Você está na página 1de 9

Sistema de Acordes de Jazz para violão

O guia essencial para a expressão de acordes de jazz

Tradução das páginas de: 2-10

Introdução:
Olá! Muito obrigado por conferir esse livro. Eu acredito que ele te ajudará em seu estudo de
harmonia e expressões de acorde no violão. Com prática, esse material pode ajudar você
desenvolver um vocabulário harmônico mais avançado para acompanhamento, composição e
toques de melodia de acordes. Eu entrarei em mais detalhes sobre as expressões nas páginas
seguintes. Mas primeiro, eu gostaria de explicar a razão de eu ter desenvolvido esse sistema.
Parece que sempre que eu vejo um acorde manual é sobre polegada de espessura preenchida
por vozes que repetem muitas vezes ao longo do livro. Por quê? Porque somente sobre cada
acorde pode funcionar como um ou mais outros acordes dependendo de qual nota é
considerada ser a raiz. Então eu decidi escrever um conciso, fácil de ler - livro de acorde que
claramente mostra os possíveis usos de cada expressão... E só são 16 páginas!

Se você está se perguntando como proceder através desse livro, (é curto, mas tem bastante
pra isso!) primeiro leia inteiramente as páginas de abertura; esse material explica como eu
desenvolvi meu sistema de acordes como as expressões funcionam, e algumas maneiras
específicas que você pode aplica-los. Então, sinta-se livre para somente começar explorando as
expressões.

Além disso, aqui vão algumas sugestões:

Primeiro, pratique essas expressões no contexto de uma sintonia ou ao menos uma progressão
de acordes. A progressão ii-V-I seria um bom lugar pra começar. Tente achar expressões onde
as notas movam suavemente (por uma metade ou passo inteiro) para a próxima expressão.
Por exemplo, a Dmi7 com um A no topo, movendo para G7 com o A|, no topo, movendo para
um Cma7 com um G no topo. Próximo, confira as expressões interiores do acorde e veja se
eles estão movendo suavemente. Há muitas expressões nesse livro e você descobrirá que
algumas delas mudam mais suavemente que outras dependendo do contexto.

Outro uso muito prático para esse livro enquanto compondo ou trabalhando em arranjos
numa melodia de acorde. Quando eu estou compondo, eu uso esse sistema para mudar as
raízes embaixo das expressões que eu escolhi para me dar ainda mais opções de harmonia.

Você deveria experimentar com as expressões em conjunto de cordas diferentes. Eu escrevi


algumas das expressões usando as primeiras quatro cordas e então novamente nas próximas
quatro cordas. Por último, mas não menos importante, adicione suas próprias expressões para
esse livro. Há infindáveis possibilidades. Comece com um acorde do livro, mude a nota aqui ou
ali, e coisas muito interessantes podem acontecer. Bons acordes!
Teoria de Fundo
Primeiro, precisaremos cobrir algumas teorias para esclarecer os conceitos. Eu costumava
desenvolver esse sistema. As expressões nesse livro combinam tons de acorde com notas
estendidas que embelezam os tipos básicos de acordes subjacentes maior, menor, dominante,
menor7b5, diminuta, etc. As extensões adicionam cor ao som do acorde simples e é um
importante componente na improvização do jazz, arranjos e composição. Para ilustrar a ideia,
vamos começar com uma lista de tipos de acordes, os intervalos que compõem os acordes e
suas notas estendidas disponíveis.

Você pode ver pela tabela que cada tipo de acorde tem um número de extensões disponíveis
que podem ser adicionadas ao som do acorde básico. Por exemplo, o tipo majoritário de
acorde tem três tons de acorde (raiz 3ª e 5ª) e quatro extensões (6, 7, 9, #11) para um total de
sete notas que podem ser combinadas para criar um “acorde maior”.

Obviamente, nós não podemos tocar todas essas notas em uma expressão no violão; Contudo,
nós podemos tocar combinações de extensões e tons de acorde, criando muitas diferentes
expressões, cada uma com seu próprio e único som.
A maior parte desse livro vai conter extensões e combinações de tons de acorde.
Como as expressões funcionam?
Agora que você está familiar com os tipos de acorde e as extensões disponíveis, nós podemos
conferir como meu sistema funciona. Cada tipo de acorde (listado no topo de cada página)
tem uma cor.
Os números coloridos abaixo cada vez correspondem á cor do tipo de acorde. Eles não são
números de fricção e não tem nada a ver com a posição no pescoço (eu creio que aqui seja
braço do violão na verdade). Esses números representam o intervalo da nota do topo do
acorde, da raiz do tipo de acorde.

No meu livro, a cor vermelha representa a maior. O acorde acima pode ser usado como um
acorde maior desde que ele tenha um número vermelho. O número vermelho sete significa
que a nota do topo do acorde é a sétima maior. Vamos ser mais específicos:
Ao tocar essa expressão na sétima fricção, fazendo a nota do topo um B natural, nós
conseguimos os seguintes acordes.

Cma7 (#11): O número vermelho sete indica que a nota do topo é 7ª do acorde maior. Se essa
nota do topo é B, então a raiz do acorde é C. Você poderia jogar a raiz com o seu dedão na 8ª
fricção.

Ami6/9: O 9 azul indica que a nota do topo é a 9ª do menor acorde. Se B é a 9ª do acorde, a


raiz é A. Você poderia também incluir a raiz dessa voz tocando a 5ª corda aberta.

D13: O azul claro 13 indica que a nota do topo é a 13ª de um acorde de 7ª dominante. Se essa
13ª é B a raiz do acorde é D. Você poderia tocar a raiz com o seu dedo na décima fricção.

A| 7 (alt): A laranja #9 indica que a nota do topo é a #9 de um acorde dominante alterado. Se


esse #9 é B a raiz do acorde é um A|. Eu uso o primeiro dedo da minha mão direita para tocar
o A| (quarta fricção na corda baixa E) para ouvir o acorde como um A| 7 (alt).

F#mi7( |, 5): A marrom 11 indica que a nota do topo é a 11ª do 7 (|, 5) menor acorde. Se a
11ª do acorde é B, então a raiz é F#. Novamente, use a sua mão direita para tocar a raiz.

Como você pode ver, há uma expressão aqui que pode funcionar como cinco acordes
diferentes. Olhando para os tons dos acordes, extensões e os intervalos que compõem os
acordes, nós podemos aprender mais sobre as possibilidades harmônicas contendo dentro de
uma única expressão. Quando você aplica esse conceito pra cada expressão, Há
aproximadamente 500 acordes nesse livro! (À medida que você trabalhar com esse material,
você vai notar que eu deixei de fora as notas do baixo porque elas vão mudar com cada
aplicação no acorde).
O exemplo anterior demonstrou como uma expressão pode ser usada para tocar diversos tipos
de acordes diferentes. Agora, vamos olhar para outro exemplo para ver como uma expressão
única pode ser usada para criar variações em um tipo de acorde particular. Para esse exemplo,
nós vamos olhar um acorde maior.

Utilizando diferentes extensões no tipo de acorde maior, as seguintes expressões habilita você
a tocar três acordes diferentes dentro da tonalidade de C maior.
Melódico Menor
O principal conceito usado no meu sistema é baseado nos modos da escala melódica menor. A
escala é construída abaixando o terceiro degrau da escala maior por um meio passo,
resultando em intervalos de 1-2-3-4-5-6-7. Os exemplos abaixo demonstram como a escala
pode ser usada para improvisação pelo acorde subjacente.

O mesmo princípio pode ser também aplicado para desenvolver expressões de acordes dos
modos do melódico menor.

O D|, mi6/9 acorde é derivado de D|, melódico menor combinando o 1-, 3-5 escala de tons
(D|, - F|, -A|) com a 6ª e 9ª (B|, -E|,) extensões. Note que o F|, e B|, no acorde implica o 3º e
|, 7º do subjacente C7 acorde. O D|, mi6/9 inclui o |, 9,#9, e #5 extensões do C7 acorde,
criando um som alterado dominante forte.
O Gmi (ma7) acorde é derivado do G escala melódica menor, combinando o 1-|, 3-5-7 escala
de tons (G-B|, -D-F#). Esse acorde combina a 5ª e |, 7 da subjacente C7 acorde com a 9ª e #11
extensões.

O Ami (ma7) acorde é derivado do A melódico menor combinando o 1-|, 3-5-7 escala de tons
(A-C-E-G#).

Esse acorde combina a raiz e a 3ª da subjacente C7 acorde com a 6ª e #5 extensões.

O B|, mi6/9 acorde é derivado do B|, escala melódica menor combinando o 1-|, 3-5 escala de
tons (B|, -D|, -F) e adicionando a 6ª (G) e 9ª (C) extensões. Esse acorde soletra um não usual
Csus|, 9 acorde (C-D|, -F-G-B|,).

Note que cada expressão é um acorde menor derivado de uma escala melódica menor.
Mantenha em mente que qualquer acorde menor sem a|, 7 contêm várias possibilidades
harmônicas – como no primeiro exemplo onde Ami6/9 era também D13, A|, 7 (alt), F#mi7(,
|5), e Cma7(#11).
Acordes Diminutos
Agora, é hora de visitar a “terra dos diminutos”. Muitas pessoas acham que isso seja um lugar
confuso, então eu serei tão claro quanto eu puder. O uso mais comum dos acordes diminuto
no jazz é tocá-los meio passo acima da raiz de um acorde dominante para criar a expressão de
um Dom7 (|,9) . Por exemplo, tocando um D|, acorde diminuto sobre C7 você tem um acorde
de C7(|, 9).

A outra aplicação comum de acordes diminutos é criar linhas de conexão entre acordes
diatônicos como na progressão I-# Iº-IImi. A construção simétrica dos acordes diminutos te
permite movê-los para cima e para baixo em terços menores criando diferentes sons enquanto
retendo a mesma função harmônica.

... E Dominantes alterados simétricos


Como os acordes diminutos, as expressões dominantes alteradas nesse livro mostradas com
um asterisco podem ser movidas para cima e para baixo em terços menores para formar
outras três expressões dominantes alteradas. Há duas famílias desse movimento de
expressões diminuto-alteradas, cada uma com seus próprios sons. O primeiro grupo tem a raiz
do acorde Dom7ª na nota do topo. Se você movê-las em terços menores, você consegue a raiz
#9, |, 5, e 13ª expressões como nota do topo.

A segunda família dos acordes simétricos alterados dominantes tem o terceiro do 7º acorde
dominante na nota de topo. Movendo ele em terços menores, você consegue a 5ª |, 7, e |, 9
no topo; e apesar de você ter um conjunto diferente de intervalos em cada acorde, todas as
expressões funcionarão como dominantes alteradas, cada uma com seus próprios sons.
Eu não incluí todas essas opções para os acordes simétricos dominantes alterados, dentro do
meu sistema: o intervalo que eu inclui é somente o meu favorito pessoal das quatro
possibilidades. Mantenha em mente que se uma 7 º expressão de acorde dominante não
conter um 9 ou um #5 natural, você pode movê-lo em terços menores para criar três mais
expressões que também funcionam como acordes dominantes alterados.

Claro, você pode querer usar essas expressões como acordes diminuto atual ao invés de como
dominantes alterados. Nesse caso, o próximo intervalo para o acorde dominante alterado
simplesmente cai por meio passo. Por exemplo, se você ver um laranja 3 próximo de uma
expressão dominante alterada com um asterisco, essa nota funciona como o |, 3 de um acorde
diminuto. Essa expressão, por exemplo, é um D|, dominante alterado, ou um acorde diminuto
D. Note que o terceiro dominante alterado (F na primeira corda) se torna o |, 3 do acorde
diminuto. A expressão diminuta utiliza a extensão da 9ª (E) na segunda corda. Lembre que
uma construção simétrica de um acorde diminuto te permite mover essa expressão em terços
menores para formar outras expressões diminutas.
Técnicas Diversas
 Uma boa maneira de criar expressões menores é soltar a raiz de um acorde menor
para um terço baixo do menor relativo. Por exemplo, Gma7 se torna Emi9.

 Você pode criar um acorde suspenso movendo a raiz de um 7º menor acorde para a
4ª. Por exemplo, Gmi se torna um C acorde suspenso.

 Acordes suspensos com um asterisco indicam que o acorde contém um terço maior,
bem como um 4º. Esse acorde é teoricamente incorreto, mas um ótimo acorde para
composição.

 Os próximos dois acordes são muito úteis. Eles são simplesmente formas que movem
facilmente para compor sobre um acorde ou para composição de sua própria música.
Eu gosto de escrever com expressões simples como essas porque há muitas
possibilidades para notas de baixo.

 Há dois acordes que eu não incluí no livro porque eles não são tão comuns:

Mi7(#5): O melhor caminho para encontrar uma expressão mi7#5 é tocar um acorde
suspenso com um terço menor. Para Ami7(#5) toque Csus (C-F-G).

Sus (|, 9): O melhor caminho para encontrar um sus (|, 9) expressão é tocar um menor
6/9 acorde abaixo, um passo inteiro. Para Csus (|,9), toque B|, mi6/9 (B|,-D|,-F-G-C).
Veja o exemplo na página 7.