Você está na página 1de 10

UCAM – UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES

MARCOS VINÍCIUS SOUSA DOS SANTOS

A EVOLUÇÃO E CONTEMPORANEIDADE DA GESTÃO EM SEGURANÇA E


SAÚDE NO TRABALHO

JOÃO PESSOA - PB
2019
UCAM – UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES
MARCOS VINÍCIUS SOUSA DOS SANTOS

Artigo Científico Apresentado à Universidade Candido


Mendes - UCAM, como requisito parcial para a obtenção
do título de Especialista em Engenharia de Segurança do
Trabalho.

A EVOLUÇÃO E CONTEMPORANEIDADE DA GESTÃO EM SEGURANÇA E


SAÚDE NO TRABALHO

JOÃO PESSOA - PB
2019
A EVOLUÇÃO E CONTEMPORANEIDADE DA GESTÃO EM SEGURANÇA E
SAÚDE NO TRABALHO

Marcos Vinícius Sousa dos Santos1

RESUMO Comentado [1]: De acordo com a ABNT NBR 6028 (2003,


p.1) o resumo é um elemento obrigatório e deve ressaltar o
tema/questão problema, o objetivo, a metodologia utilizada na
pesquisa, o referencial teórico, bem como os resultados e
A gestão de segurança no trabalho é um tema de grande importância a devido a necessidade de haver conclusões do trabalho. É constituído de uma sequência de
frases concisas e objetivas e não de uma simples enumeração
na indústria (e outras partes interessadas) um direcionamento eficaz para melhorar as condições de de tópicos.
segurança dos trabalhadores. A administração efetiva dos riscos, medidas protetivas, indicadores de
segurança, entre outros é imperativo. O presente trabalho busca analisar as principais características A primeira frase deve ser significativa, explicando o tema
da norma OHSAS 18001 que antecedeu a criação da recém-formada ISSO 45001 com o objetivo de principal do artigo.
Deve-se usar o verbo na voz ativa e na terceira pessoa do
investigar o caminho histórico da Segurança e Saúde no Trabalho. O artigo conta com uma revisão singular. Quanto a sua extensão os resumos de Artigos
bibliográfica de diversos autores que abordaram a temática pouco antes do lançamento da nova norma. Científicos devem ter no mínimo 100 e no máximo 250
palavras

Palavras-chave: Trabalho. Acidente. Saúde. Segurança.

Introdução Comentado [2]: A introdução deve ser um texto corrido (sem


tópicos) contendo os seguintes elementos:

1º Apresente o tema, deixando claro para o leitor sobre o que


se trata o trabalho, utilizando o verbo no presente do
A segurança e a saúde no ambiente de trabalho são temas urgentes de serem indicativo.
2º Apresente também a questão problema. Relate as questões
debatidos no mundo de economia globalizada do século XXI. Os dados não mentem que lhe causam interesse pela pesquisa.
3º Argumente sobre a relevância do estudo, apresentando as
sobre a importância da temática para a qualidade de vida dos trabalhadores, que razões que te levaram a pesquisar o tema, motivação e
importância.
correspondem a maior parte da população mundial e o desenvolvimento sustentável 4º Faça uma breve exposição da literatura a respeito do
assunto que posteriormente será ampliada no
desenvolvimento do Artigo.
de uma maneira total. 5º Defina o objetivo central do trabalho, mostrando o norte do
estudo, ou seja, o conhecimento acadêmico desejado.
De acordo com dados da Organização Internacional do Trabalho (OIT), 6º Apresente também a metodologia utilizada e o referencial
teórico.
divulgados recentemente em abril de 2017, cerca de 2,3 milhões de pessoas morrem Comentado [3]: ??
e 300 milhões de pessoas ficam feridas todos os anos no mundo devido a acidentes
no ambiente de trabalho (ONU, 2017). Comentado [4]: Coloque no final da citação indireta, entre
parênteses: sobrenome do autor em caixa alta, com o ano e
No Brasil o problema é também bastante grave. O país ocupa o quarto lugar página.

no ranking mundial de acidentes de trabalho. O volumoso problema motivou o


Ministério Público do Trabalho (MPT) a criar um “Observatório Digital de Saúde e
Segurança do Trabalho”.
De acordo com os dados desse observatório, o país teve mais de R$80
bilhões de gastos previdenciários derivados de acidentes de trabalho entre 2012 e

1
Engenheiro Mecânico (UNIVASF), Mestre em Engenharia Mecânica (UFRN).
2017. Estima-se que no período o país foi compelido a desembolsar R$1,00 por
minuto com benefícios acidentários ativos (MPT, 2017).
Foram mais de 17 mil mortes acidentárias notificadas, mais de 4 milhões de
acidentes registrados e um prejuízo de mais de 369 mil dias de trabalhos perdidos
com agastamentos previdenciários acidentados (MPT, 2017).
As consequências dos acidentes são as mais variadas, no entanto, é possível
destacar algumas. Cerca de 21% deles ocasionaram corte, laceração, ferida contusa
ou punctura, 17, 5% resultaram em fratura, 15,74% de contusões e esmagamentos e
em 1,12% dos casos houve amputação ou enucleação dos trabalhadores (MPT,
2017).
Diante desse cenário, desde março de 2018 entrou em vigor a norma ISSO
45001: 2018 – Sistemas de gestão de segurança e saúde ocupacional – Requisitos
com orientação para uso. Segundo a Associação Brasileira de Normas Técnicas
(ABNT), o documento “fornece às agências governamentais, à indústria e a outras
partes interessadas uma orientação eficaz e útil para melhorar a segurança dos
trabalhadores”.
A ISO 45001 entrou no lugar (e modernizou) a antiga norma referência
OHSAS 1801. No presente artigo pretendemos compreender a importância de uma
gestão de saúde e segurança no trabalho e o caminho histórico que o tema percorreu
dentro das organizações e construção das antigas normas que orientavam as
organizações pelo mundo sob o ponto de vista dos autores Renata Pereira de Araujo
Neri dos Santos e Wilson José Mafra no trabalho “ Ambiente competitivo faz com que
muitas empresas não atentem sobre a segurança no trabalho”, Elias Hans Dener
Ribeiro da Silva, Bruna Hanemann Daniel e Diogo Balestrin de Oliveira no artigo **Os
Sistemas de Gestão em Segurança e Saúde no Trambalho em Auxílio à Prevenção
de acidentes e doenças ocupacionais e Osvaldo Luiz Gonçalves Quelhas e Gilson
Brito Alves Lima na pesquisa “Sistema de gestão de segurança e saúde ocupacional:
fator crítico de sucesso à implantação dos princípios do desenvolvimento sustentável
nas organizações. Comentado [5]: Coloque no final da citação indireta, entre
parênteses: sobrenome do autor em caixa alta, com o ano e
página

Desenvolvimento

O ambiente competitivo em que se encontra a atual conjuntura econômica faz


com que muitas empresas não atentem sobre a segurança no trabalho. O desejo por
atender os anseios dos clientes muitas vezes faz com que as organizações direcionem
todas as suas energias para o ambiente externo e se esqueçam de olhar para dentro.
De acordo com Araújo; Santos; Mafra (2006) a revolução industrial fez com que
surgisse pela primeira vez a preocupação com a saúde dos trabalhadores mesmo que
de forma reativa e incipiente. Em 1926, H W Henrich apontou a problemática dos
gastos que as companhias tinham com as seguradoras decorrentes de despesas com
a saúde dos trabalhadores acidentados. Já em 1966 Frank Bird Jr demonstrou
preocupação também com o maquinário e os bens da empresa. Por fim, em 1970,
Jonh Fletcher introduziu o conceito de controle total das perdas (Total Loss Control),
evidenciando a necessidade de as empresas se preocuparem com a segurança e a
saúde de maneira global, inclusive com preocupação ambiental.
Os autores apontam que uma gestão eficiente de saúde e segurança no
trabalho acarretam, benefícios financeiro e motivacional para os trabalhadores, evitam
prejuízo de várias maneiras como absenteísmo, afastamento e atrasos.

"Qualquer acidente gera um prejuízo econômico significativo,


pois todos os custos diretos e indiretos resultantes são custeados pela
a empresa e conseqüentemente atinge todas as partes relacionadas.
A abrangência destes custos deve ser bem conhecida pelos
empresários, de modo que esses percebam os recursos
desperdiçados para cada acidente que ocorra, servindo como um forte
argumento para estimular investimentos que reduzam ou eliminem a
sua ocorrência. Deve-se destacar que o custo total da não-segurança
para as empresas, trabalhadores, famílias, sociedade e governo é de
difícil mensuração." (Araújo; Santos; Mafra, 2006). Comentado [6]: Citação Longa: contém mais de três linhas,
nesse caso, deve ser inserido fora do corpo do texto, em
bloco, dando dois espaços antes e depois da citação, com
recuo de 4,0cm da margem esquerda, espaço simples entre
linhas, fonte tamanho 10 (sem aspas e sem itálico),
alinhamento justificado. Recuo de 4 cm. Coloque no final da
Nesse contexto, a implementação de normas que orientem as empresas se citação, entre parênteses: sobrenome do autor em caixa alta,
com o ano e página.
demonstrou como necessária. Dessa forma, os autores demonstram que a Norma
Em caso de leis, se for em âmbito nacional deve vir com o
BS8800, serviu como bússola para a segurança do trabalho e trouxe a luz a nome do país e o ano de publicação como por exemplo
(BRASIL, 1988)
importância da valorização do capital humano, melhoria do rendimento do trabalho, Favor aplicar aos demais casos.

garantia do sucesso da organização e melhoria da imagem da organização frente à


sociedade.
De acordo com SILVA; DANIEL; OLIVEIRA (2012), foi uma norma britânica
bem-sucedida que foi alinhada com as normas da Série ISO 9000 (Sistema da
Qualidade) e sério ISO 1400 (Gestão Ambiental) e trata-se de um guia com o objetivo
de ajudar as organizações a desenvolverem a gestão de segurança e saúde
ocupacional. Nesse sentido, as responsabilidades devem ser compartilhadas, mas
cabem principalmente a alta gestão.
Ainda de acordo com a síntese da norma BS8000 proposta pelos autores, o
texto se divide em quatro capítulos: o escopo, que traz a orientação sobre o
desenvolvimento de sistemas de gestão em segurança e saúde ocupacionais; o
segundo que traz referências a outras publicações e informações melhor
pormenorizadas do tema; o terceiro que joga luz sob uma definições terminológicas
como acidente, auditoria, fatores externos, perigo, identificação de perigo, objetivos
de saúde e segurança, vigilância de saúde, problemas de saúde, incidente, fatores
interno, sistema de gerenciamento, organização, risco, avaliações de riscos,
levantamento da situação e alvo; e o último capítulo que aborda as diretrizes
norteadas pela norma ISO 1400.
Para QUELHAS; LIMA (2006) a norma britânica BS 8800 constituiu a primeira
tentativa de se estabelecer uma referência normativa para implementação de um
sistema de gestão de segurança, saúde e meio ambiente.
Em 1999, foi oficializada a norma OHSAS 18001. De acordo com ARAUJO,
SANTOS, MAFRA (2006), dentre as principais características que ela traz, destaca-
se a relevância que se dá para os objetivos que devem ser mensurados sempre que
possível e comunicados de maneira eficaz.
Ainda sobre a norma OHSAS 18001, os autores apontam como fundamental
que ela registra a relevância da contínua identificação de perigos, avaliação de riscos
e implementação das medidas de controle necessárias, que devem conter atividades
de rotina e não-rotina, atividades de todo o pessoal que têm acesso ao local de
trabalho e instalações.
De acordo com Rodrigues; Guedes (2003 citado por SILVA; DANIEL;
OLIVEIRA (2012) existiam referências normativas relativas à configuração sistêmica
da gestão dos domínios da SST nas organizações, mas a única que obtinha
reconhecimento internacional era a OHSAS 18001:1999, pois sua estrutura foi
pensada para alinhar com outras normas e sistemas de gestão já existentes,
concretamente a ISO 9001:2000 (Sistemas de Gestão da Qualidade) e a ISO
14001:1996 (Sistemas de Gestão Ambiental). Além disso, poderia ser utilizada por
toda e qualquer organização independentemente do seu setor de atividade e
dimensão.
Ainda segundo SILVA; DANIEL; OLIVEIRA (2012), a norma não privilegia
somente os indicadores reativos relacionados a sinistralidade ou quando os acidentes
já aconteceram, apesar de eles serem, obviamente, relevantes. Ela aponta, contudo,
com principal ênfase aos aspectos proativos que a companhia deve ter para conseguir
implementar no sentido de prevenir acidentes.
Conforme aponta ALEVATO (1999) citado por SILVA; DANIEL; OLIVEIRA
(2012), mais do que cumprir a legislação existente, é um dever da alta administração
das empresas proporcionar um ambiente de trabalho seguro e saudável aos
colaboradores. Para Bergamini (1997) citado por SILVA; DANIEL; OLIVEIRA (2012) a
melhoria da segurança, saúde e meio ambiente de trabalho, além de aumentar a
produtividade, diminui o custo do produto final, pois diminui as interrupções no
processo, absenteísmo e acidentes e/ou doenças ocupacionais.
De acordo com SILVA; DANIEL; OLIVEIRA (2012) a sinistralidade pode ser
considerada um fator crítico de sucesso, ou seja, um viés que deve dar sustentação
para todas as estratégias que a companhia venha adotar, de modo que possibilite ou
facilite a conquista de objetivos estabelecidos em um planejamento estratégico
previamente estabelecido.
Um sistema que contemple a gestão de uma companhia, especificamente
referente a segurança e saúde no trabalho não precisa seguir fielmente um referencial
normativo. O que é importante, de acordo com Pinto (2005) citado por SILVA; DANIEL;
OLIVEIRA (2012) é uma estrutura operacional e ter estabelecido às atividades de
planejamento, as práticas e procedimentos e definido as responsabilidades e
recursos, de modo a que possa ser assegurada, no caso do Sistema de Gestão de
Saúde e Segurança (SST) SST, a identificação dos perigos e a avaliação e controle
dos riscos.
Os referenciais normativos, destacam SILVA; DANIEL; OLIVEIRA, (2012)
possibilitam a minimização de riscos para os trabalhadores ao assegurar a estrutura
operacional, contemplada desde o planejamento, às práticas da companhia,
garantindo ainda certificações e reconhecimento àqueles que tem boas práticas no
tema.
Outros benefícios podem ser esperados de uma abordagem sistêmica das
questões relacionadas à SST, que entre elas pode-se destacar: a melhoria no clima
organizacional e a motivação dos colaboradores, devido à condição de segurança na
organização; redução nos custos de controle, derivado da identificação sistêmica das
oportunidades de prevenção; cumprimento da legislação; melhoria na imagem da
organização frente aos stakeholders; e, consequências destas ações, diminuição nos
custos, através da redução dos encargos laborais decorrentes das sinistralidade.
(SILVA; DANIEL; OLIVEIRA, 2012).
QUELHAS; LIMA (2006) analisaram a estudo a situação de duas pequenas
empresas do ramo da construção civil e fizeram sugestões em caráter de adequação
da organização às normas BS 8800/96 e OHSAS 18000/99, por ser o melhor
referencial à época para tal. Para os autores, a responsabilidade social de uma
companhia vai além de participar das ações coletivas da comunidade da qual está
inserida ou ter cuidado com o meio ambiente nas atividades produtivas da empresa.
Apesar de ambos os pontos serem de extrema importância, é crucial que o meio
ambiente interno proporcione saúde e bem-estar aos colaboradores, de modo que
somente com essas características em sinergia é possível definir uma organização
como responsável socialmente.
Quando o processo ocorre de maneira inversa, ou seja, quando o marketing da
empresa aponta para demonstrar práticas sustentáveis externamente, para o público
de fora e o público interno não tem o mesmo tratamento, acontece um grande
descontentamento entre os trabalhadores e prejudica o que os autores chamam de
cidadania da empresa.
O endomarketing ou marketing interno é fundamental para o bom desemprenho
de uma empresa e, nesse sentido, os autores fazem algumas sugestões de ações que
caminhem ne sentido, como cuidar da qualidade de vida do empregado e investir nas
instalações sanitárias, atender às necessidades básicas dos empregados criando uma
infraestrutura de refeitório para seu público interno, empresas terceirizadas e
contratadas, e fornecendo cesta básica para seus dependentes, entre outras.
No estudo, QUELHAS; LIMA (2006) investigaram a atuação de duas pequenas
empresas do ramo da construção civil no estado do Rio de Janeiro. Logo em uma
primeira observação foram constatados pontos críticos relativos a segurança do
trabalho como projeto ergonômico do posto de trabalho, programação de jornada de
trabalho, aspectos psíquicos e sociais, além da fadiga ocupacional, fatores esses que
segundo os autores atrapalham diretamente na produtividade da empresa.
Além disso, o estudo comprovou a falta de planejamento e a ausência de dados
mensuráveis, conforme orienta a norma, bem como detectou a ausência total do
engajamento dos trabalhadores nos processos relativos à segurança do trabalho.
Conclusão Comentado [7]: Coloque um paragrafo de fechamento a sua
conclusão.

A segurança e a saúde no trabalho são temas que perpassam a gestão


empresarial desde o momento da revolução industrial. Com o avanço da economia
global e da competitividade entre as empresas, a inclusão de um número cada vez
maior de trabalhadores no mercado de trabalho e o avanço das tecnologias que
possibilitam a mensuração de casos de acidente de trabalho, fica evidente que as
organizações no século XXI não podem pensar de maneira simplesmente reativa em
frente a este problema que vitimiza fatalmente milhões de pessoas todos os anos.
Comentado [8]: As referências devem vir em ordem
Incorporar o planejamento de gestão de segurança e saúde no trabalho dentro alfabética e com os títulos em itálico, sem negrito.

do planejamento estratégico da empresa como um todo e compreender que o cuidado EXEMPLOS DE COMO REFERENDAR DIFERENTES
DOCUMENTOS
com o meio ambiente interno é fato determinante para garantir a viabilidade ou não
Referência de livro: SOBRENOME, Nome. Título. ed. Local:
Editora, ano.
das empresas que competem avidamente no mercado por um público consumidor Exemplo: PECOTCHE, Carlos Bernardo
González. Introdução ao conhecimento logosófico. 2.ed. São
cada vez mais exigente de boas práticas e por um desenvolvimento sustentável. Paulo: Logosófica, 1983.

Nesse sentido, a nova legislação ISSO 45001 vem para complementar e Referência de capítulo de livro: SOBRENOME, Nome. “Título
do capítulo”. In:
facilitar o compreendimento de um conhecimento acumulado historicamente e SOBRENOME, Nome (org.). Título. Ed. Local: Editora, ano.

Exemplo: CUNHA, Olívia Maria Gomes da. “Bonde do Mal:


disposto previamente em legislações como a OHSAS 1801. A segurança e a saúde notas sobre território, cor, violência e juventude numa favela
do subúrbio cario ca.” In: MAGGIE, Yvonne; RESENDE,
no trabalho precisam estar em constante análise e cuidado dentro das companhias e Cláudia Barcelos(orgs.).Raça com retórica: a construção da
diferença. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2001.
servem como um símbolo de sustentabilidade dos negócios que elas desenvolvem.
Referência de artigo de revista científica: SOBRENOME,
Nome. “Título do artigo”. Revista, Local, vol., n°, p.,
periodicidade, ano.
Exemplo: GATTI, Bernadete. “Implicações e perspectivas da
pesquisa educacional no Brasil contemporâneo.” Cadernos de
REFERÊNCIAS Pesquisa, São Paulo, n. 113, p. 1-11, jul., 2001.

Referência de artigo de site científico: SOBRENOME, Nome.


“Título do artigo”. Disponível em: site. Acesso em: data por
Acidentes de Trabalho matam 2,3 milhões de pessoas por ano no mundo, diz OIT. extenso.
Organização das Nações Unidas. Disponível em Exemplo: SEIXAS, Cristina Faganeli Braun. “Dissecação de
um peixe”. Disponível
https://news.un.org/pt/story/2017/04/1584331-acidentes-de-trabalho-matam-23- em:<http://noticias.uol.com.br/educacao/saladoprofessor/plano
milhoes-de-pessoas-por-ano. Acesso em 6 de abril de 2019. sdeaula/fundamental/ul t3900u105.ihtm.> Acesso em: 5 ago.
2009.

ARAUJO, SANTOS, MAFRA. Gestão da Segurança e saúde do Trabalho. III SEGeT Referência de monografia, dissertação e tese: SOBRENOME,
Nome. Título. Tipo (de trabalho) - Programa/Instituição, Local,
- Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia, 2006. ano.
Exemplo: GEBRAN, R. A. Oba hoje tem geografia! O espaço
redimensionado da formação-ação. Tese (de Doutorado em
Educação) - Faculdade de Educação/Unicamp, Campinas,
Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho. Disponível em 1996.

https://observatoriosst.mpt.mp.br/. Acesso em 5 de abril de 2019. Referência de norma disponível em site: LOCAL, Nome ou
número da norma. Descrição. Disponível em: site. Acesso em:
data por extenso.
Publicada a Iso 45001. Disponível em: http://abnt.org.br/imprensa/releases/5800- Exemplo: BRASIL, Constituição da República Federativa do
publicada-a-iso-45001. Acesso em 6 de abril de 2019. Brasil de 1988. Emendas constitucionais de revisão.
Disponível em:
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaoco
mpilado.htm. Acesso em: 14 mar. 2017.
QUELHAS; LIMA. Sistema de Segurança e Saúde Ocupacional: Fato crítico de
sucesso à implantação dos princípios do desenvolvimento sustentável nas
organizações brasileiras. 2006.

SILVA; DANIEL; OLIVEIRA. Os Sistemas de gestão em segurança e saúde no


trabalho em auxílio à prevenção de acidentes e doenças ocupacionais, 2012.

Você também pode gostar