Você está na página 1de 48

04/98 14/98 24/98 26/98 32/98 36/98

92/99 110/00 160/04 197/06 205/06 210/06


211/06 216/06 227/07 231/07 242/07 253/07
254/07 258/07 268/08 273/08 277/08 289/08
290/08 292/08 349/10 356/10 360/10 371/10
396/11 432/13 441/13 453/13 471/13 508/14
520/15 525/15 552/15 561/15 573/15 598/16
619/16 624/16 643/16 720/17 723/18 735/18
48 RESOLUÇÕES
Atualizações!
Geradores de imagens
• É permitida a instalação e utilização de geradores de imagem
cartográfica com interface de geoprocessamento destinado a orientar
o condutor quanto ao funcionamento do veículo, a sua visualização
interna e externa, sistema de auxílio à manobra e para auxiliar na
indicação de trajetos ou orientar sobre as condições da via, por
intermédio de mapas, imagens e símbolos.
Geradores de imagens
• GPS e Computador de Bordo:
• Previsto pelo fabricante ou utilizado como acessório de caráter provisório.
• Fixação permanente ou provisória no interior do veículo.
• Provisórios: para-brisas ou painel dianteiro.

• Proibido: Gerar imagens de entretenimento, salvo:


• Na parte dianteira, torne inoperante ou mude para orientação quando em
movimento (automaticamente).
• Somente os passageiros traseiros possam visualizar.

• Descumprimento: art. 230, XII.


Medidores de Transmitância
• Medição de transmitância luminosa:

• Mede, em valores percentuais, a transm. de vidros, películas, filmes...

• Aprovado pelo INMETRO e homologado pelo DENATRAN.

• Transmissão luminosa não será inferior:


• 75% para vidros incolores dos para-brisas.
• 70% para os para-brisas coloridos e demais vidros indispensáveis à
dirigibilidade.
• 28% para as demais áreas.
• 28% para vidro traseiro, se houver retrovisor externo direito.
• Vidros no teto, excluídos dos limites.
Medidores de Transmitância
• Auto de Infração: (além do art. 280)
• Medição realizada.
• Valor considerado.
• Limite regulamentado.

• Valor considerado: +7% à medição realizada.

• Deverá ser informada a identificação da área autuada.


Medidores de Transmitância
• Se houver impressora no dispositivo:
• Data e hora.
• Placa do veículo.
• Transmitância medida.
• Área fiscalizada.
• Identificação do instrumento.
• Identificação do agente.
Vidros e Películas
• Veículos deverão sair de fábrica com vidros de segurança. (NBR 9491)

• Vidro de segurança laminado no para-brisas de todos os veículos.

• Vidro de segurança temperado, uniformemente protendido, ou


laminado, nas demais partes.

• Veículos Blindados são isentos da res. 254/07


Vidros e Películas
• Vidros de segurança deverão trazer marcação indelével, em local de
fácil visualização, contendo:
• Marca do fabricante.
• Símbolo de conformidade com a legislação.

• Fica a critério do DENATRAN admitir resultados de testes e ensaios


obtidos por métodos equivalentes no exterior.
• Órgãos reconhecidos pelos EUA e Comissão ou Comunidade Européia, serão
aceitos.
• E + círculo ou e + retângulo ou DOT.
Vidros e Películas
• Fabricante/representante/importador deverão certificar-se de que os
produtos obedecem à res. E comprovar quando solicitado pelo
DENATRAN.

• Película não refletiva será admitida, desde que atendidas as


condições de transparência
• Marca do instalador.
• Índice de transmissão.
• Gravação indelével na película por meio de chancela, visível pelo lado
externo.
Vidros e Películas
• Transmissão luminosa não será inferior:
• 75% para vidros incolores dos para-brisas.
• 70% para os para-brisas coloridos e demais vidros indispensáveis à
dirigibilidade.
• 28% para as demais áreas.
• 28% para vidro traseiro, se houver retrovisor externo direito.
• Vidros no teto, excluídos dos limites.

• Áreas indispensáveis à dirigibilidade:


• Para-brisas (exceto faixa degrade de acabamento, caso exista).

• Áreas laterais dianteiras do veículo, respeitado o campo de visão do condutor.


Vidros e Películas
• Película refletiva é proibida.

• Fora das áreas indispensáveis à dirigibilidade:


• Inscrições, pictogramas ou painéis decorativos são permitidos.
• Espelhos retrovisores externos.
• Respeitadas as condições de transparência.
• VEDADO: painéis luminosos com mensagens estáticas ou dinâmicas.
Vidros e Películas
• Não se aplica a máquinas agrícolas, rodoviárias e florestais.
• Não se aplica a veículos destinados à circulação exclusivamente fora
das vias públicas.
• Não se aplica aos veículos incompletos ou inacabados.

• Não cumprimento: art. 230, XVI do CTB.


Para-brisas
• Trincas e fraturas circulares = DANO.

• Área crítica de visão e faixa de 2,5 cm das bordas externas:


• Não pode haver dano.
• Não pode ser recuperado.

• Ônibus, micro-ônibus e caminhões:


• Área Crítica:
• 50x40 cm
• Base tangente ao volante.
• Centro vertical = Centro do volante.
• Demais veículos:
• Área Crítica: Região de varredura da palheta esquerda.
Para-brisas
• Ônibus, micro-ônibus e caminhões:
• Máximo 3 danos:
• Trinca não superior a 20 cm de comprimento.
• Fratura circular não superior a 4 centímetros de diâmetro.

• Demais veículos:
Área Crítica:
• Máximo Região de varredura da palheta esquerda.
2 danos:
• Trinca 2não
• Máximo superior a 10 cm de comprimento.
danos:
• Fratura circular não superior a 4 centímetros de diâmetro.
• Trinca não superior a 10 cm de comprimento.
• Fratura circular não superior a 4 centímetros de diâmetro.
• Descumprimento: art. 230, XVIII c/c art. 270 § 2º
• Descumprimento: art. 230, XVIII c/c art. 270 § 2º
Cronotacógrafo
• Registrador instantâneo e inalterável de velocidade e tempo.
• Aparelho mecânico, eletrônico ou conjunto computadorizado.

• Disponibilizar, a qualquer momento (24h):


• Velocidades.
• Distância percorrida.
• Tempo de movimentação e interrupções.
• Data e hora de início da operação.
• Identificação do veículo.
• Identificação dos condutores.
• Identificação de abertura do compartimento.
Cronotacógrafo
• Fiscalização:
• Perfeitas condições de uso.

• Ligações conectadas e lacradas, componentes sem alteração.

• Informações disponíveis e forma de registro ativa.

• Disco ou fita reserva para manter até o final da operação.

• Aprovado pelo INMETRO.


Cronotacógrafo
• Fiscalização:
• Agente de fiscalização:
• Identifica-se
• Assina
• Local, data e hora.
• Treinamento de responsabilidade do fabricante ou pelos órgãos de fiscalização.

• Informação disponível por 90 dias.


• Acidente: últimas 24 horas por um ano.
• Apreensão do equipamento, mediante justificativa da autoridade competente.
Cronotacógrafo
• Cronotacógrafo e disco/fita, aprovação do DENATRAN, certificação do
INMETRO:
• Especificações Técnicas.

• Possuir registrador próprio de espaço percorrido, velocidades desenvolvidas, tempo


de operação, no período de 24h.

• Fornecer as informações.

• Assegurar a inviolabilidade e inalterabilidade.

• Possuir lacre de proteção das ligações e de acesso interno.

• Dispor de indicação de violação.


Cronotacógrafo
• Cronotacógrafo e disco/fita, aprovação do DENATRAN, certificação do
INMETRO:
• Material compatível com sua finalidade.

• Totalizar a distância percorrida.

• Indicadores iluminados, não ofuscantes.

• Padrão km/h, h e km.

• Situar-se na faixa de tolerância.

• Possibilitar a leitura fácil, direta e sem instrumentos no local de fiscalização.


Cronotacógrafo
• Infração:
• Art. 238.
• Art. 230, IX, X, XIV.

• A violação ou adulteração de registrador sujeitará o infrator às


cominações da legislação penal aplicável.
Cronotacógrafo
• Anexo (Disco Diagrama):
• 24 h, 7 ou 8 dias.

• Registros:
• Distância percorrida.
• Velocidade do veículo.
• Tempo de movimentação e interrupções.
• Abertura do compartimento.
• Poderá: direção efetiva, disponibilidade e repouso do motorista.
Cronotacógrafo
• Anexo (Disco Diagrama):
• Dispositivos indicadores/registro:
• Distância (odômetro).
• Velocidade (velocímetro).
• Tempo (relógio).
Cronotacógrafo
• Anexo (Disco Diagrama):
• Inclusão de outros dispositivos não deve comprometer o funcionamento dos
obrigatórios e nem dificultar a leitura.
• Deve ser homologado e aprovado com estes dispositivos.

• Materiais estáveis e com resistência mecânica suficiente.

• Características elétricas e magnéticas invariáveis.


Cronotacógrafo
• Anexo (Disco Diagrama):
• Distância:
• Em frente ou em frente e ré (sem confundir).
• Indicador, fração mínima 0,1 km. Altura, mínimo, 4 mm.
• Contador indicar até, mínimo, 99.999,9 km.
• 1 km = 1 mm, mínimo.
• Distância legível em qualquer velocidade.
• Erro de ensaio: 1% da distância real ou 10 m (1 km, mínimo).
• Erro de instalação: 2% da distância real ou 20 m.
• Erro em uso: 4% da distância real ou 40 m.
Cronotacógrafo
• Anexo (Disco Diagrama):
• Velocidade:
• Frequência e amortecimento, capaz de medir mudanças de aceleração de 2m/s².
• Indicador, escala de 1, 2, 5 ou 10 km/h, divisões até 10% da máxima indicada.
• Indicador, distância a cada 10 km/h não inferior a 10 mm.
• Indicador, distância entre ponteiro e mostrador, não passa de 3 mm.
• Indicador, deve mostrar, próximo da escala .
• Agulha em movimento retilíneo e perpendicular ao deslocamento.
• Movimento curvo: traçado perpendicular à média.
• 10 km/h = 1,5 mm, no mínimo.
• Erro de ensaio: 3% da velocidade real ou 3 km/h.
• Erro de instalação: 4% da velocidade real ou 4 km/h.
• Erro em uso: 6% da velocidade real ou 6 km/h.
Cronotacógrafo
• Anexo (Disco Diagrama):
• Tempo:
• Ajuste de hora deve ser no interior do compartimento.
• Indicador, visível externamente, com leitura fácil e não ambígua.
• Visualização clara do tempo de operação e parada.
• Pode registrar a natureza do tempo: Direção efetiva, parada para repouso, parada para
espera e outros.
• Erro, em todos os casos: 2 min/24 horas ou 10 min/7 dias.

• Tudo protegido de umidade e pó.


Cronotacógrafo
• Anexo (Disco Diagrama):
• Dispositivo:
• Marca para a colocação correta do disco (horário).
• Movimento do disco sem interferência e livre retirada e colocação.
• Rotação contínua e uniforme velocidade mínima, 7 mm/h (bordo inferior da zona de
velocidade).

• Disco:
• Data de operação.
• Placa.
• Nome do condutor.
• Km inicial e final.
Cronotacógrafo
• Anexo (Disco Diagrama):
• Dois motoristas:
• Dois nomes em um disco.
• Um disco por condutor.

• Dispositivo de fechamento:
• Qualquer abertura tem que ser registrada.
Cronotacógrafo
• Anexo (Disco Diagrama):
• Disco:
• Papel carbono com fino revestimento, receber e fixar os registros.
• Contínuo e Inalterável.
• Leitura e interpretação direta.
• Qualidade.
• Conservar dimensões e registros em condições normais de higrometria e temperatura.
• Legíveis com precisão por, pelo menos, 5 anos.
• Um disco 24h.
• Vários discos, um não interfere no outro.
Cronotacógrafo
• Anexo (Disco Diagrama):
• Disco:
• Zonas exclusivas para velocidade e distância.
• Zona para tempo de movimentação.

• Zona de velocidade:
• Mínimo 20 km/h.
• Velocidade indicada em algarismos.
• Km/h pelo menos uma vez.
• Última linha = limite superior.
Cronotacógrafo
• Anexo (Disco Diagrama):
• Disco:
• Zona de distância, leitura da quilometragem percorrida.

• Impresso no disco:
• Nome do fabricante.
• Escala de leitura.
• Limite superior da velocidade.

• Escala de tempo graduada com intervalo de 5 minutos e determinação fácil de cada


intervalo de 15 minutos.
Cronotacógrafo
• Anexo (Disco Diagrama):
• Disco:
• Inscrições manuscritas:
• Nome ou número do prontuário.
• Data e lugar do início da utilização.
• Número da placa.
• Km inicial e final.
• Total de km.
Cronotacógrafo
• Anexo (Eletrônico):
• Conjunto computadorizado para registro eletrônico, em memória circular, não
volátil.
• Emissor de fita diagrama.
• Armazenar as últimas 24h.
Cronotacógrafo
• Anexo (Eletrônico):
• Fornecer Registros (não volátil):
• Velocidade do veículo.
• Distância percorrida.
• Tempo de movimentação e interrupções.
• Data e hora do início da operação.
• Identificação do veículo.
• Identificação dos condutores.
• Identificação do período de condução de cada condutor.
• Constante K.
Cronotacógrafo
• Anexo (Eletrônico):
• Software:
• Responsabilidade do fabricante.
• Permanente.
• Gerenciamento das operações e impressão.
• Não pode ser modificado ou ignorado por programa aplicativo.

• Segurança das informações:


• Em acidente, últimas 24 horas, meio eletrônico e impresso por 5 anos.
• Informações eletrônicas com autenticação.
• Alteração invalida a chave de autenticação.
Cronotacógrafo
• Anexo (Eletrônico):
• Segurança das informações:
• Apreensão do equipamento, decisão fundamentada e documento circunstanciado
contendo:
• Marca, modelo, nº de série, fabricante e identificação do veículo.

• Na apreensão, registro das últimas 24h devem permanecer intactos, independente de


fornecimento de energia, por 1 ano, no mínimo.
Cronotacógrafo
• Anexo (Eletrônico):
• Indicadores:
• Funcionamento do conjunto.
• Funcionamento do relógio.
• Duas velocidades para correlação com o instrumento indicador.
• Funcionamento do sensor de distância.

• Lacres:
• Ligações necessárias ao funcionamento.
• Caixa de aparelhos do conjunto.

• Acessórios, sem comprometer o funcionamento ou dificultar a leitura.


Cronotacógrafo
• Anexo (Eletrônico):
• Materiais estáveis e resistentes, características elétricas e magnéticas
invariáveis.

• Distância:
• Em frente ou em frente e ré (sem confundir).
• Indicador, fração mínima 0,1 km. Altura, mínimo, 4 mm.
• Contador indicar até, mínimo, 99.999,9 km.
• Registro com resolução mínima de 10 m.
• Aferição envio ao conjunto de parâmetro e acompanhado de senha alfanumérica de 8
caracteres.
• Constante k em local adequado.
• Erro máximo 1%, tolerância adicional do desgaste dos pneus.
Cronotacógrafo
• Anexo (Disco
(Disco Diagrama):
Eletrônico):
• Velocidade:
• Opera com tempo de digitalização.
• Registro não superior a um segundo nas últimas 24h.
• Frequência e amortecimento, capaz de medir mudanças de aceleração de 2m/s².
• Registro, 0 a 150 km/h, resolução de 1 km/h.
• Indicador, escala de 1, 2, 5 ou 10 km/h, divisões até 10% da máxima indicada.
• Indicador, distância a cada 10 km/h não inferior a 10 mm.
• Indicador de ponteiro, distância entre ponteiro e mostrador, não passa de 3 mm.
• Indicador, deve mostrar, próximo da escala .
• Erro máximo 1%, tolerância adicional do desgaste dos pneus.
Cronotacógrafo
• Anexo (Disco
(Disco Diagrama):
Eletrônico):
• Tempo:
• Relógio eletrônico interno.
• Indicador, visível externamente, com leitura fácil e não ambígua.
• Ausência de energia elétrica, relógio funcional por período não inferior a 5 anos.
• Precisão de até 0,05%.

• Tudo protegido.
• Iluminação não ofuscante.
• Veículo com velocímetro, odômetro e relógio próprios (fabricante).
Cronotacógrafo
• Anexo (Disco
(Disco Diagrama):
Eletrônico):
• Dados mantidos em meio magnético pelo prazo de um ano.

• Fita Diagrama:
• Qualidade.
• Resistir e conservar dimensões e registros em condições normais de higrometria,
temperatura e manuseio em ambiente automotivo.
• Registros legíveis com precisão por, pelo menos, 5 anos.
• Largura máxima 75,0 mm.
• Comprimento mínimo para registro das últimas 24h.
Cronotacógrafo
• Anexo (Disco
(Disco Diagrama):
Eletrônico):
• Fita Diagrama:
• Zona exclusiva para velocidade.
• Zona para indicação de tempo de operação.
• Marca para escala de velocidade e campo de tempo.
• Limite superior da velocidade em km/h.
• Identificação do fabricante.
Cronotacógrafo
• Anexo (Disco
(Disco Diagrama):
Eletrônico):
• Informações:
• Impressora, 250 pontos por linha.
• Tipo A:
• Modelo, número de ´serie.
• Velocidade.
• Identificação do veículo.
• Início e final da operação (odômetro, data e hora).
• Condutores (nome ou prontuário).
• Tempo de operação e interrupções.
• Velocidades atingidas. 10 km/h = 2,0 ± 0,1 mm.
• Um marco a cada 5 km de distância. 2,5 km = 1 mm, no mínimo.
• Marcação da velocidade a cada minuto. Maior velocidade.
Cronotacógrafo
• Anexo (Disco
(Disco Diagrama):
Eletrônico):
• Informações:
• Impressora, 250 pontos por linha.
• Tipo A:
• Últimas 24h a qualquer momento.
• Informação impressa com precisão (5 anos, mínimo).
• Escala de tempo na fita, leitura direta, intervalos de 15 minutos, determinação fácil de
intervalo de 5 minutos.
• Comprimento: 290 mm ± 10mm.
• Tempo de impressão, máximo, 3 minutos.
Cronotacógrafo
• Anexo (Disco
(Disco Diagrama):
Eletrônico):
• Informações:
• Tipo B:
• Últimas 24h enviadas para um microcomputador.
• Armazenada em meio magnético com assinatura digital.
• Programa fornecido pelo fabricante, leitura gráfica e textual.
• Análise de acidentes.
• Gráfico velocidade x tempo (resolução 1 km/h).
• Cada unidade de km/h = 0,5 mm, no mínimo, no gráfico.
• Tempo deve permitir visualizar 24h em lauda A4.
• Períodos de 5 minutos, com resolução 0,5 mm por segundo.
Cronotacógrafo
• Anexo (Disco
(Disco Diagrama):
Eletrônico):
• Informações:
• Tipo B:
• Quilometragem em forma numérica.
• Cálculo de distância percorrida entre dois pontos de, no máximo, 200 metros a 150 km/h.
• 1 km = 1 mm, no mínimo.
• Data e hora: DD/MM/AA e hh:mm
• Identificação do veículo, condutores, período de condução, do conjunto devem permitir clara
visualização do e não comprometer a legibilidade do gráfico.
PRF x DNIT
• Compete ao DNIT:
• Fiscalização de excesso de peso, respeitadas as competências da ANTT.

• Fiscalização eletrônica de velocidade:


• Redutor eletrônico de velocidade tipo fixo.

• Engenharia de tráfego para implantar novos pontos de redução de


velocidade.
PRF x DNIT
• Compete à PRF:
• Fiscalização por excesso de peso, isoladamente, ou em apoio ao DNIT.

• Fiscalização eletrônica de velocidade:


• Instrumento portátil, móvel, estático e fixo, exceto redutor de velocidade.

• Para instalar equipamento fixo, o DPRF solicitará ao DNIT autorização para


intervenção física na via.