Você está na página 1de 3

Dinâmica para Auto Conhecimento, Trabalhar Valores e Prioridades

Pessoais, Valorização da Vida. - A viagem


OBJETIVO:
1- Propiciar autoconhecimento.
2- Avaliar nossos valores e prioridades pessoais.
3- Refletir sobre o valor de nossas vidas e o que é realmente importante nela.
PARTICIPANTES: até 20 pessoas
TEMPO: de 40’ a 1h.
MATERIAL: CD com música calma, papel, lápis, roteiro para discussão.
DESCRIÇÃO: O facilitador explica ao grupo que irão fazer uma viagem e que para tanto é preciso usar da
imaginação.
DESENVOLVIMENTO:
1- O facilitador entrega a cada um dos participantes uma folha de papel e um lápis.
2- Coloca a música ambiente para propiciar calma e reflexão.
3- Diz então, que irão fazer uma longa viagem de navio sem previsão de volta e que na mala de cada um, só
poderão ser levadas 10 coisas, não importando tamanho, peso ou valor.
4- O facilitador pede que listem na folha que receberam as 10 coisas essenciais que desejam levar. Diz que a
viagem é longa, mas o navio não permite que leve muita bagagem. (Diz que têm 3 minutos para montarem suas
listas).
5. Após todos terem terminado suas listas, diz que agora que têm tudo devidamente organizado e embarcado e já
estão em alto mar, surge um problema de última hora. Sérios danos no navio obrigam toda a tripulação a aliviar a
carga. O comandante ordena que cada um jogue cinco das coisas de sua lista ao mar. Diz que a decisão é difícil,
mas tem que ser obedecida. Então o facilitador pede para que deixem na lista somente 5 coisas mais essenciais.
(Aguarda por volta de 1minuto para que todos façam suas escolhas de descarte de coisas).
6- Diz então, “Meu Deus, uma grande tempestade se aproxima. O comandante pede que mais três coisas sejam
descartadas e jogadas ao mar. Somente assim será possível preservar a vida de todos”. (Aguarda por volta de 1
minuto para que todos executem essa tarefa).
7- Diz, então: Agora chegamos ao nosso destino, mas temos ainda que passar pela alfândega e para isso
precisamos descartar mais uma das coisas essenciais que levamos e só podemos ficar com 1. Perguntar: Qual a
bagagem nunca abandonamos? (Esperar aproximadamente 1 minuto até que todos tenham
terminado esta última tarefa).
8- Agora que todos estão com sua escolha feita peça para que se agrupem em grupos de 3 e partilhem suas
escolhas). Entregar o roteiro de discussão para cada trio e pedir que o usem para encaminhar a discussão. Nota:
não há necessidade de resposta escrita a esse roteiro, ele só serve para nortear a discussão.
. Quais coisas listaram inicialmente e por quê?
. Quais coisas foram descartadas e por quê? Nos momentos posteriores.
. Qual foi a única coisa que preservaram? Por quê?
. O que sentiram quando tiveram que descartar coisas essenciais que haviam escolhido?
. Tiveram dificuldade em descartar as coisas? Quais as que tiveram mais dificuldade?
. Em que momento foi mais difícil descartar coisas? No primeiro momento ou nos próximos? Por quê?
(Estabelecer 15 minutos para essa discussão).
Ao término desse prazo pedir para o grupo se dispor em semicírculo e iniciar a discussão:
DISCUSSÃO:
Perguntar ao grupo:
- O que acharam da atividade?
- Foi difícil fazer as listas?
- Em que momento foi mais difícil. Por quê?
- Que conclusões cada trio chegou a respeito das dificuldades e o que é mais essencial para reter?
- Que conclusões podemos extrair desse exercício para nossas vidas, nosso trabalho, nossas relações, etc.? Será
que o que inicialmente valorizamos é o que é realmente importante para nós?
CONCLUSÃO:
Concluir que muitas vezes atribuímos valores equivocados às coisas e pessoas. Que muitas vezes não damos valor
a nossas vidas por achar que sempre teríamos que ter mais, ser mais bem sucedidos, mais magros, mais bonitos,
mais amados, etc. Não percebemos o valor das coisas que alcançamos e só percebemos seu real valor quando
perdemos. Que vivemos no passado e no futuro esperando que coisas melhores possam nos acontecer ou
lembrando de como era bom antigamente (esquecendo que não achávamos tão bom assim). Que muitas vezes
deixamos de usufruir do presente e das nossas relações presentes. Que atribuímos prioridade às coisas que nem
sempre são essenciais e que não valorizamos a coisas positivas de nossa vida para nos sentirmos felizes.
Que só parando para perceber o que valorizamos ou não que podemos gerar mudanças em nossas vidas nos
conhecendo melhor e aproveitando os pequenos momentos de felicidade.

ROTEIRO DE DISCUSSÃO:
. Quais coisas listaram inicialmente e por quê?

. Quais coisas foram descartadas e por quê? Nos momentos posteriores.

. Qual foi a única coisa que preservaram? Por quê?

. O que sentiram quando tiveram que descartar coisas essenciais que haviam escolhido?

. Tiveram dificuldade em descartar as coisas? Quais as que tiveram mais dificuldade?

. Em que momento foi mais difícil descartar coisas? No primeiro momento ou nos próximos? Por quê?

(Estabelecer 15 minutos para essa discussão).

Ao término desse prazo pedir para o grupo se dispor em semicírculo e iniciar a discussão:

DISCUSSÃO:

Perguntar ao grupo:

- O que acharam da atividade?

- Foi difícil fazer as listas?

- Em que momento foi mais difícil. Por quê?

- Que conclusões cada trio chegou a respeito das dificuldades e o que é mais essencial para reter?

- Que conclusões podemos extrair desse exercício para nossas vidas, nosso trabalho, nossas relações,
etc.? Será que o que inicialmente valorizamos é o que é realmente importante para nós?

CONCLUSÃO:

Concluir que muitas vezes atribuímos valores equivocados às coisas e pessoas. Que muitas vezes não
damos valor a nossas vidas por achar que sempre teríamos que ter mais, ser mais bem sucedidos, mais
magros, mais bonitos, mais amados, etc. Não percebemos o valor das coisas que alcançamos e só
percebemos seu real valor quando perdemos. Que vivemos no passado e no futuro esperando que
coisas melhores possam nos acontecer ou lembrando de como era bom antigamente (esquecendo que
não achávamos tão bom assim). Que muitas vezes deixamos de usufruir do presente e das nossas
relações presentes. Que atribuímos prioridade às coisas que nem sempre são essenciais e que não
valorizamos a coisas positivas de nossa vida para nos sentirmos felizes.

Que só parando para perceber o que valorizamos ou não que podemos gerar mudanças em nossas vidas
nos conhecendo melhor e aproveitando os pequenos momentos de felicidade.
ROTEIRO DE DISCUSSÃO:

. Quais coisas listaram inicialmente e por quê?

. Quais coisas foram descartadas e por quê? Nos momentos posteriores.

. Qual foi a única coisa que preservaram? Por quê?

. O que sentiram quando tiveram que descartar coisas essenciais que haviam escolhido?

. Tiveram dificuldade em descartar as coisas? Quais as que tiveram mais dificuldade?

. Em que momento foi mais difícil descartar coisas? No primeiro momento ou nos próximos? Por quê?

ROTEIRO DE DISCUSSÃO:

. Quais coisas listaram inicialmente e por quê?

. Quais coisas foram descartadas e por quê? Nos momentos posteriores.

. Qual foi a única coisa que preservaram? Por quê?

. O que sentiram quando tiveram que descartar coisas essenciais que haviam escolhido?

. Tiveram dificuldade em descartar as coisas? Quais as que tiveram mais dificuldade?

. Em que momento foi mais difícil descartar coisas? No primeiro momento ou nos próximos? Por quê?

ROTEIRO DE DISCUSSÃO:

. Quais coisas listaram inicialmente e por quê?

. Quais coisas foram descartadas e por quê? Nos momentos posteriores.

. Qual foi a única coisa que preservaram? Por quê?

. O que sentiram quando tiveram que descartar coisas essenciais que haviam escolhido?

. Tiveram dificuldade em descartar as coisas? Quais as que tiveram mais dificuldade?

. Em que momento foi mais difícil descartar coisas? No primeiro momento ou nos próximos? Por quê?

ROTEIRO DE DISCUSSÃO:

. Quais coisas listaram inicialmente e por quê?

. Quais coisas foram descartadas e por quê? Nos momentos posteriores.

. Qual foi a única coisa que preservaram? Por quê?

. O que sentiram quando tiveram que descartar coisas essenciais que haviam escolhido?

. Tiveram dificuldade em descartar as coisas? Quais as que tiveram mais dificuldade?

. Em que momento foi mais difícil descartar coisas? No primeiro momento ou nos próximos? Por quê?

Interesses relacionados