Você está na página 1de 1

Nº 210, quarta-feira, 4 de novembro de 2015 1 ISSN 1677-7042 77

Art. 2º - Esta Resolução entra em vigor na data de sua ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL III - velar por sua reputação pessoal e profissional;
publicação, com eficácia a partir do dia 29 de outubro de 2015, data CONSELHO FEDERAL IV - empenhar-se, permanentemente, no aperfeiçoamento
de realização da 48ª Reunião Extraordinária do Plenário do CONSELHO PLENO pessoal e profissional;
CREF4/SP. V - contribuir para o aprimoramento das instituições, do
RESOLUÇÃO N o- 2, DE 19 DE OUTUBRO DE 2015 Direito e das leis;
NELSON LEME DA SILVA JUNIOR VI - estimular, a qualquer tempo, a conciliação e a mediação
Aprova o Código de Ética e Disciplina da entre os litigantes, prevenindo, sempre que possível, a instauração de
Ordem dos Advogados do Brasil - OAB. litígios;
8ª REGIÃO VII - desaconselhar lides temerárias, a partir de um juízo
O CONSELHO FEDERAL DA ORDEM DOS ADVOGA- preliminar de viabilidade jurídica;
RESOLUÇÃO Nº 128, DE 30 DE OUTUBRO DE 2015 DOS DO BRASIL, no uso das atribuições que lhe são conferidas VIII - abster-se de:
pelos arts. 33 e 54, V, da Lei n. 8.906, de 04 de julho de 1994 - a) utilizar de influência indevida, em seu benefício ou do
Dispõe sobre o encerramento da Seccional Estatuto da Advocacia e da OAB, e considerando o decidido nos cliente;
Amapá. autos da Proposição n. 49.0000.2015.000250-3/COP; b) vincular seu nome a empreendimentos sabidamente es-
Considerando que a realização das finalidades institucionais cusos;
O PRESIDENTE DO CONSELHO REGIONAL DE EDU- da Ordem dos Advogados do Brasil inclui o permanente zelo com a c) emprestar concurso aos que atentem contra a ética, a
CAÇÃO FÍSICA DA 8ª REGIÃO - CREF8/AM-AC- RO-RR, no uso conduta dos profissionais inscritos em seus quadros; moral, a honestidade e a dignidade da pessoa humana;
de suas atribuições estatutárias, conforme dispõe o inciso X do artigo Considerando que o advogado é indispensável à adminis- d) entender-se diretamente com a parte adversa que tenha
40 do Estatuto do CREF8/AM- PA-RO-RR, e; tração da Justiça, devendo guardar atuação compatível com a elevada patrono constituído, sem o assentimento deste;
CONSIDERANDO a criação e instalação do Conselho Re- função social que exerce, velando pela observância dos preceitos e) ingressar ou atuar em pleitos administrativos ou judiciais
éticos e morais no exercício de sua profissão; perante autoridades com as quais tenha vínculos negociais ou fa-
gional de Educação Física da 18ª Região - CREF18/PA-AP, através da miliares;
Resolução CONFEF nº 288/2015; Considerando que as mudanças na dinâmica social exigem a
inovação na regulamentação das relações entre os indivíduos, es- f) contratar honorários advocatícios em valores aviltantes.
CONSIDERANDO que em razão da criação do CREF18, o pecialmente na atuação do advogado em defesa dos direitos do ci- IX - pugnar pela solução dos problemas da cidadania e pela
CREF8/AM-AC-AP-PA-RO-RR passa a ter abrangência nos Estados dadão; efetivação dos direitos individuais, coletivos e difusos;
do Amazonas, Acre, Rondônia e Roraima; resolve: Considerando a necessidade de modernização e atualização X - adotar conduta consentânea com o papel de elemento
Art. 1º - Encerrar a Seccional Amapá, criada através da das práticas advocatícias, em consonância com a dinamicidade das indispensável à administração da Justiça;
Resolução CREF8 nº 117/2013, com sede na Avenida Cândido Men- transformações sociais e das novas exigências para a defesa efetiva XI - cumprir os encargos assumidos no âmbito da Ordem dos
des, 938, Sala 12, Edifício Ângela, Centro, CEP: 68.900-100, Macapá dos direitos de seus constituintes e da ordem jurídica do Estado Advogados do Brasil ou na representação da classe;
- AP. Democrático de Direito; XII - zelar pelos valores institucionais da OAB e da ad-
Art. 2º - Esta Resolução entra em vigor nesta data, revo- Considerando que, uma vez aprovado o texto do novo Có- vocacia;
gando-se as disposições em contrário, especialmente a Resolução digo de Ética e Disciplina, cumpre publicá-lo para que entre em vigor XIII - ater-se, quando no exercício da função de defensor
CREF8 nº 117/2013. 180 (cento e oitenta) dias após a data de sua publicação, segundo o público, à defesa dos necessitados.
disposto no seu art. 79; Art. 3º O advogado deve ter consciência de que o Direito é
Considerando que, com a publicação, tem-se como editado o um meio de mitigar as desigualdades para o encontro de soluções
JEAN CARLO AZEVEDO DA SILVA justas e que a lei é um instrumento para garantir a igualdade de
Código de Ética e Disciplina da Ordem dos Advogados do Brasil -
OAB, resolve: todos.
CONSELHO REGIONAL DE FISIOTERAPIA Art. 1º Fica aprovado o Código de Ética e Disciplina da Art. 4º O advogado, ainda que vinculado ao cliente ou cons-
E TERAPIA OCUPACIONAL Ordem dos Advogados do Brasil - OAB, na forma do Anexo Único tituinte, mediante relação empregatícia ou por contrato de prestação
da presente Resolução. permanente de serviços, ou como integrante de departamento jurídico,
16ª REGIÃO Art. 2º Esta Resolução entra em vigor na data da sua pu- ou de órgão de assessoria jurídica, público ou privado, deve zelar pela
blicação, revogadas as disposições em contrário. sua liberdade e independência.
PORTARIA N o- 6, DE 3 DE NOVEMBRO DE 2015 Parágrafo único. É legítima a recusa, pelo advogado, do
MARCUS VINICIUS FURTADO COÊLHO patrocínio de causa e de manifestação, no âmbito consultivo, de
O Presidente do Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Presidente do Conselho pretensão concernente a direito que também lhe seja aplicável ou
Ocupacional da 16º Região - CREFITO16, no uso de suas atribuições contrarie orientação que tenha manifestado anteriormente.
legais e regimentais, conferidas por simetria ao Regimento Interno do ANEXO ÚNICO Art. 5º O exercício da advocacia é incompatível com qual-
COFFITO aprovado pela resolução Nº 413/2012; quer procedimento de mercantilização.
CONSIDERANDO a Resolução COFFITO nº 447/2014, que CÓDIGO DE ÉTICA E DISCIPLINA Art. 6º É defeso ao advogado expor os fatos em Juízo ou na
promoveu o desmembramento da Região Territorial do Crefito-12; DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL - OAB via administrativa falseando deliberadamente a verdade e utilizando
CONSIDERANDO a deliberação da Presidência, resolve o de má-fé.
seguinte: O CONSELHO FEDERAL DA ORDEM DOS ADVOGA- Art. 7º É vedado o oferecimento de serviços profissionais
DOS DO BRASIL, ao instituir o Código de Ética e Disciplina, nor- que implique, direta ou indiretamente, angariar ou captar clientela.
Art. 1º A concessão do Suprimento de Fundos para este CAPÍTULO II
teou-se por princípios que formam a consciência profissional do ad-
Conselho Regional - CREFITO 16, consoante o que determina os vogado e representam imperativos de sua conduta, os quais se tra- DA ADVOCACIA PÚBLICA
artigos 68 e 69, da Lei nº 4.320, de 1964, e consubstanciado com a duzem nos seguintes mandamentos: lutar sem receio pelo primado da Art. 8º As disposições deste Código obrigam igualmente os
Lei nº 8.666/93 e suas alterações, será limitada a R$ 400,00 (qua- Justiça; pugnar pelo cumprimento da Constituição e pelo respeito à órgãos de advocacia pública, e advogados públicos, incluindo aqueles
trocentos reais). Lei, fazendo com que o ordenamento jurídico seja interpretado com que ocupem posição de chefia e direção jurídica.
Art. 2º Não se fará Suprimento de Fundos a funcionários em retidão, em perfeita sintonia com os fins sociais a que se dirige e as § 1º O advogado público exercerá suas funções com in-
alcance ou em atraso na prestação de contas de suprimento ante- exigências do bem comum; ser fiel à verdade para poder servir à dependência técnica, contribuindo para a solução ou redução de li-
riormente, nem a responsável por 2 (dois) suprimentos. Justiça como um de seus elementos essenciais; proceder com lealdade tigiosidade, sempre que possível.
Art. 3º O funcionário que receber Suprimento de Fundos é e boa-fé em suas relações profissionais e em todos os atos do seu § 2º O advogado público, inclusive o que exerce cargo de
obrigado a prestar contas de sua aplicação, sujeitando-se a tomada de ofício; empenhar-se na defesa das causas confiadas ao seu patrocínio, chefia ou direção jurídica, observará nas relações com os colegas,
contas, se não o fizer no prazo assinalado pelo Ordenador da Des- dando ao constituinte o amparo do Direito, e proporcionando-lhe a autoridades, servidores e o público em geral, o dever de urbanidade,
pesa. realização prática de seus legítimos interesses; comportar-se, nesse tratando a todos com respeito e consideração, ao mesmo tempo em
mister, com independência e altivez, defendendo com o mesmo de- que preservará suas prerrogativas e o direito de receber igual tra-
Art. 4º Só serão admitidos documentos de despesas rea- tamento das pessoas com as quais se relacione.
nodo humildes e poderosos; exercer a advocacia com o indispensável
lizadas em data posterior à do recebimento do quantitativo pelo res- senso profissional, mas também com desprendimento, jamais per- CAPÍTULO III
ponsável. mitindo que o anseio de ganho material sobreleve a finalidade social DAS RELAÇÕES COM O CLIENTE
Art. 5º Os documentos comprobatórios da despesa deverão do seu trabalho; aprimorar-se no culto dos princípios éticos e no Art. 9º O advogado deve informar o cliente, de modo claro e
ser passados em nome de responsáveis pela aplicação do Suprimento domínio da ciência jurídica, de modo a tornar-se merecedor da con- inequívoco, quanto a eventuais riscos da sua pretensão, e das con-
e firmado por quem prestou o serviço ou forneceu o material. fiança do cliente e da sociedade como um todo, pelos atributos in- sequências que poderão advir da demanda. Deve, igualmente, de-
Art. 6º No caso de aquisição de material ou de qualquer telectuais e pela probidade pessoal; agir, em suma, com a dignidade e nunciar, desde logo, a quem lhe solicite parecer ou patrocínio, qual-
outra operação sujeito a tributo, nenhuma despesa será admitida quan- a correção dos profissionais que honram e engrandecem a sua clas- quer circunstância que possa influir na resolução de submeter-lhe a
do desacompanhada de Nota Fiscal ou documento equivalente. se. consulta ou confiar-lhe a causa.
Art. 7º Deverá constar dos comprovantes ou recibos a ates- Inspirado nesses postulados, o Conselho Federal da Ordem Art. 10. As relações entre advogado e cliente baseiam-se na
tação de que os serviços foram prestados ou de que o material foi dos Advogados do Brasil, no uso das atribuições que lhe são con- confiança recíproca. Sentindo o advogado que essa confiança lhe
recebido pela repartição, passado por funcionário que não o res- feridas pelos arts. 33 e 54, V, da Lei n. 8.906, de 04 de julho de 1994, falta, é recomendável que externe ao cliente sua impressão e, não se
aprova e edita este Código, exortando os advogados brasileiros à sua dissipando as dúvidas existentes, promova, em seguida, o substa-
ponsável. belecimento do mandato ou a ele renuncie.
fiel observância.
Art. 8º O Ordenador da Despesa e o recebedor do Supri- TÍTULO I Art. 11. O advogado, no exercício do mandato, atua como
mento de Fundos não poderão transferi-lo a outro funcionário. DA ÉTICA DO ADVOGADO patrono da parte, cumprindo-lhe, por isso, imprimir à causa orien-
Art. 9º A importância aplicada, quando do encerramento CAPÍTULO I tação que lhe pareça mais adequada, sem se subordinar a intenções
financeiro do exercício deverá ser comprovada, não sendo permitido DOS PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS contrárias do cliente, mas, antes, procurando esclarecê-lo quanto à
aplicação de suprimento de um exercício para outro, considerando Art. 1º O exercício da advocacia exige conduta compatível estratégia traçada.
que findo o exercício financeiro deverá se proceder prestação de com os preceitos deste Código, do Estatuto, do Regulamento Geral, Art. 12. A conclusão ou desistência da causa, tenha havido,
contas com a baixa da responsabilidade do recebedor do Suprimen- dos Provimentos e com os princípios da moral individual, social e ou não, extinção do mandato, obriga o advogado a devolver ao cliente
to. profissional. bens, valores e documentos que lhe hajam sido confiados e ainda
Art. 10º O(A) Ordenador(a) de Despesa do Suprimento de Art. 2º O advogado, indispensável à administração da Jus- estejam em seu poder, bem como a prestar-lhe contas, pormeno-
Fundos do CREFITO-16 será o(a) Dr(a). Márcia Rodrigues, Diretora- tiça, é defensor do Estado Democrático de Direito, dos direitos hu- rizadamente, sem prejuízo de esclarecimentos complementares que se
Financeira, e o(a) recebedor(a) do referido suprimento será o(a) Sr(a). manos e garantias fundamentais, da cidadania, da moralidade, da mostrem pertinentes e necessários.
Celiane Santos, Coordenadora Geral. Justiça e da paz social, cumprindo-lhe exercer o seu ministério em Parágrafo único. A parcela dos honorários paga pelos ser-
consonância com a sua elevada função pública e com os valores que viços até então prestados não se inclui entre os valores a ser de-
Art. 11º A disponibilização do Suprimento de Fundos será lhe são inerentes. volvidos.
realizada por demanda. Parágrafo único. São deveres do advogado: Art. 13. Concluída a causa ou arquivado o processo, pre-
Art. 12º Esta Portaria entra em vigor na data da sua as- I - preservar, em sua conduta, a honra, a nobreza e a dig- sume-se cumprido e extinto o mandato.
sinatura. nidade da profissão, zelando pelo caráter de essencialidade e in- Art. 14. O advogado não deve aceitar procuração de quem já
dispensabilidade da advocacia; tenha patrono constituído, sem prévio conhecimento deste, salvo por
FERNANDO MAURO MUNIZ FERREIRA II - atuar com destemor, independência, honestidade, decoro, motivo plenamente justificável ou para adoção de medidas judiciais
Presidente do Conselho veracidade, lealdade, dignidade e boa-fé; urgentes e inadiáveis.

Este documento pode ser verificado no endereço eletrônico http://www.in.gov.br/autenticidade.html, Documento assinado digitalmente conforme MP n o- 2.200-2 de 24/08/2001, que institui a
pelo código 00012015110400077 Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira - ICP-Brasil.