Você está na página 1de 10

MÉTRICAS FINANCEIRAS

As métricas financeiras fazem parte do dia


a dia das empresas, mostram as áreas que
necessitam de ajustes, evidenciam de que
forma os recursos estão sendo aplicados e
quais os resultados efetivos destes esforços. Avaliam a saúde
financeira da empresa e assim é possível criar critérios orçamentários,
valores para custear ou economizar, dando um grande suporte a
tomada de decisão.

www.visemais.com.br
MÉTRICAS FINANCEIRAS

TIR - TAXA INTERNA DE RETORNO

www.visemais.com.br
MÉTRICAS FINANCEIRAS

TIR - TAXA INTERNA DE RETORNO


A TIR determina a taxa de desconto que um fluxo de caixa deve ter para igualar a zero
o VPL (valor presente líquido). O VPL traz um valor futuro ao valor presente.
Ele reflete a diferença entre recebimentos e pagamentos de um projeto em valor atual
de hoje.

A TIR é utilizada para averiguar a atratividade de um investimento.

● Quando a TIR ultrapassar a taxa mínima de atratividade, quer dizer que o projeto
é viável.
● Quando a TIR ficar abaixo da taxa mínima de atratividade, o projeto deve ser rejeitado.
● Quando a TIR ficar igual a taxa mínima de atratividade, os gestores deverão decidir se
o projeto segue ou não.
www.visemais.com.br
MÉTRICAS FINANCEIRAS

TIR - TAXA INTERNA DE RETORNO


A TIR retrata a qualidade de um investimento, seu objetivo é ajudar a organização a
determinar se devem ou não investir em um projeto e comparar as opções de
investimentos, como ex.: considerando os mesmos riscos, será escolhido o projeto de
maior TIR.
VANTAGENS:

● O resultado da TIR é a rentabilidade, o que facilita os gestores na comparação de


taxas definidas como custo de capital;
● É expressa em percentual;
● Facilidade de interpretação, onde a maior TIR é a melhor opção na comparação de
dois projetos;

www.visemais.com.br
MÉTRICAS FINANCEIRAS

TIR - TAXA INTERNA DE RETORNO


DESVANTAGENS:

● Não expõe o risco que a organização corre;


● Não apresenta potenciais perdas, só retrata os retornos esperados;
● Poderá apresentar taxas múltiplas se os fluxos de caixa não forem uniformes;
● Não conta com o custo do investimento, se tiver saída de caixa após gerado o fluxo
não é uma boa opção;

www.visemais.com.br
MÉTRICAS FINANCEIRAS

TIR - TAXA INTERNA DE RETORNO


FÓRMULA DA TIR:

VP = Valor presente
Capital = Valor do investimento
N = Quantidade períodos
Ft = Entrada capital período t
i = taxa interna de retorno

www.visemais.com.br
MÉTRICAS FINANCEIRAS

TIR - TAXA INTERNA DE RETORNO


Obs.:

● VP (valor presente) vai ser sempre = 0, pois a TIR calcula a taxa de desconto de um
fluxo de caixa para que o VPL (valor presente líquido) seja = 0;
● Capital é o investimento inicial e deve ser negativo.
● N é o período a ser analisado ex.: um ano, ...;
● Ft é a entrada de receita em um período t, ex.: se no terceiro mês entrar
10.000,00 esse é o valor a informar.

www.visemais.com.br
MÉTRICAS FINANCEIRAS

TIR - TAXA INTERNA DE RETORNO


Exemplo: Uma empresa irá investir inicialmente 100 mil. A estimativa é que o
retorno no primeiro ano seja 60 mil e mais 60 mil no ano seguinte. Para saber a
TIR deve-se igualar a zero o VPL.
VPL= 0 = - 100 + 60/(1 + TIR) + 60/(1 + TIR) 2 supondo uma taxa de 10% e outra 15%.
TIR 10%
VPL = 0 = - 100 + 60 / 1,1 + 60 / 1,12 = 4,13
TIR 15%
VPL = 0 = - 100 + 60 / 1,15 + 60 / 1,15² = -2,46

www.visemais.com.br
MÉTRICAS FINANCEIRAS

TIR - TAXA INTERNA DE RETORNO

Para o VPL igualar a zero a TIR deve estar entre o ponto 10% e 15%, continuando
vamos chegar a uma TIR de 13,1%.
Conclusão: Se o retorno exigido for menor que 13,1% para o projeto é viável, caso
for maior que 13,1% deve ser rejeitado.

Observação ao utilizar a TIR:

● A viabilidade do projeto deve ser combinada com os métodos VPL e Payback;


● Tomar muito cuidado com a TIR com projetos de duração diferentes;
● A TIR, não relaciona o custo de capital e o valor do dinheiro no tempo.

www.visemais.com.br
“A primeira regra de investimento é
não perca dinheiro; a segunda regra
é não esquecer a primeira”.
(Warren Buffett)

www.visemais.com.br