Você está na página 1de 218

Programa de Análise de Sinais

MANUAL DO USUÁRIO
AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário
(código do documento S144U06)
revisão 6 - outubro de 2004

O conteúdo deste manual e o software AqDAnalysis são propriedade da Lynx Tecnologia


Eletrônica Ltda.

Nenhuma parte deste manual pode ser reproduzida ou transmitida sob qualquer forma ou por
meio eletrônico ou mecânico, incluindo fotocópia e gravação, para qualquer finalidade, sem
permissão por escrito da Lynx Tecnologia Eletrônica Ltda.

Este manual pode conter imprecisões técnicas e erros tipográficos. A Lynx se reserva o direito
de, a qualquer momento, revisar esta publicação e realizar aperfeiçoamentos ou modificações
no software descrito neste manual, sem a obrigação de notificar tais alterações a qualquer
pessoa.

AqDAnalysis e demais produtos da Lynx são marcas da Lynx Tecnologia Eletrônica Ltda.
Todas as outras marcas ou nomes de produtos são marcas dos seus respectivos proprietários.

Lynx Tecnologia Eletrônica Ltda


Rua José Elias, 368 - Alto da Lapa
São Paulo - SP
Brasil
CEP 05083-030

Telefone: 0xx11 3644-7522


Fax: 0xx11 3836-5277
http://www.lynxtec.com.br
CONTEÚDO

CAPÍTULO 1
INTRODUÇÃO ................................................................................................. 11
1.1. Escopo .............................................................................................................................. 11
1.2. Descrição de Uso do Manual............................................................................................ 11
1.3. Convenções de Estilo ....................................................................................................... 13

CAPÍTULO 2
INSTALANDO O AQDANALYSIS 7 ................................................................ 15
2.1. Requisitos de Hardware e Software ................................................................................. 15
2.2. Executando o Programa de Instalação do AqDAnalysis 7............................................... 15
2.3. Instalação do Hardkey ...................................................................................................... 16

CAPÍTULO 3
INTRODUÇÃO AO AQDANALYSIS 7............................................................. 17
3.1. Visão Geral ....................................................................................................................... 17
3.2. A Barra de Menu............................................................................................................... 19
3.2.1. Menu Arquivo ............................................................................................................. 19
3.2.2. Menu Consulta ........................................................................................................... 21
3.2.3. Menu Relatório........................................................................................................... 21
3.2.4. Menu Análise ............................................................................................................. 21
3.2.5 Menu Ferramentas...................................................................................................... 22
3.3. A Barra de Ferramentas ................................................................................................... 24
3.3.1. Botões de acesso direto a comandos da Barra de Menu.......................................... 24
3.3.2. Botões relacionados às Janelas de Consulta ............................................................ 25

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 3


CAPÍTULO 4
MANIPULAÇÃO DE SÉRIES TEMPORAIS .................................................... 29
4.1. União de Séries Temporais .............................................................................................. 29
4.1.1. Operação da União Série e Paralela ......................................................................... 30
4.1.2. Parâmetros da União Série e Paralela ...................................................................... 31
4.2. Ajuste de Escala e Linearização de Séries Temporais .................................................... 32
4.2.1. Operação da Linearização e Ajuste de Escala.......................................................... 32
4.2.2. Parâmetros da Linearização e Ajuste de Escala ....................................................... 33
4.2.3. Configurando os Canais de Saída ............................................................................. 33
4.3. Filtragem de Séries Temporais......................................................................................... 35
4.3.1. Operação da Filtragem de Séries Temporais ............................................................ 36
4.3.2. Parâmetros da Filtragem de Sinais............................................................................ 37
4.3.3. Configurando os Canais de Saída da Filtragem ........................................................ 37
4.3.4. Arquivo de Configuração de Filtragem ...................................................................... 40
4.4. Operações Aritméticas de Séries Temporais ................................................................... 41
4.4.1. Operação das Operações Aritméticas ....................................................................... 41
4.4.2. Parâmetros das Operações Aritméticas .................................................................... 42
4.4.3. Configurando os Canais de Saída das Operações Aritméticas ................................ 43
4.4.4. Lista de Erros ............................................................................................................. 45
4.4.5. Operações e Funções Matemáticas .......................................................................... 46
4.4.6. Arquivo de Configuração de Operações Aritméticas................................................. 47

CAPÍTULO 5
FUNÇÕES UTILITÁRIAS................................................................................. 49
5.1. Filtragem de Spikes .......................................................................................................... 49
5.1.1. Operação da Função ................................................................................................. 50
5.1.2. Selecionando os Canais e Parametrizando a Filtragem de Spikes........................... 51
5.2. Exportação de Propriedades de Canais de Séries Temporais ........................................ 52
5.2.1. Operação da Função ................................................................................................. 53
5.2.2. Selecionando os Canais e as Propriedades a Serem Copiadas ............................... 54
5.3. Edição de Arquivo de Série Temporal.............................................................................. 56
5.3.1. Operação da Função ................................................................................................. 56
5.3.2. Edição de Propriedades Gerais ................................................................................. 57
5.3.3. Edição de Propriedades dos Sinais ........................................................................... 58
5.3.4. Edição de Eventos ..................................................................................................... 59
5.3.5. Edição de Gráficos..................................................................................................... 60
5.3.6. Menu de Atalho do Modo Zoom para Edição ............................................................ 62
5.3.7. Menu de Atalho de Edição ......................................................................................... 63
5.4. Importação de Arquivo Texto ........................................................................................... 64
5.4.1. Parâmetros................................................................................................................. 65
5.4.2. Canais de Saída......................................................................................................... 65

4 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


CAPÍTULO 6
ANÁLISE ESTATÍSTICA DE SÉRIES TEMPORAIS ....................................... 67
6.1. Operação da Análise Estatística ...................................................................................... 67
6.2. Selecionando os Canais para a Análise Estatística ......................................................... 68
6.3. Parâmetros da Análise Estatística.................................................................................... 69
6.4. Consulta Rápida a um Arquivo de Estatística .................................................................. 69
6.4.1. Informações do Arquivo de Estatística ...................................................................... 70
6.4.2. Visualização Gráfica da Estatística............................................................................ 71
6.4.3. Tabela de Estatística por Trechos ............................................................................. 71
6.4.4. Tabela de Estatística por Canais ............................................................................... 72

CAPÍTULO 7
ANÁLISE ESPECTRAL ................................................................................... 75
7.1. Auto-Espectro ................................................................................................................... 75
7.1.1. Operação do Cálculo do Auto-Espectro .................................................................... 75
7.1.2. Selecionado os Canais para o Cálculo do Auto-Espectro ......................................... 76
7.1.3. Parâmetros da Análise Espectral............................................................................... 77
7.2. Espectro Cruzado ............................................................................................................. 79
7.2.1. Operação do Cálculo do Espectro Cruzado .............................................................. 79
7.2.2. Selecionado os Canais para o Cálculo do Espectro Cruzado ................................... 80
7.2.3. Parâmetros do Espectro Cruzado.............................................................................. 80
7.3. Função de Transferência.................................................................................................. 83
7.3.1. Operação do Cálculo da Função de Transferência .................................................. 83
7.3.2. Selecionado os Canais para o Cálculo da Função de Transferência........................ 85
7.3.3. Parâmetros da Função de Transferência .................................................................. 85
7.4. Consulta Rápida a um Arquivo de Espectro..................................................................... 88
7.4.1. Informações do Arquivo de Espectro......................................................................... 89
7.4.2. Visualização Gráfica do Espectro .............................................................................. 90
7.4.3. Visualização do Espectro em Tabela......................................................................... 91

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 5


CAPÍTULO 8
CONSULTA ..................................................................................................... 93
8.1. Definindo uma Consulta ................................................................................................... 93
8.2. Abrindo uma Nova Janela de Consulta ........................................................................... 93
8.3. A Janela de Consulta........................................................................................................ 93
8.4. O Painel de Configuração de Consulta ........................................................................... 95
8.4.1. A Barra de Ferramentas para Configuração da Consulta ......................................... 95
8.4.2. A Lista de Arquivos e Sinais ...................................................................................... 97
8.4.3. Painéis de Coordenadas............................................................................................ 97
8.5. As Pastas de Informações e Gráficos ............................................................................. 98
8.5.1. As Pastas de Informações de Arquivos ..................................................................... 98
8.5.2. As Pastas de Gráficos................................................................................................ 98
8.6. Iniciando uma Consulta ................................................................................................... 99
8.6.1. Adicionando Arquivos à Consulta .............................................................................. 99
8.6.2. Adicionando Gráficos à Consulta............................................................................... 99
8.6.3. Adicionando Pastas ................................................................................................. 100
8.7. Modificando a Configuração da Consulta...................................................................... 101
8.7.1. Título da Consulta .................................................................................................... 101
8.7.2. Modificando Títulos das Pastas ............................................................................... 101
8.7.3. Substituindo Sinais de um Gráfico........................................................................... 102
8.7.4. Substituindo Arquivos .............................................................................................. 103
8.7.5. Removendo Gráficos ............................................................................................... 103
8.7.6. Removendo Pastas.................................................................................................. 103
8.7.7. Removendo Arquivos............................................................................................... 103
8.8. Salvando a Configuração de uma Consulta .................................................................. 104
8.9. Carregando a Configuração de uma Consulta .............................................................. 104
8.10. Preferências da Consulta ............................................................................................ 105
8.10.1. Configurando Preferências Gerais da Janela de Consulta.................................... 105
8.10.2. Configurando Preferências Para Gráficos de Séries Temporais........................... 106
8.10.3. Configurando Preferências Para Gráficos de Séries de Freqüência..................... 107
8.10.4. Configurando Preferências Para Gráficos de Estatística ...................................... 108
8.10.5. Configurando Preferências Para Gráficos de Séries de Markov........................... 109

6 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


CAPÍTULO 9
CONSULTANDO ARQUIVOS DE SÉRIE TEMPORAL................................. 111
9.1. Tipos de Arquivos de Série Temporal ............................................................................ 111
9.2. Informações do Arquivo de Série Temporal ................................................................... 112
9.3. Sinais de Arquivo de Série Temporal ............................................................................. 112
9.4. Eventos de Arquivo de Série Temporal.......................................................................... 113
9.5. Tipos de Gráfico de Arquivos de Série Temporal .......................................................... 114
9.5.1. Gráficos Justapostos................................................................................................ 114
9.5.2. Gráficos Sobrepostos............................................................................................... 116
9.5.3. Gráficos do Tipo Polígrafo ....................................................................................... 119
9.6. Configurando as Propriedades da Pasta........................................................................ 120
9.6.1. Pasta de Configuração Geral................................................................................... 120
9.6.2. Pasta de Configuração de Cores............................................................................. 121
9.6.3. Pasta de Configuração de Sinais............................................................................. 122
9.7. Configurando as Propriedades do Gráfico ..................................................................... 124
9.8. Menu de Atalho para Modo Normal................................................................................ 126
9.8.1. Acesso Rápido a Comandos da Barra de Ferramentas .......................................... 126
9.8.2. Tipos de Gráfico....................................................................................................... 127
9.8.3. Apresentação em gráficos sobrepostos................................................................... 127
9.8.4. Escopo de Comandos.............................................................................................. 127
9.8.5. Correlação de sinais ................................................................................................ 128
9.8.6. Tabela de Valores .................................................................................................... 128
9.8.7. Análise e Ferramentas ............................................................................................. 129

CAPÍTULO 10
CONSULTANDO ARQUIVOS DE SÉRIE DE FREQÜÊNCIA ....................... 131
10.1. Tipos de Arquivos de Série de Freqüência .................................................................. 131
10.2. Informações do Arquivo de Série de Freqüência ......................................................... 131
10.3. Sinais de Arquivo de Série de Freqüência ................................................................... 133
10.4. Tipos de Gráficos de Arquivos de Série de Freqüência............................................... 133
10.5. Configurando as Propriedades da Pasta...................................................................... 136
10.5.1. Pasta de Configuração Geral................................................................................. 136
10.5.2. Pasta de Configuração de Cores........................................................................... 137
10.5.3. Pasta de Configuração de Sinais........................................................................... 138
10.6. Configurando as Propriedades do Gráfico ................................................................... 140
10.7. Menu de Atalho para Modo Normal.............................................................................. 142
10.7.1. Acesso Rápido a Comandos da Barra de Ferramentas ........................................ 142
10.7.2. Tipos de Gráfico..................................................................................................... 143
10.7.3. Apresentação em gráficos sobrepostos ................................................................ 143
10.7.4. Escopo de Comandos............................................................................................ 143
10.7.5. Tipo de Representação do Espectro ..................................................................... 144
10.7.6. Análise de Conforto............................................................................................... 144
10.7.7. Tabela de Valores .................................................................................................. 144

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 7


CAPÍTULO 11
CONSULTANDO ARQUIVOS DE ESTATÍSTICA ......................................... 147
11.1. Tipos de Arquivos de Estatística .................................................................................. 147
11.2. Informações do Arquivo de Estatística ......................................................................... 147
11.3. Sinais de Arquivo de Estatística ................................................................................... 148
11.4. Tipos de Gráfico de Arquivos de Estatística................................................................. 149
11.5. Configurando as Propriedades da Pasta...................................................................... 150
11.5.1. Pasta de Configuração Geral................................................................................. 150
11.5.2. Pasta de Configuração de Cores........................................................................... 151
11.5.3. Pasta de Configuração de Sinais........................................................................... 152
11.6. Configurando as Propriedades do Gráfico ................................................................... 153
11.7. Menu de atalho para Modo Normal .............................................................................. 155
11.7.1. Acesso Rápido a Comandos da Barra de Ferramentas ........................................ 155
11.7.2. Tipos de Gráfico..................................................................................................... 156
11.7.3. Apresentação em gráficos sobrepostos ................................................................ 156
11.7.4. Escopo de Comandos............................................................................................ 156
11.7.5. Tipo de Dado.......................................................................................................... 156
11.7.6. Tabela de Valores .................................................................................................. 157

CAPÍTULO 12
MODO ZOOM ................................................................................................ 159
12.1. Iniciando o Modo Zoom ................................................................................................ 159
12.2. Zoom sobre um ponto................................................................................................... 160
12.3. Zoom Sobre uma Área ................................................................................................. 164
12.4. Menu de Atalho para Modo Zoom ................................................................................ 171

CAPÍTULO 13
MODO CURSOR............................................................................................ 173
13.1. Iniciando o Modo Cursor............................................................................................... 173
13.2. Tipos de Cursores ........................................................................................................ 174
13.3. Movimentação do Cursor............................................................................................. 176
13.4. Barra de Ferramentas................................................................................................... 176
13.5. Tabela de Valores......................................................................................................... 177
13.6. Menu de Atalho para Modo Cursor .............................................................................. 178

8 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


CAPÍTULO 14
MODO MARCADORES ................................................................................. 179
14.1. Iniciando o Modo Marcadores ...................................................................................... 179
14.2. Barra de Ferramentas................................................................................................... 180
14.3. Valores dos Marcadores............................................................................................... 181
14.4. Movimentação dos Marcadores ................................................................................... 181
14.4.1. Utilizando a Barra de Ferramentas ........................................................................ 181
14.4.2. Utilizando o Menu de Atalhos ................................................................................ 181
14.4.3. Utilizando o Mouse................................................................................................. 182
14.5. Menu de Atalhos para Modo Marcadores .................................................................... 182
14.6. Funções de Análise ...................................................................................................... 183
14.7. Tabela ........................................................................................................................... 183
14.8. Histograma ................................................................................................................... 185
14.9. Estatística ..................................................................................................................... 187
14.10. Separa Trecho / Reduz Taxa ..................................................................................... 188
14.10.1. Parâmetros........................................................................................................... 189
14.10.2. Configurando os Canais de Saída ....................................................................... 190
14.11. Elimina Trecho............................................................................................................ 191
14.11.1. Parâmetros........................................................................................................... 192
14.11.2. Configurando os Canais de Saída ....................................................................... 192
14.12. Converte para Texto ................................................................................................... 194
14.12.1. Parâmetros........................................................................................................... 195
14.12.2. Configurando os Canais de Saída ....................................................................... 195
14.13. Registro Gráfico.......................................................................................................... 197
14.13.1. Parâmetros........................................................................................................... 197

CAPÍTULO 15
MODO COMENTÁRIO................................................................................... 199
15.1. Iniciando o Modo Comentário....................................................................................... 199
15.2. Editando um Comentário .............................................................................................. 200
15.3. Barra de Ferramentas do Modo Comentário................................................................ 200
15.4. Tabela de Comentários ................................................................................................ 201
15.5. Menu de Atalho do Modo Comentário.......................................................................... 201

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 9


CAPÍTULO 16
RELATÓRIO .................................................................................................. 203
16.1. Configurando o Relatório.............................................................................................. 203
16.1.1 Informações ............................................................................................................ 204
16.1.2 Editando as Listas de Subtítulos e Observações ................................................... 205
16.1.3. Layout da Página ................................................................................................... 206
16.2. Relatório da Pasta de Consulta Selecionada ............................................................... 207
16.3. Relatório de Histograma ............................................................................................... 207
16.4. Relatório de Registro Gráfico ....................................................................................... 207
16.5. Relatório Multi-Gráficos ................................................................................................ 208
16.6. A Janela de Relatório ................................................................................................... 209
16.7. Barra de Ferramentas do Relatório .............................................................................. 209

APÊNDICE A
LINEARIZANDO SINAIS DE TERMOPAR .................................................... 211
A.1. Definindo Tabela de Linearização.................................................................................. 211
A.1.1. Formato da Tabela .................................................................................................. 212
A.2. Convertendo para graus Celsius.................................................................................... 213
A.2.1. Linearização com Compensação de Junta Fria ...................................................... 213
A.2.2. Linearização sem Compensação de Junta Fria ...................................................... 214
A.3. Configurando Canais Tipo Termopar............................................................................. 214

10 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


C A P Í T U LO 1

INTRODUÇÃO

1.1. Escopo
Este manual descreve os procedimentos operacionais do programa de processamento de sinais
AqDAnalysis 7.

Para um melhor entendimento deste manual e do AqDAnalysis 7, recomendamos que o usuário


tenha conhecimentos básicos de processamento e análise de sinais.

1.2. Descrição de Uso do Manual

CAPÍTULO DESCRIÇÃO

Capítulo 2 Neste capítulo são dadas as instruções para a instalação


Instalando o AqDAnalysis 7 do AqDAnalysis 7.

Capítulo 3 Este capítulo apresenta uma visão geral do AqDAnalysis 7,


Introdução ao AqDAnalysis 7 relacionando as suas características principais e listando
os comandos da barra de menu do programa.

Capítulo 4 Neste capítulo são descritas as funções de manipulação


Manipulação de Séries de séries temporais:
Temporais ¨ União Série e Paralela
¨ Ajuste de Escala e Linearização
¨ Filtragem
¨ Operações Aritméticas com Séries Temporais

Capítulo 5 Descrição das funções utilitárias:


Funções Utilitárias ¨ Filtragem de Spikes
¨ Exportação de Propriedades de Canais de Séries

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 11


CAPÍTULO DESCRIÇÃO
Temporais
¨ Edição de Arquivos de Séries Temporais

Capítulo 6 Neste capítulo é descrita a função de análise estatística de


Análise Estatística de Séries séries temporais
Temporais

Capítulo 7 Neste capítulo são descritas as funções de análise


Análise Espectral espectral:
¨ Auto-Espectro
¨ Espectro Cruzado
¨ Função de Transferência

Capítulo 8 Neste capítulo é introduzida a janela de consulta e sua


Consulta configuração.

Capítulo 9 Neste capítulo são apresentados os tipos de gráficos que


Consultando Arquivos de podem ser utilizados para apresentação de sinais de séries
Série Temporal temporais, configurações e funções

Capítulo 10 Neste capítulo são apresentados os tipos de gráficos que


Consultando Arquivos de podem ser utilizados para apresentação de sinais de séries
Série de Freqüência de freqüência, configurações e funções.

Capítulo 11 Neste capítulo são apresentados os tipos de gráficos que


Consultando Arquivos de podem ser utilizados para apresentação de sinais de
Estatística arquivos de estatística, configurações e funções.

Capítulo 12 Neste capítulo é apresentado o modo Zoom e forma de


Modo Zoom operação.

Capítulo 13 Neste capítulo é apresentado o modo Cursor, forma de


Modo Cursor operação e funções.

Capítulo 14 Neste capítulo é apresentado o modo Marcadores, forma


Modo Marcadores de operação e funções.

Capítulo 15 Neste capítulo é apresentado o modo Comentários, forma


Modo Comentário de operação e funções.

Capítulo 16 Neste capítulo são apresentados os diversor relatórios


Relatório disponíveis no programa e como configurá-los.

12 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


1.3. Convenções de Estilo
As observações importantes são destacadas no texto e classificadas em quatro tipos: Dica, Nota,
Cuidado e Perigo. A seguir apresentamos a simbologia e o significado de cada uma das
observações, utilizando-as em suas próprias notações.

þ DICA: é uma sugestão com informações que facilitam ou melhoram o desempenho na


execução de determinados procedimentos do usuário.

? NOTA: é uma observação com informações importantes destacadas no texto.

ý CUIDADO: é uma observação destacada no texto que indica um procedimento que, se


não seguido, pode provocar danos ao equipamento, perda de dados ou conseqüências
indefinidas.

N PERIGO: é um tipo de observação utilizado para indicar procedimento ou prática que, se


não seguidos, podem provocar danos físicos graves ao equipamento ou ao usuário.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 13


14 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário
C A P Í T U LO 2

INSTALANDO O AQDANALYSIS 7

2.1. Requisitos de Hardware e Software


O AqDAnaysis 7 pode ser executado em ambiente Windows 98, Windows ME, Windows NT
4.0 (com Service Pack 4 ou posterior), Windows 2000 Professional e Windows XP. com a
seguinte configuração mínima do microcomputador:
¨ processador Pentium 200 MHz;
¨ 32 MB de memória (se executado no Windows 98/ME);
¨ 64 MB de memória (se executado no Windows NT4/2000);
¨ 256MB de memória (se executado no Windows XP);
¨ monitor de vídeo com resolução mínima de 800 x 600;
¨ interface paralela padrão, mouse e teclado;
¨ unidade de CD-ROM;
¨ 50 MB de espaço livre no disco rígido para a instalação do programa;
¨ recomendamos o uso de disco rígido de pelo menos 2 GB com espaço livre adequado
para o armazenamento dos arquivos de gerados pelo processamento de sinais;
¨ impressora compatível com o Windows;

2.2. Executando o Programa de Instalação do AqDAnalysis 7

ÉPara instalar o AqDAnalysis, siga os seguintes passos:


1. Insira o CD do AqDados 7.02 na unidade de CD-ROM.
2. Se o Autorun do Windows não rodar, execute o programa Install.exe contido no CD.
3. Na janela apresentada, clique sobre Instala o AqDados.
4. Siga as instruções do programa de instalação.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 15


2.3. Instalação do Hardkey
O programa AqDAnalysis 7 é protegido por um hardkey que deve ser conectado na porta
paralela do microcomputador como ilustrado na figura abaixo:

O programa também pode ser fornecido, alternativamente, com um hardkey para porta USB.
Neste caso, conecte o hardkey numa porta USB livre como ilustrado na figura abaixo:

16 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


C A P Í T U LO 3

INTRODUÇÃO AO AQDANALYSIS 7

3.1. Visão Geral


O AqDAnalysis 7 para Windows XP/2000/NT4/ME/98 é um programa de análise de sinais que
permite o pós-processamento de sinais armazenados em séries temporais pelo programa
AqDados, bem como a visualização em forma gráfica ou em forma de tabela de dados dos
arquivos. As características principais do AqDAnalysis na sua versão básica são:
¨ visualização de até 4 janelas de consulta simultaneamente;
¨ cada janela de consulta permite abrir 8 arquivos de séries temporais, 8 arquivos de
séries de freqüência, 8 arquivos de estatística, 8 arquivos de rainflow e 8 arquivos de
Markov.
¨ cada janela de consulta permite a definição de 1 a 16 pastas, cada uma contendo de 1 a
16 gráficos;
¨ várias formas de apresentação de gráficos: sobreposto, justaposto, XY, registro gráfico;
¨ conversão para unidade de engenharia;
¨ suporte a termopares (linearização e compensação de junta fria);
¨ controle de zoom da apresentação dos sinais;
¨ modo cursor que permite explorar ponto por ponto todos os dados do arquivo;
¨ modo marcadores que permite selecionar trechos de arquivos para cálculos de
estatística, apresentação de histograma, separação e remoção de trecho, redução de
taxa e conversão para arquivos ASCII;
¨ modo comentários para inserção de comentários nos gráficos de consulta;
¨ apresentação dos valores numéricos dos sinais na forma de tabela;
¨ pós-processamento dos sinais: união em série e em paralelo de arquivos de séries
temporais, filtragem, integração e derivada de séries temporais (arquivos de saída com
até 256 canais);
¨ suporte para arquivos de séries temporais nos formatos
*.TEM: AqDados e SisDin da Lynx

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 17


*.LTD: novo formato com suporte para até 256 canais
*.RSP: arquivos de séries temporais do RPC Component e RPC III da MTS
O formato do RPC é suportado apenas para leitura e os nomes dos canais são truncados
para 15 caracteres.
¨ suporte para arquivos de séries de domínios de espectros nos formatos
*.FRQ: AqDados e SisDin da Lynx
*.LFD: novo formato com suporte para até 256 canais
¨ suporte para arquivos de estatística nos formatos
*.STT: AqDados e SisDin da Lynx
*.LSS: novo formato com suporte para até 256 canais
¨ suporte para arquivos de Markov nos formatos
*.MKV: AqDados e SisDin da Lynx
*.LMK: novo formato com suporte para até 256 canais
¨ suporte para arquivos de Rainflow nos formatos
*.RNF: AqDados e SisDin da Lynx
*.LRF: novo formato com suporte para até 256 canais
¨ relatório configurável, apresentando gráficos de uma das pastas de janela de consulta;
¨ relatórios multi-gráficos, onde podem ser apresentados gráficos de 2 a 4 pastas de uma
mesma janela de consulta;
¨ relatório tipo registro gráfico.

Além das funções citadas acima, o AqDAnalysis 7 possui outras funções opcionais de análise e
processamento de sinais que são:
¨ Análise espectral: espectro linear, auto-espectro, espectro cruzado e função de
transferência;
¨ Análise estatística por segmentos;
¨ Operações aritméticas com séries temporais;
¨ Análise de conforto ISO2631 (1978);
¨ Análise de rainflow e Markov;
¨ Análise de fadiga;
¨ Análise de cepstrum.

? NOTA: apenas as funções de análise espectral, análise estatística e operações


aritméticas são descritas neste manual. As demais funções não fazem parte do escopo deste
manual.

18 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


3.2. A Barra de Menu
A barra de menu do AqDAnalysis 7 apresenta as seguintes opções:

3.2.1. Menu Arquivo

q Abre Arquivo de Dados


Permite abrir um arquivo através de uma nova janela de consulta. Ao selecionar um
arquivo, é aberta uma nova janela de consulta e são apresentados os gráficos dos
primeiros 4 sinais do arquivo.
q Nova Janela de Consulta
Permite abrir uma nova janela de consulta de arquivos de dados: série temporal, arquivo
de espectro, arquivo de estatística e arquivo de markov. O programa permite abrir até 4
janelas de consulta.
q Abre Janela de Consulta
Permite abrir uma janela de consulta cuja configuração tenha sido salva anteriormente
em arquivo (*.SGR).
q Salva Janela de Consulta
Permite salvar em arquivo a configuração de uma janela de consulta (*.SGR).
q Carrega Configuração
Este comando abre um submenu com opções de tipos de arquivos de configuração do
AqDAnalysis que podem ser carregados. As opções do submenu são:
n Análise
Este comando carrega um arquivo de configuração das funções de análise.
n Análise Espectral
Este comando carrega um arquivo de configuração da análise espectral. A
configuração das demais funções de análise não é afetada por este comando.
n Rainflow e Markov
Este comando carrega um arquivo de configuração da Análise de Rainflow e da
Análise de Markov. A configuração das demais funções de análise não é afetada por
este comando.
n Análise de Fadiga
Este comando carrega um arquivo de configuração da Análise de Fadiga. A
configuração das demais funções de análise não é afetada por este comando.
n Ferramentas/Séries Temporais
Este comando carrega um arquivo de configuração das ferramentas de manipulação
de séries temporais.
n Operações Aritméticas
Este comando carrega um arquivo de configuração das Operações Aritméticas de

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 19


séries temporais. A configuração das demais ferramentas de manipulação de séries
temporais não é afetada por este comando.
n Filtragem
Este comando carrega um arquivo de configuração da Filtragem de séries temporais.
A configuração das demais ferramentas de manipulação de séries temporais não é
afetada por este comando.
q Salva Configuração
Este comando abre um submenu com opções de tipos de arquivos de configuração do
AqDAnalysis que podem ser salvos em disco. As opções do submenu são:
n Análise
O AqDAnalysis salva automaticamente a configuração das funções de análise em um
arquivo padrão. Através deste comando é possível salvar a configuração em um
arquivo com outro nome.
n Análise Espectral
Este comando permite salvar apenas a configuração das funções de análise
espectral. A configuração dessas funções pode ser carregada posteriormente através
do comando Carrega Configuração / Análise Espectral.
n Rainflow e Markov
Este comando permite salvar apenas a configuração das funções de Análise de
Rainflow e de Análise de Markov. A configuração dessas funções pode ser carregada
posteriormente através do comando Carrega Configuração / Rainflow e Markov.
n Análise de Fadiga
Este comando permite salvar apenas a configuração da função de Análise de Fadiga.
A configuração dessa função pode ser carregada posteriormente através do comando
Carrega Configuração / Análise de Fadiga.
n Ferramentas/Séries Temporais
O AqDAnalysis salva automaticamente a configuração das ferramentas de
manipulação de séries temporais em um arquivo padrão. Através deste comando é
possível salvar a configuração em um arquivo com outro nome.
n Operações Aritméticas
Este comando permite salvar apenas a configuração das Operações Aritméticas. A
configuração dessa função pode ser carregada posteriormente através do comando
Carrega Configuração / Operações Aritméticas.
n Filtragem
Este comando permite salvar apenas a configuração da Filtragem de séries
temporais. A configuração dessa função pode ser carregada posteriormente através
do comando Carrega Configuração / Filtragem.
q Sair
Finaliza a execução do programa.

20 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


3.2.2. Menu Consulta

q Nova Janela
Permite abrir uma nova janela de consulta a arquivos de dados. São permitidos no
máximo 4 janelas de consulta abertas simultaneamente.
q Preferências
Permite configurar o modo de apresentação de escalas, eventos, comportamento de
cursores e marcadores, e formato inicial de gráficos.

3.2.3. Menu Relatório

q Apresentar
Este comando inicia a montagem de relatório contendo informações configuradas pelo
usuário e os gráficos da pasta de consulta em foco no momento em que o comando é
solicitado.
q Multi-Gráficos
Através deste comando é possível obter um relatório contendo de 2 a 4 gráficos de
pastas de uma mesma janela de consulta, distribuídos conforme escolha do usuário.
q Configurar
Este comando permite configurar a apresentação do relatório. São configurados: título,
subtítulos e notas do relatório, apresentação dos gráficos e layout da página como
tamanho do papel, margens, orientação e conjunto de dados do relatório.

3.2.4. Menu Análise

q Auto-Espectro
Este comando faz parte do grupo de funções da análise espectral e permite o cálculo do
espectro de potência (auto-espectro) e do espectro linear.
q Espectro Cruzado
Este comando faz parte do grupo de funções da análise espectral e permite o cálculo do
espectro cruzado (cross-espectro).
q Função de Transferência
Este comando faz parte do grupo de funções da análise espectral e permite o cálculo da
função de transferência.
q Cepstrum
Este comando calcula o cepstrum de uma série temporal.
q Inversa do Cepstrum
Este comando calcula a transformada inversa do cepstrum.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 21


q Estatística por Trechos
Este comando realiza a análise estatística de séries temporais. A série temporal é divida
em segmentos de mesmo tamanho (em número de amostras) e para cada segmento é
calculada a estatística dos canais selecionados, obtendo-se os valores máximo, mínimo,
média, desvio padrão e valor RMS. Esses valores são gravados em arquivo de
estatística.
q Análise de Rainflow
Este comando analisa os sinais de uma série temporal para a contagem de ciclos
(Mínimo, Máximo) pelo método de rainflow.
q Análise de Markov
Este comando monta a matriz de markov dos canais de uma série temporal para extrair
as seguintes informações: contagem de picos e vales, contagem de cruzamento por
nível, contagem de amplitudes e tempo em cada nível.
q Análise de Fadiga
Este comando executa a análise de fadiga, para determinação da vida útil, de
componentes mecânicos de aço sujeitos a cargas cíclicas.
q Biblioteca de Fadiga
Este comando permite criar e editar bibliotecas de curvas S-N de fadiga utilizadas na
análise de fadiga.
q Análise de Conforto
Este comando realiza a análise de conforto baseada na ISO2631 (1978). A análise de
conforto verifica as vibrações às quais o corpo humano está exposto em caminhões,
tratores, veículos, etc.

? NOTA: todas as funções do menu Análise são opcionais e não fazem parte do pacote
básico do AqDAnalysis .

3.2.5 Menu Ferramentas

q Séries Temporais
Este comando abre um submenu com opções de ferramentas para manipulação de
séries temporais. As opções do submenu são:
n União Série e Paralela
Este comando permite unir dois arquivos de séries temporais. A união série gera uma
terceira série temporal que correspondente à concatenação das duas séries
temporais de entrada. A união paralela gera uma terceira série temporal com os
canais da primeira e da segunda série temporal.
n Ajuste de Escala e Linearização
Este comando permite que, a partir de uma série temporal de entrada, seja gerada
uma nova série temporal, onde os limites de fundo de escala dos canais selecionados
são alterados para valores especificados pelo usuário. Neste novo arquivo, os valores

22 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


das amostras, em unidade de engenharia, são iguais aos do arquivo anterior. O
programa ajusta apenas os valores binários das amostras de acordo com os novos
fundos de escala. Observe-se que os valores em unidade de engenharia podem
sofrer perda de resolução ou saturação se os valores dos limites de fundo de escala
dos canais forem aumentados ou diminuidos significativamente.
n Filtragem
Este comando permite gerar uma série temporal a partir da filtragem dos canais de
uma série temporal de entrada. Os tipos de filtros disponíveis são: passa baixas,
passa altas, integral, integral com passa altas, passa banda, rejeita banda e derivada
com passa baixas.
n Operações Aritméticas
Este comando permite gerar uma série temporal através de operações aritméticas
com canais de até dois arquivos de série temporal.
q Filtragem de Spikes
Este comando permite filtrar spikes presentes em séries temporais.
q Exporta Propriedades de Canais
Este comando permite selecionar um arquivo de série temporal de referência e copiar o
nome, a unidade e/ou os limites de fundo de escalas de canais selecionados para os
respectivos canais de uma lista de arquivos de série temporal relacionada pelo usuário.
q Edita Arquivo de Série Temporal
Este comando permite editar as propriedades do arquivo, propriedades dos canais,
eventos e sinais de um arquivo de série temporal
q Importa Arquivo Texto
Através deste comando é possível importar dados de um arquivo texto e gravá-los em
arquivo de dados com formato do AqDados.
q Barra de Ferramentas
Permite escolher os conjuntos de botões apresentados na Barra de Ferramentas do
programa. Os conjuntos disponíveis são: Arquivo, Relatório, Funções de Consulta, Ajuste
de Escala, Lista de Arquivos, Deslocamento de Escala, Deslocamento Temporal.

? NOTA: as Operações Aritméticas são opcionais e não fazem parte do pacote básico do
AqAnalysis.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 23


3.3. A Barra de Ferramentas
A barra de ferramentas apresenta botões que disponibilizam um acesso rápido a comandos da
barra de menu e botões que atuam diretamente sobre as janelas de consulta e seus gráficos,
permitindo alterações de parâmetros e acesso a funções de consulta :

3.3.1. Botões de acesso direto a comandos da Barra de Menu

Alguns dos comandos da barra de menu do AqDAnalysis 7 também podem ser acessados através
da barra de ferramentas localizada logo abaixo do menu. Os botões da barra de ferramentas
disponibiliza os seguintes comandos:

Abre Arquivo de Dados


Abre um arquivo de dados, apresentando-o em uma nova janela de consulta . Tem o
mesmo efeito do comando Arquivo / Abre Arquivo de Dados.

Nova Janela de Consulta


Abre uma nova janela de consulta a arquivos de dados. Tem o mesmo efeito do
comando Arquivo / Nova Janela de Consulta.

Abre Janela de Consulta


Abre um arquivo de configuração de consulta, apresentando-o em uma nova janela
de consulta . Tem o mesmo efeito do comando Arquivo / Abre Janela de Consulta.

Salva Janela de Consulta


Salva em arquivo a configuração da janela de consulta que estiver em foco quando
pressionado o botão. Tem o mesmo efeito do comando Arquivo / Salva Janela de
Consulta.

Sair
Finaliza a execução do programa. Tem o mesmo efeito do comando Arquivo / Sair.

Relatório
Monta relatório contendo informações configuradas pelo usuário e gráfico da pasta
em foco no momento em que o comando é solicitado. Tem o mesmo efeito do
comando Relatório / Apresentar.

Relatório Multi-gráficos
Monta um relatório contendo de 2 a 4 gráficos de uma mesma consulta, distribuídos
conforme escolha do usuário. Tem o mesmo efeito do comando Relatório / Multi-

24 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


Gráficos.

Imprime Relatório
Imprime o relatório apresentado na janela de relatórios.

3.3.2. Botões relacionados às Janelas de Consulta

A barra de ferramentas do AqAnalysis também disponibiliza comandos de formatação rápida de


gráficos de consulta e comandos de funções :

Apresenta lista de arquivos


Abre um espaço dentro da janela de consulta em foco para apresentação da lista de
arquivos e sinais disponíveis para apresentação.

Esconde lista de arquivos


Fecha a área de apresentação da lista de arquivos e sinais da janela de consulta em
foco, possibilitando uma visão mais ampla dos gráficos.

Escala anterior
Restaura a escala imediatamente anterior ao último comando da barra de
ferramentas do gráfico. Este comando pode atuar somente sobre o gráfico
selecionado ou em todos os gráficos da pasta (dependendo de opção selecionada).

Otimiza Escala
Otimiza as escalas para melhor visualização do gráfico. Se o gráfico for temporal, o
comando altera apenas a escala Y. Este comando pode atuar somente sobre o
gráfico selecionado ou em todos os gráficos da pasta (dependendo de opção
selecionada).

Maximiza Escala Vertical


Ajusta a escala vertical, para os limites superior e inferior configurados para o sinal
no arquivo de dados. Este comando pode atuar somente sobre o gráfico
selecionado ou em todos os gráficos da pasta (dependendo de opção selecionada).

Maximiza Escala Horizontal


Ajusta a escala horizontal para apresentação de todo o arquivo se o gráfico for
temporal, ou para os limites inferior e superior configurados para o sinal para os
demais casos. Este comando pode atuar somente sobre o gráfico selecionado ou
em todos os gráficos da pasta (dependendo de opção selecionada).

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 25


Iguala Escalas Verticais
Copia os limites superior e inferior da escala vertical do gráfico selecionado para os
demais gráficos da pasta que apresentem a mesma unidade de engenharia.

Iguala Escalas Horizontais


Copia os limites superior e inferior da escala horizontal do gráfico selecionado para
os demais gráficos da pasta que apresentem a mesma unidade de engenharia.

Centraliza o Sinal
Este botão posiciona a escala vertical do gráfico selecionado de modo que a posição
central da escala corresponda à média de valores do gráfico.

Move o Sinal para a Esquerda


Ajusta a posição da escala horizontal do gráfico de modo que o traçado do sinal seja
movido para a esquerda.

Move o Sinal para a Direita


Ajusta a posição da escala horizontal do gráfico de modo que o traçado do sinal seja
movido para a direita.

Move o Sinal para Baixo


Ajusta a posição da escala vertical do gráfico de modo que o traçado do sinal seja
movido para a baixo.

Move o Sinal para Cima


Ajusta a posição da escala vertical do gráfico de modo que o traçado do sinal seja
movido para cima.

Movimentação Contínua
Ajusta a posição da escala horizontal do gráfico de modo que o traçado do sinal seja
movido para a esquerda a intervalos regulares. Este comando somente esta
disponível para gráficos temporais.

Início do Arquivo
Ajusta a posição da escala horizontal do gráfico de modo a apresentar o intervalo
inicial do arquivo de dados. Este comando somente esta disponível para gráficos
temporais.

Retorno Rápido
Ajusta a posição da escala horizontal de modo que o intervalo de tempo seja
deslocado menos 90% em relação ao atual. Este comando somente esta disponível
para gráficos temporais.

Retorno Lento
Ajusta a posição da escala horizontal de modo que o intervalo de tempo seja
deslocado menos 10% em relação ao atual. Este comando somente esta disponível

26 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


para gráficos temporais..

Avanço Lento
Ajusta a posição da escala horizontal de modo que o intervalo de tempo seja
deslocado mais 10% em relação ao atual. Este comando somente esta disponível
para gráficos temporais.

Avanço Rápido
Ajusta a posição da escala horizontal de modo que o intervalo de tempo seja
deslocado mais 90% em relação ao atual. Este comando somente esta disponível
para gráficos temporais.

Fim de Arquivo
Ajusta a posição da escala horizontal de modo que o intervalo de tempo
apresentado seja o do final do arquivo. Este comando somente esta disponível para
gráficos temporais.

Modo Normal
Modo de operação onde não há função ativa e podem ser acrescentados arquivos,
pastas e gráficos à consulta.

Modo Mais Zoom


Modo de operação onde o usuário pode visualizar mais detalhes dos gráficos. Pode-
se ampliar o gráfico aplicando-se um zoom sobre um ponto ou um zoom sobre uma
área.

Modo Menos Zoom


Modo de operação onde o usuário pode diminuir o nível de detalhe de um gráfico.
Pode-se reduzir o gráfico aplicando-se um zoom sobre um ponto ou um zoom sobre
uma área

Modo Cursor
Modo de operação que possibilita a apresentação de valores, ponto por ponto do
gráfico.

Modo Marcadores
Modo de operação que possibilita a delimitação de um trecho do gráfico
apresentado, e sobre o qual podem ser executadas algumas operações.

Modo Comentário
Modo de operação que possibilita que possibilita a edição de comentários sobre os
gráficos de consulta.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 27


28 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário
C A P Í T U LO 4

MANIPULAÇÃO DE SÉRIES TEMPORAIS

Neste capítulo serão descritas as funções de manipulação de séries temporais disponíveis no


menu Ferramentas / Séries Temporais.

As funções de manipulação de séries temporais podem ter como entrada arquivos de séries
temporais nos seguintes formatos:

¨ *.TEM utilizado nas versões anteriores do AqDados;


¨ *.LTD introduzida nas versões do AqDados 6/7;
¨ *.RSP do RPC Component e RPC III da MTS. Não há necessidade de converter os
arquivos *.RSP do RPC para os formatos nativos do AqDados (*.TEM e *.LTD) o
AqDAnalysis lê diretamente os arquivo do RPC.

O AqAnalysis suporta, para os arquivos de saída, somente os formatos nativos do AqDados. Os


arquivos *.TEM são limitados a 32 canais e enquanto os arquivos *.LTD suportam até 256
canais.

4.1. União de Séries Temporais


Este comando permite unir dois arquivos de séries temporais. A união série gera uma terceira
série temporal que correspondente à concatenação das duas séries temporais de entrada. A união
paralela gera uma terceira série temporal com os canais da primeira e da segunda série temporal.

A união de séries temporais é realizada com as seguintes restrições:


¨ as séries temporais de entrada 1 e 2 devem ter a mesma freqüência de amostragem;
¨ na união série, as séries temporais de entrada 1 e 2 devem ter os mesmos canais ativos
e com os mesmos nomes e unidades;
¨ na união paralela, se o número de amostras das séries temporais forem diferentes, a
série temporal de saída é gerada com o menor número de amostras entre as séries de
entrada.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 29


União de Série

União Paralela

4.1.1. Operação da União Série e Paralela

Para acessar a função União Série e Paralela de Séries Temporais, selecione na barra de menu
do AqAnalysis 7 o comando Ferramentas / União Série e Paralela. Ao executar o comando, é
apresentada a caixa de diálogo União Série e Paralela de Séries Temporais.

Na caixa de diálogo União Série e Paralela de Séries Temporais, especifique as séries


temporais de entrada 1 e 2 editando o nome dos seus arquivos nos respectivos campos. Se
preferir, pressione o botão para ter acesso à caixa de diálogo de abertura de arquivo. Para
acessar as informações gerais das séries temporais de entrada 1 e 2, pressione o respectivo botão
.

30 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


Especifique o nome do arquivo de série temporal de saída no campo Arquivo de Série Temporal
de Saída. Se preferir deixar que o programa especifique automaticamente o nome do arquivo de
saída, deixe pressionado o botão .

O nome automático para o arquivo de saída é gerado a partir do nome do arquivo de série
temporal de entrada 1. Ao nome do arquivo de série temporal 1 é acrescentado o sufixo _S se
for uma união série ou o sufixo _P se for uma união paralela. O tipo de formato do arquivo de
série temporal de saída será o .TEM se o arquivo de entrada 1 tiver este mesmo tipo formato,
caso contrário o formato .LTD será utilizado.

Após especificar os arquivos de série temporal de entrada, o arquivo de série temporal de saída
e parametrizar a função, pressione o botão para unir as séries temporais.

4.1.2. Parâmetros da União Série e Paralela

Na união série e paralela os seguintes parâmetros são editáveis:


q União Série / União Paralela
Selecione aqui se a operação deve ser união série ou união paralela.
q Comentário
Edite aqui um comentário para a série temporal de saída. O comentário é limitado a 30
caracteres.
q Notas
Edite aqui anotações sobre a série temporal de saída, limitada a 255 caracteres. As
Notas são gravadas apenas nos arquivos de série temporal no formato .LTD.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 31


4.2. Ajuste de Escala e Linearização de Séries Temporais
Esta função permite que, a partir de uma série temporal de entrada, seja gerada uma nova série
temporal, onde os limites de fundo de escala dos canais selecionados são alterados para valores
especificados pelo usuário. Neste novo arquivo, os valores das amostras, em unidade de
engenharia, são iguais aos do arquivo anterior. O programa ajusta apenas os valores binários das
amostras de acordo com os novos fundos de escala. Observe-se que os valores em unidade de
engenharia podem sofrer perda de resolução ou saturação se os valores dos limites de fundo de
escala dos canais forem aumentados ou diminuídos significativamente.

Esta função também pode ser utilizada para linearizar os canais não lineares de uma série
temporal de entrada. Por exemplo, os canais de tipo termopar podem ser convertidos para tipo
linear através desta função.

4.2.1. Operação da Linearização e Ajuste de Escala

Para acessar a função Linearização e Ajuste de Escala, selecione na barra de menu do


AqDAnalysis 7 o comando Ferramentas / Ajuste de Escala e Linearização. Ao executar o
comando, é apresentada a caixa de diálogo Linearização e Ajuste de Escala.

Na caixa de diálogo Linearização e Ajuste de Escala, selecione a pasta Arquivo e especifique a


série temporal de entrada editando o nome do arquivo no respectivo campo. Se preferir,
pressione o botão para ter acesso à caixa de diálogo de abertura de arquivo. Para acessar as

32 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


informações gerais da série temporal de entrada, pressione o respectivo botão .
Especifique o nome do arquivo de série temporal de saída no campo Arquivo de Série Temporal
de Saída. Se preferir deixar que o programa especifique automaticamente o nome do arquivo de
saída, deixe pressionado o botão .

O nome automático para o arquivo de saída é gerado a partir do nome do arquivo de série
temporal de entrada. Ao nome do arquivo de entrada é acrescentado o sufixo _B e o tipo de
formato do arquivo de saída será o .TEM se o arquivo de entrada tiver este mesmo tipo formato,
caso contrário o formato .LTD será utilizado.

Após especificar o arquivo de série temporal de entrada, o arquivo de série temporal de saída e
parametrizar a função e os canais de saída, pressione o botão para dar início à
linearização e ao ajuste de escala.

4.2.2. Parâmetros da Linearização e Ajuste de Escala

Na linearização e ajuste de escala, os seguintes parâmetros do arquivo de série temporal de saída


são editáveis na pasta Arquivo da caixa de diálogo da função:
q Comentário
Edite aqui um comentário para a série temporal de saída. O comentário é limitado a 30
caracteres.
q Notas
Edite aqui anotações sobre a série temporal de saída, limitada a 255 caracteres. As
Notas são gravadas apenas nos arquivos de série temporal no formato .LTD.

4.2.3. Configurando os Canais de Saída

Os canais da série temporal de saída são configurados na pasta Canais da caixa de diálogo
Linearização e Ajuste de Escala. Nessa pasta são listados os canais ativos da série temporal de
entrada para que sejam marcados os canais que farão parte da série temporal de saída e os
respectivos novos limites de fundo de escala.

Na pasta Canais são disponíveis os seguintes botões:

q
Utilize este botão para marcar todos os canais da série temporal de entrada, habilitando-
os para a série temporal de saída.

q
Utilize este botão para desmarcar todos os canais da série temporal de entrada, inibindo-
os para a série temporal de saída.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 33


q
Quando este botão é pressionado, o AqDAnalysis determina os valores máximo e
mínimo de cada canal da série temporal de entrada e atribui esses valores
respectivamente para as colunas referentes ao novo limite superior e ao novo limite
inferior.

q
Utilize este comando para atribuir às colunas referentes ao novo limite superior e ao
novo limite inferior, os limites de fundo escala originais de cada canal ativo da série
temporal de entrada.

Além desses botões de auxílio à edição, um popup menu é disponibilizado ao se pressionar o


botão direito do mouse quando o apontador do mouse está sobre a tabela de canais. Os
comandos disponíveis no popup menu são:
q Copiar Canal Selecionado
Este comando copia os valores atuais dos limites inferior e superior do canal selecionado
para serem posteriormente colados em outros canais.
q Colar no Canal Selecionado
Este comando cola nos novos limites inferior e superior do canal selecionado os
respectivos valores previamente copiados no comando Copiar Canal Selecionado.
q Colar em Todos os Canais
Este comando cola nos novos limites inferior e superior de todos os canais os
respectivos valores previamente copiados no comando Copiar Canal Selecionado.
q Colar em Toda a Coluna Selecionada
Este comando cola em toda a coluna selecionada o respectivo valor previamente
copiado no comando Copiar Canal Selecionado.

34 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


4.3. Filtragem de Séries Temporais
Este comando permite gerar uma série temporal a partir da filtragem dos canais de uma série
temporal de entrada. Os tipos de filtros disponíveis são: passa baixas, passa altas, integral,
integral com passa altas, passa banda, rejeita banda e derivada com passa baixas.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 35


4.3.1. Operação da Filtragem de Séries Temporais

Para acessar a função Filtragem de Séries Temporais, selecione na barra de menu do


AqDAnalysis 7 o comando Ferramentas / Filtragem. Ao executar o comando, é apresentada a
caixa de diálogo Filtragem de Sinais.

Na caixa de diálogo Filtragem de Sinais selecione a pasta Arquivo e especifique a série


temporal de entrada editando o nome do arquivo no respectivo campo. Se preferir, pressione o
botão para ter acesso à caixa de diálogo de abertura de arquivo. Para acessar as informações
gerais da série temporal de entrada, pressione o respectivo botão .

Especifique o nome do arquivo de série temporal de saída no campo Arquivo de Série Temporal
de Saída. Se preferir deixar que o programa especifique automaticamente o nome do arquivo de
saída, deixe pressionado o botão .

O nome automático para o arquivo de saída é gerado a partir do nome do arquivo de série
temporal de entrada. Ao nome do arquivo de entrada é acrescentado o sufixo editado no campo
Sufixo para Nome Automático., ou _ F se não houver sufixo definido. O tipo de formato do
arquivo de saída será o .TEM se o arquivo de entrada tiver este mesmo tipo formato, caso
contrário o formato .LTD será utilizado.

36 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


O sufixo utilizado para acrescentar ao nome do arquivo de série temporal de entrada é editado
no seguinte campo:
q Sufixo para Nome Automático
Edite um sufixo de até 50 caracteres ou escolha nesta caixa de seleção um sufixo já
editado.

Após especificar o arquivo de série temporal de entrada, o arquivo de série temporal de saída,
parametrizar a função e configurar os canais de saída, pressione o botão para
efetuar a filtragem da série temporal.

4.3.2. Parâmetros da Filtragem de Sinais

Na filtragem de sinais, os seguintes parâmetros do arquivo de série temporal de saída são


editáveis na pasta Arquivo da caixa de diálogo da função:
q Comentário
Edite aqui um comentário para a série temporal de saída. O comentário é limitado a 30
caracteres.
q Notas
Edite aqui anotações sobre a série temporal de saída, limitada a 255 caracteres. As
Notas são gravadas apenas nos arquivos de série temporal no formato .LTD.
q Tipo de Filtragem
Escolha nesta caixa de seleção o tipo de filtragem a ser utilizada. As opções disponíveis
são:
n Filtragem no domínio do tempo
n Filtragem no domínio da freqüência

4.3.3. Configurando os Canais de Saída da Filtragem

Os canais da série temporal de saída são configurados na pasta Canais da caixa de diálogo
Filtragem de Sinais. Nessa pasta é apresenta a lista de canais de saída da filtragem. O número
de canais de saída (1 a 256) deve ser especificado no controle Número de Canais de Saída. Na
lista de canais de saída, pode-se habilitar individualmente os canais de saída a serem gerados na
operação de filtragem.

Na tabela de canais de saída são editáveis os seguintes parâmetros para cada canal:
q Nome do Sinal
Especifique aqui o nome do sinal filtrado. Este campo é limitado a 15 caracteres.
q Unidade
Especifique aqui a unidade de engenharia do sinal filtrado. Este campo é limitado a 7

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 37


caracteres.

q Sinal de Entrada
Este campo é uma caixa de seleção através da qual é selecionado o canal de entrada do
filtro.
q Escala
Este campo é uma caixa de seleção (Fixa, AUTO) que especifica o modo como serão
atribuídos os limites de fundo de escala do respectivo canal. Na opção de escala Fixa, os
limites de fundo de escala são os definidos pelo usuário nos campos Lim. Inferior e Lim.
Superior. Na opção de escala AUTO, os limites de fundo de escala do canal de saída
são determinados automaticamente pelo programa e correspondem aos valores máximo
e mínimo assumidos pelo sinal filtrado. A opção Fixa é normalmente utilizada quando se
deseja manter o mesmo fundo de escala do sinal de entrada.
q Lim. Inferior
Especifique aqui o valor corresponde ao limite inferior da escala do canal de saída
quando for selecionada escala Fixa.
q Lim. Superior
Especifique aqui o valor corresponde ao limite superior da escala do canal de saída
quando for selecionada escala Fixa.
q Filtro
Especifique nesta caixa de seleção o tipo de filtragem a que o canal de entrada será
submetido. As opções de filtragem são:

38 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


n Passa Baixas
O filtro passa baixas deixa passar as componentes de freqüência do sinal de entrada
que estão abaixo da freqüência especificada no parâmetro Fc Superior.
n Passa Altas
O filtro passa altas deixa passar as componentes de freqüência do sinal de entrada
que estão acima da freqüência especificada no parâmetro Fc Inferior.
n Integral
Este tipo de filtro integra o sinal de entrada.
n Integral + P.A.
Este tipo de filtro filtra as componentes de freqüência do sinal de entrada que estão
abaixo da freqüência especificada no parâmetro Fc Inferior e integra o sinal
resultante.
n Passa Banda
O filtro passa banda deixa passar as componentes de freqüência do sinal de entrada
que estejam entre os valores especificados nos parâmetros Fc Inferior e Fc Superior.
n Rejeita Banda
O filtro rejeita banda corta as componentes de freqüência do sinal de entrada que
estão abaixo da freqüência especificada no parâmetro Fc Inferior ou que estão acima
da freqüência especificada no parâmetro Fc Superior.
n Derivada + P.B.
Este filtro deriva o sinal de entrada e filtra as componentes de freqüência do sinal
resultante que estão acima da freqüência especificada no parâmetro Fc Superior.
q Ordem
Este campo é uma caixa de seleção para a ordem do filtro. As opções disponíveis são: 2,
3, 4 e 5.
q Ganho
Especifique aqui o ganho do filtro.
q Fc Inferior
Especifique aqui a freqüência de corte inferior em Hz.
q Fc Superior
Especifique aqui a freqüência de corte superior em Hz.

Quando o botão Copia Nome da Entrada é mantido pressionado, sempre que for selecionado
um outro canal de entrada para o filtro, o nome e a unidade do canal de entrada são atribuídos
para o canal de saída. Analogamente, quando o botão Aplica Escala de Entrada é mantido
pressionado, aos limites de fundo de escala do canal de saída são atribuidos os respecticos
limites de fundo de escala do canal de entrada.

Quando se pretende filtrar a maioria dos canais de um arquivo de série temporal de entrada,
pode-se utilizar o botão Atribui Canais de Entrada. Esse botão quando acionado, muda
automaticamente a lista de canais de saída. A lista de canais de saída passa a ter a mesma
relação dos canais de entrada, respeitando-se a mesma numeração. Os nomes, unidades e limites

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 39


de fundo de escala também serão copiados da série temporal se os botões Copia Nome da
Entrada e Aplica Escala de Entrada estiverem pressionados.

Para auxiliar a edição, um popup menu é disponibilizado ao se pressionar o botão direito do


mouse quando o apontador do mouse está sobre a tabela de canais. Os comandos disponíveis no
popup menu são:
q Copiar Filtro do Canal Selecionado
Este comando copia os parâmetros do filtro correspondente ao canal selecionado para
serem posteriormente colados em outros canais.
q Colar Filtro no Canal Selecionado
Este comando cola no canal selecionado os parâmetros do filtro previamente copiado.
Os valores colados são: Filtro, Ordem, Ganho, Fc Inferior e Fc Superior.
q Colar Filtro em Todos os Canais
Este comando cola em todos os canais de saída os parâmetros do filtro previamente
copiado. Os valores colados são: Filtro, Ordem, Ganho, Fc Inferior e Fc Superior.
q Colar em Toda a Coluna Selecionada
Este comando cola em toda a coluna selecionada o respectivo valor previamente
copiado no comando Copiar Filtro do Canal Selecionado.

4.3.4. Arquivo de Configuração de Filtragem

Os parâmetros da função Filtragem, configuração dos canais de saída da função e sufixo


utilizado na nomeação automática, podem ser salvas em um arquivo de configuração de
filtragem e recuperados posteriormente.
Para salvar um arquivo de configuração de filtragem pressione o botão e para
recuperá-lo pressione o botão . O último arquivo de configuração aberto é
apresentado na caixa de listagem: Última Configuração de Filtragem Carregada. Uma outra
forma de recuperar um arquivo de configuração é através desta caixa de listagem que contém os
últimos arquivos lidos.

40 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


4.4. Operações Aritméticas de Séries Temporais
Este comando permite gerar uma série temporal através de operações aritméticas com os canais
de até dois arquivos de série temporal de entrada. Para cada canal do arquivo de série temporal
de saída é definida uma expressão aritmética que pode conter referências aos canais das séries
temporais de entrada. A expressão aritmética é então avaliada instante a instante.

4.4.1. Operação das Operações Aritméticas

Para acessar a função Operações Aritméticas com séries temporais, selecione na barra de menu
do AqDAnalysis 7 o comando Ferramentas / Operações Aritméticas. Ao executar o comando, é
apresentada a caixa de diálogo Operações Aritméticas.

Na caixa de diálogo Operações Aritméticas selecione a pasta Arquivo e especifique as séries


temporais de entrada X e Y editando o nome do arquivo no respectivo campo. Se preferir,
pressione o botão para ter acesso à caixa de diálogo de abertura de arquivo. Para acessar as
informações gerais da série temporal de entrada, pressione o respectivo botão .

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 41


Especifique o nome do arquivo de série temporal de saída no campo Arquivo de Série Temporal
de Saída. Se preferir deixar que o programa especifique automaticamente o nome do arquivo de
saída, deixe pressionado o botão .

O nome automático para o arquivo de saída é gerado a partir do nome do arquivo de série
temporal de entrada. Ao nome do arquivo de entrada é acrescentado o sufixo editado no campo
Sufixo para Nome Automático., ou _ A se não houver sufixo definido. O tipo de formato do
arquivo de saída será o .TEM se o arquivo de entrada tiver este mesmo tipo formato, caso
contrário o formato .LTD será utilizado.

O sufixo utilizado para acrescentar ao nome do arquivo de série temporal de entrada é editado
no seguinte campo:
q Sufixo para Nome Automático
Edite um sufixo de até 50 caracteres ou escolha nesta caixa de seleção um sufixo já
editado.

Após especificar os arquivos de séries temporais de entrada X e Y, o arquivo de série temporal


de saída, parametrizar a função e configurar os canais de saída, pressione o botão
para iniciar o processamento das operações aritméticas.

Após a execução do comando, consulte na pasta Lista de Erros se ocorreram erros durante o
processamento das operações aritméticas.

4.4.2. Parâmetros das Operações Aritméticas

Nas operações aritméticas, os seguintes parâmetros do arquivo de série temporal de saída são
editáveis na pasta Arquivo da caixa de diálogo da função:
q Comentário
Edite aqui um comentário para a série temporal de saída. O comentário é limitado a 30
caracteres.
q Notas
Edite aqui anotações sobre a série temporal de saída, limitada a 255 caracteres. As
Notas são gravadas apenas nos arquivos de série temporal no formato .LTD.
q Freqüência de Amostragem
Especifique aqui a freqüência de amostragem da série temporal de saída.

? NOTA: este parâmetro é utilizado somente quando as expressões aritméticas dos


canais de saída não contêm nenhuma referência aos canais das séries temporais de
entrada. Isso pode ocorrer, por exemplo, quando se deseja gerar sinais senoidais e/ou
aleatórios através de expressões aritméticas sem, no entanto, fazer referência a nenhum
canal das séries temporais de entrada.

42 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


q Número de Amostras no Arquivo de Saída
Especifique aqui o número de amostras por canal a serem gerados no arquivo de série
temporal de saída Z.

? NOTA: se o número de amostras das séries temporais de entrada, referenciadas nas


equações, for menor que o valor especificado neste parâmetro, o menor valor será adotado.

4.4.3. Configurando os Canais de Saída das Operações Aritméticas

Os canais da série temporal de saída são configurados na pasta Canais da caixa de diálogo
Operações Aritméticas. Na parte superior dessa pasta são listados os canais ativos das séries
temporais de entrada X e Y. Os canais ativos da série temporal de entrada X são referenciadas
nas equações aritméticas por xi, por exemplo x0 representa o primeiro canal ativo da série
temporal X. Os nomes dos sinais correspondentes às entradas xi também são apresentados.
Analogamente, quando especificado, são listados os canais yi ativos da série temporal de
entrada Y.

A pasta Canais contém também a tabela de Variáveis Auxiliares e a Tabela de Canais de Saída.
As variáveis auxiliares são semelhantes aos canais de saída, podendo-se especificar para cada
variável uma expressão aritmética com os canais ativos das séries temporais de entrada. As

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 43


variáveis auxiliares não são gravadas na série temporal de saída, mas podem ser referenciadas
nas expressões dos canais de saída para simplificar as equações desses canais. Por exemplo,
quando um termo se repete numa equação de um canal de saída ou mesmo nas equações de
outros canais, pode-se definir uma variável auxiliar com a expressão desse termo e referenciá-la
nas equações.

O número de variáveis auxiliares pode ser especificado entre 1 e 20 no controle Número de


Variáveis Auxiliares. Na tabela de variáveis auxiliares é editável o seguinte parâmetro:
q Equação
Especifique aqui a expressão aritmética para o cálculo da variável auxiliar. Veja no tópico
Operadores e Funções Matemáticas a relação de operadores e funções disponíveis para
na elaboração da expressão aritmética.

? NOTA: a expressão aritmética da variável auxiliar ak pode referenciar os canais xi


e yi das séries temporais de entrada. Pode também referenciar as variáveis auxiliares aj,
desde que j < k. Por exemplo, a variável auxiliar a2 pode fazer referência às variáveis a0
e a1, mas não pode fazer referência a a2 e a3.

O número de canais de saída deve ser especificado entre 1 e 256 no controle Número de Canais
de Saída. Na tabela de canais de saída são editáveis os seguintes parâmetros para cada canal:
q Nome do Sinal
Especifique aqui o nome do sinal. Este campo é limitado a 15 caracteres.
q Unidade
Especifique aqui a unidade de engenharia do sinal. Este campo é limitado a 7
caracteres.
q Equação
Especifique aqui a expressão aritmética para o cálculo do valor do respectivo canal de
saída. Veja no tópico Operadores e Funções Matemáticas a relação de operadores e
funções disponíveis para a elaboração da expressão aritmética.

? NOTA: a expressão aritmética do canal zk pode referenciar os canais xi e yi das


séries temporais de entrada X e Y e as variáveis auxiliares ai. Pode também referenciar
os canais de saída zj, desde que j < k. Por exemplo, o canal de saída z2 pode fazer
referencia aos canais de saída z0 e z1, mas não pode fazer referência a z2 e z3.

Para auxiliar a edição, um popup menu é disponibilizado ao se pressionar o botão direito do


mouse quando o apontador do mouse está sobre a tabela de canais de saída ou sobre a tabela de
variáveis auxiliares. Os comandos disponíveis no popup menu são:
n Copiar Canal/Variável Selecionada
Este comando copia os parâmetros correspondente ao canal ou à variável selecionada
para serem posteriormente colados em outros canais/variáveis.
n Colar no Canal/Variável Selecionada

44 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


Este comando cola no canal ou na variável selecionada os parâmetros previamente
copiados.
n Colar em Todos os Canais/Variáveis
Este comando cola em todos os canais ou variáveis os parâmetros previamente
copiados.
n Colar em Toda a Coluna Selecionada
Este comando cola em toda a coluna selecionada o respectivo valor previamente
copiado no comando Copiar Canal /Variável Selecionada.

A tabela de variáveis auxiliares e a tabela de canais de saída possuem um caixa de opção


individual para cada variável auxiliar e canal de saída. A caixa de opção deve ser marcada para
habilitar o cálculo da respectiva variável auxiliar ou canal de saída. Em algumas situações pode
ser conveniente inibir temporariamente o cálculo de algumas variáveis auxiliares e/ou canais de
saída. Por exemplo, se tivermos problemas com a expressão de um determinado canal de saída e
o arquivo de série temporal é muito longo, poderíamos habilitar somente o cálculo desse canal
para agilizar o processamento.

4.4.4. Lista de Erros

Após o processamento das operações aritméticas, consulte na pasta Lista de Erros se ocorreram
erros durante a compilação ou processamento das operações aritméticas.

Durante o processamento das operações aritméticas o AqDAnalysis não para a execução na


ocorrência do primeiro erro. A execução prossegue até que ocorram um máximo de 500 erros.
Entre os erros possíveis de execução temos: divisão por zero ou argumento inválido de uma
função matemática. Na ocorrência de um erro de processamento, o AqDAnalysis informa o
número da amostra em que ocorreu o erro e o respectivo canal de saída ou variável auxiliar.

? NOTA: mesmo na ocorrência de erros de execução, o AqDAnalysis gera o arquivo de


série temporal de saída. Nas amostras em que ocorreram erros de execução, o AqDAnalysis
atribui o valor correspondente ao limite superior do respectivo canal de saída.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 45


4.4.5. Operações e Funções Matemáticas

Função /
Operador Descrição Observação
+ Soma
- Subtração
* Multiplicação
/ Divisão
x0 a x255 Referência aos canais da série
temporal de entrada X
y0 a y255 Referência aos canais da série
temporal de entrada Y
ao 0 a9 Referência às variáveis auxiliares
() Parêntesis
12,34 Constantes numéricas
Pi Constante p
t Variável tempo É função da freqüência de
amostragem
Abs (x) Valor absoluto de x
Exp (x) Exponencial de x
Ln (x) Logaritmo natural de x x>0
Sqrt (x) Raiz quadrada de x x>0
Sqr (x) x2
Tan (x) Tangente de x x em radianos
ATan (x) Arc tangente de x Resultado no domínio [-p/2, p/2]
Tanh (x) Tangente hiperbólica de x x em radianos
Sin (x) Seno de x x em radianos
ASin (x) Arc seno de x -1 < x < 1
Resultado no domínio [-p/2, p/2]
Sinh (x) Seno hiperbólico de x x em radianos
Cos (x) Cosseno de x x em radianos
ACos (x) Arc cosseno de x -1 < x < 1
Resultado no domínio [0, p]

46 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


Função /
Operador Descrição Observação
Cosh (x) Cosseno hiperbólico de x x em radianos
Sign (x) Sinal de x Retorna:
1 se x > 0
-1 se x < 0
Rand (x) Gera número aleatório entre -x e x
RandN (x) Gera número aleatório com
distribuição gaussiana de média
zero e desvio padrão igual a x

4.4.6. Arquivo de Configuração de Operações Aritméticas

Os parâmetros da função Operações Aritméticas, configuração dos canais de saída da função e


sufixo utilizado na nomeação automática, podem ser salvas em um arquivo de configuração de
filtragem e recuperados posteriormente.

Para salvar um arquivo de configuração de Operações Aritméticas pressione o botão


e para recuperá-lo pressione o botão . O último arquivo de
configuração aberto é apresentado na caixa de listagem: Última Configuração de Operações
Aritméticas Carregada. Uma outra forma de recuperar um arquivo de configuração é através
desta caixa de listagem que contém os últimos arquivos lidos.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 47


48 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário
C A P Í T U LO 5

FUNÇÕES UTILITÁRIAS

5.1. Filtragem de Spikes


Durante uma aquisição de sinais em ambiente hostil, por exemplo em ambiente sujeito a
religamentos de máquinas elétricas pesadas ou partida de motores, e quando a instrumentação
não está adequada, podem ocorrer esporadicamente algumas amostragens erradas do sinais,
como exemplificada na figura abaixo. Esses spikes podem dificultar a análise posterior dos
sinais aquisitados. A fim de minimizar os efeitos dos spikes, foi implementado no AqDAnalysis
um filtro especial que procura detectar e eliminar os spikes.

Na filtragem de spikes o AqDAnalysis varre as amostras do sinal aquisitado do início ao fim do


arquivo de série temporal. A detecção de spikes é efetuada analisando-se três amostras
consecutivas do sinal. Calcula-se então o valor dy2 que corresponde à diferença em módulo da
primeira e da terceira amostra e o valor dy1 que corresponde à diferença em módulo da segunda
amostra e o ponto médio entre a primeira e terceira amostra. O valor dy1 é a amplitude do
candidato a spike. Para que a segunda amostra seja considerada um spike, a amplitude dy1
deverá ser maior que um limiar especificado e o valor de dy2 deverá ser menor que um outro
limiar especificado pelo usuário. Se os três pontos obedecem o critério descrito, o valor segunda
amostra é então substituida pela média entre os valores da primeira e terceira amostra.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 49


5.1.1. Operação da Função

Para acessar o filtro de spikes, selecione na barra de menu do AqDAnalysis 7 o comando


Ferramentas / Filtragem de Spikes. Ao executar o comando, é apresentada a caixa de diálogo
Filtragem de Spikes.

Na caixa de diálogo Filtragem de Spikes, especifique a série temporal de entrada editando o


nome do arquivo no respectivo campo. Se preferir, pressione o botão para ter acesso à caixa
de diálogo de abertura de arquivo. Se desejar acessar as informações gerais da série temporal de
entrada pressione o respectivo botão .

Especifique o nome do arquivo de série temporal de saída no campo Arquivo de Série Temporal
de Saída. Se preferir deixar que o programa especifique automaticamente o nome do arquivo de
saída, deixe pressionado o botão .

O nome automático para o arquivo de saída é gerado a partir do nome do arquivo de série
temporal de entrada. Ao nome do arquivo de entrada é acrescentado o sufixo _SF e o tipo de
formato do arquivo de saída será o .TEM se o arquivo de entrada tiver este mesmo tipo de
formato, caso contrário o formato .LTD será utilizado.

Após especificar o arquivo de série temporal de entrada, o arquivo de série temporal de saída,
parametrizar a função e selecionar os canais a serem filtrados, pressione o botão
para iniciar a filtragem de spikes.

50 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


5.1.2. Selecionando os Canais e Parametrizando a Filtragem de Spikes

Na parte inferior da caixa de diálogo são listados os canais ativos da série temporal de entrada.
Marque nessa lista os canais a serem filtrados. Os seguintes botões são disponíveis para facilitar
a seleção dos canais a serem filtrados:

q
Utilize este botão para marcar todos os canais da série temporal de entrada, habilitando-
os para a série temporal de saída.

q
Utilize este botão para desmarcar todos os canais da série temporal de entrada, inibindo-
os para a série temporal de saída.

Especifique nos campos seguintes os parâmetros para a filtragem de spikes:


q Amplitude dy1 (%)
Edite neste parâmetro o valor mínimo da amplitude do spike em módulo para que o spike
seja filtrado pela função. Spikes com amplitudes menores que o valor especificado neste
parâmetro não serão filtrados.
q dy2 (%)
Edite neste campo o valor do parâmetro dy2 em porcentagem do fundo de escala da
entrada analógica.

? NOTA: os parâmetros Amplitude dy1 e y2 são utilizados para todos os canais habilitados
para filtragem.

O número de spikes eliminados em cada canal é apresentado ao final da execução do filtro de


spikes.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 51


5.2. Exportação de Propriedades de Canais de Séries
Temporais
Esta função permite selecionar um arquivo de série temporal de referência e copiar o nome, a
unidade de engenharia e/ou os limites de fundo dos escalas de canais selecionados para os
respectivos canais de uma lista de arquivos de série temporal relacionada pelo usuário. Podem-
se também copiar as propriedades dos canais selecionados para as propriedades dos respectivos
canais da configuração de canais de entrada analógica para que sejam utilizadas no próximo
ensaio.

Esta função pode ser muito útil em várias situações. Por exemplo, imagine que você realizou 20
ensaios com a mesma configuração de aquisição mas, ao analisar os dados, você percebe que os
canais utilizados para a aquisição de sinais de acelerômetros foram configurados erroneamente.
Os limites de fundo escala deveriam ter sido configurados em ±5g e não ±2g como estão na sua
configuração da aquisição e nos seus arquivos de séries temporais referentes aos 20 ensaios.
Isso pode não ser um grande problema se você apenas editou os limites erradamente, pois eles
podem ser corrigidos com a ferramenta Edição de Propriedades. No entanto você precisará
fazer essa mesma correção para os demais canais de aceleração e nos 20 arquivos de séries
temporais de ensaio! Felizmente você só precisará fazer as correções em um dos 20 arquivos do
ensaio, usando para isso a Edição de Propriedades. Através do comando a ser descrito neste
tópico, o arquivo corrigido servirá como referência, para a correção automática dos demais
arquivos.

Este comando utilitário pode ser utilizado também para copiar nomes e unidades de canais.

52 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


5.2.1. Operação da Função

Para acessar a função de exportação de propriedades de canais de séries temporais, selecione na


barra de menu do AqDAnalysis 7, o comando Ferramentas / Exporta Propriedades de Canais.
Ao executar o comando é apresentada a caixa de diálogo Exporta Propriedades dos Canais.

Na caixa de diálogo Exporta Propriedades dos Canais, selecione a pasta Arquivo de Referência
e especifique a série temporal de referência editando o nome do arquivo no respectivo campo.
Se preferir, pressione o botão para ter acesso à caixa de diálogo de abertura de arquivo. Se
desejar acessar as informações gerais da série temporal de referência pressione o respectivo
botão .

A lista de arquivos de séries temporais, para os quais as propriedades dos canais serão
exportados, é apresentada na parte inferior da pasta Arquivo de Referência e pode ser
especificada com o auxílio dos seguintes botões:

Ao pressionar este botão, é apresentada uma caixa de diálogo onde se pode


selecionar um conjunto de arquivos a serem inseridos na lista de arquivos a serem
manipulados. Podem ser selecionados apenas arquivos de séries temporais nos
formatos nativos do AqDados (*.TEM e *.LTD).

Ao pressionar este botão, os arquivos selecionados na lista são removidos da lista


de arquivos a serem manipulados pela função.

Uma vez especificada a série temporal de referência, você precisará selecionar os canais e as
propriedades a serem copiadas. Veja como realizar essa operação no próximo tópico.

Após marcar os canais, selecionar as propriedades a serem copiadas e especificar a lista de


arquivos de séries temporais a serem manipulados, pressione o botão para efetuar a
exportação das propriedades selecionadas dos canais marcados para as séries temporais da lista
de arquivos.

ý CUIDADO: verifique atentamente os canais selecionados, as propriedades selecionadas


e as lista de arquivos a serem manipulados antes de efetuar a execução desta função. Este
comando não é reversível.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 53


5.2.2. Selecionando os Canais e as Propriedades a Serem Copiadas

Após especificar o arquivo de série temporal de referência, podem-se selecionar os canais e as


propriedades a serem copiadas através dos controles da pasta Sinais da caixa de diálogo da
função.

Na parte inferior da pasta Sinais da caixa de diálogo Exporta Propriedades dos Canais estão
listados os canais ativos da série temporal de referência com nomes unidades e limites de fundo
de escala. Marque nessa lista os canais cujas propriedades selecionadas serão copiadas. Os
seguintes botões estão disponíveis para o auxílio na marcação dos canais:

q
Utilize este botão para marcar todos os canais da série temporal de referência.

q
Utilize este botão para desmarcar todos os canais da série temporal de referência.

Marque nas seguintes caixas de opção as propriedades a serem copiadas:


q Nome do Canal
Deixe marcada esta caixa de opção se desejar exportar o nome dos canais
selecionados. Se esta caixa de opção não estiver marcada, os nomes dos canais
selecionados devem ser iguais aos dos respectivos canais dos arquivos da lista de séries
temporais.
q Unidade
Deixe marcada esta caixa de opção se desejar exportar a unidade de engenharia dos
canais selecionados. Se esta caixa de opção não estiver marcada, as unidades de

54 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


engenharia dos canais selecionados devem ser iguais aos dos respectivos canais dos
arquivos da lista de séries temporais.
q Limites da Escala
Deixe marcada esta caixa de opção se desejar exportar os limites de escala dos canais
selecionados.

? NOTA: antes de efetuar a exportação das propriedades selecionadas dos canais


marcados para os respectivos canais de cada arquivo da lista de séries temporais, o
AqDAnalysis verifica a consistência de cada arquivo com o arquivo de referência. Se o arquivo
não for consistente com o arquivo de referência, ele não é alterado, mesmo que a
inconsistência seja detectada em apenas um canal do arquivo. O AqDAnalysis realiza as
seguintes consistências:
¨ se a propriedade Nome do Canal não estiver habilitada para exportação, os nomes dos
canais marcados do arquivo de referência devem ser iguais aos do respectivos canais do
arquivo a ser manipulado;
¨ se a propriedade Unidade não estiver habilitada para exportação, as unidades de
engenharia dos canais marcados do arquivo de referência devem ser iguais aos dos
respectivos canais do arquivo a ser manipulado.

Pressione a tecla para salvar os campos editados ou pressione a tecla


para desistir da edição

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 55


5.3. Edição de Arquivo de Série Temporal
A ferramenta Edita Arquivo de Série Temporal permite editar as propriedades do arquivo,
propriedades dos canais, eventos e sinais de um arquivo de série temporal.

Esta função pode ser útil em algumas situações como, por exemplo, alguns canais do ensaio
foram configurados com um tipo de termopar diferente do utilizado, e os valores de
temperatura que estão sendo obtidos não estão corretos. Através desta função, o tipo do canal
pode ser alterado de forma a obter as leituras corretas de temperatura.

Através desta função pode-se também marcar eventos posteriormente ao ensaio, após analisar as
formas de onda dos sinais obtidos, ou alterar o sinal de um canal com funções como edição de
ponto, ligação por reta ou spline.

5.3.1. Operação da Função

Para acessar a função de edição de arquivos de séries temporais, selecione na barra de menu do
AqDAnalysis 7, o comando Ferramentas / Edita Arquivo de Série Temporal. Ao executar o
comando é apresentada a caixa de diálogo Edita Arquivo de Série Temporal.

Estando nesta função, pressione o botão para ter acesso à caixa de diálogo de abertura de
arquivo ou escolha um dos arquivos da caixa de seleção do campo Arquivo de Série Temporal.
Após selecionar um arquivo de série temporal, são apresentadas nas pastas: Geral, Sinais,
Eventos e Gráfico, as informações atualmente gravadas no arquivo.

Os campos que podem ser editadas são apresentadas com fundo branco, enquanto as demais são
apresentadas com fundo amarelo.

56 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


5.3.2. Edição de Propriedades Gerais

Na pasta Geral, pode-se editar os seguintes campos:


q Freqüência de amostragem
q Comentário Principal
q Notas

Além deste campos, esta página disponibiliza o seguinte botão:

q
Este botão possibilita o cálculo do número de amostras efetivamente gravadas no
arquivo, tendo como base o tamanho do mesmo. Esta função é muito útil nos casos em
que o programa AqDados é interrompido no meio da execução de um ensaio, devido à
falta de energia por exemplo, e o número de amostras gravadas até o momento da
interrupção não é registrado. Neste caso, o arquivo é apresentado como contendo zero
amostras, apesar de alguns dados estarem disponíveis. Pressionando-se este botão, o
número de amostras efetivamente gravadas no arquivo é calculado e apresentado no
campo Número de Amostras / Canal.

? NOTA: Este botão somente é habilitado quando o número de amostras do arquivo


for zero. Para efetivar a alteração do número de amostras calculado, pressione o botão

para sair da função.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 57


5.3.3. Edição de Propriedades dos Sinais

Na pasta Sinais, estão disponíveis para edição os seguintes campos para cada canal:
q Nome do sinal
q Unidade
q Tipo
q Limite Inferior
q Limite Superior

58 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


5.3.4. Edição de Eventos

Na pasta Eventos, pode-se alterar, eliminar ou inserir eventos e comentários (os comentários
somente estão disponíveis em arquivos *.LTD). Os campos editáveis são:
q Número de eventos:
Controle para definição do número de eventos do arquivo. O número máximo de eventos
de um arquivo é 32.
q Amostra:
Número da amostra onde ocorreu o evento. Ao editar o número da amostra, o instante
de ocorrência é calculado automaticamente ao sair da célula de edição.
q Instante:
Instante de ocorrência do evento. Ao editar o instante de ocorrência de um evento, o
número da amostra é calculado automaticamente ao sair da célula de edição.
q Comentário:
Este campo somente é editável para arquivos *.LTD

Além destes campos, esta página disponibiliza o seguinte botão:

q
Este botão permite remover o evento da linha onde se encontra a célula selecionada.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 59


5.3.5. Edição de Gráficos

Na pasta gráficos é apresentado o gráfico do sinal selecionado. Nesta página pode-se editar os
dados do sinal, marcar e desmarcar eventos.

Na Barra de Ferramentas desta página encontramos os seguintes botões:

Salva Edição de Sinal


Salva os pontos do sinal editados até o momento.

Edita Ponto
Entra no modo de edição de ponto. Para editar um ponto, pressione o botão
esquerdo do mouse quando o mesmo estiver sobre o ponto desejado ou
coordenada horizontal do mesmo e com o botão pressionado, movimente o mouse
para cima ou para baixo, dependendo da alteração desejada. Para finalizar a edição
do ponto, solte o botão do mouse.

Marca Ponto
Entra no modo marcação de pontos. Para marcar um ponto, pressione o botão
esquerdo do mouse quando o mesmo estiver sobre o ponto desejado ou
coordenada horizontal do mesmo. Se o ponto já estiver marcado, ele é

60 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


desmarcado.

Liga Pontos por Retas


Liga os pontos marcados anteriormente por retas. São necessários no mínimo dois
pontos para utilização da função.

Liga Pontos por Spline


Liga os pontos marcados anteriormente utilizando algoritmo spline. São necessários
no mínimo quatro pontos para utilização da função.

Modo Mais Zoom


Modo de operação onde o usuário pode visualizar mais detalhes do gráfico. Para
maiores detalhes veja o capítulo sobre o Modo Zoom.

Modo Menos Zoom:


Modo de operação onde o usuário pode diminuir o nível de detalhe de um gráfico.
Para maiores detalhes veja o capítulo sobre o Modo Zoom.

Propriedades do Gráfico
Este comando abre uma caixa de diálogo que permite alterar as propriedades do
gráfico: escalas e modo de apresentação do gráfico.

Otimiza Escala
Otimiza as escalas para melhor visualização do gráfico.

Maximiza Escala Vertical


Ajusta a escala vertical, para os limites superior e inferior configurados para o sinal
no arquivo de dados.

Maximiza Escala Horizontal


Ajusta a escala horizontal para apresentação de todos os dados do sinal.

Início do Arquivo
Ajusta a escala horizontal do gráfico de modo a apresentar o intervalo inicial do
arquivo de dados.

Retorno Rápido
Ajusta a escala horizontal de modo que o intervalo de tempo seja deslocado menos
90% em relação ao atual.

Retorno Lento
Ajusta a escala horizontal de modo que o intervalo de tempo seja deslocado menos
10% em relação ao atual.

Avanço Lento
Ajusta a escala horizontal de modo que o intervalo de tempo seja deslocado mais

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 61


10% em relação ao atual.

Avanço Rápido
Ajusta a escala horizontal de modo que o intervalo de tempo seja deslocado mais
90% em relação ao atual.

Fim de Arquivo
Ajusta a escala horizontal de modo que o intervalo de tempo apresentado seja o do
final do arquivo.

Além destes botões, esta página disponibiliza os seguintes campos:


q Eventos:
Quando esta opção está assinalada são apresentados os eventos do arquivo sobre o
gráfico apresentado.
q Sinal:
Campo de escolha de sinais para visualização do mesmo na forma gráfica.

Pressione a tecla para encerrar a edição e salvar os campos editados ou pressione


a tecla para desistir da edição.

5.3.6. Menu de Atalho do Modo Zoom para Edição

Quando estiver em Modo Zoom e o botão direito do mouse for pressionado quando este se
encontra sobre o gráfico, é apresentado o seguinte menu de atalho:

Através deste menu, é possível:


¨ Finalizar o Modo Zoom;
¨ Alterar o tipo de zoom;
¨ Restaurar a escala anterior;
¨ Alterar parâmetros da função.

62 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


5.3.7. Menu de Atalho de Edição

Estando em Modo Normal de edição, se o botão direito do mouse for pressionado quando este
se encontra sobre o gráfico, é apresentado o seguinte menu de atalho:

Através deste menu, é possível:


¨ Desfazer as últimas edições de ponto;
¨ Remover os últimos pontos marcados;
¨ Remover todos os pontos marcados;
¨ Descartar as alterações do sinal;
¨ Marcar evento no local indicado pelo mouse;
¨ Desmarcar evento indicado pelo mouse.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 63


5.4. Importação de Arquivo Texto
A ferramenta Importa arquivo texto permite ler dados de um arquivo tipo texto gerado, por
exemplo, pelo AqDados ou pelo AqDAnalysis, e gravá-los em um arquivo de série temporal
formato AqDados.

O arquivo texto pode conter ou não os nomes e unidades dos canais (primeira e/ou segunda
linha(s) do arquivo), dependendo da versão do AqDados que foi usada para gerá-lo e, para cada
amostragem (uma linha do arquivo), os dados dos canais podem ser separados por espaços ou
pelo caracter de tabulação.

Para acessar a função de importação de arquivo texto, selecione na barra de menu do


AqDAnalysis 7, o comando Ferramentas / Importa Arquivo Texto. Ao executar o comando é
apresentada a caixa de diálogo Importa Arquivo Texto.

Na caixa de diálogo Importa arquivo Texto, pode-se selecionar a pasta Arquivos e especificar
um novo arquivo texto de entrada editando o nome do arquivo no respectivo campo. Se
preferir, pressione o botão para ter acesso à caixa de diálogo de abertura de arquivo ou
escolher uma das opções da caixa.

Especifique o nome do arquivo de série temporal de saída no campo Arquivo de Série Temporal
de Saída. Se preferir deixar que o programa especifique automaticamente o nome do arquivo de
saída, deixe pressionado o botão .

64 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


O nome automático para o arquivo de saída é gerado a partir do nome do arquivo texto de
entrada. A extensão do arquivo de saída será o .LTD.

Após selecionar um arquivo tipo texto, o programa verifica os canais gravados, a freqüência de
amostragem (se os instantes de amostragem estiverem disponíveis no arquivo) e os limites
máximo e mínimo para cada canal. O resultado desta verificação é apresentada na página
Canais.

5.4.1. Parâmetros

Nesta função são editáveis os seguintes parâmetro:


q Freqüência de Amostragem:
Se os instantes de amostragem estiverem disponíveis no arquivo, o programa calcula
automaticamente o valor da freqüência de amostragem. Este campo pode ser editado
caso a freqüência não possa ser calculada ou o usuário opte por outro valor.
q Comentário
Edite aqui um comentário para a série temporal de saída. O comentário é limitado a 30
caracteres.
q Notas
Edite aqui anotações sobre a série temporal de saída, limitada a 255 caracteres para
arquivos .LTD e 180 caracteres para arquivos .TEM.

5.4.2. Canais de Saída

Na página Canais são especificados o número de canais, os canais encontrados no arquivo, os


limites de variação dos dados dos mesmos e a coluna de tempo encontrada.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 65


O usuário pode editar os seguintes parâmetros na tabela de canais: nome do sinal, unidade,
limite superior e inferior.

Se o arquivo texto não possui informações sobre as colunas (nomes e unidades nas primeiras
duas linhas do arquivo) mas a primeira coluna de dados corresponde à coluna de tempo dado em
segundos, ms, minutos ou horas, o programa poderá determinar a freqüência de amostragem a
partir dos dados da primeira coluna. Nesse caso selecione na caixa de seleção Coluna de Tempo
a unidade correspondente aos valores da coluna de tempo. Você deverá selecionar uma das
opções citadas acima. Qualquer opção diferente de Nenhuma faz com que o programa não gere
o canal correspondente à primeira coluna.

Especificados o arquivo texto de entrada, o arquivo de série temporal de saída e parâmetros da


função, pressione o botão para iníciar a conversão do arquivo texto para arquivo de
série temporal.

66 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


C A P Í T U LO 6

ANÁLISE ESTATÍSTICA DE SÉRIES TEMPORAIS

Este comando realiza a análise estatística de séries temporais. Na análise estatística a série
temporal é dividida em segmentos (trechos) de mesmo tamanho (em amostras) e para cada
segmento é calculada a estatística dos canais selecionados, obtendo-se os valores máximo,
mínimo, média, desvio padrão e o valor RMS. Esses valores são gravados em um arquivo de
estatística.

6.1. Operação da Análise Estatística


Para acessar a Análise Estatística, selecione na barra de menu do AqDAnalysis 7, o comando
Análise / Estatística por Trechos. Ao executar o comando, é apresentada a caixa de diálogo
Estatística por Trechos.

Na caixa de diálogo Estatística por Trechos selecione a pasta Arquivo e especifique a série
temporal de entrada editando o nome do arquivo no respectivo campo. Se preferir, pressione o
botão para ter acesso à caixa de diálogo de abertura de arquivo. Para acessar as informações
gerais da série temporal de entrada, pressione o respectivo botão .

Especifique o nome do arquivo de estatística de saída no campo Arquivo de Estatística de Saída.


Se preferir deixar que o programa especifique automaticamente o nome do arquivo de saída,
deixe pressionado o botão .

O nome automático para o arquivo de saída é gerado a partir do nome do arquivo de série
temporal de entrada. O tipo de formato do arquivo de estatística de saída será .STT se o
arquivo de entrada for do tipo .TEM, caso contrário o formato .LSS será utilizado. O formato
.STT é limitado a 32 canais enquanto o formato .LSS é limitado a 256 canais.

Após especificar o arquivo de série temporal de entrada e o arquivo de estatística de saída,


selecione os canais da série temporal de entrada a serem analisados e parametrize a análise
estatística na pasta Parâmetros da caixa de diálogo. Em seguida pressione o botão
para iniciar a análise estatística.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 67


Após a efetivação do cálculo da análise estatística, o arquivo de estatística gerado pela análise
pode ser rapidamente consultado pressionando-se o botão situado na frente do campo
campo referente ao nome do arquivo de estatística de saída.

6.2. Selecionando os Canais para a Análise Estatística


Na parte inferior da pasta Arquivo da caixa de diálogo Estatística por Trechos estão listados os
canais ativos da série temporal de entrada. Marque nessa lista os canais a serem analisados. Os
seguintes botões estão disponíveis para o auxílio na marcação dos canais:

q
Utilize este botão para marcar todos os canais da série temporal de entrada, habilitando-
os para a análise estatística.

q
Utilize este botão para desmarcar todos os canais da série temporal de entrada, inibindo-
os para a análise estatística.

68 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


6.3. Parâmetros da Análise Estatística
Na análise estatística, os seguintes parâmetros são editáveis na pasta Parâmetros da caixa de
diálogo da função:
q Comentário
Edite aqui um comentário para o arquivo de estatística de saída. O comentário é limitado
a 30 caracteres.
q Tamanho do Trecho
Especifique neste campo o tamanho do segmento (trecho) em número de amostras.
q Número de Trechos
Especifique neste campo o número de segmentos (trechos) a serem analisados. O
número de amostras da série temporal de entrada deve ser maior que o número de
trechos vezes o tamanho especificado para cada trecho.

6.4. Consulta Rápida a um Arquivo de Estatística


Uma consulta rápida ao arquivo de estatística gerado pela análise pode ser efetuada
pressionando-se o botão situado na frente do campo referente ao nome do arquivo de
estatística de saída.

A janela de consulta de arquivo de estatística possui 5 pastas:


q Info
Nesta pasta são apresentadas informações gerais do arquivo.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 69


q Sinais
Esta pasta lista os sinais do arquivo de estatística, apresentado o nome e a unidade de
engenharia de cada sinal.
q Gráfico
Nesta pasta pode-se visualizar um gráfico de estatística. O sinal e o tipo de dado
estatístico a ser visualizado no gráfico podem ser selecionados pelo usuário.
q Tabela de Trechos
Nesta pasta é apresentada uma tabela com os valores estatísticos de cada trecho do
sinal selecionado. É apresentado também a estatística global do sinal.
q Tabela de Canais
Nesta pasta é apresentada uma tabela com os valores estatísticos de todos os canais
para o trecho selecionado. Opcionalmente pode-se visualizar a estatística global no lugar
da estatística do segmento selecionado.

Os seguintes botões podem ser utilizados para copiar o conteúdo da pasta selecionada para a
área de transferência do Windows ou para um arquivo:

Este botão copia o conteúdo da pasta selecionada para a área de transferência do


Windows. Se a pasta selecionada for a pasta Gráfico, o gráfico da estatística é
copiado para a área de transferência do Windows como bitmap. Após copiar o
gráfico, você pode colar o gráfico diretamente no seu editor de texto, por exemplo no
Word da Microsoft. Se a pasta selecionada for a pasta Sinais, a lista de sinais do
arquivo de estatística é copiada para a área de transferência. A seguir, você pode
colar a lista de sinais na sua planilha ou no editor de texto. No caso do Word, após
colar a lista, selecione a lista e execute o comando Inserir Tabela do Word. A lista de
sinais será transformada numa tabela do Word. Nas pastas Info, Tabela de Trechos
e Tabela de Canais, você pode selecionar um trecho não fixo da tabela e copiá-lo
para a área de transferência. Se desejar selecionar toda a tabela da pasta, clique
sobre a primeira célula fixa da tabela.

Análogo ao botão anterior, mas copia para um arquivo bitmap se a pasta


selecionada for a pasta Gráfico ou para um arquivo tipo texto nas demais pastas.

6.4.1. Informações do Arquivo de Estatística

Na pasta Info da janela de consulta são apresentadas as seguintes informações gerais do arquivo
de estatística:
n Tipo de arquivo
Indica o formato do arquivo de estatística.
n Nome do arquivo
n Data/hora
n Comentário

70 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


n Número de canais
n Número de trechos
n Tamanho do trecho
n Série temporal de entrada

6.4.2. Visualização Gráfica da Estatística

A visualização gráfica é realizada na pasta Gráfico. O sinal a ser visualizado pode ser
selecionado na caixa de seleção situada na parte superior da janela (veja figura seguinte).

O tipo de dado estatístico a ser visualizado no gráfico é selecionável através da caixa de seleção
no canto superior direito da janela. As opções disponíveis são:
n Mínimo
n Máximo
n Média
n RMS (valor eficaz)
n Desvio padrão

6.4.3. Tabela de Estatística por Trechos

Na pasta Tabela por Trechos é apresentada a tabela de estatística por trechos do sinal
selecionado. Para cada trecho são apresentados os seguintes dados estatísticos: Mínimo,
Máximo, Média, Valor RMS e Desvio Padrão. Nessa tabela é apresentada também a estatística

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 71


global do sinal selecionado, que corresponde à estatística de todos os trechos do sinal.

Utilize o controle para definir o número de casas decimais na apresentação numérica da


tabela.

þ DICA: o caracter utilizado para ponto decimal nos valores numéricos apresentados na
tabela é o configurado no Windows. Esse caracter pode ser modificado nas Configurações
Regionais do Painel de Controle do Windows. Talvez você precise configurar esse caracter se
for exportar a tabela para outros programas no Windows que não se configurem
automaticamente.

6.4.4. Tabela de Estatística por Canais

Na pasta Tabela de Canais é apresentada a tabela de estatística dos canais. Para cada sinal do
arquivo de estatística são apresentados os dados estatísticos: Mínimo, Máximo, Média, Valor
RMS e Desvio Padrão para o segmento (trecho) selecionado. Se desejar visualizar a estatística
global dos canais, marque a caixa de opção Estatística Global.

72 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 73
74 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário
C A P Í T U LO 7

ANÁLISE ESPECTRAL

Este capítulo engloba as funções destinadas à análise no domínio da freqüência:


n Auto Espectro
n Espectro Cruzado
n Função de Transferência

7.1. Auto-Espectro
Este comando permite calcular o espectro de potência (auto-espectro) e o espectro linear
(espectro-complexo) de séries temporais. O espectro médio é calculado através da média dos
espectros de cada uma das janelas de dados, analisadas individualmente. Os espectros
calculados são armazenados em arquivos de série de freqüência para posterior consulta.

7.1.1. Operação do Cálculo do Auto-Espectro

Para acessar a função Auto Espectro, selecione na barra de menu do AqDAnalysis 7 o comando
Análise / Auto Espectro. Ao executar o comando, é apresentada a caixa de diálogo Auto-
Espectro.

Na caixa de diálogo Auto-Espectro, selecione a pasta Arquivo e especifique a série temporal de


entrada editando o nome do arquivo no respectivo campo. Se preferir, pressione o botão
para ter acesso à caixa de diálogo de abertura de arquivo. Para acessar as informações gerais da
série temporal de entrada, pressione o respectivo botão .

Especifique o nome do arquivo de série de freqüência de saída no campo Arquivo de Série de


Freqüência de Saída. Se preferir deixar que o programa especifique automaticamente o nome
do arquivo de saída, deixe pressionado o botão .

O nome automático para o arquivo de saída é gerado a partir do nome do arquivo de série

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 75


temporal de entrada. O tipo de formato do arquivo de série de freqüência de saída será .FRQ se
o arquivo de entrada for do tipo .TEM, caso contrário o formato .LFD será utilizado.

Após especificar o arquivo de série temporal de entrada e o arquivo de série de freqüência de


saída, selecione os canais da série temporal de entrada a serem processados e parametrize a
análise espectral na pasta Parâmetros da caixa de diálogo. Em seguida pressione o botão
para efetuar o cálculo da análise espectral.

Após a efetivação do cálculo da análise espectral, o arquivo de série de freqüência gerado pode
ser rapidamente consultado pressionando-se o botão situado na frente do campo referente
ao nome do arquivo de série de freqüência de saída.

7.1.2. Selecionado os Canais para o Cálculo do Auto-Espectro

Na parte inferior da pasta Arquivo da caixa de diálogo Auto-Espectro estão listados os canais
ativos da série temporal de entrada. Marque nessa lista os canais a serem processados. Os
seguintes botões estão disponíveis para o auxílio na marcação dos canais:

q
Utilize este botão para marcar todos os canais da série temporal de entrada, habilitando-
os para a análise espectral.

76 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


Utilize este botão para desmarcar todos os canais da série temporal de entrada, inibindo-
os para a análise espectral.

7.1.3. Parâmetros da Análise Espectral

No cálculo do auto-espectro ou espectro linear, os seguintes parâmetros do arquivo de série de


freqüência de saída são editáveis na pasta Parâmetros da caixa de diálogo da função:
q Comentário
Edite aqui um comentário para o arquivo de série de freqüência de saída. O comentário é
limitado a 30 caracteres.
q Tipo de Espectro
Este campo é uma caixa de seleção do tipo de espectro a ser calculado. As opções
disponíveis são: Auto-Espectro e Espectro linear.
q Janela de Compensação
Este campo é uma caixa de seleção para a escolha do tipo de janela de compensação a
ser utilizada na análise espectral para atenuar o efeito de truncamento nos limites de
cada janela de análise. As opções disponíveis de janela de compensação são:
Retangular, Hanning, Hamming, Bartlett e Blackman.
q Resolução do Espectro
Selecione nesta caixa de seleção a resolução desejada para o espectro. As opções
disponíveis são: 256, 512, 1024, 2048, 4096 e 8192 raias.
q Inicia análise em
Selecione nesta caixa de seleção em que instante da série temporal de entrada se
iniciará a análise espectral. As opções disponíveis são: t = 0 e t = t1. Na opção t = 0 a
análise se inicia na primeira amostra da série temporal. Na opção t = t1 a análise se
inicia na amostra correspondente ao instante t1 apresentado no painel ao lado deste
controle. O instante t1 pode ser definido no gráfico temporal, apresentado na parte
inferior da pasta Parâmetros, pressionando-se o botão esquerdo do mouse quando o
apontador do mouse estiver sobre o gráfico.
q Sobreposição Porcentual
Especifique neste parâmetro a sobreposição das janelas de dados a ser utilizada no
cálculo do espectro. Os valores disponíveis para este parâmetro são de 0 a 99%, sendo
0% o valor normal para este parâmetro. Por exemplo, se a resolução do espectro for de
512 raias e a sobreposição especificada igual a 50%, a primeira janela de dados
corresponderá às amostras de número 0 a 1023. A segunda janela de dados
corresponderá às amostras de número 512 a (512 + 1024-1) e assim sucessivamente.
Observe que as últimas 512 amostras da primeira janela de dados também são utilizadas
nas primeiras 512 amostras da segunda janela de dados. Se a sobreposição for
especificada em 0%, a segunda janela de dados corresponderá às amostras de número
1024 a 2047, não havendo nenhuma sobreposição com as amostras da janela de dados
anterior.
q N° de Janelas na Média
Especifique aqui o número de janelas de dados a serem utilizadas no cálculo do
espectro médio.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 77


q Zoom da FFT
Este parâmetro corresponde ao fator de aumento da resolução de freqüência do
espectro. Ele corresponde à divisão da freqüência de amostragem por este fator. Para
evitar efeitos de sub-amostragem ("aliasing"), o valor deste parâmetro deve ser limitado
pela relação:

Banda do Sinal < (Freqüência de Amostragem) / (2 * Zoom FFT)

O valor normal para este parâmetro é 1.

Na parte inferior da pasta Parâmetros, é apresentado um gráfico para a visualização rápida de


um dos canais da série temporal de entrada. A barra de rolagem horizontal permite posicionar a
escala de tempo. O trecho destacado na barra na parte inferior da pasta indica o trecho a ser
analisado em relação a duração total do arquivo de série temporal de entrada.

78 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


7.2. Espectro Cruzado
Este comando permite calcular o espectro cruzado (cross-espectro) de dois arquivos de série
temporal. O espectro médio é calculado através da média dos espectros cruzados de cada uma
das janelas de dados, analisadas individualmente. Os espectros calculados são armazenados em
arquivos de série de freqüência para posterior consulta.

7.2.1. Operação do Cálculo do Espectro Cruzado

Para acessar a função Espectro Cruzado, selecione na barra de menu do AqDAnalysis 7 o


comando Análise / Espectro Cruzado. Ao executar o comando, é apresentada a caixa de diálogo
Cross-Espectro.

Na caixa de diálogo Cross-Espectro, selecione a pasta Arquivo e especifique as série temporais


de entrada 1 e 2 editando o nome do arquivo no respectivo campo. Se preferir, pressione o botão
para ter acesso à caixa de diálogo de abertura de arquivo. Para acessar as informações
gerais da série temporal de entrada, pressione o respectivo botão . Se for calcular o espectro
cruzado entre os canais de um mesmo arquivo de série temporal, especifique esse arquivo nos
campos referentes às séries temporais de entrada 1 e 2.

Especifique o nome do arquivo de série de freqüência de saída no campo Arquivo de Série de

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 79


Freqüência de Saída. Se preferir deixar que o programa especifique automaticamente o nome
do arquivo de saída, deixe pressionado o botão .

O nome automático para o arquivo de saída é gerado a partir do nome do arquivo de série
temporal de entrada 1. Ao nome do arquivo de entrada 1 é acrescentado o sufixo CS e o tipo de
formato do arquivo de série de freqüência de saída será .FRQ se o arquivo de entrada for do
tipo .TEM, caso contrário o formato .LFD será utilizado.

Após especificar os arquivos de séries temporais de entrada e o arquivo de série de freqüência


de saída, selecione os canais das série temporais de entrada a serem processados e parametrize a
análise espectral na pasta Parâmetros da caixa de diálogo. Em seguida pressione o botão
para efetuar a análise espectral.

Após a efetivação do cálculo da análise espectral, o arquivo de série de freqüência gerado pode
ser rapidamente consultado pressionando-se o botão situado na frente do campo referente
ao nome do arquivo de série de freqüência de saída.

7.2.2. Selecionado os Canais para o Cálculo do Espectro Cruzado

Na parte inferior da pasta Arquivo da caixa de diálogo Cross-Espectro estão listados os canais
ativos das séries temporais de entrada. Marque nessas listas os canais a serem processados. Os
seguintes botões estão disponíveis para o auxílio na marcação dos canais:

q
Utilize este botão para marcar todos os canais da série temporal de entrada, habilitando-
os para a análise espectral.

q
Utilize este botão para desmarcar todos os canais da série temporal de entrada, inibindo-
os para a análise espectral.

7.2.3. Parâmetros do Espectro Cruzado

No cálculo do espectro cruzado, os seguintes parâmetros do arquivo de série de freqüência de


saída são editáveis na pasta Parâmetros da caixa de diálogo da função:
q Comentário
Edite aqui um comentário para o arquivo de série de freqüência de saída. O comentário é
limitado a 30 caracteres.
q Calcula Coerência
Marque esta caixa de opção se deseja calcular também a matriz de coerência entre os
canais das séries temporais de entrada.

80 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


q Janela de Compensação
Este campo é uma caixa de seleção para a escolha do tipo de janela de compensação
utilizada na análise espectral para atenuar o efeito de truncamento nos limites de cada
janela de análise. As opções disponíveis de janela de compensação são: Retangular,
Hanning, Hamming, Bartlett e Blackman.
q Resolução do Espectro
Selecione nesta caixa de seleção a resolução desejada para o espectro. As opções
disponíveis são: 256, 512, 1024, 2048, 4096 e 8192 raias.
q Inicia análise em
Selecione nesta caixa de seleção em que instante da série temporal de entrada se
iniciará a análise espectral. As opções disponíveis são: t = 0 e t = t1. Na opção t = 0 a
análise se inicia na primeira amostra da série temporal. Na opção t = t1 a análise se
inicia na amostra correspondente ao instante t1 apresentado no painel ao lado deste
controle. O instante t1 pode ser definido no gráfico temporal, apresentado na parte
inferior da pasta Parâmetros, pressionando-se o botão esquerdo do mouse quando o
apontador do mouse estiver sobre o gráfico.
q Sobreposição Porcentual
Especifique neste parâmetro a sobreposição das janelas de dados a ser utilizada no
cálculo do espectro. Os valores disponíveis para este parâmetro são de 0 a 99%, sendo
0% o valor normal para este parâmetro. Por exemplo, se a resolução do espectro for de
512 raias e a sobreposição especificada igual a 50%, a primeira janela de dados
corresponderá às amostras de número 0 a 1023. A segunda janela de dados
corresponderá às amostras de número 512 a (512 + 1024-1) e assim sucessivamente.
Observe que as últimas 512 amostras da primeira janela de dados também são utilizadas
nas primeiras 512 amostras da segunda janela de dados. Se a sobreposição for
especificada em 0%, a segunda janela de dados corresponderá às amostras de número
1024 a 2047, não havendo nenhuma sobreposição com as amostras da janela de dados
anterior.
q N° de Janelas na Média
Especifique aqui o número de janelas de dados a serem utilizadas no cálculo do
espectro médio.
q Zoom da FFT
Este parâmetro corresponde ao fator de aumento da resolução de freqüência do
espectro. Ele corresponde à divisão da freqüência de amostragem por este fator. Para
evitar efeitos de sub-amostragem ("aliasing"), o valor deste parâmetro deve ser limitado
pela relação:

Banda do Sinal < (Freqüência de Amostragem) / (2 * Zoom FFT)

O valor normal para este parâmetro é 1.

Na parte inferior da pasta Parâmetros, é apresentado um gráfico para a visualização rápida de


um dos canais da série temporal de entrada 1. A barra de rolagem horizontal permite posicionar
a escala de tempo. O trecho destacado na barra na parte inferior da pasta indica o trecho a ser
analisado em relação a duração total do arquivo de série temporal de entrada.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 81


82 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário
7.3. Função de Transferência
Esta comando permite calcular a matriz de função de transferência para um sistema com
entradas e respostas múltiplas (veja figura abaixo). A função de transferência é obtida pela
média de um número determinado de janelas de dados, cujo tamanho é definível pelo usuário.
Os espectros calculados são armazenados em arquivos de série de freqüência para posterior
consulta.

Antes de executar esta função é necessário realizar N ensaios. Nestes ensaios cada excitação é
aplicada isoladamente no sistema e são gravados N arquivos de séries temporais, cada um
contendo pelo menos M+N canais. Onde M é o número de canais de resposta e N o número de
canais de excitação. Estes arquivos devem possuir as mesmas características (freqüência de
amostragem, número de amostras e número de canais).

O nome dos arquivos de série temporal deve finalizar com um número inteiro, indicando a
excitação aplicada. Por exemplo, para 4 excitações os arquivos poderiam ser:

TESTE1.TEM
TESTE2.TEM
TESTE3.TEM
TESTE4.TEM

Neste caso, os nomes têm um mesmo prefixo (TESTE) mas são diferenciados pelos números de
1 a 4.

7.3.1. Operação do Cálculo da Função de Transferência

Para calcular a Função de Transferência, selecione na barra de menu do AqDAnalysis 7 o


comando Análise / Função de Transferência. Ao executar o comando, é apresentada a caixa de

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 83


diálogo Função de Transferência.

Na caixa de diálogo Função de Transferência, selecione a pasta Arquivo e especifique no


campo Arquivo de Série Temporal de Entrada um dos arquivos de ensaio realizados para o
levantamento da função de transferência. Se preferir, pressione o botão para ter acesso à
caixa de diálogo de abertura de arquivo. Para acessar as informações gerais da série temporal de
entrada, pressione o respectivo botão .

Especifique o nome do arquivo de série de freqüência de saída no campo Arquivo de Série de


Freqüência de Saída. Se preferir deixar que o programa especifique automaticamente o nome
do arquivo de saída, deixe pressionado o botão .

O nome automático para o arquivo de saída é gerado a partir do nome do arquivo de série
temporal de entrada. Ao nome do arquivo de série temporal é acrescentado o sufixo TF e o tipo
de formato do arquivo de série de freqüência de saída será .FRQ se o arquivo de entrada for do
tipo .TEM, caso contrário o formato .LFD será utilizado.

Após especificar o arquivo de série temporal de entrada e o arquivo de série de freqüência de


saída, selecione os canais da série temporal referentes às excitações e às respostas e parametrize
a análise espectral na pasta Parâmetros da caixa de diálogo. Em seguida pressione o botão
para executar o cálculo da função de transferência.

Após a efetivação do cálculo da análise espectral, o arquivo de série de freqüência gerado pode

84 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


ser rapidamente consultado pressionando-se o botão situado na frente do campo referente
ao nome do arquivo de série de freqüência de saída.

7.3.2. Selecionado os Canais para o Cálculo da Função de Transferência

Na parte inferior da pasta Arquivo da caixa de diálogo Função de Transferência estão listados
os canais ativos das séries temporais de entrada. Marque na lista dos canais da coluna os canais
correspondentes aos canais de excitação. Na lista de canais da linha marque os canais
correspondentes aos canais de resposta do sistema. Os seguintes botões estão disponíveis para o
auxílio na marcação dos canais:

q
Utilize este botão para marcar todos os canais da série temporal.

q
Utilize este botão para desmarcar todos os canais da série temporal.

7.3.3. Parâmetros da Função de Transferência

No cálculo da função de transferência, os seguintes parâmetros do arquivo de série de


freqüência de saída são editáveis na pasta Parâmetros da caixa de diálogo da função:
q Comentário
Edite aqui um comentário para o arquivo de série de freqüência de saída. O comentário é
limitado a 30 caracteres.
q Calcula Coerência
Marque esta caixa de opção se deseja calcular também a matriz de coerência entre os
canais das séries temporais de entrada.
q Janela de Compensação
Este campo é uma caixa de seleção para a escolha do tipo de janela de compensação
utilizada na análise espectral para atenuar o efeito de truncamento nos limites de cada
janela de análise. As opções disponíveis de janela de compensação são: Retangular,
Hanning, Hamming, Bartlett e Blackman.
q Resolução do Espectro
Selecione nesta caixa de seleção a resolução desejada para o espectro. As opções
disponíveis são: 256, 512, 1024, 2048, 4096 e 8192 raias.
q Inicia análise em
Selecione nesta caixa de seleção em que instante da série temporal de entrada se
iniciará a análise espectral. As opções disponíveis são: t = 0 e t = t1. Na opção t = 0 a
análise se inicia na primeira amostra da série temporal. Na opção t = t1 a análise se
inicia na amostra correspondente ao instante t1 apresentado no painel ao lado deste
controle. O instante t1 pode ser definido no gráfico temporal, apresentado na parte
inferior da pasta Parâmetros, pressionando-se o botão esquerdo do mouse quando o

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 85


apontador do mouse estiver sobre o gráfico.
q Sobreposição Porcentual
Especifique neste parâmetro a sobreposição das janelas de dados a ser utilizada no
cálculo do espectro. Os valores disponíveis para este parâmetro são de 0 a 99%, sendo
0% o valor normal para este parâmetro. Por exemplo, se a resolução do espectro for de
512 raias e a sobreposição especificada igual a 50%, a primeira janela de dados
corresponderá às amostras de número 0 a 1023. A segunda janela de dados
corresponderá às amostras de número 512 a (512 + 1024-1) e assim sucessivamente.
Observe que as últimas 512 amostras da primeira janela de dados também são utilizadas
nas primeiras 512 amostras da segunda janela de dados. Se a sobreposição for
especificada em 0%, a segunda janela de dados corresponderá às amostras de número
1024 a 2047, não havendo nenhuma sobreposição com as amostras da janela de dados
anterior.
q N° de Janelas na Média
Especifique aqui o número de janelas de dados a serem utilizadas no cálculo do
espectro médio.
q Zoom da FFT
Este parâmetro corresponde ao fator de aumento da resolução de freqüência do
espectro. Ele corresponde à divisão da freqüência de amostragem por este fator. Para
evitar efeitos de sub-amostragem ("aliasing"), o valor deste parâmetro deve ser limitado
pela relação:

Banda do Sinal < (Freqüência de Amostragem) / (2 * Zoom FFT)

O valor normal para este parâmetro é 1.

Na parte inferior da pasta Parâmetros, é apresentado um gráfico para a visualização rápida de


um dos canais da série temporal de entrada. A barra de rolagem horizontal permite posicionar a
escala de tempo. O trecho destacado na barra na parte inferior da pasta indica o trecho a ser
analisado em relação a duração total do arquivo de série temporal de entrada.

86 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 87
7.4. Consulta Rápida a um Arquivo de Espectro
Uma consulta rápida ao arquivo de série de freqüência (arquivo de espectro), gerado na funções
de análise espectral, pode ser efetuada pressionando-se o botão situado na frente do campo
referente ao nome do arquivo de série de freqüência de saída.

Essa janela é apresentada na figura abaixo.

A janela de consulta de arquivo de espectro possui 4 pastas:


n Info
Nesta pasta são apresentadas informações gerais do arquivo.
n Canais
Esta pasta lista os canais do arquivo de espectro, apresentando os nomes e as unidades
de engenharia dos canais.
n Gráfico
Nesta pasta pode-se visualizar um gráfico de espectro. O canal e o formato de
representação do espectro pode ser selecionado pelo usuário.
n Tabela
Nesta pasta é apresentada uma tabela com os valores das raias do espectro e os
respectivos valores de freqüência. O canal e o formato de representação do espectro
podem ser selecionados pelo usuário.

Os seguintes botões podem ser utilizados para copiar o conteúdo da pasta selecionada para a
área de transferência do Windows ou para um arquivo:

88 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


Este botão copia o conteúdo da pasta selecionada para a área de transferência do
Windows. Se a pasta selecionada for a pasta Gráfico, o gráfico do espectro é
copiado para a área de transferência do Windows como bitmap. Após copiar o
gráfico, você pode colar o gráfico diretamente no seu editor de texto, por exemplo no
Word da Microsoft. Se a pasta selecionada for a pasta Canais, a lista de canais do
arquivo de espectro é copiada para a área de transferência. A seguir, você pode
colar a lista de canais na sua planilha ou no editor de texto. No caso do Word, após
colar a lista, selecione a lista e execute o comando Inserir Tabela do Word. A lista de
canais será transformada numa tabela do Word. Nas pastas Info e Tabela, você
pode selecionar um trecho não fixo da tabela e copiar o trecho selecionado na de
transferência. Se desejar selecionar toda a tabela da pasta, clique sobre a primeira
célula fixa da tabela.

Análogo ao botão anterior, mas copia para um arquivo bitmap se a pasta


selecionada for a pasta Gráfico ou para um arquivo tipo texto nas demais pastas.

7.4.1. Informações do Arquivo de Espectro

Na pasta Info da janela de consulta são apresentadas as seguintes informações gerais do arquivo
de espectro:
n Tipo de arquivo
Indica o formato do arquivo de espectro.
n Nome do arquivo
n Data/hora
n Comentário
n Tipo de espectro
Indica o tipo de arquivo de espectro. Pode ser: Auto-Espectro, Espectro Linear, Cross-
Espectro, Função de Transferência e Coerência.
n Número de colunas
n Número de linhas
n Resolução
n Freqüência inicial
n Freqüência final
n Tipo de janela
Informa o tipo de janela de compensação utilizada.
n Tipo de média
n Número de médias
Número de janelas de dados utilizadas no cálculo do espectro médio.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 89


n Porcentagem de sobreposição
n Zoom
n Série temporal de entrada 1
n Série temporal de entrada 2

? NOTA: dependendo do formato do arquivo de espectro, alguns campos não são


preenchidos na pasta Info.

7.4.2. Visualização Gráfica do Espectro

A visualização gráfica é realizada na pasta Gráfico. O canal correspondente ao espectro a ser


visualizado pode ser selecionado na caixa de seleção situada na parte superior da janela (veja
figura seguinte).

O tipo de representação do espectro é selecionável através da caixa de seleção no canto superior


direito da janela. As opções de representação dependem do tipo de espectro e podem ser:
¨ PS: espectro de potência.
¨ PSD: densidade espectral de potência
¨ Re(PS): parte real do espectro de potência
¨ Im(PS): parte imaginária do espectro de potência
¨ Re(PSD): parte real da densidade espectral de potência
¨ Im(PSD): parte imaginária da densidade espectral de potência
¨ Módulo
¨ Fase
¨ Real: parte real
¨ Imag: parte imaginária
¨ RMS: valor eficaz
¨ dB: decibéis

90 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


O gráfico possui duas barras de rolagem horizontais para o controle da escala horizontal. A
barra da direita controla o zoom horizontal da escala e a barra da esquerda permite controlar a
posição da escala.

7.4.3. Visualização do Espectro em Tabela

A visualização do espectro em forma de tabela é realizada na pasta Tabela. Assim como na


pasta Gráfico, o canal a ser visualizado e o tipo de representação do espectro podem ser
selecionados através das caixas de seleção situadas no topo da janela de consulta.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 91


Utilize o controle para definir o número de casas decimais na apresentação numérica da
tabela.

þ DICA: o caracter utilizado para ponto decimal nos valores numéricos apresentados na
tabela é o configurado no Windows. Esse caracter pode ser modificado nas Configurações
Regionais do Painel de Controle do Windows. Talvez você precise configurar esse caracter se
for exportar a tabela para outros programas no Windows que não se configurem
automaticamente.

92 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


C A P Í T U LO 8

CONSULTA

Este capítulo apresenta a janela de consulta e como configurá-la para consultar arquivos
temporais, de freqüência, de estatística, de rainflow e de Markov gerados pelos aplicativos
AqDados, Sisdin e AqDAnalysis.

8.1. Definindo uma Consulta


Uma consulta é um conjunto de arquivos e pastas onde são apresentados gráficos configurados
conforme as necessidades do usuário e a partir dos quais podem ser iniciadas várias operações .
Ela é composta de arquivos temporais, de freqüência, de estatística, de rainflow e Markov e de 1
a 16 pastas de gráficos, cada uma contendo até 16 gráficos de sinais pertencentes aos arquivos
abertos para consulta.

8.2. Abrindo uma Nova Janela de Consulta


Para iniciar uma consulta é necessário primeiramente abrir uma janela consulta, o que pode ser
feito através do comando Arquivo/Nova consulta ou do botão da barra de ferramentas .

8.3. A Janela de Consulta


A janela de consulta possui duas áreas distintas. A área da esquerda relaciona-se à função
selecionada (normal, cursor e marcadores) e seu conteúdo depende da função. A área à direita
contém as pastas de gráficos e informações dos arquivos que fazem parte da consulta. É
permitido visualizar até 4 janelas de consulta simultaneamente.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 93


94 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário
8.4. O Painel de Configuração de Consulta
O painel à esquerda da janela de consulta apresenta, quando em modo de operação normal:
n uma barra de ferramentas contendo acessos rápidos para configurar a consulta,
n a lista de arquivos e sinais disponíveis para consulta e
n dois painéis na parte inferior para indicação de coordenadas do mouse, quando este se
encontra sobre um gráfico.

? NOTA: Neste capítulo será apresentado apenas o modo de operação normal, onde
podem ser adicionados arquivos e configurados gráficos para apresentação, os demais modos
de operação serão apresentados nos próximos capítulos.

8.4.1. A Barra de Ferramentas para Configuração da Consulta

A Barra de Ferramentas no modo Normal apresenta alguns botões para configuração da


consulta. Alguns dos comandos associados aos botões também podem ser acessados pelo menu
de atalho que é obtido pressionando-se o botão direito do mouse quando o apontador do mouse
se encontra sobre a área de gráficos da janela. Os comandos disponíveis na barra de ferramentas
e/ou no popup menu apresentado ao se pressionar o botão direito do mouse são:

Propriedades da Consulta
Utilize este comando para mudar o título da consulta. Utilize títulos que sejam
apropriados e rapidamente associados ao conjunto de sinais da consulta.

Propriedades da Pasta
Utilize este comando para alterar: título da pasta, tipo de gráfico, cores dos gráficos,
escalas e outros atributos de uma pasta. Os parâmetros apresentados referem-se à
pasta de gráfico selecionada no momento do acionamento do botão. Se a pasta
selecionada não for uma pasta de gráficos, o comando não terá efeito.

Adiciona Pasta
Utilize este comando para adicionar novas pastas de gráficos na janela de Consulta.
Note que o número máximo de pasta de visualização de gráficos é 16.

Remove Pasta
Utilize este comando para remover a pasta selecionada na janela de Consulta. Note
que a janela deve ter pelo menos uma pasta de gráficos.

Propriedades do Gráfico
Este comando permite alterar as propriedades do gráfico selecionado: sinal

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 95


apresentado, escalas, cor de fundo, cor do grid, cor da escala e cor do traçado.

Adiciona Gráfico
Utilize este comando para adicionar novos gráficos na pasta selecionada. Note que
o número máximo de gráficos é 16.

Remove Gráfico
Utilize este comando para remover o gráfico selecionado da pasta apresentada.

Adiciona Arquivo
Utilize este comando para adicionar arquivos à consulta. Ao adicionar um arquivo, o
mesmo fica disponível para apresentação de seus sinais. O arquivo e seus sinais
ficam em exposição na árvore de arquivos, de onde podem ser selecionados para
apresentação em gráfico de uma das pastas da consulta. O número de arquivos
está limitado a 8 para cada tipo, ou seja, 8 arquivos temporais, 8 arquivos de
freqüência, 8 arquivos de estatística, 8 arquivos de rainflow e 8 arquivos de Markov.

Remove Arquivo
Utilize este comando para remover um arquivo. Se algum sinal deste arquivo estiver
sendo apresentado em forma gráfica, a remoção do arquivo causará a remoção do
gráfico e eventualmente da pasta, caso todos os gráficos sejam removidos.

Troca Arquivo
Utilize este comando para trocar arquivos de mesmo tipo. Em outras palavras,
substituir as referências a um arquivo para outro. A troca de arquivos causará a
troca de sinais apresentados nos gráficos que referenciavam o arquivo anterior. Esta
troca ocorre utilizando-se o número do canal correspondente. Se o canal
correspondente não estiver disponível no novo arquivo, será apresentado o primeiro
canal disponível do arquivo.

þ DICA: Este comando pode ser muito útil quando os seus arquivos de série
temporais do ensaios realizados possuem os mesmos canais, assim como os
arquivos resultantes dos processamentos e análises. Uma vez que você tenha
configurado as pastas e os gráficos da consulta, para obter os gráficos de uma nova
configuração de ensaio e/ou análise, basta substituir cada um dos arquivos da
consulta pelo seu correspondente na nova configuração de estudo.

Relatório
Utilize este comando para gerar um relatório contendo o gráfico da pasta
selecionada. Se a pasta selecionada não for uma pasta de gráficos, o comando não
tem efeito.

Copia para a Área de Transferência


Utilize este comando para copiar dados de uma tabela ou o gráfico de uma pasta
para a área de transferência.

Copia para Arquivo

96 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


Utilize este comando para copiar dados de uma tabela ou o gráfico de uma pasta
para um arquivo.

8.4.2. A Lista de Arquivos e Sinais

A lista de arquivos e sinais apresenta para cada tipo de arquivo, os arquivos abertos para
consulta e todos os sinais que podem ser exibidos em gráficos.

8.4.3. Painéis de Coordenadas

Os painéis de coordenadas, apresentam, sempre que o mouse estiver sobre um gráfico, os


valores em unidade de engenharia das coordenadas do mouse, tendo como referência, a escala
do gráfico selecionado. Isto proporciona ao usuário um modo rápido de verificar valores de um
ponto dentro do gráfico.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 97


8.5. As Pastas de Informações e Gráficos
O painel à direita da janela de consulta é composto por um conjunto de pastas. As três primeiras
pastas referem-se a informações sobre o arquivo selecionado na lista de arquivos no painel à
esquerda, ou ao arquivo do último sinal selecionado em uma pasta de gráficos. As demais
pastas, mínimo de 1 e máximo de 16, são de gráficos configurados pelo usuário.

8.5.1. As Pastas de Informações de Arquivos

As pastas de informações de arquivo são três: Informações, Sinais e Eventos. As informações


contidas em cada pasta depende do tipo de arquivo selecionado.

Na pasta Info são apresentadas informações gerais do arquivo selecionado, como: tipo de
arquivo, nome completo do arquivo, data e hora de gravação e outras informações que
dependem do tipo do arquivo.

A pasta Sinais contém informações sobre todos os sinais pertencentes ao arquivo selecionado,
como: nome do sinal, unidade de engenharia, tipo e outros.

A pasta Eventos somente é preenchida para arquivos temporais onde tenham sido marcados
eventos durante a aquisição. Ela contém o número da amostra, instante de ocorrência e
descrição (somente para arquivos *.LTD)

8.5.2. As Pastas de Gráficos

Cada consulta pode apresentar de 1 a 16 pastas de gráficos, que por sua vez, podem conter de 1
a 16 gráficos utilizando quaisquer um dos sinais apresentados na lista de arquivos e sinais do
painel à esquerda.

Nestas pastas há sempre um gráfico selecionado, indicado em reverso, sobre o qual recairão as
ações de comandos solicitados pelo usuário.

Para selecionar um gráfico é necessário pressionar o botão esquerdo do mouse quando o mesmo
estiver sobre o nome do sinal do gráfico ou, no caso de gráficos justapostos, sobre a área do
gráfico.

98 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


8.6. Iniciando uma Consulta
Tendo estudado a apresentação da janela de consulta, passaremos agora à sua manipulação.

Ao abrir uma nova janela de consulta, não existem arquivos de dados associados a ela e
nenhum gráfico configurado. Para poder configurar um gráfico é necessário que hajam sinais de
arquivos disponíveis para apresentação. Apresentamos a seguir, os primeiros passos para
visualizar as representações gráficas de sinais e como configurá-las para obter a apresentação
desejada.

8.6.1. Adicionando Arquivos à Consulta

O primeiro passo para iniciar uma consulta é associar arquivos a ela. Pressione o botão para
adicionar um arquivo temporal, de freqüência, de estatística ou de Markov, conforme sua
necessidade. É permitido abrir até 8 arquivos de cada tipo.

O arquivo selecionado e seus respectivos sinais são acrescentados à lista de arquivos e sinais, e
ficam disponíveis para serem apresentados nas pastas de gráficos.

8.6.2. Adicionando Gráficos à Consulta

Quando uma nova janela de consulta é aberta, ela apresenta além das pastas de informações de
arquivos, uma pasta de gráfico vazia. Para obter um gráfico:
n Selecione uma pasta de gráfico, clicando sobre sua aba.
n Para adicionar um gráfico à pasta, pode ser usado uma das seguintes formas:
1. Selecione o sinal desejado clicando com o botão esquerdo do mouse sobre ele e
pressione o botão , ou utilize a tecla de atalho <F5>.
2. Pressione a tecla <CTRL> e, com o mouse, arraste o sinal desejado da lista de
arquivos e sinais para a área da pasta.
3. Com o mouse, arraste o sinal desejado da lista de arquivos e sinais para a área de
abas das pastas.
4. Selecione um sinal e pressione o botão direito do mouse para apresentação do menu
de atalho. Escolha o comando, Adicionar à página selecionada.
n Se desejar acrescentar mais um gráfico, utilize um dos métodos acima.
n Pode-se também adicionar os primeiros sinais de um dos arquivos da lista a uma pasta
de gráficos. Para isso, utilize um dos seguintes métodos.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 99


1. Pressione a tecla <CTRL> e, com o mouse, arraste o arquivo desejado da lista de
arquivos e sinais para a área da pasta
2. Com o mouse, arraste o arquivo desejado da lista de arquivos e sinais para a área de
abas das pastas.
3. Selecione um arquivo e pressione o botão direito do mouse para apresentação do
menu de atalho. Escolha o comando, Adicionar à página selecionada

Os primeiros sinais do arquivo serão acrescentados à pasta até um máximo de 16 gráficos

? NOTA: Uma pasta de gráficos está associada um tipo de arquivo (temporal, de freqüência,
estatística, rainflow ou markov) que fica definido ao acrescentar um primeiro gráfico à pasta.
Somente podem ser acrescentados à pasta, sinais que provenham de arquivos de mesmo tipo
que os sinais da pasta.

8.6.3. Adicionando Pastas

Para obter outros gráficos, com diferentes tipos de arquivo, acrescente pastas à consulta
pressionando o botão da barra de ferramentas da janela de consulta e acrescente gráficos
como detalhado anteriormente.

100 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


8.7. Modificando a Configuração da Consulta

O título da janela de consulta, bem como das pastas de gráfico podem ser personalizados pelo
usuário. A configuração da janela de consulta pode ser modificada através de comandos tais
como: remoção de gráficos, de pastas, de arquivos, ou mesmo, de substituição de arquivos.

Para alguns comandos é necessário selecionar um gráfico ou pasta antes de executar o comando:
n Selecione uma pasta de gráfico pressionando o botão esquerdo do mouse quando ele
estiver sobre a aba da pasta desejada.
n Selecione um gráfico pressionando o botão esquerdo do mouse quando o mesmo
estiver sobre o nome do sinal (referente ao eixo X ou Y) do gráfico desejado.

8.7.1. Título da Consulta

A consulta pode ter um título que seja apropriado a seu conteúdo. O título é apresentado na
barra de título da janela de consulta. Para configurá-lo pressione a botão para apresentação
da caixa de diálogo Propriedades da Consulta.

Edite o campo Título com um nome apropriado em pressione o botão para


confirmar ou o botão para desistir.

8.7.2. Modificando Títulos das Pastas

As pastas de gráfico também podem ter seu título modificado para identificação de seu
conteúdo. O título é apresentado na aba da pasta. Para configurá-lo selecione a pasta cujo título
deseje modificar e pressione a botão para apresentação da caixa de diálogo Propriedades
da Pasta.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 101


? NOTA: Neste capítulo não serão apresentados os demais campos da janela
Propriedades da Pasta pois estes dependem do tipo de arquivo configurado para a pasta e
serão detalhados nos próximos capítulos.

8.7.3. Substituindo Sinais de um Gráfico

Para substituir um sinal por outro, de mesmo tipo de arquivo, em um gráfico já configurado,
utilize uma das seguintes formas:
n Selecione o sinal (eixo X ou Y) e arraste o novo sinal da lista de arquivos para área do
gráfico.
n Arraste o novo sinal da lista de arquivos até o nome do sinal (eixo X ou Y) do gráfico
que será substituído.

Para substituir os sinais de vários gráficos seqüenciais pelos primeiros sinais de um arquivo,
utilize uma das seguintes formas:
n Selecione o primeiro sinal (eixo X ou Y) do gráfico que será substituído e arraste o
arquivo da lista de arquivos para a área do gráfico. Os sinais dos gráficos subseqüentes
serão substituídos pelos sinais subseqüentes do arquivo.
n Arraste o novo arquivo da lista de arquivos até o nome do sinal (eixo X ou Y) do gráfico
que será substituído. Os sinais dos gráficos subseqüentes serão substituídos pelos
sinais subseqüentes do arquivo.

102 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


8.7.4. Substituindo Arquivos

Você pode substituir um arquivo por outro de mesmo tipo, mantendo a configuração dos
gráficos que o utilizam. Os sinais dos gráficos serão substituídos por sinais correspondentes
(com mesmo número de canal, coluna ou linha). Caso não haja sinal correspondente, será
apresentado um aviso alertando para o fato, e o sinal será substituído pelo primeiro disponível.

Para substituir um arquivo, selecione o mesmo na lista de arquivos, pressione o botão da direita
do mouse para apresentação de menu e execute o comando, Troca Arquivo, ou pressione o
botão .

? NOTA: Este comando é bastante útil quando há vários arquivos com a mesma
configuração de canais, pois não haverá necessidade de configurar a consulta para cada
arquivo, ou conjunto de arquivos, será suficiente apenas, substituir os arquivos por um novo
conjunto.

8.7.5. Removendo Gráficos

Para remover um gráfico de uma pasta, selecione o gráfico desejado e pressione o botão , ou
utilize a tecla de atalho <F6>.

8.7.6. Removendo Pastas

Para remover um gráfico de uma pasta, selecione a pasta desejada e pressione o botão . As
pastas de informações sobre arquivos não podem ser removidas.

8.7.7. Removendo Arquivos

Para remover um arquivo, selecione o arquivo desejado na lista de arquivos e pressione o botão
. Todos os gráficos que utilizam sinais deste arquivo serão removidos. Se alguma pasta for
esvaziada, ou seja, todos os seus gráficos forem removidos, ela também será removida.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 103


8.8. Salvando a Configuração de uma Consulta
Você pode salvar a configuração de uma consulta para visualização futura ou como modelo para
outras consultas. Utilize o comando Arquivo / Salvar Janela de Consulta e salve um arquivo de
configuração de consulta com os dados da janela de consulta selecionada.

8.9. Carregando a Configuração de uma Consulta


Para recuperar a configuração de uma consulta, utilize o comando Arquivo / Abrir Janela de
Consulta e será aberta uma janela de consulta conforme a configuração do arquivo aberto.
Como apenas quatro janelas de consulta podem ser visualizadas em um mesmo instante, se já
houverem quatro janelas abertas, será necessário fechar uma delas antes de executar o comando.

? NOTA: Ao abrir uma consulta, é necessário que os arquivos por ela referenciados estejam
disponíveis. Caso contrário os gráficos que utilizam sinais destes arquivos serão removidos da
consulta.

104 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


8.10. Preferências da Consulta
A caixa de diálogo Preferências da Consulta permite configurar alguns parâmetros válidos para
todas as janelas de consulta abertas. Ela é composta de cinco páginas: Geral, Gráfico Temporal
e Gráfico de Freqüência, Gráfico de Estatística e Gráfico de Markov.

8.10.1. Configurando Preferências Gerais da Janela de Consulta

Na pasta Geral encontram-se parâmetros de cores, escalas e passo para marcadores e cursores.

Os campos editáveis são:


q Maximiza formulário de consulta ao abrir
Quando esta opção está assinalada, o formulário de consulta é, inicialmente,
apresentado maximizado.
q Título: Nome do Arquivo + Nome do Sinal
Assinale esta opção caso deseje que no título do gráfico se seja apresentado o nome do
arquivo juntamente com o nome do sinal. Se a opção não estiver marcada, o nome do
arquivo não é apresentado.
q Arredondamento de Escala
Quando esta opção está assinalada, o programa altera automaticamente os limites de
escala dos gráficos, arredondando seus valores.
q Cor de Fundo Inicial
Caixa de escolha com opções de cores de fundo para os gráficos. Os novos gráficos são
abertos apresentando inicialmente a cor de fundo escolhida nesta caixa.
q Apresenta Configuração de Relatório ao solicitar relatório.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 105


Quando esta opção está assinalada, sempre que for solicitado um relatório, é
apresentada a caixa de diálogo de configuração de relatório para alteração de
parâmetros e campos de apresentação do mesmo.
q Passo Lento
Número de amostras que o cursor avança ou retrocede, quando utilizados os botões
ou , da barra de ferramentas do painel esquerdo da janela de consulta, no Modo
Cursor ou no Modo Marcadores.
q Passo Rápido
Número de amostras que o cursor avança ou retrocede, quando utilizados os botões
ou , da barra de ferramentas do painel esquerdo da janela de consulta, no Modo
Cursor ou no Modo Marcadores.

8.10.2. Configurando Preferências Para Gráficos de Séries Temporais

Na pasta Séries Temporais encontram-se as preferências associadas a gráficos de séries


temporais.

Os campos editáveis são:


q Apresenta Eventos
Assinale esta opção caso deseje que os eventos marcados durante o ensaio sejam
assinalados nos gráficos de sinais de arquivo de série temporal.
q Deslocamento Lento
Edite neste campo o percentual do gráfico que deve ser deslocado quando utilizados os
botões ou , da barra de ferramentas do AqDAnalysis.

106 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


q Deslocamento Rápido
Edite neste campo o percentual do gráfico que deve ser deslocado quando utilizados os
botões ou , da barra de ferramentas do AqDAnalysis.
q Apresenta tempo absoluto no Modo Cursor
Assinale esta opção se desejar que, no Modo Cursor, o valor de tempo seja apresentado
no formato de data e horário. O valor apresentado corresponde ao instante de
amostragem relativo ao início do ensaio acrescido da data e do horário do início do
ensaio.
q Desloca janela de tempo ao atingir bordas
Assinale esta opção se desejar que, no Modo Cursor ou no Modo Marcadores, o
intervalo de tempo do gráfico se desloque automaticamente quando o cursor se
aproximar do início ou do fim do intervalo do gráfico.

8.10.3. Configurando Preferências Para Gráficos de Séries de Freqüência

Na pasta Séries de Freqüência encontram-se as preferências para os gráficos sinais de arquivos


de séries de freqüência.

Nesta pasta temos o campo:


q Formato Inicial do Espectro
Assinale o formato que será utilizado para apresentação inicial do espectro sempre que
for solicitado um novo gráfico.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 107


8.10.4. Configurando Preferências Para Gráficos de Estatística

Na pasta Séries de Estatística encontram-se opções de dados estatísticos para apresentação.

Nesta pasta temos o campo:


q Tipo para apresentação inicial
Assinale o tipo de dado que será apresentado inicialmente sempre que for solicitado um
novo gráfico.

108 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


8.10.5. Configurando Preferências Para Gráficos de Séries de Markov

Na pasta Séries de Markov encontram-se opções dos tipos de dados de arquivos de Markov.

Nesta pasta temos o campo:


q Tipo para apresentação inicial
Assinale o tipo de dado que será apresentado inicialmente sempre que for solicitado um
novo gráfico.

Pressione a tecla para efetivar as modificações efetuadas ou a tecla


para manter a configuração anterior.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 109


110 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário
C A P Í T U LO 9

CONSULTANDO ARQUIVOS DE SÉRIE


TEMPORAL

Neste capítulo são apresentados os diversos tipos de gráficos que podem ser utilizados para
apresentação de sinais de séries temporais e como configurar pastas contendo gráficos de séries
temporais.

9.1. Tipos de Arquivos de Série Temporal


O AqDAnalysis permite consultar arquivos de séries temporais nos seguintes formatos:

¨ *.TEM utilizado nas versões anteriores do AqDados;


¨ *.LTD introduzida a partir das versões do AqDados 6/7;
¨ *.RSP do RPC Component e RPC III da MTS. Não há necessidade de converter os
arquivos *.RSP do RPC para os formatos nativos do AqDados (*.TEM e *.LTD) o
AqDados lê diretamente os arquivo do RPC.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 111


9.2. Informações do Arquivo de Série Temporal
Na pasta Info da janela de consulta são apresentadas as seguintes informações gerais do arquivo
de série temporal:
n Tipo de arquivo
Indica o formato do arquivo de série temporal.
n Nome do arquivo
n Data/hora
n Comentário principal
n Freqüência de amostragem
n Duração
n Número de amostras / canal
n Número de canais ativos
n Número de eventos
n Notas

9.3. Sinais de Arquivo de Série Temporal


Na pasta Sinais encontramos informações sobre os canais coletados durante o ensaio.
n Número do canal

112 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


n Nome do sinal
n Unidade de engenharia
n Tipo
n Limite Superior
n Limite Inferior

9.4. Eventos de Arquivo de Série Temporal


Na pasta Eventos encontramos informações de eventos do arquivo de série temporal:
n Amostra
Número da amostra em que foi registrado o evento.
n Instante
Instante, relativo ao início do ensaio, correspondente ao evento.
n Descrição
Texto descritivo sobre o evento. Esta informação é disponibilizada somente para
arquivos de série temporal do tipo *.LTD.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 113


9.5. Tipos de Gráfico de Arquivos de Série Temporal
Os sinais de arquivos de série temporal podem ser visualizados em gráficos temporais ou XY.

Os gráficos temporais podem ser do tipo: justaposto, sobreposto ou polígrafo enquanto os


gráficos XY podem ser do tipo: justaposto ou sobreposto.

9.5.1. Gráficos Justapostos

Os gráficos justapostos caracterizam-se por apresentarem gráficos lado a lado dispostos


verticalmente dentro de uma pasta. Todas as escalas verticais são apresentadas mas, as escalas
horizontais podem ser apresentadas ou não.

Se todas as escalas horizontais forem iguais, apenas a última é apresentada, caso contrário, todas
são apresentadas, conforme ilustrado a seguir.

114 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


Escalas horizontais com limites iguais

Escalas horizontais com limites diferentes

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 115


9.5.2. Gráficos Sobrepostos

Os gráficos sobrepostos são plotados sobre a mesma área da pasta. Os nomes dos sinais são
apresentados na parte superior à direita de cima para baixo conforme ordenação dos gráficos. Se
o gráfico for do tipo XY, os sinais do eixo X são apresentados na parte inferior à direita, de
baixo para cima conforme ordenação dos gráficos.

Gráfico Temporal Sobreposto

No lado direito do título de cada gráfico é disponibilizada uma caixa de opção que permite
habilitar ou inibir a apresentação do respectivo gráfico.

116 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


Gráfico XY Sobreposto

Os gráficos sobrepostos normalmente apresentam apenas as escalas do gráfico selecionado,


como pode ser notado nas figuras acima. Opcionamente estes gráficos podem apresentar todas
as escalas verticais, todas as escalas horizontais ou ambas, dependendo das opções
configuradas.

Gráfico Sobreposto configurado com todas as escalas verticais

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 117


Gráfico Sobreposto com todas as escalas horizontais

Gráfico sobreposto com todas as Escalas Horizontais e Verticais

118 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


9.5.3. Gráficos do Tipo Polígrafo

Polígrafos são gráficos que simulam registradores de sinais que plotam gráficos em bobinas de
papel a uma velocidade constante.

Neste tipo de gráfico não há escalas nem separação de sinais, sendo indicada apenas o valor de
cada divisão da escala de tempo.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 119


9.6. Configurando as Propriedades da Pasta
A caixa de diálogo, Propriedades da Pasta, permite configurar individualmente as propriedades
de cada gráfico de uma pasta. Para acessar esta caixa de diálogo, pressione o botão da barra
de ferramentas à esquerda da janela de consulta, ou utilize o comando Pasta / Propriedades do
menu de atalho que é apresentando sempre que for pressionado o botão direito do mouse
quando o mesmo se encontra sobre um gráfico.

A caixa de diálogo Propriedades da Pasta apresenta três pastas: Geral, Cores e Sinais.

9.6.1. Pasta de Configuração Geral

Na pasta Geral pode-se configurar:


q Título da pasta:
Edite aqui o título da pasta. O título é apresentado na aba da respectiva pasta na janela
de consulta.
q Tipo de Gráfico:
Selecione neste campo como os gráficos da pasta serão apresentados: Temporal
Justaposto, Temporal Sobreposto, XY Justaposto, XY Sobreposto ou Polígrafo.
q Apresenta todas as escalas Verticais:
Marque esta caixa de opção se deseja que todas as escalas verticais seja apresentadas.
Esta propriedade é aplicável somente em gráficos sobrepostos.
q Apresentação de todas as escalas horizontais:
Marque esta caixa de opção se deseja que todas as escalas horizontais seja
apresentadas. Esta propriedade é aplicável somente em gráficos sobrepostos.
q Instante Inicial:
Especifique neste campo o valor do instante inicial da série temporal a partir da qual
serão tomadas as amostras para a montagem do gráfico tipo Polígrafo. Esta propriedade
é aplicável somente para o tipo de gráfico Polígrafo.
q Velocidade:
Especifique neste campo a velocidade dada em seg/div (segundos por divisão) da escala
horizontal do gráfico tipo Polígrafo. Na impressão do relatório, uma divisão
corresponderá a 0,5 cm. Esta propriedade é aplicável somente para o tipo de gráfico
Polígrafo.
q Apresenta referência 1:
Quando esta opção está assinalada é apresentada uma reta horizontal de referência.
q Valor da referência 1:
Especifique neste campo a posição da reta de referência 1. O valor deve ser dado na
unidade da escala vertical do gráfico.

120 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


q Cor da referência 1:
Selecione neste campo a cor na qual será desenhada a reta horizontal de referência 1.
q Apresenta referência 2:
Análogo ao campo Apresenta referência 1.
q Valor da referência 2:
Análogo ao campo Valor da referência 1.
q Cor da referência 2:
Análogo ao campo Cor da referência 1.

? NOTA: As retas horizontais de referência 1 e 2 também podem ser posicionadas com o


mouse. Para essa finalidade deve-se pressionar o botão esquerdo do mouse quando o
apontador do mouse estiver sobre a extremidade esquerda da reta de referência e em seguida
arrastar o mouse com o botão pressionado.

9.6.2. Pasta de Configuração de Cores

Nesta pasta são definidas as cores de fundo, grade, escala e traçado para cada gráfico. Se o
gráfico for sobreposto, a cor de fundo e de grid são iguais para todos os gráficos e as cores de
escala e sinal são sempre iguais para cada gráfico individualmente.

Para alterar uma cor, de um duplo clique com o botão esquerdo do mouse quando o mesmo
estiver sobre a cor a ser alterada.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 121


9.6.3. Pasta de Configuração de Sinais

Nesta pasta são definidos para cada gráfico:


q Arquivo:
Selecione nesta coluna o arquivo que contém o sinal a ser visualizado no gráfico.
q Inst. Inicial:
Especifique nesta coluna o limite inferior da escala horizontal (tempo) do gráfico.
q Inst.Final:
Especifique nesta coluna o limite superior da escala horizontal (tempo) do gráfico.
q Sinal Y:
Selecione nesta coluna o sinal da série temporal a ser visualizado no gráfico.
q Lim. Inf. Y:
Especifique nesta coluna o limite inferior da escala vertical do gráfico.
q Lim. Sup.Y:
Especifique nesta coluna o limite inferior da escala vertical do gráfico.
q Escala Y:
Selecione nesta coluna se a escala vertical deve ser Linear ou Logarítmica.
q Sinal X:
Selecione nesta coluna o sinal de série temporal correspondente à escala horizontal do
gráfico (somente para gráficos XY).

122 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


q Lim. Inf. X:
Especifique nesta coluna o limite inferior da escala horizontal do gráfico (somente para
gráficos XY).
q Lim. Sup.X:
Especifique nesta coluna o limite superior da escala horizontal do gráfico (somente para
gráficos XY).
q Escala X:
Selecione nesta coluna se a escala horizontal deve ser Linear ou Logarítmica (somente
para gráficos XY).
q Sensib.:
Especifique nesta coluna a sensibilidade da escala vertical dada em unidades do sinal
por divisão (somente para gráfico tipo Polígrafo).
q Retas:
Marque esta caixa de opção se desejar que os pontos do gráfico sejam interligados por
retas.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 123


9.7. Configurando as Propriedades do Gráfico
A caixa de diálogo, Propriedades do Gráfico, permite configurar individualmente as
propriedades de cada gráfico de uma pasta. Para acessar esta caixa de diálogo, pressione o botão
da barra de ferramentas à esquerda da janela de consulta, ou utilize o comando Gráfico /
Propriedades do menu de atalho que é apresentando sempre que for pressionado o botão direito
do mouse quando o mesmo se encontra sobre um gráfico.

Nesta caixa de diálogo podem ser configurados:


q Arquivo:
Selecione neste campo o arquivo que contém o sinal a ser visualizado no gráfico.
q Instante Inicial:
Especifique nesta coluna o limite inferior da escala horizontal (tempo) do gráfico.
q Instante Final:
Especifique nesta coluna o limite superior da escala horizontal (tempo) do gráfico.
q Sinal do Arquivo para o Eixo Y:
Selecione neste campo o sinal a ser visualizado no gráfico.
q Limite Inferior Y:
Especifique neste campo o limite inferior da escala vertical do gráfico.
q Limite Superior Y:
Especifique neste campo o limite superior da escala vertical do gráfico.
q Tipo de Escala Y:
Especifique neste campo se a escala vertical deve ser Linear ou Logarítmica.
q Sinal do Arquivo para o Eixo X:
Selecione neste campo o sinal da série temporal correspondente à escala horizontal do

124 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


gráfico (somente para gráficos XY).
q Limite Inferior X:
Especifique neste campo o limite inferior da escala horizontal do gráfico (somente para
gráficos XY).
q Limite Superior X:
Especifique neste campo o limite superior da escala horizontal do gráfico (somente para
gráficos XY).
q Tipo de Escala X:
Especifique neste campo se a escala horizontal deve ser Linear ou Logarítmica (somente
para gráficos XY).
q Retas:
Marque esta caixa de opção se desejar que os pontos do gráfico sejam interligados por
retas.
q Cores de Fundo:
Especifique neste campo a cor de fundo do gráfico.
q Cor de Grid:
Especifique neste campo a cor de grid do gráfico.
q Cor de Escala:
Especifique neste campo a cor de escala do gráfico.
q Cor de Traçado:
Especifique neste campo a cor de traçado do gráfico.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 125


9.8. Menu de Atalho para Modo Normal
Quando o mouse se encontra sobre um gráfico da janela de consulta e o botão direito do mesmo
é pressionado, é apresentado o seguinte menu de atalho.

Através deste menu, é possível:


¨ acessar alguns comandos da barra de ferramentas da janela de consulta;
¨ executar comandos rápidos como: alteração de tipo de gráfico, visualização de sinais e
abrangência de execução de comandos;
¨ ter acesso a ferramentas e funções de análise.

9.8.1. Acesso Rápido a Comandos da Barra de Ferramentas

Os comandos disponíveis no menu são:


n Pasta / Propriedades
Este comando equivale ao botão da barra de ferramentas da consulta.
n Pasta / Adiciona
Este comando equivale ao botão da barra de ferramentas da consulta.
n Pasta / Remove
Este comando equivale ao botão da barra de ferramentas da consulta.
n Gráfico / Propriedades

126 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


Este comando equivale ao botão da barra de ferramentas da consulta.
n Gráfico / Adiciona
Este comando equivale ao botão da barra de ferramentas da consulta.
n Gráfico / Remove
Este comando equivale ao botão da barra de ferramentas da consulta.

9.8.2. Tipos de Gráfico

A alteração do tipo de gráfico apresentado na pasta pode ser executado rapidamente utilizando
um dos comandos disponíveis no menu:
n Temporal Sobreposto
n XY Justaposto
n XY Sobreposto
n Polígrafo

O tipo de gráfico que está sendo apresentado é sinalizado no menu.

9.8.3. Apresentação em gráficos sobrepostos

Os gráficos sobrepostos podem ser apresentados de duas formas: apresentação simultânea e


apresentação individual. Os comandos Visualiza todos os sinais e Visualiza sinal selecionado
permitem alterar a opção de forma de visualização.

Na forma de apresentação individual, apenas o gráfico selecionado é apresentado.

9.8.4. Escopo de Comandos

Alguns comandos da barra de ferramentas do menu principal, podem atuar sobre um gráfico
individualmente ou sobre todos simultaneamente. Os comandos Operações sobre todos os
sinais e Operações sobre o sinal selecionado permitem alterar o escopo dos comandos.
Dependendo do modo que estiver habilitado, ao pressionar um botão de comando da barra de
ferramentas, apenas o gráfico selecionado é afetado ou todos os gráficos da pasta selecionada
são afetados.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 127


9.8.5. Correlação de sinais

O comando Correlação de Sinais, somente fica disponível quando a pasta selecionada contiver
gráficos do tipo XY. Através deste comando é calculada a correlação dos sinais X e Y do
gráfico selecionado, no período de apresentação do gráfico. Os resultados numéricos são
apresentados em forma de tabela e em forma gráfica sobre o próprio gráfico selecionado.

9.8.6. Tabela de Valores

Ao executar o comando Tabela, é apresentada um janela contendo o valores de pontos de todos


os gráficos da pasta. O modo de apresentação destes valores depende de opções configuradas.

Na pasta Info/Parâmetros da janela Tabela encontramos informações sobre os sinais tabelados e


alguns parâmetros para apresentação da tabela:
q Passo
Especifique a quantidade de amostras que serão utilizadas para cálculo de média ou a
cada quantas amostras será apresentado um valor.
q Média
Especifique se o valor apresentado será obtido por média ou não.

Pressione o botão para apresentação de dados com os novos parâmetros na pasta


Valores.

128 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


Os botões e podem ser utilizados para copiar os dados tanto dos sinais quanto da tabela
de valores para a área de transferência ou arquivo.

9.8.7. Análise e Ferramentas

As funções de Análise e Ferramentas disponíveis são praticamente as mesmas do menu


principal:
n Auto Espectro
n Espectro Cruzado
n Função de Transferência
n Cepstrum
n Inversa de Cepstrum
n Estatística por Trecho
n Análise de Rainflow
n Análise de Markov
n União Série e Paralela
n Ajuste de Escala e Linearização
n Filtragem
n Operações Aritméticas

O modo de operação destas funções foram apresentadas em capítulos anteriores. A diferença


entre iniciar uma destas funções pelo menu principal e através do menu de atalho da consulta
está na passagem de parâmetros que é feita automaticamente no último caso.

Quando uma das funções é iniciada pela consulta, o nome do arquivo, sinal e instante inicial são
determinados através do gráfico selecionado.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 129


130 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário
C A P Í T U LO 1 0

CONSULTANDO ARQUIVOS DE SÉRIE DE


FREQÜÊNCIA

Neste capítulo são apresentados os diversos tipos de gráficos que podem ser utilizados para
apresentação de sinais de séries de freqüência e como configurar pastas contendo estes tipos de
gráficos.

10.1. Tipos de Arquivos de Série de Freqüência


O AqDAnalysis permite consultar arquivos de séries de freqüência nos seguintes formatos:

¨ *.FRQ utilizado nas versões anteriores do AqDados e Sisdin;


¨ *.LFD introduzida nesta nova versão do AqDados 7.

10.2. Informações do Arquivo de Série de Freqüência


Na pasta Info da janela de consulta são apresentadas as seguintes informações gerais do arquivo
de série de freqüência:
n Tipo de arquivo
Indica o formato do arquivo de série freqüência.
n Nome do arquivo
n Data/hora
n Comentário
n Tipo de espectro
n Número de colunas
n Número de linhas
n Resolução

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 131


n Freqüência inicial
n Freqüência final
n Tipo de janela
n Tipo de média
n Número de janelas
n Porcentagem de sobreposição
n Zoom
n Série Temporal de Entrada 1
n Série Temporal de Entrada 2

132 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


10.3. Sinais de Arquivo de Série de Freqüência
Na pasta Sinais encontramos a lista dos sinais do arquivo de espectro informando o nome e
unidade de engenharia. Se o espectro do arquivo for do tipo cruzado ou função de transferência,
serão apresentadas duas tabelas uma para os sinais que compõem as linhas e outra para os da
coluna.

10.4. Tipos de Gráficos de Arquivos de Série de Freqüência


Os sinais de arquivos de série de freqüência podem ser visualizados em gráficos de freqüência,
XY Real/Imaginário e XY Módulo/Fase.

O formato de dados Módulo e Fase somente está disponível para arquivos do tipo Espectro
Linear, Função de Transferência e Inverso da Função de Transferência. No caso de gráficos XY
Módulo/Fase, quando o formato de dados não estiver disponível será utilizado o formato
Real/Imaginário. O formato de dados de cada gráfico é apresentado precedendo o nome do
sinal.

As formas de gráficos sobrepostos e justapostos são análogas às estudadas no capítulo anterior


e serão apenas citadas neste capítulo.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 133


Gráfico de freqüência justaposto

Gráfico de Freqüência Sobreposto

134 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


Gráfico XY Real/Imaginário

Gráfico XY Módulo/Fase

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 135


10.5. Configurando as Propriedades da Pasta
A caixa de diálogo, Propriedades da Pasta, permite configurar individualmente as propriedades
de cada gráfico de uma pasta. Para acessar esta caixa de diálogo, pressione o botão da barra
de ferramentas à esquerda da janela de consulta, ou utilize o comando Pasta / Propriedades do
menu de atalho que é apresentando sempre que for pressionado o botão direito do mouse
quando o mesmo se encontra sobre um gráfico.

A caixa de diálogo Propriedades da Pasta apresenta três pastas: Geral, Cores e Sinais.

10.5.1. Pasta de Configuração Geral

Na pasta Geral pode-se configurar:


q Título:
Edite aqui o título da pasta. O título é apresentado na aba da respectiva pasta na janela
de consulta.
q Tipo de Gráfico:
Selecione neste campo como os gráficos da pasta serão apresentados: Freqüência
Justaposto, Freqüência Sobreposto, XY Real/Imag Justaposto, XY Real/Imag
Sobreposto, XY Módulo/Fase Justaposto e Módulo/Fase Sobreposto.

136 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


q Apresentação de todas as escalas Verticais:
Marque esta caixa de opção se deseja que todas as escalas verticais sejam
apresentadas. Esta propriedade é aplicável somente em gráficos sobrepostos.
q Apresentação de todas as escalas Horizontais:
Marque esta caixa de opção se deseja que todas as escalas horizontais sejam
apresentadas. Esta propriedade é aplicável somente em gráficos sobrepostos.

10.5.2. Pasta de Configuração de Cores

Nesta pasta são definidas as cores de fundo, grade, escala e traçado para cada gráfico. Se o
gráfico for sobreposto, a cor de fundo e de grid são iguais para todos os gráficos e as cores de
escala e sinal são sempre iguais para cada gráfico individualmente.

Para alterar uma cor, pressione, rapidamente, duas vezes o botão da direita do mouse quando o
mesmo estiver sobre a cor a ser alterada.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 137


10.5.3. Pasta de Configuração de Sinais

Nesta pasta são definidos para cada gráfico:


q Arquivo:
Selecione nesta coluna o arquivo que contém o sinal a ser visualizado no gráfico.
q Form Espec:
Selecione nesta coluna o tipo de representação do espectro a ser visualizado no gráfico.
q Frq.Inicial:
Especifique nesta coluna o limite inferior da escala horizontal (freqüência) do gráfico.
q Frq.Final:
Especifique nesta coluna o limite superior da escala horizontal (freqüência) do gráfico.
q Escala Frq:
Selecione nesta coluna se a escala de freqüência deve ser Linear ou Logarítmica.
q Sinal Y:
Selecione nesta coluna o sinal a ser visualizado no gráfico.
q Lim. Inf. Y:
Especifique nesta coluna o limite inferior da escala vertical do gráfico.
q Lim. Sup. Y:
Especifique nesta coluna o limite superior da escala vertical do gráfico.
q Escala Y:
Selecione nesta coluna se a escala vertical deve ser Linear ou Logarítmica.

138 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


q Lim. Inf. X:
Especifique nesta coluna o limite inferior da escala horizontal do gráfico (somente para
gráficos XY).
q Lim. Sup. X:
Especifique nesta coluna o limite superior da escala horizontal do gráfico (somente para
gráficos XY).
q Escala X:
Selecione nesta coluna se a escala horizontal deve ser Linear ou Logarítmica (somente
para gráficos XY).
q Raias:
Marque esta caixa de opção se desejar que o espectro seja desenhado com raias
verticais.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 139


10.6. Configurando as Propriedades do Gráfico
A caixa de diálogo, propriedades do gráfico, permite configurar individualmente as
propriedades de cada gráfico de uma pasta. Para acessar esta caixa de diálogo, pressione o botão
da barra de ferramentas à esquerda da janela de consulta, ou utilize o comando Gráfico /
Propriedades do menu de atalho que é apresentando sempre que for pressionado o botão direito
do mouse quando o mesmo se encontra sobre um gráfico.

Nesta caixa de diálogo podem ser configurados:


q Arquivo:
Selecione neste campo o arquivo que contém o espectro do sinal a ser visualizado no
gráfico.
q Freqüência Inicial:
Especifique nesta coluna o limite inferior da escala horizontal (freqüência) do gráfico.
q Freqüência Final:
Especifique nesta coluna o limite superior da escala horizontal (freqüência) do gráfico.
q Tipo de Escala:
Selecione nesta coluna se a escala de freqüência deve ser Linear ou Logarítmica.
q Sinal Apresentado no Eixo Y:
Selecione neste campo o sinal a ser visualizado no gráfico.
q Limite Inferior Y:
Especifique neste campo o limite inferior da escala vertical do gráfico.
q Limite Superior Y:
Especifique neste campo o limite superior da escala vertical do gráfico.
q Tipo de Escala:

140 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


Especifique neste campo se a escala vertical deve ser Linear ou Logarítmica.
q Limite Inferior X:
Especifique neste campo o limite inferior da escala horizontal do gráfico (somente para
gráficos XY).
q Limite Superior X:
Especifique neste campo o limite superior da escala horizontal do gráfico (somente para
gráficos XY).
q Tipo de Escala:
Especifique neste campo se a escala horizontal deve ser Linear ou Logarítmica (somente
para gráficos XY).
q Raias:
Marque esta caixa de opção se desejar que o espectro seja desenhado com raias
verticais.
q Cor de Fundo:
Especifique neste campo a cor de fundo do gráfico.
q Cor do Grid:
Especifique neste campo a cor do grid do gráfico.
q Cor da Escala:
Especifique neste campo a cor das escalas do gráfico.
q Cor do Traçado:
Especifique neste campo a cor do traçado do gráfico.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 141


10.7. Menu de Atalho para Modo Normal
Quando o mouse se encontra sobre um gráfico da janela de consulta e o botão direito do mesmo
é pressionado, é apresentado o seguinte menu de atalho.

Através deste menu, é possível:


n acessar alguns comandos da barra de ferramentas da janela de consulta.
n executar comandos rápidos como: alteração de tipo de gráfico, visualização de sinais e
abrangência de execução de comandos;
n acessar ferramentas e funções de análise;
n solicitar análise de conforto.

10.7.1. Acesso Rápido a Comandos da Barra de Ferramentas

Os comandos disponíveis no menu são:


n Pasta / Propriedades
Este comando equivale ao botão da barra de ferramentas da consulta.
n Pasta / Adiciona
Este comando equivale ao botão da barra de ferramentas da consulta.
n Pasta / Remove
Este comando equivale ao botão da barra de ferramentas da consulta.
n Gráfico / Propriedades

142 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


Este comando equivale ao botão da barra de ferramentas da consulta.
n Gráfico / Adiciona
Este comando equivale ao botão da barra de ferramentas da consulta.
n Gráfico / Remove
Este comando equivale ao botão da barra de ferramentas da consulta.

10.7.2. Tipos de Gráfico

A alteração do tipo de gráfico apresentado na pasta pode ser executado rapidamente utilizando
um dos comandos disponíveis no menu:
n Freqüência Justaposto
n Freqüência Sobreposto
n XY Real/Imaginário Justaposto
n XY Real/Imaginário Sobreposto
n XY Módulo/Fase Justaposto
n XY Módulo/Fase Sobreposto

O tipo de gráfico que está sendo apresentado é sinalizado no menu.

10.7.3. Apresentação em gráficos sobrepostos

Os gráficos sobrepostos podem ser apresentados de duas formas: apresentação simultânea e


apresentação individual. Os comandos Visualiza todos os sinais e Visualiza sinal selecionado
permitem alterar a opção de forma de visualização.

Na forma de apresentação individual, apenas o gráfico selecionado é apresentado.

10.7.4. Escopo de Comandos

Alguns comandos da barra de ferramentas do menu principal, podem atuar sobre um gráfico
individualmente ou sobre todos simultaneamente. Os comandos Operações sobre todos os
sinais e Operações sobre o sinal selecionado permitem alterar o escopo dos comandos.
Dependendo do modo que estiver habilitado, ao pressionar um botão de comando da barra de
ferramentas, apenas o gráfico selecionado é afetado ou todos os gráficos da pasta selecionada
são afetados.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 143


10.7.5. Tipo de Representação do Espectro

Através deste comando, pode-se alterar o tipo de representação do espectro do gráfico


selecionado. As opções de representação dependem do tipo de espectro e podem ser:
n PS: espectro de potência.
n PSD: densidade espectral de potência
n Re(PS): parte real do espectro de potência
n Im(PS): parte imaginária do espectro de potência
n Re(PSD): parte real da densidade espectral de potência
n Im(PSD): parte imaginária da densidade espectral de potência
n Módulo
n Fase
n Real: parte real
n Imag: parte imaginária
n RMS: valor eficaz
n dB: decibeis

10.7.6. Análise de Conforto

Este comando realiza a análise de conforto baseada na ISO2631 (1978). A análise de conforto
verifica as vibrações às quais o corpo humano está exposto em caminhões, tratores, veículos,
etc.

O modo de operação desta função é apresentada detalhadamente no Manual de Funções


Especiais. A diferença entre iniciar esta função pelo menu principal e o menu flutuante da
consulta está na passagem de parâmetros que é feita automaticamente no último caso.

Quando esta função é iniciada pela consulta, o nome do arquivo e sinal são determinados
através do gráfico selecionado.

10.7.7. Tabela de Valores

Ao executar o comando Tabela, é apresentada uma janela contendo o valores dos sinais para
cada freqüência.

Na pasta Info/Parâmetros da janela Tabela encontramos informações sobre os sinais tabelados.

144 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


Os botões e podem ser utilizados para copiar os dados tanto dos sinais quanto da tabela
de valores para a área de transferência ou arquivo.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 145


146 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário
C A P Í T U LO 1 1

CONSULTANDO ARQUIVOS DE ESTATÍSTICA

Neste capítulo são apresentados os gráficos de sinais de arquivos de estatística e como


configurá-los.

11.1. Tipos de Arquivos de Estatística


O AqDAnalysis permite consultar arquivos de estatística nos seguintes formatos:

¨ *.STT utilizado nas versões anteriores do AqDados e Sisdin;


¨ *.LSS introduzida a partir da versão 7 do AqDados.

11.2. Informações do Arquivo de Estatística


Na pasta Info da janela de consulta são apresentadas as seguintes informações gerais do arquivo
de série de estatística:
n Tipo de arquivo
Indica o formato do arquivo de estatística.
n Nome do arquivo
n Data/hora
n Comentário
n Número de canais
n Número de trechos
n Tamanho do trecho
n Série temporal de entrada (nome do arquivo .TEM ou .LTD que produziu a estatística)

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 147


11.3. Sinais de Arquivo de Estatística
Na pasta Sinais encontramos a lista dos sinais do arquivo de estatística informando o nome e
unidade de engenharia.

148 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


11.4. Tipos de Gráfico de Arquivos de Estatística
Os sinais de arquivos de série de estatística podem ser visualizados em gráficos justapostos e
sobrepostos.

Gráfico Justaposto

Gráfico Sobreposto

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 149


11.5. Configurando as Propriedades da Pasta
A caixa de diálogo, Propriedades da Pasta, permite configurar individualmente as propriedades
de cada gráfico de uma pasta. Para acessar esta caixa de diálogo, pressione o botão da barra
de ferramentas à esquerda da janela de consulta, ou utilize o comando Pasta / Propriedades do
menu de atalho que é apresentando sempre que for pressionado o botão direito do mouse
quando o mesmo se encontra sobre um gráfico.

A caixa de diálogo Propriedades da Pasta apresenta três pastas: Geral, Cores e Sinais.

11.5.1. Pasta de Configuração Geral

Na pasta Geral pode-se configurar:


q Título:
Edite aqui o título da pasta. O título é apresentado na aba da respectiva pasta na janela
e consulta.
q Tipo de Gráfico:
Selecione neste campo se os gráficos da pasta serão apresentados Justapostos ou
Sobrepostos.
q Apresenta todas as escalas Verticais:
Marque esta caixa de opção se deseja que todas as escalas verticais sejam

150 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


apresentadas. Esta propriedade é aplicável somente em gráficos sobrepostos.
q Apresenta todas as escalas Horizontais:
Marque esta caixa de opção se deseja que todas as escalas horizontais sejam
apresentadas. Esta propriedade é aplicável somente em gráficos sobrepostos.

11.5.2. Pasta de Configuração de Cores

Nesta pasta são definidas as cores de fundo, grade, escala e traçado para cada gráfico. Se o
gráfico for sobreposto, a cor de fundo e de grid são iguais para todos os gráficos e as cores de
escala e sinal são sempre iguais para cada gráfico individualmente.

Para alterar uma cor, pressione, rapidamente, duas vezes o botão da direita do mouse quando o
mesmo estiver sobre a cor a ser alterada.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 151


11.5.3. Pasta de Configuração de Sinais

Nesta pasta são definidos para cada gráfico:


q Arquivo:
Selecione nesta coluna o arquivo que contém o sinal a ser visualizado no gráfico.
q Form Dados:
Selecione nesta coluna o dado estatístico a ser apresentado no gráfico. As opções
disponíveis são: Máximo, Mínimo, Média, RMS e Desvio Padrão.
q Sinal Y:
Selecione nesta coluna o sinal a ser visualizado no gráfico.
q Lim. Inf. Y:
Especifique nesta coluna o limite inferior da escala vertical do gráfico.
q Lim. Sup. Y:
Especifique nesta coluna o limite superior da escala vertical do gráfico.
q Escala Y:
Selecione nesta coluna se a escala vertical deve ser Linear ou Logarítmica.
q Lim. Inf. X:
Especifique nesta coluna o limite inferior da escala horizontal do gráfico.
q Lim. Sup. X:
Especifique nesta coluna o limite superior da escala horizontal do gráfico.
q Escala X:
Selecione nesta coluna se a escala horizontal deve ser Linear ou Logarítmica.

152 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


11.6. Configurando as Propriedades do Gráfico
A caixa de diálogo, propriedades do gráfico, permite configurar individualmente as
propriedades de cada gráfico de uma pasta. Para acessar esta caixa de diálogo, pressione o botão
da barra de ferramentas à esquerda da janela de consulta, ou utilize o comando Gráfico /
Propriedades do menu de atalho que é apresentando sempre que for pressionado o botão direito
do mouse quando o mesmo se encontra sobre um gráfico.

Nesta caixa de diálogo podem ser configurados:


q Arquivo:
Selecione neste campo o arquivo que contém o sinal a ser visualizado no gráfico.
q Sinal:
Selecione neste campo o sinal a ser visualizado no gráfico.
q Limite Inferior Y:
Especifique neste campo o limite inferior da escala vertical do gráfico.
q Limite Superior Y:
Especifique neste campo o limite superior da escala vertical do gráfico.
q Tipo de Escala:
Especifique neste campo se a escala vertical deve ser Linear ou Logarítmica.
q Limite Inferior X:
Especifique neste campo o limite inferior da escala horizontal do gráfico.
q Limite Superior X:
Especifique neste campo o limite superior da escala horizontal do gráfico.
q Tipo de Escala:
Especifique neste campo se a escala horizontal deve ser Linear ou Logarítmica.
q Cor de Fundo:

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 153


Especifique neste campo a cor de fundo do gráfico.
q Cor do Grid:
Especifique neste campo a cor do grid do gráfico.
q Cor da Escala:
Especifique neste campo a cor das escalas do gráfico.
q Cor do Traçado:
Especifique neste campo a cor do traçado do gráfico.

154 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


11.7. Menu de atalho para Modo Normal
Quando o mouse se encontra sobre um gráfico da janela de consulta e o botão direito do mesmo
é pressionado, é apresentado o seguinte menu de atalho.

Através deste menu, é possível:


n acessar alguns comandos da barra de ferramentas da janela de consulta;
n executar comandos rápidos como: alteração de tipo de gráfico, tipo de dado,
visualização de tabela de sinais e abrangência de execução de comandos.

11.7.1. Acesso Rápido a Comandos da Barra de Ferramentas

Os comandos da barra de ferramentas disponíveis neste menu são:


n Pasta / Propriedades
Este comando equivale ao botão da barra de ferramentas da consulta.
n Pasta / Adiciona
Este comando equivale ao botão da barra de ferramentas da consulta.
n Pasta / Remove
Este comando equivale ao botão da barra de ferramentas da consulta.
n Gráfico / Propriedades
Este comando equivale ao botão da barra de ferramentas da consulta.
n Gráfico / Adiciona
Este comando equivale ao botão da barra de ferramentas da consulta.
n Gráfico / Remove

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 155


Este comando equivale ao botão da barra de ferramentas da consulta.

11.7.2. Tipos de Gráfico

A alteração do tipo de gráfico apresentado na pasta pode ser executado rapidamente utilizando
um dos comandos disponíveis no menu: Justaposto e Sobreposto. O tipo de gráfico atual é
sinalizado no menu.

11.7.3. Apresentação em gráficos sobrepostos

Os gráficos sobrepostos podem ser apresentados de duas formas: apresentação simultânea e


apresentação individual. Os comandos Visualiza todos os sinais e Visualiza sinal selecionado
permitem alterar a opção de forma de visualização.

Na forma de apresentação individual, apenas o gráfico selecionado é apresentado.

11.7.4. Escopo de Comandos

Alguns comandos da barra de ferramentas do menu principal, podem atuar sobre um gráfico
individualmente ou sobre todos simultaneamente. Os comandos Operações sobre todos os
sinais e Operações sobre o sinal selecionado permitem alterar o escopo dos comandos.
Dependendo do modo que estiver habilitado, ao pressionar um botão de comando da barra de
ferramentas, apenas o gráfico selecionado é afetado ou todos os gráficos da pasta selecionada
são afetados.

11.7.5. Tipo de Dado

Através deste comando, pode-se alterar o tipo de dado de estatística visualizado no gráfico
selecionado. As opções de representação são:
q Máximo:
Apresenta o gráfico do valor máximo em cada trecho da estatística.
q Mínimo:
Apresenta o gráfico do valor mínimo em cada trecho da estatística.
q Média:
Apresenta o gráfico do valor médio em cada trecho da estatística.
q RMS:
Apresenta o gráfico do valor RMS em cada trecho da estatística.
q Desvio Padrão:

156 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


Apresenta o gráfico do valor do desvio padrão em cada trecho da estatística.

11.7.6. Tabela de Valores

Ao executar o comando Tabela, é apresentada uma janela contendo o valores estatísticos para
cada trecho.

Na pasta Info/Parâmetros da janela Tabela encontramos informações sobre os sinais tabelados.

Os botões e podem ser utilizados para copiar os dados tanto dos sinais quanto da
tabela de valores para a área de transferência ou arquivo.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 157


158 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário
C A P Í T U LO 1 2

MODO ZOOM

Neste capítulo são descritas as formas de aumento/diminuição de detalhamento de gráficos


através do modo zoom da consulta.

12.1. Iniciando o Modo Zoom

O modo Zoom da consulta pode ser iniciado através dos botões e da barra de
ferramentas do programa AqDAnalysis. Ele é válido para todas as janelas de consulta abertas no
programa.

Quando em modo zoom, o ícone do mouse é alterado para uma das seguintes formas quando
estiver sobre a área de um gráfico de consulta:

q Zoom +:
Aumenta detalhamento do gráfico atuando nas escalas horizontal e vertical.

q ZoomHz +:
Aumenta detalhamento do gráfico atuando somente na escala horizontal.

q ZoomVt +:
Aumenta detalhamento do gráfico atuando somente na escala vertical.

q Zoom -:
Diminue detalhamento do gráfico atuando nas escalas horizontal e vertical.

q ZoomHz -:
Diminue detalhamento do gráfico atuando somente na escala horizontal.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 159


q ZoomVt -:
Diminue detalhamento do gráfico atuando somente na escala vertical.

12.2. Zoom sobre um ponto


Estando em modo Zoom, pode-se aumentar/diminuir o detalhamento do gráfico, pressionando o
botão esquerdo do mouse quando o mesmo estiver sobre o ponto desejado.

Os exemplos a seguir serão gerados a partir da figura:

160 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


Aplicando o comando Zoom + obtemos:

Aplicando o comando ZoomHz + obtemos:

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 161


Aplicando ZoomVt + obtemos:

Aplicando o comando Zoom- obtemos:

162 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


Aplicando o comando ZoomHz - obtemos:

Aplicando o comando ZoomVt - obtemos:

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 163


12.3. Zoom Sobre uma Área
Estando em modo Zoom, pode-se aumentar/diminuir o detalhamento de uma região do gráfico.
Para delimitar uma região, pressione o botão esquerdo do mouse quando o mesmo estiver sobre
o ponto inicial da região que se deseja delimitar e arraste o mouse com o botão pressionado até
que o retângulo limite cubra toda a área desejada.

No caso de Zoom +, ZoomHz + e ZoomVt +, a área delimitada é expandida para os limites da


área do gráfico.

No caso de Zoom -, ZoomHz - e ZoomVt -, a área delimitada indica a posição que os limites
atuais do gráfico ocuparão após execução do comando.

Apresentamos a seguir exemplos de zoom sobre uma área determinada pelo usuário.

164 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


Aplicando Zoom + com área delimitada:

Zoom da área delimitada

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 165


Aplicando ZoomHz + com área delimitada

Zoom da área delimitada

166 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


Aplicando ZoomVt + com área delimitada

Zoom da área delimitada

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 167


Aplicando Zoom - com área delimitada

Zoom da área delimitada

168 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


Aplicando ZoomHz - com área delimitada

Zoom da área delimitada

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 169


Aplicando ZoomVt - com área delimitada

Zoom da área delimitada

170 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


12.4. Menu de Atalho para Modo Zoom
Quando o mouse se encontra sobre um gráfico da janela de consulta e o botão direito do mesmo
é pressionado, é apresentado o seguinte menu de atalho.

Através deste menu, é possível:


n finalizar o Modo Zoom
n alterar o tipo de zoom
n restaurar a escala anterior
n alterar parâmetros da função

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 171


172 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário
C A P Í T U LO 1 3

MODO CURSOR

Neste capítulo descrevemos o Modo Cursor e os diversos comandos e funções que podem ser
iniciados a partir do mesmo.

13.1. Iniciando o Modo Cursor

O modo Cursor da consulta pode ser iniciado através do botão da barra de ferramentas do
programa AqDAnalysis 7. Ele é válido para todas as janelas de consulta abertas no programa.

Quando em modo cursor, o ícone do mouse é alterado para a forma quando estiver sobre a
área de um gráfico de consulta.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 173


13.2. Tipos de Cursores
Dependendo do tipo de gráfico, o cursor que focaliza o ponto em observação do gráfico, é
apresentado de diferentes formas: barra vertical com traço horizontal no ponto de referência,
barras horizontal e vertical cruzando-se no ponto de referência (gráficos XY) e em formato de
cruzes para gráficos de arquivos de Markov com duas variáveis.

Barra Vertical

174 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


Barras Horizontal e Vertical

Cruzes

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 175


13.3. Movimentação do Cursor
O cursor pode ser movimentado das seguintes formas:
n Através de botões na barra de ferramentas no painel à esquerda do gráfico.
n Pressionando-se o botão esquerdo do mouse quando o mesmo encontrar-se sobre o
ponto desejado (este procedimento não é valido para gráficos do tipo XY).
n Pressionando-se o botão esquerdo do mouse quando o mesmo encontrar-se sobre a
região do gráfico e, mantendo-o pressionado, arrastá-lo para a posição desejada.
n No caso de gráficos XY, pode-se também movimentar o cursor utilizando-se o método
anterior, sendo que a nova posição do cursor é dada pela proporcionalidade entre a
largura da área do gráfico e comprimento horizontal percorrido. O sentido de
movimentação segue a regra: movimento para a esquerda causa uma movimentação do
cursor no sentido inicial dos dados e movimento para a direita causa uma movimentação
do cursor no sentido final dos dados apresentados.

Pode-se também posicionar o cursor através dos botões da barra de ferramentas.

13.4. Barra de Ferramentas


A barra de ferramentas, do painel à esquerda da janela de consulta, no modo cursor apresenta os
seguintes botões.

Primeiro ponto do gráfico


Movimenta o cursor para o primeiro ponto do gráfico selecionado.

Movimentação rápida do cursor em direção ao primeiro ponto do gráfico


Movimenta o cursor em direção ao ponto inicial do gráfico, pulando alguns pontos do
gráfico.

Movimentação em direção ao primeiro ponto do gráfico


Movimenta o cursor para o ponto anterior do gráfico.

Movimentação em direção ao último ponto do gráfico


Movimenta o cursor para o próximo ponto do gráfico.

Movimentação rápida em direção ao último ponto do gráfico


Movimenta o cursor em direção ao final do gráfico, pulando alguns pontos.

Último Ponto do gráfico


Movimenta o cursor para o último ponto do gráfico.

176 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


Evento Anterior
Move o cursor para a posição do evento anterior.

Próximo Evento
Move o cursor para a posição do próximo evento.

? NOTA: O passo da movimentação lenta e rápida do cursor pode ser especificada na


página Geral das Preferências da Consulta.

Além destes botões a barra de ferramentas apresenta um campo para definição do número de
casas decimais para apresentação de valores na tabela de cursores .

13.5. Tabela de Valores


No painel à esquerda da janela de consulta, encontra-se também uma tabela contendo os valores
dos pontos sob o cursor para cada um dos gráficos da pasta.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 177


13.6. Menu de Atalho para Modo Cursor
Quando o mouse se encontra sobre um gráfico da janela de consulta e o botão direito do mesmo
é pressionado, é apresentado um menu de atalho.

Através deste menu, é possível:


n finalizar a função;
n executar comando de zoom sobre o ponto onde está situado o cursor;
n mover o cursor para a posição do evento anterior ou próximo evento;
n executar comandos de análise tendo como parâmetros a posição do cursor e o sinal do
gráfico selecionado.

178 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


C A P Í T U LO 1 4

MODO MARCADORES

Neste capítulo descrevemos o Modo Marcadores e os diversos comandos e funções que podem
ser iniciados a partir do mesmo.

14.1. Iniciando o Modo Marcadores

O Modo Marcadores da consulta pode ser iniciado através do botão da barra de ferramentas
do programa AqDAnalysis. Ele é válido para todas as janelas de consulta abertas no programa.

Quando em Modo Marcadores, o ícone do mouse é alterado para a forma quando estiver
sobre a área de um gráfico de consulta.

O Modo Marcadores está disponível apenas para pastas que contenham gráficos temporais e de
freqüência. Quando é selecionada uma pasta que não contenha este tipo de gráfico, é

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 179


apresentado um aviso alertando o usuário sobre esta restrição.

14.2. Barra de Ferramentas


A barra de ferramentas, do painel à esquerda da janela de consulta, no modo marcadores
apresenta os seguintes botões.

Seleciona marcador T1
Seleciona o marcador T1 para movimentação com os botões da barra de
ferramentas local.

Seleciona marcador T2
Seleciona o marcador T2 para movimentação com os botões da barra de
ferramentas local.

Trava movimento dos marcadores


Quando acionado, a movimentação de cursor torna-se conjunta, ou seja, a
movimentação de um cursor implica na movimentação do outro de forma a
manterem sempre o mesmo intervalo.

Primeiro ponto do gráfico


Movimenta o marcador selecionado para o primeiro ponto do gráfico selecionado.

Movimentação rápida do cursor em direção ao primeiro ponto do gráfico


Movimenta o marcador selecionado em direção ao ponto inicial do gráfico,
pulando alguns pontos do gráfico.

Movimentação em direção ao primeiro ponto do gráfico


Movimenta o marcador selecionado para o ponto anterior do gráfico.

Movimentação em direção ao último ponto do gráfico


Movimenta o marcador selecionado para o próximo ponto do gráfico.

Movimentação rápida em direção ao último ponto do gráfico


Movimenta o marcador selecionado em direção ao final do gráfico, pulando
alguns pontos.

Último ponto do gráfico


Movimenta o marcador selecionado para o último ponto do gráfico.

? NOTA: O passo da movimentação lenta e rápida dos marcadores pode ser especificada
na página Geral da caixa de diálogo Preferências da Consulta.

180 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


Além destes botões a barra de ferramentas apresenta um campo para definição do número de
casas decimais para apresentação de valores na tabela de marcadores .

14.3. Valores dos Marcadores


No painel à esquerda da janela de consulta, encontram-se também informações sobre os valores
das amostras indicadas pelos marcadores no gráfico selecionado.

14.4. Movimentação dos Marcadores


Os marcadores podem ser movimentados através da barra de ferramentas local, do menu de
funções ou através do mouse.

Independente da forma como são movimentados os marcadores, o marcador T1 fica sempre à


esquerda do marcador T2, podendo ocorrer inversão da posição dos marcadores para manter
este estado.

14.4.1. Utilizando a Barra de Ferramentas

Para movimentar um marcador utilizando a barra de ferramentas, selecione um marcador e


pressione um dos botões de movimentação.

14.4.2. Utilizando o Menu de Atalhos

O menu de funções do modo marcadores possui alguns comandos específicos de movimentação


de cursores:
n Apresenta marcadores dentro do intervalo
Se um dos marcadores ou ambos não estiverem dentro do intervalo de tempo ou
freqüência do gráfico, ao executar este comando, sua(s) posição(ões) é(são) alterada(s)
para que possa(m) ser visualizado(s);
n Seleciona todo o intervalo apresentado
Move o marcador T1 para a posição inicial do gráfico e o marcador T2 para a posição
final.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 181


14.4.3. Utilizando o Mouse

A movimentação dos marcadores através de mouse pode ser feita das seguintes formas:
n Pressionando o botão esquerdo do mouse quando o mesmo se encontra sobre o ponto
desejado;
n Pressionando o botão esquerdo do mouse quando o mesmo se encontra sobre a região
do gráfico e, mantendo-o pressionado, arrastar o marcador para a posição desejada.

Para decidir qual dos marcadores será atraído pelo mouse, o programa utiliza as seguintes
regras:
n Se o mouse se encontra sobre um ponto do gráfico à esquerda do marcador T1, o
marcador T1 é atraído;
n Se o mouse se encontra sobre um ponto do gráfico à direita do marcador T2, o marcador
T2 é atraído;
n Se o mouse se encontra sobre um ponto do gráfico entre os marcadores T1 e T2, o
marcador mais próximo ao mouse é atraído.

14.5. Menu de Atalhos para Modo Marcadores


Quando o mouse se encontra sobre um gráfico da janela de consulta e o botão direito do mesmo
é pressionado, é apresentado o seguinte menu de atalho.

Através deste menu, é possível:


n finalizar a função.
n movimentar os marcadores.
n executar comando de zoom sobre os gráficos, tendo como referência os marcadores.
n acesso a diversas funções sobre sinais de arquivos de séries temporais tendo como
base a posição dos marcadores.

182 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


n executar comandos de análise (somente para sinais de arquivos de séries temporais)
tendo como parâmetros a posição do cursor e o sinal do gráfico selecionado.
n apresentar relatório de registro gráfico (para pastas contendo sinais de arquivos de
séries temporais).

14.6. Funções de Análise


As funções de Análise disponíveis são: Auto-Espectro, Espectro Cruzado, Função de
Transferência e Cepstrum.

O modo de operação destas funções foram apresentadas em capítulos anteriores. A diferença


entre iniciar uma destas funções pelo menu principal e através do menu do modo marcadores
está na passagem de parâmetros que é feita automaticamente, no segundo caso, considerando o
gráfico selecionado na consulta e dados dos marcadores.

14.7. Tabela
Esta função permite que o usuário tenha acesso a uma tabela de valores dos pontos dos gráficos
da pasta que se encontram entre os marcadores.

Ao acionar esta função é aberta uma janela com duas páginas: uma contendo a tabela de valores
e outra com informações sobre os sinais tabelados, marcadores e parâmetros para apresentação
da tabela.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 183


Os parâmetros de apresentação da tabela são:
q Passo
Número de amostras consideradas para cada valor apresentado na tabela.
q Média
Quando esta opção estiver selecionada, o valor da tabela corresponde a uma média das
amostras do parâmetro Passo, caso contrário apenas o valor da última amostra é
apresentado.

Alterados os parâmetros, basta pressionar o botão para apresentação dos novos


valores.

184 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


14.8. Histograma
Esta função é acionada através do menu de atalho do modo marcadores. Ela apresenta um
histograma dos valores das amostras que se encontram entre os marcadores do gráfico
selecionado.

A janela do histograma contém três páginas: Informações/Parâmetros, Histograma e Classes.

Na página Informações/Parâmetros encontramos informações sobre os marcadores, parâmetros


para o histograma e configuração de cores para o gráfico.

Os parâmetros do histograma são:


q Histograma Personalizado
Quando esta opção estiver selecionada, o número de classes e amplitude do histograma
deixa de ser calculado automaticamente pelo programa, passando a serem utilizados os
parâmetros editados pelo usuário.
q Amplitude do Histograma
Deve ser fornecida em unidades da grandeza medida e será centrada na média dos
valores. O valor deste campo não deve ser menor que a metade do valor do desvio
padrão.
q Número de Classes
Neste campo deve-se especificar o número de classes em que a amplitude deve ser
dividida. O número de classes deve ser um valor entre 1 e 30.
q Cores

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 185


Pode-se alterar as cores de fundo, grid, escala e traçado do gráfico, pressionando-se os
botões correspondentes no painel Cores.

Alterados os parâmetros e/ou cores, basta pressionar o botão para obter um novo
histograma.

Na página Classes encontra-se uma tabela com o número de amostras para cada classe e
informações sobre parâmetros do histograma.

Para obter relatório contendo o histograma pressione o botão da barra de ferramentas do


formulário do histograma.

186 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


14.9. Estatística
Esta função é acionada através do menu de atalho do modo marcadores. Ela permite que o
usuário tenha acesso a dados estatísticos dos valores dos sinais que se encontram entre os
marcadores.

Ao acionar esta função é aberta uma janela com duas páginas: uma contendo a tabela de valores
e outra com informações sobre os sinais tabelados e os marcadores.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 187


14.10. Separa Trecho / Reduz Taxa
Esta função permite que, a partir de uma série temporal de entrada, seja gerada uma nova série
temporal, contendo apenas o trecho delimitado pelos marcadores.

Para iniciar a operação escolha o comando Separa Trecho / Reduz Taxa do menu de atalho do
modo marcadores.

O nome do arquivo, o sinal do gráfico selecionado e a posição dos marcadores são


automaticamente passados como parâmetros para a operação.

Na caixa de diálogo Separa Trecho Delimitado / Reduz Taxa, pode-se selecionar a pasta
Arquivo e especificar uma nova série temporal de entrada editando o nome do arquivo no
respectivo campo. Se preferir, pressione o botão para ter acesso à caixa de diálogo de
abertura de arquivo. Para acessar as informações gerais da série temporal de entrada, pressione o
respectivo botão .

Especifique o nome do arquivo de série temporal de saída no campo Arquivo de Série Temporal
de Saída. Se preferir deixar que o programa especifique automaticamente o nome do arquivo de
saída, deixe pressionado o botão .

O nome automático para o arquivo de saída é gerado a partir do nome do arquivo de série

188 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


temporal de entrada. Ao nome do arquivo de entrada é acrescentado o sufixo _SE e o tipo de
formato do arquivo de saída será o .TEM se o arquivo de entrada tiver este mesmo tipo formato,
caso contrário o formato .LTD será utilizado.

Especificados o arquivo de série temporal de entrada, o arquivo de série temporal de saída e


parametrizar a função e os canais de saída, pressione o botão para dar início à
separação de trecho e redução de taxa.

14.10.1. Parâmetros

Os parâmetros para execução da redução de taxa são os seguintes:


q Passo
Edite aqui o número de vezes que será reduzida a taxa. O passo indica a cada quantas
amostras do arquivo origem será gerada uma amostra no arquivo destino.

? NOTA: O programa não filtra o sinal antes da redução de taxa. Se o Passo


especificado for diferente de 1, filtre o sinal antes de executar este comando para evitar
efeitos de sub-amostragem.

q Média
Assinale este campo se desejar que as amostras do arquivo destino seja resultado da
média das amostras correspondentes do arquivo origem. O número de amostras
utilizadas corresponde ao do campo Passo.

Nesta função, os seguintes parâmetros do arquivo de série temporal de saída são editáveis na
pasta Arquivo da caixa de diálogo da função:
q Comentário
Edite aqui um comentário para a série temporal de saída. O comentário é limitado a 30
caracteres.
q Notas
Edite aqui anotações sobre a série temporal de saída, limitada a 255 caracteres. As
Notas são gravadas apenas nos arquivos de série temporal no formato .LTD.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 189


14.10.2. Configurando os Canais de Saída

Os canais da série temporal de saída são configurados na pasta Canais da caixa de diálogo
Separa Trecho Delimitado / Reduz Taxa. Nessa pasta são listados os canais ativos da série
temporal de entrada para que sejam marcados os canais que farão parte da série temporal de
saída.

Na pasta Canais são disponíveis os seguintes botões:

q
Utilize este botão para marcar todos os canais da série temporal de entrada, habilitando-
os para a série temporal de saída.

q
Utilize este botão para desmarcar todos os canais da série temporal de entrada, inibindo-
os para a série temporal de saída.

190 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


14.11. Elimina Trecho
Esta função permite que, a partir de uma série temporal de entrada, seja gerada uma nova série
temporal, contendo os dados de entrada menos os dados delimitados pelos marcadores.

Para iniciar a operação escolha o comando Elimina Trecho do modo marcadores.

O nome do arquivo e sinal do gráfico selecionado e posição dos marcadores são


automaticamente passados como parâmetros para a operação.

Na caixa de diálogo Elimina Trecho Delimitado, pode-se selecionar a pasta Arquivo e


especificar uma nova série temporal de entrada editando o nome do arquivo no respectivo
campo. Se preferir, pressione o botão para ter acesso à caixa de diálogo de abertura de
arquivo. Para acessar as informações gerais da série temporal de entrada, pressione o respectivo
botão .

Especifique o nome do arquivo de série temporal de saída no campo Arquivo de Série Temporal
de Saída. Se preferir deixar que o programa especifique automaticamente o nome do arquivo de
saída, deixe pressionado o botão .

O nome automático para o arquivo de saída é gerado a partir do nome do arquivo de série
temporal de entrada. Ao nome do arquivo de entrada é acrescentado o sufixo _EL e o tipo de

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 191


formato do arquivo de saída será o .TEM se o arquivo de entrada tiver este mesmo tipo formato,
caso contrário o formato .LTD será utilizado.

Especificados o arquivo de série temporal de entrada, o arquivo de série temporal de saída e


parametrizar a função e os canais de saída, pressione o botão para dar início à
separação de trecho e redução de taxa.

14.11.1. Parâmetros

Nesta função, os seguintes parâmetros do arquivo de série temporal de saída são editáveis na
pasta Arquivo da caixa de diálogo da função:
q Comentário
Edite aqui um comentário para a série temporal de saída. O comentário é limitado a 30
caracteres.
q Notas
Edite aqui anotações sobre a série temporal de saída, limitada a 255 caracteres. As
Notas são gravadas apenas nos arquivos de série temporal no formato .LTD.

14.11.2. Configurando os Canais de Saída

Os canais da série temporal de saída são configurados na pasta Canais da caixa de diálogo
Elimina Trecho Delimitado. Nessa pasta são listados os canais ativos da série temporal de

192 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


entrada para que sejam marcados os canais que farão parte da série temporal de saída.

Na pasta Canais são disponíveis os seguintes botões:

q
Utilize este botão para marcar todos os canais da série temporal de entrada, habilitando-
os para a série temporal de saída.

q
Utilize este botão para desmarcar todos os canais da série temporal de entrada, inibindo-
os para a série temporal de saída.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 193


14.12. Converte para Texto
Esta função permite gerar um arquivo tipo texto contendo tabela de valores das amostras do
arquivo origem que pertencerem ao intervalo determinado pelos marcadores.

Para iniciar a operação escolha o comando Converte para Texto no menu do modo marcadores.

O nome do arquivo e sinal do gráfico selecionado e posição dos marcadores são


automaticamente passados como parâmetros para a operação.

Na caixa de diálogo Converte Trecho Delimitado para arquivo Texto, pode-se selecionar a pasta
Arquivo e especificar uma nova série temporal de entrada editando o nome do arquivo no
respectivo campo. Se preferir, pressione o botão para ter acesso à caixa de diálogo de
abertura de arquivo. Para acessar as informações gerais da série temporal de entrada, pressione o
respectivo botão .

Especifique o nome do arquivo tipo texto de saída no campo Arquivo Formato Texto de Saída.
Se preferir deixar que o programa especifique automaticamente o nome do arquivo de saída,
deixe pressionado o botão .

O nome automático para o arquivo de saída é gerado a partir do nome do arquivo de série
temporal de entrada. A extensão do arquivo de saída será o .TXT.

194 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


Especificados o arquivo de série temporal de entrada, o arquivo de série temporal de saída e
parametrizar a função e os canais de saída, pressione o botão para dar início à
separação de trecho e redução de taxa.

14.12.1. Parâmetros

Nesta função o seguinte parâmetro é editável:


q Coluna de Tempo:
Selecione neste campo em que unidade será gerada a primeira coluna de valores do
arquivo tipo texto. Essa coluna corresponde à coluna de tempo e pode ser selecionada
entre: sem coluna de tempo, ordem, milisegundos, segundos, minutos ou horas.

14.12.2. Configurando os Canais de Saída

Os canais a serem gravados no arquivo tipo texto de saída são configurados na pasta Canais da
caixa de diálogo Converte Trecho Delimitado para arquivo Texto. Nessa pasta são listados os
canais ativos da série temporal de entrada para que sejam marcados os canais que serão
gravados no arquivo tipo texto.

Na pasta Canais são disponíveis os seguintes botões:

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 195


Utilize este botão para marcar todos os canais da série temporal de entrada, habilitando-
os para gravação no arquivo tipo texto.

q
Utilize este botão para desmarcar todos os canais da série temporal de entrada, inibindo-
os para gravação no arquivo tipo texto.

196 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


14.13. Registro Gráfico
O registro gráfico é um tipo de relatório onde os gráficos são apresentados sob fundo
centimetrado obedecendo uma escala de tempo dada em segundos por centímetro.

14.13.1. Parâmetros

O registro gráfico é gerado levando em consideração os parâmetros apresentados na caixa de


diálogo Registro Gráfico:
q Marcadores de Tempo T1 e T2
Apresentam os valores temporais dos marcadores de tempo. As operações serão
efetuadas sobre o intervalo especificado.
q Escala de Tempo
Especifique a escala de tempo que será utilizada para desenhar o registro gráfico (s/cm).
q Grid
Escolha uma das opções: não (sem grid), preto, cinza ou pontilhado.
q Sub-Grid
Escolha uma das opções: não (sem grid), preto ou cinza. O espaçamento do sub-grid é
de 1 milímetro.
q Gráficos Coloridos
Assinale esta opção se a impressora for colorida.
q Apresenta todo o gráfico em uma página
Assinale esta opção se desejar que todo o intervalo seja apresentado em uma única
página. Neste caso, o parâmetro Escala de Tempo é ignorado e o parâmetro recalculado
para atender esta opção.

Pressionando o botão é apresentada uma janela com o relatório solicitado.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 197


198 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário
C A P Í T U LO 1 5

MODO COMENTÁRIO

Neste capítulo descrevemos o Modo Comentário e os diversos comandos e funções que podem
ser iniciados a partir do mesmo.

15.1. Iniciando o Modo Comentário

O Modo Comentário da consulta pode ser iniciado através do botão da barra de ferramentas
do programa AqDAnalysis. Ele é válido para todas as janelas de consulta abertas no programa.

Quando em Modo Comentário, o ícone do mouse é alterado para a forma quando estiver
sobre a área de um gráfico de consulta.

Os comentários estão associados às pastas de gráficos podendo-se editar até 16 comentários por
pasta.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 199


15.2. Editando um Comentário
Para editar um comentário, posicione o mouse sobre o local do gráfico que deseje comentar,
pressione o botão esquerdo do mouse e arraste-o para a posição onde será inserido o comentário.
O traçado efetuado será mantido na tela como parte do comentário. Ao soltar o botão, será
apresentada a caixa de diálogo Edita Comentário.

Nesta caixa de diálogo encontramos o seguinte campo:


q Comentário
Edite um comentário de até 30 caracteres ou selecione um dos comentários
anteriormente editado.

Para finalizar a edição, pressione o botão ou para cancelar o botão


.

? NOTA: Se a edição do comentário for feita sobre gráficos justapostos, o comentário fica
associado ao gráfico sobre o qual ele foi editado. Se a edição for feita sobre gráficos
sobrepostos, o comentário fica associado ao gráfico selecionado. Esta associação é importante
para o caso de alteração de tipo de gráfico após a edição do comentário.

15.3. Barra de Ferramentas do Modo Comentário


A barra de ferramentas do painel à esquerda da janela de consulta, no modo comentário,
apresenta os seguintes botões:

Remove comentário
Remove o comentário selecionado na tabela de comentários.

Aplicar
Aplica as alterações efetuadas na tabela de comentários da pasta de gráficos
selecionada.

200 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


Além destes botões o painel apresenta o campo Apresenta Comentários que deve estar
assinalado para que os comentários editados sejam apresentados na pasta selecionada.

15.4. Tabela de Comentários


A tabela de comentários é apresentada à esquerda da janela de consulta e contém informações
sobre os comentários da pasta selecionada.

A tabela contém os seguintes campos:


q Gráfico
Informa o número do gráfico associado ao comentário. Este campo não é editável e é
iniciado ao inserir um comentário na pasta.
q Comentário
Comentário de até 30 caracteres.

15.5. Menu de Atalho do Modo Comentário


Quando o mouse se encontra sobre um gráfico da janela de consulta e o botão direito do mesmo
é pressionado, é apresentado o seguinte menu de atalho.

Através deste menu, é possível:


n finalizar a função;
n excluir o último comentário editado.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 201


202 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário
C A P Í T U LO 1 6

RELATÓRIO

O AqDAnalysis disponibiliza vários tipos de relatórios, como: relatório de consulta, relatório de


histograma, relatório de registro gráfico e relatório multi-gráficos. Estes relatórios contêm um
ou mais gráficos, tabelas, dados e notas do usuário.

16.1. Configurando o Relatório


Para configurar o conteúdo do relatório selecione o comando Relatório/Configurar. Será
apresentada uma caixa de diálogo para edição dos parâmetros de relatório com duas páginas:
Informações e Layout da Página.

A configuração do relatório está associada à janela de consulta, sendo apresentada a


configuração de relatório da consulta em foco no instante da solicitação. Caso a janela em foco
não seja uma janela de consulta, é apresentada a configuração padrão de relatório.

A configuração padrão é um modelo que pode ser copiado para a configuração de uma consulta

através do botão da caixa de diálogo Configurar Relatório. Ele também pode ser

salvo a partir de qualquer configuração de relatório pressionando-se o botão da


mesma caixa de diálogo.

? NOTA: Ao salvar um setup de consulta, também é salvo o setup de relatório da consulta,


permitindo que os dados de relatório sejam recuperados juntamente com os da consulta.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 203


16.1.1 Informações

Na página Informações da caixa de diálogo Configurar Relatório encontram-se os seguintes


campos editáveis:
q Instituição
Neste campo deve ser editado o nome da instituição ou empresa que está emitindo o
relatório. Este campo é apresentado na área de título do relatório.
q Área
Neste campo deve ser editado o nome da área ou departamento responsável pela
emissão do relatório. Este campo é apresentado na área de título do relatório, logo
abaixo do nome da instituição.
q Título de Campo
Edite um título para o campo impresso à direita do nome da instituição.
q Campo
Edite o conteúdo do campo.
q Data
Edite uma data para o relatório.
q Título do Rodapé
Edite um título para o campo de rodapé impresso na parte inferior do relatório.
q Rodapé
Edite o conteúdo do rodapé.
q Responsável
Edite o nome do responsável pelo relatório.
q Subtítulo
Edite a lista de subtítulos e escolha um elemento da lista para cada linha de subtítulo.
q Observação
Edite a lista de observações e escolha um elemento da lista para cada linha de
observação.
q Grid
Caixa de escolha. Selecione um dos tipos de grid listados nesta caixa..
q Colorido
Assinale esta opção se a impressora for colorida.
q Tamanho do Fonte
Caixa de escolha. Selecione o tamanho de fonte adequado à sua impressora.

204 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


16.1.2 Editando as Listas de Subtítulos e Observações

Para editar as listas de subtítulos e observações, pressione um dos botões que se encontram
ao lado dos painéis Subtítulo e Observação da página Informações, sendo apresentada a caixa
de diálogo Edição de Lista de Subtítulos e Observações. Cada lista é composta de 30 elementos
de 80 caracteres.

Nesta caixa de diálogo são editáveis os seguintes campos:


q Lista de Subtítulos
Edite a lista de subtítulos que será utilizada no relatório. Pode-se editar até 30 subtítulos.
q Lista de Observações
Edite a lista de observações que será utilizada no relatório. Pode-se editar até 30
observações.

Pressione o botão para salvar os dados editados ou o botão para


descartá-los.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 205


16.1.3. Layout da Página

Na página Layout da caixa de diálogo Configurar Relatório encontram-se os seguintes campos


editáveis:
q Folha
Selecione nesta caixa de seleção o formato do papel onde será impresso o relatório: A4,

206 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


Carta ou A3.
q Orientação
Assinale o tipo de orientação adequado ao relatório: retrato ou paisagem.
q Apresentação
Os campos de apresentação são diversos items que podem ser apresentados ou não no
relatório de maneira independente. Assinale os itens que devem ser apresentados nos
relatórios. No caso do item Tabela, existe ainda a opção de impressão em página distinta
do gráfico.
q Margens
Caso necessite alterar as margens (área útil) do relatório, edite a tabela de margens com
valores adequados às suas necessidades (em milímetros). Caso necessite retornar aos
valores padrão, pressione o botão Restaura Valores Padrão.

16.2. Relatório da Pasta de Consulta Selecionada

Para solicitar um relatório, pressione o botão da barra de ferramentas do programa ou da


janela onde se apresenta o gráfico escolhido, ou o comando Relatório/Apresentar no menu
principal. Será apresentado um rascunho do relatório na tela do computador, contendo o gráfico
da pasta de consulta selecionada e outros dados conforme opções configuradas para o relatório.

Dependendo do modo de apresentação da consulta: normal, cursor ou marcadores, o conteúdo


da tabela do relatório é alterada para a apresentação de valores relevantes em cada um dos
modos.

16.3. Relatório de Histograma

O relatório de histograma é solicitado pressionando-se o botão da própria janela de


apresentação do mesmo. Para obter o histograma de um sinal, estude o capítulo sobre
marcadores.

16.4. Relatório de Registro Gráfico


O relatório de registro gráfico é solicitado a partir do menu do modo marcadores. Para
informações mais detalhadas, consulte o capítulo sobre Modo Marcadores.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 207


16.5. Relatório Multi-Gráficos
O relatório multi-gráficos é um tipo de relatório onde se pode apresentar gráficos de até 4 pastas
de uma mesma janela de consulta em uma página. Ele é solicitado pelo comando Relatório /
Multi-gráficos do menu principal do programa ou pressionando-se o botão da barra de
ferramentas do programa.

A caixa de diálogo Relatório Multi-gráficos permite configurar os parâmetros para este


relatório. Nela encontramos os seguintes campos:
q Layout
Assinale um dos layouts com 2, 3 ou 4 gráficos.
q Janela
Campo de escolha. Contém o título de todas as janelas de consulta abertas. Escolha a
janela de consulta que contém os gráficos que serão impressos.
q Pastas
Campos de escolha contendo os nomes das pastas da janela de consulta escolhida no
campo Janela. Escolha uma pasta para cada campo conforme layout escolhido.

Pressione o botão para apresentação de rascunho do relatório na tela do


computador ou o botão para desistir do relatório.

208 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


16.6. A Janela de Relatório
A janela de relatório apresenta um rascunho do último relatório solicitado.

16.7. Barra de Ferramentas do Relatório


A janela de relatório contém uma barra de ferramentas com os seguintes botões:

Página inicial
Apresenta a primeira página do relatório.

Página anterior
Apresenta a página anterior a atualmente apresentada.

Próxima página
Apresenta a página posterior a atualmente apresentada.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 209


Página final
Apresenta a última página do relatório.

Imprime
Imprime relatório apresentado.

Menos zoom
Permite uma visualização da página do relatório com nível menor de detalhes.

Mais zoom
Permite uma visualização da página do relatório com nível maior de detalhes.

210 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


APÊNDICE A

LINEARIZANDO SINAIS DE TERMOPAR

Os termopares são sensores de temperatura cujos sinais gerados (tensão em mV) não podem ser
convertidos linearmente para a temperatura correspondente.

Este apêndice descreve o recurso de linearização de sinais disponíveis no AqDAnalysis, que


permite converter os sinais de sensores tipo termopar para valores na unidade da grandeza
medida.

þ DICA: embora trate de termopares, os conceitos aqui apresentados podem ser


aplicados à linearização de outros sensores não lineares.

A.1. Definindo Tabela de Linearização


Existem diversos tipos de termopares, cada qual apresentando diferentes tipos de relações não
lineares de tensão versus temperatura. Algumas dessas relações são padronizadas e outras não.
Isto impede que o programa apresente uma solução fixa e ao mesmo tempo abrangente para
todos os termopares. Por isso, o programa oferece um meio para você configurar os tipos de
termopares e as respectivas relações de tensão versus temperatura com as quais o AqDAnalysis
irá trabalhar.

As tabelas de linearização são armazenadas num arquivo denominado "LINEARIZ.DAT".


Neste arquivo podem ser armazenadas até oito diferentes tabelas de linearizaçăo.

Caso exista, o arquivo "LINEARIZ.DAT" é lido no início da execuçăo do AqDAnalysis, sendo


procurado inicialmente no diretório corrente e, se năo encontrado, no diretório de instalaçăo do
AqDAnalysis.

As tabelas de linearização devem ser escritas em formato ASCII, podendo ser editadas em
editores comuns, desde que não utilizem caracteres próprios para formatar o texto, por exemplo,
você pode utilizar o Bloco de Notas do Windows.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 211


A.1.1. Formato da Tabela

q Cabeçalho
Cada tabela deve ter, na primeira linha, um cabeçalho com: o nome do termopar, a faixa
de entrada e faixa de saída de valores da tabela. Estas informações podem ser utilizadas
para identificar o tipo de linearização quando da configuração de canais de entrada.

Exemplo de cabeçalho:

V1.0 TIPO E [0,76.45 mV] [0,1000 °C]


onde:
V1.0 - versão da tabela de linearização
TIPO E - tabela para termopar tipo E
[0, 76.45 mV] - faixa de entrada de 0 a 76.45 mV
[0, 1000°C]] - faixa de entrada de 0 a 1000 graus Celsius
q Identificação
Na linha seguinte após o cabeçalho deve-se especificar a identificação do sensor com
até 6 caracteres. Esta identificação é utilizada na caixa de seleção no campo Tipo da
janela Configuração de Canais de Entrada.
q Unidade de entrada
Na linha seguinte deve-se especificar a unidade dos valores de entrada com até 7
caracteres.
q Unidade de saída
Na linha seguinte deve-se especificar a unidade dos valores de saída com até 7
caracteres.
q Valores
Após as informações anteriores segue-se a tabela de valores que pode ter no máximo 25
linhas. Cada linha da tabela deve ter dois valores: na primeira coluna o valor de entrada
e na segunda, o valor correspondente da saída. Após a última linha da tabela de valores
deve ser inserido, na linha seguinte, o identificador #FIMTAB para indicar o fim da tabela.

É apresentado abaixo um exemplo de tabela de linearização. A tabela do exemplo lineariza um


termopar tipo E entre 0 e 1000 graus Celsius. Os valores na primeira coluna da tabela de valores
estão em milivolts. Na segunda coluna estão os valores correspondentes em graus Celsius.

Exemplo:

V1.0 TIPO E [0,76.45 mV] [0,1000 oC] ; Versao/Comentario


TMP E ; Identificacao da linearizacao
mV ; Unidade da grandeza de entrada
oC ; Unidade da grandeza de saida

7.64500E+01 1.00000E+03 ; Limite superior


7.30157E+01 9.55641E+02

212 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


6.87602E+01 8.99740E+02
6.44300E+01 8.43639E+02
5.97266E+01 7.83506E+02
5.43512E+01 7.15607E+02
4.80052E+01 6.36285E+02
3.89716E+01 5.24339E+02
3.01619E+01 4.15222E+02
2.53838E+01 3.55391E+02
2.15762E+01 3.07018E+02
1.82913E+01 2.64569E+02
1.54542E+01 2.27212E+02
1.29159E+01 1.93099E+02
1.06015E+01 1.61289E+02
8.58569E+00 1.32902E+02
6.79390E+00 1.07012E+02
5.15142E+00 8.26112E+01
3.65825E+00 5.97538E+01
2.31440E+00 3.85196E+01
1.11987E+00 1.90177E+01
0.00000E+00 0.00000E+00 ; Limite inferior
#FIMTAB

A.2. Convertendo para graus Celsius


Os valores de sinais tipo termopar são linearizados automaticamente durante a apresentação dos
mesmos em telas e janelas.

O AqDAnalysis utiliza duas formas para linearizar valores em milivolts para valores em graus
Celsius:
n Com compensação de junta fria;
n Sem compensação de junta fria.

A.2.1. Linearização com Compensação de Junta Fria

Nesta forma de linearização os valores de um sinal tipo termopar são linearizados levando em
consideração a temperatura da junta fria.

Um sensor adicional, chamado Junta Fria, fornece uma tensão que pode ser convertida
diretamente para a temperatura da junta fria. O sinal desse sensor deve ser lido pela placa A/D
num canal tipo JuntaF (que é uma das opções do seletor do campo Tipo, na janela Configuração
das Entradas Analógica). Em um ensaio normalmente apenas um canal é configurado como
tipo JuntaF.

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 213


A.2.2. Linearização sem Compensação de Junta Fria

Nesta forma de linearização os valores de um sinal tipo termopar são linearizados baseados
somente nos valores da respectiva tabela de linearização. É utilizado quando se utiliza
condicionadores de sinais que realizam a compensação de junta fria por hardware ou quando a
junta fria está em zero graus.

A.3. Configurando Canais Tipo Termopar


A configuração de canais tipo termopar é feita na caixa de diálogo Configuração das Entradas
Analógicas, de forma idêntica à configuração de canais do tipo Linear, visto no capítulo
Configurando as Entradas Analógicas.

Os sinais de termopares são tensões às vezes muito baixas para serem lidas diretamente por um
conversor A/D. Por isso, normalmente há uma amplificação do sinal do termopar para que o
mesmo se ajuste à faixa de entrada do conversor A/D. De qualquer modo, nos campos Limite
Superior e Limite Inferior da janela Configuração das Entradas Analógicas devem ser
especificados valores em milivolts (mV), correspondentes aos respectivos limites da faixa de
entrada do conversor A/D. No campo Unidade especifique "°C", pois esta será a unidade da
grandeza após a linearização.

No campo Tipo deve ser selecionado o identificador correspondente ao termopar, conforme


especificado na linha Identificação da respectiva tabela de linearização.

Caso seja utilizada junta fria, configure o respectivo canal de modo que o sinal seja convertido
diretamente para graus Celsius. Nos campos Limite Superior e Limite Inferior você deve
especificar os valores da grandeza (em graus Celsius) correspondentes aos limites da faixa de
entrada do canal. No campo Tipo deve-se selecionar a opção JuntaF. Muitos condicionadores de
sinais da Lynx trazem internamente um sensor de temperatura de junta fria. Esse sensor é
normalmente utilizado no canal 0 do condicionador de sinais. Veja, no manual de referência
técnica do condicionador de sinais, como utilizar o sensor de temperatura da junta fria.

Apresenta-se a seguir um exemplo de configuração de canal tipo termopar.

Exemplo: seja um sensor tipo E. Suponha que após o condicionamento (amplificação) do sinal
original, a faixa de entrada para o conversor seja ± 10 V, correspondentes à faixa de -100 a 100
mV. Na janela de Configuração das Entradas Analógicas, os campos correspondentes ao canal
devem ser configurados da seguinte forma:
n Tipo: selecione "TMP E".
n Lim. Inferior: especifique -100

214 AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário


n Lim. Superior: especifique 100
n Faixa do A/D: especifique ± 10 V.

Seja também um sensor de junta fria que forneça um sinal na faixa de ± 5 V, para valores da
grandeza entre -50 e 50 °C. Os campos correspondentes ao canal da junta fria devem ser
configurados da seguinte forma:
n Tipo: selecione "JuntaF".
n Lim. Inferior: especifique -50
n Lim. Superior: especifique 50
n Faixa do A/D: especifique ± 5Volts.

Suponha que o termopar forneça um sinal de 45.7 mV. Se o sensor de junta fria informa uma
temperatura de 38.5 °C, a tensão correspondente a essa temperatura, cerca de 2.3 mV (obtida na
tabela de linearização do termopar tipo E), deve ser somada à tensão fornecida pelo termopar
antes de se calcular a temperatura indicada pelo termopar na tabela. Assim, a temperatura real
medida seria correspondente a 45.7 + 2.3 = 48.0 mV, que corresponderia aproximadamente 636
°C.

A linearização descrita acima ocorre automaticamente durante a apresentação gráfica ou


numérica do sinal. Assim, uma leitura de 45.7 mV, à temperatura de junta fria de 38.5 °C, será
sempre apresentada como 636 °C quanto o tipo do canal for "TMP E". Se o tipo do canal for
alterado para "linear", então o sinal passará a ser apresentado através de valores em mV (nesse
exemplo, seria apresentado o valor 45.7).

ý CUIDADO: a linearização automática, na apresentação dos valores de termopar,


depende da carga da respectiva tabela de linearização. Mais que isso, a tabela deve estar,
dentro do arquivo LINEARIZ.DAT, na mesma ordem em que se encontrava quando da
aquisição de sinais. Por exemplo, se no momento da aquisição a tabela do termopar tipo E
fosse a terceira tabela do arquivo LINEARIZ.DAT, então a linearização automática irá sempre
utilizar a terceira tabela carregada (mesmo que a versão do "LINEARIZ.DAT" mude e a
terceira tabela seja alocada para outro sensor).

AqDAnalysis 7 - Manual do Usuário 215


P/N S144U06
Impresso no Brasil www.lynxtec.com.br