Você está na página 1de 174

AÇÃO DO ÁCIDO SALICÍLICO NA ACNE VULGAR

https://pt.scribd.com/document/355109864/Acao-Do-Acido-Salicilico-Na-Acne-Vulgar

Acne

1. Introdução

Cravos, espinhas, cistos, caroços, cicatrizes e em alguns casos manchas


permanentes. Não chamamos uma única espinha de acne, mas, sim, o conjunto dessas
manifestações muito comuns na adolescência, mas que pode continuar durante toda a
vida adulta se não diagnosticada corretamente.

O maior responsável pelo aparecimento da acne é sem sombra de dúvida, a


glândula sebácea, que produz a oleosidade da pele. Durante a infância esta glândula
permanece inibida, pequena, e não produz nenhum sebo, razão pela qual as crianças
têm pele lisa, homogênea e sem oleosidade, a popularmente chamada “pele de Bebê”.

No entanto, a acne aparece na puberdade induzida pelo início da produção de


hormônios femininos (estrógenos) e masculinos (andrógenos). Nas moças, a acne é
mais frequente dos 14 aos 17 anos. Nos rapazes, pode chegar um pouco mais tarde,
com maior frequência entre os 16 e 19 anos, afirma a Sociedade Brasileira de
Dermatologia Estética. Mas, na maioria dos casos a acne se resolve espontaneamente
na segunda década da vida. Com pontuais exceções: algumas pessoas continuam
apresentando os sintomas durante a vida adulta, até cerca dos 35 anos.

Aparece com maior frequência no rosto, peito e dorso, onde o número de


glândulas sebáceas é maior em razão da presença dos folículos pilosos que se
concentram nessa região. Desenvolve-se em pessoas com tendência hereditária; isto
significa que um jovem, cujo pai e mãe tiveram acne, a chance de apresentar o mesmo
problema é alto. No entanto muitos outros fatores devem ser considerados quando se
estuda os motivos que levam ao aparecimento da acne e tais fatores serão discutidos
no decorrer desse trabalho.

De fato, a acne é uma doença dermatológica que precisa ser tratada


independentemente da idade da pessoa. Espremer e cutucar deve ser evitado, assim
como o uso de produtos caseiros ou desconhecidos. Não se deve também acreditar em
soluções milagrosas, pois elas só pioram o quadro ou ainda causam novos problemas
como processos alérgicos, por exemplo.

Conforme o grau e a intensidade da acne, o tratamento se dá por via oral ou


local, dependendo de uma avaliação criteriosa da esteticista e em alguns níveis apenas
o dermatologista deverá ser consultado.
A acne não é um “bicho-de-sete-cabeças” e, quando tratada a tempo, não evolui
para danos maiores. É importante lembrar que uma pele bem cuidada é sinônimo de
saúde.

2. Conceito.

A acne é uma doença da pele muito frequente que ocorre devido à obstrução
dos folículos pilossebáceos. Essa obstrução pode ser ocasionada pelo excesso de sebo
produzido por glândulas sebáceas e também pela presença de células mortas. O
acúmulo causa inflamação da pele e esse ambiente pode propiciar o aparecimento e
crescimento de bactérias, principalmente a Propioniumbacterium acnes.

3. Graus.

A acne é uma doença que acomete os folículos pilossebáceos. A hiperatividade


das glândulas sebáceas é o principal fator na formação da acne. Esta produção
exagerada de sebo misturada a outras substâncias forma um tipo de "tampão" que
provoca a obstrução do "poro", osteo. Assim, é impedida a saída natural das células
mortas e bactérias que normalmente aí se encontram. As alterações hormonais que
ocorrem na puberdade, principalmente o aumento do hormônio masculino (androgênio),
são uma das principais causas da produção excessiva de sebo.

Outro fator importante, é a hiperqueratinização, ou seja a produção excessiva de


células mortas contendo uma substância chamada queratina. Essas células unem-se
ao sebo colaborando na obstrução dos "poros".

O resultado de todos estes fatores é a formação de pequenos pontos brancos


ou negros na pele, denominados "comedões". A medida que a glândula continua a
secretar sebo e a via de saída está obstruída, as paredes laterais da glândula dilatam-
se. O "comedão" transforma-se, então, em espinha quando ocorre uma reação
inflamatória.

Até aqui a acne é leve, com poucos sinais inflamatórios, é a chamada acne
comedoniana ou grau I.

Com a obstrução do "poro" pode ocorrer proliferação bacteriana dentro da


glândula sebácea, resultando em inflamação importante e infecção dentro e ao redor
dos folículos pilossebáceos. Esta formação recebe o nome de pápula e quando possui
secreção purulenta é uma pústula. A presença de pápulas e pústulas superficiais e
profundas caracteriza, respectivamente, a acne pápulo-pustulosa superficial (grau II) e
profunda (grau III).

4.Tipos de acne:

Acne vulgaris (Acne Comum):


A acne vulgaris é caracterizada pela presença de comedões, pápulas, pústulas,
quistos e nódulos na face, pescoço, tronco e ombros. É típica nos adolescentes, e
apresenta-se com diversos graus de gravidade.

Acne comedônica:

Forma da acne onde predominam os cravos, tanto os brancos quanto os pretos.


Podem existir raras pápulas ou pústulas. Esta é a forma mais leve da doença.

Acne Pápulo-Pustulosa:

Grande número de comedões, muitos deles inflamados. Não aparecem lesões


com pus, ou quando surgem são em pequenas quantidades.

Acne atrófica:

Uma acne pápulo-pustulosa muito intenso, que evolui deixando pequenas


cavidades e cicatrizes na pele.

ACNE CONGLOBATA (CONGLOBATO = BOLAS OU MASSAS


REDONDAS):

Caracteriza-se pela presença de numerosos cravos de grande dimensão,


grandes abscessos com fístulas que se comunicam entre si, cistos e nódulos
inflamatórios. A supuração (processo de formação de pus), é bastante comum e
abundante. Por vezes, este tipo de acne está associado a outras doenças,
aparentemente devido a um mau funcionamento do sistema imunitário.

O tratamento mais comum é a medicação com isotretinoína. Pode também ser


usados a prednisona e a Dapsona. Os antibióticos, tais como a tetraciclina ou
a eritromicina podem também ser prescritos. E por fim uma opção alternativa é o
tratamento com a terapia laser de dióxido de carbono ( laser CO2), seguida por uma
terapia com tretinoína tópica (ácido retinóico).

ACNE PRÉ-MENSTRUAL:
Este tipo refere-se a lesões de acne que aparecem ou pioram durante o período
anterior à menstruação nas mulheres (período pré-menstrual). Surge devido a
alterações hormonais que ocorrem neste período do ciclo menstrual.

ACNE NEONATAL OU O ACNE DO RECÊM NASCIDO (BEBÊ):

Define-se por Lesões pápulo-pustulosas que aparecem em pequenas


quantidades no rosto nas primeiras 48-72 horas de vida. Aparentemente
está relacionada com a progesterona materna (um hormônio esteróide produzido pelo
corpo lúteo e pela placenta durante a gravidez) no sangue do recém-nascido.

ACNE QUELÓIDE (ACNE QUELOIDEANO):

Caracteriza-se pelas cicatrizes residuais se tornarem espessas, formando


quelóides . É mais comum em pessoas de raça negra e oriental.

Quelóides são lesões da pele formadas por um crescimento excessivo de tecido


cicatricial no local de uma lesão da pele, que podem ser causados não só pela acne
como por incisões cirúrgicas, feridas de vacinação,queimaduras, varicela, radiação ou
mesmo devido a pequenos arranhões.

ACNE TROPICAL:

Variedade de acne especialmente intensa que ocorre em regiões tropicais, com


clima quente e úmido. Caracteriza-se por afetar predominantemente as costas, nádegas
e coxas.

ACNE DE CONTATO:

Deve-se ao contato com a pele, de forma voluntária ou involuntária, de


substâncias que promovem a formação de comedões (cravos). Este é o caso dos
trabalhadores em alguns sectores industriais que estão em contacto com
hidrocarbonetos clorados (organoclorados), petróleo ou resinas. É também o caso da
utilização de cremes, maquiagem, óleos, filtros solares e todos os cosméticos que
causam e pioram a acne (acne cosmética).
ACNE IATROGÉNICA (MEDICAMENTOSA):

É originada como consequência dos efeitos secundários de alguns fármacos


(RAM (reação adversa ao medicamento). O exemplo típico são os
medicamentos corticosteróides (acne por esteróide), mas pode ser desencadeada por
outras drogas, tais como os anabolizantes (esteróides androgênicos anabólicos),
brometos, glicocorticóides, iodetos, isoniazida ou por contraceptivos orais.

ACNE ROSÁCEA:

Embora durante muitos anos tenha sido considerada como uma forma de acne,
as suas características clínicas e anatomopatológicas são suficientes para ser
considerada uma entidade separada: a rosácea: A rosácea é uma doença comum
e crónica, caracterizada por vermelhidão na zona central do rosto com exacerbações e
remissões periódicas. Quando a rosácea progride, podem desenvolver-se outros sinais
e sintomas como eritema semi-permanente, telangiectasia, pápulas, pústulas, olhos
vermelhos, ardor e coceira (prurido). Em alguns casos produz-se um engrossamento da
pele, especialmente notório e característico quando afeta o nariz (rinofima).

ACNE CÍSTICA (NÓDULO-CÍSTICA):

Esta é a forma mais severa de acne com cravos (comedões), pápulas e pústulas
e, especialmente, nódulos inflamatórios, abscessos dolorosos endurecidos e cistos com
crostas ocasionais com sangue.

5. Causas.

A acne ocorre em áreas onde existe maior número de glândulas sebáceas:

 Face

 Tórax

 Ombros

 Dorso

O fator psicológico ocasionado pela acne é muito importante devido ao aspecto


estético desagradável e possíveis sequelas.

As alterações hormonais são uma das causas mais comuns do aparecimento


das espinhas, embora o estresse também seja um desencadeador do problema. Outras
possíveis causas do aparecimento das espinhas são:
 Não limpar a pele corretamente, deixando a oleosidade formar os comedões
(cravos)

 Usar maquiagem de má qualidade ou com prazo de validade vencido

 Usar cremes muito gordurosos, especialmente no rosto

 Ter uma alimentação rica em gorduras, frituras e refrigerantes

 Usar protetor solar que não seja adequado para peles acneicas

 Ter a síndrome dos ovários policísticos

 Reação adversa a algum medicamento

 Fatores genéticos

 Exposição solar

Os indivíduos que têm tendência a ter a pele acneica devem ter muito cuidado
com a alimentação, dando preferências a frutas, legumes e verduras. Além de evitar
todos os fatores acima citados.

6. Tratamentos.

A acne é uma doença de predisposição genética, cujas manifestações


dependem da presença da elevação de hormônios. Com o aumento da secreção
sebácea associada ao estreitamento e obstrução da abertura do folículo pilo sebáceo,
dando origem aos cravos abertos e fechados. Estas condições favorecem a proliferação
de micro-organismos que provocam a inflamação das espinhas, sendo o
propionibacterium acnes o agente infeccioso mais comumente envolvido.

O tratamento da acne deve ser orientado por médicos e esteticistas. Na maioria


dos casos a limpeza de pele é o tratamento mais indicado e o inicial podendo ser
indicado outros tratamentos posteriores conforme a necessidade do paciente – cliente.

A limpeza de pele sempre é executada de maneira tradicional atuando como as


variam fases de emoliência, esfoliação, extração, desincrustação e outros. Esta tem
finalidade de desobstruir os poros, óstios e limpar a pele em profundidade.

O tratamento pode ser feito com medicações de uso local, para a desobstrução
dos folículos e o controle da proliferação bacteriana e da oleosidade. Em alguns casos
pode ser usados medicamentos via oral, dependendo da intensidade do quadro
geralmente antibióticos para controlar a infecção. Limpeza de pele tem ação importante
para o esvaziamento de lesões não inflamatórias (cravos) evitando a sua transformação
em espinhas.

O tratamento cosmético da pele acnéica tem como mecanismos principais a


promoção na redução da atividade das glândulas sebáceas e remoção do excesso de
queratinização tecidual, o controle da proliferação microbiana e a limpeza ou
desengorduramento da pele, utilizando-se assim produtos com substâncias ativas
citostáticas, queratolíticas, antimicrobianas e detergentes. Em alguns casos os ativos
utilizados atuam por mais de um desses mecanismos citados, apresentado nesses
casos atividade sinérgica.

A substâncias ativas para o tratamento da acne devem ser incorporadas em


veículos cuja composição esteja adequada à manutenção do pH natural da pele, à
hidratação cutânea, com uma menor composição oleosa, já que a pele acnéica
apresenta-se associada à seborréia. Sendo assim, dentre os veículos cosméticos mais
utilizados na incorporação de ativos para o tratamento são mais indicados os géis, os
cremes O/A e os géis- creme, sendo as matérias-primas constituintes devem ser não-
comedogênicas e de preferência hipoalergênicas

Outros tratamentos para a acne:

 · Peelings - químicos podem ser superficiais, médios ou


profundos, de acordo com a profundidade que deseja atingir sobre a pele.

 · Laser – a bactéria propioniumbacterium acnes, presente
nos quadros de acne, é extremamente sensível a esta luz, sendo
destruída após aplicações repetidas.

 · Argiloterapia – poder anti - flama tório, anti - fugi Cida,
desintoxicaste nutre a pele e cicatriza as lesões.

 · Drenagem linfática manual - possibilita neutralizar os
efeitos ativantes dos métodos de extração.

 · Cauterizador – acelera a cicatrização da acne com
propriedade antibacteriana.

 · Ionização – aplicação de corrente galvânica, através da
eletroterapia para melhor absorção dos princípios ativos, anti – flama
tórios e secativos.

 · Produtos domiciliares – adequados para cada tipo de grau
da acne, também são muitos importantes no desempenho do tratamento
e o uso de protetor solar regularmente, contribui na prevenção de
manchas.

De maneira geral, o tratamento cosmético da pele com acne deve ser realizado
concomitantemente pela combinação de vários procedimentos, desde medicamentosos
orais e tópicos, passando por procedimentos estéticos e até fisioterapêuticos,
procedendo-se ao uso de aparelhos específicos.

Acessoriamente no tratamento da acne, são utilizados produtos cosméticos para


proteção da pele, tais como o foto protetor, pois a radiação solar em excesso promove
o espessamento da camada córnea e desse modo facilita a obstrução do folículo pilos
sebáceo.
7. Princípios Ativos e suas funções.

Os seguintes ativos cosméticos, entre outros, são indicados para o tratamento e


prevenção da acne:

Calêndula: propriedade emolientes, hidratante, antiinflamatória e anti-séptica, é ativador


da circulação, precursor da vitamina A, adstringente, regenerador da derme e epiderme
e auxilia na restauração de feridas e queimaduras.

Própolis: propriedades antissépticas, antibióticas e anti-inflamatórias

Resorcina: é o melhor tipo de peeling para eliminar cicatrizes e manchas decorrentes


da acne. A pasta com Resorcina não arde muito e provoca a descamação da pele depois
de alguns dias da aplicação, que pode durar de alguns minutos ou até horas, em função
da gravidade do problema e da sensibilidade da pele. Geralmente é necessário fazer
mais de uma sessão . Concentração usual: 30 a 40%.

Enxofre: função principal é a desintoxicação ou eliminação de produtos tóxicos.

Alantoína: calmante e antiinflamatório.

Amodróx Salicílico: esfoliante e evita o aparecimento de novos comedões.

Ácidos: as substâncias queratolíticas mais utilizadas para o tratamento tópico incluem o


ácido azeláico e os hidroxiácidos, como o ácido glicólico e o ácido salicílico.

O alfa e beta hidroxiácidos utilizados em cosméticos são substâncias com pequeno peso
molecular e que apresenta em sua estrutura molecular um grupo carboxila próximo a
uma hidroxila, ou separado desta por apenas um carbono de distância, respectivamente.
O ácido glicólico é um alfa-hidroxiácido, que apresenta atividade queratolítica, hidratante
dependendo do PH da formulação em que esteja veiculado. De maneira geral, em
veículos com pH até quatro apresentam atividade queratolítica, e acima desse valor,
atividade hidratante. No tratamento da acne, a atividade queratolítica é preferida, de
maneira a se promover a desobstrução do folículo pilossebáceo, permitindo a livre
secreção do sebo e desse modo à melhoria dos casos clínicos e inibição do surgimento
de novos comedões.

Cabe salientar que A ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), estipula as


concentrações máximas permitidas em cosméticos para o tratamento da acne, devido
ao risco associado ao uso dessas substâncias.

Acne – Cuidados e tratamentos


por Editor
Gabriela Gomes[1] e Poliana Teixeira[2]
A pele, o maior órgão do corpo humano, é constituída por tecido especializado composto de
epitélio de revestimento comportando três camadas: epiderme, derme e hipoderme. A
epiderme é a primeira linha de defesa contra infecções. A derme, superfície mais grossa,
está localizada abaixo da epiderme e consiste de vasos sanguíneos, folículos capilares,
glândulas sudoríparas, glândulas sebáceas, pequenos músculos e nervos. Sua espessura
varia com a idade e condição física. A hipoderme (tecido subcutâneo) é composta por
células adiposas e, separa a pele da camada muscular subjacente. Esta estrutura garante
uma efetiva barreira mecânica contra invasão de microorganismos, sendo impermeável à
água. O sebo é uma mistura de substâncias lipofílicas. O papel de cada uma destas
substâncias na acne não é totalmente conhecido, mas há evidências de que alterações na
composição ou na quantidade da secreção sebácea alteram tanto a queratinização do ducto
glandular quanto a proliferação bacteriana.

A acne é uma doença inflamatória crônica da unidade pilossebácea. Acome te os folículos


sebáceos, ou seja, as unidades compostas por uma glândula sebácea, que produz o sebo.
Caracterizam-se pela formação de comedões, pústulas ou até nódulos que podem ou não
levar à formação de cicatrizes. Geralmente esta é uma patologia que es tá muito relacionada
à adolescência e seu aparecimento pode corresponder ao início da puberdade pelo aumento
dos hormônios sexuais. Outros fatores como genética, estresse, tabagismo e uso de
medicamentos também podem contribuir. A etiologia da acne esta pr ofundamente
relacionada com a produção de sebo pelas glândulas sebáceas, hiperqueratinização folicular,
colonização bacteriana do folículo e a liberação de mediadores da inflamação no folículo e
derme adjacente. Esta dermatose ocorre principalmente no tóra x e no rosto já que são
regiões do corpo onde esses folículos estão em maior quantidade e por isso, afeta o
paciente em diferentes formas, como no bem estar, timidez, depressão, vergonha, entre
outras. Devido a estes fatores patogênicos, não se pode dizer que a acne é causada apenas
por um grande consumo de chocolate, falta de sexo, frituras, sujeira, etc.

Diante do aumento dos níveis de poluição, mudança de hábitos alimentares das pessoas e
estilo de vida das pessoas este é um tema que muito debatido que a presenta cada vez mais
interesse em relação a métodos de prevenção e tratamento.
Algumas medidas se demonstram muito eficazes não só do ponto de vista da prevenção em
si, mas também no auxílio ao tratamento. Dentre estas podemos relacionar:

 Evitar uso de cosméticos oleosos;


 Lavar o rosto ou a área afetada suavemente com sabonetes para a pele oleosa, como por
exemplo, sabonete de enxofre;
 Hidratar-se bem;
 Remover maquiagem antes de dormir;
 Durma bem;
 Procure não remover as espinhas espremendo-as;
 Evite alimentos gordurosos e ricos em açúcar. Alimente-se bem com vegetais verdes
frescos;
 Evite áreas muito quentes e que favoreça o suor abundante;
 Exercite-se regularmente;
Já em relação ao tratamento, a busca é reduzir o desconforto físico provocado pelas
inflamações, manter a pele com aparência saudável, amenizar e prevenir a formação de
cicatrizes.

Existem muitos produtos disponíveis no mercado para o tratamento da acne, porém vários
causam reações adversas desagradáveis ou não têm comprovação científica. Limpar a pele
com sabonetes adequados, não usar toalhas e esponjas evitando aumentar a irritação na
pele, evitar o uso de esfoliantes e em casos mais graves, o indicado é procurar um
dermatologista.

Os tratamentos podem ser à base de fármacos tópicos (tra tamentos prolongados usados
para acnes moderadas, por exemplo, peróxido de benzoila ou eritromicina), sistêmicos e
físicos. Contudo a fitoterapia é uma das alternativas que vem crescendo e apresentando
novos produtos que se enquadram no tratamento tópico e físico, na qual, princípios ativos
são usados para tratar e amenizar a acne e suas conseqüências. As formas farmacêuticas
mais utilizadas para esses casos são os géis ou loções. A escolha dessa forma varia de
acordo com a pele do paciente, local de aplicação, umidade, entre outros.

Na prática alopática, o tratamento visa desobstruir os folículos e controlar o crescimento


bacteriano e da oleosidade. Este pode ser adotado na forma oral ou sistêmica tendo sua
posologia determinada pelo dermatologista. O mais adotado na atualidade é a Isotretinoína,
que melhora a pele, eliminando a acne e as marcas deixadas por ela. Contudo este é um
medicamento que causa uma série de efeitos colaterais. A Isotretinoína é metabolizada no
fígado, o que contra indica ao paciente a ingestão de álcool durante o tratamento que leva
de 6 a 8 meses.
Pode-se fazer o tratamento usando também ácidos retinóicos, ácido azaláico entre outros.
Esses esfoliam a pele prevenindo a formação da acne. Já o Peróxido de benzoíla mata as
bactérias que causam a acne inflamatória, mas que pode levar ao aparecimento de manchas
vermelhas, descascamento da pele e irritação. Outra possibilidade também é a Tetracilina,
um antibiótico bastante usado no combate a bactérias.

De qualquer forma os tratamentos são demorados e podem causar reações adversas como
visto. Para melhorar a pele e a aparência, os pacientes fazem peelings, preenchimento
cutâneo entre outros.
As práticas alternativas, como a fitoterapia, são também boas opções para o tratamento
da acne. Estas possuem não só ações que visam o tratamento, mas também a prevenção da
doença. E como consequência desta linha de ação estas práticas apresentam índices mais
baixos de efeitos adversos e menos agressivos.
Tanto a Antroposofia quanto a Homeopatia também oferecem tratamentos baseando-se nas
causas que podem ser de origem hormonal, estresse ou bacteriana. Mas para tanto, deve -se
procurar um médico especialista nestas áreas para se buscar a melhor solução para cada
paciente.

ð Antibacterianos

 A Melaleuca alternifolia comumente conhecida como “árvore de chá” (tea tree), tem
seu óleo essencial extraído das folhas e ramos terminais. Contém alfa-pineno, terpineol,
terpinenos, limoneno e cineol entre outros constituintes. Muito rico em terpinen-4-ol,
principal responsável por suas propriedades medicinais, principalmente antifúngicas e
antibacterianas. Numa concentração de 5% em gel, é capaz de reduzir as lesões da acne.
Pessoas que já apresentaram alergias ao limoneno devem evitar o uso do mesmo.
 O Óleo de Copaíba é um germicida, evitando afecções na pele e couro cabeludo.
 O Plantago major, popularmente conhecido como Tanchagem, é analgésico,
antimicrobiano, bactericida, cicatrizante, depurativo, entre outras ações, sendo
indicado para o tratamento de acne, aftas, anemia, picadas de inseto, queimaduras, entre
outras.
 Irgasan (Triclosano): atua como conservante, antimicrobiano, anti-bactericida (para a
pele humana) e germicida. Em produtos para os pés e axilas inibe as bactérias produtoras
de odores desagradáveis.
 Própolis: resina produzida pelas abelhas, misturando-se substâncias coletadas de
diferentes partes das plantas, como brotos, botões florais e exsudados resinosos, com as
secreções produzidas em seu organismo antibacteriano natural. Usado como
antibactericida, antiinfeccioso, anti-séptico, fortalece ação imunológica, previne e trata
bronquite e pneumonia, queimaduras, manchas na pele, age sobre o sistema capilar,
antioxidante, além de ser um ótimo cicatrizante.
ð Antiinflamatórios

 Alfa-bisabolol: apresenta propriedades antiinflamatórias, bactericidas e cicatrizantes,


indicado em casos de pequenas lesões cutâneas, inflamações leves e queimaduras. Ele
pode ser empregado em diferentes formulações, tais como: produtos pós-sol, para o
cuidado de peles sensíveis, secas ou com impurezas, para uso em atividades esportivas ou
para serem usados sob condições climáticas agressivas onde há aparecimento de
rachaduras, escoriações ou queimaduras. Também pode ser aplicado em produtos pós-
barba, após depilação (permanente ou a frio), alisamentos e produtos para evitar
assaduras em bebês.
ð Esfoliante Químico

 Ácido Salicílico: tem propriedades queratolíticas (esfoliantes) e antimicrobianas, o que


significa que afina a camada espessada da pele e age evitando a contaminação por
bactérias e fungos oportunistas. É um ácido utilizado em condições de descamação como:
caspa, dermatite seborréica, ictiose, psoríase e acne, problemas que atingem facilmente a
ala masculina. É caracterizado ainda por ser um regularizador da oleosidade e também um
antiinflamatório potencial.
ð Secante

 Argila Verde: rica em oligoelementos e possui as propriedades ideais para ajudar a


controlar o excesso da oleosidade da pele, revitalizando os tecidos e na desintoxicação
metabólica da pele. É usada para remover impurezas graxas da pele ou cabelo, além de
ter efeito secativo e adstringente. A argila é fundamental nas máscaras de limpeza e
secativas ou shampoos e produtos para cabelos oleosos. Resumindo, a presença da argila
num produto cosmético pode melhorar a limpeza, esfoliar a pele, clarear manchas
superficiais, acalmar inflamações ou até mesmo ativar a circulação superficial e melhorar a
vitalidade.
 Argila Branca: elimina as toxinas e as impurezas, revitalizando e promovendo a
renovação celular. Tem propriedades anti-sépticas, muito úteis para as peles irritadas.
Pode ser ainda aplicada como máscara capilar para cabelos fragilizados, pois ajuda a repor
a queratina perdida nos cabelos danificados.
ð Antissépticos
 Aloe vera, conhecido como babosa, é usado na forma de sabonete para massagear a área
facial, já que tem ação anti-séptica, anti-seborréica, hidratante, cicatrizante e
antiinflamatório.
 Rosmarinus officinalis, popularmente conhecida como alecrim, tem efeitos anti-
sépticos, antifúngicos e antibacterianos. Usado na acne, em cabelos oleosos e ajuda na
diminuição da caspa.
 Água de Rosas: usada como anti-séptico, regenerador celular e bactericida. A água de
rosas tem efeito calmante, tônico e anti-séptico sobre a pele e atua com eficácia sobre os
olhos, em casos de conjuntivite.
ð Regeneração da pele

 A Calendula officinalis também é empregada no tratamento da acne por melhorar a


regeneração e epitelização de lesões, além de apresentar ações antibacterianas,
antioxidantes e antiinflamatórias.
 A Matricaria chamomilla é usada para essas dermatites devido ao seu efeito
antiinflamatório, cicatrizante e anti-irritante.
 Betavera: antiinflamatória, queratolítica (faz com que a pele danificada dê lugar a um
tecido de células novas), regenerador cutâneo, redutor das linhas de expressão,
antiirritante e hidratante.
 A Vitamina A auxilia na manutenção de uma pele saudável e de um equilíbrio hormonal
diminuindo assim os sintomas da acne.
 O uso da vitamina B6 em meninas com problemas menstruais reduz em 50% os
sintomas da acne.
 Inositol: aumenta o efeito da vitamina B6. A carência dessa vitamina pode causar
inflamação na pele, depressão, tontura, convulsões e anemia.
ð Anti seborréico

 Sálvia: reconhecida por sua capacidade antioxidante relacionada aos seus compostos
fenólicos, cicatrizante e antiespasmódica.
Algumas fórmulas indicadas para essa patogenia:
Sabonete líquido facial Tônico facial hidratante e
hidratante antiacnéico
Aloe vera 0,5% Aloe vera 0,5%
Calêndula 5% Glicerina 2,5%
Chamomilla 5% Calêndula 2,5%
Sabonete líquido facial qsp 100mL Chamomilla 2,5%
Tônico facial aquoso qsp 100mL
É indicado para pele acnéica, em É indicado para pele acnéica, em
função dos ativos com função da atividade hidratante,
características anti-séptica, anti-
adstringente e seborreguladora, além
seborréica e hidratante. de retirar os resíduos dos tensoativos
e restabelecer o pH cutâneo.
Modo de usar: Com movimentos Modo de usar: umidecer um pedaço
suaves, massagear a área por 15 a de algodão com o tônico facial e,
30 segundos e em seguida, com movimentos circulares, aplicar
enxaguar com água em após o uso do sabonete líguido facial.
abundância.
Tônico facial hidratante e antiacnéico II Máscara de tratamento antiacnéico
Água de rosas Argila verde
Tônico facial …. qsp …. 100mL
É indicado para pele acnéica, em É indicado por ter propriedades
função da atividade hidratante, hidratantes, emolientes,
adstringente e seborreguladora, adstringentes e cicatrizantes,
além de retirar os resíduos dos sendo indicada pala peles oleosas e
tensoativos e restabelecer o pH acnéicas
cutâneo.
Modo de usar: umidecer um Modo se usar: Aplicar na pele
pedaço de algodão com o tônico limpa após a limpeza e tonificação
facial e, com movimentos da pele, deixar agir por cerda de
circulares, aplicar após o uso do 15 minutos e retirar com água
sabonete líguido facial. corrente.
Gel Anti-acne I Gel Anti-acne II
Óleo de Melaleuca 5% Betavera 5%
Gel … qsp … 30g Óleo de Melaleuca 5%
Óleo de Alecrim 2%
Gel … qsp … 30g
É indicado para pele acnéica em função da atividade antibacteriana.
Modo de usar: aplicar diariamente após limpeza e tonificação.
Gel Hidratante Gel-creme antiacnéico
Aloe vera 0,5% Sálvia 2,5%
Calendula 3% Própolis 2,5%
Gel qsp 60g Alfa bisabolol 0,5%
Gel-creme qsp 100g
Modo de usar: aplicar diariamente Modo de usar: Aplicar na pele limpa
sempre após limpeza e tonificação. após a sua limpeza e tonificação
antes de dormir.
É indicado para pele acnéica em
função da atividade hidratante.
Diante do quadro apresentado, podemos concluir que a acne pode ser tratada e prevenida
quando o paciente se submete as práticas adequadas, orientadas por profissionais
capacitados. Estas práticas (tratamento e/ou prevenção) podem evitar tanto o aparecimento
da acne quando as cicatrizes que elas deixam.

É fato também que as formulações utilizando fitoterápicos são tão eficazes quanto os
demais, contudo, devemos sempre ressaltar a importância da busca diária das boas práticas
de higiene social e saúde, tais como nossa relação com a natureza e com as pessoas.

E finalmente a recomendamos sempre se orientar com um profissional habilitado e


capacitado para o uso de medicamentos ou práticas relacionadas à nossa saúde.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
ACNE E TRATAMENTO ANTIACNÉICO. Artigo técnico. Boletim COmecêutico. Janeiro, 2007.

ALVES, Mauro Sérgio Marques et al. FARMACOGNÓSTICA ANÁLISE DE ARRABIDAEA CHICA


(HUMB. & BONPL.) B. VERLT. FOLHAS, BIGNONIACEAE. Revista Brasileira de Farmacologia. ,
Curitiba, v. 20, n.2, Maio 2010.
LA CRUZ. Mari Gema Fontelles. O USO DE ÓLEOS ESSENCIAIS NA TERAPÊUTICA. UNIVAG.
Cuiabá [s.d].

FARIAS. Matheus Cavalcanti, et al. CATALOGAÇÃO DE ERVAS MEDICINAL


COMERCIALIZADAS NO MERCADO PÚBLICO DE SÃO JOSE, RECIFE/PE, ASSOCIADO A SUA
UTILIZAÇÃO. X Jornada de ensino, pesquisa e extensão. Recife 18 a 22 de outubro, 2010.
LONGHINI. Renat.e t al. OBTENÇÃO DE EXTRTOS DE PRÓPOLIS SOB DIFERENTES
CONFIÇÕES E AVALIAÇÃO DE SUA ATIVIDADE ANTIFÚNGICA. Revista Brasileira de
Farmacognosia. v. 17, n.3. Julho/Setembro. 2007.
LORCA. Bárbara da Silva e Souza. DESENVOLVIMENTO E AVALIAÇÃO DE SABONETE
GRANULADO PARA LIMPEZA DA PELE. Rio de Janeiro, 2007.

MARCHIORI. Vanderli F. MONOGRAFIA DE ROSMARINUS OFFICINALIS . Fitomedicina


Herbarium. Julho, 2004.
MARIN. Fernanda De Oliveira, CARDOSO. Luiz Eduardo. FORMULAÇÃO DE UM GEL
ANTIACNE CONTENDO ÓLEO ESSENCIAL DE MELALEUCA. Universidade do Vale do Paraíba.
[s.d].

MARIUTTI, Lilian Regina Barros; BRAGAGNOLO, Neura. A oxidação lipídica em carne de


frango e o impacto da adição de sálvia (Salvia officinalis, L.) e de alho (Allium sativum, L.)
como antioxidantes naturais. Rev. Inst. Adolfo Lutz (Impr.), São Paulo, v. 68, n.
1, abr. 2009 .

MIGUEL, M. D. et al. O COTIDIANO DAS FARMÁCIAS DE MANIPULAÇÃO. Visão acadêmica,


Curitiba, v.3, n.2, p103-108, Julho/Dezembro, 2002.
PARK. Yong Kun, IKEGAKI, Masaharu. Alencar. Severino Martins. CLASSIFICAÇÃO DAS
PRÓPOLIS BRASILEIRA A PARTIR DE SUAS CARACTERÍSTICAS F ISICO-QUÍMICAS E
PROPRIEDADES BIOLÓGICAS. UNICAMP. Setembro. 2000.

PRESTON. Lydia, MACEDO. Otávio, ACNE TEM CURA. Ed. Globo. São Paulo, 2007.

REZENDE, Helena Aparecida de; Cocco, Maria Inês Monteiro. A UTILIZAÇAO DE


FITOTERAPIA NÃO COTIDIANO DE UMA POPULAÇÃO RURAL. Rev. esc. enferm. USP, São
Paulo, v. 36, n. 3, setembro, 2002.

SANTOS. Elizabete Brasil. EFICÁCIA ANTIMICROBIANA DE PRODUTOS NATURAIS FRENTE A


MICROOGANISMOS CAUSADORES DA ENDOCARDITE BACTERIANA. Publ. UEPG Ci. Biol.
Saúde, Ponta Grossa, 13 (3/4): p.67-72, setembro./dezembro. 2007

TALEB. Anelise Helena Leite Leal. GUIA ESPECIAL: ACNE.

UDA. Carla Fernanda, WANCZINSKI. Bruna Juliana, PRINCIPAIS ATIVOS EMPREGADOS NA


FARMÁCIA MAGISTRAL PARA TRATAMENTO TÓPICO DA ACNE. INFARMA, Brasília. v.20,
2008.

VARGAS, Natália Rosiely Costa. et al. PLANTAS MEDICINAIS UTILIZADAS PARA


CICATRIZAÇÃO DE FERIDAS PELOS PRODUTORES RURAIS DE AGRICULTURA DE BASE
ECOLÓGICA DO SUL DO RIO GRANDE DO SUL. XVIII científica. XI ENPOS, I Amostra
científica.
ATENÇÃO: ESTE TEXTO TEM CARÁTER INFORMATIVO. NÃO USE PLANTAS MEDICINAIS OU
MEDICAMENTOS SEM O CONHECIMENTO DO SEU MÉDICO.

“SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO.”


Ativos comprovados para Rejuvenescer

Vira-e-mexe a indústria cosmética anuncia uma grande novidade para anular ou


retardar os sinais da passagem do tempo sobre a pele. São tantas as opções que
não é difícil ficar perdida em meio a tantos nomes estranhos, promessas e marcas.
Antes de mais nada, a pele é resultado também da sua alimentação. Fique atenta
a ela e aos produtos.

A pergunta que fica é: por que não investir, simplesmente, naquilo que é
sabidamente eficaz e que os médicos usam, há anos, para retardar o
envelhecimento? Para ajudar na tarefa, consultamos dermatologistas para
responder à seguinte questão: quais são os ativos anti-idade mais eficientes já
lançados até hoje?

A partir desse conhecimento básico, estude a composição do cosmético que vai


comprar e veja se há a presença dos ativos anti-idade selecionados pelos
dermatologistas. Há cremes para todos os orçamentos e de marcas bem
tradicionais. Uma coisa é certa: antes de aplicar qualquer um, limpe a pele
profundamente. E não esqueça o protetor solar.

1) Retinol
Trata-se de um derivado da vitamina A que, quando aplicado sobre a pele,
transforma-se em ácido retinóico, elemento com ações rejuvenescedoras. O
retinol age dentro do núcleo da célula, promovendo sua renovação. “Além disso,
um de seus principais benefícios é que ele também estimula a produção de
colágeno novo”, explica o dermatologista Jardis Volpe, de São Paulo. O retinol,
de forma geral, é bem tolerado e não costuma deixar a pele vermelha, seca ou
irritada. Pode ser usado, sobretudo à noite, em cremes para a face ou pálpebras.

O retinol é capaz de melhorar o aspecto de rugas finas e da textura da pele, além


de aumentar sua elasticidade e diminuir a aparência de poros dilatados. Também
ameniza tons desiguais, um sinal comum de envelhecimento. Seu uso é
recomendado a partir de 35 anos e com acompanhamento de um dermatologista
cosmiatra, que vai saber indicar qual o tempo exato de tratamento. Além disso,
quem tem pele mais oleosa ou com tendência a acne pode notar o aparecimento
de pequenas espinhas com o retinol, por isso a necessidade da consulta com um
especialista.

2) Vitamina C
Presente em frutas cítricas como laranja, acerola e caju, a vitamina C é um
potente antioxidante. Ou seja, bloqueia a ação dos radicais livres, moléculas que
degradam as células, causando o envelhecimento. Além de frear esta ação, a
vitamina –também chamada de ácido ascórbico– estimula a formação de novo
colágeno e ajuda a proteger a pele dos efeitos do sol. Raramente causa irritação,
mas, eventualmente, pode ocorrer em peles sensíveis. É encontrada em inúmeros
cosméticos para rosto, colo e área dos olhos. “Pode ser usada durante o dia, antes
do filtro solar, e também à noite”, indica a dermatologista Carla Albuquerque, de
São Paulo.

Sua indicação de uso começa por volta dos 25 anos e a vitamina C ajuda a
uniformizar o tom da pele, melhorar sua textura e diminuir rugas finas. Mas, há
uma atenção importante: por ser um composto quimicamente instável, perde
rapidamente suas propriedades em contato com a luz, o oxigênio e o calor. Por
isso, os melhores produtos são os formulados visando manter a estabilidade da
vitamina. Isso pode ser conseguido quando a vitamina é adicionada ao creme em
nanocápsulas, isto é, encapsulada em micropartículas. Além disso, embalagens
que protejam o creme da luz e do ar também contam pontos a favor.

Entre uma temporada e outra, um novo ativo surge com a promessa de cumprir maravilhas
na pele e nos cabelos. Com a vitamina C não foi diferente. Ela passou reclusa por um
tempo e foi submetida a novos testes para comprovar a sua eficácia como escudo contra
a ação dos radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento cutâneo. Agora, a vitamina
C está de volta. Segundo Susy Rabello, dermatologista do Hospital Bandeirantes, em São
Paulo, “a vitamina C é fundamental para a síntese de colágeno e para a manutenção da
derme. E é ligada diretamente à aparência saudável da pele”. Entre as funções do
componente estão o poder rejuvenescedor, a ação antioxidante e o processo cicatrizante.
Os produtos com vitamina C em sua fórmula não contêm contra indicações de uso e
podem ser inseridos na rotina de cuidados a partir dos 21 anos. “Sabemos que a vitamina
de uso tópico é melhor absorvida sendo usada em cremes com porcentagens do principio
ativo em torno de 10 a 20%”, completa Susy. Veja, a seguir, uma seleção de produtos,
tanto para os cabelos quanto para a pele, com o ativo. Por Tatiana Izquierdo, do UOL, em
São Paulo Divulgação
3) Aquaporinas
São proteínas que formam poros nas membranas das células, permitindo a
entrada e saída de água. Presentes naturalmente na epiderme, são essenciais para
o funcionamento normal da pele. No entanto, a eficácia dessas proteínas decai
com o passar dos anos. A pele, formada por 70% de água, fica mais seca e
enrugada. Por isso, sua versão sintética está presente em cosméticos para ajudar
a prolongar o funcionamento delas, melhorando sua hidratação.

Uma pele bem hidratada tem textura mais suave e mais luminosidade. Além
disso, linhas finas são atenuadas, uma vez que tendem a aparecer mais em um
rosto desidratado. Sua indicação de uso começa aos 30 anos de idade. O uso das
aquaporinas não traz nenhuma contra-indicação, mas procure orientação de um
dermatologista antes de investir em um creme com o ativo.

4) Ácido hialurônico
Faz parte de um grupo de açúcares presentes naturalmente na pele, que formam
uma espécie de “gelatina” entre as fibras de colágeno e elastina (proteínas que
dão firmeza à pele). Com o tempo, no entanto, o organismo perde a capacidade
de produzi-los.

O ativo em sua forma sintética tem efeito hidratante e ajuda na retenção de água
na pele. “Atualmente, é utilizado em micropartículas e, por isso, possui potencial
para atingir as camadas mais profundas e se associar ao ácido hialurônico natural
que já existe na pele”, explica o dermatologista Marcelo Bellini, de São Paulo.
Também estimula a formação de colágeno e atenua ruguinhas e marcas de
expressão. Nos consultórios, é usado de forma injetável para preencher rugas e
sulcos.

Para uma pele mais firme, hidratada e com sinais de envelhecimento atenuados,
seu uso pode ser iniciado aos 25 anos. Não há contra-indicação para o uso do
ácido hialurônico, exceto para grávidas e mulheres que amamentam. “Não
existem pesquisas que comprovem algo mas, por precaução, não indicamos para
essas pacientes”, explica Bellini.

5) Vitamina E
Presente em alimentos como castanhas, vegetais verde escuros, oleaginosas,
gema de ovo e fígado bovino, é um antioxidante capaz de regenerar o colágeno já
existente na pele. Conhecida como tocoferol nos tratamentos cosméticos,
funciona como um coadjuvante na ação de outros antioxidantes, potencializando
seus resultados. “Embora impeça a degradação do colágeno natural da pele, não
estimula a produção da proteína”, esclarece Bellini. Também tem efeito protetor
contra a radiação solar.

Sozinha, a vitamina E não tem intensidade suficiente para tratamento


antienvelhecimento. Por isso, ela sempre vem associada a outros ativos –e os
resultados dependem, assim, das propriedades deles. Sua indicação é para
pacientes entre 25 a 45 anos e não existem contraindicações, mas é importante
saber que, para resultados consistentes, o uso da vitamina E deve ser intensivo.

Avanços recentes no
tratamento de
rejuvenescimento
De
Sheila Gonçalves
-
8 de julho de 2013
0
843

Partilhar no Facebook

Tweet no Twitter

Envelhecimento Cutâneo

Uma pele que mostra sinais de envelhecimento normalmente


acompanha um conjunto de informações importantes sobre os eventos
que o processo de senescência promove. Dentro do entendimento
fisiopatológico, não se pode esquecer que o envelhecer da pele é um
processo que acontece em paralelo com o envelhecimento corporal,
situação normal e que ocorre com todo ser humano.

Apesar disso, uma ressalva deve ser feita quando estamos diante de um
quadro cutâneo de envelhecimento, ele é perceptível e observável ao
espelho e por terceiros. Este fato, por sí só, faz da degradação cutânea
cronológica e por motivos ambientais um sinal clínico esteticamente
indesejável e de pouca aceitação na sociedade atual.
Os eventos que fazem parte do processo de envelhecimento cutâneo se
confundem com os que ocorrem nos demais tecidos corporais. Porém, a
pele apresenta algumas peculiaridades topográficas que colocam-na em
uma situação mais desfavorável. O maior exemplo disso é o fato de que
é a pele o órgão que separa e ao mesmo tempo contacta o indivíduo ao
meio em que vive. Logo, o meio ambiente interfere de modo direto na
pele, provocando nela respostas de proteção que naturalmente
desencadeiam mudanças em sua fisiologia e, por fim, em sua anatomia.
É o caso do fotoenvelhecimento, uma área de estudo que ganhou muito
destaque nas últimas décadas na medida que os conhecimentos sobre os
efeitos das radiações ultravioleta na epiderme e derme ficaram melhor
elucidados. Mas não se pode esquecer de situações como umidade
relativa do ar, vento, exposição ao ar condicionado, poluição, fumaça de
cigarro, uso de produtos cosméticos inadeaquados, banhos
demasiadamente quentes, microorganismos e irritantes ambientais
como um todo que sempre provocam respostas dos tecidos cutâneos. A
grande maioria deles tendo como resultado final o desgaste de
estruturas da pele.

De forma endógena, e sendo incrementada pelos fatores externos já


citados, um conjunto de situações ocorre gradativamente, sem uma
ordem específica, mas de forma concomitante para trazer à superfície os
sinais do tempo. Rugas, vincos, perda de viço, desidratação redução da
elasticidade e espessura são apenas algumas das situações que
espelham o envelhecimento da pele.

Boa parte das alterações cutâneas encontradas no envelhecimento tem


sua fisiopatologia bem definida e estão envolvidas com os fatores abaixo
citados:

– Redução do Perfil Circulatório (Oxigenação e Nutrição)

Modificações circulatórias no envelhecimento ocorrem por mudanças no


sistema circulatório como um todo. Alterações no controle da pressão
arterial, modificações no endotélio vascular aumentando a presença de
placas de ateroma, comprometimento da permeabilidade dos vasos são
situações que levam a uma menor oxigenação e nutrição dos tecidos
periféricos. A pele, sofre com este processo e passa a ter seu
metabolismo reduzido por conta disso.

– Perda de Colágeno e Elastina

A quadro circulatório comprometido e o novo ambiente hormonal da pele


tendendo ao catabolismo, favorece uma menor produção de fibras e de
componentes da substância fundamental amorfa (glicosaminoglicanas e
proteoglicanas), pelos fibroblastos. Estes componentes, que formam a
matriz dérmica promovem turgor, elasticidade, firmeza e tônus à pele,
além de manterem a hidratação deste tecido.

– Perda de água ou Desidratação da Derme

Uma menor presença dos componetes extracelulares da derme provoca


redução na fixação de água na derme uma vez que estas moléculas
(fibras, componentes da substância fundamental amorfa), as
responsáveis pela boa manutenção do teor hídrico dérmico.

Quanto menos água na derme, menores as trocas deste tecido com a


epiderme. Esta última, por sua vez será acometida por outros tipos de
mudanças como podemos ver abaixo.

– Redução do Turn-over de Células Epidérmicas

As menores trocas entre derme e epiderme resultam em menor


atividade das células da camada basal da epiderme. A menor atividade
mitótica por parte destas células faz com que as trocas celulares
epidérmicas fiquem comprometidas e a renovação deste tecido tende a
se tornar mais lenta. Só não vai ser mais lenta de fato porque a pele
encontra uma saída para que suas células continuem sendo originadas
na camada basal e encontrem-se prontas para a descamação superficial
após 28 dias, como veremos abaixo.
– Redução da Espessura epidérmica

As menores trocas entre derme e epiderme resultam em menor


atividade das células da camada basal da epiderme. A menor atividade
mitótica por parte destas células faz com que as trocas celulares
epidérmicas fiquem comprometidas, e a renovação deste tecido tende a
se tornar mais lenta. Só não vai ser mais lenta de fato porque a pele
encontra uma saída para que suas células continuem sendo originadas
na camada basal e encontrem-se prontas para a descamação superficial
após 28 dias.

– Formação de Rugas e Linhas de Expressão

A formação inicial das rugas e linhas de expressão são decorrentes de


um processo paralelo ao citado acima, mas, no final, todo o processo já
descrito acaba por pronunciar ainda mais as marcas superficias do
tempo sobre a pele.De um modo geral, os grandes responsáveis pelas
rugas e linhas de expressão são o adelgaçamento da epiderme, derme e
hipoderme associado aos músculos da face. Estes agem de forma
contínua na superfície da pele, ora porque exigem da pele movimentos
que forçam as dobras que originarão os vincos, ora porque estão
inseridos na pele promovendo nela movimentos de dobra (músculos da
mímica).

As rugas podem ser classificadas em:

• Dinâmicas (Expressão): São resultante da expressão facial e


ocorrem devido á movimentação muscular.

• Estáticas: São rugas que causam sulcos e não desaparecem mesmo


com o rosto em descanso, isto é, sem fazer mímicas faciais. Ocorrem
por fratura da pele em função do processo de envelhecimento natural ou
fotoenvelhecimento. Resultam da degradação de componentes da derme
(colágeno e elastina) e da diminuição da quantidade de células da pele,
além do depósito inadequado de queratinócitos.
• Gravitacionais: São rugas causadas pela ação da gravidade e
decorrem da flacidez do envelhecimento facial (ptose)

Apesar deste sucinto descritivo fisiopatológico e topográfico que


caracteriza o envelhecimento cutâneo não se pode esquecer que o pano
de fundo para todo esse cenário apresentado envolve a presença de
substâncias químicas como os radicais livres, as metaloproteinases e os
derivados das reações de glicação que correm em paralelo com todos os
eventos do envelhecimento sendo não só fatores desencadeantes mas
também mantenedores da degradação tecidual que nos envelhece.

O combate efetivo aos radicais livres, metaloproteinases e às reações de


glicação é uma motivação que deve dirigir qualquer proposta de
prevenção ou tratamento do envelhecimento cutâneo sob o risco dos
resultados não serem realmente efetivos.

O Conceito Revisage Age-Reform: Resurfacing Estético 3D

O Revisage 3D é um tratamento anti-sinais com a finalidade de atuar em


todos os tipos de rugas. É baseado nos conceitos mais modernos da
cosmetologia para reduzir sinais do envelhecimento de forma
instantânea e com resultados visíveis que proporcionam recuperação
rápida e efeitos benéficos prolongados. Seus principais objetivos são:
refazer a superfície, reparar e remodelar a pele.

Tecnologias mais eficientes para prevenção e reparação da pele que


associam dermocosméticos concentrados, manobras manuais e
equipamentos avançados são o principal foco desse tratamento.

Nesse processo é de fundamental importância o conhecimento dos


fatores do envelhecimento, os tipos de rugas, as técnicas estéticas
usadas durante o protocolo em cabine e os mecanismos de ação dos
princípios ativos que devem atuar de forma integrada e sinérgica e atuar
em todas as camadas da pele com as seguintes propriedades:
Reparação Epidermica

-Hidratação Inteligente e Balanceada com associação de componentes


reparadores da emulsão epicutânea: Para a fase oleosa óleos naturais de
maçadamia, girassol e gérmen de trigo e para a fase aquosa NMF
(fatores naturais de hidratação).

-Regeneração e Citoestimulação: Associação potencializada de AHAs


(ácido mandélico) e “Retinóide Like” extraído da palanta Bidens Pilosa.

-Resurfacing Estético com efeito alisamento e preenchedor de


rugas:Exopolissacarídeo Marinho.

-Ação Antoxidante e Antiinflamatória :Extrato de Café e Rutina.

-Lifting Imediato: Proteína Hidrolisada de Sésamo (Gergelim).

– Reparação Dérmica

-Ação Antiglicante e Deglicante: Antiox 3D com Carcinina;

-“Booster” de Colágeno e Ácido Hialurônico: “Retinóide Like” extraído


da Bidens Pilosaassociados aos Poliosídeos Purificados.

-Estimulo ao Fluxo Sanguíneo, Energização Celular, Efeito Detoxicante


e Revitalizante: Tripepídeos do Arroz associado á Aminoácidos
Essenciais.

-Remodelador dérmico: Poliosídeos Purificados.

-Lifting Prolongado que age de dentro para fora com efeito sobre a
síntese de colágeno I e elastina: Exopolissacarídeo Marinho.

Após diversas aplicações é notório o trabalho a cerca de modelagem


facial, promovendo grande afinamento da pele, diminuindo sinais de
envelhecimento, rugas dinâmicas e estáticas, assim como o clareamento
da pele, dando um aspecto mais saudável à pele.

Mostrando-se eficaz, certificamos que estes ativos associados, promove


grande satisfação ao cliente e ao profissional que o aplica, superando
expectativas de quem busca um trabalho de qualidade.

DICAS DA EXTRATOS: ATIVOS


INDISPENSÁVEIS PARA AS PELES
DE 30 ANOS
Extratos da Terra 28/06/2016 Dicas
A maturidade já chegou, você ultrapassou os períodos mais conturbados da jovialidade,
está formada, mais responsável e sentindo levemente os efeitos do tempo. Você
alcançou os 30 e poucos anos sem grandes problemas, cuida da pele razoavelmente
bem, usa filtro solar na praia mas tem medo do envelhecimento precoce, certo?
Essa é uma fase decisiva para exterminar os incômodos e nós sabemos que você deseja
amadurecer com uma pele linda, jovem e iluminada! Por isso, aqui vão algumas dicas
que irão ajudá-la a definir os produtos essenciais e indispensáveis para cuidar da pele de
30 e poucos anos.
Os ingredientes certos serão seus maiores aliados. Alguns princípios ativos funcionam
muito bem para a pele que não é nem tão jovem, nem tão madura, como a sua. Para
começar, tenha uma palavra sempre em mente: prevenção. Se você não foi tão didática
até aqui, chegou a hora de prestar mais atenção aos sinais que a idade traz e cuidar do
seu bem mais precioso.
Invista nos ativos que mais têm a ver com o seu tipo de pele e sua hereditariedade:
1) Tonicidade e fortalecimento: Com auxílio da tecnologia, hoje em dia é possível
repor o que perdemos com os cosméticos. Para evitar a formação de rugas e melhorar o
aspecto das bolsas abaixo dos olhos, séruns e tensores que combatem a perda
de elasticidade facial são os mais indicados.
Recomendamos: Dermosoft Day Sérum Tensor Facial – um produto multifuncional que
reduz as linhas e marcas de expressão acentuadas pelos movimento faciais repetitivos e
pelo avanço da idade. Com função tensora, diminui as rugas e os sinais de
envelhecimento e devolve a elasticidade natural da pele.
2) Proteção antioxidante: Não cansamos de repetir: proteção solar é indispensável em
qualquer idade e item básico da nécessaire. Mas o tipo de protetor solar que você deve
usar é determinante para conseguir os melhores resultados. Os ideais são os filtros que
contêm agentes antioxidades – e que, além de proteger, combatem os radicais livres e
agentes externos.
Recomendamos: Dermosoft Protect Fotoprotetor Facial – muito mais que um protetor
solar. Além de hidratar, proteger do sol e livrar seu rosto dos danos causados pelos raios
UVA e UVB, radicais livres e agentes como vento, poluição e luz ambiente, ainda
previne contra o fotoenvelhecimento.
3) Rejuvenescimento e hidratação: Você já deve ter ouvido que a vitamina C é
indispensável para a saúde. Pois saiba que ela também é essencial para a pele. A
vitamina C é o ativo mais eficiente para hidratar a pele, tratar as linhas de expressão e
evitar danos futuros. Fluidos e hidratantes com essa vitamina estimulam a proliferação
celular no tecido cutâneo, o que promove o rejuvenescimento.
Recomendamos: Dermosoft Revitalize Dermo Vit C – um creme para usar diariamente
e evitar o desgaste da pele, assim como para prevenir e atenuar os sinais de
envelhecimento. É composto por potentes antioxidantes de longa hidratação, como a
vitamina C, resveratrol, extratos de Ferula foetida, ácidos gálico e elágico, além das
vitaminas A e E.
4) Reparação e preenchimento: Aos 30 anos, o ácido hialurônico começa a diminuir
sua produção natural na nossa pele, e por isso é bom repô-lo. Ele funciona como uma
espécie de cola entre as células, dando firmeza e elasticidade aos tecidos. Para melhorar
a textura e preencher rugas finas, comece a investir em cremes anti-idade que
contenham esse ativo.
Recomendamos: Dermosoft Day Prevent Creme Anti-Idade Facial – uma combinação
de fatores vetorizados que estimulam o silício biologicamente ativo para reposição de
nutrientes e reparação dos efeitos causados pela idade. Um produto com função 2 em 1
(dia e noite): protege e prepara a pele para o dia e para a noite.
5) Elasticidade celular: Outro fator necessário de reposição é o colágeno, uma proteína
essencial ao organismo – pele, cabelos e músculos. O colágeno é responsável pela
formação da maioria dos tecidos, portanto, para manter uma pele elástica, sem rugas e
olheiras e com viço, contamos com dermocosméticos ativos que entram em ação.
Recomendamos: Dermosoft Day Creme para a Área dos Olhos – com colágeno marinho
altamente concentrado, que restaura profundamente a pele e devolve seu aspecto
saudável. Possui textura fina e de rápida absorção para combater olheiras, bolsas e
inchaços, amenizando o cansaço e devolvendo luz e jovialidade à região das pálpebras
superiores e inferiores.

Curtiu as dicas? Agora delicie-se no nosso site (www.extratosdaterra.com.br) e


cuide bem de VOCÊ MESMA!
TRATAMENTO

É muito importante que o profissional saiba classificar o


grau da acne para que possa escolher o melhor tratamento e
consequentemente obter o melhor resultado. Nos casos
mais graves do cliente portador de acne , é importante
a indicação de um
médico dermatologista pelo profissional da estética facial
.

Ativos para o tratamento da acne:

Princípios ativos são substâncias químicas e biológicas qu


e atuam sobre as células teciduais.Para garantir
a penetração dos PA,o cosmético tem o veiculo que
e responsável pelo transporte desses
ativos.Os cosméticos possui propriedades anti-
inflamatórias anti-sépticas cicatrizantes hidratantes entre
outros.
Quadro 1-Princípios ativos utilizados para o tratamento da acne

Tratamento com acido

Acido Glicólico
Foto 1-Produtos disponíveis no mercado para o tratamento de rugas
Modo de ação: Renovador
celular;hidratante;vasodilatador e redutor da espessura da
epiderme
Indicação: acne comendogênica;fotoenvelhecimento;rugas
finas;ceratose actínica e peeling.
Cuidados: pode aumentar a incidência de herpes
e hiperpigmentação.

Ácido salicílico
Foto 2-Produtos disponíveis no mercado para o tratamento de acne e manchas

Modo de ação:
Ceratolítico;antiinflamatório;antisséptico;fungicida;antioxi
dante e bactericida.
Indicação:combate aos radicais livres;hiperceratinização
e escamação da epiderme;interage bem com a vitamina C.
Contra indicação:pele muito claras , sensíveis e
sensibilidade ao ácido acetil salicílico.
Foto 3-Efeito peeling
Princípios básicos para iniciar o tratamento deve seguir
o protocolo abaixo e podem ser ajustado individualmente:
Foto 4-Protocolo de limpeza

 Higienizar
 Esfoliar
 Emoliência
 Extração
 Tonificação
 Hidratar
 Protetor solar
Manutenção em casa
Foto 5-Produtos para a pele acneica
1-Gel de Limpeza refrescante
2-Sabonete facial para pele acneica
3-Tonico suave revitalizante
4-Creme hidratante
5-Protetor solar
6-Gel de combate a cravos e espinhas
batom secativo

Tratamento via oral


Foto 6-Roacutan

Roacutan(Isotretinoína):Medicamento que somente o


Medico dermatologista pode receitar.E utilizado somente
nos casos de grau da acne mais grave.
 Ele age no ducto(canal onde transporta o sebo) diminuindo
e impedindo a produção de sebo nas glândulas sebáceas.
 Ação anti-inflamatório;
 Promove a descamação da pele;

Sol
Foto 7-sol

É importante também evitar a exposição ao sol logo após o


tratamento, pois é maior a chance de causar algum dano a
pele.Use sempre protetor solar.
COSMÉTICOS: CONCEITOS E FORMULAÇÕES
Definição de Cosmético:
De acordo com o artigo L.658-1 do Livro V do Código da Saúde Pública,
são compreendidos cosméticos ou produtos de higiene corporal, todas as substâncias
ou preparações, além dos medicamentos destinados a entrarem em contato com as
diversas partes superficiais do corpo humano ou com os dentes e as mucosas, com
o objetivo de limpar, de proteger e manter o bom estado, modificar o aspecto, de
perfumar ou de corrigir o odor.

Básicamente os cosméticos são utilizados como:


Hidratantes: Umedecem a pele, deixando macia sem ressecamento.
Adstringentes: Diminuem o suor e a oleosidade da pele devido à contração dos
poros – (abertura da glândula sudorípara) e do óstio – (abertura da glândula sebácea)
Calmantes: Anti-inflamatórios que diminuem o edema(inchaço) e a vermelhidão da
pele.
Anti-sépticos: Diminuem o crescimento bacteriano, tornando mais limpos os locais
onde são aplicados(evitando cravos e espinhas)
Secativos: Tem a capacidade de absorver a secreção sebácea (oleosidade) e o suor
presente na pele.

Tipos de pele:
 Pele Normal: é definida como a pele sem sinais visíveis de lesão ou sensação
de desconforto. É o equilíbrio em todo processo de formação epidérmica
(queratinização, descamação, secreção sebácea e suor) é aveludada, lisa, relevo fino,
elástica e não brilhante. Os produtos para esse tipo de pele visam, a princípio, manter
sua fisiologia natural e protegê-la do ambiente externo.
 Pele oleosa: elimina constantemente sebo e gorduras epidérmicas que irão
formar, com o suor uma película hidro-lipídica que recobre a camada córnea,
contribuindo para sua coesão, lubrificação e proteção. Quando as glândulas sebáceas
produzem mais sebo que o necessário, a pele torna-se gordurosa. Apresentando-se
como uma pele brilhante, pálida, irritável, de poros dilatados e com alta tendência
de formar comedões, acne e dermatite seborréica. Os produtos para esse tipo de
pele têm como função normalizar a secreção sebácea, acalmar e suavizar a
superfície.
 Pele seca: a sensação é que o indivíduo possui pele tensa, rugosa e
descamativa. Apresenta-se áspera, pouco elástica, opaca, facilmente irritável e
vulnerável às mudanças de temperatura e umidade ambientais. Devido à dificuldade
de reter água, tende a formar rugas e envelhecer mais rapidamente.
 Pele mista: peles classificadas como mistas alternam áreas secas e oleosas,
sendo que pode ocorrer associação entre placas seborréicas e placas de xerose além
de leve descamação.
 Pele envelhecida: é a pele ressecada associada à sensação tátil de
ondulação, rugas, flacidez e alteração da pigmentação. Na aparência desse tipo de
pele, há dois componentes distintos: envelhecimento intrínseco e foto
envelhecimento.
Classificação dos tensoativos:
· Aniônicos – Carga residual negativa ( lauril sulfato de sódio, estearato de
trietanolamina).
· Catiônicos – Carga residual positiva (cloreto cetiltrimetil amônio ).
· Não iônicos – Não têm carga residual ( álcool ceto-estearílico etoxilado,
ésteres de sorbitan ).
· Anfóteros – Carga residual positiva ou negativa dependendo do pH do meio ou
a associação de outros tensoativos para definição ( betaína de coco ).
Alguns princípios ativos
· Silicones:
São polímeros que possuem em sua molécula alta composição de silício. Possuem
toque suave e não oleoso, sendo por isso indicado em produtos para peles oleosas.
Existem centenas de tipos de silicones diferentes, tendo cada um uma característica
diferente. Os principais tipos para uso cosmético são:
Óleo de silicone: confere excelente emoliência e deslizamento ao produto. Indicado
na produção de cremes e loções hidratantes e de massagem. Em concentrações altas
conferem efeito “à prova dágua” ao produto.
Silicone volátil: silicone altamente fluido que possui alta absorção na pele e não
deixa resíduos. Confere toque seco a produto.
Silicone hidrossolúvel: silicone que se dissolve na água. Muito usado na produção
de shampoos.
· Vitaminas:
Vitamina A: vitamina lipossolúvel que hidratada e auxilia na regeneração celular.
Vitamina C: vitamina hidrossolúvel é a campeã de atividades cosméticas. É
regeneradora celular, esfoliante e clareadora de manchas. Estimula a produção de
colágeno e elastina na pele.
Vitamina E: é a grande captadora de radicais livres, protegendo a pele do
envelhecimento e dos danos provocados pelos raios solares.
Vitamina F: são os ácidos graxos essências, ácido linoléico, linolênico e oléico. Um
dos óleos mais ricos em vitamina F é o óleo de prímula, possui atividade cicatrizante
e hidratante. Muito usada em pessoas com dermatites e psoríase.
· Argilas:
As argilas são muito indicadas para produtos cosméticos devido a sua estrutura e seu
elevado conteúdo de sais minerais. Elas são naturalmente cicatrizantes, absorventes,
estimulantes e ativadoras das funções imunológicas. As diferentes cores existentes
são devido à variação dos compostos minerais.
INCI NAME: Montmorillonite
Concentração Recomendada:
Xampus 2,0–5,0%;
Loções 1,0-3,0%;
Cremes 2,0-5,0%;
Máscaras 10,0–40,0%
Ë a mais leve de todas, possui
Argila Branca propriedades cicatrizantes, devido à
elevada porcentagem de alumínio
presente em sua composição. É a menos
absorvente sendo indicada para produtos
para peles sensíveis e também usada em
máscaras faciais, loções e xampus para
cabelos secos.
Argila Rosa Tem propriedades cicatrizantes e
suavizantes. Por ser extremamente
suave , pode ser usada todos os dias sem
ressecar a pele, é recomendada para
peles desidratadas e delicadas e em
máscaras faciais, loções, cremes.
Especialmente indicada para produtos
calmantes como pós-depilatórios, pós-
barba, talcos, etc
Argila Verde Contém magnésio, cálcio, potássio,
manganês, fósforo, zinco, alumínio,
silicone, cobre, selênio, cobalto e
molibdênio. Possui ação absorvente.
Utilizadas principalmente para produtos
para pele acneica e oleosa e em produtos
para cabelos oleosos.
Argila Vermelha Menos absorvente que a argila verde.
Rica em óxido de ferro e cobre
Usada em máscaras faciais, cremes e
xampus para cabelos normais. Indicada
mais para uso em peles oleosas.
Argila Marinha A argila marinha é rica em minerais, tem
uma cor verde bem escura e é obtida do
fundo do mar. Ela tem uma grande
concentração de algas marinhas o que a
faz perfeita para purificar e tonificar o
corpo.

Lama Negra é uma suspensão aquosa contendo


minerais como o cálcio, enxofre e
magnésio e oligoelementos. Possui ação
nutritiva, tonificante e levemente
abrasiva
· Produtos animais e vegetais: segue tabela anexa.
· Óleos essenciais:
ALECRIM Rosmarinus Officinalis
Parte utilizada: folha
Descrição: Ajuda a combater o stress, a fraqueza e o cansaço em geral, pois é um
estimulante circulatório e nervino, combate à apatia e melancolia, dores musculares,
excessos cometidos por comida e enxaqueca.Estimula a memória, aviva a mente,
estimulante mental, ordena os pensamentos. Aumenta a concentração, elimina a
letargia. Benéfico para fadiga do coração, pressão baixa, anti-reumático, anti-
séptico, energizante, renovador do ar. Bom para os cuidados de peles com acne, pele
envelhecida, rugas, caspa, queda de cabelos, cabelos oleosos, celulite, melhora a
circulação, reduz a congestão linfática diminuindo a retenção de líquidos. Realça a
dedicação do amor espiritual. Precauções: Não usar durante a gravidez, quem sofre
de epilepsia e hipertensão. Em caso de peles sensíveis usar em baixa concentração
BERGAMOTA Citrus bergamia
Parte utilizada: casca
Descrição: É um maravilhoso antidepressivo que transporta a animação dos óleos
cítricos com qualidade floral cálida e suavizante. A sua ação principal é no sistema
nervoso, pois age como tônico sem ser estimulante. Ajuda durante crises de stress
ou quando se está irritado. Acalma estados emocionais elevados, combate apatia,
depressão, ansiedade. Auxilia na recuperação do controle emocional. Estimula o
apetite. Excelente para tratamento de cistite. Cicatrizante e antitérmico. Ajuda a
combater acne, eczema nervoso, pele oleosa, pele inflamada e cabelos oleosos. Na
pele, é um equilibrador, indicado para vitiligo, psoríase e herpes zoster.
Precauções: Use-o em baixa concentração. Se aplicado sobre a pele, não se expor
ao sol por no mínimo 12 horas.
CANELA FOLHA Cinnamomum zeylanicum Partes utilizadas: folhas e ramos
(casca interna desidratada)
Descrição: Aroma quente de especiarias é muito apreciado em sinergia com aromas
cítricos, bom estimulante mental e circulatório, ajuda a combater a fadiga,
afrodisíaco. contra infecções, tosse, resfriado, reumatismo, debilidade geral e
dores. Precauções: : Evite aplicação na pele e inalação em vaporizadores. Em baixa
concentração pode ser usado em aromatização de ambientes. Cuidado: pode irritar
a pele. Não deve ser usada por crianças e durante a gravidez.
CAMOMILA Chamomile
Descrição: Alivia tensão nervosa, ressentimentos, ansiedade, dissipa a raiva e o
medo. É antiespasmódico, sedativo, antiinflamatório, antidepressivo. Traz harmonia,
tranqüilidade e paz para o espírito cansado.
CEDRO Juniperus virginiana
Descrição: Seu aroma é cálido que recende a madeira. O efeito do odor é aquecedor
e calmante; levemente afrodisíaco. Seu efeito emocional é relaxante. Bom para a
ansiedade, stress, tensão, trabalhos psíquicos e para meditação. Na estética ajuda a
cuidar de pele e cabelos oleosos, caspa, queda de cabelos e celulite. Promove
concentração, ânimo, persistência, confiança, coragem e equilíbrio. Este óleo nos
encoraja a manter firme os nossos propósitos, trazendo esperanças para a realidade.
No físico atua como anti-séptico, tônico, antiespasmódico e
regenerador. Precauções: Deve ser evitado durante a gravidez. Pode irritar a pele
sensível. Usar em baixa concentração
CIPRESTE Cupressus sempervirens
Parte utilizada: ponta da folha
Descrição: Seu aroma é fresco, amadeirado, balsâmico adocicado e tenaz. No físico
atua como:cicatrizante, anti-reumático, adstringente, antiespasmódico, diurético,
restaurativo, cicatrizante, vasoconstritor, tônico respiratório e calmante, indicado
nos casos de celulite, excesso de transpiração, pele oleosa, acne e caspa seborréica,
é ótimo para pele oleosa, combate à ansiedade alivia os sintomas de circulação
deficiente, edemas, tensão nervosa, e stress. Revigora as energias no banho. Atua
no emocional encorajando a mudança, o entendimento, a sabedoria, a paz interior,
a verdade, o poder de escolha e o equilíbrio. Com sua poderosa direção, o cipreste
auxilia na conexão com a sabedoria do universo. Oferece proteção e força para
aqueles que estão inseguros e que perderam seu propósito de vida.
CITRONELA Cymbopogon nardus
Descrição: Seu aroma é estimulante, refrescante, poderoso e semelhante ao limão
com poder anti-séptico e repelente de insetos. Pode ser usado para excesso de
transpiração nos pés
CRAVO Eugenia caryophyllata
Parte utilizada: botões desidratados ao sol
Descrição: Tem um aroma doce, quente e estimulante de especiaria. É famosa a
sua reputação de afrodisíaco, bom para dores musculares e reumáticas, astenia física
e mental, antifúngico, analgésico. Contra verrugas, micoses, bronquite, dor de dente
e cansaço. Precauções: Usar em baixa concentração e evitar em peles sensíveis.
Não deve ser usada por crianças e durante a gravidez.
ERVA CIDREIRA Lemongrass
Parte utilizada: folha Descrição: problemas digestivos, calmante, dores de cabeça
e cólicas menstruais. Estimula o bom humor e otimismo.
ERVA DOCE - Foeniculum vulgare
Parte utilizada: sementes
Efeitos terapêuticos: De ação efetiva na área digestiva. Neutraliza os efeitos do
consumo de álcool, útil para recuperação de alcoólatras. Livra o corpo de toxinas.
Diurético. Auxilia nos tratamentos de obesidade e celulite. Promove o aumento do
fluxo do leite materno.
EUCALIPTO Eucalyptus globulus
Parte utilizada: folha
Descrição: O aroma é canforado, com tom amadeirado e doce. É penetrante e
refrescante. Por seu poder anti-séptico ajuda a combater doenças infecciosas e
respiratórias, artrite, dores musculares, cãibras, dor de cabeça e fadiga,
expectorante, anticatarral, antiviral, bactericida, benéfico para problemas
respiratórios, descongestiona e abre os pulmões, promove a eliminação de pedra nos
rins, estimulante linfático, alivia hemorróidas, elimina germes, melhora o estado
físico e reforça o ânimo, promove o entendimento mental quando há exaustão e falta
de concentração. Tônico geral para o corpo.
GERÂNIO Pelargonium graveolens roseum
Partes utilizadas: folha e flor
Descrição: O aroma do óleo de gerânio lembra o de rosa, com o qual tem muitos
constituintes em comum. Age como regulador hormonal ajudando nos sintomas da
menopausa. Fortalece a energia vital, encoraja a circulação sanguínea, benéfico para
ansiedade quando há exaustão nervosa devido ao stress e excesso de trabalho. É
analgésico e antiespasmódico. Útil em casos de nevralgia e reumatismo, problema
de fertilidade,
Emocional: ansiedade, depressão, equilíbrio emocional, tensão nervosa.
Estética: celulite, acne, dermatite e todos os tipos de pele exceto a sensível,
adstringente, regenerativo, cicatrizante e vasoconstritor, pele ressecada,
anticoagulante e regenerativo.
GRAPEFRUIT Citrus paradisi
Descrição: Aroma cítrico e doce cujo efeito odorífero é animador e antidepressivo.
Ajuda nos casos de convalescença e cansaço em geral.
Emocional: depressão e ansiedade.
Estética:: celulite, pele oleosa e pele inflamada.
HISSOPO Hissop
Descrição: Equilibra o psicológico, dando clareza e direção à mente,
antiinflamatório, febrífugo, benéfico para problemas respiratórios. Regula a pressão
arterial. Ação expectorante.
HORTELÃ PIMENTA Mentha piperita
Parte utilizada: a erva inteira
Descrição: Comercializada em larga escala na Europa e EUA, o óleo essencial de
hortelã-pimenta é muito utilizado em alimentos, cosméticos e industria farmacêutica.
Pesquisas nos EUA e Japão têm mostrado que a hortelã-pimenta melhora a atenção
e estimula o cérebro. Seu aroma é refrescante e mentolado com uma nota sutil
adocicada. Essência de primeiros socorros, combate náuseas, indigestão, dores de
cabeça, resfriados, febre, aftas. ótimo cicatrizante, vermífugo, depurativo, auxilia em
casos de circulação deficiente, apatia e frigidez. Precauções:não usar durante a
gravidez e amamentação. Usar em baixa concentração
JASMIM
Descrição: Promove a sensibilidade, o otimismo, a abertura, a harmonia e a
aceitação. Ajuda a desenvolver a criatividade e expressão, trazendo mais alegria para
nossas vidas. Dissipa a apatia, a indiferença, melhora a inibição, liberando a
imaginação e enaltecendo o espírito. É um dos óleos essenciais mais eficazes para
ansiedade nervosa, inquietação, impaciência e depressão. É o óleo mais importante
para aquelas pessoas que querem espiritualizar seus relacionamentos sexuais. Ajuda
a desfazer os sentimentos de culpa e medo que estão associados com o sexo, de
maneira que os parceiros possam expressar sua verdadeira natureza, que é divina.
JUNIPER OU ZIMBRO Júniper
Descrição: Anti-séptico, diurético, cicatrizante. Purifica a mente, limpa vibrações
negativas e liberta pensamentos obsessivos. Dissipa confusão mental. Não usar
quando houver doenças renais.
LARANJA Citrus auranthium
Parte utilizada: casca
Descrição: Aroma doce, refrescante e frutal. Com propriedades digestivas,
estimulante do sistema linfático, sedativo e depurativo. Bom para sintomas de
depressão, tensão nervosa e stress, revitalizando o organismo como um todo,
melhora ansiedade, é afrodisíaca, Por ser um excelente tônico do SNC, auxilia no
tratamento de anorexia nervosa. Atua no físico como calmante, sedativo, colagogo,
diurético, tônico, antiespasmódico, anti-séptico e depurativo. Melhora a elasticidade
da pele, ajudando a formar colágeno. Estimula a digestão de gorduras.Na estética, é
bom para celulite, obesidade, retenção de água, equilibrador e amaciante da pele e
cabelos, melhora a elasticidade da pele, desintoxicante, digestiva, laxante, auxilia a
manter o equilíbrio mental Promove o desprendimento, a criatividade, a positividade,
a alegria, a autoconfiança e a amabilidade. Dispersa pensamentos obsessivos da
mente e o medo do desconhecido, promovendo assim o bem-estar e a comunicação
entre as pessoas. A laranja com todo o seu potencial quebra a inflexibilidade e o
egoísmo do ser. Atenua a depressão, ajuda a libertar a pessoa de vícios (açúcar,
álcool, comida e relacionamentos obsessivos).
LAVANDA FRANCESA Lavandula officinalis
Parte utilizada: flor
Descrição: É considerado o óleo mais útil e versátil da aromaterapia com seu aroma
floral adocicado com tom amadeirado balsâmico. Agrada a quase todos. Seu aroma
animador e confortante alivia o stress, a ansiedade e a depressão e insônia. Também
útil em casos de dores musculares, reumatismo, queimaduras, ferimentos, dor de
cabeça e enxaqueca. Na estética excelente para pele pelas suas propriedades
restauradoras e cicatrizantes, ajuda nos cuidados com a acne, as dermatites, os
eczemas e em todos os tipos de pele. Também previne pediculose. Alivia os efeitos
de picadas de insetos, queimaduras, anti-séptico, analgésico, citofilático,
antiespasmódico, fortalece o organismo revigorando-o e restaurando-o,
antiinflamatório, descongestionante, calmante e sedativo. Traz alegria para o coração
e promove o bem estar, relaxante muscular. A lavanda pode ser utilizada sem
problemas por crianças.
LEMONGRASS Cymbopogan flexuosus
Descrição: Aroma doce semelhante ao limão com um tom terroso. Bom coadjuvante
de tratamentos estéticos de flacidez muscular, dores musculares e massagem
desportiva. No emocional é revigorante, alivia a depressão, combate ao stress e a
exaustão nervosa.Precauções: em doses altas é irritante da pele
LIMÃO Citrus limonum
Parte utilizada: casca
Descrição: Seu aroma é fresco e adocicado e cheira como a própria fruta fresca. É
animador e refrescante. Combate gripes, resfriados, ansiedade e falta de
concentração. depurativo, anti-reumático, contra acne, obesidade, antibiótico,
combate gripes, é bactericida e anti-séptico. Um óleo de banho ideal para estimular
os sentidos e revigorar a pele. Na Estética é bom para edemas, pele oleosa, acne,
pele inflamada, seborréia, celulite e pele rachada.
Excelente para meditação. Clareia a mente e auxilia no processo de decisão. Ajuda a
acalmar tempestades emocionais, alivia o medo do envolvimento emocional com o
outro. Combate o ressentimento, amargura, mau humor, indecisão, bloqueio mental
e irracionalidade. Purifica, estimula e direciona.Precauções: fotossensibilizante, não
aplicá-lo antes de exposição solar por pelo menos 12 horas. Usar em baixa
concentração
MANJERICÃO Ocimun basilicun
Descrição: Seu aroma é leve, refrescante, doce apimentado com um tom balsâmico
canforado. No efeito emocional é bom para ansiedade, stress, depressão, frieza
emocional, clareza de raciocínio, fadiga, reanimador, aquecedor
Promove sentimento de autovalorização. Ajuda a superar a falta de confiança,
indecisão e negativismo. Elimina a fadiga mental. Vivifica o espírito para aqueles que
necessitam de proteção. Excelente tônico para os nervos, combatendo ansiedade,
depressão, fadiga intelectual, insônia e tensão nervosa, dá força e clareza para a
mente. Fortalece o sistema nervoso central.
MANJERONA Origanum majorana
Descrição: Seu aroma é quente e amadeirado e ligeiramente canforado. De efeito
relaxante na musculatura, é aquecedor aliviando dores nas juntas enrijecidas, dores
reumáticas, músculos tensos e contraídos e sensação de frio. No emocional é bom
para ansiedade, tensão e insônia. Promove tranqüilidade, dissipa o sentimento de
solidão, o desgosto, combate depressão nervosa, neurastenia, claustrofobia, acalma
ataques epilépticos. Oferece conforto emocional. Regula o ciclo menstrual. Possui
ação antiespasmódica, expectorante, hipotensivo, anti-séptico e
sedativo.
Precauções: não usar durante a gravidez e sua propriedade sedativa a tornam um
bom tranqüilizante, portanto use-a em baixa concentração
MENTA
Descrição: Promove expansão e o despertar com tranqüilidade e lucidez. Renova e
regenera a auto-aceitação abrindo espaço para ser você mesmo. Estimula o fluxo de
energia e os sonhos trazendo informações e compreensão sobre eles. Excelente para
fadiga mental, depressão, stress. Tem ação analgésica no sistema digestivo.
Purificador do sangue é antiinflamatório e expectorante.
MIRRA Myrrh
Descrição: Atua no emocional encorajando o domínio, a coragem, a paz, a calma, a
aceitação e a firmeza. É anti-séptico, tônico peitoral, antiespasmódico, cicatrizante e
adstringente. Não usar durante a gravidez.
OLIBANO Boswellia carteri
Descrição: Seu aroma é quente, balsâmico e levemente canforado. Bom para
combater os sintomas da ansiedade, tensão e stress. Ajuda a concentração por isso
ajuda na meditação e eleva a consciência. Na estética cuida da pele madura e oleosa.
Promove a estabilidade emocional, o esclarecimento, a coragem, a solução, a
aceitação, a proteção. Atua como um vigilante constante, capaz de oferecer suporte
em qualquer circunstância da vida. Como um pai vigilante, ele não nos leva onde nós
não estamos preparados a ir. Com sua visão universal, ele está sempre nos
protegendo; se ele se depara com energias malévolas incorporadas na pessoa, ele
tem o poder e a autoridade de cuidar de sua remoção. Dissipa a ansiedade e obsessão
ligada ao passado. No físico ele atua em hemorragias uterinas, em drenagem
linfática, cura feridas e remove o muco dos pulmões. Estimulante, antidepressivo,
tônico respiratório e digestivo. Muito usado em meditação pelo seu poder de elevar
o espírito.
PALMAROSA Cymbopogon martini
Descrição: É uma planta da mesma família do capim-limão e citronela. A natureza
do óleo é de aroma suave e floral adocicado, com toque terroso. Seu odor é animador
e estimulante.Ajuda a combater a ansiedade, tensão e stress. Óleo muito útil na
estética. Eficaz nos casos de acne, mas serve para todos os tipos de pele, previne
estrias, regula a produção de sebo, pequenos problemas infecciosos de pele e rugas.
PATCHOULI Pogostemon patchouli
Descrição: Óleo de aroma muito intenso, amadeirado, doce e balsâmico. Seu odor
é quente e estimulante com reputação de afrodisíaco. Ajuda nos casos de stress e
ansiedade. Na estética é bom nos casos de acne, dermatite, eczema, pele madura,
rachada, ressecada, rugas, pé-de-atleta, tinha e caspa. Útil para tensão nervosa,
hipersensibilidade, ansiedade e insônia. É citofilático, cicatrizante, antiviral,
descongestionante cardiovascular, é regulador de apetite. Desperta a sensualidade.
Promove o nosso lado mais realista, prático e intuitivo.
PETIGRAIN Citrus aurantium
Descrição: Seu aroma é floral e doce-amargo, que lembra o néroli um pouco menos
refinado.Seu odor é refrescante e animador. Alivia o stress, a insônia e a tensão. Na
estética ajuda a tratar de peles com acne, pele e cabelos oleosos e odores. É um
tônico capilar.
PINHO Pinus sylvestris
Descrição: Existem muitas espécies de pinho, embora o de melhor qualidade seja a
planta descrita como “Siberiano”, porém a maior parte provém da Finlândia.Seu
aroma é forte, seco, balsâmico com tom canforado. Alivia dores reumáticas e
musculares. É aquecedor, estimulante, relaxante e confortante. Ajuda a desenvolver
uma auto-imagem positiva, promovendo mudanças em sua vida. Traz positividade,
restaurando a autoconfiança, dispersa a melancolia. Desenvolve a auto-aceitação e
o perdão. É um tônico para rins, nervos e pulmões, combate infecções e febre alta.
Normaliza a pressão sanguínea. É anti-séptico. É um dos mais efetivos óleos para
fadiga e debilidade nervosa.Precauções: usar em baixa concentração, pois pode
irritar peles sensíveis
SANDALO Sandalwood
Parte utilizada: madeira
Descrição: Estimula o sistema nervoso central, dispersa ansiedade e depressão.
Conforta trazendo relaxamento ao sentimento de euforia, enquanto purifica, traz paz
e serenidade profunda. Purifica os órgãos sexuais, limpando energias bloqueadas que
causam frigidez e impotência. É anti-séptico para todos os desajustes urinários.
Benéfico para problemas respiratórios. Fortalece o sistema imunológico contra
infecções. Bom para todos os tipos de pele, relaxa. É afrodisíaco, excelente para
cuidados da pele, perfume natural. Também atua contra a bronquite, retenção de
líquido. É tônico e expectorante.
SALVIA ESCLAREA Clary Sage
Parte utilizada: erva inteira
Descrição: Muito eficaz em patologias ginecológicas, poderoso antiespasmódico,
ajuda a dissipar medo e ansiedade. Indicado para fortalecer a circulação da energia
dos pulmões. Poderoso relaxante para músculos retesados e cãibras, dores nas
pernas. Reduz pressão alta.Aumenta a autoconfiança, renova o ar, excelente para
cuidados com a pele, forte desinfetante. Anticonvulsivo e balsâmico. Alivia a tensão
muscular. Muito relaxante - por isso, aconselha-se a utilização no período noturno.
ROSA
Descrição: Encoraja o contentamento, a liberdade interior, o amor com
sensualidade e pureza. Traz harmonia e permissão para que o fluxo do amor
incondicional flua em nossas vidas. Promove o entendimento e a aceitação de nós
mesmos. No físico atua como anti-séptico, antidepressivo, antiinflamatório,
cardiotônico, regulador de apetite, adstringente,sedativo, atenua marcas de
expressão, estimula o sistema imunológico e em problemas sexuais como frigidez e
impotência, desencadeados pelo stress é muito benéfico seu uso. É usado como
estimulante sexual, promovendo a virilidade masculina.
TANGERINA Citrus reticulata
Descrição: De aroma intensamente doce e rico com um tom floral. É anti-séptico,
calmante, sedativo, estimulante linfático, digestivo e aliviador. Ajuda a combater as
causas da celulite, edemas e estrias. Parte utilizada: casca
Efeitos terapêuticos:clareza mental, problemas de pele, celulite. Atua no sistema
linfático, combate à irritabilidade e o cansaço.Precauções: embora pouco
fotossensibilizante evite exposição solar direta após a sua aplicação.
TEA TREE Melaleuca alternifolia
Descrição: De aroma forte medicinal levemente canforado. Durante a Segunda
Guerra Mundial foi incluída nos kits de primeiros socorros para combater as infecções.
O óleo de tea tree é uma das ferramentas mais poderosas da aromaterapia na luta
contra bactérias, fungos e vírus. Tem propriedades anti-sépticas. É antiinfeccioso,
bactericida, fungicida, imuno-estimulante e balsâmico. Ajuda a cuidar da pele com
acne, caspa, erupções cutâneas, tinha, micoses de unha, pele inflamada, seborréia e
odores, antifúngico (cândida albicans, trichomonas), antiinfeccioso, anti-séptico
geral. Cicatrizante. Externamente: feridas profundas, queimaduras, qualquer tipo de
prurido, coceiras generalizadas, seja anal ou vaginal, lesões de herpes, tinha,
psoríase, pé-de-atleta, furúnculos e acne.
TOMILHO- Thyme
Descrição: Antidepressivo e reanimador. Protege de exaustão mental quando há
excesso de responsabilidade. Auxilia na concentração da intelectualidade. De forte
ação no sistema respiratório. É um estimulante imunológico. Em caso de anemia,
usá-lo com óleo de cenoura. Excelente tônico digestivo e antiespasmódico. Eficaz
para dermatite, infecções de pele e irritações. Bom para circulação e ajuda a
aumentar a pressão arterial.
VETIVER
Descrição: Encoraja a integridade, a sabedoria, o crescimento, a proteção, a auto-
estima, o aprendizado e a dignidade. Situações de confronto nas quais enfrentamos
adversidades, este óleo nos fortalece e acalma nossa inquietação – esta tranqüilidade
pode trazer as respostas que procuramos. Suas propriedades no físico são: anti-
séptico, tônico, emenagogo, antiespasmódico, nervino.
YLANG-YLANG Cananga odorata
Parte utilizada: flor
Descrição: É um óleo produzido das flores de uma árvore alta nativa da Ásia tropical.
O seu nome significa “flores das flores”e na Indonésia elas são espalhadas no leito
nupcial dos recém-casados. Seu aroma intensamente doce e floral. Tem efeito quente
com reputação de afrodisíaco. Estimula o crescimento dos cabelos, equilibra as peles
oleosas. Bom em seu efeito emocional sobre o stress, a depressão, a insônia, a raiva,
o medo e a frustração. Encoraja a autoconfiança, a sensualidade, a alegria, o
entusiasmo, a vivacidade, o despertar. Este óleo acalma corações severos,
quebrando a rigidez mental em julgar os outros. Para aqueles que anseiam por uma
conclusão em tudo o que fazem. Por causa de sua flexibilidade, ele protege e conduz
a paixão ao amor, permitindo o despertar da sensualidade do ser. É sedativo, anti-
séptico, afrodisíaco, antidepressivo e calmante, impotência, regulador cardíaco,
combate à hipertensão, palpitações, menopausa, stress. Perfume natural para o
corpo.
· Shampoo para cabelos oleosos
Extrato de algas 5mL
Extrato de hamaméllis 5mL
Essência 2mL
Base de Shampoo 188mL
Medir a base de shampoo e adicionar o extrato e a essência. Mexer suavemente para
não formar muita espuma.
· Shampoo para cabelos normais
Extrato de aloe Vera 10mL
Essência 2mL
Base de Shampoo 188mL
Medir a base de shampoo e adicionar o extrato e a essência. Mexer suavemente para
não formar muita espuma.
· Shampoo para cabelos secos
Extrato de cenoura 10mL
Óleo de amêndoas 1mL
Essência 2mL
Base perolizante 4mL
Base de Shampoo 183mL
Medir a base de shampoo e adicionar o extrato, o óleo e a essência. Mexer
suavemente para não formar muita espuma.
· Shampoo de silicone com proteínas
Aminoácidos da seda 10mL
Silicone volátil 3mL
Essência 2mL
Base perolizante 4mL
Base de Shampoo 181mL
Medir a base de shampoo e adicionar o extrato, o óleo e a essência. Mexer
suavemente para não formar muita espuma.
· Shampoo para cabelos tintos
Aminoácidos da seda 4mL
Glicerina 10mL
Extrato de quitosana 10mL
Essência 2mL
Base perolizante 4mL
Base de Shampoo 170mL
Medir a base de shampoo e adicionar o extrato, o óleo e a essência. Mexer
suavemente para não formar muita espuma.
· Shampoo para cabelos claros
Aminoácidos da seda 4mL
Extrato de camomila 10mL
Essência 2mL
Base de Shampoo 183mL
Medir a base de shampoo e adicionar o extrato, o óleo e a essência. Mexer
suavemente para não formar muita espuma.
· Condicionador para cabelos oleosos
Extrato de algas 5mL
Extrato de hamaméllis 5mL
Essência 2mL
Base de Condicionador 188mL
Medir a base de condicionador e adicionar o extrato e a essência.
· Condicionador para cabelos normais
Extrato de aloe vera 10mL
Essência 2mL
Base de Condicionador 188mL
Medir a base de condicionador e adicionar o extrato e a essência.
· Condicionador para cabelos secos
Extrato de cenoura 10mL
Óleo de amêndoas 2mL
Essência 2mL
Base de Condicionador 186mL
Medir a base de condicionador e adicionar o extrato e a essência.
· Condicionador de silicone com proteínas
Aminoácidos da seda 10mL
Silicone volátil 6mL
Essência 2mL
Base de Condicionador 186mL
Medir a base de condicionador e adicionar o extrato e a essência.
· Máscara capilar com abacate
Extrato de cenoura 10mL
Óleo de abacate 10mL
Essência ceramidas 2mL
Base de Condicionador 178mL
Medir a base de condicionador e adicionar o extrato e a essência.
· Coquetel de frutas
Extrato de frutas tropicais 10mL
Óleo de abacate 4mL
Essência ceramidas 2mL
Base de Condicionador 178mL
Medir a base de condicionador e adicionar o extrato e a essência.
· Silicone Reparador de Pontas
Silicone Volátil 20mL
Silicone DC 1401 9mL
Essência 1mL
Medir os componentes e homogeneizar.
· Creme de massagens
Óleo de silicone 10mL
Extrato de arnica 5mL
Extrato de centella asiática 5mL
Base de creme hidratante 80g
Essência 10gotas
Pesar o creme e adicionar os extratos e o óleo, mexendo a cada adição. Adicionar a
essência escolhida e testar o produto.
· Gel redutor
Mentol 1g
Cânfora 1g
Polissorbato 20 1g
Álcool de cereais 10mL
Extrato de algas 5mL
Extrato de centella asiática 5mL
Base de gel 77g
Dissolver a cânfora e mentol no álcool e acrescentar os demais componentes na
ordem citada. Pode-se adicionar corante verde. Não envasar em potes de acrílico ou
PVC somente em PET ou vidro.
· Creme facial
Óleo de semente de uva 5mL
Extrato de aloe vera 5mL
Extrato de cenoura 5mL
Base de creme hidratante 85g
Essência 10gotas
Pesar o creme e adicionar os extratos e o óleo, mexendo a cada adição. Adicionar a
essência escolhida e testar o produto.
· Creme para mãos e pés
Óleo de silicone 5mL
Óleo de amêndoas 3mL
Extrato de hamaméllis 3mL
Uréia 10g
Base de creme Hidratante 79g
Essência 10gotas
Pesar o creme e acrescentar a uréia. Adicionar o extrato e os óleos, mexendo a cada
adição. Adicionar a essência escolhida e testar o produto.
· Creme com rosa mosqueta
Óleo de rosa mosqueta 10mL
Extrato de pfaffia 3mL
Elascon 5mL
Uréia 10g
Base de creme Hidratante 72g
Essência 10gotas
Pesar o creme e acrescentar a uréia. Adicionar o extrato e os óleos, mexendo a cada
adição. Adicionar a essência escolhida e testar o produto.
· Creme após sol
Silicone volátil 5mL
Óleo de urucum 3mL
Extrato de cenoura 5mL
Extrato de germe de trigo 5mL
Uréia 10g
Base de creme Hidratante 72g
Essência 10gotas
Pesar o creme e acrescentar a uréia. Adicionar o extrato e os óleos, mexendo a cada
adição. Adicionar a essência escolhida e testar o produto.
· Loção hidratante corporal
Óleo de silicone 10mL
Óleo de amêndoas 10mL
Extrato de algas 10mL
Extrato de centella asiática 10mL
Uréia 20g
Base de loção Hidratante 140g
Essência 30gotas
Pesar a loção e acrescentar a uréia. Adicionar os extratos e os óleos, mexendo a cada
adição. Adicionar a essência escolhida e testar o produto.
· Gel Hidratante
Extrato de aveia 5mL
Extrato de germe de trigo 5mL
Extrato de cenoura 5mL
Uréia 10g
Base de gel 75g
Essência 10gotas
Pesar o gel e acrescentar a uréia. Adicionar os extratos, mexendo a cada adição.
Adicionar a essência escolhida e testar o produto.
· Gel Fixador
Glicerina 5mL
Propilenoglicol 5mL
PVP K-30 1g
Base de gel 89g
Essência 10gotas
Dissolver o PVP na glicerina e propilenoglicol e misturar ao gel.
· Creme desodorante
Silicone volátil 3mL
Extrato de aveia 5mL
Clorohidróxido de alumínio 50% 10mL
Uréia 5g
Base de creme Hidratante 77g
Essência 10gotas
Pesar o creme e acrescentar a uréia. Adicionar os demais componentes, mexendo a
cada adição. Adicionar a essência escolhida e testar o produto.
· Desodorante Spray
Propilenoglicol 10mL
Clorohidróxido de alumínio 50% 10mL
Extrato de aveia 5mL
Irgasan solução 10% 2mL
Água destilada 10mL
Álcool de cereais 63mL
Dissolver o irgasan no álcool e adicionar o propilenoglicol. Homogeneizar bem e
adicionar o clorohidróxido e a água. Pode-se acrescentar essência se quiser.
· Sabonete Esfoliante
Apricot 5g
Extrato de algas 5mL
Anfótero 10mL
Base de gel 79g
Essência 1mL
Pesar o gel e acrescentar a uréia. Adicionar os extratos, mexendo a cada adição.
Adicionar a essência escolhida e testar o produto.
· Gel após Barba
Extrato de aloe vera 5mL
Extrato de camomila 5mL
Mentol solução 10% 2mL
Irgasan solução 10% 2mL
Base de gel 83g
Essência 1mL
Pesar o gel e acrescentar os extratos e as soluções mexendo a cada adição. Adicionar
a essência escolhida e testar o produto.
· Gel de Barbear
Extrato de aloe vera 5mL
Glicerina 5mL
Mentol solução 10% 2mL
Irgasan solução 10% 2mL
Anfótero 15mL
Base de gel 70g
Essência 1mL
Pesar o gel e acrescentar os extratos e as soluções mexendo a cada adição. Adicionar
a essência escolhida e testar o produto.
· Sais Com Maracujá
Lauril sulfato de sódio em pó 10g
Sulfato de magnésio 50g
Cloreto de sódio 140g
Essência maracujá 2mL
Semente de maracujá triturada 10g
Óleo de maracujá 10g
Corante amarelo qs
Técnica: Dissolver a essência e o corante desejado em 10mL de álcool. Em
separado, misturar os pós e passar por uma peneira, para retirar possíveis grânulos.
Misturar a essência e o corante dissolvidos. Forrar a mesa previamente limpa com
plástico e depois com papel toalha. Deixar o sal secar totalmente sobre o papel antes
de envasar.
· Sais Com Castanha do Pará
Lauril sulfato de sódio em pó 10g
Sulfato de magnésio 50g
Cloreto de sódio 140g
Essência 2mL
Óleo de castanha do Pará em pó 5g
Corante marfim qs
Técnica: Dissolver a essência e o corante desejado em 10mL de álcool. Em
separado, misturar os pós e passar por uma peneira, para retirar possíveis grânulos.
Misturar a essência e o corante dissolvidos. Forrar a mesa previamente limpa com
plástico e depois com papel toalha. Deixar o sal secar totalmente sobre o papel antes
de envasar.
· Óleo De Banho com Maracujá
Óleo de maracujá 20mL
Miristato de isopropila 20mL
BHT solução 5% 2mL
Propilparabeno solução 10% 2mL
Óleo mineral 152mL
Essência maracujá 4mL
Misturar os componentes com simples agitação.
· Óleo De Banho Bifásico Bronzeador
Fase 1: Óleo de urucum 6mL
Miristato de isopropila 10mL
BHT solução 5% 1mL
Propilparabeno solução 10% 1mL
Óleo mineral 78mL
Essência 4mL
Fase 2: Extrato guaraná 10mL
Propilenoglicol 50mL
EDTA solução 5% 1mL
Metilparabeno solução 10% 1mL
Água destilada 38mL
Corante qs
Misturar os componentes de cada fase em separado com simples agitação.
· Óleo De Banho Bifásico Desodorante com clorofila
Fase 1: clorofila oleosa 1mL
Miristato de isopropila 10mL
BHT solução 5% 1mL
Propilparabeno solução 10% 1mL
Óleo mineral 83mL
Essência 4mL
Fase 2: clorofila hidrossolúvel 10mL
Propilenoglicol 50mL
EDTA solução 5% 1mL
Metilparabeno solução 10% 1mL
Água destilada 38mL
Corante qs
Misturar os componentes de cada fase em separado com simples agitação.
· Sabonete com lama negra
Lama negra 20mL
Extrato de algas 5mL
Essência 2mL
Base de Sabonete líquido 173mL
Medir a base de sabonete e adicionar o extrato, a lama negra e a essência. Mexer
suavemente para não formar muita espuma.
· Sabonete com leite de cabra
Leite de cabra 10mL
Extrato de aveia 5mL
Essência 2mL
Base de creme hidratante 40g
Base de Sabonete líquido 143mL
Medir a base de creme e adicionar os extratos e a essência. Adicionar a base de
sabonete aos poucos e mexer suavemente para não formar muita espuma.
· Sabonete com chocolate
Chocolate em pó 10g
Extrato de cupuaçu 5mL
Essência 2mL
Base de creme hidratante 40g
Base de Sabonete líquido 143mL
Medir a base de creme e adicionar o extrato, o chocolate e a essência. Adicionar a
base de sabonete aos poucos e mexer suavemente para não formar muita espuma.
· Shampoo para cabelos seborréicos
Extrato de jaborandi 10mL
Extrato de própolis 5mL
Óleo de copaíba 1mL
Essência 2mL
Base de Shampoo 182mL
Medir a base de shampoo e adicionar o extrato, o óleo e a essência. Mexer
suavemente para não formar muita espuma.
· Condicionador para cabelos seborréicos
Extrato de jaborandi 10mL
Extrato de própolis 5mL
Óleo de copaíba 1mL
Essência 2mL
Base de Condicionador 182mL
Medir a base de condicionador e adicionar o extrato, o óleo e a essência.
· Shampoo de Lama negra
Lama negra 10mL
Extrato de algas 5mL
Essência 2mL
Base de Shampoo 183mL
Medir a base de shampoo e adicionar o extrato, a lama e a essência. Mexer
suavemente para não formar muita espuma.
· Condicionador de Lama negra
Lama negra 20mL
Extrato de algas 5mL
Essência 2mL
Base de Condicionador 173mL
Medir a base de condicionador e adicionar o extrato, a lama e a essência.
· Máscara capilar para cabelos danificados
Extrato de mutamba 6mL
Óleo de pequi 10mL
Essência ceramidas 2mL
Base de Condicionador 182mL
Medir a base de condicionador e adicionar o extrato e a essência.
· Gel Hidratante e refrescante
Extrato de aloe vera 5mL
Extrato de menta 5mL
Extrato de cupuaçu 5mL
Glicerina 5mL
Base de gel 80g
Essência 10gotas
Pesar o gel e adicionar os extratos, mexendo a cada adição. Adicionar a essência
escolhida e testar o produto.
· Gel antiacne
Extrato de própolis 5mL
Extrato de menta 5mL
Óleo de copaíba 1mL
Base de gel 89g
Pesar o gel e adicionar os extratos o óleo, mexendo a cada adição.
· Creme com pitanga
Óleo de semente de uva 5mL
Extrato de pitanga 5mL
Extrato de frutas vermelhas 5mL
Uréia 10g
Base de gel 20g
Base de creme hidratante 55g
Essência 10gotas
Pesar o creme e dissolver a uréia. Adicionar os extratos, o óleo e a base de gel,
mexendo a cada adição. Adicionar a essência escolhida e testar o produto.
· Loção hidratante corporal
Óleo de castanha do Pará 10mL
Óleo de pequi 5mL
Extrato de cupuaçu 10mL
Uréia 20g
Base de loção Hidratante 155g
Essência 30gotas
Pesar a loção e acrescentar a uréia. Adicionar os extratos e os óleos, mexendo a cada
adição. Adicionar a essência escolhida e testar o produto.
· Loção hidratante com leite de cabra
Óleo de rosa mosqueta 10mL
Leite de cabra 20mL
Extrato de aveia 10mL
Uréia 20g
Base de loção Hidratante 140g
Essência 30gotas
Pesar a loção e acrescentar a uréia. Adicionar os extratos e os óleos, mexendo a cada
adição. Adicionar a essência escolhida e testar o produto.
· Loção hidratante com chocolate
Óleo de castanha do Pará 10mL
Chocolate em pó 10g
Extrato de cupuaçu 10mL
Uréia 20g
Base de loção Hidratante 150g
Essência 30gotas
Pesar a loção e acrescentar a uréia. Adicionar os extratos e os óleos, mexendo a cada
adição. Adicionar a essência escolhida e testar o produto.
· Loção Repelente de citronela
Óleo de citronela 10mL
Uréia 20g
Base de loção Hidratante 170g
Pesar a loção e acrescentar a uréia. Adicionar o óleo mexendo a cada adição.
· Spray Repelente de citronela
Óleo de citronela 10mL
Propilenoglicol 20mL
Álcool de cereais 70mL
Misturar os componentes.
· Protetor Labial
Cera de abelha 10g
Óleo de rícino 10mL
Óleo de amêndoas 10mL
Manteiga de cacau 5g
Chocolate em pó 5g
Pesar os componentes e aquecer até a fusão. Verter a massa fundida em moldes.
Pode-se adicionar 1mL de flavorizante se achar necessário.
· Hidratante em barra
Cera de abelha 30g
Óleo de amêndoas 40mL
Manteiga de cacau 10g
Manteiga de karité 10g
essência de patchouli 5mL
essência de ylang-ylang 5mL
Pesar os componentes e aquecer até a fusão. Verter a massa fundida em moldes.

AGENTES ANTIOXIDANTES:
A oxidação é o processo que leva à decomposição de uma matéria prima, com perda
de sua função. A luz, ar, calor, contaminantes do meio (catalisadores e metais
pesados) e o pH do meio são os iniciantes desse tipo de reação. O mecanismo de
oxidação inicia-se com a formação de radicais livres de peróxido e superóxidos. Os
antioxidantes preservam a formulação dos processos oxidativos atuando de várias
maneiras:
· Antioxidantes que atuam interrompendo as cadeias de radicais livres
BHA
BHT
Vitamina E (tocoferóis)
Galato de propila
· Antioxidantes que atuam sofrendo oxidação (agentes redutores)
Metabissulfito de sódio
Bissulfito de sódio
Ácido ascórbico
Palmitato de ascorbila
Tiossulfato de sódio
· Antioxidantes que atuam por mecanismos preventivos
Ácido cítrico
Ácido etilenodiaminotetracético (EDTA) e seus sais
Cloridrato de cisteína
Glutation
Metionina
USOS ADEQUADOS DOS ANTIOXIDANTES
· Antioxidantes para sistemas aquosos
Ácido ascórbico: pó cristalino branco ou ligeiramente amarelado e inodoro.
Escurece gradualmente quando exposto à luz. Razoavelmente estável em estado
seco, mas oxida rapidamente em soluções. Sua solubilidade é de 1g/3ml de água e
1g/30ml de álcool. Tem ação efetiva como antioxidante entre 0,05 e 3% nas
formulações.
Bissulfito de sódio (NaHSO 3): pó ou cristais brancos ou levemente amarelados,
com sabor desagradável e odor característico de dióxido sulfúrico. Dissolve-se 1g de
bissulfito de sódio em 4ml de água ou 70ml de álcool. É efetivo como antioxidante a
0,1%.
Metabissulfito de sódio (Na2S2O5): pó branco ou cristais incolores com odor
sulfuroso e sabor ácido e salino. Oxida-se lentamente a sulfato quando exposto ao
ar e umidade. É usado nas formulações em concentrações entre 0,02 e 1,0%.
Tiossulfato de sódio (Na2S2O3.5H2O): pó cristalino ou cristais incolores. É
eflorescente no ar seco em temperaturas acima de 33ºC e levemente deliqüescente
ao ar úmido. 1 grama de tiossulfato de sódio dissolve-se em 0,5ml de água e forma
soluções neutras ou levemente alcalinas. É usado em concentrações de 0,05%.
· Antioxidantes para sistemas oleosos
Ascorbil palmitato: pó branco ou branco-amarelado com odor característico.
Levemente solúvel em água e óleos vegetais. Solúvel em álcool. É efetivo nas
concentrações de 0,01 - 0,2%.
Butilhidroxianisol (BHA): cera sólida branca a branco-amarelada com fraco odor.
Insolúvel em água e facilmente solúvel em álcool e propilenoglicol. É usado em
concentrações entre 0,005 e 0,01%.
Butilhidroxitolueno (BHT): sólido cristalino branco com fraco odor. Insolúvel em
água e propilenoglicol e facilmente solúvel em álcool. É usado em concentrações
entre 0,03 – 0,1%.
Propil galato: pó cristalino branco com odor muito leve. Levemente solúvel em água
e álcool. Suas concentrações usuais são de 0,005 a 0,15%
Vitamina E: óleo viscoso, claro, amarelo ou amarelo-esverdeado. Praticamente
inodoro. Instável à luz e ao ar. Insolúvel água, solúvel em álcool, miscível com
acetona e óleos vegetais.
AGENTES QUELANTES:
São usados para retirar traços de metais que podem contribuir com a degradação
das formulações. Os principais quelantes são o ácido etilenodiaminotetracético
(EDTA) e seus sais, principalmente o EDTA dissódico. Pode ser adicionado às
formulações em concentrações entre 0,05 e 0,3%.
Ação de íons contaminantes dissolvidos em solventes usados em
manipulação
· Ca, Mn, Fe, Al: co-precipitação em sistemas hidroalcóolicos por formação de
complexos insolúveis;
· Cl: alterações de cor e degradação de princípios ativos;
· Mg, Zn: instabilidade de emulsões;
· Íons metálicos em geral: decomposição de compostos fenólicos
(antioxidantes, estabilizantes UV), má fixação de essências, descoloração ou
formação de complexos coloridos com os componentes da formulação, efeitos
catalíticos de decomposição dos componentes e redução da vida do produto;
· HCO3-, CO3--: alterações de pH e interferências nas análises.
AGENTES ACIDIFICANTES E ALCALINIZANTES:
É necessário na prática diária, acertar o pH de formulações de acordo com
suas necessidades. Para esta operação pode se usar os ácidos bórico, cítrico,
clorídrico e lático para abaixar o pH e hidróxidos de sódio e amônio, borato de sódio,
bicarbonato de sódio, fosfato de sódio e trietanolamina para elevar o pH.
pH em diversas regiões do organismo
Tornozelos 5,9 Axilas 6,5
Pés 7,2 Tronco 4,7
Coxas 6,1 Pregas mamas 6,0
Seios 6,2 Pernas 4,5
Cabelos 4,1 Pregas interdigitais 7,0
Rosto 7,0 Intravaginal 6,2
Vaginal 4,5 Mãos 4,5
Costas 4,8 Nádegas 6,4
CONSERVANTES:
Conservantes Espectro de ação pH de Incompatibilidades Concentração
estabilidade usual
Ácido sórbico Fungos, levedos, 2,5 – 6,0 Tween 80 0,05 – 0,2%
pouca atividade
microbiana
Bronopol (2- Gram +, gram – 5,0 – 7,0 Cisteína, tioglicolato, 0,01 – 0,1%
bromo- (mais ativo), fungos tiossulfato e
nitropropano- (menos ativo) metabissulfito
1,3 diol)
Clorhexidina Gram +, gram – 5,0 – 8,0 Tensoativos 0,01%
(mais ativo), aniônicos, alginatos,
fungos,pseudomonas CMC, lecitinas e
(menos ativo) tween 80
Imidazolil uréia Gram +, gram- 3,0 – 9,0 Avobenzona 0,03 – 0,5%
(Germall 115)
Metilparabeno Fungos e leveduras 3,0 – 9,5 Gelatina, proteínas, 0,02 – 0,3%
(nipagim) metilcelulose e tween
80
Propilparabeno Fungos e leveduras 3,0 – 9,5 Gelatina, proteínas, 0,01 – 0,6%
(nipazol) metilcelulose e tween
80
CORANTES E PIGMENTOS:
Corantes são substâncias que desenvolvem seu poder tintorial dissolvidos no meio
em que são aplicadas. Pigmentos são substâncias insolúveis que desenvolvem seu
poder tintorial dispersas no meio em que são aplicadas.
Alguns corantes permitidos para produtos de uso externo:
Color index Cor Campo de aplicação
10006 Verde Uso em produtos de leve contato (shampoos,
rinses)
11920 Laranja Todos os produtos tópicos
75470 Vermelho Todos os produtos tópicos
13015 Amarelo Todos os produtos tópicos
15510 Laranja Todos os produtos tópicos menos para área dos
olhos
15800 Vermelho Todos os produtos tópicos menos para
mucosas
42051 Azul Todos os produtos tópicos
42080 Azul Uso em produtos de leve contato (shampoos,
rinses)
42520 Violeta Uso em produtos de leve contato (shampoos,
rinses)
61565 Verde Todos os produtos tópicos
72260 Verde Todos os produtos tópicos menos para
mucosas
Os corantes devem ser utilizados na forma diluída. Essas soluções de corantes devem
ser protegidas da luz e renovadas constantemente.
· Solução Base Para Corantes
Corante 0,10 – 10,0%
Nipagim 0,15%
Nipazol 0,05%
Propilenoglicol 3,00%
Etanol 10,0%
Água destilada qsp 100%
EMULSIONANTES:
Quanto menor for a tensão interfacial entre dois líquidos imiscíveis, maior é a
facilidade de emulsioná-los. Como a tensão interfacial entre dois líquidos é sempre
maior que zero, a dispersão de um líquido em outro aumenta e área interfacial,
resultando no correspondente aumento na energia interfacial livre no sistema.
Para se calcular a quantidade de tensoativos necessária para a formação de uma
emulsão, deve-se conhecer o valor do ELH (equilíbrio lipófilo-hidrófilo) dos
emolientes e dos emulsionantes usados no produto.
Atividade esperada Faixa de ELH

Emulsionantes A/O 4,0 – 6,0


Agentes umectantes 7,0 – 9,0
Emulsionantes O/A 8,0 – 18,0
Detergentes 13,0 – 15,0
Solubilizantes 15,0 – 18,0
· ELH dos emulsionantes
Para tensoativos não iônicos etoxilados usa-se a seguinte equação:
ELH = E/5, onde E = % em peso da cadeia etoxilada da molécula.
Exemplo: álcool laurílico com 20 moles de óxido de eteno
Peso molecular = 1066
Peso molecular do óxido de eteno = 44
Peso molecular da cadeia etoxilada = 44 x 20 = 880
% em peso da cadeia etoxilada da molécula = 880/1066 =
83%
ELB = 83/5 = 16,6
Para tensoativos derivados de ésteres graxos
ELH = 20 (1 – S/A), onde S = índice de saponificação e A = índice
de acidez
· ELH dos emolientes
Emolientes ELH ELH
requerido requerido
em emulsão em emulsão
O/A A/O
Manteiga de cacau 6
Ácido isoesteárico 6–7
PPG-15-estearil éter 7
Petrolato 7–8
Silicone volátil (Ciclometicone) 7–8
Octildecanol 8
Cera de abelha 9 4
Óleo de jojoba 9
Óleo de silicone (Dimeticone) 9
Adipato de diisopropila 9
Parafina 10 4
Óleo mineral parafínico 9 – 11 4–5
Óleo mineral naftênico (aromático) 11 – 12 6
Vaselina líquida 11
Estearato de butila 11
Miristato de isopropila 11 – 12
Palmitato de isopropila 11- 12
Parafina branqueada 12 – 14
Lanolina anidra 12 8
Monoestearato de glicerila 13 3,8
Lanolato de isopropila 14
Álcool cetílico 15 – 16 1,3
Álcool estearílico 15 – 16
Ácido esteárico 15
Ácido láurico 16
· Cálculos de uso de emulsionantes
O valor de ELH para se obter a melhor emulsão é o valor de ELH da fase oleosa. Na
prática é comum utilizar uma mistura de emolientes, onde o emoliente é a média
ponderada dos ELH dos emolientes usados. O ELH necessário para emulsionar à fase
oleosa é igual à fração do emoliente na fase oleosa multiplicado pelo seu ELH.
Como exemplo, na emulsão de parafina de ELH requerido igual a 10, será necessária
uma mistura de emulsionantes cujo ELH seja de aproximadamente 10. além disso,
devem ser observadas as regras de compatibilidade química e a quantidade de
emulsionante (geralmente de 20 a 25% da fase oleosa).
ESSÊNCIAS:
As essências devem ser adicionadas às formulações sempre abaixo de 40ºC e é
conveniente que sejam pré-dissolvidas em ativos com ação sobreengordurante como
a glicerina, propilenoglicol, polietilenoglicóis, dietanolamidas, polissorbatos e óleos
fixos para que tenham uma perfeita fixação no produto e no usuário após a aplicação
do mesmo.
Concentrações tradicionais de uso de essências
Antiperspirantes 0,5 – 1,0%
Sabonetes comuns 1,0 – 1,5%
Sabonetes transparentes 1,5 – 3,0%
Sabonetes líquidos 1,0 – 1,5%
Talcos 0,5 – 1,0%
Espumas de banho 1,0 – 3,0%
Sais de banho 3,0 – 5,0%
Óleos de banho 3,0 – 5,0%
Perfumes 3,0 – 10%
Creme de barbear 1,0 – 1,5%
Batom 0,5 – 1,0%
Shampoo 0,2 – 1,0%
Cremes 0,2 – 0,5%
Loções 0,2 – 0,5%
Condicionadores 0,2 – 0,5%
Bronzeadores 0,2 – 0,5%
SOLUÇÕES TÓPICAS
São preparações farmacêuticas líquidas aplicadas topicamente onde os princípios
ativos estão geralmente solubilizados. O conhecimento dos principais solventes
utilizados é fundamental, pois a solubilização e homogeneização dos fármacos é
fundamental para o efeito do medicamento e para a qualidade do produto final. Os
principais solventes são:
 ÁGUA
A água é o solvente mais utilizado em farmacotécnica. A água deve satisfazer as
exigências legais em relação às características físicas, químicas e microbiológicas. A
água potável (filtrada) é usada como matéria-prima para a obtenção de água
destilada, deionizada, esterilizada ou para injeção, as quais são e,pregadas
rotineiramente em farmácia magistral.
Água Deionizada: Para pequenos volumes, o processo consagrado é o da
deionização por troca iônica. Um deionizador de bancada possui uma grande
superfície de resina em contato com a água, onde há acumulo de impurezas,
facilitando a proliferação de microorganismos. Para recuperar as resinas, é necessário
regenerar o sistema cada vez que o condutímetro indicar saturação.
A sanitização de resinas é feita com a aplicação de hipoclorito de sódio a 5% e
deve ser realizada semanalmente. Devendo após isso, esvaziar todo o conteúdo do
deionizador até que a água não apresente traços de cloro.
A regeneração de resinas deve ser feita apenas quando o sistema indicar
saturação. Em resinas de troca catiônicas deve aplicar solução de ácido clorídrico 4%
e em resinas de troca aniônicas deve-se aplicar solução de hidróxido de sódio 4%.
Água Destilada: Do ponto de vista microbiológico é o melhor processo de
purificação de água, pois envolve mudança de estado físico, fornecendo teoricamente
água estéril. O destilador e o barrilete devem ser limpos e sanitizados periodicamente
e o armazenamento da água é contra-indicado.
Água Esterilizada:Água destilada que foi esterilizada, despirogenada e
acondicionada em recipientes limpos e hermeticamente fechados, utilizada no
preparo de colírios e injetáveis, podendo conter ou não bacteriostáticos.
 ÁLCOOL ETÍLICO
Segundo solvente mais utilizado, diminui a possibilidade de hidrólise, tem
conservação indefinida e pode ser misturado com água. É usado em soluções
hidroalcóolicas extrativas de princípios ativos (de 45 – 90%), em soluções anti-
sépticas e desinfetantes (70%).
Constitui um bom solvente para essências, alcalóides, glicosídeos, sendo, porém
fraco para gomas e proteínas. Loções tópicas de etanol são usadas para facilitar a
penetração de ativos na pele.
Usos do álcool etílico Concentrações

Preservativo antimicrobiano Acima de 10%


Desinfetante 60 – 90%
Solvente extrativo em produtos galênicos Até 85%
Solvente em preparações líquidas de uso oral Variável
Solvente em soluções injetáveis Variável
Solvente em produtos tópicos 60 – 90%
Solvente em film coating Variável
Incompatibilidades:
 Em condições ácidas, soluções etanólicas podem reagir violentamente com
agentes oxidantes;
 Misturas com álcalis podem escurecer devido a reações com quantidades
residuais de aldeídos;
 Substâncias biológicas e gomas podem precipitar;
 Loções hidroalcóolicas acima de 20ºGL podem inativar os lipossomas.
 GLICERINA
A glicerina é utilizada em uma grande variedade de preparações farmacêuticas
incluindo preparações de uso oral, auricular, oftálmico, tópico, parenteral e
cosméticos.
Em formulações tópicas e cosméticas é usada por suas propriedades umectantes e
emolientes. Em formulações parenterais é usada como solvente e em preparações
orais é usada comoantimicrobiana, edulcorante e doador de viscosidade.
Usos da glicerina Concentrações

Preservativo antimicrobiano Acima de 20%


Emoliente e umectante Até 30%
Formulações oftálmicas 0,5 – 3,0%
Solvente para preparações parenterais Até 50%
Agente edulcorante em preparações orais Até 20%
Incompatibilidades:
 A glicerina pode explodir se misturada com agentes oxidantes fortes como o
trióxido de cromo, clorato de potássio e permanganato de potássio;
 Pode ocorrer escurecimento na presença de luz, com óxido de zinco ou
subnitrato de bismuto;
 Se contaminada por ferro, pode escurecer em misturas com fenóis, salicilatos
e taninos;
 PROPILENOGLICOL
O propilenoglicol tem sido amplamente utilizado como um solvente, extrator e
conservante em uma variedade de preparações farmacêuticas de uso parenteral e
não parenteral. Ele é melhor solvente que a glicerina e dissolve uma variedade de
substâncias tais como, corticóides, fenóis, sulfas, barbituratos, vitaminas A e D, a
maioria dos alcalóides e vários anestésicos locais. Apresenta ação anti-séptica similar
ao etanol, porém pouco menos efetivo. O propilenoglicol é também utilizado em
cosméticos como umectante, como veículo de emulsificantes e flavorizantes, como
doador de viscosidade e para aumentar o tempo de permanência da droga na
superfície cutânea.
Usos do propilenoglicol Forma farmacêutica Concentrações

Preservativo Soluções, semi- 15 – 30%


sólidos
Emoliente e umectante Tópica Até 30%
Solvente ou co-solvente Aerossol 10 – 30%
Soluções orais 10 – 25%
Soluções parenterais 10 – 60%
Tópicos 5 – 80%

Incompatibilidades:
 O propilenoglicol é incompatível com agentes oxidantes fortes como o trióxido
de cromo, clorato de potássio e permanganato de potássio;
 POLIETILENOGLICOL 400
Os polietilenoglicóis são amplamente utilizados em uma variedade de preparações
farmacêuticas, incluindo parenteral, tópica, oftálmica, oral e retal. São estáveis, de
característica hidrofílica e não irritantes à pele. Embora eles não penetrem
rapidamente na pele, os PEGs são solúveis em água e como tal são facilmente
removidos da pele com lavagem.
Em soluções aquosas pode ser usado como agente suspensor e doador de viscosidade
e consistência. Quando em conjunto com outros emulsificantes, podem atuar como
estabilizantes de emulsões. Também pode ser usado para aumentar a solubilidade
de substâncias pouco solúveis em água.
Incompatibilidades:
· Pode ser incompatível com alguns corantes;
· A atividade antibacteriana de certos antibióticos, particularmente penicilina e
bacitracina, é reduzida em bases de polietilenoglicóis;
· A eficácia conservante dos parabenos podem ser reduzidas;
· Descolorações de antralina e sulfonamidas podem ocorrer e o sorbitol pode
precipitar de soluções.
 ÉTER SULFÚRICO
O éter sulfúrico é um líquido límpido, incolor, de odor característico, inflamável, muito
volátil, produzindo considerável resfriamento na pele. É solúvel com o etanol, óleos,
essências e dissolve as gorduras, resinas, enxofre e etc.
Incompatibilidades:
· Ácido sulfúrico: formação lenta de ácido sulfovínico ou sulfato de óxido de etila,
com novas propriedades.
· Ácido crômico, permanganatos solúveis: forte oxidação podendo resultar em
mistura explosiva;
· Sais e álcalis em geral: geralmente são insolúveis em éter;
· Água: são miscíveis com o éter somente em mínima proporção;
· Oxidantes em geral: convertem lentamente o éter em peróxido de etila e
hidrogênio;
· Proteínas: são insolúveis em éter e podem precipitar de soluções.
 ÓLEOS VEGETAIS
Têm grande aplicação em preparações tópicas farmacêuticas e cosméticas, injetáveis
oleosos, colírios oleosos e como solvente.
Os principais óleos vegetais usados são os de soja, milho, girassol, amêndoas,
semente de uva, macadâmia, etc.
 ÓLEO MINERAL
O óleo mineral é utilizado principalmente como excipiente em formulações tópicas
onde exerce ação emoliente e solvente.
Usos do óleo mineral Concentrações

Pomadas oftálmicas 3 – 60%


Preparações auriculares 0,5 – 3%
Emulsões tópicas 1 – 32%
Pomadas tópicas 0,1 – 95%
Incompatibilidades:
 Incompatível com agentes oxidantes fortes.
 DIMETILSULFÓXIDO
O DMSO passa rapidamente pelo estrato córneo da pele e devido esta propriedade
tem sido utilizado em preparações farmacêuticas como otimizador da absorção
cutânea.
Tem sido empregado com esta finalidade em formulações contendo barbituratos,
antifúngicos (griseofulvina, fluconazol, miconazol, etc), fenilbutazona, minoxidil,
ácido salicílico, ácido retinóico, anestésicos locais, antiinflamatórios de aplicação
tópica, antibióticos tópicos, quaternários de amônio, etc.
TENSOATIVOS
Classificação dos tensoativos:
· Aniônicos – Carga residual negativa ( lauril sulfato de sódio, estearato de
trietanolamina ).
· Catiônicos – Carga residual positiva (cloreto cetiltrimetil amônio ).
· Não iônicos – Não têm carga residual ( álcool ceto-estearílico etoxilado,
ésteres de sorbitan ).
· Anfóteros – Carga residual positiva ou negativa dependendo do pH do meio ou
a associação de outros tensoativos para definição ( betaína de coco ).
Base De Sabonete Líquido Perolado
Lauril éter sulfato de sódio 30,0%
Agente perolizante 2,0%
Dietanolamida ácido graxo de coco 5,0%
Anfótero betaínico 5,0%
EDTA solução 5% 1,0%
Ácido Cítrico solução 10% 1,0%
Metilparabeno solução 10% 1,0%
Glicerina 5,0%
Água destilada qsp 100%
Misturar o lauril éter sulfato de sódio, ácido cítrico, EDTA e metilparabeno com um
pouco de água. A parte misturar a dietanolamida, o agente perolizante e a glicerina
e adicionar água aos poucos até formar uma solução fluida. Dissolver o anfótero na
água restante e verter no restante da fórmula. pH final entre 5,0 e 6,5.
 Base de Espuma de Banho
Lauril éter sulfato de sódio 50,0%
Dietanolamida ácido graxo de coco 5,0%
Anfótero betaínico 5,0%
EDTA solução 5% 1,0%
Ácido Cítrico solução 10% 1,0%
Metilparabeno solução 10% 1,0%
Água destilada qsp 100%
Misturar o lauril éter sulfato de sódio, ácido cítrico, EDTA e metilparabeno com um
pouco de água. A parte misturar a dietanolamida com água aos poucos até formar
uma solução fluida. Dissolver o anfótero na água restante e verter no restante da
fórmula. pH final entre 5,0 e 6,5.
 Base de Creme Condicionador
Fase A: álcool ceto-estearílico 2,5%
Propilparabeno solução 10% 1,0%
Vaselina líquida 8,0%
Fase B: EDTA solução 5% 1,0%
Ácido Cítrico solução 10% 1,0%
Metilparabeno solução 10% 1,0%
Cloreto de cetil trimetil amônio 25% 4,0%
Água destilada qsp 100%
Aquecer as fases A e B à 70ºC e verter a fase B sobre a A. Mexer até resfriar. pH
final entre 4,0 e 5,5.
 Base de Shampoo
Lauril éter sulfato de sódio 25,0%
Dietanolamida ácido graxo de coco 4,0%
Anfótero betaínico 4,0%
EDTA solução 5% 1,0%
Ácido Cítrico solução 10% 1,0%
Metilparabeno solução 10% 1,0%
Água destilada qsp 100%
Misturar o lauril éter sulfato de sódio, ácido cítrico, EDTA e metilparabeno com um
pouco de água. A parte misturar a dietanolamida com água aos poucos até formar
uma solução fluida. Dissolver o anfótero na água restante e verter no restante da
fórmula. pH final entre 6,0 e 6,5.
· Creme Base
Fase A: Polawax 10%
Vaselina líquida 2,0%
álcool ceto-estearílico 2,5%
Propilparabeno solução 10% 1,0%
BHT solução 5% 1,0%
Fase B: Propilenoglicol 5,0%
EDTA solução 5% 1,0%
Metilparabeno solução 10% 1,0%
Água destilada qsp 100%
Aquecer as fases A e B a 75 graus e verter a fase B sobre a fase A. Mexer até atingir
40 graus e juntar a fase C. Verificar pH final = a 6,5.
· Loção Base
Fase A: Polawax 6%
Vaselina líquida 2,0%
álcool ceto-estearílico 1,5%
Propilparabeno solução 10% 1,0%
BHT solução 5% 1,0%
Fase B: Propilenoglicol 5,0%
EDTA solução 5% 1,0%
Metilparabeno solução 10% 1,0%
Água destilada qsp 100%
Aquecer as fases A e B a 75 graus e verter a fase B sobre a fase A. Mexer até atingir
40 graus e juntar a fase C. verificar pH final = a 6,5.
· Base de Gel Cosmético
Solução de Carbopol 2% 30%
Glicerina 5,0%
EDTA solução 5% 1,0%
Metilparabeno solução 10% 1,0%
Água destilada qsp 100%
AMP 0,7%
Misturar os componentes e por último adicionar o AMP. Para preparar a solução de
carbopol, deixar os componentes da fórmula abaixo em contato por 24h e depois
processar em um mix.
Solução de carbopol:
Carbopol 940 2%
Metilparabeno solução 10% 1%
Glicerina 5%
Água destilada qsp 100%

Fonte: www.cheirosdaterra.hd1.com.br/cosmeticos_05.htm
 138,808 visualizações

balanceado ox , student at balanceado ox


plants
Follow
0
56
0
4
Uploaded on May 11, 2010
Mais em: Educação




Post

 Elizabeth Santto nossa muito bom,parabéns 1 ano atrás

 Angeliquim Good! 1 ano atrás

 territorioambiental Excelente 2 anos atrás


Transcript
 1. Introdução: Desde a remota antiguidade o homem tem buscado ba
natureza substâncias que o possam auxiliar na conservação da juventude, retardando
o aparecimento dos sinais da idade. Plantas, sementes, mel, cereais, argila, são
usados como cosméticos a muito tempo. Com o desenvolvimento da industria de
cosméticos, estes produtos foram relegados a segundo plano. Porém, notando o
prejuízo causado pelo uso abusivo de algumas substancias, o homem voltou a se
interessar por produtos naturais, que causar menor impacto a saúde e do meio
ambiente. Em tempos de tecnologia avançada sofisticadas e processos avançados de
automatização, haverá aquelas que possam ver na manipulação de cosméticos, com
suas técnicas artesanais de produção, um retrocesso ou uma volta ao passado.
Diríamos a estes que o termo correto para esta suposição, seria de volta do futuro.
A razão é obvia pois a manipulação resgata a presença e a essencialidade do
especialista, possibilita o profissional da química a personalização da formula e
fornece ao cliente um medicamento sob medida, individualizado. Atende assim, ao
anseio do homem contemporâneo – o de ser tratado como ser único – na contra mão
da massificação imposta pelas tecnologias de alta produtividade. Com esse curso, se
uma pessoa quiser produzir seus próprios cosméticos, ou mesmo ao escolher seu
cosmético industrializado, ela terá conhecimento para a escolha do produto mais
adequado a suas características fisiológicas. Também foram selecionadas para este
curso as plantas mais utilizadas, como descrição de suas propriedades e as formas
de uso. Muitas pessoas são alérgicas a cosméticos, muitas vezes isto ocorre por causa
dos conservantes, corantes e perfumes utilizados. Quando estes produtos são
preparados em pequenas quantidades em formulações especificas, estes aditivos não
precisam ser usados. “Aquilo que guardamos para nós, acabamos perdendo um dia;
aquilo que damos, conservamos às vezes, para sempre”.
 2. Curso de cosméticos 1º) Aspectos Gerais das formulações para uso tópico
Preparações Dermatológicas pectos cosm sempre.”dendo um iuilo que damos,
conservamos as vezes , para sempre.s. odutos naturais, que causar menor impacto
Destinam-se a serem aplicadas sobre a pele e mucosas acessíveis, com uma função
terapêutica ou protetora. Ações na Pele a) ANTINFLAMATÓRIA: diminui o edema,
eritema e a sensibilidade b) ADSTRINGENTE: produz a vaso constrição local e a
coagulação de albuminas. c) EMOLIENTE: suaviza a pele prevenindo o ressecamento
d) DUBEFACIENTE: produz vaso dilatação local e) QUERAFOLÍTICA: dissolve
formações queratoliticas f) QUERATOPLÁSTICAS: promove a renovação do epitélio
g) PIGMENTOGÊNEA: estimula a produção de melanina h) DESPIGMENTOGÊNEA:
inibe a produção de melanina facilita a remoção de manchas i) ANTIACTÍNICA:
protege a pele contra os efeitos da radiação solar. 2º) Veículos para Medicações
Tópicas a) SOLUÇOES Produtos da dissolução de qualquer substancia em um líquido,
ou mistura de líquidos, formando um sistema homogêneo. Veiculo mais comuns:
água e misturas de álcool/água. Ex.: solução formol 5%, solução de minoxidil a 2%
etc. b) SUSPENSÕES
 3. Dispersão de um pó em um líquido, que nele seja insolúvel. Ex.: suspensão
de enxofre, suspensão de calamina etc. c) EMULSOES Preparações de aspecto leitoso,
obtidas pela dispersão de duas fases não miscíveis (óleo e água). d) POMADAS
Preparações constituídas exclusivamente por um ou mais corpos graxos de
consistência mole. Ex.: Pomada simples (vaselina + lanolina) e) PASTAS Preparações
constituídas por um veículo aquoso ou oleoso incorporadas de 20% a 50% de
substâncias pulverulentas não solúveis Ex.: Pasta d’água (veiculo aquoso) Pasta de
oxido de zinco (veículo oleoso) f) GELES Dispersões semi-sólidas transparentes que
liquefazem ao contato com a pele, deixando uma camada delgada não gordurosa.
São obtidos por dispersão de materiais mucilaginosos naturais ou sintéticos (Agar,
gelatina, metrecelulose, hidroxi-etil- celulose (natrosol) pectina, plietilenoglicol,
carbopol, etc.) na água, ou mistura de água e ouros solventes. Ações de Ativos na
Pele Anticaspa e Antiseborréico
 4. Fármaco Concentração Forma Farmacêutica Sulfeto de Selênio 2,5%
Shampoo Piritionato de 1-2,5% Shampoo Zinco Tintura de LCD 5% Shampoo e Loção
Óleo de Cadê 2% Shampoo e Loção Ácido Salícilico 1-3% Shampoo e Loção Enxofre
1% Shampoo e Loção Undecilinato de Zinco 1-10% Shampoo D Estimulantes do
crescimento capilar: Substâncias rubefacientes ou revulsivas e vasodilatadoras, são
utilizadas para estimular o folículo piloso, promovendo crescimento capilar em casos
de alopecia hereditária dependente de androgênios (calvície padrão masculina ou
feminina).
 5. Fármaco Concentração Forma Farmacêutica Minoxidil 1-3% Solução
Pilocarpina 0,01-0,1% Solução Tintura de Cantarida 10-15% Solução Tintura de
Jaborandi 10-40% Solução Tintura de Cápsico 10-15% Solução Hidrato de Cloral 5-
10% Solução Dermatomicoses: Tinha, Oncomicose, Micose interdigital (pé de atleta),
Micose inguinal. Fármaco Concentração Forma Farmacêutica Miconazol 1-2% Creme
ou Loção Clotimazol 1% Creme ou Loção Tolnaftato 1% Creme ou Solução Ácido
Undecilênico 1-10% Creme ou Solução Enxofre 3% Pomada Ácido Salicílico 6%
Creme, Pomada, Solução Pytiriase versicolor Fármaco Concentração Forma
Farmacêutica Sulfeto de Selênio 2,5% Suspensão Piritionato de Zinco 1-2%
Suspensão Hiposulfito de Sódio 40% Solução Propilenoglicol 50% Solução Ácido
Salicílico 2-6% Pomada ou Loção Iodo 1% Solução Antimicótico
 6. As micoses são causadas por fungos e podem ser divididas em superficiais
e profundas. Nas superficiais, que são as que nos interessam, o fungo se localiza
sobre a pele ou redor dos pelos, ou penetra apenas na camada externa da epiderme
(camada córnea) ou na raízes dos pelos e nas unhas. Entre as micoses superficiais
as mais comuns são: candidiase, dermatomicoses (tinha, onicomicoses, micose
interdigital ou inguinal) e pytiriase versicolor (micose de praia) Fármaco
Concentração Forma Farmacêutica Miconazol 1-2% Creme ou loção Clotrimazol 1%
Creme ou loção Nistatina 100.000UI/g Creme ou pomada Violeta de Genciana 1-2%
Solução Cetconazol 0,1-0,2% Creme ou shampoo Bifonazol 0,1% Solução spray
SOLUÇÕES AQUOSAS E HIDROALCOÓLICAS PARA USO TÓPICO Produtos da
dissolução de qualquer substancia em um líquido, ou mistura de líquidos, formando
um sistema homogêneo, para fins de aplicação na pele e couro cabeludo. Veículos
mais comuns: Água e misturas de Álcool/Água Formulas Orientativas: Loção de
Minoxidil a 2%
 7. Minoxidil 2g Propilenoglicol 5 ml Álcool a 70% q.s.p 100 ml Solução
antimicótica Iodo 1g Ácido benzóico 2g Ácido Salicílico 3g Álcool a 96º q.s.p 100 ml
Solução de clindamicina Cloridrato de clindamicina 2g Propilenoglicol 5 ml Álcool
isopropilico 70% 50 ml Água destilada q.s.p 100 ml CLASSIFICAÇÃO DAS MATÉRIAS-
PRIMAS Existe, também, uma classificação das matérias-primas de acordo com a
função ou efeito cosmético. Elas podem ser tensoativas, emolientes, umectantes,
espessantes, hidratantes, conservantes, quelantes, perfumes, corantes e pigmentos.
Tensoativas São substâncias que possuem em sua estrutura molecular gurpos
hidrofílicos, com afinidade pela água, e grupos lipofílicos, com afinidade por lipídeos.
Por isso, são capazes de diminuir a tensão superficial de um sistema. As substâncias
tensoativas tem as seguintes propriedades:
 8. - Umectância: é a capacidade que uma substancia líquida possui de
umedecer ou molhar uma superfície sólida. - Detergencia: é a capacidade que uma
parte da molécula (o grupo polar) possui de arrastar detritos e impurezas de um
superfície. - Espumógena: capacidade de produzir espuma. - Estabilização da
espuma: alguns tensoativos tem a propriedade de mantes a espuma por algum
tempo, evitando que logo desapareça. Emolientes Evitam ou atenuam o
ressecamento da pele. Essas substâncias amaciam e suavizam a pele. Umectantes
Essas substâncias tem a capacidade de absorver água do ambiente, molhando a
superfície da pele, o que melhora a sua aparência. Espessantes Servem para dar
viscosidade ao produto ou conferir-lhe a forma de gel. Hidratantes São substâncias
higroscópicas intracelulares. Elas são diferentes dos umectantes porque intervem no
processo de reposição de do teor de água da pele de maneira ativa, ao contrario dos
umectantes que são passivos.
 9. Conservantes Preservam os produtos de oxidaço~es e ataques
microbianos. Quelantes ou seqüestrantes Complexam íons metálicos polivalentes,
como o cálcio e o ferro. Através da ação dos quelantes, esses íons são removidos da
solução e ficam ligados a uma estrutura cíclica bastante estável. Os seqüestrantes
são importantes nas fórmulas de xampus para evitar que o íon cálcio interfira na
formação de espuma. Perfumes Para aromatizar os cosméticos. Podem ser de origem
vegetal (essências de plantas), animal (almíscar e âmbar) e sintética. Corantes
Conferem cor ao produto. Os corantes podem ser naturais ou sintéticos. Os
pigmentos podem ser orgânicos ou inorgânicos. A tabela 1 traz uma lista de matérias-
primas classificadas de acordo com sua função e as formas cosméticas em que são
utilizadas. Tabela 1. Principais matérias-primas de uso em cosmética CATEGORIA
FUNÇÃO/NOME FORMAÇÃOCOSMÉTICA
 10. TENSOATIVOS Aniônicos Sabonete cremosos • Sabão de ácidos graxos
Loções de limpeza, • Lauril sulfato de sódio sabonetes cremosos. São (ou de TEA ou
de também utilizados para o amônia) “amolecimento de • Lauril éter sulfato de
comedões”. sódio (ou de TEA ou Mesmo uso que os de amônia) anteriores, sendo
menos • Lauril éter sulfo- agressivo. succinato de sódio Catiônicos Antimicrobianos,
utilizados • Composto de amônio em desodorantes e em quaternário: cloreto de
alguns xampus anti-caspa. trimetil amônio Condicionador para os (CETAC) ou
brometo cabelos. (CETAB) Idem anterior. • Sais de dialquil dimetilamônio • Cloreto
de benzalconio Não-Iônicos Xampus, como agente • Monoetanolamidas e
sobreengordurante, dietanolamidas de estabilizador de espuma, ácidos graxos de
coco doador de vicosidade. • Mono e diestearato de Sabonetes líquidos. etilenoglicol
Xampus como agente • Estearato de perolizante. polietilenoglicol Emulsificante Mono
e deistrearato de glicerila Anfóteros Usados em cremes, loçoes Betaína de coco,
cremosas, sabonetes cocoamidopropil líquidos, xampus mais betaína, coco suaves
(infantis). carboxianfoglicinato de Géis higienizantes. sódio EMOLIENTES
Hidrocarbonetos Aparecem praticamente
 11. oleosos/ceras em todas as formulações: Óleo mineral, vaselina, cremes
emulsionados parafina, ozoquerita, água em óleo e óleo em água; cremes anidros
ceresina, polietileno, esqualene (baton, blush em bastão e em cremeente em todas
as formulaquerita, ceresina, polietileno, esqualene,e Ácidos carboxílicos graxos );
emulsões • Saturados: láurico, fluidas (leite e loções esteárico, mirístico, cremosas)
e em palmítico, etc. demaquilantes. • Insaturados: oléico, linoléico, etc. Álcoois
graxos • Saturados: laurílico, cetílico, estearílico, mirislico, etc. • Insaturados:
oleílico, etc. • Esteróis Colesterol e derivados Ésteres de ácidos graxos e glicerol
Glicéridos:graxos e glicerol mono e diglicéridos (mono e diestearato de glicerila)
 12. Triglicéridos Óleos vegetais fixos (de abacate, semente de uva, girassol,
macadâmia etc. Ésteres de ácidos graxos e álcoois graxos sintéticos (líquidos ou
pastosos Miristato de isopropila, palmitato de isopropila Ceras ou céridos Cera de
abelha, espemacete (animal), cera de carnaúba, candelila (vegetal), estearato de
cetila (sintética), etc. Estéridos Lanolina anidra e derivados Silicones oleosos
Dimetilpolisilane e seus copolímeros Fosfolipídeos Lecitina: emoliente que possuui
um bom poder de penetração na pele. Amidos de ácidos graxos e etoxilados
UMECTANTES Propilenoglicol Praticamente em todas as Glicerina formas cosméticas:
cremes loções, géis. Etilenoglicol Também auxiliam a boa Polietilenoglicol aparência
dos cremes. lactatos HIDRATANTES Polissacarídeos Cremes, soluções ionizáveis,
loções, loções
 13. Ácido hialurônico cremosas, pós, etc Mucilagem (extrato de Aloe Vera,
algas, etc.) Aminoácidos e proteínas PCA (ácido pirrolidin carboxílico) Hidrolisado de
colágeno, elastina etc. Proteínas conjugadas glicosaminoglicanos (pentaglicanos)
ESPESSANTES Inorgânicos Praticamente em toda Silicatos coloidais forma cosmética
que (bentonita, veegun, precisa aumentar sua etc.) viscosidade e, em particular,
para a Derivados da celulose formação de géis. Carboximeticelulose,
hidroxieticelulose, etc. Polímeros • Vinílicos: carbopol, álcool polivinílico.
Polissacarídeos: amido, agar-ágar, carragenatos, gomas (guar, karaya, tragacante),
alginatos, etc. PRESERVANTES Ésteres do ácido Os preservantes benzóico com
função praticamente aparecem em todas as formulações e a escolha de um deles ou
Fenólica ou associação de vários parabenos dependerá do pH de p-hidroxibensoato
de outros itens da formulação metila (nipagim) (por causa da compatibilidade, etc.)
p-hidroxibenzoato de propila (nipasol)
 14. também existem os de etila e butila Outros grupos Imidazolidinilurea
(germall) Isotiazolonas Álcool benzílico Álcool etílico (acima de 20%) Fenoxietanol p-
clorometaxilenol ANTIOXIDANTES BHT-Ter-butil Aparecem nas várias hidroxitolueno
formas cosméticas; a escolha vai depender do BHA-Ter-butil hidroxianisol uso a que
se destina o cosmético. Vitamina C (ácido ascórbico) Vitamina E (tocoferol)
Hidroquinona, bissulfito de sódio, etc. SEQUESTRANTES EDTA-Etilenodiamino
Cremes, sabonetes e, tetracético ou seqüestrol principalmentes, xampus. ou versene
Ácido cítrico, ácido fosfórico e derivados Nota: os ácidos cítrico e fosfórico são
utilizados como sinérgicos para alguns antioxidantes Alguns reagentes importantes
Trietanolamina, C6H15O3N
 15. Monoetanolamina + dietanolamina + trietanolamina H CH2-CH2OH CH2-
CH2OH H2C-CH2-N H2C-CH2-N H2C-CH2-N OH H OH H OH CH2-CH2OH Líquido
incolor ou amarelo, viscoso e higroscópico Solúvel em água, etanol, glicerina e
acetona Pouco solúvel em óleos Escurece quando exposta a luz Agente emulcionante
(promover a mistura entre as fases aquosa e oleosa) Propilenoglicol, 1, 2 –
propanodiol Incolor, viscoso, miscível em água Miscível em óleos e essências
(propriedade de segurar a essência do produto) Agente umectante (estabelece
pontes de hidrogênio com as moléculas de H2O) Ácido esteárico / octadecanóico
(C18H36O2) Sólido branco Pouco solúvel H2O, solúvel álcool etílico (1:21) e no
benzeno (1:5) Usado na preparação de tópicos (uso externo) Evanecentes (que
“somem” na pele) Emulcionante / e doador de consistência. Monoesterato de glicerina
Sólido branco em escamas
 16. Pf = 50º C e 60º C Insolúvel em água e solúvel em álcool, benzeno, éter
e óleos Característica do creme / estabilizador de vicosidade Cera branca de abelhas
Ésteres de ácidos graxos, acíclicos, saturados ≠ monoesterato Consistência e cremes
e pomadas Lubrificantes Óleo mineral Mistura de hidrocarbonetos líquidos obtidos do
petróleo Emoliente e redutor de consistência Óleo de amêndoas Deixa a pele macia
É rico de vitamina A e E (antioxidantes Óleo de silicone Hidrófobo (impede que o
creme seja retirado da pele) Protege da radiação ultra violeta Nipazol (propil/p-
hidroxibenzoato de n-propile) Conservante na fase oleosa Antifúngico (0,02 a 0,1%)
C10H12O3 Nipageim (metillparabeno ou p-hidroxibenzoato de metila)
 17. Conservante na fase aquosa Anti-séptico (0,05 a 1%) C8H8O3 Colágeno
(proteina dos tecidos contuntivos) Fortalece e regenera a pele Uréia (carbamida,
carbodimida) Cicatrizantes / hidratantes Para pele seca e rachada Matérias-primas
naturais As matérias-primas naturais tem a vantagem de serem facilmente
encontradas. Muitas delas são alimentos comuns, como frutas, hortaliças, mel e
cereais, outras são ervas medicinais que podem ser cultivadas em casa. Esse tipo de
matéria-prima pode ser usada em preparados estritamente domésticos ou pode fazer
parte de formulações mais complexas, encontradas no mercado. A Tabela 2 contém
uma relação de vegetais e suas propriedades como agentes cosméticos para a pele
e para o cabelo. Tabela 2. Vegetais e seu uso nos tratamentos de beleza ESPÉCIE
PROPRIEDADES COMO USAR
 18. Abacate Pele: restaura reservas Máscaras feitas com a polpa oleosas,
remove impurezas para pele e cabelos; óleos, da pele cremes e loções (0,1-5%)
Cabelo: para cabelos secos Abacaxi Pele: rejuvenescedor pe Máscaras faciais para
peles contém enzimas ásperas Agrião Pele: anti-acne, para pele Loções desinfetantes
para oleosa peles acnéicas, cremes para Cabelo: anti-caspa e anti- peles oleosas,
xampus e queda sabonetes (2-3%) Loções tônicas (2-5%) Alecrim Pele: limpa e
estimula a Vaporização, tônicos, circulação, anti-acne máscaras, sabonetes, Cabelo:
contra queda, enxágüe dos cabelos, banho anti-caspa, para estimular (até 10% de
óleo o crescimento e escurecer essencial), loções capilares e dentifrícios (até 3% de
extrato glicólico), xampu (até 5% de extrato glicólico) Alface Pele: emoliente,
Máscara facial para cicatrizante, calmante repouso, máscara contra irritação dos
olhos alfazema Pele: limpa, amacia e Produtos para banho, acalma, contra acne
xampus, sabonetes, géis, Cabelo: aromatizante, máscaras, loções, óleos para
cabelos oleosos para o rosto (até 10%) Alho porró Pele: cicatrizante Amêndoa Pele:
amacia, clareia e Banhos enriquecidos suaviza fricções em joelhos ressecados,
removedores de cravos, loções faciais e preparados para limpar a pele Amora preta
Pele: as folhas são Loções para tecido cutâneo adstrigentes cansado, banhos
enriquecidos arnica Pele: tônico, estimulante e Xampus, loções capilares, sabonetes,
géis (2-10% de
 19. adstriente extrato glicólico ou tintura Cabelo: estimula o hidroalcoólica)
crescimento, combate a oleosidade artemísia Pele: relaxante Aveia Pele: nutre e
remove a Removedores de rugas de sujeira entranhada no impurezas, banhos poros,
clareia a cútis enriquecidos, usada para lavar o rosto (pele oleosa) Babosa Pele:
emoliente, Xampus para cabelos secos umectante, calmante e e anti-caspa;
sabonetes, bactericida, hidratante cremes e loções faciais (até Cabelo: fortalece,
anti- 30% de gel fresco) queda, anti-caspa Bardana Pele: cicatrizante, para Vapores
faciais para pele manchas, adstrigente, manchada, xampus, tônicos calmante
capilares, cremes e loções Cabelo: contra caspa, para peles oleosas (1-3% seborréia,
queda de de ext. glicólico ou decocto) cabelos boldo Pele: calmante Calêndula Pele:
anti-inflamatória, Cremes e loções para peles anti-alérgica, cicatrizante e sensíveis
produtos pós- protetor solar barba e pós-depilação, produtos para cabelos, sabonetes
(5-10%) Camomila Pele: adstrigente, Xampus, sabonetes e calmante, anti-alérgica,
banhos de espuma (2-5%); cicatrizante, emoliente, cremes, loções e géis para
protetor solar, anti- peles delicadas, produtos inflamatória infantis (5-12%), tônicos,
Cabelo: clareador e dá vapores faciais, produtos para higiene bucal (3-5%) brilho
capuchinha Cabelo: anti-caspa, anti- Xampus, tônicos capilares seborréico,
estimulante da (1-6%) circulação periférica Castanha do Pele: lubrificante, Xampus
cremes, máscaras, pará nutriente, emoliente, loções (2-5%)
 20. contra manchas, pele seca e envelhecida Cabelo: opaco, quebradiço
Cavalinha Pele: anti-acne, Xampus, loções capilares, adstrigente, tonificante, cremes
anti-celulite e anti- anti-inflamatória, contra estrias, loções adstrigentes celulite e
estrias (4-6%) Cabelo: anti-queda Cebola Pele: puxa as impurezas dos poros e
elimina as bactérias Centelha Pele: anti-rugas, Géis, cremes e loções cicatrizante,
anti- suavizantes (2-5% de ext. inflamatória, tratamento de glicólico) celulite Confrei
Pele: cicatrizante, Cremes (10-15%) emoliente, anti-rugas, anti- acane Cabelo: anti-
caspa Erva doce Pele: remove impurezas, anti-rugas Funcho Pele: purgatvo,
Sabonetes: 1-5% desintoxicante, calmante, Massagens, compressas, indicado para
pele grossa e banho porosa Gergilim Pele: amacia, refresca, Cremes, máscaras,
loções protetor solar, rejuvenesce cremes de limpeza e pele cansada nutritivos (1-
5%) Germe de Pele e cabelo: para peles Cremes e loções nutritivas e trigo e cabelos
secos, que emolientes, xampus, necessitam regeneração, sabonetes, loções capilares
nutrição e elasticidade e condicionadores (2-5% de óleo) Guanxuma Pele: emoliente,
tônico, Xampus para cabelos (Sida sp.) adstrigente, elimina oleosos e para dar
volume, impurezas sabonete, chás para Cabelo: oleosidade enxágüe excessiva,
queda de
 21. cabelos, volume e maciez Hera Pele: celulite Óleo de massagem (8-12%
Cabelo: para escurecer de ext. glicólico); loções (6- 9% de ext. glicólico), xampus
para cabelos normais (2-5% de ext. glicólico) Hortelã Pele: enrijecedor, Vapores para
tratamento refrescante, adstrigente facial, banhos enriquecidos, refrescante para
pele no verão Limão Pele: clareador, Restauradores da película adstrigente,
estimulante da ácida da pele; dentifrícios; acidez, refrescante preparados para limpar
as mãos, enxaguar ou clarear Cabelo: clareador os cabelos e loções faciais para pele
oleosa Malva Pele: anti-rugas, Loções e cremes (5-10% de refrescante, hidratante,
ext. glicólico) calmante, emoliente Manjegircão Pele: hidratante Cabelo:
aromatizante Manjerona Pele: hidratante Cabelo: aromatizante Marcela do Pele: pele
delicada Xampus e sabonetes: 2-5% campo Cabelo: estimulante da de ext. glicólico
circulação capilar, contra Enxágüe dos cabelos: chá a queda, clareador 5% Melissa
Pele: revigorante, anti séptica, descongestionante Cabelo: revigorante Mil-folhas
Pele: adstrigente, Tônicos capilares, xampus tratamento de pele oleosa (2-5% de
ext. gligólico); cremes e loções ingantis (1- 5% de ext. glicólico) Morango Pele:
amaciante, clareador Máscara e loções faciais e nutritivo
 22. Pepino Pele: calmante, emoliente, Loções para pele oleosa, tonificante e
refrescante tonificante para pele cansada, loções e máscaras para tratamento geral
Pfafia Pele: cicatrizante, Cremes, loções, géis, (ginseng regenerador celular, xampus:
1-5% do extrato brasileiro) Tonico, estimulante glicólico Cabelo: Tônico Rosa Pele:
suaviza e amacia Sabugueiro Pele: as flores são Loções para peles sensíveis,
adstringentes; as folhas ásperas ou envelhecidas (5- amaciam, clareiam e 20% de
ext. glicólico ou enrijecem a pele, para 10% com vinagre de peles secas maça)
Cabelo: amaciante clareador Salsa Pele: anti-rugas, calmante das pálpebras, para
peles oleosas Cabelo: brilho salsaparrilha Pele: tonificante Sálvia Pele: tonificante,
anti- Tintura capilar, banhos rugas, anti-séptica, pele enriquecidos, loções oleosa e
acnéica adstringentes, xampus, Cabelo: escurecedor, anti- produtos para higiene
bucal caspa, anti-seborréica, cremes (2-5% de ext. estimulante do crescimento
glicólico) capilar Tansagem Pele: adstringente, Máscaras, banhos cicatrizante e
emoliente enriquecidos, tônicos faciais (decocto) Tomate Pele: estimulante, Máscara
faciais para pele depurativo e clareador áspera, escura ou oleosa urtiga Pele: acne
Cremes, loções, géis e Cabelo; tonificante, xampus (2-10% de ext. glicólico) estimula
o crescimento, anti-queda, anti-caspa
 23. Alem dos vegetais, dispomos de outras matérias-primas naturais de
origem animal e mineral, que serão listadas, a seguir, juntamente com suas
propriedades e formas de utilização. Argila A argila ou barro é um ingrediente natural
de grande valor. Deve- se escolher uma argila limpa, sem contaminações, serão o
efeito será contrario ao esperado. Ela é anti-inflamatória, anti-séptica, anti-
reumática, cicatrizante, emoliente, tonificante e refrescante. Pode ser usada em
máscaras e compressas. Misturada com mel, pode ser usada para lavar o rosto,
substituindo o sabonete. A argila não deve ser colocada sobre feridas abertas. Para
esterilizar, deve ser colocada em forno quente, em vasilha refratária, durante uma
hora. Conservar em frasco esterilizado, bem tampado. Fubá O fubá é usado como
removedor das impurezas da pele. Pode ser usado em máscaras, preparados para
friccionar a pele áspera e em banhos enriquecidos. Glicerina A glicerina é um
umectante natural que ajuda a reter a água nos tecidos e a absorver a umidade das
camadas mais profundas da pele. É usada como amaciante, mas tem a desvantagem
de provocar o ressecamento da epiderme, a média e longo prazo. Iogurte O iogurte
contém ácido lático e é indicado para poros dilatados ou pele oleosa. É clareador
suave da pele, sendo usado no tratamento de sardas e pele danificada peleo sol.
Usado em cremes faciais para pele áspera, oleosa e sem viço. Levedura de cerveja
 24. Alem do uso interno, que trás bons resultados para a saúde, a levedura é
usada extremamente como componente de vários cremes faciais. A levedura é
polivalente, sendo benéfica para peles oleosas, secas ou normais. Sua aplicação
sistemática ajuda a evitar o aparecimento de rugas. Ativa a circulação sangüínea do
rosto. No entanto, a levedura só deve ser aplicada apenas uma vez por semana, no
rosto e nunca no pescoço. Lecitina A lecitina é um excelente emulsionador e ajuda a
dar à pele um tom mais suave e brilhante, quando usada em cosmético. É encontrada
na gema do ovo e na soja, podendo ser adquirida na forma pura. É difícil dissolver a
lecitina líquida em água, mas ela se dissolve facilmente em sucos de frutas ou chá
de hortlã. Atua como amaciante da pele. Pode ser usada em máscaras faciais.
Maionese A maionese une as boas qualidades de cada um dos ingredientes que
entram em sua composição: a gema de ovo, o óleo, o vinagre de maça e o sal. Assim,
ela se torna um produto nutritivo, que recupera a acidez da pele, graças ao vinagre
e amaciante. Quando se adiciona o mel à maionese, ela se torna cicatrizante. Se for
preparada em casa com esses ingredientes, a maionese é um excelente substituto
do creme que se aplica no rosto antes de dormir. Mel O mel é utilizado como alimento
desde a Antigüidade, fornece energia e traz benefícios ao estomago, intestinos, pele,
coração, pulmão e garganta. Na beleza, é usado em loções capilares, pomadas para
os lábios, sabonetes, xampus, cremes e preparados para os cotovelos e pernas
ressecados. Recomenda-se seu uso desde a adolescência para evitar o ressecamento
e o enrugamento da pele, pois suas funções profiláticas como lubrificante da pele
retardam o envelhecimento.
 25. Aplicado sozinho sobre o rosto e pescoço, é uma excelente máscara que
nutre e revitaliza a pele. Ele é nutritivo, cicatrizante e amaciante. Tem uma incrível
capacidade de curar erupções cutâneas. Óleo de abacate É nutritivo e revitalizante.
Usado em cremes e óleos para massagem e cremes nutritivos, na concentração de
1-10%. Óleo de coco É hidratante e dá brilho aos cabelos. Usado em cremes, xampus
e bronzeadores, na concentração de 2 a 10%. Óleo de gérmem de trigo É rico em
vitamina E. Tem ação anti-oxidante e evita a formação de rugas. Usado para pele e
cabelos secos, que necessitam de regeneração, nutrição e elasticidade. É usado em
loções para pele seca, loções de limpeza, óleos após banho, cremes, xampus e
sabonetes líquidos, na concentração de 2 a 5%. Óleo de rícino (mamona) O óleo de
rícino é muito bom para dar vida e vigor aos cabelos. Pode ser aplicado antes da
lavagem, sozinho ou com mel ou outros óleos. Óleo de semente de uva É rico em
vitamina E e hidratante. Usado em óleos para banho, loções e cremes para prevenção
de estrias, na concentração de 2 a 10%. Ovo
 26. O ovo é usado em muitas formas de cosméticos tanto para a pele quanto
para o cabelo. Ele atua como enrijecedor e nutritivo. Pode ser usado em tonificantes
e cremes nutritivos cutâneos, máscaras contra rugas, xampus anti-caspa ou para
cabelos secos e loções capilares. Própolis É um material balsâmico retirado de árvores
pelas abelhas e modificado por adição de secreções salivares e cera. É cicatrizante,
bactericida e anti-séptico. Usado no tratamento de queimaduras, alergias e acne.
Entra na formulação de cremes, loções, xampus e pomadas, na concentração de 1 a
5%. Suspensões Dispersão de um p’’o (fase dispersa) em um líquido (fase
dispersante), que nele seja insolúvel, existindo portanto duas fases. Necessitam para
melhor estabilidade de um agente suspensor para retardar a velocidade de
sedimentação e de um agente molhante para facilitar a dispersão do pó no veículo.
Agentes suspensores para suspensões aquosas: Alginato de sódio – 1% (pH 7)
incompatível com ácidos, sais de cálcio e substâncias catiônicas. Metilcelulose – 0.5
a 2% (mais facilmente dispersível em água fria) Hidroxietilcelulose (natrosol) – 0.5
a 2% Carpobol – 0.1 a 0.4% (pH 6 a 11) necessitam de base para formar o gel
(trietanolamina, NaOH) sensível a ácidos, sais, substâncias catiônicas e oxidação.
Argilas (Bentonita, Hectorita), etc. – 2 a 5% Agentes suspensores para suspensões
oleosas: Lanolina, ceras, óleo de rícino, monoestearato de alumínio.
 27. Agente molhante: Diminui a tensão superficial do líquido que irá dispensar
o sólido diminuindo portanto a tensão interfacial entre os dois. Ex. Tensoativos –
0.1%: Polisorbatos (tweens) Ésteres do Sorbitan (Spans) Lauril Sulfato de Sódio
Formulas Orientativas: Suspensão de Calamina Calamina 8g Cloridrato de
difenilhidramina 1g Cânfora 0.1 g Glicerina 2g Alginato de Sódio 0.35 g Polisorbato
80 (Tween 80) 0.1 g Água destilada q.s.p 100 ml Loção Alba Sulfato de Zinco 4 a 15
g Sulfeto de Potássio 4 a 15 g Água destilada q.s.p 100 ml Suspensão de Enxofre
Enxofre 2g Óxido de Zinco 20 g Betonita 3g Cirato de Sódio 0.5 g Glicerina 5 ml
 28. Fenol 0.5 g Água destilada q.s.p 100 ml Máscaras faciais As máscaras de
limpeza, conhecidas como máscaras faciais, são usadas para dar firmeza à pele, com
fechamento dos poros e , dependendo dos ingredientes usados servem para tratar
acne. Na verdade, o efeito das máscaras está diretamente relacionado às substâncias
ativas incorporadas. Esse efeito poderá ser adstringente, calmante, relaxante,
nutritivo e emoliente. Veja, na tabela 3, uma relação de plantas e seus efeitos quando
são usadas em máscaras. Tabela 3. efeitos de plantas, usadas como princípios ativos,
sobre a pele Máscaras calmantes Extratos vegetais de tília, camomila, calêndula,
alface e mel Máscaras adstringentes Extratos vegetais de alecrim, agrião bardana,
sálvia, hamamélis, castanha-da-índia Máscaras nutritivas Ginseng, amêndoas, aveia,
castanha-do-pará, iogurte, mel Máscaras antiinflamatórias e Camomila, calêndula,
cavalinha, antiedematosas centelha, confrei, tansagem Adaptado de (CITAÇAO)
Máscara de farinha de amêndoas A farinha de amêndoas é feita da mesma forma
relatada na receita de amêndoas com água de rosas. Para preparar a máscara,
necessita-se de:
 29. 2 colheres de sopa de farinha de amêndoas 2 colheres de sopa de água
mineral ou destilada Misturam-se os dois ingredientes em uma tigela de louça. Se
precisar, pode-se acrescentar mais água para virar uma pasta. Para aplicar, deve ser
espalhada no rosto com a ajuda de uma espátula, deixando agir durante 30 minutos.
A máscara pode também ser aplicada com ligeira fricção, o que vai auxiliar na
remoção de células mortas. Para retirá-la, deve ser usada água fria, sem cloro. A
máscara de farinha de amêndoas suaviza e amacia a pele, restituindo seu brilho
natural. Máscara de farinha de castanha-do-Pará Para fazer essa máscara, basta
substituir a farinha de amêndoas por farinha de castanha-do-Pará. A forma de
preparo é idêntica. Máscara de lecitina de soja A lecitina de soja é excelente para ser
usada em máscaras faciais por ser um bom emoliente, ou seja, ela amacia e suaviza
a pele, reduzindo o seu ressecamento. Ela tem um bom poder de penetração na pele.
A máscara de lecitina de soja é feita com: 2 colheres de sopa de mel 1 colher de
sobremesa de lecitina 2 gotas de óleo essencial de rosas Os ingredientes devem ser
bem misturados em uma tigela de cerâmica. A quantidade de lecitina pode ser
reduzida, de acordo com as características particulares de quem usa. Para aplicá-la,
utiliza-se uma espátula, deixando agir durante trinta minutos. Depois, deve ser
retirada com água morna. Após o uso da máscara, recomenda-se passar uma loção
Tonica(tônica)
 30. adstringente para fechar os poros. Pode ser usado o chá de tansagem, a
água de rosas ou o vinagre de toucador diluído. Máscara de argila Essa máscara de
argila unirá os efeitos benéficos de vários ingredientes, principalmente, o mel e a
argila. Os ingredientes são: 2 colheres de sopa de argila 2 colheres de sopa de
mingau de aveia (aveia + leite, sem açúcar) ou mingau de fubá com leite 2 colheres
de leite de gergelim (ou 1 colher de chá de óleo de camomila, ou óleo de calêndula,
ou óleo de gergelim) 1 colher de sopa de mel Chá ou água mineral para umedecer a
máscara (erva-doce e funcho: remoção de impurezas; mil-folhas: para pele oleosa;
confrei: anti-rugas, ativa a produção de células; alecrim: limpa e aumenta a
circulação; hortelã: enrijece a pele, calêndula: cicatrizante, etc.) Os primeiros quatro
ingredientes são misturados em uma vasilha de cerâmica ou vidro. Depois,
acrescenta-se chá ao poucos, até que a máscara adquira uma consistência que
permita que seja aplicada com os dedos. A máscara de argila deve ser aplicada sobre
todo o rosto, evitando a área dos olhos. Essa máscara limpa o restitui o brilho natural
da pele. Ela deve agir durante 15 a 20 minutos. Para retirá-la utiliza-se água mineral
fria (ou qualquer outra sem cloro). Depois de retirar a máscara, pode-se passar o
vinagre de toucador para tonificar. Cremes e Loções Cremosas ADITIVAÇÃO DE
PRINCÍPIOS ATIVOS EM CREMES:
 31. Material utilizado: • Papel manteiga • Placa de vidro ou gral • Espátula ou
pistilo • Balança de precisão. Procedimento: • Pesar o(s) principio ativo(s), pré-
solubilizá-lo ou micronizá-lo com solvente adequado (ex. propilenoglicol) compatível
com a emusão • Pesar o creme, descontando-se o peso do(s) PA(s); adicioná-lo aos
poucos ao princípio ativo micronizado ou solubilizado, espatulando na placa ou
hemogeneizando com o pistilo no gral. • Embalar em pote ou bisnaga de rotular.
ADITIVAÇÃO DE LOÇÕES CREMOSAS: Material utilizado: • Cálice • Bastão • Papel
manteiga • Balança de precisão Procedimento: • Pesar ou medir o(s) PA(s), pré-
solubilizá-lo ou micronizá-lo com solvente adequado compatível com emulsão em
cálice de volume adequado à formulação com auxilio do bastão. • Adicionar a loção
cremosa, aos poucos e mistruando sempre, sobre os princípios ativos solubilizados
ou micronizados no cálice, até o volume solicitado. • Homogeneizar bem com o
bastão. • Embalar e rotular.
 32. Formulas Orientativas: Base Para Creme Aniônico Com Lanete N Lanete
N 15 g Cetiol 868 (estearato de Octila) 10 g Vaselina liquida 5g Vaselina sólida 2g
Metilparabeno 0,1 g Propilparabeno 0,1 g Água destilada ou deionizada q.s.p 100 g
Base para Loção Aniônica/não iônica Monoestearato de glicerila (Cutina MD) 0,75 g
Álcool cetoestearílico (Cetax 50) 1g Ácido esteárico (Cetax TP) 1g Álcool
cetoestearílico etoxilado (Eumulgin B2) 1g Cetiol 868 4g Trietanolamina 0,3 g
Carbopol 940 0,075 g Glicerina 4g Metilparabeno 0,1 g Propiparabeno 0,1 g Água
destilada ou deionizada q.s.p 100 g Base para Creme não Iônico Cosmowax j 14 g
Óleo mineral 7g
 33. Silicone DC 344 3g Glicerina 4g Metilparabeno 0,1 g Propilparabeno 0,1 g
Imidazolidinil uréia (Germall 115) sol. 50% 0,8 g Água destilada ou deionizada q.s.p
100 g Creme hidratante Fase A (oleosa) Monoestearato de Glicerila 30 g Ácido
esteárico 160 g Ministato de isopropila 22 g Óleo mineral 22 g Álcool Cetoestarílico
etoxil 22 g Óleo de semente de uva 100 g Nipazol 1g Fase B (Aguosa) Trietanolamina
3.75 g Uréia 100 g Nipagin 1g Glicerina 50 g Água destilada q.s.p 1000 g Loção
hidratante Fase A (Oleosa)
 34. Monoesterato de glicerila 7.5 g Ácido esteárico 10 g Álcool cetoestearílico
10 g Álcool cetoestearílico etoxil 10 g Miristato de isopropila 40 g Nipazol 1g Fase B
(Aguosa) Carbopol 940 0.75 g Trietanolamina 3g Glicerina 40 g Nipagim 1g PCA Na
2g Água destilada q.s.p 1000 g Cold cream Esse creme é usado na limpeza do rosto,
removendo a maquiagem ao mesmo tempo em que mantém a acidez da pele. Deve-
se tomar o cuidado de remover todo o excesso após a limpeza, senão os poros ficarão
obstruídos. Os ingredientes usados para preparar a quantidade mostrada no filme
são: 45 ml de óleo de amêndoas 6,25 g de cera de abelha 12,5 ml de água de rosas
2 ml de tintura de benjoim 250 mg de bórax 10 gotas de óleo essencial de rosas Em
uma panela esmaltada ou de vidro são misturados o óleo de amêndoas, a lanolina e
a cera de abelhas. Leva-se a panela ao banho-
 35. maria para derreter a cera, mexendo sem para. Quando a cera estiver
toda derretida e a mistura, bem homogênea, retira-se a panela do fogo. À parte,
dissolve-se o bórax em um pouco de água de rosas. O bórax deve ser dissolvido,
antes de ser incorporado ao creme, para facilitar sua incorporação ao creme. Em
seguida, o bórax já dissolvido é juntado aos outros três ingredientes na panela, fora
do fogo. Bate-segua de rosas. o de o bfogo. e a mistura, bem homogenea sem para.
o:que mant massagens e hidrata vigorosamente, até que a água de rosas com o
bórax seja bem incorporada. Acrescenta-se a tintura de benjoim, sem parar de
mexer. Ao final, adicionam-se as gotas de essência de rosas, batendo um pouco mais.
O creme deve ter consistência lisa e homogênea; por isso recomenda-se bater muito
bem as matérias gordurosas antes de acrescentar a água de rosas, o bórax e a tintura
de benjoim. Guardado em pote apropriado, devidamente esterilizado, esse creme
tem validade de três meses. Creme para pés de galinha 20 g de óleo de amêndoas
doces 20 g de óleo de gergelim 2 g de óleo essencial de camomila 1 g de óleo
essencial de cenoura 1 g de óleo de rosas Misturar bem e aplicar com leve massagem
na área ao redor dos olhos. A base do creme apresentada no filme é feita com: 1,4
g de hidróxido de sódio 20 g de ácido esteárico 0,5 g de nipagim 100 ml de água
 36. Misturar o ácido esteárico, o hidróxido de sódio e um pouco de água.
Coloque um pouco de água sobre o nipagim, separado, para que dissolva. Ao mesmo
tempo, dissolver o mipagim separadamente com um pouco de água, deixando-o
reservado. Levar a mistura de ácido esteárico, hidróxido de sódio e água para
aquecer sobre a chapa de amianto ou em banho-maria. Bater vigorosamente a
mistura para que vire uma emulsão. A reação entre esses dois ingredientes formará
o estreato de sódio, que é a base do creme. Depois que a reação estiver completa,
retirar o béquer do fogo. Fazer um teste para ver se reagiram completamente:
passando um pouco do creme sobre a pele e verificando se ainda existem grumos,
se a textura estiver cremosa e não houver grumos, está no ponto. Agora, é preciso
bater com mais intensidade, usando um mini- processador. Colocar um pouco mais
de água e misturar. Acrescentar o nipagim já dissolvido, sempre batendo. E está
pronta a base do creme hidratante. Óleo de amêndoas O óleo de amêndoas é muito
bom para remover maquilagem dos olhos. Além disso, ele nutre a pele em torno do
olho. As peles muito secas devem ser limpas com esse óleo. Depois, o excesso deve
ser removido com chá de camomila. Aveia A aveia remove as impurezas de maneira
mais suave, mas funciona bem. Após umedecida com um pouco de água, ela pode
ser passada no rosto como se fosse uma esponja. Ela irá clarear os cravos, tornando-
os menos evidentes. Flores de violeta 250 ml de leite
 37. 2 colheres de sobremesa de flores de violeta (ou funcho, ou erva doce, ou
alecrim, ou rosas, ou tansagem) O leite é fervido, deixando-o esfriar um pouco.
Depois, junta-se as flores de violeta. A mistura deve descansar durante duas horas,
sendo coada. Ela deve ser guardada num recipiente de vidro ou louça esterilizado,
sendo conservada na geladeira, onde durará uma semana. Essa loção de limpeza
deve ser passada no rosto e pescoço com um pedaço de algodão, todos os dias.
POMADAS Preparações de consistência pastosa, destinadas a uso externo e que
contenham ou não uma ou mais substâncias terapêuticas, incorporadas a excipientes
adequados. Excipientes: vaselina, parafina, lanolina e seus ésteres, polietilenoglicois.
Óleos vegetais e ésteres graxos. Quando contém quantidade de pós igual ou superior
a 25% são chamadas de pastas. Quando contém resinas são chamadas de ungüentos
e quando contém ceras em sua composição são chamadas de ceratos. Formulas
orientativas: Pomada Simples (Farm Brás. II ed.) Lanolina anidra 300 g Vaselina 700
g Para se obter 1000 g Pomada hidrofílica (Farm Brás. II ed.) Polietilenoglicol 400 35
ml
 38. Polietilenoglicol 4000 q.s.p 100 g Pasta de Zinco (Pasta de lassar) (Farm
Brás. II ed.) Oxido de Zinco 25 g Amido 25 g Vaselina 50 g Pasta d’água Óxido de
Zinco 25 g Talco 25 g Glicerina 25 ml Água de cal 25 ml Amêndoa com vaselina 50
ml de óleo de amêndoas 14 ml de vaselina branca 15 g de cera de abelha 20 ml de
água de rosas A vaselina é um grande removedor de impurezas da pele. Embora seja
um subproduto do petróleo, ela é muito usada como base para a elaboração de
produtos caseiros com óleos vegetais ou infusão de ervas. Os ingredientes deves ser
distribuídos em três recipientes distintos, que sejam de vidro ou esmaltado. Um
contendo vaselina com a cera de abelha, outro contendo a água de rosas e o terceiro
com o óleo de amêndoas. Os ingredientes devem ser aquecidos simultaneamente em
fogo brando até a cera se derreter. Então, os ingredientes devem ser retirados do
fogo e, sem perda de tempo, junta- se o óleo de amêndoas e a água de rosas à
mistura de cera com
 39. vaselina, mexendo sem parar para que a mistura fique lisa e homogênea.
Deve-se bater até que esfrie completamente. Geles Geles ou pomadas-geleias
Consideram-se como geles ou pomadas-geleias as que são constituídas por geles
minerais ou orgânicos. Os excipientes utilizados são de vários tipos, tendo como
característica comum as suas propriedades coloidais, originando, em contato com a
água, geles mais ou menos espessos de consistência pastosa. Classificação:
Hidrófobos ou oleogeles. Os sues excipientes são gordurosos como a parafina líquida
e óleos diversos. A gelificação destes produtos, conseguie-se por adição de
polietileno, anidrido silícico, sabões de alumínio ou de zinco, etc. Hidrófilos ou
hidrogeles. Apresentam como excipiente a água ou diversos glicóis como a glicerina
e o propilenoglicol. Estes líquidos são gelificados por intermédio de várias substâncias
como a goma adragante, a goma de karaia, o amido, derivados da celulose, silicatos
de alumínio e magnésio (argilas, bentonite, veegum), pectina, alginatos, carbopols,
ácido polivinílico, etc. Quando os hidrogeles contém glicerina, sorbitol ou propileglicol
e amido gleicerados Os exipientes são bem tolerados pelos tecidos e pelos fármacos
de ação dérmica desvantagem: Representam um meio favorável para o
desenvolvimento de microorganismos (bolores), sendo indispensável a adição de um
fungicida (ácido benzóico ou p-hidroxibenzoato de metilo e propilo) Secam
rapidamente, sendo obrigatório conservá-las ao abrigo do ar, em embalagens
herméticas.
 40. As pomadas-geleias têm, em geral, um efeito emoliente e refrescante,
mas a sua rápida secagem película quebradiça quando aplicadas na epiderme. É
importante a inclusão de glicerina, que faz com que as películas formadas fiquem
elásticas e protejam melhor a pele. Estas pomadas são susceptíveis a não apresentar
poder de penetração cutânea. Seus excipientes são formados por grandes moléculas
colidais, não podem atravessar a epiderme e, também não apresentam afinidade com
as proteínas da pele, não originando absorção bioquímica. Os geles, que contém
carbopols, são dotados de boa penetrabilidade cutânea. Pode-se aumentar a
penetração adicionando trietanolamina, álcool isopropilico, propilenoglicol e
polietilenoglicol. A preparação das pomadas-geleias pode dividir-se em duas partes:
Preparação do gel Incorporação dos fármacos Formas orientativas: Gel de Carbopol
Carbopol 940 0.8 g Propilenoglicol ou glicerina 10 ml Trietanolamina 0.3 g Nipagin
0.2 g Água destilada 50 ml Álcool a 96% q.s.p 100 ml Gel de Natrosol
 41. Natrosol (hidroxietilcelulose) 3g Propilenoglicol ou glicerina 10 ml Nipagin
0.2 g Água destilada 50 ml Álcool a 96% q.s.p 100 ml Shanpoos / sabonetes líquidos
Preparações destinadas a higiene da pele e couro cabeludo. Shampoo Definição: É
um cosmético que tem como finalidade básica, a limpeza do cabelo e couro cabeludo.
Classificação: Quanto a finalidade: Shampoo higiênico: destinado exclusivamente à
higiene dos cabelos. De acordo com o tipo de cabelo, pode ser para cabelos oleosos,
para cabelos secos ou ara cabelos normais. Shampoo especial: Anti-caspa: piritionato
de Zinco, sulfeto de selênio. Exigem normalmente alta viscosidade. Infantil:
tensoativos suaves Condicionador: poliglicol-poliamina, pseudo-carionico, compatível
com tensoativo aniônico. Quanto a forma de apresentação: Líquidos transparentes
(um fator muito importante na sua preparação é a total solubilidade dos seus
componentes em água. Emulsionados (podem ser líquidos ou cremosos) Geles
 42. Propriedades gerais dos shampoos: Deverão limpar, por completo o
cabelo e o couro cabeludo. Deverão produzir espuma abundante, cremosa e
persistente. Deverão deixar os cabelos suaves e com brilho. Deverão ter bom
aspecto, aroma agradável. Observação: Quanto ao caráter físico-químico: não
deverão deixar precipitados insolúveis. Quanto ao caráter dermatológico: não
poderão ser irritantes nem sensibilizantes. Não deverão desengordurar em excesso.
Não deverão provocar irritação na conjuntiva ocular. Fórmula padrão Tensioativo
Aniônico Tensioativo Não Iônico Emoliente Conservante Espessamente (se
necessário) Água purificada Tensioativo Conceito: são substâncias que alteram a
tensão superficial ou interfacial dos líquidos. São constituídos por moléculas que
contem tanto partes apolares como polares. A parte apolar é, em geral, uma cadeia
com natureza de hidrocarboneto e corresponde à porção hidrofóbica da molécula,
enquanto que a parte polar é freqüentemente um grupo iônico e constitui sua parte
hidrofílica.
 43. Classificação: Tensoativo Aniônico Concentração utilizada; 25 a 40%. Ex.:
1. Lauril éter sulfato de sódio. Propriedades: Boa detergência Boa solubilidade
Etoxilação diminui a irritabilidade 2. Lauril Éter Sulfossucinato de Sódio.
Propriedades: Boa solubilidade Poder espumante Estabilidade em pH ácido Baixa
irritabilidade Tensoativo não Iônico Concentração utilizada 3 a 5%. Ex.: 1
Alcanolamida de ácido Graxos de Coco (dietanolamida de ácido graxos de coco)
Propriedades: Estabilidade de espuma Espessantes Sobreengordurantes 2. Alquil
poliglicosídios (Lauril poliglicosidio e decil poliglicosídio) Propriedades: Bom poder
espumante e bom efeito de limpeza Excelente compatibilidade dermatológica
Aumento da viscosidade quando associados aos aniônicos Diminuição da irritabilidade
dos aniônicos Efeito estabilizador da espuma
 44. Tensoativo anfótero Concentração utilizada: 1 a 3% Ex.: Coco Betaína
(cocoanfocarboxiglicinato de sódio) Propriedades: Diminuição da irritabilidade dos
detergentes aniônicos Ação condicionante Conservantes Mais utilizados: parabenos
Metilparabeno Propiparabeno Concentração: 0,1 a 0,2% Ajuste de pH: Faixa de pH
dos shampoos: 5,0 a 7,0 Ácidos utilizados: Ácido Cítrico Ácido Lático Ácido Fosfórico
Espessantes Eletrólitos: mais utilizados – NaCI e NH4CI Atuam na formação de
micelas do tensoativos: micelas maiores e cilíndricas Viscosidade dos shampoos:
2000 a 4000 cps Polímeros: carboximeticelulose, hidroxieticelulose,
polivinilpirrolidona (0.5 a 2%) Medida da viscosidade: Viscosímetro Brookfield
Viscosímetro Copo Ford
 45. Classificação dos shampoos Quanto a forma: líquidos, géis, cremosos, etc.
Quanto a finalidade: higiênicos e especiais Higiênicos: em função do tipo de cabelo:
normal, seco e oleoso. Função: limpeza dos cabelos e couro cabeludo. Tipo de cabelo
% detergente % sobreengordurante Seco 20 4 Normal 25 3 Oleosos 30 2 Especiais:
além da ação de limpeza, exercem algum efeito especial sobre os cabelos e couro
cabeludo. Tipo: Shampoo anti-caspa: contém substâncias antisépticas Ex.:
Piritionato de Zinco (1-2%), sulfeto de selênio (2,5%) Em geral, contém fármacos
insolúveis, exigindo alta viscosidade para mantê-los em suspensão. Shampoo
infantil: consumidor exigente. Requisitos especiais: Não provocar irritação ocular pH
neutro tensoativo Aniônico (detergentes suaves): Lauril éter Sulfosuccinato/Lauril
Éter Sulfato de Sódio. Anfótero (cocoanfocarboxiglicinato de sódio) Não Iônico.
(polissorbato 20) – reduz a irritabilidade dos tensioativos aniônicos.
 46. Cor e odor agradáveis Não utilizar sal para espessar (evitar ardência nos
olhos). Shampoos com aditivos: indicados para tratamento do couro cabeludo e
cabelos danifcativos. Aditivos utilizados: Extrato vegetais: estratos glicólicos (conc.
Utilizada 1-10%). Extratos alcoólicos interferem na formação de espuma e
viscosidade Hidrolizados de proteínas: colágeno, queratina, elastina, caseína, seda
(conc. Utilizada 1-5%). Efeito: umectância e condicionamento. Substâncias
emolientes: lanolina e derivados, lecitina, óleos vegetais (semente de uva, gérmem
de trigo, amêndoa, jojoba, etc.) Vitaminas: A, B e E. Shampoo base Componentes
Concentração Lauril éter sulfato de sódio 250 g Cocoanfocarboxiglicimato de sódio
20 g Dietapolamida de ácido graxo de coco 40 g metilparabeno 2g Cloreto de sódio
8g Água destilada 1000 ml q.s.p Shampoo de hemamélis – para cabelos oleosos
Componentes Concentração Lauril éter sulfato de sódio 330 g
Cocoanfocarboxiglicimato de sódio 20 g Dietapolamida de ácido graxo de coco 30 g
Hidrolisado de proteína 30 g Extrato de glicerinado de hamamélis 3 ml
 47. Metilparabeno 2g Essência 4 ml Cloreto de sódio 9g Água destilada 1000
ml q.s.p Shampoo de lanolina – para cabelo seco Componentes Concentração Lauril
éter sulfato de sódio 300 g Cocoanfocarboxiglicimato de sódio 20 g Dietapolamida de
ácido graxo de coco 30 g Hidrolisado de proteína 30 g PPG-7-gliceril-ácido graxo de
coco 5g Lanolina etoxilada 10 g Metilparabeno 2g Essência 2 ml Poliglicol poliamina
30 g Cloreto de sódio 4g Água destilada 1000 ml q.s.p Os ingredientes usados para
preparar a base para cem mililitros de xampu são: 12 g de lauril sulfato de sódio 2 g
de carboximetilcelulose 200 mg de nipagim 50 ml de água destilada Preparar a base
em um béquer, utilizando um bastão de vidro para misturar os ingredientes. Colocar
a água e o lauril sulfato de sódio no béquer e misturar com o bastão. O lauril sulfato
de sódio é uma substancia tensoativa e atua com detergente e espumante. Para
dissolver o lauril sulfato de sódio, a mistura deverá ser aquecida em banho-maria ou
sobre uma chapa de amianto. Mexer
 48. sempre até dissolver todo o detergente. Quando estiver bem dissolvido,
retirar o béquer do fogo. Adicionar o carboximetilcelulose. Esta substancia é
espessante, isto é confere a viscosidade característica ao xampu. Voltar com o béquer
ao banho-maria para dissolver esse ingrediente. Depois que estiver bem dissolvido,
retirar do fogo e acrescentar o nipagim, misturando bem. O nipagim é um
conservante que preserva o produto das oxidações e de ataques de microrganismos.
Está pronta a base do xampu. Xampu anti-queda 50 ml de xampu-base 5 ml de
dietanolamida de ácido graxo de coco. 3 ml de tintura de raízes de bardana 3 ml de
tintura de aroeira salsa 3 ml de extrato glicólico de alecrim água para completar o
volume de 100 ml adicionar a dietanolamida à base do xampu, batendo bem para
homegeneizar. Essa substância é um agente estabilizador da espuma,
sobreengordurante e doador de viscosidade. Em seguida, adicionar o extrato glicólico
de alecrim e misturar bem. O alecrim estimula o crescimento capilar. Adicionar as
tinturas de bardana e de aroeira-salsa. A bardana é antisséptica e controla a
seborréia e a aroeira-salsa é estimulante do crescimento. Quando estiver bem
homegêneo, acrescentar água, misturando sempre, até completar o volume de cem
mililitros. Esse xampu é indicado para cabelos normais ou oleosos. Guardar o xampu
em um frasco esterilizado, tampando bem. Ele tem validade de um ano. Xampu de
camomila O xampu de camomila é usado para lavar o cabelo de crianças e para
clarear. Para prepará-lo, é preciso de:
 49. 50 ml de xampu base 5 ml de tintura de camomila 3 ml de vaselina 5 ml
de glicerina 1 ml de óleo de silicone 50 ml de chá de camomila. Adcionar a vaselina
à base do xampu. A vaselina é um emoliente e atenua o ressecamento dos cabelos.
Depois, acrescentar o óleo de silicone, que também é emoliente. Essas substâncias
estão sendo usadas no lugar da dietanolamida de ácido graxo de coco. Acrescentar
a glicerina, mexendo sempglicerina camomila de crianampando bem. ar te e doador
de viscosidade. bem. re. a glicerina é umectante, ou seja, absorve água do ambiente.
Então, terá a função de hidratar o cabelo. Adicionar a tintura de camomila. Por último,
o chá de camomila até completar o volume de cem mililitros. Esse chá deve ser
preparado com água destilada. Guardar o xampu pronto em um frasco esterilizado.
Esse xampu tem validade de apenas seis meses, por causa do chá que foi usado. O
chá faz com que o xampu deteriore com mais facilidade do que quando se usa
somente água. Sabonete líquido Componentes Concentração Lauril éter sulfato de
sódio 230 g Cocoanfocarboxiglicinato de sódio 76,9 g Cloreto de sódio 15 g
Metilparabeno 2g Glicerina 50 g Água purificada q.s.p 1000ml Sabonete líquido de
glicerina
 50. Componentes concentração Lauril éter sulfato/sulfosuccinato de sódio 200
g Dietanolamida de ácido graxo de coco 25 g Decil poliglucose 50 g Lauril poliglucose
40 g Lanolina etoxilada 5g Glicerina 100 g Metilparabeno 2g Cloreto de sódio 9g
Essência Q.S Água purificada q.s.p 1000 ml Sabonete cremoso de Camomila
Componentes Concentração Fase A (Oleosa) Ácido esteárico 40 g Monoestearato de
glicerila 60 g Fase B (Aguosa) Glicerina 250 g Metilparabeno 1g Trietanolamina 4g
Água purificada q.s.p 1000 ml Fase C Lauril éter sulfato de sódio 400 g Dietanolamida
de ácido graxo de coco 40 g Fase D Extrato glicerinado de camomila 5 ml Essência
Q.S. Sabonete sólido camomila e mel
 51. A base do sabonete sólido tem um preparo mais complexo, por isso
aconselhamos, em nível doméstico, que se adquira a base pronta. Da mesma forma
que o sabonete líquida, com o sabão-base é possível criar diferentes tipos de
sabonete, apenas variando os ingredientes ativos adicionados. Uma possibilidade é
o sabonete de camomila e mel, que une a ação cicatrizante e emoliente da camomila
com as propriedades nutritivas e amaciante do mel. Antes de começar o preparo,
deve-se passar vaselina líquida ou óleo mineral nas formas onde serão moldados os
sabonetes para que a massa não grude. Os ingredientes são: 200 g de sabão base
160 ml de óleo de camomila 100 g de mel cerca de 100 ml de água destilada O
sabão-base deve ser ralado em ralo fino e colocado em uma panela esmaltada ou
vidro. Acrescenta-se água aos poucos, misturando sempre. A quantidade de água a
ser usada vai depender da consistência do sabão-base utilizado. Deve ser usada uma
quantidade suficiente para dissolvê-lo. Em seguida, o sabão deve ser aquecido em
banho-maria ou sobre a chapa de amianto, mexendo sempre até que o sabão derreta.
Se for, necessário, pode-se acrescentar um pouco mais de água. A massa deve ficar
com consistência pastosa, nem muito dura, nem muito mole. Depois que o sabão
estiver derretido, tira-se a panela do fogo e acrescenta-se o mel, misturando sempre,
até ficar bem homogêneo. A massa do sabonete estará pronta. Agora, ela deverá ser
colocada nas formas para moldar os sabonetes. Deixa-se que os sabonetes
endureçam, antes de retirá-los da forma.
 52. Sabonete de leite de Cabra Para fazer o sabonete sólido de leite de cabra,
necessita-se de: 100 g de sabão-base 60 g de extrato glicólico de proteínas do leite
água destilada O leite de cabra passa por algumas transformações antes de ser usado
no preparo de cosméticos. Primeiro, é preciso hidrolisar suas proteínas, para que elas
possam ser absorvidas pela pele ou cabelo. Para isso, adiciona-se vinagre ao leite
bem quente. Para um litro e meio de leite, use meio copo de vinagre. O leite formará
coágulos imediatamente, como resultado da hidrólise das proteínas. Deixa-se o leite
coalhado em repouso durante meia hora para que os coágulos fiquem mais
consistentes. Isso facilita na hora de coar. Depois, é preciso coar o material para
separar o soroo e vinagremeio de leite, use meio copoquente. ou cabelo. e o mel,
misturando sempre, at . deixa-se o soro escorrer bem. Após preparar a proteína
hidrolisada, é preciso transformá-la em extrato glicólico. Nesse caso, o extrato
glicólico é feito com 50% de glicerina. Então, misturam-se quantidades iguais de
proteína e glicerina. Os dois ingredientes devem ser batidos com um processador,
até que a mistura fique bem fina e homogênea. Assim, estará pronto o extrato
glicólico das proteínas do leite. Para começar o preparo do sabonete de leite de cabra,
o sabão- base deve ser ralado e as formas devem ser untadas com óleo mineral ou
vaselina líquida. O sabão-base e o extrato glicólico são misturados em uma panela
esmaltada. Acrescenta-se água destilada em quantidade suficiente para derrete o
sabão-base e leva-se a panela ao banho-maria. Ela deve ser aquecida para que a
base do sabonete se dissolva. Mexe-se a massa sem parar para que não pegue no
fundo da panela e comece a se queimar. Todos os grumos devem ser desfeitos.
Quando o sabão estiver todo dissolvido e a massa estiver lisa e uniforme, deve ser
retirada do
 53. fogo. Em seguida, é despejada nas formas. Quando os sabonetes
esfriarem eles são retirados das formas. Creme hidratante ADITIVAÇÃO DE
PRINCÍPIOS ATIVOS EM CREMES: Material utilizado: • Papel manteiga • Placa de
vidro ou gral • Espátula ou pistilo • Balança de precisão. Procedimento: • Pesar o(s)
principio ativo(s), pré-solubilizá-lo ou micronizá-lo com solvente adequado (ex.
propilenoglicol) compatível com a emusão • Pesar o creme, descontando-se o peso
do(s) PA(s); adicioná-lo aos poucos ao princípio ativo micronizado ou solubilizado,
espatulando na placa ou hemogeneizando com o pistilo no gral. • Embalar em pote
ou bisnaga de rotular. Protetor labial Muitas pessoas têm reclamado que não chove
e, como conseqüência, a pele e os lábios ficam ressecados. Então, decidimos ensinar
como fazer um protetor labial. Ingredientes:
 54. 10 ml de cera de abelha 5 ml de manteiga de karitê 10 ml de manteiga
de cacau 10 ml de óleo de amêndoas doces 1 colher de café de cacau em pó 1 colher
de café de mel 2,5 ml de vitamina E 1 ml de essência de chocolate Como fazer:
Derreta a cera, a manteiga de cacau e o óleo de amêndoas em fogo baixo. Adicione
o cacau em pó. Mexa até dissolver por completo e desligue o fogo. Espere esfriar um
pouco, misture o mel, a vitamina E e a essência. Coloque nas forminhas para batom.
Dicas: Derreta os produtos em panela esmaltada. Para variar os sabores, substitua
o cacau em pó por essência com finalidade alimentícia. Boas práticas de fabricação
vigentes (G M P) DEFINIÇAO: Conjunto de ações capazes de gerar um produto de
boa qualidade. “A qualidade” de um produto fabricado deve ser conseguida durante
a fabricação do mesmo. Todos são responsáveis pela qualidade do produto.
 55. 1. ser Humano Falta de conhecimento Treinamento inadequado Condições
impróprias de trabalho Negligencia e Apatia 2. equipamentos Variações do
equipamento para o mesmo processo. Diferenças no ajuste do equipamento Mal uso
de equipamento Falta de manutenção Limpeza deficiente 3. Métodos Falta de
procedimento de operação padrão Procedimentos incorretos ** Negligencia na
observação dos procedimentos** Boas práticas de manipulação Alguns aspectos
relevante: 1. Todos os funcionários devem ser orientados quanto as práticas de
higiene pessoal Tomar banho pela manhã (diariamente) Não sentar sobre superfícies
sujas ou (sobre o) chão: banheiro, jardim etc... Mantenha sempre a barba feita,
cabelos aparados e unhas curtas e limpas.
 56. Devemos lavar as mãos com água e sabão: Antes de começar o trabalho
Após pegar algo que pelo aspecto está sujo Após usar o sanitário Após assoar o nariz
Após ter fumado 2. Na área de manipulação não é permitido o uso de cosméticos,
jóias e acessórios. 3. Não é permitido conversar, fumar, comer, beber, mascar,
manter plantas, alimentos, bebidas, fumo, medicamentos e objetos pessoais nas
áreas de manipulação. No local de trabalho: Nunca penteie o cabelo Não fume Não
espirrem em cima da matéria prima, frascos e produtos Não assoe o nariz 4. Todos
os funcionários devem ser instruídos e incentivados a reportar aos seus superiores
imediatos quaisquer condições de risco relativas ao meio ambiente, equipamento ou
pessoal que considerem prejudiciais a qualidade dos produtos manipulados. 5. os
procedimentos de higiene pessoal e uso de roupas protetoras devem ser exigidos a
todas as pessoas para entrarem na área de manipulação, sejam funcionários,
visitantes, administradores e autoridades competentes. 6. A colocação de uniformes
bem como a higiene das mãos e antebraços, antes do inicio das manipulações, devem
ser realizados em locais específicos. • Os uniformes devem ser trocados dentro dos
prazos estabelecidos e fora dos prazos, caso o uniforme necessite de troca imediata.
 57. • Uso gorro para a cobertura dos cabelos, deixando também as orelhas
cobertas. • Use luvas, quando as mãos entrarem em contato direto com o produto.
• Use máscaras, que servem como barreiras as contaminações 7. os funcionários
envolvidos na manipulação devem estar adequadamente uniformizados, para
assegurar a sua proteção individual e a do produto conta contaminação e os
uniformes devem ser trocados sempre que necessário para garantir a higiene
apropriada. 8. Em caso de suspeita ou confirmação de enfermidade ou lesão exposta,
o funcionário deve ser afastado temporária ou definitivamente de suas atividades,
obedecendo a legislação especifica. PESSOAS DOENTES VEICULAM MAIS
CONTAMINAÇOES DO QUE PESSOAS SADIAS. 9. Antes do inicio do trabalho de
manipulação deve ser verificada a condição de limpeza dos equipamentos e utensílios
e bancadas de trabalho. 10. As instalações e reservatórios de água devem ser
protegidos, para evitar contaminações. O homem como portador de microorganismos
Local do corpo Quantidade Couro cabeludo 1.500.00/cm2 Axila 2.400.00/cm2
Antebraço 105-4.500/cm2 Tronco-costas 314/cm2 Tronco-frente 200.00/cm2
Secreção nasal até 10.000.000/cm2
 58. Cera do ouvido até 100.000.000/cm2 Saliva 100.000.000/cm2 Fezes
100.000.000.000/cm2 Xampus São produtos destinados primariamente à limpeza
dos cabelos e couro cabeludo, porém podem ser acrescidos a princípios ativos
medicamentosos passando a exercer ação terapêutica. Componentes básicos de um
xampu: Água: Responsável pela diluição dos tensioativos (agentes
espumantes”responsáveis pela remoção das sujidades). É a matéria-prima de maior
concentração na formulação, devendo possuir boa qualidade microbiológica e
química, purificada e recém deionizada. Detergente (tensioativo): substâncias que,
por possuírem em sua estrutura molecular grupos hidrofílicos (que ligam à água) e
lipofílicos (liga à gordura, sujeiras dos cabelos), têm a capacidade de alterar a força
de licaçao entre sujeira e cabelo, removendo-a. Principais tensoativos: • Aniônicos:
em contato com água adquirem uma carga negativa • Catiônicos: em contato com a
água adquirem carga positiva. • Anfóeros: dependendo do pH do meio adquirem
carga positiva ou negativa, pH ácido (+) e pH básico (-) • Não iônicos: não formam
carga ao entrar em contato com a água. Emulsões (cremes e loções cremosas):
Mistura de dois líquidos imiscíveis, na qual m deles está disperso no outro em forma
de gotículas líquidas. ADITIVOS DE PRINCÍPIOS ATIVOS EM EMULSÕES
 59. O/A – Água: fase interna óleo e externa água. Sensação menos oleosa,
refrescância e absorção rápida. Água é a fase externa e esta em contato com a pele.
A/O – água / óleo: fase interna óleo e externa água. Sensação mais oleosa. Óleo é a
fase externa em contato com a pele. Nota: Para saber se a emulsão é O/A ou A/O,
acrescentar água. Se homogeneizar, é aquosa; se não, é oleosa. As emulsões são
formas farmacêuticas líquidas ou pastosas de aspecto leitoso ou cremoso, resultantes
da dispersão de um líquido no seio de outro, no qual é imiscível, à custa de um agente
emulsificante. COMPONENTES DE EMULSÕES: Fase aquosa: água deionizada, pois o
cálcio e o magnésio desestabilizam a emulsão. Depois são acrescentados os
componentes solúveis mais os conservantes, edulcorantes e aromatizantes. Fase
oleosa: óleos ou ceras aos quais são acrescentados os componentes solúveis e as
essências, conservantes e antioxidantes. Agente emulsificante: dá estabilidade à
emulsão, reduzindo a tensão superficial entre o óleo e a água e retardando a
separação das fases. Conservantes: os conservantes protegem o produto contra
fungos e bactérias. De preferência devem ser adicionados na fase aquosa, uma vez
que esta é mais susceptível de contaminar. É bom lembrar que alguns agentes
emulsionantes podem diminuir ou até mesmo neutralizar o efeito de determinados
conservantes (ex.: tween 80 e parabenos). Essências e ou corantes Antioxidantes:
previnem processos auto-oxidativos de óleos e gorduras (ex.: metabissulfito de
sódio, BHT) EHL (equilíbrio hidrófilo-lipófilo): é o equilíbrio entre as fases aquosa e
oleosa. Sequestrantes: substâncias que complexam íons metálicos, inativando-os em
sua estrutura impedindo deste modo sua ação
 60. danosa sobre os outros componentes da formulação. Age em sinergismo
com os conservantes. PREPARO DE EMULSÕES (PROCEDIMENTO GERAL): Aquecer
todos os componentes óleos solúveis à cerca de 80º C Aquecer todos os componentes
hidrossolúveis, a 85º C Adicionar uma fase à outro, lentamente, agitando. (a fase
com maior quantidade sobre a de menor quantidade). Adicionar corantes, essências,
hormônios, vitaminas, bioativos, (matéria-prima de natureza orgânica em geral)
quando esfriar, à cerca de 30º C Géis ssoe o nariz ascos e produtos omer, beber,
mascar, manter plantas, alimentos, bebidas, fumo, medicamentos e objetos pessoais
na: Consistem na dispersão de um sólido (resina, polímero, derivados de celulose...)
num líquido (água ou álcool/água) formando um excipinete transparente ou
translúcido. Os géis são veículos destinados à peles oleosas e acnéicas.
ESPESSANTES DERIVADOS DA CELULOSE: CARBOXIMETILCELULOSE SÓDICA
(CMC): Polímero aniônico, quase nunca usado para obtenção de gel para veiculação
de ativos dermatológicos. É mais freqüentemente usado para obtenção de gel oral e
agente suspensor de produtos para uso interno. Incompatibilidades: O gel de CMC é
incompatível com ativos fortemente ácidos e com sais solúveis de ferro e alguns
outros metais, tais como alumínio e zinco. É também incompatível com goma
xantana. Precipitação pode ocorrer em pH<2 a="" ativos="" atrasol="" base=""
capazes="" cellosize="" celulose="" cmc="" coacervados="" col="" com=""
complexos="" de="" e="" em="" este="" etanol="" forma="" formam="" gel=""
gelatina="" geno="" hidroxieltilcelulose="" interesse="" lcool="" maior=""
misturado="" nas.="" o="" para="" pectina.="" precipitar="" prote="" quando=""
s="" span="" vincula="">
 61. dermatologia possui caráter não iônico, solúvel em água fria ou quente.
Tolera bem pH ácido, sendo indicado para a incorporação de ativos que levem a um
abaixamento do pH final da formulação, como por exemplo, o ácido glicólico. pHs
extremos, embora bem tolerados, podem causar alterações na viscosidade.
METILCELULOSE: o gel com metilcelulose é preparado para formulações tópicas (1-
5%) e oftálmicas (0,5-2,0%). Incompatibilidades: O gel de meilcelulose é
incompatível com cloridrato de aminacrina, clorocresol, cloreto de mercúrio, feno,
resorcinol, ácido tânico, nitrato de prata, cloreto de cetipiridíneo, ac.
Parahidroxilbenzóico, ácido paraminobenzóico, meltilparabeno, propilparabeno e
butilparabeno. Sais de ácidos minerais e particularmente de ácidos polibásicos, fenóis
e taninos, fenóis, coagulam soluções de metilcelulose. Pode ocorrer complexação da
metilcelulose com compostos tensioativos, tal como tetracaína e sulfato de
dibutolina. Em altas concentrações de eletrólitos, a metilcelulose pode estar
completamente precipitada ou continuar gel. Gel Creme: São emulsões com alta
porcentagem de água e baixa porcentagem de óleo. É constituído por um
estabilizador coloidal hidrófilo e agente de consistência. SUGESTÃO DE GEL-CREME
BASE: NET-FS (microemulsao de silicone)...................................... 2,0% Gel base
de carbopol qsp ................................................... 100,0% Preparo: incorporar
homogeneizando o NET-FS no gel base de carbopol. SUGESTAO DE GEL-CREME BASE
NÃO-IÔNICO para formulações com pH estremos (ácido glicólico) ou com carga de
eletrólitos incompatível com o Carbopol NET-FS
........................................................................... 2% Gel de hidroxietilcelulose
(natrosol) qsp .............................. 100% Preparo: incorporar o NET-FS no gel base
de natrosol.
 62. ADTIVAÇÃO DE PRINCÍPIOS ATIVOS EM GEL-CREME BASE: deve seguir
as mesmas orientações descritas para géis. UNIDADE DE MEDIDAS – UI, UTR Os
produtos prescritos nestas unidade terão suas conversões efetuadas utilizando-se
uma regra de três simples. Exemplo: Formulação com 5.000 UTR de Thiomucase.
Sabendo-se que 350.000 UTR’s equivalem a 1 grama, devemos calcular 350.000UTR
= 5.000UTR 1g X onde X= 5.000 x ÷ 350.000 = 0.014g Devemos pesar então 0,14g
ou 14 mg de Thiomucase Os cálculos em UI’s seguem o mesmo princípio. UI –
Unidade Internacional: atividade especifica de uma droga contida numa quantidade
determinada de um padrão (medida atividade ou potencia da substancia). UTR =
Unidade de Turbidez Exemplos: Vitamina A oleosa (palmitato) 1.000.000 UI/g
Acetato de vitamina A pó 500.000 UI/g Vitamina D2 pó 850.000 UI/g
 63. Vitamina D2 oleosa 1.000.000 UI/g Vitamina D3 40.000 UI/g Vitamina E
oleosa 1.000 UI/g Vitamina E pó 50% 0,50 UI/g Thimucase 350 UTR/mg Heparina
100 UI/g Hiluronidase 2.000 UTR/20mg INCOMPATILIDADES FISICO-QUÍMICAS No
meio farmacêutico, “incompatibilidade medicamentosa” é considerado um assunto
complexo que assusta e amedronta e por isso muitas vexes é ignorado e pouco
estudado no âmbito geral pelo profissionais. Sobretudo, na farmácia magistral onde
se trabalha com inúmera substâncias e se manipula com maior freqüência
associações das mesmas em uma formulação. Para Voigt, incompatibilidades
compreendem os efeitos recíprocos entre dois ou mais componentes de uma
preparação farmacêutica, com propriedades antagônicas entre si, que frustram ou
colocam em dúvida a finalidade para qual foi concebido o medicamento. As
incompatibilidades podem prejudicar a atividade ou impedir a dosificação exata do
medicamento, influir no aspecto da formulação tornado-a inaceitável até mesmo do
ponto de vista estético. Quando se pensa em incompatibilidades em farmácia deve-
se pensar no sentido amplo da formulação. As incompatibilidades podem
desenvolver-se entre as substâncias ativas, entre as substâncias coadjuvantes
(excipientes) da formulação, entre as substâncias ativas e as coadjuvantes ou entre
uma ou outra e o material da embalagem ou impurezas. Segundo a sua origem e
manifestação as incompatibilidades em farmácia deve-se pensar no sentido amplo
da formulação. As incompatibilidades podem desenvolver-se entre as substâncias
ativas, entre as substâncias coadjuvantes (excipientes) da formulação, entre as
substâncias ativas e as coadjuvantes ou entre uma ou outra e o material da
embalagem ou impurezas.
 64. Segundo a sua origem e manifestação as incompatibilidades
medicamentosas podem ser classificadas em: Incompatibilidades físicas
(incompatibilidades farmacêuticas) Incompatibilidades químicas Incompatibilidades
terapêuticas (farmacológicas) DETERMINAÇÃO DO pH O pHmetro é um aparelho
indispensável na farmácia com manipulação, sendo importante tanto no controle de
qualidade da matéria-prima como o produto acabado. A medição do pH é muito
importante, pois várias matérias-primas podem ter seu pH alterado em função de
impurezas ou instabilidade (hidrólise, por exemplo). Esta instabilidade pode ocorrer
devido ao tempo de estocagem e/ou condições inadequadas de transporte e
armazenamento. Altas temperaturas predispõem à instabilidade. Algumas matérias-
primas podem ser caracterizadas através da medição do pH de uma solução da
amostra a determinada concentração. Descrição: Retirar o béquer contendo solução
de KCI na ual está mergulhado o eletrodo quando o medidor não está em uso; Lavar
o eletrodo com jatos de água destilada e enxugá-lo com papel de filtro; Imergir o
eletrodo em solução tampão de referencia, verificando- se a temperatura em que se
vai operar; Ajustar o valor de pH 7, mediante o botão de calibração; Lavar o eletrodo
com várias porções de um segundo tampão de referencia, imergindo-o neste,
verificar o valor do pH registrado, aferir o pHmetro com valor de pH 4 do segundo
tampão; Após a aferição, lavar o eletrodo com água destilada e com varias porções
da solução da amostra; Para a diluição das amostras, deve-se usar água destilada
isenta de CO2 (água destilada fervida) Proceder a determinação da leitura do pH da
solução da amostra, a primeira determinação fornece valor variável, havendo
necessidade de proceder as novas leituras (ideal 3 leituras);
 65. Lavar novamente o eletrodo com água destilada, conservando-o a seguir
em solução de KCI. Sugestões de soluções tampão Tampão pH 7 Tampão pH 4
Fosfato monopostássio ........ 50ml Biftalato de potássio 0,2M ... 50 ml Hidróxido de
sódio .......... 29,1 ml Ácido clorídrico 0,2M ......... 0,1 ml Água destilada qsp ...........
200 ml Agua destilada qsp ........... 200 ml ALCOMETRIA Quando se introduz o
alcoômetro centesimal (alcoômetro de Gay Lussac) em uma mistura de água e álcool,
à temperatura de 15º C, a leitura indica em centésimos e em volume, o teor em
álcool absoluto na mistura hidroalcoólica. A graduação Gay Lussac determina o
número de volume de álcool etílico contido em 100 volumes de uma mistura feita
exclusivamente de álcool etílico e água, determinado a 15º C Exemplo: 1 litro de
álcool etílico a 96ºGL encerra a 15ºC - 960ml de álcool etílico absoluto Para se
terminar a quantidade de álcool etílico por cento em volume, em determinada
temperatura, por meio da porcentagem em peso, devemos levar em conta a
densidade da mistura e a do álcool pro e empregar a seguinte fórmula: X=pxD d X
= Quantidade de álcool em volume (ml) p = porcentagem em peso D = densidade
da mistura hidroetanólica (a uma dada temperatura) d = densidade do álcool puro
(a uma dada temperatura)
 66. pHMETRO: Operação: Para efetuar uma medição de pH é suficiente
submergir a ponta do eletrodo (4cm) e a sonda de temperatura na amostra a ser
medida. Ligue o instrumento pressionando a tecla on/off O medidor entra
automaticamente no modulo de medição de pH Espere um ou dois minutos para a
estabilização do eletrodo O valor do pH medido é lido no display(mostrador) principal
e a temperatura média é lida no display(mostrador) secundário. Água na
manipulação A água utilizada na manipulação de fórmulas é considerada como uma
matéria-prima, produzida pelo próprio estabelecimento; portanto, deve ter cuidados
especiais no seu tratamento. O sistema de produção de água potável, e purificada
deve estar qualificado dentro das especificações das Farmacopéias Brasileiras, a
Européia ou dos Estados Unidos da América do Norte, de forma a [A1] Comentário:
Empregando dessa forma para se referir aos garantir o cumprimento das mesmas
com vistas à obtenção da água norte-americanos vc está dizendo como matéria prima
principal na manipulação de formulações . que são os estados unidos localizados no
Norte(hemisfério), enquanto que a expressão EUA traduz que são os estados unidos
de toda a América – o que ainda NOÇÕES BÁSICAS DE FARMACOTÉNICA: poderia
ser os que se incluem como tal serem unidos apneas. FARMACOTÉCNICA
(DEFINIÇÃO) É a parte da ciência farmacêutica que trata da preparação de
medicamentos, ou seja, da transformação de drogas (matérias-primas) em
medicamentos; estudo o preparo, a purificação, as incompatibilidades físicas e
químicas, e a escolha da forma farmacêutica (xarope, solução, suspensão, cápsula,
etc) mais adequada à finalidade pretendida. BIBLIOGRAFIA BÁSICA: Fermacopéias:
Brasileira, Européia, Americana, Britânica. Tecnologia farmacêutica 3 volumes
(prista).
 67. Martindale. Manual de terapêutica dermatológica e cosmetologia (prista)
Noções de farmácia galenica (A. Lê Hir) Incompatibilidades medicamentosas (Virgilio
Lucas). Formulário médico farmacêutico (Virgilio Lucas) Farmacotécnica (Helou).
Merck index. COMPOSIÇÃO DE UMA FÓRMULA: Principio (s) ativo (s) = responsável
pela ação farmacológica. Coadjuvantes técnicos ou adjuvantes farmacotécnicos:
substâncias, em geral inertes, cuja função é estabilizar a formula em nível químico,
físico ou microbiológico. Veículo (líquido) ou excipiente (sólido ou semi-solido): parte
da formula na qual soa misturados os princípios ativos. COADJUVANTES TÉCNICOS:
Agentes acidificantes: usados em preparações líquidas para acidificar o meio com o
objetivo de fornecer estabilidade ao produto. Ex.: ácido acético, ácido cítrico, ácido
fumárico, ácido clorídrico, etc. Agentes alcalinizantes: usados em preparações
liquidas para alcalinizar o meio com o objetivo de fornecer estabilidade ao produto.
Ex.: hidróxido de potássio, solução de amônia, dietanolamina, monoetanolamina,
borato de sódio (bórax), trietanolamina, carbonato de amônio, etc. Adsorvente:
agente capaz de adsorver outras moléculas em sua superfície por ação química ou
física. Ex.: carvão ativado, celulose pó. Propelente (aerosol): agente responsável pelo
desenvolvimento de pressão em um frasco aerosol, permitido a expelição do produto
quando a válvula é acionada. Ex.: dióxido de carbono (CO2), diclorodifluorometano,
diclorotetrafluoroetano, tricloromonofluorometano.
 68. Desincorporante de ar: agente empregado para desincorporar um
recipiente fechado ou formulação com o objetivo de aumentar a estabilidade do
produto. Ex.: nitrogênio (N2) Conservantes anti-fungicos: são usados em
preparações liquidas e semi-solidas (cremes, pomadas, etc) para prevenir o
crescimento fungico. A efetividade dos parabenos é normalmente aumentada quando
eles são utilizados em combinação. Es.: ácido benzóico, butilparabeno, etilparabeno,
metilparabeno (nipagin), propilparabeno (nipazol), propionato de sódio. Conservante
antimicrobiano: são usados em preparações líquidas e semi-sólidas para a prevenção
de microorganismos (bactérias). Ex.: cloreto de benzalconio, cloreto de benzetônio,
álcool benzílico, clorobutanol, fenol, nitrato fenilmercúrico timerosal, etc.
Antioxidante: agente que inibe a oxidação, sendo utilizados para previnir a
deterioração de preparações para o processos oxidativos. Ex.: ácido ascórbico,
ascorbil palmitato, BHA (butil hidroxianisol), BHT (butil hidroxitolueno), propilgalato,
ascorbato de sódio, issulfito de sódio, metabissulfito de sódio. Agente tampão: usado
para a formulação resistência contra mudanças de pH em casos de diluição ou adição
de substancia de caráter ácido ou básico. Ex.: citrato de sódio anidro e dihidratado,
metafosfato de potássio, fosfato de potássio, acetato de sódio monobásico, tampão
citrato, tampão borato, tampão fosfato. Agente quelante (sequestrante): substâncias
que forma complexo estável (quelato) com metais. Os agente quelantes são
utilizados em algumas preparações líquidas como estabilizantes para complexar
metais pesados, os quais podem promover instabilidade em formulações. Ex.: EDTA
dissódico, EDTA tetrassódico, ácido edético. Corantes; usados para dar cor as
preparações farmacêuticas líquidas e sólidas. Deve-se consultar a lista de corantes
permitidos bem como a adequação de corantes alimentícios ou não. Sabe-se que
alguns corantes alimentícios permitidos tais como o amarelo de tartrazina e vermelho
que pode causar manifestações alérgicas e sintomas de intolerância gastrointestinal
em pacientes sensíveis, isto acontece principalmente com a ingestão de cápsulas
coloridas com algum destes corantes, neste caso usar cápsulas incolores ou brancas.
Agente clarificante: usado como auxiliar
 69. na filtragem devido suas propriedades adsorventes. Ex.: benita. Agente
emulsificante: usado para prover ou manter a dispersão finalmente subdividida em
partículas de um líquido em um veículo no qual ele é imiscível. O produto final pode
ser uma emulsoa liquida ou emulso semi-sólida (ex.: creme). Ex.: acácia, álcool
cetilico, monoestearato de glicerila, monooleato de sorbitan, etc. Agente de
revestimeneo: usao com o propósito de formar uma fina camada com o propósito de
revestir a substancia ou a formulação para adequar sua administração. Ex.: gelatina,
acetoftalato de celulose. Flavorizantes: usados para fornecer sabor agradável e
também odor para preparações farmacêuticas. Ex.: vanlina, mentol, óleo de laranja,
óleo de canela, óleo de anis, óleo de menta, cacau, etc. Umectantes: usados para
prevenir o ressecamento de preparações, principalmente pomadas e cremes, através
de sua propriedade de reter água. Ex.: glicerina, propilenoglicol, sorbitol. Agente
levigante: um líquido usado com agente facilitador na redução de partículas de uma
droga em pó com trituração concomitante com pistilo em um gral. Ex.: glicerina, óleo
mineral. Base para pomada: excipiente semi-solido no qual princípios ativos podem
ser incorporados no preparo de pomadas farmacêuticas. Ex.: lanolina, pomada
hidrofílica, pomada de polietinoglicol (PEG), vaselina, unigel. Solvente: agente usado
para dissolver outra substancia farmacêutica ou dorga na preparação de uma
solução. O solvente pode ser aquoso ou não-aquoso com óleos. Co-solventes, tal
como água e álcool (hidroalcoólico) e água e glicerina, podem ser utilizados quando
necessário. Os solvente precisam ser estéreis quando utilizados em preparações
estéreis (ex.: colírios). Agente consistência: usados para aumentar a consistencia e
sureza de preparações farmacêuticas como cremes e pomadas. Ex.: álcool cetilico,
parafina, álcool estearilico, cera branca e amarela, ésteres cetílcos. Base para
supositórios: usado como um excipiente para incorporação de substâncias
medicamentosas na preparação de supositórios. Ex.: manteiga de cacau,
polietilenoglicol (mistura)
 70. Surfactantes (agente tensoativos): substâncias que reduzem a tensão
superficial. Pode ser usado como agente molhante, detergente, emulsificante. Ex.:
cloreto de benzalconio, polisorbato 80 (twee 80), lauril sulfato de s’[ódio, etc.
Agentes suspensores: agente doador de viscosidade utilizado para reduzir a
velocidade de sedimentação de partículas (drogas) dispersadas em um veiculo no
qual elas não são solúveis. As suspensões podem ser formuladas para uso oral,
oftálmico, tópico, parenteral ou outras vias de admiistraçao. Ex.: agar, bentonita,
carbonero (carbopol), carboximeticelulose sódica (CMC-Na), hidroxietilcelulose
(natrosol), hidroxipropil celulose, hidroxipropil metilcelusose, caolim, metilcelulose,
goma adraganta, veegum, ets. Agente edulcorante: usado para adoçar (edulcorar)
uma preparação farmacêutica. Ex.: aspartame, acesulfame, dextrose (glicose),
glicerina, mnitol, sobitol, sacarina sódica, ciclamato sódico, açúcar. Agente
antiaderente (lubrificante): agentes os quais previnem a aderência do produto na
funções da máquina de comprimir durante a produção. Promove um deslizamento
fácil da formula, otimizando o processo. Ex.: estearato de magnésio, lauril sulfato de
sódio. Agente aglutinante: substâncias utilizadas para produzir adesão de partículas
de pó no processo de granulação. Ex.: acácia, acido alginico, carboximentilcelulose,
etilcelulose, gelatina, solução de glicose, metilcelulose, povidona, amido p-e-
gelatinizado. Agentes de tonicidade (isotonizantes): usados para formar uma solução
com caracteísticas osmotcas semelhantes ao fluidos fisiológicos. Formulações de us
oftálmico, paranteral (injetável) e fluidos de irrigação são exemplo de preparações
farmacêuticas na quais a tonicidade deve ser considerada. Veículo; é um agente
transportador para uma substancia farmacêutica. É utilizado em uma variedade de
formulações líquidas para uso oral, parenteral o tópico. Ex.: veículos
flavorizantes/edulcorantes: xarope de cereja, xarope de cacau, xarope simples,
sarope de laranja; veículos oleaginosos: óleo de milho, óleo minera, óleo de
amendoim, óleo de gergelim; veículos estéreis: solução fisiológica estéril (NaCI
0,9%), água bidestilada p/ injeções. Agente viscosidade: usado para mudar a
consistência de uma preparação, fornecendo maior resistência ao escoamento.
Utilizados em suspensões para deter a sedimentação, em soluções oftálmicas para
aumentar o tempo de contato da droga com o local de ação (ex: metilcelulose), para
tornar mais consistente
 71. cremes, xampus etc. Ex.: ácido alginico, bentonita, carbomero (carbopol),
CMC-Na, metilcelulose, povidona, alginado de sódio, goma adraganta. Diluentes de
cápsulas e comprimidos (excipiente): substâncias inertes utilizadas como agente de
enchimento para criar um volume desejado, apresentando propriedades de fluxo e
compressão características necessárias no processo de preparação de comprimidos
e cápsulas. Ex.: fosfato de cálcio dibásico, caolim, lactose, manitol, celulose
microcristalina, celulose pulverizada, carbonato de cálcio, sobitol, amido. Agente
“coating”: usado para revestir o comprimido com o propósito de protegê-lo contra a
decomposição pelo oxigênio atimosférico ou umidade, para liberação controlada da
droga, para mascarar sabor ou odor desagradável da droga ou finalidades estéticas
(aparência do comprimido). O revestimento pode ser de vários tipos, incluindo o
revestimento com açúcar, o film coating, revestimento netérico. Ex.: revestimento
com açúcar; glicose liquida, açúcar; film coating: hidroxietilcelulose,
hidroxipropilcelulose, , hidroxipropil metilcelulose, metilcelulose (metocel),
etilcelulose (etocel); revestimento entérico: acetofalato de celulose, shellac,
copolímero de acido metacrilico/metacrilato de metila (Eudragit® L100). Excipiente
para compresão direta de comprimidos; utilizados para compressão direta em
formulaóes de comprimidos. Ex.: fosfato de cálcio dibásicos (Ditab®) Desintegrante
de comprimidos: utilizado em forma sólida para promover a ruptura da massa sólida
que contém no seu interior partículas menores as quais são rapidamente dispersadas
ou dissolvidas. Ex.: ácido algínico, celulose microcristalina (Avicel®), alginato sódico,
amido, glicolato sódico de amido, carboximetilcelulose cálcica. Agente opaceficante:
usado para tornar o revestimento de comprimidos opacos. Pode ser utilizados sozinho
ou em combinação com um corante. Ex.: dióxido de titânio. Agente de polimento:
usado para tornar atrativo (dar brilho) os comprimidos revestidos. Ex.: cera de
carnaúba, cera branca. AGENTES ACIDIFICANTES, ALCALINIZANTES E TAMPÕES: A
seguir uma relação de agentes utilizados na manipulação para ajustar pH ou para
tamponar. Ácido acético glacial Ácido bórico
 72. Ácido cítrico Ácido clorídrico Ácido clorídrico diluído Ácido láctico Acetato
de sódio Bicarbonato de sódio Carbonato de sódio Citrato de sódio e potássio
Hidróxido de sódio e potássio Fosfato sódico dibásico Fosfato de potássio Fosfato
monobássico de sódio Trietanolamina CONSERVANTES Conservantes para produtos
de uso interno conservantes Conc. Usual Álcool etílico 5 – 20% Benzoato de sódio*
0,5 – 10% Glicerina 20 – 40% Propilenoglicol 5 – 20% Ácido sórbico 0,05 – 0,2%
Nipagin (mitilparabeno)** 0,05 – 0,25% Nipazol (propilparabeno)** 0,02 – 0,04%
* O benzoato de sódio apresenta maior efetividade em pH ácido. ** O nipagim e o
nipazol são inativados frente ao tween 80, dependendo da quantidae frente a goma
adraganta, metilcelulose, polietilenoglicóis (carbowaxes), pectina e alginato de sódio.
Também pode ocorrer uma inativação, porém num grau muito mais limitado pro
interação com PVP, gelatina, CMC e carbowax 400. Principais conservantes para
produtos de uso externo. Denominação Denominação Espectro pH de
incompatibilidades Conc. Química comercial de ação estabilidade Usual Ácido sórbico
Ac. sórbico Fungos, 2,5 – 6,0 Twee 80 0,05 – leveduras, 0,2% pouca atividade
microbiana 2-bromo-2- bronopol Gram +, 5-7 Cisteína, tioglicolato, 0,01 –
nitropropano- Gram – tisulfato e 0,1%
 73. 1,3 diol (mais metabissulfito ativo) fungos (menos ativo) Bisguanida
clorhexidina Gram +, 5-8 Tensioativos 0,01% caiônica Gram – aniônicos, alginatos
pseudomo- de sódio, pode ser nas parcialmente (menos inativado pr lecitina ativo) e
tween 80 fungos (menos ativo) Imidazoli uréia Germall 115 Gram + 3-9 avobenzona
0,03 – Gram - 0,5% metilparabeno nipagin Fungos e 3 – 9,5 Gelatina, proteína, 0,02
– leveduras metilcelulose, tween 0,3% 80 Propilparabeno nipazol Fungos e 3 – 9,5
Gelatina, proteína, 0,01 – leveduras metilcelulose, twee 0,6% 80 Corantes e
pigmentos: Corantes: são substâncias que desenvolvem sue poder tritorial
dissolvidas no meio em que são utilizadas. Pigmentos: são substanciais insolúveis
que desenvolvem seu poder tintorial quando dispersas no meio em que são utilizadas.
Nota: antes de utilizar um corante em uma formulação observar a lista permitida de
corante, sua aplicação (p/uso externo ou uso interno) Alguns corantes permitidos
para uso externo: Color Index Cor Campo de Aplicação* 10006 Verde 4 11920
Laranja 1 75470 Vermelho 1 13015 Amarelo 1 15510 Laranja 2 15800 Vermelho 3
42051 Azul 1 42080 Azul 4 42520 Violeta 4 61565 Verde 1
 74. 72260 Verde 3 * Campo de aplicação 1 – corantes permitidos para todos
os tipos de pele 2 – corantes permitidos para toso os tipos de produtos exceto àqueles
que são aplicados na área dos olhos 3 – corantes permitidos exclusivamente em
produtos que não entram em contato com mucosas. 4 – corantes permitidos em
produtos que tenham breve tempo de contato com a pele e o cabelo. Alguns corantes
permitidos para uso interno: amarelo: curcuma e vitamina B2, tartrazina (amarelo
alimentar Nº 4 – CI 19140) vermelho: carmim (vermelho natural N4 – calchonilhoa
– CI 75470), eritrosina (vermelho alimentar n 14 CI 45430) verde: clorofila e
clorofilinas (verde natural N 3), verde brilhante (verde alimentar N 4 – CI 42040)
alaranjado: betacaroteno (alaranjado alimentar N 5) azul: indigotina (azul alimentar
N 1 – CI 73015) Diluição dos corantes: Os corantes devem ser utilizados na forma
de uma solução na concentração de 0,1 – 10%. Estas soluções devem ser renovadas
constantemente e protegidas da luz. Sugestão de formulação Solução base para
diluição de corantes: Corante.......................................... 0,1-10% (concentração
variável) Propilenoglicol ................................ 3% Nipagim
......................................... 0,15% Nipazol .......................................... 0,05%
Álcool ............................................ 10% Água desmineralizada qsp ................
100 ml Nota: a quantidade de corante utilizada pode variar de 0,0005 a 0,005% de
corante (para uso interno). Para uso externo as concentrações podem ser
aumentadas até coloração desejada. Essências: Concentrações tradicionais de uso
 75. Antiperspirante .................................................... 0,5 – 1% Sabonete
comum ................................................. 1,0 – 1,5% Sabonete transparente
......................................... 1,5 – 3,0% Sabonete líquido
.................................................. 1,0 – 1,5% Talco
................................................................. 0,5 – 1,0% Espuma de banho
................................................ 1,0 – 3,0% Creme de barbear
................................................ 1% Baton
................................................................. 0,5 – 1% Shampoo
............................................................ 0,2 – 0,5% Cremes
.............................................................. 0,2 – 0,5% Loções
............................................................... 0,2 – 0,5% Condicionadores
.................................................. 0,2 – 0,5% Bronzeadores
...................................................... 0,2 – 0,5% pH e Tampões pH Entende-se por
pH a concentração de íons hidrogênio (H+) existente num meio. Dependendo da
quantidade de hidrogênio em relação a hidroxila (OH-) tem-se um produto ácido,
básico ou neutro. Ácido – prevalece no meio o íon hidrogênio (H+) pH ácido, valores
inferior a 7. Ex.: gel com ácido glicólico. Básico – prevalece no meio o íon hidroxila
(OH-) pH básico, valores superiores a 7. Ex.: alisante de cabelo Neutro – as
quantidades de íons hidroxila e hidrogênio são iguais – pH neutro, valores igual a 7.
Acertos do pH nas formulações magistrais: É necessário na prática diária em farmácia
magistral, acertar o pH de formulações, o que significa elevar, abaixar ou neutralizar
o pH de um produto de acordo com as necessidades da formulação. Para abaixar a
pH do meio deve-se proceder a neutralização de parte da hidroxila até o valor
desejado, para isto utiliza-se ácido.
 76. Para aumentar o ph do meio deve proceder a neutralização de parte do
hidrogênio até o valor desejado, para isto utiliza-se uma base. pH em várias regiões
do Corpo humano Tornozelos 5.9 Axilas 6.5 Pés 7.2 Tronco 4.7 Coxas 6.1 Pregas
mamas 6.0 Seios 6.2 Pregas tornozelo 4.5 Cabelo 4.1 Pregas interdigitais 7.0 Rosto
7.0 Intra vaginal 6.2 Vagina 4.5 Mãos 4.5 Costa 4.8 Nádegas 6.4 TAMPÕES Há muitas
vezes, necessidade de manter o pH de uma formulação em valores inalteráveis
durante o período de armazenamento, não apenas satisfazendo um simples ajuste
do mesmo a um valor desejado, nestes casos, usa-se acrescentar uma solução
tampão que tem um valor de pH definido e que consiste numa mistura de um ácido
fraco com o seu sal. Os valores de pH do tampão são alterados à medida em que
variam as quantidades de ácido e base na solução. A quantidade adicionada numa
preparação farmacêutica pode ir de 1% até o uso do tampão puro. Quando o tampão
a ser acrescentado tiver um valor de pH muito distante do valor em que se encontra
a preparação farmacêutica o melhor a fazer é acertar o pH e depois acrescentar o
tampão. Já se o valor de pH da preparação estiver próximo ao do tampão que será
acrescido, basta acrescentar quantidade suficiente do tampão. Tampão Citrato: pH
Ácido cítrico monohidratado g/l Citrato de sódio dihidratado g/l 2,5 64,4 7,8 3,0 57,4
17,6 4,0 40,6 41,2 4,5 30,8 54,9 5,0 19,6 70,6 6,0 4,2 92,1 6,5 1,8 95,6
 77. Tampão Fosfato: pH Fosfato de sódio g/l Fosfato ácido de sódio g/l 4,5
0,9 45,5 5,0 2,2 44,8 5,5 4,4 43,7 6,0 17,8 36,8 6,5 37,4 26,7 7,0 57,8 7,4 8,0 83,7
2,8 8,5 87,2 0,9 Importância do ajuste de pH Dissolução de substancia
medicamentosa na concentração pretendida. Manutenção da estabilidade tanto
química como farmacodinânmica de preparações farmacêuticas. Prevenção do
desencadeamento de fenômenos irritativos provocados por certos fármacos.
Obtenção de um efeito terapêutico adequado. SOLVENTES MAIS UTILIZADOS EM
FARMACOTÉCNICA: O conhecimento dos principais solventes utilizados na
farmacotécnica é importante, pois sua utilização na pré-solubilizaçao dos princípios
ativos é fundamental para garantir a homogeneização e a aparência final da
formulação. Água A água é o solvente mais utilizado na farmacotécnica, a água deve
satisfazer as exigências legais em relação às características físicas e químicas e à
bacteriológica. A água potável (filtrada é usada como matéria-prima para a obtenção
de água destilada, deionizada, esterilizada ou para injeção, as quais são empregadas
rotineiramente na farmácia magistral. Água destilada: água potável que passou por
um processo de destilação, utilizada em preparações dermatológicas e fórmulas
líquidas de uso oral. Água deionizada: água onde, através de resinas iônicas, são
retirados os íons, mas não é eliminada a matéria orgânica. Basicamente, a
 78. diferença entre a água deionizada e destilada esta na pureza biológica.
Quando comparada a qualidade microbiológica entre a água dionizada e a destilada,
verifica-se que a água destilada possui uma qualidade melhor. Sabe-se que a água
deionizada se contamina facilmente após o seu preparo, não devendo ser
armazenada. Água esterilizada: água destilada que foi esterilizada (por exemplo
autoclavada) e acondicionada em recipientes limpos e hermeticamente fechados,
utilizada na preparação de colírios e injetáveis, podendo conter ou não
bacteriostáticos. Álcool etílico (etanol) Segundo solvente mais utilizado, diminui a
possibilidade de hidr- olise, tem conservação indefinida e pode ser misturado com
água. É usado em soluções hidroalcoólicas extrativas de princípios ativos (de 45 a
90%, em soluções anti-sépticas (ex. álcool iodado) e em soluções desinfetantes
(70%) Constitui um bom solvente para essências, alcalóides, glicosídeos, sendo
porém fraco para gomas e proteínas. Soluções tópicas de etanol são usadas como
facilitadora da penetração cutânea. Uso Concentração usual % Preservativo
antimicrobiana > 10 Desinfetante 60 – 90 Solvente extrativo em produtos galenicos
Até 85 Solvente em preparações líquidas de uso oral Variável Solvente em soluções
injetáveis Variável Solvente em produtos tópicos 60 -90 Solvente em film coating
Variável Incompatibilidades: Em condições ácidas, soluções etanólicas podem reagir
violentamente com substâncias oxidantes. Misturas com álcalis (bases) podem
escurecer devido a reações com quantidades residuais de aldeídos. Substâncias
orgânicas e gomas podem precipitar. GLICERINA A glicerina é utilizada em uma
grande variedades de formulações farmacêuticas incluindo as preparações de uso
ora, ótico (auricular), oftálmico, tópico e parenteral. É também utilizada em
cosméticos.
 79. Em formulações tópicas e cosméticas, a glicerina é utilizada por suas
propriedade umectantes e emolientes. Em formulações parenteirais (injetáveis) é
principalmente utilizada como solvente. Em formulações de uso oral a glicerina é
utilizada como agente edulcorante, antimicrobiano e doador de viscosidade. Uso
Concentração usual % Conservante (antimicrobiano) > 20 Emoliente Até máx. 30
Umectante Até máx. 30 Formulações oftálmicas 0,5 – 3,0 Solvente para proparaçoes
parenterais Até máx. 50 Agente edulcorante em preparações orais Até máx. 20
Incompatibilidades: • A glicerina pode explodir se misturada com agentes oxidantes
fortes tais como o trióxido de cromo, clorado de potássio ou permanganato de
potássio. • Pode ocorrer escurecimento na presença de luz, contato com óxido de
zinco ou nitrato básico de bimuto. • Contaminantes de ferro na glicerina é
responsável pelo escurecimento de misturas contendo fenóis, salicilatos e taninos.
Propilenoglicol: O propilenoglicol tem sido amplamente utilizado como um solvente,
extrator e conservante em uma variedade de formulações farmacêuticas de uso
parenteral ou não-parenteral. Ele é melhor solvente que a glicerina e dissolvem uma
variedade de substâncias, tais como corticóides, fenóis, derivados de sulfa,
barbituratos, tiramina A e D, a maioria dos alcalóides e várias anestésicos locais. É
utilizado como doador de viscosidade e para aumentar o tempo de permanência da
droga na sua superfície cutânea. Apresenta ação antisséptica similar ao etano, porém
um pouco menos efetivo. O propilenoglicol é também utilizado em cosméticos como
umectante e como veículo de emulsificantes e flavorizante. Uso Forma farmaceutica
Concentração Usual % Umectante Tópica =15 Conservante Soluções, semi-solidos
15-30 Solvente ou co- Aerosol 10-30 solvene Soluções oral 10-25 Parenterais 10-60
tópicos 5-80
 80. Incompatibilidades: O propilenoglicol é incompatível com reagentes
oxidantes, tais como o permaganato de potássio. POLIETINOGLICOL 400
(CARBOWAX 400) Os polietilenoglicois são amplamente utilizados em uma variedade
de formulações farmacêuticas, incluindo parenteral, tópica, oftálmica, oral e retal os
polietilenoglicóis são estáveis, de características hidrofílica e essencialmente não
irritantes à pele. Embora ele não penetre rapidamente na pele, os polietilenoglicóis
são solúveis em água e , como tal são removidos facilmente da pele com lavagem.
Em soluções aquosas pode ser usado como agente suspensor ou para ajustar
viscosidade e consistência de suspensões. Quando utilizado em conjunto com outros
emulsificantes, os polietilenoglicois podem atuar com estabilizantes de emulsões. Os
polietinoglicóis podem ser usados para aumentar a solubilidade ou dissolução em
água de substâncias pouco solúveis. Incompatibilidades: Pode ser incompatível com
alguns corantes A atividade antibacteriana de certos antibióticos, particularmente
penicilina e bacitracina, é reduzida em bases com polietilenoglicóis. A eficácia
conservante dos parabenos pode ser reduzida através de ligações com
polietilenoglicóis. Descolorações de ditranol (antralina) e sulfonamidas podem
ocorrer e o sorbitol pode precipitar de misturas. Éter sulfúrico: O éter sulfúrico é um
líquido límpido, incolor de cheiro característico, inflamável, muito volátil, produzindo
na pele considerável resfriamento. É solúvel com o álcool, óleos, essências; dissolve
as gorduras, resinas, enxofres, etc. É utilizado em soluções extrativas de drogas
vegetais e animais. Incompatibilidades: Ácido sulfúrico: formação lenta de ácido
sulfovinico ou sulfato de oxido de etila, comnovas propriedades. Ácido crômico,
permaganatos solúveis: forte oxidação podendo resultar em mistura explosiva. Sais
em geral: os sais em geral soa insolúveis no éter. Água e líquidos aquosos: não se
misturam com o éter senão em mínima proporção.
 81. Oxidantes em geral: as substâncias oxidantes em geral reagem com o
éter sulfúrico transformando-o em peróxidos de etila e de hidrogênio, embora o
façam lentamente. Glicerina: não miscível (incompatibilidade física) Albumina,
gelatina: são insolúveis no éter (incompatibilidade física Álcalis e carbonatos
alcalinos: insolúveis neste veículo. Luz e ar. OLEO MINERAL (VASELINA LÍQUIDA): O
óleo mineral é utilizado principalmente como excipiente em formulaçoes tópicas onde
exerce ação emoliente. É utilizado também como solvente. Uso Concentração usual
% Pomadas oftálmicas 3.0 – 60.0 Preparações óticas 0.5 – 3.0 Emulsões tópicas 1.0
– 32.0 Loções tópicas 1.0 – 20.0 Pomadas tópicas 0.1 – 95.0 Incompatibilidades:
incompatível com agentes oxidantes fortes. Óleos vegetais: tem grande aplicação em
preparações injetáveis oleosas e colírios oleosos (ex.: colírio com miconazol,
progesterona em óleo de amendoim), como solventes. Dimetilsulfóxido (DMSO) O
DMSO passa rapidamente pelo extrato córneo da pele e devido a esta propriedade
tem sido utilizado em preparações comerciais como otimizador de penetração
cutânea. Tem sido empregado com esta finalidade em uma variedade de produtos
contendo água corantees, barbituratos, antifúngicos (griseofulvina, fluconazol, etc),
fenilbutazona, minoxidil, ácido salicilico, anestésicos locais, antibióticos quaternários
de amônio, etc. TÉCNICAS DE SOLUBILIZAÇÃO (considerações importantes sobre a
solubilidade)
 82. Partículas pequenas de uma mesma substancia dissolvem mais
rapidamente do que as partículas maiores (portanto triture e micronize o sal antes
de solubiliza-lo. A agitação aumenta a velocidade de dissolução de uma substancia.
Quanto mais solúvel for a substancia, mais rápida será sua dissolução Quando se
trabalha com um líquido viscoso, a velocidade de dissolução é diminuída. Um
aumento de temperatura geralmente induz uma aumento na solubilidade e na
velocidade de dissolução de uma substancia. A solubilidade de uma substancia não-
eletrólito pode ser aumentada ou diminuída pela adição de um eletrólito. Uma base
alcaloídica (alcalóide), ou bases nitrogenadas de relativo alto peso molecular, são
geralmente pouco solúvel, exceto se o pH do meio é diminuído, aumentando sua
solubilidade (conversão par sal) A solubilidade de substâncias ácidas pouco solúveis
é aumentada se o pH do meio é aumentado (conversão para um sal) A adição de PEG
400 a uma substancia pouco solúvel, pode aumentar sua solubilidade em água. O
PEG 400 apresenta o presente caráter antifílico, favorecendo a solubilização em meio
aquoso de substâncias lipossolúveis. SISTEMA MÉTRICO DE VOLUME: 0.001 kilolitro
(kL) 1 litro (L) 0.01 hectolitro (hL) 1 litro (L) 0.1 decalitro (dkL) 1 litro (L) 10 decilitros
(dL) 1 litro (L) 100 centilitros (cL) 1 litro (L) 1000 mililitros (mL) 1 litro (L) 1.000.000
microlitros (mcL) ou (uL) 1 litro (L) 1.000.000.000 nanolitros (nL) 1 litro (L) Obs.: 1
ml = 1 cm3 Sistema apotecaria (não comumente utilizado no Brasil): 1 fluidounce
29.57 ml 1 onça 31.1 g 1 libra 453 g 1 grão 64.8 mg
 83. MEDIDAS CASEIRAS 1 colher das de café 2 ml 1 colher das de chá 5 ml 1
colher das de sobremesa 10 ml 1 colher das de sopa 15 ml 1 cálice 30 ml 1 copo 150
ml UNIDADE DE MEDIDAS – UI, UTR Os produtos prescritos nestas unidade terão
suas conversões efetuadas utilizando-se uma regra de três simples. Exemplo:
Formulação com 5.000 UTR de Thiomucase. Sabendo-se que 350.000 UTR’s
equivalem a 1 grama, devemos calcular 350.000UTR = 5.000UTR 1g X onde X=
5.000 x ÷ 350.000 = 0.014g Devemos pesar então 0,14g ou 14 mg de Thiomucase
Os cálculos em UI’s seguem o mesmo princípio. UI – Unidade Internacional: atividade
especifica de uma droga contida numa quantidade determinada de um padrão
(medida atividade ou potencia da substancia). UTR = Unidade de Turbidez Exemplos:
 84. Vitamina A oleosa (palmitato) 1.000.000 UI/g Acetato de vitamina A pó
500.000 UI/g Vitamina D2 pó 850.000 UI/g Vitamina D2 oleosa 1.000.000 UI/g
Vitamina D3 40.000 UI/g Vitamina E oleosa 1.000 UI/g Vitamina E pó 50% 0,50 UI/g
Thimucase 350 UTR/mg Heparina 100 UI/g Hiluronidase 2.000 UTR/20mg
QUANTIDADE SUFICIENTE PARA (qsp): É bastante comum o médico ao final da
formulação indicar a quantidade de veículo suficiente para determinada quantidade.
Devemos então somar a quantidade total dos demais itens e subtrair do total
solicitado. Exemplo: creme Uréia ................................................ 5 g Óleo de
amêndoas .............................. 10 g Creme base qsp .................................. 50 g
Utilizaremos de veículo: 50 – (5 + 10) = 35 g resposta: 35 g de creme Exemplo:
cápsulas Cáscara sagrada ...................................... 100 mg Espirulina
................................................. 200 mg Excipiente
................................................. 500 mg Devemos utilizar de excipiente por
cápsula: 500 – (100 + 200) = 200 mg resposta: 200 mg de excipiente.
 85. EMBALAGENS A função primária da embalagem é proteger o produto das
condições ambientais com o propósito de aumentar sua conservação. Em farmácia,
o farmacêutico precisa conhecer a função, design e uso de cada tipo de embalagem.
Considerações e requisitos para adequação e utilização racional de embalagens para
fins farmacêuticos: Ser limpa; Não interagir fisicamente e ou quimicamente com a
preparação; Preservar a concentração, qualidade e pureza da preparação. Nota:
geralmente a embalagem para fins farmacêuticos deve ser foto- resistente
(protegendo o conteúdo da luz) e hermeticamente fechadas (protegendo o conteúdo
de contaminações externas de líquidos, sólidos e vapores, evitando a perda,
eflorescência, deliqüescência ou evaporação). CRITÉRIOS PARA ESTABELECIMENTO
DO PRAZO DE VALIDADE EM FORMULAÇÕES Propriedades físicas e químicas dos
ingredientes; Uso de conservantes e estabilizantes (aumentam o prazo de validade;
Forma farmacêutica empregada (normalmente as formas farmacêuticas secas (sem
água. Ex.: pós, comprimidos, cápsulas, saches, etc) apresentam o prazo de validade
bem maior quando comparadas com as formas farmacêuticas úmidas (que contém
água. Ex.: cremes, loções, soluções, xaropes, suspensões) A natureza da droga e
suas características de degradação cinética; Recipiente em que a formula é embalada
(a embalagem deve proteger a formulação da umidade, da luz e da atmosfera
(oxigênio) – portanto deve ser escolhida uma embalagem opaca ou âmbar para
proteger da luz, bem como a embalagem deve estar próxima ao seu volume máximo
que será acondicionado para que não haja espaço para acumulo de oxigênio no
interior da embalagem (hed spac), em conveniente adição de saches dessecantes
com sílica gel e de algodão no pote; A duração do tratamento (o prazo de validade
deve ser suficiente para abranger o período do tratamento para qual a formulação
foi prescrita);
 86. Conforme literatura especifica para uma determinada formulação;
Similaridade com produtos de referencias (industrializados), se o principio ativo
estiver inscrito em alguma farmacopéia; Dados científicos, laboratoriais ou de alguma
referencia bibliográfica. Batom Receita básica: Derreta 40 g de base para batom em
banho-maria numa panela esmaltada ou de inox. Quando a base estiver totalmente
derretida, tire a panela do fogo e despeje no molde. O molde deve estar totalmente
vedado, o que pode ser feito com uma fita crepe. As rebarbas sempre são
reaproveitadas. Portanto, quando o batom estiver endurecido, passe uma espátula
na forma para tirar o excesso e poder reutilizá-lo Depois de 10 minutos, desenforme
PARÂMETROS QUE INFLUENCIAM NA BIODISPONIBILIDADE DOS FÁRMACOS. A
resposta biológica a um fármaco é resultado de sua interação com os receptores
celulares ou sistemas enzimáticos importantes. A magnitude da resposta relaciona-
se com a concentração que em seu local de ação. Essa concentração depende da
dose administrada, da quantidade absorvida, da distribuição no local, da velocidade
e da quantidade de eliminação do organismo. A constituição física e química da
substancia farmacêutica, particularmente a solubilidade lipídica, o grau de ionização,
tamanho molecular, excipiente ou veículo empregado para administração deste
fármaco, determina, em grande parte, sua capacidade de levar a cão sua atividade
biológica. A área que abrange os estudos deste assuntos é chamada de
biofarmacotécnica A uréia – também conhecida como carbamida, carbodiamida ou
carboniltiamida – possui propriedades cicatrizantes e hidratantes e, por
 87. isso, é muito utilizada no preparo de cremes e loções para peles muito
secas ou que apresentam rachaduras. Uma ocasião em que a pele costuma ficar
bastante ressecada é no verão, quando nos expomos mais ao sol e aos banhos de
mar e de piscina. A receita a seguir é de um creme hidratante de uréia para ser usado
no corpo todo nessas ocasiões. Para preparar esse creme, você vai precisar do
seguinte: Reagentes e aparelhos: • 2 panelas esmaltadas (de ágata) • 1 béquer de
600 ml • 1 proveta graduada de 50 ml • 1 balança • 1 espátula de plástico • 1
baqueta de vidro • 2 formas para banho-maria • 2 termômetros de mercúrio com
escala até 110º C • 8 recipientes de plástico com tampa de rosca de 100 ml fase A –
fase Aquosa • 7 ml de trietanolamina • 16 ml de propilenoglicol • 600 ml de água
deionizada • 120 g de uréia • 1,0 g de nipagim • corante a gosto (até 5 ml) fase B –
fase oleosa • 40 g de ácido esteárico • 40 g de monoesterato de glicerila • 25 g de
cera branca de abelha • 40 ml de óleo mineral USP* • 10 ml de óleo de amêndoas
doces • 10 ml de óleo de silicone • 0,5 g de nipazol fase C – complementar • 5 ml de
essência • 30 ml de colágeno procedimentos Comece preparando o banho-maria:
coloque água nas formas e leve-as ao fogo para aquecer. Em seguida adicione todos
os ingredientes da fase A em uma das panelas de ágata e os ingredientes da fase B
na outra panela. Use a balança para medir a quantidade de
 88. sólidos e a proveta graduada ou béquer para medir a quantidade de
líquidos. Leve a panela que contem os ingredientes da fase A para o banho- maria e
vá mexendo até obter uma mistura homogênea. Coloque o termômetro e, enquanto
espera a temperatura atingir 75º C, leve a panela que contém a fase B para o banho-
mariana outra forma, com o outro termômetro (a fase B atinge os 75º C mais
rapidamente). Quando as duas fases estiverem a 75º C, adicione a fase B (oleosa)
sobre a fase A (aquosa), com a ajuda da espátula, sob agitação constante. Continue
mexendo os ingredientes com a baqueta de vidro até que a temperatura abaixe para
35º C. adicione a fase C, mexa bem e guarde o creme nos recipientes de plástico
previamente esterilizados. O prazo de validade é de 2 anos desde que o creme seja
conservado em local limpo, fresco e seco. Saches perfumados Fase A • 300 g de
parafina sólida • 10 g de corante (lápis de cera) de sua cor preferida • 15 g de ácido
esteárico (ácido octadecanóico ou estearina) fase B • 10 ml de essência (solúvel em
óleos) de sua escolha • 5 ml de fixador • forminhas para saches ou para chocolates
nos formatos desejados • panela esmaltada (ágata) ou de vidro (evite panela de
alumínio) • forma de bolo para banho-maria • colher de pau procedimentos: Prepare
o banho-maria adicionando água na forma de bolo e colocando a forma para aquecer
diretamente sobre a chama do fogão. Na panela esmaltada adicione a parafina sólida,
a estearina e o lápis de cera (você pode controlar a cor dos saches aumentando ou
diminuindo ligeiramente a quantidade do lápis adicionado). A estearina ou ácido
esteárico atua como emulsificador, doador de consistência e desmoldante, ou seja,
permite que os saches sejam retirados das forminhas depois de prontos (por isso não
é preciso untá- las). O H3C – C – C – C – C – C – C – C – C – C – C – C – C – C – C
–C–C-C
 89. H2 H2 H2 H2 H2 H2 H2 H2 H2 H2 H2 H2 H 2 H 2 H 2 H 2 H2 OH Quando
a água da forma de bolo entrar em ebulição, abaixe o fogo e leve a panela com os
ingredientes para o banho-maria (tome cuidado nessa operação, pois a parafina é
inflamável). Aguarde até as substâncias derreterem e formarem um líquido
homogêneo. Adicione o fixador e, mexendo sem parar com a colher de pau, junte a
essência. Desligue o fogo e retire a panela do banho-maria. Coloque o líquido com
cuidado nas forminhas previamente limpas e secas. Desforme quando solidificar.
Baton É possível fazer batom em casa utilizando os seguintes ingredientes: • 55 ml
de óleo de rícino (mamona) • 10 g de cera de abelha • 10 g de cera de carnaúba • 5
g de manteiga de cacau • 5 g de monoesterato de glicerina • 5 ml de parafina líquida
• 2 g de lecitina (antioxidante) • 0,5 g de vermelhocino (mamona) casa utilizando os
seguintes ingredientes: s. ssencia.(tome cuidado nessa opera carmim (corante) • 2
ml de essência de morango solúvel em óleos (flavorizantes) • 0,2 g de
propilparabeno, C10H12O3 (conservante) Em uma vasilha de vidro refratário,
coloque as ceras de abelha e de carnaúba com o óleo de rícino, a manteiga de cacau
e o monoestearato de glicerina. Leve ao banho-maria mexendo sempre, até a
temperatura de 80º C. Quando formar uma massa homogenia, tire do banho-maria
e espere esfriar, sem parar de mexer. Adicione o corante carmim diluído na parafina
líquida, a lecitina, a essência de morango e o propilparabeno.
 90. Coloque em moldes de papel com cinco centímetros de comprimento por
um centímetro de largura. Desforme depois de frio. Óleo trifásico: • 40 ml de óleo de
semente de uva • 10 ml de óleo mineral USP • 50 ml de óleo de silicone • 40 ml de
propilenoglicol • 10 ml de essência • corante a gosto • 1 frasco de vidro transparente
com capacidade para 150 ml , com tampa • 1 baqueta de vidro procedimentos:
Transfira para dentro do frasco o propilenoglicol, adicione a essência e o corante e
misture bem. Em seguida adicione o óleo de silicone a mistura de óleo de semente
de uva e óleo mineral. Repelente de insetos: Citronela é o nome dado a erva-cidreira
e a diversas outras plantas, cujo aroma lembra o do limão. A essência de citronela é
um líquido oleoso, amarelo-claro, com odor cítrico e picante, solúvel em álcool 80º
GL. Possui densidade entre 0,887 g/mL e 0,906 g/mL. É combustível. Ao ser
aquecida, a essência de citronela libera seu odor pelo ambiente. Esse odor em geral
é agradável e estimulante para seres humanos, mas insuportável para pernilongos,
muriçocas e borrachudo, e por isso vem sendo usada em queimadores especiais ou
dissolvida em parafina (na forma de velas) para afastar esses insetos.
Saiba como proteger sua pele contra os danos
dos RAIOS SOLARES e INFRAVERMELHOS
27/11/2011 por feguedes

Meninas, hoje o post é aquele super informativo e espero que bem esclarecedor. (Se
preparem que é o maior post feito por aqui, mas tenho MUITA informação para dividir
com vocês)
Como já disse aqui algumas vezes, tomei muuuuuuuito sol a minha vida toda e
também por causa da minha carga genética não ajudar, hoje tenho melasma. Por
isso não tomo NADA de sol faz dois anos e vivo em mil tratamentos para o rosto.
Em uma dessas minhas idas a minha dermatologista, que no dia não podia me
atender, então passei com a super querida Dra. Samanta Nunes e tive uma
verdadeira aula sobre manchas e proteção. Foi muito bacana e vou explicar algumas
coisas BEM LEGAIS que eu descobri com ela.

RAIOS SOLARES: A radiação UV está composta na luz solar. Fez e faz super bem
para o nosso planeta, os raios solares aquecem a Terra, preservando a vida.
Acontece que, com os buracos na camada de Ozônio aumentaram. Alguns falam em
buraco e outros falam que a radiação do Sol que está maior mesmo. Qualquer dos
dois motivos, acontece que o Ozônio é uma barreira que nos protege dessa radiação
super intensa do Sol. Sem esta proteção ficamos super expostos aos raios UVC, UVB
e UVA.

RAIOS UV: Os raios UV se dividem em 3 tipos.

UVC: As ondas são de 100 a 280nm. São mais curtas e não nos atingem diretamente.

UVB: As ondas são de 280 a 320nm. São mais longas e já conseguem nos atingir. A
incidência dela é maior no verão, especialmente entre as 10h00 e as 16h00. Esta
frequência de raio, atinge sua pele e queima (bronzea) Essa queimadura são umas
das principais responsáveis pela alteração das células, que predispõem ao câncer de
pele.
O fator de proteção qu ajuda a diminuir os danos dos raios UVB é o FPS. (ou SPF
Sun Protection Factor)
O FPS (Fator de Proteção Solar) é uma medida de laboratório que indica a
efetividade do filtro solar: quanto mais alto o valor do FPS, maior a proteção que o
filtro solar oferece contra raios UV-B.
Na prática, a proteção de um filtro solar depende de fatores como:
 O tipo de pele (cor) do usuário.
 A quantidade que é aplicada e a freqüência de reaplicação.
 Atividades que o usuário faz (por exemplo, nadar leva a uma perda de filtro
solar da pele).
 Quantidade de filtro solar que a pele absorve.
COMO ESCOLHER SEU FATOR DE PROTEÇÃO: Para escolher o FPS deve se relevar
as seguintes condições: as pessoas têm que usar, no mínimo, FPS 15, inclusive para
quem tem pele mais morena, defesa feita por unanimidade pelos dermatologistas. A
regra é: quanto mais clara for a pele, mais alto deve ser o FPS. Os dermatologistas
garantem que vale a pena investir nos fatores de proteção mais altos, mesmo que
as diferenças de proteção não sejam muito grandes. Outros fatores ajudam bastante
na proteção: A aplicação com 15 a 30 minutos de antecedência a exposição ao sol.
15 a 30 minutos depois de exposto ao sol e reaplicar se necessário depois de
atividades físicas (muita transpiração ou natação).

Princípios Ativos:
ATENÇÃO AOS ALÉRGICOS – Os seguintes ingredientes ativos de filtro solar são
os permitidos pela FDA:
 Ácido p-aminobenzóico (PABA) até 15 %.
 Avobenzona até 3%.
 Cinoxato até 3%.
 Dioxibenzona até 3%.
 Homosalato até 15%.
 Mentil antranilato até 5%.
 Octocrylene até 10%.
 Octyl methoxycinnamate (Octinoxate) até 7.5%.
 Octyl salicylate até 5%.
 Oxybenzone até 6%.
 Padimate O até 8%.
 Ácido fenilbenzimidazol sulfônico (Ensulizol) até 4%.
 Sulisobenzona até 10%.
 Dióxido de titânio até 25%.
 Salicilato de trolamina até 12 %.
 Óxido de Zinco até 25%.
UVA: São ondas bem maiores, de 320 a 400nm e atingem a Terra o ano inteiro. Sua
intensidade não muita entre inverno e verão e nem nos horários do dia. “Os raios
UVA penetram profundamente na pele, sendo os principais responsáveis pelo
fotoenvelhecimento e manchas (melasma). Tem também importante participação
nas fotoalergias e também predispõe a pele ao surgimento do câncer”. É interessante
saber que o UVA também está presente nas câmaras de bronzeamento artificial, em
doses mais altas do que na radiação proveniente do sol.
A nomenclatura que dá ao protetor contra os raios UVA é o PPD (Persistent Pigment
Darkening).
Agora que começa a polêmica. O Raio UVA não chega a “queimar” a pele como o
UVB, por isso você verá o estrago que ele faz só depois de alguns anos.
A maioria dos protetores solar está escrito na embalagem: FPS 30. (UVA/UVB).
Acontece o seguinte, muitos produtos existentes no mercado tem uma proteção
contra UVA super curta, pois acreditem se quiser, esta substância que serve para
proteger contra esse tipo de raio é instável a luz, alguns até em minutos. ESTA
INFORMAÇÃO DEVE ESTAR ESCRITA NO RÓTULO!!!
Hoje em dia não existe um número de denomina a proteção contra os Raios UVA e
sim se ela éLONGA DURAÇÃO ou CURTA DURAÇÃO.
Por exemplo, se você compra um protetor solar FPS30 de curta duração você
poderá ficar exposto ao sol sem se queimar por volta de 2 horas, mas pode ter
ficado exposto aos raios UVA 1h30, estando sujeita a envelhecimento da pele,
manchas (melasma) e até câncer.
A proteção contra os raios ultravioletas e o FPS são informações que devem
obrigatoriamente fazer parte do rótulo dos produtos, segundo regras da Anvisa
(Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Ao olhar a embalagem, é preciso ter
certeza sobre o produto de interesse, pois existe diferença entre protetor e
bloqueador.
O primeiro tem a função de diminuir os efeitos dos raios ultravioletas (que no rótulo
aparecem descritos como UVA e/ou UVB) na pele. Já o bloqueador solar funciona
como uma espécie de filtro, que impede a penetração dos raios UVA e UVB. Esses
produtos são completamente diferentes dos bronzeadores, que estimulam a
pigmentação da pele, mas em geral têm baixíssimo FPS.
Então já sabem né? Não é só o cheirinho que conta na hora de escolher um protetor
ou bloqueador solar. Tem muita coisa em jogo vai muito da necessidade de cada
uma.
Aqui vai algumas dicas de protetores que tem FPS e longa duração contra raios UVA
que possuem Tinosorb S , Tinosorb M e Mexoryl:
RoC:
Descrição: “ Inovação RoC®: desenvolvida com a colaboração de dermatologistas,
MINESOL® Actif é uma linha de proteção solar diária, que oferece alta
proteção contra os efeitos nocivos do sol (UVA – UVB), e ajuda a uniformizar a
tonalidade da pele.
Sua fórmula exclusiva possui:
- UVA/UVB balanceado – perfeito equilíbrio de filtros fotoestáveis que garante a
proteção contra queimaduras solares e envelhecimento prematuro da pele (rugas e
pigmentações cutâneas causadas pelo sol)”
E toda a linha ROC, para olhar a descrição e ver qual o melhor para você, veja neste
link: RoC

La Roche Posay:
Descrição:
Very high facial protection. Ultra UVA (PPD
42). Novo protetor da La Roche Posay
Scented. Paraben free. Lighter in chemical filters. Non-Comedogenic. Very water
resistant.
Indications
Skin subject to sun intolerance, commonly known as sun allergies. Extreme sun
exposure. Prevention of pregnancy mask. Drug-induced photosensitivity.
Properties
Very high(SUPER ALTA PROTEÇÃO) broad, photostable UVA/UVB protection.
Optimal SPF 50+ protection reinforced against UVA rays (stricter than the European
recommendation) thanks to a new filter system that combines Mexoryl® SX and XL
and Senna Alata extract, a natural cell protector. In a new, more minimalistic
dermatologically-tested formula: paraben-free, minimum chemical filters, non-
comedogenic.
- Luxurious, moisturizing, ultra-comfortable texture. Easy to apply. Suitable for dry
skin.
- Very high water resistance.
Atenção: Sempre ficar atenta as embalagens, pois existem protetores da La Roche
por exemplo que tem média proteção.
SUNMAX:

SUNMAX contém dois filtros solares que proporcionam à pele


extremamente sensível e que sempre apresenta eritema, uma alta
proteção contra as queimaduras solares, através do bloqueio da ação
nociva da radiação UVA e UVB. Além disto, o uso
diário e regular de filtros solares ajuda na prevenção do
fotoenvelhecimento cutâneo(rugas e manchas) e pode auxiliar na
prevenção do câncer de pele. Contém substâncias hidratantes que
formam um filme hidrostático invisível sobre a pele, o qual conserva
sua
umidade natural e diminui a perda de água. SUNMAX Acquagel é
indicado para todos os tipos de pele, incluindo as oleosas.

EPISOL:
L`ORÉAL:

Agora, depois de explicar TUDINHO sobre protetor solar, ficou faltando um tipo de
onda que causa MUITAS manchas na pele e a gente acaba esquecendo dela, a LUZ
VISÍVEL.
LUZ VISÍVEL: Estas ondas são as maiores de TODAS, de 400 a 760mn e ainda não
descobriram nenhuma substancia que nos proteja dessa luz, que entra em nossa pele
e a pigmenta.
Agora vem a novidade, estudos recentes descobriu que um bloqueador natural da luz
visível é oPIGMENTO. SIIIIIIM minha gente, a cor é uma barreira para que a luz do
escritório por exemplo não prejudique sua pele. Então quem era da turma que falava
que maquiagem fazia mal para pele, vai precisar rever seus conceitos, pois a BASE
ou um bloqueador com cor é super importante se seu objetivo é se proteger contra
as malditas manchas.
Então meninas o combo perfeito para se proteger contra Cancêr de pele,
envelhecimento precoce e manchas (melasma) é um protetor ou bloqueador com alta
proteção UVA e e UVB + cor (base)
Ufa, falei horrores, mas espero ter ajudado.
A nanotecnologia como estratégia para o
desenvolvimento de cosméticos
Renata M. Daudt
Juliana Emanuelli
Irene C. Külkamp-Guerreiro
Adriana R. Pohlmann
Silvia S. Guterres
O setor de produtos de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos
tem mostrado grande expansão no mercado mundial e é considerado
um bom foco de investimento. De acordo com dados da Associação
Brasileira de Indústria de Higiene Pessoal Perfumaria e Cosméticos
(Abihpec), o Brasil ocupa o terceiro lugar no ranking do mercado
mundial desses produtos, ultrapassando a França e estando atrás
apenas dos Estados Unidos e Japão. O Brasil possui ainda grande
potencial de crescimento tendo como características: ser fonte de
princípios ativos e insumos (principalmente os de origem natural),
propiciar oportunidade para o uso de novas tecnologias com intuito
de aumentar produtividade e eficácia dos produtos, apresentar
constante aumento do consumo e de avanços na área regulatória (1).

Muitos ativos naturais pesquisados ultimamente são compostos


instáveis, podendo sofrer reações que levam à diminuição ou perda
de eficácia e até mesmo a degradação do produto. Por isso, novas
tecnologias vêm sendo propostas para melhorar o desempenho dos
produtos cosméticos e sua aceitação pelo consumidor. Uma
alternativa para aumentar a estabilidade e, ainda, permitir a liberação
controlada é o encapsulamento das substâncias ativas através de
técnicas que envolvem a nanotecnologia. A nanoencapsulação
consiste na compartimentalização de substâncias em carreadores,
cujo tamanho situa-se na faixa nanométrica, tipicamente entre 50 e
300 nm.

Os princípios da nanotecnologia foram introduzidos na área cosmética


há alguns anos. No período entre 1994 e 2005, a L'Oreal (França) foi
classificada como a quinta empresa no mundo com base no número
de patentes relacionadas à nanotecnologia depositadas (2). Outras
grandes empresas já utilizam a técnica de nanoencapsulamento em
seus produtos, como, por exemplo, Lancôme e Givenchy (3). No
Brasil, por exemplo, a empresa O Boticário apresenta uma linha de
tratamento antienvelhecimento composta por diferentes produtos
utilizando a nanotecnologia.

Uma classe de ativos que podem ser encapsulados são os compostos


extraídos de vegetais. Os extratos vegetais são fontes promissoras de
substâncias bioativas, porém em seu estado bruto podem ter a
atividade antioxidante comprometida em razão de sua instabilidade
físico-química. Neste contexto, a nanotecnologia pode ser utilizada
para a estabilização de diferentes compostos, aumentando também a
estabilidade dos produtos finais (4-6). Adicionalmente, a
nanoencapsulação de compostos antioxidantes pode aumentar a sua
atividade antioxidante e prolongar a liberação dos mesmos,
aumentando assim a sua eficácia (7-9). A nanotecnologia tem sido
utilizada no desenvolvimento de formulações cosméticas mais
estáveis, mais eficazes e com sensorial cosmético diferenciado (2; 6;
10).

NANOESTRUTURAS EM COSMÉTICOS: CARACTERÍSTICAS E


APLICAÇÕES A indústria cosmética tem investido cada vez mais na
utilização de sistemas nanoestruturados, com diferentes aplicações
que serão apresentadas ao longo deste artigo.

As nanopartículas, em geral, são caracterizadas por possuir uma alta


superfície de contato e um grande número de partículas por unidade
de peso. Para a formação de nanopartículas, a área de superfície por
unidade de peso da partícula aumenta 102 vezes quando a partícula é
reduzida de 1 µm para 10 nm e o número de partículas por peso
aumenta 106 vezes. Com isso, as propriedades originais do material
bruto, como, por exemplo, a temperatura de fusão e a solubilidade,
também se modificam (2). Com base nas características decorrentes
do tamanho diminuto, as nanopartículas contendo substâncias ativas
são utilizadas com a intenção de melhorar sua funcionalidade, como,
por exemplo, melhorar a disponibilidade ou estabilidade quando
comparada com o mesmo material na forma molecular (2).

Os sistemas nanoestruturados mais utilizados em cosméticos podem


ser classificados em nanocápsulas, nanoesferas, nanopartículas
lipídicas sólidas, nanoemulsões, microemulsões, lipossomas e
niossomas, que serão explicados mais detalhadamente no decorrer
do texto.

As nanocápsulas são sistemas nanovesiculares que apresentam uma


estrutura com núcleo e invólucro típica, com tamanho de partícula na
faixa de aproximadamente 100 a 500 nm. As substâncias ativas
podem ser transportadas dentro de uma cavidade envolvida por uma
membrana polimérica, adsorvida na superfície ou impregnada na
matriz polimérica. As nanocápsulas de núcleo lipídico são carreadores
nanovesiculares nos quais o controle da liberação do ativo é atingido
pela variação da concentração do polímero, do lipídio líquido e/ou
lipídio sólido da formulação (7-11). Alguns polímeros que podem ser
utilizados na formação das nanocápsulas são a policaprolactona, o
ácido polilático, poli(ácido glicólico) e poli(ácido glicólico-co-ácido
lático) (12).

As nanocápsulas são normalmente utilizadas em cosméticos para


proteger ativos sensíveis, reduzir odores indesejáveis e evitar
incompatibilidades entre os ingredientes da formulação. Um dos
primeiros produtos a utilizar nanocápsulas foi um creme antirrugas
com vitamina A encapsulada; as partículas atuavam como
reservatórios, liberando a substância ativa lentamente (13). As
nanocápsulas também têm sido investigadas intensivamente como
veículos para filtros solares como o metoxicinamato de octila,
salicilato de octila e benzofenona-3. Acredita-se que as nanocápsulas
formem um filme de proteção na superfície da pele e controlem a
penetração das substâncias encapsuladas (12).

As nanoesferas diferem das nanocápsulas por serem formadas por


uma matriz polimérica, onde a substância pode ficar retida ou
adsorvida, e não possuem óleo em sua composição (11). As
nanoesferas podem ser utilizadas para encapsular ativos como
fragrâncias (14; 15) e vitaminas (16). Suas características podem
permitir, por exemplo, que fragrâncias permaneçam sobre a pele
após longo período de aplicação (14). Outro exemplo inclui
nanoesferas de poli(ácido glicólico-co-ácido lático) contendo
vitaminas A, C e E, que apresentaram eficácia clínica no clareamento
da pele bem como propriedades antienvelhecimento (16).

As nanopartículas lipídicas sólidas são sistemas organizados a partir


de lipídeos sólidos. Suas principais características incluem excelente
estabilidade física, capacidade de proteção de substâncias instáveis
frente à degradação, capacidade de controle da liberação, excelente
tolerabilidade, capacidade de formação de filme sobre a pele
(demonstrando propriedades oclusivas), possibilidade de modular a
entrega da substância encapsulada, além de não apresentarem
problemas relacionados à produção em grande escala e à
esterilização (2; 5; 12; 17). As nanopartículas lipídicas sólidas são
adequadas para o transporte de substâncias lipofílicas que podem ser
formuladas em sistemas a base de água. As dispersões têm alto teor
de lipídeos, são de fluxo livre e são normalmente produzidas por
homogeneização a alta pressão (2). Os lipídeos utilizados incluem
triglicerídeos, glicerídeos parciais, ácidos graxos, esteroides e cera
(18).

As nanopartículas lipídicas sólidas também podem ser atrativas para


uso em protetores solares, uma vez que a matriz lipídica formada
sobre a pele pode retardar a penetração do ativo, reduzindo o
potencial tóxico de um produto convencional. Além disso, a
incorporação de ativos quimicamente lábeis (por exemplo, coenzima
Q10 e retinol) nas nanopartículas lipídicas sólidas oferece proteção
contra decomposição e possibilita a liberação controlada do ativo
(12).

Como desvantagens, as nanopartículas lipídicas sólidas têm menor


capacidade de manter a encapsulação do ativo, podendo haver a
formação de estruturas coloidais alternativas (micelas, lipossomas,
mistura de micelas e nanocristais) e instabilidade física durante a
estocagem ou administração devido à complexidade do estado físico
do lipídio (5).
As nanoemulsões são dispersões estáveis com diâmetro médio de
gota em tamanho nanométrico (algumas centenas de nanômetros).
Este sistema é composto por óleo, água, e um ou mais agentes
surfactantes, podendo ser uma dispersão óleo em água (o/a) ou água
em óleo (a/o) (19), apresentando elevada estabilidade cinética, em
decorrência do seu reduzido tamanho de gota (17). A fase aquosa
pode conter ingredientes ativos e conservantes hidrofílicos,
farmacêuticos ou cosméticos, enquanto a fase oleosa é tipicamente
composta por óleo mineral, óleo de silicone, óleo vegetal, ésteres ou
ácidos graxos ou ingredientes ativos lipofílicos. (12). Uma das
vantagens apresentadas pela utilização de nanoemulsões é o
aumento da hidratação da pele e de sua elasticidade (20), uma vez
que o ativo tem maior possibilidade de atingir o extrato córneo.

As nanoemulsões também podem aumentar a permeabilidade de um


ativo pouco solúvel (20). As nanoemulsões preparadas com ésteres
graxos de glicerol são utilizadas nas áreas cosmética e dermatológica,
especialmente para hidratação da pele, mucosas e cabelos.
Similarmente, as nanoemulsões contendo ésteres de ácidos graxos
fosfóricos são utilizadas em cosméticos, bem como produtos
dermatológicos e farmacêuticos (21).

As nanoemulsões podem ser encontradas em uma grande variedade


de produtos cosméticos como óleos de banho, cremes para o corpo,
preparações antirrugas e antienvelhecimento (12). Devido ao seu
pequeno e uniforme tamanho de gota, as nanoemulsões são
transparentes, fluidas e agradáveis ao toque (22-23). Em
comparação com emulsões tradicionais, as nanoemulsões têm
melhores propriedades de espalhabilidade na pele (12).

As microemulsões são sistemas isotrópicos, transparentes, de baixa


viscosidade e termodinamicamente estáveis, obtidas quando uma
mistura de surfactantes apropriada é usada (17; 24). O uso de
microemulsões é considerado uma abordagem promissora para
aumentar a liberação e permeação de substâncias tanto hidrofílicas
quanto lipofílicas (25). Em comparação com as emulsões
convencionais, estas são caracterizadas por tamanho de gotículas em
escala nanométrica (26).

Pela facilidade de aplicação e adesão na pele, o seu uso tem sido


explorado para muitos propósitos em cosmecêuticos e produtos
farmacêuticos (27), hidratantes de pele, preparações de protetor
solar, produtos de bronzeamento, produtos antienvelhecimento,
desodorantes, antiperspirantes, perfumes, entre outros (28).

Os lipossomas são vesículas esféricas que consistem em uma ou mais


membranas como bicamadas fosfolipídicas envolvendo um núcleo
aquoso. O diâmetro da vesícula está na faixa entre 5 a muitas
centenas de nanômetros. O principal componente lipídico do
lipossoma é tipicamente fosfatidilcolina derivada do ovo ou lecitina de
soja. Colesterol é usualmente incluído na composição para estabilizar
a estrutura e, assim, gerar lipossomas mais rígidos. Dependendo das
condições de processo e da composição química, podem ser formadas
pequenas e grandes vesículas unilamelares e multilamelares, com
uma ou várias bicamadas concêntricas. Ao contrário das emulsões, os
lipossomas são estruturas lamelares termodinamicamente estáveis
que se formam espontaneamente quando os lipídios são colocados
em contato com a fase aquosa. Além disso, os lipossomas não são
tóxicos nem invasivos e são capazes de carregar substâncias
hidrofílicas e/ou lipofílicas (2; 12).

Os lipossomas podem ser encontrados em vários produtos em que é


necessário liberar o ativo cosmético na epiderme. Por exemplo, filtros
UV podem ser encapsulados em lipossomas incorporados em
formulações de protetores solares de base aquosa, que apresentam
boa aderência na superfície da pele, resistentes à água. Os
lipossomas por si só, quando formulados em cosméticos podem repor
ou aumentar os lipídios endógenos do estrato córneo, aumentando a
hidratação e reduzindo a secura da pele (12).

Os lipossomas podem encapsular uma variedade de substâncias


ativas e ser incorporados em diversos tipos de produtos cosméticos,
como: hidratantes para a pele, produtos antienvelhecimento, pós-
barba, protetor solar e maquiagem. Dentre alguns exemplos de
produtos no mercado, podemos citar lipossomas veiculando agentes
de bronzeamento (L'Oreal), lipossomas encapsulando vitaminas
(Lancôme, L'Oreal) e lipossomas carreadores de vitaminas E, A e
ceramidas (Estée Lauder) (29).

Os niossomas são vesículas preparadas a partir de surfactantes não


iônicos. Os surfactantes combinam um ou mais componentes
hidrofóbicos com um grupo principal hidrofílico (12). Os niossomas
podem fundir-se com os lipídeos do estrato córneo (2), e são capazes
de melhorar a estabilidade e a disponibilidade dos ingredientes ativos
bem como aumentar a sua penetração na pele (30).

Formulações de niossomas foram inicialmente desenvolvidos pela


L'Oreal para aplicações cosméticas (31), mas também têm sido
usados em aplicações alimentícias (32). Podem encapsular tanto
compostos hidrófilicos quanto lipofílicos (33).

A tabela 1 apresenta alguns exemplos de ativos, os sistemas


nanoestruturados utilizados para sua estabilização, bem como os
respectivos métodos de preparação empregados.

Diferentes tipos de nanoestruturas são utilizados para estabilização


de substâncias com atividade cosmética. Com isso, observa-se uma
tendência crescente no uso de ativos nanoencapsulados para
incorporação em cosméticos. De acordo com um levantamento feito
na base de dados Web of Science, o número de publicações incluindo
concomitantemente o radical "nano" e a palavra "skin" aumentou 12
vezes da década de 1990 para a década de 2000, sendo que só no
ano de 2012 foram mais de mil artigos publicados envolvendo o
tema. Juntamente com o investimento de algumas empresas nessas
tecnologias, o surgimento de indústrias brasileiras que
nanoencapsulam ativos para fornecimento ao mercado cosmético
possibilitou um maior acesso à nanotecnologia até mesmo por
indústrias cosméticas de menor porte. Esse crescimento impulsiona o
mercado e faz com que cresçam também os investimentos em testes
de eficácia e segurança dos produtos, fortalecendo o mercado de
nanocosméticos no Brasil e no mundo.

As autoras deste artigo não têm relações profissionais com as


empresas citadas.
Renata M. Daudt é engenheira de alimentos, mestre em engenharia
química e doutoranda em engenharia química na Universidade
Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).
Juliana Emanuelli é farmacêutica e mestranda em ciências
farmacêuticas na UFRGS.
Irene C. Külkamp-Guerreiro é farmacêutica, doutora em ciências
farmacêuticas e professora da Faculdade de Farmácia da UFRGS.
Adriana R. Pohlmann é farmacêutica, doutora em química
terapêutica e professora associada IV do Departamento de Química
Orgânica da UFRGS.
Silvia S. Guterres é farmacêutica, doutora em nanotecnologia
farmacêutica e professora associada IV do Departamento de Produção
e Controle de Medicamentos da UFRGS.
CARACTERÍSTICA DA PELE ACNEICA
Caracteriza se pelo surgimento de comedões,lesões
avermelhadas e altas, presença de pus e em casos mais
graves cicatrizes e graus variáveis.
Atinge principalmente o rosto por ser uma área rica em
glândula sebácea, mas pode atingir também região
anterior e posterior do tórax.

PELE ACNEICA
É uma doença de pele, que afeta mais de 80% dos jovens
entre 15 e 25 anos e cerca de 30% da população adulta.
O problema se relaciona principalmente a alterações
hormonais do corpo; fatores genéticos ação e proliferação
de bactérias e aumento de atividade de glândulas sebáceas.

O tratamento anti-acne é de fundamental importância pois


controla a oleosidade da pele e, consequentemente, a
formação de comedões e da população bacteriana, evitando
cicatrizes e até complicações mais graves.
BACTÉRIA CAUSADORA DA ACNE
PROPIONIBACTERIUM ACNES
DRENAGEM LINFÁTICA
A drenagem linfática estimula o sistema de defesa e a
oxigenação dos tecidos, além de ajudar na eliminação de
líquidos, tonificando a pele e retardando o envelhecimento
,ainda melhora a nutrição celular.Porém, em casos
avançados não se pode fazer pelo fato de que a massagem
estimula a circulação e com isso pode levar a infecção
para outras regiões.
CONCLUSÃO
Atualmente a compreensão da etiologia da acne amplia-se
consideravelmente, alem de ser uma doença física que
acomete a pele ela também tem acarretado problemas
psicológicos à população.
Pacientes que vão em busca de tratamento geralmente tem
lesões serias na pele que causam imperfeições, desconforto
e dor; além da autoestima extremamente fragilizada e em
casos estendendo à depressão.
A atuação do profissional de estética é muito importante,
com um bom conhecimento a paciente ficará satisfeita com
o tratamento pois terá um resultado eficaz e satisfatório.
Depilação com CERA escurece a pele ?
Ola pessoal, não é segredo pra ninguém que somos
vaidosas e temos um preocupação grande em relação
a nossa pele, são marcas de expressão que aparece,
manchas, espinhas, cravos, rugas..e uma
preocupação grande que as pessoas possuem em
relação a DEPILAÇÃO é se a cera quente ou fria
escurece a pele.
Bom antes de responder vamos entender como
funciona a pele e seu processo de escurecimento.
A PELE é o maior órgão do corpo humano e precisa
de cuidados, e ela também tem como principal
objetivo nos proteger de elementos externos, nos
ajuda a regular a temperatura corporal e nos ofertar
sensações.
A pele além de ser a maior protetora do nosso
organismo, pois é ela quem o envolve em qualquer
situação, é a primeira a ser atingida, ela também
possui mecanismos que otimizam a proteção gerada,
por exemplo: o manto acido que compõe a pele evita
a entrada de micro-organismos.
A MELANINA é uma proteína que garante a
coloração da pele e evita os danos da radiação ultra
violeta ao nosso DNA. Ela é produzida nos
melanócitos e garante a proteção contra a ação
nociva do sol. Ela é produzida a partir da Tirosina (
um aminoácido essencial) por células especializadas
denominadas de Melanócitos.

O Escurecimento da pele (cor facultativa) que é


observada após exposição ao sol, funciona como uma
reação do nosso corpo para realizar a fotoproteção,
algumas vezes a exposição solar é muito excessiva e
desencadeia importantes alterações.
Você deve estar se perguntando: o que isso tem
a ver com a depilação? tudo!
Nossa pele é dividida em três camadas: EPIDERME,
DERME E HIPODERME, e como a depilação tanto com
cera ou a lâmina, retira uma camada da epiderme, e
esta fica vulnerável a manchas e infecções.
O buço, axila e virilha são as regiões mais propensas
ao escurecimento pois existe maiores pigmentos de
melanina nestas regiões.
O uso da lâmina causa o escurecimento da pele
pois a epiderme é lesionada pela lâmina causando
micro cortes facilitando a entrada de bactérias e
estimula a produção de melanina no local.
A Cera o escurecimento da pele pode ser causado
por uma queimadura, exposição solar logo após o
procedimento e uma puxada errada, esses fatores
lesionam a epiderme promovendo maior produção de
melanina no local. Evite também usar ceras caseira
feita com limão, esse é um produto oxidante e causa
manchas.
Outros fatores que podem causar machas e
escurecimento do local depilado é o fator genético,
mulheres que possuem pelos muito grossos, ou por
reações alérgicas a produtos como desodorantes,
cremes pesados. Fatores hormonais também
interferem no sistemas glandular e provoca
alterações no funcionamento do organismo, podendo
desenvolver escurecimento da pele. Pessoas que
fazem uso de medicamentos fortes para
depressão,corticoides, reposição hormonal, são
fatores que também podem desenvolver
escurecimento da pele.
Pessoas acima do peso também tendem a ter esse
problemas devido as alterações no organismo, ou
mesmo o fato do atrito entre as pernas promovendo
o escurecimento do local.
A Cera Dona Pele é um produto de altíssima
qualidade, ela possui o pH adequado para sua pele,
por isso não causa manchas e nem foliculites.
Contém extratos calmantes, cicatrizantes e óleos
essenciais. Eu uso e recomendo.

PARA PREVENIR: evite a exposição solar sem


protetor, e mesmo assim é indicado evitar o contato
com o sol 48 horas antes e depois da depilação. Evite
roupas apertadas e hidrate bem a pele.
Uma dica: uma prevenção boa e barata é realizar
a esfoliação corporal, essa técnica ajuda a manter a
pele limpa e evita o escurecimento.
Eletroterapia na Depilação.
A alta freqüência é uma corrente elétrica
alternada, bidirecional que oscila de milhares a
milhares de ciclos por segundo. Os efeitos e
propriedades da alta freqüência na depilação
podem ser vários:

Efeitos fisiológicos:
Diatérmico – produção de calor e conseqüente vaso
dilatação nas áreas atingidas, promovendo
aquecimento tecidual.
Hemostático – agiliza o processo de coagulação
evitando a hemorragia.
Aumento da oxigenação celular e nutrição das
células.
Estímulo do sistema neuro muscular.
Efeitos Terapêuticos
Sedativo ou analgésico – age sobre as terminações
nervosas.
Propriedades:
Fungicida – destrói alguns tipos de fungos.
Bactericida – destrói algumas espécies de bactérias.
Bacterostético – controla a proliferação de bactéria.
Anti-séptico – ação desinfetante geral
Há duas técnicas distintas da utilização dos
eletrodos na depilação por emissão de alta
freqüência, aplicação direta e indireta.
Direta – o eletrodo deve estar em contato direto
com a pele e não deve ser retirado.
Indireta – a distancia entre o eletrodo e a pele
gerará pequenas descargas elétricas em forma de
faísca.
Esse aparelho possui eletrodos que são tubos de
vidro ocos de várias formas que contém gases em
seu interior.
Atenção – a aplicação de alta freqüência é contra
indicado para portadores de marcapasso, gestantes
e áreas da pele onde tenha utilizado álcool ou éter.

1- Faça a depilação;
2- Limpe a região com a loção adstringente;
3- aplique a Alta Frequência;
4- finalize a processo com gela calmante.

Fica a dica, curtiram?

Pêlo encravado?cuide deles.

Você acha que eles só encravam quando estão frágeis? se enganam, alguns pêlos já nascem
com a tendência de se voltarem para dentro da pele, seja eles finos ou grossos.
Eles surgem na maioria das vezes em mulheres que possuem o hormônio masculino elevado
ou com pêlos que nascem enrolados, e essa característica é impossível de se modificar, é
genético.
Mais comum em pessoas de pele negra e provocada pela característica recurvada dos pêlos
que, ao crescer, encurvam-se e penetram novamente na pele, gerando uma reação
inflamatória conhecida como pseudofoliculite.

As áreas mais afetadas nos homens são a barba, o pescoço e a nuca e nas mulheres as axilas, a
virilha e as pernas. Nestas localizações, por serem áreas de dobra da pele, alguns pêlos já
nascem de forma oblíqua, o que facilita o seu encravamento.
Com o crescimento, os pêlos penetram a pele formando lesões avermelhadas, inflamatórias,
endurecidas e frequentemente com pus, devido à contaminação bacteriana. Algumas chegam
a formar verdadeiros cistos, cujo conteúdo é o pêlo que cresce continuamente para o seu
interior.

Segue as dicas para lidar com o problemas:

__________Aparecimento________

♦ Roupas muito apertadas – em qualquer parte do corpo, e não apenas nas pernas –
favorecem o encravamento dos pêlos.

♦ Remoção com cera quente ou fria não é muito indicada pelos especialistas. Como o método
arranca o cabelo pela raiz, o seu eixo de crescimento se altera facilitando o encravamento.

♦ Apesar de só dissolver o pêlo, a depilação com creme também pode encravá-lo se o produto
penetrar em uma ferida.

♦ A lâmina de barbear não provoca o problema, pois apenas corta o fio. Mas ela pode
machucar a pele, facilitando a entrada de bactérias e, conseqüentemente, uma inflamação.
Isso, sim, pode gerar o encravamento.
_______Estágio________

Encravado: o pêlo cresce debaixo da pele. Não representa mal nenhum.

Inflamado: a área fica inchada e levemente avermelhada. Algumas vezes, apresenta secreção
amarela e, em geral, causa dor.

Cisto: maior, dolorido e mais rígido do que a inflamação. Procure um médico. A drenagem não
garante que ele não volte.
__________Combate________

♦ No banho, adote um sabonete líquido livre de óleo mineral ou derivados de petróleo e uma
bucha vegetal. Esfregue suavemente.

♦ Usar esfoliante regularmente ajuda a minimizar o problema. Passe-o três dias antes da
depilação para expulsar a penugem encravada. No entanto, nem pense em aplicá-lo em
regiões machucadas – irá irritá-las ainda mais! Em seguida Hidrate bem a pele.

♦ Recorreu à lâmina de barbear , não é recomendado utilizar o mesmo aparelho mais de 3


vezes, como as lâminas se desgastam elas acabam cortando a pele causando lesões que
facilitam o encravamento e infecções. Limpe bem com álcool para não acumular bactérias.

♦ Depilação com cera quente/fria deixa os poros abertos, dilatados, por isso durante três dias
não use substâncias irritantes, como cremes, óleos e loções.

♦ Nunca reutilize a cera para a remoção dos fios. Jogue-a fora!

♦ Hidrate a pele: no inverno a pele tende a ficar ressecada, rachada, ou seja muito
desidratada. Isso dificulta a saída do pêlo que pode encontrar uma barreira de pele morta e
dura, não conseguindo romper essa barreira ele se curva para dentro da pele.A pele precisa de
HIDRATAÇÃO sempre.

♦ Para retirar o fio encravado, recorra a uma pinça. Não esprema a pele para retirar o fio e
nem cutuque com uma agulha, isso pode lesionar e pele e causar um infecção. Vá com todo
cuidado para não machucar a pele!

________Solução________
* Deve-se evitar o escanhoar (barbear ou raspar a pele no sentido contrário ao do crescimento
do pêlo), esse procedimento lesiona a epiderme facilitando o encravamento.Utilize a lâmina
sempre de forma bem suave. Em casos de inflamação o médico dermatologista poderá indicar
um creme anti-inflamatório e antibiótico, de acordo com cada caso.

A depilação definitiva a laser pode ser uma saída para reduzir o problema. Em geral, são
necessárias seis sessões para cada região. Mas, saiba: o método elimina os fios existentes,
contudo, não impede o aparecimento de novos. Portanto, pense bem antes de investir!

Gostaram das dicas?

Procedimentos de Higienização
Olá, hoje vou estar falando da importância dos
procedimentos de Higienização, assepsia e dos
produtos descartáveis que devemos usar no
Processo de Depilação e na higiene do ambiente de
trabalho.
Durante o processo de depilação enfrentamos
muitos desafios e um deles é manter a higiene nossa
e da cliente. Há procedimentos específicos que o
depilador pode adotar antes de iniciar seu trabalho
que reduz o risco de afecções cutâneas. Os
procedimentos de assepsia e higiene, que embora
sejam simples, devem ser praticados com devida
seriedade.
Um trabalho asséptico é um trabalho seguro.
Vejamos alguns procedimentos de higienização:
O local de trabalho também precisa de cuidados
antissépticos especiais para funcionar como
facilitador do trabalho do depilador, além de
proporcionar a ele e seu cliente um ambiente
cômodo, confortável e confiante. Vejamos:
* Prefira ambientes claros e escolha móveis de fácil
limpeza.
*Mantenha o piso limpo e higienizado com produtos
bactericidas.
* Tenha cuidado especial com o lixo, esse deve ser
retirado todo dia.
* Todos os aparelhos eletrônicos que compõem o
ambiente de trabalho devem passar por
manutenção periódicas e estar em perfeitas
condições de uso.
* Atenção na limpeza dos banheiros.
A ANVISA relaciona em seus normativos algumas
providências obrigatórias que os profissionais da
saúde e beleza devem respeitar para evitar
possíveis multas.
A Secretaria de Saúde da minha cidade santa fé do
Sul, dispõe de uma cartilha de Orientação para os
Profissionais da Saúde e Beleza que nos ajuda a se
enquadrar nas exigências necessárias pra um bom
funcionamento do estabelecimento comercial e do
profissional.
Sabemos também que hoje existe uma campanha
forte contra a Hepatite em todas as áreas da beleza
e saúde. Para nós depiladoras não é diferente,
também temos que tomar muitos cuidados com a
contaminação. Devido a isso a temos a Importância
do uso de material Descartável durante o
procedimento. Vejamos.
Esses produtos devem ser de uso exclusivo de cada
cliente, como se fosse o "KIT CLIENTE", assim
terminou o procedimento vai tudo para o lixo e um
novo kit será feito para a próxima cliente.
Lembramos também que a Cera usada também deve
ser DESCARTÁVEL. Antigamente algumas
depiladoras usavam o método de fervura da cera o
que hoje é proibido, então se você frequente um
salão onde a cera é reaproveitada, fique atenta
você pode sair de lá com uma infecção de pele.
Fica a dica!
Beijos
Veias e Varizes na Depilação
Muitas de mulheres possuem algumas veias e varizes
nas pernas que incomodam muito, seja por qual
motivo elas aparecem nos incomodam e doem.
Segundo o médico Dr. Drauzio Varella:
Varizes são veias dilatadas e deformadas, de
coloração púrpuro-azulada, que surgem ao longo
das pernas e podem causar dor e inchaço. Sua
ocorrência é mais comum em pessoas que
necessitam ficar em pé por longos períodos.
Veias das pernas, que reconduzem o sangue ao
coração após ter irrigado os membros inferiores,
possuem válvulas cuja finalidade é impedir o
retorno do sangue aos pés pela ação da gravidade.
Às vezes, essas válvulas não funcionam com
eficiência e o sangue empoça nas veias provocando
deformação, inchaço e alterações na sensibilidade
da pele.
Nas mulheres, durante a menstruação e na
gravidez, principalmente, os sintomas tendem a
piorar.
______________Tratamento______________
Varizes superficiais podem ser facilmente
reconhecidas observando-se a pessoa em pé. O
tratamento mais comum é a remoção cirúrgica das
veias comprometidas. O cirurgião faz diversas
incisões, retira as veias afetadas e protege a(s)
perna(s) com bandagens. O procedimento cirúrgico
é rápido, o tempo de hospitalização é curto e a
recuperação em casa pode durar algumas semanas.
Nos casos de varizes superficiais, é possível injetar
drogas para necrosar as veias a fim de que não mais
conduzam sangue. Esse procedimento requer
normalmente duas ou três aplicações, mas não é
indicado para o tratamento de varizes maiores nem
para aquelas localizadas em veias profundas.
Seja qual for o tratamento adotado, é
recomendável caminhar diariamente para estimular
a circulação do sangue e o crescimento de novos
vasos saudáveis.

___________Recomendações_________

Varizes não costumam provocar complicações mais


graves. Nos casos mais sérios, entretanto, para
evitar dores, inchaço e problemas de pele, alguns
cuidados devem ser tomados:
* Evite ficar de pé, parado na mesma posição, por
muito tempo. Se for obrigado a fazê-lo, procure
movimentar-se. Isso faz com que os músculos das
pernas ajudem o sangue a circular;
* Diversas vezes por dia, procure elevar as pernas
acima do nível do coração por alguns minutos para
facilitar o retorno do sangue para o centro do
corpo;
* Lembre-se de que é muito importante usar meias
elásticas. Os resultados serão melhores ainda se
você as calçar logo cedo, antes de levantar da
cama;
* Ande a pé. Caminhar é fundamental para prevenir
varizes
______________Depilação______________
Cera quente aumenta os vasos e varizes?

NÃO, o que ocorre neste caso é que quando a


pessoa fica exposta a uma temperatura de calor
excessivo pode dilatar as veias, ativando a
circulação sanguinea e consequentemente a pele
ficar mais vermelha e sensível, mas em algumas
horas a circulação volta ao normal e a coloração da
pele também.
Como a depilação é um processo rápido, ela não é o
fator principal para o seu surgimento, lembrando
que a cera é passada apenas na Epiderme não
atingindo os vasos sanguineos que ficam alojados na
Derme.
Não há nenhum dado científico que comprove a
relação da depilação com cera e o aparecimento de
varizes. As varizes podem aparecer por
predisposição genética, sedentarismo ou hábitos
não saudáveis, já que seu surgimento se dá pela
falta de capacidade de veia de retornar o sangue.
Mas nos dois casos devemos como depiladoras ter
cuidado com a situação e atenção especial para
veias dilatadas que podem causar muita dor no
procedimento, recomenda-se anotar todas as
observações na ficha de anamese e depilar com
muito cuidado para não machucar a pele, se
necessário evitar passar a cera em cima da Variz.

Usar salto alto causa varizes?


Não. Porém o uso diário de salto alto por um
tempo prolongado poderá dificultar o
bombeamento do
sangue nas pernas, facilitando o surgimento do
quadro de varizes. Por essa razão, é importante
alongar as panturrilhas antes e depois de usar salto
e variar com saltos mais baixos durante a semana.

Existem cremes que eliminam as varizes?


Não há comprovação científica de que cremes
eliminem varizes e nada indica que possam refazer
as paredes de uma veia danificada. O que existem
são cremes que podem aliviar alguns dos sintomas.
DEPILAÇÃO A LASER X LUZ PULSADA
Então você e seu dermatologista devem avaliar seu caso e sua necessidade antes
de decidir!

Acantose Nigricans
(Pescoço Escuro)
DESTAQUE
SINTOMAS
Autor: Alan Niemies - Última atualização em: 28/02/2017
A Acantose Nigricans é um sintoma comum de algumas doenças e síndromes, e tem
como características o que chamamos de hiperpigmentação verrugosa (formação de
placas mais escurecidas e grossas) da pele. Tais lesões podem aparecer em vários locais
do corpo, especialmente no pescoço (“pescoço escuro“), axilas, virilha e mucosas como
os lábios, a área periocular (em torno do olho) e o ânus.

Causas
Para entender a Acantose Nigricans, vamos comentar primeiramente sobre as causas
desse sintoma de pele.

Obesidade e Endocrinopatias
As causas mais comuns desse sintoma na pele são a obesidade e endocrinopatias, que
são doenças do sistema endócrino (relacionado à produção de hormônios pelo nosso
corpo), especialmente a Diabetes.
A obesidade e problemas endócrinos como a Diabetes gera o que chamamos de
Resistência à Insulina: as células do nosso corpo não conseguem aproveitar a Insulina
liberada pelo pâncreas corretamente e, com isso, níveis maiores de insulina permanecem
na circulação sanguínea. Com isso, temos um aumento da produção do IGF (Fator de
Crescimento semelhante à Insulina) e Receptores de Insulina (proteínas que se ligam à
insulina) na pele.

Com a ligação da insulina na pele e o aumento da produção de IGF, nossa pele recebe
uma ordem para começar a produzir mais células, mais queratina e mais melanina, o que
acaba gerando o engrossamento e escurecimento da pele em algumas áreas do corpo.

Acantose Nigricans em Axila e Pescoço, comum na Diabetes Mellitus Tipo 2

Além da Diabetes, outras causas endócrinas da Acantose são: Síndrome do Ovário


Policístico, Síndrome de Cushing, Hipotireoidismo, Hipertireoidismo e Acromegalia.

Causas Malignas
Acantose maligna, geralmente associada a tumores de estômago e intestino

Alguns tipos de câncer também podem, raramente, gerar o aparecimento de Acantose


Nigricans maligna. Porém, diferentemente das causas endócrinas (como a Diabetes), a
Acantose decorrente de um tumor costuma afetar muito mais as mucosas (como os
lábios).

Geralmente, a acantose por conta de um câncer aparece a partir dos 40 anos, associada à
tumores principalmente do Trato Gastrointestinal (como câncer de estômago ou de
intestino) e outros Adenocarcinomas.

A Acantose decorrente de tumores acontece porque alguns tipos de células cancerosas


aumentam a produção de IGF e Receptores de Insulina (assim como na Acantose
causada por Obesidade e Endocrinopatias), além de TGF-alfa, que também causa
escurecimento e aumento da espessura da pele.

Nesse caso, a Acantose Nigricans desaparece normalmente com o tratamento do tumor


relacionado a ela.

Outras causas
A Acantose pode ainda ser gerada por causas diferentes da obesidade, problemas
endócrinos e tumores. Alguns medicamentos que aumentam os níveis de insulina
podem causar Acantose, tais como a própria Insulina injetada, glicocorticóides, niacina,
anticoncepcionais orais e inibidores de protease. Pode ser causada ainda por fatores
hereditários e, em outros casos, a causa é desconhecida.

É importante notar ainda que as lesões causadas pela Acantose são parecidas com outra
infinidade de lesões dermatológicas. Por isso, apenas um médico capacitado terá
condições de fazer esse diagnóstico diferencial, se você tiver essas lesões.

Importância da Acantose
A Acantose Nigricans é um sintoma muito importante. Se você acha que sua pele
engrossou e escureceu em alguma área, vale a pena procurar um médico, especialmente
se você tem mais de 40 anos. Pacientes com Acantose devem ser investigados quanto à
causa desse sintoma e fazer exames para a procura de Diabetes ou algum tipo de câncer.
Não deixe seu médico para depois!

Acantose nigricans
O que é?
A acantose nigricans é uma doença caracterizada pelo escurecimento da pele das dobras
do corpo e pregas cutâneas, que se torna espessa e aveludada devido a alterações na
formação da camada mais superficial da pele, a epiderme.
A doença pode afetar pessoas saudáveis ou pode estar associada a outros problemas de
saúde. Alguns casos são herdados geneticamente e é mais comum a ocorrência entre
pessoas de pele com coloração mais escura.

A obesidade, pode levar ao surgimento da acantose nigricans, assim como outros


distúrbios endócrinos. A doença é associada à presença de resistência insulínica,
principalmente quando ocorre em crianças e jovens, e é freqüentemente encontrada em
pessoas com diabetes. O aumento da insulina no sangue é considerado um dos fatores
que poderiam alterar o crescimento das células epidérmicas dando origem às lesões.
A transpiração e a fricção também poderiam contribuir de alguma forma para o surgimento
da acantose nigricans, como sugerido pelo fato das áreas mais afetadas serem as de
dobra da pele (pescoço, axilas, virilhas…).
Alguns medicamentos, como a insulina, o hormônio do crescimento, corticosteróides ou os
contraceptivos orais (pílula) também são citados como possíveis causas para o surgimento
da acantose nigricans, que poderia regredir algumas semanas após a sua suspensão.
Casos graves podem estar relacionados à ocorrência de neoplasias malignas, mais
comumente do trato gastrointestinal ou genitourinário, mas sua ocorrência é mais rara.

Manifestações clínicas da acantose nigricans


A acantose nigricans evolui lentamente provocando o escurecimento progressivo das
áreas afetadas e as lesões não costumam ser acompanhadas de qualquer outro sintoma.
Raramente, alguns pacientes referem prurido (coceira) discreto.
Os locais mais atingidos são as axilas, virilhas e pescoço, onde formam-se áreas de pele
escurecida, espessada, com a superfície rugosa e vincada, conferindo um aspecto
aveludado ou áspero. Acrocórdons ou fibromas moles são comumente encontrados nas
áreas afetadas, como pode ser visto na foto abaixo, à direita.
Acantose nigricans no pescoço

Ocasionalmente, lesões de acantose nigricans podem ser encontradas nos lábios, mucosa
oral e nasal, aréola mamária ou outras áreas da pele. Quando está associada a
malignidades internas, a doença pode apresentar aparecimento mais abrupto e se
manifestar de forma mais exuberante.
Uma apresentação denominada acantose nigricans acral ocorre em pessoas sem
quaisquer outras doenças ou sintomas associados, formando as características placas
ásperas ou aveludadas e escurecidas nas mãos e nos pés, sendo mais proeminentes na
pele sobre as articulações dos dedos.

Tratamento
O principal objetivo do tratamento é encontrar e corrigir o processo subjacente (obesidade,
alterações endócrinas, uso de medicamentos, etc.) que está provocando as lesões. Se
isso for feito, as lesões tendem a desaparecer gradativamente.

Quando há suspeita de acantose nigricans maligna, investigações para detectar a possível


presença de uma malignidade interna devem ser realizadas.
Nos casos no quais não se encontra a causa, produtos de uso local com ação queratolítica
(que dissolvem a camada córnea), como ácido retinóico, lactato de amônia, uréia ou ácido
salicílico são uma opção para a melhora do aspecto das lesões. Podem ser associados a
produtos despigmentantes buscando o seu clareamento. As concentrações e forma de uso
variam de acordo com cada caso e devem usados de acordo com a prescrição de
um médico dermatologista.
Nos casos de pequena extensão, a dermoabrasão e o laser também podem ser
considerados como uma opção terapêutica para reduzir a espessura das lesões.
Nos casos muito extensos, pode ser considerado o uso de medicação oral e há relatos de
benefícios com o uso do etretinato, isotretinoína e metformina.
Para esse tipo de tratamento, o dermatologista poderá
indicar o uso de Retin-A, com 20% de uréia em sua
composição, além de ácidos alfa-hidroxi e ácido salicílico.

Hipercromia – O que é e
quais são seus
tratamentos?
Conheça esse tipo de mancha de pele e opções
de tratamento
Cada vez mais pessoas procuram por tratamentos voltados
à redução de manchas na pele. As diversas alterações na tonalidade
da epiderme são chamadas de discromias, que são divididas em
manchas mais claras (hipocromias) ou mais escuras (hipercromias)
do que a cor normal da pele.

As hipercromias são caracterizadas por desordens


de pigmentação, que têm origem numa produção exagerada
de melanina. Essas manchas podem surgir devido a fatores
como envelhecimento, alterações hormonais, inflamações,
alergias e exposição solar, dentre outros.

O tratamento das hipercromias é feito a partir de substâncias sozinhas


e associadas, como a hidroquinona, o ácido glicólico, o ácido
retinóico e ácido kójico. Esses agentes despigmentantes promovem
uma ação clareadora na pele, que muitas vezes pode
causar descamação (peeling) da mesma.

O ácido kójico possui a vantagem de não causar irritação,


tampouco sensibilidade.Seus efeitos são visíveis após 2 a 3 semanas
de uso contínuo. O ácido glicólico e o ácido retinóico promovem um
efeito de esfoliação, reduzindo a pigmentação em excesso. Já
a hidroquinona é o agente clareador mais conhecido, presente em
diversas formulações, impedindo a produção de melanina.
Os resultados do clareamento de pele não surgem de maneira
imediata, pois a despigmentação é gradual, sendo observada após
poucas semanas. É necessário o uso de filtros solares durante e após
o tratamento, a fim de evitar novas manchas.
13.10.11
Genitais escuros
Tenho 32 anos e de há alguns anos a esta parte tenho vindo a
assistir a um escurecimento progressivo da minha vulva e da pele à
volta, o que me deixa bastante constrangida porque não é nada
estético e até parece que está sujo. Existe alguma solução para
isto?

O escurecimento da pele dos genitais é quase que fisiológica


pelo facto de aí existir uma maior actividade pigmentar
acrescida de um maior número de receptores hormonais que
estimulam a pigmentação da pele localmente. Por outro lado os
fenómenos inflamatórios recorrentes associados à depilação
local também são importantes nesta pigmentação sendo
sempre aconselhável a opção pela depilação definitiva com
laser de díodo prévia, ou pelo menos concomitante, com o
tratamento despigmentante.
A solução, que aliás começou por ter o seu início relacionada
com a indústria pornográfica, precisamente pelo lado
inestético da pele genital pigmentada, passa pela execução de
protocolos despigmentantes com base em peeling's de ácido
triclooacético (TCA) e o uso de hidroquinona em preparados
específicos por forma a obter um aspecto claro e rosado da
pele e mucosas genitais, mas que deve ser realizado sob
vigilância dermtológica.

4.8.09
Pele escura nas virilhas e axilas
Tenho a pele entre pernas muito escura. A das axilas também é
um pouco escura, mas entre pernas é muito pior.
Sou gordinha e muito junta de perna.Sei que com a fricção fico
assim o que não é nada agradável, principalmnte na altura da
praia.
Gostaria assim de saber se há algum produto, creme ou outro,
que me aclarasse a pele.
Realmente o facto de ter excesso de peso e facilitar a fricção
dessa área só tende a agravar a pigmentação que nestes casos
se chama uma pseudo-acantose nigricans e reflete um
desenvolvimento excessivo da epiderme conferindo-lhe um
aspecto aveludado e escuro nas pessoas com excesso
ponderal.
Em primeira instância tentaria perder um pouco de peso e,
concomitantemente, tentaria iniciar um manipulado com ácido
retinóico, ureia, vit. C e um pouco de hidroquinona.
https://www.slideshare.net/alasiasantos/que-pele-tudo-o-que-voce-
pre-dra-graca-silveira-64331461
https://www.slideshare.net/HeloysePinheiro/acnenovas-tecnologias