Você está na página 1de 9

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

Especialização em Engenharia de Processamento Mineral

Pesquisa sobre Minas Subterrâneas

Professor: Claudio Lucio Lopes Pinto

Alunos:

Ademir de Abreu

Frederico Santos

José Muniz

Rainier Ferreira

Belo Horizonte

Maio/2011
Mina de Morro Agudo – Votorantim Metais

O presente trabalho tem por objetivo a apresentação da Mina de Morro


Agudo, de modo a mostrar simplificadamente seus minérios explotados,
reservas destes, funcionamento da lavra e método de lavra empregado, em
atendimento à disciplina Exploração Mineral do Curso de Especialização em
Engenharia de Recursos Minerais da UFMG.

1.0 - Introdução

a) Histórico

A mina de Morro Agudo foi fundada pela Companhia Mineira de Metais


(CMM), hoje é propriedade do Grupo Votorantim, que em 1984 tornou-se
acionária da mineradora junto com outras empresas e em 1988 assumiu o total
controle acionário desta.
Na lavra, do tipo subterrânea, são explotados concentrados de zinco e
chumbo, onde este último é um subproduto rentável da lavra de minério de
zinco e é produzido no Brasil exclusivamente neste local.

b) Localização

17o11’ Sul – 46o52’ Oeste, na cidade de Paracatu – MG, possuindo


unidade de tratamento de concentrados derivados dessa mina em Três Marias
– MG, em uma usina da Companhia Mineira de Metais – CMM (Grupo
Votorantim).

2.0 - Perfil

a) Produção

Segundo o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), a


produção de concentrado de zinco no Brasil em 2008 foi de 174 mil toneladas,
tendo produção mundial no valor de 11.794 mil toneladas no mesmo ano.
Segundo o próprio Grupo Votorantim, em média, são produzidas 37 mil
toneladas de concentrados anuais na mina em questão.
A respeito da produção de chumbo, em 2008, a produção brasileira de
concentrado em metal contido foi de 15,4 mil toneladas, e produção mundial de
3,9 milhões de toneladas, segundo o DNPM.

b) Reservas

As reservas brasileiras de zinco representam 1,2% das mundiais, onde


as principais reservas deste minério se encontram nos estados da Pará, Rio
Grande do Sul, Bahia, Minas Gerais e Mato Grosso, sendo que apenas nos
dois últimos citados há viabilidade econômica de explotação. As reservas deste
minério nos depósitos destes estados totalizam 5,8 milhões de toneladas. A
reserva medida da mina de Paracatu registra teor de 3,6% de metal contido.

Reservas Minerais de Zinco em Metal Contido – Valores em toneladas (2008, AMB)

Em relação ao minério de chumbo, nas reservas brasileiras há


aproximadamente 35,3Mt estimadas, onde Minas Gerais detêm 8,9Mt com teor
de 1,21% e contido de 108 mil toneladas segundo o DNPM, e responde
exclusivamente pela produção nacional, onde esta é subproduto da explotação
de zinco na mina de Morro Agudo e por isso, o nível das reservas deste minério
dependem da incorporação de minério de zinco, devido sua presença como co-
produto.
Reservas Minerais de Chumbo – Unidade em toneladas (2008, DNPM/DIDEM)

c) Utilização

O zinco é um elemento químico de massa atômica 65,4g, é encontrado


no estado sólido à temperatura ambiente, estando presente em minerais como
calamina, zincita, willemita, esfarelita (encontrada no local em estudo), entre
outros. É muito empregado na indústria em forma de ligas, se destacando
principalmente na indústria automobilística, de construção civil, de materiais e
química, sendo utilizada na proteção anti-corrosiva de metais, fabricação de
pilhas e produção de latas recipientes.
Por outro lado, o chumbo, um metal de massa atômica 207,2g, é
encontrado na natureza em minerais como anglesita, wulfenite, galena
(presente no minério extraído em Morro Agudo), entre outros.
O chumbo é muito utilizado na indústria para a produção de baterias,
pigmentos, munições e aditivo para gasolina, sendo que no Brasil, a utilização
deste metal no último citado vem sendo substituída.

3.0 - Operação

a) Método de lavra

A explotação da mina ocorre abaixo da terra, utilizando o método de


câmara e pilares, que favorece a utilização de equipamentos mecânicos. A
mina possui galerias de acesso ao corpo mineral separadas entre si, sendo que
o acesso de funcionários é feito por uma rampa e a extração do R.O.M.
(material bruto) é feito por um poço, em uma espécie de elevador (skip) com
capacidade para 10 toneladas.

Esquema da lavra da Mina de Morro Agudo (2002, CT/CETEM)


b) Operações unitárias

As operações unitárias de lavra utilizadas na mina de Morro Agudo são:

 Perfuração - Operação responsável por perfurar a rocha


proporcionando o carregamento de explosivo e posterior
detonação e desmonte;
 Desmonte - Operação responsável por preencher os furos com
explosivos e proporcionar a detonação;
 Ventilação - Operação responsável por fornecer um fluxo de ar
puro a todos os locais de trabalho em subsolo em quantidades
suficientes para assegurar as condições de higiene e segurança
dos trabalhadores, e fazer a limpeza dos gases tóxicos das
frentes de serviço;
 Carregamento - Operação responsável por retirar o material da
frente detonada e transportá-lo ao local adequado até seu
processamento ou disponibilização comercial.

Para o processamento mineral, as etapas pelas quais o minério é


submetido são expostas e discutidas a seguir.

Esquema simplificado de beneficiamento do minério (2011, Ademir de Abreu)

Segundo um artigo do Centro de Tecnologia Mineral (CETEM),


produzido em 2002, após a extração do minério no subsolo e seu transporte
até a área de beneficiamento, através de equipamentos especificos, como
correias transportadoras e o skip, o minério passa pela etapa de britagem,
dividida em três, onde a primeira britagem ocorre em um britador de
mandíbulas Nordberg com capacidade de 170 toneladas/hora, sendo que o
britado possui uma granulometria menor que 89 mm, logo após, levada ao
britador secundário, em um equipamento do tipo cônico Nordberg, modelo
1144 de 170 toneladas/hora, produz um minério de granulometria menor que
21mm que é conduzido até uma peneira vibratória onde as frações com
granulometrias maiores que as especificadas são submetidas a uma britagem
terciária e as com tamanhos aceitáveis são levadas às pilhas principais
(homogeinização).
Com a etapa anterior concluída, o minério com granulomentria
adequada é levada, com auxilio de um carro de translação a uma pilha de
homogeinização, com capacidade de estocagem de 10.000 toneladas. Logo
em seguida, o minério é posto em uma correia que conduz ao processo de
moagem, efetuado em um moinho de bolas Nordberg, de taxa de alimentação
de 75 toneladas/hora. Este processo esta em um circuito fechado com doze
hidrociclones Krebs, D10LB, onde o underflow retorna para o moinho e o
overflow é conduzido à flotação.
A flotação é realizada separadamente para a galena e esfarelita, de
células fabricadas pela Wenco, após este processo, os produtos são
submetidos à decantação e retirada de água, para que após, sejam estocadas.

4.0 - Diversos

Balanço de massa na usina de Morro Agudo (2002, CT/CETEM)


Consumo internacional de zinco (2007, ILZSG)

Reservas mundiais de chumbo (2008, DNPM/DIDEM)


5.0 – Referências

TEIXEIRA, J.A.A.B.; SILVA; B.C.E. Economia Mineral do Brasil para o Chumbo.


Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM). Artigo de Economia Mineral
para Não-Ferrosos. Bahia. Disponível em:
<http://www.dnpm.gov.br/conteudo.asp?IDSecao=68> . Acesso em: 21 de maio de
2011.
NEVES, C.A.R. Economia Mineral do Brasil para o Zinco. Departamento Nacional de
Produção Mineral (DNPM). Artigo de Economia Mineral para Não-Ferrosos. Brasilia.
Disponível em: <http://www.dnpm.gov.br/conteudo.asp?IDSecao=68> . Acesso em: 21
de maio de 2011.
CONSULTORIA, J. Mendo. Perfil do Minério de Chumbo. Ministério de Minas e
Energia, Banco Mundial. Brasilia, Relatório Técnico 26, Produto 17, Projeto Estatal,
2009.
CONSULTORIA, J. Mendo. Perfil do Minério de Zinco. Ministério de Minas e Energia,
Banco Mundial. Brasilia, Relatório Técnico 25, Produto 16, Projeto Estatal, Versão 03
2010.
PORMIN. Métodos de Lavra. Ministério de Minas e Energia. Artigo explicativo.
Disponível em:
<http://www.pormin.gov.br/biblioteca/arquivo/metodos_de_lavra.pdf> . Acesso em:
20 de maio de 2011.
POSSA, M.V.; FRANÇA, S.C.A.; CARDOSO, O.M. Chumbo e Zinco - Mina de Morro
Agudo. Ministério de Ciência e Tecnologia, Centro de Tecnologia Mineral,
Comunicação Técnica 2002-191-00, Rio de Janeiro, 2002.
VMETAIS. Histórico da Votorantim Metais. Grupo Votorantim, Morro Agudo.
Disponívrl em: <www.vmetais.com.br>. Acesso em 21 de maio de 2011.

Você também pode gostar