Você está na página 1de 408

O Cão de Competição Completo

Um Guia Para Criar e Desenvolver O Pit Bull Terrier


Americano
Por Ed & Chris Faron
O CÃO DE COMPETIÇÃO COMPLETO
Um guia para criar e desenvolver o Pitbull terrier Americano
Dedicatória
Este livro é dedicado ao finado Jim Bailey, que foi uma grande personalidade do Canil
Wildside no começo, mas que, infelizmente, nunca viveu para ver o resultado de seu
esforço, e também a “Old Rock” e “Pete”, os dois velhos guerreiros que foram nossos
primeiros bulldogs, e incentivando-nos a admirar o pitbull terrier americano criado para
competição, eles tornaram possível tudo o mais que se seguiu, incluindo tudo que está
escrito neste livro.

Aviso

As histórias e entrevistas na Parte 1 deste livro são pura ficção, publicadas unicamente
com o objetivo de entreter o leitor. Nomes, lugares e incidentes são usados fictíciamente
e qualquer semelhança com pessoas reais e eventos são pura coincidência. Nada deste
livro pretende encorajar ou apoiar qualquer atividade ilegal de qualquer tipo ou violar o
Ato de Bem estar dos Animais de 1976 ou as leis federais.

Nos vários capítulos da parte 2, nós usamos nomes comerciais de produtos como
medicamentos e equipamentos para descrevê-los; o uso de marcas registradas não é para
fazer propaganda de um produto específico, nem sugerir que produtos similares
vendidos com outros nomes são inferiores.

Uma vez que estes avisos foram dados, esperamos que vocês aproveitem este livro e
que o considerem útil e informativo.
Introdução

Eu comecei a me interessar por cães em Cleveland, no começo dos anos 70. Eu estava
administrando uma loja de animais no mercado na época e acabei criando, treinando e
expondo dobermanns. Por causa do meu interesse em criações grandes, eu estoquei uma
boa seleção de guias, coleiras e armaduras e isto atraiu muito a fraternidade de criadores
de bulldog do local. Naquela época, não havia muita atenção focada na briga de cães,
então era uma coisa comum os caras trazerem seus cães à loja de animais com notícias
frescas dos rolos do último fim de semana.

Um desses caras era o finado Scott Cornute, que era conhecido como Scotty C. no jogo
de cães e possuía Ch. Reno, um bom cão de competição filho de Tombstone e Precious.
Alguns dos outros eram Fat Gary, Terry Powell, Walter Scott, e os Gêmeos. A maioria
dos seus cães era originada de Josh Hill e tinham o sangue do velho Red Devil.

O meu emprego na indústria de animais me obrigou a me mudar primeiro para Ontário,


então Columbia Britânica, e por fim para a Califórnia. Enquanto eu estava no Canadá,
eu me encontrei com o finado Dave Gardiner. Eu sempre tive alguns cães comigo
durante aquela época. Estava ativamente envolvido em criar e desenvolver meus cães, e
até mesmo acasalar alguns da criação, mas eu não estava em condições de estabelecer
um canil por causa das minhas freqüentes mudanças.

Em 1987 eu decidi que eu estava com a vida feita e resolvi fazer dos buldogues a
prioridade da minha vida. Eu saí do meu emprego de administrador da loja de animais,
vendi quase tudo que eu tinha, e em abril de 1987 fiz uma jornada através do país para a
Carolina do Norte com os poucos pertences que eu podia acomodar dentro de um fusca.
Eu despachei minha cadelinha Rose na frente, e viajei com um macho preto e branco
chamado Buck. Este era para ser o começo do canil Wild Side.

Os dois anos seguintes foram tempos difíceis para mim. Eu tive que me mudar várias
vezes por causa dos vizinhos, que não queriam viver perto de um quintal cheio de
pitbulls, e eu passei o inverno em uma cabana de madeira que não tinha aquecimento e
tinha água apenas na cozinha; foi o inverno mais frio da década na Carolina do Norte e
eu tive que pregar cobertores nas paredes do meu quarto para manter a neve do lado de
fora. O pior veio em Abril de 1989 quando o meu quintal foi invadido e eu fui acusado
de organizar brigas de cães.

Naquele mesmo mês em que eu tinha começado a vida com os buldogues, uma
veterinária de Toronto comprou seu primeiro filhote de pitbull. Nossos caminhos
estavam para se encontrar (pouco depois de minha condenação por uma acusação de
luta de cães) quando Bob Stevens me apresentou a ela. Ele disse que conhecia uma
mulher que era “maluca como eu” e que ele achava que éramos perfeitos um para o
outro. Ele me deu o telefone dela e depois de muitas cartas e telefonemas Chris e eu
finalmente nos encontramos pessoalmente , em novembro de 1989. Um mês depois
estávamos casados.
Eu queria começar contando como eu comecei a criar cães, e como o canil Wild Side
passou a existir, mas não se preocupe , esta não vai ser mais uma autobiografia sobre os
buldogues. Há muitos outros livros como este por aí e uma vez que nós já tínhamos
aproveitado todos eles, quisemos fazer algo diferente. De fato, há duas partes neste
livro. No livro 1, incluímos uma coletânea de histórias e entrevistas sobre pitbulls e
criadores. Algumas destas foram publicadas em várias revistas sobre buldogues, e
outras são inéditas. Nós esperamos que você se entretenha e aproveite estas histórias,
mas elas não são a razão de ter escrito este livro. A parte mais importante está contida
nos onze capítulos do livro 2.

O subtítulo deste livro é “um guia para criar e desenvolver o pitbull terrier americano”
e expressa nosso objetivo em escrever este livro. Alguns anos atrás, nós
recomendávamos alguns dos vários livros sobre nossa criação às pessoas iniciantes, e
muitas dessas pessoas, depois de ler os livros, disseram “O livro foi ótimo! Eu adorei,
mas esperava que ele me ensinasse a criar os meus cães.” Nós tivemos a inspiração para
fazer algo que acreditamos nunca ter sido feito. Nós queríamos escrever um livro que
abrangesse todos os aspectos da criação de buldogues – um livro que os criadores
iniciantes de pitbull poderiam usar como referência para ajuda-los a criar e cuidar de
seus cães, ainda que eles não tivessem acesso a qualquer outra informação além deste
livro. Nós sabemos que nós mesmos poderíamos ter sido beneficiados se tivéssemos
pelo menos um livro quando começamos.

As histórias e as entrevistas do livro 1 são sobre pessoas e cães de jogo. Alguns de seus
temas são claros. Alguns de vocês que são contra brigas de cães podem achar de mau
gosto ou ofensivo, mas como o título do livro implica, este livro é sobre o cão de
competição. Esperamos que você seja capaz de deixar o preconceito de lado, assim
como acreditamos que há um pouco para cada um neste livro. Se você não gosta de ler
sobre briga de cães, apenas ignore o livro 1. Nós também incluímos duzentas figuras de
nossa coleção assim como fotos mandadas para nós dos criadores ao redor do mundo,
alguns pedigrees importantes de cães da atualidade, assim como uma lista extensiva de
fontes para conseguir informações e livros sobre buldogues, não apenas de nossa
criação, mas sobre cães em geral.

O livro que você tem nas mãos é o resultado de cinco anos de trabalho duro, tentando
pôr em uma forma fácil de entender tudo que Chris e eu aprendemos em nossos anos no
negócio. Isto inclui conhecimentos de pesquisas sobre todos os livros e periódicos que
pudemos obter, dicas de outros criadores de sucesso, e coisas que aprendemos do “jeito
mais difícil”, ou seja, tentativa e erro. Esperamos ter conseguido sucesso neste esforço –
que os leitores achem este livro útil, informativo e que todos vocês apreciem lendo este
livro, assim como Chris e eu apreciamos escrevê-lo.

Ed Faron
19 de Abril de 1995
O CÃO DE COMPETIÇÃO COMPLETO
LIVRO UM
Capítulo 1 – A prisão
Tudo começou às quatro e meia ou cinco da tarde de sábado, vinte e três de abril de
1989. O meu parceiro Jim Bailey estava alimentado os cães e limpando em volta de suas
casas, e eu estava parado no degrau da frente de nosso trailer com uma cerveja “coors”
(minha quarta daquela tarde) na mão. Depois disso, tudo que vi foi que o inferno correu
solto.

Uma camionete branca entrou no quintal com um punhado de outros veículos atrás; as
portas da camionete abriram e um grande esquadrão SWAT apareceu, como aquelas
coisas que só se vê na TV.

“ - NO CHÃO!”

“ - O que?” disse eu, confuso, e antes de ter tempo para ver o que estava acontecendo,
eu fui jogado no chão por um policial, outro espetou uma M16 na minha cara e um
terceiro estava pisando na minha nuca.

Wild Cherry, uma cadela grande e amarela, filha de Garner Ch. Chinamom ROM,
estava acorrentada na porta dos fundos a poucos metros de onde eles me mantinham
preso, e ela estava rosnando para eles enquanto me levantavam e me algemavam. Ainda
que estivesse numa corrente e todos tivessem armas, todos estavam aterrorizados com o
cão e repetiam que iriam atirar nela se ela não se calasse, a despeito de minha
explicação de que ela estava apenas tentando proteger seus filhotes de uma semana na
casinha, e não poderia alcança-los porque estava acorrentada.

Eles me puxaram para uma das viaturas e me jogaram no banco de trás. Enquanto isso,
Jim Bailey estava limpando o cercado de Levi quando eles gritaram para ele deitar no
chão. Levi era um cão de 9 anos filho de Wood‟s Snooty e adorava pessoas, ele estava
excitado por toda aquela comoção e de alguma forma enrolou sua corrente em torno do
tornozelo de Jim, e começou a arrasta-lo em círculos. Jim estava gritando “alguém tire
este cão maldito da minha perna!”.

Eles conseguiram separar Jim e Levi e puseram Jim em outra viatura. Um dos veículos
que acompanhavam o carro da SWAT era da rede de notícias local, e estiveram
filmando tudo. Aquela noite, uma das coisas que eles mostraram foi Jim Bailey caído no
chão, balançando a cabeça e resmungando. O que ele estava dizendo era: “isto não faz
sentido, ser preso na tarde de domingo enquanto limpava cocô de cachorro!”.

Assim que me sentei algemado na viatura, o SBI vasculhou o interior do trailer


procurando drogas e “parafernália de briga de cães”, e carregando nossos pertences em
caixas. Quando eu digo que eles revistaram o lugar, eu quero dizer literalmente – eles
derrubaram coisas das prateleiras no chão, arrancando gavetas e jogando o conteúdo em
uma pilha, destruindo o lugar em geral. Muitas das coisas que tínhamos foram
danificadas ou perdidas por eles.

Outra viatura apareceu no quintal e eu fiquei surpreso de ver Roger H. sentado,


algemado no banco de trás. Roger acenou um alô e nós dois ficamos ali, esperando para
ver o que acontecia. Eu fui o último a descobrir que Roger estava sentado em sua sala
vendo TV com seus três bebês quando a SWAT entrou em sua casa com M16s, gritando
com ele e o jogando no chão, aterrorizando suas crianças.

Dois veículos do Controle de Animais entraram no quintal e os oficiais começaram a


prender meus cães com bastões de segurança, tirando-os de suas correntes e
embarcando em compartimentos nos dois veículos. Um dos tiras veio ao carro onde eu
estava e perguntou se havia cães que podiam ser postos na mesma gaiola, porque os
furgões tinham poucos compartimentos.

“Não”, eu disse. “Eles iriam brigar”.


“E quanto a estes filhotinhos pretos aqui?” ele perguntou, apontando Miss Rufus, filha
de Hargrove‟s Rufus, e June Bug, uma cadela filha de Norman‟s Ch. Junior. Eu
expliquei que aqueles não eram filhotes, mas sim cães pequenos adultos e que eles iriam
brigar se fossem postos na mesma gaiola. Ele acenou e foi embora.

Menos de cinco minutos depois eu assisti estupefato enquanto os oficiais do Controle de


Animais colocavam primeiro Miss Rufus, e depois June Bug, para o mesmo
compartimento e fechavam a porta. Demorou trinta segundos para o inferno acontecer
dentro daquela caixa. A traseira da camionete começou a sacudir, e eu estava
francamente batendo a cabeça no vidro do carro da polícia, tentando chamar a atenção
de alguém enquanto as cadelas se matavam lá dentro.

Alguém diria que depois de todos esses anos a auto-intitulada “Sociedades Humana”
tem confiscado nossos cães para evitar o que eles chamam de “crueldade” animal; eles
deveriam primeiro aprender a separar “humanamente” dois buldogues brigando.
Quando alguém finalmente notou a confusão acontecendo, os oficiais puxaram as duas
cadelas (que estavam atracadas e lutando violentamente) para fora do furgão pelas
pernas traseiras, e as separaram – causando muito mais ferimentos com isso que as
cadelas poderiam causar uma à outra. Então eles jogaram as duas cadelas
ensangüentadas em compartimentos separados e continuaram a carregar o resto dos
cães.

As escapadas de Mean Jolene aquele dia foram descritas na sua própria história, mas
basta dizer que ela deu a seis oficiais armados e treinados um motivo para fazer valer
seu salário.

Wild Cherry e outra cadela, Wood‟s Dee, ambas tinham filhotes de uma semana, filhos
de Ch. Junior e estavam eriçadas, tentando protege-los. Isto fez com que fossem
alvejadas com dardos tranqüilizantes, presas com bastões de segurança e puxadas de
suas casas com seus filhotes. Todos os filhotes morreram no abrigo de animais e Wild
Cherry pegou um tipo de infecção que a deixou cega de um olho.

Quando eles me jogaram no carro, puseram um mandato de prisão no meu bolso que
dizia que eu fui preso por luta de animais e crueldade com os animais, baseado na
informação de um anônimo. Assim que me sentei, tentei imaginar quem era o
informante. Durante as semanas seguintes e o julgamento que se seguiu, eu fui capaz de
descobrir como a denúncia aconteceu.Tudo começou alguns meses antes com o meu
novo emprego.
Eu estava trabalhando em uma companhia como diretor assistente em Burligton,
Carolina do Norte, mas sentia necessidade de voltar para o ramo de animais, em que
estive desde 1971 até fevereiro de 1987. Durante aquela época, eu estive envolvido em
várias coisas diferentes, incluindo vendas e treinamento de cães, e também era
representante de vendas de uma grande companhia de suprimentos de animais e
representante de um fabricante de suprimentos para aquários e animais na Califórnia.

Eu tive uma entrevista com o dono de uma cadeia de pet shops na Carolina do Sul e na
Virgínia, e após passar três horas com ele eu ganhei o cargo de coordenador de
treinamento de toda a cadeia.

Foi um sonho que se tornou realidade, depois de todas as dificuldades que eu passei nos
anos anteriores, parecia que finalmente as coisas estavam dando certo na minha vida.
Tudo foi ótimo nas primeiras semanas. Eu passei uma semana na loja de Cary e a
segunda na loja de Burlington.

Naquele momento, o retorno do escritório central foi excelente, e os diretores estavam


muito felizes com o que eu tinha conseguido em tão pouco tempo. Na terceira semana
eu estava trabalhando com a loja de Greensboro. O diretor da loja me apresentou a todos
os empregados no dia em que eu cheguei e mencionou, durante sua apresentação, que eu
criava pitbulls.

Mais tarde, nesse dia, um empregado chamado Larry Moore se aproximou de mim; ele
me disse que era realmente interessado em pitbulls. Ele também disse que ele e sua
mulher estavam planejando tomar conta de alguns filhotes que eles tinham visto
anunciados no jornal local, e tinham anteriormente adquirido um pitbull da Guilford
County Humane Society, mas tiveram que devolvê-lo dois dias mais tarde porque ele
mordia gente.

Durante a tarde sempre que ele tinha um momento livre, Larry ficou falando comigo,
perguntando-me tudo sobre pitbulls e me contando o quanto ele desejava aprender sobre
eles. Ele pareceu um cara bastante simpático, então eu disse para ele, "Olha, se você
realmente deseja um pitbull você não tem que comprar pelo jornal; por que você e sua
esposa não dão uma olhada nos meus cães? Eu tenho uma cadela velha que necessita de
uma boa casa, e se você quiser leva-la e dar-lhe um bom lar, talvez nós possamos pensar
em alguma espécie de acordo em um filhote”

A cadela a que eu estava me referindo era J.Carver's Tootsie, onze anos de idade, filha
de Carver's Hard Rock e Long's Georgia Girl (e portanto uma filha direta de Carver's
Miss Spike). Tootsie não podia mais se reproduzir, tinha um dente enterrado na cabeça,
e estava tão castigada pela artrite que dificilmente conseguia andar. Eu imaginei se ela
tivesse um lar simpático, como um animal de estimação, com muita dedicação, ela
podia ao menos desfrutar o que restava de sua vida. Em troca, Eu poderia dar eles um
filhote macho, que eu poderia treinar quando ficasse mais velho.

O cara ficou todo animado sobre isto; ele ficou de vir à minha casa com sua esposa no
dia seguinte, mas ligou e disse que eles tinham um jantar de noivado marcado com seus
pais ao qual eles não podiam faltar. A razão real, Eu mais tarde descobri, foi que ele
passou aquele dia inteiro na Sociedade Humana Guilford County com Louise Puckett, a
investigadora- chefe de crueldade com os animais naquela época.
A história que ele tinha me contado sobre conseguir um Pitbull da Sociedade Humana
era aparentemente verdadeira, mas o que ele não tinha mencionado para mim foi o
poster que ele tinha visto enquanto ele esteve lá, oferecendo mil dólares de recompensa
- por convicção- para qualquer informação conduzindo à prisão de criadores de cães de
briga. Evidentemente, quando me encontrou, ele imaginou que tinha encontrado um
bilhete de loteria. Sra. Puckett o ajudou a preparar uma armadilha para mim, lembrando
a ele que a recompensa era por convicção, portanto, para ele, era vantagem envolver o
máximo de gente possível.

J. Carver's Tootsie, uma filha de Carver's Miss Spike, 11 anos de idade

Larry Moore e sua esposa vieram no Domingo seguinte; já que o trailer onde Jim e Eu
vivíamos com nossos trinta cães não era fácil de encontrar, eu dei a ele as coordenadas
para um armazém muito próximo e combinei de encontrar ele lá, e depois voltei com ele
me seguindo. Ele iria mais tarde testemunhar no tribunal que eu o encontrei lá para leva-
lo para uma luta de cachorros.

Depois que eu mostrei a eles todos os cães, eles disseram que realmente gostaram da
velha Tootsie. Eu disse que eles podiam leva-la pra casa e que eu poderia também dar a
eles um pequeno filhote macho que eu tinha lá, chamado Bam-bam, filho de Doc
Whitley's Stubby Red e da cadela de Jim Bailey, Autumn. Eles disseram que seria
ótimo, e Larry disse que voltaria na Quarta-feira para buscar Bam-Bam.

Ele perguntou sobre livros que ensinassem a criar pitbulls, e eu concordei em emprestar
a ele um par de livros que eu tinha. Ele veio para dentro o trailer comigo para pegar os
livros, que ele disse que traria de volta quando viesse pegar Bam-bam, na Quarta-feira.
Enquanto ele esteve no trailer ele viu nossa esteira, que eu expliquei que estive
utilizando para exercitar os cães.

Quando ele voltou para pegar o outro cão, ele não apenas trouxe com ele os livros que
ele tinha pedido emprestado, mas duas bolsas de cinqüenta libras de comida de cão que
ele disse que tinha trazido como um presente. Jim começou a rir quando ele viu a
comida de cão e disse, "Aquele rapaz†é gente boa, ele trouxe-nos comida de cão e
tudo!".

Depois disto, Larry seria um cara regular no pedaço, ele viria à minha casa duas ou três
vezes por semana. O que nós não sabíamos era que, a cada vez que ele deixava nossa
casa, ele ia diretamente à Sociedade Humana com histórias completamente fictícias
sobre o que tinha acontecido durante cada visita. Agora eles tinham também o Serviço
de Investigação Estadual (SBI) envolvida no caso.
Um bom exemplo foi o dia que ele voltou para pegar Tootsie. Eu tive que ir trabalhar
cedo aquela manhã e tinha dito a ele que era melhor vir mais cedo para pegá-la porque
eu tinha de sair para o trabalho. Eu a coloquei dentro uma caixa para ele, ajudei-o a
coloca-la dentro do seu carro, e ele foi embora - isso é exatamente o que aconteceu. Mas
o que ele disse ao SBI e Sociedade Humana foi que eu tinha tirado Tootsie de sua
corrente e que ele teve de segura-la enquanto eu pegava um macho de dezoito meses,
que pesava cinqüenta libras, e tirava sua coleira, dizendo 'Olha, ela pode ser velha, mas
veja só o que ela pode fazer' e então deixado Tootsie matar o cão, em apenas dez
minutos.

Ele também disse a eles que depois eu joguei o cadáver do jovem cão sobre um barril e
disse a ele que ia corta-lo para alimentar aos outros cães mais tarde, para aumentar seu
desejo de sangue.

Um Domingo, Larry apareceu enquanto Jim Bailey, Roger H. e eu estávamos ocupados


cercando nosso quintal e ofereceu-se para nos ajudar. Nosso prefeito tinha pedido para
nós fazermos isto - não para impedir os nossos cães de sair, mas para impedir os cães
dos vizinhos de entrar, porque alguns dos vizinhos tinham se queixado. Algum tempo
mais tarde, Paul H. chegou e nós todos passamos o resto da tarde cercando a
propriedade inteira, bebendo cerveja, falando besteira, e nos divertindo.

Paul tinha um grande cão chamado Sparky; ele era um cão feroz, realmente rude que
poderia realmente morder, mas não era na verdade um cão de briga. Ele foi o primeiro
bulldog que Paul teve e era seu animal de estimação. Eu estava brincando com Paul
naturalmente sobre Sparky, e o desafiei de brincadeira com um cão que eu tinha,
chamado Petey. Petey era um filho grande e preto de Ch. Chinamon que teve seus
dentes destruídos mordendo pedras. Eu acredito que o que eu disse ao Paul foi, "por que
você não traz Sparky e nós daremos a Petey um treinamento?" Ou alguma coisa do tipo.
"Você vão pôr alguns cães para brigar, caras?" Larry perguntou, todo excitado, e nós
apenas dissemos “talvez sim, talvez não”.

Depois de umas poucas cervejas mais, Larry começou a nos importunar, dizendo que
ele achava que nós estávamos brincando com ele sobre nossos cães serem de briga
porque Bam-bam (o filhote que eu tinha dado a ele e que estava agora com nove meses)
não poderia lutar de jeito nenhum e apenas brincava com os outros cães que passeavam
no quintal.

Nós explicamos para ele que BamBam era somente um filhote, mas ele finalmente nos
desafiou pegando o velho Levi, solto de sua corrente, andando com ele até um par de
cães jovens no quintal, e deixando ele rosnar na sua frente. O primeiro filhote somente
brincou, mas o segundo foi pra cima de Levi e o agarrou pelo rosto. Nós imediatamente
os separamos e colocamos Levi de volta na coleira. Isto pode não ser a coisa a mais
inteligente do mundo para fazer, mas isto certamente não foi o crime do século.

Larry foi direto para a Sociedade Humana e à polícia estadual depois de sair de nossa
casa naquele dia e contou a eles que ele testemunhou quatro lutas de cachorro que
duraram trinta minutos cada uma, nas quais os cães ficaram muito feridos. Foi idéia da
Sociedade dizer que “nossos cães não brigariam e que ele não achava que eles fossem
criados para lutar”, para nos pegar no ato de mostrar a ele alguns cães lutando.

Wood (Elliette's) Dee, uma cadela da linhagem Rascal treinada para briga. Esta foto
foi tirada uma semana antes dela ter filhotes de Ch. Junior e duas semanas antes da
prisão.

Ele também disse a eles que nós íamos ter uma grande convenção de briga de cachorros
Domingo, e baseados no que ele tinha dito sobre esta grande mentira, a Sociedade
Humana e o Serviço Estadual de Investigação fizeram as preparações para organizar
uma grande operação durante nossa “convenção” de briga de cães.

Na verdade, eles realmente quiseram esperar, para obter mais criadores de cão de briga
do local envolvidos, antes de planejarem a prisão, mas o dedo-duro estava realmente
incentivando a eles. Ele disse que eu era uma pessoa muito violenta e que sua vida
estava em perigo. A verdade, provavelmente, era que ele estava ficando impaciente para
pegar o dinheiro da recompensa.

Nós vimos Larry uma vez mais antes da prisão; ele apareceu em nossa casa na Terça-
feira com um Dobermann Pinscher grande. Bailey saiu do trailer, olhou o Dobermann e
disse, "O que você está fazendo com este come-bosta?" (para Jim, qualquer cão que não
fosse um pitbull era um come-bosta).
"Este cão não vale nada e eu não o quero mais. Por que você não deixa um de seus
pitbulls matar ele?" Larry respondeu.

Isto também foi algo que a Sociedade Humana tinha dito a ele, para tentar obter mais
evidências contra nós - evidentemente, em sua determinação para prender algum criador
de cachorro “cruel, sem coração”, eles mesmos pensaram em sacrificar o Dobermann
com uma morte horrível.

Nós dissemos a ele que não, que nós não poderíamos fazer isso, e ele disse, "vamos, eu
vou matar o cão de qualquer modo, por que você não deixa o"Stabber" lá comer ele?"
Eu disse a ele que fazer alguma coisa como aquela que seria muita crueldade, e recusei.

Bailey pode não ser a melhor pessoa no mundo, mas até mesmo ele disse a larry para
tirar o cão da nossa propriedade, dizendo, "este cão maldito pode latir tão alto que eles
escutariam lá na Prefeitura!".

"Bem, eu acho que então eu apenas colocarei a cabeça dele presa pra fora da janela do
carro e deixarei ele ser decepado por alguma coisa, porque eu não alimento mais este
filho-de-uma puta!" Larry disse, e saiu. Bailey e eu comentamos entre nós que cuzão
estúpido o cara era, mas eu não pensei mais nisto.

Larry me ligou depois naquela semana, desejando saber “se estava tudo em cima para
Domingo” e Eu disse a ele que Paul e eu tínhamos somente brincado e não íamos
realmente colocar quaisquer cães para brigar, e eu cortei o papo. Ele tinha realmente
virado um imbecil, e eu estava triste por ter convivido com ele - É claro, não tão triste
como eu estaria em alguns dias!

Por causa do que o dedo-duro tinha dito a eles, que eu era perigoso, estava armado e era
um grande traficante de cocaína, assim como um criador de cachorros de briga, a polícia
entrou na minha propriedade com um esquadrão S.W.A.T. inteiro e apoio aéreo. Eles se
puseram em posição na manhã de Domingo bem cedo, e mantiveram o lugar sob
vigilância aérea, prontos para entrar, tão logo a grande “convenção de briga de cães”
começasse.

Eles tinham realmente saído em grupo, pois esta prisão inteira foi baseada no que Larry
Moore tinha dito a eles. Como ainda não tinha havido nenhuma briga de cães à noitinha,
eles não podiam abortar uma operação tão grande e voltar de mãos vazias; eles já
estavam comprometidos eles mesmos com esta prisão. Eles entrariam de qualquer
modo, esperando encontrar evidências bastantes para justificar a operação.

Por mais de duas horas, Eu sentei lá naquele carro de polícia, em estado de choque,
enquanto eles reviraram meu trailer, carregaram todos os meus cães e os levaram
embora, e acabaram com a minha vida. Finalmente, depois que o último dos cães foi
embora, eu fui levado para a Cadeia do Condado de Alamance. Jim e Roger já tinham
sido levados, fichados, interrogados e trancados. Tão Logo eu cheguei lá eles me
levaram para dentro de uma sala e começaram a me interrogar.

Foi como um circo; a operação inteira tinha sido centralizando em nos pegar com luta
de cães - isso foi a causa pela qual o mandado tinha sido emitido. Lá não tinha havido
nenhuma luta. Todo que eles tinham era a informação do delator, que realmente não era
muito, assim seu plano era me desmoralizar completamente, e ameaçaram matar todos
os meus cães, para me forçar a entregar os outros criadores de cães da área.

Por Exemplo, enquanto eles me mantiveram na sala de interrogação eles estavam


cochichando entre si, dizendo: “Ei, fez você viu o jogo ontem à noite?” Então eles
ficavam me olhado feio e um deles disse para mim, “Eu Tenho Certeza você é
interessado em outras coisas que você considera 'esporte' - como deixar dois cães se
matarem”.

Eles continuaram me dizendo repetidas vezes que a menos que eu cooperasse com eles,
meus cães seriam todos mortos. Se eu dissesse a eles o que eles desejavam saber, Eu
sairia facilmente e meus cães poderiam ser devolvidos sãos e salvos. Muitas vezes eles
me perguntaram sobre outros criadores do local, dizendo: “Você conhece Fat Bill?”,
“Você conhece Boone e Jam?” - Havia muitos outros que eles perguntaram, também.
Eu continuei dizendo não, eu tinha nunca ouvi falar de qualquer destas pessoas, e então
eles gritavam comigo É mentira! E começava tudo de novo.

Eles martelaram a minha cabeça com estas perguntas por aproximadamente duas horas,
finalmente desistindo depois que eu comecei a jogar aqueles jogos mentais de volta
sobre eles. Eles continuaram perguntando 'se eu não estava botando cães para brigar,
por que eu tinha tantos deles?' Assim eu comecei a contar a eles minha história - como
eu tinha visto meu primeiro Pitbull quando eu tinha uma loja de animais de estimação
em Cleveland, e como os criadores da cidade traziam seus cães para comprar armaduras
e correias, e como eu tinha ficado impressionado com o temperamento destes cães
porque eles estavam todos arranhados e pareciam claramente ter lutado, mas ainda
assim eram gentis com pessoas - e tal e coisa até que, finalmente, depois de quarenta e
cinco minutos, um dos policiais disse para me calar e disse ao outro tira para me tirar
logo lá de dentro.

Eles tomaram todas as minhas roupas e deram-me um macacão peça-única e um par de


sandálias disponível. Eu fui presenteado com um travesseiro com uma fronha de papel,
um cobertor grosseiro, que cheirava como uma meia suja, e uma esteira enrolada de
espuma de uma polegada de espessura que eu logo descobri que era meu colchão.

Eu perguntei ao representante do xerife que estava me checando se ele tinha visto meu
amigo Jim (Eu estava realmente preocupado sobre como Bailey tinha aceitado o fato)
então ele riu e respondeu, “Ah, sim”, ele pareceu realmente interessado. “Ele perguntou-
me se ele ia ficar em uma cela particular ou em um dormitório grande, e quando eu
disse a ele que ele teria sua própria cela ele me olhou aliviado e disse „bom - então eu
não terei que dormir de costas a noite toda”!

Ele pegou uma prancheta pendurada na parede. Ela tinha uma folha que eu acho que era
alguma espécie de lista; Eu vi os nomes do Roger e Jim nela e perguntei se eu podia ser
preso no mesmo bloco que meus amigos. Ele encolheu os ombros e disse “Claro”.

Nisto o telefone tocou e ele atendeu; Eu escutei ele dizer “Faron? Sim, Eu estou com ele
aqui mesmo. Oh, O.K., nenhum problema.” Assim que ele desligou o telefone ele
colocou a ficha de volta na parede e pegou outra diferente.
Eu me vi em um bloco da prisão onde eu era a única pessoa branca, e eu acho que isto
era apenas mais uma forma que eles estavam tentando de bagunçar com minha cabeça.
O assistente me levou para minha cela, que era um cubículo pequeno com um banheiro,
uma cama de metal e uma porta fechada atrás de mim.

Wild Cherry poucos meses antes da prisão. Nesta época, ela tinha boa disposição com
as pessoas, mas depois da prisão ela passou a detestar estranhos.

Eu subi na cama e tentei dormir um pouco, mas minha mente estava girando. Eu estava
pensando “É isto. Minha vida está terminada”. Eu não tinha nenhuma idéia de onde
meus cães foram parar ou do que ia acontecer com eles. Eles tinham me dito que se eu
não denunciasse os outros criadores de cães sobre os quais eles tinham me perguntado,
eles iam matar todos os meus cães. Eu não tinha nenhuma intenção de fazer isto, assim
eu imaginei que meus cães estivessem mortos. Finalmente, de algum modo eu desliguei
para dormir.

Na manhã seguinte, quando eu acordei, o bloco inteiro estava animado, com vários
caras cantando músicas do Motown. Eu apenas me sentei na beira de minha cama com
minha cabeça entre minhas mãos. As portas estavam todas abertas e, de repente, eu
escutei uma voz familiar.

"Ei - este é meu homem!"

Eu pensei “que inferno será isso...?” E escutei a mesma coisa outra vez: “Este é meu
homem! Ei, o que está acontecendo, cara?”.

Eu me voltei e vi um cara cuja publicidade eu repassava quando trabalhava para a


companhia de aluguel. Seu nome, ironicamente, era Woodrow Wilson.

Naquele instante alguns outros caras rondaram minha cela. Woodrow Wilson disse a
eles, “este é o sujeito que pegou meu VCR”, e então se voltou para mim e disse, “você
era um grande homem naquela companhia de aluguel, não era? Bem, você não é bosta
nenhuma aqui!” E então gargalhou.

No café da manhã, eu já tinha atingido a condição de celebridade. Os outros colegas me


perguntavam por que eu estava preso e quando Eu disse a eles, ficaram todos animados.
Assim que acabou, a nossa prisão tinha sido a conversa da cadeia inteira no dia anterior,
pois todos tinham visto as preparações sendo feitas e a equipe da S.W.A.T. se juntando
em frente da cadeia na manhã de Domingo, esperando para agir. Eles tinham imaginado
que algum grande traficante de drogas estava sendo preso naquele dia, pelo que eles
viram.

Quando nós todo nos sentamos para o café da manhã, Eu notei que havia um cara
grande sentando próximo a mim. Ele devia pesar acima de trezentas libras. Seu nome
era Bubba, e todos na mesa estavam alimentando a ele. Eu estava sentado lá, beliscando
minha comida, quando eu escutei uma voz muito grave próximo a mim que dizia, “Ei!
Você vai beber seu suco?”.

Eu respondi, "Não" e ele disse "posso pegar?" Eu disse a ele para ir nessa, e a próxima
coisa que eu soube foi que Bubba estava tentando filar toda minha comida. Eu não
estava com muita fome, de qualquer maneira.

Depois que o café da manhã terminou, todos queriam sentar e conversar sobre pitbulls,
contando histórias sobre quem eles conheciam que tinha um pitbull, e coisas assim. Eu
acredito que eram onze horas quando um dos carcereiros veio à porta do nosso bloco de
celas e gritou "Faron! Sua fiança foi paga!" Eu vim voando de lá o mais rápido que
pude, carregando meu colchão e meu travesseiro (eles fazem você carregar todas essas
coisas com você quando você entra).

Eles me deram de volta as minhas roupas, minha carteira e tudo, e quando eu saí de lá a
primeira coisa que eu vi foi Tom Garner, rindo de um ouvido ao outro e agitando sua
cabeça. Eu tinha ligado pra ele na noite anterior quando eles me deram o tradicional 'um
telefonema', e ele tinha vindo me afiançar e a Jim Bailey. Um momento depois, Jim
apareceu, e as primeiras palavras que saíram de sua boca foram "maldição! Preso por
luta de cães, e nós nem mesmo fizemos lutas de cães! E Tom Garner começou a rir.

A esposa de Roger Hellard, Alice, já tinha afiançado a ele, e nós todos nos dirigimos
para sua casa. Tom disse a nós que a primeira coisa nós necessitávamos era obter um
bom advogado. Roger disse que sabia o nome do melhor advogado criminal na cidade;
vários amigos deles tinham sido presos por várias coisas (sem relação com cães) e eles
sempre utilizavam este advogado. Nós o contatamos e fizemos os preparativos para
encontra-lo no dia seguinte.

Até então, nós não sabíamos direito quem foi o dedo-duro, mas depois nós fomos
colocados lado a lado e tudo apontava para o Larry Moore. Ele foi o único que estava
pendurado ultimamente e era novo no grupo. Isto foi confirmado mais tarde, naquele
dia, quando Paul Harden veio. Ele esteve em todos os abrigos de animais aquela manhã,
antes de nós sairmos da cadeia, e ele tinha visto Larry Moore em um deles com um
punhado de agentes do SBI, apontando alguns cães diferentes, para eles. Ele não viu
Paul.
Paul tinha visto a maioria dos cães, e disse a nós como eles estavam. Alguns deles
estavam realmente assustados, por exemplo, a pobre Garner's Ronnie foi arrastada na
quina de sua guia de concreto e se machucou. De qualquer modo, Paul nos deu um
relatório completo de sua ida aos abrigos de animais, incluindo o encontro com o dedo-
duro em um deles.

Nós nos encontramos com o advogado no dia seguinte; ele disse de quanto dinheiro nós
estávamos precisando, e que opções nós tínhamos. Ele também disse que o que eles
estavam tentando fazer era acelerar o caso antes que nós tivéssemos tempo para nos
preparar, assim a primeira coisa ele faria era tentar conseguir um adiamento na data do
julgamento.

Ele também contou que eles estavam esperando nosso veredicto de culpados, porque
eles já tinham todos os cães sob custódia, assim, se nós fossemos considerados culpados
a Sociedade Humana teria como determinar o que seria feito com eles.

Se nós prosseguíssemos e pegássemos o caminho mais fácil, e fossemos considerados


culpados, nós poderíamos sair com uma sentença mais leve, mas isto poderia também
colocar os cães à mercê da Sociedade Humana – eles não teriam nenhum problema para
conseguir uma ordem da Corte para destruí-los a todos. Nós dissemos ao advogado que
não desejávamos fazer isso; que nós percorreríamos o processo inteiro e faríamos
qualquer coisa que fosse preciso para tentar salvar os cães.

Enquanto isso, Tom Garner continuou a me dizer o que eu precisava fazer para tirar os
cães da custódia, em caso de sermos convencidos. Ele disse que, se os cães estavam em
minha propriedade, isto já seria meio caminho andado. Nós dissemos isso ao advogado,
e pedimos para que ele começasse com os procedimentos.

Tão logo eu fui liberado da cadeia, eu liguei para o dono da loja de animais de
estimação onde eu estava trabalhando para contar a ele o que tinha acontecido e
expliquei o meu lado da historia. Eu pedi para tirar uma licença até que a coisa inteira
fosse resolvida. Ele me disse que já tinha recebido uma chamada do alto escalão da
polícia estadual, para informar a ele “que tipo de gente ele tinha trabalhando para ele” e
que ele já tinha decidido cancelar meu emprego lá. Eu supus que a policia estava
tentando acabar comigo, garantindo que eu perdesse minha principal fonte de renda.

Eu liguei para a companhia na qual eu tinha trabalhado antes e eles me deram meu
emprego de volta, mas eles iriam me transferir para o armazém de Ashboro, Carolina do
Norte, porque a publicidade sobre a prisão foi muito grande em Burlington onde eu
tinha trabalhado.

Dois dias depois que nós fomos liberados, Paul Harden me ligou e disse “Eu estive na
cadeia”. O SBI tinha ido à casa dele naquele dia para investiga-lo; Larry foi à a casa de
Paul uma vez para ver os cães e tinha lembrado onde ele vivia, mas não recordava seu
nome. Nas declarações ele fez ao SBI, ele somente se referia a ele como "aquele cara da
Marinha".

O SBI perguntou a Paul sobre mim, e Paul disse que eu era um conhecido dele, mas que
nós não éramos realmente íntimos. Eles garantiram para ele que eles sabiam que eu era
um criador de cães de briga, e ele "precisava" ajuda-los.
Eles ficaram muito beligerantes e insistentes quando ele não cooperou, e finalmente, na
versão correta de Paul Harden, Paul disse a eles "que inferno vocês vão fazer se eu não
cooperar, me prender?" Ele então informou a eles que, até onde ele sabia, a conversa
estava terminada e que estavam invadindo a propriedade dele, então eles saíram. Mais
ou menos duas horas mais tarde, eles voltaram com um mandado para a captura de Paul.
Nós chamamos nosso advogado e dissemos a ele que tínhamos mais um para ele
defender.

Oficiais encontram alguns problemas com


pitbulls apreendidos.
Por JIM WICKER Time-notícias

GRAHAM - polícia de Graham confirmou esta manhã que


oficiais foram convocados para o Abrigo De Controle
Animal do distrito na última Quarta-feira, para ajudar na
recaptura de um bulldog que tinha se libertado de sua
corrente e atacado outro pitbull.

O Capitão De polícia de Graham, Gary Young, disse que


oficiais de patrulha ajudaram a acabar com a luta dos cães,
que começou quando um dos pitbulls fugiu de sua gaiola.
Os cães estavam lutando com as barras da gaiola entre eles.

Young disse que a polícia aparentemente foi chamada para


ajudar porque somente um oficial de controle animal estava
no abrigo na hora.

O administrador assistente do condado, Rick Honeycutt,


tem estado concentrado na supervisão de oficiais de
controle animal desde a suspensão, duas semanas atrás, do
Diretor de Controle Animal, Bob Bullard. Ele disse esta
manhã que não sabia que a polícia tinha sido chamada ao
abrigo.

Mas, Honeycutt disse, o abrigo estava com pouco pessoal


naquele dia porque um oficial esteve ausente por motivo de
doença e outro “ausente devido a uma doença na família”.

Honeycutt disse que dois dos 37 pitbulls, que foram


apreendidos em 23 de Abril junto com três homens da área
de Mebane por causa de crueldade com animais, serão
transferidos para o abrigo de animais de Durham hoje ou
talvez amanhã.

Honeycutt disse que o promotor do condado deu, na Sexta-


Feira, permissão para transferir os dois cães para Durham,
para ajudar a manter a segurança.
O abrigo de Burlington tem ajudado o condado desde o
começo alojando 13 dos pitbulls. Transferir dois dos cães a
Durham dará ao abrigo de Burlington mais espaço para suas
atividades normais, disse Honeycutt.

O abrigo de controle animal do condado está com 22 dos


pitbulls, incluindo quatro filhotes. O condado continuará
cuidando dos pitbulls até pelo menos 5 de Junho, quando os
donos dos cães vão a julgamento, segundo Honeycutt.

Honeycutt disse que ele tem tentado encontrar outro


alojamento para os pitbulls em abrigos de controle de
animais em condados próximos, mas, até aqui, foi capaz de
fazer acordo somente com o de Durham.

Os 37 pitbulls - 31 adultos e seis filhotes - como informado


pertencem a Edward Anthony Faron, 41 anos, que mora no
3676 da White Level Road. Faron foi preso junto com
James Wilson Bailey, 29, do mesmo endereço, e Roger
Dale Hillard, 27, do 3561 da Mebane Rogers Road, por
alegação de luta de cães na residência de Faron, em Abril
passado.

As prisões foram feitas por oficiais do Condado de


Alamance e o SBI. Bullard, segundo um comissário do
condado, foi suspenso porque ele alegadamente carregava
uma pistola, em violação da política do condado, enquanto
acompanhava oficiais de coação, no momento da prisão dos
pitbulls.

Uma das declarações que Larry tinha feito ao SBI foi que no dia ao que ele foi buscar
Tootsie, Eu tinha primeiro soltado ela da corrente e a deixado matar um cão macho de
dezoito meses pesando cinqüenta libras. Tom Garner ficou enfatizando para mim que
meu advogado necessitava certificar-se de que Tootsie seria colocada sob custódia e
mantida segura, em um hospital veterinário ou em um dos abrigos de animais, porque
ela era muito importante para nossa defesa. Se ela tinha realmente lutado por dez ou
quinze minutos como o dedo-duro tinha afirmado, ela deveria teria ter arranhões e
cicatrizes que confirmassem isto, e nós podíamos mostrar que naquela idade avançada,
ela não seria capaz de ferir um cão em uma luta, muito menos matar um macho maior.
Meu advogado me assegurou que ele poderia arranjar tudo com o promotor e me disse
para não me preocupar sobre isto.

Nós finalmente convencemos o advogado para ir a julgamento e tenta obter a liberação


dos cães; Tom Garner tinha oferecido um desconto se nós pudéssemos tira-los. Nas
semanas desde a prisão, os jornais e T.V. estiveram cheios de histórias sobre como,
através de falta de treinamento e inaptidão dos empregados do abrigo, os cães estavam
fugindo e brigando entre si através das grades – e como em muitos casos eles tiveram
que chamar veterinários para suturar cães feridos nestes acidentes.
Nosso advogado escolheu um dia em que ele sabia que o Promotor que estava
concentrado no caso estaria ausente da cidade para ir para o tribunal e tentar conseguir
que os cães fossem liberados. No lugar do promotor do local estava uma promotora
realmente molenga que costumava parecer uma burra completa na corte. Nosso
advogado apontou ao juiz que estava custando ao condado uma grande soma de
dinheiro para abrigar todos os cães, e que os cães tinham chegado aos abrigos em
melhor saúde do que eles estavam agora, assim como eles estavam se mastigando em
brigas, etc.

Ele sugeriu que eu era obviamente mais capacitado para cuidar dos cães que os abrigos
de animais (os cães foram divididos entre três abrigos diferentes em dois condados
porque havia muitos para um abrigo cuidar) e que seria possível economizar o dinheiro
do condado se os cães fossem liberados para mim. Ele disse que eu estava querendo
assinar um termo e me responsabilizaria se qualquer dos cães escapasse enquanto
estivesse no meu quintal.

Quando o juiz começou a concordar com ele, e disse "Eu entendo seu ponto de vista” a
promotora mudou de opinião; ela ficou completamente irracional e emocional e
começou a discutir com o juiz. Meu advogado voltou-se para mim e disse "esta vadia se
f***u sozinha; você nunca discute com um juiz! Nós conseguimos os cães!”.

Vários oficiais de Controle de Animais de Alamance foram apontados como


testemunhas, pois eles estiveram em meu quintal uns meses antes, quando eu tive
problemas com um de meus vizinhos (um comissário do condado) sobre os cães.
Nenhum deles teve algo negativo para dizer sobre mim ou meus cães; cada um deles
declarou que os cães estavam em saúde excelente, adequadamente abrigados, etc.

Isto estava matando a promotora; ela tentou sair ganhando ao dizer que meus cães eram
uma ameaça à comunidade, e se qualquer deles escapasse, “as pessoas da comunidade
poderiam estar em perigo”.

O resultado final foi que nós conseguimos todos os cães liberados exceto cinco; Levi foi
retido porque a promotora alegou que ele era definitivamente um cão de briga por causa
de suas orelhas cortadas. Eles não puderam liberar Barney, um filho pequeno de Gr.Ch.
Spike que estava apenas com onze meses e não tinha nenhuma marca nele. Eles
mantiveram Stabber, porque o dedo-duro o tinha mencionado repetidamente nas
declarações, e eles também guardaram um filho de Ch. Júnior chamado Satan que
pertencido ao Jim Bailey. Eu acho que eles não erraram muito neste, pois Satan estava
coberto em cicatrizes e tinha a orelha partida em aproximadamente quatro lugares.

Eles também mantiveram um dos cães mais bravos de Paul - uma cadela pequena
chamada Boots que era uma irmã de outra cadela que mais tarde seria conhecida como
Wade‟s Ch. Sadie. Boots tinha uma perna que era atrofiada e deformada, um defeito de
nascimento ou um dano enquanto filhote. A promotora declarou que isto foi um 'dano
de luta' e ainda que não houvesse absolutamente nenhum fundamento para aquela
declaração, eles se recusaram a liberar esta cadela.

O dia que eles trouxeram todos meus cães de volta a imprensa toda do local esteve lá;
eles tiraram fotos e me entrevistaram e imprimiram alguns artigos surpreendentemente
positivos nos jornais do dia seguinte. As moças do Controle Animal foram todas
simpáticas como podiam ser sobre o fato, carregando cães alegremente no quintal e
perguntando “para que ponto este aqui vai, Ed?” ou “onde nós colocamos aquele ali?".

Eu estava bastante feliz por ter os cães de volta no quintal; desde que eu tinha sido preso
eu ficara no apartamento de minha amiga Jamie Fox, em Greensboro, porque eu não
podia levantar de manhã e ver todas as correntes vazias.

Bailey tinha ficado no trailer, e visitaria os cães dia sim, dia não. Eu não fui porque me
destruía o fato de os ver todos fechados em gaiolas. Jim poderia visita-los e voltar rindo
sobre o jeito como Mean Jolene estava tentando morder a todos através das barras de
sua gaiola.

Eu tinha decidido tomar responsabilidade financeira sobre todos os custos legais, para
tirar a pressão de Paul, Roger e Jim. Paul e Roger tinham suas famílias para dar atenção
- Paul tinha três pequenas crianças, e Roger tinha três ou quatro crianças também. Eu
disse a eles que eu cuidaria de tudo e tentaria conseguir algum apoio financeiro.

Eu pedi dinheiro emprestado de meus pais e meu irmão, e vários outros criadores
também contribuíram para nosso fundo de defesa. Fat Bill, Boone, Barney Fife, Jim
Hart e várias outras pessoas auxiliaram. Bob Stevens conseguiu que várias pessoas que
ele conhecia enviassem dinheiro, e Tom Garner, que já tinha feito tanto para ajudar,
deu-me um cheque de 200 dólares para custos legais. Eu estava trabalhando no
armazém de Ashboro e mantendo, como podia, os custos. Nosso advogado estava
conduzindo o caso e uma data de julgamento no dia 5 de Junho tinha sido marcada. Não
havia muito mais para fazer além de esperar o julgamento.

Carver Munchin, uma filha de Ch. Chinamon. Munchkin foi um dos vários cães
envolvidos em lutas acidentais enquanto estavam sob custodia da Sociedade Humana;
ela levou vários pontos depois de entrar em uma briga com outra cadela que estava na
gaiola ao lado.
Com a data de julgamento se aproximando rapidamente, Paul Harden, eu, Jim Bailey e
Roger Hellard reunimo-nos com Tom Garner e ele nos deu alguns conselhos sobre
como nós deveríamos encaminhar nossa defesa. Preparando o caso, nosso advogado nos
perguntou se Larry Moore realmente tinha nos visto colocando cães para brigar, como
ele tinha declarado, e nós dissemos a ele que não - o que era verdade. A única coisa que
ele realmente viu foi quando nós deixamos o velho Levi rosnar para um par de jovens
cães machos no quintal e um deles o mordeu.

De Qualquer Modo, como mencionado antes, Tom tinha enfatizado que nós
precisávamos de nosso advogado para ter J.Carver's Tootsie sob algum espécie de
custódia protetora em um veterinário ou algo assim. Tootsie era nosso grande ás no
baralho, porque as duas acusações maiores contra mim envolviam o incidente em que
Tootsie foi acusada de matar outro cão no dia em que o dedo-duro foi buscá-la. Nós
planejamos trazê-la à corte como prova porque se ela tinha matado um cão em dez
minutos, como ele tinha afirmado, ela poderia teria ter algumas cicatrizes da luta - um
cão que estava sendo morto teria mordido seu rosto, no mínimo, tentando fugir dela.
Nosso advogado assegurou-nos que Tootsie estaria segura e disponível para nós quando
a data do julgamento chegasse.

Veredicto da luta de cães esperado


Defesa nega acusações de Alamance
Por GEORGE Hunter

GRAHAM - Quando autoridades entraram na casa


um homem do Condado de Alamance em Abril,
eles pensavam que iriam descobrir uma luta de
cães organizada envolvendo contratos e muito
dinheiro.

Ao Invés disto, eles encontraram um homem


limpando esterco de cão e outro homem bebendo
uma cerveja, segundo Edward Faron que, junto
com três amigos, está esperando julgamento por
alegações de lutas de cachorros.

O estado não tem provas bastantes para justificar


sem sombra de dúvida que Faron, James Wilson
Bailey, Roger Dale Hellard e Paul Taylor Harden
organizaram duas lutas de pitbulls em Abril, disse
Mitchell McEntire, o advogado que representa os
três homens.

Os homens são apontados com várias acusações


de lutas de animais e crueldade com animais,
ambas improcedentes.
O Juiz Chefe da corte do Distrito de Alamance V.
S. "Arenoso" Harris presidirá o caso hoje.

O estado fechou o caso Terça-feira, no segundo


dia da julgamento, interrogando um agente do
Bureau de Investigação do Estado (SBI) que
dirigiu a operação na casa de Faron. Faron tinha
mais de 30 pitbulls em sua residência na White
Level Road perto de Mebane.

David Hedgecock, agente especial ao SBI disse


que a investigação foi baseada em informações
fornecidas por Larry Moore que, junto com Faron,
foi empregado da cadeia de lojas de animais de
estimação Pet-Go-Round. Hedgecock disse que
Moore contou a ele sobre quatro lutas que ele
testemunhou, incluindo uma em que um pitbull foi
morto.

Hedgerock admitiu durante interrogatório que as


autoridades queriam interromper uma luta de cães
durante a invasão de 23 de Abril na casa de Faron.
Ele reconheceu, entretanto, que os investigadores
não encontraram nenhuma evidência que uma luta
de cães tinha ocorrido quando eles chegaram,
naquele dia.
De Fato, todos os quatro defensores negaram que
a luta de cães a que Moore se referiu tivesse
mesmo acontecido. Faron e Bailey afirmaram
que Moore trouxe um Doberman Pinscher para
lutar com um pitbull, mas os dois homens não
puderam permitir isto.

"Eu disse 'De jeito Nenhum, cara. Isto é


crueldade', Faron testemunhou. Eu Tenho tentado
criá-los de forma mais estável - não como cães
loucos para brigar."

O Promotor Rick Champion apresento uma nova


prova na Terça-feira, incluindo fotos de uma
esteira de exercícios com um cartão afixado. O
cartão era de um casal de Ohio que foi acusado
recentemente de organizar lutas de cães.

Faron disse que a esteira foi um presente de um


amigo que a adquiriu através de um anúncio do
casal. Faron disse que ele não usa a esteira para
treinar os cães para brigar, mas sim para exercita-
los.
“Eu não tenho tempo para exercitar 40 cães”, disse
Faron.

Jackie Rettig, uma oficial do Controle Animal e a


primeira testemunha chamada pela defesa, disse
que não encontrou nenhuma evidência de luta de
cães durante várias visitas à casa de Faron.

Bob Bollard, diretor do Departamento e Abrigo do


Controle Animal de Alamance, atestou que ele viu
sinais de "alguma luta antiga", mas ele disse que
não sabe quando ela ocorreu.

Bollard perdeu seu cargo por carregar uma arma


de fogo durante a invasão, uma violação clara da
política do condado de Alamance. Ele disse em
entrevista que planeja recorrer sobre a questão na
justiça civil.

Kateleen Christian, uma colaboradora da Leader


News Magazine, baseada em pesquisa da Triangle
Park, disse que ela achou os cães de Faron
inofensivos enquanto ela o entrevistava sobre os
cães na noite anterior.

“Eles eram mesmo amistosos”, ela disse. Quando


eu saí, eu senti que ele tinha uma genuína afeição
por seus cães e um amor de verdade pela criação.

Christian disse que ela também viu Tootsie, o pit


Bull que Larry Moore confirmou ter matado outro
cão em menos de 15 minutos.

“Tootsie era mesmo muito velha. Ela mal podia


andar”, Christian disse.

A única coisa que eles tinham contra nós era o testemunho do Larry Moore, o que era
basicamente palavra dele contra a nossa. Nós tínhamos os nossos cartões de ponto que
mostravam, realmente, que eu estava no trabalho na hora da suposta luta de cães onde
Tootsie havia matado o jovem cão macho, e eu tinha saído para trabalhar no dia em que
ele foi buscar Tootsie. Nós também tínhamos várias testemunhas que podiam nos
defender.

O dia do julgamento chegou e, eu devo dizer, foi como um circo; foi mesmo um
julgamento improcedente; se você olhasse a multidão que tinha aparecido você poderia
pensar que era um julgamento por assassinato. A Sociedade Humana estava lá em peso
(é claro) e a corte estava abarrotada de repórteres. Assim que entramos - animados e
prontos para o que desse e viesse, somente então meu advogado veio até mim e disse
“Ed, eu estou realmente triste, mas não se aborreça”. E continuou a me contar que o
promotor ligou para ele tarde da noite em casa e informou a ele que Tootsie estava
morta.

Evidentemente, a despeito do fato de que eles tinham assegurado a meu advogado que
Tootsie estava em um lugar seguro, eles tinham na verdade deixado ela com o Larry
Moore. Segundo consta, ele e sua esposa tinham saído para jantar e quando eles
voltaram, alguém tinham entrado em seu quintal e partido a cabeça de Tootsie com um
machado.

Eles também disseram a meu advogado que eles acreditavam que tinha sido “Ed Faron e
seus amigos” que tinham matado Tootsie porque nós supostamente não desejávamos
que eles tivessem o cão como evidência. Era completamente óbvio para nós que a
verdade era que Larry tinha matado a pobre Tootsie porque nós poderíamos utilizá-la
para provar que ele era um mentiroso, no tribunal. Aquela cadela velha tinha um dente
encravado na cabeça e podia dificilmente mastigar sua comida, muito menos matar um
cão! Desnecessário dizer, estas notícias ruins começavam o caso inteiro com o pé
esquerdo.

A o julgamento durou dois dias e tudo foi como uma simulação completa. A despeito do
que nós dissemos, tudo foi ignorado. As auto - intituladas “testemunhas” se
contradisseram repetidas vezes, e as brilhantes fotos oito-por-dez que eles apresentaram
dos cães que Moore afirmara que tinham lutado de vinte a trinta minutos cada um
mostravam cães que não tinham qualquer arranhão visível ou cicatrizes, a despeito de
terem sido envolvidos em lutas sangrentas apenas duas semanas antes de as fotos terem
sido tiradas. Outra peça de „evidência‟ que eles apresentaram foi um bastão de madeira
que Moore disse que era um pau quebrado que nós tínhamos dado a ele como um
presente, para „iniciá-lo‟ em nosso grupo. O dito „bastão‟ tinha sido entalhado
cruamente em forma de cunha em uma ponta, e tinha marcas que nós assumimos que
pareciam ser de dente de cão, mas parecia mais que o próprio Moore as tinha feito!

Eles confiscaram minha esteira, que era uma esteira Red River Curley; Greg e Sam
Lowe tinham pregado um de seus cartões de visitas na esteira quando eles a
despacharam e este cartão foi usado como evidência, mais uma prova de que eu estava
envolvido com briga de cães. Os Lowes tinham sido presos pouco antes disto e eles
tinham o arquivo inteiro da investigação do caso Lowe na corte durante meu
julgamento. Eles também confiscaram várias revistas incluindo cópias do Sporting Dog
Journal, Game Dog Digest, etc. e trouxeram isto para a corte. Quando o promotor estava
me interrogando, ele perguntou sobre todas as drogas veterinárias que eles tinham
encontrado em nossa propriedade-vacina, vermífugos, antibióticos, vitaminas, etc. Eu
expliquei que qualquer um que seja um dono de cães responsável e cria um número
grande de cães deve ter essas coisas e saber como usa-las propriamente, pois elas eram
essenciais para manter os cães saudáveis e que estas coisas não tinham nada a ver com
lutas de cachorros.

O chefe da comunidade testemunhou em nosso favor; ele era algo como um pilar da
comunidade; um velho que tinha trabalhado no correio mais de trinta anos e possuía
muitas terras no condado. Ele testemunhou que, se havia lutas de cães na minha
propriedade, ele seguramente saberia sobre isto, pois ele estava sempre perto da
propriedade. Moore tinha testemunhado que eu era um grande traficante de drogas e
tinha pilhas de cem dólares em minha mesa de café quando ele foi à minha casa
(nenhuma droga de qualquer espécie foi encontrada na invasão) e quando foi
perguntado sobre o que meu chefe comunitário disse que se isto fosse verdadeiro, eu
seria capaz de pagar meu aluguel na data certa. Ele também atestou o fato de que a
limpeza onde as lutas supostamente aconteceram na propriedade não existiu.

Dois oficiais de Controle Animal testemunharam que todos os cães que eles viram em
minha casa estavam em boas condições, e não havia evidência de qualquer ato ilegal.
Esses eram oficiais que tinham vindo investigar queixas de latidos de cão vários meses
antes da minha prisão. Uma repórter de um jornal externo à área também testemunhou a
nosso favor; ela tinha me entrevistado e visitado o meu quintal enquanto pesquisava
para um artigo muito positivo sobre pitbulls que ela escreveu. Ela testemunhou que viu
a velha Tootsie três meses antes da prisão, e notou que o cão estava muito fraco, no fim
de velhice e, quando a viu, se lembrou seu Shepherd alemão de 12 anos que teve artrite
no fim da vida. Ela disse que não poderia imaginar Tootsie lutando contra qualquer
coisa, porque ela andava a duras penas.

Houve poucas ocasiões durante o julgamento que seriam engraçadas em outras


circunstâncias; por exemplo, Larry não se lembrava do nome de Paul Harden e falava o
tempo todo “aquele cara da Marinha”; Paul pegaria isto depois como um apelido
quando ele se firmou no negócio de cães. Quando Paul estava na tribuna, a promotora
perguntava a ele: “Você já imaginou porque o sr. Faron tinha tantos cães?” e ele
respondia: “Sim, já”. Então ela perguntava: “Você já quis saber porque o Sr. Faron tinha
tantos cães?” e Paul dizia: “Sim”. “O que ele respondia?” perguntava ela, e Paul dizia:
“Ele me dizia que isto não era da minha conta – e ele tinha razão.”

Outro exemplo de algumas das acusações ridículas que a acusação fez envolvia um
videotape e um apelido que Bob Stevens tinha me dado, Wildman. Eles confiscaram a
fita durante a prisão; ela foi mandada para mim por alguém nas Ilhas Virgens, e
mostrava uma luta de um cão chamado OXX, e a acusação passou esta fita na corte
como parte do caso. Por azar, era uma das mais brutais e sanguinolentas lutas
imagináveis, mas a parte mais engraçada era que eles não estavam passando a fita por
causa do que os cães estavam fazendo, mas porque um dos espectadores estava gritando
“wild, man, isto é mesmo wild, man” ou algo parecido, neste ponto eles desligaram a
fita, olharam em volta da Corte e disseram “vejam, eles estão falando do Wildman!”.

No fim do segundo dia, o juiz pediu um recesso de uma noite, e o veredicto viria no dia
seguinte. Nós nos sentimos bem e achamos que tudo tinha corrido às mil maravilhas, e
todos da mídia nos aclamaram como vitoriosos; todo mundo achava que seríamos
inocentados pois a acusação não tinha conseguido provar nenhuma das acusações que
Moore tinha feito.

Nós não podíamos acreditar quando comparecemos na manhã seguinte ao veredicto, e


fomos responsabilizados por todas as acusações. Jim Bailey, Roger Hellard e Paul
Harden cada um pegaram uma sentença suspensa de 18 meses com uma multa de $100
e condicional sem supervisão por um ano, eu peguei 18 meses em uma prisão do estado
(suspensa), uma multa de $1000 e três anos de condicional supervisionada.
Criadores de cães de briga desistem da
apelação depois da devolução de 4 pitbulls
apreendidos

Quatro homens declarados culpados de pôr pitbulls para


lutar na última semana deixaram cair por terra sua
apelação, embora seu advogado tenha dito que eles
provavelmente venceriam o julgamento.

“Este é o veredicto errado”, disse Mitch McEntire sobre o


veredicto de culpado do Juiz W.S. Harris. “Mas a minha
opinião não valeu”.

Ed Faron, o principal acusado, junto com Roger Hellard,


Paul Harden e Jim Bailey, desistiu de sua apelação,
primeiramente por causa dos custos.

“É caro manter um julgamento”, McEntire disse.

Ed Faron disse na terça-feira que ele estava convencido


de que foi usado como exemplo. Ele disse que conseguiu
de volta quatro dos seus cães depois do julgamento, e que
se as autoridades realmente estavam convencidas de que
ele era um competidor, não devolveriam os cães.

Estes não eram os cães que estavam abrigados no canil da


cidade, mas cães que Faron deu a Larry Moore. O SBI
informou que os cães presos no abrigo seriam adotados
por lares amáveis ou destruídos, como estipulado na
sentença de Harris.

De acordo com McEntire, os cães que Moore ganhou


foram devolvidos a Faron no dia seguinte ao julgamento
pelo agente especial David Hedgecock do SBI.

McEntire também disse “eu questiono o uso do Sr. Moore


pelo SBI. Eu não pude investigar Moore a fundo, o que eu
esperava fazer através de acareação. Eu o achei
inexpressivo”.

“Ele parecia ansioso no julgamento para falar sobre o uso


de esteróides. Ele admitiu facilmente que usava estas
drogas”, Mc Entire disse.

Faron disse que Moore queria um filhote de pitbull para


fazer experiências com esteróides.

Sobre Faron, McEntire disse: “ele não punha cães para


brigar”. Eu não acho pessoalmente que ele condena
aqueles que o fazem. Há uma prova circunstancial de que
Faron era ligado a lutas de cães em alguma época, mas
nada que o ligue aos crimes alegados.

"Parece que o testemunho de Moore foi aceito


incontestavelmente, como qualquer outra evidência. Eu
aconselhei meus clientes que era altamente improvável
que um júri os culparia".

Faron pegou dezoito meses de liberdade assistida por luta


de cachorros e crueldade com animais, Bailey, Hellard e
Harden pegaram seis meses de pena suspensos. Todos
recorreram da sentença.

Eu disse a meu advogado que eu simplesmente não podia acreditar que eles nos
culparam com a evidência débil que eles tinham, e ele me disse que o problema inteiro
foi que o SBI tinha acreditado nas mentiras que Larry Moore deu a eles, na verdade o
promotor acreditou nas mentiras, e eles todos se comprometeram com o prosseguimento
da invasão à minha casa. Assim, mesmo que eu fosse inocente (e meu advogado disse
que acreditou que eles achariam que eu era inocente) eles não teriam condições de
enfrentar o processo potencial que eu podia criar contra eles por todos os direitos civis
que eles violaram. Assim eles não tiveram escolha além de se certificar que nós
fôssemos considerados culpados.

O advogado perguntou se nós desejávamos apelar, como ele disse, ele não acreditava
que um júri pudesse nos culpar. Na época nós dissemos a ele para prosseguir com a
apelação, mas a verdade era que eu não tinha condições nem mesmo para o pagamento
do que eu já devia ao advogado, e isto poderia ter custado pelo menos outros dois ou
três mil dólares em custos de tribunal para prosseguir com uma apelação. No dia
seguinte eu recebi uma chamada de meu advogado.

Ele disse que o Bureau de Investigação e o Promotor o tinham contatado e oferecido um


acordo: se eu concordasse em não prosseguir com a apelação, eles poderiam devolver
para mim todos os cães com os quais Larry Moore estava (exceto Tootsie, claro) e que
seria o fim do assunto. Eu concordei com o acordo, pois eu não teria condições para a
apelação, de qualquer maneira. Eu imaginei que eu poderia apenas pegar meus cães e
dar o fora daquela droga de lugar assim que pudesse.

O juiz ordenou que os cães remanescentes em custódia fossem confiscados e dispostos


de acordo com as condições do canil. Eles liberaram a cadela de Paul Harden para ele,
pois ela não pertencia a mim e um veterinário determinou que sua perna mutilada foi
resultado de um defeito de nascimento em vez de um dano de luta, mas o velho Levi,
um filho de Wood's Snooty, foi sacrificado, assim como o cão de Jim Bailey, Satan, um
filho de Norman's Ch. Junior. Também foi sacrificado um filhote chamado Barney, filho
de Gr.Ch. Spike, e um outro cão.

Quando o “cabeça” da investigação e o promotor vieram com o pessoal do Controle


Animal para devolver os quatro cães do Moore, isto confirmou o que meu advogado
tinha me dito; eles apertaram minha mão e me desejaram sorte, e o investigador
principal me disse (não oficialmente, é claro) "olha, nós usamos o que tínhamos a nosso
alcance. Nós acreditamos em Larry Moore. Nós pegamos o bonde andando e tivemos
que correr com ele, que é assim que as coisas funcionam”.

Algumas coisas.

Boswel´s Levi, um velho cão de lutas, filho de Wood's Snooty, R.O.M. criado por
Waiston's Roxie. Roxie foi originada de Vindicator com sua irmã Rosie; Levi foi detida
por autoridades pelo infeliz crime de ter orelhas cortadas (que faziam dele
definitivamente um cão de luta, segundo o D.A.) quando meus outros cães foram
liberados para mim antes do julgamento, e foi sacrificada pelas autoridades depois de
minha condenação em Junho de 1989, junto com três outros cães.
Capítulo 2

O velho Homem da Montanha


Originalmente publicado no American Gamedog Times de Out/Nov 1990 em
Fev/Mar.1991

Parte Um
Era Dezembro de1989 - Uns poucos dias antes de nós termos nos casado, e nós
estávamos agora dirigindo para o sul na Blue Ridge Parkway, para visitar com uma das
mais respeitadas lendas vivas do jogo de cães.

A despeito da geografia desconhecida nós tivemos pequenas dificuldades chegando em


nosso destino - A estrada que nós pegamos corria paralela a um vale da montanha, e no
outro lado daquele vale nós logo localizamos o que nós estávamos procurando; uma
grande placa de madeira pregada em uma macieira velha que dizia:

Canil do velho Homem da Montanha


Pit bulldogs americanos de competição

Esta era a casa de Lester Hughes, um homem que, nas palavras de Tom Garner, "é uma
enciclopédia viva no assunto pitbull terrier Americano".

Nós dirigimos através da ponte de madeira estreita que ligava a estrada à pista, que
terminava abruptamente na base de um morro conduzindo para a montanha que tem
sido a casa do Sr. Hughes durante os seus sessenta e oito anos.

Quando nós saímos de nosso carro nós compreendemos que era muito mais frio aqui do
que nas colinas onde nós vivíamos. À esquerda estava a casa, e Sra. Hughes nos
saudava na porta.

Ele aparentava a calma confiança de um homem que já teve todas as suas metas
completas na vida, ainda que a intensidade de competição ainda estivesse lá; ele nos
apresentou para sua esposa, Evelyn, e suas duas crianças, Christine e Cole, então
continuou a vestir um casaco e sua marca registrada de estilo, um chapéu “western”.

Nós os seguimos para ver o seu quintal de aproximadamente vinte e cinco cães. Fomos
até uma pequena rampa à direita da pista, no fim da qual ficava um edifício. Logo à
nossa direita, ao longo do vale, ficava uma fila de baias do canil onde as cadelas em
produção e os filhotes do Sr. Hughes são mantidos.

Tudo estava perfeitamente organizado; correntes de seis pés de cada lado com as portas
assentadas a dois pés de distância do piso, uma casa de cachorro isolada anexada a cada
canil do lado exterior, com uma pequena porta no lado de cada casa para permitir acesso
instantâneo para uma cadela com filhotes ou um cão doente. Cada ponto tem uma
torneira automática e um cocho de comida construído.
O melhor recurso destes canis é que cada um é elevado em um tablado de madeira; o Sr.
Hughes simplesmente os borrifa com uma mangueira de alta pressão e tudo se enxágua
entre as tábuas.
Naquele tempo, os cães naqueles canis incluíam "Holly", uma filha de Ch. Jeep, R.O.M.
originada de Gene's Honey, "Black Mert”, uma filha de Groves Gr.Ch. Outlaw, e "Baby
Jane", uma filha muita boa de Crenshaw Screamer, mais alguns filhotes filhos de Eli III
da criação Midnight Cowboy.

Logo depois do canil ficava o edifício que nós tínhamos visto da pista. Ficamos
surpreendidos ao descobrir, quando nós entramos, que ele era quente por dentro; o
edifício tem aquecimento, eletricidade e água corrente. Com um banheiro e uma sala
principal carpetada, este tem sido o local de grande parte da história do bulldog durante
anos.

A porta dos fundos dava para um convés acima do riacho, e uma série de pontes
estreitas e passarelas que cruzavam sobre o riacho de um lado a outro. Atrás do edifício,
o riacho (que, a despeito o frio intenso, não estava congelado por cima e cheio de ar
com o barulho da água por baixo) se divide em dois braços e então se reagrupa,
formando uma pequena 'ilha' de rocha. Nesta ilha, e em ambos os bancos do riacho,
estava um grande número de bulldogs latindo, correndo para trás e para frente ao longo
de cabos e tentando chamar nossa atenção.

Os recursos de cada cão consistiam de uma casa de cachorro à prova de inverno ou um


barril parcialmente enterrado na margem do riacho, e um longo e robusto cabo de
correr. Os cães sozinhos bebiam a água fresca do riacho e pareciam completamente em
casa passando de um lado a outro da água através da pedra.

Os cães do Sr. Hughes estavam no auge da saúde e entre eles estava Long's Werdo, um
filho de Ch. Jeep que tinha provado ser um ótimo reprodutor, "Daisy" (Ch. Jeep R.O.M.
x Gr.Ch. Miss Rage), "Bandit" (Gr.Ch. Outlaw x R.C.'s Molly) e "L'il Bill Jr." (Ch. L'il
Bill x Shena), mais uma lista de cães jovens muito bem criados, principalmente Eli,
originado das linhagens Rascal, Buster e Cowboy.

Aquela foi a primeira de muitas vezes que nós visitamos O Velho Homem Da
Montanha. Nós nos sentimos honramos em conhecer um homem que é verdadeiramente
um dos 'dinossauros' do cão de competição, e somos gratos por ter a oportunidade de
aprender com ele. O Sr. E a Sra. Hughes têm sido bastante generosos com sua
hospitalidade; recebendo-nos dentro de sua casa e oferecendo a sua amizade.
As gaiolas de criação do Mountain Man. Cada uma tem um bebedouro automático e
casa de cachorro aquecida.

Um close das gaiolas acima; a cadela que aparece é Swinson‟s Holly, uma filha de Ch.
Jeep.
Uma visão do riacho que corta a propriedade. Cães são presos em cabos de correr.
Note a passarela no fundo.

O Sr. Hughes se tornou envolvido com os bulldogs há quarenta e cinco anos, embora até
aproximadamente vinte anos atrás ele não fosse tão reconhecido no ramo „do jogo de
cães. Lá pelos anos 70 ele tinha se tornado conhecido como 'O Velho Homem Da
Montanha '. Ele tem visto muitos grandes cães em ação por quase meio século no
negocio, e foi responsável pelas carreiras de boa parte deles.

Ele não é um homem que se gaba sobre suas muitas realizações ou têm algo negativo
para dizer sobre outro criador, e sua palavra vale como contrato. Ele não se envolve em
qualquer assunto pequeno ou fofoca, tão comuns no negócio de cães, e é um
remanescente de uma era quando todo que era requerido para selar um acordo de
negócios era um aperto de mão e a palavra.

"Uns anos atrás, alguns meninos vieram do Bronx, N.Y., para comprar um cão adulto,
"Sr. Hughes contou a nós uma vez; "Eles não tinham dinheiro bastante com eles para
comprar o cão que eles desejavam, assim eu os deixei ir em frente e levar o cão para
casa, e me enviar o dinheiro mais tarde." O Sr. Hughes agitou sua cabeça e sorriu,
"Todos me disseram que eu nunca mais veria o dinheiro, mas o dinheiro veio por
correspondência de Nova Iorque, assim como eles tinham prometido."

Ele tem um olho afiado para os cães, e uma grande tranqüilidade interior em seu
comportamento. Nós ouvimos dizer que "Lester pode ver em cinco ou dez minutos o
que a maioria das pessoas leva uma hora para ver em um cão", e nós temos que
valorizar sua opinião sobre um cão mais que a nossa própria. Nós já o vimos observar o
que parecia ser um “ás” em ação, e quando pedimos sua opinião, ele simplesmente
declara que "outros dez minutos e ele teria desistido" ou, depois, observando um cão
jovem embaraçar seu dono, diz ao dono para esperar mais um mês e tentar outra vez.
Muitos cães que quase viraram perdedores aos dezoito meses viraram cães de linha
rápidos com apenas um pouco mais de tempo para amadurecer, graças à sua sabedoria.
A filosofia do Sr. Hughes é que "eles todos vão desistir, apenas alguns vão desistir
muito mais rápido que outros". Ele tem também nos ensinado muito sobre POR QUE
cães diferentes desistem; ele viu o velho cão Ch. Rascall perder uma disputa e vencer
várias outras e disse da derrota, "ele perdeu por causa do calor. Ele não estava com
medo do outro cão, de fato quando eles se refrescaram, ele estava louco para encontrar
seu adversário". Faz sentido que um cão que falhe porque seus sentidos estão
começando falhar (por causa de calor, danos severos, esgotamento ou choque) não
deveria ser colocado na mesma categoria que um cão que hesita porque não deseja
sofrer o que seu adversário vai fazer com ele.

Um Dos esquemas de cabo de correr através do riacho; o cão é um neto de Gr.Ch. Miss
Rage.

Nós perguntamos a ele o que ele achava dos cães de hoje comparados com o calibre dos
cães quando ele começou no negócio. Ele nos disse que a qualidade global de cães de
linha rápidos de hoje está consideravelmente mais alta que trinta ou quarenta anos atrás,
e que há muito mais cães de jogo de alta capacidade com mandíbulas pesadas por aí.

Ele também nos disse que o jeito que os jogos são vistos tem mudado, particularmente
em relação aos 'cães frios'. 'Frio' não um termo que estava no vocabulário ou nas mentes
dos criadores médios quarenta anos atrás; um cão era de jogo ou não. Sr. Hughes acha
que as carreiras de muitos reprodutores com grandes potenciais foram interrompidas por
este modo de pensar.

Parte Dois
Na última edição do Times, nós demos uma breve introdução a uma das 'lendas vivas'
do jogo de cães, O Velho da Montanha'. Nós agora apresentamos a parte II de "O Velho
Homem da Montanha"; uma entrevista que nós conduzimos com Lester Hughes em
Novembro de 1990, em que Sr. Hughes fala - entre outras coisas - sobre algumas de
suas primeiras disputas, e alguns dos „grandes modernos' que ele tem visto em ação.
"Eu comecei a colocar cães pra brigar quando eu era um adolescente" Sr. Hughes
começou; nós estávamos sentados à mesa da cozinha com ele e sua esposa e tínhamos
perguntado a ele como ele começou com os bulldogs.

"Até então todos tinham alguma espécie de cão, e havia sempre uma briga de cães
acontecendo em algum lugar perto daqui. Eu tinha um Collie grande na época, talvez
um puro-sangue, mas pensando bem, eu acho que havia algo de bulldog nele porque ele
tinha uma cabeçona grande com lábios grossos e devia pesar umas setenta e cinco
libras. Seu nome era "Jack". Nós costumávamos leva-lo a toda a parte no condado e ele
batia em todos os cães da área.

Um dia, eu e meu tio estávamos sentados com o Jack no na beira da estrada aqui. (Sra.
Hughes gesticula mostrando a estrada no outro lado do riacho através da janela.)
"Aquilo era mais uma trilha que uma estrada naquela época, somente um caminho sujo
que você podia seguir a cavalo ou talvez em uma pequena carroça.

De Qualquer Modo, depois um momento um homem desceu a estrada com um cão de


pêlo curto. Ele era do Tennessee, e nós tínhamos escutado que seu cão era um lutador de
verdade. Ele desceu a estrada até a velha venda morro abaixo, eu creio, e um instante
mais tarde nós o vimos subindo de volta o morro. Ele olhou para nós sentados lá com
nosso cão o observando, e disse, 'Menino, segure seu cão - este que eu tenho aqui é mau
de verdade”.

Eu e meu tio nos olhamos, como que esnobando, e meu tio respondeu, 'Eu acho que este
aqui pode cuidar de si mesmo.'

'Segure seu cão,' ele repetiu, 'este aqui vai feri-lo se eles entrarem uma luta.' Eu acho
que eu devo ter colocado minha mão no pescoço do Jack, como se eu fosse segura-lo, e
o homem passou andando por nós. Eu esperei até ele passar uns vinte pés mais ou
menos, soltei o pescoço do Jack, e disse 'Pega ele, Jack!' E ele o pegou, mas este foi o
pior erro da vida de Jack.

O Sr. Hughes agitou sua cabeça e um sorriso raro apareceu em seu rosto. "Você não
podia ver o cão menor no meio da nuvem de poeira," ele continuou, "mas quando o ar
clareou o que nós vimos foi Jack nas costas dele. O outro cão tinha um bom estilo de
pegada e Jack estava começando a “cantar”. Um instante depois e Jack não fazia nada
além de “cantar”. Depois que o homem separou seu cão do pobre Jack, eu perguntei a
ele que tipo de cão era aquele. Ele me disse que aquele era um pit bulldog, e aquele foi
o primeiro pit bulldog que eu vi na vida.

Isto foi seis meses antes de eu conseguir meu primeiro bulldog, eu não sei se os
primeiros que eu tive eram muito bons, mas eles venceram algumas lutas de fundo de
quintal. Se um perdia, nós apenas o colocávamos de volta na corrente e dizíamos, “bem,
ele fará melhor da próxima vez”, porque bulldogs eram mesmo raros na época por aqui.

Eu consegui meus primeiros bulldogs de verdade de um homem de Tenesee que o velho


que eu conheci aquele dia com o Jack me indicou. Nós fazíamos algumas lutas terríveis,
e o único condicionamento físico que os cães tinham era caçar conosco no mato. Nós
nunca tínhamos ouvido falar de um esteira de exercícios naquela época.
O Sr. Hughes nos contou que quando ele começou a entrar em lutas mais sérias, muitos
combates eram travados nas “antigas Regras do Campo” ou no “Estilo do Interior”. Em
suas próprias palavras, “nós costumávamos deixá-los lutar ate que o cão de alguém
desistisse, ou um cara entrasse e tirasse seu cão, que eram as regras que nós usávamos
há muito tempo”.

Um dos primeiros cães que ele pôs pra lutar foi seu velho cão “Ranger”, filho de
Cotton´s Bullet; “Eu fui desafiado por alguns trouxas de perto de Smithfield. Quando eu
apresentei meu cão, ninguém me conhecia, e - cara! Eles tinham mesmo dinheiro. Eles
usavam anéis que pareciam valer a minha casa inteira, e abotoaduras de ouro.

Eu não sabia se eu lutaria com o cão ou não, em outras palavras, eles não queriam
aceitar a briga pela qual eu queria apostar. Então um dos sujeitos me abordou, seu nome
era Whitey ou coisa assim, ele perguntou algo sobre o meu cão, e então afirmou
Cavalheiros, qualquer um de vocês que deseje apostar, venham até aqui e deixe-me ver
seus nomes e quem vocês são.

Alguns deles somente olharam abaixo de seus narizes para aquele homem, como se para
dizer, 'você pensa que você tem tanto dinheiro assim?' 'Então ele esticou o braço até o
bolso da frente e trouxe para fora um punhado de notas deste tamanho". (Ele gesticula
com as mãos um chumaço do tamanho de uma laranja) "Parecia que eram todas notas de
cem dólares. Então ele disse, 'Se isto não é o bastante, Eu tenho mais no outro bolso, e
se ISTO ainda não é o bastante, Eu tenho um pouco mais no porta-malas de meu carro!'

Ranger venceu a luta facilmente em cinqüenta e oito minutos, e Whitey pôs todos em
fila, pagando a ele, quando terminou!
A luta tinha sido organizada por um homem chamado Huey Hicks - Jack Kelly
lembraria dele - e um instante mais tarde Huey trouxe-me um cão com o qual ele
desejava desafiar as mesmas pessoas. Eu acredito que na noite em que ele o trouxe aqui,
aquele cão pesava noventa e uma libras. Nós o inscrevemos na luta com setenta e oito
libras, “estilo do interior”. O que eu não soube até depois da disputa acabar foi que este
cão tinha sido batido seis meses antes – pelo mesmíssimo cão com o qual nós o
estávamos colocando agora!
Mountain Man com Ch. Li'l Bill, um filho de seu Ch. Homer, R.O.M.

O nome daquele cão era "Duke"; era um cachorro preto, grande, filho de Big Boy Huey
Hicks, e o único jeito que ele tinha lutado era Estilo do Interior. Evelyn o preparou para
aquela luta”.

Neste ponto, Senhora. Hughes falou; "Ele era tão grande, que conseguia me arrastar;
mas ele tinha sido treinado em obediência e somente aguardava enquanto você colocava
a coleira nele. Então ele pulava para cima da esteira de ripas e se exercitava como louco.
Ele era tão grande como um bezerro".

"Ele era tão bem treinado que uma mulher ou uma criança podiam tratar dele, "Sra.
Hughes continuou, "exceto quando era hora de levá-lo ao ringue. Precisou que William
Cable, Bruce King e eu o trouxéssemos."

Sua esposa riu. "Todos três tiveram que carregá-lo, um no meio, um atrás, e um na
frente, e o que ficou com a frente teve que segurar sua cabeça muito bem. Se a cabeça
dele fosse deixada solta, ele morderia alguém.

"Ele estava soltando uma espécie de grunhido, lá do fundo da garganta - isto era
apavorante de se escutar. "Sr. Hughes continua, "L.P. preparou e tratou o outro cão, e -
garoto, não havia maneira de eu vencer. Eles estavam bastante confiantes - seu cão já
tinha batido o meu uma vez - e tinha todo os tipos de artimanhas na luta.

Nós os soltamos e Duke foi pra cima e agarrou aquele cão. Eu não acho que havia um
cabelo do outro cão tocando o chão por aproximadamente um minuto mais ou menos.
Senhora. Hughes acrescenta: "Aquele cão ficou lá por mais de três horas - você sabe
quanto tempo é isto. Foi tão longo que eles quiseram deixar o Lester sair e mudar os
competidores, mas a única razão pela qual Duke continuou lá foi porque Lester estava
falando com ele e o encorajando.

"Se eu saísse, ele sairia, também. A certa altura, L.P. disse, 'Por que você não sai do
caminho de seu cão e o deixa ir?' Então Eu disse, 'O.K., Eu saio do caminho.' e andei
para o lado. Aquele cão veio para onde eu estava parado e me olhou, então olhou de
novo para o outro cão - que estava indo abaixo. Então ele voltou e agarrou a garganta
daquele cão e começou a sacudi-lo outra vez."

"Depois, Duke estava perdendo, e Lester foi de joelhos com sua face voltada para Duke,
falando com ele," Senhora. Hughes disse, "Duke se recuperou - Lester deve ter falado
para ele se manter sobre seus pés, e L.P., voltando-se para a platéia, disse: 'Eu não o sei
que Sr. Hughes está dizendo para este cão!"

Sr. Hughes e Duke venceram a luta; depois de três horas e vinte e cinco minutos, o
outro lado reconheceu que seu cão estava morto e desistiu.

"O velho Ranger, eu não sei quantas venceu no Estilo do Interior, mas ele bateu a todos
que nós colocamos na frente dele. Aquele filho da mãe poderia até me atacar, se eu não
fizesse o que ele queria. Eu lembro de uma vez quando eu o mantinha em uma corrente
de vinte pés atrás o celeiro; Eu me aproximei dele e notei, quando cheguei, que ele tinha
um olhar selvagem nos olhos. Eu não estava realmente seguro se ele pretendia ficar
amigável ou me morder, mas quando eu cheguei mais perto ele veio pra cima de mim,
com a boca aberta, e eu percebi que ele estava vindo direto para o meu rosto. No último
minuto, eu desviei.

Evelyn tinha me dado um casaco novo de inverno para o Natal, e Ranger pegou o
colarinho do casaco e dilacerou uma grande tira de mais ou menos cinco polegadas nas
costas; depois ele levou a tira para o chão, sacudindo como tinha direito.

Sua esposa fecha os punhos e imita como se estivesse batendo em alguém com um
gancho, "Quando Ranger deu o bote nele a segunda vez, Lester bateu nele assim, e os
olhos daquele cão viraram para trás, sua língua saiu pra fora de sua boca, e ele caiu
espatifado".

"Eu o desmaiei, e pensei que o tivesse matado. Quando ele veio para cá, ele estava tão
amigável quanto um filhote. Eu acredito aquele cão tinha “flashbacks” ou algo assim; a
maior parte do tempo ele gostava de mim até morrer, mas de vez em quando ele me
olhava como se dissesse, 'que inferno é você?' Uma vez eu estava vindo com o balde de
comida –na época aqueles baldes de cinco galões eram de metal, não plástico - e ele me
pegou outra vez. Eu bati com o balde na sua cabeça tão forte que eu pensei que o tivesse
matado – o desmaiei, outra vez. Depois ele acordou e agiu como se nada tivesse
acontecido.

Em outra ocasião, Eu o estava preparando para o que nós chamamos de 'Merry - Go-
Round' (“passeio feliz”). Eu tinha colocado um frango em uma gaiola para ele caçar.
Ele pegou pesado, foi tão rápido que o frango ficou em pedaços. Eu bati nele com o
frango, mas ele decidiu que ia pegá-lo de qualquer jeito. Cara! Nós tivemos uma luta
terrível aquele dia"!

Senhora. Hughes acrescentou, "Você nunca podia virar suas costas para o Ranger, ao
menos eu nunca fiz isto. Você nunca sabia realmente o que estava passando na sua
cabeça". Ela voltou-se para seu marido, “Lembra aquela noite que Ranger fugiu e
avançou em um outro cão lá embaixo no rio?”

Sr. Hughes acenou. "estava totalmente escuro e no meio do inverno. Ranger esteve para
afogar o outro cão. Eu pulei dentro do riacho e quase congelei até a morte, separando-
os”.

Até este ponto, Sr. Hughes esteve sorrindo e brincando enquanto relembrava Duke e
Ranger, mas agora ele ficara sério outra vez. "Eu não costumava ver muito perigo em
algum que fosse vicioso; eu sabia que um bulldog podia ferir um homem, mas Eu não
acho que eu realmente compreendia o quanto - eu não tinha medo dele. Agora eu sou
muito mais precavido com cães que mordem gente, eles podem realmente ferir você, até
mesmo matar você. Eu honestamente não acredito que um homem adulto possa vencer
um pitbull de 65 libras sem uma arma, se ele resolver atacá-lo”.

Nós perguntamos ao Sr. Hughes sobre algum dos cães famosos que ele viu lutar, e como
ele poderia classificá-los, começando com o Ch. Rascal;

"Cara, ele era mesmo um bulldog. Ele venceu cinco lutas de contrato e várias outras
solto da corrente, mas não podia ser reconhecido como um grande campeão porque ele
perdeu sua primeira luta. Eu estive naquela luta; estava fazendo uns 35 graus aquele dia
e Rascal estava com calor e não quis brigar. Ele não fugiu da luta, em outras palavras,
ele não afinou. Eu já vi muitos cães fazerem isso, e muitas pessoas gritando, 'ele é um
fraco!', mas se um cão não começa a brigar isto faz não necessariamente dele um fraco.
Houve muitos cães destruídos como fracos que não eram.

Eu nunca vi um cão que pudesse passar Rascal para trás, até mesmo um para o qual ele
perdeu morreu menos de uma hora e meia depois da disputa. Eu coloquei um cão com
ele uma vez, um cão duro pra valer filho de Big Boy, que eu nunca tinha visto qualquer
cão vencer. Rascal o passou para trás - e continuou passando, por mais de uma hora, até
que ele desistiu.

Rascal lutava em qualquer estilo, mas gostava de trabalhar com a cabeça. Ele podia
superar qualquer estilo de um cão que fosse posto com ele. Eu acho que há tantos bons
cães originados de Ch. Rascal quanto de qualquer cão que tenha sido criado nos últimos
vinte e cinco anos.

O cão de Stomponato poderia ser comparado ao Rascal; tinham o mesmo pai e suas
mães quase foram a mesma. Eu sei que as duas linhagens parecem combinar muito bem.
Susie era originada de Stomponato e produziu alguns filhotes muito bons de Rascal Jr.
Stomponato era um cão de boa aparência e boa estrutura, Eu nunca o vi enrolado, de
fato eu escutei duas estórias diferentes sobre o cão; uma foi que ele tinha vencido dois
no México, e a outra foi que ele estava “frio”. Eu não sei se ele estava frio ou não, mas
muitos bons bulldogs hoje em dia possuem o sangue de Stomponato.

Buster foi outro sobre o qual eu escutei duas estórias diferentes; que ele venceu uma
luta, e que ele ficou “frio” também. John Shivar o trocou com Maurice Carver por um
lote de Whisky, eu soube. Ele ficou com Buster duas semanas ou dois meses e então ele
morreu. Loposay ficou com o cão e ele morreu antes de ter Buster, pelo mesmo período
de tempo.

Eu comecei a produzir filhotes de Buster quando ele estava muito velho, mas não tinha
nenhum filhote. Ele produziu alguns muito bons; sua filha Gr.Ch. Miss Rage matou
todos os cães com quem ela lutou menos um, que ela matou, também, na segunda vez
que ela enfrentou.

Eu vi Midnight Cowboy em ação; ele era um cão preto e pequeno, curto e como que
tinha as pernas arqueadas. Ele foi realmente um bom cão - um dos melhores, em minha
opinião. Eu o colocaria ele entre os dez mais de todos os cães que eu já vi lutar. Ele
mordia bem e forte, não tão forte como alguns cães que eu já vi, mas forte o bastante
para vencer.

Eu vi Chivo matar um cão de Billy Collins em menos de trinta minutos - Deus, ele era
um bulldog! Eu diria que ele está também entre os melhores que eu já vi".

Sr. Hughes também citou Gr.Ch. Boomerang como um dos melhores, "Ele foi um , ele
disse, mas ele acha que o cão mais feroz e mais durão que ele já viu foi Gr.Ch. Zebo.

"Ch. Homer era um mordedor da pesada, mas o Zebo foi o mais durão. Suas lutas nunca
duraram muito, o que mostra que ele era bastante feroz para matar seus adversários.
Eles dizem que Greaser não morreu; Eu não sei se ele morreu ou não, mas eu nunca
escutei qualquer um falar sobre ele depois, ainda que eles digam que ele foi aposentado
para seleção. Não havia mesmo muita competição naquela luta, mesmo que Greaser não
tivesse três libras de vantagem.

Eu vi o cão do velho Tramp, Red Boy, em ação - ele me venceu, uma vez. Ele foi um
bom bulldog, sólido. Algumas pessoas dizem que ele não conseguia morder - que ele
venceu porque ele não tinha nenhum adversário à altura. Huey Hicks trouxe uma cadela
grande para mim que ele desejava desafiar com Red Boy o, e eu o fiz, e por
aproximadamente quarenta minutos parecia que ela ia matar Red Boy lá no ringue.
Então ele começou a morder na cabeça dela tão forte - e ele mordia mesmo forte. Ele a
venceu em uma hora e dezessete minutos.

Aquela foi a única vez que eu desafiei uma fêmea contra um macho, e não foi meu
desafio. Até então isto era raro, e eu não creio nisto. Não é justo para nenhum dos dois,
há vezes que um macho não luta com uma fêmea como faria com outro macho – na
maioria das vezes a fêmea poderia ter uma vantagem por causa disso, e uma fêmea nem
sempre luta com um macho com a mesma vontade que lutaria com outra cadela. Esta é
somente minha opinião, alguém mais pode pensar de forma diferente".

O Sr. Hughes também viu a grande Ch. Honeybunch em ação, e disse para nós, "Eu
acho que ela era uma das melhores cadelas que eu já vi. Na primeira disputa ela bateu
em um cão que eu treinei e condicionei – e o matou. Eu fui à sua disputa seguinte,
contra uma cadela chamada Bonnie. Ela matou aquela lá, também."

Nós fomos de alguma forma surpreendidos por sua resposta quando nós perguntamos a
ele sobre Finley´s Ch. Bo; Ele o viu lutar e, perguntado se ele foi um bom cão de jogo:

"Não, "ele respondeu, "ele se recusou a lutar na frente de setenta e cinco a cem pessoas,
quando ele perdeu sua segunda luta para o Vindicator. Eu não poderia dizer que ele era
um fraco no rank, de fato Vindicator era provavelmente o único cão que podia
realmente vencê-lo.

Bo pegou a cabeça do Vindicator nos primeiros quinze minutos mais ou menos. Ele
tinha uma boca muito boa e estava mordendo duro. Mas então o Vindicator começou a
atacar suas pernas frontais muito duramente; ele trabalhou em uma primeiro, então na
outra, então voltou para a primeira, e assim por diante, e Bo começou a “cantar” um
pouco.

L.P. apostou com Bob uns cem dólares que ele não conseguiria lutar, mas ele começou e
Bob o escolheu. Ele se recusou a ir adiante em sua escolha de cortesia. Quando ele ficou
na linha, minhas palavras exatas ao Bob foram, "Bob, ande até o outro canto e veja se
ele seguirá você”. Ele o fez, mas Bo somente se virou e olhou para o canto do ringue.
Bo veio a vencer 5 ou 6 lutas mais depois que ele desistiu aquela vez.

Eu não vi Gr.Ch. Snake Lutar, mas o James Crenshaw me disse que ele foi um inferno
de cão. Ch. Jeep foi um bom cão de jogo, mas eu já vi melhores. Eu não desejo
menosprezá-lo, ele somente não era o grande cão de todos os tempos como algumas
pessoas dizem que ele foi.

Ele era mesmo de jogo, qualquer cão que luta três horas e quarenta e cinco minutos é.
Eu conheço algumas pessoas que dizem que ele não podia aceitar o mesmo abuso que
ele sofreu naquela disputa; ele esteve na frente naquela luta uma desde o começo, mas
provou na disputa com o cão "Wiener" que ele podia voltar para vencer.

Eu não vi aquela luta, mas eu ouvi que Weenie o confundiu durante uma boa parte
daquela disputa. Weenie era um cão de aparência engraçada; ele era 'um cão de altura e
dois cães de comprimento.' Eu vi um monte de cães desenvolvidos como ele, que
podiam realmente morder pesado e tinham muita força para isto".

Nós perguntamos ao Sr. Hughes qual foi o cão que mordia mais forte que ele já viu
desde Gr. Ch. Zebo, e a cadela que mordia mais forte:

"O cão mais feroz que eu vi nos últimos dez anos, mais ou menos, é o Ch. Homer. Até
onde eu sei, nenhum cão conseguiu ficar meia hora com o Homer e sobreviver. Ele
também matou vários cães em lutas antes de eu encontrá-lo.

A melhor (e mais feroz) cadela que eu já vi é Gr. Ch. Spookie, filha de Homer e Susie -
Eu criei Spookie e a ensinei antes de vender ao Ricky Jones. Durante aquele tempo Eu
me livrei de vários cães aos quais eu acho que não dei uma avaliação justa; Eu tinha
colocado eles contra a Spookie e eles pareciam mal, mas o Spookie era tão boa que ela
fazia qualquer cão com que lutava parecer mal.

O único cão que eu já vi se sair bem contra ela foi a cadela que Bobby Hall colocou
com ela, Jeanette. Ela lutou com a Spookie por mais de uma hora. Spookie levou uma
terrível mordida na cabeça, mas estava no tórax da outra cadela o tempo todo. Ela
conseguiu deter Jeanette; ela se recusou a lutar em uma hora e quarenta e dois minutos.
Eu tenho escutado pessoas dizerem que ela não conseguia lutar mais, mas ela podia
continuar.

Parte Três
"A primeiríssima vez que eu vi Zebo, ele me mordeu" Sr. Hughes começou a dizer.

“Eu e William Cable tínhamos vindo para a casa do Lonzo para ver seus cães. Lonzo
mantinha seus cães presos ao longo dos lados de um caminho estreito, e se você dava
um passo no caminho errado, eles podiam alcançar você. Eu comecei a andar ao longo
do caminho atrás de Lonzo através dos cães e parei e perguntei a ele se quaisquer dos
cães podiam nos alcançar. „Não, e eles não morderiam você sabe como‟, ele respondeu,
e nós continuamos andando.

Nós andamos uns poucos passos à frente e um cão preto atingiu o fim de sua corrente e
me agarrou pelo braço. Eu recolhi meu punho e o atingi na mandíbula, derrubando-o;
aquela foi a primeira vez que eu pus os olhos em Zebo.

Willie Brown esteve lá com sua esposa e filha, e ele e o Lonzo estavam manejando um
punhado de cães. Eles puseram uma das cadelas do Willie com Lena - que era irmã do
Zebo, e então eles colocaram Vindicator e Zebo juntos.

Isto foi uma partida curta, do jeito que aqueles cães estavam se ferindo, a luta não
poderia durar muito sem que se matassem. Vindicator estava realmente punindo as
pernas frontais do Zebo, mas o Zebo estava ferindo o nariz do Vindicator fazendo
buracos em seu focinho do tamanho de meu dedinho, e o sangue estava escorrendo por
todo lado.
Um dos cães de Mountain Man, Ch. Homer, R.O.M.

Vindicator era o favorito do Lonzo, mas Eu perguntei a Willie particularmente de que


cão ele gostava mais, e ele disse que tinha visto ambos lutando antes e ele gostou mais
de Zebo. Eu gostei muito do cão, mas eu não comprei Zebo aquele dia.

Eu voltei dois meses mais tarde, e Lonzo tinha colocado Zebo com um cão que pesava
mais de oitenta e cinco libras, eu creio que seu ombro tinha sido realmente danificado".

Senhora Hughes acrescentou, "Sua pata estava como que pendurada, parecia que estava
perto de ser arrancada.

"Eu comprei Zebo e trouxe ele pra casa. William Cable o levou para seu veterinário e
seu ombro foi reconstruído. O custo de cirurgia foi de setenta e cinco dólares, que era
muito dinheiro, naquele tempo.

Lonzo me vendeu Zebo a tempo; Eu paguei ele um dinheirão em um mês, então outro
tanto no mês seguinte, até que ele foi todo pago. Ele ainda levou pessoas a acreditar que
eu ainda devia a ele por causa de Zebo, mas eu paguei a ele cada centavo. Em uma data
posterior eu voltei e comprei mais quatro filhotes fêmeas do Lonzo, filhas de Mike e
Angie, e paguei por aqueles no tempo certo, também, mas Eu segurei vinte dólares de
volta em cada filhote quando eu paguei a ele porque Willie Brown tinha me dito que eu
nunca veria os papeis deles, que Lonzo não gastaria dinheiro para manda-los, e esta é
que é a estória dos oitenta dólares que eu devo a Lonzo Pratt.

Dos cinco cães que eu comprei do Lonzo, Eu consegui três realmente bons, eu dei a ele
um extra por isso. Toda vez que você compra cinco cães de um homem você mais
provavelmente vai conseguir cinco molóides, em vez de três bons cães. Solitário venceu
duas, e outra cadela que era muito violenta morreu em uma luta no canil. Dos dois que
não deram certo, um ficou “frio” e o outro vencido lutou quinze minutos e desistiu.
Depois que seu ombro foi todo curado, eu trouxe Zebo.

Sua primeira luta foi muito fácil, a disputa era contra o cão de um amigo meu, com
quem eu trabalhava, e o cão tinha quarenta libras. O cão que ele trouxe tinha na verdade
umas trinta e cinco libras mas estava pesando quarenta libras, e Zebo o matou em
dezessete minutos.
Bob Finley tinha um cachorro campeão por duas vezes chamado Pete, e nós desafiamos
em quarenta e duas libras. Pete tinha vencido suas lutas com um peso mais alto, e Zebo
entrou com quarenta e uma e três quartos, o que também era pesado para ele. Ele era um
bom cão, feroz e durão, forte, senão ele estaria em dificuldade. Zebo matou Pete em
vinte e seis minutos.

Sua próxima luta foi com um cão do meu amigo do serviço outra vez, e aquela foi uma
luta bem bonita, mas o Zebo venceu em aproximadamente trinta minutos e aquele cão
morreu, também. Seu cão estava violento e dominaria no fim da luta, se ele pudesse. Eu
não creio que aquele homem tenha mexido com qualquer outro bulldog depois disso; ele
foi para a polícia de uma hora pra outra - ainda está, se ele não tiver se aposentado, e eu
não sei se ele é um assistente de xerife ou algo assim, ele está no topo da lei.

Júnior Bush ligou e disse ele tinha uma disputa para o Zebo no Alabama, contra o cão
de um sujeito conhecido pelo nome de Eslinger que estava muito envolvido com cães
naquele tempo. Nós os soltamos, e quando aquele sujeito viu o que estava acontecendo,
eu notei que ele pareceu gostar do que via. Ele caminhou para onde eu estava e disse,
'Aquele ali pode matar um cão, não pode?' e eu respondi, 'sim, só recentemente ele
matou dois, e se você não recolher o seu, matará a ele também.' E Zebo assim fez,
vencendo a luta em vinte e três minutos.

Dave e Roger Adams tinham visto Zebo no dia em que ele lutou no Alabama. Dave
olhou para ele, apontou para o traseiro dele, e me perguntou por que ele não tinha
quaisquer cicatrizes lá. Eu respondi, 'Até onde eu sei, nenhum cão conseguiu morder ele
naquele lugar.' Ele me ligou depois daquela disputa, querendo comprar o Zebo e eu
disse a ele que eu não desejava vender o cão. Ele me fez uma oferta, e eu fiz a ele uma
contra-proposta que eu achava que ele nunca pagaria pelo cão, e aquele foi o fim da
conversa. Eu estava tomando café da manhã no dia seguinte quando olhei pela janela
para ver o carro do Dave Adams entrar dentro do meu quintal. Ele tinha vindo buscar
Zebo.

Ele quis tirar o Zebo da corrente ele mesmo; uns poucos momentos mais tarde eu o vi
fugindo da casa de Zebo, o cão tinha quase mordido nele e o estava perseguindo. Eu tive
que levar o Zebo para dentro do seu carro sozinho. Eles não tinham trazido uma caixa
ou caixote com eles, e quando eles saíram Zebo estava correndo no banco da frente
entre eles, olhando pela janela. Eu estava imaginando se durante o tempo que eles
levariam para chegar até Ohio eles teriam o rosto intacto!"

Sr. Hughes agita sua cabeça, rindo, e continua, "Eles o desafiaram com aquele cão do
Greaser, que eu acredito que era quatro vezes campeão, e havia uma boa†estória por trás
disso, cada lado tentando organizar o outro lado. Eu queria ter visto a disputa, mas meu
carro quebrou em algum lugar da Virginia, assim eu apenas virei e voltei pra casa.

Lá pelas três na manhã, o telefone tocou, e era Dave Adams. Eu pensei Zebo tinha
desistido e fugido do ringue, e ele devia estar realmente louco da vida comigo, para
ligar naquela hora. Ele disse, 'Você nunca vai acreditar no que velho Zebo fez!' e antes
que ele pudesse dizer algo eu disse a ele, ' Bem, Eu gosto dele, então apenas me envie
ele de volta para mim se você não o deseja!'
O motivo porque ele tinha ligado foi para me contar que Zebo tinha subido três libras e
vencido em menos de duas horas. Depois foi quando o filho do Dave Adams ficou
ferido, e Zebo mordeu mesmo aquele menino - eu vi seu rosto e dava pra ver que Zebo
mordeu ele pra valer - e ele vendeu Zebo para um sujeito chamado Johnson. Eu acredito
que Zebo venceu mais duas depois daquela, uma contra um sobrinho dele, filho de
Cush, em dezoito minutos.

Zebo foi o mais feroz cão que eu já vi, e gostava de morder no tórax. Uma vez que
pegava o tórax, ninguém tirava ele de lá, e se fizesse, ficaria tão fraco com os
ferimentos que já não poderia fazer mais nada. Quando um cão estava caindo, Zebo
pegava nas pernas frontais e as agitava tão forte que o cão nem mesmo encostava no
chão. Ele podia adotar qualquer estilo que um cão tivesse; se um cão lutava com a boca,
ele não poderia agüentar por muito tempo, pois Zebo mordia tão forte que o cão fugia
da mordida bem rápido e tentava alguma coisa diferente.

Quando eu o peguei, os dentes de Zebo estavam gastos e planos, mas os caninos dele
eram tão compridos e grossos como meu dedinho até a segunda junta, e eu não Estou
exagerando. Ele matava um cão, e não saía uma gota de sangue. Eu não me lembro de
ver muito sangue em qualquer das lutas dele - eu não creio que houvesse muita
competição na disputa com o Greaser, já que não tinha mais que uma pequena vantagem
de peso sobre o Zebo. Eles dizem que ele sobreviveu e foi aposentado para seleção, e
talvez ele tenha sido, mas eu nunca escutei mais ninguém falar dele, ou de qualquer
filhote dele.

Adams Cr. Ch. Zebo (R. Johnson) - um grande vencedor por 7 vezes; o Homem da
Montanha treinou Zebo em suas primeiras quatro vitórias antes de vende-lo para
Dave Adams.
Zebo mordia; ele morderia você ou morderia um estranho. Não o tempo todo; havia
vezes que ele ficava amigável como um filhote. Mas se você andava até perto dele e
seus olhos ficavam redondos e arregalados, o único jeito de evitar ser mordido era ir
embora de perto dele rápido! Quando ele mordia, ele não apenas mastigava e soltava,
ele mordia como fazia em um cão, segurando e sacudindo.

Uma vez menino um garotão da Carolina Do Sul esteve aqui para ver os cães com
alguns amigos. Eu acho ele pesava umas duzentas e cinqüenta libras; grande, todo
músculos, você sabe. Nós começamos a olhar os bulldogs, e ele foi direto ao Zebo.
Antes disso nós o tínhamos prendido lá fora na macieira velha. Eu disse para ele, 'Não
toque naquele cão, ele morderá você!'

Ele respondeu, 'Eu treino cães a vida toda, e não há um cão no mundo que eu não possa
domesticar.' e eu disse a ele, 'bem, você não pode domesticar aquele ali.' Ele olhou para
o Zebo e disse, 'este cãozinho é amigável, olha só como o seu rabo está sacudindo!' Eu
disse 'ele está somente antecipando o quanto ele vai gostar de morder você!'

Eu e os outros caras andamos para cima do morro para ver os outros cães, e nós não
andamos nem dez pés antes de eu escutar aquele garoto gritando. Ele estava segurando
seu braço para cima, e Zebo estava pendurado nele, sacudindo. Eu tive que pegar um
bastão para afasta-lo, Eu não acredito que havia qualquer jeito de manter aquele garoto,
grande como ele era, a salvo de Zebo, e no fim Zebo acabou por pegá-lo."

Nós todos rimos e a Senhora Hughes falou sobre Zebo. "Zebo foi nosso cão de casa, foi
antes que nós tivéssemos crianças, e ele costumava andar conosco de carro. Eu o
colocava no assento de trás, mas ele nunca ficava lá. Ele saltava para o assento frontal e
sentava a meu lado, olhando a janela e estalando suas mandíbulas, você sabe, como eles
fazem quando eles estão excitados ou nervosos.

Ele me assustava às vezes fazendo aquilo, sua cabeça a umas poucas polegadas de meu
rosto e aquelas mandíbulas estalando e tremendo. Ficava assim até eu não agüentar
mais, e então eu o jogava de volta no assento de trás, mas ele apenas saltava de volta
entre nós e subia de novo do meu lado.

Um dia nós estávamos a caminho de algum lugar e eu o estava empurrando para trás, e
ele estava pulando de volta no meu colo, inúmeras vezes. Lester se aborreceu conosco
lutando assim, ele pisou nos freios, se virou e voltou. Ele nos tirou do carro e foi
embora!

"Eu não acho que você poderia me alcançar com sua mão e me tocar no ombro antes do
Zebo comer seu dedo," Sr. Hughes continua, "Eu estava andando com ele no
estacionamento antes da luta no Alabama e Júnior Bush veio apertar as mãos de
William Cable. Quando suas mãos se encontraram, Zebo os pegou pela mão - não
colocou muita pressão, somente agarrou suas mãos rapidamente." Sr. Hughes volta-se
para sua esposa. "Que disputa foi aquela que eu trouxe Zebo pra casa e o coloquei no
quarto do celeiro, e ele dilacerou tudo e comeu o telefone?"

Sra. Hughes pensou, e respondeu, "eu não me lembro, mas eu lembro a vez que você o
trouxe de uma partida com a cabeça inchada como um melão e os olhos inchados quase
fechando. Nós tínhamos um gato preto na ocasião, e estava em algum lugar na casa
quando Lester trouxe Zebo pra dentro. Nós não pensamos que Zebo pudesse ver nada,
mas assim que Lester o soltou ele correu atrás daquele gato, e eu atrás dele, tentando
pegá-lo antes que ele pegasse o gato"! Sr. Hughes acrescentou. "Outra vez o nosso
grupo estava voltando de uma partida com Zebo. Todo o mundo menos o motorista
dormiu, e nós tínhamos deixado Zebo solto achando que ele estava tão ferido que só
descansaria. Quando nós acordamos, Zebo tinha mastigado a couraça dele e comido
parte dela, e mastigou meu cinto comigo dentro enquanto eu estava adormecido e
comeu parte dele. William Cable morreu de rir. Ele achou que era muito engraçado até
que ele deu uma olhada no o suéter dele para vestir. Ele tinha um desses suéteres caros
com os remendos de couro nos cotovelos. Zebo comeu todo o pedaço de couro, e comeu
o colarinho também. William não estava rindo mais depois que viu o suéter dele!

Nós perguntamos para Sr. Hughes o que Zebo produziu enquanto ele o teve, e por que,
na opinião dele Zebo não é conhecido como um reprodutor muito bom.

"Eu nunca cruzei Zebo com qualquer cadela externa ao canil enquanto eu o tive, mas eu
o cruzei com duas ou três cadelas aqui. Eu o cruzei com uma cadela de Bruce King e
nós conseguimos alguns bons resultados. Um foi envenenado, Um se enforcou, e dois se
afogaram acidentalmente. Eu acredito que eles teriam sido vencedores. Eu o cruzei com
Lonesome, e nasceu um punhado de cachorros bons que eu nunca poderia ter desafiado.
Eles eram do mesmo tamanho dele. Gator era um deles, e ele era sobre a coisa mais
parecida com Zebo que eu jamais vi, até onde eu sei. Eu o coloquei com o irmão dele,
Blue, que era outro bom, mas Gator o arruinou - ele arrancou fora literalmente parte do
focinho dele, dentes, osso e tudo. Blue nunca se recuperou e, por fim, eu tive que
sacrifica-lo.

Eu não competi com Gator porque ele se soltou e avançou em um cachorro que estava
preso em uma corrente perto do rio. Eu estava com uma perna quebrada na ocasião e
não pude chegar lá rápido o bastante para separa-los isto antes que os dentes de Gator
fossem arruinados.

Eu acredito houve outro naquela lista que eu chamava de Pequeno Zebo, um cachorro
bem pequeno que eu vendi a alguém nas redondezas de Lenoir, Carolina do Norte, mas
eu perdi aquele de vista. Eu consegui cinco machos filhos de Zebo que eu pensei que
seriam cachorros realmente bons, mas nunca tive uma chance para competir com eles, e
eu consegui uma porcentagem boa de cachorros “frios” que não eram de nada.

Jack Swinson tinha aquele cachorro Zebo Jr. que você vê em uma foto no livro grande
do Stratton, ele era um cachorro realmente rude, mas pelo que eu entendo, não virou
nada. Eu tenho fotos dele em algum lugar lutando com um cachorro chamado
Bumerangue e você pode ver o sangue verter do ombro dele, onde Zebo Jr. estava
mordendo, para a perna, mas eu creio que Jack Swinson me disse que o cachorro
desistiu.

Eles acasalaram muito Zebo em Ohio, e eu acredito que pelo número de cadelas que ele
foi cruzado, que ele não produziu muita coisa boa. Eu sei que eu tive mais filhotes de
Zebo me desapontando que qualquer outra linhagem, entretanto um dos problemas
maiores que eu tive com eles era dentes fracos; pelo menos um de todos três cachorros
de Zebo que eu competi perdeu os dentes.

Bill Stepp teve alguns cachorros filhos de Zebo, Willie e Ruby, esse era realmente bom,
e o Larry Combs me falou que se ele tivesse registrado todas as vitórias que ele teve
com filhos de Zebo, teria posto Zebo no topo do Registro da lista de Mérito.

Nós perguntamos para o Sr. Hughes se ele pensava que havia qualquer filho de Zebo
ainda vivo que ele achava que era do calibre de Zebo, e a resposta dele era, "eu nunca vi
o McGee Panther lutar, mas o que todo o mundo me contou da habilidade dele foi que o
viram detonar, acredito eu que ele é a coisa mais próxima a Gr.Ch. Zebo que há hoje ".

A conversa mudou para Mountain Man's CH. Homer R.O.M.e nós perguntamos como
ele veio a conseguir Homer.

"Homer começou a vida dele no quintal de Wayne Huneycutt; Wayne repetiu uma
procriação que Tony Marks tinha feito, Little Rascal com Midnight. Eu fui lá para olhar
os cachorros dele, e ele tinha vinte ou trinta filhotes de cachorro no quintal naquela
ocasião, e Homer era um deles, outro era Festus, que era chamado Snooty, e outro era
Munroe eu comprei dois deles, e algum tempo depois eu comprei outro, e troquei Festus
por Snooty.

naquele tempo os cachorros estavam crescidos e eu estava tentando pôr Snooty para
competir com um cachorro numa que um companheiro estava se vangloriando, um
cachorro filho de Zebo. Eu estava tentando para desafia-lo com quarenta e cinco libras
mas eles quiseram ir com quarenta e três. Eu tinha negociado Homer de volta com
Wayne Huneycutt em uma época, e eu troquei Snooty de volta por Homer.

Outra visão de Ch. Homer depois que ele ganhou do cachorro de Wreekers.

O outro competidor mudou o peso do cachorro deles novamente, e eu nunca os desafiei.


Eu acredito que eu mantive Homer nesta época e o competi com um cachorro filho de
Zebo, e ele o arruinou em aproximadamente cinco minutos, arrancou fora parte de sua
mandíbula. Eu deixei para Wayne o levar de volta e o cruzar um pouco, então eu o
coloquei com um cachorro filho de Gator com uma filha de Gr.Ch. Art. Aquele
cachorro parecia o melhor de quaisquer cachorros com que eu já vi o Homer lutar, mas
ele arruinou aquele também, quebrou seus dentes fora.

Ambos esses cachorros tinham gostavam de lutar com a boca, e isso era o engano deles,
ir para o boca a boca com o Homer. As mandíbulas dele e os dentes dele eram tão fortes
que ele podia rasgar os dentes de outro cachorro fora. Isso é a vantagem de um cachorro
com uma boca bem forte; eles podem arruinar a boca de outro cachorro sem ter os
próprios dentes danificados.

Eu tinha todos os tipos de pedaços de osso das mandíbulas de cachorro, que Zebo e
Homer arrancaram fora das bocas de outros cachorros. Eu acredito que eu os dei a
algum companheiro que quis fazer um colar deles.

Homer lutou sete vezes, quatro vezes por mim. A primeira dele não era muito mais que
uma briga; algum menino lá na Carolina do Sul tinha um cachorro que ele tinha
trabalhado para uma partida, e eu tinha desafiado o D. Holcolmb a quarenta e três libras.
Jt era um desses cachorros de Yellow John, um dos dois irmãos que foram ambos
campeões depois disto. Eu acredito que foi uma semana antes da briga que o
companheiro que estavam condicionando o cachorro me ligou e me contou que Homer
estava doente e era melhor eu pagar a multa. Eu fiz isto, e trouxe Homer para casa.

Quando eu estava caminhando com ele para o pôr na corrente, ele chutava folhas daqui
até a margem do rio, e o pelo dele estava lustroso como dinheiro novo. Eu pensei que se
ele estava mesmo doente, ele tinha se recuperado muito rapidamente, então eu me
lembrei do menino em Carolina do Sul que estava querendo competir com o cachorro
dele e nós colocamos Homer com ele. Homer matou o cachorro em menos de vinte
minutos.

A próxima partida dele foi com Johnny Johnson, ele disse que tinha um cachorro que
ele achava que bateria no Homer, um cruzamento das linhagens Zebo/Red Boy, ele era
um dos cachorros mais espertos que eu vi, ele me preocupou durante os primeiros vinte
minutos. Ele catou Homer pela orelha e ele era tão rápido que eu não achei que Homer
pudesse correr rapidamente o bastante para manter o ritmo dele. Homer estava atacando,
e ele desviando. Assim que o rabo dele encostava o lado do ringue, ele manobrava na
outra direção.

Depois de vinte minutos nisso, Homer começou a pegá-lo cada vez mais, e pegar no
tórax do cachorro. Você podia ver os olhos do cachorro dilatar toda vez de Homer o
pegava em um canto e o levantava. Um dos índios lá era dono do cachorro, e era de
estimação da família dele. Eu lhe falei, 'Ele está matando seu cachorro'. O Johnny riu e
lhe falou, ' Ele está só esperando você pegar o cão porque ele tem medo de perdem esta
briga', então eu disse, ' Isso é escolha sua, menino, deixe ele ir.' Eu acredito que durou
cinqüenta e oito minutos, o cachorro deles não pôde mais lutar, e morreu brevemente
depois.

Ele ganhou uma entre aquela partida e a próxima que ele nunca recebeu qualquer
crédito; Eu deixei para Ken Murray o levar e o deixar pronto para um cachorro que
tinha batida em um dos irmãos dele. Ken ligou algumas semanas depois e disse, 'nós
vamos ter que pagar multa, Homer perseguiu uma galinha por uma janela de vidro e se
cortou a cabeça toda.

Eu estava suspeitando que Homer não passou por nenhuma porta de vidro,
especialmente quando ele ofereceu pagar a multa para mim. Aproximadamente um ano
depois um dos amigos dele teve uma derrota com ele e me chamou. Ele me contou que
um dos amigos de Ken tinha um cachorro ali que eles estavam preparando para uma
partida e ele pensou que o cachorro pudesse bater em Homer. Ken o desafiou com o
cachorro com uma aposta de oitocentos dólares e ele matou o cachorro em dezoito ou
vinte minutos.

Miller's Ch. Li'l Bill, criado por Mountain Man, filho de Ch. Homer e
Susie, filha de Stomponato.

A próxima partida dele, o nome do cara que fez a partida era Hensley, eu acredito, mas
foram Larry Jarrett e irish Jerry que vieram, com um cachorro deles chamado Bar
Room. Ele era um cachorro bom; ele nunca ficou à frente de Homer, mas ele lutou um
pouco atrás durante uma hora. Eu lhes falei se eles recolhessem o cachorro deles, eu o
compraria e eles disseram que eles fariam, eles o apanhariam em mais uns cinco
minutos. Eles esperaram muito tempo; o cachorro tentou atacar e caiu. Eu peguei Bar
Room eu mesmo e tentei ver se ele agüentava. Ele começou e caiu novamente. Eu tentei
salvar o cachorro, mas ele morreria de qualquer maneira.

Logo eu quis desafiar Eddie Frederick, ele tinha um cachorro chamado Veneno que
tinha ganho uma luta. Ele me ligou e disse, 'eu creio que eu consegui um cão que pode
bater em Homer.' Eu lhe falei que havia só um modo para descobrir e nós estabelecemos
uma data. Aproximadamente duas semanas depois ele me chamou e me falou que todo o
mundo com o que ele tinha falado disse que Homer mataria rapidamente o cachorro
dele. Ele disse que havia alguns meninos no Norte que queriam emparelhar dois
cachorros, e eu poderia desafiar Homer em um e ele desafiaria Veneno no outro, se
estivesse de acordo comigo. Eu disse que não fazia nenhuma diferença pra mim, um
cachorro era um cachorro.

Eles eram os Wreckers, e eles apareceram com um cachorro filho de Wood's Snooty e
uma cadela de Bullyson. Cara, ele era um pegador! Ele estava mordendo duro mas eles
não lutaram dez minutos antes que eu pudesse ver que Homer estava ferindo o bastante
o cachorro. Ele estava trabalhando as pernas e tórax e estava conduzindo de acordo. O
outro cachorro começou a gritar, ele realmente estava cantando, mas ainda lutando. A
cotação naquela briga era quinhentos a duzentos, e nós ainda não tínhamos conseguido
nenhuma aposta.

Eddie Pickard estava parado ao lado de mim, e ele disse, 'Menino, olha o jeito que o
cachorro está mordendo. 'Eu respondi,' eu sei que ele está mordendo. 'Ele é o cachorro
que arruinou a face de Homer, você podia ver o cachorro se curvando pra trás quando
ele mordia, ele estava mordendo muito duro. Homer não agia como se ele estivesse
ferido, e finalmente Homer o pegou virado de cabeça para baixo. Ele perdeu em vinte e
oito minutos. Ele era três quartos de libra mais pesado que Homer, eu não levei a multa
porque eles tinham dito que eles não lutariam se eles tiveram que pagar a multa ".

"Uma das partidas de Homer foi logo antes de Cole nascer", Sra. Hughes diz, "Toda a
fumaça na sala estava me deixando tão enjoada que eu não pude ficar em lá. Homer
estava acabando de tal forma com o tórax do cachorro que você não via a face dele. Ele
levantava aquele cachorro no canto e há pouco continuaria cavando mais
profundamente no tórax até que você não podia ver muito da cabeça dele, apenas as
orelhas, eu não sei como ele mantinha a respiração. A face dele estava curada daquela
briga com o cachorro dos Wreckers e ele ficou com metade do nariz dele mastigado
novamente, aquela noite ".

Ch. Homer Jr., um filho de Ch. Homer R.O.M.

Ch. Little Homer - outro bom filho de Homer.

Eu nunca vi Homer morder além dos ombros, 'Sr. Hughes continua, havia uma cicatriz
grande em um dos ombros dele, eu acredito que Bar Room fez essa. Eu vendi Homer ao
Ricky Jones porque, para mim, era uma quantia imensa de dinheiro. Ele o desafiou com
um cachorro que o bateu a quarenta e sete libras.

Se eu soubesse que ele o desafiaria naquela altura, com um cachorro muito maior, eu
nunca teria lhe vendido Homer. Ele levou duas horas e dois minutos para desistiria se
ele entrasse em dificuldade; nessa última partida ele conseguiu provar o quanto ele era
valente, como ele realmente era durante uma hora.

Seria difícil de dizer qual foi o melhor filhote que ele produziu, havia muitos bons. Eu
teria que mencionar Gr.Ch. Spookie. Spookie era da primeira procriação de Ch. Homer
com Susie, Ch. L'il Bill e Spider Bitem foram da segunda vez que a procriação foi feita.
Foi repetida em um terceira vez, mas nós não conseguimos nenhum filhote de cachorro
que aquela última vez.

Eu fiz ambas essas procriações, na primeira vez em que eu tinha enviado Susie a Wayne
Huneycutt; era pra ele a levar e a cruzar com Little Rascal, uma vez que nós realmente
gostamos do que nós tínhamos visto de Homer e dos irmãos dele. A vez anterior eu a
tinha cruzado com Buster, mas não deu resultado.

Assim que acabou, James Crenshaw já tinha vendido o Little Rascal a W.D. Watson e
Lavada Peeler, e ninguém soube onde os achar na ocasião; assim, quando Wayne me
chamou eu lhe disse para prosseguir e a cruzar com Homer.

Tony Marks adquiriu um deles, e eu adquiri Spookie e outra fêmea. Eu não me lembro
do que eu a chamei, mas ela era uma cadela muito boa e eu sempre pensei que ela
pudesse bater em Spookie. Tony não gostou da que ele pegou, e me disse para vir e
pegá-la, mas ele decidiu dar uma olhada nela primeiro, e depois disso ele não a deixaria
ir a qualquer preço. Ela morreu em um acidente de quintal, e uma árvore caiu na que eu
pensei que bateria em Spookie, e a matou.

Havia um macho grande naquele grupo que eu chamava de Bull; ele teria lutado no
mesmo peso que Homer mas ele saiu da corrente dele e pegou um cachorro chamado
Reno, filho de Homer e Goldie. Outro cachorro filho de Sparky se soltou, e os três
lutaram até que eles todos morreram. Evelyn e eu estávamos ambos trabalhando fora, e
eu vim pra casa e estava uma bagunça, todos os três deitados lá, não mortos, ainda, mas
morrendo.

Eu acredito a procriação de Homer com Susie foi uma das melhores procriações que já
foram feitas. Havia algum realmente bom em toda ninhada, entretanto sempre há aquele
com más articulações, ou alguma outra deformidade, e eu considero que havia um “frio”
em cada ninhada.

Eu cruzei Homer com uma cadela que Patricia Roberts tinha, e havia três ou quatro
fêmeas e um macho naquela ninhada. Todas as duas fêmeas não produziram nada, mas
o macho era um ás. Você não vê muitos cães daquele calibre. Eu o chamei Holmes, ele
é chamado Pequeno Homer agora.

Eu peguei a pequena cadela Gee Whiz do Dr. Lutz, e a cruzei com Homer. Naquela
ninhada estavam Homer Jr., Buford, e uma cadela chamada Miss Homer. Eu vendi
Homer Jr. (de quem o nome registrado é Lutz´s Little Homer) e Miss Homer para Larry
Miller. Eu mantive Buford, mas ele tinha um fôlego ruim e eu o dei a Ken Triplett com
a condição de que ele o consertasse, o que ele fez. A cirurgia custou cento e setenta
cinco dólares. O fôlego nunca foi cem por cento, eu diria que era aproximadamente
noventa por cento. Buford tinha feito o suficiente nele para fazer qualquer cão perder,
mas nunca fez. Quando ele e Homer estavam ambos no quintal de Bruce Mathes,
Buford fugiu da corrente e avançou no papai dele. Homer o matou, e claro que esse é o
único modo que a briga poderia ter terminado, já que Buford tinha só trinta e seis libras,
seis libras menos que o pai dele.

Miss Homer tinha mostrado ser uma cadela realmente boa antes que eu a vendesse, e o
Larry Miller continuou e a desafiou com Bolero, a cadela de Fat Bill. Bolero a bateu em
cinqüenta e seis minutos. Bolero matou uma irmã da cadela que bateu Gee Whiz, a que
ela bateu parecia que era a melhor das duas irmãs. Mona, a que pegou Gee Whiz, estava
apanhando na primeira parte da briga, com Gee Whiz fazendo quase tudo que quis com
ela. Mona pegou na cabeça dela e no nariz durante a briga inteira, e literalmente rasgou
parte da face dela fora.

Isso é o pior que eu já vi de um cachorro mutilado e vivo; todo o mundo que viu Gee
Whiz depois da briga disse que não havia nenhum modo de ela sobreviver. Supunha-se
que a irmã de Mona, Lady, era uma cachorra até melhor, mas Bolero a dominou
completamente e a destruiu em nove minutos.

Homer

Eu vendi Gee Whiz para o Bruce e ela foi morta em um acidente de quintal, também. Eu
tinha repetido a procriação a Homer antes que eu a vendesse e um daqueles filhotes de
cachorro que eu enviei ao Ricky Jones. Ele o chamou Little Buck e disse que ele era um
dos melhores cachorros que já tinha visto. Ele ganhou duas ou três, bateu o Ch. Toad e
morreu depois da briga. Outra pessoa teve um macho daquela ninhada que se enforcou
na coleira dele, e o Bruce atirou no que ele tinha, nunca começou a lutar. Dr. Lutz
adquiriu um par deles, mas eu nunca fui informado do que aconteceu a eles.

Eu fiz a procriação que produziu Gr.Ch. Shady Lady, ela era um dos dois filhotes de
cachorro que eu enviei ao Ricky Jones. Eu mantive Elwood, o irmão dela, mas depois o
troquei por um filhote de Homer e Amanda porque a mandíbula dele era curvada. O
filhote de cachorro pelo qual eu o troquei morreu depois de apenas duas semanas, e a
vez seguinte que eu vi Elwood foi quando ele estava crescido e pronto pra lutar. A boca
dele tinha endireitado depois que ele cresceu, eu creio. Ele é um bom cachorro de jogo
que foi testado duramente, entretanto ele não tem nem de longe a habilidade da irmã
dele, Shady Lady tem; Eu nunca o vi lutar, mas pelo que eu ouço ela é uma das
melhores.

Nem todos daquela ninhada se saíram bem. Mais ou menos a metade deles são frios
como pedra, não lutariam e não lutarão, nem mesmo pra se defender. Isto apenas mostra
que você nunca pode contar quais filhotes vão ser bons; Eu queria que houvesse um
modo - eu teria mantido a Shady Lady. Se todos os filhotes em uma ninhada parecem
fortes e saudáveis, eu apenas escolho qualquer um e espero pelo melhor.

Big Tom‟s Ch Art, três vezes vencedor na Nova Zelândia . Um cruzamento de várias
linhagens, na maioria Boomerang/Art‟s Missy/Corvino por parte de pai e
Jeep/Rascal/Patrick por parte de mãe.

Gaine‟s Ch. 410, filho de Gaine‟s Fargo cruzado com uma filha de Ch. Luke. Luke é
filho de Gr. Ch. Art, ROM.
Klaus‟ Ch. Virgie, quatro vezes vencedor, da criação de Pit Magic Kennels na
Alemanha. Virgie é neto de Ch. Jeep ROM, Gr.Ch. Miss Rage, e Gr.Ch. Virgil ROM.
Capítulo Três

Miss Rufus
Normalmente quando nós escrevemos uma história sobre um cachorro, é um
cachorro que é importante para nosso quintal, ou um cachorro que fez um nome
grande para si mesmo de algum modo. A história seguinte é sobre uma cadela que
nós nem mesmo possuímos mais, e não há nenhum descendente dela no quintal.
Porém, muitas pessoas nos perguntaram o que aconteceu a ela e nós achamos que a
história dela seria interessante para contar.

Wildside's Miss Rufus foi trazida a mim por Bobby Baliel logo após a Ação de graças
alguns anos atrás. Eu tinha negociado com ele um filhote de cachorro nascido de uma
procriação que eu tinha feito com Garner's Lever Red por um filhote da cadela dele,
Crissy, que tinha sido cruzado com o pai dela, Hargroves' Rufus. Rufus era um cachorro
de Midnight Cowboy que ganhou seis ou sete e era um destruidor absoluto. Ele tinha
cruzado com Laverne de Stutner (uma filha de Hughes' Gator) para produzir Crissy e os
companheiros de ninhada dela. Crissy perdeu a única partida dela para o Payne Ch.
Slinky. em uma hora e vinte e três minutos e foi premiada a mais valente do Espetáculo.

O filhote que ele trouxe era um pequeno filhote negro, de pernas bonitas, engraçado. Eu
a nomeei Miss Rufus. Três dias depois eu saí para alimentar os cães e a achei escondida
no barril dela, deprimida e lenta. A caminho do veterinário ela vomitou e teve diarréia
de sangue no banco e no assoalho do carro.

O veterinário, ao olhar para ela, disse que era Coronavirus, entretanto nós acreditamos
que era parvovirus – era muito intenso para ser Corona. De qualquer modo, Miss Rufus
passou quase um mês no veterinário. Ela não parava com a diarréia. Quando eu a trouxe
pra casa, finalmente, ela não era muito mais que um esqueleto e todo mundo disse que
eu deveria tê-la destruído.

Ela era agitada como um foguete desde muito jovem. Quando ela tinha oito meses nós
levamos o Garner‟s Ronnie até ela e Miss Rufus esticou a corrente e o agarrou antes de
Ronnie tivesse uma chance para mordê-la! Ela foi o primeiro filhote de cachorro que eu
vi fazer isto. Ela entrou no cio e nós decidimos cruzá-la com o velho Amos Jr. Mas
quando nós a levamos até ele, ela enlouqueceu! Ela conseguiu girar a cabeça dela ao
redor e travou em minha perna, e nós nunca conseguimos aquele acasalamento.

Miss Rufus também era uma das duas cadelas que os oficiais de Controle Animal
jogaram juntas em um engradado quando nós fomos presos, apesar de não ter
demonstrado. Desnecessário dizer, eles tiveram uma guerra completa estourando nas
mãos deles!

Ela apareceu nos jornais locais quando os cachorros foram encarcerados no abrigo
animal, escapando enquanto a gaiola dela estava sendo limpa e agarrando outra cadela
através das barras da gaiola dela. Esta briga provavelmente era um das razões pelas
quais foi possível conseguir os cachorros de volta.

Depois da prisão, eu devolvi Miss Rufus para D.C. Ele a competiu duas vezes e então a
desafiou a 34 libras quando ela era tinha vinte e dois meses. Ela lutou com uma cadela
filha de Red Boy; esta era uma cadela boa mesmo, mas Miss Rufus a destruiu em
cinqüenta e oito minutos e ela morreu no dia seguinte.

Eu não assisti a partida porque estava em liberdade assistida depois da prisão. Todo o
mundo me falou depois que Miss Rufus era uma cadela fantástica; ela pegou na cabeça
e trabalhou lá durante os primeiros dez minutos, até que ela pôs a outra cadela abaixo e
então ela a pegou e trabalhou o tórax, pernas, peito - tudo. Ela quebrou ambas as pernas
de frente da cadela e quebrou algumas das costelas dela. Willie B. nos contou que a
cadela que ela bateu era a melhor cadela de Red Boy que ele já tinha visto.

A segunda partida dela foi em uma convenção grande, o Warpaint Show no Mississippi.
Era uma partida de muito dinheiro e a oposição estava tão confiante na cadela deles que
eles apostaram mais de cinco mil dólares antes da partida começar. Eles conseguiram
uma cachorra agonizante em trinta e oito minutos. Miss Rufus levou o prêmio 'Best in
Show' e foi premiada com uma placa.

Todo o mundo com quem nós falamos disse que Miss Rufus era um ás. Ela estava no
cio e nós decidimos que nós tentaríamos uma ninhada dela antes dela ir rumo ao
campeonato. Nós a cruzamos com o cachorro D.C. ' s Cotton, um filho de
Ch.Chinaman, ROM que tinha ganhado três e tinha tido uma luta de três horas e
quarenta minutos com o Bluegrass Kennels' Wrangler na quarta luta dele. Cotton era um
cachorro brutal, ele adorava trabalhar a virilha e ele foi o cachorro que matou o irmão
de Lever Red, Keeper Red. Cotton também foi o único cachorro que ficou mais de
cinqüenta e cinco minutos com Wrangler, que ganhou sete partidas pelo menos.

Miss Rufus criou seis filhotes negros; ela foi uma mãe excelente nos primeiros alguns
dias, mas depois disso ela ficou uma idiota! Ela saía fora da casa dela latindo com
qualquer pequeno ruído. Havia filhotes de cachorro espalhados em todos lugares.

Dois dos filhote de cachorro foram para D.C. como pagamento da taxa de cruzamento,
nós mantivemos dois, e um foi para o Tom Garner. A melhor cadela da ninhada foi para
Bangkok, Tailândia, e pelo que nós sabemos, foi o primeiro buldogue criado para jogo
dos E.U.A. a ser trazido para a Tailândia.

Depois que ela retornou em boa saúde, nós começamos a pensar sobre prepara-la para a
terceira partida dela. Nós quisemos condiciona-la nós mesmos, mas decidimos que a
coisa mais justa para fazer era oferece-la de novo para D.C., como ele tinha feito todo o
trabalho educando-a e ganhando as primeiras duas partidas com ela.

D.C. a engajou para lutar contra Norman K. a 34½ libras. Norman tinha uma cadela que
ganhou quatro e tinha batido Rebel Kennels, Larry Miller, e D.C., e tinha matado todos
os oponentes anteriores dela em menos de uma hora. D.C. estava convencido que Miss
Rufus poderia vencer. Mountain Man nos desaconselhou sobre isto, ele sabia sobre o
cão de Norman e nos disse que Miss Rufus não teria nenhuma chance, mas nossa atitude
foi 'bem, ele não viu Miss Rufus', e nós demos a D.C. a permissão de ir em frente.

Nós também decidimos que iríamos para este desafio, seria a primeira partida a que eu
iria desde a prisão. Parecia que era muito reservado, mas claro que em algo tão grande,
as notícias se espalham. Quando nós seguimos para a casa de Mountain Man na noite da
partida, já havia aproximadamente cinqüenta pessoas presentes, e ainda mais chegando.
Miss Rufus foi pesada e lavada. Ela parecia bem; o pelo dela brilhava e o tônus do
músculo dela estava bom, mas ela parecia um pouco inchada. Quando ela foi para o
canto dela esperar pelo outro cachorro, a Chris notou que ela soltou uma descarga
espessa, esverdeada. Nós estávamos a ponto de perguntar a D.C. sobre isto, mas naquele
ponto foi trazida a cadela de Norman K's.

O nome dela era Bandit: ela era uma cadela vermelha e a maior cadela de 34½ libras
que nós já vimos. Cada grama de gordura do corpo desta cadela tinha sido tirada e ela se
parecia mais com um pesado esqueleto musculoso que com um cachorro. Quando nós
vimos aquela cadela, eu olhei de uma para outra arregalado e imaginei que ia ser uma
noite curta. Não havia nenhum modo um cachorro ser preparado tão bem e dar qualquer
chance ao adversário.

Foi para nós uma surpresa! As cachorras foram soltas e Miss Rufus foi direto para o
lado da cabeça, como todo o mundo tinha dito que ela faria, e começou a dominar. Ela
parecia minúscula perto da outra cadela, ela não era um cachorro grande para o peso
dela e poderia ter 33½ libras facilmente. Por aproximadamente cinco minutos ela foi
grande, e então a Bandit a pegou. Ela tinha um das bocas mais rápidas, mais duras nós
já vimos, e ela quebrou uma das patas dianteiras de Miss Rufus como uma vareta.

Miss Rufus, agora só com três pernas, pegou a cabeça dela novamente e a cadela de
Norman fez um mau movimento - ela na verdade pareceu, por um momento, estar
correndo de Miss Rufus. Nos tínhamos falado que a cadela apresentou maus sinais e foi
esta uma das razões pelas quais D.C. estava tão confiante na vitória; ele sentiu que Miss
Rufus a frustraria e a machucaria o bastante para detê-la. Um intervalo foi chamado e
foi reconhecido por Mountain Man, que arbitrou esta partida. Os cachorros foram
levados aos seus cantos.

Nós tivemos notícias de pessoas diferentes, depois da partida que a outra cadela já tinha
desistido antes, e que os donos dela não iriam nem mesmo procria-la por causa disto,
mas ela também era uma assassina absoluta no ringue.

Nossa cadela já estava detonada de verdade, e sobre três pernas com um pulso
quebrado, mas ela ainda estava sobre os próprios pés e trabalhando bem a cabeça, e a
outra cadela parecia que não conseguia continuar mordendo. As cachorras foram
emparelhadas e Bandit foi solta. Ela suportou vários segundos e então nós soltamos
Miss Rufus. ela a arrastou pelo ringue; Bandit a enfrentou e começou a desmonta-la
novamente.

D.C. nos falou que em todas as brigas prévias dela, a cadela de Norman vacilava nos
ataques, e então encurralava o oponente no canto. Ele soltou Miss Rufus para a impedir
de ser batida no canto dela e esmagada na parede, como ele tinha visto Bandit fazer com
outras cadelas.

Nós não estamos criticando D.C. ou dizendo nós não teríamos feito exatamente o que
ele fez, mas a briga ainda estava bastante justa até mesmo naquele ponto e nós sempre
vamos querer saber se Bandit agüentaria aquele primeiro ataque, e nós teríamos ganho a
partida.

Miss Rufus gastou a maioria do resto da briga na retaguarda e Bandit quebrou a outra
perna dianteira dela na altura do ombro, como também uma das pernas traseiras dela, na
articulação do joelho. A única perna que ela não quebrou ela mastigou toda. Ela tinha
escalpelado Miss Rufus literalmente e tinha rasgado um pedaço grande de pele fora do
topo da cabeça dela, ao lado da orelha.

Senhorita Rufus atacou com uma perna a menos, então com duas pernas a menos. Ela
não fez nenhuma pausa. Bandit evitou cada ataque dela, mas não o tanto quanto no
primeiro ataque. Ela estava à frente e sabia disto. Quando ela encarava Miss Rufus
tentava ficar de lado e segura-la pela orelha, mas ela estava muito avariada.

Nós não a recolhemos, e nós realmente não sabemos dizer por que. Talvez nós ainda
estivéssemos esperando que Bandit desistiria em um dos ataques dela (altamente
improvável neste momento) ou talvez nós ficamos hipnotizados pelo que acontecia.

At one point, just before her last scratch, she looked right up at us as if to say 'get me
the hell out of here'. We knew then that there was no way we were going to win this
match. When they got a handle, we talked with D.C. in the corner and he agreed to pick
her up if she made her scratch.

Na marca de meia hora nossa cadela não estava mais tentando lutar e Bandit a fazia
ganir e “cantar”. Depois de um certo ponto, logo antes do último ataque, ela parecia
olhar para nós como se dissesse “me tire deste inferno aqui”. Nós soubemos então que
não havia nenhum modo de ganhar esta partida. Quando eles pediram um intervalo, nós
falamos com D.C. no canto e ele concordou em a recolher se ela fizesse o último ataque.

Quando ele a levantou e ficou em frente dela, ela estava flácida nos braços dele. Ela não
estava em choque, (entretanto ela estava entrando em choque) ela apenas estava
destruída fisicamente. Quando o Mountain Man disse 'solte seu cão', ele assim fez, e ela
caiu de lado, baqueou um pouco ao redor como um peixe fora de água, então
permaneceu lá e recebeu contagem. Em um certo ponto, enquanto a contagem estava
acontecendo, D.C. estapeou a face dela para tentar chamar a atenção, e ela mordeu a
mão dele.

A partida estava terminada, Norman‟s Bandit era a vencedora em quarenta e quatro


minutos. Neste momento as pessoas despencaram da parede do ringue, para felicitar os
vencedores, acertar as apostas, e tudo mais. O guardador de Bandit a estava limpando
no canto dela e D.C. apenas deixou Miss Rufus onde ela estava deitada.

Apenas a metade das pessoas presentes tomaram conhecimento do que aconteceu logo
depois. Nós mesmos não estávamos vendo, até que nós ouvimos alguém gritar para
D.C. segurar o cachorro dele. Miss Rufus tinha usado a parede do ringue para se
sustentar e tinha cambaleado pela cova para o canto de Bandit. Ela estava no meio do
caminho quando D.C. a agarrou.

Nós perguntamos para o Mountain Man o que ele achou, depois da partida, e ele nos
falou que muitas cadelas boas teriam fugiriam pulando a parede em torno da marca de
dez minutos, contra a cadela de Norman. Ele disse que se nós não quiséssemos Miss
Rufus, ele a pegaria pra ele em um minuto.

Tom G. trabalhou nela conosco naquela noite e nós conseguimos estabiliza-la; havia
mais daquele pus esverdeado fedorento, ela claramente teve algum tipo de infecção. No
sábado pela manhã nós conseguimos faze-la beber um pouco de sopa e evacuar e
pensamos que estávamos fora de perigo, mas no domingo ela estava vomitando e
inquietantemente fraca. Nós arriscamos levando-a ao veterinário, e inventamos uma
história sobre alguém que nos tinha dado aquela cachorra. Ele seguramente sabia que
nós estávamos mentindo, mas ele concordou em nos encontrar na clínica dele.

Depois de a examinar, ele disse, "Inferno, esta pequena cachorra estava mortalmente
doente antes de apanhar! Ela tinha uma infecção uterina forte, tão forte que os sistemas
dela estavam sendo contaminados por ela. O abdômen dela estava dilatado porque o
útero dela estava inchado e estufado com o gás da infecção. Ele quis remover os ovários
dela, mas nós o persuadimos a tentar tratar a infecção sem remover os ovários. Ele
concordou, pelo menos durante alguns dias, porque ela estava na ocasião tão doente que
era duvidoso que sobreviveria à cirurgia, de qualquer maneira.

Ela saiu da dificuldade. As pernas dela sararam melhor do que nós pensamos, mas ela
nunca mais foi a mesma. Ela era um pequeno cachorro super atlético (embora talvez só
um pouco no lado desossado) com pernas dianteiras longas, retas. Agora ela se parecia
com algo que alguém montou com pressa de um kit, sem olhar as instruções. A infecção
ainda estava lá até mesmo depois de um mês de medicamentos, e repetimos várias
viagens ao veterinário para sondagens e aplicação de antibióticos no útero dela. Nunca
se curou de vez, e nós éramos céticos se ela poderia ter filhotes novamente.

Miss Rufus não era o mesmo cachorro no dia daquela partida que ela foi nas primeiras
duas, e não há nenhuma dúvida que a infecção tinha uma parte no que aconteceu. Seria
realmente fácil dar desculpas e dizer "se ela não tivesse doente, ela teria batido naquela
cachorra" mas a verdade é, nós não sabemos se ela poderia ter batido naquela cadela, no
melhor dia da vida dela. Nós sabíamos que esta cadela tinha matado quatro cachorros
antes de Miss Rufus.

Pelo que sabemos de competitividade, nós teríamos que dizer que Miss Rufus estava
'competitiva' de acordo com o que mostrou naquele dia. Ela se levantou e perseguiu a
outra depois da contagem ter terminado, e uma vez que ela estava tão doente no dia da
briga, nós lhe demos o benefício da dúvida.

Na ocasião, nós sentimos que ela era mesmo um cachorro de jogo, mas entretanto nós
ainda não a chamaríamos de vira-lata, nós vimos muitos cachorros desde então que
teriam feito o que ela fez sem choradeira, achando que eles estavam ganhando até o
final da luta - isso é que significa competitividade de verdade. Claro que nós também
vimos vários que, como o Mountain Man disse, teriam pulado por cima da parede em
dez minutos.

O fato é que Miss Rufus foi arruinada mentalmente e também fisicamente naquela
partida e ela nunca foi realmente a mesma depois que ela se recuperou. Nós a
negociamos com Mountain Man alguns meses depois, e ela foi desafiada novamente
contra uma boa cadela. Quando aquela cadela se bateu sobre Miss Rufus, parecia
alguém chutando pinos de boliche. Ela quebrou de novo o ombro dela quase
imediatamente e Miss Rufus estava fora do controle desde o começo, e não se recuperou
mais. Eles acabaram a briga rapidamente, e Miss Rufus estava lutando nos braços de
Mountain Man para voltar para a outra cachorra, mas ela nem mesmo parecia a mesma
cachorra que nós tínhamos visto antes daquela terceira partida.

Mountain Man finalmente vendeu Miss Rufus para um sujeito no Norte, pelo que nós
sabemos ela está viva, e bem - e produziu vários ninhadas entre as quais estava pelo
menos um vencedor, como também alguns cães de futuro. Embora nós não pensemos
que ela teria lugar em nosso canil, ela é uma cadela bem criada que mostrou ser bastante
boa, e ainda seria capaz de produzir alguns bons filhotes.

Wildside's Miss Rufus

Eunice's Cracker Jack, um filho de Hand's Happy Jack da criação de Gene Thurmond.
Um cão desenvolvido duramente por Midnight Cowboy, um bom reprodutor.
Jimmy Lee com Hand's Happy Jack. Happy Jack é filho de Davis Ch. Midnight
Cowboy cruzado com sua prima (de Ch. Chivo) Hand's Gr. Ch. Candy. Happy Jack
produziu Buns e Co.'s Gr.Ch. Lefty e muitos outros ótimos cães .

Freaky D.'s Ch. Roxy enquanto jovem. Roxy é um dos vários campeães na sua ninhada,
filhoo de St. Benedict's Raleigh com Dowde's Meanie. (Meanie é irmã de ninhada de
Wildside's Miss Rufus)
Capítulo Quatro

Mean Jolene
Publicado originalmente no American Gamedog Times Dezembro/Janeiro de 1992

Mean Jolene entrou em nossas vidas como o resultado de um negócio. Nós tivemos uma
ninhada de filhotes de um filho e uma filha do Ch. Garner‟s Chinaman R.O.M. e fomos
contactados por um homem na Califórnia que queria negociar uma bisneta de nove
meses de Cates' Gr.Ch. Nigerino por um dos filhotes. Ele disse que a cadela era "muito
sociável" mas aparentemente as crianças pequenas da família dele tinham atormentado a
cachorra desde quando ela era um filhote, e ela estava no caminho de se tornar uma
mordedora de gente irrecuperável.

Quando nós a pegamos no aeroporto, ela rosnou conosco. Imaginando que ela estava
apenas assustada, nós levamos o engradado para o quarto sobressalente quando nós
chegamos em casa e abrimos a porta. Ela apenas se parecia como um cachorro vindo de
'Art' deve parecer; vermelho escuro com matização de negro no focinho e orelhas, alta,
e musculosa. Ela também não saía do engradado e não havia nenhum modo de tirar ela
pra fora -a menos não sem ser seriamente mordido!

Ela passou os primeiros cinco dias naquele engradado; ela só sairia para comer e defecar
e se nós entrássemos no quarto ela fugia para o engradado como um rato, se virava e se
sentava, grunhia e arreganhava os dentes. Nós finalmente tivemos que pegar emprestado
um bastão de captura de um veterinário local para tira-la do quarto para uma corrente.

Ironicamente, foi o finado Jim Bailey que a impediu de levar um tiro naquela primeira
semana. Ele sempre quis um pouco do sangue da linhagem de Nigerino e embora ele
normalmente não fosse a pessoa mais paciente com os cachorros, foi Jim que finalmente
conseguiu ganhar a confiança de Jolene o bastante para chegar perto dela. O Jim se
sentava diariamente na casinha dela e falava com ela até que ela se deixou finalmente
acariciar.

Jolene se desenvolveu em uma cachorra inteligente e afetuosa com as pessoas que ela
conhecia e confiava, mas era o inferno sobre rodas com qualquer outra coisa, homem ou
cachorro! Ela olhava para um estranho no canil do mesmo modo que ela olharia para
outro cachorro. A única vez que isto provou ser um ponto positivo em vez de uma
característica negativa foi aproximadamente seis meses depois, quando o esquadrão
S.W.A.T. invadiu o quintal e fizeram a prisão por briga de cães. Eles confiscaram todos
os cachorros e o único momento brilhante naquele dia foi assistir Mean Jolene desarmar
seis oficiais de Controle Animal arrastando os bastões de captura deles para longe. Eles
por fim atiraram nela com uma arma tranqüilizante.

Antes do julgamento nós conseguimos de volta a maioria dos cachorros, com a ajuda de
Tom Garner. Nós não acreditávamos que qualquer abrigo animal em sã consciência iria
permitir que Jolene vivesse, muito menos a devolveria para nós, mas foi exatamente
isso que eles fizeram - entretanto eles destruíram os cachorros que permaneceram em
custódia depois do julgamento como 'viciosos'.

O que permaneceu no quintal foi relocado para as montanhas, e Jolene teve filhotes
naquele outono, filhos de Tarheel Matt Panther, um destruidor filho de Zebo. Ela se
recusou a deixar qualquer um ficar próximo da casa dela, e até que os filhotes tivessem
três semanas nós estávamos imaginando se nós teríamos que atirar nela para conseguir
os filhotes, quando chegou momento de os desmamar. Então veio o Furacão Hugo; um
tornado arrasou nossos bosques e na manhã seguinte Jolene saiu da casa dela tão gentil
quanto um cordeiro, e voltou a ser ela mesma daquele ponto em diante.

Ela sempre começava a brigar cedo e se saiu muito bem no seu primeiro desafio, antes
da prisão. Um par de meses depois que ela desmamasse os filhotes dela nós a levamos
até as montanhas. Alguns sujeitos de outro estado tinham trazido uma cadela que era
duas libras maior e a tinham educado. Ela era uma cachorra super violenta que bateu
duro em nossa cadela e pôs uma das pernas dela aberta até o osso assim que ela foi
solta. Essa foi sua primeira e última pegada. A nove minutos Jolene tinha quebrado suas
pernas dianteiras e estava trabalhando na garganta da cadela de cabeça pra baixo.
Alguém do lado do ringue comentou “a cadela de vocês está realmente ferindo a outra”,
e o Mountain Man virou para ele e disse "Ferindo? Ela está matando aquela cachorra, e
se esses meninos não a recolherem agora mesmo, eles estarão enterrando a cachorra
deles”!

Mean Jolene “recebendo” as visitas.

Mean Jolene cruzando com Long´s Werdo em fevereiro de 1990, um cruzamento que
produziu três cães de briga pesada.

Nós continuamos educando Jolene e ela parecia melhor cada vez que ela competia. Nós
decidimos tentar outra ninhada dela antes de a desafiar e a cruzamos com Long‟s
Werdo, um filho inato de Ch. Jeep ROM e violento no jogo como nenhum outro cão
vivo podia ser. Werdo tinha criado vencedores constantemente e mesmo que nós nunca
tivéssemos ouvido falar do sangue de Nigerino cruzado com sangue de Jeep , nós
sentimos que seria uma procriação realmente boa.

Jolene teve os filhotes naquela primavera e mais uma vez, não nos deixava chegar perto
deles. Ela era completamente amigável até ter o primeiro filhote, a partir deste ponto ela
corria conosco da casa dela. Naquele momento nós estávamos tendo muitos problemas
com cadelas que eram mães ruins, assim a superproteção de Jolene não nos aborreceu
muito.

Havia seis filhotes naquela ninhada; um par foi para Mountain Man, outro par nós
mantivemos, um dos machos que parecia com Jeep foi para alguém na Califórnia que
estava apenas começando a criar cachorros, e uma fêmea foi para um bom amigo no
Estado de Nova Iorque.

Jim Bailey tinha desistido dos cachorros depois da prisão e tinha passado a morar num
apartamento, mas ainda era meio dono de Jolene. Ele tinha achado um lugar para manter
uns cachorros e nós tínhamos lhe dado alguns filhotes, inclusive uma cadela filha de
Jolene e Panther. O grande sonho dele era competir com Jolene; ele ficou meio pra
baixo desde a prisão e nem mesmo ia para partidas, mas a partida dela ia ser o grande
dia dele, foi tudo o que ele falou. A procriação que a produziu tinha sido repetida e o
Jim tinha economizado o dinheiro dele para um macho da ninhada, e nós enviamos um
depósito para comprar uma fêmea para nós.

Jim trabalhava para uma companhia que vendia tanques de oxigênio e outros gases e
dirigia um caminhão de entrega. Em junho daquele ano, o caminhão de Jim foi
abalroado por um carro que furou o sinal vermelho. O caminhão dele capotou várias
vezes e veio cair de cabeça para baixo no leito de um riacho. Ele sofreu danos severos
na cabeça e nunca saiu do coma. Ele morreu um mês e um meio depois. O motorista do
carro que bateu nele estava sob cuidado médico e não parecia que poderia dirigir de
novo, mas nunca foi acusado de qualquer crime.

Jim nunca conseguiu ver Jolene competir, ou o filhote novo dele; quando os filhotes
chegaram, nós tentamos imaginar o tipo de nome que o Jim teria dado ao filhote dele e
propusemos “Lúcifer”, e depois descobrimos através da companheira dele que este era o
nome exato que ele tinha escolhido.

Depois desta ninhada nós quase não podíamos esperar para desafiar Jolene; ela era um
cachorro devastador cuja intenção, no momento que ela era solta, era matar o oponente
dela. Se ela tivesse um defeito, é era que ela não tinha absolutamente nenhuma sensação
de autopreservação e se recusava a lutar na defesa, mas nós sentíamos que ela mais que
compensava isto com a habilidade e a boca dela.

Aquele outono nós publicamos o peso dela e começamos a trabalhar com ela. Levou
muito tempo para achar uma partida; nós não a conseguimos desafiar até janeiro. Nós
tínhamos ouvido que Gary D. na Costa tinha uma cadela do peso dela que era vencedora
de uma luta; os detalhes foram acertados e uma data marcada. Nós lhe demos dicas para
fazer a viagem de oito horas às montanhas e ambos os lados concordaram em absoluto
segredo - uma das condições da partida era que se qualquer lado chegasse com mais de
cinco pessoas, aquele lado pagaria multa e a partida estaria anulada.

Jolene adorava trabalhar e ela se manteve muito bem. Na noite antes da partida ela
estava no peso e parecia mais forte que em qualquer outra vez que nós tínhamos visto.
A partida iria começar ao amanhecer, e quando nós saímos para pegar Jolene no meio
da noite para fazer a jornada para cima das montanhas, ela sabia que algo ia acontecer.
Nós tivemos um trabalhão para a manter quieta no engradado dela ao longo da viagem.

Qualquer um que alguma vez competiu com um cachorro saberá como nós nos
sentíamos quando nós fomos de carro para a casa de Mountain Man - nervosos como
inferno. Além de nossos nervos e as duas xícaras de café que cada um bebeu antes de
partir, estava claro, a meio caminho de lá, que nós teríamos que fazer uma parada.

Nada estava aberto; nós dirigimos bem lentamente pela última cidade grande no
caminho, esperando achar um posto de gasolina 24h. Quando nós achamos um
finalmente e entramos no estacionamento, nosso alívio virou horror quando um carro
entrou atrás de nós, com as familiares luzes piscando em cima!

O finado Jim Bailey com Mean Jolene.

Alertado por nossa condução suspeita, o policial tinha nos seguido por todo o percurso
na cidade, pensando nós estivéssemos bêbados. Com nosso kit médico, toalhas e um
peso de teste no assento de parte de trás – sem mencionar um buldogue muito bravo em
um engradado, nós quase entramos em pânico! A sorte estava do nosso lado; o policial
não questionou nossa explicação de que nós estávamos a caminho para a Virgínia para
acasalar uma cadela e estávamos procurando um sanitário público (aquela parte era
verdade) e foi embora. Desnecessário dizer, nós ficamos completamente nervosos
depois daquele encontro!

Nós chegamos logo antes amanhecer, Gary D. e o grupo dele chegou alguns minutos
depois. Eles tinham feito a viagem na noite anterior e tinham ficado em um motel.
Barney Fife tinha vindo da Virgínia só para ver a cachorra deles brigar, assim nós
imaginamos que ela devia ser uma cachorra muito boa, mas nossa confiança era alta.
Gary estava acompanhado por Ricky W. (que possuía a cadela), a namorada dele, e
Barney Fife. Mountain Man concordou em agir como árbitro e sem demora adicional,
os cachorros foram pesados e foram soltos.

A cadela dele era chamada de Sadie; ela era uma cachorra negra, de orelhas cortadas e
um pouco meno,r para o peso dela, que Jolene. Os cachorros entraram dificilmente
juntas no centro do ringue, e estava claro que Jolene era a mais forte das duas. Ela
começou trabalhando um ombro, e estava dominando Sadie muito bem ao redor do
ringue. Sadie estava na cabeça dela, e trabalhando bem, pelo que nós podíamos ver. Nós
vimos que as coisas estavam exatamente como nós esperávamos, e o outro lado olhava
surpreendido e preocupado. Eles disseram que Jolene foi a primeira cadela que pôs
Sadie em defesa da vida dela.

Durante os primeiros dez minutos mais ou menos, só dava Jolene e jogando Sadie de
um lado pra outro com aquela pegada no ombro. Nós pouco percebemos que embora ela
estivesse destruindo Sadie com a pegada dela, Sadie a estava literalmente matando com
a sua! Jolene nunca fez um sinal de que ela estava ferida nem nada, só manteve
trabalhando aquele ombro.

Cate‟s Cub, um filho de Cates'Gr.Ch. Nigerino criado por Terry Townsend. Linhagem
de Mean Jolene e muitos outros bons cães de briga.

Por volta da marca de doze minutos Jolene pareceu estar debilitada; Sadie viu a chance
dela e foi para uma pata dianteira. Esse era o estilo favorito dela, e ela sabia trabalhar
assim. Nós descobrimos depois que ela tinha quebrado ambas as pernas da frente do
primeiro oponente e literalmente tinha arrancado uma delas fora. Jolene não era um
cachorro lutador muito inteligente, a atitude dela era 'você morde minha perna, e eu
morderei a sua mais forte'. Sadie, por outro lado, era um cachorro super-inteligente; ela
pegava uma das patas dianteiras, descia pela mão, e sacudia violentamente, então
agarrava a outra depressa e a trabalhava, então voltava para a primeira.

Isso quase foi o passo para os próximos dez minutos - era a volta de Jolene para a
retaguarda. Ambas as pernas dianteiras dela estavam quase fora de condições, mas o
rabo dela ainda estava enrolado firmemente em cima do traseiro e sacudindo
aproximadamente a noventa milhas por hora.

Nós estávamos agora preocupados; podíamos ver que algo não estava certo com Jolene
- ela parecia ofuscada e desorientada e estava ficando mais fraca à medida que o tempo
passava. Sadie estava passando à frente, mas nós deixamos Jolene ficar lá, e esperamos
que talvez ela pudesse ganhar na raça.
A ao redor da marca de vinte e cinco minutos, Jolene tinha sido passada pra trás, mas
continuou trabalhando determinada do lado de baixo, e agarrava tudo que ela podia. Ela
viu o pescoço e foi atrás, e tentava, com tudo que ela tinha, explora-lo. Era uma coisa
boa ela não ter muita boca de sobra – este era seu ponto fraco! Ela perdeu a pegada no
pescoço, voltou aos próprios pés, e tentou sacudi-lo. Àquele ponto percebemos que nós
estávamos tão atrás que nós decidimos recolher nossa cachorra.

Não tinha havido nenhum intervalo na briga, e nenhuma cadela mostrou qualquer sinal
ruim, mas nós quisemos de qualquer maneira o ataque de cortesia. As pernas dianteiras
mutiladas dela não a apoiavam mais, quando ela foi solta ela despencou no solo. No
segundo que o traseiro dela batia no solo, ela dava um chute no chão e se catapultava no
canto. Ela tropeçava pelo ringue como um zumbi e caminhava nas articulações do pulso
dela com os pés dela baqueando de um lado para outro. Como sempre, o rabo dela
estava para cima e sacudindo, e os olhos dela nunca deixaram de procurar a outra
cachorra. Ela foi apanhada antes que fizesse contato, para salva-la de danos adicionais.
Sadie fez um ataque de cortesia duro, e ela também foi agarrada antes que pudesse tocar
Jolene, que estava lutando debilmente para pega-la.

A esportividade era alta em ambos os lados, nós felicitamos o lado de Sadie pela vitória
deles e eles elogiaram nossa cadela. Barney Fife nos ajudou a trabalhar com nossa
cadela, (para os que não sabem, foi ele que salvou Gr. Ch. Buck depois da briga com
Sandman e é, em nossa opinião, um dos melhores pra salvar um cachorro) e nós
pegamos um Intravenal e lhe demos um pouco de Dexametasona.

Assassin, um filho de Mean Jolene e Werdo. Ele venceu sua primeira luta rapidamente
contra um cão que depois foi campeão, depois perdeu em 1h44min para Cr. Ch. King
Arthur. Ambos os cães morreram depois da luta.

Perder Jolene não passou pela nossa cabeça nem por um minuto, ela estava alerta e não
parecia estar entrando em choque. Ninguém percebeu o quanto ela estava ferida, exceto
o Mountain Man, talvez; quando nós estávamos partindo, o que ele nos disse foi que ele
realmente gostaria de adquirir um pouco mais de filhotes dela se ela escapasse.

Nós fomos para casa, tristes mas sem nos sentir muito mal. Se nós tínhamos que perder,
nós não poderíamos ter perdido para pessoas melhores e Sadie provavelmente era a
melhor cadela que nós já tínhamos visto. Jolene tinha mostrado ser uma cachorra de
jogo de verdade, e nós estávamos nos sentindo bem positivos sobre a coisa toda.

Nós caímos por terra quando chegamos em casa; Jolene estava em choque. Ela estava
tão debilitada psicologicamente que foi necessário desmontar o engradado para tira-la
de lá.

Nós passamos a próxima hora tentando salva-la desesperadamente, mas nada que nós
fazíamos ajudava. Sadie tinha destruído tanto a face dela que os sinus foram esmagados,
a face inteira dela estava pulsando de cima abaixo quando ela respirava e o ar estava
borbulhando fora dos buracos no focinho dela e ao redor os olhos dela. A última coisa
que Jolene fez antes de perder a consciência completamente foi vomitar uma quantidade
incrível de sangue - nós não entendemos como ela podia ter engolido tanto. Nós
observamos cuidadosamente a boca aberta dela com uma lanterna, e foi então que nós
vimos o quanto ela estava ferida. Havia do lado de fora um buraco grande entre os olhos
dela - grande o bastante para passar uma moeda de dez centavos, e este buraco
atravessou pelo crânio dela e emergiu no céu da boca bem na frente da garganta. Um
filete de sangue estava correndo para a garganta dela, ela devia ter tido hemorragia
durante a briga. Nós nos sentamos desalentados lá e assistimos nosso objeto de orgulho
e alegria soltar um último suspiro hesitante, e então Jolene se foi.

Wildside‟s Billy the Kid, outro filho de Werdo e Mean Jolene. Destruiu um campeão na
sua primeira luta.

Nós já tínhamos visto alguns cães de briga, mas nós teríamos que dizer que Jolene foi o
primeiro 'cão de jogo' de verdade que nós possuímos. Até mesmo alguns dos cachorros
mais valentes mostraram quando eles estão muito feridos; o rabo pode cair um pouco,
eles podem até mesmo parar um pouco, podem lamentar ou poderiam clamar um pouco
- afinal, eles são só carne e sangue. Jolene não era uma campeã, ou até mesmo uma
vencedora, mas ela mostrou a característica que faz de um buldogue valente tão sem
igual, na sua mais pura forma; ela aceitou a morte fazendo o que ela mais gostava, sem
mostrar qualquer sinal de que ela estava ferida.

Nós ficamos arrasados. Nós não tínhamos perdido só um grande pitbull e até mesmo a
mais valiosa cadela da ninhada, mas uma boa amiga. Nós amávamos aquela cachorra
vermelha louca, e sentiremos falta dela, mas nós não podemos dizer que estávamos
arrependidos de tê-la desafiado. Jolene provavelmente poderia ter batido quase em
qualquer outra cadela do peso dela, e amava lutar mais que qualquer outra coisa. É uma
pena ela ter que lutar com a única que ela não podia bater, mas seria errado negar a
Jolene a chance dela e nós acreditamos que foi o dia mais feliz da vida dela. Jim Bailey
teria ficado orgulhoso - nós gostamos de pensar que ele estava assistindo de algum jeito
- e que os dois estão juntos agora.

Wildside‟s (Townsend‟s) Mean Jolene, uma valente cadela de briga.

Nós gostaríamos de agradecer ao Mountain Man e sua família pela hospitalidade e toda
sua ajuda e apoio, Barney Fife por fazer o que ele pôde por nossa cachorra depois da
briga, e ao Gary e ao Ricky pela esportividade. Sadie é um inferno de cachorro e
mostrou que ela pode apanhar tão bem quanto bater, e ganhou o Campeonato dela
depois disso. Finalmente, nós gostaríamos de agradecer a Terry Townsend por fazer a
procriação que produziu Jolene, e por Lucifer e Piranha que vieram da repetição do
cruzamento. Os filhotes que nós mantivemos das ninhadas de Jolene foram, de longe,
muito bons.

Nós damos adeus a, você, Jolene, e nos sentimos privilegiados por poder te chamar de
membro de nossa família.

Hollingsworth‟s Bob, da linhagem de Browning‟s Yazoo Cody (Red Man), filho de


Patrick‟s Lady in Red. Um pequeno bulldog de competição.

Garner‟s Young Cowgirl com dez anos de idade; nascida do último cruzamento de
Wood‟s Snooty, antes de sua morte, com Brewer‟s Cowgirl, uma boa filha de
Midnight Cowboy. Uma cadela fria como pedra, mas uma boa reprodutora de machos
do tipo de “Eli”.
William e Abby Page com seu ADBA “CH” Gunther mostrando os seus troféus de
“Melhor do Show”.
Capítulo Cinco

Entrevista com McNasty & Mr. T,


do Roadblock
Originalmente publicada na American Gamedog Times, Fevereiro de 1992

Esta entrevista foi dada por telefone em fevereiro de 1992.

Nós perguntamos para McNasty e para Sr. T como eles vieram a ser envolvidos
primeiramente com o cão de briga americano, e McNasty respondeu, "eu e meu irmão
tivemos cachorros durante toda a nossa vida. Nós fugíamos da escola e levávamos nosso
Pastor alemão para pôr os cães de todo o mundo para brigar com ele.

A pessoa que nos apresentou aos buldogues era um sujeito chamado Speed, da
Califórnia. Naquele momento, nós tínhamos um husky que era mesmo durão, e um dia
esse sujeito Speed veio até nós em um Lincoln Continental. Ele disse a nós, 'eu ouvi que
vocês tem um cão bem mau”, e nos perguntou se nós queríamos pôr para lutar com o
cachorro que ele tinha no assento de trás, e quanto nós queríamos apostar. Nós quase
não conseguíamos ver o cachorro na parte de trás do carro, era tão pequeno, e eu lhe
falei, 'você não quer apostar nenhum dinheiro, já que ele é tão pequeno.

De qualquer maneira, para encurtar a história, ele trouxe o pequeno cachorro pra fora do
carro e o soltou; ele pulou em cima do nosso husky e o fez mijar e cagar por todo lado, e
o fez se esconder dentro da casinha dele. Nós não conseguíamos entender que inferno
era aquilo! O sujeito teve que pegar uns paus para separar os dois cães, ele nos contou
que tipo de cachorro era aquele, e foi assim que nós fomos apresentados à raça.

Nós compramos aquele mesmo cachorro; o nome dele era Rusty. Nós não sabemos de
que linhagem era ele, só que ele era um buldogue - mais buldogue que qualquer um que
nós tínhamos visto, de qualquer maneira "! McNasty e o irmão dele, ambos riram.

McNasty continuou, "como pessoa que nos ajudou a entrar no jogo, eu teria que citar
Speed, e eu também tenho que dar muito crédito ao Don Lee ".

Sr. T acrescentou, " nós aprendemos muito nós mesmos; Eu diria que nós devemos
muito crédito para as “cabeçadas”!

"O primeiro cachorro bom que nós adquirimos foi“Beau”. Naquele momento, todo o
mundo tinha um pouco de desconhecimento sobre nosso nome. McNasty é apenas meu
nome pessoal. As pessoas pensavam que nós éramos os McNasty Boys e enviavam os
relatórios de competição para este nome. Beau era de T e meu, então o campeonato dele
deveria ser lido 'Roadblock's Ch. Beau' em vez de McNasty‟s.

Beau foi o primeiro cachorro de linha rápido que nós possuímos - de fato eu trocaria
tudo nós temos agora para recuperar Beau. Ele foi o melhor que nós já tivemos".

Quando nós perguntamos que estilo de lutador era Beau, McNasty e Sr. T ambos
responderam, "Um assassino "!

McNasty continuou, "Uma vez, depois que nós começamos a criar cachorros, eu saí da
cidade e nós como que saímos do ramo por dois anos. Um dia eu vi alguns sujeitos
fazendo alguma coisa no quintal, então eu perguntei se podia dar uma olhada e eles me
falaram 'não! ' Eu disse, 'por que não? ' então eles me falaram, 'porque você não sabe
nada sobre isto!' Então eu lhes falei, 'eu vou comprar um cachorro pra mim que vai
acabar com o seu!'

Eu passei os olhos por minhas revistas de cachorros; Eu me lembrei de um sujeito de


Mississippi - Randy Harris – que tinha um cachorro, Hershey bar ou Hoghead. Como se
mostrou, havia uma senhora vendendo um cachorro de dezenove ou vinte meses que ela
tinha comprado dele. Ela tinha criado o cachorro com um Rottweiler.

Quando eu o adquiri, Beau era uma grande e gorda bola de banha! No fim de semana
seguinte havia uma grande exposição de cachorros em Flint, Michigan, e Gary
Hammonds era o juiz. Eu levei Beau até lá.

Todos aqueles cachorros estavam mordendo e estavam tentando pegá-lo e ele estava lá
parado, sacudindo o rabo dele. Ele era o mais cotado, era um bonito cachorro cor de
chocolate com a face branca, mas ele era um porco de gordo. Eu perguntei para Gary
Hammonds, depois do show, por que o meu cachorro não foi classificado e ele me falou
que era porque ele era muito gordo e faltava a “agressão natural do buldogue” – essas
foram as palavras exatas dele. Bem, a “agressão” dele o pôs na capa do Sporting Dog
Journal!

Sr. T continuou deste ponto. - 'Nós estávamos prontos para ir para outro espetáculo;
algum sujeito tinha um cachorro que ele pensava que era bem durão. Nós tínhamos
transformado Beau em carne magra e tínhamos planejado coloca-lo com este cachorro.
Quando nós os encaramos, o outro cachorro estava grunhindo e parecia louco – isto
realmente marcou o Beau!! De repente ele foi pra cima e quebrou o ombro daquele
cachorro! Assim eu disse, 'Bem - aqui vamos nós"!

McNasty nos falou que, ao todo, Beau teve quatro lutas por contrato e três brigas. Ele
ganhou a primeira partida dele em 1h37min, a segunda em 28min, a terceira em 27min,
e a última partida dele, contra o Abraham's King David em 1h23min.

"Nós apostávamos qual perna Beau quebraria primeiro.“T” ficava em um lado do


ringue, e eu ficava no lado oposto, assim Beau atacava de frente para mim. Eu dizia “a
direita”, e T apontava e dizia 'aquela'. Nós nunca entendemos até a partida com King
David que nós dois apontávamos a mesma perna; Beau quebrava a perna e ambos
ficávamos dizendo 'essa é a perna que eu disse que ele quebraria‟ e ficávamos
discutindo sobre quem ganhou a aposta!

Falo sobre a Escola das Cabeçadas; nós desafiamos Beau para a primeira luta dele com
quarenta e três, depois quarenta e duas, então as últimas duas vezes com trinta e oito.
Pensando bem, se nós soubéssemos o que nós sabemos agora, nós poderíamos o ter
desafiado com trinta e seis.

Como eu disse, Beau foi o melhor cão que nós tivemos. Ele fugiu um dia e pulou no
cachorro de alguém, o cara atirou e o matou. Nós temos uma filha dele e ela está
produzindo alguns dos cachorros mais valentes que nós já vimos.
PacMan, um famoso criador de cães do norte de Michigan, com Roadblock‟s Gr. Ch.
Joey.

Roadblock‟s Classy, a única descendente viva de Roadblock‟s Ch. Beau, com oito anos
de idade.

Nós lhes perguntamos que características eles procuraram em um cachorro de briga. Mr.
T respondeu, "A primeira coisa que eu olho são os pais, eu gosto de saber algo sobre o
pai e a mãe. Eu não quero um cachorro cujo pai perdeu em dez minutos e a mãe perdeu
em cinco; Eu tenho muito mais tolerância criando um cachorro se os pais dele são bons,
você sabe o que eu estou dizendo? Como este filhote de cachorro que eu tenho, filho de
Joey e Tater, eu olho pra ele como se fosse uma peça de ouro".
McNasty respondeu, "Ed, você deve saber o que eu procuro em um cachorro de briga;
quando eu ligo pra você, qual é a primeira coisa que eu sempre pergunto?

A primeira coisa? Você pergunta: “como é a mordida”?

"Está certo! Eu vou lhe dizer agora mesmo, eu quero saber o jeito que aquele danado
consegue morder - desculpe meu idioma - eu quero saber se ele consegue mastigar"!

Depois, nós perguntamos se havia qualquer estilo específico que eles preferiram em um
cachorro, mais que os outros. A resposta de McNasty foi "eu gosto de boca. Eu não me
preocupo com o que eles mordem, contanto que eles estejam mordendo pra valer"!

Sr. T respondeu, "eu gosto de um cachorro de tórax e garganta - um cachorro que morde
duro no tórax e na garganta – é isso aí; Eu não quero nenhum cachorro que fique
chupando o tórax com uma mordida de pele, eu quero um que vai fundo no tórax,
detonando"!

"Nós tendemos a discordar sobre nossas preferências, "McNasty continua," eu apostaria


em um cachorro de cabeça talentoso contra um bom na boca. Com um cachorro bom de
cabeça, eu estou pronto pra ganhar o mundo. meu cachorro 50/50 me fez acreditar em
cachorros bons de cabeça.

Eu também posso lhe falar, eu preciso dar crédito a alguém que ajudou a mim e T
durante muitos anos, os SoSo Boys. Robbie e R.C. merecem muito crédito. Eu conheci
Robbie através de Greg; quando ele se casou, ele como que acabou com os SoSo Boys e
Robbie assumiu desde então. Durante os anos ele me ajudou com muitas coisas; me
proporcionado muitos cães e muito conhecimento. R.C. também, desde que ele voltou à
ativa".

Nós perguntamos o que eles procuram em um cachorro de reprodução ou numa cadela


criadeira quando estão tentando fazer um cruzamento. McNasty respondeu, "Um que
está produzindo uma porcentagem alta de cachorros de briga que mordem bem.
Digamos que nós temos que escolher entre Buck e Magnum, para usar um exemplo de
dois cachorros que estão agora mesmo lá fora produzindo; nós iríamos escolher
Magnum porque ele está produzindo cachorros com mais boca. Buck está criando
alguns cães bom de briga, mas eles não estão apresentando o tipo de boca que nós
queremos.

Nós procuramos a mesma qualidade em uma cadela de cria. Eu e T fazemos muito


planejamento; quando nós estamos procurando uma cadela de cria, bem, ela poderia ser
uma cadela violenta de luta mortal, mas se ela não tem o que nós estamos procurando
para continuar nosso canil, nós a descartaremos. Nós podemos também lhe falar que nós
somos “fanáticos de Dutch Boy”; considerando nós tivemos um cachorro que poderia
quebrar qualquer perna a qualquer hora, eu quero dizer, ele quebrou focinhos, esmagou
crânios - nós lhe vimos morder cachorros no tórax e o tórax deles se desmontar
literalmente. Esse era Beau, e ele era um cachorro cria de Dutch Boy. Nós o temos
tentado recriar desde então.

Depois de fazer muita pesquisa em Dutch Boy e como ele foi criado, e com o Dutch
Boy e Eli muito próximos, nós começamos a lidar com cães vindos de Eli e Dutch Boy,
qualquer um que nós pudéssemos adquirir, e cruzando eles com os que nós tínhamos.
Os cachorros de Boudreaux saem com grande habilidade de lutas e ossos espessos,
agradáveis; uma coisa negativa sobre eles é que eles começam tão jovens que você é
tentado para lutar com eles antes que eles estejam prontos. Outra coisa é que eles
precisam ser selecionados duramente. Você fará mais seleção com cães Boudreaux que
qualquer outra linhagem. Eles podem enganar você fazendo pensar que você tem um
dominador do mundo; você leva o cachorro pro ringue e ele se mostra um vira-lata de
vinte ou trinta minutos. Você realmente deve selecionar. Nós fazemos muito de nossa
seleção através de nossa instrução. Nós não diremos como, mas nós educamos nossos
cachorros muito diferente da maioria das pessoas.

Nós tivemos um filho de Rebel‟s Ch. Uma dos cachorros mais duros na mordida que
você jamais vai querer ver. Ele era mesmo um castigador, ele esmagava um cachorro e
o rasgava todo, ao mesmo tempo. Ele estava devastando, não importa o que fazia - mas
ele não parava!

Ele nasceu pelo rabo; de um lado, ele era filho de Peaches, uma filha de Dutch Girl. Nós
continuamos lhe dando mais tempo - ele estava naufragando nosso negócio! Quando ele
tinha dois anos e meio nós o trocamos com Jerry King por uma cadela filha daquela
Molly Bee. Eu acredito que Jerry acabou atirando nele, e eu atirei na cadela que ele me
enviou, ela era uma vira-lata.

Nós perguntamos que outras linhagens eles usaram, e o que eles gostavam ou
repugnavam sobre essas linhagens. "Nós fizemos muitos negócios com Doraleen
Laminack e esses cães Tonka, ela era uma boa senhora e sempre nos tratou bem. Ela
tinha alguns cachorros bons, mas nós voltamos ao ponto onde nós estávamos com os
melhores que nós tínhamos. Entretanto, foi principalmente a nossa inexperiência que
nos fez perder com eles; a teimosia deles trabalhando, e nós não sabendo faze-los
trabalhar.

Eu gostei do material; produziu um cachorro bem durável e um outro de boca bem dura
– pelo menos, isso é o que nós estávamos conseguindo. Nós estávamos criando alguns
materiais satisfatórios de Magic Man, também; originários daquele material de
Crash/Cremator que ele tinha.

Nós tivemos vários cães de Saloon, eles realmente faziam dano. Os cachorros de Saloon
eram basicamente filhos de Eli / Corvino. Em minha opinião, a melhor procriação com
o material de boteco era quando cruzado com o sangue de Zebo. Quando eles fizeram
aquele cruzamento, eles conseguiram um cachorro bem decente; Tater foi notável, e
assim eram Scooter e Twister.
McNasy com seu cão Roadblock‟s Gr.Ch. Joey, um dos maiores cães de luta na
categoria de todos os tempos.

Roadblock‟s Slater, filho de dois grandes cães. Slater está produzindo alguns cães muito
promissores.
Pai: Roadblock‟s Gr. Ch. Joey
Mãe:Roadblock‟s Ch. Tater
Roadblock's Jolie, uma boa cadela filha de Cr. Ch. Joey. A mãe de Jolie é filha de
Roadblock's Ch. Beau.

Com cachorros de Saloon, você adquire um dos dois tipos quando você os procria; ou
você adquire vira-latas com mordida dura ou você adquire mordedores de gente. Eu
acho que o Ken Allen fez algumas cruzas bem satisfatórias daquele material do Robert
T, mas você não cruza cães Saloon muito próximos porque eles comerão seu traseiro!

O irmão de Tornado, Tex, era um assassino; ele era um pegador de gente terrível. O
Ken Allen ficou muito mais nervoso que eu, pra entrar lá com aquele filho da mãe
comedor de gente!

Nós fomos olhar uma fêmea uma vez, qual era o nome dela? - Snapshot. Ela era a
última bisneta de Saloon, filha de Butch com uma das filhas dele. Ela era um cachorro
de uma só pessoa. Quando nós fomos compra-la, o dono dela a pôs em um engradado -
cara! nós nos sentamos lá durante uma hora e tentamos falar com ela, e durante uma
hora ela se sentou lá e grunhiu, tão forte que o engradado inteiro estava vibrando. Nós
acabamos deixando ela lá!

Eu vou dizer uma coisa; fora de todos os cachorros que eu vi - e eu não estou sendo
parcial porque o cachorro era nosso - o melhor cachorro que eu já vi foi Beau. A melhor
cadela que eu já vi foi Tater. Ela fazia coisas que o fariam pensar que ela era humana.
Isto me impressionou - ela podia entender o estilo de qualquer cachorro na hora em que
ele era solto e fazia contato. Ela adorava trabalhar a garganta, mas ela podia fazer tudo.
Eu a vi literalmente arrancar o nariz de um cachorro.

O cão mais competitivo que eu já vi em minha vida foi King David. Em dez minutos, a
perna direita dele estava quebrada. Em vinte e três minutos, a perna esquerda dele
estava quebrada. Aos trinta e sete ele atacou sobre os pulsos, e aos quarenta e oito
minutos, quando ele atacou, ele arranhou uma parede e depois a outra até que ele pegou
novamente o Beau. Este foi o cachorro mais competitivo que eu vi.
O cachorro que morde mais duro que eu já vi - eu colocarei desta maneira: Eu não os
comparo um contra o outro, mas eu citarei cinco; Twister (uma filha de Tornado), Beau,
Boss, Joey e... Eu não consigo lembrar o número cinco, eu sei que eu estou esquecendo
alguém - eu sei quem o número cinco seria; Mau Mau ou Pepper. Eles eram
companheiros de ninhada filhos de Oak Tree‟s Ch. Rocky II e alguma vira-lata velha ou
alguma cadela de Colby e eles podiam mesmo morder! Eles eram duas das cadelas que
mordiam mais duro e a Queen of Hearts fez picadinho de Pepper.

Eu não enfatizarei muito, mas eu direi somente isto: Pepper não estava pronta para
evoluir quando ela lutou com Queen Of Hearts. Ela estava sendo desafiada todos os
meses e eu sei que de fato ela tinha sido emparelhada várias vezes durante três meses
antes da partida com Queen of hearts. O dono dela dizia, “me dê o resto da uma semana
e mais vinte e um dias e nós iremos”.

Nós a vimos perfurar buracos pelo tórax e pulmão de uma cadela em seis minutos, uma
vez; ela era uma cadela que castigava o tórax. A irmã dela era uma cachorra brutal na
perna - ela cortava pernas, parecia que alguém usou uma daquelas facas Ginsu!

Queen Of Hearts era uma cachorra que mordia duro, mas eu lhe direi agora mesmo: nós
lhes oferecemos Tater. Ela não conseguiria pegar Tater. Quando Tater trabalhava a
cabeça, ela não ficava segurando, ela ficava moendo”!

"Quais são algumas das melhores partidas que vocês já viram"? Nós perguntamos;
McNasty respondeu, "Uma partida que eu vi que eu achei realmente devastadora foi a
partida Martel vs. Radar; aquela foi ação do começo ao fim.

“Eu gostei muito da partida entre Bronson e Half-Jaw Header”, Mr. T nos contou,
“aquela foi uma guerra de verdade”.

“Conte-nos sobre Ch. Joey e Ch. Bossman”.

"Bem, a história de Joey já foi quase toda contada no último artigo do Times. Boss...
nós o adquirimos quando jovem de Paul McPherson; ele nos falou que o cachorro era
tão bom que você poderia jogá-lo do avião – e assim nós fizemos.' o que realmente
aconteceu de ruim foi que nós o levamos a Flint e o pusemos com um cachorro de peso
próprio para pegada - o Boss tem só quarenta e oito libras. Boss arrancou um pedaço
grosso de osso do crânio daquele cachorro, do tamanho de uma moeda de cinqüenta
centavos!

A primeira partida dele, ele venceu o cachorro em vinte e sete minutos, com uma só
mordida. O segundo foi mesmo um bom cachorro - ele foi a briga mais dura de Boss.
Nós conseguimos ver o Boss apanhando finalmente. Quando o Boss se recuperou, ele
estava na garganta do cachorro e isso foi tudo.

A partida entre Boss e Shy Boy é a que eu gostei mais; Eu sempre dei crédito a Boss por
ser um cachorro forte, boca dura - aquele dia ele mostrou ser um cachorro forte, boca
dura, e inteligente! Ele se mostrou muito esperto naquela briga.

Quando ele mordeu o cachorro a primeira vez no ombro, o ombro inteiro ficou
vermelho vivo. Ele o matou; quebrou a frente do ombro do cachorro e o focinho dele.
Dos quatro cachorros que Boss lutou, nenhum cachorro sobreviveu.
“Há alguma declaração final que vocês queiram fazer? Algum conselho para o iniciante
no jogo”?

McNasty respondeu, aproveite a sua chance, não seja passado pra trás por pessoas que
não sabem nada sobre estes cães. Vá a alguém que conheça mesmo os cães.

“Meu conselho”, Mr. T contou, seria encontrar um criador que está produzindo bons
cães de maneira consistente. Eu sugiro que a pessoa consiga um cão para iniciar com
ele, e aumente à medida que for progredindo. Não compre mais cães do que você
conhece; quando você se der conta vai ter desperdiçado todos! Pegue um para crescer
junto com ele.”

Experiência é a melhor professora, mas há muitas pessoas boas lá fora isso o pode,
também, ajudar. A maioria dos criadores de topo me ajudou em algum momento ou
outro, mas eu tenho que dar crédito especial a L.G. em Louisiana, e para os SoSo Boys
por meu programa de condicionamento.

McNasty acrescentou, eu gostaria de dizer uma mais coisa; nós temos um par de jovens
sujeitos que se uniram ao Roadblock; Little Charles e Big Rudy. Nós gostaríamos de dar
um pouco de crédito - eles realmente estão tentando. Nós também gostaríamos de dar
boas-vindas ao Rick no Roadblock”.
Roadblock‟s Gr. Ch. Joey, seis vezes vencedor, “Cão do Ano” pelo Sporting Dog
Journal em 1992. Joey bateu três criadores de ponta com bons cães no seu campeonato,
e então veio a bater dois campeões e um grande campeão nas suas três lutas seguintes.

Heikklia´s Fireman, um cão da linhagem de Eli muito pesado filho de Harri‟s Eli III,
ROM. Fireman tinha onze anos de idade quando esta foto foi tirada.

R.C.& The SoSo Boys Gr.Ch. Fritz, cinco vezes vencedor filho de R.C. & The SoSo
Boys Ch. Magnum, filho de RC & the SoSo boys Candy.
Adams & Crutchfield‟s Gr. Ch. Art, ROM
Capítulo Seis
Entrevista com Sonny Johnson

Originalmente publicado no American Gamedog Times Julho/Agosto de 1992

Alguns meses atrás nós recebemos uma chamada de um sujeito no Mississippi


interessado por um filhote de Torpedo, um filho de um cão de Stomponato que nós
temos. Ele nos falou que o sogro dele era Sonny Johnson - o dono de Johnson's Rosie.
Alguns meses depois, ele, a esposa dele, e o próprio Sr. Johnson veio até nos para nos
ver e escolher uma cadela filhote.

Era muito interessante conhecer Sr. Johnson e falar com ele, já que nós tínhamos sido
recentemente informados pelo editor do Times que alguém na Costa ocidental, nos
bastidores do jogo de cão, tinha esparramado um rumor que nunca tinha havido
qualquer cachorro como R Johnson's Rosie, que Maurice Carver a tinha inventado e
que ela nunca realmente existiu. O que, é claro, invalidaria os pedigrees de três de
nossos cachorros principais, como também a maioria de nossos outros cachorros e
muitos outros cachorros bons no jogo atualmente.

Sr. Johnson tinha trazido com ele todos os documentos de buldogue dele para nós
vermos; fotos velhas de Rosie e Brutus, pedigrees, cartas e fotografias de muitos
cachorros famosos dos anos trinta e quarenta, como também um álbum de fotografia e
álbum de recortes que pertenciam ao finado Harry Turner e um jogo de cortadores de
orelha com que o Sr. Turner aparava as orelhas de seu famoso 13 vezes campeão
Battling Red. Sr. Johnson nos falou que nasceu em Jackson, Mississippi, mas se mudou
para o Texas em 74, e viveu a menos de duas milhas de Maurice e Pat Carver. Ele e
Maurice ficaram amigos, e foi através de Maurice que ele adquiriu Rosie quando
filhote.

"Um amigo de Maurice teve a ninhada de filhotes," ele nos contou, " e Maurice me
levou até lá, escolheu uma fêmea agradável e a deu a mim, ela seria cruzada com
Stomponato e ele poderia pegar o que ele quisesse da ninhada.

Rosie era uma cadela má; ela era nosso cachorro de casa e um bebezinho conosco, mas
a casa, o quintal e nosso carro, todos pertenciam a ela. Minha esposa estava um pouco
abalada; ela tinha adquirido a licença de motorista dela aproximadamente um mês antes
e tinha colidido com a parte de trás de outro carro, ninguém ficou ferido. Enquanto os
policiais estavam examinando o carro, ela entrou na casa por um minuto e deixou a
porta do fundo aberta. Rosie voou pra fora da casa e mordeu um dos policiais no braço
direito, ele precisou de vinte e sete pontos.
A finada senhora Johnson com Johnson's Rosie.

Rosie foi cruzada duas vezes com Stomponato, na primeira ninhada havia quatro
filhotes. Dois machos - Buckwheat e Brutus - e duas fêmeas - Beauty e Little Rose. Na
segunda ninhada havia só um filhote, um macho que eu mantive e chamei de Short
Stack.

Maurice adquiriu Buckwheat, ele fugiu da corrente com quinze meses e matou um
cachorro que ele estava trabalhando para uma partida, ele era um cachorro mau. Ele
ganhou duas para eles, e então o venderam a um companheiro que o emparelhou em
Atlanta para a terceira dele. Bobby Houston viu aquela partida; Eu nem mesmo sabia
que ele tinha ido, ou teria tentado estar lá. A partida era de $5.000, eu acredito, com mil
dólares de multa. Buckwheat adoeceu, mas eles o emparelharam de qualquer forma e
ele foi morto, ele estava apenas muito fraco. Bobby Houston me falou que ele estava
rastejando de barriga e tentando pegar o outro cachorro quando ele morreu. Isso é
competitividade!

Brutus não gostava de lutar, e ele era muito estrábico. Quando ele tinha quatorze meses,
eu e Maurice o colocamos pra brigar e ele apenas se sentou lá no ringue sobre as coxas
dele com o outro cachorro no traseiro dele, olhando ao redor de como se dissesse 'que
inferno está acontecendo? ' Maurice disse, 'ele é um pouco jovem, traga ele de volta no
outro mês, assim eu voltei em um mês e Maurice colocou um cachorro ruim de verdade
com ele - aquilo despertou Brutus! Ele pegou no topo da cabeça daquele cachorro e o
matou, o cachorro tinha um buraco na cabeça dele do tamanho de uma moeda de quarto
de dólar!

Os Carvers compraram Brutus de mim e decidiram que eles o iriam desafiar em


Oklahoma. Quando eu ouvi falar de uma terceira partida, eu disse, 'partida de Brutus?
Ele provavelmente pulará fora do ringue! 'E as pessoas que tinham me contado
disseram, 'Oh cara! Não fale isso - nós temos todo nosso dinheiro apostado nele!' De
qualquer maneira, com certeza, o outro cachorro (um vencedor de duas lutas indo rumo
ao campeonato) começou a ir pra cima de Brutus, como eu disse, ele era estrábico - ele
deve ter visto aproximadamente quatro cães brigando com ele. Aquele cachorro o pegou
pela perna de trás quando ele estava indo pelo lado da parede, e Brutus o arrastou pra
cima da parede com ele. O cachorro cometeu um engano, agarrando Brutus e o
deixando furioso. Dentro de aproximadamente três minutos ele fez teve aquele cachorro
latir tão alto que você poderia ouvi-lo a uma milha de distância! O dono dele estava
gritando 'eu ganhei a briga! Eu ganhei a briga! ' E alguém do lado - Eu não me lembro
do nome dele - disse, “Estas pessoas dirigiram o dia todo para ver uma briga de
cachorro, e eles vão ver uma. Eu apostarei mil dólares que o meu cachorro baterá no seu
aqui mesmo”. Então, aproximadamente no mesmo minuto, o cachorro dele soltou um
grande uivo.

Carver & Johnson's Brutus, quando jovem.

Little Rose foi cruzada de novo com Stomponato e então os Carvers a pegaram de volta.
Ela foi registrada como "Johnson's Little Rose" mas aparece em pedigrees (crias de
Stomponato) como "Tiny", que é como meu irmão a chamava. Eu realmente não soube
mais dela depois que os Carvers a levaram; eles tinham a ela e Brutus, ambos, naquela
época, e parece que eles a renomearam novamente como "Freckles" Porque é como ela
aparece em pedigrees originados de Eriltus ".

Nós ouvimos muitos rumores diferentes sobre Stomponato; que ele ficou frio... que ele
ganhou duas no México... que ele foi posto pra brigar ou foi desafiado e desistiu; tendo
encontrado alguém que conhecia Maurice, e tinha visto o cão, nós perguntamos para Sr.
Johnson sobre Stomponato. “Ele era um bom cachorro, competitivo". ele nos falou.
Maurice nunca o desafiaria porque ele era cego de um olho, e ele era o cachorro de
estimação de Pat, Mas maurice o levou muitas vezes a brigas de fundo de quintal. Ele
tinha uma boca dura, e produziu alguns cães de jogo bem competitivos”.

"Stomponato tinha esse nome por causa de um amigo gângster de Maurice, Johnny
Stomponato", ele continuou, "Johnny Stomponato era ' ligado' com o jogo em Las
Vegas ou Hollywood. Ele foi morto pela filha de Lana Turner".

Ele nos falou então sobre Pat Carver, "Pat era uma senhora agradável, ela ia a todas as
partidas e mantinha os pedigrees dos cachorros. Os quartos na casa de Maurice e Pat
sempre estavam impecáveis, mas a sala de estar era sempre um chiqueiro. Eles tiveram
umas visitas um dia, algum criador e a esposa dele ou namorada. Aparentemente a
bagunça a incomodou, ela apanhou uma vassoura da cozinha e começou a varrer.

Maurice gritou a ela, 'que inferno você está fazendo?' Ela disse que ela estava apenas
tentando ajudar, varrendo um pouco, e ele gritou de volta 'me levou vinte anos para
tornar o lugar sujo assim e eu não quero ninguém fazendo confusão aqui!'

Nós saímos para o quintal para mostrar para Sr. Johnson os nossos cachorros, e no
caminho de fora lhe perguntamos quando, e como, ele começou nos cachorros.

"Eu comecei nos cachorros quando eu era criança; meu pai os tinha quando ele era
jovem, e tinha me contado muito sobre eles. Eu adquiri meu primeiro cão quando eu
tinha aproximadamente onze anos. Eu paguei dez dólares por ele, o que era muito
dinheiro em 1937. Era uma fêmea um pouco sólida. O dia que eu a comprei minha
bicicleta furou um pneu, e eu pus o filhote em meu casaco e empurrei minha bicicleta
por todo o caminho de casa.

Eu amava aquela cachorrinha, ela era uma cachorra pequena e pesava aproximadamente
vinte e oito libras. Eu obtive meu cachorro seguinte com H.P. Xnicious, um criador em
Magnolia, Mississippi, ele tinha alguns cachorros legais. Eu adquiri um cão negro e
bronze de dez meses de idade, que pesava aproximadamente cinqüenta e cinco libras.
Eu o tive aproximadamente por um mês; então ele fugiu da corrente um dia e alguém o
envenenou.

Eu escrevi de novo para Mr. Xnicious e lhe perguntei se ele tinha outro cachorro, e ele
me enviou um cachorro chamado Osyka Snapper. Ele era um cachorro vermelho e
branco grande, de aproximadamente sessenta libras, sem uma grama de gordura no
corpo dele, ele apenas não engordava. Eu costumava passear com ele na rua e ele não
brigava com ninguém, ele apenas empurrava os outros e ficava em cima deles.

“Osyka Snapper”, foto tirada em 1940.


Harry Turner chamou meu pai um dia, ele disse 'eu ouvi que você tem um buldogue de
rabo comprido aí, eu gostaria de trazer um de meus cachorros e experimenta-lo. „Meu
pai falou, você terá que perguntar para meu filho, é o cachorro dele‟.

Ele veio com aquele cachorro negro bonito, sólido, que parecia que rasgaria o meu em
pedaços, você sabe? Ele me mostrou como segurar o cão, tirou as coleiras e assim
sucessivamente, e então nós soltamos os cachorros.

O cachorro dele estava ganhando o tempo todo, mas eu estava assistindo e meu
cachorro não se machucava. Harry disse, „você quer deixar mais um pouco?‟ e eu disse,
'claro'. Depois de mais cinco minutos ele disse 'é melhor parar.' Assim nós fizemos, meu
cachorro ainda estava perdendo, mas havia sangue em toda parte, e era sangue do
cachorro dele - Snapper o rasgou todo por baixo.

Ele embrulhou o cachorro dele em um saco velho e eu coloquei Snapper de volta na


corrente dele; ele correu aproximadamente quinze voltas ao redor da casa dele, bebeu
água, e deitou como se ele só tivesse saído para um passeio. Turner me ligou no dia
seguinte, e me falou que o cachorro dele tinha morrido, e que eu tinha um cachorro
muito bom".

Carpenter‟s (Johnson‟s) “Beauty”, uma filha de Stomponato e Rosie, neta de Sthroter‟s


Gr. Ch. Luther.
Sonny Johnson com “Bandit” – abril de 1992

Nós o levamos pelo quintal e mostramos cachorros que tinham o sangue de Rosie e
Stomponato em algum lugar do pedigree deles; ele gostou muito de Torpedo e disse ele
se parecia muito Stomponato, mas nos surpreendeu um pouco quando mostrou interesse
em Little Bandit, disse que ele tinha uma cabeça como a de Stomponato, só que menor.

A mãe de Bandit é uma bisneta de Stomponato e Rosie. Ele mencionou depois que ele
gostaria de adquirir um filhote macho de Bandit no futuro para cruzar com a pequena
fêmea filha de Torpedo.

Nós lhe mostramos um cachorro velho que nós chamamos Pete, um neto de Strother's
Gr.Ch. Luther, e explicamos que Luther era um neto de Beauty, uma das cadelas da
primeira procriação de Stomponato / Rosie. Ele pareceu confuso primeiro, então
interessado, e finalmente exclamou, "eu sou um condenado, Maurice me pegou
novamente"!

Ele explicou aquele dia que Maurice veio com um velho homem mexicano e disse que o
homem queria comprar Beauty. Ele finalmente concordou em vende-la por setenta e
cinco dólares, como Maurice lhe falou, isso era tudo que o homem tinha. Depois de
ouvir o que nós lhe contamos, ele percebeu que aparentemente Maurice tinha adquirido
a cadela para ele e a tinha vendido a um homem chamado Carpenter, no Norte. Ele
então disse, "bem, eu presumo que Maurice não me enganou porque eu sempre disse
para ele que ele podia ter qualquer coisa do meu quintal, mas Maurice provavelmente se
divertiu mais desse jeito.

Nós concluímos nossa visita porque Sr. Johnson e a família dele tinham uma longa
viagem para o Mississippi à frente. Nós ficamos sem palavras quando, antes de partir,
Sr. Johnson deu todas aquelas relíquias inestimáveis dele, de tempos remotos, para nós,
e disse que ele queria que nós as tivéssemos e esperava que nós as compartilharíamos
com a fraternidade do cão de jogo.

Nas próximas edições, nós apresentaremos estas fotos, pedigrees e outros itens de valor
histórico para os leitores do American Gamedog Times.
Cópia do pedigree original de Johnson‟s Rosie.

Da esquerda para a direita: Tom Ratiff, Tony Benoit, e Ed Faron. Foto tirada em
1993.
Garner‟s Paddy, também chamado de Creamy; filho de Patrick´s Golden Boy com
Patrick‟s Pinky II. Um ótimo cão e muito bom reprodutor, aparece nos pedigrees de
vários campeões.

Buzzard Creek‟s Pearl, meia-irmã de Ch. Jughead e bisneta de Buzzard Creek‟s Tess.
Capítulo Sete

Dicas e Objetivos
Artigos já publicados em várias revistas

Nós estamos reimprimindo os artigos seguintes com a permissão dos autores. Nós
devemos um especial agradecimento a cada um destes criadores pela amizade deles,
apoio, e a contribuição que cada um fez ao nosso canil.

Terry Townsend, nós achamos, fez um trabalho excelente para preservar o sangue do
velho Nigerino, e as procriações que ele fez formam a base da maioria da linhagem de
Nigerino que nós temos. Terry é um dos criadores mais honrados que nós conhecemos,
e embora nós nunca o conhecêssemos em pessoa, nós o consideramos um de nossos
melhores amigos no jogo. O artigo seguinte escrito por Terry apareceu na primeira
edição do American Warriors de Tom Ratliff, em março de 1992.

Cates' Gr.Ch. Nigerino

por Terry Townsend

Nigerino nasceu em julho de 1979, filho de Jackson´s Wolfman, um filho de Eli Jr. e
neto de Bullyson, criado por Hathaway´s Lela, uma filha de Gr.Ch. Art e bisneta de Eli
Jr.. Sam Cates adquiriu Nigerino e a irmã de ninhada dele, Bolita, do criador deles
quando eram filhotes.. Havia uma condição; aquele Bolita seria cruzada de volta com
seu pai, Wolfman.

Por qualquer razão, isto não foi feito. Quando Bolita entrou no cio ela foi cruzada com
Cates'Poncho, que era filho de Stomponato com uma filha de Bullyson/Art‟s Missy.
Algum tempo depois, Bolita e Nigerino eram roubados do quintal de Sam Cates, como
também um filho e uma filha da procriação de Poncho/Bolita.

A história é que o criador de Nigerino e Bolita pegou os cachorros roubados,


supostamente porque ele sentia que o acordo tinha sido violado. Cates achou Nigerino
no canil de outro criador do Texas e o recuperou, os dois filhotes de Bolita (Leo e Miss
Kitty) foram devolvidos depois a ele, mas ele nunca recuperou Bolita. Disseram que ela
tinha sido vendida a outro criador. A situação inteira começou uma grande discussão
entre as duas partes envolvidas, que durou muitos anos.

A primeira partida de Nigerino aconteceu no Sul Texas contra o Peace‟s Al Capone a 37


libras, o árbitro era o Granger. Nigerino trabalhou a cabeça e tórax; Al Capone foi
dominado em 37 minutos. Esta partida era parte de uma convenção de cinco partidas e
Nigerino levou o prêmio de Melhor no Show.

Para a segunda partida dele, ele foi condicionado e dirigido por Oklahoma Shorty. O
oponente dele, Maddox' Louie, era um vencedor de uma partida de mais de duas horas.
O árbitro era o Bobby Smith. Louie fez um bom trabalho agarrando Nigerino, mas
Nigerino começou trabalhando o tórax e o focinho e Louie foi vencido às 1h 20min.
Nigerino foi premiado uma vez mais Melhor do Show e recebeu um troféu.

Cate‟s Gr. Ch. Nigerino, neto de Eli Jr. e Gr. Ch. Art ROM

Ch. Red Rover, criado por terry Townsend e filho de Buddy Ringo, nascido de Nigerino
com Nigerino Bitch, filha de Nigerino. Produziu Ch. Rocco e vários outros campeões.
Wildside‟s Kitty, criada por Terry Townsend, filha de seu cão de jogo Brutus, (Cujo x
Black Widow) com Zudor, filha de Nigerino.

Cate‟s Cujo, um filho de Nigerino criado por terry Townsend. Um bom produtor,
particularmente quando cruzado com Towsend‟s Black Widow.

A terceira dele foi em trinta e seis libras contra outro vencedor de duas vezes, o
McMflhan‟s Brindle. Esta partida foi arbitrada por Selso. Nigerino esteve à frente todo
o tempo e atacou para ganhar aos 37 minutos.
A quarta foi contra um grupo da Califórnia que se chamava Black Attack; o peso era 37
e o árbitro era o Morgan. O oponente de Nigerino, o Guerro‟s Ranger, foi eliminado no
canto dele a trinta e sete minutos. O filho de Nigerino, Sampson (filho de Miss Kitty)
também ganhou uma na mesma noite, em menos de trinta minutos.

Três anos depois, quando Nigerino tinha sete anos, ele ganhou a quinta partida dele. O
peso era 37 e o árbitro era DelaGarza. O árbitro da quarta partida, Morgan, tinha um
cachorro que mordia duro na cabeça chamado Rowdy que ele achava que poderia bater
em Nigerino. Rowdy era um vencedor de uma partida muito talentoso filho de um
cruzamento de Ch. Tonka/Bolio e conseguiu segurar Nigerino durante os primeiros dez
minutos, com Nigerino conduzindo. Nigerino pegou no nariz de Rowdy, então no tórax
dele, e então no traseiro várias vezes e Rowdy começou a “cantar” na marca de trinta
minutos. Morgan recolheu Rowdy aos 37.

Dois meses depois, Nigerino morreu de causas desconhecidas no quintal de Cates'. Por
causa do incidente de antes, havia alguma especulação que Nigerino tinha sido até
mesmo envenenado, mas ninguém nunca realmente soube se a morte dele foi devida a
causas naturais ou jogo sujo.

Nigerino era parte de uma ninhada de seis, todo cachorro na ninhada dele foi um
vencedor de partida. o irmão dele Thunder Road ganhou três e morreu durante a
manutenção para a número 4. O outro macho na ninhada, Jolie Blonde, também ganhou
três. Fora as três cadelas, Bolita e Nigerie, que ganharam duas pelo menos cada uma e
Red Sonja ganhou uma pelo menos. Havia relatórios não confirmados que alguns dos
irmãos de Nigerino ganharam cinco ou seis partidas cada.

Por causa de sua morte cedo, Nigerino não foi cruzado com muitas cadelas. Algumas
das quais ele foi cruzou foram a sobrinha dele, Miss Kitty, as filhas dele Sasha e
Midnight express, Cates (McCarty‟s) Patches - uma cadela filha de Stomponato/Rosie.
Cruzado com Miss Kitty, que ganhou entre uma e três, Nigerino produziu DelaGarza‟s
Little Red, um vencedor de uma vez que foi roubado depois desta partida, o
DelaGarza‟s Mojo, um vencedor de duas que morreu depois da segunda dele, Sampson
que ganhou uma e perdeu uma porque o manipulador dele infringiu as regras, Cates'
Sasha, uma vencedora em 18min que perfurou a bexiga do oponente dela, e Rambo que
foi recolhido no único intervalo dele contra um cachorro três libras maior em 1h 40min.
O irmão de Rambo, Cujo, nunca foi desafiado, mas está mostrando ser um bom
reprodutor.

Princess era uma neta de Jackson‟s Wolfman; cruzada com Nigerino ela produziu
Townsend & Hall‟s Revenge, um vencedor de uma vez que mordia duro e que foi
enviado depois para a Inglaterra e está produzindo alguns cães muito promissores lá. Ele
foi emparelhado só uma vez porque ele era um lutador de corrente terrível, de fato ele
só teve um canino partido quando ele ganhou a primeira partida dele!

Nigerino também foi cruzado com uma cadela chamada Carleton's Midnight Madness e
esta procriação produziu Grant's Nightmare, um vencedor de uma partida.

Quando criado de volta com sua filha Sasha, Nigerino produziu o South's Buddy Ringo,
que ganhou uma e então perdeu uma para um filho do Maflock's Ch Truck; ele fez um
ataque de cortesia às 1:30 e morreu logo depois. Buddy Ringo tinha sido cruzado com
Nigerino Bitch, que era a meia irmã dele filha de Nigerino e Patches, e esta procriação
produziu dois vencedores de duas partidas, o Frio Boy's Ada e o Terry's Red Rover.

Também na ninhada de Nigerino/Sasha estava uma cadela que Cates trouxe para Tom
Garner, Zípper. Quando cruzada com Garner's Ch. Chinaman, ela produziu Pineapple
Kid's Ch.Rosie, que ganhou quatro. O campeonato de Rosie fez do seu pai Chinaman
um ROM. Outro cachorro na ninhada de Sasha e Nigerino seria emparelhado, mas ele
morreu durante o treinamento dele devido a um horrível acidente.

Townsend's Brutus
pai: Cujo
mãe: Black Widow

A última procriação feita com Nigerino antes de ele morrer foi com outra filha dele,
Midnight Express (uma irmã de Nigerino Bitch e Black Widow). Esta procriação
produziu o Hackman‟s Marino um cachorro três vezes vencedor.

A descendência de Nigerino também mostrou ser de bons reprodutores; além dos


cruzamentos já listados, a filha dele, Black Widow, quando cuzada com Cates' Pinto
Pete (que ganhou uma luta em 1h 30min e morreu depois) ela produziu dois filhotes ;
Torpedo, um cachorro de jogo de morte, e uma cadela que ganhou duas ou três. Quando
cruzou com Cujo, ela produziu Wildside's Mean Jolene, que perdeu uma luta de morte.

Sasha também mostrou ser uma boa reprodutora, entretanto muito da descendência dela
é ainda jovem. Quando cruzou com um filho de Ch. Chinaman, ela produziu Shocker
que ganhou uma e então perdeu para Ch. Tyrone.

...................................

Se nós tivéssemos que nomear a pessoa que teve mais influência em nosso programa de
criação o Tom Garner definitivamente seria esta pessoa. Quando olhamos pelas
genealogias de muitos dos cachorros que embelezam a criação dos Canis de Wildside, o
nome "Garner" normalmente pode ser achado pelo menos uma vez em algum lugar em
cinco gerações.

A influência dele não só seria limitada às grandes linhagens que ele tornou disponível
para nós, mas especialmente pela direção dele e apoio pelos tempos ásperos de 1987-
1989. Nós gostaríamos de aproveitar esta oportunidade para dar graças a Tom Garner
por toda sua ajuda durante os anos; a amizade dele significou muito pra nós.

O artigo seguinte apareceu na American Pit Bull Terrier Gazette, volume 9, primeira
edição. É um dos mais bem - escritos artigos sobre cães de jogo que já vimos, e
expressa o que muitos de nós sentimos sobre estes cachorros, mas temos dificuldade de
colocar em palavras.

Por que amar o pitbull?

Por Thomas M. Garner

Freqüentemente no curso de minhas atividades diárias me me pedem que explique como


um profissional de saúde mental e humanista (não "humaníaco") pode ser envolvido
assim e pode ser apreciador de cachorros cujos instintos lhes ordenam que lutem entre
si a cada oportunidade. Talvez eu busque algumas questões, assim como eu exibo um
orgulhosamente um quadro de 14" de meu cachorro CH. Pedro ao lado das fotos de
minhas crianças na parede de meu escritório. De qualquer modo, a conseqüência destas
perguntas é que eu passei tempo considerável refletindo sobre este aparente conflito e
compartilharei com alegria as conclusões com qualquer um que se preocupar em ler
mais adiante.

Agora, a maioria de nós sente que há algo nobre sobre ter a coragem para manter nossas
convicções. De fato, este país maravilhoso em que nós moramos seria certamente
imensamente diferente não fosse pelas convicções e pela coragem de nossos
antepassados. Nossa herança praticamente demanda que nós coloquemos um prêmio
para convicções e coragem. Mas como isto se relaciona com nossos cachorros? Bem,
em minha opinião um buldogue que não começa, não tem nenhuma convicção. Um que
começa e desiste não tem nenhuma coragem, e um que começa e fica firme pode
almoçar comigo na minha mesa.

Mas por que é necessário experimentar dor e dano demonstrando coragem e convicção?
esta é a natureza da vida, meus amigos. Pergunte para Patrick Henry que morreu pelas
convicções dele. Pergunte para o mecânico que estraga diariamente as juntas dele para
prover sua família. Pergunte para o secretário que sofre enxaquecas de tensão mas
organiza regularmente a papelada na hora certa. Pergunte para o doutor que aceita a dor
da abnegação durante oito anos para completar o grau dele. Pergunte para nosso
presidente que leva uma bala no peito mas não corre pra casa e se esconde, pergunte a si
mesmo.

Dor é o instrumento de realização, e o triunfo da vontade e perseverança sobre as forças


da dor e medo, é a essência de toda a realização. Este é um cenário que permeia tudo na
vida. Os palcos e atores podem mudar mas a história permanece constante. Por que
tantas pessoas são então capazes de aceitar esta luta em algumas situações, mas não
outras? Eu suspeito que muitas destas pessoas não têm uma compreensão filosófica boa
de si mesmos, da vida, e certamente, não dos nossos cachorros. Muitas pessoas não
conseguem fazer um trabalho adequado apenas observando os próprios umbigos.
Muitos estranhos vêem nossa aceitação de dor na vida como um amor à dor. Nada
poderia ser mais distante da verdade. Eu por mim estaria perfeitamente contente se
nossos cachorros pudessem fazer o trabalho deles sem dor ou dano. Mas isto não
requereria agora muita convicção da parte deles, não é? Dor desnecessária é certamente
um mal.É por isso que meus cachorros dormem em casas aquecidas no inverno, comem
comida nutritiva e boa, são mantidos sem parasitas e têm todo o amor e afeto que eu
posso oferecer. Eu amo a vida, vida especialmente frutífera, em todas as formas. Eu
amo a vida por mim, por minha família, por você e sua família, meus cachorros e até
mesmo por minhas raízes. Nem sequer a mosca desesperada que equivocadamente entra
em minha casa não é amassada. Ele é relocada para um ponto mais apropriado no
universo do lado de fora. Impedir uma entidade vivente de atualizar seu potencial é um
crime contra a natureza. Fazer isto por amor é um engano terrível. Cortar as asas de uma
águia para que ela nunca pudesse voar, correndo o risco de despencar seria absurdo, mas
esta maneira de pensar é aplicada freqüentemente a nossos cachorros.

Garner's Frisco, um filho de Ch. Chinaman, ROM. Um produtor de pitbulls vitoriosos.

Garner‟s Wild Cherry, uma filha muito boa de Ch. Chinaman criada por Tom Garner, e
vendida para o canil WildSide. Produziu Rollbar Rapid Roy e muitos outros
vencedores.
Garner‟s Prissy, uma cadela muito boa do canil de Tom Garner. Fruto do cruzamento
de Heavy Snooty com Abernathy‟s Grasshoper, um filho de Snooty, com Abernathy‟s
Linda.

Garner‟s Ch. Chinaman ROM depois de velho. Um cão devastador que venceu quatro
lutas na costa Oeste, e também um produtor de campeões.
Garner's Gr.Ch. Spike aos nove anos de idade.

Ernest Hemingway demonstrou a convicção dele repetidamente em seus romances, que


a vida vem a ser significante através de uma "boa briga". Eu também sustento que o
elemento mais significante para viver uma vida plena vem do fato de se ter um
propósito e a coragem para cumpri-lo. Em nenhuma parte da minha experiência eu vi
estas qualidades exibidas mais claramente que quando nossos cachorros simplesmente
estão sendo o que são.

..................................

Nós encontramos Rick Wade pela primeira vez durante a partida de Jolene/Sadie, e ele
veio a ser um bom amigo depressa. Embora Jolene perdesse aquele dia, Rick ficou tão
impressionado com ela que ele cruzou Sadie com o irmão mais jovem dela, Lucifer, e
depois ganhou incrivelmente de dois dos filhos de Jolene. Nós sempre agradeceremos a
Rick por enviar Ch. Sadie para nosso canil como uma cadela de ninhada depois que a
carreira de partidas dela terminou. Rick escreveu o artigo seguinte durante o número de
novembro de 1992 da American Warrior.

Wade's Ch. Sadie

Por R. Wade

Wade's Ch. Sadie nasceu em 12 de julho de 1986, criada por Edwards filha de Ch.
Chinabuck cruzado com Edwards' Miss J.E. 34, Ch. Chinabuck era um filho de Ch.
Chinaman ROM e J.E. 34 era filha de Hargroves' Rufus. Sadie nasceu no canil de
Edwards na Carolina do Norte e ela foi o último filhote vendido da ninhada dela. Ela foi
vendida finalmente a Sr. Allen que a treinou até que ela completou três anos. Naquela
época, ela não ainda não estava pronta - contudo ela lutaria bastante duro e morderia
bem, mas não começava a lutar. O dono dela foi estimulado por ela e por pessoas que
falavam mal dela e queria atirar nela.

Ele ligou para o criador, Edwards, e lhe falou que ele ia atirar na cadela. Edwards o
persuadiu a vender a cadela de volta para ele. Depois de aproximadamente uma semana,
Edwards me chamou e me perguntou se eu estava interessado nela, pois ele soube que
eu tinha uma meia irmã dela chamada " Molly " que era uma cadela boca-dura e
vencedora de uma partida. Eu tinha ouvido o que o antigo dono dela tinha dito sobre ela
e pensei que ele fez um julgamento bom, assim eu estava hesitante. Edwards fez um
acordo comigo que se Sadie não desse futuro, ele a compraria de volta pelo o que eu
paguei por ela.

Assim eu comprei Sadie por $250, ela era uma cadela preta com o peito branco e
orelhas cortadas. Aproximadamente duas semanas depois eu a coloquei com uma cadela
que eu tinha, filha de Ch. Rambo, chamada Prissy que era mesmo uma cadela boca-dura
mas também não atacava. À marca de 5 minutos, Sadie estava sofrendo nas pernas, e
quando pegou o peito dela trabalhou satisfatóriamente em cima dele e ela deixou sair
um uivo, saltou, agarrou Prissy pela dianteira e começou a sacudir de um lado para
outro. Dez minutos eram tudo que qualquer das duas poderia aguentar, nenhuma delas
podia se levantar e então eu parei com a briga.
Deois disso Edwards ficou realmente contente sobre a cadela, e eu imaginei que ia testá-
la mais vezes e a desafiaria quando eu pensasse que ela estava pronta.
Aproximadamente seis semanas depois, eu fui para a casa de Lee Triplett e a treinei
novamente. Lee era um bom amigo meu e eu o respeitava muito; ele pôs uma cadela de
42 libras nela (Sadie pesava aproximadamente 39) e Sadie atacou imediatamente a
cadela. Ao término de 15 minutos, Sadie tinha trabalhado o nariz de forma satisfatória,
tinha pegado veias na parte dianteira e realmente tinha trabalhado a cachorra bem duro.
Ela atacou muito bem quatro ou cinco vezes.

Depois que nós paramos a briga eu perguntei para o Lee o que ele achou da cadela, e ele
disse que ele nem mesmo a testaria novamente, ele a colocaria pra competir. Eu
respeitei muito a opinião dele de forma que foi justamente o que eu fiz. Eu comecei
procurando uma fêmea de 38 libras; King Kennels tinham uma que eles queriam
desafiar e a partida foi marcada.

Eles trouxeram uma cadela chamada Star que era conhecida como uma cadela defensiva
boa e muito feroz. Sadie bateu nas pernas dianteiras imediatamente, pela marca de 15
ela quebrou as duas pernas da frente de Star e uma delas estava completamente perdida
- mas Star continuou atacando, nós não a pudemos parar. Sadie pegou então na garganta
e Star estava profundamente em choque quando eles a recolheram aos 41 minutos.

Sadie tinha revivido minhas expectativas destruindo aquela cachorra completamente em


41 minutos, ela parecia muito bem e estava pronta para a segunda partida. Eu não
conseguia outra partida para ela, as pessoas tinham espalhado o quanto duro ela podia
morder, e eu simplesmente não a pude desafiar. Eu decidi deixar um bom amigo meu,
James Herriot, encarregado de desafiá-la; foi ele que me ensinou como condicionar um
cachorro assim eu sabia que ele a podia levar e fazer um bom trabalho com ela - Sadie
dela era como um cachorro de estimação mas eu sentia que ele poderia tirar o melhor
dela.

Nós achamos um oponente finalmente, o canil Wildside lá em cima das montanhas. Eu


tinha visto um cachorro do Wildside ganhar uns anos antes com uma cadela de Bobby
Hall - e eu não pensei muito sobre o cachorro. Eu imaginei que nós tínhamos tudo quase
acertado.

Eu, minha namorada, Barney Fife e James Herriot fizemos uma viagem até a montanha
- eu Fiquei excitado para conhecer o Old Mountain Man mais do que com a partida, já
que eu tinha ouvido falar tanto dele. Quando nós chegamos à casa dele no dia da
partida, estava chovendo e um pouco frio; nós trouxemos Sadie para o ringue. Ela
emagreceu uma meia libra e estava agindo um pouco apática.

Enquanto eu estava sentado lá com ela, a escovando para a aliviar dos golpes, eu olhei
pela janela e vi o Wildside que caminhava com a cadela deles para cima da colina. Ela
era uma cadela de Nigerino vermelha e grande e parecia ter 44 libras; Eu comecei a rir
porque eu já sabia que nós íamos recebera multa e eu estaria levando minha cadela pra
casa - não havia nenhum meio daquela cadela chegar no peso!

Eles trouxeram a cadela deles Mean Jolene e a pesaram, ela pesou justamente 38 e eu
comecei a suar. Esta era a maior cadela de trinta e oito libras que eu já tinha visto, e ela
não estava abaixo do peso. Quando essas cadelas foram soltas eles bateram duro, e
imediatamente Jolene começou a dominar. Ela foi a primeira cachorra que eu já tinha
colocar Sadie na defensiva. Eu não podia ver direito o que acontecia, tudo que eu podia
ver era o Ed sorrindo aos espectadores no lado deles e dizendo "parece bom".

E parecia mesmo bom para o lado deles. Jolene estava dominando e estava empurrando
Sadie pra trás. Eu não vi muito do que estava acontecendo até ao redor da marca de dez
minutos, quando Sadie começou a se destacar. Ela tinha feito algumestrago bom na
cabeça mas não parecia deter Jolene. Ao redor dos quinze ou vinte minutos ela entrou
finalmente nas pernas dianteiras e começou a trabalhar Jolene pra valer - se não fosse a
defesa de Sadie ela teria sido morta cedo naquela luta.

Wade‟s Ch. Sadie, três vezes vencedora, uma cadela destruidora que está produzindo
mais cães como ela.

Lujack, de Rick Wade. Esta foto foi tirda com nove meses de idade. Ele é o único filho
de Lúcifer e Sadie que sobreviveu até a idade adulta.
Allie, uma cadela jovem filha de Wildside´s Black Bart e Wade‟s Ch. Sadie, criada por
Todd Cavaretta em Las Vegas. Uma cadela muito grande, vista aqui com 60 libras.

Esta provavelmente é uma das melhores partidas que eu vi; dois cães que mordem duro
e boa esportividade em ambos os lados. Ao redor dos 28 minutos Wildside decidiu
recolher a cachorra deles e tentar salva-la. Quando foi pedido o ataque de cortesia,
Jolene foi solta e caiu, se levantou e começou novamente e caiu, e Ed a recolheu
recolheu como um bom cachorro de jogo. Sadie foi segurada pelo rabo por James
Herriot assim ela não faria mais nenhum dano a Jolene.

O ombro de Sadie estava muito ferido, assim nós atendemos imediatamente a ela e o
Wildside foi trabalhar na cachorra deles. Naquele dia eu lamentei que eles a perdessem,
ela era uma cadela boa e eu realmente gostei muito dela.

A terceira partida de Sadie foi com uma cadela da linhagem de Vindicator/Zebo


chamada She-Ra, Ela tinha uma reputação como uma cachorra que mordia duro no
tórax e eu sabia que as pessoas com quem eu estava me metendo eram barra pesada,
eles souberam o que fazer com um cachorro. A defesa de Sadie entrou novamente em
jogo; ela passou os primeiros quinze minutos lutando nada mais que na defesa, ela não
conseguia achar nada onde pegar porque She-Ra dominou muito bem.

aproximadamente aos vinte minutos (era um dia quente) Sadie teve a chance dela,
entrou em um ombro e foi trabalhando lá e deslizando lentamente até a perna. Ela
quebrou a perna de She-Ra perto da pata e trabalhou até o ombro e começou a machucá-
lo.

She-ra trabalhou no peito de Sadie sempre que ela tinha a chance e Sadie voltava
depressa à defesa e tentava agarrá-la. Na marca de 35 minutos, era a vez de She-ra fazer
o primeiro ataque (Sadie já tinha atacado uma vez) e ela parou na linha. Isso fez de
Sadie uma campeã.
Campeã Sadie e amigos.

Sadie é um desses cachorros que são amáveis com as pessoas que tratam direito dela,
mas ela não gosta de estranhos. Alguém tentou arrombar nossa casa uma vez enquanto
Sadie estava lá dentro, eu vim pra casa e achei sangue por toda parte. O sujeito apareceu
no hospital aquela noite, ele precisou de 28 pontos no braço. Se você cuida de Sadie, ela
cuidará de você - Eu queria ter mais dez como ela.

Campeã Sadie está agora com 6 anos e meio e se aposentou para criação. Ela foi
cruzada com Wildside Lucifer e esses filhotes parecem bons. Agora mesmo ela foi
cruzada com Wildside Renegado e eu estou na expectativa de mais bons cachorros
filhos dela.

........................................

Um de nossos cachorros de ponta mais importantes é um filho de Bandit e Wild Cherry


chamado Rapid Roy. Roy foi enviado ainda filhote a nosso amigo Ted Barnes em
Ontario, Canadá. Ted educou Roy e em lugar de escolher um lugar fácil para a primeira
partida dele, ele e Roy viajaram mais de 2,000 milhas para a competição de topo e
ganharam. Nós temos uma dívida de gratidão para Ted por nos permitir a oportunidade
de ter Roy de volta, quando ele poderia ter vendido o cachorro por muito mais dinheiro.
Ted escreveu a história seguinte sobre Roy durante o Outono de 1994 na revista de Don
Carter, Bits on Pits magazine.

Rollbar Kennels' Rapid Roy

por Ted Barnes

Hmmm, onde começar? Primeiro, eu gostaria de dar crédito para onde é devido. Além
do treinamento e das partidas, eu teria que dizer que a maioria do crédito deveria ir para
o canil Wildside. Estes são as pessoas que criaram o cachorro e o enviaram para mim.
Eu também acho que esste é um bom lugar para começar a história de Roy.

Eu originalmente queria de Ed & Chris um filhote de Bandit e um outro, Gyp, que eles
tinham no canil. Bem, aquela procriação não pôde ser feita, então eles tiveram que me
enviar outro filhote em substituição - com minha autorização, claro. Este filhote de
cachorro era do mesmo antepassado, o Bandit, e a mãe de " Roy " era a Wildside Wild
Cherry. Sabendo que eu gostava de cachorros de Eli cruzados com cachorros de Snooty,
eles não poderiam ter feito uma escolha melhor para mim.

Eu recebi Roy quando ele era um jovem filhote de dez semanas, desde o primeiro dia
que eu soube que ele tinha um bom caráter. O tempo estava bastante frio durante aquele
ano, de fato nós tivemos neve cedo, assim eu decidi trazer Roy para dentro. Bem, isto
durou aproximadamente uma semana! Eu poderia dizer que tentar manter este cachorro
dentro de casa é uma boa chance de arruinálo antes dele atingir o circuito de show.

Roy levava a vida nos seus termos e nunca realmente parecia se preocupar de uma
maneira ou de outra. Considerando que era o cachorro de minha esposa, ele tinha algum
extra de vez em quando - como brinquedos e tempo jogar com eles. Eu tive que
construir um poste e um boneco para o cachorro, para a diversão dele. Assim em
essência, Roy aos dez meses estava sendo apresentado às ferramentas de trabalho dele,
as quais ele aproveitou bem.

Foi naquele tempo que eu decidi lhe dar um gostinho das quatro paredes com um
cachorro de aproximadamente dezoito meses. Ele o tratou como se fosse os brinquedos
dele. Ele mostrou uma falta de interesse, não que ele não atacou quando ele fdeveria ou
mordeu como um cachorro deve; estava mais como o interesse que um cachorro tem de
sair e lutar a vinte graus abaixo de zero - eles saem porque eles querem. Assim era Roy
quando ele encontrou outro cachorro pela primeira vez.

O segundo páreo de Roy nos mostrou que ele tinha muito cérebro e se dirigiu bastante
bem durante vinte e três minutos (ele tinha quatorze meses). eu suponho que este foi o
último dos tempos fáceis para Roy. As próximas três brigas dele foram com um
cachorro maior que ele (cinqüenta libras) e nenhuma foi abaixo de quarenta minutos.
Nestas brigas Roy teve o pé quebrado e tendões nas pernas dianteiras rasgados para o
resto da vida. As pernas dele nunca seriam as mesmas.

Era agosto de 1993; Eu tinha perdido uma partida e estava pensando em tirar Roy do
circuito. Eu estava com algumas pessoas do Prominent Dogs do Texas durante uma
semana e meu amigo me falou que ele achava que Roy era um vira-lata. Eu disse, "
talvez sim, mas não parece ter um cão aqui neste canil que o faça perder ". Bem, nós o
deixamos no chão ao redor de meia-noite e ele fez 1h 06min, e eu decidi que deveria
puxa-lo. A manhã seguinte no café meu amigo disse, " Você sabe Ted, agora é hora de
descobrir se ele é um vira-lata ou não ". Bem, nós regressamos para o quintal e pegamos
Roy - nove horas depois de fazer 1h 06min. Quando eu o soltei, ele veio da melhor
maneira que pôde, mordeu, e procedeu como se não quisesse mais parar.

Bem, eu disse para meu amigo que voltasse em um mês e eu teria o peso de Roy para
ele. Em um mês nós desafiamos Rapid Roy a quarenta e cinco libras com Kirkland &
Faul. eu comecei o treinamento no mês de outubro e o show era pra ser em novembro.

Roy era um cachorro fácil para trabalhar pois ele usava as ferramentas dele a vida toda
desde dez meses de idade. Depois de conferir com meu Veterinário e adquirir um
Certificado de Saúde nós ficamos prontos para viajar por uma semana. Meu sócio, D.
Rollo, veio me visitar e tirar algumas fotos de Roy antes de nós partirmos. Ele me falou
que ele imaginava que era a última vez que ele veria Roy vivo, e que ele sabia que teria
que ter uma razão especial antes de eu recolher o cachorro.

Quando eu deixei o Canadá a temperatura estava uns vinte e cinco graus agradáveis.
quando eu cheguei em Houston estava quarenta graus. Eu tive três dias para acostumar
Roy com esta mudança drástica, o que era difícil considerando que meu programa de
alimentação inteiro teve que ser mudado para chegar em um ar quente e úmido.

Na data do show nós viajamos aproximadamente seis horas para Louisiana, era o dia
para Roy nos mostrar o que ele era. Eu ouvi que eu estava desafiando um cachorro de
bom físico com muita boca. Meu plano era pegar firme e esperava que o cérebro de Roy
e sua agressividade prevaleceriam, como nós não tínhamos visto nenhuma boca até o
momento.

Nós éramos os segundos para entrar em um show de cinco cães; muitos dos nomes
grandes estavam lá - junto com este canadense que não muitas pessoas conheciam na
multidão com a que eu tinha viajado. com o peso em dia, nós entramos com quarenta e
quatro libras e meia, igual ao oponente de Roy. Faul estava segurando Bossman,
Kirkland era o segundo dele em meu canto, e eu tenho que ser honesto, eu estava mais
preparado que meu Roy.

Ao comando "PIT" eu soltei Roy e ele entrou para o negócio!!!

Dentro de sete minutos desta partida você não poderia apostar 5 dólares contra Rapid
Roy e o canadense. Roy destruiu o ombro de Bossman com um mordida e começou a
trabalhar no cachorro. Foi a primeira vez em que na vida de Roy ele pegou a mão. Eu
tinha um amigo no canto de Epul e ele gritou "droga Tea, este não é o mesmo cachorro
que nós brigamos no Canadá "!

Eu tenho que dizer que Kirkland e Faul trouxeram um Buldogue de verdade, de fato
Bossman ganhou " Mais feroz do espetáculo " aquela noite. Nós tínhamos passado a
marca de uma hora, Roy estava com muito calor nos primeiros vinte minutos mas pegou
o ritmo de novo. Petie do canil Bleedwater estava em meu canto, e quando eu trouxe
Roy para o intervalo Petie disse pra todo o mundo que eu arrastei Roy no ar assim ele
podia pegar o ar noturno mais fresco. Eu teria que dizer ique estava uns cinquenta graus
no ringue e Petie estava mais preocupado que eu ficasse mais quente que Roy! A 1h
04min Grubs, o juiz, disse "Bem meninos, só pra vocês saberem que já passou 1h 04
min" Vamos Roy! Acabe com isso! ". Eu disse.

Foi neste momento finalmente que Roy decidiu que ele seria um buldogue! ele pôs a
metade da mandíbula dele ao redor da base do pescoço de Bossman, a outra metade na
parte de trás do pescoço dele e mordeu!!! Ouvi um Crac! e Bossman se esticou e perdeu
o controle dos intestinos dele - estava morto como uma pedra de gelo!! Roy continuou
mastigando no crânio de Bossman. Roy foi declarado o vencedor à 1h 07min.
Rapid Roy quando filhote no Canadá.

Havia alguns criadores mais velhos lá que disseram que eles não tinham visto uma boca
assim durante anos. Eu tenho que dizer que eu nunca vi um buldogue melhor que o
oponente de Roy, durante algum tempo. Este cachorro continuou procurando a face de
morte até que ele carregou a morte consigo.

Por fim, Roy regressa agora ao canil Wildside; Eu não acredito que ele deva ser
desafiado novamente devido a um acidente que ele teve aqui que resultou na operação
das glândulas Salivares dele. Isto que pode ter causado alguma paralisia na mandíbula
dele, tirando um pouco da boa boca que ele tinha. Quando eu penso no que faz um "Ás",
é o seguinte:

 Um cachorro que gosta de trabalhar


 Um cachorro que não tem nenhum medo de multidões, até mesmo
antes de ficar em uma
 Um cachorro que viajará pra qualquer lugar e executará suas
tarefas como ele deve
 Um cachorro que matará o oponente dele pelo desejo de matá-lo

Bem, Roy tem todas estas qualidades e mais. Eu acredito que ele passará isto para a sua
descendência . Eu já tenho cachorros filhos dele que para nós, parecem ser quase iguais
a ele.
Rollbar kennels Rapid Roy (Wildside‟s). Fruto do cruzamento de Bandit com Wild
Cherry.

Boudreaux‟ Bonnie aos dez anos de idade. Filha de de Kemmers Macho, filho de
Walling Bullison e Art‟s Missy.
Wilside Bandit Junior, um bom filhote de Bandit com Leyvas Working Overtime (OT) e
um companheiro de ninhada de Lightfoot‟s Reggie 2 vezes campeão. Bandit Jr. Está
agora no Japão.

Indian Bolio, ROM, filho de Klaus Zeke e um dos melhores reprodutores da atualidade.
Capítulo Oito

Uma lição de paciência


Publicado originalmente na revista Bits On Pits, Dezembro de 1993

Durante os últimos anos, nós sempre escolhemos limitar nossos artigos a entrevistas
com outros criadores e histórias de cachorros individuais em lugar de escrever artigos
que dão conselhos sobre criar, condicionar, etc. Isto é porque nós sempre sentimos que
já há bastante artigos de "como fazer". Porém, um recente evento nos encorajou a
escrever algo um pouco diferente, entretanto este não é realmente um artigo sobre o que
deveria ser feito com um cachorro mas sim o que não deveria ser feito.

Um show pequeno aconteceu no qual uma cadela chamada " Pinky " levou Melhor do
Show. Esta era uma cadela com a qual nós estávamos pessoalmente familiarizados; de
certo modo nós ajudamos uma parte da carreira dela - aproximadamente dois anos atrás
nós quase a destruímos como se fosse um vira-lata!

Em primeiro lugar, nós deveríamos esclarecer que este artigo não é de nenhuma maneira
uma crítica a Pinky - justamente o oposto. Nós achamos que a história dela é um
exemplo perfeito de algo que nós aprendemos nos últimos dois anos; que dar um tempo
a um cachorro para amadurecer mentalmente em lugar de tratá-lo de um modo duro
antes dos dois anos de idade pode significar a diferença entre ter um vira-lata um bom
cachorro de partida.

Pinky nasceu em 7 de julho de 1989, o resultado de um cruzamento de segunda geração


feito por Kevin & Dot K. na Pennsylvania. Eles tinham uma cadela de jogo chamada
Ruby filha de Jones' ChSmoker e Rocca Red Gal que eles cruzaram com Patrick's Little
Tator, e eles cruzaram uma cadela filha daquela procriação com Laminack's Trouble
(um filho de Tonka que produziu Ch. Tara & Ch. Flint) que resultou na ninhada de
Pinky. Pinky foi comprada pelo finado E.J. Hollingsworth como um filhote - é como ela
veio a ser conhecida como Hollingsworth Pinky. Um par de meses depois, nós
compramos o canil de Hollingsworth. Incluída no pacote de 28 cães estava Pinky.

A primeira luta dela ocorreu quando ela tinha aproximadamente 18 meses. Nós
poderíamos mencionar que esta é uma idade na qual muitos criadores sentem que um
cachorro deveria ser mentalmente e fisicamente pronto para um teste duro - não importa
se a maturidade do cachorro ou a educação tenha (ou não tenha) acabado. Tablerock
Rick e sua esposa Donna tinham uma cadela chamada Sugar Mae que era uma muito
feroz. Ela também era na ocasião o único cachorro do tamanho de Pinky, assim nós
soltamos as duas juntas. Pinky estava perdendo do começo ao fim, Sugar afundou na
frente dela e ela era um cachorro morto quando nós as paramos aos 25 minutos. Embora
ela realmente não fizesse nada que nos impressionasse, Pinky nunca virou ou gritou, e
fez um ataque fixo e confuso.
O finado Ernest J. Hollingsworth com Ed e Chris Faron. Foto tirada em abril de 1990
no quintal do Sr. Hollingsworth.

Um par de meses depois nós tínhamos uma cadela de Jeep/Nigerino que nós queríamos
começar a treinar e nós imaginamos que poríamos Pinky com ela durante uns minutos.
Ela bateu duro naquele filhote e a castigou por aproximadamente três minutos, durante
este tempo a cadela jovem estava virando e gritando e tentando escapar. Quando ela
finalmente reagiu, pegou o nariz de Pinky muito bem, Pinky começou a fazer todos os
tipos de sinais ruins. Nós as separamos imediatamente, pois tínhamos realizado o que
nós queríamos - começamos com a cadela jovem que agora estava chutando e lutando
para pegar Pinky. Pinky, por outro lado estava parada quieta e não estava fazendo
nenhum esforço para se soltar, e quando a cadela jovem foi exposta perto dela, ela
vacilou repetidamente e olhou pra fora como o filhote posto com ela, tentando se
esconder no meio das pernas do guia.

R. Davis estava lá naquele dia apanhando um par de filhotes, e ele nos implorou pela
cadela e disse que achava que ela era uma cadela muito bonita e ele estaria disposto a
dar um pouco mais de tempo e tentar novamente. Nós concordamos em lhe deixar levá-
la, pois até onde nós sabíamos ela era um vira-lata, mas nós estipulamos uma condição.
Que se ela se mostrasse afinal de contas um cachorro de jogo, nós teríamos a
oportunidade de obter filhotes de futuras ninhadas. Nós poderíamos acrescentar que os
filhotes que ele estava apanhando aquele dia eram presentes, e ficou entendido que se
ele não os pudesse manter por qualquer razão que eles voltassem para nós. Neste
momento nós fizemos muitos acordos com R. e o pai dele e os consideramos bons
amigos. Essa foi outra lição que nós aprendemos do modo mais duro; aproximadamente
seis ou oito meses depois, nós descobrimos de outro criador da área de R que ele tinha
vendido todos os três cachorros!

Em nossa opinião, o engano que nós cometemos com Pinky é um que nós fizemos mais
de uma vez. Em vez de olhar cada cachorro como um indivíduo, muitas vezes nós
tenderíamos a assumir que se um cachorro está "quente" e tem pelo menos 18 meses,
aquele está "pronto". Nós acreditamos que a razão que Pinky agiu tão mal na segunda
luta dela foi que a primeira luta foi muito para ela e a arruinou. Olhando para trás agora,
nós nem mesmo acreditamos que ela estava pronta na ocasião. Afortunadamente para
Pinky aquilo não a arruinou permanentemente e ela teve uma segunda chance - alguns
outros não tiveram. Um outro cachorro que teve uma chance para nos provar que
estávamos errados vem à mente, infelizmente para ele a história dele não tem um final
feliz. Ele era um filho de Bandit que tinha brigado algumas vezes brevemente entre os
15 e 18 meses de idade e parecia muito talentoso. Quando ele tinha aproximadamente
18 meses de idade um dos companheiros de ninhada que parecia bastante promissor na
primeira briga dele foi colocado com cinco cães e destruído. Em lugar de contar a
verdade, o dono dele nos chamou e disse que ele tinha desistido em 15 minutos.

Manson, companheiro de ninhada de Pinky. Perdeu sua primeira partida em uma hora,
depois venceu uma luta de morte.

Na ocasião, nós ficamos tão chocados pelo que nós acreditamos ser a verdade que nós
começamos a ter dúvidas sobre o resto da ninhada na ocasião; talvez eles eram todos
vira-latas… Talvez fosse uma procriação ruim… Todos estes pensamentos passaram
por nossas mentes até que nós decidimos finalmente que nós íamos ' descobrir' sobre o
macho que nós tínhamos. Nós pusemos este cachorro jovem com um cão que mordia
extremamente duro no peito que depois ganhou de outro em 23 minutos. Aquele
cachorro jovem agarrou o outro e dançou ao redor dele por aproximadamente 15
minutos - olhando para trás nós percebemos o quanto ele realmente era filhote na
ocasião, ele não demonstrou nenhuma agressão e agiu como se fosse tudo um jogo! Aos
15 minutos o cachorro de partida entrou no peito dele e nos ombros e o feriu muito, ele
poderia ter quebrado o ombro dele (o filhote estava só com 3 pernas) e aos 18 o filhote
estava na linha. Nós o demos como um animal de estimação e nos sentimos inteligentes
de termos descoberto logo que ele era um vira-lata em vez de o alimentar até que ele
tivesse dois anos ou mais velho. Nós logo o esquecemos.

Vários meses mais tarde Tablerock Rick, que tinha achado a casa para o cachorro, nos
chamou e nos contou uma história que nos fez sentir como um par de idiotas (e mais
ainda porque nós tínhamos descoberto a história verdadeira sobre o "irmão vira lata de
15 minutos" dele). Desde que deixou nosso canil, o cachorro que nós demos tinha
quebrado a perna enquanto passeava (e foi incapacitado permanentemente como
resultado), foi mantido com fome e cheio de lombrigas, e tinha sido posto pra brigar
muitas vezes, a última vez a 35 libras (o peso de partida de dele era aproximadamente
37-38) contra um cachorro 25 libras maior. Ele parou o cachorro em uma meia hora,
fazendo jogo, alternando ataques enquanto era destruído completamente. Isto foi tudo
confirmado pelo dono do outro cachorro. Nós imediatamente tentamos achá-lo de volta,
apenas para descobrir que ele tinha sido vendido a uma segunda pessoa por drogas,
então vendido a uma terceira pessoa. Quase um ano tentando, e nós nunca conseguimos
encontrá-lo.

Nós podemos pensar em dúzias de histórias que nós tivemos notícias de criadores
diferentes durante os anos, de cachorros que amarelaram aos 16 -18 meses de idade mas
se mostraram competitivos em partidas longas, duras, quando eles eram mais velhos.
Terry T. uma vez nos falou que ele acredita que não há nada errado com testar
cachorros jovens, mas que as brigas deveriam ser curtas, fáceis até o cachorro ter 24
meses, e um cachorro não deveria ser testado no jogo antes de duas brigas. A razão dele
era que o cachorro pode parecer pronto, mas mentalmente ele ainda é um filhote e se
você o puser muito muito cedo com um filhote, você tirará o filhote que existe nele. Nós
tivemos notícias de opiniões semelhantes de outros criadores, e nos dois últimos anos
mudamos completamente o modo como nós olhamos a educação de um cachorro
baseado no que nós aprendemos ambos de outras pessoas e de nossa própria
experiência.

Nós conhecemos uma cadela que foi cruzada uma vez e só produziu 2 filhotes; o
primeiro foi emparelhado com 19 meses de idade e desistiu em uma hora e meia. O
irmão dele teve mais tempo para crescer, ele também foi emparelhado e ganhou uma
luta de morte em três horas. Talvez se o primeiro cachorro não tivesse sido emparelhado
tão jovem, a partida dele poderia ter sido diferente.

Nós não estamos dizendo que esperar que um cachorro amadureça fará um vira-lata
virar um cão de luta - talvez o cão acima teria perdido se ele tivesse três anos - mas o
que nós estamos dizendo é isto: quando levam um cachorro jovem e o colocam em uma
posição onde ele é ferido duramente, você nunca pode saber realmente se o cachorro
era de fato um vira-lata, ou se ele poderia ter sido um grande vencedor se ele apenas
tivesse mais tempo para crescer. Se você dá para um cachorro toda vantagem que você
pode e eles ainda desistem - bem, pelo menos você sabe que você fez sua parte e não
ficará desejando saber "e se"?

Outra coisa para levar em conta é que alguns cachorros parecem começar por fases, por
exemplo nós tivemos cachorros que com 18-20 meses atacavam duro e pareciam OK,
nada especial, mas seis meses depois se transformaram de repente em mordedores
ferozes, matadores super-intensos!

Também há cachorros que não viram em nada até que eles são muito velhos - alguns
passados dois anos. Embora muitos criadores simplesmente não possam justificar
esperar tanto por um cachorro, houve muitos cachorros que começaram tarde e que se
mostraram cachorros de partida muito bons.

Kimsey Wood declarou uma vez em uma conversa que nós tivemos que o grande Ch.
Chinaman não só não começou até que ele tinha 3 anos e meio, mas que até aquele
ponto ele nem mesmo brigava para se defender. Um amigo nosso teve uma cadela que
nós cruzamos com Chinaman que não começou completamente até que ela tinha três
anos; uma vez, quando ela tinha aproximadamente dois anos nós lhe vimos
completamente comer uma cadela filha de Zebo que nós tínhamos mas quando foi para
atacar de volta a cadela ela apenas sacudiu o rabo dela. Nós teríamos perdido o interesse
nela e teríamos dito que ela era uma cadela "fria", muitas outras pessoas teriam dito que
ela era uma vira-lata, mas o dono dela teve a paciência e a perseverança para continuar
trabalhando com ela, e ela ganhou duas abaixo de meia hora cada (ambas com morte)
antes de perder a terceira num jogo de morte.

Esperançosamente, este artigo pode influenciar alguém para dar para aquele cão jovem
o tempo extra que ele precisa para amadurecer, o qual só poderia o habilitar para se
tornar um bom e sólido cachorro de jogo - ou até mesmo um Campeão futuro!

Pinky com mais ou menos um ano de idade em nosso canil.


Criador: Kevin e Dot Kelley
Pai: Laminack‟s Trouble
Mãe: Kelley‟s Thumper
Nota: Pinky veio a ser campeã depois deste artigo ser escrito.
Capítulo Nove

Wildside's Bandit
Originalmente publicado na “Your Friend and Mine”, Jan/Fev e Mar/Abr 1995

Nós falamos freqüentemente com novatos que estão tentando entrar no jogo e foram
desiludidos por criadores que desenvolvem outras linhagens e tentam convencer o
novato a comprar só seus cachorros. Eles nos perguntam "como eu sei em quem
acreditar"? ou "como eu posso começar no jogo se todo o mundo me diz algo diferente
"? o que nós sempre respondemos a isto é: ache um criador que você sente que pode
confiar, ou uma linhagem que você acha que está produzindo o tipo de cachorro que
você está procurando, e se apóie nela. Adquirir cachorros bons para fundar seu canil é
importante, mas ter a fé para acreditar no que você está fazendo é igualmente
importante. Nós achamos que qualquer um que lhe fala que a linhagem deles é que é a
única que está produzindo cachorros bons definitivamente é alguém para evitar; eles são
completamente cegos sobre cães ou estão mentindo para pegar seu dinheiro! Nós
perguntamos a mais de um competidor de topo no jogo 'que linhagem você prefere?" e
eles responderam "a que ganha". Se houvesse só uma linhagem específica que
produzisse cachorros bons, então a maioria dos criadores estaria utilizando só aquela
linhagem e os resultados das partidas estariam baseado nas habilidades de
condicionamento e direção dos criadores envolvidos.

Nós vimos criadores principiantes passarem por quatro ou cinco linhagens diferentes
(tudo antes de quaisquer dos filhotes que eles estão comprando alcançasse a idade na
qual eles poderiam começar a trabalhar com eles) porque eles escutaram criadores que
lhes contaram que os cães de todo o mundo são lixo e os cachorros deles são os únicos
cachorros bons. Uma das propagandas mais freqüentes que os novatos escutam quando
eles perguntam para alguém pelos cachorros de um competidor é "Esses cachorros têm
muita habilidade e mordem duro, mas se você quer um cachorro de jogo bom de
verdade, então meus cachorros são o único meio de conseguir ". Dois anos depois na
estrada, estes principiantes ainda regressam aonde eles começaram - comprando
filhotes.

Nós sentimos que uma das coisas mais importantes nós aprendemos de nosso
envolvimento com cachorros de jogo foi ensinada a nós por um pequeno cachorro preto
que nós pegamos em 1990, um cachorro que (desconhecido para nós na ocasião) se
tornaria o enfoque de muita controvérsia - e a fundação de nosso canil. O nome do
cachorro era "Bandit", e a lição que nós aprendemos foi perseverança. Se nós não
tivéssemos tido a perseverança para fazer as procriações que nós fizemos com Bandit,
não importa o que qualquer um dissesse, nós não teríamos os cachorros que nós temos
hoje, e muitos dos melhores cachorros que nós criamos não teriam existido.

Nós fizemos um cruzamento com Bandit em 1990 depois que o Mountain Man o
adquiriu; ele nos mostrou a genealogia dele e nos falou que o cachorro tinha ganho um
jogo e perdido um, ambos realmente duros. Nós realmente gostamos do jeito como o
cachorro foi criado e o que ele tinha feito, e nós decidimos cruzar duas cadelas que
estavam no cio na ocasião com Bandit. Uma cadela era Cates' Sasha; esta era uma
vencedora de uma luta filha de Cates' Gr.Ch. Nigerino que foi emprestada a nós por
Dave Ellette na Costa ocidental. A outra cadela era Garner's Munchkin, uma filha de
Ch. Chinaman ROM que tinha sido originalmente um presente de Tom Garner. Sasha
teve seis filhotes, e Munchkin teve dois, e quando os filhotes destas duas ninhadas
tinham oito semanas, eles eram os filhotes mais agitados que nós tínhamos visto; com
doze semanas eles atacavam um ao outro como cachorros crescidos se saíssem das
correntes deles. Foi então que nós nos dirigimos ao Mountain Man sobre comprar o
Bandit possivelmente, pois nós sentíamos que ele seria uma adição positiva a nosso
programa de criação.

Nós sabíamos muito pouco sobre o cachorro, o que o Mountain Man tinha ouvido falar
quando ele o adquiriu, de fato nós não estávamos nem mesmo completamente seguros
sobre quem tinha criado Bandit naquele momento. Então no começo de 1991 nós
recebemos uma chamada de um homem que se apresentou como o dono anterior de
Bandit e começou a nos contar muito mais sobre o cachorro, inclusive os vencedores
que ele tinha produzido, etc. Ele também nos escreveu uma longa carta sobre Bandit,
descrevendo passo a passo o final da partida que ele tinha perdido. Desnecessário dizer
que nós ficamos muito impressionados, e até mais felizes ter podido adquirir Bandit.

Algum tempo depois que nós adquirimos Bandit, nós obtivemos ligações de mais de
uma pessoa alertando sobre alguém no outro lado do Estado que tinha falado mal de
nós, dizendo que nossos cachorros eram nada mais que lixo e atacando Bandit em
particular - chamando-o "um vira-lata velho que não produziu nada". Esta era uma
pessoa com quem nós só tínhamos falado uma vez no telefone aproximadamente um
ano antes e o único conhecimento que esta pessoa tinha de Bandit era o relatório da
partida que Bandit perdeu, no Jornal.

Na ocasião nós ficamos confundidos e enfurecidos por este ataque não provocado, e em
instigação adicional por uma terceira parte, nós escrevemos uma história sobre Bandit -
o começo era um revide contra esta pessoa. O seguinte é uma parte que contém a
maioria daquela história; mas nós omitimos o começo porque na verdade, nós sentimos
que não há razão em atacar alguém em um livro (a menos que eles ataquem primeiro)
embora houvesse a provocação, quando nós escrevemos esta história, nunca ocorreu a
nós que qualquer coisa que nós tínhamos ouvido fosse menos que 100% precisa, nem o
quanto de dor de cabeça esta história traria para nós.

Wildside‟s Tadpole, uma cadela de luta de morte, filha de Bandit


A História de Smith's Bandit (Mountain Man's)

Bandit foi criado por Mr. Thomas Smith, filho de Groves' Gr.Ch. Outlaw e R.C. ' s
Molly. O antepassado dele, Outlaw, foi um grande cachorro que foi avaliado por todo o
mundo que nós falamos e que o viu lutar como um dos melhores - se não O melhor -
que eles já viram. Outlaw ganhou sete partidas de contrato e provou ser um cachorro de
jogo duro de verdade na última partida dele contra Gene & Irish Jerry's Goose; ele saiu
de baixo depois de uma hora para vencer em uma hora e vinte e três minutos, morrendo
algumas horas depois. O falecimento cedo dele o impediu ser melhor conhecido como
um bom reprodutor - há muito pouco da linhagem dele por aí, pelo que nós ouvimos. Os
que têm a linhagem a mantém para si. Outlaw era filho de linhagem ROM, Finley's Ch.
Bo, cruzado com uma filha três vezes vencedora de Ch. Rascal e Ch. Honeybounch
ROM.

Molly era originalmente do canil de R.C. e os SoSo Boys e ganhou duas partidas de
contrato. Ela era uma brutal mordedora de focinho e também ganhou várias partidas
fora-de-corrente. Ela era filha de um cruzamento irmão - irmã entre Stomponato
Johnson's Rosie (AKA carver's Rosie). Molly foi para o canil de um criador na Flórida
quando ela ficou velha e cheia de câncer. Nós tivemos notícias de uma fonte fidedigna
que depois de aproximadamente um ano tentando conseguir filhotes de Molly, (sem
sorte), esta pessoa a colocou com outra cadela velha que não podia produzir (uma
cadela boa chamada Buckskin's Bitch), soltou-as da corrente e as deixou brigar até a
morte. A pessoa que nos contou isto disse que nenhuma cadela fez qualquer mau sinal e
que ambas morreram literalmente agarradas.

Bandit foi criado e educado pelo criador dele e foi vendido com a idade de dois anos a
Bob A. no Novo México. Bob o pôs com ótimo cão que excedeu o peso de Bandit em
oito libras, e Bandit venceu este cachorro em vinte e dois minutos. Ele lutava
ofensivamente e trabalhava as orelhas e cabeça, indo então para a parte dianteira e
mostrando muita habilidade e uma boca muito boa.

Bob ficou muito impressionado com o cachorro e definiu o peso dele em


aproximadamente trinta e quatro libras e meia até trinta e cinco. Um tempo depois
Bandit foi usado como uma substituição em uma partida de trinta e seis libras. Ele
ganhou esta partida em trinta e dois minutos. Ele foi emparelhado então com um
cachorro de K. Hollins no Texas a trinta e cinco libras e ganhou esta luta em trinta e oito
minutos.

Depois disso eles tiveram dificuldade para conseguir outra partida de contrato, assim ele
foi para o canil de Ricky G. ' e matou uma cachorro fora-de-corrente por lá, sendo
também usado como um cachorro de briga caseira e vencendo dois ou três cães
promissores, entre três e oito libras maiores que ele. Havia um cachorro para desafiar a
trinta e três libras, e embora eles tivessem que viajar mais de seiscentas milhas e o peso
fosse pelo menos uma libra e meia abaixo do melhor peso de Bandit, eles aceitaram a
partida.

O relatório de partida de na edição de Jan/Fev. 1989 do Sporting Dog Journal só declara


que "em 1h 20min Bandit não consegue". O seguinte é uma narração da própria partida,
e os eventos que conduziram até isto como contados a nós por Bob A. Nós gostaríamos
de agradecer a Bob todas as informações que ele deu e o tempo que ele gastou revisando
todos os detalhes conosco.

Bandit foi condicionado por Ricky G. naquele lugar. Ricky não soube, mas a balança
dele estava desajustada. O dia que eles se encontraram para fazer a viagem longa para o
Tennessee, Bob examinou Bandit e comentou que ele parecia magro. Eles o pesaram
com o jogo calibrado de balanças que ele tinha trazido junto para a partida e o cachorro
pesou trinta e uma libras e meia com a coleira dele e antes de evacuar; assim ele estava
uma libra e meia de inferior ao normal quando eles se aprontaram para a viagem e
descessem para lá. Doze horas antes da partida ele estava muito seco, e como Bob
afirmou, não "tinha nenhuma estrutura de músculo". Eles tiveram que lhe dar fluidos e
lhe alimentar de novo para o elevar até trinta e duas libras e meia no momento da
partida.

Bob disse que eles estavam muito confiantes, e tinham viajado tão longe, e embora eles
percebessem que o cachorro não estava certo, o pensamento de nunca pagar a multa
passou pelas mentes deles. A partida ia começar às seis da manhã seguinte e estava
fazendo aproximadamente dezesseis graus quando eles chegaram. O outro cachorro, o
Ajax Hillbilly, era um bisneto de Garner's Gr.Ch Spike; ele pesou uma meia libra acima
do peso. Preocupados que o lado de Bandit levasse a multa, eles saíram e caminharam
com o cachorro deles para descer o peso extra. bandit foi lavado e se sentou em um
engradado no frio do lado de fora por aproximadamente vinte ou trinta minutos
enquanto eles esperavam.

Eles conseguiram tirar quase tudo da meia libra extra de Ajax e os cachorros foram
soltos. Bandit dominou durante os primeiros vinte minutos, agarrado no tórax e
sacudindo duro, mas não pegou nenhuma boca. (Em todas as lutas prévias dele ele tinha
mostrado muita boca) Ajax trabalhou do modo dele gradualmente até o topo e aos
quarenta e cinco minutos quebrou uma das pernas da frente de Bandit com um estalo. A
perna oscilou de um lado para outro pelo resto da briga. Ele então afundou na parte
dianteira: quanto mais o tempo passava, mais confiante ele ficava. Pela marca de uma
hora, Bandit tinha entrado em choque e Ricky quis desistir, mas Bob recusou. Ele nos
falou que muitas pessoas naquele lugar estavam danadas da vida com ele, falando para
ele apanhar o cachorro e alguns tinham oferecido comprar o cachorro se ele o
recolhesse. Havia cinco ataques; Ajax estava gritando no canto dele e atravessou para o
outro, enterrando Bandit no canto dele. Bandit fez ataques confusos, em estado de
choque. No terceiro e quarto tempos ele rolou pelo ringue e se desmoronou ao
completar o ataque. Os últimos quinze minutos da briga foram com Ajax arrastando
Bandit ao redor do ringue pela garganta e o sacudindo.

O quinto tempo dele, ele não deu conta. Para citar Bob diretamente de uma das cartas
dele, "quinto intervalo do canto, ele tropeçou e caiu, se levantou, caiu novamente, se
levantou e começou novamente a receber a contagem".

Ele estava realmente mau; Bob ficou acordado com ele dez horas dando fluidos I.V. e
etc. e mesmo então levou algum tempo antes de que ele estivesse seguro que o cachorro
sobreviveria. Levou muito tempo para ele cura-lo, particularmente a perna que tinha
sido tão mal quebrada que desde aquilo nunca mais ficou realmente cem por cento.
Muitos cachorros teriam ficado mentalmente arruinados suportando o que Bandit fez,
mas além dele ter muito tempo para se curar, ele era extensivamente usado como um
cachorro de briga e brigava muito duro parando vários cachorros bons, e nunca mostrou
um sinal ruim.

Bob nos falou que ele sentia que a partida contra Ajax não era indicativa da qualidade
de Bandit, ele disse que ele tinha visto muitos cachorros, inclusive alguns campeões, e
achava que ele era um cachorro excepcional. Pelo menos foram feitas duas procriações
com Bandit enquanto ele o possuiu, com a cadela de Boleweevil dele (uma cria pesada
de Rascal) e a filha dela, Jacob Widow (filha de Bean com Honeybunch). Estas
procriações produziram os cachorros seguintes:

Bobby's Bandito - venceu uma vez a 38


Vinny's Skeeter - venceu uma vez a 37 1/2
Garcia's Demon - venceu uma vez a 33
Tano's Crank - venceu duas vezes a 371/2
Ozzie - venceu uma vez a 38
Isaac - venceu uma vez a 42
Domino – venceu uma em New York
Mais três bons prospectos que serão desafiados brevemente.
Bob nos falou que havia uma porcentagem muito alta de cachorros bons nessas
ninhadas, não só cachorros que superaram em uma ou duas áreas, mas todos os tipos de
partida. Ele disse que Crank, em particular, era uma cadela muito boa.

Em 1989 o Old Mountain Man se interessou por Bandit e o adquiriu em uma troca. Ele
estava principalmente interessado nele como um reprodutor, mas o colocou para brigar
para ele ver o que o cachorro poderia fazer. Ele nos falou que o outro cachorro quebrou
de novo uma das pernas dele quase imediatamente, mas enquanto o tempo passava,
Bandit começava a dominar. Ele nos mostrou a genealogia dele e nos falou que ele era
tão bom quanto qualquer outro. Nós realmente gostamos da procriação daquele cachorro
e cruzamos duas cadelas com ele naquela primavera; Cates' Sasha, uma filha duas
vezes campeã de Gr.Ch. Nigerino, e Garner's Munchkin, uma cadela filha de Ch.
Chinaman ROM e Middleton Miss Snoopy, uma irmã de ninhada de Gr.Ch. Spike.

Quando os filhotes destas duas ninhadas tinham oito semanas, eles eram os filhotes mais
agitados que nós tínhamos visto; com doze semanas eles atacavam um ao outro como
cachorros crescidos se saíssem das correntes deles.

Nós também ficamos impressionados com a estrutura destes filhotes. Quanto mais eles
cresciam, mais nós gostávamos deles e nós sentíamos que o sangue daquele Bandit
realmente seria uma adição importante a nosso canil. Na ocasião nós tínhamos vários
machos de Patrick crescidos no canil que estavam parecendo realmente bons, assim nós
contatamos o Mountain Man com a idéia de uma possível troca.

“Eu acho que nós podemos entrar em um acordo, disse ele, mas vocês têm certeza de
que o querem? Ele não é maior que um inseto”!

Um acordo foi firmado e nós viemos apanhar o Bandit, tão excitados quanto dois
garotos na manhã de Natal. Mountain Man o tinha criado no quintal de um amigo e nós
nunca tínhamos visto de fato o cachorro. Não foi então, mas um pouco depois, que nós
conhecemos os detalhes das partidas dele e o que ele tinha produzido até então.

Nossa primeira visão de Bandido foi um pouco de surpresa - a uma fotografia que nós
tínhamos visto dele não o fez justiça. Ele era um pequeno buldogue muito bem feito,
muito muscular e um pouco atarracado. Ele tinha os maiores caninos que nós já
tínhamos visto em um cachorro pequeno.

Nós temos vários cachorros jovens e filhotes de Bandit que nós mantivemos; todo são
agitados, intensos, e muito bem-estruturados. Os filhotes dessas primeiras duas
procriações têm agora dezessete meses todos que foram experimentados mostraram ser
excelentes. Nós o cruzamos com Garner's Young Cowgirl, uma filha fria do Wood's
Snooty, ROM; esses filhotes são agora de um ano e agem muito bem. Um das coisas
que nos impressionam mais sobre o modo que Bandit está produzindo é que ele parece
produzir sempre o mesmo tipo cachorro - indiferentemente da cadela que ele é cruzado,
embora os tamanhos variem - nós temos cachorros jovens filhos dele que pesam de
trinta libras a sessenta e cinco libras.

Nós temos dois machos jovens filhos de Bandido cruzado com Swanson's Holly, uma
filha de Ch. Jeep ROM e Gene's Honey, um par do cruzamento com Young Cowgirl, e
filhotes mais jovens dele com Chinaman / Nigerino, Eli / Amos, Honeybunch, e cadelas
de Snooty, como também os filhotes das primeiras procriações. Algumas procriações
externas foram feitas que nós achamos que também deveriam produzir alguns cachorros
excelentes e deveríamos induzir uma ninhada recentemente filha de Bandit e
Powerhouse Dugan. Dugan é uma cadela da linhagem Pedro/Snooty, destruidora, e uma
vencedora do Melhor do Show. Terry Townsend's Black Widow, uma filha de Gr.Ch.
Nigerino e uma produtora provada, está aqui para ser cruzada com Bandit, e uma filha
de cruzamento duplo de Nigerino, Hackman's Bathsheba, também será cruzada com ele
neste outono. Nós não temos nenhuma dúvida de que a descendência destas ninhadas
estará fazendo o nome pelos anos que virão.

Esta era a história que nós escrevemos para o American Gamedog Times, que apareceu
em Setembro/Outubro de 1991. Por causa deste artigo e os eventos que seguiram, Smith
Bandit se tornou um cachorro muito controverso. Primeiro; aparentemente alguém que
viu a história falou para o dono de Ajax que nós tínhamos nos referido a ele como um
cachorro de qualidade pobre em nossa história. Se aquele indivíduo interpretou mal a
história ou apenas estava tentando incitar dificuldades nós não sabemos, mas o resultado
final foi uma ligação encolerizada de Hillbilly. Nós tivemos o engano desfeito depressa
lendo a parte do artigo que mencionava o cachorro dele, mas ele nos falou então que o
fim da partida estava incorreto, que no último ataque de Bandit ele tinha caído no canto,
se levantado, e tinha levado a contagem.

Hillbilly nos falou que Bandit era o mais inteligente cachorro lutador que ele já tinha
visto, nós acreditamos que as palavras exatas dele foram que "ele lutou como se ele
tivesse um computador no cérebro" e ele também confirmou que Bandit tinha feito
alguns ataques inacreditáveis e deveria ter sido recolhido, mas disse que ele sentia que o
cachorro poderia ter conseguido quando ele recebeu a contagem.

Nós estávamos muito transtornados do mesmo modo que nós não queríamos ninguém
pensando que nós tínhamos mentido ou tínhamos exagerado; nós tínhamos escrito nossa
história a partir de cartas que nós tínhamos recebido do dono anterior de Bandido e de
conversas telefônicas com ele. A descrição do fim da partida era uma citação direta de
uma destas cartas. Nós contatamos o editor do Times imediatamente sobre a
possibilidade de escrever algum tipo de seqüência à história, e ele disse "que eu não iria
nem mesmo me preocupar sobre isto, diz claramente em sua história que o cachorro não
fez o último ataque dele. Eu mesmo recebi um par de ligações sobre isto; e eu falei para
as pessoas que ligaram que se eles tivessem um cachorro que pudesse ser emparelhado
duas libras debaixo do melhor peso dele, e lutar em peso inferior ao normal, e agüentam
1h 21min com um cachorro bom, me enviassem uma foto e eu poria aquele cachorro na
contracapa da revista.”

Até onde foi nossa reação sobre a revelação de que Bandit tinha desistido, nossos
sentimentos eram: nós sentíamos que qualquer cachorro que poderia entrar em uma
partida com como muitos fatores contra ele como Bandido teve, levar tantos castigos e
fazer quatro ataques de jogo como ele fez, não era o que nós consideraríamos um vira-
lata. Ele pode não ter sido nenhum cão de jogo de morte, mas ele mostrou ser muito
mais de jogo que a maioria, e o calibre de descendência que ele está produzindo nos
convenceu do valor dele como um reprodutor.

Die Hard‟s Chocolate, uma filha de Bandit com Jack Swinso‟s Holly. Perdeu um jogo
de morte em 1h 51 min.

Wildside‟s Desperado, irmão de ninhada de Die Hard‟s Chocolate. Muito bom cão,
infelizmente morreu em um acidente antes que pudesse ser desafiado.
Wildside‟s Black Bart, O único sobrevivente do cruzamento de Bandit e Holly, agora
está no Havaí. Bart produziu em uma de suas primeiras ninhadas um ganhador do
Melhor do Show e Mais Competitivo no Show.

Nós tivemos mais um par de ligações durante alguns dias de pessoas que estavam na
partida de Bandit, que nos contaram a mesma coisa que Hillbilly e nós imaginamos isso
seria o fim da história - mas nós estávamos errados. O dono anterior de Bandit escreveu
uma carta que apareceu na próxima edição do Times na qual ele louvou o Bandit como
um ótimo cachorro e um reprodutor até melhor e discorreu sobre a qualidade de
descendência que ele produziu, mas ele também enfatizou três vezes no primeiro
parágrafo da carta que o Bandit tinha desistido naquela luta.

Uma vez mais, nós não estamos tentando atacar qualquer um com esta história, nós
apenas estamos declarando os fatos como eles são. Nós não estamos tentando dizer que
Bob teve qualquer intenção maliciosa sobre nós ou Bandit quando ele escreveu esta
carta; mas o fato é que nos dando informação incorreta e contradizendo-a no impresso
depois de nossa história aparecer ele nos colocou em uma posição muito desajeitada e
basicamente nos fez parecer mentirosos. Nós gostaríamos de mencionar que Bob nunca,
a qualquer hora, de fato declarou a nós que Bandido não desistiu (nem, no que diz
respeito ao assunto, nós fizemos tal declaração em nossa história) mas estava
certamente implícito pela descrição do último ataque na primeira carta dele, que nós
citamos em troca na história. O seguinte é um trecho da carta de Bob na página 29 da
edição de dezembro / janeiro de 1992 da American Gamedog Times:

"Foi uma surpresa agradável ver um cachorro com o qual eu estava muito familiarizado
(para dizer o menos) em sua contracapa. Capas, na frente ou atrás de uma revista,
devem ser reservadas para os bons. E ele é um bom que só é atacado porque ele não era
de jogo de morte. Ele era um cachorro de jogo bastante feroz, um que desistiu. Embora
há muitos campeões que foram e sempre serão anunciados como tal porque não foram
postos ao limite deles, se ele nunca teve que ir tão longe, ou a pessoa escolheu a
oposição ou apanhou o cachorro deles antes que eles pudessem despertar qualquer
dúvida de qualquer um de que eles não sejam de jogo?! Infelizmente para Bandit, eu
levo com muita culpa que ele não só perdeu, mas que eu lhe fiz desistir em uma partida
que ele não tinha como ganhar nos últimos 30 min.”

Nós assumimos este era o modo dele de dizer que o Bandido provavelmente era mais
competitivo que muitos campeões, porque eles nunca foram postos na situação que ele
foi, mas a maioria das pessoas que leram isto viu uma só palavra - "DESISTIU" - e
muitos que não leram a carta muito cuidadosamente também chegaram à conclusão que
Bandit tinha desistido em uma partida de trinta minutos. Nosso telefone ficou fora do
gancho nos próximos meses e naquele dia nós tivemos ainda chamadas de pessoas que
diziam "qual é a daquele cachorro Bandit? Eu li no Times que ele era um vira-lata."

No primeiro par de semanas que se seguiram ao aparecimento da carta no Times, nós


devemos ter recebido trinta ou quarenta telefonemas sobre isto, e claro que esses que já
foram inclinados para falar mal dos cachorros de outras pessoas martelaram na ladainha
do "Bandit-ser-um-vira-lata" como as mídias de notícias martelariam sobre um ataque
de pitbull. Até mesmo o Old Mountain Man, um dia quando nós estávamos discutindo a
situação inteira com ele, sugeriu que nós poderíamos pensar em nos livrar de Bandit,
não porque ele pensava menos agora do cachorro, mas porque ele imaginava que
ninguém mais quereria qualquer coisa com o cachorro depois do que tinha sido
impresso.

Até certo ponto ele teve razão; havia algumas pessoas que planejavam cruzar Bandit ou
adquirir um filhote de uma das ninhadas dele que decidiram que não queriam nada com
ele, mas nós tivemos fé no valor dele como um reprodutor e decidimos continuar
cruzando-o com nossas melhores cadelas, embora o que qualquer um dissesse ou
fizesse. Durante aquele tempo havia também vários outros criadores que tiveram a
vontade de acasalar Bandit apesar de toda a controvérsia em cima do cachorro. A
maioria deles era das pessoas que viram filhos dele e gostaram do que ele estava
produzindo. Nós tínhamos mostrado para Fat Bill algumas fitas que pessoas tinham
enviado naquele tempo, de um par de filhos de Bandit que foi posto pra brigar, e ele
ficou impressionado com o tipo de cachorro que Bandit estava produzindo; brevemente
depois ele cruzou a vencedora de quatro vezes dele, Ch. Bolero, com Bandit.
Infelizmente esta procriação foi uma das últimas ninhadas que Bandit produziu e Bolero
só teve quatro filhotes. Um deles foi o cão Two Eyes que matou um vencedor de uma
luta em 1h 21min quando tinha só dezoito meses, e então ganhou a segunda dele em 1h
44min e levou Melhor do Show com isso.

Figura da página 95 - Fat Bill's Ch. Bolero em nosso canil sendo acasalada com Bandit
em fevereiro de 1992; esse foi o cruzamento que produziu Fat Bill‟s Two Eyes, um
vencedor do Melhor no Show.
A porcentagem de cachorros bons que Bandit produziu em cada ninhada, nós achamos,
era tão boa quanto de qualquer cachorro que nós conhecemos e muito melhor que a da
maioria. É nossa opinião pessoal que se ele fosse cruzado mais vezes quando ele era
jovem ele seria provável até agora de receber um Registro De cachorro de Mérito. Ele
produziu a parte dele de vira-latas, como todos os cachorros fazem, mas havia cachorros
bons em cada ninhada que nós tivemos dele e na a maioria das ninhadas havia uma
porcentagem alta de cachorros de boa qualidade. Para citar, Bandit produziu três
vencedores de duas lutas e oito vencedores de uma luta (mais uma cadela que ganhou
duas fora-da-corrente) e vários cachorros que ou estão ainda no começo de campanha
ou serão emparelhados pela primeira vez logo. Nós pensamos que isto é bem
impressionante para um cachorro que só foi acasalado duas vezes antes de vir para a
Carolina do Norte, e então não foi acasalado até aproximadamente o meio de 1991.

Na primeira ninhada que nós tivemos de Bandit, cruzado com Cates' Sasha, havia três
cachorros excelentes - Renegade, Gunther, e Outlaw. Renegade e Gunther eram ambos
cães destruidores, de jogo duro, Gunther (que também espera para ser um campeão de
conformação racial) é criado por William & Abby Page no Mississippi e foi aposentado
como um cachorro reprodutor depois do teste de jogo dele, e está soltando alguns cães
jovens promissores. Outlaw é, sem nenhuma dúvida, um cachorro de jogo muito duro;
nós fomos afortunados o bastante por ter podido compra-lo de volta recentemente e
depois de fazer algumas cirurgias de regeneração, ele está agora como reprodutor. Ele
foi cruzado algumas vezes antes de nós o adquirirmos, de fato um dos filhos dele estará
lutando a primeira dele logo.

Renegade é um dos cachorros de traseiro mais brutais e poderosos que nós já vimos mas
nós o mantivemos para reprodução em lugar de fazer campanha para ele porque (na
ocasião Renegade alcançou maturidade) Bandit já não estava produzindo e Cates' Sasha
estava morta. Nós sentíamos que o valor potencial dele para nós como um reprodutor
era muito grande para arriscar perdê-lo. Nós sentimos que tempo nos demonstrou a
razão; Renegade está mostrando ser um produtor bom como o antepassado dele era, ou
mesmo melhor. HG já produziu alguns vencedores de uma luta e o cachorro Angus que
perdeu com vinte e dois meses, em 1h 57min, em uma guerra de vale tudo com John R.'
s Blue Jr . Uma filha de vinte e um meses de Renegade com sua meio-irmã Little Cujo
(uma filha de Bandit) recentemente ganhou em 1h 10min e mostra que, dobrando o
sangue de Bandit, produz-se alguns cachorros de jogo bons.

Ambos os filhotes de Garner's Munchkin e Bandido provaram ser pequenos cães de


jogo; nós cruzamos a cadela fora desta ninhada (Lizzie Borden) de volta com Bandit e
conseguimos um filhote fêmea. Esta era a única cria 75% de Bandit que nós fizemos
que deu certo. O filhote, que nós nomeamos Tadpole, se mostrou uma cadela excelente
cuja falha era que ela não tinha nenhum instinto materno e olhava os filhotes dela do
mesmo modo que ela olharia outro cachorro. Ela provou ser uma cadela de jogo de
morte, morta ironicamente em um acidente de canil por outra cadela de Bandido -
Munchkin, uma pequena destruidora chamada Lady Smith filha de Renegade e
Munchkin. Nós temos os únicos dois filhotes filhos de Tadpole (crias de Rapid Roy);
estes filhotes são 62.5%. Bandit, o que lhes faz o sangue de Bandit "mais apurado" que
existe.

A ninhada de Bandit com Young Cowgirl se mostrou bastante boa. A única cadela na
ninhada nunca começou, mas está produzindo alguns prospectos muito promissores
cruzada com os filhos de Bandit, um dos machos parecia bom, mas nunca entrou em
campanha porque o dono dele, Matt G. foi forçado a passar umas "férias" de dois anos,
e o macho maior na ninhada começou tarde, mas parecia muito bem durante a instrução
dele, pelo que nós entendemos.

O que provavelmente era o melhor macho na ninhada foi arruinado infelizmente com a
idade de dezenove meses quando um criador da Virgínia coagiu o dono dele (que era
muito novo nos cachorros) a pôr cinco cachorros com o filhote - três deles um após o
outro de manhã, e mais dois oito horas depois quando o cachorro estava todo dolorido e
inchado - e os últimos dois eram ambos vencedores de três lutas! O filhote de Bandit
(cego de um olho, uma perna quebrada e a cabeça, tórax, ombros e ambas narinas
danificadas) finalmente desistiu, ficando de lado com o outro cachorro no último ataque
dele. Neste momento o criador contou para a criança algo com o efeito de "veja, eu lhe
falei ele era um vira-lata como o pai dele".

Este foi mais um de vários cachorros que se feriram até ser arruinados porque os donos
deles, depois de descobrir que Bandit tinha desistido, não teve mais fé neles. Há uma
diferença entre educar corretamente e testar para o jogo para descobrir se eles são de
jogo o bastante para lutar ou criar, e ter a intenção de parar deliberadamente um
cachorro - porque se você tentar duro o bastante, você parará 99% deles - eles são
animais, não máquinas.

Das outras procriações mencionadas no artigo, dois filhotes sobreviveram até a


maioridade da ninhada de Powerhouse Dugan. A cadela ganhou duas fora da corrente, e
o macho mostrou ser um bom cão durante a instrução dele, nós acreditamos ele foi
enviado um tempo atrás para a Coréia. Townsend's Black Widow, infelizmente, não
teve filhotes de Bandit, e da ninhada de Hackman's Bathsheeba nasceu cinco dias
prematura e morreu no nascimento. Outra cadela de uma das duas procriações feitas
antes de nós adquirirmos Bandido, os Vinny bats, ganhou uma partida pelo menos; mas
nós não mantivemos contato com esses cachorros depois de 1992.

O sangue de Honeybunch cruzou muito bem com Bandit. Nós o cruzamos com Swinson
Holly (que foi emprestada a nós para uma procriação porMountain Man) e
desenvolvemos três filhotes - Black Bart, Desperado, e Chocolate - que se tornaram
todos cachorros bons. Black Bart que nós mantivemos como um reprodutor, Desperado
(lamentavelmente) foi vendido quando jovem e depois morreu em um acidente de canil.
De tudo que nós ouvimos falar deste cachorro antes de ele morrer, ele era o melhor da
ninhada e possivelmente um dos melhores filhos de Bandit. Com 13 meses ele lutou
trinta minutos com um vencedor de duas lutas; dois dias depois ele fugiu da corrente
dele, matou o vencedor de duas vezes e morreu sozinho no outro dia. Chocolate era o
filhote de Mountain Man e foi para Wayne S.; ela perdeu a primeira partida em uma luta
de morte de 1h 51 min.

Quando cruzado com Freckles, uma cadela de Honeybunch que nós criamos (filha de
Long Werdo e Garner Ronnie) Bandit produziu vários cachorros bons que incluem dois
machos que serão levados para campanha nesta estação. Cruzado com uma cadela filha
de Werdo e nossa cadela Mean Jolene, ele produziu só dois filhotes, um deles perdeu
um jogo durante uma hora, o outro foi enviado para o outro lado do oceano quando
jovem. Um filho de Bandit, Ernest T. Bass (filho de Jeepette, uma filha de Jipe do canil
de Mountain Man) ganhou uma partida de fora-de-corrente em jogo de morte, em 1h
21min. Cruzado a Leyva's Working Overtime (Tater x Raquel) o Bandit produziu
Lightfoot Reggie, que destruiu um vencedor de duas lutas no primeiro intervalo dele. O
irmão de Reggie, Bandit Jr. parecia muito bom durante a instrução dele e foi enviado
para o Japão para reprodutor. Quando o Bandit foi cruzado com uma cadela filha de
Bowling's Loner e Swinson's Holly, havia três filhotes sobreviventes; Cowboy desistiu,
Stretch recentemente perdeu um jogo de morte, fazendo um ataque muito bom minutos
antes de morrer, e Spider mostrou ser bastante bom e está agora no Havaí.

Nós cruzamos o Bandit com nossa cadela Piranha, uma bisneta de Gr.Ch. Nigerino; nós
perdemos de vista alguns destes filhotes, mas o dois melhores na ninhada congelaram
até a morte em quintais diferentes, em incidentes separados - Isso é que é sorte! Quando
o Bandido foi cruzado com uma irmã de Ch. China Rosie, ele produziu dois filhotes,
ambos amadureceram e viraram cachorros muito bons; o macho (Adam) seria
emparelhado neste outono, mas adoeceu e morreu.

O Metal-Heads cruzou uma filha de Red Ed ROM com Bandit logo antes de ele deixar
de produzir e adquiriu um filhote de cachorro, Sunny, que começou tarde mas está
sendo trabalhado para ser um inferno de um cachorro. Nós cruzamos Garner's Wild
Cherry duas vezes com Bandit; a primeira procriação se perdeu e nós quase não a
tentamos em uma segunda oportunidade. Nós nos alegramos de tê-la feito e esta foi a
ninhada que produziu Rollbar Rapid Roy, um ótimo vencedor de uma partida que foi
aposentado no nosso canil como um reprodutor por causa de danos sofridos em um
acidente de canil depois da partida dele. Havia dois outros machos na ninhada de Roy,
um foi morto em um acidente quando era um filhote depois que ele deixou nosso
quintal, e o terceiro nós vendemos quando era jovem. Nós descobrimos depois que ele
foi posto com dois cães durante meia hora aos nove meses, então fugiu da coleira dele
no outro dia, saltou no cachorro de um vizinho, e foi baleado pela polícia.

A melhor cadela na ninhada era Crash, pelo que nós vimos dela sentimos que ela é tão
boa quanto o irmão Roy dela. Havia duas outras cadelas boas na ninhada, como também
um que mordia tão duro quanto qualquer cachorro que nós já vimos, mas nunca lutaria
exceto para se defender.

Um pesar que nós temos é que depois que nós adquirimos o Bandit em 1990, nós só o
cruzamos uma vez aquele ano. Neste momento, nós ainda tínhamos a maioria dos
cachorros de Hollingsworth e estávamos fazendo muitas procriações com cadelas de
Hollingsworth com um Três vezes vencedor que nós tivemos emprestado chamado
Gator. Houve alguns cachorros bons destas procriações, mas nós sentimos que se nós
tivéssemos cruzado algumas destas cadelas com o velho Bandit, nós teríamos agora
alguns grandes cachorros.

A procriação que foi feita com Bandit e uma cadela de Hollingsworth (Miss Trinx)
produziu dois filhotes; um foi nomeado Dr. Detroit e nós infelizmente o perdemos de
vista, mas o seu irmão barbarian se mostrou um ótimo cachorro, ele já ganhou duas e
será levado em campanha para o campeonato dele. Barbarian obteve todas as melhores
qualidades do sangue de Eli e de Hollingsworth.

Bandit teve uma vida dura e ele nunca esteve no melhor de saúde quando nós o tivemos;
isto resultou em muitos problemas de procriação; ninhadas pequenas, procriações que
não vingaram, dificuldades durante o acasalamento, etc. de fato, embora ele tenha sido
cruzado com aproximadamente trinta cadelas, ele só produziu um total de mais ou
menos cem filhotes. Entre os que não viveram até a maioridade, vários dos que foram
roubados dos canis e os que não deram em nada, nós provavelmente diríamos que
aproximadamente um meio a dois terços desses cachorros estão vivos até hoje.

Em 1992 o Bandit ficou muito doente e deixou de produzir completamente; nós


conseguimos recuperá-lo e o criamos com várias cadelas, mas só uma cadela produziu
(nossa cadela Tiger Lil) e teve um filhote macho que nós nomeamos Hellraiser. Pareceu
que embora ele não estivesse completamente estéril, Bandit estava com a carreira de
reprodutor terminada.

Em novembro de 1992 nós demos o Bandit a Wayne S. que possuía a irmã de Bandit,
Chocolate. Nós sabíamos que ele gostava do cachorro velho como nós, e nós sentíamos
que Bandit merecia - depois de tudo que ele tinha feito para nós - viver os últimos anos
dele em como muito conforto (ele tem sua própria casinha aquecida agora) e com tanta
atenção pessoal quanto possível. Wayne estava disposto a tentar continuar procriando o
Bandit e nós sentíamos que ele poderia dar para o Bandit o cuidado especial que ele
precisava porque Wayne só tinha na ocasião alguns cachorros. O Inverno estava vindo,
e o tempo frio sempre era muito duro para Bandit por causa da artrite nas pernas
quebradas dele.

X-Men‟s Barbarian, um filho de Bandit duas vezes vencedor, visto quando ainda era
filhote com “Big Ed” Stewart.

O veterinário de Wayne pôs o Bandit em medicamentos de tiróide e algumas outras


drogas, e Wayne conseguiu adquirir um filhote fêmea em uma cruza com uma irmã de
Ash-ford's Buster Brown. A última vez que nós perguntamos por Bandido, Wayne nos
falou que ele nunca pôde adquirir mais filhotes dele depois disso, mas já era agradável
ter o cachorro velho no quintal.

Bandido ainda está no canil de Wayne nesta época (Novembro de 1994); ele tem agora
onze anos e não produziu em mais de dois anos. Nós nos consideramos muito
afortunados de ter tido a oportunidade para fazer as procriações que nós fizemos com
ele, e acreditamos que ele se manterá vivo por muitos anos pelos descendentes de
qualidade dele que virão.

Inclusive, nós gostaríamos de enfatizar que de nenhum meio nós tentamos debater o
assunto de que Bandit desistiu ou não- para ser honesto o quanto Bandit era de jogo ou
não neste momento é irrelevante para nós. Nós apenas sentimos que esta história final
sobre Bandit precisava ser contada.

Nota dos autores: Bandit faleceu em 5 de janeiro de 1995. Wayne o achou enrolado na
casinha dele, ele tinha morrido pacificamente, durante o sono.
Tom Garner e Ed Faron em 1994 com Garner‟s Judy e Wildside‟s Rapid Roy.

Wildside‟s Ernest Tbass, um ótimo filho de Wildsiide‟s Bandit, com Durham‟s Jeepete.
Capítulo Dez

Bons Cães estão onde você os encontra


Certo dia, nós obtivemos um telefonema de nosso amigo Charlie dos Canis Buzzard
Creek, nos contando que depois de vinte anos no jogo ele estava abandonando os
cachorros. Ele estava vendendo cães de partida, prospectos, filhotes - tudo, e a razão
pela qual ele estava nos ligando era para perguntar se nós estávamos interessantes em
adquirir as cadelas de cria dele. Ainda voltando do choque ao ouvir as notícias, nós lhe
falamos que ligaríamos logo depois com a resposta. Charlie é um criador honrado, um
bom competidor, e um amigo pessoal íntimo e nós sentimos que a sua aposentadoria
será uma perda para o jogo.

Realmente significou muito a nós que Charlie pensava o bastante de nós como criadores
e nos oferecesse o que era essencialmente a fundação do canil dele, mas a chamada dele
veio em um momento realmente difícil; apenas algumas horas antes de nós nos
sentarmos e discutirmos como nós poderíamos cortar nosso canil dos setenta ou mais
cachorros que nós estávamos alimentando na época para um número mais manejável de
mais ou menos cinqüenta, e nós não tínhamos conseguido propor qualquer solução pois
não havia nada que nós quiséssemos eliminar. Nós já estávamos procurando vários bons
produtos em nossas casinhas de filhote, os quais nós não tínhamos nenhuma idéia de
onde pôr. As quatro cadelas que ele estava nos oferecendo eram a velha cadela Lil dele
e as três filhas dela; Lil é cadela que saiu não sei de onde nascida de um cachorro que
realmente não é conhecido como um grande produtor com uma cadela filha de um
sangue antigo que nós nunca tínhamos nem mesmo ouvido falar antes de nós
conhecermos Charlie. As três filhas eram todas de cruzamentos de Lil com machos de
linhagens diferentes, e destas linhagens, por melhor que se possa dizer, realmente não
são notáveis por produzir muitos cachorros bons.

Olhando a nosso canil superlotado e as genealogias destas quatro cadelas de cria saídas
sei lá de onde, nós realmente tínhamos só uma escolha sobre o assunto: ligar de volta
para Charlie para lhe agradecer e falar que nós estávamos saindo para o quintal para
limpar quatro coleiras novas! Esta provavelmente não é a conclusão que a maioria das
pessoas teria esperado que nós chegássemos, e para ser sincero quatro ou cinco anos
atrás nós teríamos recusado o oferta generosa de nosso amigo, sem dúvida.

Nós nos lembramos a primeira vez que nós encontramos Charlie, quando ele trouxe Lil
aqui para ser cruzada com nosso cachorro Lucifer, da linhagem de Nigerino. Nós demos
uma olhada na genealogia dela e pensamos "que o inferno é isto aqui"? mas o que nós
deveríamos ter olhado era uma pequena cadela de jogo que já tinha produzido alguns
vencedores de lutas e que ela era da linhagem de um destruir duas vezes campeão.

Nos anos que se seguiram desde aquele primeiro dia, depois de ter conseguido conhecer
Charlie e a família de cachorros, nós viemos a ter muito respeito por esta linhagem
como qualquer outra - e mais que a maioria. Aquele sangue produz uma porcentagem
excepcionalmente alta de cães de jogo pesado, e Charlie os trabalhou muito bem. Lil
produziu Ch. Jughead quando cruzou com um seu filho campeão e lançou muitos outros
vencedores, de fato o cruzamento Lucifer x Lil agora tem dois vencedores por aí, com
mais dois cachorros de partida de qualidade que entrarão certamente em boas mãos e
terão uma oportunidade para se mostrar. As três cadelas de cria filhas de Lil são de jogo
duro e uma delas já é uma produtora provada, assim como a mãe. Nós nos sentimos
muito afortunados por ter a oportunidade de trabalhar com elas em nosso programa de
procriação.

Buzzard Creek Kennels Ch. Jughead, nascido e criado no Buzzard Creek filho do
cruzamento de Lil com seu filho Joe.

Presnell's Sugar, uma cadela muito boa. Vista aqui cheia de filhotes de Wildside
Torpedo, um cão de jogo de morte da linhagem de Stomponato.

Dois das primeiras pessoas que nós encontramos depois de mudar para as colinas foram
Tablerock Rick e a esposa dele, Donna. Eles se tornaram dois de nossos melhores
amigos no jogo e ainda são. Na ocasião que nós os encontramos pela primeira vez, eles
estavam se mantendo em uma fazenda velha que tinha (no caminho atrás da estrada) a
fundação de um antigo edifício no solo. Três lados daquilo consistiam em paredes altas
de três metros. O quarto lado tinha uma entrada que abria para o lado de uma colina nos
bosques, você só poderia chegar lá por um caminho longo ao redor desses bosques. Rick
pôs uma parede de temporária de um metro de altura a alguns metros da entrada. Você
poderia literalmente cair neste "pit" sem ver - era o lugar perfeito para colocar cachorros
pra brigar.

Uma das primeiras vezes que nós viemos, nós trouxemos um macho jovem que nós
queríamos começar a treinar e uma cadela que nós tínhamos comprado de um conhecido
na Carolina do Sul. Era suposto que esta cadela era a coisa mais malvada de quatro
pernas, pelo que ele tinha nos contado. Ela tinha uma genealogia ótima e era uma cadela
que parecia atlética. Nós estávamos muito excitados para ver, nós mesmos, o que esta
cadela "Sha-Sha" poderia fazer.

A única cadela que Rick e Donna tinham era uma pequena cadela branca com manchas
cor de chocolate; nós nos lembramos de dizer na ocasião " você não tem nada um pouco
maior? Nós não queremos ver sua pequena cachorra se machucar" - Isto foi uma das
coisas mais tolas que nós já dissemos.

Nossa cadela era tanto maior que quando elas foram soltas "Sugar" atacou diretamente
em cima e debaixo dela, agarrando em algum lugar no tórax. Tudo que nós podíamos
ver era a parte traseira dela agarrando por baixo com o rabo dela sacudindo. Nossa
'assassina' estava girando em volta de si mesma e tentando encontrar o que a estava
mordendo. O único vislumbre sobre a sua comentada habilidade atlética que nós vimos
veio ao redor da marca dos sete minutos, quando ela conseguiu se soltar e saltar
graciosamente sobre a parede de um metro para os braços de um observador surpreso.

Chris Foron, Ed Faron, e Mike Wosiewicz com Wildside's Tiger Lil no dia em que nós a
pegamos com o Mountain Man.

Foi demais. Logo depois veio nosso macho, um pequeno e bonito cachorro quase puro
da linhagem Maloney. Um amigo de Rick disse que ele tinha um do tamanho dele e foi
para o carro dele para pegá-lo; alguns minutos depois ele regressou com um cachorro
branco desengonçado que era um irmão da primeira cadela. Este cachorro "Jay" atacou
diretamente nos documentos de nosso cachorro e o sacudiu pelo ringue inteiro com esta
mordida até que nós o paramos.Nós acreditamos que a coisa toda durou menos de três
minutos.

Quando mostraram a genealogia destes cachorros, nossa reação foi "Yuk"! Parecia que
alguém tinha tido a intenção de ver quantas linhagens diferentes eles poderiam misturar
em um pedigree de seis gerações. Nós estávamos seguros de que estes cachorros não
poderiam sair bons.Sugar arruinou mais dois ou três de nossos cachorros (perfurando
um pulmão em uma mordida) e alguns cachorros de outras pessoas também, e ela
também produziu alguns bons filhos. Jay não teve a boca assassina da irmã, mas tinha
muita habilidade e provou muitas vezes ser quase um cachorro de jogo de morte, como
qualquer um vivo poderia ser.

Naquele mesmo tempo que nós conhecemos Rick e Donna e tivemos nosso encontro
com Açúcar e Jay, o Mountain Man nos deu uma bonita e pequena filhote de cara
branca de presente. Ele também nos deu uma genealogia de quatro gerações com o
filhote, que tinha sido datilografada pelo criador dela; ela realmente não era nenhuma
mestiça, mas olhando a genealogia nós reconhecemos só um ou dois cachorros na quarta
geração, o resto da genealogia consistia em cachorros dos quais nós nunca tínhamos
ouvido falar.

Não estando diretamente familiarizado com o sangue ou vendo qualquer campeão ou


cachorros famosos na genealogia, nós fizemos o que a maioria das pessoas faz; nós
assumimos que ela realmente não poderia ser boa. Nós gostamos do filhote, entretanto,
e a tornamos nossa cachorra de casa, pois ela era o pequeno filhote mais inteligente que
nós já tínhamos visto. Pensando melhor agora, nós imaginamos que se nós não a
tivéssemos feito um bichinho de estimação e ficado tão apegados a ela, nós teríamos
acabado provavelmente nos livrando dela para abrir espaço para um "cachorro bem
criado" para o qual nós precisaríamos de uma corrente no quintal.

Quando Lilly tinha menos de um ano, nós tínhamos um cachorro de Hollingsworth que
nós estávamos vendendo e que nós queríamos cruzar antes de deixa-lo ir, porque ele era
o único macho três quartos Crum's Caribu que existia. Lilly era a única cadela que
entrou no cio naquele tempo, assim nós a cruzamos com este macho. Nós vendemos a
maioria dos filhotes baratos como bichos de estimação. Daquela ninhada, um macho foi
ganhar uma partida muito violenta fora-de-corrente, outro morreu no jogo, um terceiro
parecia muito bom em brigas, mas nós o perdemos de vista, e duas das cadelas se saíram
muito bem. O resto foi para casas de animais de estimação e nós não sabemos o que
virou deles.

Antes que estes primeiros filhotes fossem velhos o bastante para serem notados, nós
cruzamos Lilly com Renegade. Nosso único propósito de fazer isto na ocasião foi que
nós estávamos tendo problemas para conseguir que Renegade cruzasse, e Lilly era uma
cadela fácil para cruzar. Uma vez mais, nós vendemos os filhotes muito barato e de fato
demos um casal aos amigos. De oito filhotes, um nós perdemos de vista, outro era
quente como uma espoleta, mas foi roubado com oito meses, e o outros seis viraram
todos cachorros de partida de boa qualidade.
Lilly veio para ser nada além de um cão de companhia com a qual nós éramos muito
apaixonados, e se tornou uma de nossas mais valiosas cadelas de cria, e o sangue dela
aparece muito freqüentemente em nosso programa de procriação agora. Depois que os
filhotes começaram a se mostrar tão bons, nós fomos pesquisar a genealogia dela
extensivamente. O que nós descobrimos foi que, enquanto eles podem não ter sido
nomes conhecidos, os cachorros dos quais ela veio incluíram alguns excelentes, e
alguns que mostraram ser de jogo de morte.

Um último encontro com um cachorro "mestiço" que vem a nossa mente é quando nós
perdemos nossa cadela Mean Jolene para uma destruidora preta chamada Sadie. Depois
da partida, o dono de Sadie Rick nos mostrou a genealogia dela. Ela veio de James
Edwards' Ch.Chinabuck com uma filha de Hargrove Rufus e Edwards' Miss Bad, assim
nós achamos que você a poderia chamar de uma cachorra filha da linhagem de
Chinaman(Eli/Snooty)/Rascal/Honeybunch/Cowboy/Jocko/Heinzl/BigBenI/JollyBee.
Sadie ganhou o campeonato dela, e depois que ela se aposentou Rick nos deixou ficar
com ela em nossa criação. Nossa atitude com Sadie foi que ela era um grande cachorro
de briga, mas nós não pudemos imaginar que ela seria uma boa produtora, pelo modo
que ela foi criada. Nós devemos ter esquecido de contar isto para Sadie; ela produziu
um cachorro que perdeu em 1h 57min, outro macho de jogo de morte na mesma ninhada
como também cadelas que serão desafiadas, um vencedor fora-de-corrente com 18
meses de idade e outro que está parecendo muito em outra ninhada, e alguns prospectos
jovens muito promissores em cada ninhada mais recente.

Nós adivinhamos que o que nós estamos tentando dizer é que não devemos esquecer
que o cachorro é que faz o pedigree, não ao contrário. Nós temos certas linhagens que
nós gostamos de trabalhar e estamos tendo sucesso com elas, e nosso programa de
procriação principal é centrado ao redor de cruzamentos de retorno e mixagem destas
linhagens, mas nós aprendemos a não ser tão cegos sobre cachorros para desacreditar
cães que podem não ser da linhagem que nós gostamos, ou tão puros quanto nós
gostamos.

Nós nunca esqueceremos o que o Mountain Man disse a nós um dia, há alguns anos; nós
tínhamos terminado de treinar alguns cachorros, um dos quais era a cadela Rick and
Donna's Sugar. Ela demoliu completamente um macho maior que ela naquele dia, e nós
perguntamos a opinião de Lester se ele sentia que uma cadela criada como Sugar
realmente seria uma cachorra boa para emparelhar ou procriar. Na ocasião nem nós nem
os donos de Sugar realmente tínhamos muita fé nela ser uma cachorra de jogo duro ou
uma produtora boa, e nós contamos isto para Lester. Ele respondeu que nós poderíamos
ter razão, mas nós não deveríamos julgar a cadela pela genealogia dela. Ele olhou para
nós e disse, "Lembre-se, cachorros bons estão onde você os encontra".
Livro Dois – o Cão de Competição completo
Capítulo 11

O Pitbull Caseiro

Os leitores podem notar que nós não incluímos capítulos sobre conformidade, exposições e
halterofilismo, cães de defesa, cães de caça, obediência competitiva e atividades de
reconhecimento e proteção; nós preferimos deixar isto para os que ativamente participam nestas
atividades e poderiam, portanto, querer saber mais sobre elas. Donos de Pit bulls interessados
em envolver-se em conformidade racial e/ou halterofilismo devem contatar a Associação
Americana de Criadores de Cães para informação sobre clubes e atividades em seu Estado.

Nossa meta principal em apresentar este capítulo está em ajudar o novato criador de pitbull

terrier a desenvolver um cão que venha a ser um estável e controlado membro da família dos

donos em vez de uma ameaça para sociedade! A decisão de obter um filhote de pitbull de

competição e desenvolve-lo como um bicho de estimação não é algo simples. Um bulldog não é

como qualquer outro cão; há muitas responsabilidades especiais que acompanham um cão

destes.

Um cão de competição é um bom animal de estimação?

Um monte de criadores sérios acha que os cães não pertencem às pessoas e são ressentidos com
as pessoas que prendem os cães como animais de estimação. Embora nós acreditemos que um
bulldog pode ser um cão muito bom de companhia sob as circunstâncias certas, a opinião acima
não é injustificada. O fato é, os problemas que tem aparecido na década passada tem sido, quase
sem exceção, causados por donos irresponsáveis. Ainda que a Sociedade Humana e a mídia
sempre tentem acusar a luta de cães como responsável pelos ataques, o fato é que não há cães de
luta que fugiram dos seus quintais e atacaram gente, ou andaram livremente em locais públicos
e mataram os bichos de outras pessoas; criadores mantém seus cães confinados e sob controle.

Um pitbull de competição é um cão de luta, fruto de muitas gerações de cães de luta. Para
considerar a criação de um cão desses como um bicho de estimação, você tem que considerar e
aceitar isto – ainda que você seja totalmente contrário a lutas de cães. Não importa como você
crie este cão, ele ainda será um Pit Bull, não um Golden Retriever! Muitas vezes nós temos
visto pessoas pegarem um filhote de pitbull com a atitude “se eu criar ele direito, ele não vai
querer lutar”. E em quase todos os casos vemos a situação eventualmente tornar-se um
problema sério. Uma mulher que conheci criou com sucesso duas fêmeas de pit Bull juntas por
quase cinco anos até que as duas começaram a brigar por causa de um brinquedo num dia que
seu filho de dez anos estava sozinho em casa. O pobre garoto finalmente conseguiu separar os
cães depois que se machucaram demais, e depois daquele dia elas continuaram brigando até que
os donos encontraram uma nova casa para uma delas.
Kelly's Cecil, propriedade de Mike Kelly, com Alyssa Kelly. Cecil é filha de Kelly's Tazmanian
Devil, produto de Faron & Kelly's Young Chinagirl.

Um amigo nosso tem um cão que foi vendido ainda filhote para alguns caras jovens que
tratavam o cão como um mascote da fraternidade; isto funcionou bem - até o dia que ele entrou
numa briga dentro uma luta com o mascote de outra fraternidade (um flalmatian) e o matou.
Nós mesmos temos uma cadela em nosso quintal que voltou para nós com nove meses de idade
depois que ela ficou atacando o cão que seus donos tinham adquirido para ser um 'companheiro'
para ela.

Nós não estamos tentando pintar uma gravura de todos os pitbulls como maníacos por lutas - há
muitos bulldogs que fazem bom papel de animal de estimação, até mesmo com outros animais -
mas nunca esqueça que um pitbull é um pitbull, e nunca baixe a guarda. Possuir qualquer cão é
uma responsabilidade, mas os que escolhem criar um bulldog como um animal de estimação
devem ser excepcionalmente responsáveis, até mesmo quando outros donos de animais de
estimação não são.

Por Exemplo, quando um cão solto na rua te aborda e você sabe que seu bulldog é agressivo,
você tem que assegurar que seu cão não o tenha sob alcance, mesmo que isso signifique deixar a
área rapidamente ou até mesmo segurar seu cão em seus braços. Se você vive em uma área onde
cães estão constantemente correndo soltos, você pode considerar a necessidade de andar com
seu cão tarde da noite, ou em outra área, ou amordaçar seu cão. Você pode ter certeza que se o
cão de algum idiota mexe com o seu cão e fica machucado, todos vão por a culpa em você e seu
'pitbull vicioso', não na pessoa que deixou o cão dela solto.

Será que isto é justo? Claro que não, mas é o jeito que as coisas são. Mais de uma vez nós
falamos sobre donos de bulldogs que tiveram um incidente quando seu cão pegou o de outra
pessoa e machucou ou matou, e a sua atitude foi “bem, não foi minha culpa porque o cão não
deveria estar solto”. Mesmo que você esteja certo ou não, não há justificativa para deixar um
incidente destes ocorrer.

Um buldogue NUNCA pode ser deixado solto. Este é um fato curto e grosso. Ele deve ser
mantido em uma coleira toda vez que estiver fora de sua casa e deve haver um bastão de freio
com você e você deve saber usar, mesmo que seu cão nunca tenha sido agressivo. O dia em que
você não tiver um bastão de freio – você vai precisar de um!
Quando seu cão está em sua propriedade, ele deve estar seguramente confinado. O Capítulo
Treze detalha como usar um bastão, bem como os métodos diferentes de segurar bulldogs. Nós
poderíamos recomendar que você tenha alguma espécie de corrente, cabo ou fio corrediço para
seu cão se ele é um animal confinado.

Kelly Hartmann com Hartmann's Roxy

Old Rock e sua amiga Sara. Rock era um neto de P. Carver's Stomponato e Art's Missy, e um
verdadeiro cão de competição.

Até este ponto, temos focado principalmente os aspectos negativos de possuir um cão de
competição. Isto é porque nós achamos que o cão de competição não é para todos. A triste
ironia disto é que geralmente é o tipo de pessoa menos recomendável a ter um pitbull terrier
quem pega a raça. Isto inclui idiotas que gostam da idéia de ter um cão do qual as pessoas terão
medo, doentes que são atraídos à raça após ler as ridículas estórias que os Humanistas fazem
sobre lutas de cães, e possivelmente o tipo mais perigoso: o bem intencionado porém
desinformado admirador de cães. Alguém que não sabe nada sobre cães e veio para casa após
ver “The Little Rascals” no teatro pensando que seria realmente agradável ter seu próprio
„bichinho‟ é um desastre esperando para acontecer.

Em todo caso, acima estão algumas das razões de porque não adquirir um bulldog; mas para a
pessoa certa, um pitbull terrier americano de competição é um excelente animal de estimação.

Bulldogs são geralmente animais muito inteligentes e de fácil cuidado, já que eles não tendem a
ter tantos problemas de saúde quanto os das outras raças. Uma vez que eles são criados para
performance (e um cão de performance tem que estar apto estruturalmente para competir e
ganhar) mais que para uma interpretação de exposição para o juiz do que um cão de luta deveria
aparentar, problemas como displasia são muito raros. Por outro lado, o AKC American
Staffordshire Terrier (“primo” do Pitbull Terrier americano) é o terceiro lugar em incidentes de
displasia canina, de acordo com uma pesquisa recente conduzida pela Fundação Ortopédica para
Animais.

A maioria dos buldogues é fácil de adestrar, embora que eles tendam a ser um pouco mais
teimosos que as raças tradicionais. Sua determinação e capacidade atlética faz deles capazes de
façanhas incríveis de vigor e agilidade, por exemplo, muitos bulldogs podem subir escadas,
cercas, e árvores! Um Pittbul Terrier Americano é um grande companheiro para alguém que
deseja um cão para jogging (numa coleira é claro) ou para longas caminhadas.

Um bulldog de competição criado como um bicho de estimação usualmente se torna um bom


cão de guarda. O que freqüentemente tem impressionado a nós sobre esses cães é que,
diferentemente de muitos cães de raças tradicionalmente „protetoras‟ (e nós estamos falando
aqui de seu animal de estimação médio, não um cão que tenha tido qualquer treinamento
formal) quase todos os buldogues que conhecemos parecem estar capazes de discernir entre um
visitante e alguém que não deveria estar em sua propriedade.

Nós sabemos de pessoas que têm cães agressivos (incluindo alguns bulldogs) que têm de ser
trancados ou amarrados quando da presença de visitantes. Tal cão pode ser inútil se você for
atacado em sua casa por alguém que foi inicialmente convidado - de muita ajuda será seu
matador de noventa libras se ele estiver fechado em seu porão! Mas nós sabemos de vários
bulldogs que são completamente amigáveis com os visitantes, mas irão perseguir um
transgressor ou alguém que procede de uma maneira ameaçadora.

Nossa cachorra de casa “Lilly" estabeleceu suas próprias „regras‟ sobre quem é permitido na
casa; se nós trazemos visitas ela subirá e os cheirará e estará perfeitamente amigável - de fato
ela normalmente estará no colo de alguém dentro de dez minutos. Porém, se estamos todos fora
no jardim e uma visita tem que usar o telefone ou o banheiro, eles têm que ser escoltados em por
um de nós; se alguém simplesmente passeia em nossa casa sozinho Lilly o porá para correr
porta afora!

Um buldogue bem criado torna-se um bom animal para a família se o cachorro - e as crianças -
forem ensinados como se comportar; crianças podem ser muito duras com um cachorro, até
mesmo completamente cruéis, e precisam ser supervisionadas e ensinadas a tratar corretamente
um animal. Não deveria ser permitido às crianças guiar o buldogue da família a sós a menos que
eles sejam velhos e grandes o bastante para controlar um cachorro fisicamente.

Buldogues, por causa da sua natureza estável com as pessoas e a tolerância à dor deles, podem
estar na verdade mais seguros que a maioria das raças ao redor de crianças. A maioria vai
aceitar bem ser pisado, sentado em cima, e ter as orelhas e rabos puxados por crianças pequenas
na família, o que não quer dizer que um cachorro deveria suportar este tipo de tormento.

Nós vimos uma vez um velho pitbull veterano que estava adormecido na frente do sofá do dono
e tinha uma criança pisando nos órgãos genitais dele enquanto tentava escalar em cima dele para
chegar ao sofá. O cachorro ganiu, se levantou, e lambeu a face do pequeno menino. Muitos
cachorros, mesmo aqueles que normalmente são muito amigáveis, teriam atacado a criança ou
pelo menos latido com ele sob estas circunstâncias.

As Sociedades Humanitárias e mídia gostam de descrever cachorros lutadores como animais


cuja única ambição e pretensão na vida é matar, e implicam que eles não são bons para qualquer
outra coisa. Em nossa opinião esta é uma caracterização muito injusta feita por pessoas que não
sabem nada sobre a verdadeira natureza de nossa raça, e não se preocupa em aprender.

De fato, nós mesmos sempre ficamos pasmos frente à inteligência e personalidade que estes
cachorros mostram. Cada um de nossos próprios cachorros é individual - nós acreditamos que
provavelmente poderíamos separar todos eles se estes fossem todos da mesma cor! Eles
elaboram pequenos jogos entre si e conosco; por exemplo, nós temos vários cachorros que vão,
toda vez que nos virem chegar, se mover furtivamente e esconder atrás de uma árvore ou de sua
casinha e se abaixar e esperar nós passarmos por lá, no qual momento eles saltam fora do lugar
escondido, como se dissessem "Surpresa"!

Uma coisa que freqüentemente pasma as pessoas sobre buldogues é que alguns cachorros
completamente ensinados são muito tolerantes a outros animais, tão longo eles não os desafiem.
Nós conhecemos muitos buldogues mantidos como bichos de estimação com cachorros, gatos, e
outros animais pequenos que se dão bem com eles.

Nosso velho cão "Pete", que é de competição como qualquer cachorro que possuímos, cresceu
com uma turma de gatos, furões, ratos de estimação, cavalos e cabras. Ele nunca mostrou
qualquer inclinação a machucar qualquer deles, até mesmo depois de ter se envolvido em várias
brigas - de fato ele brincava e lutava com um dos gatos (que gostava de jogar duro) e sempre
teve cuidado para usar pouco o bastante de força para não feri-lo. Porém, o gato não tinha
nenhuma reserva, ele perfurou buracos em Pete com as garras e dentes de uma forma regular.
Pete nunca perdeu a paciência com o gato, até mesmo quando o gato teve uma vez as garras
enfiadas na face de Pete e teve que ser retirado!

Pete com o amigo gato Tiny.


Wildside Tyson, possuído por Lee Labelle. Tyson é um cão Honeybunch pesado do cruzamento
de Wildside‟s Black Bart com Wildside & Kelly's C.J.5.

Nós também conhecemos muitos cachorros de competição, incluindo pelo menos um campeão,
aos quais poderia ser permitido correr soltos pelo jardim sem aborrecer nenhum dos outros
cachorros. Nossos próprios cachorros tornam-se 'amigos' dos cachorros acorrentados próximos a
eles e correm brincando de um lado para outro. Um filhote de Collie de nosso prefeito vagou
uma vez pelo nosso quintal, e nós achamos um dos cachorros crescidos brincando com ele. A
maioria de nós se acostumou ao nosso cachorro de casa e não a atacará se ela caminhar até eles
em uma coleira, até mesmo alguns dos cachorros que bateriam em qualquer outro cão.

Escolhendo um Filhote de cachorro

Escolher um filhote de cachorro para bicho de estimação é um pouco diferente que escolher um
filhote como um cachorro de procriação futuro ou cachorro de desempenho; há algumas
características, claro, que você procuraria indiferentemente (como um cachorro saudável, bem-
estruturado), mas também há coisas que você procuraria escolher num futuro bicho de
estimação que não teriam relação à maneira que um filhote de poderia chegar quando
amadurecer.

Por exemplo, o filhote tímido, retirado de uma ninhada pode crescer para ser um grande
campeão - nós vimos bastantes cachorros tímidos que ficaram de primeira classe - mas este tipo
ao menos, normalmente precisaria de muita atenção para ser um bicho de estimação satisfatório.
Uma clara mania por brigas é um excelente sinal de um prospecto futuro, mas provavelmente
nada mais que dificuldade para alguém que quer um animal doméstico razoavelmente tratável.
Claro, vimos várias vezes cachorros muito tímidos ou muito agitados funcionarem como
animais de estimação, mas normalmente nas mãos de donos que sabiam o modo de controlar
isto.

Nós conhecemos um homem cujo cão literalmente comeu bastante da casa dele enquanto ele
estava crescendo (nós acreditamos que ele se aquietou um pouco finalmente) incluindo rasgar o
papel de parede, mastigar vários tipos diferentes de caixas e engradados, e comer alguns dos
degraus para o segundo andar da casa. A maioria das pessoas não suportaria tanto.

Nós poderíamos somar que cães assim podem ser achados em todas as raças, não só pittbulls de
criação. Nós também conhecemos uma velha cadela de caça Labrador cujos donos prenderam-
na na garagem (que era junto à casa deles) enquanto eles estavam fora numa tarde porque ela
tinha um hábito ruim de mastigação. Ela comeu várias camadas de madeira e parede e eles a
acharam em casa quando chegaram!

Faron‟s Girl, uma neta de Stinson's Ch.Tuffy, sendo abusada por gatinhos malaios de
quatro semanas de vida.

A primeira coisa a decidir quando adquirir um filhote de cachorro é se você quer um macho ou
fêmea. No caso do Pitt Bull Terrier Americano, há uma diferença definida entre os sexos e
como bicho de estimação nós recomendaríamos uma fêmea ao invés de um macho na maioria
dos casos, especialmente se suas intenções são fazer deste um cão doméstico. Elas tendem a ser
mais tranqüilas, são normalmente mais fáceis de treinar, e não têm a 'extremidade' que os
machos têm. Claro, conhecemos vários Pitt Bull Terrier americanos machos que são cachorros
de casa excelentes.

Com qualquer sexo, se você definitivamente não está planejando apresentar ou cruzar o
cachorro, você deveria considerar tê-lo esterilizado. Uma fêmea com os ovários removidos não
ficará sangrando por toda parte duas vezes por ano, e também terá reduzido o risco de câncer de
mama - elimina também o risco de infecções e cânceres do útero e ovários. Um macho
esterilizado geralmente é um melhor bicho de estimação porque isso não só diminui o desejo
dele de vagar à procura de amor, mas em muitos (mas não todos) casos, tende a tornar o
cachorro meloso, mais fácil de lidar.

Esterilizar necessariamente não reduzirá ou eliminará o instinto lutador em buldogues; às vezes


parece fazer um cachorro menos agressivo, particularmente se a cirurgia é feita antes da
maturidade sexual, mas nós conhecemos algumas cadelas e machos esterilizados que foram
postos para brigar ou igualmente emparelhados. Muitas vezes os donos terão a cirurgia feita sob
conselho de um veterinário para reduzir a agressividade; no caso de um cachorro de competição,
isto pode provar ser um esforço completamente perdido.

Decida o que exatamente você quer num cachorro - coisas como cor, estrutura e tamanho são
muito importantes para você? Não há nada errado em querer um cachorro de um tamanho
específico ou que se apresente de um certo modo (embora nenhum destas coisas terá qualquer
efeito em que tipo de companheiro será o cachorro), já que você terá o cachorro durante os
próximos dez anos ou mais; se as aparências são importantes para você então você deveria
adquirir um cachorro que você gostará de olhar.

Porém, você não deveria deixar a aparência anular seu bom senso; por exemplo, se você tem seu
coração voltado para um filhote manchado, e a ninhada que você escolheu tem um pequeno
filhote negro amigável, agradável e um filhote manchado tímido, retraído, você se daria muito
melhor com o filhote preto - ou esperar por outra ninhada se você realmente tem que ter um
filhote manchado.

Obviamente, uma parte importante na hora de escolher um filhote certamente é onde você vai
adquirir o filhote. Você é apto a escolher um filhote ou terá este enviado, e sendo assim terá que
confiar no criador para escolher aquele que melhor se adapta para o que você está procurando?
De qualquer modo é importante lidar com um criador honrado, respeitável, preferentemente um
que tenha criado cachorros durante vários anos, assim eles poderão melhor julgar o que esperar
das suas procriações.

Wildside‟s Malaki e Orr's Someday Honey, possuído por Tony Benoit.

Considerando que este é um livro de cães de competição especificamente, nós omitiremos


lugares onde comumente as pessoas adquirem filhotes de outras raças, como abrigos de animais,
lojas e anúncios de jornal. Se é um buldogue de competição que você quer, nenhum destes
lugares é um lugar bom para procurar um filhote de cachorro. De fato, você achará cachorros
ocasionalmente bem-criados em jornais locais, mas em geral é melhor você procurar em
anúncios em revistas de buldogue.

Até onde as linhagens vão, há muita variabilidade entre linhagens diferentes como inteligência,
estrutura e outras características. Um pouco de tensões tendem a produzir cães mais satisfatórios
como estimação que outros. Claro que, isto em se falando de modo geral e você achará
indivíduos em toda linhagem que não se ajustam à 'norma'. Isto é onde, uma vez mais, é
importante achar alguém que é honrado e educado para se negociar, assim tal pessoa lhe dará
uma avaliação honrada das características positivas e negativas da linhagem, em lugar de lhe
falar tudo com o intuito de lhe fazer uma venda.
A melhor idade para se adquirir um filhote é aproximadamente às oito ou nove semanas de vida.
Não se permita comprar um filhote de cinco meses ao invés de um de oito semanas; muitas
vezes um filhote mais velho - até mesmo um que tenha somente três meses - terá dificuldade em
se ajustar a uma situação nova e nunca será um bicho de estimação satisfatório.

Um exemplo desta situação que podemos notar é a de um jovem que visitou nosso canil vários
anos atrás com um macho de nove meses que ele estava interessado em adquirir. Nós não
fizemos o negócio, já que o filhote não era da linhagem que nós estávamos trabalhando e era um
cão muito, muito tímido mesmo. Este sujeito tinha chamado um criador bem conhecido,
querendo um filhote de cachorro macho como estimação, e o criador tinha, ao invés de
persuadi-lo a levar um filhote de quatro meses, dito que este cachorro só estava lá ainda porque
ele era a sua 'seleção dos menores' mas ele tinha decidido que ele o poderia manter afinal de
contas.

Wildside‟s Killer Smoke, um filho de Wildside‟s Bulldozer, e o amigo dele.

Se isso era verdade, se o filhote era mesmo o último desta ninhada para ser vendido é
irrelevante; a linha de fundo era que este era um filhote que já tinha desenvolvido uma
mentalidade de 'cão de quintal'. Ele costumava ficar do lado de fora em uma corrente no campo
com um quintal cheio de outros cachorros. O filhote nunca se ajustou para se tornar um animal
doméstico na cidade e de fato teve que ser destruído antes que ele tivesse dois anos porque ele
mordeu várias pessoas.

Se o criador do qual você está planejando adquirir um filhote está a uma distância grande, visite
anteriormente o criador se você pode, ou dê uma olhada no canil quando você está apanhando
seu filhote. O criador soa conhecedor sobre os cachorros dele, e a raça em geral? Como parece o
canil em geral - é razoavelmente limpo e bem-mantido?

Pergunte qual é a política do criador em relação a garantir os filhote de cachorro. Alguns


criadores terão uma garantia de saúde escrita, mas eles deveriam estar dispostos a se
responsabilizar pelos filhotes que eles vendem se o filhote mostrou ter um defeito congênito ou
está incubando uma doença ameaçadora quando transportado ou apanhado. Alguns criadores
oferecem uma garantia de saúde mas podem pedir que você leve o filhote a um veterinário para
um exame dentro de um certo tempo depois de adquiri-lo; isto não é sem razão e é uma idéia
boa para se fazer de qualquer jeito.

A menos que especificado em caso contrário, uma garantia de saúde só cobre condições ou
doenças que já haviam na ocasião em que você comprou o filhote de cachorro. Se o filhote
morre de parvovirus cinco dias depois que você o adquiriu, nós esperaríamos que a maioria dos
criadores o substituiria pois isto indicaria que ele contraiu a doença antes de você o adquirir e
estava incubando ela quando ele chegou. Por outro lado, se você não segue as vacinações de seu
filhote e ele contrai parvovirus um mês depois que você o adquiriu e morre, não é a
responsabilidade do criador e muito poucos, ou nenhum, substituirá o filhote de cachorro, nem
você deveria esperar que o faça.

Os cachorros devem parecer saudáveis e bem cuidados e devem ser amigáveis e animados. Isto
é particularmente importante com a mãe de seu futuro filhote; se ela é extremamente tímida, há
uma chance bastante boa de que ela vai passar isso para o filhote - não necessariamente porque
eles herdarão a timidez dela (entretanto isso é possível) mas porque filhotes aprendem muito do
comportamento deles a uma certa idade observando a mãe deles.

Filhotes devem ser socializados com pessoas desde uma pequena idade, muito manuseio
especialmente é muito importante para um futuro animal doméstico. Quando você está
escolhendo seu filhote, reserve alguns momentos para assistir todos os filhotes brincarem e
segure-os.

Um filhote de cachorro tímido que se senta por só, ou um que gela quando você o segura pode
não ser o melhor para escolher, entretanto freqüentemente filhotes como este mudam com muita
atenção de pessoas. Um filhote que grita e tenta escapar quando você o apanha, ou pior, tenta
morder, definitivamente é um filhote para se evitar.

Muitos filhotes de cachorro podem estar até certo ponto tímidos com quatro ou cinco semanas
de idade, quando eles apenas se acostumam a ver as pessoas, mas com oito semanas o filhote
deveria estar animado e amigável, se ele foi socializado corretamente.

A melhor aposta é um filhote de cachorro ativo, feliz que desfruta da companhia humana, um
que está escalando suas pernas querendo ser acariciado por você quando você está segurando-o.
O filhote dominante na ninhada (o que parece ser o chefe) pode não ser uma escolha boa a
menos que você tenha muita experiência com cachorros; este tipo pode ser de gênio forte como
um adulto e um pouco de desafio para treinar. Um filhote super-hiper louco tende a chamar a
atenção da pessoa (este é o tipo que nós gostamos de escolher em uma ninhada, nós mesmos)
mas há uma chance boa que ele amadurecerá como um cachorro louco, hiperativo. Isto pode não
ser o que você está procurando, especialmente se seu cachorro será doméstico.

O filhote de cachorro deve ter uma camada boa de gordura e deve ser livre de qualquer parasita
externo ou problemas de pele visíveis. Olhos devem ser claros e limpos, e não deve haver
nenhuma descarga nasal.

Observe qualquer filhote de cachorro que "vai ao banheiro" enquanto você está lá; os montinhos
devem ser firmes sem muco ou sangue neles. Pergunte para o criador pela vermifugação deles e
o programa de vacinação; um filhote de cachorro de oito semanas deve ser livre de vermes
várias vezes e deverá ter sido tido duas vacinações pelo menos, com uma vacina de combinação
que inclua parvovirus.

Se você está comprando um filhote de cachorro de alguém e o transportando você estará


confiando bastante na integridade daquele criador em escolher um filhote que é certo para você.
Há muitos criadores bons por aí que lhe proporcionarão um filhote de cachorro saudável,
estável. Também há, infelizmente, alguns trapaceiros que só estão interessados em pegar seu
dinheiro.

O único modo para evitar este tipo de gente é realmente fazer sua parte, falar com muitos
criadores diferentes e conhecer pessoas que obtiveram cachorros destes criadores, se possível,
antes de fazer sua escolha. Você poderia tentar contatar a American Dog Breeders Association;
eles podem sugerir alguns criadores respeitáveis.

Não julgue um criador por uma pessoa que fala mal dele pois pode haver algum outro motivo de
antipatia por aquele criador, mas se você ouve constantemente histórias de horror de pessoas
que adquiriram os cachorros de um certo criador, é provavelmente alguém para ficar longe.

Preparando para a chegada

Agora que você fez sua escolha e comprou um filhote de cachorro, o que fazer? Você deve ter
algumas coisas básicas em conta antes de você trazer seu filhote novo pra casa. Primeiro, você
precisa determinar onde o filhote de cachorro vai ficar. Nossa melhor recomendação para isto é
um canil a céu aberto. Se o filhote está sendo transportado, o engradado no que ele chega pode
ser adequado durante algum tempo, mas ele o superará depressa; compre um engradado que é
grande o bastante para o filhote quando ele estiver maduro.

Descubra o que o filhote de cachorro tem comido (até mesmo se você planeja trocar por
qualquer outra coisa) e adquira um pouco daquela comida, ou algo o mais ppróximo possível;
por exemplo, se o criador estiver alimentando uma comida de base avícola como lams'
Eukanuba, ache uma comida de base avícola de algum tipo se você não pode adquirir a
Eukanuba.

Alguns criadores enviarão um saco cheio da comida de filhote deles junto com o filhote de
cachorro. Ele provavelmente comerá melhor se você lhe oferecer primeiro algo que ele é
acostumado a comer, e então gradualmente substitua para uma comida diferente se você quer.
Mudanças de comida súbitas também podem causar às vezes perturbações digestivas como
diarréia.

Marque um horário com seu veterináriopara trazer o filhote para um exame depois de alguns
dias da chegada dele; o veterinário pode dar para o filhote um exame completo, começar um
programa de vacinação para ele, e vermifugar o filhote se necessário. Se você planeja fazer sua
própria vacinação e vermifugação, compra a vacina e vermífugo anteriormente assim você pode
começar imediatamente. Nós sempre damos para filhotes novos uma injeção auxiliar quando
eles chegam.

Se o filhote de cachorro está sendo transportado, descubra a linha aérea na que ele virá, o
número de vôo, passagem e hora de chegada. Tente fazer o criador embarcar o filhote tão cedo
como possível, e é melhor ter o filhote transportado por algum tipo de serviço de prioridade (por
exemplo USAir 'PDQ' Service ou Delta 'Dash') em vez de fretado. Remessas de prioridade são
despachadas mais depressa e se há qualquer tipo de confusão você terá um número localizando
a remessa.

Se você está apanhando o filhote direto do criador, traga um engradado de cão limpo com roupa
de cama seca (serragem de madeira, jornal, uma manta ou parecido) para ele ficar em cima, e no
que diz respeito ao assunto pode ser uma idéia boa trazer um engradado limpo se o filhote for
transportado, no caso de o engradado em que o filhote de cachorro está ficar sujo.

Traga muitas toalhas de papel ou alguns trapos limpos - a maioria dos filhotes adquirem náuseas
no primeiro passeio deles, assim não fique alarmado se você apanha seu filhote de cachorro ao
aeroporto e o funcionário dá a você um engradado fedorento cheio de vômito, fezes e um filhote
de cachorro babando. Limpe o filhote de cachorro tão bem quanto você pode e o ponha no
engradado limpo que você trouxe. Isto é por que nós também sugerimos um engradado para
levar você está dirigindo pra casa com o filhote, para evitar ter o seu carro vomitado (ou pior).
Thunder, criado por Randy Torres, joga com algumas das crianças do bairro. Thunder é um
irmão a vários cães de jogo pesado, inclusive um vencedor de jogo de morte. Ao contrário da
convicção pública um cachorro criado para lutar pode ser muito estável perto de crianças.

Também pode ser uma idéia boa para trazer uma seringa de 3 cc cheia de mel ou xarope Karo se
você tiver, o filhote foi transportado e ele está há muito tempo em trânsito. A tensão de uma
viagem longa, especialmente se o filhote vomitou, pode causar um pouco de hipoglicemia
(pouco açúcar no sangue) e o dar um pouco mel ou xarope Karo ajudará a reanimá-lo.

Leve o filhote direto pra casa - não o arraste para mostrar imediatamente aos amigos e parentes
por todo lado. Também, outros familiares ficarão, é claro, muito excitados esperando a chegada
do filhote de cachorro, mas evite muita comoção no primeiro dia.

Alguns filhotes ficarão correndo em volta da casa explorando e querendo brincar no minuto em
que eles chegam, mas outros podem se esconder no engradado deles e podem agir como ele
quisesse permanecer só. Não se preocupe, é muito comum para filhote de cachorro ficar um
pouco (ou muito) assustado os primeiros dias na casa nova. A melhor coisa que você pode fazer
é manter as coisas sossegadas e o deixar descansar muito enquanto ele se acostuma aos
ambientes novos.

Alojamento e Boas Maneiras

A primeira coisa você deve fazer quando você traz o filhote para casa é retirá-lo imediatamente
do engradado e levá-lo diretamente para onde quer que seja que você quer que ele se alivie.
Depois de ficar no engradado tanto tempo, provavelmente a primeira coisa que ele fará quando
sair do engradado é urinar. Você quer que ele saiba desde o começo que do lado de fora é o
lugar para se aliviar, não no seu tapete do quarto.

Cada vez que o filhote vai para o banheiro no lugar certo, aplauda-o por isto e lhe diga
"cachorro bom!" (ou outra coisa) em um tom feliz, alegre, de voz. Ele entenderá a idéia de que
ele fez alguma coisa boa, entretanto ele não saberá exatamente o quê, no princípio.

Leve o filhote para se aliviar imediatamente cada vez que você o deixa sair do engradado dele.
Leve-o quando você abre a porta de engradado caso contrário ele provavelmente andará alguns
passos fora do engradado e vai parar para urinar. Leve-o para sair depois de cada refeição, pois
filhotes terão o desejo de evacuar dentro de aproximadamente vinte minutos depois de comer.
Leve o filhote para fora depois que você tenha brincado com ele um tempo, ou qualquer hora
que você o veja circulando e cheirando, pois ele está procurando um lugar para se aliviar.

Leve-o para o mesmo lugar no quintal todas as vezes, no princípio. Se ele cheirar onde ele foi
antes, normalmente vai querer ir lá novamente. Se ele defecar na casa, você pode tentar
colocando-o no lugar do quintal que você quer que ele vá.

Se o filhote de cachorro vai para o banheiro em algum lugar que ele não deve, repreenda-o, mas
só se você o pegar durante o ato. Quando você o vê fazer isto, diga Não! Em um firme e áspero
tom de voz, e imediatamente o leve para fora onde você quer que ele faça. Parabenize-o quando
ele vai para o lugar certo. Uma advertência verbal é tudo que é necessário para um filhote; ele
saberá que o desagradou pelo tom de sua voz.

Alyssa Anthony e Pongo, uma filha de Wildside‟s Bulldozer de propriedade de Bill Anthony.

Buldogue adulto Brincando com filhote. O cão é Kelly‟s Tazmanian Devil de propriedade de
Mike Kelly. O filhote é Wildside & Kelly‟s C.J.5.

Não sacuda o filhote de cachorro, ou bata nele - buldogues são animais sensíveis e fazer coisas
como estas não só é desnecessário, mas pode causar danos psicológicos permanente.

Se você não pega o filhote no momento em que faz a bagunça, não há nenhum motivo para
castigá-lo e você apenas confundirá o filhote. Ele não entenderá por que ele está sendo xingado.
Apenas limpe tudo muito bem assim que você achar, e esteja certo de manter os olhos nele e o
levar mais para passear, se necessário.

Há uma variedade de produtos no mercado que você pode borrifar em cima do lugar para tirar o
odor, assim o filhote não voltará até lá; se você não tem nenhum deles, refrigerante de club soda
ordinário ou uma solução de vinagre e água servem. derrame, deixe alguns minutos e então
limpe. Repita isto algumas vezes em tapetes espessos, se precisar. Nunca use qualquer tipo de
limpador de amônia em uma sujeira de filhote, cheirará como urina e de fato encorajará que ele
volte àquela mesma área.

Cachorros são criaturas de hábito; a maioria dos filhotes será muito fácil de treinar se você faz
isto do jeito certo. O engradado de cães pode ser muito útil para treinar um filhote de cachorro.
Ponha o filhote no engradado para dormir à noite, e qualquer hora você não o possa observar
cuidadosamente - ele aprenderá a controlar a bexiga dele e intestino deste modo mais rápido,
porque cachorros são animais basicamente limpos e não gostam de sujar a própria cama.
Colocá-lo no engradado também eliminará muitos comportamentos destrutivos, como mastigar
mobília, fios telefônicos, etc.

Se você tem seu filhote de cachorro em um engradado grande e acha que ele está dormindo em
um canto indo para o banheiro em outro, troque por um engradado menor ou divid-o de forma
que ele tenha uma área apenas grande bastante para dormir.

Em resumo, você estará correndo pela casa com o filhote nas primeiras semanas, mas usando o
método acima você terá um filhote bem treinado com três meses de idade. Quando o filhote for
envelhecendo, tenha certeza de que você o continua levando para sair freqüentemente; um
engano comum é leva-lo para sair por pensar que ele consegue segurar, e se você começar a
relaxar, assim fará o filhote. Se você chegou ao ponto onde você está deixando-o solto e não o
trancando na maioria do tempo e você acha que ele está começando a bagunçar na casa, volte a
mantê-lo trancado quando você não está observando. Eventualmente, quase todos os filhotes
ficarão 100% educados.

Não use o engradado como um castigo; faça disto a casa dele, não uma prisão. De qualquer
maneira, ponha o filhote lá se você não o pode estar vigiando, mas não faça isto imediatamente
depois que você o repreendeu. Com o passar do tempo ele virá a pensar no engradado como a
pequena caverna dele e se você deixa a porta aberta enquanto ele está solto na casa, ele
provavelmente regressará para dormir lá dentro.

Quando chega o momento de o pôr no engradado dele por um período longo de tempo, coloque-
o (dando talvez um brinquedo para ele jogar naquele momento) e o acaricie um pouco na
cabeça, então saia. Não venha correndo para o deixar sair quando ele chorar. A primeira noite
que você o terá em casa é provável que ele grite até sair as tripas pela boca, mas uma vez que
ele aprende que fazer todo aquele ruído não vai fazer você deixá-lo sair, ele provavelmente se
deitará e logo irá dormir.

Não ponha água no engradado porque o filhote provavelmente derramará, e até mesmo se ele
não fizer isto ele terá que urinar mais cedo e vai molhar a cama dele. Alimente o filhote em
momentos específicos, nos mesmos horários todo dia - três vezes por dia é melhor, no princípio.
Não dê comida de mesa ou doces, pois isto poderá causar diarréia. Se o filhote de cachorro
adquire diarréia a algum ponto e quebra o treinamento (ou bagunça o engradado dele) por causa
disto, não seja muito severo com ele, pois isto é algo que está além do controle dele.

Cachorros têm um desejo natural para mastigar, especialmente filhotes que estão em dentição. É
importante que seu filhote tenha brinquedos para mastigar; brinquedos adequados para um
filhote de pitbull são ossos de vaca, brinquedos de borracha "Kong" (tenha entretanto cuidado
com estes em adultos, alguns pitbulls adultos podem comer), ossos de fibra sintética, e ossos de
cartilagem de boi.

Brinquedos barulhentos de látex podem ser muito perigosos, pois até mesmo um filhote de dez
semanas pode rasgar e engolir pedaços ou pode se sufocar com eles. Algumas pessoas gostam
de dar brinquedos de couro cru; estes podem ser OK para filhotes muito jovens, mas nós
tivemos problemas com filhotes mais velhos e cachorros crescidos engolindo pedaços e
sufocando com eles.

Seu filhote de cachorro pode tentar mastigar várias coisas em sua casa; sempre que você o pegar
mastigando algo que ele não deve, reprima-o com um rude "NÃO!" e imediatamente lhe ofereça
um dos brinquedos para ele mastigar. A maioria dos cachorros aprenderá o que lhes é permitido
mastigar, e o que é proibido.

Garner‟s Katie, uma filha de Garner's Gr. Ch. Spike e avó de Hurricane Kennels' Ch. Big
Bossman, vista aqui com 5 anos de idade, dando uma volta com as amigas Cindy and Kelly.

Figura da página 120 - Old Rock brincando de Cabo de guerra com suas filhas Girl e Angel.

Alguns filhote de cachorro são mais determinados para destruir sua casa. Uma vez mais, prendê-
los no engradado quando você não os pode supervisionar diretamente ajuda muito. Não apenas
para a segurança de seus pertences, mas proteger o filhote. Certas coisas que filhotes pegam
podem ser perigosas ou até mesmo fatais, como morder no interior de um aparelho ligado.

Outra coisa que pode ajudar muito é um produto chamado Bitter Apple (maçã amarga). Vem em
gotas ou creme e (como o nome implica) é muito, muito amargo. Nós temos freqüentemente
filhotes em nossa casa e nós pusemos o spray no telefone e nos cabos do som, fios elétricos, e
cantos de mobília onde filhotes gostam de roer e tem sido muito efetivo.

Os hábitos que um cachorro aprende como um filhote amoldarão o cachorro que ele será quando
crescer. Lembre-se disto estabeleça desde o começo quais regras você quererá que seu cachorro
obedeça quando adulto. É injusto com cachorro permitir que se comporte de um certo modo
quando um filhote, e então de repente começar a castigá-lo por algo que ele fez toda sua vida -
por exemplo se você o deixasse subir no sofá quando filhote e então decidisse que ele é "muito
grande" para ficar sobre o móvel quando ele crescer. Se você não quer um cão adulto na sua
poltrona, não o deixe subir lá enquanto filhote.

Se o filhote chora à noite e você o traz para a sua cama para dormir, então lá é onde ele vai
querer dormir para sempre - você quer um buldogue adulto dormindo em sua cama? Se você
não liga, é bom que esteja preparado para compartilhar sua cama durante a próxima década ou
mais com um cão roncador monopolizando seu cobertor, mas não o traga para a cama enquanto
filhote e depois grite para ele ficar de fora quando ele for mais velho.

O comportamento que é atraente em um filhote de cachorro pode não ser tão atraente quando o
cachorro pesa aproximadamente cinqüenta libras ou mais. Lembre-se disto e não permita ou
encoraje comportamentos em um filhote que seria negativo em um cachorro de adulto, por
exemplo saltar para cima de pessoas e morder. Se você não quer um cachorro que brinca de
forma rude, não brinque de forma rude com um filhote. Encoraje o filhote de cachorro, em vez
disto, para jogar com brinquedos, ou brincar de cabo de guerra com ele com uma corda.
Provavelmente não é sábio dar para seu cachorro sapatos velhos ou roupas para brincar; seu
cachorro pode não saber a diferença entre o casaco de couro velho que você o deixou arrastar e
a sua novíssima jaqueta de couro de US$ 300.

Depois que um filhote novo tenha alguns dias para se ajustar, você o fará se acostumar com
coleira e corrente. O melhor modo que nós achamos é começar com uma fivela de fibra sintética
suave e leve, como coleira no filhote (tenha certeza de que não há um fio pendurado da fivela
para ele mastigar) durante as vezes ele está fora da casa dele. No princípio ele arranhará se
coçará e talvez tentará enganchar os pés e puxar a fivela para fora. A maioria dos filhotes
esquecerá depressa e se acostumará à coleira.

Por volta desta época você deverá estar ensinando para o filhote vir até você quando ele for
chamado - esta provavelmente é uma das coisas mais importantes que um cachorro precisa
aprender. Sempre o parabenize por vir até você e nunca, nunca chame um cachorro até você
para castigá-lo por causa de algo. Uma vez que o filhote de cachorro se acostume à coleira,
comece a prender uma leve correia à coleira. No princípio, apenas o deixe arrastar a correia por
aí, assim ele se acostumará com ela, então apanhe a correia e segure a ponta desta sempre que
você o leva para passear.

No princípio, você o deixará se guiar sozinho e apenas o seguirá junto com a correia e tentará
mantê-la frouxa. Então gradualmente faça o filhote de cachorro se acostumar a seguí-lo aonde
você quer ir, dando alguns passos e o chamando de forma que ele o seguirá. A maioria dos
filhotes gosta de caminhar bastante depressa, um pouco de paciência será necessária com algum
filhote mais teimoso.

Todos os cachorros domésticos devem aprender alguns modos básicos que dependerão do que
são suas regras caseiras. Você não pode ter um cachorro que ficará derrubando seus convidados
e saltando em cima da mesa da sala de jantar para roubar comida. Obedecer ou não ao
treinamento depende você. Se você está interessado em trabalho de obediência, você poderia
levar seu filhote a alguma escola de obediência quando ele tiver ao redor de seis meses de idade,
se ele não for um cachorro agressivo. As aulas ajudarão a lhe ensinar a maneira de treinar seu
cachorro.

Escolha um tipo de treinador que use reforços positivos nos métodos dele em lugar de disciplina
severa, a maioria dos buldogues parece responder melhor ao método anterior que o posterior. E
você pode querer inspecionar escolas diferentes que são disponíveis em sua área, falando com
pessoas diferentes que as conhecem. Diga o tipo de raça que você cria e fique longe de pessoas
que parecem ter preconceito com Pitbulls.

Nós conhecemos uma pessoa que levou um macho de cinco meses velho muito bem comportado
a uma aula de obediência de filhotes e ouviu do treinador que devia adquirir uma coleira de
asfixia especial para o cachorro (o tipo com as pontas de metal que apontam para dentro e que
espetam no pescoço do cachorro) porque o cachorro era um pitbull. A pessoa não aceitou este
conselho que era sábio; este filhote em particular era muito fácil para trabalhar e era muito
sensível a castigos até mesmo com uma coleira de asfixia regular. O treinador começou com
uma atitude negativa com o filhote, mas depois voltou atrás quando este filhote se mostrou um
dos três melhores da turma que era composta principalmente de filhotes de Shetland Sheepdog e
de Golden Retrivier - ambas raças que são excelentes em obediência.

Se você está interessado em treinamento de obediência ou até mesmo obediência competitiva


para buldogues, tente contactar o clube de American Pitbull Terrier da sua cidade e veja se eles
podem recomendar uma escola de obediência no local.

Dois produtores provados dividindo uma poltrona.

Esquerda: Wildside's Tiger Lil, mãe de Jaws, Bulldozer e vários outros bons cães de jogo
Direita: Garner's Wild Cherry, uma filha de Ch. Chinaman e mãe de Rollbar's Rapid Roy, vista
aqui com dez anos de idade.
Pitbulls Assassinos?

Scotty Furtado e Joke

Alyssa Kelly e Cecil.

Leah LaPointe e Miss Prance.


Capítulo Doze

Alimentação e Nutrição
Com cachorros, assim como pessoas, comida boa não é só essencial para a vida, mas também
para crescimento e desenvolvimento adequados. Um cachorro é uma criatura bem versátil que
pode sobreviver com quase qualquer dieta, mas há uma diferença grande entre sobreviver e
prosperar. A melhor nutrição no mundo não pode fazer de um espécime geneticamente pobre
um cachorro melhor, mas nutrição pobre pode impedir um filhote de cachorro bem-estruturado
de alcançar o potencial dele quando adulto.

Componentes nutricionais da Comida

All food consists of similar components. The following is a rundown of what these components
are and what purpose each serves in a dog's diet.

Nota: as porcentagens listadas nas descrições seguintes são valores brutos; isto não é igual aos
valores de porcentagem listados na parte de trás de uma embalagem de comida de cachorro.

Proteína

Proteína é composta de aminoácidos e é necessária para manutenção das células e crescimento


de músculos. Carne e subprodutos de carne, ovos e produtos de leite são todas as fontes de
proteína que são de valor nutricional alto e eficazmente digeridas. Legumes são de baixo valor
nutricional como uma fonte de proteína, mas podem ser muito valiosos nas combinações certas
com fontes de carne.

Uma dieta com muito pouca proteína pode prejudicar o crescimento, desempenho, reprodução e
resistência a doenças. Uma dieta muito alta em proteína pode conduzir a danos no rim. Fontes
de proteína de qualidade pobre em uma dieta podem conduzir para soltar fezes muito volumosas
ou até mesmo diarréia crônica, pois elas atravessam o cachorro praticamente sem ser digeridas.

Exigências de proteína para cachorros variam de acordo com idade e nível de atividade; para
manutenção normal 15-20% (em média), mas filhotes, cadelas amamentando, e cachorros
trabalhando podem precisar de mais proteína (até 30%) e para cães velhos ou obesos é
desnecessário.

Carboidrato

Carboidratos vêm de amidos e açúcares. Grãos e os subprodutos deles são normalmente a fonte
em rações de cachorro. Carboidratos fornecem energia.

Exigências dietéticas exatas para carboidratos não foram estabelecidas para cachorros. A
maioria das comidas de cachorro contém uma porcentagem alta de carboidrato.

Gordura

Gordura e ácidos graxos são formas muito concentradas de energia na comida. Especialmente
importante para manter a pele e o pêlo saudáveis. Gordura em excesso é armazenada no corpo, o
que pode conduzir a um cachorro obeso. Excessos de carboidratos são convertidos em gordura e
armazenados no corpo.

Exigências de gorduras para cachorros são: 10-20% para manutenção, e 20-30%, para filhotes,
cadelas amamentando, e cachorros estressados (cachorros "trabalhando", etc.)
Fibra

Fibra é material indigesto da parede celular das plantas. Ajuda no processo digestivo
acrescentando volume. Muito pouca fibra em uma dieta pode conduzir a constipação,
considerando que muitos podem causar fezes moles, volumosas, e digestão pobre de outros
componentes da comida.

Comida de cachorro deve conter no máximo 5% de fibra, exceto dietas formuladas por reduzir
obesidade em cachorros, que podem conter até 15% fibra.

Vitaminas & Minerais

Necessários em quantidades pequenas. Há dois tipos de vitaminas, solúvel em gordura e solúvel


em água. As vitaminas solúveis em gordura são armazenadas no fígado e muitas destas (por
exemplo, vitamina A, D, E, e K) podem ser tóxicas. Vitaminas solúveis em água são excretadas
rapidamente e não são armazenadas, elas constantemente devem ser fornecidas.

Minerais são combinações inorgânicas; dois dos minerais mais importantes são cálcio e fósforo
que, junto com vitamina D, são necessários para crescimento de ossos e manutenção. Alguns
minerais são conhecidos como minerais de traço e são necessários em quantidades muito
pequenas para fabricar enzimas e hormônios.

Como as vitaminas, certos minerais podem ser tóxicos em quantidades grandes. Excessos de
certas vitaminas e minerais podem conduzir a deficiência de outros. Deficiências ou vitaminas
em excesso, ou minerais, podem conduzir a problemas de saúde específicos, por exemplo, muito
sódio pode causar doenças de coração e de rim, e pressão alta. Algumas comidas de cachorro
comerciais podem conter até vinte vezes a quantidade exigida de sódio.

Tipos de Comida de Cachorro

Comidas de cachorro comercialmente preparadas estão disponíveis em uma grande variedade,


os três tipos básicos são: comida de cachorro seca, enlatada e semi-úmida. Comidas de cachorro
secas são as menos caras, e também têm a vantagem de um tempo de armazenamento longo.
Elas tendem a ser menos atraentes que comidas enlatadas ou semi-úmidas, mas a maioria dos
cachorros gosta de ter uma comida que eles possam mastigar, e comidas de cachorro secas
ajudam a manter os dentes de um cachorro limpos e livres de formação de tártaro em excesso.

Um fato negativo é que muitas rações secas tendem a ter teor muito baixo de gordura porque
conteúdo de gordura alto reduz o tempo de armazenamento da comida. Isto pode resultar em um
pêlo áspero, seco. Se você está alimentando com comida seca com pouca gordura, considere
adicionar óleo de milho, gordura de galinha ou banha de porco (nesta ordem de preferência)
para a dieta de cachorros (de 1 tsp. diariamente até 1 tbs. para cada 30 libras). Se você nota um
pêlo pobre em seus cachorros e já eliminou outras causas como parasitas internos, isto pode
resolver o problema.

Rações de cachorro secas chegam em média de 70 a 85 % de digestibilidade; se você acha que


seus cachorros têm soltado fezes soltas e volumosas tente usar uma comida de digestibilidade
mais alta. Comida seca é muito conveniente porque pode ser alimentada de livre-escolha; não
ficará ruim contanto que não seja umedecida. Se você umedecer, (empapar comida de cachorro
seca aumentará a eficiência para filhotes e "catadores") não se esqueça de retirar depois de não
mais que uma hora, pois micróbios e bactérias crescerão e podem fazer o cachorro ficar doente.
A água deve estar disponível a toda hora.

Comidas de cachorro suavemente úmidas, normalmente empacotadas em papel celofane como


"hambúrgueres" ou partículas empacotadas em lâminas. Embora elas sejam muito saborosas e
não requerem refrigeração, elas custam de duas a três vezes mais caro que comida seca e
contêm quantias altas de açúcar e outros conservantes como também condimentos artificiais e
corantes.

Comidas enlatadas são altamente digestíveis e muito saborosas. Quando escolher uma comida
enlatada assegure-se de que é uma nutricionalmente completa. Pode ser usada comida enlatada
para tornar comidas secas mais saborosas. Você pagará um preço altíssimo por uma comida
enlatada boa, e por causa do conteúdo de água alto um cachorro grande pode precisar de três ou
quatro latas de comida para as suas exigências diária de nutrição. As latas são pesadas e ocupam
muito espaço de armazenamento, e comida de cachorro enlatada se deteriora rapidamente uma
vez que a lata foi aberta.

Kingfish Kid‟s Ch. Spanky, uma cadela originária de Art / Kingfish, vencedora de sete partidas.

Nós mesmos sempre temos um pouco de comida enlatada boa (o tipo que nós achamos que os
cachorros parecem realmente gostar é a comida de filhotes Pedigree) para dar ao filhote
desmamado que não está comendo muito bem a comida seca, para cachorros que estão
recusando a comida deles por alguma razão, ou cachorros que nós estamos tentando conseguir
que comam mais - como com um cachorro que tem um peso inferior ao normal ou que está se
recuperando de uma enfermidade. Alguns donos misturam um pouco de comida enlatada com a
comida seca para melhorar o sabor.

Um quarto tipo de comida é o biscoito - alguns biscoitos de cachorro são nutricionalmente


completos e podem ser alimentados como uma dieta única (entretanto não muito econômica).
Eles são mais freqüentemente usados como um presente ou ajuda de treino. Se você dá muitos
biscoitos de para seu cachorro, seria uma boa idéia para selecionar um tipo que é completo,
assim eles não desequilibram a dieta dele.

Há vários fatores para levar em conta quando escolher uma comida de cachorro; entre eles
custo, quantos cachorros que você está alimentando, as necessidades do cachorro e o conteúdo e
digestibilidade da comida. A maioria das comidas de cachorro que são comercializadas em
supermercados são anunciadas para atrair ao dono em lugar do cachorro. A maioria dos donos
se identificam com uma comida que parece gostosa para eles, assim você achará uma variedade
imensa de comidas coloridas, saborosas e parecidas com carne de hambúrguer, pedaços grossos
de carne de boi, pequenos cubos de filé, e muito mais.
Wildside‟s Cujo, filha de Gr. Ch. Spike com McClinton‟s Tornado. Venceu uma luta muito dura
para o Marine Guy.

Cate´s Sasha, vencedora de uma partida, filha de Gr. Ch. Nigerino com sua sobrinha Miss
Kitty. Uma cadela que é destaque nos pedigrees de muitos cães de qualidade.

Nós pessoalmente recomendaríamos evitar estas rações "apetitosas" pois elas contêm uma
quantidade muito grande de açúcar e sódio, muitos sabores artificiais e corantes, conservantes, e
freqüentemente não são muito digeríveis. Não significa dizer que você não pode achar uma
comida de cachorro bastante boa em um supermercado, mas você deve escolher uma comida
baseado em seu conteúdo nutricional.

Algumas pessoas escolhem fazer a sua própria ração de cachorro; dietas caseiras podem ser da
mesma maneira nutritivas que comida de loja, mas há normalmente muito trabalho envolvido
em preparar e armazenar a comida e pode custar mais no final das contas. Se você está
preparando a comida de seu cachorro e não tem experiência, esteja seguro que a receita que
você está usando é nutricionalmente completa.
Restos de mesa deveriam ser limitados a 10% ou menos na dieta do cachorro, se forem dadas, e
porcarias como doces, comidas gordurosas ou salgadas devem ser evitadas completamente -
mantenha "presentes" como estes no mínimo possível, se você os tem que alimentar. Algumas
comidas podem ser dadas em quantias pequenas sem saturar o equilíbrio da dieta de um
cachorro, por exemplo, um pouco de queijo cottage ou um ovo de vez em quando.

Ossos de boi frescos e crus podem ser bons para alguns cachorros se não forem servidos
freqüentemente. O melhor para servir para eles são ossos da perna grandes ou cartilagens.
Alguns cachorros mastigarão o osso inteiro e podem ficar muito indigestos (até ao ponto de
exigir uma cirurgia para evitar impacto fecal) e a cachorros como este não deveriam ser dados
ossos. Não cozinhe os ossos como se os tornasse frágeis. Dar ossos muito freqüentemente pode
desgastar os dentes de um cachorro por usar excessivamente.

Nós não recomendaríamos dar ossos de porco de nenhuma maneira; a chance de transmitir
algum tipo de doença é muito alta com ossos crus e eles tendem a se lascar. Se você cozinha
ossos de porco eles ficam frágeis. Também, ossos de ave podem ser perigosos, principalmente
os ossos longos da asa e perna que podem lascar em fragmentos muito afiados e podem perfurar
a garganta ou intestino do cachorro. Ossos de galinha crua não são tão frágeis, e ossos de
pescoço ou ossos da parte traseira normalmente são mais seguros para dar. Alguns criadores
adquirem pescoços de galinha fresca e crua para alimentar os cachorros; estes são muito
nutritivos, mas com aves cruas há sempre o risco de envenenamento com Salmonela, como
também outras bactérias e parasitas.

Quando e quanto alimentar?

Exigências nutricionais em cachorros variam e dependem de vários fatores. Filhotes crescentes,


cadelas grávidas ou amamentando e cachorros trabalhando ativamente, todos requerem níveis
mais altos de proteína e gordura que o cachorro de casa que não faz mais que descansar no sofá
todo dia, ou o cachorro de inativo na corrente. Filhotes precisam de mais proteína que os cães
adultos e até 50% mais calorias por libra de peso corporal. Uma cadela lactante pode precisar de
três a quatro vezes das calorias que ela normalmente precisa.

Filhotes e cadelas grávidas ou amamentando deveriam ser servidos com uma comida de filhote
boa. Comidas de filhote contêm níveis de proteína e gordura mais altos e normalmente têm uma
digestibilidade mais alto. Nós mesmos normalmente preferimos uma comida de base avícola
como Iams' Ekanuba, Purina Pro Plan ou ANF 30, e para alimentar filhotes nós gostamos de
usar uma comida que tem uma forma de torrão pequeno em lugar de pedaços grossos e grandes,
pois são mais fáceis para eles mastigar.

Quantas refeições você dá por dia também depende de fatores diferentes, como a idade do
cachorro, e também a preferência pessoal. Cachorros adultos podem ser alimentados com uma
refeição grande por dia ou duas pequenas. Filhotes de cachorro e cadelas amamentando
deveriam ser alimentados duas ou até mesmo três vezes por dia. Cachorros que se alimentam
com duas refeições pequenas por dia assimilam mais do valor nutricional da comida deles e
assim precisarão de menos comida ao todo. Duas alimentações por dia também podem reduzir
problemas com cachorros que comem grama e vomitam e cachorros que comem as próprias
fezes.

Alimentar uma vez por dia é mais fácil e tem a vantagem de seu cachorro se sentir mais "cheio"
depois da refeição. Nós mesmos alimentamos os adultos uma por dia à noite. Deste modo,
nossos cachorros têm uma refeição completa e (normalmente) dormem toda a noite em vez de
ficar fora das casas deles latindo com gambás, raposas, ou outras coisas. Nós também passamos
com um balde de comida pelas manhãs e damos uma segunda alimentação a filhotes com menos
de seis meses, grávido e alimentando cadelas grávidas e amamentando, e nós também damos um
punhado de comida a certos cachorros no canil que tendem a vomitar se eles têm um estômago
vazio todo o dia.

Algumas pessoas acreditam em alimentar por livre escolha; é dada comida durante todo o dia
para o cachorro e ele come o quanto quiser e quando quiser. Isto só deve ser feito com comida
de cachorro seca que não deteriorará se for deixada de lado, como outros tipos de comida.
Alguns cachorros adultos gostam deste método, outros terão uma tendência para comer demais e
ficar obesos. Nós alimentamos nossos filhotes por livre escolha da idade de desmama até
quando eles são transportados ou encoleirados.

Exatamente o você alimenta depende de sua situação; se você tem um canil grande que você
tem que pesar os prós e contras de marcas diferentes de comida. Entre as coisas que você pode
querer levar em conta, estão digestibilidade e conteúdo. Quanto mais digerível uma comida de
cachorro é, menos você terá que alimentar cada cachorro, e seus cachorros produzirão fezes
menores e mais firmes.

Pergunte por aí para criadores diferentes que você conhece (de quem os cachorros parecem
saudáveis) o que eles dão aos cães; às vezes há comidas de cachorro boas disponíveis em uma
área local que não são necessariamente de grandes "marcas", mas são comidas de alta qualidade,
razoavelmente balanceadas.

A comida mais cara necessariamente não é a melhor escolha; nós mesmos alimentamos com
uma comida mais barata com menos gordura nos meses de verão que no inverno. A razão para
isto não é por causa de custo, nós mantemos nossos cachorros muito magros no verão por causa
do intenso calor e controlamos o peso deles com a quantidade de comida que nós estamos
alimentando. Um cachorro obeso é muito mais suscetível a choque térmico. Com uma comida
mais digestível e com mais gordura, a quantidade que nós temos que alimentar pelo verão para
controlar o peso dos cachorros não é bastante para os manter satisfeitos.

Alimentando uma dieta que nós podemos lhes dar um pouco mais a cada refeição, os cachorros
estão menos inquietos, o que reduz comportamento destrutivo e latidos, pelo menos isso é o que
nós achamos.

Nós sempre ficamos pasmos sobre como algumas pessoas gastam milhares de dólares com
cachorros, e os alimentam com algo que eles compraram em uma loja de desconto local por
cinco dólares o saco de cinqüenta libras. Isto parece ser principalmente um fenômeno que
acontece com criadores de pitbulls e pessoas que criam cachorros de caça; é bem comum na
área que nós vivemos para ver uma pickup de US$ 20 000 transportar uma casa de cachorro de
alumínio na parte de trás que parece custar de $400 a $500- e várias bolsas da mais barata
comida de cachorro da pior qualidade (nós não mencionaremos o nome, mas se parece com
almôndegas de fibra, e provavelmente não tem muito mais valor nutricional que fibra) na parte
de trás da pickup.

Rações "Pechincha" podem não ser no final das contas uma pechincha, porque ingredientes de
baixa qualidade são freqüentemente usados e você terá que alimentar quantidades enormes para
cada cachorro para manter o peso em ordem e em troca os cachorros produzirão fezes grandes e
fedorentas. O conteúdo de gordura tende a ser baixo, o que resulta em pele fraca e pêlo feio e se
uma comida de má qualidade dada a filhote de cachorro, pode resultar em deficiências
nutricionais.

O quanto alimentar depende da marca da comida, a idade do cachorro, o nível de atividade do


cachorro, e a época do ano. Não é saudável para um cachorro de qualquer idade ser muito
engordado, isto põe uma grande tensão nas articulações do cachorro e órgãos internos, e
aumenta o risco de choque térmico em tempo quente. Cachorros reprodutores obesos podem ser
menos interessados em procriar, e ter dificuldades em acasalar até mesmo se eles estão
interessados. Cadelas obesas podem entrar menos freqüentemente no cio e podem ser menos
férteis.

Joe D´s Ch. Red Pirate, Criado por Wildside Kennels, filho de Hollingswoorth‟s prince e
Wildside‟s Peppermint Patty.

Rebel and Blue‟s Bros Ch. Sundance, um cão pesado da linhagem Bullyson filho de Shivar‟s
Buster ROM com Morgan Sandy. Buster é filho de Bullyson e Sandy é neta de Bullyson, filho de
Midnight Cowboy e Piggy.

Por outro lado, não é bom para um cachorro ficar muito magro. Animais fracos, desnutridos
podem ter resistência pobre a infecções, e dificuldade para se recuperar de doenças e danos.
Eles podem ter problemas de fertilidade, também. Filhotes mantidos muito magros podem
amadurecer e ficar “delicados” ou fracamente estruturados.
Tony Bourke‟s Ch. Tuker. Vencedor de 4 lutas na Inglaterra a 47 libras. Filho de um cão da
linhagem Snooty / Pedro / Honeybounch com uma fêmea Ed Reid.

Um peso de verão bom para um buldogue adulto é aproximadamente 3 - 5 libras acima do "peso
de luta" dele. Você deverá ver as costelas dele, mas eles não devem estar saltando para fora, e os
ossos do quadril devem ter uma capa de gordura e músculo em sobre deles. Se os ossos do
quadril estão espetando para fora como pontas de faca, o cachorro está muito magro. O cachorro
deve ter um bom tom de músculo e parecer forte, se os músculos dele parecem mirrados ou ele
está magro na traseira, ele definitivamente está muito magro.

Durante o inverno, dependendo do frio, um cachorro deve estar aproximadamente cinco libras
mais pesado que no verão, talvez mais. Um cachorro mantém o calor de corpo dele tremendo, o
que gasta energia. Em uma noite muito fria um cachorro pode queimar quase uma libra do peso
corporal. Nós conhecemos pessoas que tiveram cachorros congelados até a morte no inverno
não por causa de frio extremo, mas porque os cachorros estavam muito magros para ser capazes
de se manter aquecidos.

Suplementação

Comidas de animais comerciais são formuladas para ser equilibradas nutricionalmente; na


maioria dos casos você não deve oferecer qualquer tipo de vitamina ou comida suplementar a
menos que elas sejam necessárias por uma razão específica. Você pode prejudicar mais que
ajudar se você dá suplementos em algumas ocasiões, por exemplo, se você dá para um cachorro
muito cálcio, você pode causar sintomas que se assemelham a uma deficiência de cálcio porque
um equilíbrio entre cálcio e fósforo deve ser mantido. Se você deseja dar um suplemento de
cálcio de algum tipo a um filhote de cachorro crescente ou uma cadela lactante, escolha uma das
formulações específicas para cachorros que contêm um equilíbrio de cálcio e fósforo, como
OsteoForm ou Cal-D-Trons.

Vários tipos de suplementos são usados em cachorros que estão sendo condicionados para
vários tipos de atividades de desempenho; há muitas combinações diferentes para atender a
todas elas.
Se você sente necessidade de dar um suplemento de algum tipo para seu cachorro, a melhor
coisa para usar é algum tipo de suplemento comercial equilibrado. Há uma variedade
absolutamente enorme destes no mercado, e vão de formulações de multi-vitamina básicas a
suplementos mais complexos que incluem aminoácidos, ácidos graxos, etc. A maioria é
projetada de forma que eles não atrapalharão o equilíbrio da dieta do cachorro.

Criar seus próprios suplementos misturando vitaminas diferentes, etc. pode não ser uma idéia
boa a menos que você realmente saiba o que está fazendo.

Um suplemento que nós usamos é o Canine Peak Condition (antigamente chamado Peak
Performance), o qual nós damos ao filhote da idade da desmama à idade de transporte. Este é
um pó que é misturado com água e a maioria dos cachorros aprecia o gosto dele; nós achamos
que ajuda a diminuir a tensão de desmamar porque os filhotes beberão isto prontamente, até
mesmo quando eles não estão comendo bem comida sólida ainda.

Há certas situações que definitivamente requerem suplementação. Um problema que nós vimos
várias vezes em filhotes de Pitbull é raquitismo. Raquitismo é causado por uma deficiência de
vitamina D. Os sintomas incluem encurvamento das pernas, Articulações deformadas e
desenvolvimento anormal dos dentes. Vitamina D é crucial para um cachorro poder aproveitar o
cálcio e o fósforo.

Kelly‟s Little Cowgirl da propriedade de Mike Kelly. Da linhagem de Snooty / Eli filha de
Lonewolf‟s Chuck, um filho de Ch. Rattler, cruzado com Garner‟s Young Cowgirl.

Comidas de cachorro modernas contêm quantidades adequadas de vitamina D, mas filhotes


criados sem acesso a luz solar suficiente (por exemplo, filhotes criados em porões) podem sofrer
de sintomas de deficiência vitamina D, mesmo se eles são alimentados com a melhor comida
disponível, pois os raios ultravioletas da luz solar desempenham um papel importante na
absorção de vitamina D. Nós vimos vários filhotes que foram alimentados com as melhores
rações disponíveis apresentando sintomas de raquitismo porque eles eram privados de luz solar
suficiente.
Finley‟s Ch. Bo ROM, pai de muitos bons cães incluindo Gr. Ch. Outlaw, Ch. Bronco, Ch.
Magnum, e quando cruzado com Ch. Honeybounch ROM ele produziu Ch. Jeep, Ch. Charlie,
Ch. Holly e Ch. Missy.

Cate‟s Miss Kitty, mãe de Cate‟s Sasha, Cate‟s Cujo e cate‟s Rambo quando cruzada com Gr.
Ch. Nigerino. Miss Kitty é filha de Poncho, filho de Stomponato, e neto de Bullyson cruzado
com a irmã de Nigerino, Bolita.

Se você tem que criar filhotes em lugar fechado, em uma área que não tem luz solar direta, tente
trazê-los para algum lugar ao sol durante algumas horas por dia - se está muito frio para eles
saírem, tente colocá-los em um quarto ensolarado. Se isto não é possível, uma luminária
especial que imita luz solar (encontrada em lojas de berçário ou até mesmo em muitas lojas de
departamentos) colocada sobre a área onde os filhotes ficam e mantida acesa durante pelo
menos doze horas por dia pode ajudar.

Se um filhote é um mau comedor e está com peso inferior ao normal, um suplemento de alta
caloria como Nutri-Cal, Nutri-Stat ou Dyne ajudarão a dar peso ao filhote e melhorarão o apetite
dele. Canine Peak Condition (veja acima) também é bom para isto.
Cachorros ou filhotes que se recuperam de anemia (devido a enfermidade, infecção de vermes,
etc.) ou cachorros que mamam em uma ninhada grande se beneficiarão de algum tipo de
fortificante para o sangue; estes suplementos de vitamina normalmente contêm vitaminas de
complexo B, (o qual também age como um estimulante de apetite) como também ferro e outros
minerais são necessários para formação de hemoglobinas. Um dos melhor é o Lixotinic ou
PetTinic (estes são o mesmo produto, exceto Pet-Tinic que tem duas vezes a força deles) e um
cachorro que está sendo condicionado também pode se beneficiar deste tipo de suplemento.

Cachorros com problemas de pele como sarna, vermes, ou infecções de pele por bactérias
podem ser ajudados por um suplemento de pele e pêlo que contém ácidos graxos e zinco em
conjunto com o tratamento do próprio problema.

Dr. Doolittle‟s Ch. Geek, um pequeno e sólido três vezes vencedor filho de uma criação na
maioria vinda de Rascal. Criado por Clay Baudoux.

Ch. Chinarose, da propriedade de Dane Ellete do canil Blue and Gray, vista aqui pouco depois
de vencer seu campeonato. Pai: Ch. Chinaman ROM – Mãe: Garner‟s Zipper, uma filha de Gr.
Ch. Nigerino.
Gaine‟s Ch. Timex, um filho devastador de Gaine‟s Fargo.
Capítulo Treze

Alojamento, Correntes e Manutenção de Canil


Este capítulo é intencional para aqueles cujos cães passam parte do tempo fora de casa, e
explica como cuidar corretamente de um quintal de buldogue - se você tem um cachorro ou
cem. Saber manter o cachorro em boa saúde o ano todo não só manterá seu cachorro confortável
e feliz, pode economizar centenas de dólares em contas de veterinário. Um cachorro saudável
será mais resistente a doenças, mais produtivo como um cachorro de procriação, e viverá muito
mais tempo.

Nós mesmos mantivemos um quintal por muitos anos, entre vinte e oitenta cachorros. Nos
últimos cinco ou seis anos, nós tivemos um total de cerca de cinco circunstâncias onde
cachorros se soltaram e entraram em brigas de canil acidentais (todos descobertos depressa e
separados por nós) e naquele mesmo período de tempo, nós nunca tivemos um cachorro
congelado até a morte, morrendo de choque térmico, ou enforcado em uma corrente, assim,
enquanto nós não nos consideramos "perfeitos", nós sentimos que somos qualificados para
escrever sobre este assunto com algum grau de autoridade.

Importância do Confinamento Adequado

Meios adequados de confinar e alojar um pitbull Terrier americano são essenciais à saúde e
segurança de seu buldogue, e é imperativo para evitar acidentes e/ou problemas legais. Nós
calcularíamos que aproximadamente noventa e nove por cento dos problemas que aconteceram
com a raça poderiam ter sido evitados se tivessem sido adotadas medidas adequadas para manter
o cachorro sob controle. Pense nisto: sempre que você leu ou ouviu falar de um "acidente com
pitbull", invariavelmente parece envolver um cachorro que ou estava correndo solto, ou saiu da
coleira, saltou uma cerca ou escapou de uma gaiola ou fugiu de uma casa. No que diz respeito
ao assunto, este texto se aplica para ataques de cães em geral, não só aqueles causados por
Pitbulls.

Claro que a grande maioria de buldogues não vai atacar alguém na rua se eles se soltam, pelo
menos não um ser humano, (entretanto para o público, um cachorro que ataca outro animal é da
mesma maneira maligno como um que ataca uma pessoa) mas há muitas outras coisas que
podem acontecer a seu cachorro se ele foge de sua propriedade. Cachorros são atropelados por
carros, são envenenados, ou são roubados todo o tempo. No caso de um buldogue, é muito
provável que o cachorro que se põe solto e decide dar um passeio ao redor do bairro seja
baleado por um cidadão apavorado por ser um "Pitbull assassino e arruaceiro".

Como nós mencionamos no Capítulo Onze, este é principalmente um problema com donos
irresponsáveis, mas cada vez mais durante os últimos anos nós ouvimos falar de incidentes de
criadores principiantes cujos cachorros se solta e cria algum tipo de ameaça pública. Se você
tem um quintal de cachorros, é provável que um cão que se solta ataque um dos outros e você
pode acabar perdendo um ou ambos. Nós sabemos que já revisamos isto até certo ponto em
Capítulo Onze, mas nós apenas não poderíamos acentuar o bastante o quanto a propriedade
responsável de um cão é importante.

Confinamento adequado não significa apenas assegurar que o cachorro não pode se soltar,
significa ter a certeza de que ele está bem seguro e confortável. Há várias dificuldades em que
um buldogue pode entrar sem sair da corrente dele. Você precisa prover abrigo, sombra, e uma
área onde o cachorro não poderá enroscar a corrente dele ao redor de qualquer coisa, se ele está
em uma. Se um cachorro fica enroscado, ele pode morrer de insolação em tempo quente, pode
gelar até a morte em tempo frio, ou pode ficar em tal pânico que ele poderia conseguir tirar uma
coleira da qual ele normalmente não teria escapado. Cachorros acorrentados perto de uma cerca
ou arbusto podem saltar a cerca e se enforcar. Estes são algumas das coisas que podem
acontecer se você não tem nenhum cuidado com o lugar onde aloja seus cachorros.

Métodos de confinar Buldogues

Há basicamente quatro modos diferentes de manter um Pitbull Terrier Americano ao ar livre.


Estes são:

 Em uma corrente
 Em um cabo de correr
 Em uma gaiola
 Em um quintal cercado

Cada método tem suas vantagens e desvantagens, e o melhor modo envolve o uso de uma
combinação de métodos. Nós mostraremos cada um em detalhes, e examinaremos os prós e
contras.

Correntes

Este é o modo que a maioria dos criadores mantém os cachorros, e o mais prático, em nossa
opinião. Uma corrente boa é relativamente barata para montar e manter, e se usada e mantida
corretamente é quase à prova de fuga. Nós acreditamos pessoalmente que um Pitbull tem mais
exercício, mais contato humano, e está mais contente em uma corrente boa (ou cabo de correr)
que em uma gaiola.

Geralmente cachorros de espetáculo são mantidos em gaiolas ou baias de canil de algum tipo
que os mantém limpos e o pêlo deles sem marcas de coleira, e isto geralmente é percebido, aos
olhos do público geral, como o modo "certo" para manter um cachorro. Por outro lado,
acorrentar um cachorro é visto pelo público geral como crueldade e também comumente
suposto para fazer um cachorro ficar mau ou neurótico. Nós não estamos seguros de como esta
noção se originou, mas uma das coisas que os "humaníacos" usam para mostrar que criadores
são cruéis é o fato que nossos cachorros passam supostamente uma existência miserável
acorrentados.

Nós não podemos entender pessoalmente como uma cadeia de baias de canil do tamanho de um
armário (nós não estamos dizendo que é como todos os cachorros de espetáculo são mantidos,
mas nós vimos canis com baias tão pequenas quanto quatro a seis pés) pode ser uma casa mais
humanitária para um cachorro que uma corrente de dez pés que lhe permite uma área de
diâmetro de vinte pés para passear - quase duas vezes a área de uma baia de dez por dez pés.

Uma corrente apropriada não é a corrente "de amarrar" que você às vezes vê à venda em lojas
de animais. Qualquer coisa com menos de 1¼ polegada de espessura não é satisfatória para
manter um buldogue seguro por um grande período de tempo. Muitas vezes pessoas não
familiarizadas com a raça não podem entender por que os cachorros são mantidos em correntes
tão pesadas; a razão é que correntes gastam muito depressa por causa da fricção dos elos um
contra o outro, e do arrastar constante de um lado para outro no solo duro. Quanto mais leve a
corrente, mais depressa vai se desgastar e uma vez que ela passa de um certo ponto de uso o
cachorro pode quebrar um elo gasto quando ele puxa a ponta da corrente dele.

No outro lado da moeda, algumas pessoas ficam impressionadas e usam uma corrente que é
muito pesada. Nós vimos cachorros de quarenta libras em uma corrente de meia polegada de
espessura ou até mais espessa - uma corrente de oito pés com esta espessura provavelmente pesa
quase tanto quanto o cachorro. Um cachorro em uma corrente super pesada não vai poder se
mover ao redor quase nada, e é muita tensão desnecessária nas articulações dos cachorros e
estrutura óssea.

Diagrama 1: Equipamentos para correntes. Mostra um anel e ligação de rolamento gastos e


alguns tipos de diferentes tamanhos de rolamentos de corrente, ganchos “S” e anéis “O”.

Para acorrentar cães, você precisará dos seguintes equipamentos e ferramentas:

 Uma corrente de boa qualidade


 Um rolamento de corrente
 Três conectores
 Dois anéis “O”
 Um eixo de carro

Nós normalmente usamos correntes de 5/16 ou 8/8 de polegada para adultos, e meia polegada
para filhotes), cortadas do tamanho que você precisar. Nossas correntes normalmente são de
sete a dez pés, mas o tamanho está limitado pelo espaço que você tem - nós já vimos correntes
de até vinte pés de comprimento ou mais. Se você está montando uma corrente extremamente
longa, você deverá ter certeza de que você não usará uma medida de corrente muito pesada,
porque o conjunto ficará muito pesado para o cão.

O rolamento deverá ser pelo menos da mesma medida que sua corrente ou mais pesado. Nós
colocamos nosso rolamento na extremidade que se prende ao pescoço do cachorro, algumas
pessoas os colocam na metade da corrente. Não há nenhum motivo de o colocar na ponta da
corrente que vai no eixo, pois se o cachorro se enrosca ao redor do eixo por alguma razão, ele
não terá efetivamente nenhum rolamento. O rolamento serve a um propósito muito importante
na corrente e um cachorro nunca deve ser posto em uma corrente sem um rolamento. Confira o
rolamento quando você o compra para estar seguro de que não há nenhuma falha no metal que
faça o rolamento “travar” e não girar corretamente.

Tipos de conectores incluem ligações rápidas como também tipos diferentes de ligações que têm
que ser dobradas para fecharem, como ganchos "S", Fechos frios, e ligações de enroscar. Veja
esquemas 1 e 2 para exemplos de equipamento de correntes. Use os conectores de medida mais
pesada que ajustam à sua corrente e rolamento, pois eles são feitos de um metal mais suave e
serão a parte de sua corrente que tende a desgastar mais rápido. Você precisará de um para a
ponta do eixo para conectar um anel, um para conectar o rolamento à corrente, e um para
conectar o rolamento à coleira ou um anel para trespassar a coleira.

Para o primeiro anel "O" pelo qual o eixo será preso, use um anel de espessura grande. Nós
usamos anéis de duas ou três polegadas por meia de espessura. Evite os franzinos e pouco
cromados anéis que você poderia comprar em uma loja de animais ou equipamentos, estes
tendem a quebrar sob de tensão pesada. O outro anel é para a ponta da coleira; use um anel da
largura do coleira que você trespassará, ou ligeiramente mais largo. Este não tem que ser tão
pesado quanto o anel do eixo.

O eixo de carro deveria ter todos os parafusos e ganchos de metal removidos. Podem ser
comprados freqüentemente por um preço razoável nos ferro-velhos.

Para reunir a corrente você precisará de um martelo, um par de alicates de pressão e uma
superfície para bater sobre os conectores. Esta pode ser uma bigorna, o lado de um machado ou
machadinha, ou até mesmo uma pedra plana e grande. Se você compra sua corrente a granel e
corta você mesmo, você também precisará de um cortador de corrente.

Sugestão: se você planeja enterrar o eixo (o que nós fazemos com a maioria de nossas correntes,
pois previne a possibilidade de enroscar ao redor do eixo) use mais ou menos pé de corrente
pesada, como 3/8 de polegada, para prender ao anel que se prende ao eixo, então prenda sua
corrente normal na outra ponta. O propósito disto é manter a corrente mais pesada debaixo do
solo onde é mais provável corroer. Correntes enterradas precisam ser desenterradas para ter
certeza periodicamente de que a parte enterrada da corrente não enferrujou ou fraturou. Usar um
pedaço de corrente mais pesada reduzirá o risco disto.

Nós usamos todos os tipos diferentes de conectores, e preferimos os ganchos "S". A razão para
isto é que eles são o único tipo que não pode ser sacudido de cabeça para baixo e torcido a um
certo ângulo que pode causar um enroscamento ao eixo ou travar um rolamento. Uma vez mais,
tenha certeza de que você usa o maior gancho "S" que você pode para a cadeia você está
usando, mas tenha certeza de que a corrente e o rolamento se ajustam facilmente pelo conector;
eles devem deslizar livremente nele, não devem ter como ser forçados e prender em uma
posição. Ganchos S provavelmente são o conector mais duro para fechar, mas nós nunca vimos
um aberto em uma conexão.

Conectores rápidos (os conectores "C" que atarraxam quando fechados) são o tipo mais fácil
para prender, mas esteja seguro de usar uma rosca que os deixe tão apertados quanto você pode
se você os usa, e observe qualquer conector rápido que arrasta no solo, pois a parte que atarraxa
o conector fechado é muito propensa a desgaste.

O método de prender a coleira do cachorro à corrente que nós preferimos é fixar a coleira por
um anel na corrente em lugar de usando algum tipo de conector removível. Nós os usamos de
tudo, e todos os tipos fracassaram de alguma maneira. Você também pode prender diretamente a
corrente à coleira, mas alguns cachorros tendem a ficar com os pescoços doloridos com isto
porque a coleira torce quando eles se movem em torno.

Os únicos conectores rápidos que nós usamos (para cachorros que são difíceis de tirar da
corrente de outra forma) é o grampo de 4 ou 5 polegadas feito para escalar montanhas (veja
diagrama 2) que seguram bastante bem. Nós tivemos durante anos um cachorro que se soltou de
um destes grampos, entretanto, e três outros ficaram com um dedão do pé de alguma maneira
preso no grampo. Nós achamos estes pobres cachorros amarrados como porcos nas suas
correntes e o dedão do pé do um cachorro também estava cortado. O que nós fazemos para
prevenir isso agora é cortar uma tira de meia polegada de fita isolante (talvez seis polegadas de
comprimento) e apenas enrolar ao redor do ponto mais estreito debaixo da dobradiça. A ponta
da corrente fica na ponta menor.

Nós conhecemos algumas pessoas que usam pesadas argolas de touro para prender os cachorros
deles às correntes; estas têm a conveniência de também servir como um rolamento bastante
decente. Nós usamos argolas de touro no passado; elas são mais seguras que grampos, mas a
junta do rolamento se desgasta muito depressa, e pior, nós sabemos de pelo menos três ocasiões
onde cães inexplicavelmente foram encontrados fora das correntes. Nunca havia qualquer dano
na argola de touro e a tranca tinha boa tensão; Apenas pareceu ser algum tipo de ângulo que o
cachorro poderia bater no grampo e abri-lo.

Para afixar a corrente, ponha o anel grande na ponta do eixo e com o conector pesado (se você
está usando gancho "S" você precisará fazer isto em dois passos diferentes), e ponha a ligação
em sua superfície de batimento com a ponta aberta do conector para cima. Segure o os alicates
de pressão no conector para segurá-lo firmemente, e com um martelo de uma libra bata o
conector firmemente fechado. Se você está usando conectores rápidos, você precisará de uma
rosca ajustável para fechar a ligação.

Diagrama 2: Mais alguns equipamentos para correntes, na parte inferior da foto estão alguns
conectores e um grampo de alpinismo de 4 polegadas (direita).

Repita o procedimento acima para prender a outra ponta da corrente a uma ponta de seu
rolamento, e prender o rolamento ao anel "O" pelo qual a coleira passará. Presto! Por
aproximadamente vinte ou trinta dólares de materiais e dez ou quinze minutos de trabalho, você
tem uma boa e confiável corrente. O próximo passo é montar sua área de corrente. Para isto
você precisará de uma enxada e possivelmente uma pá. Dependendo de onde você está
montando a área de corrente, você precisará também de um ancinho e um machado.

Centralize a extremidade presa ao eixo em uma área limpa, bastante plana onde não há
(esperançosamente) nenhuma árvore, obstáculos grandes ou cercas dentro do alcance da
corrente. Um modo fácil para medir isto é ter alguém segurando o anel da extremidade do eixo
onde você está planejando batê-lo, ou finque uma vara no solo no centro do anel para segurá-lo
no lugar. Leve a outra ponta da corrente em sua mão, estenda-a, e faça um círculo completo.
Qualquer coisa que você pode alcançar o cachorro poderá alcançar também. Árvores pequenas
podem ser cortadas ser removidas, bem como qualquer ramo ou moita dentro da área de alcance
da corrente.

A razão para você não querer árvores dentro da área de alcance do cachorro é que alguns
cachorros serão enroscados ao redor delas e não têm o senso necessário para voltar por onde
vieram e se desenroscar. Nós temos algumas áreas de corrente em nosso próprio quintal que têm
uma árvore grande ao alcance do cachorro e nós normalmente não temos problemas; se o
cachorro se o cachorro só pode se enrolar de um lado ( em outras palavras, se a árvore está perto
o bastante para que ele possa enrolar a corrente em redor dela uma ou mais vezes) ele
normalmente saberá como voltar. Porém, fique prevenido que a maioria dos cachorros verá a
árvore como um grande brinquedo de mastigar! Nós tivemos uma vez uma cadela de trinta e
cinco libras que mastigou uma árvore de 8 polegadas de diâmetro dentro de um período de dois
meses até que ela caiu!

Um bom conjunto de rolamentos usando ganchos “S”. O cão é Wildside's Lucifer.

Um conjunto agradável. Há uma cerca de seis pés em volta do quintal, a corrente é enterrada e
concretada para estabilidade adicional. O cão tem água fresca em uma bacia de aço inox. A
casa de cachorro foi feita por Foster & Smith. A única coisa que falta aqui é um pouco de
sombra, que poderia ser facilmente conseguida com uma prancha de madeira afixada em uma
lateral da casa.

Se você está montando várias correntes, tenha certeza de que as pontas de cada corrente (no
ponto mais próximo entre cada área) não esteja mais perto que quatro pés de distância, talvez
mais longe para cachorros grandes. Nós montamos nossas correntes de filhote um pouco mais
próximas de forma que os filhote de cachorro recém encoleirados podem tocar os narizes e
podem brincas juntos um pouco. Minimiza a tensão de ser acorrentado, nós achamos, mas se
você faz isto tenha certeza que as áreas de corrente não sejam tão próximas que os filhotes
possam se enroscar ao redor um do outro. Isto poderia fazer que um ou ambos filhotes sejam
estrangulados, ou os filhotes podem atacar um ao outro em um momento de pânico.

Podem ser necessárias duas pessoas para enterrar o eixo, um para segurar a ponta do eixo e o
outro para bater em cima. Ponha a ponta do eixo passando pelo anel, levante o eixo tão firme
quanto possível, e bata diretamente no solo. Se você acha que o solo está muito seco você pode
umedecer a área com uma mangueira algumas horas antes.

A menos que o solo seja realmente duro, ou você bata em uma pedra, o eixo deve entrar com
seis ou oito golpes pesados. Tenha certeza de que o eixo está firmemente fixo no solo; você não
deverá conseguir abalá-lo. Se você bater em alguma pedra, você poderá tentar batendo com
muita força e às vezes você pode atravessar, ou você poderá precisar tentar em um ponto
diferente.

Deixe aproximadamente seis a oito polegadas da ponta do eixo exposto, a menos que você
planeje enterrá-lo. Se você o bate muito perto do solo o cachorro pode se enroscar mais
facilmente, se a sujeira se acumular ao redor do eixo. Você precisará limpar a área
completamente antes de você pôr o cachorro naquele lugar, e em intervalos regulares depois que
ele esteja preso, pois a sujeira tende a ser puxada para o centro do eixo.

Se você está enterrando o eixo, bata nele até que aproximadamente seis polegadas estejam para
fora, então pegue sua pá e cave uma área de algumas polegadas mais larga que a coroa no topo
do eixo, aproximadamente oito ou nove polegadas de profundidade.

Como mencionado acima, é melhor usar mais ou menos um pé de corrente mais pesada na ponta
que você estará enterrando. Enterrar a corrente a encurtará ligeiramente, assim se você já sabe
onde a casinha ou o barril ficarão, estenda a corrente naquela direção antes de você bater o resto
do eixo.

Bata o eixo todo no buraco que você cavou, e tenha certeza que está assentado firmemente. Se
você der um tranco na corrente, o eixo não pode se mover nada. Se o solo é rochoso ou muito
mole e você não pode firmar o jogo de eixo solidamente, você poderia precisar enterrar o eixo
aproximadamente seis polegadas debaixo da superfície e encher o buraco de mistura de
concreto. Precisará de dois ou três dias para secar antes de você colocar o cachorro naquele
lugar.

Cabos de correr

Um cabo de correr envolve um conjunto de corrente - normalmente menor do que se você


estivesse acorrentando um cachorro - que corre ao longo de um cabo de metal pesado. O cabo
quase pode ser tão longo quanto você queira; nós vimos cabos de correr de mais de cem pés!

Há dois tipos diferentes de cabo de correr. Um deles corre ao longo do solo, e o outro corre por
cima da cabeça, normalmente entre duas árvores grandes. O tipo de cabo usado para qualquer
um normalmente é um de meia polegada de diâmetro. Você precisará de quatro presilhas, e para
um cabo sobre-cabeça você precisará de uma chapa de metal industrializada. Um cabo de solo
normalmente passa por um pesado anel 'O' .Tenha certeza de que é o tipo mais espesso que você
pode achar, pelo menos uma meia polegada de espessura, pois o anel se desgastará depressa
pela fricção de ser arrastado ao longo do cabo. Nós vimos um cachorro gastar um anel de meia
polegada até menos de um quarto de polegada em menos de seis meses em um cabo de correr.

O cabo de correr é ancorado em uma ponta e então é puxado tão tenso quanto possível para ser
ancorado na outra ponta. Quando nós montamos cabos no solo, nós usamos a base de uma
árvore em uma ponta e um eixo de carro na outra ponta. Você pode usar dois eixos - ou duas
árvores, no que diz respeito ao assunto. Cabos Sobre-cabeça normalmente são esticados de
árvore para árvore. Escolha árvores grandes, espessas, que não vão dobrar quando você esticar o
cabo e proteja a árvore do cabo de algum modo se você pode, caso contrário o cabo vai cortá-la
com o passar do tempo. Um modo é cortar um pedaço de mangueira de borracha e enfiar isto na
ponta do cabo que vai ser enrolada ao redor da árvore.

Nós usamos duas presilhas de cabo em cada ponta; você precisará de algum tipo de "parada" em
cada ponta do cabo, algo que o anel ou prendedor não pode deslizar por cima. Esta parada deve
ser posicionada de forma que impedirá a corrente do cachorro de alcançar - e possivelmente se
enroscar em redor da árvore ou poste onde está ancorada. Para um cabo sobre-cabeça, uma
braçadeira de cabo extra servirá bem como uma parada, de fato quando você monta o cabo é
uma idéia boa amarrar vários prendedores extras nele e os manter atrás da parada; quando o
prendedor que você está usando desgasta, você pode remover a parada e deslizar um novo para
adiante em vez de ter que retirar o cabo inteiro. O prendedor velho pode ser cortado com
cortadores de parafuso ou uma segueta se possível, ou apenas removido para trás da parada no
outro extremo do cabo. Você pode fazer a mesma coisa com um cabo de solo e pode manter
vários anéis extras atrás de uma de suas paradas.

Cabos sobre-cabeça muito longos deverão ser pendurados mais alto em cada ponta, pois eles
tenderão a abaixar no meio, até mesmo se você os puxar muito apertados. Algumas pessoas
prendem um parafuso pesado em um ou ambos extremos do cabo, e então prendem o parafuso à
árvore ou poste, de forma que eles podem apertar o parafuso para deixar o cabo muito tenso.

Joker, da propriedade de Alex Padilla, em um cabo de correr no chão. Joker é um cruzamento de


Bandit / Gr.Ch. Spike.

Julgue o comprimento de sua corrente pela altura do cabo no ponto mais alto (normalmente as
duas pontas onde você fez as paradas) i.e., se tem oito pés de altura, então a corrente deveria ser
aproximadamente de oito pés de comprimento, talvez um pouco mais longa. Se for muito curta,
o cachorro poderá ser pendurado pelo pescoço se ele vem até ao fim do cabo de correr dele.
Também, tenha certeza de que o cachorro pode entrar na casinha ou barril confortavelmente; se
a corrente é muito pequena, ou a casa é posicionada incorretamente, ele não poderá entrar.

Para um cabo de solo, você precisará ser um pouco mais inventivo criando uma parada, pois o
anel "O" deslizará em cima de uma braçadeira e possivelmente se prenderá nela. Nós tínhamos
um jogo de cabo para um de nossos cachorros que tinha uma ponta ancorada a uma árvore e
uma roda de trator velho amarrada no cabo e preso com braçadeira na ponta do cabo que prende
à árvore. A outra ponta nós ancoramos com um eixo que nós enterramos no solo, de forma que
só o cabo ficava sobre a superfície.

O comprimento do cabo depende da preferência pessoal e também da área onde você estará
fixando o cabo; cabos extremamente longos precisam de um campo grande ou outra área limpa,
pois lá não deve haver nada para o cachorro se enroscar, nem no comprimento da corrente de
ambos os lados, assim para um cabo de cinqüenta pés com uma corrente de seis pés seria
preciso uma área de aproximadamente cinqüenta pés de comprimento e doze pés de largura
mantida limpa. Isto pode não ser prático se seus cachorros são mantidos em uma área
arborizada.

Há um terceiro tipo de conjunto de cabo que nós vimos no quintal de algumas pessoas, não é de
fato um cabo de correr, mas sim um jogo de corrente sobre-cabeça; este pode ser o único
método prático para quem tem limite de espaço e solo que muito rochoso para enterrar um eixo.
O cabo é amarrado por cima entre duas árvores (ou postes) e a corrente presa a ele no ponto
médio com uma braçadeira em uma posição fixa.

Se você está usando um cabo de correr ou uma corrente, você precisará de uma coleira de
amarrar sólida e boa. Nós preferimos fibra sintética a couro para isto porque o couro tem uma
tendência para estirar e partir. Se você usar fibra sintética, tenha certeza que é uma de qualidade
boa, razoavelmente suave e não os materiais frágeis e duros que se parecem com plástico, estes
materiais cortarão o pescoço do cachorro. Procure algo que é pelo menos de uma polegada e
meia de largura e duas camadas de espessura, ou melhor ainda, uma polegada e três quartos até
duas polegadas de largura. Qualquer coisa mais larga que isso será incômoda para o cachorro a
menos que ele seja realmente enorme.

Se você vai usar um grampo de alguma espécie ou anexar sua corrente diretamente à coleira,
tenha certeza de achar uma coleira que tem um pesado anel 'D' no final, depois da fivela, em vez
de costurado dentro da coleira, atrás a fivela. A diferença com o tipo anterior é que você coloca
a língua da coleira através do anel, então a corrente ou grampo estará puxando a coleira inteira,
ao passo que com o costurado, há tensão na coleira toda vez que o cão puxa a corrente dele e
isto pode futuramente causar o rompimento das duas camadas. Nós temos até mesmo escutado
uns casos onde os anéis 'D' dilaceraram e um cão se soltou, embora estivesse com uma coleira
bem feita, o que não deveria acontecer sob qualquer circunstância.

T.E. Scott faz uma coleira muito boa de meia polegada; nós a usamos em cachorros menores e
filhotes meio crescidos, e também as usamos às vezes em cachorros adultos grandes, mas nós
preferimos uma coleira mais larga para um cachorro crescido a menos que ele ou ela sejam
realmente minúsculos. Elas estão disponíveis em varejistas que vendem produtos T.E. Scott, se
você não os achar você poderia ligar para T.E. Scott diretamente para pedir uma lista de
distribuidores em sua área. Nós incluímos no Apêndice UM o endereço deles e telefone, como
também o do distribuidor na Carolina do Norte que tem as coleiras e as enviará por encomenda.

K.V. Vet tem uma coleira que é quase idêntico ao T.E. Scott, exceto o anel de "D" que é
costurado por dentro, não na ponta, e eles usam rebites de metal para os buracos em vez de os
queimar. Nós não gostamos de rebites porque eles tendem a cair e então a coleira desfia ao redor
do buraco a menos que você queime as extremidades. Estas coleiras são razoavelmente baratas,
entretanto, e são coleiras de filhote boas se você prende seus cachorros na coleira por um anel
'O'.

Se você pedir as coleiras T.E. Scott ou o tipo acima, nós recomendaríamos encomendar o
tamanho de dezesseis polegadas para cachorros abaixo de quarenta e cinco libras. Pode
parecer pequeno, mas com os tamanhos maiores a menos que seu cachorro tenha um pescoço
realmente grande, você terá que queimar buracos extras e terá um pedaço grande de coleira
pendurado no fim (a menos que você corte a ponta e a queime) para o cachorro mastigar.
Também, freqüentemente os confira por causa do desgaste. Nós tivemos (em duas ocasiões) as
fivelas de metal quebradas em coleiras muito velhas deste tipo e resultaram em cachorros se
soltando e entrando um acidente de quintal, em uma ocorrência.

As Indústrias Valhoma em Oklahoma fazem uma coleira muito durável de três quartos de
polegada, de duas camadas. Estas são muito usadas para buldogues e elas durarão durante anos.
Nós temos Valhomas que provavelmente são de dez anos ou mais velhas e ainda são bastante
funcionais, e nós nunca tivemos um cachorro que fugiu porque uma partiu.

A coleira que nós estamos usando na maioria de nossos próprios cachorros (e parece melhor que
qualquer outra que nós usamos) é a feita por Sporting Collars em Idaho (veja Apêndice UM). A
coleira tem umas duas polegadas de largura e feita de três camadas de fibra sintética, com as
últimas duas polegadas de apenas duas camadas, o que faz a ponta da coleira mais fácil de entrar
na fivela. A propósito, a própria fivela é de duas polegadas de largura em lugar da tira estreita
habitual de pano ou barra de metal vista na maioria das coleiras. Você tem que queimar seus
próprios buracos nestas coleiras, que são facilmente realizados com um prego aquecido ou um
ferro de solda e deste modo você consegue pôr os buracos onde você os quer. Os colarinhos
possuem várias cores e um padrão de comprimento de vinte e sete polegadas, mas eles farão
menor ou mais longo se for pedido.

Coleiras de uma polegada de largura, de duas camadas, são perfeitos para filhotes de até
aproximadamente trinta libras; algumas pessoas também usarão duas coleiras de uma
polegada em um cachorro crescido em vez de uma coleira maior; se aquela coleira quebrar, há
uma segunda coleira no cachorro. Nós usamos coleiras de três quartos de polegada de largura
para acorrentar filhotes de dez a quinze libras, e então mudamos para uma coleira de uma
polegada quando eles estão um pouco maiores.

Uma gaiola de bom tamanho. O canil é de vinte pés de comprimento, vinte pés de largura, e
seis pés de altura. Note a tábua na entrada à esquerda; esta é para impedir filhotes de correr
para fora quando a porta é aberta.
Nota: na maioria dos casos você não colocaria a casa de cachorro contra a cerca, como visto
na foto; os cães podem usar a casa para escalar para fora da gaiola.

Canis, Gaiolas e Quintais cercados

Como nós já declaramos, nós preferimos uma corrente ou cabo de correr para buldogues, mas
há situações onde um canil ou gaiola são melhores. Por exemplo, obviamente filhotes precisarão
ser mantidos em algum tipo de gaiola. Quando nós nos referimos a um canil, o que nós
queremos dizer é um canil feito de painéis ou cercas de tela de metal. Painéis de tela possuem
uma variedade de formas e tamanhos e podem ser reunidos em quase qualquer configuração.
Canis de tela são fortes, seguros, e bastante fáceis de construir. Por outro lado, eles podem ser
bastante caros.

Canis feitos em casa utilizam algum tipo de cerca, combinado com ou uma armação de madeira
ou postes de cerca de algum tipo. A cerca pode ser de qualquer fábrica de telas como a cerca de
arame de 2 x 4 polegadas comumente chamado em nossa área de tela de "beagle". Para um canil
feito em casa, você terá que construir sua própria porta. Nós vimos alguns canis que eram tão
bem construídas que eles eram realmente superiores a gaiolas de tela, e outros que eram
horrivelmente inadequados; nós nos lembramos de estar uma vez na casa de alguém, e o tempo
inteiro que nós estivemos lá um mordedor de homem grande que deve pesar sessenta ou setenta
libras estava rosnando para nós de dentro de uma cerca de quatro pés de altura, feita do que se
parecia com arame de galinheiro - falo sobre um acidente que espera para acontecer!

Nós mesmos usamos gaiolas feitas com o arame 2 x 4 polegadas mencionado acima e postes de
metal "T" para alojar nossos filhotes, e elas nos serviram bem. Nós tivemos uma que nós
instalamos como uma grande formação de currais feito de rolos de cem pés de arame, e só
recentemente demolimos a gaiola depois de mais de cinco anos de uso. Provavelmente teria
durado mais tempo se nós não tivéssemos usado postes de madeira em alguns lugares em vez de
postes "T", e eles apodreceram debaixo do solo.

Nós também temos um canil de tela de seis pés de altura que mede vinte pés por vinte pés, que
nós usamos como uma gaiola de cria. Esta é construída com dois kits de canil de dez por dez pés
em uma gaiola grande; nós temos algumas gaiolas menores (ainda com seis pés de altura), mas
nós realmente pensamos que vinte por vinte é o tamanho ideal. Nós também temos alguns canis
de quatro pés na mesma configuração (vinte por vinte) que nós usamos como gaiolas de filhote.

Canis ou gaiolas são ideais para criar ninhadas e desenvolver filhotes, e manter doentes ou
feridos. Uma coisa que é muito importante é a superfície da gaiola. Uma laje de concreto
selado hermeticamente é fácil de desinfetar e uma das superfícies mais saudáveis para manter
um cachorro (se bem mantida), mas concreto é caro e pode ser proibido por leis de zoneamento
em algumas áreas residenciais, a menos que você tenha uma licença especial.

Se você está usando um canil que tem menos de seis pés de altura, ou se seu cachorro é um
escalador, você pode precisar pôr um teto no canil. Alguns fabricantes de canil fazem e vendem
estes tetos, ou você pode improvisar por conta própria com algo. Lembre-se de que se você tem
uma gaiola de quatro pés de altura com um teto, vai se tornar um pé no saco se você tiver que
passar qualquer período de tempo dentro da gaiola, (i.e. quando você está limpando), pois você
terá que trabalhar curvado.

Há várias superfícies diferentes que podem ser utilizadas em canis além de concreto; nós
discutimos os detalhes de cada no Capítulo Dezesseis no tópico "Eliminando problemas de
parasitas". A superfície em que você mantém seus cachorros fará uma diferença grande no
modo como é fácil (ou difícil) manter seus cachorros e os livrar de parasitas.

Se o canil ou gaiola que você está usando é utilizado para criar filhotes, nós recomendaríamos
que você compre um canil que tem uma cerca de neve, o que significa que o portão não tem o
comprimento todo do painel, mas sim fixado a um pé de altura do solo, em vez de rente ao solo.
Isto impede os filhotes de correr do canil toda vez que você abra a porta, é chamado de cerca
de neve porque aquele tipo de painel é para uso em áreas que tendem a receber quantidades
grandes de neve, de forma que a porta ainda será fácil de abrir. Se você está construindo uma
gaiola feita em casa, ou usando um canil que não tem esta característica, nós sugerimos que
você ponha no lado de dentro uma tábua na entrada do canil, com um pé ou um pé e meio de
altura para deter os filhotes.

Se você mantém seu buldogue em um quintal cercado, a cerca deve ser de cinco a seis pés de
altura. Muros de pedra ou tijolo, cerca de madeira, e tela são todos bons mas lembre-se de que
alguns buldogues podem escalar quase qualquer cerca - isto é algo que vem à mente assim
como qualquer outra gaiola. Também há a possibilidade de seu cachorro escavar para fora, ou
mastigar através de uma cerca de madeira. Tudo isto depende do cachorro, assim como alguns
cães estão contentes de ficar onde você os pôs, outros farão qualquer coisa que puderem para
escapar da prisão.

Alguns cachorros lutarão contra a cerca de um canil e abrirão caminho com os dentes, tais
cachorros podem precisar ser postos em uma corrente dentro da gaiola. Algumas companhias
de cerca provêem tipos diferentes de tela, como painéis menores com malha de uma polegada
que podem ser úteis em tais casos, pois eles são mais difíceis de um cachorro enfiar a boca. Se
você tem um destruidor de cerca, o cachorro pode estar melhor preso em uma corrente, até
mesmo se você tem que pôr em uma coleira dentro da gaiola e tiver certeza que ele não pode
alcançar as paredes da gaiola. Se você encoleirar um cachorro dentro de uma gaiola sob
outras circunstâncias, sempre tenha certeza de que a corrente pode (no máximo) alcançar as
paredes da gaiola. Se a corrente é muito longa o cachorro pode escalar a cerca e se enforcar.

Uma gaiola feita por T.E. Scott, inc. Esta gaiola é vendida como um kit de partes de metal, você
fornece sua própria mão de obra e constrói de acordo com as instruções incluídas no kit.

Uma visão diferente da gaiola acima, mostrando o telhado basculante da casa de cachorro.

Por outro lado, há buldogues que desenvolvem um hábito muito ruim de atacar a corrente deles,
normalmente apanhando com a boca, arrastando e sacudindo. Freqüentemente um cachorro que
ataca uma corrente não atacará uma cerca, desde que a razão por que estão mordendo a corrente
é de fato que eles estão brincando com ela em lugar de tentar escapar. Se você tem um
mordedor de corrente e você quer impedir o cachorro de perder os dentes, você pode precisar
colocá-lo em uma gaiola ou canil se a tentativa de distraí-lo deste comportamento com
brinquedos não funcionar.

Se você vive em uma área onde roubo é um possível problema, você pode pôr um cadeado na
gaiola ou canil onde você mantém seu cachorro. Isto não é simples, mas desencorajará a todos,
menos o mais determinado ladrão. Também impedirá que outros familiares, amigos, ou vizinhos
deixem sair seu cachorro acidentalmente quando você não está em casa.
Um close da grelha do chão da gaiola. O chão vazado permite que a urina e fezes caiam
através dele.
As tigelas de aço inox e as armações aparafusadas mostradas aqui estão disponíveis na
maioria das companhias de suprimentos para cachorro.

Nós sentimos que possivelmente o melhor método de todos é uma combinação de uma corrente
ou cabo de correr com um canil, gaiola ou quintal cercado; a corrente detém seu cachorro, a
cerca mantém qualquer outra coisa do lado de fora.

A Casa de Cachorro

Ao longo dos anos, nós usamos quase todo tipo de casinha imaginável para nossos cachorros.
Algumas funcionaram muito bem, outras não, e algumas evaporaram sendo usadas pelos
cachorros como brinquedos de mastigar - e estas são bem caras!

Uma casa de cachorro pode ser algo que você compra, ou se você tem à mão madeira, você
pode construir sua própria. Que tipo de casa você usa depende de que parte do país você vive,
por exemplo se você vive no norte você precisará de uma casa super aquecida com uma entrada
pequena, nenhuma abertura, e talvez até mesmo uma porta ou um quebra-vento que o cachorro
tem que atravessar para dentro. Porém se você vive em um clima meridional ou tropical,uma
casa assim não só é desnecessária mas pode ser pelo menos incômoda para o cachorro, e pode
conduzir até mesmo a problemas de saúde por causa da umidade em excesso neste tipo de
clima.

O que um cachorro precisa é de uma casa que lhe dará abrigo do vento e chuva, fique seca por
dentro, mas permita ventilação. Uma casa deve ser livre de aberturas, mas se é construída
vedada ao ar você terá um problema com formação de umidade que pode conduzir a problemas
respiratórios e problemas de pele. Em particular, umidade em uma casa de cachorro tende a
conduzir a um problema com vermes e outras doenças de pele causadas por fungos.

A casa deve ser do tamanho certo para o cachorro que você está pondo nela; idealmente um
cachorro deveria ser capaz de ficar em pé dentro da casa (o telhado deveria ter não mais de seis
ou oito polegadas a mais que a altura do cachorro nos ombros) e se deitar confortavelmente
nela. A casa apenas deveria ser grande o bastante de forma que se o cachorro se deitasse no
centro dela, deve haver aproximadamente três ou quatro polegadas de espaço entre ele e cada
uma das quatro paredes. Nós não recomendamos usar qualquer tipo de fonte de calor em uma
casa de cachorro a menos que você esteja usando a casa para criar, ou você a está usando para
um velho ou debilitado cachorro que não pode manter a própria temperatura do corpo
corretamente. O cachorro aquece bastante bem a casa com o próprio calor do corpo, se ela for
do tamanho certo. Se a casa é muito grande, o cachorro não a poderá manter aquecida.
Uma parede de dupla camada é boa para aquecer, mas apenas deixe um espaço de ar entre as
paredes - não use isolamento de qualquer tipo. Fará a casa muito quente e as paredes casa suarão
criando umidade em excesso, e se o cachorro fica chateado e mastiga o isolamento da casa
(como cachorros são propensos a fazer), particularmente lã de fibra de vidro, pode ser mortal se
comida. Você pode apoiar ou chapa de madeira no lado de fora da casa, certo de que não há
nenhuma extremidade exposta para os cachorros se cortarem.

O chão da casa deve ser suspenso do solo; algumas casas têm pernas embutidas para as
levantar, mas se a casa que você está usando não tem você deverá afastá-la do solo com tijolos
ou tábuas de madeira. Isto manterá o cachorro mais aquecido.

A entrada deve ser fixada a quatro polegadas pelo menos acima do chão da casa, de forma que a
roupa de cama não cairá toda vez que o cachorro entra e sai da casa. Você pode fazer a soleira
da entrada mais alta para segurar mais roupa de cama, se precisar. A própria entrada apenas
deve ser grande p bastante para o cachorro poder entrar e sair confortavelmente da casa, a
menos que você viva em um clima muito quente e neste caso você poderá querer fazer a entrada
maior para melhorar a ventilação. Casas que serão usadas para criar ninhadas devem ter as
entradas fixas de seis a oito polegadas acima do chão, de forma que os filhotes não rastejem ou
caiam para fora da casa quando eles são muito jovens.
É triste, mas muito freqüentemente casas de cachorro são projetadas e são construídos por
pessoas que não têm nenhum conceito do que faz uma casa boa, e isto inclui alguns fabricantes
comerciais. Muitas destas casas são projetadas com o dono em mente no lugar do cachorro, o
que significa que elas são projetadas para se parecer com uma miniatura de casa (humana). O
desenho mais comum parece ser algo que se assemelha à casa de Snoopy no cartoon Peanuts -
uma casa de telhado muito longo, com um telhado de madeira alto, posta no solo com uma
entrada rente com o chão e quase grande o bastante para entrar um ônibus. Pode parecer
agradável, mas não é muito funcional.

Uma casa Dogloo que tem uma entrada elevada construída com duas peças de corte manual
para a forma da entrada existente e fixas dos dois lados.

Para nossos cachorros, nós preferimos uma casa com um telhado plano que se inclina
ligeiramente para a parte de trás da casa para drenagem em lugar de um telhado de madeira, pois
muitos cachorros gostam de poder dormir em cima das casas deles. Nós gostamos de uma casa
com um telhado dobrável ou removível que facilita a limpeza. O telhado ou deveria se pender
ao corpo da casa por pelo menos quatro a seis polegadas em todos os lados ou ter uma armação
de madeira de 2 x 2 ou 2 x 4 com a qual qualquer um encaixa o topo da casa quando o telhado
está no lugar, ou ajusta dentro do telhado fechado para evitar aberturas e chuva que entram pela
extremidade do telhado e os topos das quatro paredes.

Nós gostamos de ver uma casa que tem um telhado com grande varanda à frente, para proteger
da chuva que entra na porta, mas são projetadas muitas casas de forma que as frentes se ajustam
rente a um lado de um canil de tela (de forma que você pode colocá-la do lado de fora e pode
cortar um buraco na cerca para fazer a entrada) e assim estas casas não têm varanda.

Nós usamos uma variedade de casas de cachorro construídas, como também vários modelos
comerciais. A casa T.E. Scott é uma muito boa, nós temos algumas delas e planejamos comprar
algumas mais; a única coisa é que elas são projetadas principalmente como uma casa de ninhada
e então são um pouco grandes. Nós também temos uma casa de parede dupla, revestidas de
metal, vendidas por Foster e Smith e gostamos muito; esta é uma casa que parece boa, é fácil de
manter, e desencoraja a todos, menos o mais determinado mastigador. Nós teríamos mais destas
casas, mas não é financeiramente possível sair e comprar para cada um de nossos setenta
cachorros uma casa de duzentos dólares.

Nós também tentamos a casa imitação de "cabana de troncos" e não recomendaríamos este
modelo; nós compramos o uma porque estava à venda em nossa loja de alimentos local como
um artigo de liquidação. Elas são construídas de vários painéis atarraxados e quando a casa é
montada, aparecem buracos pequenos que permitem entrada de água e correntes de ar.

Nós também compramos algumas casas de cachorro de duas peças de plástico, comumente
vendidas em lojas de departamentos como Wal-Mart e algumas lojas de animais; estas são casas
muito boas com exceção de um problema; eles têm cantos proeminentes que sobressaem no
meio onde as duas partes são unidas. Cachorros parecem ser atraídos para estes cantos como um
imã, e uma vez que eles os mastigaram a chuva escorre pelo lado da casa e cai diretamente nos
buracos dos cantos.

As casas vermelhas e brancas tipo "Barn" são feitas de um plástico mais pesado e muito bem-
construídas, mas eles têm pequenas venezianas de plástico (para ventilação) e presilhas de
plástico para prender o topo ao fundo. Uma vez mais, cachorros não parecem resistir a
qualquer coisa assim e nós ainda estamos tentando localizar as presilhas de plástico e as
venezianas das que nós temos!

O último modelo que nós experimentamos é a Dogloo, e nós gostamos delas. Nós vacilamos por
muito tempo em adquirir estas casas porque as entradas delas são umas das piores e são muito
rentes com o chão. Nós imaginamos que não havia nenhuma roupa de cama que ficaria lá
dentro, e quando nós adquirimos a primeira casa e a demos a um cachorro,

nós descobrimos realmente toda a roupa de cama fora da casa na manhã seguinte. Naquele
tempo um amigo nosso nos enviou algumas fotografias do quintal dele entre as quais vários
cachorros que tinham casa Dogloo que tinha sido modificada com uma armação de madeira que
suspendeu a entrada. Nós modificamos a que nós tínhamos de maneira semelhante (não tão boa
quanto as casas de nosso amigo, mas adequada) e nós agora temos algumas delas para os nossos
cachorros maiores.

A Dogloo tem uma entrada estendida para manter o vento do lado de fora, o desenho é muito
quente, e elas não podem ser espetadas por cima como algumas casas de plástico. Por outro
lado, elas tendem a suar um pouco no lado de dentro (confira a roupa de cama pela umidade) e
você não pode apoiar uma folha de madeira contra elas para sombrear por causa da forma
incomum.

Dogloos e outras casas comerciais normalmente vêm com (ou tem disponível como um
acessório) portas de painéis de borracha ou plástico. Nós, contudo, ainda não tivemos um
buldogue que não comeria algo assim. A casa T.E. Scott vem com portas de metal que o
cachorro empurra para abrir com o nariz dele; estas podem ser realmente úteis em tempo
muito frio, se seus cachorros são mantidos em gaiolas e usarão as portas, mas um cachorro em
uma corrente terá a coleira dele provavelmente pendurada no fundo da entrada quando a porta
fechar.

As casas Foster & Smith vêm com as mesmas portas de metal opcionais, ou uma porta de lona.
Uma porta de lona não causaria problema com a coleira de um cachorro, se o cachorro não a
rasgar. Nós conhecemos pessoas que usam lona, carpete, ou outro material como painel de
porta durante o inverno, e uma vez mais se os cachorros não tentam mastigar o material, este
realmente pode ajudar a manter os cachorros mais aquecidos cortando as correntes de ar.

O último tipo de casa de cachorro que nós mencionaremos é freqüentemente usado para
buldogues, o tambor de cinqüenta e cinco galões. Estes podem ser de plástico ou metal; nós
não gostamos dos de metal pessoalmente porque eles são mais difíceis de abrir buracos, mais
frios no inverno, e eventualmente enferrujam, mas se você tem um cachorro que mastiga casas
eles podem ser a melhor escolha. Inspecione as leis locais em sua área antes de você montar
casas de barril; As Sociedades Humanitárias encorajaram legislações em algumas áreas que
proíbem o uso de um tambor de plástico ou metal como casa de cachorro. Por que eles fizeram
isto não faz nenhum sentido, pois uma casa de barril corretamente construída pode ser superior
à maioria das casas comerciais.

Uma casa de cachorro de barril feita com o kit K-9 Kondo. O kit também vem com presilhas
para acrescentar um telhado de madeira, mas não foi utilizado para esta casa. A entrada é um
pouco maior do que nós normalmente gostamos, mas projetada para ser usada com a porta
basculante que é mostrada aqui presa na posição aberta.

O finado E.J. Hollingsworth tinha os melhores barris de metal que nós já vimos; eles
estavam montados em postes de madeira, tinham uma entrada muito bem feita,
cortada na frente com uma tábua de madeira ao longo do lado mais baixo, e uma
proteção de metal em cima da entrada para manter chuva e vento do lado de fora.
Eles também tinham buracos de drenagem muito pequenos, perfurados ao longo do
fundo. Se você usa barris de metal, mantenha muita roupa de cama neles durante o
inverno, assim os cachorros não estarão dormindo sobre metal descoberto.

Barris de plástico são baratos, fáceis cortar um buraco na entrada, e fazem uma casa de
cachorro aquecida e agradável. O plástico usado é mais espesso e pesado que o usado em
casas de plástico, o que significa que eles são mais difíceis de mastigar, embora ainda não
sejam à prova de mastigação. Se você cortou a entrada de tamanho adequado e montou o barril
de forma que ele não possa rolar (um poste que o eleva do solo um pouco é perfeito), então o
encheu de muita roupa de cama limpa e seca, um barril está tão aquecido e confortável quanto
a mais bem feita casa de cachorro.

O barril precisará ser ancorado de alguma maneira; os modos para fazer isto incluem um
bloco de cimento grande enterrado de cada lado do barril, uma armação ou berço de madeira,
ou uma caixa feita de tábuas de oito ou dez polegadas pregadas ao redor do barril. Nós
também vimos casas de cachorro construídas ao redor de barris, ou feitas de forma que um
barril pode ser deslizado na frente, ou com um telhado removível de forma que o barril pode
ser retirado pelo topo.

Nós temos um amigo que derramou concreto em cima dos barris dele ou arrastou pilhas de terra
em cima deles de forma que eles se assemelham a formigueiros gigantes (exceto pela abertura
de lado em vez de topo, é claro) Se você faz isto, tenha certeza de que a entrada cortada no
barril é um pouco maior do que você normalmente cortaria, para permitir troca de ar suficiente
(esta será uma casa muito aquecida e confortável) e facilitar a limpeza fácil e rápida de roupa de
cama, uma vez que você não poderá mover o barril de jeito nenhum.

Também há uma companhia que faz e vende um kit chamado K-9 Kondo. O kit
consiste em presilhas de metal e pernas para fazer um deck para um barril de
plástico, um segundo jogo de presilhas que podem ser usados para prender um
pedaço de madeira ao topo do barril para fazer um telhado, um toldo de metal
pequeno para cobrir as aberturas de ventilação na parte de trás do barril, e uma
frente para o barril que tem uma grande marquise e uma porta basculante. A porta é
projetada em uma dobradiça flutuante de forma que não pode prender uma corrente
de tamanho comum, mas a porta também pode ser travada uma posição aberta. Nós
incluímos uma fotografia de uma destas casas (que foi enviada para nós como
presente por nosso amigo Alex P. na Califórnia) e o endereço da companhia foi
listado no Apêndice UM.

Outra consideração é que tipo de roupa de cama usar. Todos os tipos possuem atributos
positivos e negativos. Feno ou palha é bastante fácil de adquirir e fazem um ninho aquecido,
mas normalmente juntam todos os tipos de mofo e fungos, que podem causar problemas
respiratórios. Também é uma base perfeita para criação de pulgas. Palha também tende ser
retirada da casa de cachorro ou barril e nós tivemos cachorros enroscados nas correntes deles
por causa disto.

Serragem de pinheiro é algo que está ficando mais popular, pelo menos aqui no sul você vê
vender muito. Não é de fato nenhuma palha, mas fibras de pinheiro suaves e bastante longas. É
um pouco mais fácil de trabalhar que palha, mas não tão absorvente. Outro tipo de roupa de
cama que é uma coisa disponível regionalmente é casca de algodão. Você não as achará fora
do sudeste dos Estados Unidos, e mesmo aqui você pode adquirir estes materiais apenas em
certos períodos do ano. É um subproduto do processamento de algodão que você às vezes pode
conseguir em moinhos de alimento (é usado como um volumoso em alimento de gado) e
consiste em pequenos fragmentos de casca de algodão com um pouco de algodão preso.

Cascas de algodão são muito aquecidas como roupa de cama, cachorros tendem a comê-los na
primeira vez em que você os usa, mas eles apenas atravessam os sistemas deles e realmente não
fazem dano. Eles moldam um ninho confortável e agradável em uma casa como num barril.
Esteja seguro de adquirir cascas frescas, não cascas que ficam úmidas ou foram resto da estação
anterior; quando elas envelhecem e ficam moídas, ficam muito sujas e não devem ser usadas.

Também, confira freqüentemente sua roupa de cama quando você usa cacas; eles absorverão
muito bem umidade, mas o que tende a acontecer é que quando a água entrou na casa, i.e. por
causa da chuva, pés molhados de cachorros, etc., a superfície da roupa de cama parecerá seca,
mas estará molhada por baixo. Por isto, elas não são muito boas para usar com cadelas que
criam ninhadas de filhotes. Nós usamos cascas de algodão no inverno, nós misturamos
aproximadamente duas partes de casca de algodão para uma parte de serragem de cedro ou
pinheiro.

Serragem de cedro ou pinheiro é uma roupa de cama agradável para casa de cachorro, cedro tem
um cheiro agradável em particular e deve ter alguma atividade repelente contra pulgas e outros
insetos. Esteja seguro de mudar freqüentemente a serragem em casas de cadelas amamentando,
pois serragem úmida e suja permitirá que bactérias prejudiciais cresçam, o que pode conduzir a
mastite em cadelas e infecções em filhotes.

Serragem de cedro tende a ser um pouco mais caro que pinheiro, qualquer tipo normalmente
pode ser comprado economicamente em um saco grande de papel ou plástico comprimido em
um fardo. Algumas marcas são melhores que outras; marcas especificamente empacotadas para
uso como roupa de cama de animais têm serragem geralmente mais suave e mais limpa
considerando que alguns tipos que nós compramos ou eram quase serragem ou grandes lascas
de madeira.

Tábuas de compensado usadas como sombra sobre casas de cachorro feitas de barris de
plástico.

Mantas ou camas de cachorro de pano são excelentes - se você tiver um cachorro que não os
comerá! Muitos as rasgarão, e pode ser letal se eles mastigam uma manta e engolem pedaços.
Também, qualquer coisa assim está sujeita a os enroscar se eles estão em uma corrente e tiram
os panos da casa. Jornal rasgado é roupa de cama muito higiênica para uma cadela com filhotes
(se trocada freqüentemente), mas usado ao ar livre, alguns invariavelmente sairão da casa e
serão soprados de seu quintal por toda parte. Não é nenhum modo adequado de manter um
cachorro aquecido.

Pelo inverno, nós gostamos de manter as casas de nossos cachorros ou barris cheios de roupa de
cama seca e morna. Pelo verão, nós só limpamos periodicamente o pó ou lama para fora das
casas e substituímos com uma camada limpa de serragem de cedro com um pouco pó Sevin
misturado para controle de pulgas.

Cuidados com o Quintal


Uma vez que você tem seu cachorro preso em uma corrente boa (ou cabo, ou oura coisa) e ele
tem uma casa aquecida e agradável, ainda há várias coisas para considerar - para iniciantes,
recipientes de comida e água. Nós gostamos de usar tigelas de água de aço inoxidável de 10
quartos (o tamanho maior que nós poderíamos achar) inoxidáveis para a maioria dos nossos
cachorros. Nós usamos panelas de 18 quartos galvanizadas no passado, eles custam em torno de
um terço das panelas de aço inoxidável, mas parecem ter um período de vida de cerca de um
ano mais ou menos antes de elas começarem a enferrujar, considerando que as panelas de aço
inox durarão por toda a vida.

Para cachorros que são derramadores de água ou mordedores de panela, usamos tambores de
plástico cortado até um terço. Isto acumula aproximadamente quinze ou vinte galões de água e é
muito pesado para a maioria dos cachorros derrubar, entretanto alguns ainda conseguirão.
Alguns criadores não gostam de usar os recipientes de água de barril porque a água não é
trocada muito freqüentemente, mas ter água menos fresca é uma escolha melhor que ter um
cachorro derrubando a água dele e morrendo de prostração de calor em um dia quente. Nós
tentamos mudar nossos barris de água tão freqüentemente quanto possível, especialmente pelos
meses de verão, pois não só as algas e bactérias crescem mais depressa, mas larvas de mosquito
chocarão nos recipientes se a água não é trocada freqüentemente.

Outros recipientes de água bons que nós vimos usar foram panelas e bacias galvanizadas -
apenas se lembre de que estes enferrujarão eventualmente e terão que ser substituídos, como
mencionado acima. Nós vimos tigelas de concreto pré-fabricadas muito agradáveis, e algumas
pessoas também usam banheiras velhas como recipientes de água. Também são usados baldes
de água de três ou cinco galões como recipientes de água, os quais são bons apenas se o
cachorro não for um mastigador. Se um cachorro mastiga um recipiente e engole pedaços, o
plástico pode se hospedar no intestino dele e o pode matar. Recipientes de plástico comumente
vendidos em lojas de animais e lojas de departamentos como tigelas de água para cachorro são
destruídos facilmente. Tigelas de plástico também tendem a ficar mais difíceis de limpar uma
vez que elas ficam um pouco usadas e arranham.

Qualquer recipiente de água que nós usamos, nós mudamos freqüentemente a água e damos
para as panelas uma esfregada completo com uma escova de plástico. Recipientes em gaiolas de
filhotes devem ser trocados pelo menos uma vez ou duas por dia por causa da tendência do
filhote para derrubar pedaços de comida na água. Isto conduz depressa ao crescimento
bacteriano. Alguns cachorros machos podem precisar de um tambor de plástico cortado na
altura do ombro (o ombro do cachorro, não seu, claro!) porque eles erguem a perna deles e
urinam em recipientes de água menores.

Nós não damos a nossos cães adultos tigelas de comida porque nós achamos que
aproximadamente noventa por cento das tigelas acabam sendo jogadas, arrastadas em redor pela
corrente do cachorro, ou enroscado ao redor do eixo da corrente. Há buldogues que mastigam
uma tigela - até mesmo uma de metal ou concreto - e arruínam os dentes deles fazendo isso.
Alguns de nossos cachorros não vão nem mesmo comer de um prato se você lhes dá um, eles
baterão a comida para fora da tigela com a pata deles e então comerão no chão. Tigelas de
concreto são uma escolha boa se você quer que seus cachorros tenham recipientes de comida,
pois elas são pesadas o bastante para ficar no lugar onde você pôs e os cachorros não as podem
destruir.

Nós conhecemos criadores que mantêm um número grande de cachorros e usam tigelas de
comida, um amigo nosso dá toda a comida dos cachorros dele em tigelas na hora de alimentar, e
então recolhe tudo das tigelas quando os cachorros acabam até a próxima refeição. Nós mesmos
mantemos tigelas que nós usamos quando nós temos tempo chuvoso ao extremo ou neve
profunda, e claro que nossos filhotes sempre têm tigelas.

Você pode notar que nós continuamos nos referindo a cachorros que mastigam coisas, atacam
coisas e brincam com coisas. Cães confinados de qualquer raça tendem a ser chateados, e
buldogues são em particular cachorros muito ativos, brincalhões. Se você tenta proporcionar
para o cachorro brinquedos seguros, como cascos de vaca, ossos de perna de vaca, etc., eles
ficarão muito mais contentes e menos animados para destruir coisas, mas há alguns buldogues
que são tão ativos que eles apenas destroem coisas, não importa o que você faça.

Nós temos um ou dois cachorros que habitualmente rolam os barris deles abaixo em colinas,
esvaziam a água deles, mastigam árvores e desenterram raízes. Um recipiente de água de barril
cortado, e um barril amarrado a um poste (ou até mesmo um de metal, que é mais pesado) farão
seu trabalho um pouco mais fácil com tal cão.

Água deve ser renovada ou pelo menos deve ser conferida e abastecida diariamente. No calor
extremo do verão, nós conferimos a água de nossos cachorros várias vezes ao longo do dia. Até
mesmo algumas horas sem água em um dia de 45º C podem ser letais. Durante o inverno, você
precisará quebrar o gelo, ou melhor ainda, verter um pouco de água quente em cima para
derreter pelo menos uma vez por dia de forma que seu cachorro possa beber. Eventualmente a
tigela ficará cheia na beirada com gelo e você terá que esvaziar os pedaços de gelo, o que é
outra razão pela qual as tigelas de metal são úteis; plástico fica frágil quando congelado e racha.

Limpe o seu quintal tão freqüentemente quanto você é capaz. Quanto mais limpo seu quintal é,
menos problemas você terá com parasitas internos e moscas. Exatamente a freqüência com que
você recolhe o esterco de seus cachorros depende de quantos cachorros você tem e sua situação
individual. Quando nós mesmos tínhamos um quintal menor, nós recolhíamos duas ou três
vezes por dia; agora, com mais de setenta cães, aquilo apenas não é possível, mas nós ainda
tentamos pelo menos limpar todo o esterco diariamente para longe de cada cachorro em uma
pilha na extremidade da área deles, a qual nós podemos apanhar com uma pá e carrinho de mão
de vez em quando.

Inspecione todas as suas ligações de corrente em uma freqüência regular, até mesmo se você
tem que levar os cachorros para fora das áreas deles. Lugares-chave para conferir são cada ponta
de seus conectores onde eles esfregam contra o rolamento e o anel, as pontas do rolamento e o
parafuso de centro. Quando um rolamento começa agastar, terá um espaço maior entre as duas
metades porque os dois parafusos soldados, e os lugares onde eles esfregam contra o rolamento
se desgastam. Confira a própria corrente, a área que é provável desgastar primeiro fica
aproximadamente a dois ou três pés abaixo do pescoço dos cachorros, onde se arrastam mais
contra o solo.

Tenha certeza de que o eixo está bem firme no solo, e se você tem eixos enterrados no solo, faça
um ponto de cavar ao redor deles e conferir a corrente debaixo do solo. Por causa da umidade
no solo, tenderá a corroer um pouco, é por isso que mais cedo neste capítulo nós recomendamos
um pedaço de corrente mais pesada na ponta que você vai enterrar.

Corte qualquer raiz e toco que o cachorro desenterra porque ele ficará enroscado em tais coisas
se ele está em uma corrente. Também faça um ponto de remover qualquer ramo ou moita que
existem na área dele, pela mesma razão. Se você não tem seus eixos enterrados, tenha certeza de
remover qualquer pedra fora da área de seu cachorro e arraste qualquer pilha de sujeira solta que
acumule ao redor do eixo dele.

Todas as coisas acima podem causar problemas, com seu cachorro enroscado em volta do eixo
dele ou preso. Ao menos, você terá um cachorro muito infeliz, e não é nenhuma diversão ser
acordado às duas da manhã com um cachorro latindo e rolando em seus bosques e ter que
marchar lá fora em seu pijama com uma lanterna para o livrar! Se seu cachorro fica preso
durante várias horas e ninguém o livra de lá, ele pode gelar até a morte em uma noite de inverno
ou pode morrer de insolação em um dia de verão.

Outras coisas para conferir periodicamente são a roupa de cama na casa ou barril (tenha certeza
de que está seca) e a própria casa, tenha certeza de que o cachorro não mastigou nada e deixou
lascas perigosas ou pontas soltas que sobressaem, e conserte qualquer coisa assim que você
encontra. Casas de madeira repintadas de poucos em poucos anos com uma pintura de qualidade
as farão durar mais tempo.

Se você tem cachorros que gostam de mastigar casas, árvores, etc., há um produto que nós já
mencionamos uma vez no Capítulo Onze, a Maçã Amarga que funciona muito bem intimidando
a maioria dos cachorros a mastigar. Para casas e outras estruturas ao ar livre nós usamos Maçã
Amarga para cavalos, que entram em um pulverizador de 32 onças ou um jarro de um galão.
Ficará muito tempo na superfície, até mesmo depois da chuva, mas você precisará reaplicar o
produto periodicamente.

Em tempo quente, você precisará ter certeza de que todos os cachorros têm alguma fonte de
sombra, e se não há sombra natural onde eles são encoleirados ou cercados você precisará criar
sombra de alguma maneira. Nós usamos folhas inteiras de madeira de 3/4 de polegada em nosso
quintal, nós os apoiamos contra um dos lados de nossas casas de cachorro e barris. Se as tábuas
tendem a deslizar um pouco nós cavamos uma trincheira de quatro pés de comprimento para a
extremidade do solo ficar fixa. Nós colocamos os recipientes de água debaixo da tábua, se nós
pudermos, de forma que esta ficará fria. Uma folha de madeira cria sombra muito boa e os
cachorros também gostam de correr para cima e se deitar lá.

Para canis de tela e gaiolas, há sombras especiais disponíveis que são feitas de malha de
plástico. Elas permitem o ar circular e a água atravessar, mas elas bloqueiam setenta por cento
dos raios do sol. Ter uma sombra em cima de um canil tem o benefício somado de pôr um teto
por cima de forma que o cachorro não pode escalar para fora. Nós incluímos os nomes de alguns
fabricantes de sombra para canil no término deste livro.

Em nossas próprias gaiolas de criação de vinte por vinte pés, nós temos um lado inteiro (o lado
sul onde o sol brilha mais quente) coberto com estas sombras, mais o topo inteiro e parte do
lado oeste. A sombra para o topo teve que ser feita por encomenda, mas definitivamente foi um
investimento sábio pois permitiu usar esta gaiola no verão para cadelas com filhote,
considerando que no passado nós tínhamos que deixar de usá-la nos meses de verão por causa
do intenso calor do sol.

Podem ser construídos outros tipos de sombra, inclusive sombras feitas de dois postes fixados
na vertical com uma chapa de madeira pregado no topo, várias estruturas triangulares ou caixas
feitas de madeira, ou até mesmo portas de madeira velhas apoiadas contra a casa de seu
cachorro ou barril.

Com qualquer tipo de sombra que você monta para seu cachorro, ou qualquer coisa que você faz
na área dele, sempre tenha um momento (especialmente se ele está em uma corrente ou cabo)
para parar e dar uma olhada cuidadosamente e tentar pensar na coisa mais louca, mais estúpida
que seu cachorro poderia possivelmente fazer - então organize as coisas de forma que ele não
possa. não deve haver nada em que ele possa enroscar a corrente dele, nenhuma extremidade
afiada, e nada que ele pode enrolar em redor. Nós construímos uma vez uma sombra que
consistia em dois postes verticais com várias placas grandes pregadas no topo; isto trouxe uma
grande sombra, mas nós não deixamos buracos pequenos entre as tábuas e nós tivemos vários
cachorros com as correntes deles presas entre elas e pendurados ao topo da sombra. Este é um
exemplo do tipo de coisa para inspecionar.

Nós já fizemos sombras de uma folha de madeira pregada aos topos de dois cavaletes de
madeira para nossos filhotes, isto funciona bem para uma gaiola, mas se um cachorro está em
uma corrente ele se enrolará provavelmente ao redor das pernas de um dos cavaletes e ficará
enroscado. Com sombras feitas de objetos pesados, como as acima mencionadas portas de
madeira (nós também vimos carros velhos e cabinas de caminhão usados), tenha certeza de que
o cachorro não pode arrastar o objeto sobre si.

Em extremos de temperatura, nós tentamos fazer um ponto de ficar fora do quintal de cachorros
exceto quando nós estamos conferindo ou alimentando os cachorros. Os cachorros sairão e
correrão ao redor de você quando eles o vêem, e sob chuva ou gelo eles ficam muito melhores
dentro das casinhas deles.

No verão, durante o calor do dia, tente não trazer pessoas no quintal, mover cães de um lado pra
outro, acasalar cachorros, etc; faça estas coisas de manhã cedo ou à noite depois que esfriar um
pouco. Você quer que os cachorros fiquem na sombra e descansem; de qualquer maneira, correr
debaixo do sol quente não será bom para eles.

Nós sempre tentamos não deixar nosso quintal por mais de duas de horas em dias quentes, e um
de nós sai e discretamente caminha pelo quintal e confere se há cachorros enroscados, tigelas de
água vazias, etc. de poucas em poucas horas ao longo do dia.

Cachorros latindo podem apresentar um problema, dependendo de onde você vive. Nós vivemos
bastante isolados em uma área rural, mas nós ainda tentamos manter nossos cachorros tão
quietos quanto possível. Claro que, na hora de alimentar ou quando você está movendo
cachorros, seus cachorros vão começar indiferentemente um distúrbio. tendo isto em mente,
tente alimentar e fazer outras coisas em seu quintal quando os vizinhos estão menos prováveis
de ficar aborrecidos e reclamar - por exemplo, não às onze da noite! Ter cachorros que latem à
noite ou muito cedo de manhã normalmente é um dos modos mais rápidos de ganhar uma visita
do controle de animal por causa das reclamações de ruído.

Se você mora na cidade e está tendo um problema ruim com reclamações de cachorro latindo,
você pode ter que recorrer a medidas extremas. Algumas pessoas borrifam os cachorros deles
com uma mangueira de água quando eles latem para os intimidar. Ernest Hollingsworth viveu
em uma área densamente povoada (com mais de trinta cachorros sobre um acre de quintal e
outras casas em todos os lados do quintal dele) e ele levava uma pistola de espoleta com ele no
quintal e atirava nos cachorros que latiam. Quando nós compramos a maioria dos cachorros de
Mr. Hollingsworth, a coisa agradável era que quando os cachorros começavam a latir por
alguma razão, tudo que você tinha que fazer era sair e atirar um rojão no ar e havia silêncio
completo e absoluto de repente.

Nós conhecemos algumas pessoas que recorreram até mesmo ao uso de coleiras de treinamento
elétricas que dão a um cachorro um choque moderado quando eles latem; as coleiras são um
pouco caras, e nós mesmos odiaríamos ter que fazer isso a um cachorro, mas é normalmente
efetivo, e definitivamente muito melhor que ser desapropriado de sua casa ou ter que se livrar de
seus cachorros.
Para controle de odor no quintal, recolha tão freqüentemente quanto você pode suas pilhas de
esterco, se você tem uma, para longe dos cachorros. Se você não tem um quintal grande você
pode empacotar o esterco em sacos de lixo ou pode tentar usar um desses digestores; o que eles
são de fato é um mini tanque séptico, e eles só têm a capacidade para eliminar as fezes de dois
ou três cachorros no máximo.
Alvejante é o melhor desinfetante para usar ao ar livre, até onde vai a efetividade de custo, mas
corroerá o metal com o passar do tempo, assim evite borrifar diretamente sobre painéis tela,
tigelas de alumínio, etc., a menos que você enxágüe completamente depois. Nós usamos um
desses pulverizadores químicos que prendem na ponta de uma mangueira de jardim e
automaticamente dilui a substância química para a quantia correta com água da mangueira (ela
tem um dosador para fixar a concentração exigida de substância química para borrifar) e nós a
enchemos de alvejante e fixamos o dosador para oito onças por galão.

Você pode borrifar a solução de água e alvejante então em gaiolas de filhote e áreas de corrente,
como também usar em madeira nua, barris de plástico, etc. ajudará a controlar o pó, eliminar
odores de urina e outros cheiros desagradáveis, e ajudar o controle de parasitas. Melhor de tudo,
o alvejante quebra quando exposto ao ar e luz solar, assim será seguro repor os filhotes na gaiola
(ou o cachorro de volta na corrente) dentro de algumas horas.

Nós também usamos cal para controle de odor; nós esparramamos uma camada disto debaixo
das grelhas do chão de 4 gaiolas T.E. Scott e isto ajuda a minimizar odores de urina e resíduo
sólido. Você pode limpar fezes cuidadosamente debaixo da gaiola sem retirar a cal. Nós não
recomendaríamos cal pulverizada, pois é muito fina e pode irritar os olhos de seus cachorros
seriamente e também as vias respiratórias.

Um programa para tratar e prevenir parasitas internos e externos é uma parte importante de
cuidado do quintal; estes tópicos são abordados nos Capítulos Dezesseis e Dezessete,
respectivamente. Também é abordado no Capítulo Dezessete o controle de moscas.

Nós livramos de vermes nossos cachorros adultos e filhotes mais velhos com Ivermectin uma
vez por mês, o que também protege contra infecção de vermes de coração. Os cachorros adultos
são vacinados anualmente contra Destempero, Hepatites, Leptospirose, Parainfluenza, e
Parvovirus, e nós temos nosso veterinário vacinando contra Hidrofobia uma vez por ano (a cada
três anos para adultos previamente vacinados). Nós observamos adequadamente os sinais de
lombrigas e vermifugamos nossos cachorros; se nós tivemos um problema de pulga no quintal
nós daremos Droncit a todos os cachorros depois que nós nos livramos das pulgas.

Nós observamos cada cachorro com sinais de problemas de saúde ou danos na hora de alimentar
todos os dias, e imediatamente tratamos qualquer problema que nós encontramos.
Ocasionalmente alguns cachorros nossos precisarão de glândulas anais esvaziadas, ou as orelhas
limpas, ou unhas aparadas se eles estão em gaiolas ou são cachorros preguiçosos, inativos. Dica:
observe cachorros que tiveram uma perna quebrada, danos de músculo ou de tendão bem de
perto; estes cachorros podem não pôr o peso deles no membro danificado e assim podem
precisar das unhas aparadas naquela perna.

Por causa de comida deixada pelos cachorros, você pode ter um problema com ratos e
camundongos; ratos podem se tornar em particular um grande problema se não controlado; eles
infestarão seu quintal, cavarão túneis debaixo de seus edifícios e outras estruturas, mastigarão a
madeira, isolamento e cabos, e esparramarão doenças. Eles também causarão muitos latidos
noturnos em seu quintal pois eles são animais basicamente noturnos. De fato, se você está vendo
ratos durante o dia isto significa que o problema já está fora de controle.

Nós mesmos nos recuperamos de um problema com ratos há alguns anos, e no princípio nós
tivemos medo de usar veneno por causa do medo de que isto atingiria nossos cachorros se eles
comessem ratos envenenados. Nosso controle de rato foi limitado a colocar armadilhas ao longo
do quintal e "expedições de caça" com espingardas de chumbinho. O método anterior era
desagradável como também dava nos nervos (essas armadilhas podem quebrar seus dedos se
elas disparam enquanto você está armando) e o método posterior não era particularmente
eficiente; ratos são animais inteligentes e chegaram a ponto de que se nós atirássemos com uma
espingarda de chumbinho uma vez, todos os ratos desapareciam pelo resto do dia.

Hammond‟s Charmaine, filha de Man Dog e Tess.

Schoolboy‟s Big Red, venceu uma e perdeu um jogo pesado. Filho de Ch. Bill e vários outros
vencedores, Big Red é do cruzamento de Jeep / Miss Rage por parte de pai e Red Boy por parte
de mãe. Agora é da propriedade de Raging Bull Kennels em Nova York.

Jungle Jim‟s Coco, vencedor de uma luta filho de Garner‟s Earl (Ch. Chinaman / Spider Bitem)
cruzado com uma cadela voltada de Garner‟s Paddy.
Garner's Ronnie, uma velha filha de jogo de Ch. Honeybunch ROM e uma especialista em
pegar ratos.

Nós conversamos com nosso veterinário sobre veneno, e ele disse que a quantidade de veneno
necessária para matar um rato é muito, muito menor que para matar um cachorro, então
qualquer perigo viria dos cachorros comerem a isca diretamente, não um rato envenenado. A
chave é manter a isca onde os cães não podem alcançar, e o fato dos cães estarem confinados
em correntes simplifica tudo.

Nós usamos quase todas as marcas diferentes de veneno de rato; todas funcionam bastante bem
eliminando os ratos, e nós nunca tivemos um cachorro doente. Nós pusemos bolas de isca
debaixo de nosso reboque, debaixo dos buracos de rato, e debaixo de edifícios e pilhas de folhas
em torno de nossa propriedade.

Nós colocamos agora habitualmente iscas nestes lugares, para prevenir uma infestação de ratos
de novo. Não ponha a isca em qualquer lugar perto das áreas dos cachorros, porque os ratos às
vezes arrastam as bolas quando eles acham, e você não quer arriscar que a isca seja arrastada
por um rato ao alcance de um cachorro.

Quando nós nos sentamos e escrevemos esta última seção sobre problemas de rato, isto nos fez
lembrar de algo que nós pensamos que foi um grande exemplo da inteligência do Pit bull
Americano. Quando nós tivemos um problema com ratos, os cachorros sempre os perseguiram,
e nós tínhamos uma cadela velha chamada Garner's Ronnie que fez da missão da vida dela
pegar tantos ratos quantos pôde.

Uma noite, depois que nós alimentamos os cachorros, nós notamos que em vez de comer,
Ronnie estava abaixada de bruços a aproximadamente cinco pés de distância da pilha de
comida. Ela sempre foi uma cadela tímida, e nós não pudemos entender por que ela ficou de
repente com medo de comer, assim nós saímos e observamos de longe por trás a algumas
árvores, desconfiados de que talvez ela estava doente.

Ronnie permaneceu abaixada onde ela estava, e depois de um minuto um rato gordo e grande
emergiu de uma pilha de folhas. Ele deu uma olhada cautelosamente, e então (não vendo
nenhum perigo aparente) rastejou adiante e começou a comer a comida de Ronnie. Num instante
a cachorra esticou os pés e se lançou sobre o rato. Ela o matou com uma mordida, jogou a
alguns pés de distância, e voltou para a posição de "emboscada". Ela matava até três ratos numa
noite com este pequeno truque.

Muitos auto-denominados "peritos de cachorro" declaram que cachorros não são capazes de
pensamento complexo e não podem raciocinar, mas para uma cachorra que normalmente
engoliria a comida dela em vez de deixar de isca para pegar ratos, parece a nós um bom
exemplo de que cachorros são muito mais inteligentes do que algumas pessoas acreditam.

O Bastão de Freio e Como Usa-lo

Um bastão de freio de qualidade é algo essencial para qualquer um que tem buldogues, para ter
e saber usar. Há muita desinformação sobre buldogues, em particular sobre a denominada
mordida travada. O fato é, a mandíbula de um buldogue não trava de fato; eles têm uma
mandíbula muito musculosa, mas a estrutura do esqueleto não é diferente de outra raça - eles
seguram porque eles querem. No que diz respeito ao assunto, nós vimos buldogues que não
mantêm uma mordida em uma briga e alguns cachorros de outras raças que seguram e sacodem
como um pitbull.

Um bastão de freio é um pedaço de algum material duro de mais ou menos um pé de


comprimento que é afilado em uma ponta com uma superfície plana. Normalmente são feitos
bastões de algum tipo de madeira dura, freqüentemente carvalho, mas nós também vimos alguns
bons bastões feitos de outros materiais como teflon, e até mesmo de chifres de cabra. O
propósito do bastão de freio não é servir como uma barra de alavanca, mas sim de ser usado
para aliviar o aperto do cachorro até que ele solte a mordida.

Se você procurar pelas várias revistas de buldogue, você normalmente acha pessoas que fazem e
vendem freios. Caso contrário, você pode fazer o seu próprio de um martelo de carvalho ou
manivela. Se você faz o seu próprio, esteja seguro de fazer a ponta fina o bastante para poder
ajustar facilmente na boca de um cachorro, mas não tão fino que a ponta se quebre.

Um sortimento de bastões de freio. O bastão pode ser tão simples ou elaborado quanto você
quiser fazer, como este quadro mostra, mas note a semelhança entre a ponta afilada em todos
os bastões mostrados aqui.

Para usar um bastão de freio, primeiro agarre o cachorro com uma mão pelo pescoço, logo atrás
das orelhas. Depois, agarre o cachorro e feche suas pernas ao redor da cintura dele. Se forem
dois buldogues lutando, alguém deve pegar o outro cachorro no mesmo momento. Agarrando o
pescoço como descrito acima, você está impedindo o seu cachorro de se virar e morder (e
alguns cachorros vão morder, no calor da batalha) e agarrando o cachorro você o está
imobilizando para impedi-lo de lutar e escapar.

Leve seu bastão de freio com sua outra mão e comece a trabalhar na boca do cachorro, no
espaço atrás dos dentes caninos dele. Segure o nível do bastão, horizontal com a cabeça do
cachorro. Com suavidade passe o bastão de lado a lado como um movimento de galope de
cavalo enquanto você o insere, mas não empurre pra cima ou pra baixo. Uma vez mais o bastão
não é uma barra de alavanca - se você o puser de cima para baixo em um lado da boca do
cachorro começar a empurrar, você se arrisca a ferir a boca do cachorro ou quebrar dentes.

J.Jr. (Jay), filho de Ramie´s T.J. e Sheehan‟s Dot. Tão competitivo quanto qualquer um pode
ser.

Bass‟ Gr. Ch. Molly Bee, um cruzamento Eli / Big Boss.

Hammond‟s Willie Boy, filho da linhagem de Gary Hammond‟s old Bruno / Heinzl nos anos 70.
Pai: Hammond‟s Bruno
Mãe: Hammond‟s Taffy

Tamayo‟s Missy, irmã de jogo pesado de Ch. Chinarose.


Pai: Ch. Chinaman
Mãe: garner‟s Zipper

Esteja pronto; a algum ponto quando o cachorro sente o bastão na boca dele o impedindo de
morder, ele vai soltar a mordida dele e tentar outra melhor. No segundo que você o sente aliviar,
puxe a cabeça dele pra trás e mantenha o bastão na boca dele até que o outro cachorro esteja
fora da mordida. Assim que ambos os cachorros estejam fora da mordida, ambos os
manipuladores devem apanha-los e os levar para longe um do outro.

Se a situação é um acidente de quintal e você está só, separar os cachorros é um pouco mais
difícil. Normalmente nesta situação o que acontece é que o cachorro se pôs solto e saltou em
outro que está em uma coleira. Em tais casos, cuidadosamente agarre o que está solto e o retire
para fora do alcance do cachorro encoleirado. Se a corrente está enrolada em volta de um ou
ambos cachorros, você pode ter que soltá-los primeiro enquanto eles estão lutando. Uma vez
que você tem o cachorro solto agarrado, com o cachorro encoleirado estendido até onde ele
pode na corrente dele, começo o trabalho de quebrar a mordida do que você está segurando.
Tenha muito cuidado para não ser mordido pelo cachorro na coleira, pois ninguém está
segurando a cabeça dele, mas o que freqüentemente está acontecendo neste momento é que o
cachorro na corrente, sabendo que estão tentando apartar o outro cachorro, vai se agarrar a tudo
que ele tem na vida.

Quando você pega o que você está segurando para soltar a mordida dele, imediatamente o puxe
para trás - tão distante quanto a mordida do outro cachorro permita. Você deverá estirar o
cachorro encoleirado até o fim da corrente dele, tendo o fôlego dele cortado um pouco. Às vezes
é possível (mantendo um aperto firme o tempo todo no cachorro que você está segurando a)
alcançar com o bastão de freio e soltar o cachorro encoleirado da mordida dele ao ponto que
você deve saltar imediatamente para fora do alcance dele, assim ele não pode dar outra mordida
no outro cachorro. Outras vezes, você apenas terá que esperar até que ele fique frustrado e vá
tentar uma mordida melhor.

Se seu cachorro entra em uma briga com um cachorro de outra raça, as coisas são um pouco
mais complicadas. É mais provável que você seja mordido por um cachorro de outra raça que
por um buldogue, pois o cachorro estará em pânico e provavelmente gritando e mordendo de
modo selvagem. Sendo cuidadoso para ficar longe da boca do outro cachorro, tente agarrar o
seu cachorro para minimizar os danos para o outro tão depressa quanto possível, então
cuidadosamente solte a mordida de seu cachorro. Se você não tem um bastão com você, a única
coisa que você pode fazer é puxar o seu cachorro e esperar ele soltar. Se você não tem uma
coleira realmente larga nele você pode torcer a coleira e o enforcar. Acima de tudo tente tanto
quanto possível segurar a cabeça de seu cachorro; impedindo-o de sacudir a mordida
minimizará os danos para o outro cachorro.

Se é um cachorro muito grande e ele iniciou a briga (por exemplo se algum cachorro que corre
solto ataca o seu buldogue) você pode ter que deixar a briga correr até que o cachorro grande
seja vencido - o que normalmente não leva muito tempo - ou ele pode continuar atacando seu
cachorro (ou até mesmo você) enquanto você está tentando soltar seu cachorro. Nós estamos
usando um livro velho (inglês) sobre Bull Terriers que recomenda levar uma correia extra no
caso de brigas acidentais de forma que você pode amarrar o outro cachorro a uma árvore.
Enquanto isto seria mais fácil certamente para você separar os cachorros, você realmente estaria
se pondo em risco de pular no meio de uma briga e amarrar uma correia sobre um cachorro
rosnando e mordendo.

A situação acima mencionada é ruim o bastante por si própria, mas se acontece em um lugar
público normalmente será complicada por observadores em pânico gritando reclamando com
você, e o dono terrificado do outro cachorro que tenta chutar e bater no seu cachorro. Se o
incidente era ou não sua culpa, você também tem uma chance boa de alguém chamar a polícia e
você pode ser preso como algum tipo de ordenança de cachorro vicioso. Obviamente a melhor
coisa é tentar evitar que tal incidente aconteça, em primeiro lugar.

Se você mantém um número grande de buldogues, não importa o quanto cuidadoso você é, é
quase inevitável que em algum ponto você terá um acidente de quintal acontecendo. Nós
mantemos um jogo de bastões de freio que esperam na parede de nossa porta na parte de trás, e
outro jogo na porta em nosso armazém de forma que nós os podemos acessar depressa em uma
emergência.

Se você tem um número grande de cachorros espalhados em uma área grande, você pode manter
até mesmo alguns bastões de freio estrategicamente colocadas em seu quintal pendurados em
postes de cerca ou ramos de árvore, assim você sempre terá um dentro de seu alcance próximo.

Squirt segurando St. Benedict‟s Martyr com a mãe de Martyr's, St. Benedict's Heretic,
observando. Ambos cães da propriedade de Barney Fife.

Smith and William‟s Gr. Ch. Badger, um dos maiores de todos os tempos aposentado depois da
5a. Vitória. Basicamente um cão originado de Carver / Heinzl filho de Smith & William‟s
Reuben ROM e William‟s Meji.
Badger é irmão de ninhada de Ch. Fox e o cão Taylor, que perdeu um jogo de morte em uma
luta clássica com Steve H‟s Ch. Bullshit.
Top Gun, dos X-men, com Ch. Barbarian, filho de Wildside‟s Bandit.

Carter‟s Ali, Um ótimo vencedor de duas lutas a 43 libras. Criado por Don Divine.

Whatchdog Big Thor, um bom cão de luta filho de um cruzamento das linhagens de Red Devil /
Kingfish / Manson‟s Ch. Hog.
Jimmy Mayfield com sua cadela Desperado, uma ótima cadela filha de Coy‟s Gr. Ch. Banjo
com uma cadela da linhagem Boomerang.

Black street Kennel‟s Apolo Red, também conhecido como pain. Um jovem cão muito promissor
criado e treinado por Black Street Kennels.
Pai: Pate‟s Sid Vicious
Mãe: Wildside‟s Miss Piggy.
Capítulo Quatorze
Primeiros Socorros e Cuidados com Saúde em Geral

Levaria um livro inteiro deste tamanho ou maior para abordar em detalhes primeiros socorros,
problemas médicos, os sistemas diferentes no corpo de um cachorro e como eles funcionam, etc.
há muitos destes livros disponíveis e nós recomendamos vários bons no Apêndice UM, mas "O
Cão de Competição Completo" especificamente foi previsto mais como um manual de cuidado
geral da nossa raça, assim, enquanto algumas áreas foram descritas muito extensivamente (por
exemplo, há um capítulo inteiro sobre problemas gastrintestinais), em outras áreas nós apenas
não pudemos entrar em muitos detalhes.

Nós listamos um sortimento de livros bons no Apêndice UM que tratam de aspectos diferentes
de medicina canina. Vários destes livros são os que nós mesmos usamos como referências para
escrever este livro. Nós anotamos comentários sobre os livros diferentes, incluindo os que são
nossos favoritos ou os que nós consideramos essenciais ter. Se você pode ter só um livro de
primeiros socorros e etc., nós sentimos que o mais útil seria "The Dog Repair Book" por Dr.
Ruth B. James ou "Dog Owner Veterinary handbook" por Dres. Delbert 0. Carlson e James M.
Giffin. Nós na verdade sugerimos ter ambos estes livros, pois eles são muito completos, mas
descrevem áreas diferentes.

Nós recomendaríamos que uma pessoa séria sobre ampliar o conhecimento sobre cuidado com
buldogues se arme com tantos livros bons de referência quanto possível. Alguns são melhores
que outros, alguns são escritos em um nível muito técnico enquanto outros são intencionais para
o iniciante, mas nós acreditamos que há algo para ser aprendido em cada um. Quando se trata de
livros de referência, você nunca terá muitos.

Pessoas que mantêm um quintal de buldogues tendem a colidir com situações em que o dono de
cachorro comum não se encontraria, e assim seria aconselhável manter certos medicamentos
disponíveis e saber usar. É incrível como seus problemas se multiplicarão tão rápido quanto
seus cachorros! Obviamente, você precisa aprender a cuidar de algumas situações você mesmo
ou você ficará sem dinheiro ou louco bem depressa (ou ambos) correndo ao veterinário
constantemente.

Por exemplo, se você tem mais de um casal de cachorros, ou planeja criar ninhadas de filhotes,
um cartão de vacina formal vai sair muito caro. Em algumas clínicas de animais, uma injeção de
7 ou 8 vacinas valerá de $35 a $50 hoje em dia. Você pode encomendar a mesma vacina de uma
variedade de fontes de correio (em estados onde isto é legal) por um dólar a três dólares uma
dose, e seringas normalmente custarão cada uma menos que um quarto de dólar.

Provavelmente não é nenhum aborrecimento a preocupação de encomendar a vacina e fazer isto


você mesmo se você só tem um ou dois cachorros - ir de fato para o veterinário pode ser uma
opção melhor porque deste modo seu cachorro terá um anuário físico, mas se você tem um
quintal grande você pode economizar centenas de dólares por ano vacinando seus próprios
cachorros. Estes são os mesmos produtos de vacina de qualidade idêntica aos que estão
disponíveis aos veterinários. Vacina de Hidrofobia tem que ser dada por um veterinário
autorizado em pelo menos trinta e sete estados. É legal na a maioria dos estados, porém, dar sua
própria vacina de combinação (Destempero, Pano, etc.).
Primeiros Socorros: Dominando Emergências.

Se você se encontra com um cão doente ou ferido e não está seguro sobre o que fazer, sua
melhor aposta é levar seu cachorro imediatamente para um veterinário se você puder. Quando
ocorrem situações de emergência especialmente sérias, é sempre melhor buscar a ajuda de um
veterinário autorizado, mas emergências nem sempre acontecem quando você está em posição
de levar o cachorro diretamente para um veterinário, ou o hospital de animais mais próximo
pode estar muito longe ou fechado. Também, algumas situações exigem atenção imediata, e
pode ser muito tarde até que você possa conseguir ajuda.

Emergências com as quais você nunca deveria tentar lidar sozinho incluiriam as seguintes:
insuficiência respiratória séria (sufocado, ofegante, ficando azul), ataques apopléticos ou
convulsões, eclampsia (veja Capítulo Vinte), incapacidade para urinar, torção ou inchamento,
coma, e hemorragia séria que não possa ser controlada através de pressão direta. Leve o
cachorro para um veterinário Imediatamente!

Condições que você não deveria tentar resolver a menos que você não tenha nenhuma outra
escolha ou realmente, saiba o que você está fazendo incluiriam hipovolemia ou choque
anafilático, ferimentos de olho sérios, distocia (complicações de parto), fraturas,
envenenamento, e feridas sérias ou queimaduras. Faça o que você pode para estes cachorros em
casa, mas os leve para um veterinário se e quando você puder.

Há alguma discordância entre veterinários sobre se a Ressurreição Cardiopulmonar (RCP) é de


qualquer valor como uma primeira técnica de ajuda para o iniciante. Alguns acham que é muito
difícil de executar em um animal para começar e quase impossível de fazer direito se você não é
treinado corretamente na técnica, especialmente se uma pessoa está tentando fazer isto por conta
própria. Alguns sentem que aquele tempo gasto pelo dono que tenta fazer a RCP é o tempo que
teria sido melhor gasto indo a um veterinário.

Se não há nenhum meio de chegar a um veterinário, não custa nada tentar reviver um cachorro
cujo coração parou em situações que envolvem acidentes, afogamentos, etc. Uma vez mais,
alguns dos livros acima recomendados descrevem e mostram a técnica normal de RCP em
detalhes completos.

Uma coisa que poderia ser benéfica se você realmente quer aprender tanto quanto você pode
sobre primeiros socorros seria fazer um curso de primeiros socorros (para pessoas). Muitos dos
procedimentos de emergência para pessoas também são aplicáveis em animais, como aplicar
bandagem de pressão para parar de sangrar, imobilizar uma possível fratura, etc.

O texto seguinte traz algumas emergências médicas comuns e sugestões para como tratar. Não é
possível para nós abranger todas situações possíveis neste livro, ou entrar em muitos detalhes,
então nós sugeriríamos fortemente que você mantenha disponível pelo menos um dos livros
acima mencionados, pois eles entram em detalhes muito melhor do que nós somos capazes.

Hipotermia

Acontece quando a temperatura do interior do corpo de um cachorro desce de um modo abaixo


do normal. Isto pode ser causado por exposição ao frio extremo, etc. Filhotes jovens como
também cães velhos ou debilitados podem ter uma capacidade reduzida para se manter
aquecidos. Nós mostramos como aquecer um filhote resfriado no Capítulo Vinte em detalhes.
Os sintomas em filhotes mais velhos e cachorros adultos incluem fraqueza, lentidão, perda de
apetite, e uma temperatura corporal baixa.
A temperatura normal para um cachorro é 38.5 a 38.6 ºC, uma variação de um meio grau não é
de qualquer maneira significante. Uma temperatura de 30 a 32 ºC causará hipotermia leve, e
temperaturas abaixo disso causam hipotermia moderada a severa. Com hipotermia, o cachorro
ficará crescentemente mais suscetível a queimaduras, o coração dele reduzirá a velocidade, a
pulsação dele ficará fraca, os rins dele falharão e eventualmente o coração dele parará.

O tratamento consiste em reaquecer lentamente até uma temperatura interior normal. Se o


cachorro se tornou tão hipotérmico que ele entrou em choque, este deve ser tratado também.
Traga o cachorro para dentro e o embrulhe em mantas, se a temperatura corporal dele foi
reduzida extremamente você pode usar bolsas de aquecimento, garrafas de água quente, ou pode
mergulhar o cachorro em uma tina de água morna. Não use muito calor com qualquer destes
métodos. Pode levar várias horas para o cachorro ficar completamente aquecido, e você terá que
tratá-lo durante alguns dias, provavelmente.

Buzzard Creek‟s Joe, um filho vencedor de Buzzard Creek‟s Lil. Produziu Ch. Jughead e muitos
outros cães bons quando cruzado de volts com a mãe.

Touche‟s Red Sahara, uma cadela muito boa e uma das três vencedoras companheiras de
ninhada de Wildside‟s Black Bart e Wildside & Kelly‟s C.J. 5.
T.L. Williams‟ Willard aos dez anos de idade. Um grande velho vencedor de duas partidas filho
de Williams‟ Wilbur e Williams‟ Maggie.

Nós tivemos problemas com cachorros velhos que sofrem de hipotermia até com um tempo
moderadamente frio; nós os trouxemos, os aquecemos e demos tratamento com fluidos (para
desidratação) se preciso. Nós oferecemos para os cachorros bastante água, caldo quente, comida
enlatada, etc. Você desejará que o cachorro tome bastante fluido para os rins dele continuarem
funcionando. Nossa cadela velha Wild Cherry teve problemas com hipotermia durante os
últimos dois invernos, ela pareceu ter menos dificuldade com isto depois que nós lhe demos
uma casa Dogloo com uma tábua de oito polegadas de madeira que construímos na porta, e
enchemos com tanta roupa de cama quanto coube.

Prostração de Calor (Hipertermia)

Também é conhecida como insolação e o sintoma principal é uma temperatura corporal


extremamente elevada. Algumas das causas incluem um cachorro que se exercita em tempo
muito quente, ou deixado em um veículo quente ou construção, ou enroscado ao redor do eixo
dele sob o sol quente e não tendo como se molhar ou proteger do sol.

Se um cachorro entra em prostração de calor, você precisa abaixar a temperatura corporal dele
tão depressa quanto seja seguro fazer. Isto significa verter água fria (não gelada) em cima do
corpo dele, mergulhá-lo em uma banheira cheia de água fresca, e dar infusões de água fria com
uma seringa grande até que você abaixe a temperatura dele.

Depois que você abaixou a temperatura corporal dele até em torno de 39 ºC mais ou menos e o
cachorro está se recuperando, estimule-o a beber bastante líquido e o mantenha frio e sossegado
durante alguns dias. O melhor modo de fornecer isto é proporcionar ao seu cachorro bastante
sombra e água fresca, e não trabalhar com ele ou exercitá-lo em tempo de calor se você puder
evitar. Nunca deixe um cachorro em um carro estacionado sob o sol, até mesmo em tempo
fresco, a menos que você abra as janelas do carro um pouco.

Envenenamento

Há muitos venenos diferentes (cada um com um tratamento específico) para tentar listar aqui.
Se você sabe o que seu cachorro ingeriu exatamente, você pode chamar o centro de Controle
Nacional de Envenenamento Animal para ter instruções sobre o que fazer. O número de telefone
é: 1-900-680-0000. Você deverá ir a um veterinário assim que você puder.
Substâncias que podem ser tóxicas a cachorros incluem inseticidas, venenos de erva daninha,
tabaco, veneno de rato, plantas venenosas, e muitas substâncias químicas domésticas comuns.
Se o veneno que o cachorro ingeriu estiver em um recipiente rotulado, pode haver instruções no
produto sobre como tratar um envenenamento acidental.

Se for um veneno que necessita induzir ao vômito você pode fazer o cachorro vomitar usando
Xarope de Ipecac (disponível em farmácias), uma meia colher de chá de sal colocada na parte
de trás da língua do cachorro, ou 3% de peróxido de hidrogênio administrado via oral a uma
dose de 1 cc para cada 3 libras. Você pode dar o peróxido de hidrogênio a cada dez minutos até
um total de três vezes. Não misture os produtos citados acima. Não induza o vômito se o
cachorro ingeriu qualquer tipo de ácido; estes materiais provavelmente farão tanto estrago
voltando quanto fizeram indo. Algo que ajudará a neutralizar o ácido, como Leite de Magnésia
ou Maalox, pode ser benéfico.

Mordida de Cobra

Dependendo da região na qual você vive, você pode descobrir algum dia que um de seus
cachorros foi mordido por uma serpente venenosa. O tipo de serpente venenosa freqüentemente
responsável é algum tipo de víbora, i.e. uma Cascavel, Cabeça de Cobre ou Cobra d'água.

Aqui no Sudeste onde nós vivemos, nós geralmente temos pelo menos um cachorro de nossa
criação mordido a cada ano. Nós vivemos em uma área muito rural, com bosques em todos os
lados, e a área possui todos os tipos de vida selvagem. O que provavelmente acontece é que uma
serpente se aventurará ocasionalmente pela área de corrente de um cachorro e chamará a
atenção do cachorro que normalmente perseguirá a serpente e será mordido. Nosso modo
habitual de descobrir se isto aconteceu é conferir nosso quintal e notar um cachorro com uma
inchação extrema, muito freqüentemente na cabeça.

Se você vê o incidente de fato acontecer, ou acha uma serpente morta na área do cachorro, você
pode observar se a serpente era venenosa ou não olhando certas características. Tenha extremo
cuidado quando se aproximar de uma serpente aparentemente morta; a serpente pode não estar
na verdade morta, mas bastante atordoada, e você poderia se arriscar tentando tocá-la. Leve uma
vara longa e cutuque a cobra em vez de pegar nela. Até mesmo uma serpente mutilada e
mortalmente ferida pode ter bastante vida de sobra para morder você.

Uma víbora terá uma pupila de olho alongada como um gato em lugar de uma pupila redonda, e
normalmente terá uma cabeça triangular. Uma serpente venenosa tem dois caninos grandes na
mandíbula superior. Um chocalho no rabo, claro, identifica a serpente positivamente como uma
cascavel.

Se o cachorro foi mordido por uma serpente não-venenosa como uma Serpente de rato preta
(muito comum em nossa área) não há nenhum perigo de envenenamento, mas mesmo assim é
uma idéia boa esfregar a mordida com Betadine e talvez dar antibióticos durante cinco a sete
dias para prevenir infecção se o cachorro tem feridas de mordida fundas.

Nós tivemos uma cadela uma vez que se enroscou com uma serpente de rato preta de seis pés de
comprimento e ela deve ter sido mordida em mais que uma dúzia de lugares - ela parecia que
tinha estado em uma briga com um gato grande depois daquilo. Foi na ocasião realmente
engraçado, nós ouvimos os cachorros latirem e entramos em nossos bosques para achar a
cachorra na área dela tremendo como um maníaco. Como ela era preta e a serpente era preta,
nós não pudemos notar o que nós estávamos olhando, a princípio - parecia que a cabeça da
cadela tinha crescido duas vezes o seu tamanho normal.
Dando uma olhada mais detalhada, nós percebemos que era uma serpente, completamente
embrulhada na cabeça dela e mordendo nela aproximadamente tão rápido quanto a cadela a
estava mordendo. Nós não pudemos tirar a serpente pra longe dela até que ela a tinha mutilado e
quase rasgado pela metade. A serpente parecia morta para nós, mas quando um de nós a
apanhou e carregou para os bosques de repente ela de repente acordou e mordeu um de nós na
perna!

Além de levar o cachorro imediatamente se possível para um veterinário, (o que é conselho


muito sábio) nenhum dos dois livros que nós lemos concorda sobre o que fazer para mordida de
serpente - de fato eles tendem a contradizer um ao outro completamente. Uma vez que nós
nunca tentamos quaisquer dos métodos que nós lemos (incluindo cortar em cima da marca de
dentes e chupar o veneno para fora, etc.) nós realmente não podemos dizer nada sobre quaisquer
destes métodos, bom ou ruim. A melhor coisa para fazer é chamar seu veterinário assim que
você puder.

Claro que do jeito que a sorte é, as primeiras vezes que nós tivemos um cachorro mordido por
serpente apenas um de nós estava em casa sozinho com absolutamente nenhum modo de ir a um
veterinário. Eis o que nós fizemos: Nós engaiolamos estes cachorros para restringir o nível de
atividade deles, lhes demos Dexametasona (Azium) intramuscular para o inchamento, e
tratamos com antibióticos durante uma semana. Tudo eles estavam inchados durante alguns dias
e tiveram que ser alimentados com comida enlatada (todas as mordidas foram na cabeça ou
focinho), mas nenhum ficou seriamente doente.

Frank Rocca acasalando um filho e filha de sua cadela Midge.


Esquerda: Rocca‟s Diamond Head, filha de Rocca‟s Mongo. Venceu em 1h 50min sobre Ch.
Chinabuck.
Direita: Rocca‟s Fontina, uma filha de Rocca‟s Stonewall.
Highlander‟s Valerie, uma boa cadela de Eli / Snooty e produtora de alguns bons e rudes cães.

Wildside‟s Cody, da propriedade de Hal Miller. Filha de Wildside‟s Rapid Roy cruzado de
volta com sua mãe Garner‟s Wild Cherry.

Nós também tivemos uma cadela, Hollingsworth's Angel, mordida na cabeça por uma cascavel
cujas marcas em dois lugares na cabeça dela mediam uma polegada de distância - isso é que é
uma serpente grande. A cabeça dela inchou até aproximadamente cinco vezes o tamanho
normal, nós incluímos uma fotografia neste capítulo depois que a inchação já tinha começado a
diminuir um pouco.

O problema era que nós tínhamos acasalado Angel aproximadamente quatro semanas antes
daquilo e não estávamos seguros se ela estava grávida ou não, assim nós não pudemos dar
Dexametasona. O único tratamento que ela recebeu foram antibióticos, e ela voltou ao normal
em uma semana.

Nós não estamos recomendando que isto é o que deve ser feito para mordida de cobra em
pitbulls, mas isso foi o que nós fizemos e funcionou para nós. Nenhuma das mordidas que nós
tivemos (aproximadamente seis) resultou em qualquer enfermidade séria ou danos permanentes,
exceto uma cicatriz bem grande no nariz de uma cadela onde o tecido morto foi retirado.

A única complicação que nós tivemos foi um filhote muito jovem que ficou com Parvovirose
aproximadamente dez dias depois de ser mordido por uma Cabeça de Cobre pequena e tratado
pelo método acima. Nós não sabemos se isto simplesmente foi uma coincidência, ou se teve
algo a ver com a mordida de serpente ou a Dexametasona que nós demos.
Hollingsworth Angel um dia depois de ser mordida duas vezes na cara por uma enorme
cascavel.

Parece, por tudo o que nós vimos, que nossa raça pode ser mais resistente a veneno de víbora
que alguns cachorros, ou talvez as mordidas que nós tivemos foram rápidas, e não injetaram
muito veneno - nós duvidamos isto, pois alguns dos cachorros foram mordidos bem
profundamente e em mais de um lugar.

Nós deveríamos acrescentar que em todos os cachorros mordidos, algum grau de desconforto,
lentidão, e o próprio inchaço foram os únicos sintomas que nós vimos. Qualquer cachorro que
apresenta insuficiência respiratória ou problemas de sistema nervoso deve ser levado a um
veterinário sem demora.

Fraturas e Deslocamentos

Uma articulação deslocada é algo do que deve ser cuidado o mais cedo possível por um
veterinário. Os deslocamentos mais comuns são do quadril e articulações do joelho. Quanto
mais tempo você espera, mais inchada a área se torna e mais dano é feito aos ligamentos da
articulação. Não é algo que você deve tentar estalar de volta no lugar você mesmo, isto requer
muita força e a técnica certa. Mantenha o cachorro quieto o tempo necessário até que você possa
conseguir assistência veterinária para ele.

Há vários tipos diferentes de fraturas, o mais sério é uma fratura exposta. Acontece quando uma
ou mais lascas de osso quebrado estão aparecendo através da pele. Esta é uma emergência
imediata. Com outros tipos de fraturas, você suspeitaria de um osso quebrado se um dos
membros de um cachorro está oscilando em uma posição antinatural, se o cachorro está
arrastando um membro ou parece estar com dor extrema, ou há uma inchação em um membro,
especialmente ao redor de uma articulação.

A melhor coisa para se fazer é levar o cachorro para um veterinário que fará radiografias para
determinar que tipo de fratura está acontecendo (se estiver) e imobilizar o osso quebrado. Às
vezes isto pode ser feito manipulando a fratura na posição normal e aplicando uma tala ou
gesso, em situações mais sérias, cirurgia envolvendo cabos ou pinos no osso quebrado pode ser
necessária.

Até mesmo com o melhor cuidado veterinário, um osso quebrado pode não curar corretamente e
o cachorro pode ter uma perna manca permanente (se é uma perna). Se não imobilizado por um
veterinário, a maioria das fraturas curará eventualmente sozinha até certo ponto, mas o cachorro
pode ser desfigurado seriamente; pelo menos você pode esperar que o osso quebrado quase
nunca ficará 100% são.

Fraturas na articulação carpal (pulso) e dedão do pé quebrado são bastante comuns e


freqüentemente se curam razoavelmente bem sem qualquer cuidado veterinário, de fato muitas
vezes nem mesmo os donos percebem que havia um osso quebrado mesmo depois que a fratura
já curou.

Nós tivemos uma cachorra mais velha que teve a escápula dela (osso do ombro) quebrada em
um dos poucos acidentes de quintal que nós tivemos; estava partida de cima a baixo, mas não
pela metade. Nosso veterinário nos falou que por causa da idade do cachorro, seria
provavelmente mais duro para ela sofrer uma cirurgia e recomendou que nós apenas
deixássemos curar como estava. Ela nem mesmo mancou depois de vários anos quando a artrite
começou.

Se você suspeita que seu cachorro tem uma fratura séria devido a um tombo, uma briga,
atropelamento etc., Tente tanto quanto possível manter o cachorro quieto até que você possa ir a
um veterinário. Se a fratura está em um membro e você tem materiais de bandagem, você pode
imobilizar cuidadosamente a perna com uma tala. Tenha cuidado de não apertar muito
fortemente a bandagem na perna ou você pode cortar a circulação ao membro.
Há uma seção muito detalhada de bandagem e imobilização no livro "The Dog Repair Book" da
Dr. Ruth B. James, DVM; uma vez mais, nós recomendaríamos primeiro este livro como um
manual de primeiros socorros em geral.

Cuidados com feridas

Até mesmo por causa da natureza agressiva de nossa raça, o criador mais responsável terá um
acidente de canil provavelmente acontecendo em algum ponto. É importante saber administrar
cuidados médicos a cachorros feridos, e como prevenir infecção em feridas.

O fato triste é, se você tem pitbulls e um de seus cachorros é ferido em um briga - acidental ou
não - você pode se achar em uma grande dificuldade se você levar o cachorro a algum
veterinário "Humaníaco" que informará o incidente como um possível caso de luta de cães. É
desgraçado, mas por causa disto é negado a muitos buldogues o cuidado veterinário, devido aos
donos deles ficarem amedrontados (às vezes com razão) de os levar a um veterinário. É
essencial saber cuidar de seu cachorro você mesmo se você não pode ou não vai buscar atenção
veterinária.

A primeira coisa você deve fazer no caso de feridas ocorridas em uma briga ou outro acidente é
averiguar se há qualquer hemorragia séria, e contê-la. Hemorragia arterial é muito vermelha e
ficará bombeando para fora em jatos, hemorragia venosa é mais escura e escoa continuamente
para fora.

O melhor modo de fazer parar de sangrar é através de pressão direta. Pegue uma flanela
dobrada, torça e aperte firme em cima do corte, mantendo a pressão durante pelo menos dez
minutos. Então cuidadosamente remova e veja se a hemorragia parou ou pelo menos reduziu a
velocidade. Se não, segure a compressa em cima da ferida durante mais dez minutos. Um pacote
de gelo sobre a flanela pode ajudar.

Um torniquete também pode ser usado para deter sangramento em um membro e pode ser
colocado entre a ferida e o coração, mas é realmente importante não deixar muito apertado; e
não deixar apertado por muito tempo. Pressão direta é muito mais segura. Nós sempre
conseguimos impedir sangramentos através de pressão direta não importa que tipo de
hemorragia havia (até mesmo com uma artéria cortada), entretanto às vezes a pressão teve que
ser mantida durante quase meia hora.

Mantenha o cachorro quieto o quanto você pode depois que você parou a hemorragia, ou ela
pode começar novamente. Agora é a hora para ir a um veterinário se você pode, ou seria até
mesmo mais sábio ter uma pessoa que mantenha a pressão em uma ferida (segurando o cachorro
no assento de trás de um carro, por exemplo) enquanto o outro dirige para o veterinário, mas se
há hemorragia séria e você está sozinho a primeira coisa para fazer é detê-la.

Dependendo da quantidade de perda de sangue, o cachorro pode entrar em choque


hipovolêmico, que é sério e precisa ser tratado. Nós reimprimimos um artigo escrito por um
amigo nosso neste capítulo sobre choque hipovolêmico e seu tratamento.

Cortes secundários e arranhões devem ser lavados e desinfetados, e podem ser borrifados então
ou com solução de Betadine, ou você pode aplicar um ungüento.

Cortes mais sérios podem requerer sutura e podem depender da localização e tamanho. Se você
planeja ter a ferida suturada, desinfete, mas não aplique qualquer tipo de ungüento de ferida
tópico. Uma vez mais, o livro "Dog Repair Book" acima mencionado entra em detalhes
extensos sobre suturar feridas e descreve como um veterinário costura um corte. Pode ser usada
a informação naquele livro como uma referência para aqueles que desejam tentar sozinhos, pois
ensina a técnica e o equipamento envolvidos. Material de sutura e até mesmo grampos de pele
cirúrgicos estão disponíveis em muitas companhias de suprimentos de animais.

Buracos fundos ou perfurações de mordida de cachorro não deveriam ser suturadas, pois eles
são feridas contaminadas que devem permanecer abertas e devem ser desinfetadas
completamente. Nós observamos isto na maioria das situações que envolvem feridas de briga de
cachorro, as feridas parecem curar muito bem sem qualquer tipo de pontos ou grampos. De fato,
se a ferida não é limpa e desinfetada completamente a sutura seria negativo, lacraria os
contaminantes e permitiria a formação de abscessos.

Quando nós tivemos cachorros entrando em brigas acidentais, nós damos para cada um dos
cachorros um banho, esfregando todas as feridas com sabão de Betadine. Nós os secamos então
muito bem, aplicamos uma solução de Betadine para cada ferida, e os aplicamos um antibiótico
bom durante cinco a sete dias. Pelo menos uma vez por dia nós lavamos as feridas suavemente
com uma solução de Nolvasan desinfetante e perfumada moderada, diluída duas onças por galão
de água que é perfeita para limpar feridas, entretanto não é rotulada para este tipo de uso.

Nós não gostamos de usar peróxido de hidrogênio em feridas frescas. Como um desinfetante é
bom, mas há outros melhores. Sua ação borbulhante pode empurrar tantas bactérias e outros
contaminantes para dentro dos tecidos como para fora. Álcool de Isopropil é um desinfetante
bom para instrumentos, mas arde como o inferno em feridas e pode causar irritação nos tecidos
de fato se for muito usado, assim nós não gostamos de usar em feridas.

Nós mantemos as feridas limpas e abertas, não retiramos qualquer crosta (a menos que a ferida
seja um abscesso - veja abaixo), mas tentamos enxugá-las com suavidade de forma que a ferida
possa ficar aberta e seca. Nos próximos dias depois de uma briga acidental, as áreas feridas
estarão provavelmente inchadas e muito moles, Portanto seja cuidadoso. Você pode cobrir
feridas infetadas com um ungüento bom algumas vezes por dia, depois de limpar e enxugar.

Muitas pessoas não fazem um trabalho completo de desinfetar e limpar feridas e dizem que se
eles estão dando antibióticos, não importa se eles limpam as feridas muito bem. Pelo contrário,
se você tivesse uma escolha entre um ou o outro seria melhor tirar os antibióticos e apenas
desinfetar completamente as feridas.

Até mesmo feridas grandes não suturadas se fecharão eventualmente com cuidado adequado,
entretanto pode haver mais cicatrizes que se você tivesse costurado a ferida. O que nós
gostamos de fazer é: para feridas grandes que estão começando o quarto ou quinto dia, use spray
de Granulex-V algumas vezes por dia nas feridas. Este produto corrói o tecido morto e
encorajam o crescimento de tecido novo com formação mínima de cicatrizes.

Feridas na Boca

Feridas na boca são bastante comuns como resultado de brigas, às vezes a ferida é causada pelo
cachorro mordendo a si próprio (atravessando um dente canino pelo próprio lábio) ou às vezes é
o resultado de cachorros que lutam em pegadas de boca, ou através de uma cerca durante uma
briga de canil acidental. Porque as feridas estão na boca, o tratamento é diferente.

Ponha o cachorro em um antibiótico bom durante uma semana, e limpe as feridas pelo menos
duas vezes por dia; a melhor coisa para enxaguar é água de salmoura - use uma colher de chá de
sal de mesa por porção de água. Você também pode usar peróxido de hidrogênio (não o deixe
engolir ou ele pode vomitar) ou uma lavagem de boca suave como Scope (isto arde). Água
salgada é o mais seguro e provavelmente o menos desagradável para o cachorro. Com suavidade
enxágüe qualquer perfuração funda com uma seringa, você não quer que a comida se acumule
nestes buracos e apodreça.

Você pode untar as feridas ligeiramente com solução de Betadine usando um cotonete uma vez
por dia, esteja seguro contanto que você não use tanto que o cachorro engula, i.e. aplicar de
leve, não derramar na boca.

Um cachorro com danos de boca provavelmente será relutante em comer por causa da dor;
ofereça ao cachorro caldos ou comida enlatada misturada com água morna e triturada na
consistência de mingau de aveia. Se a língua dele estiver ferida, ele pode ter dificuldade em
beber a comida e você pode ter que lhe ajudar dando colheradas de comida na boca dele até que
ele possa lamber a comida sozinho.

Hematomas e Abscessos

Se um cachorro esteve em uma briga, haverá freqüentemente algumas áreas pretas e azuis
(especialmente se o cachorro levou danos pesados no pescoço ou ombro), que são causados por
contusões (hemorragia debaixo da pele) e sumirão com tempo. O cachorro também pode ter
uma ou mais áreas que ficam inchadas depois de uma briga, e parecem reter fluido acumulado
debaixo da pele. Este é um hematoma, que é uma hemorragia debaixo da pele e será absorvida
eventualmente de volta pelo corpo do cachorro. Às vezes pode haver uma pequena e
permanente resíduo de tecido de cicatriz na área. Um hematoma às vezes pode se desenvolver
em um abscesso se forem introduzidas bactérias (como uma ferida de perfuração) que precisará
ser drenado e tratado - veja mais sobre isto abaixo.

Um hematoma na ponta da orelha de um cachorro pode fazer a orelha amassar se reabsorvido,


se você não quer que isto aconteça você precisará abri-lo, drenar, e manter aberto até que cure
de forma que não encha de novo. Há uma quantidade de modos diferentes que os veterinários
farão isto. Um hematoma de orelha muito pequeno (mais como uma bolha de sangue.) às vezes
pode ser escoado com uma seringa e desaparecerá.

Um abscesso é uma bolsa de infecção debaixo da pele. Pode ser de um hematoma que foi
contaminado, ou por causa de uma mordida ou outra ferida que fechou e permitiu que a bolsa se
desenvolvesse. Um abscesso pode ficar mais quente que a pele em redor, é vermelho ou
descorado, e pode ter um ponto macio no centro. É algo que precisa de ser tratado, pois
normalmente romperá e escoará, mas se aparece muito profundo no corpo em vez de na
superfície da pele, causará uma infecção sistêmica.

Se você não está seguro se a ferida é um abscesso ou hematoma, você pode tentar tirar um
pouco de fluido e conferir. Cuidadosamente corte o cabelo em cima de uma área do ferimento,
limpe completamente com um limpador Betadine e então aplique solução de Betadine. Depois,
pegue uma agulha longa e esterilizada (16 ou 18 de medida é melhor) e cuidadosamente insira
isto aos poucos no ferimento, apenas o bastante para atravessar toda a pele. Um pouco de fluido
pode sair da ponta da agulha, se não prenda uma seringa à agulha e puxe para ver se você
consegue tirar alguma coisa.

Se o fluido é de uma cor de âmbar clara, pálida, ou se é sanguinolento (sangue vermelho ou


sangue aguado) é um seroma ou hematoma. Cuidadosamente remova sua agulha e deixe como
está, contanto que não desenvolva um abscesso o ferimento apenas reabsorverá sozinho. Isto é
por que você teve certeza de que você usou uma agulha esterilizada e desinfetou a área
primeiro, assim você não contaminou a ferida se não fosse um abscesso.

Se o ferimento é um abscesso, sairá pus dele. Pode parecer espesso, opaco e a cor normalmente
será ou amarelada, esverdeada, ou avermelhada. Pode ter um cheiro ruim. Um abscesso
precisará ser escoado como se segue: você precisará de muitas toalhas de papel, uma panela rasa
com desinfetante nisto, uma navalha ou lâmina de aparelho de barbear novíssima, e uma grande
(2Occ ou 3Occ) seringa cheia de peróxido de hidrogênio. Você também precisará de solução de
Betadine e alguns cotonetes de algodão. Serão necessárias duas pessoas, uma para perfurar o
abscesso e a outra para conter o cachorro.

Esfregue o ferimento novamente com Betadine, pegue sua navalha e faça uma incisão através de
toda a pele de mais ou menos meia polegada até três quartos de polegada de largura. Algumas
pessoas preferem fazer a incisão no ponto mais baixo do abscesso, para ajudar com a drenagem,
nós normalmente escolhemos a "cabeça" do abscesso, ou seja, a área que já está mole e está
formando um ponto. Esteja preparado para saltar para trás, pois o pus pode vir e jorrar para fora.
A incisão também sangrará um pouco, mas deverá parar bastante depressa.

Você pode apertar e massagear o ferimento para tirar tanto do pus para fora quanto você pode.
Uma vez que você fez isto, você então enxágua a bolsa com a seringa cheia de peróxido. Depois
que você enxaguar o abscesso completamente, pegue cotonetes de algodão empapados em
solução de Betadine e pincele o buraco completamente. Trate o cachorro com antibióticos
durante uma semana.

Algumas pessoas gostam de misturar penicilina 50/50 injetável com peróxido de hidrogênio
(água oxigenada) para enxaguar o abscesso da primeira vez e então usar peróxido puro depois
disso. Você também pode enxaguar com desinfetante Nolvasan (diluído 2 onças por galão) ou
com solução de Betadine, em vez de peróxido de hidrogênio.

Você precisará manter o abscesso aberto e limpará diariamente. Se fechar, retire o material que
está obstruindo a abertura. Eventualmente, o ferimento curará do interior para fora, mas
contanto que haja uma bolsa ou cavidade abaixo da incisão que você fez, continue enxaguando e
pincelando com solução de Betadine.
Ratliff‟s Gus com dez anos de idade. Um ótimo produtor originado de Ch. Honeybunch
filho de J. Crenshaw‟s Homer (Otis & Honeybunch) e Garret‟s Lark, uma cadela
fechada em Bo / Honeybunch.

Roy Vaughan e Graveyard Girl, uma cadela pesada de Bullyson filha de Aycart‟s
Gringo e Boudreaux‟ Bonnie.

Blackstreet Kennels com dois de seus cães da fundação. Esquerda: Scott irons e Wildside‟s
Miss Piggy, uma grande filha de Bandit. Direita: Melvin Flanagan com Pate‟s Sid Vicious
(Shakem) um cão de Jeep / Rascal filho de um irmão de Gr. Ch. Hurricane Hugo, Gr. Ch.
Schootzy e Ch. Honey e de uma irmã de Ch. Topper.
Kit Básico de Primeiros Socorros

Há certas coisas que todo dono de buldogue deve manter disponíveis no caso de emergências
mais simples ou outros problemas de saúde. Este kit de emergência deve ser mantido à mão e
pronto para usar no caso de qualquer acidente, nós gostamos de usar algum tipo de estojo
portátil para a maioria destes suprimentos, assim tudo estará junto no mesmo lugar se nós
precisarmos. Uma caixa de plástico grande de equipamento de pesca é perfeita para isto.

O seguinte mostra alguns artigos para um kit básico de primeiros socorros. Estes materiais
permitirão ao dono comum lidar com a maioria dos problemas de saúde comuns. Para aqueles
que podem ter que tratar cachorros em choque, etc., nós também estamos reimprimindo um
artigo bom sobre como usar corretamente alguns materiais "avançados" neste mesmo capítulo.
Os artigos seguintes não são listados em nenhuma ordem particular.

Kit básico:

 Escova de limpeza com Iodo; uma escova de unha suave é perfeita.

 Solução de Iodo, como Betadine (não tintura de iodo) e nenhuma solução de Iodo com
um teor de álcool alto.

 Um bom desinfetante.

 Algumas flanelas e vários trapos limpos com solução de Betadine.

 Esparadrapo

 Vetwrap ou Elasticon (bandagem flexível, auto-adesiva)

 Material de bandagem e gaze, como Kling Wrap

 Cotonetes de algodão, bolas de algodão, e pedaços de gaze

 Luvas de exame de látex descartáveis

 Estetoscópio

 Tesouras

 Pinças ou fórceps para remover farpas, lascas, etc.

 Gelo empacotado (mantenha pronto em seu congelador)

 Flanelas dobradas para usar como uma compressa se Torniquete for necessário: um
torniquete de borracha de retirada rápida é o melhor mas um torniquete de lápis e tira de
pano pode ser feito.

 Bolsa de água quente

 Termômetro retal, de preferência digital

 Lubrificante como Gel K.Y. para o termômetro. Também é útil em cães acasalando.
 Peróxido de Hidrogênio 3% (água oxigenada)

 Álcool 40%

 Um sortimento de ungüentos antibióticos ou pomadas, inclusive um ungüento para olho


como spray Terramicina Granulex V ou líquido (opcional)

 Um sortimento de agulhas esterilizadas e seringas: 5cc, 10cc (ou 12cc) e 20cc, 20


agulhas de 1 polegada e 22 agulhas de 3/4 de polegada.

Ray Cabral do Canil Baystate com Hassle, uma cadela voltada duas vezes a Andy L
Dog.

Hammond‟s Sarah Bell, uma das cadelas de cria de Eli do Sr. Hammond. Produz cães de
qualidade com reprodutores Alligator.
Don Carter‟s Stripper, que ganhou de Drew F.‟s Sister, uma cadela Boudreaux. Stripper
ganhou o troféu Melhor do Show com esta luta.
Stripper foi criada por Don Divine e é uma cadela de ¾ Corvino e ¼ Eli.

O Kit Médico. Uma caixa de pescaria de plástico é a melhor embalagem.

Uma seringa de 3cc com trava de rosca. A agulha aparafusa à ponta da seringa e então não se
solta durante a injeção.
Como desinfetante, nós gostamos de manter disponível algo que é seguro usar no cachorro. Para
lavar qualquer ferida com Nolvasan (2% Clorohexadine) diluído 2 oz. por galão de água é
perfeito. Qualquer desinfetante que você usa deve ser virucida, bactericida e também fungicida.

Antibióticos ou ungüentos anti-sépticos que são bons para manter disponível incluem ungüento
de Betadine, Nolvasan creme, ungüento de Furacin, ou algum tipo de antibiótico de tripla ação
como Neosporin. Se você pensa que uma ferida fresca vai precisar de sutura, ou planeja levar o
cachorro a seu veterinário, não use qualquer pomada antibiótica ou ungüentos; apenas esfregue
bem a ferida com algo como Betadine e deixe como está.

Alguns estados como Nova Iorque não permitem encomendar seringas para indivíduos, mas
você ainda pode as adquirir através de licença especial. Quando encomendamos seringas, nós
mesmos sempre tentamos adquirir seringas com rosca em vez de encaixe; a diferença aqui é que
com o primeiro tipo, a agulha atarraxa sobre a ponta da seringa, enquanto que no segundo a
agulha apenas desliza. Se você está tentando dar uma injeção rápida ou algo espesso em um
cachorro inquieto, o que às vezes acontece é que se você aperta muito rápido o êmbolo de uma
seringa de encaixe, a agulha sai pela ponta da seringa e você se cobre de Penicilina (ou qualquer
coisa).

A Caixa de Medicamentos

Além dos artigos acima, nós manteríamos os seguintes medicamentos em casa. Algumas destas
coisas podem ser armazenados em seu kit de primeiros socorros, outros podem precisar ser
refrigerados ou podem ser armazenados em seu armário. Nós revisaremos cada droga, a
dosagem, e para que serve:

· Pepto-Bismol
· Kao-Pectate
· Immodium líquido
· pílulas de Benadryl ou líquido (Diphenhydramine Hidrochloride)
· Epinefrina
· Óleo mineral
· Aspirina (e não Tylenol ou Ibuprofen)
· Uma variedade de antibióticos * (opcional)

Se você escolhe medicar seus próprios cachorros, é sábio manter disponível uma variedade de
antibióticos injetáveis e/ou orais, Alguns dos orais mais úteis que você pode obter sem uma
prescrição (etiquetados para peixes de aquário) são Ampicilina, Amoxicilina, e Tetraciclina.

Um bom antibiótico injetável é algum tipo de penicilina de longa ação como Durapen ou
Duopen. Nunca dê Tetraciclina injetável a um cachorro. Nós incluímos no término deste
capítulo um quadro de alguns medicamentos comuns usados em cachorros, as dosagens, e o que
eles curam.

Pepto Bismol, Kaopectate e Immodium são todos para diarréia; nós usamos produtos diferentes
em situações diferentes. A dosagem para Pepto-Bismol é ¼ cc por libra de peso corporal, a cada
quatro horas, enquanto precisar. Este é o melhor material para usar em diarréia viral ou qualquer
outra diarréia que também envolve vomito.

Kao-Pectate funciona bem para muitos tipos diferentes de diarréia e muitos cachorros toleram
melhor que Pepto-Bismol o gosto deste. A dosagem é um cc por libra de peso, assim você tem
que dar quatro vezes mais disto que o Pepto-Bismol. Nós mantemos este medicamento, mas
quase não o usamos tão freqüentemente quanto Pepto-Bismol.

O Immodium é algo que nós só começamos a usar recentemente em nossos cachorros. A


dosagem é um mg para cada 25 libras. Cada ml (igual a um cc) contém 0.2mg, ou o bastante
para um cachorro de cinco libras, assim em filhotes pequenos você pode diminuir a dose até
menos de 0,2 cc por libra. Immodium é algumas vezes administrado diariamente, e você só
precisa de duas doses para parar a diarréia na maioria dos casos. Se você continuar dando o
medicamento constipará o cachorro ou filhote seriamente.

Nossa experiência foi que filhotes que já estão se sentindo enjoados vomitarão este remédio
assim que bater na boca deles, então nós não usaríamos isto em qualquer cachorro que já está
doente, mas para diarréia simples nós o achamos muito útil.

Benadryl e Epinefrina são ambos para reações alérgicas a mordidas de inseto e picaduras.
Epinefrina é para choque anafilático causado por alergias ou por reações a vacina ou
medicamentos; Penicilina pode causar uma reação alérgica severa em particular. Reações de
vacina são raras, mas podem ser fatais.

Algumas das companhias de suprimentos por encomenda de correio vendem Epinefrina sem
prescrição, é algo que você deveria manter em casa. Você provavelmente não precisará nunca
usar, mas se você um dia precisar, pode salvar a vida de seu cachorro. A dosagem (administrada
intramuscular ou subcutânea) é 0,005ml de uma solução 1:1000 para cada libra de peso
corporal.

Se você tem que usar Epinefrina, você ainda deveria levar o cachorro para um veterinário assim
que você possa. Deixe o veterinário saber que você já deu Epinefrina e o quanto deu. Pessoas
que têm cachorros que tiveram uma reação anafilática séria a mordidas de inseto ou picaduras
devem preparar um kit contendo uma seringa cheia da quantidade correta de Epinefrina para o
cachorro toda vez que eles estão longe de casa e em uma situação onde o cachorro poderia ser
mordido ou picado, por exemplo, quando for entrar em um parque, ou sair em uma viagem de
acampamento.

Benadryl é para situações secundárias e não ajudará muito para uma reação anafilática séria,
entretanto se você não tem Epinefrina você pode tentar dar Benadryl até que você possa ir a um
veterinário. A dosagem é 12 ½ a 25 mg uma vez por dia, as pílulas ou cápsulas normalmente
contém uns 25 mg, Algumas pessoas darão este medicamento antes dos cachorros serem
expostos a algo que eles são alérgicos para, ou antes de dar uma injeção alérgica. Nós não
usamos esta droga a menos que nós realmente tenhamos que usar porque tem o mesmo efeito
em um cachorro que em uma pessoa, os torna muito sonolentos de fato esta droga é etiquetada
também e vendida como um sonífero.

Você pode adquirir óleo mineral pesado em qualquer drogaria. É útil para tratar constipação, e
ajuda em situações onde um cachorro pode ter comido algo que ele não deveria e você quer
cobrir o objeto(s) com um lubrificante para ajudar a sair sem danificar os intestinos dele. Veja
Capítulo Quinze.

O melhor modo para dar óleo mineral é misturar com algo que o cachorro gosta de comer, como
comida de cachorro enlatada. Se você tentar forçar óleo na garganta de um cachorro você se
arrisca a sufoca-lo com isto. Óleo mineral pode causar complicações sérias se entrar nos
pulmões de um cachorro.

Aspirina é para dores musculares, febre, dor de ferimentos, deslocamentos, etc. A dosagem é
um tablete de 325 mg. por trinta libras de peso corporal. Não dê Aspirina por mais de três ou
quatro dias.

Primeiros Socorros Avançados

Os artigos mencionados no artigo seguinte deveriam ser mantidos disponíveis, além do


equipamento e drogas acima mencionados para aqueles que podem ter que tratar um cachorro
com ferimentos sérios ou choque. Estas drogas só estão disponíveis em veterinários e podem ser
difíceis de adquirir.

O uso destas drogas é comumente associado com tratamento de cachorros depois de lutas, mas
há situações perfeitamente legais onde você precisaria ter e saber usar estes medicamentos. Uma
situação assim pode ser alguém envolvido com um esporte perigoso como caçada de porco
selvagem e de repente pode se achar no meio de lugar nenhum (ou pelo menos a milhas da
cidade mais próxima) com um cachorro muito ferido.

Este artigo foi escrito pelo Sr. Barney Fife e é parte do kit de condicionamento que ele vende.
Nós agradecemos por nos permitir reimprimir o artigo, bem como nós o consideramos uma
autoridade em tratamento de choque hipovolêmico e achamos que o artigo dele seria de imenso
valor para os leitores deste livro.

Depois da Luta
por Barney Fife

À marca de uma hora Ambos os Grandes Campeões estavam ainda em um passo rápido. Nem
STP‟s Buck nem Rebel‟s Sandman podiam ficar muito à frente um do outro. Era óbvio que esta
luta seria muito longa, e eu tinha fluidos I.V., Azium e outros equipamentos prontos para usar.
Às 3:17 Buck fez mais um ataque solto e acabou aluta. Ambos os adversários levaram os
materiais médicos para os cachorros deles e trataram de tentar salvar estes grandes buldogues.
Sandman morreu e Buck viveu.

O que salvou Buck não foi nenhuma droga secreta, mágica ou qualquer coisa do tipo. Buck
recebeu fluido “I.V.” intravenoso e Azium - o mesmo tratamento que você pode aprender a
fazer em seu cachorro.

Cachorros morrem por queda de volume de sangue (choque hipovolêmico). O sangue acumulou
nos tecidos do cachorro e já não está circulando ao redor do corpo. Esta falta de volume de
sangue pode ser restabelecida com fluidos “I.V.”.

Eu gosto de injetar Solução leitosa Ringers pela veia cefálica na pata da frente do cachorro.
Você também pode usar a Jugular (veia de pescoço) ou a veia em cima do jarrete na parte
posterior da perna. Coloque um torniquete sobre o cotovelo do cachorro, o que causará o
aumento de tamanho da veia, e assim é mais fácil aplicar. Usando uma agulha de medida 18,
empurre através da pele, mas não da veia. A agulha deve ser aplicada no centro da veia. Se a
veia é perfurada, o fluido I.V. vazará nos tecidos vizinhos e causará inchaço ao redor do local da
injeção.

A mecânica de assentar a agulha corretamente na veia é a parte mais difícil de aplicar um I.V..
Pratique a aplicação de um I.V. em seus cachorros. Você precisará de um amigo para segurar o
cachorro enquanto você insere a agulha na veia. Continue praticando até que você se sinta
confortável executando este procedimento. Você terá dificuldades em aplicar um I.V. em um
cachorro de luta em estado de choque, se você não praticar estas técnicas.
Uma vez que a agulha está colocada corretamente no centro da veia, segure-a na posição
prendendo com fita na perna do cachorro. Encaixe o tubo do I.V. na agulha depois de retirar
todo o ar da mangueira. Agora você pode injetar 10 cc de Azium (dexametazona) na entrada de
injeção do tubo I.V.. Tenta manter a perna do cachorro estendida porque os fluidos deixarão de
correr se ele comprimir a perna debaixo do tórax dele.

Depois que o I.V. está injetando e você deu 10 cc de Azium, limpe qualquer ferida com
Betadine e água. Então você paga ou recebe as apostas, conversa sobre cachorros e bebe uma
cerveja.

Eu gosto de injetar dois litros em um cachorro de 40 libras durante uma hora. Um cachorro
maior precisa de mais fluidos e um cachorro menor, menos fluidos. O engano mais comum que
eu vejo é não aplicar bastante fluido ou injeta-lo debaixo da pele. Você pode ser muito agressivo
tratando um choque.

O melhor momento para começar um I.V. é no ringue, logo antes do choque começar e os
sistemas venosos começam a falhar. Comece a aplicar o I.V. e então remova o cachorro para
uma área mais tranqüila.

Esta é uma lista de equipamentos para levar à partida:

· Lactated Ringers - três litros (Estéril)


· Azium - concentração de 2 mg por cc (Estéril)
· Tubos para I.V. ou gancho (Estéril)
· Esparadrapo
· Agulhas estéreis medida 18
· Cabide – para pendurar a garrafa de I.V.
. Torniquete - mangueira de borracha
. Toalhas

Estes procedimentos funcionam bem para mim. Somente um dos cinqüenta e seis cachorros que
eu condicionei e manipulei morreu, e aquela morte foi por choque térmico. Além deste, muitos
outros cachorros de jogo (como Gr. Ch. Buck) sobreviveram depois de ter estes procedimentos
executados.

Administrando Medicamentos

Medicamentos Podem ser dados de uma variedade de modos, sendo os principais: via oral
(como pílulas ou líquido), tópicos (pomadas, ungüentos, etc. Estes são aplicados à pele, orelhas
ou olhos), e por injeção subcutânea, intravenosa ou intramuscular. Também há medicamentos
que são de aplicação tópica e absorvidos no sistema através da pele.

Mesmo se você só tem um cachorro como animal de estimação e o leve a um veterinário para
vacinações e outros tratamentos, você deveria estar pelo menos familiarizado com o modo de
aplicar medicamentos orais, ungüentos de orelha e olhos, etc. Estes são coisas você
provavelmente terá que fazer em algum ponto da vida de seu cachorro. Se você tem um canil é
uma boa idéia saber dar todos os tipos de injeções; não só o fará economizar muito dinheiro
aplicando suas próprias vacinas, mas saber dar uma injeção pode salvar a vida de um cachorro
algum dia.
Medicamentos Orais

Podem ser dados medicamentos orais como pílulas ou cápsulas, líquidos, e menos comumente
na forma de pastas ou pós. Há vários modos diferentes de administrar pílulas em um cachorro, e
depende do cachorro e da situação. O modo que achamos mais fácil com a maioria de nossos
cachorros é esconder a pílula ou cápsula em um pedaço de comida - algo do que o cachorro
goste. Nós normalmente usamos um pedaço pequeno de coração de carne de boi crua, ou um
pedaço de uma polegada de hot dog cru. Outras coisas que funcionam bem para isto são queijo,
hambúrguer cru, toucinho cru, ou um pedaço de pão branco untado com manteiga amassado em
uma bola ao redor da pílula.

Nós achamos que o coração de carne de boi funciona melhor; nós o cortamos em um cubo de
uma polegada e fazemos um corte pequeno no meio para esconder a pílula. Até mesmo se o
cachorro mastigar a carne um pouco, a pílula fica escondida lá dentro. A maioria dos cachorros
vai engolir a carne inteira e nunca nota a pílula. Medicamentos via oral também podem ser
escondidos em uma tigela de comida enlatada, a menos que o medicamento seja algo muito
amargo ou de gosto muito ruim.

Nota: Não ponha qualquer tipo de Tetraciclina em queijo, ou qualquer produto de laticínio.

Claro que com comedores “catadores”, cachorros doentes e fora da dieta, ou cachorros que estão
de regime por alguma razão, este método não é tão bom. A propósito, nenhum medicamento
oral deve ser dado a um animal inconsciente. Para cachorros que não podem engolir pílulas
misturadas na comida, você tem que aprender a dar as pílulas diretamente com sua mão ou com
uma pistola de pílula.

Para dar pílulas à mão, pegue a mandíbula superior do cachorro com uma mão, apertando os
lábios superiores com suavidade no espaço atrás dos dentes caninos com seus dedos. A razão
para isto é que o cachorro terá menos vontade de fechar a boca dele em sua mão, porque
fazendo assim ele estará mordendo os próprios lábios. Com sua outra mão, abra a boca dele
abaixando a mandíbula inferior e coloque a pílula tão fundo atrás da língua dele quanto possível.

Permita que a boca do cachorro feche e segure-a fechada se ele tentar cuspir a pílula, e
mantenha a cabeça dele ligeiramente inclinada para trás e massageie a garganta dele para
encorajar que ele engula. Por um pouco de manteiga ou óleo vegetal na pílula ajudará a descer
mais facilmente. Se o cachorro conseguir cuspir a pílula fora, repita os passos acima de até que
ele engula a pílula.

Alguns cachorros lutarão e sacudirão as cabeças de um lado para outro para evitar engolir uma
pílula e será preciso duas pessoas, uma para firmar o cachorro e segurar a cabeça dele e outra
para manter a boca dele aberta e dar a pílula.

Esteja seguro de dar pílulas (ou qualquer outro medicamento) na dosagem e intervalo
recomendados. Medicamentos dados uma vez por dia devem ser dados na mesma hora
diariamente. Medicamentos que precisam ser dados várias vezes por dia devem ser dados a
intervalos regulares, i.e. duas vezes por dia = a cada doze horas, três vezes = a cada oito horas,
quatro vezes = a cada seis horas, etc.

Termine todos os medicamentos prescritos a menos que em caso contrário seja aconselhado por
seu veterinário; em particular no caso de antibióticos isto é muito importante, pois parar o
medicamento muito cedo pode criar microorganismos resistentes; em outras palavras, as
bactérias que você estava tratando voltarão até mais fortes e a droga que você estava usando já
não funcionará naquela infecção em particular.

Uma pistola de pílula se parece um pouco como uma seringa com uma ponta aberta que você
insere a pílula. Você aponta esta para a boca do cachorro, empurre o gatilho, e a pílula salta na
parte de trás da boca do cachorro. Estas coisas podem ser muito úteis, especialmente para dar
pílulas a cachorros menores.

Vermífugos, medicamentos anti-diarréia e antibióticos pediátricos humanos prescritos


comumente para filhotes são todos exemplos de medicamentos que vêm em forma líquida. Nós
achamos mais fácil, pessoalmente, dar líquidos com uma seringa; uma colher de chá é
equivalente a 5cc. Líquidos aplicados em quantidades muito pequenas (por exemplo menos de 1
cc para um adulto) apenas podem ser esguichados na parte de trás da língua do cachorro,
semelhante ao modo que você daria uma pílula. Quantidades maiores precisam ser dadas um
pouco de cada vez, de forma que o cachorro possa engolir sem sufocar. Mantenha a cabeça do
cachorro ligeiramente elevada, segure o focinho dele (boca fechada) e pingue o medicamento na
boca no espaço atrás dos dentes caninos dele, um pouco de cada vez.

Tenha certeza de que ele está engolindo; tente massagear a garganta dele ou apertar o nariz dele
(ele terá que engolir para respirar) para o obrigar a engolir se ele não engolir o líquido sozinho.
Uma vez mais, tente evitar dar óleo mineral - pode ser muito prejudicial se o cachorro sufocar e
entrar nos pulmões dele.

Alguns medicamentos líquidos são formulados para ser saborosos e alguns cachorros os
tomarão com boa vontade, até mesmo lambendo o medicamento de uma tigela. Vermífugos de
pasta e outras drogas semelhantes podem ser dadas do mesmo modo que você daria pílulas ou
líquidos, pós (e também outros medicamentos) podem ser escondidos em uma tigela de comida,
mas cachorros têm uma sensação muito aguda de cheiro; se a droga tem um gosto ruim ou
amargo, ele provavelmente cheirará e se recusará a comer. Pós também podem ser empacotados
em cápsulas vazias e podem ser dados como pílulas.

Medicamentos para Orelhas e Olhos

Podem ser necessários medicamentos para os olhos quando um cachorro tem uma irritação ou
ferimento ocular ou para tratar uma infecção nos olhos. Medicamentos para olhos normalmente
vêm na forma de ungüentos ou gotas. Também há pós vendidos que são etiquetados como
seguros para usar nos olhos; estes pós não só são muito difíceis de entrar nos olhos de um
cachorro, mas eles podem causar intenso desconforto e coceira para o cachorro, assim eles
danificam de fato mais que curam se o cachorro começar a coçar e arranhar os olhos dele por
causa disto.

Há vários tipos diferentes de medicamentos ou combinações de drogas que são postas


comumente em colírios e ungüentos, e cada um é intencional para um propósito específico.
Esteja certo de que você está usando a droga certa para o problema que você tem. Usar um
medicamento que foi prescrito para uma condição completamente diferente pode ser, por
exemplo, desastroso! Se seu cachorro estiver prescrito um colírio contendo uma droga anti-
inflamatória como cortisona para uma irritação ou alergia, e você depois usar estas gotas em seu
cachorro quando ele tiver uma infecção de olho, você pode fazer a infecção de fato se
esparramar - conduzindo possivelmente a dano permanente no olho ou perda total de uma vista.

Um veterinário normalmente é sua melhor apostara para tratar a maioria dos problemas
oculares; não há muitos medicamentos para olhos sem receita disponíveis. Um ungüento de olho
bom que você pode adquirir sem prescrição é Terramicina, que contém tetraciclina e polimixina
B. Este produto é muito bom para infecções de olho brandas. Ungüentos de olho, antibióticos e
colírios comumente prescritos contêm cloramfenicol, gentamicina, polimixina / neomicina B ou
combinações destas drogas.

Importante: antes de administrar colírio ou ungüento, esteja seguro de limpar ao redor do olho
cuidadosamente com um pano suave e água, removendo qualquer sujeira ou pus que pode estar
acumulado nas pálpebras do cachorro ou ao redor dos olhos.

Para administrar medicamentos nos olhos, é útil ter duas pessoas, uma para segurar o cachorro e
a outra para dar o medicamento. Para aplicar colírio, incline para trás ligeiramente a cabeça do
cachorro, segure as pálpebras de um olho aberto com o dedo polegar e indicador de uma mão e
segure o conta-gotas em cima do olho e cuide para não tocar a superfície do olho, pois isto
contaminará o medicamento. Aplique o número exigido de gotas sobre o olho e então permita
que o cachorro feche o olho. Enxugue qualquer líquido em excesso que escorrer para fora do
olho.

Para aplicar ungüento, segure o cachorro como acima, mas em vez de tentar aplicar o ungüento
sobre o centro do globo ocular, use seu dedo polegar para puxar a pálpebra de baixo
ligeiramente longe do olho, e aperte o tubo de medicamento para aplicar uma quantidade
pequena do medicamento no “bolso” entre a pálpebra e o olho. Permita que a pálpebra feche e
massageie as pálpebras em cima do olho fechado com suavidade para esparramar o
medicamento. Cuidadosamente enxugue qualquer ungüento em excesso fora da área da pálpebra
exterior. Outro modo para administrar ungüentos é pôr um pouco do ungüento sobre o seu dedo
indicador limpo, abrir os olhos do cachorro com sua outra mão e com suavidade “pingue” o
medicamento sobre a superfície do olho.

Hammond‟s Little Rufus, filho de Hammond‟s Kilroy e Hammond‟s Delilah II.


Raging Bull Kennel‟s Demon. Uma cria pesada da linhagem Jeep/Rascal filho de Honeycut‟s
Slingshot e Honeycutt‟s Crawdad.

Robin Hefner do Canil Hidden Hollow com Cricket.

Dê qualquer medicamento para os olhos nos intervalos recomendados e na quantidade certa.


Colírios precisarão ser dados mais freqüentemente que ungüentos. Se você está dando um
medicamento que contém a droga atropina, proteja o cachorro de luminosidade, pois esta droga
causa sensibilidade à luz.

Medicamentos para ouvido normalmente vêm na forma de gotas ou ungüentos quase líquidos;
as orelhas devem ser limpas completamente antes.
Se um cachorro tem que uma infecção de ouvido séria que é muito dolorosa, dependendo do
temperamento do cachorro pode ser melhor que um veterinário dê anestésicos ou sedativos para
fazer a limpeza. Caso contrário, você pode enxaguar e limpar as orelhas você mesmo usando
uma seringa de orelha de bulbo de borracha (o mesmo tipo mencionado no capítulo sobre
nascimento, mas não use a mesma para ambos os propósitos) e uma tigela de água com solução
de Betadine misturada o bastante para se parecer com chá.

Encha a seringa de bulbo com água, então com suavidade enxágüe o canal do ouvido com ela.
Não cutuque a ponta da seringa na orelha, e não aperte muito forte como se você estivesse
tentando dinamitar a sujeira para fora da orelha. Enxágüe a orelha suavemente várias vezes,
massageando a base da orelha do lado de fora para tirar a cera e a sujeira solta. O cachorro
provavelmente terá vontade de se sacudir e nós sugerimos que isto deva ser feito ao ar livre ou
na banheira. De qualquer maneira, depois que você enxaguar com a seringa até que nenhuma
sujeira mais escorra para fora, enxágüe algumas vezes mais com água morna, para ter certeza de
que nenhum sabão ficou para trás.

Então, use gaze ou bolas de algodão para limpar completamente e com suavidade a ponta da
orelha, e dentro da orelha até onde você pode alcançar. Use só gaze ou bolas de algodão, não
cotonetes. Você não pode cutucar e espetar profundamente no canal do ouvido; você se arrisca a
romper o tímpano, e pode empurrar cera e sujeira para dentro do canal auricular e piorar as
coisas.

Depois que a orelha estiver limpa, aplique o medicamento que você está usando como
especificado. Não inunde a orelha com gotas ou ungüento, mas tenha certeza de que você está
usando o bastante para cobrir o canal auditivo inteiro. Massageie a parte de fora da orelha
depois de aplicar o medicamento para esparramar em volta.

Drogas Injetáveis

Há muitos medicamentos e drogas que devem ser dados através de injeção. É muito importante
dar a droga em questão exatamente como especificado, por exemplo, se for intramuscular, não
dê isto embaixo da pele. Certos medicamentos não funcionarão se eles são dados do jeito errado
e podem causar até mesmo danos de tecido.

Um livro que seria muito benéfico para ter se você quer aprender a dar injeções corretamente é
"Animal Health Technology, A text For Veterinary Aids". Tem algumas fotografias muito
claras e diagramas para dar injeções de tipos diferentes. Há muitas outras informações úteis no
livro, entretanto ele está um pouco obsoleto em algumas coisas - por exemplo, não há nenhuma
menção a certas doenças como Parvovirose, pois foi escrito em 1977.
Sue Briggs e Mike Briggs com Dirty Dog Sadie, filha de Wildside‟s Pete e Wildside‟s Midget.

Matt Lamey com Coy‟s Gr. Ch. B.B. Red.

X-Clan‟s Loki, uma cria sólida das linhagens de Honeybunch, originado de Windy City
Combine.
Pai: Garret‟s Rocky
Mãe: Garret‟s Jan
Os locais adequados para dar injeções subcutâneas e intramusculares.

Os dois tipos de injeções que você deverá saber aplicar se você planeja medicar seus próprios
cachorros são injeções subcutâneas e injeções intramusculares. Se você se antecipa a tratar um
cachorro em choque a algum ponto, você também precisará aprender a dar uma injeção
intravenosa para fixar um fluido I.V.. Este é o mais difícil dos três. O artigo de Barney Fife
descreve como fazer isto, e o livro “Animal Health Technology” também mencionado descreve
em detalhes completos (com vários diagramas e fotografias) como dar uma injeção intravenosa
em veias diferentes do corpo.

Um quarto tipo de injeção que um dono de cachorro pode ter que dar é uma injeção intradermal
que envolve injetar uma substância (normalmente contra alergia) entre as camadas da pele em
lugar de debaixo dela. Qualquer outro tipo de injeções deve ser restrito a um veterinário.

Faça alguém ensinar a você como dar injeções e tente assistir veterinários e outros indivíduos
experientes aplicar injeções tantas vezes quanto você pode, até que você se sinta confortável na
certeza de que você sabe o que você está fazendo. Se você não está seguro do que você está
fazendo, não faça!

Sempre use uma agulha nova e esterilizada, elas se contaminam depressa e se você as reutiliza,
então você se arrisca a causar abscessos a menos que elas sejam limpas cuidadosamente e
esterilizadas.

Nós também deveríamos mencionar que enquanto é legal tratar seus próprios cachorros
(incluindo dar injeções), fazer isto para outras pessoas pode te causar um possível processo se
coisas não derem certo, ou uma acusação de “praticar medicina veterinária sem uma licença”.
Mostre a alguém como fazer se eles perguntarem, mas pense duas vezes antes de fazer isto para
eles, a menos que seja um amigo íntimo.

Injeções subcutâneas

Isto envolve injetar um medicamento debaixo da pele. Muitas vacinas, como também injeções
de penicilina de longa ação, são deste modo normalmente aplicadas. Este é também o modo
como fluidos I.V. são freqüentemente aplicados para tratar filhotes muito pequenos com
desidratação, causada por vômito e diarréia, etc..

O melhor lugar para dar a injeção é na parte de trás entre os ossos do ombro. Belisque uma
dobra de pele e insira sua agulha na pele. Tenha certeza você atravessou toda a pele, mas não até
o outro lado da dobra que você fez.
Puxe um pouco o bulbo da seringa; você não deverá ver sangue na seringa, se tiver sangue você
retira sua agulha e escolhe um local novo. Se você não achar sangue, comece a injetar o
medicamento ou vacina. Se você está encontrando muita resistência, ou se o líquido não injeta,
você pode estar entre as camadas da pele em lugar de através dela - com suavidade insira a
agulha um pouco mais adiante e tente novamente.

Depois que você injetar tudo do fluido, arranque a agulha da pele e deixou a pele solta. Pode
haver um pequeno caroço onde você deu a injeção, que será absorvido gradualmente.

Injeções Intramusculares

Uma injeção intramuscular é um pouco mais difícil; se você não dá isto no lugar correto você
pode acertar um vaso sanguíneo ou um nervo e pode fazer um dano permanente. O local de
injeção habitual é na parte posterior da perna, a meio caminho entre o joelho e o quadril e em
direção à parte de trás da perna, entrando do lado exterior. Veja o diagrama da página 185 para
as áreas onde dar injeções subcutâneas e intramusculares, Sempre esteja seguro de puxar o
êmbolo da seringa e conferir se há sangue para ter certeza de que você não entrou em um vaso
sanguíneo. Injete o medicamento lentamente e continuamente, então retire sua agulha com
cuidado.

É sempre melhor ter alguém para conter o cachorro para você, mas se você precisa dar uma
injeção intramuscular sozinho em um cachorro razoavelmente tratável, você pode fazer isto
trazendo o cachorro para o final da corrente dele e puxando o traseiro dele para fora, assim ele
fica estendido na área dele até onde a corrente alcança. Então, segure o cachorro para ficar longe
da cabeça dele, então se agache e com uma mão, segure a perna que você está injetando (tenta
manter a cauda presa de alguma maneira debaixo daquela mão, se você pode) e com a outra mão
dê sua injeção.

Não tente isto com um cachorro muito feroz, pois você pode feri-lo se ele lutar ou der pontapés
com a perna dele enquanto você está dando a injeção.

Cuidados gerais com a Saúde e Problemas Diversos

Muitas áreas sobre cuidado com a saúde Foram abordadas em outros capítulos, particularmente
o capítulo que precede este sobre cuidados com o quintal. É importante manter seus cachorros
na melhor saúde possível, ofereça moradia adequada, alimente com uma comida de qualidade e
mantenha um programa controlado de vacinação e vermifugação, e examine seus cachorros
diariamente para localizar sinais de enfermidade ou ferimentos. Todas estas coisas serão de
grande ajuda para minimizar problemas de saúde sérios, mas ainda há coisas que você pode ter
dificuldade não importa o quanto seus cães são bem cuidados. Aqui estão algumas mais
comuns.

Oranulomas de Lambida

Estas são chagas grandes, normalmente do lado de fora da articulação do pulso do cachorro que
acontecem por causa do cachorro que lambe repetidamente a mesma área. A área ficará
vermelha primeiro, então despelada e brilhante, e eventualmente haverá uma inchação grande ao
redor do ferimento de lambida.

As razões para este comportamento podem variar, isto é um hábito ruim é (do tipo roer unha)
que freqüentemente é causado apenas por tédio. Outras possíveis causas incluem dor na área
afetada de um osso quebrado anteriormente, ou as feridas que começam como feridas de pressão
por estar em uma casa de cachorro sem roupa de cama.

Muitos tratamentos foram experimentados para este problema, com vários graus de sucesso. O
que nós tivemos sucesso pessoalmente é o seguinte: primeiro, nós aplicamos uma pomada
chamada Variton (o nome foi mudado para Band Guard recentemente) para tratar a ferida três
ou quatro vezes por dia. Este material é muito, muito amargo e desencorajará o cachorro a
lamber no local. K.V. Vet Supply (veja no fim do livro) possui o produto. Se você não pode
consegui-lo, você pode tentar spray ou creme Bitter Apple, que está disponível na maioria das
lojas de animais.

Dica: você pode precisar aplicar a pasta também no tornozelo oposto, pois alguns cachorros
trocarão as pernas e simplesmente começarão a lamber no outro lado.

Então, nós observamos se a casa do cachorro não está úmida por dentro, e nós colocamos uma
quantidade boa de roupa de cama suave e seca lá dentro - lascas de cedro ou pinho são perfeitas
para isto. Ultimamente, nós tentamos aliviar o tédio do cachorro para (esperançosamente)
prevenir o comportamento no futuro. Nós fazemos isto dando para o cachorro brinquedos de
mastigar como Ultra Kong, ossos de vaca, etc. ou oferecendo um osso de perna de boi de vez
em quando.

Mordidas de Inseto e Aranha

Reações brandas a mordidas e picadas podem ser tratadas com Benadryl ou você apenas pode
esperar e ver se o problema desaparece sozinho, pois a maioria das reações normais some dentro
de um dia. Reações anafiláticas sérias onde o cachorro parece com erupções ou inchaço
extremo, dificuldade de respirar, ou mesmo colapsos, requerem Epinefrina.

Mordida de Aranha pode ser até mesmo mais problema que as mordidas de serpentes venenosas
(e podem ser confundidas com elas), pois as mordidas de certas aranhas causarão inchação
dolorosa severa e necrose de tecido extensa (o tecido é exterminado pela toxina e apodrece) e
podem ser especialmente sérias em um filhote pequeno. Nós temos viúvas negras e marrons na
área onde nós vivemos e tivemos vários cachorros mordidos durante anos. Um filhote jovem
perdeu a pele do traseiro inteiro e ficou permanentemente cicatrizado.

Não há muito que você possa fazer a não ser desinfetar qualquer ferimento da mordida e tratar
alguma infecção. Conferir periodicamente dentro e debaixo de casas de cachorro para localizar
estas aranhas e as matar ajuda, especialmente se você tem casas elevadas em pernas debaixo das
quais os filhotes podem rastejar, pois viúvas negras em particular serão achadas freqüentemente
no fundo de casas de cachorro.

Você também deve conferir dentro das casas deles para localizar vespas e ninhos de abelha.
Estes insetos construirão freqüentemente os ninhos deles no lado inferior de um telhado de casa
de cachorro, e eventualmente expulsarão o cachorro para fora da própria casa.

Nós tivemos que dedetizar um ninho de vespa de seis polegadas de diâmetro com mais de vinte
vespas que se manteve em uma casa de cachorro uma vez depois que nós notamos que nosso
cachorro Bulldozer só entrava tarde da noite na casa dele. O pobre Dozer deve ter sido picado
alguns vezes, assim ele se sentava fora de casa até que todas as vespas foram se conformado
com a noite e então cuidadosamente rastejava até a casa para ir dormir.
Feridas de Coleira

Às vezes, por qualquer razão, o pescoço de um cachorro ficará irritado e vermelho; em casos
extremos a área da garganta estará vermelha, escorrendo, e cheia de bolhas de pus. Em casos
severos onde você pode não ter notado o problema imediatamente, depois de alguns dias a área
do pescoço inteira terá um cheiro de podre e a coleira ficará toda melada.

As causas disto variam, as duas razões mais comuns para isto (em nossa experiência) parecem
ser uma coleira que é muito dura ou em muito apertada, ou aquele cachorro em particular que
tem um hábito de se apoiar na corrente enquanto ele corre ao redor, causando a irritação no
pescoço dele. Outras possíveis causas são pequenas verrugas ou tumores no pescoço que são
esfregadas fora e causam uma infecção de pele, um cachorro que parece ter uma reação a ter um
anel de metal encostado no pescoço, e mordidas de aranha na área do pescoço. Esta última causa
é talvez uma das piores, pois haverá muita inchação e doerá no começo com a mordida, e assim
que as inchações começam a coleira vai a apertar no pescoço.

O tratamento para isto é como se segue. Primeiro retire a coleira contaminada do cachorro -
você pode ter que ensaboar e esfregar para tirar o cheiro, ou até mesmo jogar fora se é uma
coleira velha. Então, com suavidade esfregue a área inteira com um anti-séptico como Betadine
ou Nolvasan. Seque cuidadosamente com uma toalha suave, e aplique um suave anti-séptico ou
ungüento antibiótico. Nós normalmente usamos ungüento de Furacin para isto. Você precisará
fazer isto pelo menos duas vezes por dia se o ferimento é muito ruim.

Se há muita infecção, seria uma boa idéia dar para o cachorro antibióticos via oral ou injetáveis
durante cinco a sete dias, algo de ação ampla como Ampicillina (oral ou injetável) ou
Tetraciclina (para cães adultos, apenas oral).

Ponha o cachorro em uma gaiola (sem coleira) se você pode até que ele cure, ou se isto não for
possível, ponha uma coleira tão suave quanto você pode encontrar nele, como uma coleira de
fibra sintética suave ou uma velha e puída coleira de couro - esta é a única vez que nós usamos
coleiras de couro. Ponha a coleira tão solta quanto seja seguro, e ponha o cachorro em uma
corrente mais leve se você pode.

Uma vez que ele está completamente curado, você pode pôr uma coleira regular nele. Se o
problema parece continuar acontecendo e você suspeita que o pescoço do cachorro está irritado
por um anel “O” de metal, você pode ter que trocar por algum tipo de grampo, ou prender a
coleira dele diretamente à corrente dele pelo anel “D” que vem nela.

Micose

Outro problema comum observado é micose e outras infecções de fungos da pele. Apesar do
nome, isto não tem nada a ver com qualquer tipo de lombriga. O sinal habitual é um ou mais
áreas redondas inchadas na pele do cachorro que fica escamosa e às vezes cercada por um anel
de inchaços em forma de bolhas. O cabelo naquela área normalmente ou fica escasso ou cai
completamente.

Tempo úmido parece contribuir para problemas com fungos, especialmente se o cachorro
molhou a roupa de cama na casa dele ou barril. Às vezes o círculo típico não é visto, mas apenas
haverá áreas escamosas, brancuras ao redor de cicatrizes velhas e feridas. Cachorros com
sistema imunológico fraco parecem ser mais suscetíveis a infecções de fungos, e fungos também
podem ser um invasor secundário depois de sarna generalizada, infecções de pele, ou feridas
sérias.
Para problemas de fungo secundários, esfregar com iodo (Betadine) ou clorexidina (Nolvasan)
pelo menos uma vez por dia, e aplicar um ungüento de pé de atleta (Micatin ou qualquer outra
coisa que contém nitrato de iniconazole) depois de esfregar normalmente curará o problema.

Infecções mais sérias podem requerer um antimicótico via oral como Griseofulvin que você
precisará obter de um veterinário através de prescrição. A droga é normalmente administrada
durante trinta a quarenta e cinco dias. Se o cachorro também tem ao mesmo tempo uma infecção
de pele bacteriana também podem precisar ser dados antibióticos.

Nós vimos problemas de fungo sérios, junto com infecções bacterianas, em filhotes de cachorro
imunodeficientes. Nós também tivemos feridas de micose pequenas e localizadas que aparecem
de vez em quando em nossos cachorros. O lugar mais comum parece ser o nariz e face em
cachorros adultos. Fungos tendem a invadir tecidos de cicatriz, assim (por exemplo) um
cachorro que levou uma mordida no nariz a algum ponto pode ter micoses periódicas. Esta é a
razão por que nós gostamos de usar produtos de iodo e/ou clorexadina para cuidar de feridas,
isto ajuda a impedir que os fungos se estabeleçam em tecidos de ferida.

Manutenção de Registros

Nós recomendaríamos que os donos mantenham algum tipo de registro médico sobre os
cachorros deles, se eles têm um cachorro ou cem. É impossível manter toda a informação de que
você precisa em sua cabeça. A informação que você sempre vai estar usando sobre seus
cachorros é o nome registrado completo deles e número de inscrição (no caso de você perder
seus documentos) como também a data de nascimento, nomes de pais, etc.. É uma boa idéia
também anotar quando as cadelas têm cio, e se foram acasaladas quando deviam, quando os
filhotes nasceram, quantos, e qualquer outra informação que pertence a ninhadas.

Você também deveria manter registro de quando os cuidados médicos rotineiros foram
determinados, como vacinações, vermífugos e outros medicamentos. Deste modo, você sempre
saberá quando um cachorro deve ser vermifugado ou vacinado. Você pode ser até mesmo mais
completo em seus registros se você quiser e registrar notas detalhadas sobre tudo que é feito
com cada cachorro, as coisas acima são apenas o essencial.

Os primeiros registros que nós mantivemos eram um arquivo de cartões, com um ou mais
cartões em cada cachorro. Nós tivemos depois três agendas de anel cheias de folhas maiores que
nós tínhamos para cada cachorro, e então progredimos para arquivos criados em um processador
de antigo que nós tivemos.

O sistema de registros atual que nós temos usado aproximadamente uns três semestres é um
programa de pedigree em nosso computador. Se você tem um computador, qualquer programa
de banco de dados pode ser usado para estes registros; tudo que você realmente necessita é algo
capaz de manter registros individuais para cada cachorro. Se você é um usuário de Windows
você pode usar até mesmo o programa “Cardfile” em seu grupo de acessórios, mas se você tem
algo que mantém alguns campos de procura separados em lugar de apenas notas de livre forma,
você poderá procurar seus dados mais eficazmente.

Claro que registros não têm que ser “de alta tecnologia”, mas se você é um usuário de
computador, o seu computador é o lugar mais eficiente para manter os registros médicos de seus
cachorros. Nós também conhecemos muitas pessoas que usam pastas de arquivo grandes para os
registros individuais dos cachorros deles, e isto parece trabalhar bem. Se você usa pastas de
arquivo, fichas ou alguma outra fonte de papel, mantenha tudo em um só lugar e não os leve
para longe daquele lugar de forma que você não gaste metade de seu tempo procurando
registros extraviados!

Alguns medicamentos Comumente Usados e Suas Dosagens

Droga Dosagem Freqüência Indicação


Albon - tabletes 25 mg / libra no Uma vez ao Para cocciodiose e
(Sulfadimetoxina) primeiro dia, então dia infecções bacterianas,
12,5 mg / libra tratamento por 5 dias.
Disponível apenas com
prescrição.
Amoxicilina 250 mg 1 cápsula para cada De 6 a 8 Para mastite, tonsilite,
cápsulas 25 – 50 libras horas feridas etc. tratamento de 5
a 7 dias. Não precisa de
prescrição se vendido para
peixes de aquário.
Ampicilina 250 mg O mesmo que O mesmo O mesmo acima.
Cápsulas Amoxicilina que
amoxicilina
Aspirina 1 tablete de 325 mg A cada 6 Dor e inchaço*
(BUFFERED) para cada 30 libras horas
Benadryl 12,5 a 25 mg Uma vez ao Para reações alérgicas
(Difenildramina dependendo do dia suaves. Causa sonolência.
hidrocloride) tamanho
Dramamine 25 – 50 mg, 1 hora após Para enjôo de automóvel.
dependendo do viajar Causa sonolência.
tamanho
Peróxido de 1 cc para cada 3 Cada 10 Para induzir vomito: pare na
hidrogênio 3% libras minutos terceira dose
(água oxigenada)
Immodium liquido 1 mg para cada 25 Uma vez ou 1cc de liquido trata um
(loperamida)*** libras duas por filhote de 5 libras. Bom para
dia diarréia simples.
Kao – Pectate 1 cc por libra A cada 4 Para diarréia enquanto
(Kaolin – Pectin horas necessário.
Susp.)
Óleo mineral 0,5 a 1 cc por libra Uma vez ou Para constipação quando
duas por um cão engole um objeto
dia estranho, não dê à força,
via oral ponha na comida
Pepto Bismol 0,25 cc por libra Cada 4 Para diarréia, náusea, e/ou
(Subsalicilato de horas vômito enquanto necessário.
Bismuto 1,75%) O melhor remédio para
gastrenterite causada por
vírus ou bactérias.
Tetraciclina 250 mg 1 cápsula para cada A cada 8 Para infecções como
Cápsulas** 25 libras horas mastite, tonsilite, feridas etc.
Não precisa de prescrição
se vendida para peixes de
aquário.

Notas especiais
* não dê aspirina por mais de 3 ou 4 dias amenos que determinado por um veterinário
** tetraciclina deve ser dada com comida para prevenir problemas de estômago. Não dê
tetraciclina a filhotes com menos de seis meses de idade ou cadelas grávidas. Não dê leite
ou produtos de leite a um cão usando tetraciclina.
*** Causará constipação se você der demais ou por muito tempo. Não use em cães que tem
náusea, vômito ou outros sintomas de enjôo.
Vacinações de Rotina

Nós vacinamos nossos cães para Destempero, hepatite (Adenovirus 2), Parainfluenza,
leptospirose e Parvovirus com 6, 8, 20, 12, 14, 16, e 20 semanas de idade. Nós damos uma
vacina adicional com 5, 7 e 9 semanas de idade. Nós chamamos o veterinário uma vez por mês
para vacinar todos os filhotes com mais de 4 meses de idade e os adultos para uma vacina anti-
rábica.

Doença Idade de vacinação Comentário


Destempero A cada 2-3 semanas Não tão urgente quanto antes, mas
canino começando com seis ainda um tratamento sério.
semanas de idade até
16 semanas, e então
anualmente
Adenovirus tipo 2 O mesmo que acima. Esta vacina dá proteção cruzada contra
Hepatite canina infecciosa.
Parainfluenza O mesmo que acima. Uma das causas da tosse canina.
Leptospirose O mesmo que acima, Nós temos vacinado cães de 4
alguns gostam de usar semanas com vacinas contendo
uma vacina sem leptospirose e nunca tivemos um
leptospirose, antes de 9 problema.
a 10 semanas por causa
de possíveis reações.
Parvovirose Baixo risco: a cada 2-3 Nós preferimos vacina viva modificada
semanas começando e recomendamos altamente Fort
com 6 semanas de idade Dodge’s KF-11 Parvo Vaccine.
até 18 a 20 semanas, e
então anualmente
Alto risco: de semana
em semana até 9
semanas, então a cada
2 semanas até 20
semanas de idade
Coronavirus O mesmo que Nós nunca tivemos um cão
Parvovirus em áreas contaminado por esta doença.
onde coronavirus é um
problema
Raiva Depende da lei local; Deve ser dada com licença veterinária
(requerido por lei comumente usada com em quase todos os estados. Alguns
em quase todos os 4 ou 6 meses de idade, estados requerem vacina todo ano.
estados) então um ano depois,
então a cada 3 anos.
Bordetella Opcional: dada com 7-8 Uma boa idéia dar esta vacina se você
semanas e seguida por tem problemas com tosse canina, ou
um reforço 2 a 3 viaja com cães para shows, etc.
semanas depois, então
anualmente
Doença de Limo Opcional; comumente Doença causada por carrapatos e está
dada com 12 semanas, ficando mais espalhada.
seguida por um reforço 2
a 3 semanas depois,
então anualmente
Notas especiais
Siga as bulas e rótulos das vacinas, algumas podem ser intramusculares ou subcutâneas, mas
outras devem ser aplicadas apenas intramusculares. Sempre use uma seringa nova e esterilizada
para vacinas.

Vermifugação
Nós vermifugamos filhotes com um vermífugo de pyrantel a cada semana começando com 2 ou
3 semanas até 7 a 8 semanas, então os colocamos em um programa adulto. Nossos adultos são
tratados mensalmente com Ivermectin para proteção contra vermes do coração, e também
lombrigas e esquistossomos na dosagem que usamos. Nos damos Droncit para platelmintos toda
vez que adquirimos um cão novo, ou vemos pedaços de vermes ou temos pulgas no quintal.
Veja capitulo 16 para mais detalhes sobre vermifugação.

Untouchable‟s Ch. Chewy, nove vezes vencedor, no dia depois da vitória sobre Ch. Reggie.

J. Mayfield‟s Dizzy Lizzie, uma cadela de luta de morte.


Kid Solo e seu cão Simon Phoenix, uma cria voltada de Tiger Lil / bandit do canil Wildside
filho de Hellraiser e Sparkle.
Capítulo Quinze

Problemas Gastro-intestinais
Enquanto não é nossa intenção tentar abordar cada sistema do corpo de um cachorro e todas as
possíveis enfermidades e problemas que cada sistema pode ser afetado, nós sentíamos que os
problemas gastro-intestinais garantiam uma seção própria para eles, porque eles são encontrados
muito comumente (especialmente gastrenterite) e podem ser devastadores se tratados de forma
imprópria.

Gastrenterite

Um dos mais comuns e devastadores problemas em filhotes jovens é a diarréia. Diarréia em si


não é uma enfermidade, mas sim um sintoma de irritação do colo do intestino, conhecida como
enterite. Vomitar é um sintoma de gastrite, que é a irritação do estômago. Quando diarréia e
vômito estão presentes, a condição é conhecida como gastrenterite. Algumas das causas mais
comuns de transtornos na área digestiva em cachorros são:

 Mudança de dieta
 Tensão ou excitação
 Infecções de Vírus
 Infecções Bacterianas
 Parasitas Intestinais
 Torção Gástrica
 Envenenamento
 Comer demais
 Obstrução de objeto estranho
 Alergia a comida

Sempre que um cachorro ou filhote de cachorro tem diarréia, é importante tomar nota da
aparência das próprias fezes, e se há qualquer outro sintoma presente. Fezes soltas sem sangue,
muco, ou qualquer outro sinal de enfermidade podem ser atribuídas possivelmente a uma
mudança na comida ou água, pode ser comida demais, parasitas como lombrigas ou
protozoários, ou possivelmente um caso moderado de enterite bacteriana, mas também pode ser
possivelmente o primeiro sinal de uma infecção de viral séria como Parvovirus ou Coronavirus.
Nós vimos casos de Parvovirose onde este tipo de diarréia apareceu um dia antes dos sinais
típicos da doença.

Diarréia sangrenta ou diarréia com outro sintoma - por exemplo, vômito, depressão, febre,
anorexia (falta de apetite) ou dor abdominal, quase sempre é um sinal de algo sério e demanda
atenção imediata. Além de Parvo e Coronavirus, diarréia sangrenta ou acompanhada por alguns
ou todos os sinais acima podem ser um sintoma de esquistossomose severa ou infestação de
lombrigas, envenenamento, ou algum objeto estranho que perfurou os intestinos. Em filhotes
jovens, até mesmo um caso simples de diarréia causada por comer demais ou por uma mudança
na dieta pode conduzir a enfermidades sérias se a diarréia não for controlada.

Normalmente, o intestino delgado exerce um papel principal na digestão; a comida é triturada e


em parte digerida através de sucos gástricos no estômago e então lentamente viaja pelo intestino
delgado. Lá é digerida um pouco mais e a maioria da água é absorvida, como também os
nutrientes. Quando um cachorro tem diarréia, a comida meio digerida passa pelos intestinos
muito mais rápido que deve. Isto é chamado hipermobilidade de intestino. O resultado é que
pouco ou nada é absorvido do intestino delgado.

Um filhote jovem ficará fraco e desidratado depressa. Desidratação séria conduzirá a um


desequilíbrio eletrolítico, que por sua vez, causa náuseas. A náusea resulta em perda de apetite e
vômito; o filhote de cachorro ficará mais fraco e pode morrer eventualmente como resultado de
desidratação e fome.

É uma idéia boa, para todos os cachorros, mas especialmente com filhotes abaixo da idade de
quatro meses, observar habitualmente para procurar sinais de diarréia ou vômito. Com doenças
virais como parvovirose, quanto mais cedo você reconhece e trata os sintomas, mais chance
você tem de tirar o cachorro das dificuldades. Emergências médicas como envenenamento,
torção gástrica ou bloqueio intestinal devem ser tratados imediatamente; em alguns casos uma
demora de apenas uma hora ou duas poderá significar morte.

Já que a maioria dos problemas gastro-intestinais é mais provável de acontecer em filhotes de


cachorro, e uma vez que eles sucumbem a este tipo enfermidades facilmente, nós estaremos
usando filhotes como exemplo ao longo desta seção, mas os mesmos sinais de enfermidade
podem ser observados em cachorros de qualquer idade.

Uma boa hora para conferir se há problemas é de manhã cedo, ou na hora de alimentar. Observe
como os filhotes em uma gaiola reagem quando você se aproxima; eles devem estar alertas e
ativos. Se eles estiverem na casa, eles todos devem vir e mergulhar na tigela de alimento quando
você a coloca no chão. O peso corporal deles deve estar bom; os quadris e espinhas bem
cobertos com gordura, e as barrigas bonitas e redondas.

Sinais de perigo são filhotes que não saem da casa ou se sentam sozinhos enquanto os outros
comem, um filhote que parece “vazio” ou fraco, babando, um filhote que parece desorientado,
instável nos pés dele, ou fraco, ou um cujos olhos parecem carentes. É difícil de descrever este
último sinal exatamente, mas você conhecerá se você vir.

Olhe ao redor da gaiola para procurar sinais de diarréia ou vômito. Se os filhotes acordaram
recentemente ou acabaram de comer eles provavelmente estarão vagando ao redor da gaiola
procurando um lugar para “ir”. Esta é uma boa hora para observar qualquer problema. A cor e
consistência das evacuações intestinais variam e dependem do tipo de comida que você está
dando (por exemplo, uma comida como ANF 30 produzirá fezes muito mais firmes, menores
que comida de filhote), mas de qualquer jeito, elas devem ser sólidas.

Apanhe qualquer filhote que não parece certo. Ele parece mais leve que os outros? O nariz dele
está frio e ligeiramente úmido ou está quente, seco ou rachado? Ponha o filhote em pé e levante
a pele nas costas entre os ossos do ombro dele. Quando soltar, a pele deve saltar de volta
depressa e deve parecer elástica. Se ela se arrasta de volta lentamente, o filhote está desidratado.
Se a pele fica armada como uma barraca, o filhote de cachorro está extremamente desidratado e
precisará de fluidos imediatamente para sobreviver.

Se um filhote parece um pouco “pra baixo”, ofereça a ele um agrado - coração de boi picadinho
cru, ovos mexidos, queijo, ou qualquer coisa que o filhote poderia demonstrar interesse. Se ele
engole tudo entusiasticamente, você pode relaxar um pouco mais, mas se ele apenas cheira ou
recusa completamente, você está com um problema provável.

Diarréia

Se há diarréia na gaiola de filhotes, dê uma olhada nela. Fezes soltas como sorvete mole podem
indicar desde dieta de qualidade pobre ou excesso de alimento até lombrigas, coccidiose ou
enterite bacteriana. Diarréia que tem consistência de cimento molhado ou massa de panqueca
(nós chamamos de “splat”) é freqüentemente devida a coccidiose ou enterite bacteriana, mas
ocasionalmente, como nós mencionamos antes, você verá isto em cães com parvovirus ou
coronavirus nas primeiras fases, antes da diarréia sangrenta e vômito começarem.

Hammond‟s Andy B, um filho de Andy L e Batima. Cruzado 7/8 Alligator e um dos quais Sr.
Hammond acha que produzirá bons cães nos próximos anos.

Butcher Boy‟s Ch. Black Nailus, filho de um cruzamento irmão / irmã entre King Limey‟s Nelis
e King Limey‟s Tug,dois produtores ROM no Reino Unido.

Diarréia com sangue vermelho e fresco e/ou mucoso é freqüentemente um sinal clássico de
coccidiose ou enterite bacteriana e também é visto às vezes com infecção de esquistossomo ou
lombrigas. Pode ser causada através de irritação ao intestino grosso por objetos como grama ou
coisas pontiagudas que o cachorro pode ter engolido. Também é ocasionalmente causada apenas
por tensão em alguns cachorros.
Maurice Carver com Bullyson.

Diarréia negra e permanente é um sinal de hemorragia do estômago ou intestino delgado (ao


invés de sangrar no cólon, o que será notável por sangue fresco nas fezes) e pode ser um sinal de
infecção viral, esquistossomo, ou perfuração intestinal causadas por algum tipo de corpo
estranho como um osso de galinha. A cor é escura porque o sangue é digerido em parte pela
sistema digestivo superior.

Diarréia sangrenta tem um odor muito pútrido e, dependendo da seriedade, pode ter um cheiro
metálico, sangrento. Isto às vezes é chamado “cheiro de Parvovirose”, mas necessariamente não
é um sinal de Parvovirus. Às vezes a diarréia sangrenta parece rosa - como um rosa muito pálido
da cor de sopa de beterraba.

Diarréia pode ter uma cor esverdeada ou amarela. Diarréia aguada é um sinal de
hipermobilidade extrema do intestino; quanto mais aguada, o mais extrema. Diarréia aguada
prolongada desidratará depressa e debilitará um cachorro ou filhote e deve ser tratada - Não
espere que ela “sare sozinha”.

Tiras espessas, translúcidas ou brancas e aglomerações de tecido - material como esse nas fezes
são pedaços do forro intestinal que foi trocado devido a irritação severa ou infecção. Isto é visto
em infecções pesadas de certos parasitas internos, e às vezes nas primeiras fases de parvo ou
corona. Nós vimos várias vezes com infecções pesadas de um certo tipo de platelminto.

Vômito

Se um cachorro ou filhote de cachorro vomitou, tome nota com que freqüência está vomitando,
o que o cachorro lançou, e se você os vir fazendo isto, como ele vomitou; às vezes se um
cachorro come demais, ou bebe muita água e muito rápido, eles vão “arrotar” um pouco, isto
normalmente não é nada com que se preocupar.

Vômito súbito, projetado, onde um cachorro vomita sem qualquer aviso em uma erupção súbita
(o vômito pode voar vários pés de distância) é freqüentemente um sinal de algum tipo de corpo
estranho ou obstrução mais alta no sistema digestivo, ou se acontece em um filhote
recentemente desmamado, cada vez que o filhote come algo grande ou sólido, poderia ser uma
condição como estenose pilórica, que é um problema que envolve a válvula pilórica, a abertura
que conduz do estômago ao intestino delgado.
Com estenose pilórica, o filhote de cachorro poderá digerir líquidos em quantidades pequenas,
mas não comida sólida porque a válvula está subdesenvolvida e a abertura muito pequena.
Alguns destes filhotes podem ser salvos alimentando pouco e freqüentemente, comida líquida
até que a válvula pilórica seja grande o bastante para permitir a comida sólida atravessar. Se
você suspeita que tem um filhote de cachorro com este problema, chame um veterinário para
examinar o filhote, para estar seguro.

Tosse canina, ou qualquer irritação de garganta que causa uma tosse, pode causar vômito. A
tosse ativa o reflexo da garganta, que em troca faz o cachorro vomitar. (Veja o capítulo sobre
Doenças Infecciosas para informação mais detalhada sobre Tosse Canina).

Vômito ocasional necessariamente não é um sinal de perigo; cachorros podem vomitar devido a
excitação, tensão, trauma ou náusea de movimento. Alguns cachorros tendem a comer demais
ou a engolir muita água, e isto também os fará vomitar. Cachorros podem vomitar depois de
comer couro cru ou ossos. Contanto que o cachorro não esteja mostrando qualquer outro sinal
de enfermidade, não há provavelmente nada errado se um cachorro saudável vomita
ocasionalmente. Igualmente, se um cachorro come grama, madeira, farpas de madeira, ou algo
assim e então os vomita, necessariamente não é nenhuma causa para alarme. Alguns cachorros
de corrente tendem a comer coisas por tédio.

Claro que, se um cachorro vomita pedaços de algo e está mostrando alguns dos sintomas
mencionados acima, pode haver mais da substância mais adiante na área digestiva dele e você
pode ter uma emergência em suas mãos, por exemplo, se seu cachorro vomita pedaços de uma
bola ou brinquedo de borracha, mas não o bastante para constituir o brinquedo inteiro. Quando
em dúvida, a coisa mais segura para fazer é levar o cachorro para seu veterinário para um exame
completo e possíveis radiografias.

Se um cachorro vomita repetidamente, primeiro a comida dele e então fluido aguado ou espuma
amarelo-esverdeada, algo irritou o estômago dele. Causas de vômito violento e repetido incluem
infecções virais e envenenamento, e ingestão de corpos estranhos.

Vômito que contém sangue pode ser um sinal de algum tipo de dano ao estômago causado por
um objeto afiado, ou envenenamento. Vômito que contém partículas finas de sangue escuro que
se assemelha a borra de café significa hemorragia no alto do intestino delgado – entretanto, se
você tem um cachorro da casa que gosta de revirar o lixo, talvez seja mesmo borra de café!

Desagradável como pode parecer, é útil, quando examinar objetos duvidosos no vômito ou
diarréia, levar algo como um palito e cuidadosamente sondar o objeto, por exemplo, muco pode
se assemelhar a uma massa de lombrigas à primeira vista. Também, se seu cachorro vomitou ou
teve fezes incomuns e você o está levando ao veterinário, traga uma amostra da substância em
um vidro limpo ou sacola de plástico para seu veterinário examinar primeiro.

Tratamento de Gastrenterites

Quando são vistos sintomas de vômito e/ou diarréia em um cachorro mais velho, pode ser útil
reter a comida durante as primeiras doze a vinte e quatro horas, e também tire a água do
cachorro, mas lhe ofereça quantidades pequenas de água fresca de poucas em poucas horas.

Depois das primeiras vinte e quatro horas comece uma dieta suave de algo como arroz com
caldo de galinha, adicionando um pouco mais da comida regular dele gradualmente a cada
refeição, até que ele regresse à dieta regular dele. Com um filhote, nós vacilaríamos em reter a
comida completamente por mais de vinte e quatro horas. O arroz e mistura de caldo podem ser
benéficos, e se a diarréia e/ou vômito é bastante séria nós recomendaríamos oferecer uma
solução eletrolítica oral (veja abaixo) em lugar de água. Se o cachorro recusa a solução
absolutamente, lhe ofereça água bem fresca para ter certeza de que ele recupera os líquidos.

Com um caso prolongado de diarréia em filhotes que não estão respondendo ao medicamento,
você pode precisar retirar toda a comida sólida por vinte e quatro horas e oferecer apenas
solução eletrolítica ou caldo leve para dar uma quebra no sistema do filhote, e então
gradualmente voltar a comida sólida depois de alguns dias. Uma vez mais, arroz é leve no
estômago e ajudará o filhote a formar fezes sólidas.

Nós não gostamos de oferecer arroz com caldo ou qualquer comida semelhante para nossos
filhotes, a menos que eles tivessem diarréia por um período prolongado de tempo ou o apetite
deles esteja reduzido; caso contrário, filhotes saudáveis com diarréia leve tendem a afundar na
“comida especial” e ficar com diarréia até pior por comer demais!

O seguinte é uma lista de medicamentos que são úteis para tratar diarréia e/ou vômito em
cachorros. Algumas destas drogas só estão disponíveis através de prescrição e podem ser
perigosas ao cachorro se você abusar. A menos que você esteja certo de que você sabe o que
está fazendo, provavelmente seria melhor ter um veterinário aplicando-os em seu cachorro.

Subsalcilato de Bismuto (Pepto Bismol)

Este é um medicamento antidiarréico facilmente obtido em qualquer drogaria e é, em nossa


opinião, o melhor medicamento para diarréia sem comparação para tratar cachorros e filhotes. A
única desvantagem é que é um líquido rosa e espesso que tem gosto de conserva e a maioria dos
cachorros realmente odeia este material.

Nos fomos orientados por veterinários que Pepto Bismol é melhor para usar que preparados
como Kaopectate em situações que envolvem infecções virais e bacterianas, porque absorve as
toxinas produzidas por estes organismos mais efetivamente e reduz a inflamação do forro
intestinal. Também alivia náusea e ajuda a controlar o vômito cobrindo e acalmando o estômago
e neutralizando a acidez.

A dosagem para Pepto Bismol (ou satisfatório genérico equivalente) é um quarto de cc por libra
de peso de corpo, ou uma meia colher de chá por dez libras (uma colher de chá é equivalente a
cinco cc) dado via oral a cada quatro horas. Até mesmo se o filhote de cachorro vomita o
líquido de volta, continue dando a cada quatro horas indiferentemente. Até mesmo a menor
quantidade que fica ajudará.

Combinações de Kaolin e Pectin (Kaopectate)

Este medicamento, como acima, é fácil de adquirir e usar. Enquanto nós preferimos Pepto-
Bismol na maioria dos casos, Kaopectate tende a ser aceito mais facilmente por cachorros e
funciona bem em muitos tipos diferentes de diarréia. Também parece acalmar o estômago um
pouco. A dosagem para Kaopectate é um cc por libra de peso corporal, ou duas colheres de chá
para cada dez libras, administrado a cada quatro horas.

Neomicina

Este antibiótico é comumente usado em preparação de pele e olho e também é usado oralmente
para tratar coccidiose e enterite bacteriana, particularmente em gado. A forma mais segura e
mais conveniente da droga é um produto chamado “Biosol”, disponível como um líquido ou
como tabletes. A dosagem está listada na etiqueta de produto. Veja Apêndice UM para uma lista
de companhias que têm este produto.

Sulfonamidas

Estas drogas são usadas para tratar uma variedade grande de infecções bacterianas e incluem
enterite bacteriana, e é o tratamento de escolha para coccidiose em cachorros. Há várias drogas
de sulfa diferentes que são usadas em cachorros, provavelmente a mais comum é
Sulfadimetoxina, comercializada sob o nome comercial “Albon” como um tablete ou líquido
aromatizado para cachorros, ou como uma bolus (uma pílula grande) ou pó para misturar com
água e líquido para gado.

Crum‟s Caribou, também conhecido como Hollingsworth‟s Paper. Seu pai é filho de Crum‟s
Cremator cruzada com seu irmão Ch. Crash, e sua mãe é filha de Cremator cruzada com
Sorrells‟ Bull.

Smith & Williams‟ Reuben, ROM. Produziu Ch. Fox, Gr.Ch. Badger, Ch. Blaze, e muitos outros
bons cães. Seu pai e mãe são irmãos filhos de Hyde‟s Satch and Hyde‟s Bloody Sunday.

Garrett‟s Ch. Jeep, ROM aos dez anos de idade. Filho de dois produtores de Registro de Mérito
e ele mesmo o vencedor de Registro de Mérito.
Também é vendido em uma forma injetável para o gado; a forma injetável deve ser dada
intravenosa e não deve ser prática para uso em cachorros. As preparações para bicho de
estimação são mais caras e disponíveis apenas através de prescrição de um veterinário, mas são
relativamente fáceis de dosar. As preparações de gado são mais baratas se você está tratando um
número grande de cachorros, mas a dosagem é muito mais difícil de ajustar.

A dosagem em cachorros para o líquido 12,5 %, vendido em um jarro de 1 galão, é um cc por


cinco libras inicialmente e então um cc por dez libras uma vez por dia durante uns quatro dias
adicionais. Uma preparação de sulfa semelhante que pode ser obtida em uma loja de alimentos
ou catálogo de correio é “Sulmet” que é 12,5 % sulfametazina; a dosagem é igual à acima. Estes
produtos não são saborosos e são amargos; a droga pode ser escondida em comida ou pode ser
misturada com xarope Karo ou mel para os fazer um pouco mais fácil aceitar pelo cachorro.

Soluções Eletrolíticas orais

Há uma variedade grande de soluções orais disponíveis para ajudar a restabelecer o fluido e
equilíbrio eletrolítico em cachorros que estão desidratados. Estas incluem preparações
formuladas para gado, bem como várias que são formuladas especificamente para cachorros.
Também há produtos disponíveis em qualquer drogaria formulados para bebês como Pedialyte
que funciona muito bem, e em uma situação de emergência se você não tem acesso a quaisquer
dos produtos acima você pode usar Gatorade - nossos cachorros parecem preferir o sabor
laranja.

Nós tivemos sucesso pessoalmente com um produto chamado K-9 Bluelite. É formulado para
cachorros e está disponível em caixas de pacotes pequenos que podem ser misturados quando
preciso, ou em um recipiente de tamanho de duas libras; você pode misturar quantidades
grandes ou pequenas se você precisa. Algumas outras soluções eletrolíticas, como Entrolyte
estão também disponíveis em pacotes pequenos. O significado disto é que com as marcas que
vêm em uma bolsa grande (ou duas bolsas que têm que ser misturadas) o produto tem que ser
preparado todo de uma vez, há muito desperdício se você só precisa para um par de filhotes,
porque você tem que jogar fora qualquer porção nova depois de vinte e quatro horas.

Uma quantidade pequena de carne de boi ou pó de caldo de galinha pode ser adicionada a estes
produtos para aumentar a palatabilidade, ou até mesmo uma quantia pequena de caldo de
galinha, e filhotes parecem gostar melhor deles quando eles são oferecidos ligeiramente mornos.

Suplementos de Alta Caloria

Há vários baixo-volume diferente, caloria alta completa disponível para usar em cachorros
debilitados e filhote de cachorro que provêem nutrientes e energia sem carregar a área digestiva.

Estes suplementos vêm em várias formas diferentes, normalmente como um gel em um tubo
tipo pasta de dentes (i.e.. Nutri-Cal, Nutri-Stat) ou um líquido espesso (Dyne, Stat-VME) em
uma garrafa. Cada qual tem suas vantagens e desvantagens.

Os suplementos líquidos tendem a ser mais fáceis de encorajar o cachorro ou filhote a beber, e
podem ser misturados com água morna ou soluções eletrolíticas e administrados deste modo.
Nós sempre usamos Dyne, mas não experimentamos Stat-VME pessoalmente, mas parecem ser
da mesma fórmula.
As fórmulas de pasta têm um valor nutricional provavelmente mais alto, mas fazer os filhotes
toma-las de boa vontade às vezes é um pouco mais difícil. Nós usamos muito Nutri-Cal em
filhotes que nós estamos tentando engordar, como depois de uma diarréia.

Uma seringa de 3cc com a agulha removida é um bom modo para dar estes produtos;
simplesmente remova o êmbolo e ajuste a abertura da seringa em cima da boca do tubo, encha o
tubo da seringa com Nutri-Cal, e ajuste o êmbolo atrás na extremidade da seringa. Você agora
pode usar isto para depositar quantidades pequenas da pasta na parte de trás da língua do
cachorro.

Os suplementos líquidos podem ser colocados em uma seringa e aplicados do mesmo modo, ou
postos em uma tigela ou pires para beber.

Terapia com Fluidos

Se você tem acesso a eles, podem ser dados fluidos I.V. quando um animal não pode aceitar
qualquer comida ou líquidos, ou está muito doente para ser dado para qualquer coisa via oral.
Com filhotes pequenos, o modo mais conveniente para dar fluidos é dar vinte a cinqüenta cc de
cada vez, debaixo da pele, repetindo quando preciso.

A solução fluida comumente usada é Solução “Lactated Ringers”, com ou sem 2,5 a 5 % de
dextrose. A dextrose é desejável quando um cachorro não consegue comer qualquer comida
durante vários dias, pois provê uma fonte de energia. Você pode adicionar dextrose à “Lactated
Ringers” somando 100cc de Dextrose 50% para cada 1000 ml, para fazer uma solução 2,5 %.
Uma boa dosagem para fluidos I.V. é três cc por libra de peso corporal, repetindo diariamente
ou várias vezes ao dia enquanto precisar.

Idealmente, a porção não utilizada de uma bolsa aberta deve ser descartada e não deve ser
guardada depois do uso, mas nós armazenamos fluidos (apenas fluidos Lactated Ringer's –
sempre descartamos fluidos com dextrose adicionada) em um lugar fresco, escuro por até um
mês ou mais e vimos veterinários fazer o mesmo. Se a solução fica turva ou tem partículas
flutuantes, deve ser jogada fora.

Quando nós resolvemos problemas com Parvovirus em nosso quintal há alguns anos, nós fomos
afortunados porque nosso veterinário prescrevia fluidos I.V. para nós de forma que nós
podíamos tratar os filhotes nós mesmos em casa, de fato ele também nos mostrou como
adicionar Dextrose a solução “Lactated Ringers” como mencionado acima. É muito difícil
salvar filhotes severamente desidratados que não podem comer nada sem o uso de fluidos I.V.
Se você não tem os fluidos para usar em casa, é melhor levar os filhotes a um veterinário para
tratamento.

Suplementos Vitamínicos

Uma vez que a diarréia e o vômito foram controlados, você poderá dar um bom complexo
multivitamínico equilibrado para ajudar o cachorro a se recuperar. Cachorros que perderam
muito sangue por causa de parasitas ou diarréia sanguinolenta se beneficiarão de um
suplemento vitamínico hemanítico (produtor de sangue) o que nós recomendaríamos é
Lixotinic, também comercializado em garrafas pequenas como Pet-tinic. Este produto contém
um extrato de fígado e também é rico em vitaminas complexo B, assim ajudará a estimular um
apetite melhor.

Não tente dar qualquer suplemento oral assim até o cachorro tenha terminado o transtorno
gástrico dele, e não os dê em um estômago vazio. O ferro na preparação pode causar uma
irritação de estômago se dado a um cachorro que não está comendo.

Nós damos pessoalmente vitaminas complexo B injetáveis para cachorros ou filhotes que estão
muito doentes (como parvovirose) ou muito debilitados, por exemplo um cachorro que esteve
muito ferido em um acidente de algum tipo e não tem comido bem. Vitaminas complexo B são
perdidas em períodos de tensão severa e substitui-las ajudará o cão a reconstruir o sangue dele
e melhorará o apetite. Elas são vitaminas solúveis em água, o que significa que elas não são
facilmente dosadas como algumas vitaminas (i.e.. Vitaminas A e D) e quantidades em excesso
são simplesmente excretadas pelo cachorro. Nós damos um quarto de cc a filhotes pequenos e
até dois ou três cc para um cachorro adulto (dependendo do tamanho) duas ou três vezes por
semana intramuscular até o cachorro se recuperar.

A aplicação tende a arder e pode causar dor no local da injeção, então se o cachorro ou filhote
está comendo sozinho nós preferimos dar um suplemento de vitamina oral que contém
vitaminas B.

Outros Problemas Gastro-intestinais

Ingestão de Corpos Estranhos

Alguns cachorros (particularmente filhotes) apanham e comem quase qualquer coisa. Algumas
das coisas que eles podem comer os atravessarão sem causar danos, enquanto outras podem
causar enfermidades sérias e morte. Enquanto está pasmo sobre o que um cachorro é capaz de
comer e soltar intacto, deve se lembrar de que o esôfago dele (o tubo da garganta para o
estômago) é maior que o intestino delgado, então há muitas coisas que passarão seguramente
pelo estômago, só causando uma obstrução mais adiante, na área intestinal.

Algumas das coisas mais perigosas que um cachorro ou filhote pode ingerir e se ferir são fios e
cordas, agulhas, borracha, moedas (centavos mais novos e os prendedores Vari-Kennel de zinco
mais velhos também causarão envenenamento de zinco, além de um possível bloqueio) tocos de
cigarro (que não causará nenhuma obstrução mas se um cachorro pequeno ou filhote comer
bastante deles a nicotina os envenenará), paus, pedras pequenas ou vidro, pedaços de borracha
ou de plástico de brinquedos, espigas de milho, cascas de melancia, ossos - a lista pode ser
quase infinita.

Um cachorro que engoliu um corpo estranho pode eliminar o objeto sem qualquer dificuldade,
ou pode ter alguns, ou todos os sintomas seguintes. Se o objeto está no estômago, ou hospedado
em algum lugar na área digestiva, os possíveis sintomas incluem vômito projetado
(especialmente depois de comer), diarréia, e inchaço no abdômen.

Um objeto que está no estômago, mas é muito grande para continuar, causará irritação séria para
a área estomacal, especialmente se tem extremidades afiadas ou ásperas. Como resultado pode
haver sangue no vômito e a situação pode conduzir eventualmente a uma infecção. Também há
um perigo de que o objeto perfure a parede do estômago e cause hemorragia e/ou infecção na
cavidade abdominal (peritonite).

Não induza ao vômito; as chances são de que o objeto não surgirá se você fizer isto e causará
apenas irritação adicional. Às vezes o cachorro conseguirá vomitar o objeto ou substância
sozinho - nós vimos cachorros vomitar coisas depois de parecer doentes durante vários dias ,
como fragmentos de osso ou pedaços de carne, bolas de serragem ou grama, e (a especialidade
de nosso cachorro de casa) pedaços grandes de couro cru.

Nunca dê a um cachorro grande brinquedos pequenos de couro cru e aqueles que rasgam
pedaços grandes e os engolem (como nosso cachorro de casa) não devem tê-los. Cachorros em
correntes só deveriam ter brinquedos de couro cru sob de supervisão; se o material é saturado
com água (como se for deixado na chuva) fica completamente mole e o cachorro pode engolir
todo o couro.

Um corpo estrangeiro hospedado abaixa na área digestiva causará menos vomitando, o vômito
pode olhar e pode cheirar gosta de assunto fecal. O cachorro pode passar quantias pequenas de
infração, tamborete aguado com ou sem sangue e pode puxar como se defecar mas produto
pequeno ou nenhum tamborete. Se há algum tipo de bloqueio completo, o cachorro não passará
nenhum tamborete ou suprirá com gás nada.

Se seu cachorro engoliu algo que ele não deve, você pode escolher esperar e ver se ele vomita
ou elimina o objeto sozinho. Depende do que ele comeu. Qualquer objeto afiado, pontudo ou
potencialmente venenoso deve ser tratado como uma emergência imediata.

Corda, pano, couro cru e ossos (como um osso de boi cru) são artigos onde se pode estar seguro
de esperar alguns dias e ver o que acontece, se o cachorro parece OK ou o contrário.

Qualquer cachorro que exibe sinais de angústia como área abdominal muito quente, dolorosa ou
inchada deve ser levado imediatamente a um veterinário, pois qualquer cachorro que pareça
fraco, com uma febre, não comerá nada, terá mucosas pálidas ou mostrará sintomas de uma
obstrução completa na área gastro-intestinal ou quantidades grandes de sangue no vômito ou
diarréia. Um veterinário pode tirar radiografias para determinar onde o objeto está e se é
necessária uma cirurgia para remover.

Se você sente que o cachorro pode poder eliminar o que ele comeu e não tem mostrado nenhum
sintoma sério, óleo mineral administrado oralmente pode ajudar a cobrir a substância e pode
lubrificar a área intestinal de forma que o objeto atravessará mais facilmente.

Óleo mineral é algo que só deve ser usado muito cuidadosamente, se for inalado
acidentalmente nos pulmões, pode causar pneumonia séria ou até mesmo fatal; o que nós
fazemos (se o cachorro ainda tem um apetite) é misturar em alguma comida de cachorro
enlatada, algo que o cachorro realmente vai engolir de uma vez.

Stoney Hollow‟s Dingo, duas vezes vencedor, criado por Kevin and Dot Kelley filho de sua
cadela Thumper, que também é mãe de Ch. Pinky.

Garner‟s Ruby, filha de Garner‟s


Paddy e Patrick‟s Lady-In-Red.
Uma vencedora de uma luta,
muito rude.

Hicks‟ Ch. Honeybunch, filha de Larson‟s Red Ed, ROM cruzado com Moran‟s Ch. Wildfire.
Venceu Quatro lutas.

Dê óleo mineral a um dosagem de 1/2 a 1 cc por libra de peso corporal, uma ou duas vezes por
dia. Você não deve dar óleo por muitos dias, pois impedirá que certos nutrientes sejam
absorvidos pelo sistema digestivo.

Além de o cachorro engolir algo, outras causas de bloqueio intestinal parcial ou completo são
tumores, hérnias umbilicais ou inguinais, torção gástrica e torção intestinal. Torção gástrica,
também conhecida como “inchaço”, e torção intestinal, são emergências imediatas,
ameaçadoras à vida do cão! Estas condições se referem a uma torção parcial ou completa do
próprio estômago, ou uma seção do intestino. Isto é muito comum, por razões desconhecidas,
em crias grandes, mas pode acontecer com qualquer cachorro.

Torção do estômago (volvolus) cortará a entrada e a saída do estômago; o cachorro pode ter
diarréia, mas não pode vomitar. Ele estará com dor extrema e se nada for feito, ele pode entrar
em choque e morrer dentro de horas. O estômago inchará por causa de gases acumulados e pode
se romper.

Torção do intestino se refere a uma seção do intestino que se enrosca. O cachorro pode vomitar,
mas não pode eliminar as fezes ou até mesmo soltar gás, e o vômito pode parecer e cheirar
como fezes. Se a provisão de sangue for completamente cortada para a área enroscada aquela
área morrerá e terá que ser removida cirurgicamente, e as partes restantes emendadas.

Obviamente, se um cachorro mostra sintomas de torção ou obstrução ele deve ser levado
imediatamente a um veterinário; qualquer demora pode significar a diferença entre salvar o
cachorro ou perde-lo.

Irritação anal

Inflamação ou irritação da área anal (chamada de proctite) pode ser causada por uma variedade
de coisas, inclusive passagem de corpos estranhos ou fezes duras, infestações de lombriga,
diarréia, ou mordidas de inseto na área anal, ou pode ser devido a um problema com bloqueio da
glândula anal. Os sintomas são lamber ou morder a área anal, arrastar o traseiro no chão, fazer
força como se defecasse e vermelhidão ou mesmo sangramento na área.

O tratamento consiste em aliviar a causa da irritação se conhecida (escoar as glândulas anais,


por exemplo, se esta é a causa) e aplicar um ungüento calmante na área, como um ungüento de
hemorróidas humano. “Preparation H” ou fralda com ungüento, como “Desitin”.

Prolapso Retal

Esta é uma condição causada por fazer força por tempo prolongado, como acontece com
diarréia. A membrana da superfície interior do ânus pode estar prolapsada, ou uma seção inteira
do intestino pode estar saindo do ânus.

Isto é mais comum em filhotes que cachorros adultos. No caso de um prolapso muito pequeno, o
problema pode ser simplesmente tratável aplicando um ungüento contendo um anestésico local
como Benzocaína e tratando do mesmo modo que você trataria para proctitie. Você também
precisará eliminar a causa do prolapso (i.e., tratar a diarréia se esta é a razão) e pôr o cachorro
em uma dieta suave durante alguns dias.

Um prolapso mais sério pode ser mais difíceis de curar. Várias polegadas do intestino podem ser
prolapsadas, e se não descoberto imediatamente o tecido pode ser contundido e secar.
Idealmente, você deve levar o cachorro se possível a um veterinário. Para tentar recolocar o
tecido você mesmo, lave o prolapso completamente com uma solução moderada de água morna
e solução de iodo, o bastante de solução de Betadine para fazer a mistura se parecer com um chá
fraco.

Se o tecido está extremamente inchado, aplicar açúcar e espalhar no tecido inchado, deixando lá
aproximadamente cinco ou dez minutos e enxaguando novamente então com a solução de água
morna. Alterne deste modo aproximadamente uma meia hora. O açúcar ajudará a tirar fluidos do
tecido inchado.

Depois que o prolapso for enxaguado e limpo, seque com suavidade e aplique um ungüento
anestésico. Lubrifique a área inteira com Vaselina (ou melhor ainda, um ungüento antibiótico
derivado de petróleo como “Neosporin”) e localize o centro do prolapso. Cuidadosamente e com
suavidade, comece a empurrar as extremidades para o centro e empurre gradualmente o tecido
de volta até o prolapso inteiro voltar para dentro do reto. Então, cuidadosamente insira um dedo
lubrificado no reto, empurrando para trás o forro intestinal e endireitando isto. Com sorte, o
prolapso vai ficar no lugar.

Mantenha o cachorro em uma dieta suave, como galinha e caldo de arroz. Você pode querer
usar uma alimentação suavizadora para as fezes durante alguns dias (se o problema não for
causado por diarréia) até que você esteja seguro de que o tecido não vai prolapsar de novo. Se
não ficar no lugar, pode ser preciso um veterinário para suturar a área com uma sutura especial
chamada de sutura “fio franzido”, para conter isto até que cure. Também, se o problema não
fosse descoberto depressa algum tecido pode ter morrido e pode precisar ser removido
cirurgicamente.

Cajun Man, da propriedade de Gary Hammonds. Representa alguns dos melhores cruzamentos
Uselton / Simon de hoje em dia.
Ch. Chinarose com mais ou menos nove meses de idade. Rosie cresceu como cão de casa da
família Ellette.

J.R.‟s Ch. Tank, venceu 4 e perdeu sua última partida.

Constipação

Constipação pode ser causada por dieta de desbalanceada, pouca água, ou ingestão de ossos,
palha, grama etc. Tende a acontecer em cachorros mais velhos, porque eles são menos ativos e a
área digestiva não é tão forte. Nós vemos freqüentemente constipação depois de alimentar com
ossos de boi crus (que são comidos pelos cachorros e criam fezes muito duras e secas) e nos
meses frios de inverno às vezes quando cachorros tendem a se tornar um pouco desidratados por
não beber bastante água.

Em casos moderados, a constipação pode ser aliviada por um laxante moderado como Laxatone,
aumento de fibras na dieta, e comidas como fígado cru que tem um efeito laxativo natural.
Constipação em cachorros mais velhos pode ser tratada empapando a comida seca com água
antes de alimentar e borrifar um pouco de Metamucil na comida. Se isto não ajudar, você pode
ter o cachorro examinado por um veterinário; tumores, próstata inchada em machos, problemas
espinhais e hérnias podem todos ser causa de constipação.

Empapar a comida com água antes de alimentar também ajuda a aliviar a constipação causada
por desidratação de tempo frio.

Casos sérios de constipação onde um cachorro faz força, só produz fezes duras, possivelmente
com sangue, ou uma quantidade pequena de fluido marrom e aguado (que pode ser confundido
no princípio com diarréia, mas é realmente líquido que está sendo forçado em redor do
bloqueio) devem ser tratados usando um laxante moderado, suavizadores de fezes e
possivelmente um enema. Nós tivemos bons resultados em nossos cachorros usando óleo
mineral como laxante.

Para filhotes muito pequenos, o único enema que nós recomendaríamos é água morna, para
evitar irritação. Isto pode não ser bastante em um cachorro mais velho, uma gota ou duas de
sabão na água funcionam melhor. O enema de filhotes pode ser dado com uma seringa com a
agulha removida. Solução de enema pediátrica rápida que vem em uma garrafa com aplicador
funciona bem com cachorros.

Com constipação crônica, pode ser preciso fazer uma mudança de dieta. Em cachorros jovens,
tente uma dieta de mais fibras: borrife um pouco de farelo de trigo em cada comida e dê a
comida com muita água. Em um cachorro mais velho, uma dieta de baixa fibra / alta
digeribilidade é melhor. Um pouco de Metamucil borrifado em cada comida (e um pouco de
água) também ajudará.

Ocasionalmente, o tamborete se torna assim imprensou que o cachorro não pode passar isto, até
mesmo com ajuda de laxantes, enemas, etc. Quando isto acontece o cachorro deixará de comer,
pode vomitar e estará em muita dor. Se isto acontece adquira o cachorro para um veterinário
como o tamborete pode ter que ser removido manualmente debaixo de anestésico.

Problemas das Glândulas anais

As glândulas anais (ou sacos anais) são duas glândulas de odor do tamanho de ervilhas
posicionadas abaixo e nos lados do ânus. Eles são semelhantes às glândulas de odor de um furão
ou gambá, mas não servem a nenhum propósito. Estas glândulas produzem um fluido castanho,
de cheiro ruim, que normalmente é eliminado, algumas gotas de cada vez, quando o cachorro
tem uma evacuação intestinal, mas também pode ser descarregado quando o cachorro é
surpreendido.

Se estas glândulas não esvaziam corretamente, o tubo que elas escoam pode ser bloqueado, e as
glândulas podem ser pressionadas ou ter abscesso. Se as glândulas são bloqueadas, o cachorro
sofrerá muito incômodo; ele pode morder a área ou arrastar o traseiro dele no chão ou fazer
força quando passar uma evacuação intestinal. Alguns cachorros não esvaziam as glândulas
anais corretamente e elas podem precisar ser esvaziadas a cada quatro a seis semanas. Você
pode pedir para um veterinário fazer isto, ou fazer isto você mesmo.

Se você escolher esvaziar as glândulas você mesmo, é melhor fazer isto ao ar livre - o fluido
tem um cheiro muito forte e fedorento. Toalhas de papel são boas de usar, posicione um
chumaço grande de toalhas de papel em cima da área anal do cachorro e aperte ao mesmo tempo
todas as glândulas. Você poderá senti-las debaixo da pele quando você aperta. Tenha certeza de
que a toalha de papel cobre a abertura anal do cachorro enquanto você faz isto ou você pode
fazer bagunça!

Se as glândulas são muito duras e você não pode espremer o fluido deste modo, você também
pode tentar esvaziar pondo uma luva cirúrgica em uma mão, lubrificando o dedo indicador e
inserir no reto do cachorro. Você pode segurar as glândulas uma por uma entre o seu dedo
indicador (de dentro) e seu dedo polegar (de fora) e apertar firmemente. Depois você
simplesmente vira a luva ao avesso e joga fora. A cor e a consistência dos fluidos vai de um
marrom claro e líquido até uma substância muito espessa e escura. Sangue e/ou pus indicam
infecção, se você vê estas coisas você deveria levar o cachorro ao veterinário.

Se você não pode esvaziar as glândulas depois de várias tentativas, ou você não está seguro de
como fazer isto, ou as glândulas são imprensadas, ou o cachorro está com dor e não o deixa, não
fique tentando de todos os meios e o leve para um veterinário. Você apenas irritará a área e
possivelmente fará o problema piorar.

Se as glândulas são infetadas, eles podem ter abscesso e romper. Esta é uma situação muito
dolorosa para o cachorro. Se as glândulas são infetadas ou imprensaram um veterinário pode
querer anestesiar o cachorro para as esvaziar, e possivelmente passará um ungüento antibiótico
no local. Em casos sérios, reincidentes, ele pode querer remover as glândulas cirurgicamente
para aliviar o problema.

Problemas sérios com glândulas anais em buldogues não são tão comuns quanto com outras
raças, e esvaziar as glândulas habitualmente não é necessário se elas escoam sozinhas, de fato
pode conduzir a problemas. Nós só temos um ou dois cachorros de mais de setenta em nosso
quintal que habitualmente precisam das glândulas anais esvaziadas.

Nós ouvimos criadores diferentes recomendarem esvaziar tão freqüentemente quanto de poucos
em poucos dias estas glândulas; esta não é uma coisa boa para se fazer e de fato pode fazer as
glândulas ficarem inflamadas e subseqüentemente podem imprensar e / ou infeccionar!

Ingestão de fezes (Coprofagia)

Este realmente não é um problema gastro-intestinal, mas este parecia um bom lugar para
mencionar isto, pois é um problema comum com buldogues de canil. O termo correto para isto é
“coprofagia” e, entretanto, é tido freqüentemente como sendo causado por algum tipo de
deficiência nutricional ou problema na área digestiva, mas normalmente é causado por tédio, se
o cachorro também está perdendo peso apesar de ter um apetite voraz então ele deve examinado
por um veterinário para ver se está com pancreatite.

Cachorros que comem as próprias fezes ou de outros cachorros normalmente desenvolvem o


hábito porque eles estão chateados, ou às vezes um cachorro fará isto se ele foi disciplinado
severamente por defecar em casa - ele pode comer as fezes para esconder o erro dele. Há
medicamentos (como For-bid) que podem ser adicionados à comida de um cachorro para fazer
as fezes ficarem amargas ou inaceitáveis para o cachorro, mas freqüentemente o cachorro
retomará o comportamento assim que o medicamento seja suspenso.

Obviamente, o modo mais efetivo para parar este comportamento é remover todas as fezes
imediatamente - o cachorro não pode comer se elas não estão lá. Em situações de canil ou outras
circunstâncias nas quais o cachorro permanece sozinho por algum tempo, isto pode ser
impossível. Uma vez que o cachorro normalmente faz isto por tédio, dar a ele ossos de boi,
chifres de vaca, ou outros brinquedos razoavelmente seguros para buldogues também pode
ajudar a parar este comportamento.

Se o cachorro só é alimentado uma vez um dia, uma segunda comida pequena durante o dia
também pode ajudar, ou se ele não é o tipo que comerá toda a comida colocada na frente dele (a
maioria dos buldogues são, entretanto!) servir uma tigela de comida para ele beliscar pode ser a
resposta. Caso contrário você apenas terá que tolerar isto.

Não há nenhum perigo se o cachorro comer as próprias fezes, isto, entretanto pode ser
repugnante, com exceção do fato de que ele engolirá de novo qualquer ovo ou cisto de parasitas
que ele pode ter eliminado nas fezes. Um comedor de fezes deve ser vermifugado ou deve ser
examinado regularmente para ver se está com lombrigas.

Alguns cachorros também tenderão a comer as fezes de outros animais, de fato muitos
cachorros parecem ter um gosto para o esterco de cavalos e gado. Não há nenhum dano nisto
pois os parasitas destes animais não podem infectar cachorros. Adubo de aves pode ser perigoso
para cachorros, porém, não tanto por causa de parasitas, mas porque o cachorro pode contrair
uma infecção sistêmica de fungos se inalar material fecal pulverizado de galinhas e outras aves.

Muitos cachorros também comerão fezes de gato e podem contrair micoses, esquistossomos e
outros parasitas deste modo. Se você tem um cachorro em casa e um gato, tenha certeza de que
o cachorro não tenha acesso à caixa de areia.
Bob Stevens e sua cadela Velvet. Velvet é um grande exemplo da versatilidade do Pit Bull
Terrier Americano; além de ser uma cadela provada, ela é completamente treinada em
obediência e proteção, e uma vencedora em conformação e ganho de peso.

A Familia Hammonds com Hammonds‟ Selma. Da esquerda para a direita: Gary Hammonds,
sua esposa Charlotte, e seus filhos Melanie e Barry.
Rolling Hills Kennel‟s Ch. Taz, cria de Snooty por parte de pai e filho de um cruzamento triplo
voltado de uma filha de Gr.Ch. Pedro, ROM. Um sólido bulldog que já produziu um campeão e
vários vencedores.

Ch. Charlie, irmão de ninhada de Ch. Jeep e Ch. Holly.

Elder‟s Ch. Sambo, um ótimo cão filho de Tonka / Red Baron.


Faron‟s Tazmanian Devil, filho duas vezes vencedor de Fitch‟s Ch. Diamond Jim e
Fitch‟s Little Bit, o que faz de Taz um neto triplo de Gr.Ch. Zebo ROM.
Capítulo Dezesseis

Parasitas Internos

O meio principal para manter seu cachorro saudável e feliz é mantê-lo livre de lombrigas e
outros parasitas internos. Alguns destes parasitas podem causar sérias (até mesmo fatais)
enfermidades, especialmente em filhotes de cachorro. Para controlar corretamente os vários
parasitas internos que podem afetar o cachorro, a pessoa tem que ter pelo menos uma
compreensão básica do ciclo de vida de cada organismo. Os seguintes são as lombrigas e
protozoários que afetam freqüentemente a maioria dos cachorros na América do Norte.

Lombrigas

Lombrigas são vermes grandes, espessos, parecidos com espaguete que são branco ou
esbranquiçados na cor e podem ter até oito polegadas na maturidade. Eles vivem no intestino
delgado, mais raramente no intestino grosso ou estômago. Há duas espécies diferentes de
lombriga que podem infetar cachorros, Toxacara canis e Toxascaris leonina. Ocasionalmente
um cachorro pode ser infestado por ambas as espécies. Toxacara canis é a variedade mais
comum, a outra espécie também é achada em gatos e pode ser transmitida aos cachorros através
de gatos.

Os ciclos de vida dos dois parasitas são ligeiramente diferentes. Toxacara canis é normalmente
um problema em filhotes de cachorro, pois cachorros mais velhos desenvolvem um pouco de
resistência à infecção. São encontrados ovos nas fezes de um cachorro infetado, que
desenvolvem à fase infecciosa em alguns dias ou até vários meses, dependendo das condições
ambientais. Eles podem permanecer dormentes durante vários anos na terra ou nas fezes velhas,
até mesmo durante o inverno.

Um cachorro é infetado quando ele ingere os ovos. Eles podem ser apanhados diretamente de
contato com as fezes ou podem aderir nas patas, pele ou pelo. Uma vez que os ovos alcançam o
intestino, eles chocam dentro de algumas horas e migram pela parede intestinal até os vasos
linfáticos. De lá eles viajam aos nódulos linfáticos, então para o fígado, coração, e finalmente os
pulmões. Nos pulmões elas amadurecem mais um pouco e crescem para um comprimento de
cerca de 1/16 de polegada e migram na área respiratória para a traquéia, então para a garganta
onde elas são engolidas e uma vez mais param no intestino delgado onde elas amadurecem e
começam a produzir ovos; então começa novamente o ciclo. Ao contrário de muitos outros tipos
de vermes intestinais elas não se prendem ao forro do intestino e chupam sangue, mas apenas se
alimentam do conteúdo intestinal.

Em cachorros mais velhos que desenvolveram imunidade, elas não se desenvolvem no intestino,
mas sim migram para o cérebro, fígado e outro órgãos.

Geralmente elas ficam envoltas por uma cápsula de tecido e ficam inativas, e em cachorros
machos e fêmeas não-grávidas elas permanecem dormentes, na maioria dos casos, durante toda
a vida do cachorro. Alguns estudos mostraram que estas larvas encapsuladas podem ser
reativadas em períodos de tensão extrema ou depois de tratamento com drogas que baixam a
imunidade, como os corticóides.

Em fêmeas grávidas, as secreções hormonais ao redor do quadragésimo dia de gravidez


reativam estas larvas dormentes que migrarão então pela placenta até os filhotes e os infetarão.
Elas também são transmitidas aos filhotes pelas glândulas mamárias quando o filhote mama. Por
causa disto podem ser achadas no intestino delgado de filhotes apenas uma semana depois do
nascimento, entretanto ovos não aparecerão em uma amostra de fezes até três ou quatro semanas
de idade. Isto também acontece com infecção de ancilóstomos (discutida depois neste capítulo)
e explica por que uma cadela que é vermifugada ou tem um exame fecal negativo antes de criar
pode produzir filhotes de cachorro infestados com lombrigas e pode também estar infestada
depois da gestação.

Os sintomas de infecção incluem um pelo seco e arrepiado e uma aparência inchada. O cachorro
pode ter constipação intermitente e diarréia, com sangue e muco às vezes presente nas fezes. Em
infestações pesadas, o cachorro pode eliminar lombrigas adultas nas fezes ou vomitá-las. Larvas
que migram para o cérebro podem causar sintomas no sistema nervoso central, como
convulsões.

Casos extremos podem conduzir à morte devido ao bloqueio ou até mesmo rompimento do
intestino. Também, números grandes de larvas que migram pelos pulmões podem causar
pneumonia em filhotes de cachorro depois de dois a três dias do nascimento, ou vermes adultos
no intestino podem causar a morte do filhote de cachorro com duas a três semanas de idade.
Cachorros mais velhos são mais resistentes e podem agüentar uma infestação bastante pesada
com alguns sinais externos além de pelo fraco e perda de peso.

Toxascaris leonina tem um ciclo de vida mais simples; a larva não migra pelos pulmões, mas
sim amadurecem no intestino depois de infecção. Cachorros mais velhos não desenvolvem
resistência a esta espécie, assim a doença é vista em cachorros de todas as idades. A infecção
acontece comumente depois do contato com as larvas infecciosas (que são até mais resistentes
que as de T. canis) na terra ou nas fezes de um cachorro ou gato infestado.

Infecção de lombrigas pode ser tratada efetivamente com uma variedade grande de vermífugos a
maioria dos quais só está disponível com um veterinário através de prescrição. Para aqueles que
têm um número grande de cachorros, podem ser obtidas preparações para gado sem prescrição
das mesmas drogas. Vermífugos para lombrigas incluem os seguintes: piperazine, dichlorvos,
febendazole, mebendazole, febantel, pamoato de pyrantel, dietilcarbamazine e ivermectin. As
dosagens e marcas destes medicamentos estão incluídas ao término deste capítulo.

Filhotes de uma mãe infetada deveriam ser tratados assim que possível começando
preferentemente duas semanas depois de nascimento. Vermifugar com um produto seguro para
filhotes com duas, três, quatro, cinco e seis semanas de idade, então a cada duas semanas até
pelo menos três ou quatro meses de idade, é bastante efetivo para eliminar lombrigas. Boas
condições de saneamento, isto é, remover as fezes regularmente, e se possível, manter a cadela e
os filhotes em piso de grade (que permite as fezes atravessarem) ou concreto (que pode ser
desinfetado completamente) ajudará a prevenir reinfecção.

Aqueles que mantêm um cachorro como bicho de estimação ou têm poucos cachorros devem
fazer exames de fezes nos animais e vermifugar habitualmente. Gatos na casa também devem
ser examinados e vermifugados regularmente se eles saem ao ar livre, pois eles não apenas
podem transmitir lombrigas, mas também ancilóstomos e tênias para os cachorros. Mantenha os
cachorros longe de caixas de areia de gatos e as fezes de outros cachorros em áreas públicas
como parques.

Em situações de canil, pode ser impossível eliminar os focos de infecção completamente, assim
os cachorros devem ser examinados e vermifugados em intervalos regulares, particularmente se
mantidos em correntes na terra ou grama. Nós mesmos tratamos todos os cães adultos
mensalmente, menos durante os meses mais frios de inverno.
Ancilóstomos

Ancilóstomos são vermes muito pequenos, brancos ou marrom-avermelhados, de cerca de um


quarto até a metade de uma polegada de comprimento e muito finos, então eles não são visíveis
nas fezes do cachorro como as lombrigas. Eles se prendem às paredes do intestino delgado e
sugam sangue do cachorro. Dez ancilóstomos adultos tiram 1 cc de sangue por dia de um
cachorro, e em uma infecção séria o cachorro pode ter centenas dos parasitas no intestino. As
lombrigas mudam de local várias vezes diariamente, e cada local que eles deixam continua
sangrando, assim é fácil ver como uma infestação pesada pode debilitar depressa e até mesmo
matar um cachorro, especialmente um filhote muito jovem.

Klaus' Gr. Ch. Assassin (Hicks'), um vencedor de oito lutas, agora está na Alemanha.
Basicamente um cachorro da linhagem Cotton‟s Bullet / Red Boy.

Brewer‟s Ch. Red lady, Uma filha de Woody‟s Snooty ROM e Bass‟ Gr. Ch. Molly Bee.
Fotografia tirada quando ela era uma cadela muito velha.
Baystate‟s Mama Tosan, uma cadela muito feroz, de boca muito forte, filha de um cruzamento
Alligator / Eli com um pouco do sangue de Bruno / Heinzl.

O parasita é adquirido por contato com larvas infecciosas na terra ou nas fezes; as larvas podem
ser ingeridas pelo cachorro, mas também podem penetrar na pele. Dentro de duas semanas, os
vermes imaturos terão migrado para o intestino, se tornado e começarão a se reproduzir se o
cachorro nunca foi infetado por ancilóstomos antes.

Larvas que invadem a pele seguem um ciclo de vida semelhante ao Toxacara canis em filhotes
jovens, migrando para o pulmão e então para a traquéia, e assim sucessivamente, mas em
cachorros mais de três meses de idade estas larvas normalmente ficam encapsuladas e inativas,
só reativadas em uma cadela grávida. Como as lombrigas, estas larvas reativadas podem infetar
os filhotes no útero ou através do leite da mãe depois de nascimento.

Cachorros que tiveram várias infecções com ancilóstomos antes normalmente desenvolvem um
pouco de imunidade e em vez de desenvolver em vermes adultos no intestino, as larvas migram
pelo tecido e se tornam inativas. Como acima, elas podem ser reativadas se o cachorro é uma
fêmea e fica grávida.

Sintomas de infecção de ancilóstomos podem ser súbitos e severos, especialmente em filhotes


de duas a oito semanas de idade. Perda de peso extrema, fraqueza progressiva e fezes escuras e
sangrentas também são vistas. Anemia (causada por perda de sangue) é o sintoma mais sério e
pode ser fatal. O cachorro terá mucosas pálidas, ficará extremamente fraco, e pode ter
dificuldade de respiração. Se não tratado, ele pode entrar em choque e morrer.

Tratamento de sintomas mais agudos não só consistem em vermifugar o cachorro; terapia com
fluidos e transfusões de sangue possivelmente podem ser necessárias. Cachorros mais velhos
podem sofrer de infecção crônica, com alguns dos sintomas acima, mas não tão severos. A
maioria dos vermífugos que também são efetivos contra lombrigas livram um cachorro de
ancilóstomos. Veja depois neste capítulo para mais informação sobre vermífugos.

Vermes “açoite”

Estes vermes são brancos, com aproximadamente uma polegada e meia a três de comprimento, e
têm este nome por causa do fato de que eles têm uma ponta curta e espessa e outra afilada como
um chicote. Eles vivem no intestino grosso onde se prendem ao forro e chupam sangue. Sob
condições favoráveis, os ovos de vermes “açoite” podem sobreviver no ambiente por até cinco
anos, mas são muito suscetíveis a extremos de calor e frio.

Os ovos são engolidos e chocam no intestino delgado onde eles amadurecem aproximadamente
durante dois meses e meio e então migram para o intestino grosso. Vermes adultos podem viver
até um ano ou mais. Não serão vistos ovos em uma amostra de fezes até aproximadamente três
meses depois da infecção inicial, e mesmo então a descoberta é difícil porque eles são vistos
esporadicamente nas fezes.

Sintomas de infecção de vermes “açoite” são diarréia intermitente, normalmente com sangue e
muco, e em infestações severas, perda de peso e anemia também podem ser vistas. Drogas
efetivas contra vermes “açoite” incluem dichlorvos, febendazole, febantel, mebendazole e
pamoato de oxantel. Nós achamos pessoalmente que ivermectin também é eficaz.
Uma vez que os ovos são suscetíveis a tempo seco, eliminar áreas úmidas no ambiente ajudará
grandemente a reduzir a infecção. Nós ouvimos que um modo excelente de se livrar de
lombrigas, ancilóstomos e “açoites” como também outros parasitas em pisos de concreto ou
terra é usar um lança-chamas, como também para se livrar de ervas daninhas (removendo o
cachorro primeiro, é claro!) e isto seria barato e eficaz. Nós nunca tentamos pessoalmente isto;
nenhum de nós alguma vez usou uma tocha antes e de alguma maneira a área fortemente
arborizada ao redor de nosso reboque não parece o lugar ideal para tentar.

Tênias

Tênias são vermes longos, achatados, brancos ou amarelados que podem ter de algumas
polegadas até vários metros. Uma tênia consiste em uma cabeça que se prende ao forro do
intestino e um corpo longo e segmentado. Cada segmento é capaz de se soltar e sobreviver
sozinho, e contém mais de duzentos ovos. Uma vez que os ovos são contidos dentro dos
segmentos, eles raramente são vistos em um exame fecal; porém, os segmentos podem ser vistos
às vezes rastejando em fezes frescas presos à área anal. Eles são brancos, achatados, e ovais ou
retangulares. Eles têm o tamanho e a forma de uma semente de pepino e se assemelham a grãos
de arroz quando secos.

A infecção acontece quando um cachorro ingere uma pulga ou outro inseto que comeu um ovo
de tênia, um rato, camundongo, outro animal pequeno ou carne infectada. O ovo choca
completamente no intestino do cachorro e a lombriga se desenvolve dentro de dois a quatro
semanas. Os sintomas principais de infecção de tênia, além da descoberta dos segmentos, é
perda de peso (às vezes bastante severa), pelo fraco e mal-estar geral. O cachorro pode ter um
apetite voraz, mas não ganha peso apesar de comer grande quantidade de ração.

Um cachorro pode ser infetado com tênias durante algum tempo sem qualquer sintoma óbvio e
segmentos nem sempre são vistos nas fezes. Por causa disto, nós recomendaríamos vermifugar
qualquer cachorro que teve pulgas ou possivelmente matou e comeu um roedor desde a ultima
vez que foi vermifugado, pois há uma chance boa de ele estar infectado.

Com qualquer cachorro em um programa de condicionamento, nós recomendaríamos


definitivamente vermifugar para tênias no começo do condicionamento, e possivelmente
novamente um mês depois se o cachorro for exposto a pulgas ou alguma outra possível fonte de
infecção. Um cachorro com tênias não pode ser posto em boa condição física porque uma boa
porção da nutrição que você está dando a ele está alimentando a tênia! A melhor droga para
tênias atualmente é o praziquantel, vendido com o nome comercial Droncit e disponível apenas
através de prescrição.

Manter um cachorro livre de pulgas e longe de outras fontes de infecção reduzirá grandemente a
chance dele ser infectado. Com cachorros soltos ao ar livre é difícil de eliminar estas fontes
completamente; vermifugação de rotina se pode ser necessária em situações problemáticas.

Filárias (Strongilóides)

Nós não tivemos nenhum problema com este parasita, mas algumas fontes indicam que eles
podem ser um problema sério, especialmente em ambientes quentes, úmidos onde cachorros são
amontoados ou mantidos sob condições anti-higiênicas. Os vermes são muito pequenos, finos, e
quase transparentes. Os ovos tendem a chocar antes de ser eliminados nas fezes e as larvas
podem invadir a pele ou mucosas da boca. Elas amadurecem no intestino delgado onde elas se
escondem no forro intestinal.
Sintomas de infecção que normalmente não aparecem até uma infestação pesada é diarréia com
sangue e muco. Isto normalmente é visto em animais jovens durante o período quente e úmido.
Os vermes não são afetados pela maioria dos vermífugos, mas o tratamento com ivermectin tem
grande êxito. Luz solar, calor e secagem matam o parasita no ambiente, bem como água quente
e soluções de cal e sal.

Vermífugos comumente usados

Nós listamos abaixo as várias drogas que são usadas para vermifugar cachorros, contra quais
vermes eles são efetivos, e (quando possível) nós demos a marca e a dosagem equivalente de
preparações de gado ou cavalo que estão disponíveis sem uma prescrição. Nós omitimos
completamente alguns vermífugos que nós sentimos que ou são muito fortes ou simplesmente
não fazem muito efeito. É irônico que em muitos casos, as drogas mais seguras e as mais
efetivas são as que só podem ser obtidas através de prescrição.

Nota: nós incluímos esta parte para aqueles que já estão bastante familiarizados com as drogas
diferentes. Se você não está completamente seguro do que você está fazendo, ou tem qualquer
dúvida quanto à dosagem exata de um remédio, não o aplique! Apesar de levar o cachorro a um
veterinário para vermifugar parecer uma despesa desnecessária e um aborrecimento, é muito
menos dificuldade do que as conseqüências de envenenar seu cachorro acidentalmente!

Pamoato de Pyrantel

Esta droga é muito efetiva contra lombrigas e ancilóstomos e é segura para usar em
cachorros e filhotes de cachorro de qualquer idade. Está disponível para cachorros sem uma
prescrição como tabletes de Nemex e Nemex II líquido, e também alguns outros nomes de
marca. As dosagens estão na garrafa. Para aqueles que vermifugam grandes números de
cachorros e buscam uma solução mais econômica, a droga é vendida com o nome de marca
Strongid para cavalos. O Strongid T suspensão é muito eficiente e fácil de dosar para
cachorros (1 cc para cada vinte libras) mas infelizmente só é disponível através de
prescrição. K.V. Vet Supply (veja Apêndice UM) vende uma marca sem prescrição de
Pamoato de pyrantel chamada One Step Wormer ou Pyran 50 que é vendido para humanos,
mas tem a mesma dosagem de Strongid T. Nós tivemos bons resultados dando pamoato de
pyrantel para filhotes de duas, três, quatro, cinco, seis, e oito semanas de idade, e para os
adultos devem ser dadas duas doses entre dez a quatorze dias.

Febendazole

Este é um bom vermífugo de largo-espectro que é usado em cachorros para tratar lombrigas,
ancilóstomos, filarias e tênias. O nome de marca mais conhecido é Panacur na forma granulada
(uma colher de chá rasa para cada vinte e cinco libras) ou líquido (1 cc para cada cinco libras), e
ambos só estão disponíveis através de prescrição. Há outra marca chamada Safeguard que está
disponível sem uma prescrição como um vermífugo de gado líquido e dosado a meio cc por
libra de peso corporal.

Febendazole deve ser dado uma vez diariamente durante três dias sucessivos. Também pode ser
dado diariamente a cadelas grávidas de quarenta dias de gravidez até os filhotes completarem
duas semanas de idade para impedir os filhotes de ser infestados pela mãe.

Mebendazole
Esta droga, como febendazole, é efetiva contra lombrigas, ancilóstomos, filarias e tênias. É
vendido com o nome Telmin em pacotes pre-dimensionados para cachorros e na forma de pó ou
líquido para gado. A dosagem do pó para cachorros é meia colher de chá para cada quarenta
libras e para o líquido, três cc para cada dez libras. Como sobre, esta dosagem deve ser dada
durante três dias sucessivos.

China Boy, possuído por Gary Hammonds.


Paie: Garner‟s Gr.Ch Spike
Mãe: Garner‟s Miss Molly

Cottingham‟s Ch. Cotton, um filho de Ch. Chinaman cruzado com uma filha de Ch. Paladin.
Cotton ganhou três e teve uma luta de 3:40 com o Bluegrass Kennel‟s Wrangler.
Cates' Rambo, um filho de Cates' Gr. Ch. Nigerino e Cates' Miss Kitty. Perdeu um jogo.

Obs. 1 libra = 453,6 gramas


Nota: todas as drogas acima também estão disponíveis sem prescrição como vermífugos em
pasta para cavalos; com um pouco de esforço, você pode calcular uma dosagem para
cachorro razoavelmente precisa para estas pastas, mas se você tentar fazer isto esteja seguro
de que a marca que você está usando não contém uma segunda droga. Muitos vermífugos de
cavalo também contêm medicamentos diferentes para matar bernes (larvas de mosca) e
podem ser inseguros de usar em cachorros.

Piperazine

Esta é uma droga muito segura, mas só é efetiva contra lombrigas. É facilmente disponível sem
uma prescrição, como pílulas ou líquido rotulados para cachorros e gatos, ou como um
vermífugo para aves líquido. A dosagem (vinte a trinta mg por libra de peso) será fácil de
calcular se o produto é feito para animais de estimação, pois estará nas instruções da bula, mas
com o segundo tipo a dosagem terá que ser calculada de acordo com a concentração da marca
utilizada.

Dietilcarbamazine (DEC)

Este é um derivado de piperazine e é muito usado como um preventivo para vermes do coração
a um dosagem de três mg por libra de peso corporal. Também mata lombrigas a uma dosagem
aproximadamente quatro vezes mais alta (veja instruções na garrafa da marca que você está
usando), mas se você pretende usar por qualquer motivo lembre-se de que o cachorro deve estar
livre de vermes do coração ou a droga pode causar uma reação séria. DEC só está disponível
através de prescrição.

Dichlorvos

Dichlorvos removerá lombrigas, ancilóstomos e filárias e está disponível através de prescrição


como pílulas Task, cápsulas ou granulado. Também há uma preparação para suínos chamada
Atgard e algumas pessoas a usam em cachorros. Nós tínhamos originalmente pretendido incluir
uma dosagem para esta preparação (Atgard), porque pode ser obtido sem uma prescrição, mas
nós decidimos que não porque dichlorvos é que uma droga que deve ser dosada sem o menor
erro de cálculo - ou pode ter conseqüências sérias ou fatais. Por isso, nós realmente sentimos
que dichlorvos só deve ser usado com a supervisão direta de um veterinário.

Dichlorvos é um organofosfato e não deveria ser usado junto com qualquer outro inseticida de
organofosfato, por exemplo, spray de pulga e carrapato, pós ou imersões, coleiras de pulga,
Spotton, Pro-Spot, spray local ou qualquer outro produto, ou reações tóxicas podem acontecer.
Também, se você tem outras raças de cachorros, lembre-se de que a raça Galgo tende a ser
hipersensível a organofosfatos.

Dichlorvos também não deve ser usado em cadelas gestantes ou amamentando, cachorros com
diarréia ou outros problemas gastrintestinais, ou cachorros com problemas respiratórios.
Sintomas de overdose de organofosfato são salivação excessiva, micção freqüente, diarréia,
vômito, dificuldade de respirar, fraqueza dos músculos, nervosismo, ataques apopléticos e
convulsões.

Ivermectin

Neste momento, o único uso aprovado desta droga em cachorros é com uma dosagem
extremamente baixa (seis microgramas por libra) como um preventivo mensal para vermes do
coração com a marca Heartgard 30. A uma dose mais alta de duzentas microgramas por libra, o
Ivermectin também é efetivo contra uma variedade enorme de parasitas internos e externos, mas
pode causar os sintomas seguintes em raças Collie e cruzamentos de Collie: depressão, fraqueza
dos músculos, cegueira, coma e morte. Estas reações adversas não são vistas em outras raças de
cachorros, e não é sabido claramente por que elas acontecem com Collie, mas por causa desta
reação potencialmente fatal, a droga não é aprovada ou recomendada para uso em cachorros
como vermífugo e não é provável que seja no futuro próximo.

De fato, com a exceção acima, Ivermectin é totalmente seguro - até mais que outros vermífugos
comumente usados em cachorros. Nós temos usado isto durante mais de oito anos e nunca
tivemos qualquer tipo de reação adversa. Nós sabemos que muitos outros criadores que usaram
a droga mais tempo que nós e nunca tiveram qualquer dificuldade, até mesmo depois de
overdoses com a droga. Nós demos uma vez acidentalmente para um cachorro mais de três
vezes a quantidade de ivermectin que ele deveria ter tomado sem qualquer problema. Nós
demos ivermectin a cachorros de todas as idades (inclusive filhotes de cachorro com duas
semanas de idade) e cadelas grávidas ou amamentando, e tão freqüentemente quanto uma vez
por semana.

O único caso de toxidade com ivermectin que nós conhecemos pessoalmente envolvia uma
ninhada de filhotes para a qual foi administrada cinqüenta vezes a dosagem recomendada; dois
dos três dos filhotes morreram.

Na dosagem de 200 microgramas por libra, ivermectin mata lombrigas, ancilóstomos, vermes
“açoite” e filárias. Também foi provado que ele mata microfilárias do coração e larvas, e
quando não as mata, inibe a reprodução de vermes adultos. Ivermectin também é eficaz contra
vários parasitas externos inclusive sarna demodética, sarna sarcóptica e piolhos. Alguns estudos
mostraram que a droga inibe a reprodução de carrapatos, impede as larvas de verme do coração
de se desenvolver em um cachorro que comeu um mosquito infectado, e também parece ter
eficiência contra pulgas e moscas mordedoras.

Ivermectin está disponível como sem prescrição como um vermífugo em pasta oral para cavalos
na marca Zimecterin e como um vermífugo de gado injetável com o nome Ivomec. É este
último produto que nós usamos em nossa canil. Ivomec está disponível em lojas de suprimentos
de fazenda ou pelo correio em companhias de suprimentos veterinários. Esteja seguro de
adquirir o vermífugo bovino injetável, pois há várias formas diferentes da droga
comercializadas para vários tipos de gado. Também esteja seguro de adquirir o Ivomec puro e
não o Ivomec-F que tem uma segunda droga para o fígado.

A dosagem de Ivomec injetável de gado para cachorros é 1 cc para cada cento e dez libras. Para
ser honesto, nós overdosamos ligeiramente para fazer a dosagem mais fácil de calcular; nós
damos um cc para cada cem libras. Usando uma seringa limpa, seca, nós preparamos a
quantidade exigida de Ivomec e removemos a agulha da seringa. Nós diluímos o vermífugo
então com aproximadamente quatro partes de água, cobrimos a abertura da seringa com um
dedo e misturamos completamente. O líquido é esguichado na parte de trás da língua do
cachorro e nós seguramos a boca dele fechada e massageamos a garganta para ter certeza de que
ele engula; o Ivomec é amargo e a maioria dos cachorros tenta cuspir fora se têm chance.

Nota: use seringas separadas para misturar a água - nunca deixe água ou outro contaminante
entrar no frasco de Ivomec esterilizado.

Algumas pessoas preferem dar Ivomec como injeção (não diluída) debaixo da pele. Nós
preferimos o método oral porque as picadas de injeção e a droga ocasionalmente causam
reações ou abscessos no local de injeção. O melhor modo para evitar isto quando der a droga
como injeção é usar agulhas esterilizadas e usar uma seringa nova em cada cachorro.

Todos os nossos cães adultos recebem Ivomec uma vez por mês na dosagem acima. Isto previne
contra infecção de vermes do coração e também elimina qualquer verme que os cachorros
apanharam desde a última aplicação. Quando cães são mantidos em correntes ou cercados de
terra, é muito provável que eles ficarão infestados através de ovos de lombriga na terra, e a
vermifugação freqüente é o melhor modo para os manter livres de parasitas.

Nos descobrimos que se pode usar Ivomec para tratar sarna, aplicando uma injeção subcutânea.
É muito eficiente, cães com sarna respondem muito bem a uma série de três ou quatro injeções
semanais de Ivomec.

Rebel, um pequeno cão de jogo tres vezes vencedor da propriedade de Rick and Donna Presnell
e criado por Glenn Wise.

Wildside‟s “CH” Gunther, de William & Abby Page. Um campeão da ADBA e um buldogue de
primeira classe. Irmão de ninhada de Wildside‟s Renegade, filho de Bandit e Sasha.

Praziquantel (Droncit)

Esta droga ou está disponível como um líquido injetável ou como pílulas. Você pode obter
Droncit apenas de um veterinário, mas muitos veterinários dispensarão a droga se você lhes
disser que você viu segmentos de tênia nas fezes de seu cachorro. Droncit é o mais seguro e
efetivo medicamento contra tênias disponível porque em vez de ser uma substância química
pesada que envenena o verme(s), ele é de fato uma enzima que faz o cachorro digerir o verme.

Dê o Droncit de acordo com a dosagem na garrafa, que é a seguinte:


5 lb ou menos - 1/2 tablete
6 -lb. - 1 tablete
11 - 15 lb. - 1 tabletes e meio
16 - 30 lb. - 2 tabletes
31 - 45 lb. - 3 tabletes
46 - 60 lb. - 4 tabletes
mais de 60 lb. - 5 tabletes (máximo)

Obs: 1 libra = 453,6 gramas

Mebendazole e febendazole também são usados para tratar infecção de tênia com um pouco de
sucesso, o único problema é que eles só matam certas espécies de tênias. A que eles não matam
é aquele mais comum em cães: a espécie dipylidium que é transmitido por pulgas.

Há vários outros medicamentos, alguns disponíveis sem prescrição, usados para tratar um
cachorro com tênias. Algumas destas drogas são pesadas, potencialmente tóxicas ao cachorro, e
exige jejum antes e depois da administração, outros removem só o corpo da tênia e deixam a
cabeça presa.

Uma última droga que nós mencionaremos é levamisole; embora não aprovado para uso em
cachorros, pode-se usar uma dose de uma pílula (para ovelhas) para cada 50 libras para tratar
lombrigas e ancilóstomos em cães.

Vermes do coração

A doença de vermes no coração é causada pelo verme Dirofilaria immitis e acontece em


cachorros de muitas partes do mundo. A doença ficou bastante difundida na América Norte
durante os últimos vinte anos, e foi calculado que até noventa por cento de cachorros sem
tratamento preventivo podem estar infestados com o parasita na costa Sudeste dos Estados
Unidos.

A doença é transmitida de um cachorro a outro por mosquitos – não há nenhum outro modo que
um cachorro possa ser infestado. Fêmeas adultas no coração de um cachorro produzem larvas
chamadas “microfilárias” que circulam na corrente sangüínea do cachorro e podem permanecer
ativas por até três anos.

Sem atravessar um hospedeiro intermédio (o mosquito) elas não podem se desenvolver mais. O
mosquito, quando chupa sangue do cachorro, também pega microfilárias, que passam por uma
série de mudas dentro do mosquito para se tornar larvas infecciosas.

Quando o mosquito se alimenta novamente as larvas são depositadas na pele de outro cachorro e
migram pela ferida da mordida. Lá elas crescem mais e se desenvolvem no tecido subcutâneo
por aproximadamente dois meses antes de começar a migração para o ventrículo direito do
coração.

As larvas amadurecem no coração e começam a se reproduzir depois de uns dois ou três meses.
Machos adultos medem aproximadamente sete polegadas e fêmeas podem ser muito ter mais de
dez polegadas. A duração total de tempo entre a infecção inicial por microfilárias na circulação
sangüínea é de aproximadamente seis ou sete meses.

A severidade dos sintomas depende de vários fatores; a idade, tamanho e saúde do cachorro
infetado, a duração da infecção, e o número de adultos no coração. Em um cachorro grande e
saudável, a doença não pode produzir nenhum sinal externo se só há alguns vermes adultos
presentes. Sintomas são falta de força, tolerância baixa a exercícios, e uma tosse que fica pior a
cada dia que passa.

Eventualmente o coração aumenta de tamanho e os vermes bloqueiam artérias, a pressão


sanguínea cresce e a circulação reduz a velocidade. Neste momento o cachorro terá uma tosse
quase constante, dificuldade de respirar, e pode desfalecer depois de exercícios moderados. A
morte pode acontecer devido a infarto do coração e falência do fígado, ou o cachorro pode
adoecer de repente e morrer quando grandes números de vermes amadurecem imediatamente e a
circulação é bloqueada quase completamente, causando falha súbita de rim e fígado.

Uma variedade de testes pode ser feita para diagnosticar infecção de vermes no coração, por
qualquer exame microscópico para microfilárias, ou testando o soro sanguíneo para antígenos
do verme. Podem ser feitas radiografias para determinar o quanto o coração foi danificado em
um cachorro infestado. O tratamento deve ser administrado por um veterinário e exigirá que se
interne o cachorro.
Primeiro uma droga é aplicada em uma série de injeções para matar o verme adulto; o cachorro
deve ser monitorado de perto durante este tratamento porque a própria droga pode ser tóxica ao
cachorro, e o verme adulto morto será bombeado aos pulmões onde eles podem bloquear vasos
sanguíneos e podem causar dificuldade de respirar ou morte. O cachorro terá que ser mantido
quieto e evitar todo o exercício (sendo mantido em um cercado pequeno ou gaiola) durante as
primeiras quatro a seis semanas depois deste tratamento, e um segundo tratamento pode ser
requerido em alguns casos.

Depois que os vermes adultos estão mortos, o cachorro terá que receber outra droga para
remover todas as microfilárias circulantes. levamisole, fenthion e ivermectin têm mostrado ser
efetivos contra microfilárias.

Obviamente, prevenir a doença é muito mais seguro que tratar. As duas drogas principais para
prevenir vermes do coração são dietilcarbamazine e ivermectin, com uma terceira (óxido de
milbemycin) que foi introduzida recentemente. Dietilcarbamazine deve ser dado diariamente e
se perder só um dia é possível que a infecção aconteça se o cachorro é mordido por um
mosquito com microfilárias naquele dia. Para um dono com apenas um ou dois cachorros, o
medicamento diário pode não ser um problema, mas em situações de canil não é prático.
Também, os cachorros devem ser testados como um preventivo negativo para vermes do
coração, pois pode causar uma reação séria em cachorros que têm vermes adultos no coração.

Dietilcarbamazine (DEC) é vendido como um tablete mastigável, pílula ou líquido e algumas


formulações podem incluir uma segunda droga para controlar também ancilóstomos. Algumas
marcas comuns são Filaribits e Filaribits Plus, Xarope de Dyfil, e pílulas de Styrid Caracide e
líquido. Todos estes medicamentos só podem ser obtidos através de prescrição. Ivermectin e
óxido de milbemicina são determinados uma vez por mês, e estão disponíveis em forma de
tablete, ivermectin é vendido como Heartgard 30 e óxido de milbemicina como Interceptor. O
segundo produto também controla ancilóstomos, e ambos requerem uma prescrição (ivermectin
pode ser obtido sem uma prescrição como um vermífugo de gado ou cavalo – veja a seção
anterior).

Coccídeos e outros protozoários

Coccídeo

Protozoários são parasitas microscópicos de uma célula. Vários tipos diferentes podem infetar
cachorros sendo que o coccídeo é o mais comum. Estes protozoários invadem e destroem o
forro intestinal, o que causa diarréia que freqüentemente pode conter sangue ou muco. Outros
sintomas podem incluir falta de apetite, febre, perda de peso e em casos extremos sem
tratamento, desidratação e morte.

Filhotes são comumente infectados. O parasita é eliminado nas fezes em sua forma infecciosa,
chamada de “oocisto” e pode sobreviver por muito temo tempo no ambiente. Um cachorro é
infectado ingerindo o oocisto e terá o parasita nas fezes dele em cinco a sete dias. A doença é
considerada auto-limitada e cachorros mais velhos geralmente se recuperam sozinhos sem
tratamento, mas podem se tornar então portadores do parasita. Porém, podem ser devastadores
em filhotes jovens, especialmente quando eles se reinfectam continuamente até que são
pesadamente infestados. Eles também podem ser infetados, mas não mostram qualquer sintoma
de infecção até que passam por algum período de tensão como desmama, mau tempo, mudança
de dieta e transporte.

Coccidiose é geralmente associada com superlotação, saneamento pobre ou nutrição fraca, mas
até mesmo na melhor situação a infecção de pode acontecer. Filhotes de cachorro podem ter
sido infetados através de mãe portadora e é quase impossível prevenir a exposição aos oocistos
em cachorros que são mantidos em terra ou grama. Estas superfícies não podem ser
completamente desinfetadas e algumas evidências indicam que o oocisto pode ser espalhado no
ambiente pelo ar.

Tratamento de coccidiose consiste em terapia contra diarréia, desidratação, etc. e drogas para se
livrar dos próprios parasitas. A droga mais usada para coccidiose é sulfadimetoxine que é
vendida com o nome comercial Albon. Veja a seção “Tratamento de Gastrenterites” no Capítulo
15 para detalhes da dosagem e formas disponíveis da droga, como também outras drogas de
sulfa que podem ser usadas para tratar coccidiose e a informação sobre o tratamento
sintomático.

Em situações onde é provável que a coccidiose seja um problema, há uma droga que foi

muito usada como um preventivo, entretanto não é aprovada para uso em cachorros. A droga

é chamada amprolium e está disponível em líquido ou pó para gado com o nome comercial

Corid. A dosagem é 50 a 100 mg por libra uma vez por dia. Corid pode ser misturado em

comida ou água ou pode ser dado diretamente em um dosagem de 1 cc para cada cinco libras

para o líquido, ou uma colher de chá para cada cinqüenta a sessenta libras para o pó - misture

o pó com água primeiro, é claro.

A droga só é efetiva contra uma fase do ciclo de vida do parasita, assim, deve ser dada até que
todos os coccídeos alcancem aquela fase. Sete a doze dias normalmente são suficientes, mas nós
usamos a droga até três semanas em situações onde nós sentíamos que as ninhadas estavam com
risco alto de reinfecção. Filhotes tomando amprolium sete a doze dias antes de ser transportados
têm menos chance de sofrer uma erupção de coccidiose. Uma alternativa para isto, se você sabe
que teve problemas com coccidiose no passado é tratar com Albon durante cinco dias antes de
eles irem.

O seguinte é uma cena comum: um filhote de cachorro pode ter pegado o parasita em algum
ponto e não mostra qualquer sintoma de coccidiose - ele pode até mesmo ter um exame fecal
negativo no dia que ele é transportado ou apanhado! A tensão da viagem, mudança de dieta e
ambientes farão o coccídeo ficar ativo; o filhote de cachorro começará a espalhar oocistos e os
sintomas clássicos de coccidiose aparecem.

O dono novo (legalmente preocupado) leva o filhote ao veterinário e ouve que “o filhote tem
uma doença de protozoário que ele apanhou por viver imundo, amontoado e que provavelmente
veio de um”moinho” de filhotes - ou algo assim. Alguns veterinários parecem ter uma certa
hostilidade para com criadores, e claro que criadores de Pit Bull estão na lista deles. Uma razão
pode ser porque a maioria dos criadores vacina e vermifuga os próprios cães - o que é uma fonte
principal de renda para veterinários - e outra podem ser que há muitos ignorantes sabe-tudo por
aí que criam cachorros e o veterinário em questão pode ser amargurado contra criadores em
geral por causa de encontros com muitos destes tipos.

Qualquer que seja a razão, nós lidamos na ocasião com veterinários assim. Eles também são
normalmente os que falarão para os novos donos de filhotes que todos os pitbulls são instáveis,
ou que o filhote deles não parece nada puro-sangue (como se um diploma também fizesse um
perito automático em todas as raças de cachorros), assim nós pensamos que poderíamos
mencionar isto para encorajar objetividade se acontecer esta cena com um receptor de um
filhote de cachorro. Nós esperamos que isto lhe ajude a evitar qualquer sentimento de culpa
desnecessário ou colocar alguma culpa desmerecida.

Baystate‟s Warlock com 4 meses. Um cruzamento de Eli/Alligator filho de Wildside‟s Lúcifer e


Baystate‟s Miss Prance.

Kingfish Kid‟s Ch. Bucket, filho de Kiser‟s Gunnar, neto de Wilman‟s (Love‟s) Suzie. Um ótimo
cão.
Giárdias

Outros protozoários que podem causar enterites em cachorros são as giárdias. Infecção com
giárdia (giardíase) causa diarréia crônica ou intermitente com sangue e/ou muco e perda de
peso. Normalmente Giárdias não são achadas em exames fecais porque a solução de flutuação
comumente usada distorce os organismos. Elas podem ser vistas em uma solução salina fresca,
mas outra coisa para se lembrar é que elas são expelidas apenas ocasionalmente, então várias
amostras podem precisar ser feitas durante um certo tempo antes que elas sejam vistas.

Metronidazole (Flagyl) é a droga mais comum para giárdia a uma dosagem de um tablete de
duzentos e cinqüenta mg para cada dez libras, diariamente, durante cinco dias. Esta droga só
está disponível através de prescrição. Giárdia deve ser considerada um possível problema em
um cachorro que tem diarréia pálida, aguada, gosmenta, (possivelmente com sangue e muco)
perda de peso e teve exame negativo recentemente ou se vermifugou completamente para todos
os outros parasitas internos.

Não foi provado, mas é uma possibilidade que a espécie de giárdia que infesta cachorros
também pode infestar os humanos; lembre-se isto de quando mexer com um cachorro suspeito
de ter giardíase e lave suas mãos depois de contato com o cachorro e elimine cuidadosamente a
matéria fecal dele. O parasita normalmente não sobrevive grandes períodos de tempo fora do
cachorro, mas nós ouvimos que ele pode viver em água parada, se a temperatura é bastante
morna. Tratar o cachorro com metronidazole, remover e eliminar toda a matéria fecal, eliminar
água parada ou áreas úmidas no ambiente do cachorro e desinfetar a área onde o cachorro está
vivendo deve resolver o problema.

Nós só tivemos um cachorro com giardíase, uma cadela que nós compramos de um estado do
Sudoeste. Ela estava fraca, com o pêlo fraco e diarréia crônica até mesmo com muito sangue e
muco depois de ser vermifugada completamente para ancilóstomos (os quais ela também tinha
quando chegou) e nós achamos giárdias no terceiro ou quarto exame fecal que nós fizemos nela
desde a chegada. Nós vimos as giárdias em uma flutuação fecal, o que é incomum, e
confirmamos isto com uma solução salina antes de levar a cadela ao nosso veterinário para
medicação.

Em vez de aplicar Flagyl como nós tínhamos esperado, Nosso veterinário nos deu tabletes
Levasole de ovelha para a cadela, dois terços de um tablete diariamente durante cinco dias. Nós
não achamos nenhuma referência em quaisquer de nossos livros sobre esta droga que é efetiva
contra giárdia, e nunca ouvimos falar que fosse usada para este propósito. Nós fomos para casa
pensando que nosso veterinário tinha perdido a cabeça, mas depois que nós terminamos de dar
as pílulas nós não achamos mais giárdias em três exames fecais subseqüentes e a cadela não
teve nenhum outro problema com isto desde então.

Eliminando Fontes de Infecção

Como nós mostramos anteriormente, todos os parasitas internos que nós mencionamos neste
capítulo têm que passar por alguma fase do ciclo de vida fora do cachorro. Os ovos, oocistos,
larvas são eliminados em fezes, sofrem uma série de mudanças que podem levar horas, dias ou
semanas, e então infectam um cachorro novo ou reinfectam o mesmo cachorro. A maioria é
capaz de sobreviver muito tempo no solo e é resistente a temperaturas geladas.

Há vários modos para remover (ou pelo menos reduzir grandemente) estas larvas; o modo mais
óbvio é remover tão freqüentemente quanto possível todas as fezes do ambiente. A freqüência
dependerá de sua situação individual. Se você só tem um ou dois cachorros como animais de
casa, deve ser bastante fácil manter livres de parasita; recolha as fezes imediatamente até
mesmo se estiverem no quintal e vermifugue habitualmente ou faça exames em seus cães.

Mantenha os cachorros errantes de vizinhos fora de seu gramado, e se você tem dificuldade com
outros cachorros que defecam em seu quintal, remova as fezes imediatamente antes de deixar
seu cachorro sair no gramado. Desencoraje seu cachorro de cheirar as fezes de outros cachorros
quando você o leva para lugares públicos e evite contato com cachorros estranhos (o que você
provavelmente quererá fazer de qualquer maneira, se seu buldogue é muito agitado) ou outros
animais. Se você tem um gato, esteja seguro de que o gato também é livre de parasitas.

Em situações de canil pode ser um pouco mais difícil remover todas as fontes de infecção
completamente. O ideal para isto é ter todos os cachorros em algum tipo de superfície lisa,
(como em um cercado de tela com um chão de concreto impermeável) remova todas as fezes
imediatamente, e desinfete a superfície cada vez que as fezes são removidas.

Enquanto isto é ideal do ponto de vista do serviço de saúde pública, é menos que ideal para uma
variedade de outras razões; cercados de tela são caros de se construir, em áreas residenciais as
leis de zoneamento pode proibir, e geralmente não é prático manter buldogues adultos neles,
especialmente se você tem mais de dois cachorros. Também, para limpar fezes que secaram
sobre uma superfície de concreto, bastante água pode ser necessária. Se o piso de concreto não
tem um dreno instalado, durante a limpeza diária do cercado a água provavelmente saturará a
área ao redor e fará uma poça de lama fedorenta que atrairia moscas e outros animais daninhos.

Outra opção é manter os cachorros em gaiolas com pisos de grade acima do solo, e muitos
cachorros são mantidos deste modo. Com este tipo de gaiola ocorre a queda de fezes pela grade,
assim o cachorro não pode se reinfectar. Este tipo de gaiola pode ser particularmente muito bom
para cadelas grávidas ou amamentando e filhotes, mas há desvantagens; cachorros não gastam
as unhas do dedo do pé nestes tipos de gaiolas, assim elas devem ser aparadas regularmente, e
também as cadelas grávidas deve ser exercitadas regularmente se mantidas uma gaiola. Elas não
podem se exercitar do modo que fariam em uma coleira e podem ter dificuldade de parto por
causa da falta de tônus muscular.

Embora a maioria da matéria fecal caia pelo arame, um poço adere à grade e será muito mais
difícil de remover que de uma superfície plana como concreto. Também, a maioria das gaiolas é
construída com uma armação de madeira; madeira - até quando pintada ou mesmo tratada - é
uma superfície porosa e por isso impossível de desinfetar completamente, entretanto pode ser
mantida bastante limpa.

As melhores gaiolas deste tipo que nós vimos são feitas por T.E. o Scott; elas vêm em um kit
que você tem que construir sozinho. O chão é composto de grelha de metal (barras de metal de
½ polegada espaçadas por 1 polegada) que é muito fácil de manter limpa. A maioria das fezes
cai pelo chão, não seca e pode ser raspada facilmente, e tudo você tem que fazer é arrastar
debaixo das gaiolas. Nós temos algumas destas gaiolas que nós usamos para maternidades (nós
também usamos ninhos de criação T.E. Scott nas casas) e estamos muito satisfeitos com eles.
Veja o Apêndice UM na lista de lojas de suprimentos.

Com cachorros mantidos em grama, madeira, terra, etc., a desinfecção completa é impossível,
mas remover as fezes freqüentemente ainda irá ajudar a minimizar o contato com ovos e larvas.
Um modo de limpar estas superfícies bastante bem é borrifar a área com uma solução alveje;
pulverizadores feitos para herbicidas que se ajustam na ponta de uma mangueira de jardim são
excelentes para este uso.

Cobrir cercados de terra com uma camada de cascalho melhorará a drenagem e os tornará mais
fáceis de desinfetar. Pedra triturada (também conhecida como brita, areia de pedra ou pó de
pedra) também pode ser usada em áreas de coleira. Nós usamos em nossos cercados de filhote e
é muito mais fácil de manter limpa que pedregulhos, grama ou terra. Tem que ser recuperada de
vez em quando, pois tende a escorrer, e um pouco disto invariavelmente se perde quando você
está limpando o cercado, mas de tudo que nós tentamos, foi o melhor piso para cercados de
filhotes.

Leyva‟s Working Overtime, também conhecida como “0. T.” uma boa cadela filha de um
cruzamento Honeybunch fechado. Produziu Leyva‟s Reggie, duas vezes vencedora.
Pai: Garrett‟s Tater
Mãe: Garrett‟s Raquel
Wildman, um ótimo filho de Wildside‟s Bandit e Garner‟s Ronnie da propriedade de Mr. P. Su-
watchai em Bangkok, Tailândia.

Alguns criadores da Carolina do Norte


Da esquerda para a direita: Russell Norman, J.R., e Old Mountain Man.

Para cachorros adultos, piso de pedregulho fino (ou pedregulho “ervilha”) provê drenagem boa
e é bastante fácil de limpar as fezes do cercado; é inadequado para áreas de corrente porque a
corrente arrastará as pedras em uma pilha no centro da área.

Ao longo desta seção nós acentuamos repetidamente que a desinfecção completa dos locais
pode não ser prático ou até mesmo impossível em algumas situações; de forma que pessoas
nestas situações podem reconhecer isto e habitualmente conferir exames fecais ou vermifugar
adequadamente. Levar uma amostra de fezes para seu veterinário toda vez que você tem um
problema com diarréia ou outros possíveis sintomas de parasitas internos é uma boa idéia, se
possível. Tenha certeza de que a amostra está tão fresca quanto possível e coloque em um saco
de plástico, frasco de pílulas, recipiente de iogurte ou algum outro recipiente limpo, seco com
uma tampa firme. Você não precisa trazer um grande quantidade – apenas uma colher de chá,
mas se há sangue, muco, ou qualquer outra coisa anormal esteja seguro de incluir um pouco
disto para o veterinário olhar.

Muitos veterinários receitarão medicamentos para tudo que eles acham em um fecal, sem ser
precisar trazer o cachorro, outros quererão ainda examinar o cachorro e alguns exigirão até
mesmo hospitalizar o cachorro (e cobrar por isto) por causa de algo tão simples quanto
vermifugação.

É muito bom fazer exames fecais rotineiros para diagnosticar infecções de parasitas antes que
eles se tornem um problema, e inspecionar uma amostra de qualquer cachorro ou filhote de
cachorro que tem diarréia por causa da possibilidade de lombrigas, coccídeo etc. ou diagnosticar
o problema corretamente e tratar o cachorro que o tem.

Se você está mantendo um número grande de cachorros ou está criando muitos filhotes, você
pode considerar a aquisição de um microscópio e aprender a fazer exames você mesmo. O custo
não é tão grande quanto você poderia pensar e o retorno vem em menos de um ano – o nosso
veio, de qualquer maneira. Informação sobre onde encomendar um microscópio e livros para
identificar parasitas são incluídas no Apêndice UM na parte de trás deste livro. Um microscópio
básico custará somente 250 dólares. O mínimo que você precisará é um que aumente de cem a
quatrocentas vezes, mas se você pode comprar, um com iluminação tornará as coisas mais
fáceis.

Antes de adquirir o microscópio que nós possuímos agora, nós compramos um desses
microscópios de criança baratos (aqueles que você vê à venda às vezes em lojas de
departamentos) influenciados por um acaricie catálogo de suprimentos. Infelizmente ele provou
ser inútil para nós, mas nós pudemos recuperar nosso dinheiro. Para fazer exames fecais, você
também precisará de solução de flutuação de nitrato de sódio, lâminas e coberturas de lâminas, e
sistemas de flutuação Fecalyzer, tudo disponível na Omaha Vaccine Company ou K.V. Vet
Supply.
Capítulo Dezessete

Parasitas Externos

O controle de parasitas externos é da mesma maneira importante como o controle de


parasitas internos; pulgas, carrapatos, e outros parasitas externos podem causar intenso
desconforto para seu cachorro conduzindo a constante coceira, arranhões e
automutilação. Eles podem espalhar várias doenças infecciosas e platelmintos
Dipylidium, e alguns morderão o humano mais próximo se um cachorro não estiver por
perto. Infestações pesadas de certos parasitas podem causar anemia e morte.

Pulgas

Pulgas são insetos pequenos, providos de seis pernas, sem asas, que podem variar na cor de
marrom avermelhado para negro. Elas podem rastejar muito rápido e também podem saltar
distâncias de um pé ou mais. Enquanto elas não vivem bem em climas extremamente frios,
climas quentes e secos ou altitudes grandes, eles parecem prosperar em quase qualquer outro
lugar.

O ciclo de vida da pulga, sob condições normais, pode ser completado em apenas três semanas.
A pulga fêmea, depois de beber um pouco de sangue, bota até trinta ovos de cada vez. Estes
ovos normalmente caem do cachorro e chocam no ambiente, virando larvas minúsculas,
parecidas com lombrigas, que se alimentam de esterco (particularmente as fezes ricas em sangue
de pulgas adultas) e então entram em um casulo que elas enrolam. Eles emergem do casulo
como adultos jovens, e o ciclo então se repete. Foi calculado que um casal de pulgas quando se
reproduz pode gerar um quarto de milhão de descendentes no período de um ano.

Pulgas adultas gastam todo o tempo delas no cachorro se elas podem, mas o resto do ciclo de
vida da pulga é levado a cabo em outro lugar - na roupa de cama do cachorro, na casinha, no
solo ao ar livre, ou em seu tapete, mobília e rachaduras e fendas na casa. As populações mais
pesadas estarão na área que o cachorro dorme. Para toda pulga adulta que você vê em seu
cachorro, há aproximadamente noventa e nove outras pulgas em outras fases de
desenvolvimento nas áreas acima. Se você não notar as pulgas até que o cachorro esteja
literalmente rastejando com elas, o problema já fugiu do controle!

A pulga comum.
Garner‟s Pilot, filho de Garner‟s Gr. Ch. Spike com sua filha três vezes vencedora Susie. É da
propriedade de Blue and Grey Kennels e é um dos que estão produzindo bons cães na costa
oeste.

Patrick‟s Lady in Red, da propriedade de Ernest Hollingsworth. Lady in Red era a principal
cadela de cria do Sr. Hollingsworth e parte da fundação da criação dele. Esta fotografia foi
tirada alguns meses antes de Lady In Red morrer de câncer.

Hammonds' Pig, também conhecido como Snort, um filho de Hammonds' Rufus ROM. Um
ótimo cão pequeno da linhagem Alligator/Eli e um tremendo reprodutor. Pai do nove vezes
vencedor Ch. Melonhead, Ch. Joan, e muitos outros bons cachorros.

Pulgas podem transmitir platelmintos Dipylidium para o cachorro se ele engolir pulgas que
contêm os ovos do verme. Pulgas também transmitem peste bubônica (entretanto esta não é
certamente hoje em dia uma doença muito comum) e se eles não podem achar um cachorro ou
gato para beber sangue, as pulgas morderão os humanos.

Alguns cachorros podem ter algumas pulgas ou até mesmo uma infestação pesada sem
irritação aparente, mas outros sofrem de uma condição chamada dermatite alérgica a
pulgas (FAD). FAD é causada através da reação de anticorpos à saliva da pulga e
produz intensa coceira e irritação. Nestes cachorros, mordidas de pulga começam como
inchaços pequenos e desenvolvem em feridas sarnentas e incrustadas. O cachorro
morderá e arranhará estas áreas até causar ferimentos e chagas que podem ser infetadas
também. Se persistir por muito tempo, FAD causa pele espessa, enrugada e escura com
pouco ou nenhum cabelo. Infecções de pele bacterianas podem acompanhar a condição.

Cachorros com FAD podem precisar de terapia com corticóides e banhos medicativos para
aliviar os sintomas, mas o próprio problema de pulgas também deve ser eliminado. Não há
nenhuma justificativa para terapia de corticóides a longo prazo como uma alternativa para se
livrar das pulgas, pois efeitos colaterais sérios podem se desenvolver. Terapia de alergia para
tentar hiposensibilizar o cachorro raramente tem êxito. Cachorros muito infestados,
especialmente filhotes, podem ficar anêmicos e até mesmo morrer se as pulgas não são tratadas.

Controle de pulgas

O tratamento envolve eliminar não só as pulgas no cachorro, mas também as pulgas no


ambiente, e é mais fácil se o tratamento começar antes que seu cachorro - e sua casa ou quintal -
esteja completamente infestado. Há uma variedade de produtos no mercado para controle de
pulgas tanto no cachorro quanto nos ambientes. Os produtos que são feitos para usar no
cachorro podem ser divididos em várias categorias; aerosol ou spray de bomba, imersões,
tratamentos localizados, pós e espumas.

Sprays podem ser à base de água ou álcool; o segundo penetra melhor no pelo e mata as
pulgas mais rápido, mas é mais caro e pode irritar a pele do cachorro. Sprays de bomba
são geralmente melhores para usar que aerosóis porque o ruído de assobio que um
aerossol faz pode assombrar alguns cachorros. Espumas podem ser até mais úteis nestes
casos, pois você massageia o produto no pelo do cachorro com suas mãos em lugar de
borrifar qualquer coisa nele.

Pós que contêm 5% carbaryl são muito seguros para usar no cachorro e na casinha ou roupa de
cama; este é o mesmo ingrediente e dosagem de 5% Sevin Dust e pelo preço que você pagaria
por 250 ou 300 gramas de talco antipulga, você pode comprar alguns quilos de Pó de Sevin!

Sabões ou xampus antipulga são principalmente para matar as pulgas que estão de fato no
cachorro na ocasião que você lhe dá o banho, mas têm pequeno ou nenhum efeito residual.
Coleiras antipulga não fazem muito efeito, a não ser matar as pulgas ao redor da cabeça e
pescoço e oferecer um lugar agradável para pendurar uma etiqueta de identificação em um
cachorro pequeno ou um gato. Coleiras antipulga que contêm dichlorvos podem causar irritação
de pele em alguns cachorros e devem ser removidas imediatamente.

É impossível tentar descrever todos os produtos que existem para controle de carrapato e pulgas
no mercado, mas as seguintes são algumas das coisas que funcionaram bem para nós: Vet
Kem‟s Siphotrol Plus II (para dentro de casa), espuma antipulga 3M's 2-Way, imersão Pararnite
e Permectrin (para uso em cachorros, mas Permectrin também é bom como spray de prevenção
nos locais) e 5% Sevin Dust (cachorros e casinhas).

Imersão provavelmente é o meio mais efetivo de tratar o cachorro; o banho é misturado e então
espalhado sobre o cachorro e esteja certo de molhar o cachorro inteiro até a pele e não deixar
entrar nenhuma solução nos olhos dele. Não seque o cachorro depois – deixe-o secar sozinho.
Molhe o cachorro tantas vezes quanto for recomendado na etiqueta do produto. Não molhe
filhotes abaixo de oito semanas de idade ou cadelas grávidas ou amamentando. Se o cachorro
está muito infestado e coberto com sujeira de pulga, ou tem feridas de tanto se arranhar, nós lhe
damos um banho com Betadine antes de imergir com o banho antipulgas; não use xampu
antipulga antes de imergir um cachorro.

Nós tivemos a sorte, pessoalmente, de manter as pulgas sob controle; nós tivemos só algumas
infestações grandes durante anos. Normalmente nós acabamos com as pulgas no quintal depois
de levar um cachorro ao veterinário, ou que um cachorro novo chegou no canil carregado de
pulgas. Nós tentamos conferir cuidadosamente qualquer cachorro novo por qualquer razão e
tratar o cachorro e seu barril ou casinha com Pó Sevin 5%. Nos meses em que as pulgas são um
problema nós colocamos Sevin Dust em todas as casas ou barris de nossos cachorros e os
imergimos quando necessário com Permectrin ou solução de Paramite. Isto reduziu
grandemente os problemas de pulgas em nosso quintal.

Cadelas gestantes e amamentando e filhotes abaixo da idade de quatro semanas só devem ser
tratados se for absolutamente necessário. Nós tratamos ou com um spray de pyrethrin ou com
Pó de Sevin. Com ambos, só aplique nas costas da cadela, evitando a barriga e mamilos e
aplique muito ligeiramente nos filhotes. Evite quantidades grandes de Pó de Sevin em casinhas
de cadelas amamentando porque elas poderão comer o pó quando elas limpam os filhotes, e
podem ficar doentes.

Nós tentamos remover a roupa de cama infestada completamente e substituir com roupa de
cama fresca (é indicada serragem de cedro ter um pouco de efeito repelente; nós não sabemos se
é verdade ou não, mas ela é uma roupa de cama agradável) e remover tantas pulgas quanto você
pode manualmente com um pente de pulgas. Um pente de pulga pode ser comprado de
companhias de suprimentos, lojas de animais ou até mesmo lojas de departamentos, é um pente
com dentes muito bons pelo qual o cabelo do cachorro passa, mas pulgas ficam presas.

Alguns sprays para uso ao ar livre são vendidos como um concentrado que se prende
diretamente a sua mangueira de jardim; a diluição certa é borrifada automaticamente. Estes
sprays podem ser muito úteis para se livrar de pulgas em seu quintal. Junto com o uso de um
destes sprays no intervalo recomendado, também mantenha seu gramado cortado bem curto e só
molhe quanto for absolutamente necessário. Remova pilhas de lixo decomposto como folhas,
madeira, etc, pois as pulgas se reproduzem nestas áreas. Confira para estar seguro de que o
spray que você está usando no quintal é compatível com o que você está usando em seus
cachorros e em sua casa para evitar qualquer reação tóxica.

A principal coisa para se lembrar para ter algum sucesso se livrando de pulgas é que você
precisará continuar tratando os cachorros e locais até todas as pulgas se forem. Esperar pelo
tempo frio para eliminar as pulgas não faz sentido porque as pulgas são capazes de sobreviver a
temperaturas geladas assim as pulgas que você não matar apenas regressarão ano que vem. Se
você começa a tratar assim que você vir as primeiras pulgas e continua pelo resto da estação,
você as manterá sob controle, mesmo se você tem um canil grande.
Também há vários tratamentos pour-on disponíveis para cachorros, e também pílulas de Proban
que são administradas duas vezes por semana. Uma das desvantagens principais com estes
produtos é que eles só matam as pulgas quando elas na verdade mordem o cachorro, assim isto
não oferece nenhum alívio para o cachorro alérgico. Nós tentamos só os produtos pour-on,
contendo fenthion (o mesmo ingrediente de Pro-Spot para cachorros, mas com uma
concentração muito mais alta) chamado Spotton. O produto é etiquetado para uso em gado, mas
algumas pessoas usam em cachorros. O produto pareceu funcionar bem contra pulgas, mas nós
deixamos de usar por várias razões. Definitivamente não deve ser usado em cadelas grávidas ou
amamentando, filhotes abaixo de seis meses de idade, e cachorros doentes ou idosos, nem junto
com qualquer outro organofosfato no cachorro ou no ambiente dele, inclusive vermífugos,
coleiras antipulga, imersões, spray local, etc.

Patrick‟s Homer II, possuído por Garland & Marcia McDaniel. Um pequeno cachorro
de jogo pesado da linhagem de Bolio que está produzindo alguns cães muito bons.

Tarheel Matt‟s Panther, mostrado aqui com aproximadamente seis anos de idade. Um dos netos
do devastador Adams' Gr.Ch. Zebo criado por Tarheel Matt. Ganho uma luta muito
impressionante.
Long‟s Werdo, um dos melhores filhos reprodutores de Ch. Jipe ROM. A mãe de Werdo é o
Orr‟s Dolly, uma filha de Jipe com Cogina. Cogina era uma irmã de B & S' Gr.Ch. Snake.

Depois de ouvir falar de várias fontes diferentes da droga que causa problemas com os ciclos de
cio de cadelas, nós reduzimos nossa lista de cachorros que nós usamos Spotton para os machos
acima de seis meses de idade. Nós nunca tivemos uma reação séria ao inseticida, mas em
algumas ocasiões nós notamos sintomas moderados de toxicidade ao organofosfato,
principalmente cachorros que ficaram um pouco deprimidos ou até mesmo ficaram algumas
horas enjoados depois da aplicação. Também, porque o produto é diretamente absorvido na
pele, é difícil de aplicar em um buldogue saltando e contorcendo sem derramar um pouco em
você mesmo (até mesmo usando luvas) e se você usa o produto em um cachorro de casa você
pode entrar em contato com o produto quando acariciar o cachorro, etc. Você pode sentir de fato
dentro de alguns minutos quando derrama o produto em sua pele. Em uma ocasião um de nós
ficou bastante doente depois de aplicar Spotton sobre uma dúzia de cachorros. Ficou aparente
então que havia mais razões para não usar que benefícios de usar isto. A vantagem principal é
que era muito econômico e fácil de usar em um número grande de cachorros comparado a
imersões e sprays, etc, mas segundo nossa experiência, outros métodos são mais seguros e no
final das contas, mais eficazes.

Carrapatos

Carrapatos são parasitas de oito pernas achatados, parecidos com caranguejos, que se prendem
ao hospedeiro e chupam sangue. Os corpos de fêmeas se tornam redondos com o sangue quando
elas se alimentam, dos machos não. Há muitas espécies diferentes de carrapatos, mas o
comumente achado em cachorros é o carrapato de cachorro marrom, sendo que o carrapato
“madeira”, o carrapato da febre da Montanha Rochosa e o carrapato de cachorro americano
também são comuns.

Outro carrapato que pode ser achado em cachorros é o um conhecido como o carrapato de
veado; este é o carrapato que causa a doença de Lyme. Além de Lyme, carrapatos podem levar a
outras doenças, inclusive Hepazoonoses, Erlichioses, Babesioses e a febre de manchas da
Montanha Rochosa, só para citar alguns, e algumas destas doenças também podem ser
transmitidos aos humanos quando um cachorro pega um carrapato infetado e o carrapato morde
um humano. Os carrapatos também podem transmitir uma toxina que causa paralisia de em
cachorros. Fort Dodge recentemente descobriu uma vacina que protege contra infecção de Lyme
em cachorros.

Normalmente carrapatos são achados em cachorros ao redor do pescoço e nas orelhas, e atrás e
entre os dedos do pé, mas podem se prender em qualquer lugar do cachorro. Carrapatos machos
podem ficar no cachorro durante semanas ou até mesmo meses, mas fêmeas só se alimentam por
aproximadamente uma semana. Depois de se alimentar e acasalar, as fêmeas de carrapato caem
e então rastejam sobre alguma superfície vertical (como um toco velho e podre ou um poste de
cerca) e em uma rachadura, onde ela bota vários milhares de ovos. Os ovos chocam em
aproximadamente três semanas em larvas minúsculas, de seis pernas, chamadas de semente de
carrapatos. Eles acham um cachorro ou outro animal para se alimentar, caem e mudam para
ninfas de oito de pernas e continuam alimentando e mutando até que ficam adultos.

Carrapatos podem hibernar pelo inverno. Números grandes de carrapatos podem causar anemia
em cachorros, e feridas onde carrapatos se alimentaram podem causar irritação, inflamação e
ficar infectadas.

Exemplo de um carrapato magro. Este é um carrapato macho pequeno de mamífero.

Controle de carrapatos

Aves comem grandes números de carrapatos e algumas pessoas mantêm galinhas para ajudar a
manter os carrapatos sob controle. Nós fomos presenteados com algumas galinhas pelo
Mountain Man há alguns anos e não vimos muitos carrapatos enquanto nós tivemos as galinhas,
mas as galinhas causaram tantos problemas (inclusive dois acidentes de canil muito ruins) que
nós descobrimos que nós nos dávamos bem com os carrapatos! Formigas de fogo também são
um predador de carrapatos, mas elas próprias podem ser uma ameaça.

Cachorros podem ser tratados com spray ou imersões e o ambiente do cachorro deve ser tratado,
do mesmo modo que você trataria as pulgas. Use produtos que são etiquetados para controle de
carrapato e também para pulgas. Para remover carrapatos presos ao cachorro, pegue o carrapato
firmemente tão perto da pele quanto possível e puxe continuamente até que seja arrancado, ou a
cabeça pode cair e permanecer na pele. Livre-se do carrapato derrubando em um recipiente de
álcool ou esmagando.

Piolhos

Piolhos são pequenos insetos de seis pernas, cinzas, castanhos ou marrons. Eles não têm asas, os
corpos são achatados de cima a baixo (ao contrário de pulgas que são achatadas de lado a lado)
e eles têm aproximadamente 1/16 de polegada de comprimento. Eles são muito mais lentos que
as pulgas e não saltam nada. Eles botam os ovos no próprio cachorro e estes ovos podem ser
visíveis, em um cachorro preto, como pintas brancas e minúsculas presas a um pêlo individual.
Há várias espécies de piolho e uma espécie de piolho que infesta cachorros, mas nenhum deles é
da espécie que infeta os humanos, nem é transmitido para humanos. Piolhos passam o ciclo de
vida inteiro no cachorro e morrem dentro de alguns dias se eles não estão no cachorro. Eles são
transmitidos diretamente de um cachorro para outro e não são muito comuns, especialmente em
canis de Pit Bull onde os cachorros devem ser mantidos separados, de qualquer maneira. O
tratamento é igual ao de pulgas.

Uma vista aproximada de um piolho. Piolhos são minúsculos e difíceis ver.

Sarnas

Sarna Demodética

Sarna Demodética é causada por ácaros microscópicos que habitam os folículos pilosos do
cachorro e comem células de pele nos folículos. Os ácaros são transmitidos a filhotes pela mãe
alguns dias depois do nascimento, e recentemente também se tem dito que os ácaros podem ser
transmitidos diretamente de um cachorro para outro - isto era tido como impossível
anteriormente. Os ácaros não sobrevivem muito tempo fora do cachorro. O ciclo de vida inteiro
do ácaro Demodex é passado no cachorro, (de ovo para larva, para ninfa e finalmente para
adulto) e acontece dentro de vinte a trinta e cinco dias.

Quase todos os cachorros terão alguns destes ácaros, mas por razões não completamente
compreendidas eles proliferam em certos cachorros e causam infecção localizada ou
generalizada. Infecção localizada é vista comumente em cachorros abaixo de um ano de idade.
Estes cães desenvolvem feridas pequenas e peladas, normalmente ao redor dos olhos ou nas
pernas dianteiras. As áreas podem ficar ligeiramente avermelhadas, mas caso contrário não são
vistos outros sintomas ou coceiras.

A maioria destes casos localizados vai sarar com ou sem tratamento, mas aproximadamente dez
por cento progredirão a uma condição generalizada. A tendência para ter surtos de sarna
Demodética generalizada parece ser hereditária em alguns casos. Cachorros afetados
apresentam uma pele avermelhada, inflamada, escorrendo, que pode ser coberta de inchaços
cheios de pus. Um caso sério de sarna Demodética generalizada é muito difícil de curar e pode
resultar na morte do cachorro devido a infecções bacterianas secundárias.

Sarna Demodética é diagnosticada levando uma raspagem de pele ao veterinário, que procura o
ácaro no material raspado usando um microscópio de baixo poder. Nem sempre os ácaros serão
achados, até mesmo depois de várias raspagens e freqüentemente um veterinário aconselhará
tratamento mesmo se não forem achados, baseado nos sinais clínicos. Tratamento convencional
consiste em banhos medicativos, antibióticos orais ou injetáveis para infecção secundária, e
imersão com 2-4% de cal-enxofre ou imersão de “Mitaban” (amitraz). Cremes tópicos e
ungüentos também são disponíveis. Nós tivemos só dois casos em nossa criação e eles
responderam muito bem a tratamento com Ivomec (1cc/110 libras.) injetado debaixo da pele
entre os ossos do ombro uma vez por semana durante três a seis semanas.

Sarna Sarcóptica (scabiose)

Este ácaro tem um ciclo de vida semelhante ao da sarna Demodética, a não ser que o ciclo
inteiro se completa em dez a vinte e um dias. O ácaro da sarna Sarcóptica fêmea escava
profundamente debaixo da pele e bota os ovos nos túneis que ela faz. A sarna é altamente
contagiosa e pode infectar cachorros, gatos e até mesmo os humanos. Alguns animais infectados
podem ser portadores sem mostrar nenhum sintoma, mas transmitem o ácaro para outros
animais ou pessoas. O ácaro seca depressa e morre dentro de um dia ou dois se ficar fora do
animal.

Ácaros tendem a preferir áreas peladas como a barriga e cotovelos; eles infestam as pontas
moles das orelhas dos cachorros e causam incrustação. Eles causam intensa coceira - o cachorro
terá muito incômodo e quase constantemente vai coçar a pele. As áreas infestadas por sarna
estarão peladas e podem ficar cobertas com caroços avermelhados com crostas amarelas neles.
Em casos prolongados a própria pele pode ficar espessa e enrugada.

Sarna Sarcóptica é diagnosticada com uma raspagem de pele, do mesmo modo que a
Demodética. Às vezes são exigidas várias raspagens para achar ácaros, e seu veterinário terá que
raspar bastante fundo, a ponto de sangrar o cachorro, pois os ácaros escavam profundamente na
pele. Normalmente os cachorros são tratados com mergulho em imersão de cal-enxofre (como
DVM‟s LymDip), mas Ivomec funciona muito bem pois é usado para tratar sarna Sarcóptica em
gado.

Sarna Otodéctica (Sarna de Orelha)

Estes ácaros infestam cachorros e gatos e normalmente são achados nas orelhas do animal
(entretanto em casos severos onde as orelhas às vezes são infetadas com bactérias o ácaro deixa
as orelhas e se mantém no cachorro ou gato em outro lugar) onde eles causam coceira severa e
irritação. Um cachorro com sarna de orelha crispará as orelhas, sacudirá a cabeça e esfregará ou
arranhará as orelhas. A área ao redor das orelhas pode se tornar vermelha e infetada das unhas
do cachorro que arranham a pele quando ele as coça. Haverá uma formação feita ou revestida de
cera castanha ou preta dentro das orelhas. Os ácaros são minúsculos, mas às vezes podem ser
vistos rastejando ao redor do material feito ou revestido de cera, movendo-se muito lentamente
e se assemelham a grãos brancos de sal.
Sarna Otodéctica é diagnosticada quando um veterinário remove um pouco do material dentro
das orelhas com um cotonete de algodão e procura o ácaro com um microscópio. O tratamento
envolve limpar as orelhas completamente e tratar diariamente com algum tipo de medicamento
de orelha que contém um acaricida. Freqüentemente quando um cachorro tem sarna de orelha
ele também terá uma infecção de orelha causada por bactérias, fungos, ou leveduras. Se as
orelhas realmente estão uma bagunça pode ser melhor deixar seu veterinário sedar o cachorro e
limpar as orelhas completamente; uma infecção de orelha pode ser muito dolorosa e alguns
cachorros resistirão a deixar mexer nas orelhas deles. Um veterinário também prescreverá
medicamentos para sarna de orelha e/ou qualquer infecção presente. Se você tratar o cachorro
você mesmo, terá que limpar as orelhas e aplicar os medicamentos necessários.

Hammonds‟ Zack, também conhecido como Roberto. Vencedor de duas lutas e a um ótimo
reprodutor.
Mickel‟s “GD CH”Budweiser Crusher, um vencedor da prova de conformação da ADBA, da
propriedade de Glenn e Catherine Wise. “Bud” é filho de Otter‟s Indian Moon, irmão de Ch.
Tonka Bear.

Para informações mais detalhadas sobre limpar orelhas e aplicar medicamentos, veja o capítulo
14. Estes ácaros são capazes de sobreviver por meses fora do hospedeiro, assim a casa do
cachorro ou área de dormir deve ser tratada também, do mesmo modo que você trataria pulgas.
Alguns exemplos de medicamentos usados para tratar sarnas de orelha são Fort Dodge‟s
Nolvamite e Norden‟s Mitox - o segundo também contém um antibiótico e um remédio para
dor. Uma preparação para sarna de orelha de fabricação caseira que consiste em 15 ml de óleo
mineral e uma ou duas gotas de solução de Paramite também são efetivas. Se também há uma
infecção de orelha presente, também deve ser tratada. O medicamento de prescrição Panalog
funciona muito bem para todos os tipos de infecções de orelha, se você puder encontrar. Ele
contém um antibiótico, um medicamento antifungos, e também uma droga antiinflamatória.

Mosca de cavalo: esta mosca tem uma mordida muito dolorida.


Mosca azul, também conhecida como mosca zumbidora comum.

Moscas

Moscas mordedoras

Moscas mordedoras são consideradas normalmente parasitas de gado, mas podem ser um
problema real em criações de buldogue, pois causam irritação e dor, e perda de sangue. Há uma
variedade grande de moscas que podem atacar os cachorros.

Moscas pretas deixam marcas que coçam e gostam de atacar áreas peladas e desprotegidas como
a barriga, virilha e dentro das orelhas, mas são mais um aborrecimento que qualquer outra coisa.
Moscas de estábulo e moscas do chifre se assemelham a moscas caseiras com ferrões, estas
moscas atacam a cabeça, particularmente as orelhas. Moscas de cervo e moscas de cavalo têm
uma mordida muito dolorosa; algumas espécies de moscas de cavalo são enormes (nós as vimos
com mais de uma polegada) e deixam feridas muito grandes e sangrentas que não só são
dolorosas para o cachorro, mas também podem ser infetadas e podem atrair outras moscas.

Bernes (larvas de moscas)

Ocasionalmente, um cachorro pode ser infetado com larvas de mosca de coelho. O cachorro
apanha a larva minúscula quando cheira ao redor de covas de coelho ou roedores e a larva entra
no corpo do cachorro pelas membranas orais ou feridas abertas, e então migra para baixo da
pele, normalmente para o tecido do pescoço ou tórax. A larva marrom ou cinzenta pode crescer
até uma polegada. A infecção normalmente acontece no começo do verão ou outono. A área na
qual a larva fica se parecerá com um abscesso, normalmente com um buraco de ventilação
pequeno, redondo no centro. O buraco de ventilação não se parece com um corte ou ferida, mas
tem extremidades muito lisas e regulares.

A larva deve ser removida cortando o topo do inchaço e cuidadosamente espremendo o verme
para for a ou removendo-o com fórceps. Esteja certo de não furar o verme pois isto pode causar
uma reação alérgica potencialmente fatal. Enxágüe a ferida diariamente com solução de
Betadine até que esteja curada.

Moscas da Face, Moscas zumbideiras & Moscas Caseiras

Estas moscas têm esponjas em lugar de ferrões penetrantes, mas realmente podem incomodar os
cachorros zumbindo ao redor das faces deles. Elas podem causar danos para as áreas sensíveis
ao redor dos olhos e em feridas de mordidas de moscas já existentes.

Moscas zumbideiras botam ovos em feridas infetadas ou contaminadas e estes ovos chocam em
larvas que escavam debaixo da pele e se alimentam de tecido morto. Estas larvas podem causar
infecção, mas não são muito perigosas. Há um tipo semelhante chamado de varejeira que é
muito perigoso porque as larvas infestam e comem tecido ao vivo e podem matar um animal
facilmente.

Lidando com moscas

Nós achamos que os repelentes de mosca para cavalos (como Farnam Wipe) são muito efetivos
para repelir moscas mordedoras e moscas da face ou caseiras. O produto também parece repelir
pulgas e carrapatos. Na maioria dos casos aplica-se o repelente ligeiramente com um pano nas
orelhas, traseiro, costas e ligeiramente na face o quanto for preciso. Permectrin misturado com
óleo (de acordo com instruções da bula) e aplicado às orelhas e face e repelentes roll-on também
funcionaram bem para nós.

Mantenha qualquer ferida bem limpa e se moscas especificamente são um problema, aplique um
ungüento repelente de mosca nas feridas para impedir moscas zumbideiras de botar ovos na
ferida e outras moscas de contamina-la rastejando na ferida e se alimentando. Moscas caseiras,
moscas de estábulo e moscas de face todas elas se criam em sujeira como adubo animal e lixo.
Eliminar qualquer sujeira onde as moscas poderiam se criar (se possível), mantendo latas de lixo
cobertas, e espalhando iscas de mosca ao redor de pilhas de adubo ajudarão a reduzir o número.
Em lugares fechados, podem ser usados uma variedade de sprays, fumigadores e bombas de
inseticidas.

Armadilhas de mosca como Big Stinky e Fly Terminator funcionam bem e são muito seguras
para usar em volta dos cachorros, pois elas não usam nenhum inseticida. Consistem em um jarro
cheio de água que contém algum tipo de atrativo e funcionam atraindo as moscas para o jarro
por uma abertura pequena onde elas estão impossibilitadas de descobrir o caminho de volta e
eventualmente se afogam. Estas armadilhas pegam grandes números de moscas, mas são difíceis
de limpar e o cheiro é horrível. Há uma versão barata disponível chamada Rescue Fly Control
Trap que você apenas fecha e joga fora quando está cheia.

Outra alternativa para inseticidas é o apanhador de mosca pegajoso; eles são baratos e
completamente seguros para usar ao redor de cachorros de qualquer idade e modelos de
tamanho gigante são bons para uso em canis em recinto fechado ou celeiros; podem pegar
50.000 moscas ou mais.

Uma última medida de controle de mosca que nós mencionaremos são vespas parasitárias; estes
insetos minúsculos botam ovos dentro da pupa de uma mosca e os ovos chocam em larvas que
devoram a mosca em desenvolvimento. Vários fornecedores, inclusive Jeffers' (veja Apêndice
UM) agora vendem vespas parasitárias. Você as lança simplesmente perto de sua pilha de adubo
e eles são reconhecidamente um meio muito eficiente de controlar populações de mosca sem
usar inseticidas prejudiciais ou armadilhas sujas. A chave para usar estes parasitas é ter certeza
de que você solta o bastante deles, e começa no inicio da estação antes que uma população
grande de moscas se forme. Você precisará continuar soltando mais parasitas ao longo da
estação de moscas.

Na ocasião em que estamos escrevendo isto, nós estamos tentando este método de controle de
peste pela primeira vez e soltamos há pouco nosso primeiro grupo de vespas parasitárias.
Wildside‟s Honeycomb, 5x Ch. Honeybunch filho de Long‟s Werdo e Garner‟s Ronnie. Mãe de
Viera bros‟ Ch. Harvey Wallbanger. Honeycomb é propriedade do canil Rancherita.

Troy e Leslie Dorsey com Motley, de linhagem Alligator / Bully / Panamá Red. Troy gahou
títulos mundiais em boxe e kickboxing.
Jack Kelly, editor do Sporting Dogs Journal, com Jensen‟s Ch. Spike.
Capítulo Dezoito

Doenças Infecciosas
Doenças infecciosas são causadas por uma variedade de bactérias ou vírus e são transmitidas de
vários modos diferentes dependendo da doença. Algumas só são transmitidas diretamente de
cachorro para cachorro e não podem sobreviver fora do hospedeiro. Outras, como Parvovirose
Canina, podem ser transmitidas por equipamentos ou roupas contaminadas ou e podem ser
capazes de sobreviver e permanecer infecciosas durante anos fora do hospedeiro. Algumas
doenças podem ser transmitidas pelo ar - elas simplesmente são aspiradas.

Imunidade

Doenças infecciosas podem ser específicas a uma espécie particular ou podem afetar várias
espécies diferente. Um cachorro que foi infectado com uma doença, quando se recuperar,
produzirá anticorpos contra aquela doença. Se ele mais tarde é reinfectado com a doença, estes
anticorpos atacarão os organismos causadores da doença e os destruirão antes que eles o possam
infectar. Este é um tipo de imunidade ativa, e é a forma mais forte de imunidade ativa, pois
durará por muito tempo - o resto da vida do cachorro, em muitos casos.

Vacinações

Outro modo para estimular a imunidade ativa é através de vacinação; isto é conseguido pegando
a própria doença ou seus subprodutos e os matando ou modificando de tal um modo que,
quando introduzidos no sistema do cachorro (normalmente através de injeção) eles estimularão
o sistema imunológico a produzir anticorpos contra a doença, mas não causarão a doença. Se o
cachorro for exposto então à doença, ele já terá os anticorpos no sistema dele para impedir de
ficar infectado.

Este tipo de imunidade ativa não tende a durar do mesmo modo que o tipo que acontece depois
de recuperação de uma doença, assim o cachorro deve ser revacinado (normalmente uma vez
por ano, dependendo da doença) a intervalos regulares.

Há alguma discordância sobre a efetividade de vacina morta em comparação com vacina viva
modificada; nós mesmos usamos vacinas caninas de células vivas modificadas quando possível
porque alguns peritos acham que vacina de vírus mortos não são tão eficazes, e alguns estudos
mostraram que vacinas de origem de células felinas podem não induzir um nível de imunidade
tão alto.
Nota - certas vacinas como a vacina para Coronavírus só estão disponíveis neste momento na
forma morta.

Há algumas pessoas que não usam vacinas vivas modificadas nada porque eles acreditam que
elas farão o cachorro ou filhote ficar com a doença de verdade. Com as vacinas de hoje, usadas
de acordo com as instruções, nós não conhecemos qualquer prova científica disto. Em casos
onde as pessoas reclamam “a vacina meu cachorro fez pegar Parvovirose” o caso normalmente é
que o cachorro já estava incubando a doença quando foi vacinado. Se um cachorro já estiver
incubando uma doença quando ele é vacinado, a vacina não alterará o curso da doença de
qualquer forma.

Se você suspeita que um cachorro não vacinado foi exposto à doença, vacinar o cachorro de
qualquer maneira e esperar a vacina fazer efeito é de fato apenas mais trabalho antes do
cachorro contrair a doença.
Há várias razões pelas quais as vacinas podem falhar, o mais comum provavelmente é
interferência de imunidade materna que é discutida mais adiante. Outras razões incluem
armazenamento ou uso impróprio da vacina, técnica de vacinação imprópria, ou uso de seringas
que ou não são esterilizadas ou foram esterilizadas com substâncias químicas que matam a
vacina.

Outra razão, obviamente, é que o cachorro já estava infectado e incubando a doença. Drogas que
abaixam a imunidade, como cortisonas, prevenirá ou diminuirá produção de anticorpos; nós
quase perdemos um filhote de cachorro com parvo uma vez depois que ela foi mordida por uma
serpente cabeça-de-cobre e tratada com Dexametazona.

Uma causa principal de fracasso de vacina é dividir a vacina; nós ouvimos vários criadores
diferentes durante os anos que defendem a divisão de uma dose de vacina entre dois ou quatro
filhotes porque os filhotes são pequenos. Vacina não é dosada através de peso, e se você vai
fazer isto você pode até mesmo injetar a vacina no seu próprio traseiro, em vez de fazer isto nos
seus filhotes!

Imunidade materna

Filhotes abaixo da idade de duas semanas não podem desenvolver imunidade ativa; eles
recebem imunidade passiva ou materna da mãe deles no útero, e mais importante, no primeiro
leite (chamado “colostro”) que eles recebem depois do nascimento. Imunidade materna depende
do nível de imunidade ativa da mãe; se a mãe contraiu uma doença específica e se recuperou, ou
foi vacinada recentemente para aquela doença, os níveis de anticorpos maternos que os filhotes
recebem será muito alto e a imunidade materna durará muito mais tempo. Se a mãe nunca foi
exposta ou vacinada para a doença, porém, ela não terá nenhuma imunidade - e os filhotes dela
não receberão proteção contra a doença.

Também, se os filhotes não recebem o colostro por alguma razão, como se a cadela morrer
durante o nascimento, ou está impossibilitada de alimentar os filhotes (ou no caso de algumas
cadelas buldogue que nós vimos, pouco disposta a amamentar) os filhotes não receberão
imunidade materna e serão vulneráveis à doença.

Nós ouvimos pessoas dizer que é bom deixar o filhote com a mãe o quanto possível, assim eles
continuarão obtendo imunidade materna; a verdade é, o colostro só é produzido durante as
primeiras vinte e quatro horas após o nascimento, e a habilidade dos filhotes para absorver
anticorpos pelo intestino também desaparece depois de vinte e quatro horas.

Isto não é dizer que a idéia não tenha benefícios; desmamar é um período estressante para
filhotes de cachorro, e a imunidade pode ser reduzida durante períodos de tensão. Eles serão
naturalmente mais fortes se deixarem a mãe depois que estiverem mais seguros de si.

Imunidade materna dura até vinte e duas semanas, a duração exata de tempo varia e é
dependente do nível de anticorpos da mãe na hora do nascimento dos filhotes. Quanto mais alto
o nível de imunidade da mãe, mais longa a duração da imunidade materna. O problema com isto
é que até a imunidade materna acabar, qualquer vacina dada será neutralizada pelos anticorpos
maternos.

Por isto, um filhote de cachorro não pode ter nenhuma imunidade ativa a infecções até mesmo
depois de várias vacinações, e quando a proteção dos anticorpos maternos debilita, ele será
suscetível a doenças. Isto é muito importante entender! Por exemplo, se você dá para um filhote
de cachorro uma vacina de parvovirose entre seis e oito semanas e a imunidade materna termina
com oito semanas e meia, aquele filhote de cachorro não tem nenhuma proteção contra
parvovirose porque as vacinas que você deu terão sido neutralizadas pela imunidade materna.
Wildside‟s Hellraiser, criado e possuído por Wildside Kennels. Hellraiser é filho de
dois produtores provados e está produzindo alguns jovens cães muito promissores.

Wildside‟s Lucifer, bisneto de Gates‟ Gr.Ch. Nigerino. Um cão Eli muito pesado e
produtor provado de vencedores.

É por isto que é tão importante revacinar filhotes a cada duas semanas até que eles têm
dezesseis semanas de idade. Se um filhote é vacinado a cada quatro semanas e a imunidade
materna acaba alguns dias depois da última vacina que você dá, ele estará completamente
vulnerável um mês inteiro, realmente mais tempo se você leva em conta o tempo
(aproximadamente dois dias a uma semana) que levará para a próxima dose estimular a
imunidade.

A imunidade materna enfraquecendo pode ser forte o bastante para neutralizar uma vacina, mas
não forte o bastante para lutar contra a doença real. É impossível evitar um período no qual o
filhote de cachorro fica vulnerável por causa disto; a única resposta é minimizar o período de
tempo que um filhote permanece desprotegido através de vacinações freqüentes, e tentar evitar a
exposição a infecções até que o filhote tenha pelo menos quatro meses.

Isto significa manter o filhote longe de outros cachorros áreas freqüentadas por cachorros, como
parques públicos ou locais de exposição de cachorros. Criadores que tiveram um problema
reincidente com Parvovirose podem precisar vacinar contra a doença começando com cinco
semanas e todas as semanas depois disso até pelo menos dez a doze semanas de idade.

Também pode ser sábio vacinar toda cadela que você planeja cruzar no começo de cada cio, se
já se passou um ano inteiro ou não desde a última vacinação dela. Deste modo a imunidade
materna que os filhotes recebem será muito forte.

Filhotes que não receberam colostro nas primeiras vinte e quatro horas depois do nascimento,
ou filhotes de mães não vacinadas devem receber a primeira vacinação com duas a três semanas
de idade se estiverem em uma situação de alto risco.

Há uma porcentagem pequena de cachorros que por alguma razão não são capazes de produzir
imunidade ativa adequada, apesar de seu programa de vacinação, e especialmente em situações
de canil onde o risco de exposição é alto e você está lidando com muitos cachorros, sempre
haverá uma porcentagem pequena deles que pega as doenças que você está vacinando, e você
tem que estar preparado para isso.

Neste capítulo, nós descreveremos cada doença e seus sintomas, transmissão, prevenção e
tratamento e também daremos exemplos de nossas próprias experiências e quais vacinas e
tratamentos nós achamos que funcionam melhor. Também há muita informação neste Capítulo
sobre os medicamentos diferentes e tratamentos que serão descritos, inclusive nomes comerciais
e dosagem para muitas destas drogas.

Parvovírus & Coronavírus

Nós estamos nos agrupando Parvovírus e Coronavírus porque os sintomas e o tratamento das
duas doenças são basicamente os mesmos; a diferença principal é que os sintomas de Parvovírus
são normalmente muito mais extremos.

Nós nunca tivemos um teste de cachorro positivo para Coronavírus, entretanto nós não fizemos
testes em todos os filhotes que tiveram com sintomas de enterites viróticas. Quando
relacionarmos nossas próprias experiências com o problema e como nós lidamos com ele, nós
estaremos nos referindo a ele como “Parvo” porque nós não acreditamos que alguma vez
tivemos um problema com Coronavírus.

Nós recomendamos vacinar o filhote contra Coronavírus se é um problema em sua área; embora
não tenda a ser tão ruim quanto Parvo, pode ser devastador para um filhote de cachorro jovem.
Não há nada que nos causou mais dificuldade durante os últimos anos quanto parvovirose.

Nós tentamos escrever tudo que nós aprendemos sobre a doença e como tratar dela, na
esperança de que possamos salvar alguns cachorros. Para o dono de cachorro comum, nós não
recomendaríamos tentar tratar a doença em casa. Se possível, leve o cachorro ou filhote para um
hospital veterinário competente e deixe-o lá, eles serão muito mais preparados e qualificados
para lidar com isto.

Tratar um cachorro com Parvovírus ou Coronavírus é muito sujo e demorado, e você acabará
contaminando sua casa e propriedade inteira não importa quantas precauções você tome. A taxa
de mortalidade em filhotes que contraem Parvo é bastante alta - até com os melhores
tratamentos - e é uma pressão emocional incrível tentar combater isto sozinho.

Para criadores ou donos que, como nós, não têm acesso vinte e quatro horas a veterinários ou
dinheiro para constantemente ir correndo ao veterinário com todo problema que aparece, nós
esperamos que as informações seguintes sejam úteis.

Histórico

Parvovírus canino apareceu primeiro na América do Norte no verão de 1978 e se tornou


depressa um problema sério e difundido em cachorros de todas as idades. O nome original do
Parvovírus Canino era conhecido como CPV ou mal de Cornell. Desde então, pelo menos uma
forma variante (CPV2) ficou isolada e alguns peritos acreditam que há mais uma. Coronavírus
canino foi observado Primeiro em 1971 e ficou mais difundido nos últimos anos.

Transmissão

Parvovírus e Coronavírus são altamente contagiosos e se esparramaram através de contato com


as fezes de um cachorro infectado, mas também podem ser transmitidos por equipamento
contaminado, gaiolas ou canis, no pêlo de um cachorro infectado, ou em sapatos e roupas. UM
cachorro infectados transmite o vírus durante aproximadamente duas semanas.

Estes vírus (particularmente Parvo) são quase indestrutíveis no ambiente; eles são resistentes à
luz solar, calor extremo ou temperaturas geladas e a muitos detergentes e desinfetantes inclusive
álcool. Ambos podem sobreviver no ambiente durante vários anos.

Eles podem ser mortos com solução de uma parte de cloro para 30 partes de água e por alguns
desinfetantes hospitalares. Soda, é claro, é o desinfetante mais barato, mas pode corroer ou
desbotar algumas superfícies. É quase impossível desinfetar superfícies como pisos de madeira,
areia, cascalho e cercados de terra ou grama.

Sintomas

O período de incubação para Parvo é de cinco a onze dias, e de um a três dias para Coronavírus.
Parvovírus canino ocorre em duas formas, enterites e miocardites. A forma miocardial afeta os
músculos do coração, normalmente em filhotes entre as idades de quatro e oito semanas e
freqüentemente sem qualquer outro sinal externo da doença, entretanto às vezes acontece ao
mesmo tempo que a forma entérica ou alguns dias ou semanas depois do filhote de se recuperar
aparentemente da enterite.

A forma miocardial da doença era comum quando a doença apareceu, mas hoje em dia é
incomum porque os filhotes nesta idade normalmente estão protegidos pela imunidade materna.
Filhotes infectados choram e respiram com dificuldade e podem morrer apenas doze horas
depois da infecção ou depois de vários dias. Alguns filhotes que se recuperam
subseqüentemente desenvolvem infartos de coração e podem morrer semanas ou até mesmo
meses depois.

A forma mais comum de Parvo ataca as paredes do intestino delgado e causam enterite aguda,
freqüentemente hemorrágica. A sobrevivência de cachorros que ficam com esta forma da
doença dependem grandemente do tempo em que os sintomas são notados e tratados. O
primeiro sintoma de gastrenterite parvoviral ou coronaviral são letargia ou depressão; o filhote
de cachorro ainda pode ter fezes normais e pode até mesmo estar comendo neste período, mas
simplesmente não parece “certo”. Esta fase é seguida (normalmente dentro de doze horas ou
menos) por recusa completa de comida, baba e vômito que pode ser bastante severo e pode
demorar muito tempo.

Hammonds‟ Park Son, filho de Pig com Rennie B, que era filha de Andy L. Park Son é cruzado
de volta com o melhor do sangue Hammonds e está produzindo alguns cães bons.

Brodt‟s Ch. Demon, filho de J. Crenshaw‟s Ch. Rascal e neto de Stinson‟s Ch. Tuffy.
Annouchka Dib com Storm em Paris, França; o prédio no fundo é o Palácio da Justiça. Storm é
filha de Wildside‟s Bulldozer e Leyva‟s Working Overtime, da propriedade de Eddie Dib.

Neste momento, o cachorro pode ou não ter uma febre. Febre normalmente é vista no começo
do curso da doença e pode ser muito alta. Quando nós tivemos cachorros com Parvo, eles
normalmente tiveram uma febre de 39 a 40,5 ºC.

A diarréia começa dentro de 24 a 48 horas; as fezes são líquidas, projetadas, e tem um odor
péssimo. Com parvo as fezes ficarão riscadas de sangue ou estarão tão sangrentas que terão uma
cor marrom-avermelhada ou roxa.

Com Coronavírus, pode haver menos hemorragia ou nenhuma, e a doença tende a ser muito
menos séria em cachorros adultos que em filhotes. Também são vistos às vezes sintomas no
sistema respiratório superior com Coronavírus na forma de descarga de muco do nariz e olhos.

Nós tivemos erupções de parvovirose em filhotes nos quais a diarréia precedeu os outros
sintomas por um dia ou mais. Esta diarréia era mais espessa e cor de cimento e não tinha
sangue, pelo menos não naquela fase. Este sintoma poderia ser confundido com coccidiose ou
uma infecção bacteriana, mas não deve ser eliminado como um possível sinal de parvo.

O vômito e a diarréia resultam em desidratação e desequilíbrio eletrolítico devido à perda de


fluidos. O vírus destrói as células da parede do intestino delgado, o que causa danos severos
para o intestino e produz toxinas que, em troca, podem conduzir à morte devido a choque
endotóxico.

Um cachorro pode ser infectado ao mesmo tempo por Parvovírus e Coronavírus. O cachorro
também fica vulnerável a uma variedade de infecções secundárias e estas podem resultar na
morte do cachorro.

Tratamento

O tratamento consiste em substituir fluidos corporais perdidos com terapia intravenosa ou


subcutânea, antibióticos para prevenir infecções secundárias, absorventes intestinais como
kaolin - pectin (Kao-Pectate) ou subsalcilato de bismuto (Pepto-Bismol) para remover as
toxinas, e possivelmente drogas para controlar vômito e diarréia. Isto será discutido depois em
mais detalhes neste capítulo, e também no Capítulo 15 na seção “Tratamento de Gastrenterites”
como mencionado anteriormente.

A infecção não tende a ser uma enfermidade prolongada; cachorros ou morrem ou se recuperam
dentro de alguns dias. Morte súbita, de “choque” pode acontecer apenas quarenta e oito horas
depois dos primeiro sintomas.

Prevenção

A chave mais importante de prevenir erupções de Parvovírus e Coronavírus é a vacinação. Nós


vacinamos nossos cachorros e filhotes com produtos DURAMUNE da Fort Dodge que contêm
Corona e Parvo KF-11 que protegem contra a variante CPV2A de parvo mencionada antes neste
capítulo, e é capaz de estimular a imunidade ativa até mesmo na presença de níveis altos de
anticorpos maternos. Até recentemente, nós só usamos esta vacina em filhotes jovens e tivemos
grande sucesso superando os problemas causados por imunidade materna.

Nós vacinamos agora todos os nossos cachorros com o parvo KF-11 depois que nós
descobrimos que esta era a variante de Parvo que nos fez perder dois cachorros crescidos
completamente vacinados e quase perder outros quatro. Nós recomendaríamos vacinar
começando com seis semanas e a cada duas semanas até os quatro meses de idade.

Se você está em uma situação de alto risco, comece com cinco semanas e vacine todas as
semanas até pelo menos dez ou doze semanas ao termino de que será seguro passar ao programa
de intervalo de duas semanas. Cachorros mais velhos que nunca tiveram esta vacina devem
receber inicialmente duas doses separadamente entre duas ou três semanas e então um reforço
anual. Cadelas que serão cruzadas devem receber um reforço de parvo/corona no começo de
cada cio que elas são acasaladas.

Idealmente, deveriam ser usados pisos de concreto corre ou outras superfícies não-porosas para
alojar filhotes porque estas superfícies podem ser completamente desinfetadas. Isto pode não ser
possível por causa do custo, ou leis de zoneamento em áreas urbanas. Superfícies porosas que
foram contaminadas deveriam ser limpas e desinfetadas tão completamente quanto possível e
não devem ser usadas durante pelo menos seis meses, ou melhor ainda, dois ou três anos.

Se isto não é possível, a coisa mais segura para fazer é limpar tais áreas e as borrifar várias
tempos com uma solução de cloro 1/30, então só as usar com cachorros que têm pelo menos dez
ou doze semanas e já tiveram várias vacinações.

Se você tem uma ninhada de filhotes ou está em uma situação de canil, evite ter muitos
visitantes aos filhotes - elas podem levar a doença nas mãos sapatos ou roupas. No que diz
respeito ao assunto, pode ser sábio para você mudar de roupas e lavar suas mãos antes de mexer
com os filhotes se você saiu de casa por qualquer razão.

Se você adquiriu há pouco um filhote novo, tente mantê-lo longe de outros cachorros e lugares
que eles podem ter freqüentado até que ele tenha pelo menos dez semanas de idade, e com
quatro meses é mais seguro. Se possível, mantenha-o sozinho.

Talvez o mais importante de tudo, quando você leva o filhote de cachorro para o veterinário por
qualquer razão, segure-o. Não lhe permita caminhar ao redor da sala de espera ou ter contato
com qualquer outro animal. Lembre-se: você está em um hospital veterinário e então há chances
de que alguns dos animais na sala de espera, ou alguns que estiveram lá antes de você, estavam
lá porque eles estavam doentes - possivelmente estavam com algum tipo de doença infecciosa
que seu filhote de cachorro pode contrair! Tente desencorajar outras pessoas na sala de espera a
tocar o filhote de cachorro.

Isole qualquer cachorro novo ou filhote de seus outros cachorros durante pelo menos duas
semanas. Evite freqüentar canis, locais de espetáculos de cachorros, lojas de animais que
vendem filhotes, abrigos de animais e em qualquer lugar onde muitos cachorros podem se
juntar. Todas as medidas acima ajudarão a minimizar o risco de quaisquer de seus cachorros
ficarem com Parvo, Corona, ou outras doenças infecciosas.

Nosso primeiro encontro com Parvo (diferente de alguns casos isolados) aconteceu pelo outono
de 1990. Nós tínhamos um cercado grande como um curral no centro de nossa canil que, na
ocasião, abrigava filhotes de várias ninhadas diferentes, variando em idade de cinco e meia a
sete e meia semanas de idade.

Alguns dos filhotes já tinham sido vacinados, outros não. Naquele momento nós estávamos
vacinando habitualmente com seis, oito, doze e dezesseis semanas de idade. Os que não tinham
sido vacinados eram os mais jovens e alguns outros que tinham seis semanas e meia de idade.
Na ocasião, nós tivemos alguma razão para não ter vacinado esses filhotes mais velhos,
possivelmente era que nós estávamos esperando os outros atingirem seis semanas de idade
assim nós poderíamos fazer tudo de uma vez.

Sabendo o que nós sabemos agora, essa era uma razão bem estúpida, mas naquele momento nós
não tínhamos muita dificuldade com o vírus e realmente não considerávamos isto como uma
ameaça séria como nós fazemos agora.

Nós não temos idéia de como aquele primeiro grupo de Parvo chegou a nosso canil, nós
tínhamos muitas visitas naquele tempo e o vírus poderia ter sido trazido por qualquer delas. O
mais provável foi que nós trouxemos isto pra casa nós mesmos em uma ida ao veterinário. A
primeira indicação de dificuldade foi no dia 30 de setembro. Um pequeno filhote vermelho e
branco filho de Garner‟s Otis e Ms. Petey não comeu com os outros e parecia deprimido. Nós
lhe demos um pouco de coração de boi cortado que ela comeu sem entusiasmo. Depois daquele
dia ela começou a vomitar, assim nós a levamos ao veterinário.

Zaiser‟s Twelve com seu dono Bill Zaiser. Um ótima cadela de sangue Bolio, filha de uma irmã
de Ratliff‟s Ch. Butkus.
McDaniel‟s Turtle, um cão de jogo que perdeu uma luta, da propriedade de Garland e Marcia
McDaniel. Cruzamento pesado de Snooty filho de McDaniel‟s Showdown e Walston‟s Crazy.

Hollingsworth‟s Dr. Savage, bisneto de Lady-In Red e um dos melhores cães que Mr.
Hollingsworth criou. Perdeu uma luta de morte em mais de 2 horas.

O veterinário nos disse que déssemos Pepto-Bismol a ela e disse que ela poderia estar com
Coronavírus. Este diagnóstico era baseado no fato que o filhote já tinha sido vacinado contra
Parvo e naquele momento nós não vacinávamos contra Coronavírus.

Nosso veterinário nos deu instruções para tratar o filhote e a enviou para casa com um pouco de
Diamicina (um medicamento antidiarréico que não existe mais). Naquela noite ela teve diarréia
sangrenta severa e ainda estava vomitando todas as horas. Nós continuamos tentando dar o
medicamento dela via oral e alimentando com Nutri-Cal (um suplemento nutricional de alta
caloria), mas nada ficou no estômago.

Nós sentimos que definitivamente era Parvovírus; os sintomas eram de Parvo clássico e um teste
de sangue para Coronavírus deu negativo. (A razão porque nós não fizemos um teste de Parvo
era que qualquer cachorro que foi vacinado dentro de três semanas pode dar resultado positivo,
mesmo se não tiver a doença).

Este filhote de cachorro parecia perder a força e veio a se ressentir o tratamento. Nós achamos
durante os anos que os filhotes que ficam insatisfeitos com o tratamento quando doentes de uma
enfermidade ameaçadora à vida normalmente não sobrevivem, parecem apenas se render. Os
filhotes que ainda estão sacudindo as caudas e tentando lamber sua mão mesmo quando
mortalmente doentes são os que conseguem sair de dificuldades.

Nós a mantivemos em um engradado dentro de casa, demos os fluidos dela e também

tentamos dar a ela coisas diferentes. Uma das coisas nós tentamos foi um produto humano

chamado Emetrol que parece controlar náusea - nós achamos absolutamente inútil para
cachorros, mas naquele momento, nós não tínhamos muita experiência para tratar Parvo e

nós estávamos tentando tudo o que nós poderíamos pensar. Depois de três dias, o vômito

finalmente parou e o filhote parecia um pouco melhor, mas dentro de algumas horas ela teve

uma recaída súbita. A temperatura dela caiu e ela parecia entrar em choque; ela perdeu a

consciência e morreu algumas horas depois.

Nós ficamos devastados, mas tínhamos mais trabalho; naquele tempo um segundo filhote (uma
fêmea filha de Garner‟s Snooty‟s Shadow e Wild Cherry chamada Scooby Doo) estava doente,
e duas irmãs dela estavam mostrando sinais da doença. Nós tínhamos vacinado todos os filhotes
do cercado no dia em que o primeiro filhote de cachorro tinha adoecido, mas nós chegamos
muito tarde.

Scooby Doo nunca teve diarréia sangrenta e se recuperou depressa. O irmão dela Sylvester
estava um pouco mais doente, mas se recuperou. A irmã dela, Mrs. Pacman, ficou muito ruim
até o ponto de nós aceitarmos a perda dela, mas também saiu da dificuldade de alguma maneira.

Dia 4 de outubro a vacina de Coronavírus que nós tínhamos encomendado chegou. Nós
vacinamos todos os filhotes naquele cercado, e também nossos filhotes mais velhos. No outro
dia, um terceiro filhote estava doente, um pequeno macho branco chamado Patrick. Ele adoeceu
rápido e nós o perdemos também.

Quase uma semana se passou antes de qualquer outro filhote de cachorro ficar doente – nós nos
imaginamos livres do problema e então uma pequena cadela manchada da primeira ninhada,
Betty Boop, adoeceu. Ela era um super-hiper filhote que tinha muito pouco peso corporal e nós
estávamos realmente preocupados, mas ela se recuperou depois de alguns dias.

O irmão dela Dead Eye que era possivelmente um dos filhotes mais bonitos que nós já tínhamos
visto (e tinha este nome porque ele tinha um olho azul e um olho verde) foi o próximo, e
diferente de todos os nossos filhotes que tiveram Parvovirose, ele se manteve por muito tempo.
O fato de que ele durou uma semana inteira fez tudo parecer mais difícil para nós.

Olhando para trás agora o jeito que a doença pegou ele, nós sentimos que ele sobreviveu ao
Parvo e sucumbiu a uma infecção secundária de pneumonia.

Alguns semanas depois disto, nós tivemos vários filhotes mais velhos adoecendo. Estes filhotes
eram de seis meses e não só completamente vacinados contra parvo, mas também tinham sido
vacinados contra Coronavírus algumas semanas antes!

Billy The Kid e a irmã dele ficaram muito doentes, como também um filhote de Miss Rufus e
Cottingham‟s Ch Cotton. Algodão; eles se recuperaram depois de vários dias de fluidos I.V. e
Combiotic. A cadela ficou impossibilitada de tomar qualquer coisa via oral por uma semana,
mas ela sarou.

Nós desinfetamos nosso “curral” o melhor que nós pudemos e não pusemos nenhum outro
filhote lá até que tivessem pelo menos doze semanas de idade. Nós tínhamos certeza de que nós
vacinamos nossos filhotes com seis semanas e adicionamos um reforço para nosso programa de
vacinação de dez semanas. Nós eliminamos a vacina de Corona porque nós sentíamos (e ainda
sentimos) que nenhum dos cachorros tinha contraído Coronavírus.

Nós mantivemos registros detalhados de como nós tratamos estes filhotes e os sintomas e
passamos por estes registros enquanto estávamos escrevendo isto; nós aprendemos tanto desde
esta primeira epidemia que nós olhamos atrás e imaginamos se talvez nós pudéssemos ter salvo
qualquer dos cães que nós perdemos.

Um das coisas que nós fizemos então que nós não fazemos é agora tentar dar para um cachorro
ou filhote com Parvo qualquer tipo de comida. Naquele momento nós continuamos forçando
Nutri-Cal, mel, soluções eletrolíticas orais, Dyne, etc. nos filhotes e nós realmente acreditamos
agora que isto danificou mais que ajudou; nesta fase da doença eles não são realmente capazes
de digerir qualquer comida e tentar força-los a se alimentar parece fazer vomitar mais ainda, e
tudo que você tenta dar a eles pode acabar sendo aspirado nos pulmões.

Diferente de medicamentos, nós não tentamos dar a um cachorro com Parvo qualquer coisa ele
não queira por livre escolha; por exemplo nós oferecemos soluções eletrolíticas orais (que são
diretamente absorvidos e não têm que ser digerido) mas se o cachorro não as quer beber, nós
não tentamos esguichar a solução na boca do cachorro, como nós fizemos antes.

Nós criamos várias ninhadas mais adiante ao longo daquele inverno sem problema - até a
ninhada de Bandit e Young Cowgirl. Nós fizemos tudo direito – no nosso pensamento - nós
tivemos certeza de que eles tomaram as vacinas na hora certa (uma das coisas que nós tínhamos
feito foi parar com uma vacina de parvo morta para uma viva modificada) e nós os mantivemos
em um cercado novíssimo que nós tínhamos construído, longe de nossos outros filhotes, até que
eles tinham dez semanas dez semanas e estavam e muito grandes para aquele cercado.

Dois dos cinco filhote já tinham ido embora, um para Nova Iorque e o outro para a Califórnia;
os outros três foram nossos remanescentes, Goblin e Maggie May e também um macho branco e
rajado grande que ia para Bangkok, Tailândia.

O dono novo do filhote branco e rajado queria as orelhas dele aparadas, com dez semanas nós o
levamos para nosso veterinário para a cirurgia. Nós recebemos uma chamada depois de algumas
horas que durante a cirurgia, o filhote tinha defecado na mesa uma diarréia suja, aguada. O
veterinário estava chamando para ver se nós tínhamos notado qualquer diarréia antes da
cirurgia, o que não tinha acontecido ou nós não o teríamos levado, e quando nós lhe falamos
isto, ele especulou que talvez era algum tipo de reação à anestesia, mas iria observar o filhote de
perto.

Nós o levamos para casa e naquela noite nós estávamos seriamente preocupados. Ele não
comeu; no princípio nós imaginamos que era efeito colateral da anestesia e a dor da cirurgia,
entretanto ele começou a vomitar e nós soubemos que era complicação séria. A manhã seguinte
a irmã dele estava doente, e naquela mesma noite o outro filhote de cachorro também estava
doente.

Esses filhotes tiveram o mais intenso caso de Parvo que nós tínhamos visto desde então. Estava
perto do Natal, e quando nós pensamos naquele Natal, tudo de que nós lembramos são
engradados de cães empilhados um em cima do outro em nossa sala de estar e o cheiro de
diarréia sangrenta. Maggie vomitou quase continuamente por dias, e borrifou diarréia que se
parecia com pintura vermelha por toda parte nas paredes e no fundo do engradado dela, e até
mesmo, algumas vezes, pela grelha da porta do engradado e em nossa sala de estar.

Goblin não estava muito melhor que isso, mas depois de aproximadamente três dias ambos
estavam começando a comer um pouco e iam bem na recuperação. Eles estavam muito fracos e
emagreceram terrivelmente, mas eles iam sobreviver. Afortunadamente, nós tínhamos aprendido
muito da primeira epidemia e tínhamos uma idéia melhor do que nós estávamos fazendo.

Nós achamos que uma das coisas mais importantes é começar terapia com fluidos
imediatamente e não esperar até o cachorro esteja mostrando sinais de desidratação.
Freqüentemente, você estará dando fluidos subcutâneos e leva mais tempo para eles serem
absorvido deste modo; se você esperar até que o cachorro já esteja desidratado para os aplicar,
ele estará MUITO desidratado até que os fluidos comecem a entrar no sistema dele e pode ser
muito tarde.

Nós demos quantidades grandes de fluidos (Lactated Ringers') junto com Combiotic a cada doze
horas, uma injeção de complexo B a cada dois ou três dias, e nada por via oral exceto Diamycin
ou Pepto-Bismol.

Infelizmente, o outro filhote de cachorro estava muito, muito mal; uma vez que ele sofreu uma
cirurgia, ele estava em desvantagem de já ter perdido muito sangue, etc. Quando Maggie e
Goblin já estavam começando a se recuperar, ele ainda estava mortalmente doente e piorando.

Ele apenas não podia deixar de vomitar, ele estava tão fraco que ele não podia mais se levantar,
só ficava deitado lá vomitando. De alguma maneira ele tinha conseguido aspirar um pouco do
vômito e os pulmões dele ficaram congestionados. Nós imaginamos “bem, pelo menos nós
conseguimos salvar dois, mas parece que perdemos este”. Os pulmões do filhote ficaram tão
congestionados que agora ele sufocava e ficava azul de forma que um de nós tinha que segura-lo
na vertical para que ele não sufocasse até a morte.

Ele finalmente parou de vomitar, mas neste momento estava muito fraco para erguer a cabeça
ou mover as pernas. Nós o mantivemos em uma manta e ele não tinha nenhum controle dos
intestinos dele, a diarréia apenas escoava para fora dele. Ele tinha também algum tipo de
erupção roxa e estranha na barriga, e parecia (e cheirava) como se ele estivesse morto e
apodrecendo.

Nosso veterinário estava fora da cidade no fim de semana e nós estávamos perdidos; nós
desejamos saber se talvez nós deveríamos apenas sacrificar o filhote e terminar com o
sofrimento dele. Nós chamamos o Tom Garner e perguntamos a opinião dele, e ele nos disse
que contanto que o filhote ainda estivesse lutando, nós deveríamos continuar tentando.

O filhote ainda estava lutando isto; se você chamasse o nome dele ele movia os olhos e a ponta
do rabo dele sacudia. Nós decidimos tentar algumas idéias diferentes que nós tínhamos usado e
visto o resultado. Era óbvio que o Combiotic não estava trabalhando; nós tínhamos algumas
cápsulas de Cloramfenicol e nós esvaziamos o pó delas e misturamos com mel e água e lhe
demos doses pequenas duas ou três vezes por dia. Surpreendentemente, a mistura ficou no
estômago.

Nós o levamos para fora e sustentamos o corpo dele, assim ele podia urinar; demos voltas com
ele sentando e o colocamos confortável em uma manta com a cabeça na vertical, assim ele não
sufocaria tanto, os pulmões dele estavam fazendo um som horrível de chocalho a cada
respiração.
Freddie Krueger durante seu problema com Parvovírus.

Wildside‟s Freddie Krueger quando adulto. Também conhecido como Creature, da propriedade
de Matt Glandt no estado de Wyoming.

Na manhã seguinte, ele na verdade parecia um pouco melhor, mas a inchação na barriga dele
tinha se esparramado e as mucosas dele estavam ficando amareladas. Era segunda-feira e nosso
veterinário regressou, nós levamos o filhote para ver o que ele poderia fazer por ele. Ele ficou
muito surpreso de ver o filhote vivo quando nós lhe contamos tudo o que tinha acontecido.

Depois de examinar o filhote, ele disse que o fígado do filhote estava falhando (o que nós
tínhamos suspeitado, por causa das mucosas amareladas) e isto estava afetando a coagulação do
sangue dele. Ele nos falou que a inchação estranha era hemorragia subcutânea e deu para o
filhote uma injeção de vitamina K, e também alguns antibióticos diferentes.

O filhote de cachorro estava mostrando agora um interesse em comer, ele continuou se


fortalecendo, mas a inchação continuou se esparramando, pela barriga dele todo e de um lado.
Estava todo granuloso e tinha desenvolvido manchas, como um abscesso pronto para estourar, e
era exatamente isto; abriu no dia seguinte. Nós limpamos tudo o melhor que nós pudemos e o
levamos então de volta ao veterinário.

A pele que inchou ficou preta-arroxeada, pendurada em pontas e parecia morta. Foi como nós
descobrimos o que nós sentimos que é um dos medicamentos mais úteis em curativo de feridas,
Granulex. Este foi o que nosso veterinário nos indicou e explicou que continha trypsina, uma
enzima que ajuda a corroer o tecido morto, e pomada de bálsamo que ajudaria a estimular o
crescimento de tecido novo.

Este filhote de cachorro não ia obviamente agora para a Tailândia; nós o chamamos de Freddie
Krueger por causa do jeito que ele perdeu toda a pele e tecido na barriga subindo para o tórax
dele em todo o lado. Ele chegou perigosamente perto de perder os órgãos genitais também.

Com a ajuda do Granulex, Freddie Krueger dentro de um mês mais ou menos conseguiu
regenerar quase todo o tecido que ele perdeu, com exceção da cicatriz do tamanho de uma
moeda de dez, enrugada, próximo de onde era o umbigo (ele já não tinha um, toda a pele em
volta daquela parte da barriga dele tinha apodrecido e caído) e até mesmo aquela desapareceu,
também.

Wildside‟s Lizzie Borden, uma ótima filha de jogo de Wildside‟s Bandit e Garner‟s Munchkin.

Ratliff‟s Daisy Mae, uma grande reprodutora. Mãe de Ch. Butkus assim como outros bons cães
vencedores de uma ou duas lutas.
Daisy Mae é bisneta de STP‟s Ch. Toro.
Buzzard Creek Kennels‟ Mingo, irmão de Ch. Jughead. Perdeu uma luta de morte na sua
estréia.

Nós oferecemos a nosso amigo em Bangkok um filhote de cachorro de uma ninhada diferente;
Freddie Krueger foi eventualmente para outro amigo no Wyoming onde ele é conhecido agora
como “Criatura”.

Depois disso nós começamos a vacinar nossos filhotes, começando com quatro semanas de
idade, toda semana. Tudo parecia ir bem, e nós tivemos uma ninhada de cinco machos de Bandit
e o Garner‟s Ronnie e um filhote voltado de McGee‟s panther que nós tínhamos criado em casa
e todos eles estavam se saindo bem.

Quando os filhotes tinham nove semanas e meia, o Parvo chegou novamente. É duro descrever
o quanto frustrante foi isto; não importa o que nós fizéssemos, nossos filhotes adoeciam de
qualquer maneira. Nosso veterinário não pôde acreditar nisto, nós pensamos que ele achou, em
um certo ponto, que nós estávamos exagerando sobre a freqüência com que nós vacinávamos -
ou que nós não estávamos vacinando nada!

Depois dos filhotes de Young Cowgirl nós ficamos bem confiantes para tratar Parvo-nosso
veterinário nos tinha dito que nós teríamos sorte se nós pudéssemos salvar metade dos filhotes
que adoeceram, e nós tínhamos arriscado uma ninhada inteira por causa de um filhote que
deveria ter morrido. Foi igual a um bofetão na face quando, depois que nós pensávamos que nós
tínhamos feito tudo direito, dois dos filhotes morreram depois de 3 dias.

O que realmente era confuso era que um filhote pequeno e franzino de Zebo quase 3 semanas
mais novo que os outros, pegou a doença e sobreviveu, enquanto filhotes gordos, grandes e
sadios de Bandit e Ronnie morreram apesar de tudo que fizemos.

Foi depois disto que nós realmente começamos a pesquisar sobre Parvo, ligar para veterinários
diferentes e ler tudo que nós pudemos achar - nós estávamos cheios daquilo. Decidimos tentar
uma vacina bastante nova que tínhamos ouvido falador, que protegia contra Variantes de Parvo
(foi a primeira vez que nós tínhamos ouvido falar da possibilidade de mais que uma variedade) e
também parecia superar níveis altos de imunidade materna.

Parecia muito bom para ser verdade mas nós tentamos. A vacina era feita por Fort Dodge e se
chamava Duramune KF-11, e funcionou. Nós criamos muitos filhotes desde então, e tivemos
talvez cinco casos de Parvo; dois já estavam incubados quando nós os adquirimos de um amigo,
outro tinha sido vacinado, mas foi picado por uma cobra e teve que ser tratado - como nós
mencionamos antes, a cortisona debilita o sistema imunológico.

Os outros dois? Bem, não há nenhum programa de vacinação cem por cento eficaz, sempre vai
haver cachorros que apenas não desenvolvem imunidade. Nós salvamos três dos cinco, inclusive
o filhote mordido por cobra.

Dos dois que não sobreviveram, um nós sacrificamos porque ele também demorou a se
recuperar e estava sofrendo muito, e o outro morreu três ou quatro semanas depois com
sintomas de Miocardite Parvovirótica.

Na primavera de 1992, aconteceu algo que nos fez começar a vacinar nossos cachorros mais
velhos também com Parvo KF-11.

Era a estação mais úmida que nós já tínhamos visto, no mês de maio inteiro deve ter chovido
vinte e sete ou vinte e oito dias. Estava tão úmido que estava nascendo algas em poças de água
nas áreas dos cachorros e nós na verdade achamos cogumelos que cresceram na parte de trás do
barril de um cachorro!

A chuva caiu em torrentes; os cachorros nem mesmo saíram para comer alguns dias e por isso
nós perdemos os primeiros sinais do primeiro Parvovírus que nós tivemos em cachorros mais
velhos. Estava chovendo tão forte que quase nenhum dos cachorros estava saindo das casas ou
barris, e eles pareciam absolutamente miseráveis. Nós fizemos o que nós pudemos no quintal,
andando pela lama que batia no tornozelo por causa de toda aquela chuva, mas principalmente
nós apenas ficamos no quintal de forma que aqueles que eram loucos o bastante para correr ao
redor na lama quando eles nos viam não continuassem saindo e se molhado.

Quando a chuva parou finalmente e o sol saiu, uma cadela (um filhote de dez meses filha de
B.B.‟s Ch. Petey com uma cadela filha de Gr.Ch. Snake e Gene‟s Honey) ainda estava no barril.
Ela saiu e se deitou por algum tempo em cima da tábua de sombreamento depois, mas ainda não
parecia certa.

Nós não reagimos tão depressa quanto nós deveríamos porque, até aquela ocasião, nós nunca
tínhamos visto um caso de Parvo em um cachorro mais velho, vacinado. Nós tínhamos ouvido
falar, de fato nós conhecemos várias pessoas que tinham perdido cachorros crescidos com
Parvo, mas quando eles nos contaram inicialmente, nós pensamos “isto é besteira, não há
nenhuma desculpa para perder um cachorro crescido Parvo, eles devem ter feito algo errado”.
Nós apenas não podíamos imaginar que um cachorro maduro e saudável morreria de Parvo.

Nós aprendemos uma lição dura naquela semana. A cadela ainda estava deprimida e letárgica
naquela noite; ela não tinha comido na noite anterior, mas tinha chovido tão duro que muitos
dos outros cachorros também não tinham terminado a comida deles.

Nós demos uma olhada em redor da área dela e achamos muita diarréia da cor de cimento, e um
pouco de espuma atrás do barril dela onde ela tinha vomitado. Olhando bem de perto, nós vimos
que ela estava babando um pouco e os olhos dela pareciam estranhos. Nós a demos Diamycin -
que ela não segurou - e oferecemos coração de boi para dela e alguns outros agrados - que ela
não tocou. Ela estava ligeiramente desidratada, assim nós lhe demos um pouco de fluidos,
Combiotic, e continuamos dando Pepto-Bismol algumas vezes por dia.

Conferindo o resto dos cachorros, nós realmente tivemos um choque. Luther, um filho grande e
preto de Lucifer e Wander‟s Ch. Sadie de cinqüenta libras estava sentado tonto no meio da área
dele, literalmente cercado por vômito. Ele parecia estar envenenado, foi o que nós suspeitamos
inicialmente, pois parecia bom naquela manhã.

Nós começamos a trata-lo também, e chamamos nosso veterinário. Luther, enquanto isso, tinha
soltado uma poça grande de diarréia horrivelmente sangrenta - ele teve todos os sintomas de
Parvo clássicos, mas nós apenas não pudemos acreditar que foi isso que ele teve. A cadela ficou
muito pior no próximo dia; nós a levamos depressa para nosso veterinário e ele fez o que ele
pôde por ela. Ela morreu no caminho de casa, depois de vomitar sangue e ter diarréia sangrenta
- a primeira desde o começo da enfermidade.
Luther viveu um mais dia, então ele também morreu. Nós não pudemos acreditar no que nós
tínhamos visto, eles ambos tinham sucumbido dentro de quarenta e oito horas e nós apenas não
podíamos acreditar que tinha sido Parvovirose.

Nós fizemos uma autópsia em Luther e nosso veterinário enviou amostras para um laboratório
para confirmação. Seguramente, era Parvo. Disseram-nos que o patologista que olhou as
amostras disse que ele não podia acreditar que elas tinham vindo de um cachorro crescido, elas
se pareciam com o que você veria tipicamente em um filhote de cachorro de oito semanas velho
que tinha morrido de Parvovirose.

Naquele tempo, nós tivemos mais dois cachorros que mostraram sintomas da doença. Uma vez
que nós estávamos observando tão de perto a doença, nós conseguimos pegar os quatro casos
assim que eles mostraram qualquer sinal de depressão ou desinteresse na comida e os tratamos
com Diamycin, Combiotic, e fluidos. Como resultado (ou talvez apenas porque eles puderam
lutar melhor contra a doença) os sintomas de vômito e de diarréia sangrentos não foram tão
ruins quanto nos dois primeiros e estes cachorros voltaram ao normal depois de
aproximadamente quatro dias.

Nós ouvimos falar de usar vitamina K1 injetável para tratar filhotes com Parvo, mas foi dito por
veterinários diferentes que realmente não é muito útil a menos que o cachorro esteja com
habilidade de coagular comprometida, como se o fígado tiver sido afetado. Nós acreditamos em
dar vitaminas do complexo B injetáveis e sentimos que isto ajudou na recuperação de cachorros
doentes ou feridos que nós tivemos, particularmente ajudando a aumentar os apetites deles
enquanto eles se recuperam.

Ao longo do tempo, dois ou três cachorros que não tiveram Parvo (eles devem ter tido um pouco
de insolação ou algo assim) foram tratados com fluidos, etc. porque eles pareciam um pouco
fracos e nós estávamos em pânico, mas do modo que nós pensamos, “é melhor prevenir que
ficar arrependido”.

Talvez a única coisa positiva que veio disto era que fizemos um bom teste de nosso programa de
vacinação; durante o tempo que estes cachorros estiveram doentes, nós tivemos várias ninhadas
e nenhum filhote de cachorro ficou doente, nem quaisquer de nossos filhotes têm ficado com
Parvo desde então.

Até mesmo quando nós tivemos nossa pior dificuldade com Parvo, nenhuma vez nós vendemos
filhotes incubados com a doença quando deixaram nosso canil. E mais, pelo que nós sabemos
nenhum dos filhotes que nós já vendemos desenvolveu a doença dentro de um ano depois de
deixar nossa criação, até mesmo
quando o novo dono teve um
problema de Parvo no canil ou não
aplicou os reforços adicionais.

Nenhum programa de vacinação será


cem por cento eficaz, mas nós
sentimos que o programa que nós
esboçamos dará uma proteção tão
boa como possível contra Parvovírus
canino e outros vírus.
Haynes‟ “CH” Red Ike, o primeiro cão do canil de Icepick. Ele foi vencedor de uma luta, assim
como o primeiro campeão de conformação da ADBA. Ike produziu vários vencedores e vários
campeões da ADBA.

Ele viveu até a idade de 17 anos, e poderia ter vivido mais, se não fosse morto pelas
autoridades junto com outros 78 cães quando Greg e Sam Lowe foram presos em 1988.

Destempero Canino

Destempero canino é uma doença altamente contagiosa que, como Parvovírus, é capaz de
sobreviver e permanecer ativa durante anos no ambiente e é resistente à maioria dos
desinfetantes. Não é o mesmo vírus comumente conhecido como destempero felino, nem é a
mesma doença do Destempero de cavalo; porém, é muito próximo ao vírus que causa sarampo
em humanos.

Destempero era um problema sério e difundido em cachorros do mundo todo; uma vez que são
imunizados tantos cachorros contra esta doença na América Norte, hoje em dia é muito menos
comum. Nós nunca tivemos um cachorro ou filhote com Destempero em nossa criação.

Transmissão & Sintomas

O vírus é transmitido através de contato com secreções de um cachorro infetado, como um


espirro ou tosse. Cachorros infetados podem espalhar o vírus durante meses depois da
recuperação. O contato direto não é necessário; a doença pode ser carregada em roupas ou
mãos, gaiolas e equipamento, ou inspirando ar contaminado.

Os primeiros sinais da doença aparecem de três a quinze dias depois da exposição; o cachorro
pode ficar apático e ter uma febre de 39ºC a 40,5ºC. Estes sintomas iniciais podem ficar
despercebidos em alguns cachorros.

A febre baixa durante alguns dias e então aumenta uma segunda vez. Esta vez dura uma semana
pelo menos e pode ser acompanhada por uma descarga de muco espessa e profusa dos olhos e
focinho, depressão, recusa de comida, diarréia e uma erupção cutânea cheia de pus na área de
barriga. Outro sintoma característico da doença é uma tosse severa e seca.

A severidade da doença varia de ser pouco notável, até muito extrema ou até mesmo fatal. Uma
das coisas frustrantes sobre a doença é que o ciclo é impossível de predizer e pode ser um mês
antes do cachorro se recuperar, se ele se recuperar totalmente.

Aproximadamente a metade dos cachorros que são infetados com Destempero Canino
desenvolve sintomas no Sistema Nervoso Central (SNC): Corea (espasmos ou tremedeira de um
músculo ou grupo de músculos) e encefalite.

Encefalite é a inflamação do cérebro; o cachorro sofre de sintomas que variam de baba,


tremores de cabeça e movimentos mastigatórios (como se o cachorro tivesse algo na boca) até
ataques onde o cachorro cai e esperneia de modo selvagem como se ele estivesse correndo. Ele
pode ficar confundido ou desorientado depois de um destes ataques. Finalmente, o cachorro
pode desenvolver paralisia, que começa nos quartos traseiros - cachorros que ficam paralisados
normalmente não se recuperam.

Cachorros que se recuperam de Destempero com envolvimento do cérebro podem ter dano
cerebral permanente como espasmos e tremores para o resto da vida, e alguns nunca se
recuperam completamente e têm que ser sacrificados depois.

Um outro sintoma de Destempero, menos comumente visto hoje em dia, é “pé duro”. foi
pensado originalmente que isto era uma doença, mas foi identificado depois como um sintoma
de Destempero. “pé duro” causa endurecimento e rachaduras da pele da almofada das patas e do
nariz. Cachorros que desenvolvem pé duro normalmente também têm envolvimento do sistema
nervoso central.

Tratamento & Prevenção

Cachorros com Destempero podem se recuperar - ou morrem depois de ter a doença por apenas
uma semana, ou pode demorar quase um mês. Tratamento consiste em antibióticos para
controlar infecções bacterianas secundárias, terapia de fluidos para desidratação, drogas como
Aspirina para aliviar dor e febre, e tratamento sintomático da diarréia.

Se o cachorro desenvolve sintomas do SNC, ele deve ser tratado por um veterinário que pode
usar sedativos ou drogas anticonvulsivas para controlar estes sintomas. O cachorro deveria ficar
tão confortável quanto possível, isto significa manter quieto, aquecido e limpo. Enxugue o muco
dos olhos e focinho tão freqüentemente quanto possível - se não tirar, ele pode ficar com os
olhos completamente fechados. Se ele se sujar, limpe-o com uma flanela molhada e aquecida.
Se ficar com “pé duro” coloque Vaselina para suavizar a pele e ajudar a impedir que ela rache
muito.

Encoraje o cachorro a comer qualquer coisa que ele conseguir engolir, especialmente fluidos
como caldo morno. Se o cachorro se recuperar, ele deve ser isolado de outros cachorros durante
vários meses se possível para impedir de espalhar a doença.

Destempero canino é prevenido através de vacinação; filhotes devem receber a primeira


aplicação contra Destempero (normalmente determinado como uma vacina de combinação
como uma vacina para 7 doenças) entre seis e nove semanas devem ser revacinados a cada duas
semanas até as dezesseis semanas de idade, e então anualmente. Cachorros mais velhos não-
vacinados devem receber inicialmente duas doses, entre duas ou três semanas e então um
reforço anual.

Nós recomendaríamos uma vacina de Destempero modificada viva. Uma vacina de combinação
MLV Destempero / Sarampo também está disponível para uso em filhotes de seis a nove
semanas de idade; o propósito de usar a vacina de sarampo é que induzirá a imunidade ativa
contra Destempero em filhotes que ainda têm níveis altos de imunidade materna. Esta vacina
não deveria ser usada em filhotes mais velhos ou cães adultos, e realmente não é necessária em
áreas onde o Destempero não é prevalecente. Precauções como as esboçadas nesta página
também ajudam a evitar a doença.

Hepatite Canina infecciosa

Hepatite Canina infecciosa é uma doença contagiosa de todos os caninos e também alguns
outros animais como ursos. Não tem relação com o vírus que causa hepatite em humanos. É
causado por um Adenovírus (CAV-1) próximo a um dos vírus (CAV-2) que causam “tosse
canina” em cachorros. A doença não é tão durável quanto Parvovírus ou Destempero, mas pode
sobreviver fora do hospedeiro durante semanas ou meses. Pode ser morto através de alvejante
de cloro e vários outros desinfetantes.

Transmissão & Sintomas

O meio principal de transmissão de Hepatite é através do contato com a urina, fezes ou saliva de
um cachorro infetado. Cachorros recuperados espalham o vírus por mais de seis meses. O
período de incubação para Hepatite é de quatro a nove dias.

A doença é muito comum em filhotes e cachorros muito velhos e a mortalidade é mais alta em
filhotes muito jovens. Os sintomas variam de sintomas secundários como uma febre leve e
secreção nos olhos até sintomas mais sérios e morte do cão.

O sinal inicial de infecção é uma temperatura de 39ºC ou mais alta; assim como Destempero, a
febre pode baixar depois de alguns dias e então pode voltar, de fato Hepatite Canina Infecciosa
pode ser confundida com Destempero porque muitos dos sintomas são bem parecidos. Como
uma regra, não são vistos sintomas na área respiratória e no sistema nervoso central com
hepatite.

Um batimento cardíaco muito rápido pode acompanhar a febre, como também alguns ou todos
os sintomas seguintes: olhos e nariz vermelhos e escorrendo, mucosas avermelhadas na boca,
acumulação de fluido debaixo da pele na cabeça, pescoço e tronco, e dor abdominal.

O sintoma principal que diferencia HCI de Destempero é sangue com pouca coagulação. Em
alguns casos pode ser o único sinal de infecção e a doença é notada quando o cachorro fica
ferido de alguma maneira e o dono nota que a ferida não pára de sangrar.

Tratamento & Prevenção

O tratamento de hepatite envolve basicamente dar antibióticos para prevenir infecções


secundárias e terapia com fluidos; isto deve ser feito por um veterinário, pois tem que ser dado
por via intravenosa por causa da falta de coagulação. Dar fluidos subcutâneos para um cachorro
com hepatite pode causar hemorragia.

Um veterinário também pode fazer transfusões de sangue em cachorros seriamente afetados.


Aproximadamente cinco a dez dias depois da recuperação da doença, um terço dos cachorros
recuperados desenvolve nebulosidade na córnea de um ou ambos os olhos. Isto é chamado de
“olho triste” e normalmente é só uma condição temporária. A dor causada por “olho triste” Pode
ser aliviada com ungüento de olhos com Atropina.

Cachorros vacinados contra hepatite com uma vacina CAV-1 também podem desenvolver “olho
triste”; para evitar isto, a maioria das vacinas contém CAV-2 que dão imunidade atravessada
contra CAV-1 e não causam “olho triste”.

Filhotes de cachorro devem ser vacinados ao mesmo tempo contra Hepatite Infecciosa Canina e
Destempero; vacinas de combinação como Duramune “Puppyshot” da Fort Dodge e Puppyshot
Booster protegem contra ambas as doenças, como também Leptospirose, Parainfluenza,
Parvovírus e Coronavírus.

Leptospirose

Esta doença bacteriana é contagiosa ao homem e também aos animais. Há muitas subespécies
diferentes da doença; as duas comumente encontradas em cachorros são Leptospira canicola de
e Leptospira icterohaemorrhagiae.

Transmissão & Sintomas

O modo mais comum que esta doença é transmitida para cachorros é através de contato oral
com a urina de um cachorro infetado. Também é transmitida por ratos, e é capaz de viver
grandes períodos de tempo na superfície da água e pode ser transmitida também deste modo,
como quando um cachorro bebe água na poça onde gado infectado urinou.

Cachorros infetados transmitem a doença por meses, até mesmo anos. Leptospirose afeta
cachorros de qualquer idade, mas é mais comum em machos. O período de incubação é de cinco
a quinze dias.

Em casos severos, o começo da doença é normalmente súbito e agudo. O cachorro recusa a


comida, fica fraco e deprimido e terá uma febre de 39 a 40,5ºC. Conjuntivites moderadas são
outro sinal comum. Depois de vários dias, a temperatura cai nitidamente, tão baixa quanto 36ºC.
O cachorro fica muito deprimido e extremamente sedento. A respiração dele também pode ser
muito trabalhosa e pode mostrar sinais de dor abdominal e pode estar pouco disposto a se mover
de uma posição sentada por causa disto.

As gengivas têm freqüentemente áreas que se assemelham a vermelhidão ou queimaduras e


depois secam e desgastam. A saliva fica tingida com sangue. Tremores musculares e vômito e
diarréia com sangue são outros sinais. A mortalidade normalmente é devida a fracasso dos rins e
raramente é mais alta que dez por cento; acontece de cinco a dez dias depois do começo dos
sinais clínicos. Alguns cachorros podem morrer depois de falha crônica de rins devido a danos
causado pela doença.

Tratamento & Prevenção

A leptospirose é tratada com antibióticos como Tetraciclina, Doxiciclina (nenhum destes deve
ser usado em filhotes) ou Streptomicina. Streptomicina também reduz o estágio de transmissão
da doença. Terapia com fluidos e vitamina complexo B injetável também são usados. Alguns
veterinários podem executar diálise do peritônio em casos muito sérios; este é um procedimento
no qual os fluidos na cavidade abdominal são enxaguados para remover toxinas. Leptospirose
pode ser prevenida através de vacinação; a vacina deve ser dada no mesmo intervalo de
Destempero, etc. Procure uma vacina de combinação que contém ambos o Leptos (L.canicola e
L.icterohaemorrhagiae). Em áreas onde a Leptospirose é um problema sério, os cachorros
devem ser vacinados a cada seis a oito meses. Alguns criadores e veterinários não vacinam
freqüentemente cachorros abaixo da idade de 10 semanas contra Leptospirose; nós vacinamos
filhotes tão jovens quanto quatro semanas de idade com vacinas de combinação que contêm
Lepto e nunca tivemos uma reação adversa. Controlar populações de roedores nas imediações e
manter os cachorros longe de água parada à qual o gado tem acesso também ajudam a prevenir
esta doença.

Ramie McDaniels e seu cão T.J. Um velho cão de jogo que produziu alguns bons cães, a
despeito de não ter sido acasalado muitas vezes.

Hammonds‟ Axel, filho de Bruiser e Little Selma.

Garner‟s Snooty‟s Shadow, filho de Wood‟s Snooty com sua filha Abernathy‟s Molly. Shadow
produziu vários cães vencedores.

Tom Ratliff com seu campeão Butkus, quarto vezes vencedor, que venceu o prêmio Gamest In
Show quando ele perdeu sua quinta luta.

Traqueobronquite Infecciosa (Tosse Canina)

Traqueobronquite infecciosa é causado por uma variedade de vírus diferentes e bactérias, mas
principalmente pelos vírus Adenovírus 2 e Parainfluenza, e a bactéria Bordetella brontiseptica.

É chamada de Traqueobronquite Infecciosa porque é uma doença contagiosa que afeta a


traquéia e brônquios (orifícios nos pulmões) de cachorros, e mais comumente conhecida como
“Tosse Canina” porque se espalha rapidamente entre cachorros suscetíveis mantidos próximos
um ao outro em canis ou hospitais veterinários.

Transmissão & Sintomas

Tosse Canina é transmitida através de contato com secreções (como da tosse de um cachorro
infetado) diretamente de um cachorro para outro, em equipamentos ou superfícies no canil, ou
inspirando o vírus suspenso no ar. O período de incubação normalmente é de cinco a sete dias.

O sintoma principal da doença é uma tosse severa, seca e persistente seguida de engasgamento
ou vômito. Outros sintomas são depressão moderada e pouco apetite, sintomas mais sérios como
febre, secreção nos olhos e nariz, ou perda completa de apetite e pneumonia presente nas
infecções secundárias que podem começar, ou Destempero Canino pode ser envolvido.

Os sintomas são muito intensos durante os primeiros cinco a dez dias e então diminuem, mas a
doença pode demorar até três semanas ou mais muito tempo. Em cachorros crescidos e
saudáveis é mais um mal-estar que qualquer outra coisa, mas em filhotes muito jovens pode
conduzir a pneumonia co risco de vida e danos permanentes nos pulmões.

O tratamento não é normalmente necessário exceto em casos extremos, mas antibióticos podem
ser úteis; Cefalosporina, Tetraciclina e Cloramfenicol são os preferido, entretanto uma vez mais,
Tetraciclina nunca deve ser usada em filhotes.

Em casos muito extremos, um veterinário pode tratar o cachorro com nebulização, o que
significa administrar antibióticos em uma neblina que o cachorro aspira diretamente nos
pulmões dele.

Medicamentos humanos para tosse, com ou sem Codeína, só devem ser usados se a tosse é
severa e persistente a ponto de prolongar a doença mantendo a traquéia e brônquios irritados,
caso contrário o cachorro deve ser permitido a tossir, pois isto limpará os pulmões do muco.

Um cachorro com Tosse Canina deve ser isolado de outros cachorros o quanto possível e deve
ser mantido quieto, com mínimo exercício. A coleira dele deve ser removida se possível porque
quando ele está na corrente ou amarra os espasmos podem apertar a coleira e causar irritação;
ponha um colete no cachorro quando caminhar com ele e o mantenha em um engradado ou
cercado – lembra-se de desinfetar completamente o engradado ou cercado antes de pôr outro
cachorro lá.

Vacinação contra Adenovírus tipo 2, Parainfluenza e Bordetella darão aproximadamente


noventa por cento de proteção contra a doença porque há outros vírus menos conhecidos e
bactérias que também causam a doença e para os quais não há nenhuma vacina disponível, não
há nenhum modo para proteger completamente contra a doença.

Nós não tivemos nenhum problema pessoalmente com Tosse Canina, nós usamos uma vacina de
combinação que inclui Parainfluenza e Adenovírus Tipo 2 mas não nos preocupamos com
Bordetella. Se você está em uma situação onde você estará embarcando o cachorro para algum
lugar, ou regularmente assiste a espetáculos de conformação com seus cachorros, pode ser sábio
vacinar também contra Bordetella. Uma vacina que contém Parainfiuenza vivo modificado e
Bordetella e é determinada via nasal (gotejada nas narinas do cachorro) é notoriamente mais
efetiva que a vacina morta de Bordetella porque tem a vantagem de estimular a imunidade local
na própria área respiratória. Pelo que nós entendemos, o melhor para se usar é a vacina Intra-
Trac II da Schering.

Raiva

Esta doença virótica fatal acontece ao longo de todo o mundo com a exceção de certos países
em ilhas como a Grã-Bretanha que erradicou a doença e têm leis de quarentena rigorosas para
impedir a doença de ser reintroduzida.

Hidrofobia afeta todos os animais de sangue quente inclusive o homem. Na América do Norte a
doença é existe principalmente através de vida selvagem; os portadores principais de Hidrofobia
são as raposas, racoons, gambás e morcegos. Roedores e animais pequenos não são comumente
portadores da doença.

Transmissão & Sintomas

A doença é contraída através de contato com saliva de um animal infetado, normalmente por
uma mordida daquele animal, mas também por contato em feridas abertas, arranhões, e mucosas
com a saliva de um animal afetado. Foram documentados alguns casos em homens onde a
doença foi contraída respirando o ar de uma caverna de morcegos.

O período de incubação é extremamente variável; normalmente a infecção se forma dentro de


vinte e um a oitenta dias, mas períodos de incubação menores e também períodos de incubação
de mais tempo (mais de seis meses em cachorros) foram documentados.

Há três fases de Hidrofobias; na fase inicial, o cachorro pode recusar a comer ou beber e pode
ficar solitário. A doença afeta o sistema urogenital nesta fase, o que causa micção freqüente e
ereção ou excitação sexual em cachorros machos. Estes sinais iniciais nem sempre são notados.

Deste ponto, a doença progride à fase de excitação ou diretamente para a terceira fase de
paralisia da doença. A fase de excitação também é conhecida como a fase furiosa; o cachorro
fica irracional e muito agressivo. A expressão dele será alerta e ansiosa, ele seguirá o
movimento com os olhos e atacará sem provocação pessoas, outros animais, ou qualquer objeto
que se mova. Ele pode comer coisas incomuns como paus, pedras, fezes, etc. Se preso ou
acorrentado, ele pode atacar a corrente ou as barras das gaiolas, pode rasgar a própria boca dele
e quebrar dentes sem sentir qualquer dor. Filhotes ficam anormalmente brincalhões, mas
mordem e ficam bravos depressa quando se mexe com eles.

São vistos falhas de coordenação e ataques apopléticos com o progresso da doença. A fase
paralítica ou “tonta” da Hidrofobia vem em seguida; os músculos da garganta são paralisados e
o cachorro fica impossibilitado de engolir. Como resultado, o cachorro baba e não pode beber
água, a mandíbula dele pode ficar pendurada. Ferocidade neste momento é rara. A doença
progride para paralisia completa e morte dentro de algumas horas.

Tratamento & Prevenção

Não há nenhum tratamento para animais infetados com Hidrofobia e a doença é invariavelmente
fatal. Cães não vacinados expostos à doença devem ser totalmente eliminados ou imediatamente
vacinados e ficar isolados durante seis meses. Cachorros que são expostos e foram vacinados
devem ser revacinados imediatamente e mantidos sob observação durante pelo menos três
meses.

Humanos que estiveram expostos têm que levar uma série de injeções imediatamente para
impedir para a doença se desenvolva. Nenhum tratamento assim está disponível neste momento
para os cachorros.

Vacinação com uma vacina de vírus mortos previne a doença e é exigida por lei em muitas
áreas. Cachorros e filhotes devem receber duas vacinas no espaço de um ano e então devem ser
vacinados a cada 3 anos depois disto.

Vacinação contra Hidrofobia só deve ser feita por um veterinário autorizado. Na maioria dos
estados, a vacinação contra Hidrofobia é requerida através de lei e deve ser feita por um
veterinário. De fato, é ilegal transportar vacina de Hidrofobia para o Alasca, Alabama,
Arkansas, Califórnia, Connecticut, Havaí, Illinois, Iowa, Kansas, Maryland, Michigan,
Montana, Nevada, Nova Jersey, Novo México, Nova Iorque, Carolina do Norte, Dakota do
Norte, Oregon, Pensilvânia, Rhode Island, Carolina do Sul, Dakota do Sul, Texas, Utah,
Virgínia, Washington, West Virginia, e Wyoming, e é ilegal para os donos comprar a vacina de
Hidrofobia e vacinar os próprios cachorros nestes estados.

Deveriam ser tomadas precauções para evitar contato com vida selvagem potencialmente
infetada; realmente não há desculpa para ter um Pit Bull solto e devem ser tomados certos
cuidados quando andar com cachorros na coleira. Qualquer animal selvagem que parece
amigável deve ser tratado como possível risco, como também raposas com farpas de porco-
espinho (uma raposa quase nunca atacará um porco-espinho a menos que a raposa tenha Raiva)
ou outros animais normalmente noturnos vistos durante o dia. Se você ou seu cachorro são
mordidos por um animal selvagem em uma área de Hidrofobia endêmica, aquele animal deve
ser morto se possível e levado ao veterinário para ser testado para Hidrofobia. O mesmo pode
ser feito se seu cachorro mata um animal como uma raposa ou racoon na área de corrente dele.

Conclusão
Esperançosamente você nunca encontrará quaisquer destas doenças, embora no caso de
Parvovírus, há uma chance boa de que você encontre, particularmente se você está criando
cachorros. Algumas das outras doenças mencionadas neste capítulo são quase desconhecidas
hoje em dia, mas isso não é nenhuma razão para não vacinar seus cachorros contra elas.

A razão principal porque muitas destas doenças estão agora sob de controle é porque a maioria
dos cachorros é vacinada contra elas. Algumas pessoas vacinam inadequadamente ou não
vacinam para economizar dinheiro; é bem patético arriscar a perder seus cachorros porque você
é muito pão-duro para gastar alguns dólares com vacina.

Várias outras doenças são discutidas em outros lugares; para doenças de carrapato, veja o
capítulo sobre Parasitas Externos, Brucelose e Herpes Canina nos capítulos Criando O Bulldog
e Do Nascimento à Desmama, respectivamente.
Capítulo Dezenove

Criando o Cão de Competição

Há dois aspectos diferentes de procriação de cachorros; a mecânica atual de

procriação: levar a cadela para o reprodutor, criar a ninhada, etc. e o aspecto mais

artístico: selecionar o cachorro reprodutor e a cadela de ninhada e assim

sucessivamente. À primeira vista, os dois aspectos são áreas completamente sem

conexões de conhecimento, mas em outro elas são também muito dependentes uma

da outra. Você tem que decidir o que você está tentando criar e que cachorros

acasalar para conseguir o objetivo, mas você também tem que conseguir os cachorros

para cruzar no momento certo! Obviamente, faz sentido conhecer pelo menos um

pouco ambos os aspectos de procriação.

Parte Um: a Arte da Criação

Genética do Cão de competição

Nós tínhamos pretendido originalmente incluir um capítulo grande sobre genética, mas
nós decidimos contra porque não é um assunto que pode ser facilmente explicado - e certamente
não algumas páginas! Nós nem mesmo tentamos dizer que nós entendemos este assunto
completamente.

Para aqueles interessados em aprender mais sobre genética, há uma lista de livros sobre
o assunto no apêndice UM no término deste livro. Um que nós recomendaríamos especialmente
é “Genetics of the Dog”, por Malcom B. Willis.

O fato é, você não tem que estudar ou até mesmo compreender genética para criar bons
cachorros. A maioria dos criadores prósperos emprega os princípios de genética no programa de
criação sem saber. E entender estes conceitos certamente não garantirá sucesso automaticamente
como um criador - isto não é tão simples.

Nós ouvimos um criador veterano dizer uma vez que criar buldogues é “uma droga” e
em muitos aspectos, esta é uma das declarações mais precisas. Enquanto as genealogias são de
imenso valor para o criador, tantos não compreendem que a genealogia de um cachorro
simplesmente é um registro de quem foram os pais de cachorros, avós, etc. Não conta que parte
os cachorros na genealogia trouxeram para a bagagem genética daquele cachorro (se
trouxeram). De fato, a descendência de um cachorro pode ser pesadamente baseada em algum
Campeão famoso – e pode ser relacionada geneticamente apenas àquele cachorro!
Não importa o quanto cuidadosamente planejada e precisa uma criação é, o fato é que
em nível genético os resultados podem ser muito fortuitos e impossíveis de predizer. Sem ir
muito distante nas complexidades genéticas, nós gostaríamos de tentar e explicar por que criar
cachorros de qualidade constantemente é tão difícil.

Um cachorro começa a vida como uma única célula que contém 78 cromossomos, ou
39 pares de cromossomos. Um de cada par veio do pai e o outro da mãe. Esta célula se
multiplicará e eventualmente se tornará um cachorro, composto de muitos bilhões de células,
mas para entender a aleatoriedade da herança genética você tem que dar um passo para trás,
para o óvulo e o espermatozóide.

Enquanto todas as outras células no corpo contêm 78 cromossomos (39 pares) as que
eventualmente se tornam células reprodutivas (óvulos e espermatozóides) tem que sofrer uma
redução de número de forma que elas só contenham a metade do par. Deste modo, quando o
óvulo e o esperma se unem o ovo fertilizado resultante conterá 78 cromossomos - 39
cromossomos vieram do óvulo, 39 vieram do espermatozóide.

Quando esta divisão acontece, cada um dos futuros espermatozóides ou óvulos recebe
um de cada par de cromossomos, mas os cromossomos são misturados; se a célula e seus pares
de cromossomo fossem simplesmente partidos em dois, então a metade dos óvulos ou
espermatozóides conteria o material genético que veio de um dos pais daquele cachorro e
metade do outro pai (i.e. os avós dos filhotes produzidos quando o óvulo e o espermatozóide se
juntam). Isto não é de fato o que acontece; os cromossomos são misturados de forma que
qualquer combinação de cromossomos pode acontecer no óvulo ou espermatozóide resultantes e
pode incluir (ironicamente) um óvulo ou espermatozóide com apenas o material genético de um
dos pais do cachorro.

Lembre-se de que a mesma coisa acontece no espermatozóide e no óvulo e torna o


fato mais randômico. Cada célula de espermatozóide ou óvulo terá 39 cromossomos - um de
cada par que os pais tiveram, mas as possíveis combinações são quase infinitas e as diferenças
entre dois espermatozóides idênticos que encontram dois óvulos idênticos são da casa de em
mais de cinqüenta e quatro bilhões, assim (falando praticamente) não há dois irmãos de ninhada
iguais, não importa o quanto eles possam parecer semelhantes. A única exceção seria no caso de
gêmeos idênticos que são o resultado de um ovo fertilizado que é partido pela metade. Gêmeos
idênticos são cópias genéticas um do outro, mas não são comuns em cachorros.

Se um espermatozóide que contém só os cromossomos da mãe (como descrito acima)


do cachorro reprodutor se encontra com um óvulo que contém só os cromossomos da mãe da
cadela, você acaba com um filhote de cachorro que completamente sem qualquer relação com
os avós. Por exemplo, se isto acontecesse quando você cruza um filho e uma filha de Ch. Jeep,
teoricamente você teria um filhote que seria neto dobrado de Jeep, mas não teria nenhuma
característica genética de Jeep, cruzando estes dois cães, você não estaria perpetuando mais
características genéticas de Jeep do que se você estivesse cruzando filhotes de Bolio! Claro que
as chances contrárias de uma combinação assim acontecer são muito altas, mas isto ilustra o
quanto extremos os efeitos da mistura de cromossomos podem ser.

Lembre-se que em cada um dos 78 cromossomos de um cachorro, há milhares de


genes e cada gene pode ter muitas variáveis possíveis que podem agir de modos diferentes
dependendo do outro gene no par.

O seguinte é uma comparação simplificada para tentar ilustrar o conceito acima;


digamos que você pegou cem bolinhas de cada dez cores diferentes, jogou tudo em um balde, e
as misturou. Você teria um balde com mil bolinhas. Logo, comece (sem olhar) a remover
punhados de dez bolinhas de cada vez e colocar em pilhas separadas. Faça isto algumas vezes e
então olhe as pilhas.

Uma pilha poderia ter, digamos, uma bolinha de cada cor. Outra poderia ter três
laranjas, uma vermelha, uma azul, uma negra e duas amarelas. Outra poderia ter duas verdes,
três negras, uma roxa, uma cor-de-rosa, uma branca, e duas azuis. A questão é que é muito
improvável ter a mesma combinação duas vezes em quaisquer destas pilhas. Criar uma ninhada
de filhotes de cachorro é assim, com a diferença de que você tem muitos, muitos milhares de
bolinhas (genes) para trabalhar!

Barry Hammonds com Hammonds‟ Sara Bell.

Barney, um ótimo filho de


Wildside‟s Lucifer da propriedade de
Mr. P. Suwatchai em Bangkok,
Tailândia.
Frio Boys‟ Dirty Jim, um ótimo filho do melhor produtor de Registro de Mérito de todos os
tempos, Ch. Jeep ROM.

Se isto parece confuso, lembre-se que é apenas a ponta do iceberg. Há tipos diferentes de
herança para características diferentes, alguns são bastante simples (envolvendo um ou dois
pares de genes) e outros podem ser extremamente complexos. O modo exato de herança de
muitas características, contudo, ainda é desconhecido. Nem sequer geneticistas que estudam o
DNA de cachorros têm conseguido desvendar os mistérios da herança genética; neste momento,
você nem mesmo pode saber a diferença entre um Chiuaua e um Pitbull - ou até mesmo um
Lobo Ártico - apenas olhando as amostras de DNA!

A característica principal do pitbull americano – agressividade - é com certeza feita de


muitos, muitos genes. Nós vimos mais de uma vez na teoria avançada que “o gene de
agressividade é recessivo porque pode saltar uma geração” (i.e. você pode cruzar dois vira-latas
e conseguir um cão agressivo), mas esta idéia mostra uma falta de compreensão de genética;
você também pode cruzar dois cães agressivos e conseguir um vira-lata, algo que seria
impossível se houvesse um gene de agressividade recessivo. Além disso, não há nenhum modo
para um único gene ser responsável por algo tão complexo como agressividade.

Até mesmo a cor do pêlo, que é uma característica de herança genética relativamente
simples, geralmente envolve entre cinco a dez pares de genes com cada par tendo muitas
variáveis e criando muitas variações diferentes de cores e manchas. Por outro lado, a
agressividade é provavelmente controlada através de centenas ou até mesmo milhares de pares
de genes, resultando em combinações quase infinitas. Nós diríamos mesmo que se você pudesse
de alguma maneira examinar os genes de vários cachorros diferentes de agressividade igual e
comparar, você poderia descobrir que eles poderiam ter herdado sua agressividade de
combinações de genes completamente diferentes. Isto explicaria por que às vezes você pode
cruzar dois campeões ferozes e conseguir uma ninhada de vira-latas sarnentos, ou por que às
vezes certas linhagens não se dão bem quando cruzadas entre si.

No assunto de cor do pêlo, nós gostaríamos de mostrar que não tem nenhuma
correlação a características complexas como agressividade; nós ouvimos freqüentemente as
pessoas declararem uma preferência (ou repugnância) para uma certa cor de cachorro porque
(por exemplo) “todo cachorro de nariz vermelho que eu já vi era um vira-lata” - nós achamos
que aquela pessoa nunca viu Tombstone ou Tramp Red Boy - ou “os melhores cachorros da
linhagem de Eli são os pretos porque Eli era preto” - esta pessoa teria se livrado de Gr.Ch. Art
quando filhote se ele tivesse a ninhada de Eli Jr. e Java.

Nós não estamos tentando insultar qualquer um, o fato é que nós mesmos temos uma
tendência para escolher através da cor; por exemplo, nós tendemos a escolher filhotes pretos de
nossas ninhadas da linhagem de Bandit porque o Bandit era preto. Bandit produziu alguns
grandes cachorros que eram pretos, mas uma parte dos que não deram certo era feita de cães
pretos também, e do outro lado da moeda, alguns dos melhores que ele produziu eram
vermelhos, ou manchados, ou de nariz vermelho, ou de outras cores. Alguns dos cachorros
referidos foram os que nós passamos para a frente em ninhadas para poder manter filhotes
pretos no lugar deles.

Casos onde a melhor descendência de um cachorro tende a ser da mesma cor que ele
mostram apenas que esses filhotes vieram a herdar os genes da cor do pêlo além dos genes de
muitas outras boas qualidades do cachorro.

Nós também poderíamos acrescentar que um cachorro pode ter herdado algumas das
características que você quis do pai ou antepassado que você estava tentando reproduzir, mas
não outras. Por exemplo, você pode ter um filhote de um cruzamento fechado em Red Boy que
é a cara de Tramp Red Boy, mas não herdou nada da lendária agressividade dele. Por outro lado
você pode ter um cachorro que não se parece nada com ele, mas carrega em si e reproduz as
características dele constantemente.

O que nós estamos dizendo aqui é isto: se uma das coisas que você gosta aparece em
uma linhagem específica, você pode cruzar cães que aparentam o que você quer, mas não cruze
um cachorro da linhagem de Jeep somente porque ele parece idêntico ao Jeep, e não descarte
um bom cachorro da linhagem de Snooty apenas porque não se parece com Snooty. Para
cachorros de desempenho o que está dentro é que conta. Também, lembre-se que as
características com que um cachorro se parece e as características que ele passa para a sua
descendência podem ser completamente diferentes.

Se a herança é tão randômica, então como os criadores podem ter algum sucesso
produzindo bons cães? A resposta está na seletividade. Você tem que escolher e cruzar cães que
têm as qualidades que você está procurando, então escolher a descendência do cruzamento que
está mais perto do que você quer e cruzar esses cães. Esta é a maneira que todas as raças
diferentes foram criadas, e a maneira que o pitbull foi desenvolvido para ter as qualidades sem
igual que ele tem.

Há vários métodos diferentes de procriação, estes métodos incluem “o melhor com o


melhor”, cruzamento fechado, cruzamento em linha, cruzamento aberto. Com quaisquer destes
métodos, a chave para o sucesso está em ser seletivo. Os indivíduos que você escolhe usar no
programa de procriação são o ingrediente mais importante. Os melhores programas de
procriação normalmente envolvem uma combinação de todos os métodos acima.

O Melhor com o Melhor

Algumas pessoas acreditam firmemente em cruzar “o melhor com o melhor” que (como
o nome diz) envolve cruzar cachorros que se ajustam com o ideal que você está procurando, não
importa o pedigree. Este é o método comumente empregado para criar cachorros de espetáculos
de conformação, e freqüentemente envolve o cruzamento de cachorros completamente sem
relação.

Enquanto você pode acabar com alguns cães de topo deste modo, os resultados não
tendem a ser muito consistentes, a menos que você esteja juntando o processo de seleção com
alguma forma de cruzamento fechado. Programas de procriação “o Melhor com o melhor” que
envolvem cruzamento externo ou cruzamento espalhado raramente se estabelecem como
famílias sólidas de cachorros, mas o mesmo programa combinado com algum grau de
cruzamento fechado seletivo pode ser a fundação de uma grande linhagem.

Cruzamento Fechado / Cruzamento em linha

O que a maioria dos criadores de animais define como cruzamento fechado é o


cruzamento de um irmão com uma irmã, um pai com uma filha, ou uma mãe com um filho.
Cruzamento em linha é um termo que se refere a cruzar cachorros que estão relacionados, mas
não tão de perto quanto acima. Isto inclui os primos, meio-irmão e meia-irmã, cachorros com os
avós deles, etc. O fato é que cruzamento fechado e em linha são essencialmente a mesma coisa.
A definição científica de cruzamento fechado é cruzar animais que estão relacionados mais de
perto que a média da raça deles.

A razão para a declaração “relacionados mais de perto que a média” é que na maioria
das raças, todos os animais terão alguns antepassados comuns se você voltar longe no tempo.
Pense nisto: um cachorro tem mais de um milhão de antepassados na vigésima geração dele, o
que para buldogues significaria na maioria dos casos voltar para os velhos tempos do século
XIX. Obviamente, teria que se considerar a duplicidade de antepassados, pois naquela época
havia provavelmente apenas algumas centenas de cachorros da nossa raça.

Alguma quantidade de cruzamento fechado foi usada para estabelecer qualquer raça de
animal, até mesmo em raças que não são muito fechadas. Nós vimos uma vez uma busca
genética em cinco gerações de um animal criado para espetáculo (nem mesmo era um cachorro,
mas sim um gato) e na quinta geração, não acreditamos que havia um único antepassado
comum. Mas quando nós olhamos a busca genética, cada animal na genealogia eventualmente
localizou um gene na décima ou décima quinta geração.

Em Pitbuls, a maioria dos cachorros de hoje é descendente de Tudor‟s Dibo, mas você
não considera o cruzamento de um cão fechado em Bolio com uma cadela Honeybunch ou
Alligator um “cruzamento fechado”, eles todos são descendentes de Dibo, mas de fato você
considera isto como um cruzamento aberto porque não haveria provavelmente nenhum
antepassado comum dentro das primeiras três ou cinco gerações.

Freqüentemente cachorros pesadamente cruzados em linha podem ser mais parecidos


que uma procriação irmão/irmã de primeira geração. Cruzamento fechado pode ser medido
usando uma equação matemática chamada “coeficiente de parentesco”, o resultado é mostrado
como um valor de porcentagem. Um cruzamento irmão/irmã, mãe/filho ou pai/filha entre
cachorros que não são relacionados tem um coeficiente de 25%. Nós temos cachorros em nossa
criação, particularmente alguns de nossos cachorros de Nigerino que seriam considerados
cruzamentos de linha, mas por causa da grande quantidade de cruzamentos, eles têm
coeficientes perto de 50% , que é quase o dobro do coeficiente dos cachorros de “cruzamento
fechado” acima.

Cruzamento fechado é uma coisa muito mal entendida e é freqüentemente culpada por
coisas que vão de temperamento ruim até estrutura pobre. Uma vez que é considerada um
“tabu” em humanos, muitos criadores de cachorro têm a mesma atitude com cruzamento
fechado em animais. Uma publicação grande sobre cachorros chegou a ponto de fazer uma
declaração contra cruzamento fechado em todos os seus certificados e aplicações, e nos
certificados de inscrição de cachorros filhos de cruzamentos irmão/irmã ou Pai/filha eles
colocarão “CRUZAMENTO FECHADO” como uma etiqueta de advertência em produtos de
tabaco ou álcool, também? É assustador que um registro de animais nacional possa exibir tal
ignorância óbvia sobre genética e princípios de procriação animal.
Cruzamento fechado não causa nada que já não exista. O que ele faz é trazer para o
primeiro plano características recessivas escondidas, e infelizmente muitas características
indesejáveis acontecem de ser recessivas. Assim se você fez um cruzamento fechado e
conseguiu algo ruim, é porque você apenas trouxe à superfície algo que já estava presente no pai
e na mãe da ninhada. Se aquela característica fosse bastante rara na raça, e você fizesse um
cruzamento aberto entre os dois cachorros, você poderia nunca ter visto a característica ruim,
mas você também teria espalhado inadvertidamente a característica e tornado a característica
mais prevalecente.

Cruzamento fechado seletivo na verdade ajuda a reduzir características recessivas negativas em


sua linhagem se for feito ao mesmo tempo em que uma seleção pesada. Escolha os filhotes na
ninhada que possuem as características que você quer e continue cruzando-os, descarte (destrua,
esterilize, ou dê para os outros) aqueles que estão mostrando as características negativas que
você não quer. Eventualmente você terá uma linhagem de cachorros que constantemente
carregam e transmitem as características boas que você está procurando, e se você for realmente
persistente então você terá se livrado de (ou pelo menos reduzido) as características defeituosas
em sua linhagem.

Este é um exemplo que com sorte ilustrará a questão acima. Digamos que Sr. A e Sr. B ambos
decidiram criar Pit bulls. Eles compram um casal de filhotes cada um na mesma ninhada de um
anúncio. A mãe dos cachorros tinha um grande temperamento, mas o que A e B desconhecem é
que o pai dos filhotes era um terrível mordedor de gente. Agora, por causa da simplificação, nós
vamos fingir que há um gene simples, recessivo para “mordedor de gente”; mas na realidade a
herança genética que faz atacar humanos (como a agressividade) é provavelmente uma
característica complexa que envolve muitos genes.

Para este exemplo, o gene para o temperamento bom é o gene N dominante e o gene de
mordedor de gente será o gene n recessivo. Para um cachorro ser maligno, ele tem que ter dois
genes n (nn) porque o gene é recessivo. Os quatro filhotes de Sr. A e Sr. B são todos Nn porque
a mãe era NN e o pai era nn. Assim, uma vez que o gene N é dominante sobre n, todos os
filhotes têm temperamento agradável – mais uma vez isto é apenas um exemplo e os genes
acima são completamente fictícios!

Ambos Sr. A e Sr. B planejam acasalar o casal deles (o irmão e irmã) para obterem suas
primeiras ninhadas de filhotes de Pitbull. O resultado destas ninhadas, em média, será de 25%
nn (mordedores de gente completos), 50% Nn (possuem temperamento agradável, mas
carregam o gene maligno n) e 25% NN (completamente agradáveis). Cada um deles mantém os
filhotes de suas ninhadas e cruza pais com filhas, mães com filhos, irmãos com irmãs, etc.
Williams‟ Connie, uma cadela pura fechada em Heinzl e uma grande produtora.

Buzzard Creek Kennels‟ Jemima, uma irmã vencedora de Buzzard Creek‟s Ch. Jughead.

Dentro de dois anos ambos os homens têm um grupo de cachorros, alguns deles muito, muito
maus. Sr. A culpa o cruzamento fechado pelo problema. Ele se livra da maioria dos cachorros
dele e compra mais cadelas de várias linhagens diferentes. Ele mantém o cão “Killer” (um dos
mordedores de gente nn dele) como reprodutor porque ele é o cachorro de melhor aparência no
canil, e ele o acasala com todas as cadelas novas. Uma vez que todas estas cadelas novas vieram
a ser NN, o “Killer” nunca produziu um mordedor de gente, e aparentemente, o Sr. A está
produzindo alguns cães muito estáveis.

Wildside & Harden‟s Sparkle, filho de Wildside‟s Renegade e Wildside‟s Tiger Lil.

Sr. A provavelmente agora dirá para todo o mundo como o cruzamento fechado quase
arruinou o canil dele e usa até mesmo o “Killer” o tempo todo como um exemplo (“É mesmo,
ele é mau como uma cobra, mas isso é só porque ele é filho de um cruzamento fechado - ele
nunca produziu um filhote ruim na vida”) e vendendo os filhotes Nn dele por toda parte do país.

O Sr. B faz as coisas de um jeito diferente. Ele descarta todos os mordedores de gente dele e
continua cruzando os cachorros de temperamento agradável, talvez fazendo de vez em quando
alguns cruzamentos abertos para obter um pouco de sangue novo, levando de volta os filhotes
de cruzamentos abertos ao seu programa de cruzamento fechado. Ele faz questão de se livrar de
todos cachorros nn (maus e sórdidos) que aparecem no programa de procriação dele.

Será muito difícil de eliminar o gene n completamente, porque ele pode se esconder em
um cachorro Nn, mas ao final de vários anos da procriação a grande maioria dos cachorros do
Sr. B será NN. Se ele for realmente sério na seleção dos seus cachorros, ele pode manter até
mesmo um casal de cachorros nn especificamente para testar e descobrir quais dos seus
cachorros de procriação são Nn; cachorros ou cadelas cruzados com o casal nn que produzem
mordedores de gente são identificados como portadores do gene maligno n.

Neste momento, ambos os criadores parecem estar produzindo a mesma qualidade de


cachorros, de acordo com o temperamento. Qual é a diferença? O criador A está espalhando o
gene n e tornando-o mais prevalecente na raça. Cada filhote de “Killer” carrega o gene n. Até
mesmo se ele tivesse mantido um reprodutor Nn em vez nn, o cachorro dele ainda estaria
espalhando o gene n para cinqüenta por cento da descendência dele.

Já o criador B, com o programa de procriação utilizando cruzamento fechado seletivo,


tem ajudado a melhorar a raça por gerações e reduzir imensamente a incidência do gene n na
linhagem dele. Nós esperamos que este exemplo bastante comprido tenha ajudado explicar
como o cruzamento fechado seletivo pode, com o passar do tempo, melhorar grandemente a
qualidade global de uma raça - e como apenas porque você pode ver menos defeitos por não
fazer cruzamento fechado, não significa que eles não estejam lá. Não existe, claro, nenhum
“gene n” (pelo menos não que nós conhecemos, mas há muitos doenças genéticas conhecidas
incluindo vários tipos de raquitismo que são controladas por um gene recessivo simples.

Quando alguém faz cruzamento fechado, está com a esperança da descendência de uma
ninhada que não apenas herda os genes de um antepassado comum, mas herda em dobro - um
gene herdado em dobro é aquele no qual ambas os alelos (variáveis) do par genético são
idênticos, i.e. o cachorro seria homozigoto para este gene. No exemplo acima, o criador B
estava tentando criar homozigose do gene N. Os primeiros cachorros dos Criadores A e B, por
outro lado, eram todos heterozigotos Nn, e o cão “Killer” do criador A era um cachorro
homozigoto nn.

Quanto mais os pares de gene são parecidos, mais uniforme a descendência do cachorro
tenderá a ser. Quanto mais genes heterozigotos (diferentes) um cachorro tem, menos uniforme a
descendência dele será. Esta é a base para a convicção que um cachorro de cruzamento fechado
produzirá melhor que um de cruzamento aberto ou livre, porque há menos variação, mas você
tem que se lembrar disso, apenas porque um cachorro com mais genes homozigotos produzirá
cachorros uniformes mais constantemente, necessariamente não significa que ele/ela produzirá
cachorros melhores: os genes homozigotos herdados podem ser da mesma maneira bons ou
ruins, e no segundo caso o cachorro iria constantemente produzir nada mais que lixo.

No outro lado da moeda, um cachorro de cruzamento aberto pode lançar uma


descendência altamente variável, mas constantemente de boa qualidade. É por isto que a
qualidade dos cachorros, e também a qualidade dos antepassados imediatos, é tão importante
para fazer uma procriação, e também por que tantos “pedigrees bonitos” falham.

Agora há um problema que o cruzamento fechado excessivo pode causar; Depois de um


certo ponto o cruzamento fechado causa decadência, que é caracterizada por perda de vigor e
fertilidade. O cachorro pode ser infestado de problemas de saúde, ter resistência pobre para
infecções e parasitas, e apenas não prospera no geral. A fertilidade pode ser baixa em ambos os
sexos; um cachorro reprodutor pode ter uma falta de esperma ou uma porcentagem alta anormal
de esperma e uma cadela pode ter ninhadas pequenas ou filhotes que nascem fracos ou
natimortos. Dependendo do grau de decadência, qualquer sexo pode até mesmo ser
completamente estéril.

A que ponto aparece a decadência de cruzamento fechado depende da espécie e de cada animal
individual. A maioria das linhagens de pitbull pode tolerar uma quantidade considerável de
cruzamento fechado sem efeitos nocivos. A única coisa boa sobre a decadência de cruzamento
fechado é que seus efeitos podem ser eliminados com um cruzamento aberto na primeira
geração. Você pode pegar cachorros de duas linhagens completamente diferentes que são ambos
de cruzamento fechado até o ponto de perda de vigor, pode acasalá-los, e pode conseguir
cachorros fantásticos. Isto é chamado de “vigor híbrido”. Porém, qualquer característica
negativa que você pode ter encontrado como resultado de cruzamento fechado não-seletivo pode
levar várias gerações para desaparecer, i.e. se seus cachorros têm estrutura fraca porque você
escolheu cachorros de estrutura fraca para usar em seu programa de cruzamento fechado, pode
levar várias gerações de procriação com cachorros bem-estruturados para melhorar a linhagem
novamente.

Cruzamento Aberto

Um cruzamento aberto significa pegar dois cachorros que são basicamente sem relação cruzá-
los. Normalmente são cachorros que não têm nenhum antepassado comum dentro das primeiras
quatro a cinco gerações. Como mencionado acima, cruzamento aberto é um modo excelente
para inverter a decadência de cruzamento aberto, e também é útil para criar características em
seus cachorros que você ou perdeu, ou nunca teve. Por exemplo, se você conseguiu desenvolver
uma linha de cachorros que têm tremenda agressividade, mas pouca boca, você pode fazer um
cruzamento aberto com um cachorro que tem uma boa boca.

Para ter completo sucesso, você deveria tentar com um cachorro que vem de várias gerações de
cachorros de boca dura e não um cão ocasional, e cachorros que também são bastante
competitivos. Se você usar um vira-lata de boca dura para seu cruzamento aberto, você poderia
conseguir a boca que você estava procurando, mas você está dando um passo para trás porque
você vai perder um pouco da competitividade preciosa que você trabalhou tão duro para
desenvolver.

Algumas linhagens se cruzam melhor que outras; você deve escolher algo que já provou
funcionar bem com sua linhagem no passado, mas por outro lado, há provavelmente muitas
grandes procriações que as pessoas perderam porque “nunca tinham sido feitas antes”. Existe a
primeira vez para tudo, e seu cruzamento aberto experimental pode ser uma das melhores
procriações já feitas.

Qualquer procriação que você faz deve ter um propósito, quer dizer, deveria haver uma razão
específica para você estar fazendo aquela procriação. Fazer um cruzamento fechado por causa
de conveniência ou só porque é fechado não é nenhuma procriação seletiva. Você está cruzando
sua cadela de volta com o pai dela porque ele é um reprodutor excelente e ela é uma das
melhores descendentes dele, ou você está fazendo isto apenas porque é uma procriação de
pai/filha? Um certo padrão de procriação sozinho não assegura automaticamente a qualidade, os
cachorros individuais que foram acasalados é que são importantes.
Ed Faron e o finado Jim Bailey com Stabber.

Bill McClcan do canil Raging Bull Kennels com seu cão Jaco da linhagen Jeep, um cão
vencedor de uma luta, filho de uma linhagem pesada de Jeep.
Don Carter, editor da revista Bits On Pits, com Kodiak, um vencedor do prêmio Best In Show.

Do mesmo modo, o cruzamento aberto aleatório e repetido não serve a nenhum


propósito real. Por exemplo, você poderia levar uma cadela de cruzamento espalhado que era
como uma cadela da linhagem Heinzl/Patrick/Eli/Sorrells, e a cruzar com um macho que era da
linhagem Alligator/Panama Red, e então pegar uma cadela dessa ninhada e cruzar com um
cachorro que tem sangue de Red Boy/Jocko, e talvez cruzar um desses filhotes com um
cachorro das linhagens Zebo/Boomerang. Ao término de tudo isso, você terá ainda um pitbul
puro e registrado, mas isso é sobre tudo que você terá. Você não terá uma família ou linhagem
de qualquer tipo.

Cachorros criados deste modo às vezes podem ser grandes individualmente, mas é um
desafio (freqüentemente até mesmo uma decepção) procria-los porque eles raramente se
reproduzirão de forma constante. Isto não é dizer um cachorro de cruzamento aberto não pode
ser um bom produtor ou uma parte valiosa de seu programa de procriação, mas se você apenas
mantém um cruzamento aberto aleatório é muito improvável você reter quaisquer das
características que fizeram aqueles cachorros bons.

Um programa sólido de procriação normalmente envolve várias combinações de


cruzamentos fechados e abertos. Cruzamentos abertos para adquirir as qualidades que você
precisa e então cruzamentos fechados para mantê-las em sua linhagem. Por exemplo, você
poderia fazer um cruzamento pai/filha com dois de seus melhores cachorros, manter o melhor
casal, cruzar a cadela com um macho de uma linhagem diferente, manter a melhor cadela
daquela ninhada e voltar a cruzar com o pai ou tio, e assim sucessivamente. Se você olhar
muitas das linhagens de topo atuais, você verá em muitos casos que o criador fez uma fundação
de alguns cachorros chave, e cruza a descendência destes cachorros de um lado para outro
misturando um pouco de algo completamente diferente de vez em quando.

A parte principal de manter qualquer programa de procriação está em selecionar seu


plantel; pessoas diferentes terão prioridades diferentes escolhendo quais cachorros eles
procriando. Decida o que é importante para você, i.e. que qualidades que você está procurando
em um cachorro, e então faça sua parte procurando uma linhagem de cachorros que está
produzindo constantemente essas qualidades.

Tenha uma idéia rígida em sua mente do que é o nível mínimo aceitável de qualidade
em um cachorro para seu programa de procriação, e tente se lembrar disto quando escolher seu
plantel de fundação, mas você tem que saber quando fazer uma exceção se você sente que será
positiva para sua criação, um exemplo é se você não gosta de cachorros “frios” mas aproveite a
chance de adquirir uma cadela “fria” que está produzindo vencedores como louca.
Em que diz respeito ao desempenho, é o que o cachorro FAZ que é importante, mas
numa criação, a coisa mais importante é se o cachorro pode PRODUZIR o que você está
procurando. Há muitos „azes‟ por aí que nunca produziu um cachorro tão bom quanto eles
foram (e alguns que infelizmente pareciam ter dificuldades para produzir até mesmo cães
razoáveis) e tal cachorro não tem nenhum valor como um cachorro de criação. Por outro lado,
também houve muitos cachorros ao longo de história que produziram muitos filhotes melhores
do que eles próprios.

Quando você está começando a criar cachorros, um bom modo para começar seria
comprar uma cadela de ninhada mais velha e provada que tem as qualidades que você está
procurando e já começou a mostrar que ela pode transmitir essas qualidades. Pegue aquela
cadela e a cruze com um cão de qualidade, talvez um cachorro de origem semelhante com o
qual ela já produziu bem. Se você mantivesse tantos desses filhotes como possível de forma que
você possa ver qual deles dá certo e escolhe o melhor de todos, e faz isto cada vez que você a
acasala, em alguns anos você poderá ter uma criação tão boa quanto qualquer outra no país.

Se você não pode dispor de uma cadela provada, adquira uma cadela filhote bem-criada, ou
algumas cadelas filhotes bem criadas para criar e reproduzir. Em vez de gastar milhares de
dólares enchendo seu canil de filhotes, cães jovens e cachorros crescidos que você comprou,
com um pouco de paciência você poderá criar os seus próprios. Infelizmente, nem todos os
cachorros vão ser o que você quer que eles sejam, mas com o método seguinte tudo que você
gasta são seu tempo e um pouco de comida de cachorro em lugar de uma grande quantia em
dinheiro.

Se a primeira geração de sua cadela de fundação lhe traz alguns buldogues sólidos,
você pode então fazer várias procriações de um lado para outro com meio-irmãos e irmãs filhos
dela, filhos de volta com ela, e assim por diante - sempre mantendo só os melhores de todos - e
fazer desta cadela a fundação de sua criação. Talvez até mesmo leve algumas das filhas dela e as
cruze com bons cachorros reprodutores fora de sua criação, para adquirir machos que você
poderá então cruzar de volta com sua cadela se eles dão certo.

Nós dizemos uma cadela porque é mais fácil de fazer isto com uma cadela de ninhada
que um cachorro reprodutor, porque com a cadela, pelo o preço de uma passagem aérea e uma
taxa de reprodução você tem a sua escolha qualquer macho reprodutor do país. Com um macho,
uma vez que você adquiriu um bom cachorro você terá que comprar então algumas cadelas de
qualidade para cruzar com ele.

A coisa importante, de qualquer jeito que você começar, é saber o que você quer,
desenvolver um olho crítico para reconhecer isto, e não entrar no padrão da “cegueira de canil”
(fingindo que o que você deseja está lá quando não está). Aprenda tanto quanto você puder não
apenas sobre a linhagem que você está trabalhando, mas sobre outras linhagens e a raça em
geral. Não vacile para trazer algo novo se você acha que funcionará com o que você já tem, e
não vacile em se desfazer do que você tem e recomeçar se apenas não está funcionando.

O que você quer criar é uma questão de opinião pessoal. Pessoas diferentes criam por
razões diferentes, não há nada errado com isto a menos é claro que você esteja enganando
pessoas para as quais você vende filhotes que pensam que você está criando para qualquer outra
coisa; i.e. não é errado criar para obter cachorros grandes, bonitos se isso é o que você gosta,
mas é errado tentar vende-los como cachorros criados para o jogo se você não está selecionando
a agressividade.

Parte Dois: a mecânica da Procriação

Uma vez que você decidiu que tipo de cachorro você vai criar, você tem que ser na
verdade capaz de cria-los! Isto ajuda a entender os aspectos reprodutivos de cachorros e
exatamente o que acontece durante uma procriação para poder criar corretamente.

Esta é uma área na qual nós aprendemos muito aproximadamente nos últimos cinco anos, e
ainda estamos aprendendo mais a cada dia. Nós mantivemos registros detalhados de nossas
procriações desde novembro de 1989; quando nós começamos nosso programa de procriação
atual nós tivemos uma taxa de concepção de cerca de 50% em nossa procriação – ou seja,
aproximadamente a metade das procriações que nós fizemos deu errado! As perdas foram em
virtude de:

 Acasalamento muito no começo do cio


 Acasalamento muito tarde no cio
 Problemas no controle da procriação
 Tentar acasalar cachorros que eram inúteis como reprodutores

Por esta última declaração, nós queremos dizer que nós desperdiçamos uma quantidade
considerável de tempo fazendo procriações com cachorros que tinham sérios problemas de
fertilidade. Alguns destes cachorros nós pegamos porque os donos anteriores não tiveram
nenhuma sorte adquirindo filhotes deles, e em alguns destes casos a aquisição funcionou muito
bem para nós porque nós tivemos êxito acasalando-os, mas com outros isto foi mesmo um
desperdício completo de tempo.

Quando nós dizemos „problemas no controle da procriação‟ nós queremos dizer que nós
tivemos vários problemas que na ocasião nós não soubemos contornar, como cadelas com
estreitamento e cachorros agressivos que não acasalam. Com o conhecimento que temos agora
nós acreditamos que nós poderíamos ter cruzado a maioria destes cachorros e poderíamos ter
conseguido filhotes deles.

Há uma porcentagem de procriações que, por qualquer razão, apenas não acontece não
importa o que se faça, mas eliminando o erro humano, você pode aumentar grandemente seu
sucesso como criador. Para o criador, uma das coisas mais decepcionantes no mundo é planejar
uma procriação cuidadosamente, fazer todo o trabalho para concluí-la (às vezes tendo que
dirigir várias horas para chegar ao reprodutor, ou embarcar sua cadela) e não conseguir nada.
Para melhorar nossa porcentagem de procriações bem-sucedidas, nós lemos cada livro e artigo
interessante sobre criação de cachorros que podemos chega a nossas mãos.

O livro que foi mais útil para nós “Canine Reproduction” por Dr. Phyllis A. Holst, MS,
DVM. O livro é um pouco antigo em algumas áreas porque ele tem dez anos, mas na verdade é
o livro mais completo e preciso sobre criação de cachorros que nós conhecemos. Acaba com
muitos mitos e informação imprecisa sobre criação, e aborda a fundo todos os aspectos do ciclo
reprodutivo canino. Ele tem um capítulo detalhado sobre como fazer exames vaginais e como as
ler; exames podem ser extremamente úteis para administrar a procriação. Nós acreditamos que o
uso de exames foi uma das chaves para obter filhotes de muitas cadelas que nós anteriormente
nunca tínhamos conseguido.

Nós sentimos que o livro acima mencionado nos ajudou mais que qualquer outra coisa e
nós o recomendaríamos altamente. Nos últimos anos, nós conseguimos elevar nossa
porcentagem de cadelas que engravidam e dão à luz filhotes vivos para aproximadamente
oitenta e cinco por cento, o que se compara favoravelmente com as estatísticas de fertilidade de
cachorros em nossos livros sobre genética.

O ciclo reprodutivo canino

Uma cadela terá seu cio entre as idades de seis e dezoito meses, e tem depois disso um
cio exatamente a cada seis meses. De dez a quatorze meses de idade parece ser a média com que
os buldogues têm o primeiro cio, a mais jovem que nós tivemos em nossa criação tinha sete
meses, e a mais velha passava dos dois anos de idade quando ela teve o primeiro cio. O
intervalo real entre os cios pode estar em qualquer lugar de cinco meses até um ano, e pode
variar não só de cadela para cadela, mas em ciclos diferentes na mesma cadela.

A cadela poderá fisicamente conceber e dar à luz uma ninhada se cruzar no primeiro
cio, entretanto tem havido muito debate sobre se uma cadela deve ser cruzada no primeiro cio
ou não. Alguns criadores e veterinários recomendam esperar até que a cadela tenha dois anos
antes de cruzar, ou até o segundo ou terceiro cio, enquanto outros preferem acasalar uma cadela
mais cedo. Com algumas raças grandes e gigantes de cachorros que amadurecem lentamente,
provavelmente é um conselho bom para se esperar. Com raças que têm dificuldade de parto
naturalmente um lixo por causa de quadris estreitos ou pequenos ou filhotes de cabeça grande
(como muitas das raças de buldogue) cruzar uma cadela no primeiro cio pode ajudar de fato
estas cadelas a dar à luz normalmente depois disto, pois os ossos pélvicos delas ainda são
flexíveis e podem ser alargados através de nascimento de uma ninhada antes dos ossos
endurecerem.

Com pitbuls, cruzar uma cadela primeiro cio ou esperar depende de uma variedade de
fatores; devem ser levados em conta a idade dela, o tamanho e a condição física. O argumento
principal contra cruzar uma cadela antes que ela esteja completamente amadurecida é que os
nutrientes que o corpo dela precisa para se desenvolver completamente estarão entrando em vez
disso nos filhote; apenas uma cadela no melhor da saúde e livre de parasitas deveria ser
considerada para tal procriação.

Nós mesmos acasalamos cadelas tão jovens quanto nove meses de idade se nós
sentimos que a procriação é importante e nós poderíamos não ter a oportunidade para faze-la
mais tarde, como com um cachorro reprodutor muito velho. Nós nunca tivemos um problema
com um parto de cadela e a criação de uma ninhada sob tais circunstâncias; todas foram boas
mães, nenhuma teve qualquer problema de saúde como resultado de ser cruzada no primeiro cio,
e o tamanho comum de ninhada era de seis a oito filhotes.

Wildside‟s Bluebell, filho de Wildside‟s Hellraiser


com uma neta de Wood‟s Snooty ROM.
Ted Barnes com sua vencedora Rollbar Kennels‟Dolly. Dolly é filha de uma linhagem baseada
em Boomerang.

Rocca‟s Evil, um cão duas vezes vencedor filho de O. Stevens precious, cruzada de volta com
seu filho O. Stevens Joker. Um produtor de cães competitivos que foi até as 2h 28min em uma
luta.

De fato, se nós temos uma cadela que é muito pequena, nós garantiremos que ela se
reproduza no primeiro cio (contanto que ela não entre no cio extremamente jovem) para ter
certeza ela não terá problemas depois por causa de um canal de nascimento estreito. Nós temos
uma cadela chamada Wildfire que tem mais ou menos vinte e quatro libras. Quando ela teve o
primeiro cio com 9 ½ semanas, nós a cruzamos com o Jaws. Ela criou seis filhotes normalmente
sem complicações, e foi uma das melhores mães que nós já tivemos.

Por outro lado, nós tivemos dificuldade com várias cadelas muito pequenas que
completaram dois anos e nunca tinham sido cruzadas antes e resultaram na necessidade de fazer
uma cesariana. Nós poderíamos acrescentar aqui que nós não recomendaríamos cruzar uma
cadela extremamente pequena com um macho muito grande na primeira cria dela, não importa a
idade.

O outro problema que nós (e vários outros criadores com quem nós falamos) tivemos
com cadelas que haviam completado dois anos quando tiveram a primeira primeiro cria é que
parece haver uma porcentagem mais alta de assassinas de filhote e mães ruins. Nós não
conhecemos a razão exata para isto, mas nossa suposição é que com cadelas do tipo
extremamente agressivo, é melhor que elas criem uma ninhada cedo, esperançosamente antes de
começar a trabalhar e definitivamente antes de ser educadas. Talvez se o instinto materno delas
tivesse se desenvolvido antes de elas ficarem realmente agressivas com cachorros, elas
poderiam ter aprendido a criar uma ninhada.

Claro que com este método você corre o risco de criar uma ou mais ninhadas de uma
cadela que depois prova ser fraca, mas nós nos arriscaríamos bastante a ter uma grande cadela
de luta da qual nós não poderíamos conseguir filhotes. Nós não sabemos se as cadelas que nós
tivemos e mataram seus filhotes teriam mais um pouco de instinto materno se elas tivessem sido
cruzadas mais jovens, mas parece mais que uma coincidência que todas foram acasaladas pela
primeira vez de dois para quatro anos.

Os sinais de cio são uma descarga sangrenta da vulva e inchaço; o primeiro sinal da
entrada no cio com uma cadela de buldogue comum será uma inchação notável da própria vulva
e/ou a área perianal sobre ela. Sangramento normalmente começa dentro de alguns dias e a
hemorragia inicial vai (normalmente) ser muito vermelho. Esta fase do cio é chamada proestrus
e durará nove dias ou muito mais tempo. Durante este tempo a vulva continuará aumentando;
mas ficará um pouco rígida. A cadela normalmente não aceitará o macho durante esta fase e não
pode ser engravidada se acasalar.

Em torno do décimo dia de cio a cadela progride normalmente à próxima fase, chamada
estrus. É durante este tempo que ela aceitará o macho e a fertilização pode acontecer. Neste
momento a própria descarga normalmente se reduz; algo como uma cor avermelhada clara para
cor-de-rosa até mais claro ou âmbar freqüentemente é visto, ou a hemorragia pode parar
completamente. A vulva ficará suave e mais flexível. Se tocada acima ou de um lado da base do
rabo, a cadela arqueará para trás e enrolará o rabo dela de lado. Isto se chamado “flagging” e é
um bom sinal de que ela está pronta para acasalar, ou logo estará.

Em algum ponto durante o estrus, a cadela lançará os óvulos dela dos ovários. Os
óvulos são lançados em um período pequeno de tempo, em vez de vários dias como já se
acreditou, e o número deles determinará o tamanho da ninhada, se a procriação for feita no
momento correto. Os óvulos não estão prontos para ser fertilizados até três dias depois do
lançamento deles, e se não fertilizados morrerão dentro de mais vinte e quatro a quarenta oito
horas depois isso.

A duração do estrus varia de apenas três dias para mais de duas semanas (incomum) e
se a cadela é cruzada em qualquer momento dentro de aproximadamente seis dias antes da
ovulação até três dias depois, a concepção deverá acontecer, pois as células do esperma
permanecem vivas na área reprodutiva da cadela e são capazes de fertilizar óvulos durante pelo
menos sete dias. Nós conhecemos vários casos onde o esperma permaneceu viável durante dez
dias, entretanto as ninhadas resultantes foram muito pequenas.

Três dias depois dos ovos estarem prontos a ser fertilizados, a cadela entra na próxima
fase do cio: diestrus. Neste momento normalmente a descarga ficará sangrenta novamente - um
sangue vermelho espesso, embaçado e escuro. A cor embaçada é das células brancas do sangue
e das células de tecido vaginal que são eliminadas neste momento. Esta hemorragia pode durar
apenas dois dias ou continuar até por uma semana. A pode ou não aceitar um macho neste
período, mas nenhuma fertilização acontecerá se ela for acasalada pela primeira vez durante o
diestrus, pois os ovos já morreram.

A duração real do diestrus é aproximadamente a mesma se a cadela está ou não grávida;


durante este período de tempo os órgãos reprodutivos dela são influenciados pelo hormônio
progesterona. Se a cadela está grávida, o diestrus dura a gravidez toda dela. Se ela não está
grávida, há um período de falsa gravidez - mais pronunciada em algumas cadelas que outras -
que pode durar de cinqüenta a oitenta dias depois quando ela volta gradualmente à última fase
do ciclo cio, o anestrus.

Anestrus é o período restante entre dois cios e dura uma média de quatro meses
(lembre-se de somar dois meses para o diestrus, fazendo uma média de seis meses entre cios)
mas pode variar entre dois a dez meses.

Note que isto é um ciclo comum; um ciclo de cio é extremamente variável de cadela
para cadela. Algumas cadelas sangram muito pesadamente o cio inteiro e a cor nunca realmente
muda ou suaviza, outras sangram muito ligeiramente - algumas tão ligeiramente que não é
notável. Isto é conhecido um „cio silencioso‟.

Algumas fêmeas podem ficar prontas para cruzar durante apenas alguns dias da
hemorragia, isto não é porque elas têm um ciclo de cio mais curto, mas porque a descarga foi
tão leve que ficou despercebida na primeira parte do cio. Cadelas mais velhas comumente
podem ter sinais muito pouco perceptíveis de estrus.

As vulvas de alguma cadela não incham muito, outras ficam muito inchadas. Há cadelas
que sinalizam quando elas nem mesmo estão no cio, e aceitam um macho - e outras que são tão
agressivas que não aceitam um macho, e tem que ser criadas à força; com este tipo você tem que
observar os outros sinais muito de perto para determinar quando acasalar.

Uma cadela deveria ser mantida bastante magra antes de cruzar, e depois de cruzar até
que ela esteja começando a mostrar sinais de gestação. Enquanto uma cadela deve parecer
saudável e não muito fraca, a gordura não significa saúde. Uma cachorra obesa pode ser menos
fértil e pode ter problemas no momento de criar.

Quando você está pronto para leva-la até o macho, é uma boa idéia vestir uma luva de látex
limpa lubrificada com algum tipo de lubrificante não espermicida, e a examinar por dentro. Isto
serve a dois propósitos. O lubrificante a deixa mais fácil para o macho cruzar, e o exame detecta
se a procriação segura é possível. Estreitamento (anéis ou faixas de tecido que bloqueiam a
passagem dentro da vagina) não são incomuns em buldogues (veja mais sobre este e outros
problemas depois neste capítulo). Se você não pode colocar um dedo lubrificado dentro da
vagina por causa de um estreitamento, tumor ou outra obstrução, não como o pênis do macho
entrar e você pode ferir a cadela tentando.

Cruzando Cães

Cruzar buldogues pode ser muito trabalhoso, especialmente se um ou ambos são extremamente
violentos. Diferenças de tamanho e um macho sem experiência ou muito agressivo podem
complicar as coisas mais adiante. O seguinte é o que nós achamos o modo mais fácil para cruzar
buldogues, sob circunstâncias bastante normais.

Em primeiro lugar, nós acorrentamos a cadela próxima ao macho que nós planejamos cruzar.
Nós temos nossas correntes montadas aproximadamente a quatro pés uma da outra de forma que
nosso cachorro reprodutor pode cheirar a cadela ao lado dele se ela balançar o traseiro dela para
ele, mas não pode de fato pegá-la. Isto serve a dois propósitos; acostumar o casal (algumas
cadelas são menos prováveis de tentar brigar quando chega o momento de acasalar se elas são
acorrentadas próximas ao macho) e quando a procriação é feita e os cachorros ficam de costas
um para o outro, a cadela pode ficar presa na corrente dela enquanto eles estão enganchados.

Coy‟s Sissy, filha de Pitre‟s Bad News e Curry‟s Jumper. Ela vem de alguns dos melhores da
antiga linhagem Carver.

Weightman‟s Joker, um recente vencedor. Joker é neto de Wildside‟s Bandit e Mountain Man‟s
Deadwood.
Hammonds‟ Andy L, um dos favoritos de todos os tempos do Sr. Hammonds. Um cruzamento ¾
Rufus e ¼ Eli.

É claro que se a cadela é tão violenta que ela bate no fim da corrente e rosna na cara dele, nós a
acorrentamos em algum lugar longe do cachorro. Também, algumas pessoas podem não ter
como colocar uma cadela no cio em uma corrente. Nós mesmos temos sorte de vivermos em
uma área muito isolada e não temos cachorros perdidos entrando na propriedade, então nós não
temos que manter nossas cadelas em gaiolas. Se você tem que manter cadelas no cio em uma
gaiola, tente colocar a corrente do macho em algum lugar perto da gaiola na qual a cadela que
ele será cruzado é mantida.

Quando nós sentimos que a cadela está pronta para acasalar, nós a levamos para a corrente dela
e a colocamos em contato visual com o macho – o contato direto deveria ser evitado com
cachorros muito violentos. Idealmente são necessárias duas pessoas; uma pessoa para controlar
a cadela e uma para segurar o macho e manter a corrente do modo tal que o traseiro da cadela
fica apoiada no espaço da corrente do macho. Nós sempre trazemos a cadela para o macho; ele
fica menos distraído e normalmente trabalha melhor no seu próprio território.

A pessoa que segura a cadela o bastante para que o macho a possa montar sem que a corrente
dele aperte e o enforque. Quando ela está dentro do alcance, o manipulador da cadela apóia o
traseiro dela contra o macho, e aperta os joelhos em redor do pescoço da cadela. O aperto deve
ser firme bastante para que ela não possa se retirar ou balançar a cabeça, mas não tão apertado
que cause asfixia na cadela. O manipulador se agacha então e coloca uma mão debaixo da
barriga dela para apoiar e impedir de se sentar. Se outra pessoa não está disponível, uma só
pessoa pode fazer a procriação se a cadela não for muito violenta, segurando a fêmea como
acima e mantendo uma mão livre para controlar o macho.

Quando a cadela está no lugar, o outro manipulador conduz cuidadosamente o macho. Alguns
machos cheiram e lambem a vulva da cadela, considerando que outros tentarão montar
imediatamente. O trabalho do manipulador do macho é apoiar o macho e impedir que ele caia, e
ajudar a guiar o pênis se a pontaria dele é fraca. Ele deve também segurar a corrente para cima
para impedir o macho de ir para a frente da cadela - especialmente se ela é agressiva. No caso de
alguns de nossos cachorros, o manipulador do macho é necessário também para arrastar o
macho para fora se ele decide atacar a cadela. Bastões de freio devem ser sempre mantidos à
mão.
Uma coleção de vários tamanhos de focinheiras de nylon deve ser mantida por um criador
porque algumas cadelas podem precisar usar focinheira durante o acasalamento.
Este é Bandit sendo acasalado com Cates‟ Sasha em 1990.

A pessoa que segura a fêmea deveria ainda mantê-la tão tranqüila quanto possível, e dar
uma mão se for necessários guiar o macho até o “alvo”. Se duas pessoas trabalham bem juntas,
elas dominarão o fato como uma ciência e poderão cruzar deste modo quase qualquer cadela.
Ambas as partes devem ficar tranqüilas (ou pelo menos sem mostrar nenhum sinal externo de
preocupação) e falar lenta e suavemente. Gritar um com o outro ou com os cachorros quando as
coisas não dão certo pode assustar o cachorro reprodutor ou pode até mesmo tornar a cadela
mais desobediente. Um reprodutor um pouco tímido pode se recusar a acasalar se há muito
tumulto – o que também significa que só deve haver tantas pessoas presentes quanto for
necessário para que os dois cachorros acasalem.

Se uma cadela é super agressiva até o ponto onde ela é difícil de controlar até mesmo
quando segurada como acima, ou está rosnando ou latindo tanto que o macho está começando a
se aborrecer com ela, devem ser considerados tranqüilizantes e/ou focinheiras. Nós às vezes
damos tabletes de acepromazine a uma cadela assim uma hora ou duas antes da procriação. Isto
não só tem a finalidade de tornar a cadela mais fácil de segurar, mas também é possível para
uma cadela quebrar o próprio pescoço lutando para sair do aperto do manipulador.

A melhor focinheira para usar é uma que não só cobre a boca da cadela, mas a mantém
fechada, não só para impedir de morder, mas também para minimizar os rosnados e latidos; nós
tivemos alguns cachorros reprodutores que se recusavam a acasalar com uma cadela que estava
rosnando e a atacaram, inclusive o velho Bandit.

Isto pode parecer cruel, mas uma das melhores focinheiras é uma tira de fita isolante enrolada
duas ou três vezes em volta do focinho da fêmea. Ela deveria estar firme; não tão apertada para
cortar a respiração, mas apertada o bastante para que ela não possa morder nada. Uma cadela
superviolenta pode torcer a cabeça o bastante para agarrar o manipulador dela pela perna, e
amordaçar a cadela assim pode ser necessário como uma precaução de segurança. Nós
mantemos vários tamanhos de focinheiras de nylon (o tipo que se afivela atrás das orelhas da
cadela) disponível para acasalamentos como também um rolo de fita isolante que nós às vezes
aplicamos em cima do focinho se a focinheira não se ajusta direito na cadela.

Há algumas coisas que nós deveríamos mencionar aqui provavelmente relativo ao controle de
uma cadela agressiva. Um é que você deveria evitar amordaçar uma cadela em um dia muito
quente, pois ela pode morrer de prostração de calor se ela não puder abrir a boca para arfar.
Outra é que você realmente tem que ter cuidado quando segurar uma cadela muito violenta;
pouco aperto e alguém pode ser mordido, muito aperto e a cadela pode se matar.

A procriação que ilustra ambos estes pontos é quando nós cruzamos Bandit com Cujo. De todas
as cadelas que nós criamos, Cujo se destaca como a pior. Quase completamente cega e com
apenas quarenta libras na corrente, ela era (e ainda é) um pesadelo para acasalar.

A primeira vez em que nós a acasalamos com Bandit, ela conseguiu morder um de nós muito
mal quando os cachorros já estavam enganchados; nós apenas relaxamos o aperto na coleira
dela por uma fração de um segundo e ela girou a cabeça e mordeu a mão mais próxima! Ela
estava tranqüilizada tão pesadamente que ela quase não podia andar quando ela fez isto.

Desnecessário dizer, nós ficamos ambos nervosos quando chegou o momento de fazer a
procriação novamente; desta vez nós a drogamos e prendemos a boca dela bem fechada. Nós
colocamos os cachorros amarrados e ela ficou louca, rosnando e se contorcendo. Um de nós a
estava segurando firmemente pela coleira, o outro com a correia realmente apertada e ela ainda
estava um inferno de brava. Ela levou os pés até a fita no focinho dela e começou a rasgar e se
soltar. Nós agarramos os pés dela e os puxamos para que ela parasse de fazer isto. Depois de
aproximadamente um minuto ela parou de lutar, ficou completamente tonta e desabou no chão -
nós seguramente a tínhamos matado de alguma maneira!

Acorrentar os cães de modo que eles possam ficar amarrados enquanto acasalam torana o
trabalho fácil para os manipuladores.
 Esquerda: Markus Litaker com a cadela Kessler‟s Angie‟s Baby
 Direita: Ed Faron com o cão Wildside‟s Renegade

O que tinha acontecido era que com a posição que nós a mantivemos, a coleira ficou tão
apertada contra a parte de trás do pescoço dela que cortou a circulação (como um golpe de
“tesoura”) e ela desmaiou. Ela voltou dentro de um minuto e não parecia ferida, mas isto nos
assustou como o inferno!

O macho montará a cadela e começará a empurrar; às vezes o levará muito tempo para
achar o lugar certo. O cachorro reprodutor deve se acostumar a ser tocado durante uma
procriação assim um dos manipuladores o pode ajudar, se preciso. Quando ele acerta o alvo ele
empurrará mais forte e bem fundo na fêmea. O manipulador da fêmea deve segura-la e manter
firmemente e o manipulador do macho pode precisar segurar a coleira do cachorro para o
impedir de cair, especialmente se a fêmea é muito mais alta que o macho.

Uma vez que o macho começou a inchar e ficou preso dentro da fêmea, ela pode ficar
incomodada e pode começar a lutar. Puxe os cães para trás segurando a coleira do macho e
puxando cuidadosamente para o lado e erga as pernas dianteiras dele primeiro e então a perna
traseira dele no lado que você está invertendo a cadela cuidadosamente até que os cachorros
fiquem lado a lado, então retire a fêmea cuidadosamente até que eles fiquem de costas e não
haja nenhum modo para um cachorro se virar e morder o outro.

Mantenha a fêmea quieta o quanto possível durante a duração do acasalamento. Se você


tem uma corrente própria para isto e a cadela não é muito feroz, ela pode ser reposta na cadeia
dela enquanto eles estão enganchados, mas cadelas hiperviolentas deveriam ser impedidas de se
contorcer e rolar, assim elas não causam dano para elas ou para o macho. Se a cadela consegue
rolar para um lado, vire cuidadosamente o traseiro dela de volta na direção que ela torceu, pois
isto é muito doloroso para o macho. Melhor ainda, se você acha que há uma chance dela se
virar, segure-a então ela não poderá fazer isto.
Na maioria dos casos você pode cruzar cachorros usando o método acima, entretanto
em casos muito extremos (como com um macho que é tão agressivo que não acasala
absolutamente) você pode ter que recorrer a inseminação artificial. Alguns dos livros listados no
Apêndice UM contém instruções detalhadas sobre inseminação artificial, e muitos veterinários
farão isto para você. Quando feita corretamente, a porcentagem de ninhadas nascidas de
procriações de inseminação artificial é quase tão alta como a de procriações normais.

Nós geralmente fazemos duas procriações num intervalo de três ou quatro dias. Não há
nenhum propósito real de cruzar cães diariamente, porque o esperma ficará vivo durante pelo
menos sete dias. Se você cruzar mais freqüentemente que de dois em dois dias por mais de sete
dias sucessivos, você pode fazer seu reprodutor ficar temporariamente estéril. Pode levar seis
meses para ele retornar à fertilidade normal depois disto. Porém, você pode cruzar um cachorro
quase indefinidamente de dois em dois dias sem efeitos nocivos.

Nós acasalamos reprodutores diariamente (se nós temos várias cadelas todas prontas
para criar ao mesmo tempo) por até quatro ou cinco dias seguidos e conseguimos ninhadas de
todas as cadelas, mas você deveria evitar fazer isto freqüentemente se você pode.

Um engano comum é que se você acasalar com intervalo de mais de dois dias, você terá
alguns ovos fertilizados depois de outros e acabará com filhotes prematuros em uma ninhada.
Isto é freqüentemente usado como uma explicação para filhotes prematuros. Todos os óvulos
estão prontos para ser fertilizados exatamente no mesmo momento, assim isto realmente não é
um problema.

Algumas cadelas ovulam tarde e nós normalmente fazemos exame vaginal três ou
quatro dias depois da segunda procriação; se ela ainda está no cio que nós a cruzamos
novamente tantas vezes quanto precisar. A maioria das cadelas ovulam no décimo quinto ou
décimo sexto dia do cio, mas nós temos algumas que ovulam tarde e tem que ser cruzadas muito
tarde no cio, até o terceiro dia. Muitos veterinários farão exames vaginais, e também há um
novo teste disponível de alguns veterinários que podem medir o progresso do ciclo da cadela
examinando o sangue medindo a progesterona na circulação sangüínea dela.

Figura da página 285 - Ratliffs Ch. Pearl, vista aqui com 10 anos de idade. Uma ótima cadela
reprodutora da propriedade de Tom Ratliff.
Dificuldades de acasalamento

Estreitamento

Um estreitamento é uma faixa fibrosa ou anel de tecido dentro da vagina da cadela. Nós
encontramos uma dúzia de cadelas com este problema durante os anos em algumas de nossas
próprias cadelas, e também de outras pessoas que foram trazidas aqui para cruzar. O problema é
que em muitas destas cadelas é impossível conseguir uma procriação normal porque o macho
não poderá entrar fundo o bastante para o enganchamento acontecer.

Se você está tentando cruzar um casal de cachorros e o macho fica se soltando quando
o enganchamento começa, ou se ele continua parando e se soltando, um estreitamento pode ser a
possível causa.

Se você consegue acasalar a cadela, o estreitamento não causará nenhuma complicação


na hora do parto porque quando o canal de nascimento se prepara, o tecido do estreitamento
suavizará e se rasgará facilmente. Você também não terá problemas com procriações futuras se
ele for rasgado durante o nascimento. O problema aqui é de fato cruzar a cadela pela primeira
vez.

Você tem várias opções. Alguns machos podem rasgar o estreitamento sozinhos; o
melhor para tentar é um macho jovem e ansioso que não é um cachorro muito grande. Tenha
certeza de que você tem duas pessoas para ajudar durante tal procriação e você pode escolher
até mesmo tranqüilizar a cadela com remédios; isto será pelo menos incômodo - e doloroso -
para ela e ela pode causar uma luta considerável.

Outra maneira é ou procriar através de inseminação artificial, ou unir os cachorros


durante cinco a dez minutos quando o macho começa a inchar e manter um enganchamento
externo. Nós tivemos uma cadela que teve oito filhotes com tal procriação, mas é um trabalho
árduo tentar conter dois cachorros grandes tentando se separar e ainda segurar durante dez
minutos. Em algumas de raças que têm dificuldade de criar por causa da estrutura física, i.e.
Buldogues ingleses, etc., este tipo de procriação é bastante comum.

A última opção é tentar estirar ou rasgar a abertura do estreitamento com um dedo


enluvado e lubrificado, ou fazer um corte veterinário. A cadela deve ser acasalada logo depois
da cirurgia, de forma que o estreitamento não cicatrize e se feche de novo.

Hiperplasia vaginal

Este é um problema bastante comum com cadelas de buldogue; quando uma fêmea
entra no cio, níveis mais altos do estrógeno estimulam mudanças nos órgãos reprodutivos dela.
Entre outras coisas que acontecem, as paredes da vagina espessam e incham até muitas vezes o
tamanho normal. Isto acontece para tornar a cruza mais fácil e proteger esta área de danos
durante o ato de procriação.

O que acontece com hiperplasia vaginal é que por razões não completamente
compreendidas, em algumas cadelas este processo se descontrola e o tecido incha em um grau
extremo e torna freqüentemente impossível a procriação natural.

Em alguns casos, uma grande „bola‟ de tecido vaginal aparece, o tamanho desta massa
varia, mas em alguns casos pode ser até do tamanho de uma laranja. Em tais casos, quando fica
tão grande que já não pode ser contido pela vagina isto fica pendurado da cadela como uma
massa grande e rosa. Se você nunca viu isto antes, pode ficar totalmente alarmando; muitas
pessoas erradamente assumem que o útero da cadela caiu para fora. Nós ficamos apavorados na
primeira vez em que nós tivemos uma cadela com hiperplasia vaginal.

O fato é que a condição soluciona por si só quando a cadela sai do cio e na maioria dos
casos o único tratamento requerido é manter o tecido úmido e limpo (um bom ungüento
antibiótico funciona bem para isto), impedir a cadela mastigar o local, e observar para estar
seguro de que ela é capaz para urinar - em casos raros a abertura da uretra pode ser bloqueada
causando uma situação de emergência.

Uma cirurgia pode ser exigida para remover o tecido se ele ficar seco e danificado, ou
se a cadela morder e rasgar, ou, é claro, se lhe impede de urinar. Remover a massa não impede a
condição de ocorrer novamente, de fato é muito provável que ocorra de novo com os cios
subseqüentes. A condição pode ficar progressivamente mais severa, ou menos severa com cada
cio, mas lidar com várias cadelas com hiperplasia vaginal fez ver em nossa experiência que a
condição tende a ser menos severa com cada cio e desaparece completamente no terceiro ou
quarto cio.

Alguns veterinários também podem prescrever um hormônio (progesterona) às vezes


para tirar a cadela do cio e acelerar a regressão da hiperplasia, uma cirurgia é feita para
empurrar a massa de volta e suturar no lugar. Isto não fará a condição se solucionar mais rápido,
mas protegerá o tecido de secar ou ferir. Nós só tivemos este procedimento feito uma vez em
uma de nossas cachorras; nosso veterinário levou quase uma hora para suturar tudo no lugar e
usou sutura de aço e tubos de plástico para reforçar a área.

Nós ficamos evidentemente muito impressionados com a habilidade dele - mais


impressionados que a cadela; quando nós voltamos para casa e a deixamos sair do engradado,
ela deixou para trás uma poça grande de sangue e vários pedaços de plástico rasgado e material
de sutura!

Esta foi a única cadela com este problema nós vimos se mutilando; cada vez que ela
entrava no cio ela mastigava o tecido e quase sangrou até a morte uma vez. Nós nunca tivemos
filhotes dela.

Se a cadela não é necessária para procriação futura, então a situação pode ser impedida
de reacontecer removendo os ovários. Com uma cadela de ninhada potencial, a condição pode
ser um problema, pois pode interferir na procriação - até impedir uma procriação natural. Uma
cadela com hiperplasia vaginal severa pode ser procriada através de inseminação artificial, e em
muitos casos se não for tão severa elas podem ser cruzadas naturalmente, entretanto pode ser
trabalhoso.

Para determinar se o acasalamento é possível, examine a cadela com uma luva bem
lubrificada. É mais provável conseguir uma procriação natural se a hiperplasia nasce do fundo
da vagina em lugar da parede do topo. Continue conferindo de dois em dois dias ao longo do cio
da cadela; nós achamos que a hiperplasia fica pior entre o décimo primeiro e décimos sexto dias
(em uma cadela comum).

Freqüentemente nós conseguimos uma procriação um pouco cedo, i.e. no nono ou


décimo dia, antes de a inchação ficar muito grande. Nós podemos fazer outra procriação então
em torno de 16 ou 17 dias quando o inchaço está começando a abaixar. Se há uma passagem
desobstruída pequena no meio da massa, você normalmente pode conseguir uma procriação.
A condição também pode voltar em uma cadela grávida na época do parto e interferir
com o nascimento dos filhotes. Um caso mais sério em tais instâncias seria que a cadela
precisaria de cesariana. De todas as cadelas que nós conhecemos com esta condição nós vimos
só duas com problema na época do parto e ambos os partos aconteceram normalmente - com um
pouco ajuda para guiar os primeiros filhotes para fora, em um dos casos.

Claro que a pergunta ética aqui não é se você pode procriar uma cadela com hiperplasia vaginal,
mas sim se você deve. Não há uma resposta fácil; nós diríamos que cada criador tem que se
decidir o quanto este problema é significante para ele. Embora se pense que a hiperplasia
vaginal é de origem genética, o modo exato da herança genética não é conhecido. Nós notamos
que parece acontecer mais em certas situações que outras, e cadelas que tiveram esta condição
podem produzir algumas filhas que terão o problema, mas nós também vimos isto aparecer „do
nada‟ em outras linhagens.

Wildside‟s Renegade, um ótimo cão e produtor de cães muito competitivos. Um de nossos


melhores reprodutores.

Paul LaPointe do canil Baystate Kennels com Wildside‟s Little Maniac, uma cadela de dois
cruzamentos Bandit filha de Renegade e Little Cujo.
Mandy‟s Michael, da propriedade de Jimmy Mayfield. Também conhecido como Emile III.
Pai: Coy‟s Emile II
Mãe: J. May field‟s Desperado

Qualquer cadela que tem hiperplasia severa (i.e. tão ruim que torna a reprodução
impossível e representa um perigo para a saúde dela) é retirada de nosso programa de
procriação, mas nós não podemos pessoalmente justificar o fato de pegar uma cadela que é bem
criada, competitiva, e excelente em vários aspectos e se livrar dela por causa de um problema
secundário com esta condição. Para começar, é muito difícil de adquirir um animal tão bom.

Nós temos uma ótima cadela pequena que não pôde procriar no primeiro cio por causa
deste problema, nós conseguimos duas ninhadas dela desde então e ela está mostrando ser uma
dos melhores produtoras que nós já possuímos. Todas as filhas dela tiveram cios normais. Teria
sido uma vergonha ter descartado uma excelente cadela de ninhada por algo que ela nem mesmo
parece (até agora) estar transmitindo aos descendentes.

Com a uma exceção já mencionada, nós nunca tivemos uma cadela com hiperplasia
vaginal que eventualmente não pôde ser cruzada de forma natural, entretanto em vários casos
um ou dois ciclos de cio tiveram que ser desperdiçados antes da condição diminuir o bastante
para permitir isto. Em todas estas cadelas menos uma, nós tivemos êxito adquirindo ninhadas
normais. A única que nós não conseguimos – foi cruzada quatro vezes, mas nunca criou - era
uma irmã daquela que se mutilava.

Um último problema que interferiria com uma procriação normal seria crescimentos ou
tumores na vagina; se o crescimento não for extremamente grande a ponto de ser possível
lubrificar a área completamente e fazer a procriação assim mesmo, mas nós recomendaríamos
ter altamente remover o crescimento cirurgicamente antes de tentar uma procriação, e fazer uma
biópsia para determinar se é canceroso. Um tumor grande o bastante para interferir com o
acasalamento vai causar problemas no parto, Do mesmo modo, provavelmente ou até mesmo se
for menor ele pode crescer depressa para um tamanho problemático durante a gravidez. No que
diz respeito ao assunto, você deve chamar um veterinário para examinar qualquer crescimento
incomum que você encontra (em qualquer lugar de seu cachorro) assim que você o notar.

Problemas reprodutivos no Macho

O problema de procriação mais comum no macho é uma falta de interesse, ou relutância para
acasalar. Se você tem uma fêmea que se recusa a cruzar, você pode segura-la e fazer o
cruzamento à força, mas um macho desinteressado representa um problema mais difícil. A
primeira coisa para fazer é tentar descobrir por que o macho não acasala.
Pode haver várias razões; as causas físicas incluem infecções do sistema reprodutor ou da área
urinária, desordens hormonais, e anormalidades do pênis ou envoltório. Uma infecção ou
inflamação de qualquer nos órgãos reprodutores tornam o cruzamento doloroso para o macho e
poderiam faze-lo se recusar a completar uma procriação. Um problema com hormônios pode
tirar o interesse dele. Um estreitamento ou adesão dentro do envoltório, ou uma abertura
pequena incomum pode impedir o pênis de sair do envoltório.

Uma abertura pequena no envoltório às vezes pode ser grande o bastante para permitir o pênis
sair, mas impede o pênis de se retrair depois de cruzar. Sempre tenha certeza depois de uma
procriação que o pênis do macho se retrai; se há um problema assim, compressas frias e
lubrificação normalmente podem ajudar a voltar ao normal, mas leve o cachorro o mais cedo
possível para um veterinário se não funcionar. Enquanto isso mantenha o órgão coberto com
algo como gel de petróleo; se as mucosas secarem completamente, possivelmente pode resultar
em irritação séria, infecção e danos permanentes.

Outros problemas de saúde não diretamente relacionados aos órgãos reprodutivos também
podem fazer o cachorro pouco disposto ou impossibilitado de cruzar, como uma enfermidade ou
dano físico. Às vezes, no caso de um cachorro velho, uma relutância para criar pode ser um
sinal que a fertilidade do cachorro está chegando ao fim. É uma boa idéia levar o cachorro a um
veterinário para um exame completo se você está tendo problemas de procriação com qualquer
causa física possível.

Um cachorro reprodutor deve ser mantido magro e em boa forma; um cachorro obeso pode ser
lento, pode ter libido fraca, e pode ter dificuldade para cruzar com cadelas. Não tente cruzar um
cachorro poucas horas depois de alimenta-lo se você pode; alguns cachorros não ficam ansiosos
para acasalar com a barriga cheia de comida.

Você também deve fazer questão de não cruzar cachorros no calor extremo do dia se está no
verão ou você vive em um clima quente. Alguns cachorros terão menos interesse se está muito
quente, e outros podem sofrer uma insolação tentando. Procrie os cães de manhã cedo se você
pode, ou à noite depois que o sol se esconder um pouco. Tente manter seu cachorro reprodutor
em um lugar fresco, sombreado se você pode; temperaturas ambientais extremamente altas
podem causar redução na produção de esperma ou infertilidade completa.

As razões psicológicas pelas quais um cachorro pode estar pouco disposto a cruzar incluem
timidez extrema, cachorros que ficam „apavorados‟ em um ambiente pouco conhecido, ou
cachorros que só estão acostumados a acasalar em certas situações. Nós tivemos recentemente
um cachorro de um amigo em nosso canil que nós tivemos muito trabalho para acasalar; nós só
conseguimos cruzar de fato uma cadela, desistimos logo depois e devolvemos o cachorro. Nosso
amigo cruzou o cachorro depois sem problemas em algumas semanas. A razão? Nosso amigo se
esqueceu de nos falar que este cachorro foi acostumado a acasalar sem corrente, e se recusava a
cruzar com corrente. Nunca imaginamos que seria isto, pois a maioria de nossos cachorros
reprodutores é justamente o contrário – tire a corrente deles e eles lutam, não cruzam.

Alguns cachorros se recusam a cruzar se a cadela está lutando, grunhindo ou gritando. Alguns
são tão agressivos naturalmente que eles lutam com a cadela em vez de cruzar com ela - estes
cachorros podem ser muito trabalhosos para procriar. Se o cachorro está basicamente
interessado em acasalar, mas apenas não pode resistir a agarrar a cadela quando ela está ao
alcance dele, você pode mantê-lo amordaçado se ele tolerar isto, ou simplesmente segurar a
cabeça dele de forma que ele não a possa morder. Bastões de freio sempre devem ser mantidos à
mão em tais casos.

Se ele é tão agressivo que ele nem mesmo tem interesse em cruzar, ainda pode ser possível fazer
a procriação através de inseminação artificial.

Se um cachorro normalmente ansioso aparenta falta de interesse depois de cruzar com várias
cadelas em um período relativamente curto de tempo, ele normalmente volta ao comportamento
normal se você o deixa algum tempo longe da procriação - pelo menos uma semana. Como
mencionado antes, você pode afetar negativamente a fertilidade dele e também o interesse em
acasalar se você o cruzar muitas vezes em um pequeno período de tempo.

Um cachorro reprodutor que é acasalado pela primeira vez pode demorar um tempo para
entender o que fazer e pode precisar de um pouco de ajuda. Tente escolher uma cadela de
ninhada experiente que aceita um macho e não se comporta agressivamente no primeiro
acasalamento de um cachorro. Acima de tudo nunca grite ou bata no cão enquanto estiver
tentando cruzar, pois com um cachorro sensível você pode dar um susto nele, e ele associará o
acasalamento com castigo.

Às vezes você terá problemas cruzando um macho impaciente que começa a inchar antes de
conseguir entrar completamente na fêmea e assim impede um enganchamento completo. A
chave para acasalar tal cachorro está em ajuda-lo a chegar depressa ao local necessário. Outro
problema está na diferença extrema de tamanho entre os cachorros que podem ser ajudados a
acasalar em uma rampa ou elevação com o cão menor no nível mais alto. Algumas pessoas
montam uma plataforma para o cachorro menor ficar.

Outra razão para dificuldade de conseguir um enganchamento é uma cadela que dobra o corpo,
e permanece nesta posição parada de forma que se parece que está cooperando, mas de fato está
enrolando o traseiro como um camarão assim o macho não tem o ângulo certo para procriar. Isto
pode ser um pouco resolvido pelo manipulador da cadela pondo uma mão debaixo da barriga
dela e sustentando, ou tranqüilizando em casos extremos.

Touche‟s P.J., um cão de


luta de morte filho de
Ratliffs Ch. Butkus. Teve
uma luta de 3h 20min com
21 meses de idade.
Moonshine, da propriedade de Debra Wright. Uma cadela de um cruzamento duplo Renegade
filha de Wildside‟s Jaws e Wildside‟s Lady Smith.

Se você é novo na criação de cachorros e está tendo problemas seria útil se você
pudesse ter alguém que seja um criador experiente para lhe ajudar a conseguir os cachorros
enganchados.

Problemas de fertilidade

Há muitas razões por que as procriações às vezes não funcionam; provavelmente uma
porcentagem significante é devida a erro humano, como nós mencionamos no princípio desta
seção. Além isso, a fertilidade em cadelas pode variar de ciclo a ciclo e às vezes uma cadela
normal apenas não tem um cio fértil. Provavelmente mais procriações dão errado por causa da
cadela que do macho, assim este é o primeiro lugar que você deveria olhar.

Locke, Tristani & Cruz‟ Ch. Sonny, um filho de CH. Jeep, ROM. O cão ao fundo é Locke‟s
Billy, outro cão da linhagem Jeep.

Provavelmente a causa mais comum de infertilidade em cadelas é algum tipo de


anormalidade hormonal. Um problema de hormônio é hipotiroidismo (baixos níveis de
hormônio da tiróide) e esta é uma causa comum de infertilidade, particularmente em cadelas
mais velhas. Um teste de sangue pode determinar se o cachorro tem um problema com
hipotiroidismo. A doença é tratável com suplementação oral do hormônio da tiróide que deve
ser dado diariamente pelo resto da vida do cachorro, mas normalmente provocará um estado
fértil se esse é o único problema com o cão.
Anormalidades hormonais também podem ser causadas por uso prolongado ou
impróprio de certas drogas como esteróides. Diabetes, cistos ovarianos, e várias outras
condições de doenças também podem afetar o nível de hormônios e assim interferem com a
fertilidade. Problemas de hormônios podem causar cios anormais muito pequenos ou muito
longos, de forma incomum causam períodos curtos ou longos de anestrus (intervalo entre cios)
ou um fracasso completo do ciclo.

Outra causa bastante comum de infertilidade é uma endometrite de grau crônico. Esta é
uma infecção bacteriana do útero que não produz qualquer sintoma externo de enfermidade, mas
cria um ambiente no qual a gravidez não pode acontecer. Nós recomendaríamos que, se você
está tendo problemas com uma cadela que perde mais de alguns cios quando cruzada com
machos férteis diferentes, que você leve a cadela a um veterinário para fazer um teste de sangue
contra Brucelose Canina (veja abaixo), problemas de tiróide, e possivelmente uma cultura
uterina.

Uma cultura uterina deve ser feita quando a cerviz está aberta (como durante o ciclo de
cio) e envolve inserir um tubo que contém um cotonete estéril no útero. O material colecionado
é cultivado para ver então quais bactérias crescem, e quais antibióticos com que essas bactérias
podem ser controladas. Há uma variedade de bactérias que definitivamente são patogênicas
(prejudiciais), e outras que são os habitantes normais da área reprodutiva, mas podem se tornar
patogênicas sob algumas circunstâncias. O tratamento envolve enxaguar o útero com uma
solução antibiótica e dar também antibióticos orais ou injetáveis.

Nós tivemos uma cadela que teve um filhote de cachorro quando tinha um ano de idade
e perdeu as próximas quatro crias, com quatro machos diferentes. Ela teve ciclos de cio
regulares e normais aparentemente, e todos os quatros machos estavam produzindo quando
cruzados com outras cadelas. Um teste de brucelose deu negativo, os níveis de hormônio da
tiróide dela estavam normais, e ela era uma cachorra perfeitamente saudável. O veterinário fez
uma cultura quando ela estava fora do cio, e disse que estava tudo OK para prosseguir e cruza-la
enquanto nós estávamos esperando pelos resultados, no caso de a cultura não mostrar nenhum
crescimento anormal.

Nós a cruzamos uma vez com Rapid Roy, e antes de nós fazermos uma segunda
procriação os resultados chegaram. A cultura tinha mostrado um crescimento significante de
bactérias E. coli, uma bactéria que é comum, mas pode causar infertilidade. Ele recomendou
enxaguar o útero dela diariamente com uma solução de Nolvasan / Ampicilina durante cinco
dias (ele teve que fazer isto para nós, pois a pipeta de infusão tem que ser inserida pela cerviz no
útero, e isto não é fácil de fazer) e dar Ampicilina via oral ao mesmo tempo durante cinco dias.
Nós explicamos que nós já tínhamos cruzado a cadela, e ele nos disse que duvidava da
possibilidade de haver qualquer filhote por causa das infusões, pois elas matariam o esperma e
os ovos junto com as bactérias.

Lizzie nos surpreendeu tendo seis filhotes depois nove semanas! O que deve ter
acontecido é que os ovos fertilizados não desceram das trompas para o útero até depois de
fazermos a última lavagem – alguns eram mesmo monstrinhos duros! O fato de que esta foi a
primeira ninhada em quase cinco anos nos levou a acreditar que obviamente o foi o tratamento
que resolveu as coisas.

Se você suspeita de infertilidade em um macho, primeiro tenha certeza de que o


problema está de fato com o macho e não com a cadela que você cruzou. Se você faz cinco
procriações com um macho e adquire seis filhotes, oito filhotes, nenhum filhote, nenhum filhote
e então nove filhotes, você provavelmente ou criou duas das cadelas na hora errada ou essas
cadelas podem ter algum tipo de problema de fertilidade.

Por outro lado se todas as cadelas perderam a cria, ou talvez uma ou duas delas tiveram
um ou dois filhotes, definitivamente é hora de dar uma olhada na fertilidade do macho. Quando
nosso velho Bandit ficou estéril, as últimas ninhadas que ele produziu, de procriações feitas dos
meses de fevereiro a maio, foram as seguintes: dez filhotes, sete, cinco, quatro, dois, três, um
filhote, um filhote, nenhum filhote, e nenhum filhote, todas com cadelas que normalmente
tiveram ninhadas grandes.

Nós recomendaríamos um teste de brucelose e um teste de tiróide, e também qualquer


outro teste que seu veterinário possa recomendar. Um exame físico pode ser muito revelador, o
veterinário pode conferir tumores ou atrofia dos testículos. Alguns veterinários farão uma
contagem de esperma e análise para ver se o cachorro está produzindo esperma, e em que
condições, se houver. Não é apenas importante que haja esperma, tem que haver numa certa
porcentagem normal de esperma saudável para o cachorro ser fértil.

Problemas hormonais como hipotiroidismo e tumores ou infecções dos órgãos


reprodutivos também causarão infertilidade em machos. A idade também é um fator
significante; os testículos normalmente começam a se atrofiar e a fertilidade diminuirá
gradualmente quando machos alcançam de oito para dez anos de idade, entretanto alguns podem
manter boa fertilidade depois desta idade. Já que a fertilidade começa a diminuir naturalmente
com a idade, se você planeja ter sêmen de um cachorro coletado e congelado, isto deve ser feito
idealmente quando o cachorro ainda é bastante jovem.

Como previamente mencionado, o tempo muito quente pode causar infertilidade, como
também uma febre alta causada por uma infecção. Estes tipos de infertilidade são
freqüentemente reversíveis. Danos nos órgãos genitais também podem conduzir a infertilidade
porque o esperma é produzido fora do corpo e assim não é normalmente exposto ao sistema
imunológico interno; se entrar de alguma maneira no corpo (o que pode acontecer com traumas
nesta área) será reconhecido como uma substância estranha e serão produzidos anticorpos para
atacar o esperma. Os testículos geralmente se degeneram e se atrofiam com esta condição.

Em ambos os sexos, a brucelose é algo que sempre deveria ser questionado quando
um problema de fertilidade é verificado. O artigo seguinte foi escrito por nós para este livro,
mas foi publicado enquanto isso no Volume I da nova publicação “Your Friend and Mine”.

O tratamento da Brucelose Canina: Mito ou Ameaça?

Embora nós víssemos esta doença mencionada antes em artigos, nós pensamos que era
algo que precisava ser abordado com um pouco mais de detalhe. Nós ouvimos falar muitas
mentiras e informações trocadas sobre Brucelose (até mesmo veterinários que nós às vezes
conversamos se contradizem um ao outro) e nós achamos muito frustrante tentar encontrar algo
em que acreditar. Nós tivemos a intenção de tentar descobrir tudo que nós pudemos sobre
Brucelose e achamos que nós compartilharíamos esta informação com outros criadores.

Brucelose é uma doença da área reprodutiva que pode causar aborto em fêmeas,
infecção dos órgãos sexuais em machos, e infertilidade em ambos os sexos. É causada por uma
bactéria da qual há vários tipos diferentes e que especificamente infectam vacas, cabras, porcos,
cavalos, ovelhas ou cachorros.

Embora houvesse incidências isoladas de cachorros que ficam infectados através de


contato com gado infetado com uma outra espécie de bactérias Brucella, a bactéria que
especificamente infeta cachorros é chamada de Brucella canis. É transmitida através de contato
com o sêmen ou descarga vaginal de um cachorro ou cadela infetados (comumente durante o
acasalamento), por contato com secreções mamárias e filhotes abortados, e também pode ser
espalhada através do contato com urina ou outras secreções de corpo.

Em situações de canil em recinto fechado, pode ser transmitida até mesmo pelo ar.
Pode ser contagiosa aos humanos, em quem causa sintomas como os da gripe.

Sintomas de Brucelose Canina:

Fêmeas: aborto de ninhadas, normalmente entre 45 e 55 dias depois de cruzar,


ninhadas com alguns filhotes mortos ou morrendo imediatamente depois do nascimento, e
filhotes que morrem na fase de embrião e são reabsorvidos - em tais casos pode parecer que a
cadela não engravidou.

Machos: Inflamação do epidímio, testículos e/ou de próstata (conduzindo


freqüentemente a atrofia de testículos), infertilidade por causa de esperma anormal e mobilidade
de esperma insuficiente, e relutância para criar devido a dor causada por inflamação dos órgãos
reprodutivos. Machos também podem causar lesões lambendo a área dolorida.

Ambos os sexos: nódulos linfáticos inchados. Alguns cachorros podem mostrar sinais
não-específicos de saúde deficiente, como falta de vigor. Em casos raros a doença causa danos
para os rins e para o sistema nervoso.

Talvez o aspecto mais perigoso da doença seja a discrição; os sintomas acima nem
sempre são vistos - em muitos casos um cachorro infectado pode não ter nenhum sinal externo.
Cadelas infetadas terão ciclos de cio normais e cruzar normalmente, de fato em muitos casos
uma cadela infetada com Brucelose, depois de abortar uma ninhada, pode conceber e dar cria de
uma ninhada viva subseqüente. O perigo nisto é aquele tal cadela pode infetar qualquer macho
com que ela é cruzada, e os filhotes dela serão prováveis portadores da doença e irão infetar
outros cachorros.

A estimativa da maioria dos peritos é que de 1% a 6% da população canina estão


infectados, pois a fonte principal da doença são cachorros perdidos. Não há nenhuma vacina
para esta doença em cachorros, e o tratamento que normalmente consiste na administração
prolongada de Tetraciclina e Streptomicina pode não ser eficaz. A única prevenção é ter todo o
plantel testado antes de cruzar.

O teste para a doença é um teste de sangue simples e relativamente barato. Muitos


veterinários dirão que o teste é desnecessário porque a doença é muito incomum; mas enquanto
é verdade que a Brucelose não é muito prevalecente (e provavelmente até mais rara em
buldogues que em muitas outras raças porque os cachorros são mantidos isolados um do outro,
assim não é espalhada por cachorros crescidos no mesmo canil) nós recomendaríamos ainda ter
cachorros de cria testados para a doença.

Brucelose canina é uma doença muito séria, não porque é muito provável que os
cachorros contraiam a doença, mas por causa das conseqüências se um cachorro fica infetado. A
própria doença não mata seu cachorro, mas seu cachorro ficará geneticamente „morto‟ porque
ele ou ela serão inutilizados para a criação - mesmo se a doença não tornar o cachorro estéril.
Um cachorro que tve um teste positivo para Brucelose não deveria ser acasalado, nem mesmo
através de inseminação artificial. Trazer um cachorro infetado para um programa de procriação
pode destruir anos de trabalho para estabelecer uma família de cachorros.

Adicionalmente, por causa da ameaça de transmitir a doença aos humanos, se você tem
um cachorro contaminado com a doença em alguns estados o departamento de saúde pode exigir
que o cachorro seja destruído. A doença é transmitida freqüentemente a um ser humano
cuidando de filhotes abortados de uma cadela com Brucelose. Por isto, se a pessoa tiver uma
cadela que aborta ou tem filhotes natimortos, os filhotes mortos, membranas, placentas, etc.
devem ser transportados com luvas e a área deve ser desinfetada completamente. A cadela que
teve os filhotes deve ser testada o mais cedo possível para Brucelose para verificar se a doença
foi a causa da ninhada de natimortos.

Nós acreditávamos que o teste era desnecessário até 1992 quando nós tivemos um
„encontro‟ íntimo com brucelose. Nós recebemos uma carta em 1991 de um sujeito no Meio
Oeste que tinha uma cadela muito bem-criada que ele queria cruzar com nosso cachorro Bandit;
se nós nos lembramos corretamente que ele nos disse, a cadela apenas tinha sido cruzada mas
não engravidou. Quando ela entrou novamente no cio, ele não estava em uma posição de
transporta-la para ser cruzada naquele momento em particular, ele escreveu para nós que ele
tinha cruzado com um cachorro diferente do local, mas ele ainda queria cruza-la com o Bandit
no próximo cio dela.

Nós não tivemos mais notícias dele durante quase um ano, quando ele nos escreveu
uma carta para nos explicar que a razão por que ele nunca voltou era que a cadela dele tinha
perdido a cria na segunda vez que ele a tinha acasalado, assim ele a levou a um veterinário e
descobriu que ela tinha Brucelose! Se ele a tivesse transportado para nós para ser cruzada com
Bandit naquela ocasião o nosso cachorro reprodutor principal teria sido infectado e também a
maioria de nossas cadelas de ninhada antes de nós descobríssemos que havia Brucelose no canil.

Daquele dia em diante, nós fizemos questão de ter nossos próprios cachorros
habitualmente examinados qualquer cachorro novo que nós somamos ao canil, e qualquer
cadela externa que é cruzada com nossos reprodutores - até se elas nunca foram cruzadas antes.
É um pouco de inconveniência e para ser honesto, nós perdemos algumas taxas de reprodução
de pessoas que não quiseram passar pelo aborrecimento, ou o veterinário deles os desencorajou
quando eles perguntaram pelo teste e lhes disseram que era um desperdício de dinheiro