Você está na página 1de 11

Relatório da Oficina "Aprimoramento das Informações do SISAGUA

2017”. São Paulo, 18 de abril de 2017.

Objetivos e Participantes
Esta oficina reuniu os interlocutores do PROAGUA dos GVS e SGVS para
informar-lhes sobre a elaboração do Relatório Anual de Potabilidade da Água
no Estado de São Paulo e da necessidade de aprimorar as informações do
Sisagua. No anexo I encontram-se nominados todos os participantes e no
anexo II a programação da oficina.

Relato das atividades

1. O Relatório Anual de Potabilidade da Água no Estado de São Paulo se


destina a informar a população e instituições governamentais e não-
governamentais sobre a qualidade da água consumida pela população na
perspectiva da vigilância sanitária. Além disso, atende diretriz do Plano
Estadual de Saúde (PES) 2016-2019 no que se refere ao desenvolvimento de
referências técnicas destinadas a qualificar as ações das VISAs no PROAGUA
(PES 2016-2019, Objetivo 1,Diretriz 5, Meta 1). O sumário do relatório inclui na
Parte I os aspectos conceituais e metodológicos relacionados à produção da
água para consumo humano, as bases legais sobre as quais se assentam os
programas nacional e estadual de vigilância da qualidade da água para
consumo humano (Vigiagua/PROAGUA) e o sistema de informação que lhes
dá suporte (Sisagua) e o estado da arte dos Planos de Segurança da Água. A
Parte II apresentará o comportamento dos parâmetros e padrões que definem
a potabilidade da água. A primeira edição do relatório se restringirá à água
produzida e distribuída pelos Sistemas de Abastecimento de Água (SAA). O
anexo III mostra as variáveis a serem consideradas, bem como a unidade de
agregação e forma de expressão. Foi também mencionado na apresentação a
importância da participação dos GVS/SGVS em todas as etapas da elaboração
do Relatório Anual. Além da responsabilidade pelo aprimoramento das
informações existentes no Sisagua, objetivo da presente oficina, os GVS/SGVS
contribuirão na produção do texto avaliando as variáveis citadas no anexo III na
respectiva área de abrangência e na divulgação do Relatório Anual em eventos
locais e regionais.

2. Uma linha do tempo foi apresentada, relembrando os participantes dos


esforços empreendidos nos últimos três anos (2014 - 2016) pelo grupo -
GTSan/SAMA, GVS/SGVS e VISAs Municipais - na implantação do Sisagua.
Destaca-se, em 2014, a realização de oito capacitações para os GVS/SGVS
operarem os módulos Cadastro, Controle e Vigilância, que por sua vez foram
replicadas aos interlocutores do PROAGUA das 645 VISAs Municipais. O
mesmo aconteceu em 2015 quando da adesão da SES-SP ao Sistema de
Gerenciamento de Ambiente Laboratorial (GAL). A capacitação dos GVS/SGVS
e a replicação às VISAs Municipais ocupou o trimestre março/maio daquele
ano. Outro fato relevante em 2015 foi o projeto piloto realizado pelo
GTSan/SAMA em parceria com a Associação Nacional dos Serviços Municipais
de Saneamento (Assemae) na região de Jaboticabal. Durante os meses de
agosto a dezembro de 2015, dez responsáveis pelos SAA de municípios de
vários portes populacionais foram treinados para operarem o Sisagua e
inserirem diretamente nele os dados de controle de qualidade. O êxito desse
projeto piloto demonstrou a factibilidade de estender esse procedimento para
todos os SAA e SAC do Estado. No âmbito do aprimoramento do Sisagua, foi
realizada em São Paulo, nos dias 24 e 25 de setembro, a Oficina
"Reconectando informação e ação em vigilância da qualidade da água:
experiências, saberes e propostas para o aprimoramento do Sisagua".
Técnicos provenientes de GVS, VISAs Municipais, VISAs de outros Estados e
da Coordenação de Vigilância Ambiental do Ministério da Saúde (CGVAM/SVS-
MS) se debruçaram sobre as informações necessárias para subsidiar a ação e
propuseram cinco formatos de relatórios, a serem desenvolvidos pela
CGVAM/SVS-MS e disponibilizados no menu do Sisagua. Um relatório dessa
oficina foi enviado a todos os participantes e ao Ministério da Saúde,
demonstrando a importância do Sisagua. A partir dessa oficina, a CGVAM/SVS-
MS realizou outras em 2016, abrangendo sete Estados, São Paulo entre eles.
Aos técnicos que participaram da oficina anterior foram acrescidos outros
provenientes da Agência Reguladora dos Serviços de Saneamento das Bacias
dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (ARES-PCJ). O objetivo era demonstrar
como os relatórios propostos na oficina de 2015 podem ser construídos
utilizando o aplicativo Microstrategy (tecnologia Business Inteligence- BI). Além
disso, foi apresentada a situação da construção daqueles cinco relatórios
definidos, mostrando que três deles já estavam validados e, portanto, prontos
para a homologação (etapa que antecede a disponibilização no menu,
mediante avaliação dos testes realizados com os usuários). O relatório final das
sete oficinas realizadas pela CGVAM/SVS-MS, enviado aos participantes em
janeiro de 2017, informa que "(...) o projeto de BI do Sisagua foi interrompido
no início de outubro de 2016, em pleno processo de desenvolvimento, devido à
falta de equipe para conduzir as atividades". Ou seja, todo o esforço para a
construção de relatórios que atendam aos seus principais usuários - VISAs
Estaduais e Municipais - corre o risco de se perder devido ao fim do contrato
com a empresa que prestava o serviço de desenvolvimento de sistemas para o
Ministério da Saúde. Em agosto de 2016, a edição da nova Resolução SS
65/2016, levou os GVS e SGVS a se reunirem com o GTSan/SAMA para traçar
em conjunto as estratégias necessárias à sua implementação. Um cronograma
de divulgação dos novos procedimentos junto à Sabesp e VISAs Municipais foi
elaborado e sua consecução acompanhada e discutida em cinco reuniões
realizadas em outubro do mesmo ano. O balanço final revelou que o empenho
dos GVS/SGVS e das VISAs Municipais foi determinante para a adesão dos
demais segmentos aos procedimentos previstos pela nova legislação.

3. Os participantes se manifestaram sobre a qualidade das informações do


Sisagua considerando a sua realidade e as informações apresentadas nos
gráficos abaixo. O anexo IV mostra a sistematização das contribuições,
elencando, para cada problema apresentado, a justificativa/explicação e as
possíveis soluções.
Gráficos I - Percentual de SAAs em relação às informações sobre Cadastro,
Controle de Qualidade e Vigilância da Qualidade. Estado de São Paulo, abril de
2017.

CONTROLE DE QUALIDADE

5 11

VIGILÂNCIA DA QUALIDADE

39

Fonte: Sisagua.

4. Para responder à pergunta "Como aprimorar as informações do Sisagua


(Cadastro, Controle e Vigilância) ?", foi apresentado um instrutivo indicando,
para cada um dos módulos, quais comandos do Sisagua são necessários para
obter a informação. O quadro abaixo mostra quais informações serão objeto de
atenção, visando seu aprimoramento, em cada módulo.

Quadro I - Informações a serem verificadas no Sisagua, respectivos campos e


módulos, para o ano de 2017.

N Módulo Campo Informação


1.1 Atualização Atualizado 2017
1.2 CEVS Válido
1 Cadastro
1.3 Contato Fone e e-mail informados
1.4 Vazão Expressa em L/s
2 Controle
Valores Alimentação oportuna
3 Vigilância
Não se trata de treinar os técnicos dos GVS/SGVS a corrigirem as informações
porventura erradas, mas indicar como elas podem ser visualizadas, analisadas
e comunicadas aos interlocutores das VISAs Municipais. Cabe a esses
técnicos o contato com os responsáveis pelos SAAs, quando as informações a
serem corrigidas forem dos módulos Cadastro e Controle de Qualidade, ou aos
próprios interlocutores, no caso do módulo Vigilância da Qualidade. Este
instrutivo estará disponível no site do CVS.

5. Ao término da oficina, foi apresentado o cronograma de trabalho abaixo.


Além disso, foi entregue para cada participante a listagem dos CEVS incorretos
existentes nos SAA da sua área de abrangência e a planilha com as vazões de
captação informadas. Elas devem subsidiar o aprimoramento das informações
1.2 e 1.4. do Quadro I.

Quadro II - Cronograma de trabalho para aprimoramento das informações do


Sisagua 2017. Oficina "Aprimoramento das Informações do SISAGUA 2017”.
São Paulo, 18 de abril de 2017.

DATA INFORMAÇÃO/ATIVIDADE RESPONSÁVEIS

até Disponibilizar instrutivo, planilhas e Grupo Coordenador


25/04 questões no site do CVS
até Preencher as planilhas/responder as GVS/SGVS
30/05 questões e enviar para o PROAGUA

01 a Consolidação das informaçõesGrupo Coordenador


09/06 recebidas e organização das oficinas
com os GVS/SGVS
20/06 a Oficinas com os GVS/SGVS Grupo Coordenador e
04/07 GVS/SGVS
ANEXO I - LISTAGEM DOS PARTICIPANTES DA OFICINA
"APRIMORAMENTO DAS INFORMAÇÕES DO SISAGUA 2017”. SÃO PAULO,
18 DE ABRIL DE 2017.

Participante Unidade
Rosana Camillo GVS I Capital
Marta Virgínia lopes Sanseverino GVS VII- Santo André
Renata Maria C. de Azevedo GVS IX- Franco da Rochs
Margarete N. Reis Marcon GVS X- Osasco
Maria Teresinha Carbello GVS XI- Araçatuba
Samir Duarte David SGVS XI -Andradina
Maria Aparecida Neves GVS XIV- Barretos
Luis Fernando Lapo GVS XV - Baurú
Valdir Alves GVS - Botucatú
João Francisco de Franco GVS XVII - Campinas
Fatima Kezuko Sakuma GVS XVII - Campinas
Edna Maria Baccaro Domingos GVS XVIII Franca
Fernando Pereira Lima GVS XIX - Marília
Luis Francisco Quinzani Jordão SGVS XIX - Tupã
Flavio Busch GVS XX - Piracicaba
Jorge Takeshi Koumegawa GVS XXXI – Presidente Prudente
Paulo Cesar Durante GVS XXII- Presidente Venceslau
Jose Carlos Zambon GVS XXX - Jales
Celso Sinhitsi Tinen GVS XXXI - sorocaba
Mario Edson Adelino SGVS XXXI - Itapetininga
Carmen Fernanda Rodrigues Sozim GVS XXXII - Itapeva
Aparício Cesar Girotto GVS XXXII - Itapeva
Mirian cristina Barbosa C. Oliveira GVS XXXIII - Taubaté
Maria Aparecida Ferreira Custódio CVS - SAMA
Jacqueline Oglouyan de campos CVS - SAMA
Rubens José Mario Junior CVS - SAMA
Enio Santos Silva GVS XXIII - Registro
Marcia Oliveira GVS XXIV – Ribeirão Preto
Luis Antonio Dias Quitério GVS XXV - Santos
Maria leontina Soares dos santos GVS XXV - Santos
Sandra Cristina Balduíno Perrone GVS XXVI – São João da Boa Vista
Elena Hitomi Ueno Ando GVS XXVII – São José dos Campos
Olívio Nunes de Souza GVS XXIX – São José do Rio Preto
Isabel garcia Pereira GVS II – Santo André
Maysa Helena Scalbora SGVS XXIX – Votuporanga
ANEXO II - PROGRAMAÇÃO DA OFICINA "APRIMORAMENTO DAS
INFORMAÇÕES DO SISAGUA 2017”. SÃO PAULO, 18 DE ABRIL DE 2017.

Horário Tema Responsável

09:30 / Apresentação dos participantes Rubens José Mario Jr


09:45 Diretor do GTSAN/SAMA
09:45 / Relatório Anual de Potabilidade da Água Luis Sérgio Osório Valentim
10:00 do Estado de São Paulo 2017: objetivos, Diretor da SAMA/CVS
sumário proposto e o papel dos
GVS/SGS

10:00 / Linha do tempo: Relembrando nossaGrupo Coordenador


10:30 busca por informações para qualificar as
ações do PROGUA

10:30 / A qualidade das informações do Sisagua Coordenação:


11:30 na visão dos GVS/SGVS Luiz Antonio Dias Quitério
GVS XXV Santos

11:30 / Intervalo
11:45
11:45 / Como aprimorar as informações doGrupo Coordenador
13:00 Sisagua (Cadastro, Controle e Vigilância)

13:00 / Encerramento Grupo Coordenador


13:30
ANEXO III - VARIÁVEIS A SEREM CONSIDERADAS NA PARTE 2 DO
RELATÓRIO ANUAL DE POTABILIDADE DA ÁGUA DO ESTADO DE SÃO
PAULO - 2017.

Informação Expressão
Módulo
Variável Agregação Tabela Gráfico Mapa
SISAGUA
Nº de SAA Cadastro Município e GVS/SGVS X X X
cadastrados
Nº de SAC Cadastro Município e GVS/SGVS X X X
cadastrados
Percentual de Cadastro SAA X X
cumprimento do
quantitativo mínimo
de análises (controle)
Percentual de não Controle Município e GVS/SGVS X X
conformidade das
análises de controle
(parâmetros básicos)
por mês e ano
Percentual de não Controle Município e GVS/SGVS X X
conformidade das
análises de controle
(parâmetros
semestrais) por mês e
ano
Percentual de não Vigilância Município e GVS/SGVS X X
conformidade das
análises de vigilância
(parâmetros básicos)
por mês e ano
Listagem das ações / Controle Município X
providências tomadas
para cada resultado
não- conforme das
análises de controle
ANEXO IV - CONTRIBUIÇÕES DOS PARTICIPANTES DA OFICINA "APRIMORAMENTO DAS INFORMAÇÕES DO SISAGUA
2017” PARA EXPLICAR/JUSTIFICAR OS PROBLEMAS E APONTAR POSSÍVEIS SOLUÇÕES.

N Problemas Explicação/Justificativa Soluções


1 Cadastro não atualizado em 2017 - -

2 Ausência de informação no Controle - -


de Qualidade em 2017

3.1 Dificuldade da VISA Municipal para fazer a 1. Capacitar os GVS/SGVS para


validação dos dados do GAL no Sisagua. treinar as VISA Municipais na
validação, elaborando um instrutivo
melhor do que aquele disponível no
site do Sisagua.
3.2 As VISAs Municipais imaginam que a
migração GAL-Sisagua é automática, não
necessitando nenhuma ação além do
cadastro da amostra no sistema.
3.3 Os novos técnicos que entraram nas VISA
devido às eleições municipais não foram
Ausência de informação na Vigilância
3 informados pelos antigos.
da Qualidade em 2017
3.4 A não atualização dos cadastros em 2017
não habilita o módulo Vigilância para receber
informações.
3.5 A Visa Municipal não possui os insumos
necessários para a realização das coletas de
amostras.
3.6 Laboratório de referência para as análises 1. Elaborar informe técnico destinado
de vigilância sem acesso ao GAL. aos GVS/SGVS sobre a situação
desses laboratórios, os prazos para
regularização e os procedimentos a
serem adotados nesse interregno.
ANEXO IV (cont) - CONTRIBUIÇÕES DOS PARTICIPANTES DA OFICINA "APRIMORAMENTO DAS INFORMAÇÕES DO
SISAGUA 2017” PARA EXPLICAR/JUSTIFICAR OS PROBLEMAS E APONTAR POSSÍVEIS SOLUÇÕES.

N Problemas Explicação/Justificativa Soluções


4 Informações cadastrais incorretas / 4.1 O Sisagua não atualiza anualmente a 1. Informar a CGVAM dessa situação
inconsistentes / desatualizadas população dos municípios segundo a e solicitar instruções sobre solução.
estimativa feita pelo IBGE. Isso gera
inconsistência quando o próprio sistema
compara os valores lançados no campo
"número de ligações" com a população
abastecida.
4.2 Os responsáveis pela atualização do
Cadastro se limitam a clicar no ícone
"atualizar", sem, de fato, atualizar as
informações.
4.3 Em SAA localizados em municípios com 1. Elaborar informe técnico
um único CEP, o Sisagua não preenche orientando os GVS/SGVS a instruir
automaticamente o campo "endereço", que as VISA Municipais sobre a
pode ficar em branco. necessidade de os responsáveis
pelos SAA digitarem as informações
no campo "endereço" quando a
localidade tiver um único CEP
5 Informações do Controle de - -
Qualidade desatualizadas / sem
alimentação oportuna

6 Municípios não alcançam a meta 6.1 Incoerência entre a Diretriz Nacional do 1. Elaborar informe técnico
anual lançada no Sispacto mesmo Vigiagua, que compõe o denominador do orientando os GVS/SGVS a instruir
realizando toda a programação de indicador utilizado pelo Sispacto e a as VISA Municipais sobre essa
coletas do PROAGUA Programação Anual do PROAGUA situação.
ANEXO IV (cont) - CONTRIBUIÇÕES DOS PARTICIPANTES DA OFICINA "APRIMORAMENTO DAS INFORMAÇÕES DO
SISAGUA 2017” PARA EXPLICAR/JUSTIFICAR OS PROBLEMAS E APONTAR POSSÍVEIS SOLUÇÕES.

N Problemas Explicação/Justificativa Soluções


7 No módulo Vigilância, em lugar do 7.1 Os equipamentos utilizados pelos
valor do parâmetro "cor", aparece laboratórios da rede Adolfo Lutz registram,
"análise não realizada" mesmo tendo para resultados abaixo de um certo valor, a
sido feita. notação "< que” (menor que). Essa forma de
expressão não é interpretada pelo GAL, que 1. Elaborar informe técnico aos
informa " análise não realizada" para o GVS/SGVS sobre a situação, os
Sisagua. prazos para regularização e os
procedimentos a serem adotados
8 Nos SAA operados pela Sabesp, o 8.1 O webservice não consegue transferir nesse interregno.
valor do parâmetro "flúor" lançado no para o SISAGUA valores no intervalo 0,6 a 0,8
módulo Controle não corresponde mg/L, utilizando o VMP para o fluoreto (1,5
àquele definido pela norma mg/L).
nacional/estadual.
9 Campo "Responsável Técnico" no 9.1 Não há espaço no Sisagua para informar 1. Fazer gestões junto à CGVAM
Sisagua preenchido com a opção qual a formação do Responsável Técnico da para abrir um campo que permita
"outros", sem definir se o profissional categoria "outros". especificar a formação do
está habilitado para a função Responsável Técnico da categoria
"outros".
9.2 A nova Resolução SS 65/2016, ao definir 2. Incluir no anexo IX da Portaria
que o cadastro será feito mediante CVS-4/11 a exigência de que o
preenchimento dos dados diretamente no profissional responsável pelo
Sisagua, extinguiu a necessidade de informar SAA/SAC apresente uma declaração
o Responsável Técnico previsto no Anexo I da do conselho profissional ao qual está
resolução anterior (SS 65/2005) vinculado informando que está
habilitado para a função.