- jogos, que são os mais espetaculares e
res do mundo”, realçou Nani, em decla- onde apresentamos um futebol de alta
rações à imprensa inglesa. qualidade”.
O Sporting da Praia e o Boavista da Praia disputam a 6 de Novembro a “Supertaça
Mundinho”, no Estádio da Várzea, marcando assim o início da época futebolística
em Santiago-Sul Baixa na Seleção de Cabo Verde

M
arcado inicialmente para sim, mas para dar tempo à Associação nem sequer existe um calendário de
30 de Outubro, o jogo foi
adiado para este final de
de se organizar melhor antes de se ini-
ciar o campeonato regional.
jogos”, questiona a fonte, estranhando
o facto de na imprensa se tentar passar Marco Soares fraturou tíbia
e pára 4 semanas
semana por solicitação do Sporting, o É que, segundo as nossas fontes, à a ideia de serem os sportinguistas os
Campeão regional, mas por razões Associação Regional de Futebol responsáveis por este adiamento.
diferentes das alegadas pela Associa- Santiago Sul (ARFSS) até foi feito Até ao fecho desta edição, não foi
ção e que o nosso jornal reportou na um favor. “Como é que vamos iniciar possível declaração da ARFSS, ape-
semana passada. uma época desportiva quando apenas sar de solicitada para o feito, no-
Conforme apurou Já no decorrer da dois clubes se inscreveram (no uni- meadamente quanto à liquidação da
semana, os argumentos apresentados verso de 20), quando ainda não foram dívida aos árbitros, uma das con-
pelos dirigentes da Associação foram apresentadas as contas da última dições para a realização da Supertaça
falaciosos: “nós pedimos o adiamento gerência, não se pagou a arbitragem e deste sábado.

Partida marcada para 16 de Novembro


Cabo Verde x Guiné-Bissau O internacional cabo-verdiano e
capitão da União de Leiria, de
Portugal, fraturou a tíbia da perna
casos, um edema.
Assim, Marco Soares ficou internado
no Hospital Distrital de Águeda, ten-

joga-se em Lisboa esquerda, no domingo, no encontro


da Liga Sagres em que os leirienses
perderam por duas bolas a uma.
Marco Soares lesionou-se no en-
do sido operado na quarta-feira de
manhã (ontem), começando depois
um período de recuperação que po-
derá demorar entre três e quatro
Guiné-Bissau vão disputar, a 16 de Recorde-se, Cabo Verde lidera o contro com o Sporting e foi de ime- meses.
Novembro, um jogo amigável no está- Grupo A, com quatro pontos em dois diato transportado para Águeda, Se tudo correr como o programado,
dio do Restelo, em Lisboa. jogos, mercê da vitória caseira frente onde o esperava o médico José Marco Soares poderá regressar ainda
Segundo apurou a redação do Já, esta ao Mali e ao empate arrancado em Martel, elemento da equipa clínica a tempo de defrontar a Libéria em
partida frente à Guiné-Bissau deverá Harare, contra o Zimbabwe. dos leirienses. O jogador foi obser- Março, no jogo de qualificação para o
ser uma oportunidade para o técnico No Grupo J, a Guiné-Bissau conta três vado mas os médicos entenderam CAN 2012, a disputar na capital
Lúcio Antunes testar outros jogadores pontos em duas partidas, após a vitória que seria melhor esperar mais uns cabo-verdiana. Para já não vai poder
C om os jogos de qualificação para
o CAN 2012 a serem retomados
só em Março do próximo ano, as
cabo-verdianos que militam em clubes
europeus e que ainda não foram
chamados a vestirem a camisola da
na jornada inaugural frente ao Quénia
(1-0) e à derrota, na jornada seguinte,
com Angola, em Luanda, por idêntico
dias para fazer a intervenção cirúr-
gica, uma vez que a zona da fratura
disputar o jogo de preparação contra a
Guiné-Bissau, marcado para o dia 16
apresentava, como é normal nestes de Novembro, em Lisboa.
seleções de futebol de Cabo Verde e da seleção. resultado.
Já • Quinta-feira 4 Novembro 2010 • 17

olhem para elas


Saúde bucal na nha terra

Higiene dos aparelhos


ortodônticos fixos recortadas em forma de V, facilitando Alimentação
o contato das cerdas com o dente e as Pastilhas elásticas, drops, chupetas e
fileiras de fio ortodôntico. outros alimentos pegajosos devem
ser evitados: todo o mundo sabe que
Técnica
Obviamente, em tais circunstâncias,
a escovagem dos dentes deve demor-
ar mais tempo e a atenção deve ser
eles “são amigos da cárie”, além de
duplicarem as chances de cárie para
quem usa estes aparelhos, pois
removê-los dos dentes chega a ser
Esparguete,
que delícia!
redobrada. Movimentos como se missão quase impossível. Mancarra,
estivesse “varrendo”, no sentido gen- pipocas, torresmas danificam o apa-
giva para os dentes, ao mesmo tempo relho pelo impacto; frutas, como a
Zarina Santos massajando a gengiva, são os mais maçã, devem ser cortadas em
adequados. Já o vai-vem (escovação pedaços.
Graduanda em Odontologia horizontal) deve ser evitada: machu-
ca a gengiva e provoca erosão (cavi- Manchas nos dentes N ão é apenas delicioso. Fornece, também e principalmente, energia,
por ser fonte de carboidratos.

S
ó Cristo conseguiria higienizar dades) nos dentes.
corretamente a boca se usasse Se, para pacientes normais, o uso de
podem ser provocadas Apesar da fama de que engorda, os grandes vilões do ganho de peso são
aparelho fixo. A presença de pelo aparelho fixo? os molhos que o acompanham. Cada 100g do esparguete à bolonhesa
fio dental é indispensável, nestes
braquetes (peças colocadas nos den- confere 86,79 calorias; do branco, 128,87. Os cerca de 20g de queijo
casos ele anda colado à escova den- Nup! A culpa é da preguiça ou da
tes), bandas (anéis cimentados nos parmesão ralado para finalizar acrescentam mais 91,20. É preciso men-
tal: deve usar-se o passa-fio (agulhin- falta de higiene que permite o acú-
dentes), fios, elásticos e muitos cionar que um prato com apenas pasta (com aproximadamente 200g)
ha de plástico), que ajuda a passar o mulo de placa em redor dos braque-
outros acessórios aumentam as áreas contém 282.
fio entre os dentes. O uso de boche- tes (peças coladas aos dentes), o que
de retenção de alimentos, propícios As dicas dos nutricionistas vão no sentido de apostar no molho, com
chos com soluções fluoretadas uma permite um aumento de bactérias
para nichos de bactérias. 39,58 calorias em cada 100g, ou de começar as refeições com saladas, até
vez ao dia, de preferência à noite, nesta região e estas, ao produzirem
mesmo as que levam macarrão, que contribuem para a sensação de
antes de dormir, auxilia na proteção ácidos, deterioram a superfície do
Escova saciedade. As melhores opções da iguaria são as integrais, de grão duro
do esmalte dos dentes e inibe a esmalte, provocando manchas bran-
ou com grãos como de soja ou quinoa, porque apresentam boa quanti-
Com todos esses acessórios próprios aderência de placa bacteriana. Essa cas ou marrons e, posteriormente,
dade de fibras e proteínas.
de quem usa aparelho fixo, a vida útil solução não deve ser engolida. cáries.
Mas se, mesmo correndo o risco de engordar, não abre mão de degustar
de uma escova é menor do que aque-
uma bella pasta, Já traz esta semana as seguintes receitas.
la que serve a quem tenha dentição
normal. Assim sendo, a escova de
quem tenha aparelho deve ser jogada Ingredientes:
fora mais cedo. Almôndegas
O formato de uma escova para este • 250 g de carne de vaca moída
caso não pode ser igual às comuns. • 250 g de carne de porco moída
Existem para isso escovas específi- • 1 ovo
cas: escovas chamadas bitufo ou • 1 cebola picada
unitufo, que permitem limpar entre • 1 colher de sobremesa de orégão seco
os braquetes. Outras com cerdas • 3 colheres de sopa de farinha de rosca
• 250 g de queijo parmesão ralado
• 500 g de espaguete
• sal e pimenta a gosto

Como escolher uma boa escova de dentes Molho


• 1 colher de sopa de óleo

E sta é, com certeza, a melhor. Até
brilha no escuro… Esta não
machuca a sua gengiva; esta elimina
um adolescente com aparelho fixo.
Segundo: já aqui disse uma vez - a
melhor dica para escolher é começar
cia é a mesma, não desgasta os dentes
e nem amachuca a gengiva.
Quarto: o tamanho adequado para cada
• 1 colher de sopa de manteiga
• 1 colher de café de açúcar
todas as bactérias da sua boca”. por ver as escovas mais baratas. boca - a cabeça deve ser capaz de • 1 cebola média, picadinha
Diariamente somos bombardeados Ninguém vai querer comprar uma alcançar todos os dentes sem amachu- • 1 garrafa de 700 g de molho de tomate triturado
com publicidade deste género. Ao escova cara e depois jogá-la, fora pas- car e ter um cabo compatível com o • a mesma quantidade em água quente
chegar a um super mercado, temos sados pelo menos 3 meses de uso. tamanho da mão; • 1 xícara de leite morno
cores, formatos, tamanhos variados: a Aconselho tudo, menos ganhar amor a Quinto: as escovas eléctricas e as esco-
grande questão é levantada – afinal, uma escova. vas “normais” não têm diferença; as Para as almôndegas:
que escova comprar? Terceiro: não adianta ser barata e não primeiras só são mais vantajosas nos Numa tigela grande coloque todos os ingredientes e misture tudo. Acerte
Primeiro: a melhor escova, depende do ter cerdas macias também. As macias casos em que o paciente tenha proble- o sal e faça as bolinhas
caso, da individualidade - a cavidade não amachucam a gengiva. Muitos mas motores, ou quando usadas por ou- Molho:
bucal de cada um é diferente. Se a pacientes pensam que as escovas mais tras pessoas para escovar os dentes de Numa panela grande e funda, coloque o óleo, a manteiga, o açúcar e a
capacidade motora de um adulto de 21 duras têm maior eficácia na limpeza pessoas acamadas ou especiais. Fora cebola picadinha, deixe murchar a cebola, então acrescente o molho de
anos é diferente de uma pessoa de 60 porque esfregam os dentes com mais disso, a diferença reside no preço - são tomate triturado, a água quente e a xícara de leite.
anos, também as necessidades de uma força. É lenda, minha gente. Usando mais caras. Quando estiver a ferver, adicione as almôndegas ao molho, e chocalhe a
criança são totalmente diferentes de uma macia com a técnica certa, a eficá- panela de leve para as almôndegas se ajeitarem sem desmanchar as bolin-
has. Deixe cozinhar durante 20 minutos em panela fechada.
Cozinhe o esparguete em água fervente
Sirva as almôndegas e o molho por cima do esparguete.
18 • Já • Quinta-feira 4 Novembro 2010

cachupada
O menino Zezinho
O pai do Zezinho ficou apavorado quando o menino lhe
Horóscopo De 7 a 13 de Novembro
mostrou o boletim com as notas escolares.
– Na minha época as notas baixas eram punidas com uma
boa surra.
– Boa pai! Que tal apanharmos o professor à saída
Carneiro Leão Sagitário
amanhã?
21-3 a 20-4 23-7 a 22-8 21-11 a 20-12
Carta Dominante: Ás de Ouros, que significa Carta Dominante: Rainha de Copas, que Carta Dominante: A Justiça, que significa Justiça.
Harmonia e Prosperidade. significa Amiga Sincera. Amor: Poderá encontrar um amigo que já não
•••
Amor: Tente conviver mais com os seus amigos Amor: Lute pelo seu verdadeiro amor, não se via há muito tempo. Coloque a conversa em dia.
e faça esforços para travar novos conhecimentos. deixe influenciar por terceiros. Não se deixe Saúde: Procure não abusar em refeições muito Na escola, Zezinho está a chorar e a professora diz:
Saúde: Período propício a uma consulta de dominar pela insegurança. Converse mais com o condimentadas.
oftalmologia. Não descure a sua visão. seu companheiro e tenha mais confiança nele. Dinheiro: Não influencie as ideias dos outros. – Não chore, Zezinho! Quando somos pequenos, choramos
Dinheiro: Evite faltar a reuniões de trabalho. A
sua presença será importante para desenvolver
Saúde: Vigie a sua tensão arterial e controle
muito bem a sua alimentação.
Permita que cada um pondere por si. Aceite
críticas construtivas feitas por alguém que tem
muito e acabamos por ficar feios ao crescer.
um projecto. Está preparado para realizar os Dinheiro: Procure não ser muito impulsivo nas mais experiência. Não as encare como algo – Então, professora, quando a senhora era pequena deveria
projectos a que se propõe, e para chegar onde suas compras, pois poderá gastar mais do que as negativo, mas sim como forma de melhorar o
está já superou muitas provas. suas possibilidades. seu desempenho ser uma grande chorona, hein!
Número da Sorte: 65 Número da Sorte: 49 Número da Sorte: 8
Números da Semana: 10, 4, 5, 45, 2, 6 Números da Semana: 6, 9, 7, 40, 30, 20 Números da Semana: 6, 45, 40, 20, 30, 4 •••
Dia mais favorável: sábado Dia mais favorável: terça-feira Dia mais favorável: quinta-feira
Lema da Semana: Cultivo a harmonia na Lema da Semana: A sinceridade é o pilar Lema da Semana: Procuro que a justiça
minha vida. básico de qualquer relação. fundamente os meus actos. Na escola, a professora explica:
Horóscopo Diário Ligue já! 760 30 10 11 Horóscopo Diário Ligue já! 760 30 10 15 Horóscopo Diário - Ligue já! 760 30 10 19 – Se eu digo "fui bonita" é passado. Se digo, «sou bonita»,
o que é Zezinho?
Touro Virgem Capricórnio – É mentira.....
21-4 a 21-5 23-8 a 22-9 21-12 a 20-1
Carta Dominante: A Torre, que significa Carta Dominante: Valete de Espadas, que Carta Dominante: 6 de Copas, que significa •••
Convicções Erradas, Colapso. significa Vigilante e Atento. Nostalgia.
Amor: Cuidado para não magoar os Amor: Seja mais carinhoso com a sua cara-metade. Amor: Período marcado pela harmonia familiar.
sentimentos de uma pessoa que lhe é querida. Os actos de ternura são importantes para revigorar Organize um serão divertido em sua casa.
A professora tenta ensinar matemática ao Zezinho.
Meça as suas palavras. Convide um amigo para a relação. Poderá viver momentos confusos e agitados a - Se eu te der 4 chocolates hoje e mais 3 amanhã, tu vais
uma saída especial. Dance, vá ao cinema, Saúde: Evite enervar-se em excesso. As nível amoroso. Não se descontrole e tente
aproveite aquilo que a vida tem para lhe dar. preocupações podem trazer sérios problemas ao encontrar solução para os seus problemas. ficar com...com.... com....
Saúde: Tendência para andar um pouco nível cardiovascular. Poderá sentir-se mais Saúde: Tendência para problemas de estômago. E o Zezinho:
descontrolado. Tente relaxar. cansado do que o habitual. Tente tomar um banho Cuide de si.
Dinheiro: O seu esforço no trabalho poderá vir relaxante. Dinheiro: Semana propícia ao investimento. - Contente!
a ser recompensado. Acredite mais nas suas Dinheiro: Cuidado com os gastos supérfluos. Seja Aconselhe-se com o seu gestor de conta. A sua
potencialidades. mais comedido para não ter surpresas desagradáveis. vida profissional vai exigir de si um desgaste
Número da Sorte: 16 Número da Sorte: 61 redobrado de energias.
•••
Números da Semana: 3, 36, 6, 9, 8, 5 Números da Semana: 22, 5, 41, 14, 12, 21 Número da Sorte: 42
Dia mais favorável: segunda-feira Dia mais favorável: domingo Números da Semana: 1, 5, 45, 4, 7, 6 O Zezinho foi com o seu amigo ao médico e este
Lema da Semana: Estou sempre a tempo de Lema da Semana: Estou vigilante, zelo por tudo Dia mais favorável: terça-feira
recomeçar. o que amo. Lema da Semana: Recordo-me apenas das perguntou-lhe:
Horóscopo Diário Ligue já! 760 30 10 12 Horóscopo Diário Ligue já! 760 30 10 16 coisas positivas. - O que querem? Ao que o Zezinho respondeu:
Horóscopo Diário Ligue já! 760 30 10 20
- Doutor, eu engoli um berlinde!
Gémeos Balança Aquário - E o seu amigo, o que quer?
- Está só a esperar o berlinde. Era dele!
21-5 a 20-6 23-9 a 22-10 21-1 a 18-2
Carta Dominante: A Lua, que significa Falsas Carta Dominante: Rainha de Paus, que significa Carta Dominante: 9 de Espadas, que significa
Ilusões. Poder Material e que pode ser Amorosa ou Fria. Mau Pressentimento.
•••
Amor: Poderá ter de enfrentar um Amor: Confie mais na pessoa que tem a seu Amor: Esteja alerta, o amor poderá surgir em
desentendimento com um amigo muito especial. lado. A confiança e o respeito são essenciais qualquer lugar. Deixe-se ser amado. A mãe ao filho:
Mantenha a calma! numa relação. Saúde: Pratique uma actividade física que lhe dê
Saúde: Controle as suas emoções e procure ser Saúde: Tendência para apanhar uma grande bastante prazer. - Zezinho, o que estás a estudar?
racional. Não se preocupe tanto com aquele constipação. Agasalhe-se bem. Dinheiro: A sua vida profissional tende a
problema que o tem vindo a afectar. Vai perceber Dinheiro: Não se deixe abater por uma maré melhorar significativamente. Continue a
- Geografia, mãe.
que afinal não era nada assim tão grave. menos positiva nesta área da sua vida. Analise as demonstrar o seu dinamismo. Não adie decisões - Então diz-me: onde fica Angola?
Dinheiro: O seu orçamento poderá sofrer um suas poupanças. Poderá sentir necessidade de importantes e urgentes. Seja firme.
acréscimo significativo. Porém, seja contido nos mudar de emprego ou de actividade profissional. Número da Sorte: 59 - Na pagina 83, mãe.
gastos. Pense bem no que é melhor para si. Números da Semana: 5, 6, 16, 14, 15, 40
Número da Sorte: 18 Número da Sorte: 35 Dia mais favorável: sábado •••
Números da Semana: 2, 4, 1, 15, 14, 18 Números da Semana: 9, 6, 3, 2, 25, 45 Lema da Semana: Estou seguro de que consigo
Dia mais favorável: quarta-feira Dia mais favorável: quarta-feira lidar com todos os desafios que a vida me traga.
Lema da Semana: Evito criar falsas ilusões Lema da Semana: Tenho o poder sobre as Horóscopo Diário Ligue já! 760 30 10 21 A professora aponta para o mapa e diz:
concentrando-me no presente. minhas emoções. - Hoje vamos até à África do Sul...
Horóscopo Diário Ligue já! 760 30 10 13 Horóscopo Diário Ligue já! 760 30 10 17
Diz o Zezinho:
Caranguejo Escorpião Peixes - Ó professora, espere só um
21-6 a 22-7 23-10 a 21-11 19-2 a 20-3 bocadinho que eu tenho de
Carta Dominante: 5 de Paus, que significa Carta Dominante: O Eremita, que significa Carta Dominante: O Imperador, que significa avisar a minha mãe!
Fracasso. Procura, Solidão. Concretização.
Amor: Modere as suas palavras pois pode Amor: O encontro com um desconhecido e uma Amor: Período favorável à conquista. Encha-se •••
magoar a pessoa amada. Seja mais cuidadoso. insinuante troca de olhares podem ser o ponto de de coragem e diga aquilo que sente. Siga em
Saúde: Procure não exagerar no exercício físico, partida para algo muito prometedor. A felicidade e a frente e lute para alcançar os seus objectivos.
pois poderá magoar os seus músculos. paixão poderão marcar a sua semana. Aproveite Saúde: Cuidado com alergias, pois o seu sistema Na escola, a professora pergunta ao
Dinheiro: É possível que durante esta semana se muito bem esta fase. respiratório poderá estar muito frágil.
sinta um pouco desmotivado. Trace objectivos Saúde: Cuidado com as correntes de ar; durante Dinheiro: Seja ousado e não hesite em revelar Zezinho:
para o seu trabalho, vai ver que conseguirá obter esta semana poderá constipar-se facilmente. as suas ideias criativas. Poderá ser útil para o seu - Zezinho, eu tenho sete laranjas
melhores resultados. Dinheiro: Poderá precisar da ajuda de um colega para desenvolvimento profissional.
Número da Sorte: 27 finalizar uma tarefa importante. Não tema pedir apoio. Número da Sorte: 4 nesta mão e oito na outra. O que
Números da Semana: 10, 20, 3, 9, 41, 44 Número da Sorte: 9 Números da Semana: 20, 10, 3, 6, 45, 44
Dia mais favorável: sexta-feira Números da Semana: 2, 25, 14, 17, 18, 19 Dia mais favorável: segunda-feira
é que eu tenho?
Lema da Semana: Faço de cada fracasso o Dia mais favorável: quarta-feira Lema da Semana: Tenho o poder e o - Mãos grandes!...
ponto de partida para um novo sucesso. Lema da Semana: As respostas que procuro estão conhecimento necessários para concretizar os
Horóscopo Diário Ligue já! 760 30 10 14 dentro de mim. meus projectos.
Horóscopo Diário Ligue já! 760 30 10 18 Horóscopo Diário Ligue já! 760 30 10 22
Já • Quinta-feira 4 Novembro 2010 • 19

cachupada
Telenovelas PALAVRAS CRUZADAS
RECORD • Ribeirão do Tempo
Horizontais:
1 – Chucha; Molesta.
2 – Revelem; Escavar.
3 – Laço apertado; Anel de metal ou
de madeira.
4 – Este objecto; Elemento de
formação de palavras, de origem
grega que exprime a ideia de
“corrente”; Pref designando
“intensidade”.
5 – Encaram; Goste de.
6 – Errai; Embarcações de recreio, de
motor ou de velas.
7 – Flanco; Frente.
Ajuricaba obriga Sérgio a beijar Sônia 8 – Até; Pau-ferro; Apêndices.
9 – Opiniões; Sorri.
A juricaba obriga Sérgio a beijar Sônia na sua frente. Ele dá-lhe um bei-
jinho e consegue ir embora. Guilherme e Diana divertem-se no com-
putador, quando Arminda chega e briga com a estudante. Nicolau e Karina
10 – Balbúrdia; Querida.
11 – Ignorante; Decorrera.

encontram-se e se beijam. Tito conta a Newton, Clorís, Virgílio e Iara que o Verticais:
empréstimo vai estar disponível no dia seguinte. Virgílio tenta disfarçar a 1 – Expulsa; Moeda açoriana
frustração. Arminda fica irritada ao ver Diana a beber um copo de sumo na correspondente a um escudo.
sala, enquanto ela esperava-a para conversar. Diana deixa Arminda a falar 2 – Vazios; Edificar.
sozinha e, sarcástica, diz que tem tarefas para cumprir. Arminda deixa claro 3 – Sincero; Lura; Ião.
a Diana que está de castigo e que Elza vai levá-la e buscá-la no colégio. 4 – Sova; Essa coisa.
5 – “Césio” (s.q.); Imóvel.
Sérgio conta a André que foi obrigado a beijar Sônia. Ajuricaba diz a
6 – Gostara de; Osar.
Virgínia que vai descobrir o que há de errado no namoro de Sônia e Sérgio.
7 – Sanais; Pedra de moinho.
Nicolau e Karina fazem amor no motel. Karina diz a Nicolau que o casa- 8 – Sem tardança; Retranca franjada
mento de Tito e Filomena vai ficar abalado se uma notícia sobre o golpe do das bestas. AMADAS. 11 – ASNO; ROLARA.
baú sair no jornal. Querêncio diz a Filomena que não vai desenhar os con- 9 – Simpatia; Nome pessoal 7 – ALA; ROSTO. 8 – TE; ITU; ASAS. 9 – AVISOS; F; RI. 10 – CAOS;
vites, pois não concorda com o casamento. Filomena vai-se embora triste. masculino; Oferece. ARGOLA. 4 – ISTO; REO; AB. 5 – OLHAM; AME. 6 – PECAI; IATES.
Joca revela a Arminda que tudo indica que quem tentou matá-lo foi o pro- 10 – Espécie de paio feito de lombo e Horizontais: 1 – BONECA; LESA. 2 – ACUSEM: OCAR. 3 – NO; M;
fessor Flores. Joca afirma que sabe o que vai fazer e beija Arminda. Diana entremeado de presunto; Lavrar. Soluções:
liga a Guilherme e ele diz que ela tem que obedecer Arminda. Léia chega 11 – Referentes à Arábia; Imposto de
em casa, vê Arminda e as duas trocam farpas. Iara diz a Virgílio que precisa transmissão.
de dinheiro para pagar a parcela da casa que comprou para a mãe. Joca vai
até a casa de Mário, um antigo amigo que mora na favela.

SIC • Passione Boa Mesa Farmácias


de serviço
Casinha Velha Praia
Degustações tertulianas 05/11 – Farmácia Santo
António
06/11 – Farmácia
Africana
07/11 – Farmácia
Avenida
08/11 – Farmácia Santa
Jessica manda prender Agostina Isabel
09/11 – Farmácia
B ete recusa em acreditar que Saulo possa ter roubado a própria empre-
sa. Gerson não aceita a proposta de Saulo. Clô sofre com a família que
está contra ela. Jéssica acusa a madrasta pelo que aconteceu entre ela e
Universal
10/11 – Farmácia 2000
Agostina e tenta expulsá-la da sua casa. Berilo confessa a Jackie que está
11/11 - Farmácia
penalizado com a situação de Clô. Totó consola Adamo, que sofre por causa
de Francesca.
Gerson conta a Bete sobre a proposta de Saulo e as humilhações de Melina
U ma das referências gastronómi-
cas da Cidade Velha, Ribeira
Grande de Santiago, é, sem dúvida, a
montanha, nove “eleitos” por simpáti-
co convite da Alita, degustaram
sabores de Ricardo Silva, chef por-
Moderna
12/11 – Farmácia Central
contra Diana. Mauro entrega os balancetes da empresa para o auditor de Casinha Velha - o simpático restau- tuguês que reside na Alemanha.
Cavarzere. Kelly incentiva Fátima a lutar para ficar com Sinval. Lorena rante da Alita, famoso pela Sopa de Foi variado o repasto: do “Cardinal”
destrata Stela. Fátima chega com Agnello, Kelly e Alfredo no velódromo. Peixe e a Cachupa, iguarias de fazer (aperitivo de baixo teor alcoólico) à S. Vicente
Boca ameaça Danilo. Mônica manda os seguranças tirarem Fátima do veló- água na boca… entrada, uma “Busqueta Tradicional”,
05/11 – Farmácia
dromo e as duas se desentendem. Telma avisa a Lorena que Stela foi emb- Mas esta pequena catedral de saberes passando pelo “Carpaccio de Vitela
ora e a estudante avista Agnello. Sinval procura Fátima. e sabores, situada no Calhau, na praça com Molho de Atum”, a “Esparguete à Avenida
Totó pensa em Felícia e procura-a. Adamo preocupa-se com Agnello ao de onde emerge o edifício da Câmara, Pescador”, os “Rolinhos de Fiambre 06/11 – Farmácia Leão
saber que ele esteve com Stela. Antero pensa em levar Benedetto para tra- reserva-nos outras surpresas. É que, com Queijo di Terra Provincial” e, 07/11 – Farmácia Nena
balhar como jardineiro na sua casa. Brígida vai ao quarto de Diógenes e fica por várias vezes, o restaurante foi para rematar, “Tiramisu à Chefe”.
08/11 – Farmácia Higiene
nervosa ao se deparar com Antero. Fortunato apresenta Mimi e Benedetto a palco de inesquecíveis experimen- Degustações à parte, a tertúlia fez-se
Candê. Berilo visita Agostina. Fred ouve Mauro acusando Saulo de estar a tações gourmet. E, mais uma vez, noite dentro num clima de empatias, 09/11 – Farmácia Jovem
roubar a metalúrgica. Totó leva Felícia para jantar na cantina onde Clara tra- aconteceu. Foi no passado domingo conversas e cumplicidades. E todos 10/11 - Farmácia Mindelo
balha. que, embalados pelo vento suave da ficamos gratos à Alita!
Já SEMANÁRIO GRATUITO

bai-bai
Quinta-feira 4 Novembro 2010
Escreva-nos:
semanarioja@gmail.com

Bebé Ao marcar o seu primeiro golo oficial pelo Manchester, na passada


semana, frente ao Wolverhampton, com a dança crioula junto à
linha de fundo enquanto sorria à plateia para comemorar o tento,
fidju di Cabo Verde Bebé (ou Tiago Correia de seu nome próprio) demonstrou não ter
esquecido as suas raízes cabo-verdianas - aquele tique de dança em
jeito de funaná, alegre, movimentado e brincalhão: como se fosse o
culminar de suprema ambição, à maneira calejada de um povo que
luta no duro por um futuro melhor, fazendo-o a sorrir perante a
adversidade. Talvez, na altura da comemoração, Tiago se tivesse lem-
brado de quando, então menino de rua deixado à sua sorte num bair-
ro pobre em Agualva, Cacém, dava pontapés em latas que serviam da
redondinha, e convivia de perto, muito perto, com a marginalidade.

De menino de rua
a estrela da bola de uma sociedade pretensamente do a vida de marginal. De es- bom nível, cinco golos em 11

D
o passado de Bebé Conseguido o
rezam pouco as cróni- desenvolvida e solidária que deixa calonado para a seleção portugue- jogos de preparação, e as indi-
cas de vida. Sabe-se crescer estas sementes de violência sa dos Sem Abrigo, que disputou estrelato, Bebé cações dadas por Carlos Queirós a
apenas que o nominho em seu redor. Salvou-o da queda um Mundial em Milão, Itália (on- tornou-se o ídolo da Ferguson, o treinador dos Red
se deve à “intervenção” do irmão no mundo marginal (ele próprio de Portugal foi vice-campeão), Devils, serviram para despertar o
chegou a dizer ao padre director da passou pelos juniores do Loures e
instituição que o interesse do Manchester, que apre-
Ricardo, dois anos mais velho:
Tiago Correia estava deitado no instituição que o acolheu que se do Estrela da Amadora, até que, acolheu, orgulhosa do sentou uma proposta das arábias: 9
berço, quando Ricardo decidiu não fora esse “milagre”, nos dias aos 17 anos, subiu à equipa princi- sucesso do seu milhões de euros (900 mil contos
chamar-lhe, carinhosamente, “be- de hoje poderia estar preso) a pal do clube da Reboleira para dis- CV).
bé” por se ter esquecido momenta- Comissão de Protecção de Me- putar a II divisão. Ganhava então pupilo, agora visitada Conseguido o estrelato, Bebé
neamente do seu nome ou porque nores ao tirá-lo, com apenas dez 1300 euros por mês (cerca de 130 por supostos tornou-se o ídolo da instituição que
acharia mais simpático dirigir-se anos de idade, da casa da avó, Ilda contos CV). Olheiros do Gui- o acolheu, orgulhosa do sucesso do
Romana - já que os pais se desin- marães caíram em cima daquele
familiares da nova seu pupilo, agora visitada por
dessa forma ao codé da família.
Seria premonição para todo o sem- teressaram precocemente da sua menino fisicamente robusto e com estrela do futebol supostos familiares da nova estrela
pre. sorte - encaminhando-o para a um poder de drible notável, a dar mundial, do futebol mundial, proclamando o
Casa do Gaiato de Santo Antão, ares de um outro futebolista, Nani, seu estatuto de “irmão do cabo-ver-
Receou a cadeia Loures. agora seu colega no Manchester proclamando o seu diano”. Mas podem tirar “cava-
O futuro do menino Tiago poderia Na Casa, criada com amor pelo United - curiosamente, outro filho estatuto de “irmão linho da chuva”: para quebrar a sua
ter sido igual ao de muitas outras Padre Américo, onde cerca de 80 dos bairros pobres da Amadora e solidão, Tiago apenas pensa levar
crianças das famílias de segunda crianças (muitas delas de origem também descendente de cabo-ver-
do cabo-verdiano” para Manchester os seus avós ca-
geração, cabo-verdianas, moçam- cabo-verdiana) como o Tiago dianos. buto do seu empresário Luís Alves, bo-verdianos. Precisamente aque-
bicanas, angolanas ou guineenses aprendem a valorizar-se e a dar um que lhe ofereceu um Mercedes les que carregaram a cruz de lutar
que pululam e crescem em «gue- novo rumo à vida, correu atrás do O Mercedes que aguarda topo de gama, que continua na pela sua sobrevivência. Um final
tos» dos arredores de Lisboa, os seu sonho de futebolista, fazendo na garagem garagem do futebolista, a aguardar feliz de um enredo digno de conto
preconceituosamente chamados alarde do jeito natural para O desejado salto para a cidade- que Bebé obtenha a carta de con- de fadas. Uma atitude digna de um
«bairros problemáticos», no limbo driblador… ele que havia já finta- berço só aconteceu com o contri- dução. Uma pré-temporada de menino que se fez homem.