Você está na página 1de 5

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS

INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS, COMUNICAÇÃO E ARTES


PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA
DISCIPLINA: TEORIA E METODOLOGIA DA HISTÓRIA – 60H
PROFESSOR: ELIAS FERREIRA VERAS
2019.1

Ementa:

A disciplina discutirá as múltiplas possibilidades teórico-metodológicas mobilizadas


na produção historiográfica contemporânea. Destaca-se o diálogo entre os campos da
História Social e História Cultural, suas abordagens, métodos, domínios, conceitos,
categorias e escrita.

Objetivo:

Debater as possibilidades teórico-metodológicas da História Social e da História


Cultural a partir da discussão de categorias basilares desses dois campos
historiográficos.

Metodologogia:

Foram selecionados dois textos básicos e um complementar, que representam


abordagens da História Social e da História Cultural, interseccionadas por outras
disciplinas, como a filosofia, a antropologia, a literatura, a sociologia, a psicanálise
etc. Espera-se que os/as alunos/as problematizem os conceitos e categorias,
observando os paradigmas historiográficos que orienta os mesmos.

Avaliação:

Apresentação de textos e produção de fichamentos (Apresentação (nota de 0 a 5);


Fichamentos (nota de 0 a 5));

Resenha de uma obra publicada nos últimos três anos, relacionada ao tema de
pesquisa do/a aluno/a (nota de 0 a 10);

Trabalho final (ensaio) em que o/a aluno/a consiga articular o seu objeto de trabalho
com a discussão realizada na disciplina; (nota de 0 a 10);

As notas serão somadas e divididas por três.

Cronograma e Plano de Leituras/Atividades

Sessão 01 (26 de março)

Apresentação do Plano do Curso e das pesquisas de cada aluno/a.

Sessão 02 (02 de abril)- A operação historiográfica

CERTEAU, Michel de. A operação historiográfica In: _______. A escrita da historia.


Rio de Janeiro: Forense-Universitária, 1982, pp. 65- 119.
Leitura complementar: JENKINS, Keith. “O que é a História?”. In: _______. A história
repensada. São Paulo: Contexto, 2001, pp. 23-52.

Sessão 03 (09 de abril) - A lógica histórica

THOMPSON, E. P. Intervalo: A lógica histórica. In: ______. A miséria da teoria. Rio


de Janeiro: Zahar, 1981, pp. 47-61.

VEYNE, Paul. Tudo é histórico, logo, a história não existe. In: ___. Como se escreve
a História. Brasília: Editora Universidade de Brasília, pp. 25-39.

Leitura complementar: MUNSLOW, Alun. História como desconstrução. In: ________


Desconstruindo a história. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2009, pp. 81-106.

Sessão 04 (16 de abril) – Enredo e Verdade

WHITE, Hayden. Enredo e verdade na escrita da história. In: MALERBA, Jurandir. A


História Escrita: teoria e história da historiografia. São Paulo, Contexto, 2006, pp.
191-211.

GINZBURG, Carlo. O extermínio dos judeus e o princípio da realidade. Enredo e


verdade na escrita da história. In: MALERBA, Jurandir. A História Escrita: teoria e
história da historiografia. São Paulo, Contexto, 2006, pp. 211-133.

Recesso 23 a 06 de maio

Sessão 05 (07 de maio) - Experiência


(Aluno/a responsável: Aline Oliveira da Silva)

THOMPSON, E. P. O termo ausente: experiência. In: ________. A miséria da teoria.


Rio de Janeiro: Zahar, 1981, pp. 180-200.

SCOTT, Joan W. A invisibilidade da experiência. Projeto História. São Paulo, 1998,


pp. 297-325.

Leitura complementar: KOSELLECK Reinhard. “Espaço de experiência” e “Horizonte


de expectativa”: duas categorias históricas. 305-328. In: ______. Futuro passado.
Contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Editora PUC Rio,
2006, p. 305-327.

Sessão 06 (14 de maio) – Estratégia e Tática. Poder e resistência


(Aluno/a responsável: Leonardo Oliveira Amaral)

CERTEAU, Michel de. Fazer com: Usos e táticas: A invenção do cotidiano 01: Artes
de fazer. Petrópolis: Vozes, 1998, pp. 91-108.

FOUCAULT, Michel. O sujeito e o poder. In: DREYFUS, H.; RABINOW, P. Michel


Foucault – uma trajetória filosófica: para além do estruturalismo e da
hermenêutica. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1995, pp. 231-249.

Leitura complementar: THOMPSON, E. P. A economia moral da multidão inglesa no


século XVIII. In: Costumes em comum. Estudos sobre a cultura popular tradicional.
São Paulo: Companhia das Letras, 1998.
Importante: Neste dia, cada aluno/a apresentará a obra a ser resenhada.

Sessão 07 (16-17 de maio)

Participação da Turma no II Colóquio Diálogo Interdisciplinares sobre Gênero, Raça e


Sexualidade (UFAL).

Sessão 08 (21 de maio) – Discurso I


(Aluno/a responsável: Vanessa da Silva Elisa Correia)

FOUCAULT, Michel. As regularidades discursivas. In: ________. Arqueologia do


Saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008, pp. 21-86.

BOURDIEU, Pierre. Linguagem e poder simbólico. In: A economia das trocas


linguísticas: o que falar quer dizer. São Paulo. EDUSP, pp. 81-128, 2008.

Leitura complementar: BARTHES, Roland. O discurso da história. In:__________. O


rumor da língua. São Paulo: Martins Fontes, 2004, pp. 163-180.

Sessão 09 (28 de maio) – Discurso II


(Aluno/a responsável: Jadson Ramos de Queiroz)

PECHEUX, Michel. O discurso. Estrutura ou acontecimento. Campinas: Pontes, 2012


(Todo o livro)

FOUCAULT, Michel. A ordem do discurso. São Paulo: Edições Loyola, 1996. (Todo o
livro)

Leitura complementar: BARTHES, Roland. O efeito de real. In: _________. O rumor


da língua. São Paulo: Martins Fontes, 2004, pp. 181-190.

Sessão 10 (04 de junho) - Representação


(Aluno/a responsável: Ana Maria Ferreira de Oliveira)

CHARTIER, Roger. O mundo como representação. In: ________. À beira da Falésia: A


História entre certezas e inquietude. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, 2002,
pp. 61-80.

GINZBURG, Carlo. A palavra, a ideia, a coisa. In: _________. Olhos de madeira. Nove
reflexões sobre a distância. São Paulo: Companhia das Letras, 2001, pp. 85- 103.

Leitura complementar: PITKIN, Hanna Fenichel. Representação: palavras, instituições


e ideias. Lua Nova, São Paulo, 67, 2006, pp. 15-47.
Sessão 11 (11 de junho) - Imagem
(Aluno/a responsável: Krystila Andressa Costa da Silva)

Didi-Huberman, G. Quando as imagens tocam o real. Pós – Revista do Programa de


Pós-graduação em Artes da Escola de Belas Artes da UFMG, 2(4), 2012, pp. 204-
219.

BURKE, Peter. O testemunho das imagens; Estereótipos do outro; Poder e Protesto;


In: __________. Testemunha ocular. História e Imagem. Bauru, SP: Edusc, 2004, pp.
11-24; 73-98; 153-174.

Leitura complementar: MAUAD, Ana Maria. Imagens em fuga: considerações sobre


espaço público visual no tempo presente. TEMPO E ARGUMENTO, v. 10, p. 252-285,
2018.

Sessão 12 (18 de junho) – Gênero


(Aluno/a responsável: José Edson da Silva Junior).

NICHOLSON, Linda. Interpretando o gênero. Revista Estudos Feministas, v. 8, n. 2,


p. 9-41, 2000.

SCOTT, Joan W. Gênero: uma categoria de análise histórica. Educação e Realidade,


Porto Alegre, v.16, n.2, p.5-22, jul/dez., 1990.

Leitura complementar: PEDRO, Joana Maria. Traduzindo o debate: o uso da categoria


gênero na pesquisa histórica. História, vol.24, n.1, p.77-98, 2005.

Sessão 13 (25 de junho) – Interseccionalidade


(Aluno/a responsável: Igor Ribeiro dos Santos).

CRENSHAW, Kimberlé Williams. Cartografiando los márgenes Interseccionalidad,


políticas identitarias, y violencia contra las mujeres de color. In: PLATERO, Lucas
(ed.). Intersecciones: cuerpos y sexualidades en la encrucijada. Barcelona:
Editorial Bellaterra, 2012, pp. 87-122.

Collins, Patrícia Hill. Aprendendo com a Outsider Within: a significação sociológica do


pensamento feminista negro. Estado e Sociedade, v. 31, n.1, pp. 99-127, 2016.

Leitura complementar: AKOTIRENE, Carla. O que é interseccionalidade? Belo


Horizonte: Letramento, 2018 (Todo o livro).

Sessão 14 (02 de julho) – Espaço


(Aluno/a responsável: Felipe dos Santos Silva).

ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz. Introdução; Geografia em ruínas. In: ________.


A invenção do nordeste e outras artes. São Paulo: Cortez, 2011, pp. 29-77.

HARVEY, David. A experiência do espaço e do tempo. In: ______ Condição Pós-


Moderna. São Paulo: Edições Loyola, 2017, pp. 185-289.
Leitura complementar: KOSELLECK, Reinhart. Espaço e História. In: ______. Estratos
do tempo. Estudos sobre História. Rio de Janeiro: Contraponto, 2014, pp. 73-90.

Sessão 15 (09 de julho) – Memória


(Aluno/a responsável: Felipe Garzon Serna).

JELIN, Elizabeth. Do que hablamos quando hablamos de memoria. In. JELIN,


Elizabeth. Trabajos de la memoria. Madri: Siglo XXI, 2002, pp. 17-38.

SEIXAS, Jacy Alvez de. Percursos de memórias em terras de história: problemáticas


atuais. In: BRESCIANI, Stella e NAXARA, Márcia. Memória e (Res) Sentimento.
Indagações sobre uma questão sensível. Campinas: Unicamp, 2004, pp.37-58.

Leitura complementar: POLLAK, Michel. Memória, Esquecimento, Silêncio. In:


Estudos Históricos, Rio de Janeiro, vol. 2, n.3, 1989, pp. 3-15.