Você está na página 1de 85

Peeling Químico e Prescrição

Recordando:
Pele

Três estratos sobrepostos:

1. Epiderme | Ectoderme

2. Derme

3. Hipoderme | Tecido Celular


Subcutâneo

Epiderme
a. Epitélio estratificado pavimentoso.

b. Espessura, Média 0,1 mm

c. Palmo-plantar entre 0.8-1.4 mm

d. Queratinócitos produtores de Queratina

Formada por 4 camadas sobrepostas:

1. Cornea Lucida

2. Granulosa

3. Espinhos ou Espinocelular

4. Germinativa ou Basal

- Células de Merkel

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Renovação da epiderme
a. As células mortas são substituídas constantemente.
b. A taxa de renovação da pele humana e alta - trocamos todo o tegumento
de cada oito meses, em média.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


1.2 Camada Córnea

____H___F___H___

F  PRÓ-F  FHN

Manto Hidrolipídico
1. Acima da Córnea

2. Sebo + Suor

3. Ph ácido

4. Fator de proteção – BARREIRA MECANICA

5. Envolve partículas e/ou substancias agressivas á pele

6. Evita e minimiza a desidratação e o ressecamento excessivo da epiderme

7. Evita e/ou dificulta a proliferação de microrganismos sensíveis ao pH ácido.

8. Mantém a flora bacteriana natural da pele.

9. Mantem a estruturação de Queratina apropriada á integridade da epiderme.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Melanócitos
Células epidérmicas responsáveis pela síntese da MELANINA através do
processo de MELANOGENESE.

MELANOGENESE
Processo: CLAREADORES
1.ESTIMULO  Radiação U.V
2. RER  Sintetiza a tirosinase
3.COMPLEXO DE GOLGI  Armazena a tirosinase em vesículas  Pré-
Melanossomas.
4. VESÍCULAS  Síntese da Melanina  Melanossomas

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Melanina
É um pigmento de cor amarelo-avermelhado á
marrom-escuro, produzido pelos Melanócitos e
depositados nos Melanossomas.

JUNÇÃO DERMOEPIDERMICA (JDE)


JDE-filtro – permite a
passagem de defesa e fluidos
entre a epiderme e a derme.
Função fisiológica –trovas
nutritivas

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


CONCENTRAÇÃO DE AGUA
Quantidade ideal de água
EPIDERME: Camadas superficiais 20 % A 30 %
DERME: Camadas profundas 60 % A 70 %

Derme
A. Tecido de suporte da epiderme
B. Espessura variável
C. 0.6 mm pálpebras
D. 3 mm dorso
E. 2 zonas: derme papilar e derme reticular.

Derme Papilar
A. Fibroblastos - sintetizam as fibras de colágeno e elastina e elementos da
matriz Extracelular-GAG´s.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


B. Células dentriticas (imunes) / mastócitos / macrofagos / linfócitos T.
C. Formada por tecido conjuntivo frouxo.
D.Vasos Sanguíneos e linfáticos que vascularizam a epiderme e derme; nervos
e órgãos sensoriais associados.

FIBROBLASTOS

Derme Reticular
A. Formada por tecido conjuntivo
denso
B. Fibras de colágeno
C. Fibras de Elastina
D. Substancia fundamental da matriz extracelular- GAG`s.

Envelhecimento
Fisiológico – Intrínseco
Cronológico
Natural
Previsível
Inevitável
Programado

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Envelhecimento Cutâneo
Características macroscópicas e microscópicas;
Função da nutrição e hormônios;
Mitocôndrias: alvo do envelhecimento.

Envelhecimento Intrínseco:
É o envelhecimento programado geneticamente e parece ser independente de
todos os fatores externos ou ambientais;

Envelhecimento extrínseco:
Ou actínico é o decorrente da exposição aos fatores externos, com a exposição à
radiação UV e a outros fatores ambientais (alimentação, temperatura ambiente,
gravidade, etc.), que aceleram as mudanças cutâneas.

Alterações estruturais causadas pelo envelhecimento da pele

Epiderme:
Menor número de células de Langerhans;
Menor número de Melanócitos;
Estreitamento da junção dermo-epidérmica.

Derme:
Menor espessura;
Menor celularidade e vascularização
Degeneração das fibras de elastina.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Anexos:
Menor número e estrutura alterada das glândulas sudoríparas;
Perda de melanócitos do bulbo capilar.

AS PRINCIPAIS ALTERAÇÕES QUE PODEMOS OBSERVAR EM UMA


PELE JÁ ENVELDHECIDA SÃO:

Fibras de colágeno:
Reduzem a quantidade
Endurecem e ficam quebradiços
Formam irregulamente

Fibras elásticas:
Fragmentam
Reduzem o diâmetro
Reduzem a quantidade

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


As principais alterações que podemos observar em uma pele já
envelhecida são:

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Aspectos histológicos da pele fotoenvelhecida: inflamação
Mastócitos e macrófagos são encontrados em grande número na pele
fotoenvelhecida;
Grande quantidade de infiltrado de células mononucleares também são
encontrados;
Interleucinas estão presentes de forma significativa.
Tem sido sugerido que o estresse oxidativo, gerado principalmente pela radiação
ultravioleta, leva ao fotoenvelhecimento durante um longo período de tempo;
A patofisiologia do fotoenvelhecimento da pele, causado pela inflamação crônica
após radiação ultravioleta tem sido extensamente revisada.

Fatores Nutricionais
Correlação entre o aumento de radicais livres e envelhecimento;
A carência de vitaminas A, E, C e de oligoelementos como cobre, selênio e zinco
podem acelerar o processo fisiológico do envelhecimento, principalmente o
cutâneo.

Fatores Hormonais

Deficiência de estrógeno
- A epiderme mostra-se seca;
- A derme perde a elasticidade;
- Parece interferir na cicatrização de feridas, uma vez que atua como
mediador crítico na cicatrização de feridas.

Hipotiroidismo
- Diminui a síntese proteica;

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


- Deficiência de cicatrização.

Mitocôndria: um importante alvo


A teoria da mitocôndria no status de envelhecimento diz que:
- A mitocôndria é o principal local para geração de radicais livres e espécies
reativas de oxigênio;
- A mitocôndria está vulnerável ao estresse oxidativo e, o dano mitocondrial
pode causar uma crise energética na célula, levando a senescência e ao
envelhecimento tecidual.

Fotoenvelecimento - extrínseco

Os efeitos nocivos do fumo à pele


O cigarro é isoladamente uma das grandes causas de morte em países
desenvolvidos e significativa preocupação de saúde pública. Já é conhecida a

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


forte associação com doenças cardiovasculares, pulmonares e cancerosas, mas o
fumo também causa uma série de manifestações cutâneas.

Efeitos do fumo na pele


A fumaça do cigarro contém 4.000 substâncias tóxicas, mas a nicotina é o
composto mais nocivo (vasoconstrição)
Vários efeitos maléficos para a pele

Tabagismo
Redução do fluxo sanguíneo por estimular a vasopressina e ativar o sistema
nervoso simpático;
Estimulação dos leucócitos  liberação de ânions superóxido;
Aumento da atividade plasmática da elastase;
Aumento da agragação plaquetária;
Aumento da atividade da elastase;
Estado hipoestrogênico  pele seca e atrófica, com piora do aspecto geral.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


O ser humano é consequência de um processo de desenvolvimento que
se iniciou há milhões de anos, com a presença de seres unicelulares:
Com as mudanças ocorridas no universo os seres viraram pluricelulares
e o oxigênio começou a fazer parte importantíssima da formação de
energia.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


100% do Oxigênio que inspiramos
95 a 98% se converte em ATP via citocromo oxidase.
Nesta reação 4 elétrons participam reduzindo-se
Veja na imagem a seguir a produção de energia da mitocôndria:

2% a 5% do oxigênio
Conversão em radicais livres:
O oxigênio ganha um elétron e se converte em ânion superóxido:

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Conceito – Radical Livre
É um átomo ou molécula altamente reativo, que contém número ímpar de
elétrons em sua última camada:

Átomo ou molécula  Com falta de elétrons na última camada

É este não emparelhamento de elétrons na última camada que confere alta


reatividade a esses átomos ou moléculas.
(Ver Ass Med Brasil, 1997: 43(1): 61-8)

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


O termo radical livre é frequentemente
usado para designar qualquer átomo
ou molécula com existência
independente, contendo um ou mais
elétrons não-pareados nos orbitais
externos;
Isso determina uma atração para um
campo magnético, o que pode torna-lo
altamente reativo, capaz de reagir com
qualquer composto situado próximo a
sua órbita, passando a ter uma função
oxidante ou redutora de elétrons.
(MOREIRA, 2004).

Os radicais livres podem ser gerados no citoplasma, nas mitocôndrias ou na


membrana e o seu alvo celular (proteínas, lipídeos, carboidratos e DNA) está
relacionado com o seu sítio de formação.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Formação dos Radicais Livres

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Estresse Oxidativo
Em condições normais, existe uma situação de equilíbrio dentro do nosso
organismo onde a produção de radicais livres não ultrapassa a capacidade
antioxidante do sistema enzimático endógeno e exógeno.

Definição
- Acúmulo de espécies reativas de oxigênio que causam danos à estrutura das
biomoléculas de DNA, lipídios, carboidratos e proteínas, além de outros
componentes celulares;
- O excesso de radicais livres apresenta efeitos prejudiciais, como a
peroxidação dos lipídios das membranas e agressão às proteínas dos tecidos
e das membranas, às enzimas, aos carboidratos e ao DNA.

Os níveis de estresse oxidativo se elevam muitas vezes a patamares insuportáveis


para o organismo.

Figura mostrando a oxidação da membrana plasmática.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Alterações na pele inerentes ao envelhecimento

Alterações na pele inerentes ao envelhecimento

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Alterações na pele inerentes ao envelhecimento

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Avaliação e Anamnese

Ficha de Avaliação e Anamnese


1. Higiene regular da pele
2. Ingestao hídrica
3. Dermocosmésticos em uso
4. Tratamento estético anterior (Ácidos).
5. Gestação /lactação

6. Historico social e lateral:


Tabagismo
Ingestão de bebida alcoólica
Condições do ambiente onde vive
Condições do ambiente onde trabalha
7. Historico médico:
Medicamentos em uso (continuo ou não )
Cirurgia recente
Herpes
Doenças metabólicas descompensadas

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Doenças cardíacas, renais, hepáticas
Neoplasia ativa ou de sobreaviso

Ferramentas de Avaliação:
LUZ DE WOOD:
Azul: pele normal/saudável .
Branco: excesso de células córneas mortas.
Laranja: oleosidade aumentada.
Roxo fluorescente: desidratação.
Marrom: hiperpigmentações.
Amarelo claro/Laranja claro: acne / comedões.
Roxo escuro em grandes áreas: resquícios de maquiagem, hidratantes, protetor
solar ..

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria
LUZ DE WOOD:

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Grau de Fotoenvelhecimento
Quadro de Glogau

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Questionário de Fitzpatrick

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Fototipos de Fitzpatrick

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Peelings Faciais

Os peelings
Não são cosméticos
- Indústria Cosmética –
Farmacêutica
- Planta industrial cara –
Mercado restrito

Ácido Commodities – Comum –


Não dá lucro

Patente – Caro – Inviável

Conclusão:
- Peeling é da farmácia de manipulação

Brasil – Celeiro Mundial da Cosmiatria


- Dermatologia, medicina estética – Cosmiatria
- Habilitação de outras especialidades médicas que usam peelings no
consultório.
PEELINGS X LASER – VALORES ALTOS
Interação entre farmacêutico e médico.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria
Peeling
Preparo da Pele

O pré-tratamento: preparo da pele


- Consiste em aplicar agentes tópicos nos dias ou semanas antecedentes ao
peeling.
- Com o preparo adequado, a pele irá reagir de forma mais rápida e
uniforme do que a pele não preparada.

1. Diminui a espessura da camada epitelial


2. Acentuar a penetração do agente ativo de maneira uniforme
3. Acelerar a cicatrização
4. Reduzir os efeitos colaterais.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


O papel da preparação da pele para o Peeling
- 21 dias antes do peeling

Objetivos:
- Reduzir atividade melanocitária
- Reduzir espessura da camada córnea
- Estimular o turn over celular
- Verificação da tolerância do paciente ao tratamento pré e pós-peeling

Efeitos desejados
- Prevenir a hiperpigmentação pós-inflamatória
- Facilitar a penetração do agente químico
- Uniformizar a penetração
- Acelerar a cicatrização
- Potencializar o tratamento de maneira geral

Ativos de escolha
- Despigmentantes – HQ, ác. Kójico, arbutin...
- Retinóides (tretinoína e retinol) 0,025 à 0,1%
- Trio de Kligman
- AHAs
- BHAs
- PHAs-Gluconolactonas
- Fotoproteção
- Outros.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Condicionamento da pele

Manhã Noite
Limpeza Limpeza
Clareador Clareador + tretinoina
Fotoprotetor Tretinoina

(Hidratante se necessário)

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Principais Tipos de Peelings

1 – Peeling Físico:
Age por abrasão ou ação física, removendo as células do estrato córneo através
do atrito.

2 – Peeling Químico:
Age por diversos mecanismos, desde a estimulação celular pelo baixo pH, até a
precipitação de proteínas em geral. Pode atingir camadas mais profundas da
pele.
São procedimentos médicos, em geral.

3 – Peeling Enzimático:
Promove esfoliação da pele através da ação de enzimas proteolíticas, como
papaína e bromelina sobre as células do estrato córneo. A queratina é
solubilizada e não há descamação.
Também chamada de “Peeling de Verão”
A base de enzimas proteolíticas
Peeling Enzimático: 2% ou mais
Pumpkin Enzyme: 30% ou mais

Mecanismo de Ação:
As enzimas dissolvem as proteínas da pele transformando-as em aminoácidos
solúveis, removidos após simples lavagem.
Indicação:
Peeling muito superficial indicado para pessoas sensíveis ao ácido retinóico e
glicólico, por exemplo.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Muito usados no preparo da pele e antes de peelings mais profundos.

Peeling Mecânico
Esfoliantes
São peelings muito superficiais
A base de substâncias abrasivas:
- Anidrido silício: 3 a 20%
- Melafresh exfol: 2 a 10%
- Florabeads: 3 a 10%
- Biobeads: 3 a 10%
- Pó de tâmara: 3 a 10%
- Lufa: 1 a 5%

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Peelings Químicos
O que é um Peeling?
Peeling (do inglês) Ação de descascar ou decapar.
Abarca os procedimentos destinasdos a produzir a renovação acelerada celular
da capa córnea com fins eudérmicos ou necrose e/ou estimulação celular da
epiderme, derme papilar ou reticular.

Agentes descamativos leves induzem uma esfoliação mais rápida do extrato


córneo.
Agentes esfoliantes mais profundos provocam necrose e inflamação da epiderme,
derme ou derme papilar.

História
- 1560 Papiro de Ebers
- Império Egípcio
- Império Romano
Mostardas
Óleos
Óleos calcários
Pó de alabastro
Grânulos frutais
Sais
Enxofre
Fogo
Leites e vinhos azedos
Finalidade: Afinar a pele e dar-lhe suavidade e luminosidade.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Como age o Peeling Químico
1. Estimulação do crescimento epidérmico mediante remoção do estrato córneo
(mesmo descamações leves que não causam necrose da epiderme “viva” podem
induzir o crescimento celular).
2. Destruição das camadas superficiais da pele envelhecida ou lesada obtendo-se
um tecido mais jovem e sadio com melhoria da aparência estética, principalmente
nas desordens de pigmentação e ceratoses actínicas.
3. Indução de reação inflamatória nos tecidos mais profundos.
A ativação de mediadores de inflamação induz a produção de colágeno novo e de
SFA na derme.
As lesões epidérmicas podem induzir a deposição de colágeno e
glicosaminoglicanas na derme.
Influência do pH (biodisponibilidade).

Peeling Químico
Consiste na Aplicação de um ou mais agentes ácidos na pele para provocar uma
“ destruição “controlada da epiderme e/ou parte da derme, com consequente
regeneração dos tecidos

Principais objetivos
1.Normalizaçao da velocidade da renovação celular epidérmica, mediante a
remoção do Estrato córneo em disjunção.
- TURN OVER CELULAR

Mecanismos de ação
1.Diminuição da coesão entre células da epiderme.
2.Esfoliaçao química.
3.Estimulo da síntese de compostos da matriz.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


4. Aumento da hidratação dermo- epidérmica

Alterações geradas
1. Hiperplasia dos queratinocítos basais.
2. Aumento da permeabilidade cutânea.
3. Diminuicao da quantidade de melanina.
4. Aumento da mitose dos fíbrocitos.

Classificação

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Indicações para realizar um peeling

Indicações para realizar um peeling


- Queratoses actínicas
- Queratoses seborréicas
- Efélides
- Melasma
- Hiperpigmentação pós-inflamatória
- Verrugas planas
- Letiginoses
- Rugas
- Acne ativo e residual

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Contra-indicações dos Peelings
1. Infecções cutâneas ativas
2. Infecção cutânea por herpes ativo ou recidivante
3. Doenças do tecido conjuntivo
4. Psicoses/stress físico ou mental severos
5. Imunoincompetência
6. Alergia à substância utilizada
7. Presença de queloides e cicatrizes
8. Peles foto-tipos IV, V e VI – relativa
9. Uso de issotretinoina
10. Gravidez

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Nova Classificação dos Peelings
1. Muito Superficial também chamado de (esfoliação): afinam ou removem
apenas o estrato córneo, não criando lesão abaixo do extrato granuloso.
2. Superficial - 0.06mm (epidérmico): criam necrose de toda ou parte da
epiderme, de qualquer ponto do estrato granuloso até a camada basal.
3. Médio – 0.45 a 0.6mm (dérmico papilar): esses peelings criam necrose da
epiderme e de parte ou de toda a derme superficial ou papilar.
4. Profundo – 0.6 a 0.8 mm (dérmico reticular): criam necrose da epiderme,
da derme papilar até a derme reticular.

Esfoliantes químicos mais utilizados


- Ácido retinóico
- 5 fluorouracil
- Solução de Jessner
- Resorcina
- Ácido Salicílico (BHA)
- Ácido tricloroacético (ATA)
- Alfa-cetoácidos (Ácido Pirúvico)
- Fenol 88% modificado

Fatores que influem na profundidade


- Escolha do agente esfoliante
- Concentração do agente esfoliante
- Número de camadas aplicadas
- Técnica de aplicação (pincel ou gaze)
- Como a pele foi limpa e desengordurada

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


- Sabão / álcool / acetona
- Preparação da pele nas semanas que antecedem o peeling
- Tipo de pele do paciente (espessura da pele)
- Localização anatômica da descamação
- Duração do contato com a pele (AHAs)
- pH.

Classificação dos Agentes Esfoliantes

1. Muito Superficial:
Ácido glicólico a 30 – 50% aplicado rapidamente – 1 a 2 minutos
Solução de Jessner aplicada em 1 a 3 camadas
Resorcina 20 – 30% aplicado rapidamente – 5 a 10 minutos
TCA 10% aplicado em 1 camada

2. Superficial: 0.06mm
Ácido Glicólico 50 a 70% por tempo variável – 2 a 20 minutos
Jessner 4 a 10 camadas
Resorcina 40 a 50% por 30 a 60 minutos
TCA 10 a 30%
Ácido Pirúvico 40 a 50% por 2 a 3 minutos

3. Média Profundidade: 0.45 – 0.6mm


Ácido Glicólico 70% por tempo variável – 3 a 30 minutos
TCA 35 a 50%

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Jessner + TCA 35%
Glicólico 70% + TCA 35%

4. Profunda: 0.6 – 0.8mm


Fórmula Fenólica de Baker Gordon
TCA 40 – 50%
Lasers ablativos

Peeling de Ácido Glicólico


Peelings com AHA são úteis em muitas condições, além das dermato helioses,
são úteis para tratar peles ásperas, discromias e rugas finas.
Sua ação está diretamente relacionada com sua concentração, ou seja, quanto
maior sua concentração, maior a profundidade.

Prós
- Mesmo descamações superficiais, geram ótimos resultados;
- Descamações bem toleradas;
- Não acarreta toxicidade sistêmica;
- Indicação no tratamento dos sinais clínicos da foto envelhecimento,
superfície áspera, discromias, rugas e vincos.

Contras
- Reatividade e eficácia são variáveis de paciente para paciente;
- Sempre ocorre descamação real na pele, mesmo desnecessária para o
resultado desejado;
- Precisa ser neutralizada;

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


- Penetração desigual.

Higienizantes e Desengordurantes
A. Sabonetes líquidos:
- Ácido Glicólico 10% ou 20%
- Ácido Mandélico 5% ou 10%
- Gluconolactona 5% ou 10%
B. Soluções:
- Sol. de ácido Salicílico 3%
- Sol. de Álcool 70%
- Sol. de Álcool 50% + Acetona 50%

Aplicação dos Ácidos

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Ácidos
Orgânicos
1. Glicolise: cana de açúcar, beterraba , uva, abacaxi
2. Mandelico ou Málico: maça
3. Lático: fermentação bacteriana do leite e glicose.
4. Tartárico: uva
5. Cítrico: limão, laranja, lima

ANVISA
Parecer técnico n° 7,de 28 de setembro de 2001(atualizado em 16 de fevereiro
de 2006):
- AHA`S -10 % -Ph 3,5
- Alteram o pH da pele e podem modificar diretamente a fisiologia da mesma.
- BHA`S:
4. Salicílico
- PHA`S:
5. Gluconolactona ou Ácido Glucônico
5.1 Lactobiônico

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Orgânicos...
6. Ácido Pirúvico
7. Ácido Tioglicólico
7.1 Ácido Tranexãmico
8. Ácido Tricloroacético -ATA
9. Ácido Fênico –Fenol Atenuado)

Inorgânico
10.Ácido Retinóico  Tretinoina Topica / Vitamina A Ácida

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Ácido Glicólico
30-50 – 70%
Ácido glicólico 30-50 – 70 %
1. Diminuir a coesão dos corneócitos
2. Renovador celular e hidratante
3. Alta possibilidade de estimulação da matriz dérmica, com a mínima
possibilidade de Necrose tecidual = alta[] e baixo pH.
4. Comprovada ação como estimulador da síntese de colágeno e de GAG`S
5.Dimui a quantidade de melanina depositada
 AÇÃO DESPIGMENTANTE
SESSOES: SEMANAIS OU QUINZENAIS

Indicaçoes:
- Tratamento dos sinais clínicos do fotenvelhecimento
- Rugas finas e linhas de expressão
- Peles ásperas e desidratadas
- Hipercromias (Efelides)
- Ceratoses actíncas.

Concentração e pH do Ácido Glicólico


Considerações:
- Segundo Larry Moy da UCLA, EUA, o ácido glicólico livre a 70%,
deixado na pele por 15 minutos é capaz de produzir uma ferida dérmica
tão profunda quanto o TCA a 40%.
- pH: ácido livre ou parcialmente neutralizado;

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


- pHs variam de 1,2 a 6 em peelings de ác. Glicólico.

Pacientes em tratamento com Peróxido de Bezoíla deverão suspender 15 dias


antes.
Com ácido retinóico – suspender 4 dias antes.
Com isotretinoina – aguardar por 6 meses.

Considerações:
- Quanto mais ácidos livres maior será a sensação de queimação, ardor,
irritação e eritema.
- Quanto mais baixo o pH maior a intolerância por parte do paciente.
- Quanto mais baixo o pH maior a tendência de penetração desigual,
causando áreas de penetração mais profunda acidentais.

Cuidados:
- O ácido glicólico a 70% pode:
1. Promover uma descamação desigual.
2. Produzir lesão dérmica.
3. Originar cicatrizes.
- Apenas esfoliar e amaciar: neutralizar na coloração rosa.
- Tratamento de hipercromias (epiderme): interromeper na epidermólise
puntiforme.
- Tratamento de rugas e vincos (derme): neutralizar com epidermólise
uniforme.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Neutralização
- O ácido Glicólico usado em peelings (e os demais AHAs) precisam ser
neutralizados para interromper sua ação para não penetrarem demasiado
profundamente e produzir hiperdescamação.
- Usar solução neutralizante ou simplesmente lavar com água
(controverso).
- NaHCO3 a 5, 10 ou 15% em água destilada.
- Dica: Iniciar neutralização com água; Complemente com solução
neutralizante.

Protocolo
1. Preparo da pele por 2 semanas (sab. líq.)
2. No dia, higienização prévia da pele com o sabão liquido de glicólico 10 ou 20
%.
3. Aplicação rápida e uniforme com pincel ou torunda -1 A 3 MIN-MAXIMO 5
MIN (lit.).
4. Manter o tempo sempre observando o eritema e a queixa de ardência e
queimação do paciente –MERKEL. Se formar frost neutralizar o ácido com
água ou bicarbonato de sódio 10% e remover com agua gelada em abundância.
6. Aplicação de pós feeling e fotoprotetor.

FROST
Desnaturação, coagulação e precipitação de proteínas da pele pela ação do(s)
ácidos(s).

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Resultados

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Ácido Mandélico
20-50 – 70%
a. Ph:2,0 - 3,0 (2,5)
b. Seguro para todos os fototipos.
c. Não possui o risco de causar hipopigmentaçao de rebote em fototipos IV,V e
VI.
d. Recomendado para os fototipos I,II e III que passam várias horas expostos
ao sol.
e. Bactericida e lipofílico, indicado para peles acnéicas e oleosas.
Sessões: semanais ou quinzenais

Indicações:
- Acne ativa inicial ou cicatricial
- Acne inflamatória não cistica
- Fotoenvelhecimento leve a moderado
- Óstios dilatados
- Hipercromias epidérmicas

Protocolo
1. Preparo da pele por 2 semanas (sab. Líquido).
2 .Higiene da pele com sabonete liquido de acido mandélico 10 %
3. Aplicação uniforme com pincel ou torunda .
4. Deixar agir observando merkel .
5. Remover com agua abundante.
6. Aplicar pós peeling imediato e fotoprotetor.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


PRÓS
1. Não ocorre penetração desigual;
2. Não causa descamação excessiva
3. Pouco irritativo

Resultados

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Ácido Lático
10 A 50 %
Puro – até 92 %
- Peles sensíveis e intolerantes ao glicólico
- Peles desidratadas ,secas e hiperpigmentadas .
- Melasma (Ac.Latíco 85 %) e outras hiperpigmentacões causadas pelo sol .
- Cicatrizes superficiais de acne.
Sessões: Semanais ou Quinzenais

Prós
- Muito Seguro
- Não causa eritema intenso.
- Não causa descamação excessiva

Contra
- Não é eficaz no fotoenvelhecimento.

Protocolo Melasma (Lát 85 %)


1. Higienizar a pele com sabão liquido glicólico 10 ou 20 %.
2. Aplicar o ácido com pincel ou torunda.
3. Deixar agir por 1-3 minutos. Reavaliar para reaplicações (pode ser
reaplicado várias vezes, observando Merkel).
4. Neutralizar com o NaHCO3 10 %.
5. Remover completamente com água em abundancia
6.Aplicar pós peeeling imediato e fotoprotetor.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Resultados

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Ácido Salicílico
14 a 50%
1. BHA
2.Ação queratoplástica ate 2 %
3. Ação queratolítica >2 %
4. Antimicrobiano/Antifúngico/Anti-Inflamatório
5. Afinador da camada espessada da pele

Indicações
- Acne inflamatória
- Regularizador da oleosidade
- Pele hiperqueratósica (ceratoses actínicas, plantares, foliculares...)

Protocolo (Sol. Alcoólica)


- 1.Higienizaçao da pele com Sol.Acida,Salicilico 3 %
- 2.Aplicaçao do acido com torunda
- 3.Deixar agir por 3-4 minutos .Evapora o alcool e precipita o sal.
- Déposito fino de pó Branco-NEVOA –NÃO E FROST
- 4 .Remover com agua .Usar compressas frias para aliviar o Ardor (S/N)
- 5. Aplicar pós peeling e fotoprotetor.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Resultados

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Gluconolactona
20 a 30 %
1. PHA (Também chamada de Ácido Glucônico).
2. É um componente natural da pele não tóxico.
(Devlin apud Bernstein et al., 2010.)
3. É não irritante e reforça a barreira de proteção da pele.
4. Não induz a foto sensibilização da pele.
5. Eficácia e tolerância em peles sensíveis.
6. Atua o fotoenvelhecimento e é bem tolerada por pacientes com rosácea e
dermatite atopica.
7. Renovador celular (mesma eficacia dos AHA´S).
8. Super hidratante e antioxidante
9. Ácido ideal para peles patológicas.

Bernsten Et Al.(2001) Descreveram estudo Onde foi Utilizado:


1.Gel de limpeza e tonico com 1% de gluconolactona.
2.Hidratante diurno com 4 % de gluconolactona,
3.Creme noturno com 8 % de gluconolactona,
OBJETIVO: Avaliar a eficácia na acne rosácea e na dermatite atópica.

Foi observado:
Melhora na textura da pele, linhas de expressão, danos causados pelo sol,
eritema, inflação e irritações na pele patológica (6 SEMANAS).

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Indicações Gerais - “Gluco”
Qualquer etnia
Rosácea
Dermatite Atopica
Psoríase
Infecções Fungicas
Purpura Senil

Protocolo
1. Higienização da pele com sabão Líquidio de gluconolactona 10 %
2. Aplicação uniforme do ácido com pincel
3. Deixar agir por 20 -30 minutos
4. Remover com aguá abundante
5. Finalizar com pós peeling e fotoprotetor.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Ácido Pirúvico
30 a 90 %
1.Epidermólise em 30 – 60 seg. e penetração dérmica em 1-2 min.
2[]> 50%  pode haver penetração até a derme reticular média.
 AGENTE DEE PEELING PROFUNDO
** CUIDADO**
(Cicatrizes Hipertroficas)

Indicações
1. Cicatrizes superficiais de acne
2. Acne inflamatória
3. Oleosidade
4. Fotoenvelhecimento:
Rugas Periorais
Rugas Periorbitais
Desordenas Pigmentais
4- 6 sessões quinzenais ou mensais

Protocolo
1. Higienizar a pele com sabonete de acido Glicólico 10 ou 20 %.
2. Aplicar o ácido com torunda sem esfregaço (tempo médio
3-5 min – observar Merkel).
3. Neutralizar com bicarbonato de sódio 10%.
4. Lavar com água abundante.
5. Aplicar pós peeling imediato e fotoprotetor.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Resultados

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Ácido Tioglicólico
2,5 a 20 %
Indicado parahipercromias decorrentes da insuficiencia venosa com deposito de
Hemossiderina e melanina.
 Olheiras Hipercromias de m.I

Pelling Combinado
Ácido Tioglicólico 15 %
Ácido Tranexamico 5 %  M.I
Bioserum qsp-30 mL

Protocolo Olheiras 1
Higienizar e desengordurar a pele da área dos olhos.
Proteger as áreas não tratadas com vaselina.
2. Aplicar o peeling com torunda ou swab ou rollon e deixar agir por 2-5 min.
3. Neutralizar com bicabornato de sodia 10 %
4. Remover com agua abundante e colocar compressas frias para aliviar o
ardor .(S/N)
5. Aplicar pós peeling imediato e fotoprotetor
* 4 - 6 sessões quinzenais

Principais Indicações
1 Melasmas resistentes.
2. Hiperpigmetação Pós Inflamatórias. (Efeito Rebote), leves ou graves, após
procedimentos estéticos (ácidos, lazer ,LIP...)

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Resultados

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Ácido Tricoloacético

Peeling com Tricloroacético (TCA)


- É versátil na sua capacidade de promover descamações de diferentes
profundidades;
- Peelings geralmente de média profundidade, mas pode ser usado para
peeligns mais profundos.
- Camada dependente.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Algumas Prescrições
Maior Processo
Inflamatório
Ácido Tricloroacético (ATA)
- Utilizado em pelling superficiais (10 -30%), médios (30 - 40 %) e profundos (>
40 %)
- Não causa toxicidade sistêmica.
- Estável ,de baixo custo e auto neutralizante .
Visualmente fácil de controlar – Névoa /frost .
Indicado para o tratamento de cicatrizes de acne , queratoses actínicas ,rugas
finas a profundas, melasmas,manchas senis (braços e mãos ) e estrias.
CONTRAS: Ardido e doloroso
Peles de fototipos altos
P.I Muito Intenso –Hiperpig.de Rebote

Protocolo:
1.Pré tratamento com ácido Retinoico 0,05 % por 30 d.
2.Higienizar e desegordurar bem a pele .Passar vaselina em : cantos dos olhos
,nariz e boca .
3.Aplicação do ´´acido com swab ou torunda por partes (pontual).
4.Aguardar por 2 -4 minutos e reavaliar para reaplicação até a formação da
NEVOA /FROST
5.Remover com água fria em abundancia.
6. Aplicar compressas frias para aliviar o ardor (S/N).
7.Aplicar pós peeling imediato e fotoprotetor.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Assim,
- a fim de controlar o P.I Intenso gerado pelo ATA, indicar a partir do 2º
dia o uso tópico da DESONINA, por até 4 dias.
- Ação anti-inflamatória e anti-pruriginosa.

Resultados

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Protocolo ATA para manchas Senis
(Braços e Mãos)
Frasco 1: ATA 35%
Solução – qsq – 30ml

Frasco 2: ATA 20%


Pasta quelada qsq – 30g

Protocolo:
1. Higienizar e desengordurar bem a pele.
2. Aplicar a solução do frasco 1 com um swab ou cotonete, de forma pontual,
apenas sobre as manchas senis, até fazer névoa/frost (média: 2 min).
3. Sem remover, aplicar a pasta do frasco 2, com os dedos enluvados ou
pincel, em todo o dorso da mão e/ou braços, deixando agir por cerca de 2
min.
4. Abrir uma “janela” para observar a inflamação gerada. Aguardar a
Névoa/Frost.
5. Remover com compressas de água gelada.
6. Secar delicadamente e aplicar o pós peeling imediato e o fotoprotetor.
*3 – 4 sessões com intervalos de 30 a 40 dias

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Resultados

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Maior Toxicidade
Peeling de Fenol Atenuado
1. Antisseptico, antifúngico e anestésico.
2. Produz peeling médio.
3. Tóxico – toxicidade cardíaca, renal e hepática. Toxicidade sistêmica é
alta
4. Provoca morte celular – citotóxico
5. Mais seguro para os fototipos I ou II

Principais Indicações
- Rugas finas e profundas.
- Cicatrizes de acne.
- Elastose.
- Óstios dilatados.
- Manchas melanodérmicas.
- Fotoenvelhecimento (Glogau III E IV).

Protocolo Fenol Atenuado


FORMULAÇÃO: fenol 25%
Ácido retinóico 5%
Solução hidroalcoólica – 30ml

Protocolo:
1. Pré-tratamento com ác. Retinóico 0,025% por 30 dias.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


2. Higienizar e desengordurar bem a pele com álcool 70% passar vaselina
em: cantos dos olhos, nariz e boca.
3. Aplicar uma camada da solução ácida com o uso de m pincel ou torunda
em toda a face do paciente e esperar absorver (secar).
4. Quando secar, aplicar mais uma camada da formulação ácida em toda
face do paciente. Pode ser reaplicado até 3x, em média.
5. Quando o paciente relatar início da perda de sensibilidade da mucosa
oral: neutralizar com o bicarbonato de sódio 10% e remover rapidamente
o ácido da face com água fria abundante e algodão.
6. Lavar toda a face do paciente com água. Usar uma máscara embebida em
água fria para aliviar o ardor.
7. Retirar a máscara e secar delicadamente toda a face do paciente.
8. Aplicar em toda a face do paciente a vaselina para fins de proteção e
hidratação, deixando na pele por 3 a 4 horas.
9. Orientar o uso de pós peeling imediato (ciclapast) e fotoprotetor a cada 2
horas.
*Sessões a cada 35 dias ou mais.

***IMPORTANTE
-hidratar intensamente a partir do 2°dia com:
-vaselina ou
-pomada de EFA’s (ômega 3,6,9)
-aplicar 3x ao dia, por 7 a 14 dias.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Resultados

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Ácido Retinóico
1. Tretinoína (Tópica) Ou Vitamina A Ácida
2. Isotretinóina (tópica e oral) – teratogênica
3. [ ] 0,025 – 10%.
4. Aplicações a cada 28/30 dias.
5. Tem pode contato: face: 4 – 6 horas e CORPO 6 – 8 horas.

Indicações
Esfoliante/despigmentante/grande estimulador de colágeno, elastina e
GAG’s.
- Acne comedogênica e inflamatória.
- Melanoses solares.
- Melasmas.
- Cicatrizes superficiais
- Queratose actínica.
- Rugas finas.
- Linhas de expressão.
- Estrias (associar microdermoabrasão prévia)

Principais Ações
1. Aumento da mitose epidérmica.
2. Aumento da permeabilidade cutânea.
3. Aumento do fluxo sanguíneo local – melhora do sistema vascular dérmico.
4. Neoformação de fibras de colágeno e elastina.
5. Dispersão dos grânulos de melanina depositada.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Contra Indicação Total
GESTAÇÃO / LACTAÇÃO
“A exposição sistêmica é causa de aborto e
Malformação bem documentada, porém esta absorção sob a forma de aplicação
tópica é desprezível, pois apenas 1% do que é aplicado é absorvido
sistemicamente, no entanto, os autores recomendam suspender totalmente o uso
durante a gestação/lactação”.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Efeitos Colaterais
Oculares: ressecamento
blefaroconjuntivite

Mucocutâneos: Quelite oral


Dermatite retinóide
Ressecamento nasal
Acne de rebote
Telangiectasias (efeito bleaching)

Boqueira|
Queilite
angular

Dermatite
Retinóide

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Protocolo Facial:
1. Preparo da pele por 2 semanas (lenços embebidos em sol. de ácido
salicílico 3% ou retinóide tópico)
2. Np dia, higienização da pele (sol. de ác. salicílico 3%).
3. Aplicação uniforme do ácido com pincel ou com os dedos enluvados
(cuidar: regiões orbitais, nasal e perioral).
4. Deixar agir por 4 – 6 horas.
5. Remover com água abundante.
6. Aplicação de pós peeling imediato e fotoprotetor

Peeling de ácido retinóico


Prós
- É geralmente uniforme;
- Indolor, somente causa inflamação após passados 2 a 3 dias da
aplicação;
- Pode ser repetido a cada 15 dias por ser bem tolerado.

Peeling de ácido retinóico


Contras
- Requer que o produto fique em contato com a pele por 6 a 8 horas;
- Coloração amarela incomoda o paciente;
- Não indicado para rugas profundas.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Resultados

Pós Peeling IMED.


Acelera a reconstrução da pele graças a formação de uma
barreira que combina:
Complexo de Cobre, Zinco e Manganês.

Madecassoside
É um dos quatro compostos bioativos encontrados no extrato da Centella
asiática.
Desempenha papel importante na cicatrização de feridas, estimula a síntese de
colágeno e funciona como um antioxidante.

Bepantol Derma
D-PANTENOL: pró vitamina B5, hidratante, suavizante,
estimula a repitelização da pele.
Disponível em concentrações de 0,1% - 0,5% creme, gel creme,
loção.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


A pomada Bepantol deve ser utilizada na face toda. Intensificar nos lábios,
cantos dos olhos, nariz e boca.

Pós Peeling Tardio


- Após 3-4 dias ou mais do uso do pós peeling imediato ,quando o PI cessou, o
paciente está liberado para iniciar o tratamento domiciliar HOME CARE
TARDIO, que deve ser adequado ao tipo de pele e a natureza da disfunção a ser
tratada.
Hidratantes
Antioxidantes
Vitaminas
Enzimas Fat. Crescimento
Despigmentantes e Clareadores

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Hidroquinona
-Despigmentante mais tradicional .
- Contra indicada na gravidez e lactação .
- Fotossensibilizante .
- [] usual :2 – 10% em consultório
- 2- 4 % em residência
- Citotóxica, pois destróis a parede do melanócito quando usada em altas
concentrações, por mais de 60 dias, originando lesões brancas irreversíveis,
denominadas lesões em confete.

Hidroquisan –Galena
- Hidroquinoma de grau farmacêutico
- Especificações farmacopeia Americana-USP
- [] usuais : 2 -10 %
- Ph ideal 3,8
MAIS SEGURA que a hidroquinona adicional
-USO NOTURNO.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Glycosan Hidroquinona
- Hidroquinona protegida por ciclodextrinas (derivado do amido)
- Evita problemas de sensibilização epidérmica]
-Tem liberação prolongada ,aumentando o efeito despigmentante
-Pouca oxidação tópica
-[] usuais : 4 – 5,5 % em Ph 4-5,5

Acido Kojico -2 a 10 %
1. Produzido pelos fungos ASPERGILLUS E PENICILLIUM ,do arroz
2. É um inibidor da tirosinase –Potente Clareador e despigmentante suave
3. Tem propriedades anti irritativas e pode ser usado durante o dia
4. Pode ser associado a outros ativos por ter boa estabilidade química
Glicolico + Kojico

Ácido Fitico – 4 a 20 ¨%
1. Inibidor da tirosine –Ação Clareadora e despigmentante suave.
2. Não esfoliante.
3. Hidratante e anti inflamatório.
4. Antioxidante (mecanismo semelhante ao da Vit. C).
5. Suaviza rugas finas e evita o envelhecimento precoce.
6. Altamente tolerado por eles sensíveis
7. Podendo ser usado após peelings químicos profundo (ATA, fenol Medico,
Dermoabrasão) e laser após 3 – 4 semanas
8. Pode ser associado a outros agentes antioxidantes como a Vit. E Vit. A,
betacaroteno ,Zinco ,entres outros ,sob a forma de mascaras oclusivas
aplicadas semanalmente .

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


9. Bons resultados em lesões hipercromicas e manchas senis ,quando associados
a:
VPPMG9[] 10 – 20 %) OU ,Acido Glicólico ([] 4 – 10 %)

Ácido Azeláico – 10 a 20%


1. Antimicrobiano
2. Bacteriostático
3. Inibidor da tirosinase – Clareador e despigmentante suave.
- Empregado no tratamento da Acne, melasmas, outras hipercromias e
Rosácea.
 Peeling de Ácido Azelaico 20%

Ácido Azeláico Residencial


- Azeloglicina – Galena
- Produto composto de ácido azelaico condensado com duas moléculas de
glicina.
- Anti-inflamatório, bactericida, ceratolítico, menos irritante que o ácido
azelaico, indicado para peles oleosas e acneicas.
- Concentrações de 5% a 10%; pH 5,5 – 6,5.

Ácido Elágico – 5 a 10%


1. Tem ação anti mutagênica e anti carcinogênica.
2. Potente inibidor da indução química do câncer de pele.
3. Potente bloqueador das Radiações UVA e UVB e potente antioxidante.
- Associar à gluconolactona que tem alto poder de hidratação.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Peeling Combinado
- Gluconolactona 20 ou 30%
- Ácido Elágico 10%
- Gel Fluido QSP – 30g
USO ORAL: - Pomegranate 200 mg
- Oli ola 150 mg
- Lingomax 150 mg
- Chá verde 100 mg
- 30 cápsulas – 1 cápsula – 1x/dia

Fatores Interferentes
- Relação entre paciente | profissional esteta;
- Expectativa do paciente;
- Fototipo (Fitzpatrick) e fotoenvelhecimento (Glogau);
- Infecção ativa;
- Uso de cigarro;
- Medicação fotoativa ou fototóxica (minociclina, isotretinoina);
- Histórico de Infecções por herpes;
- Histórico de formação de quelóide;
- Histórico de exposição prévia a radiação;
- Histórico de imunossupressão;
- Histórico de hiperpigmentação pós inflamatória;
- Histórico de cirurgia facial recente.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Contra Indicações
- Pacientes que não possam evitar a luz solar;
- Pacientes que não possam utilizar cosméticos de cobertura;
- Cautela: fumantes (cicatrização mais lenta), uso de imunossupressores,
herpes, cicatrizes hipertróficas, problemas metabólicos (Diabetes),
cardiopatia, Lupus;
- Pacientes que não estejam preparados psicologicamente: expectativas não
realísticas;
- Histórico de quelóide e alergias;
- Gravidez e lactação;
- Tratamentos faciais (cirúrgicos ou medicamentosos) 6-12 m.
- Alergias aos componentes (testar antes).

| ATENÇÃO |
- Tendência à hiperpigmentação pós inflamatória (FITZPATRICK IV, V e
VI).
- Tendência à formação de queloides.
- Uso de isotretitoina oral (ROACUTAN): recomenda-se a espera de 6
meses a dois anos de intervalo, devido ao relato de aparecimento de
cicatrizes queloides, pelo efeito modulatório no metabolismo conectivo,
levando a supressão da colagenase.
- Histórico de herpes simples e/ou zoster.
- Antiviral oral por 3 dias antes e 5 dias após o peeling.

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Prescrições
Definição
Antioxidante é qualquer substância que, quando presente em baixa
concentração comparada a do substrato oxidável, regenera o substrato ou
previne significativamente a oxidação do mesmo.

Antioxidantes produzidos pelo organismo

Antioxidantes não produzidos pelo organismo


O organismo pode utilizar os antioxidantes provenientes da dieta, tais como:
Alfa-tocoferol (vitamina “E”);
Beta caroteno (pró-vitamina A);
Ácido ascórbico (vitamina C);
Compostos fenólicos (destaque para flavonoides e poliflavonoides).

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


Selênio
Potencializa a atividade da glutationa peroxidase;
Apresenta efeito sinérgico com a Vitamina E;
Vitamina E é uma grande inibidora da peroxidação lipídica.

*Ideal para áreas de dobras | atrito | gestantes


- Fator EGF 2%
- Fator TGP – 2 2%
- Belides 2%
- Creme não iônico – 30g
- Fator EGF 2%
- Fator TGP-2 2%
- Whitessence 3%
- Creme não iônico – 30g

Despigmentantes e clareadores
- Ácido Glicólico 8%
- Alfa Arbutin 3%
- Ácido Kójico 2%
- Dexametasona 0,1%
- Creme não iônico – 30g
- Ácido Glicólico 8%
- Alfa Arbutin 3%
- Ácido Kójico 2%
- Ácido Fítico 2%

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria


- Creme não iônico – 30g

Anti-olheiras
- Ácido Fítico 0,5% (antioxidante)
- Haloxyl 3%
- Biorusol 0,5% (antinflamatório – vasoprotetor – diminui a permeabilidade
da pele.
- Vitamina E oleosa 0,5%
- Biosknup 2%
Serum qsp 20gr

Proibida a reprodução deste conteúdo, direitos autorais reservados a Alessandra Faria