Você está na página 1de 24

“Somos uma grande família”

Introduzir a epístola aos Filipenses


destacando a cidade, a data e o local
da autoria.

Explicar o propósito, a autoria e os


destinatários da epístola.

Compreender os atos de oração e


ação de graças do apóstolo Paulo.
ESBOÇO DA EPÍSTOLA AOS FILIPENSES
Autor: Apóstolo Paulo Tema: Alegria de viver por Cristo
Data: cerca de 62/63 d.C.
Propósitos: agradecer aos filipenes por suas ofertas generosas; informar o seu
estado pessoal na prisão de Roma; transmitir à congregação a certeza do triunfo do
propósito de Deus na sua prisão para levar os membros da igreja em Filipos a se
esforçarem em conhecer melhor o Senhor, conservando a unidade, a humildade, a
comunhão e a paz.
Introdução (1.1-11)
 saudações;
Ação de graças e oração pelos filipenses.
I – As circunstâncias em que Paulo se encontrava (1.12-26)
• A prisão de Paulo contribuiu para o avanço do Evangelho ;
• A proclamação de Cristo de todas as formas;
• A disposição de Paulo para viver ou morrer.
II – Assuntos de interesse da Igreja (1.27-4.9)
 Exortação de Paulo aos filipenses;
 Os mensageiros de Paulo à igreja;
 Advertência de Paulo a respeito dos falsos ensinos;
 Conselhos finais de Paulo
III – Conclusão (4.10-23)
Filipenses faz parte do rol “das cartas da prisão”,
juntamente com Efésios, Colossenses e Filemon.

Filipenses é uma carta de caráter pessoal, mas


com algumas inserções teológicas.

Na epístola, Paulo agradece aos filipenses pelo


cuidado que tiveram com o apóstolo, combate
alguns problemas que estavam assolando a igreja
e exorta os cristãos a viverem de forma a honrar a
Cristo mesmo em meio à perseguição.
I - INTRODUÇÃO À EPÍSTOLA

1. A cidade de Filipos

Fundada por Filipe II e posteriormente, após


guerras e a divisão do império grego-macedônico,
sendo a Macedônia base da expansão do Império
Romano, Filipos passou a ser colônia de Roma.

Estava situada em local estratégico, entre o


Oriente e o Ocidente, sendo rota comercial entre
os continentes.

Local da importante batalha travada entre os leais a Júlio


César (assassinado), e os traidores Brutus e Cássius.
2- O Evangelho chega a Filipos

Durante a segunda viagem missionária de Paulo, por volta


do ano 52 d.C., o apóstolo chegou a Trôade, onde teve uma
visão de um varão da Macedônia que pedia ajuda (At 16.9).

Chegando à cidade, como não havia sinagoga, Paulo e seus


companheiros descem à beira de um rio para pregarem o
Evangelho. Lá, ocorre a primeira conversão ao Evangelho:
Lídia, uma comerciante, aceita a mensagem cristocêntrica.

Em seguida, a casa desta mulher veio a ser um local de


congregação para os cristãos naquela cidade; era a Sede da
primeira igreja na Europa.
O Evangelho em Filipos e a maravilhosa Graça
salvadora de Deus
 O Evangelho chega a Filipos pela Graça soberana.
A Bíblia narra a conversão de três pessoas totalmente
diferentes em Filipos. O poder do Evangelho para salvação:
 Lídia (At 16.13,14);
 A jovem adivinhadora (16.16-18);
 O carcereiro (16.27-34).
Nesta última, três milagres acontecem:
 Milagre físico: terremoto;
 Milagre moral: “todos nós estamos aqui”;
 Milagre espiritual: Deus mudou a vida do oficial
romano.
Deus salva na cidade de Filipos três raças
diferentes:

 Lídia era asiática, da cidade de Tiatira;


 A jovem escrava era grega;
 O carcereiro era romano.

Deus salva três classes sociais:

 Lídia: comerciante de púrpura, mercadoria caríssima


no mundo antigo;
 A jovem adivinhadora: escrava, uma mercadoria;
 O carcereiro: servidor do império.
Deus salva na cidade de Filipos pessoas de
culturas religiosas diferentes:

 Lídia era prosélita, temente a Deus; uma gentia


que vivia a cultura religiosa dos judeus;
 A jovem pitonisa servia aos demônios;
 O carcereiro cria que César era o Senhor.

“Não há nenhum capítulo na Bíblia que mostre tão


bem o caráter universal da fé que Jesus trouxe aos
homens.” Willian Barclay.
O Evangelho alcança o homem de diferentes
formas:

 Lídia ouviu a mensagem do Evangelho pregada por


Paulo durante um momento destinado para isto, e creu;
 A jovem pitonisa foi arrancada as garras de satanás
enquanto falava pelos demônios;
 O carcereiro foi alcançado em meio a um terremoto;
uma tragédia ocorrera e o homem pensava tirar a
própria vida.
“Deus salva pessoas de lugares diferentes, de raças
diferentes, de culturas diferentes e religiões diferentes. As
paredes que dividem as pessoas são quebradas. Pobres e
ricos, religiosos e místicos, ateus e possessos podem ser
alcançados com o Evangelho.” Hernandes D. Lopes.
3- Data e local da autoria

Paulo esteve preso em três ocasiões: em Filipos (At 16.23),


em Jerusalém e Cesareia (At 21.27-23.31) e finalmente em
Roma (At 28.30,31), nesta última em duas etapas.

Há fortes evidências de que a carta aos Filipenses foi


escrita da prisão em Roma ao final de sua primeira etapa:
1º) as demais cartas da prisão foram escritas em Roma
(Efésios, Colossenses e Filemon);
2º) Em Fp 1.13 Paulo menciona a guarda pretoriana e,
3º) Em Fp 4.22 Paulo envia saudações dos da “casa de
César”, o imperador.
II – AUTORIA E DESTINATÁRIOS

1- Paulo e Timóteo

Paulo: “apóstolo, corajoso missionário, ilustrado mestre,


articulado apologista, estadista cristão e fundador da igreja
de Filipos.” (Hernandes Dias Lopes)

Apesar de constar o nome de Timóteo,


a epístola é puramente paulina.
Talvez o nome de Timóteo conste por
este comungar das mesmas convicções
de Paulo acerca da Igreja em Filipos
e teologicamente.
2 – Os destinatários da carta: “todos os santos”
(1.1)

“todos os santos”: não há acepção de pessoas,


mas, em Cristo, todos são iguais. Em Filipos, todos,
independente da raça, condição social, intelectual todos
são parte da Igreja.

“Um dos aspectos mais ricos desta vida para a qual fomos
chamados e separados é que agora vivemo-la em
comunhão com todos os santos. O mesmo Senhor que nos
uniu a Ele mesmo, agora também nos une à comunhão de
todo o Seu povo.” J. A. Motyer
3 – Alguns destinatários distintos: “bispos e
diáconos” (1.1)
Na igreja local há liderados (todos os santos), mas também
há liderança (bispos e diáconos),estes estavam entre os
santos, não sobre eles. Ambos devem ter qualidades
bíblicas para exercer o serviço divino (I Tm 3.1-13)
Conforme At 6.1-6, os diáconos deveriam servir às mesas e
os bispos (episkopoi: supervisores), deveriam se dedicar “à
oração e ao ministério da Palavra”.

“Os crentes vêm primeiro. Não são os crentes que existem


para os líderes, mas os líderes que existem, para os crentes.
Os líderes não estão acima dos crentes, mas entre eles (I Pe
5.1-4)”. Hernandes Dias Lopes
III- AÇÃO DE GRAÇAS E PETIÇÃO PELA
IGREJA DE FILIPOS (1.3-11)

1. As razões pela ação de graças

A igreja em Filipos sempre apoiou o apóstolo, nas algemas,


na defesa e confirmação do Evangelho, confirma ele:
“desde o princípio, até agora”.

Quando Paulo estava preso, a igreja enviou Epafrodito com


uma oferta para o sustento do apóstolo.
2. Uma oração de gratidão (vv. 3-8)

“Dou graças ao meu Deus por tudo que recordo de


vós...” (v.3).

Lembrar da igreja em Filipos, era lembrar da


conversão de Lídia, da jovem adivinhadora e do
carcereiro.
Era lembrar do início da igreja na Europa, do início
da igreja na casa de Lídia.
Era também trazer à lembrança o acolhimento
recebido após a libertação da prisão.
3. Uma oração de petição (vv.9-11)

O aumento do amor: indispensável aos cristãos.

Para aprovarem as coisas mais excelentes e serem


sinceros e inculpáveis para o Dia de Cristo, cheios
do fruto de justiça, o qual é mediante Jesus Cristo,
os filipenses deveriam ter o amor aumentado mais
e mais.

Sem o amor, base da fé cristã, não há cristão


excelente; não há verdadeiro Evangelho; não há
conversão.
CONCLUSÃO

A epístola foi escrita aos cristãos em Filipos,


importante colônia Romana. Na ocasião, Paulo
estava preso em Roma, por volta do ano 61- 63 d.C.
O apóstolo escreveu a carta para agradecer aos
cristãos daquela cidade pelo cuidado para com ele
e para adverti-los sobre algumas questões
teológicas. Por fim, vemos que Paulo orava
constantemente por aqueles cristãos: agradecendo
a Deus por eles e suplicando para tivessem o amor
aumentado.