Você está na página 1de 103

Windows 10

Teoria e Questões
Apresentação do Autor
Olá, querido leitor, estimada leitora,

Meu nome é João Antonio e sou professor de informática há mais de 20 anos. Destes, 18
especificamente dedicados ao ensino para Concursos Públicos. Este material foi desenvolvido para
acompanhar o Módulo de Windows 10, do Curso Completo de Informática para Concursos que
disponibilizo em diversos sites.

Aqui estão meus contatos:

Minha Página no Facebook:


https://www.facebook.com/JoaoAntonioNOVO
[se quiser acompanhar questões e dicas!!]

Meu Canal no Youtube:


https://www.youtube.com/joaoantonioinfo
[Trago novidades aqui! Muito conteúdo!]

Meu Instagram:
@joaoantonionovo

Meu Telegram:
@JoaoAntonio

Meu Endereço de Bitcoin:


1K8jGTNyAUQV8pb1Vuwtr56AoqvGz3Sn9P

Meu Endereço de Dash:


Xft8TT5zkHpQshwgM6E1tZyVrE7GwYJNV1

Meu E-mail:
joaonovo30@yahoo.com

Microsoft Windows – João Antonio Página 2


Sumário
1. Primeiras Palavras sobre Windows ...................................................................................... 5

2. Características Básicas do Sistema Windows ................................................................... 5


2.1. Como o Windows Entende as Unidades ..................................................................................... 6
2.2. Como o Windows trata os arquivos ............................................................................................ 7
2.2.1. Observações sobre os nomes de Arquivos: ..................................................................... 8

3. O Microsoft Windows 10 .......................................................................................................... 9


3.1. Principais componentes do Windows 10 ................................................................................... 9
3.1.1. Desktop [Área de trabalho] ...................................................................................................9
3.1.2. Barra de tarefas ..................................................................................................................... 10
3.1.3. Botão Iniciar / Menu Iniciar ................................................................................................. 10
3.1.4. Pastas do Menu Iniciar ..........................................................................................................11
3.1.5. Aplicativos ............................................................................................................................... 12
3.1.6. Tela Inicial [Mosaico, ou Blocos]........................................................................................ 14
3.1.7. Acionando o Menu Iniciar..................................................................................................... 15
3.1.8. Barra de Tarefas [Área dos Botões e Programas] ......................................................... 16
3.1.9. Área de notificação [System Tray] .................................................................................... 18
3.1.10. Ícones ........................................................................................................................................ 19
3.1.11. Janelas ..................................................................................................................................... 20
3.1.12. Componentes de uma janela ............................................................................................. 20
3.2. Principais operações com janelas ............................................................................................ 23
3.2.1. Movendo uma janela............................................................................................................ 23
3.2.2. Redimensionando uma janela ........................................................................................... 23
3.2.3. Minimizando uma janela ..................................................................................................... 24
3.2.4. Maximizando uma janela .................................................................................................... 25
3.2.5. Fechando uma janela ........................................................................................................... 25
3.2.6. Trabalhando com várias janelas abertas ....................................................................... 26

4. Principais Programas do Windows ................................................................................. 27


4.1. Explorador de Arquivos ................................................................................................................27
4.1.1. Conhecendo a interface do Explorador ........................................................................... 28
4.1.2. Entendendo a Barra de Endereços do Explorador de Arquivos ................................ 29
4.1.3. Modos de Exibição da Área do Conteúdo ........................................................................ 33

Microsoft Windows – João Antonio Página 3


4.2. Principais Operações com o Explorador de Arquivos .......................................................... 35
4.2.1. Criando uma pasta ou arquivo........................................................................................... 35
4.2.2. Renomeando um arquivo ou pasta .................................................................................. 36
4.2.3. Excluindo um arquivo ou pasta ..........................................................................................37
4.2.4. Copiando e Movendo Objetos ............................................................................................ 43
4.2.5. Múltipla Seleção de Ícones................................................................................................. 46
4.2.6. Ferramentas de Unidade .................................................................................................... 49
4.3. Trabalhando em Rede com o Windows 10 .............................................................................. 54
4.4. Configurações / Painel de Controle ......................................................................................... 58
4.5. Acessórios do Windows .............................................................................................................. 59
4.5.1. Calculadora ............................................................................................................................ 59
4.5.2. Bloco de notas ....................................................................................................................... 60
4.5.3. Wordpad................................................................................................................................... 61
4.5.4. Paint .......................................................................................................................................... 61
4.5.5. Ferramenta de Captura ....................................................................................................... 62
4.5.6. Mapa de Caracteres ............................................................................................................. 62
4.5.7. Painel de Entrada de Expressões Matemáticas............................................................ 63
4.5.8. Assistência Rápida ............................................................................................................... 64
4.5.9. Gravador de Passos.............................................................................................................. 65
4.5.10. Demais Acessórios e Programas que Acompanham o Windows 10 ........................ 66
4.5.11. Sistema do Windows ........................................................................................................... 67
4.6. Outras Dicas Sobre o Windows ................................................................................................. 68
4.6.1. Combinações com a tecla [Logotipo do Windows] ................................................. 69
4.6.2. Atributos dos Arquivos........................................................................................................ 69
4.6.3. Windows Update.................................................................................................................... 71
4.6.4. Comando Executar ................................................................................................................72
4.6.5. Comandos de Desligamento ...............................................................................................72
4.6.6. CTRL+ALT+DEL........................................................................................................................73
4.7. Considerações Finais sobre Windows ..................................................................................... 74

5. Questões Propostas para Fixação....................................................................................... 75

6. Comentários das Questões Propostas ...............................................................................89

Material Atualizado em 02/03/2018 15:10:00

Microsoft Windows – João Antonio Página 4


1. Primeiras Palavras sobre Windows

O sistema operacional Windows é desenvolvido pela empresa Microsoft®, que começou seu projeto
no final da década de 1980.

De lá pra cá, muitas versões do Windows existiram. É possível encontrar em prova, porém, as versões
mais recentes, como o Windows 7, lançado em 2009, e do Windows 8, alguns anos mais recente.
Neste material, abordaremos a mais recente versão deste sistema, o Windows 10, lançado em 2015,
que está se tornando, aos poucos, o preferido das bancas de concursos públicos.

Um detalhe muito importante é que não importa muito qual versão do Windows vai ser cobrada em
sua prova, visto que grande parte das questões deste assunto envolvem, quase que exclusivamente,
o Windows Explorer [chamado, aqui, de Explorador de Arquivos]: que é o programa gerenciador
de arquivos do sistema Windows. Nós vamos conhecê-lo mais adiante, é claro!

Ou seja, caro aluno, cara aluna, o Windows 10 é muito parecido com qualquer outra versão anterior
no tocante, justamente, ao que as bancas costumam cobrar de vocês!

2. Características Básicas do Sistema Windows

O sistema operacional Windows [não importando a versão exatamente] tem uma série de
características que devem ser apresentadas ao concursando e não podem ser esquecidas na hora
de fazer a prova:

O Windows é um sistema operacional gráfico: isso significa que sua interface [ou seja, sua “cara”]
é baseada em itens visuais, como ícones, janelas, menus. Não é necessário que o usuário digite
comandos como os comandos usados no DOS e UNIX para acionar o sistema. É só usar os itens que
se apresentam de forma "bonitinha" na tela.

O Windows usa Multitarefa Preemptiva: isso quer dizer que o Windows permite a execução de
várias tarefas ao mesmo tempo [pelo menos, faz aparentar isso para o usuário]. A multitarefa
preemptiva é um sistema que permite que várias janelas de vários programas sejam apresentadas
ao usuário, como se todos estivessem sendo “executados” ao mesmo tempo.

Na verdade, o que acontece é que o Windows fica “chaveando” a execução de tarefas na CPU de
forma bem rápida [isso porque, só há uma CPU no micro], fazendo parecer que pode fazer tudo ao

Microsoft Windows – João Antonio Página 5


mesmo tempo. Ele fica mais ou menos como um guarda de trânsito, fazendo: “Impressora, é sua
vez...”, “Pare!”, “Agora é a vez do Word, pronto, pode passar”, “Agora é o Excel que vai usar a CPU!
Prooonto... Deixe de ser egoísta”, “Pare”, “Agora é a vez do Word de novo...” e assim por diante.

Em resumo, na multitarefa preemptiva, é o sistema operacional que controla de quanto tempo


[e de quantos recursos] um programa pode dispor um determinando momento.

O Windows suporta Plug And Play: significa que a instalação de equipamentos Plug And Play pode
ser realizada de forma simples no Windows, que entende perfeitamente esse sistema.

Lembre-se: Plug And Play é uma “filosofia” desenvolvida em conjunto com vários fabricantes de
hardware e software para que um computador consiga reconhecer automaticamente um
equipamento que foi instalado fisicamente nele [por exemplo, uma nova impressora].

Funciona assim: uma impressora Plug And Play [todas, hoje em dia] possui um chip de memória
ROM com suas informações básicas de identificação, o sistema operacional Windows simplesmente
“lê” esse chip para reconhecer a impressora. Já vimos anteriormente como instalar um hardware no
ambiente Windows com o uso da tecnologia Plug And Play.

2.1. Como o Windows Entende as Unidades

Uma das principais “responsabilidades” de um sistema operacional é, sem dúvida, o gerenciamento


de arquivos. Um sistema operacional tem de ser capaz de permitir ao usuário realizar diversas ações
com arquivos, pastas e unidades de armazenamento [como copiar, formatar, excluir etc.].

Com relação às unidades de armazenamento, ou simplesmente unidades, cada uma delas recebe,
como nome, uma letra seguida do sinal de dois pontos [:]. Cada unidade instalada no computador
receberá uma letra identificadora diferente.

Ícones das unidades e suas


respectivas identificações.

Microsoft Windows – João Antonio Página 6


As unidades A: e B: sempre serão destinadas a dispositivos de disquete [até o presente momento,
pelo menos] e é justamente por isso que normalmente não temos tais letras em nossos micros. Não
existem mais unidades de disquete!

A unidade denominada C: está reservada para uma partição de Disco Rígido [HD] – mais
precisamente, a partição onde o sistema operacional Windows está instalado [note a logomarca
do Windows em azul junto ao ícone da unidade C: na figura acima]. As demais letras das unidades
serão destinadas aos outros equipamentos que serão instalados no computador [ou demais
partições do disco rígido].

É justamente nas unidades que estão os arquivos e as pastas do seu computador.

Alguns computadores apresentarão mais unidades, outros apresentarão menos unidades [isso
dependerá, exclusivamente, do número de equipamentos de memória auxiliar que foram instalados
em seu computador].

2.2. Como o Windows trata os arquivos

Continuando a forma como o Windows gerencia os dados armazenados em unidades de disco


[dados que são conhecidos como arquivos], segue uma explicação básica de como os próprios
arquivos são entendidos pelo sistema operacional.

Um arquivo pode ser classificado como arquivo de dados [que contém dados normalmente feitos
pelo usuário] ou arquivo de programa [que contém instruções a serem executadas pelo sistema
operacional]. Os arquivos do Word e do Excel, como os que criamos cotidianamente, são arquivos
de dados, mas os próprios Word e Excel são armazenados em arquivos de programas [chamados de
arquivos executáveis].

Há algumas regras que devem ser seguidas para nomear [e renomear] um arquivo ou uma pasta no
sistema operacional Windows. Aqui vão elas:

1. Historicamente, o que sempre foi verdade nas versões anteriores do Windows, um nome de
arquivo ou pasta deve ter até 260 caracteres. Na verdade, esta limitação não é para o nome de
arquivo, em si, mas para o seu caminho completo [que inclui seu nome e os nomes das pastas até
chegar nele]. O “caminho completo” seria isso aqui:

Microsoft Windows – João Antonio Página 7


C:\Documentos\Relatórios\ListaAprovados.pdf - para o arquivo "ListaAprovados.pdf", dentro da
pasta "Relatórios", que está na pasta "Documentos", que está na Unidade C:.

O Windows 10 removeu essa limitação. Hoje, é possível ter arquivos com nomes e caminhos
completos com dezenas de milhares de caracteres!

2. Não podem ser usados os seguintes caracteres: * [asterisco], “ [aspas], > [sinal de maior], < [sinal
de menor], : [dois pontos], / [barra], | [barra vertical], \ [barra invertida] e ? [interrogação]

3. Não pode haver dois objetos com o mesmo nome dentro do mesmo diretório [pasta].

4. Arquivos possuem extensão [chamo, carinhosamente, de “sobrenome”], que é um conjunto de


três ou quatro caracteres [normalmente] e serve para identificar o tipo de um arquivo. Isso é uma
“convenção”, não uma obrigação!

Quem atribui a extensão ao arquivo é o próprio programa que o cria, como o Word e o Excel, por
exemplo. Normalmente, no Windows, as extensões estão ocultas para o usuário, mas é possível
solicitar ao programa que as mostre. Verifique a seguir alguns arquivos com extensões diversas.

Alguns arquivos e suas extensões.

2.2.1. Observações sobre os nomes de Arquivos:


Com relação às extensões, elas não são obrigatórias: extensões são a forma como o Windows
identifica que programa "é o pai" daquele arquivo. Ao dar duplo-clique num arquivo qualquer, o
Windows abrirá o programa certo para abrir aquele arquivo. O Windows "sabe" qual programa abrirá
o arquivo por causa de sua extensão.

A extensão tem normalmente 3 caracteres [herança da época do DOS], mas hoje não há esse limite
[basta ver pelas extensões dos arquivos do Microsoft Office - .docx, .xlsx, .pptx]. Arquivos também
podem ser salvos e renomeados para que não tenham extensão - ele pode até passar a não ser
"aberto" normalmente pelo programa que o abriria, porque o Windows não reconheceria "a
paternidade" do arquivo pela falta de sobrenome, mas o arquivo pode, sim, existir e ser armazenado
sem extensão.

Microsoft Windows – João Antonio Página 8


O Windows NÃO É CASE SENSITIVE ["sensível à diferença entre maiúsculas e minúsculas"]. Ou seja,
o Windows não faz diferença entre os nomes CASA.txt, Casa.txt, CASA.TXT, casa.TXT e caSA.Txt, por
exemplo. Desta forma, numa mesma pasta, não pode existir um arquivo chamado CASA.TXT e outro
arquivo chamado casa.txt - o Windows enxerga esses dois nomes como sendo IGUAIS!

3. O Microsoft Windows 10

Em julho de 2015, a Microsoft lançou a mais recente versão do seu sistema operacional, o Windows
10. Seu lançamento era bastante esperado especialmente pelo fracasso retumbante da versão
anterior, o Windows 8 [e o 8.1, uma “miniversão” intermediária].

Como muitos concursos já estão cobrando esta versão do sistema, ele foi escolhido para ser
abordado aqui.

A “cara” do Windows 10 – com duas


janelas abertas

LEMBRE-SE: Nenhum dos produtos da família Windows é gratuito e, tampouco código aberto,
como o Linux. Bill Gates não seria um dos homens mais ricos do mundo se distribuísse
programas de graça por aí, não é?

3.1. Principais componentes do Windows 10

3.1.1. Desktop [Área de trabalho]


É o nome dado à tela inicial do sistema operacional Windows. Todo usuário de computador que
trabalha com o Windows conhece esta tela:

Microsoft Windows – João Antonio Página 9


Desktop do Windows 10.

Aproveitando: o nome que se dá à imagem que enfeita do Desktop é “Tela de Fundo” ou, como se
falava antigamente, “Papel de Parede” [na figura acima, não há imagem, há apenas uma Cor Sólida
como Tela de Fundo], é possível ver um trecho de uma imagem enfeitando o Desktop na figura
anterior a esta - onde há duas janelas abertas. Aquela imagem é Stonehenge, o "monumento" de
pedras localizado na Inglaterra [ohhhhhh, isso vai ajudar muito em seu concurso, né?].

3.1.2. Barra de tarefas


É a barra horizontal que atravessa toda a base da área de trabalho. Essa barra apresenta o Botão
Iniciar, a Cortana [campo de pesquisa que mostra "Digite aqui para pesquisar"], os Botões dos
Programas [fixos e abertos] e a Área de Notificação [onde está o relógio]. Dividi a Barra de Tarefas
em duas partes [visualmente], porque ela é muito comprida.

Duas “metades” da barra de tarefas

3.1.3. Botão Iniciar / Menu Iniciar


É o botão que dá acesso a todos os recursos e programas no Windows. Mostrado na figura abaixo
com a borda vermelha para destacá-lo.

Botão Iniciar, na extremidade da


Barra de Tarefas, e, ao lado dele, a
Cortana [Windows 10]

A Cortana é um campo de pesquisa localizado ao lado do Botão Iniciar. É denominada "assistente


pessoal do Windows 10" e consegue "ouvir" e "ler" o que o usuário fala [clicando no botão do
microfone mostrado acima] ou digita [no próprio campo para digitar]. Cortana é capaz de agendar
reuniões, marcar compromissos no calendário do usuário, achar arquivos, tocar músicas e vídeos de

Microsoft Windows – João Antonio Página 10


acordo com o pedido do usuário e muito mais... só não consegui fazer ela fazer um café fresquinho
[ainda...].

Ao clicar no Botão Iniciar, surge o Menu Iniciar, a partir de onde podemos iniciar qualquer programa,
aplicativo, ou configuração que desejarmos no Windows. Na figura a seguir, o Windows 10 está
apresentando seu menu Iniciar.

O Menu Iniciar.

Perceba que o Menu Iniciar é dividido em três colunas bem distintas, a saber:

3.1.4. Pastas do Menu Iniciar


Tá, eu não faço ideia de porque o nome é esse ["Pastas"], mas procurando em todas as
documentações possíveis, só achei essa referência a essa coluna fina que mostra normalmente 4
ícones. [coloquei-os na horizontal, porque é a melhor forma de apresentá-los aqui] - mas você
percebe, na imagem anterior, que eles são, na verdade, uma coluna [ou seja, estão dispostos na
vertical].

Desligamento, Configurações, Explorador


de Arquivos, Usuário [de baixo pra cima]

As quatro pastas normalmente encontradas são [listando-as de baixo para cima na coluna]:

Menu de Desligamento [Ligar/Desligar]: dá opções para desligar, reiniciar, suspender, hibernar e


desconectar o computador.

Microsoft Windows – João Antonio Página 11


Configurações: o ícone da "engrenagem" dá acesso ao menu que configura o Windows, substituindo
o Painel de Controle, tão conhecido em versões anteriores. [calma lá - o Painel de Controle ainda
existe, só está meio escondido];

Explorador de Arquivos: o ícone que lembra uma pasta suspensa [algumas pessoas enxergam uma
impressora] dá acesso ao Explorador de Arquivos - o novo nome do antigo "Windows Explorer".

Usuário: o ícone com a foto do usuário dá acesso às configurações da conta do usuário e também a
operações como o Logoff e o bloqueio do micro [impedindo que outros usuários o utilizem].

Outros ícones de pastas [aplicativos diversos, na verdade] podem ser adicionados nesta área por
meio de uma opção presente no menu Configurações, mas estes quatro são os que aparecem por
padrão. O ícone que aparece lá na parte superior desta fina coluna [o ícone das três linhas] serve
para expandir esta coluna, mostrando os nomes dos ícones - nada muito "especial".

3.1.5. Aplicativos
A coluna do meio do Menu Iniciar mostra a listagem dos aplicativos instalados/utilizados no seu
Windows. Esta coluna normalmente apresenta a listagem de aplicativos instalados por ordem
alfabética [como se pode ver na figura a seguir].

Listagem dos Aplicativos Instalados


no Windows 10

Perceba que alguns dos itens desta listagem possuem uma pequena setinha apontando para baixo.
Esta setinha é o indicativo de que o item em questão tem subitens [ou seja, esse item é,
provavelmente, uma pasta que contém vários atalhos para os verdadeiros aplicativos dentro dela].

Veja o que acontece ao clicar em uma destas setinhas: o item em questão é expandido [seu conteúdo
passa a ser mostrado] e a setinha para baixo vira uma setinha para cima [se você clicar nela
novamente, é fácil deduzir que o item expandido será contraído, escondendo seu conteúdo]...

Microsoft Windows – João Antonio Página 12


Item "Facilidade de Acesso"
Expandido - mostrando seu conteúdo

Outra coisa interessante acontece


quando você clica na LETRA, caro leitor. Sim! Na letra que separa os itens por ordem alfabética! Ao
clicar no "F" que antecede "Facilidade de Acesso" na figura acima, você será levado para um menu
rápido que permitirá saltar diretamente para qualquer letra que quiser nesta listagem. Observa isso
agora:

Depois de clicar na letra "F", ou em


qualquer outro cabeçalho desta
listagem, aparece este Menu

Perceba que há alguns ícones antes das letras em si, são eles: [a] Relógio - dá acesso às listagens
especiais dinâmicas que antecedem a lista alfabética em si; [b] & - lista os itens cujos nomes
começam com símbolos [@, #, $, %, &, ! entre outros]; [c] # - lista itens cujos nomes começam com
números.

Para finalizar o estudo desta Listagem de Aplicativos, voltaremos nossa atenção para a parte
superior dela, mencionada no item [a] do parágrafo acima - as listagens "dinâmicas": note que há
algumas seções bem específicas antes da listagem alfabética em si, são elas:

Microsoft Windows – João Antonio Página 13


Adicionados Recentemente: lista programas que foram recentemente instalados no computador -
esta listagem é dinâmica, ou seja, ela muda de acordo com novas instalações;

Mais Usados: lista os aplicativos mais utilizados pelo usuário naquele computador. Esta lista é
dinâmica, podendo ser alterada de acordo com a utilização dos programas no micro [quanto mais
você vai usando outros programas, automaticamente eles mudam de ordem e de aparição nesta
lista];

Sugeridos: lista os programas NÃO INSTALADOS no micro que a Microsoft sugere que você instale.
Esses programas estão disponíveis na LOJA da Microsoft [Acessível por meio do botão da sacola de
compras, na Barra de Tarefas]. Esta listagem também é dinâmica, pois a Microsoft sugere a você de
acordo com diversos critérios.

Listagens Dinâmicas de Aplicativos

3.1.6. Tela Inicial [Mosaico, ou Blocos]


Na parte direita do Menu Iniciar, é possível encontrar um recurso relativamente novo, instituído na
versão anterior do Windows [8] e que foi “anexado” ao menu iniciar: a Tela Inicial [ou Tela Início].

Parece um simples “mosaico” onde cada programa ali localizado apresenta-se como um retângulo,
alguns em constante alteração de conteúdo [como aqueles que apontam para páginas na Internet].

Microsoft Windows – João Antonio Página 14


Tela Início com alguns programas fixados

É possível utilizar o botão direito do mouse para adicionar itens aqui na Tela Inicial, bem como retirar
os blocos do mosaico e também alterar o tamanho e a posição dos blocos se assim desejado. Arrastar
blocos também permite mudar sua posição no mosaico.

Ei! Uma novidade, ó! Você sabia que dá para criar grupos de blocos? Sim! Se você arrastar um
bloco bem para baixo, de modo que ele se afaste demais dos outros, ele será colocado num "grupo"
diferente [você perceberá que uma "barra cinza" será criada enquanto você arrasta, mostrando que
o bloco que está sendo arrastado já passou da posição]. Aí é só largar ele que ele ficará em outro
grupo! Aliás, você pode escrever os nomes dos Grupos apenas clicando nesta barra "invisível"... olha
um mosaico subdividido como fica!

Grupos Organizados na Tela Inicial

3.1.7. Acionando o Menu Iniciar


A maneira mais comum de abrir o Menu Iniciar é aplicar um clique diretamente no Botão Iniciar.

Microsoft Windows – João Antonio Página 15


Na maioria dos teclados, há uma tecla específica para essa finalidade, com o formato do símbolo do
Windows. Costuma-se chamá-la de Tecla do Logotipo do Windows [ou Tecla Win]... Algumas
bancas gostam de chamar de "Tecla com a Logomarca do Windows". Basta acioná-la uma única vez
e o Menu Iniciar vai se abrir.

Tecla do Logotipo do Windows [também


chamada de Tecla WIN ou Tecla
Windows]

Também é possível acionar a combinação de teclas CTRL+ESC para iniciar esse menu.

3.1.8. Barra de Tarefas [Área dos Botões e Programas]


Quando abrimos um programa, este fica apresentado na forma de uma janela [onde podemos
efetivamente trabalhar com ele] e um pequeno botão, referente àquela janela, aparece na barra de
tarefas. Veja no exemplo a seguir:

Janela do Word e seu Botão na Barra de


Tarefas

Note, também, caro leitor, que há vários outros botões na Barra de Tarefas, mas eles se apresentam
um pouco “diferentes” do Botão do Word [dá para perceber que o botão do Word está “destacado”,
como se estivesse iluminado e com uma pequena linha clara embaixo dele, né?].

Pois é: os demais botões [exceto o último, do Writer] não possuem isso porque representam
programas que não estão abertos [ou seja, não estão em funcionamento na Memória RAM]. A única

Microsoft Windows – João Antonio Página 16


forma, porém, de tais programas terem botões na Barra de Tarefas sem que estejam abertos é terem
sido fixados lá!

Ou seja, a Barra de Tarefas apresenta botões para programas abertos naquele momento ou para
programas que tiveram seus botões lá fixados.

Note a figura a seguir.

Botões da Barra
de Tarefas

No exemplo acima, temos, em sequência: Explorador de Arquivos, Loja, Mozilla Firefox, Word, Excel,
Google Chrome, LibreOffice Writer e LibreOffice Calc. Destes, estão abertos o Firefox, o Word e o
LibreOffice Writer [nota-se pela linha clara abaixo deles].

Note bem: sobre os programas abertos, não podemos afirmar se eles também estão fixos ou não!
Ou seja, se um programa está aberto, e você percebe isso olhando para a barra de tarefas, você não
poderá afirmar nada acerca de se ele está fixo ou não!

Perceba também que o botão do Word está mais claro, mais “destacado” que os outros dois. Isso se
dá porque o programa Word é a janela ativa [ou seja, ele é o programa que está à frente dos demais!].

Tais detalhes visuais só seriam cobrados em provas de bancas examinadoras que usam fotografias
das telas do computador.

Ahhh! Só lembrando... quando abrimos alguns programas, pode ser que estes apresentem botões
da seguinte forma [repare no botão do Word, ele parece ter, agora, uma “sombra”, como se fossem
“páginas” atrás dele]:

O Word com várias janelas abertas

Essa é a indicação visual de que há várias janelas do Word abertas simultaneamente naquele
momento.

Se você clicar num botão assim [ou simplesmente mantiver o ponteiro do mouse sobre ele], o
Windows 10 lhe mostrará um painel contendo as miniaturas das várias janelas, permitindo que você
escolha, no clique, qual delas trará para a frente!

Microsoft Windows – João Antonio Página 17


Painel mostrando as três janelas do Word
abertas

Há muito mais operações que podem ser realizadas com os botões da Barra de Tarefas! Como são
muito simples de fazer, mas demorariam muitas páginas para descrever, sugiro que você dê uma
olhadas nos vídeos que acompanham esta obra para ver estas funções sendo utilizadas.

Se você puser o ponteiro do mouse diretamente sobre qualquer uma das miniaturas das janelas,
surgirá um botão X no topo direito da miniatura em si. Um clique neste botão permite fechar a janela
associada àquela miniatura. Veja isso na figura abaixo, em que duas miniaturas do Word estão
sendo mostradas e uma delas está com o X em destaque [um clique ali irá fechá-la].

Um clique no X realizará o
fechamento da janela associada ao
Documento1

3.1.9. Área de notificação [System Tray]


É a área à direita da Barra de Tarefas que apresenta o relógio do computador e outros ícones de
programas em execução, como antivírus e outros programas residentes na memória [programas
que já se iniciam abertos quando o Windows é ligado].

Área de notificação do
Windows.

A grande maioria dos ícones apresentados na bandeja do sistema [ou system tray – esse é o outro
nome da área de notificação] representa programas executados em segundo plano, ou seja, sem a
interferência do usuário. São programas que estão em funcionamento, portanto consomem
memória RAM.

Novos ícones não podem ser colocados aqui pelo usuário, mas quando certos programas são
instalados, eles mesmos tratam de se colocar nessa área.

Microsoft Windows – João Antonio Página 18


É possível reconhecer alguns ícones básicos, pertencentes ao próprio Windows, como:

- Central de Ações – o ícone do “balão” de conversação: apresenta notificações ao usuário e


permite abrir a central de ações do Windows, que centraliza a tomada de providências para a
manutenção do bom funcionamento do Windows.

Note que quando o balão está do jeito como mostrado na figura acima [preto com linhas brancas ou
vazio], é sinônimo de que não há nenhuma notificação [nenhum aviso] para o usuário. Quando o
Windows quer "notificar" [avisar] o usuário sobre alguma coisa, o balão fica branco, como na figura
abaixo, em que ele aparece acompanhado do número de avisos ainda não lidos.

Note o balão na extremidade direita:


é sinal de que o Windows tem avisos
para você [Central de Ações].

- Controle de Volume – o ícone do alto-falante: dá acesso aos controles de volume de som [tanto
do som que se ouve nas caixas de som, como dos sons que entram no computador por meio dos
microfones]. A bolinha com “x” indica que o áudio está mudo [desligado], ou seja, o computador não
está emitindo sons.

- Conexão Sem-Fio – o ícone do avião: apresenta os recursos de conexão sem-fio do computador.


Neste nosso exemplo, estamos em “modo avião”, ou seja, com a conexão Wi-Fi [rede sem fio]
desligada.

- Energia – o ícone da “bateria” com a tomada: dá acesso às opções de energia do computador.


Esse ícone normalmente só aparece quando se trata de um micro portátil [laptop, netbook,
ultrabooks etc.].

3.1.10. Ícones
São todos os pequenos símbolos gráficos que representam objetos utilizáveis no Windows. São os
ícones que, quando abertos, iniciam programas, jogos, documentos etc. Na área de trabalho
[desktop] do Windows, há vários ícones já colocados pelo próprio sistema e outros que o usuário
pode colocar para facilitar sua vida [os atalhos].

Microsoft Windows – João Antonio Página 19


Alguns ícones na área de trabalho.

Um ícone pode ser aberto [executado] de várias maneiras:

1. Aplicando um duplo clique nele.

2. Clicando uma vez nele [para selecioná-lo] e pressionando a tecla ENTER.

3. Clicando no mesmo com o botão direito do mouse e acionando o comando Abrir.

3.1.11. Janelas
Quando um ícone é aberto, ele se transforma em uma janela. Basicamente, todos os programas em
execução [em funcionamento] são apresentados como janelas.

Janela do Explorador de Arquivos.

Algumas janelas apresentam itens diferentes, com formatos diferentes. Vamos nos ater,
primeiramente, aos componentes mais “tradicionais” das janelas...

3.1.12. Componentes de uma janela


A seguir, veremos os componentes que formam uma janela.

Microsoft Windows – João Antonio Página 20


Barra de título
É a barra superior da janela [ela apresenta o nome do programa e/ou documento que está aberto].
Apresenta, em sua extremidade esquerda o Ícone de Controle e à direita os botões Minimizar,
Maximizar e Fechar.

Barra de Título da
janela.

Só para lembrar, caro leitor: nem todas as janelas possuem barra de título exatamente como esta,
com todos esses componentes.

Barra de menus
É o conjunto de menus [listas de opções] dispostos horizontalmente, abaixo da barra de título. Cada
item desta barra pode ser aberto com um único clique.

Barra de Título e Barra de


Menus do Bloco de Notas

Algumas janelas parecem não possuir barra de menus [alguns programas realmente não a têm].
Mas a maioria simplesmente “aparenta” não possuir, ou seja, eles têm a barra de menus, mas
normalmente não mostram isso!

Quando o usuário pressiona a tecla ALT, cada item do menu apresenta uma de suas letras
sublinhada. Basta acionar a letra sublinhada no menu desejado [ainda com a tecla ALT pressionada]
e esse menu se abrirá. Exemplo: o menu Arquivo fica com a letra A sublinhada; portanto, a
combinação de teclas ALT+A serve para abri-lo.

Nas janelas onde a barra de menus é escondida, pressionar a tecla ALT faz com que ela apareça,
conforme se pode ver na figura a seguir:

Menus do Bloco de Notas


após a tecla ALT

Barra de ferramentas
É a barra horizontal que apresenta alguns botões de comandos que acionam comandos existentes
nos menus. Os comandos desta barra normalmente existem nos menus, mas é mais rápido executá-
los por aqui.

Microsoft Windows – João Antonio Página 21


Barra de Menus e Barras de
Ferramentas do LibreOffice Writer.

É bom lembrar que nem todas as janelas e/ou programas apresentam a barra de ferramentas.

Barra de endereço
Apresenta o endereço do local cujo conteúdo está sendo visualizado na janela. No nosso caso,
estamos visualizando o conteúdo da pasta Documentos. Nesse local, podemos digitar um endereço
de uma pasta do seu computador, uma unidade de disco, outro computador da rede ou até mesmo
um site da Internet.

Barra de endereço + Campo de Pesquisa do Explorador de Arquivos

Algumas janelas trazem, ao lado da Barra de Endereço, um campo para fazer Pesquisas no
computador, conforme mostrado acima! Vamos conhecer todos esses detalhes no Explorador de
Arquivos, mais pra frente!

Barra de status
É a barra que fica na parte de baixo das janelas, embora nem todas as janelas apresentem. Ela traz
algumas informações sobre o conteúdo da janela em questão. Atenção, pois a Barra de status é um
dos mais importantes componentes das janelas, já que pode trazer uma série de informações
interessantes para resolver questões de provas [especialmente, aquelas que utilizam fotos das
janelas].

Barra de Status da janela.

Ribbon
Algumas janelas não possuem "Barra de Menus" e "Barras de Ferramentas", mas, no lugar delas,
possui um conjunto de comandos divididos em GUIAS, chamado de Ribbon [ou Faixa de Opções].
Apenas os programas mais recentes da Microsoft, como o Office [Word, Excel e Powerpoint], além
dos programas que vêm junto com o Windows 10 trazem essa nova interface.

Microsoft Windows – João Antonio Página 22


Veja, abaixo, a Ribbon do Explorador de Arquivos - acima temos as Guias [Arquivo, Início,
Compartilhar e Exibir]:

Ribbon [Faixa de Opções] do Explorador de Arquivos do Windows 10

3.2. Principais operações com janelas

3.2.1. Movendo uma janela


Para mover uma janela [alterar sua posição na tela], basta clicar na barra de título da janela e arrastá-
la até a posição desejada. Observe que o arrasto tem de ser feito pela Barra de Título da janela.

Para mover uma janela, deve-se


arrastá-la pela barra de título.

3.2.2. Redimensionando uma janela


Redimensionar uma janela significa alterar seu tamanho [largura ou altura]. Para fazer isso, basta
clicar em uma das bordas da janela [o ponteiro do mouse se transformará em uma seta dupla] e
arrastar até a forma desejada para a janela.

O usuário poderá usar uma das bordas laterais [esquerda ou direita] para fazer o dimensionamento
horizontal ou pode usar as bordas superior e inferior para um dimensionamento vertical. Posicionar
o ponteiro do mouse em um dos quatro cantos [diagonais] da janela permite o dimensionamento
livre [horizontal e/ou vertical simultaneamente].

Microsoft Windows – João Antonio Página 23


Outra forma de dimensionar uma janela para que ela fique exatamente com o tamanho equivalente
à metade do tamanho total da tela [sim, exatamente MEIA TELA] é arrastá-la [pela barra de título]
até uma das extremidades laterais da tela [direita ou esquerda].

3.2.3. Minimizando uma janela


Minimizar uma janela significa fazê-la recolher-se ao seu botão na barra de tarefas do Windows.
Para minimizar uma janela, basta clicar no botão Minimizar, em sua barra de título.

Clicar no botão Minimizar de uma janela a faz


recolher-se ao seu Botão

Para fazer a janela minimizada voltar a aparecer [chamamos isso de restaurar], basta um clique
simples no seu botão correspondente na barra de tarefas. Também é possível minimizar uma janela
clicando diretamente nesse botão [na barra de tarefas], se for a janela ativa [aquela que está na
frente das demais janelas].

Há também formas de minimizar todas as janelas abertas de uma única vez. Para fazer isso, basta
acionar o botão [na verdade, um retângulo bem fininho] Mostrar Área de Trabalho, que fica na
extremidade direita da Barra de Tarefas [ao lado do Relógio]. Um clique novamente neste botão
restaura todas as janelas às suas posições originais.

“Botão” Mostrar a Área de Trabalho

Microsoft Windows – João Antonio Página 24


Para minimizar todas as janelas, é possível, também, acionar a combinação de teclas WINDOWS +
M [isso minimiza todas, mas não consegue restaurá-las] ou WINDOWS + D [isso minimiza todas e,
se acionado novamente, restaura todas a seus estados originais].

3.2.4. Maximizando uma janela


Maximizar uma janela é fazê-la redimensionar-se para tomar todo o espaço possível da tela. Para
fazer isso, clique no botão Maximizar.

Botão Maximizar.

Quando uma janela é maximizada, o botão maximizar é substituído pelo botão Restaurar Tamanho,
que faz a janela retornar ao tamanho que tinha antes da maximização.

Botão Restaurar Tamanho.

Maximizar [e Restaurar Tamanho] uma janela pode ser feito aplicando-se um clique duplo na Barra
de Títulos da janela.

Também é possível maximizar uma janela arrastando-a, por meio da Barra de Título, para a
extremidade superior da tela [o movimento é semelhante ao redimensionar para ½ tela, que já
vimos... apenas com a diferença que a gente deve arrastar para CIMA!].

Outra forma de maximizar [e restaurar tamanho] é aplicando um clique duplo em qualquer lugar
da barra de títulos da janela. Ah, não acredita em mim? Então teste aí, sabichão!

3.2.5. Fechando uma janela


Para fechar uma janela, clique no botão fechar [X] no canto superior direito da janela. Essa ação fará
as informações da janela serem retiradas da memória RAM do computador e, com isso, o programa
associado àquela janela será fechado.

Botão fechar.

Microsoft Windows – João Antonio Página 25


Outra maneira de fechar uma janela é acionando a combinação ALT+F4 no teclado do computador.
Essa ação fechará apenas a janela que estiver com o foco [janela ativa].

Também é possível solicitar o fechamento da janela ao acionar um DUPLO CLIQUE no Ícone de


Controle da janela [o pequeno ícone que fica localizado na extremidade esquerda da barra de título].

Através desse ícone também é possível acionar os outros comandos vistos até aqui, basta aplicar um
CLIQUE SIMPLES no mesmo e o menu se abrirá.

Duplo clique fecha a janela; um único clique


abrirá esse menu.

Outra forma de abrir o menu de controle da janela é acionando a combinação de teclas ALT +
BARRA DE ESPAÇO.

3.2.6. Trabalhando com várias janelas abertas


Podemos abrir diversas janelas ao mesmo tempo no Windows, embora só seja possível manipular
uma delas por vez. Para alternar entre janelas abertas, passando o foco de uma para outra, basta
acionar ALT+TAB.

Bom, a forma certa de usar é segurar a tecla ALT e, mantendo-a pressionada, acionar TAB tantas
vezes quantas forem necessárias até o foco estar na janela que se deseja trazer para a frente. Você
poderá ver quem está “com o foco” por meio da pequena janela que aparece enquanto a tecla ALT
está pressionada.

Quando você segura ALT e pressiona o TAB pela primeira vez, o painel abaixo é mostrado. A cada
TAB que você pressionar posteriormente, a próxima miniatura de janela é selecionada! Ao soltar o
ALT, é justamente esta janela que virá para a frente!

Microsoft Windows – João Antonio Página 26


Painel da Alternância entre Janelas
[ALT+TAB].

Outra forma de alternar diretamente entre as janelas abertas [sem que se abra o painel mostrado
acima] é através das teclas ALT+ESC [alternância direta]! Faça o teste para ver a diferença entre
ALT+TAB e ALT+ESC!

Outra forma de alternar entre janelas abertas é por meio da combinação WIN+TAB. A principal
diferença do uso desta combinação para o ALT+TAB é que não é necessário manter o WIN
pressionado para visualizar o painel que permite a escolha das janelas. Acionar WIN+TAB uma
única vez é suficiente para manter o painel aberto.

4. Principais Programas do Windows

Caro leitor, agora que você foi apresentado aos conceitos básicos do sistema operacional Windows
10, é hora de conhecer os programas que o acompanham e suas principais funções.

4.1. Explorador de Arquivos

O Explorador de Arquivos [chamado de Windows Explorer nas versões anteriores do Windows] é o


programa gerenciador de arquivos do sistema operacional Windows 10. É através do Explorador de
Arquivos que podemos manipular os dados gravados em nossas unidades, copiando, excluindo,
movendo e renomeando os arquivos e pastas das nossas unidades de armazenamento.

Sem dúvida alguma, o Explorador de Arquivos é a mais importante ferramenta pertencente ao


Windows cobrada em provas! Se há um único assunto a ser estudado sobre Windows, este assunto
é o Explorador de Arquivos, portanto, estude-o! Note bem: há casos em que Windows é cobrado em
mais de uma questão na prova, mas historicamente não passa de uma única. A maior probabilidade
é de que esta única questão seja, justamente, sobre o Explorador de Arquivos].

Microsoft Windows – João Antonio Página 27


4.1.1. Conhecendo a interface do Explorador
O Explorador de Arquivos.

O Explorador de Arquivos apresenta sua interface dividida em duas partes: o painel da navegação
[ou área das “pastas”], localizado à esquerda da janela, e o painel do conteúdo [a área grande à
direita].

O Painel de Navegação [também chamado de “área da árvore”] é o painel que mostra a estrutura
completa do computador, hierarquicamente, pasta por pasta, unidade por unidade, como um
grande organograma. Na área das pastas não são mostrados arquivos [exceto os arquivos com
extensão .ZIP, conhecidos do Windows como "Pastas Compactadas" - apesar do nome e da forma
como o Windows os trata, eles são arquivos].

O Painel de Navegação também mostra Bibliotecas [falaremos sobre elas mais adiante], lista de
acesso rápido [no topo], acesso ao OneDrive [serviço de armazenamento em nuvem da Microsoft] e
acesso aos computadores da rede.

Detalhe do Painel de Navegação

A área do conteúdo apresenta o que há na pasta selecionada da árvore. Na área de conteúdo pode
aparecer todo tipo de objeto [arquivos, pastas, unidades]. Ou seja, quando se clica em algum item
no Painel de Navegação, automaticamente seu conteúdo é mostrado no Painel de Conteúdo.

Microsoft Windows – João Antonio Página 28


No Explorador de Arquivos, sempre deve haver um local explorado, ou seja, o programa sempre
estará visualizando o conteúdo de algum diretório [pasta ou unidade]. Para escolher o diretório cujo
conteúdo será mostrado, basta clicar nele na árvore.

Na figura seguinte, é possível ver o usuário escolhendo uma pasta para visualizar seu conteúdo.
Lembre-se: apesar de o clique ter sido dado no painel de navegação [à esquerda], o conteúdo será
mostrado no painel à direita [área do conteúdo].

Um clique na Pasta Documentos permite


ver seu conteúdo

Para saber qual o local [pasta, biblioteca, unidade etc.] que está sendo explorado no momento [que
é interessante para as provas de concurso que apresentam fotografias], basta ler na barra de
endereços do programa.

No caso da figura a seguir, estamos explorando uma pasta chamada Público, localizada dentro da
pasta Usuários, que, por sua vez, se encontra dentro da Unidade [C:]. Simples, não?

Tudo isso pode ser lido, simplesmente na Barra de Endereços, localizada na barra de título da janela
do Explorador de Arquivos! Não se esqueça disso! Essa barra [endereços] é muito importante!

Identificando o local que está sendo


explorado.

4.1.2. Entendendo a Barra de Endereços do Explorador de Arquivos


Existem alguns detalhes interessantes acerca da barra de endereços deste programa, precisamos
conhecê-los bem.

Em primeiro lugar, as “setinhas”. Perceba que a cada “novo nível”, há uma setinha entre ele e o
anterior. Essa setinha não é só a indicação de que há níveis [do tipo “um dentro do outro”] entre
aqueles locais. Mas vamos começar vendo isso dessa forma:

Microsoft Windows – João Antonio Página 29


A Barra de Endereços

Sabe o que ela significa?

1. Estamos, neste momento, explorando a pasta Capítulo 3. Dica: sempre estamos explorando o
último nome mostrado na barra! Ou seja, o último nome mostrado na Barra de Endereços é, sem
dúvidas, o nome da pasta [do local] que estamos explorando naquele momento.

2. Capítulo 3 está dentro da pasta Livro. Livro, por sua vez, dentro da Unidade de disco D:, que,
como toda unidade, está dentro do item Este Computador [este é o item que “representa” a
máquina em si: o computador que está sendo usado].

3. Capítulo 3 tem subpastas [ou seja, existem pastas dentro da pasta Capítulo 3] – Ahhh! Por essa
você não esperava, né? Olha o detalhe: se o último nome [que, já sabemos, indica a pasta em que
estamos] estiver seguido de uma setinha [e tá lá!], é sinal de que a pasta em questão [Capítulo 3],
tem subpastas [pastas dentro dela!].

Não levou fé? Olha a foto a seguir!

Texto, Imagens e Anexos são subpastas


de Capítulo 3

Isso pode ser visto tanto no Painel de Navegação [com as pastas Texto, Imagens e Anexos sendo
vistas abaixo – subordinadas – da pasta Capítulo 3] quanto no próprio Painel do conteúdo, que
mostra as três, provando que são conteúdo [estão dentro] da pasta Capítulo 3.

As setinhas são botões que permitem acessar as subpastas de qualquer item presente na barra de
endereços! Por isso é que eu digo: “se é seguido por uma setinha, tem subpastas!”.

Para exemplificar o uso das setinhas para navegar entre subpastas: estamos na pasta Capítulo 3,
mas se quisermos ir para a pasta Capítulo 5 [que é subpasta de Livro, assim como Capítulo 3], basta
clicar na setinha após Livro e escolher Capítulo 5 na lista! Sim! Sim! Clicar na setinha! Saca só:

Microsoft Windows – João Antonio Página 30


Usando a “setinha” para acessar
outras subpastas

Note, também, que cada nome na barra de endereço é um botão, em si, que, se clicado, leva para
aquela pasta em questão [ou seja, clicar em Livro, leva você a explorar a pasta Livro!]. As setinhas,
por sua vez, também são botões, mas que levam às subpastas daquela pasta anterior a elas!

Se você clicar no ícone que aparece à esquerda da barra de endereços, a barra, em si, passará a
apresentar o endereço em questão de um “jeito antigo”, do formato “tradicional” de endereço.

Endereço em seu “formato tradicional”

O formato que sempre foi usado no Windows para endereçar pastas é sempre este: o endereço
sempre inicia com a unidade de disco em questão e segue “entrando” em cada pasta, separando,
sempre, os diretórios [pastas] dos subdiretórios [suas subpastas] por meio do sinal de \ [barra
invertida, ou contrabarra].

Então, só como mais um exemplo, uma pasta chamada Porta-Luvas, dentro de uma pasta chamada
Carro, que está, por sua vez, dentro uma pasta chamada Garagem, que fica dentro da unidade C:,
seria referenciada por meio do endereço C:\Garagem\Carro\Porta-Luvas.

Os Endereços na Árvore
Note, abaixo, a “árvore” que indica o endereço D:\Livro\Capítulo 1\Imagens. Sabemos que Imagens
é subdiretório [subpasta] de Capítulo 1. Esta, por sua vez, é subpasta de Livro. Livro, por fim, está
dentro da unidade D: [que, no meu caso, é um pendrive, embora não se possa deduzir isso na figura].

Microsoft Windows – João Antonio Página 31


O que significa D:\Livro\Capítulo 1\Imagens

O termo subdiretório [ou subpasta] é usado para definir uma relação entre um diretório e o seu nível
imediatamente superior. No caso da figura anterior, Anexos, Imagens e Texto são subdiretórios
[subpastas] da pasta Capítulo 1.

Note ainda que algumas pastas apresentam, à sua esquerda, uma setinha [que pode apontar para
a direita ou para baixo] e outras simplesmente não apresentam tais sinais. As pastas que
apresentam setinha possuem subpastas, já as pastas que não apresentam setinha, não possuem
subpastas.

“Posso afirmar, então, João, que elas estão vazias?”

Não, amigo[a] leitor[a]... O fato de não possuírem pastas não permite deduzir que estão vazias... pois
elas podem conter arquivos em seu interior.

Um clique na seta para a direita fará a pasta em questão ser expandida na própria árvore, mostrando
suas subpastas [e a seta passará a apontar para baixo]. Quando se clica na seta para baixo, a pasta
em questão é contraída, escondendo novamente suas subpastas na árvore [e ele volta a ser a seta
para a direita].

Note: “expandir” e “contrair” são os verbos utilizados para descrever o ato de “mostrar” ou
“esconder” as subpastas de uma determinada pasta. Mostrando [expandindo] suas ramificações ou
escondendo-as [contraindo].

Microsoft Windows – João Antonio Página 32


Expandir versus Contrair: a Pasta Capítulo 1
em dois momentos

No Exemplo da figura anterior, as pastas Livro, Capítulo 1, Capítulo 2 e Capítulo 3 possuem


subpastas [Capítulo 1 foi expandida no exemplo, mostrando suas subpastas]. As demais pastas do
exemplo não possuem subpastas.

Expandir e Contrair são ações que são realizadas e acontecem apenas no Painel de Navegação [ou
seja, apenas na parte esquerda do Explorador de Arquivos]. Quando usamos a expressão “Abrir” ou
“Explorar”, consiste em dizer que a pasta está sendo visualizada, ou seja, que o seu conteúdo está
sendo visto [isso, claro, acontece no Painel do conteúdo].

4.1.3. Modos de Exibição da Área do Conteúdo


Veja, a seguir, o conteúdo da pasta Stonehenge. Ou seja, neste momento, a pasta Stonehenge está
sendo explorada:

Pasta Stonehenge contém nove


arquivos

Os ícones do Painel de Conteúdo podem ser apresentados de várias formas, que chamamos de
Modos de Exibição ou Layout, para mudá-los, basta clicar na guia Exibir, no topo da janela, e clicar
na opção desejada dentro do grupo Layout, conforme mostrado abaixo:

Microsoft Windows – João Antonio Página 33


Layout dos Ícones [Modo Ícones
Pequenos]

Um dos formatos mais interessantes é o Detalhes, que mostra os objetos em lista vertical,
acompanhados de várias informações interessantes sobre eles [das quais, claro, se pode extrair
inúmeras questões de prova!].

Exibição em modo Detalhes

Cada modo de exibição, porém, tem seu próprio “charme” e sua própria característica [que, diga-se
de passagem, é assunto de questões de prova, também!]. Visite-os, teste-os! Vai ser enriquecedor!

Aproveitando: na parte inferior direita da janela, na barra de status, já dois pequenos botões já
preparados para alterar o Layout dos ícones: o primeiro aciona o layout Detalhes e o segundo
aciona o Ícones Grandes.

Botões Detalhes e Ícones Grandes [onde está o mouse]

Basta um clique em qualquer um desses botões para escolher o respectivo Modo de Exibição.

Microsoft Windows – João Antonio Página 34


4.2. Principais Operações com o Explorador de Arquivos

Depois de conhecer os principais tópicos da interface do Explorador de Arquivos, devemos aprender


a trabalhar com ele, realizando algumas operações básicas com pastas e arquivos, como criar,
renomear, excluir, copiar e mover.

A seguir, as principais operações que podemos realizar com o auxílio deste importante programa:

4.2.1. Criando uma pasta ou arquivo


Para criar uma pasta ou um arquivo, primeiro certifique-se de estar explorando a pasta ou unidade
onde quer que o objeto seja criado. Na guia Início, localize o grupo Novo. Nele, você encontrará os
botões Nova Pasta [para criar uma pasta] e Novo Item [que pode criar tanto pastas quanto
arquivos];

Grupo Novo – para criar novos


objetos.

Ao clicar em Novo Item, um menu de


opções aparece.

Após a seleção do tipo de objeto, o novo objeto será criado na pasta local, mas ele ainda precisa de
um nome, basta digitá-lo [e, lógico, pressionar ENTER] e o objeto terá sido confirmado.

Lembre-se de que você pode criar pastas tanto pelo botão Nova Pasta quanto pelo botão Novo Item,
escolhendo, lá dentro, a opção Pasta, é claro. Arquivos, porém, só poderão ser criados na opção Novo
Item.

Microsoft Windows – João Antonio Página 35


Confirmando a criação da Pasta [ENTER depois de
digitar o nome!].

Esse procedimento tanto serve para pastas [conforme mostrado] como para arquivos.

Outra maneira de criar uma pasta é usando o botão direito do mouse numa área em branco do
Painel de Conteúdo: o Menu de contexto vai se abrir [aliás, é o que sempre acontece quando
clicamos com o botão direito do mouse em alguma coisa] e, nele, haverá a opção Novo, que é uma
réplica do botão Novo Item.

LEMBRE-SE DISSO: sempre haverá uma forma de fazer operações no Windows 10 com o uso do
botão direito [também chamado de botão auxiliar, ou botão secundário] do mouse.

Menu de Contexto [aberto por meio do


botão direito]; opção Novo

Portanto, para criar uma pasta, faz-se: clicar com o botão direito [numa área vazia do painel de
conteúdo]; clicar no submenu Novo; clicar em Pasta... depois é só digitar o nome e ENTER para
confirmar! ;-]

O menu que se abre em decorrência do clique com o botão direito é chamado de menu de contexto
porque ele se adapta ao contexto! Ou seja, ele muda suas opções [comandos apresentados] de
acordo com o local onde é clicado!

4.2.2. Renomeando um arquivo ou pasta


Renomear um objeto significa mudar o nome previamente definido para ele. Para mudar o nome de
um arquivo [ou pasta], siga estes passos:

Microsoft Windows – João Antonio Página 36


1. Selecione o objeto desejado.

2. Acione o comando para renomear [há quatro maneiras]:

a. Clique no botão Renomear, no grupo Organizar da guia Início;

b. Acione a tecla F2 [no teclado];

c. Acione um clique no nome do objeto;

d. Botão direito [no objeto] / Renomear [no menu de contexto];

3. Digite o novo nome para o objeto [pois no nome estará alterável];

4. Confirme [pressionando ENTER ou clicando fora do objeto].

Usando o botão Renomear, no grupo Organizar

NOTE UMA COISA: no item “c” acima listado, diz-se “um clique no Nome”. Sim! É um clique só! E
tem que ser no nome [não no ícone]. Faça o teste!

4.2.3. Excluindo um arquivo ou pasta


Excluir um arquivo ou pasta significa retirar este objeto da unidade de armazenamento, liberando o
espaço ocupado por ele para poder ser usado na gravação de outro.

Ou seja, é “matar” o objeto, seja ele um arquivo ou uma pasta! Só se lembre de que apagar uma
pasta significa, por definição, apagar todo o seu conteúdo [todas as pastas e arquivos dentro dela].

A seguir temos um passo a passo simples para apagamento [exclusão] de um objeto:

1. Selecione o objeto desejado [ou, no caso, indesejado];

2. Acione o comando de exclusão [há quatro maneiras de acioná-lo]:

a. Pressione a tecla Delete [no teclado, claro!];

Microsoft Windows – João Antonio Página 37


b. Acione a opção Excluir do menu de contexto [clicando com o botão direito do mouse sobre
o objeto a ser apagado, claro!];

c. Acione o botão Excluir, no grupo Organizar;

d. Acione a combinação de teclas CTRL+D [não sei pra que essa existe...];

Acionando o comando Excluir na guia


Início

3. Confirme a operação [uma pergunta será feita em uma caixa de diálogo].

Solicitação de confirmação de envio de um


arquivo para a lixeira.

Em primeiro lugar, meu amigo leitor [ou amiga leitora], Enviar para a Lixeira não é Excluir! Isso é
uma coisa que precisa ser bem explicada! Ou seja, mesmo que a resposta à pergunta acima
mostrada seja “Sim”, o arquivo em questão [funções-calc.pdf] não será excluído, e sim, enviado para
a Lixeira.

Observe que o botão Excluir na guia Início é formado por duas partes, o botão com o ícone [um “x”
vermelho] e o botão com o nome [“Excluir”], que é um menu em si. Ao clicar no “x”, a operação envio
para a lixeira é realizada naturalmente... mas ao clicar no “Excluir”, surge um menu que permite
escolher o que se vai realizar: se o envio para a lixeira [chamado de Reciclar] ou a exclusão definitiva
do objeto.

Opções do Botão Excluir.

Microsoft Windows – João Antonio Página 38


Também há uma opção chamada Mostrar confirmação de reciclagem. Se esta opção estiver
marcada, sempre que o comando Reciclar for usado, a confirmação será exigida [aquela janela do
“Tem certeza de que deseja enviar o arquivo tal para a lixeira”]. Caso esta opção esteja desmarcada,
não haverá pergunta de confirmação nos próximos acionamentos do comando Reciclar.

Aproveitando, aqui vai uma dica: esta opção "Mostrar confirmação de reciclagem" só afeta os
processos de RECICLAGEM [envio para a lixeira]. Ou seja, mesmo que você desmarque esta caixa,
ainda será [sempre] apresentada a pergunta de confirmação quando o usuário tentar EXCLUIR
PERMANENTEMENTE.

Mas, afinal, o que é a Lixeira?


A Lixeira é uma pasta especial que o sistema Windows utiliza para o processo de exclusão de
arquivos e pastas do computador. A lixeira, em suma, serve para guardar arquivos que a gente
tenta apagar!

ATENÇÃO: a lixeira só guarda arquivos que estavam em discos rígidos [HDs] ou discos de estado
sólido [SSDs], que funcionam como HDs. Não importando se são discos rígidos internos ou
externos [HD externo, transportável, conectado pela porta USB, por exemplo]. Qualquer arquivo
apagado de qualquer um desses dispositivos será, prioritariamente, armazenado na Lixeira
quando se tentar apagá-lo.

[Isso significa que quando clicávamos no botão do “x” vermelho, visto há poucos parágrafos, ou
usávamos qualquer um dos métodos vistos para acionar a exclusão, eles tinham a função de
Reciclar apenas para os arquivos guardados em discos rígidos].

Arquivos armazenados em outros tipos de mídias [unidades] removíveis [como pendrives ou


cartões de memória, por exemplo] não têm, por padrão, direito de ir para a Lixeira, ou seja, quando
acionamos qualquer forma de exclusão, uma confirmação aparecia para excluir o arquivo
permanentemente.

Olha a mensagem que aparece


quando a gente tenta excluir um
arquivo que está num pendrive...

Microsoft Windows – João Antonio Página 39


“E a Lixeira do Windows 10 não tinha mudado isso,
João? Como explicar?”

Mais ou menos! Pendrives e Cartões de Memória [discos removíveis], no geral, continuam sem ter
direito à lixeira, mas em alguns casos, dependendo de aplicativos externos, o Windows 10 permite
que uma lixeira apareça também para esses discos.

Como é exceção, não será provavelmente abordado para você!

“João, mais Alguma Coisa Sobre a Lixeira?”

Algumas “verdades e mitos” sobre a lixeira:

a. A lixeira tem um tamanho máximo [inicialmente definido pelo sistema, mas pode ser alterado
por você, usuário] medido em MB [Megabytes]. Sempre que a lixeira estiver cheia [de arquivos],
atingindo seu “tamanho” pré-definido, ela não aceitará mais arquivos. Perceba: a Lixeira não tem
seu tamanho máximo definido como um percentual do Disco onde ela está [antigamente era assim].
A Lixeira é definida por valor absoluto, em Megabytes!

b. A lixeira mantém os arquivos armazenados nela por tempo indeterminado! Ou seja, nada de
dizer por aí que “a lixeira apaga arquivos automaticamente depois de 3 dias”! O que você manda
para a lixeira fica lá até que você apague de vez [esvaziando a lixeira, por exemplo] ou quando você
recupera o arquivo [retirando-o da lixeira].

c. Cada UNIDADE de disco [inclua HD, SSD, ok?] tem necessariamente sua própria lixeira. Ou seja,
se um computador tem mais de uma unidade de disco reconhecida [podem ser partições no mesmo
disco – já que cada uma delas vai ser entendida como uma unidade diferente], cada uma delas
[unidades] vai ter sua própria lixeira.

Sim: estou falando de uma pasta diferente em cada unidade de disco rígido! Essas pastas são,
normalmente, invisíveis, restando, apenas, visível, a pasta Lixeira no Desktop [Área de Trabalho].
Essa “lixeira central” consolida os conteúdos de todas as “lixeiras” das Unidades!

d. Os objetos presentes na Lixeira [dentro dela] não podem ser abertos [experimenta dar duplo-
clique em qualquer um deles! Não abre!!!].

Microsoft Windows – João Antonio Página 40


e. Os objetos presentes na Lixeira podem ser recuperados ou excluídos definitivamente. Quando
se recupera um deles, ele sai da lixeira e vai para alguma outra pasta [volta a “conviver” com os
demais]. Quando ele é apagado definitivamente, para o Windows, não tem mais volta!

Vamos analisar alguns dos comandos da lixeira [que podem ser encontrados na guia Gerenciar do
Explorador de Arquivos, ou por meio do Botão Direito do Mouse]:

Ribbon mostrando os comandos exclusivos da


Lixeira

Comandos na Lixeira
- Esvaziar Lixeira: apaga, definitivamente, todos os objetos existentes na Lixeira, ou seja, “caixão e
vela preta” [termo normalmente usado por mim para significar "Não tem mais jeito!"].

- Excluir: apaga, definitivamente, apenas o arquivo selecionado [exigirá confirmação];

- Restaurar os itens selecionados [ou “Restaurar”]: envia os arquivos selecionados de volta para as
pastas de onde eles foram apagados [se estas pastas já foram apagadas, elas são recriadas];

- Restaurar todos os itens: envia todos os arquivos da lixeira de volta para seus locais originais
[pastas de onde haviam sido apagados];

Um objeto que está na lixeira também pode ser arrastado para qualquer outro local fora da lixeira,
sem necessariamente ir para o local de onde foi apagado.

E, ainda sobre as “verdades e mitos” da Lixeira...

- É possível ignorar a lixeira! Sim! É possível abdicar do direito de enviar um objeto para a lixeira!

Faça o seguinte: realize o procedimento de apagamento já apresentado segurando,


simultaneamente ao comando, a tecla SHIFT.

Microsoft Windows – João Antonio Página 41


Por exemplo:

SHIFT + DELETE, ou SHIFT + Botão Direito/Excluir, ou SHIFT + Organizar / Excluir... etc.

Quando você acionar o comando [4 formas vistas] segurando a tecla SHIFT, o arquivo em questão,
mesmo tendo direito de ir para a Lixeira, será convidado a ser apagado definitivamente [ou seja, a
mensagem que aparecerá diz claramente “deseja excluir o arquivo permanentemente?”].

A mesma coisa acontece quando você escolhe “Excluir permanentemente” no menu que aparece no
Botão Excluir na guia Início.

O Apagamento Definitivo é mesmo Definitivo?


Bem, para começar, sabemos que os arquivos que foram enviados para a lixeira podem ser
recuperados, não é mesmo?

“Sim, João, deu pra perceber!”

Mas se a pergunta fosse: “Arquivos apagados definitivamente [por exemplo, de pendrives] podem
ser recuperados?”

“E aí, João? O que eu respondo?”

A resposta, caro leitor, é DEPENDE!

O Windows, em si, não consegue reconhecer a existência de arquivos que foram apagados
definitivamente. Ou seja, o Windows não consegue recuperá-los sozinho [fazendo uso apenas de
seus próprios meios e programas].

Mas há programas especiais que conseguem recuperar arquivos apagados definitivamente, mesmo
de pendrives, disquetes, cartões de memória, HDs e SSDs! Tais programas podem ser achados na
própria Internet... muitos deles acompanham conjuntos de programas de segurança [como antivírus
e firewalls].

“Mas, peraí João! Se os arquivos são recuperáveis, é sinal de


que eles não foram apagados! Como é possível?”

Fácil, caro leitor! Os arquivos são armazenados em áreas específicas chamadas clusters [ou unidades
de alocação], dentro das memórias permanentes [os discos], como se estuda em Noções de

Microsoft Windows – João Antonio Página 42


Hardware/Software. Esses clusters são gerenciados [organizados, controlados] por uma espécie de
índice normalmente chamado tabela de alocação [no Windows, é comum chamá-lo de FAT, ou MFT].

Qualquer que seja a forma escolhida para se excluir definitivamente um arquivo ou pasta do seu
computador, não importando se é do disco rígido, do disquete ou de pendrives, ela afetará apenas
a FAT; ou seja, um arquivo apagado ainda manterá seus dados nos clusters do disco, mas para o
sistema operacional ele não existe porque a FAT informa que aqueles clusters estão vazios.

É como se, ao invés de destruir uma “plantação”, o sujeito destrói apenas a “escritura daquele terreno”
– a plantação está lá... intacta! Mas o terreno não tem mais dono! Poderá ser usado a qualquer
momento para “reforma agrária”. Em suma, apagar arquivos não é destruí-los... é o mesmo que
desapropriá-los!

Enquanto a tabela de alocação [FAT] considerar que os "terrenos" de um arquivo estão vazios
[mesmo havendo ainda dados neles], eles serão considerados utilizáveis. Aí está o problema! Se
algum novo arquivo for gravado naquela área em que havia dados do arquivo anterior, a
recuperação do arquivo anterior fica comprometida [talvez até impossibilitada].

Continuando... há programas que conseguem ler os clusters diretamente à procura de arquivos


supostamente apagados e, com isso, informar novamente à FAT sobre a presença dos mesmos [e,
com isso, fazer o sistema operacional enxergá-los novamente]. Esses programas são, por exemplo,
usados pela Polícia Federal e Secretarias da Fazenda para vasculhar informações em computadores
suspeitos de onde dados foram apagados.

Há, claro, também, programas que prometem DESTRUIR de verdade os arquivos [fazendo o que o
Windows não faz], ou seja, “queimar a plantação”. Tais programas fazem o trabalho de destruir os
dados nos clusters, sobrescrevendo-os com dados aleatórios, tornando bem mais difícil [promete-se
impossível] recuperar tais dados, mesmo pelos programas de recuperação.

Nem os programas recuperadores, nem os programas destruidores fazem parte do Windows - são
ferramentas à parte, adquiridas separadamente.

4.2.4. Copiando e Movendo Objetos


É possível, através do Explorador de Arquivos, alterar a posição de um arquivo de uma determinada
pasta para outra ou criar cópias de um determinado arquivo ou pasta em outros locais.

Microsoft Windows – João Antonio Página 43


Mover significa mudar um objeto de local, tirando-o do local original onde se contra e
posicionando-o em outro local [pasta]. Copiar, por sua vez, é o procedimento que cria uma cópia
exata de um determinado objeto em outro local [ou no mesmo local, desde que com outro nome].

É possível mover e copiar arquivos e pastas usando, simplesmente, o movimento de arrasto do


mouse, olha só:

Para copiar um arquivo: arraste o arquivo, de seu local de origem para a pasta de destino, enquanto
pressiona a tecla CTRL no teclado.

Para mover um arquivo: arraste o arquivo, de seu local original para a pasta onde deve ser colocado,
enquanto pressiona a tecla SHIFT, no teclado.

Ao arrastar o arquivo com a tecla CTRL pressionada, o


arquivo é copiado [note o indicador junto ao ícone
arrastado].

Arrastando com a tecla SHIFT pressionada, o objeto


será movido

Então, é hora de você perguntar, com a testa enrugada...

“Ei, João! Nunca segurei a tecla SHIFT para mover os arquivos! Sempre arrasto
os arquivos simplesmente sem segurar tecla alguma. O que é isso?”

É Simples, caro leitor!

Quando o arrasto é feito sem que se mantenha pressionada nenhuma tecla, ou seja, quando
fazemos um arrasto simples, apenas com o mouse, o resultado pode significar MOVER ou COPIAR,
dependendo da seguinte condição:

a. Se o arrasto for realizado entre pastas dentro da mesma unidade de disco, por exemplo, se a
pasta de origem e a pasta de destino do arrasto estiverem, ambas, dentro da unidade C:, então, a
operação será MOVER. Ou...

Microsoft Windows – João Antonio Página 44


b. Se o arrasto for realizado entre pastas de unidades de disco diferentes, por exemplo, se a pasta
de origem estiver na unidade D: e a pasta de destino do arrasto estiver dentro da unidade C:, então,
a operação será COPIAR.

Outra maneira de mover e copiar arquivos é usando os comandos Recortar, Copiar e Colar,
encontrados na guia Início, no grupo Área de Transferência e no botão direito do mouse. Esses três
comandos são usados de forma semelhante àquela dos programas que manipulam dados, como o
Word e o Excel; ou seja, os comandos Recortar e Copiar iniciam o processo, e o comando Colar
SEMPRE o conclui.

Veja um passo a passo para copiar e mover arquivos usando esses comandos:

1. Selecione o objeto desejado [basta acionar um clique nele];

2. Acione o comando Recortar [se deseja mover o objeto] ou o comando Copiar [se deseja copiá-lo];

3. Selecione o local de destino [a pasta ou unidade para onde o objeto vai];

4. Acione, finalmente, o comando Colar;

Entenda: não importa COMO você acionou qualquer um dos três comandos [lembre-se que pode ser
pelo botão direito do mouse ou pelo botão lá em cima na guia Início]. O que importa é que você deve
acionar RECORTAR ou COPIAR primeiramente [com isso, você escolhe o tipo do procedimento que
você fará] e, por fim, obrigatoriamente, acionar COLAR!

Antes de você acionar o comando COLAR, nenhum procedimento foi feito! Ou seja, o procedimento
só se completa quando você aciona este comando!

Note, apenas, que, com relação ao botão direito do mouse, há um segredo [que, novamente, refere-
se a ONDE você clica!]. Se clicar num ícone de um arquivo, só aparecem as opções Recortar e Copiar
[não aparece Colar]. Se você clica num ícone de uma pasta ou numa área em branco [vazia] da área
de conteúdo, aí sim aparece a opção Colar.

Os comandos apresentados também podem ser acionados por combinações de teclas [as chamadas
teclas de atalho]: CTRL+X aciona o comando Recortar; CTRL+C aciona o comando Copiar; CTRL+V
aciona o comando Colar.

Microsoft Windows – João Antonio Página 45


Novamente, vale lembrar, essas teclas de atalho são, apenas, mais uma forma de acionar os
comandos! O que importa, porém, não é a forma de acionar, e sim, a sequência de acionamento.

Comparações em Provas
Muito comum é, hoje em dia, especialmente nas provas da FCC [Fundação Carlos Chagas] e do
Cespe/UnB, que haja comparações entre os “dois métodos” de cópia e movimentação [ou seja,
“arrasto” versus “três comandos”].

“Dá um exemplo, João, por favor?”

Claro!

Olha só... Se você encontra, caro leitor, a seguinte descrição numa prova: “Arrastar um arquivo de
uma pasta da Unidade C: para outra pasta, dentro da unidade F:, é equivalente a acionar, depois
de selecionar o referido objeto, os comandos Copiar e Colar, sequencialmente.”... O que você
diria?

“Bom, João, apesar de algumas ‘estranhezas’, eu diria que está certo, porque
ele comparou dois procedimentos que resultarão na cópia do arquivo!”

Precisamente!!! Ele comparou o “arrasto” entre unidades diferentes com o uso dos comandos
COPIAR e COLAR, dizendo que são equivalentes! Está corretíssimo! Claro que não podemos exigir
que o redator seja Ruy Barbosa [ou seja, haverá erros grosseiros de coesão, alguns até poderiam
levar a interpretar a questão erroneamente!], por isso nós simplesmente abstraímos o preciosismo
literário e vamos “direto na ferida”.

Ou seja, ele compara dois procedimentos e diz que são a mesma coisa [ou equivalentes]... isso
significa que ele está dizendo que os dois procedimentos dão o mesmo resultado! E... SIM! Eles dão!
Fácil, não?!

4.2.5. Múltipla Seleção de Ícones


Podemos realizar uma mesma operação em vários ícones ao mesmo tempo, desde que os
selecionemos. Podemos selecionar ícones próximos uns dos outros [adjacentes] ou ícones que não
têm contato entre si [espalhados pela janela].

Microsoft Windows – João Antonio Página 46


As técnicas apresentadas aqui não servem apenas para o Explorador de Arquivos, mas para todas as
janelas do Windows [incluindo o Desktop]. Para selecionar vários ícones próximos [adjacentes]
podemos utilizar duas maneiras, a saber:

- Quadro de seleção: clique em uma área em branco da janela, arraste o mouse, criando um quadro,
até que este envolva todos os ícones desejados. Este é o método mais fácil de fazer, mas o menos
cobrado em prova [porque é difícil de “descrever” o movimento].

Quadro selecionando dois arquivos e uma pasta.

- Seleção com SHIFT: clique no primeiro arquivo a ser selecionado da sequência e, segurando a tecla
SHIFT, clique no último deles.

Primeiro, clica-se em “Kurage sem segredos.docx”


e, segurando SHIFT...

... clica-se em “Sashimis Fáceis.docx” para


selecionar todos entre eles.

Em tempo: Kurage [lê-se curaguê] é uma deliciosa iguaria servida em alguns restaurantes
japoneses: água-viva! Sim! Água-viva [ou medusa, se preferir]! [é delicioso, apesar de nos dar a
sensação de estarmos mordendo um pedaço de Tupperware®].

Para selecionar vários arquivos não adjacentes [separados na tela], podemos usar a tecla CTRL.

Microsoft Windows – João Antonio Página 47


- Seleção com o CTRL: clique no primeiro arquivo desejado e, segurando a tecla CTRL, clique nos
demais arquivos. Pode-se, igualmente, segurar a tecla CTRL antes mesmo de selecionar o primeiro
item.

Vários arquivos não adjacentes selecionados com a


tecla CTRL.

Para selecionar todos os ícones [arquivos e pastas] da pasta que você está explorando, é possível
acionar o comando Selecionar Tudo [no menu Editar] ou acionar a tecla de atalhos CTRL+A.

Todos os objetos selecionados [por meio do CTRL+A]

“João, o que eu posso fazer após selecionar vários objetos?”

Qualquer coisa, caro leitor! Apagar [excluir] todos eles de uma vez! Copiar ou Mover [arrastando ou
usando os três comandos] de uma vez... até mesmo renomear todos eles de uma única vez!

“Mas, peraí, Renomear? Eles vão ficar com o mesmo nome? Isso pode?”

Não, eles não ficarão com o mesmo nome! O Windows vai dar a eles um “[X]” no final de cada nome,
onde esse “X” é um número que vai incrementando de um em um, a cada novo arquivo. Olha o
resultado de ter selecionado todos os arquivos da pasta, ter acionado F2, ter digitado “Fome” e, por
fim, acionado ENTER.

Vários arquivos renomeados ao mesmo


tempo.

Microsoft Windows – João Antonio Página 48


Outras operações que podem ser realizadas no Explorador de Arquivos e não envolvem arquivos ou
pastas são mostradas a seguir.

Também há um grupo de ferramentas próprio para a seleção de itens na Ribbon do Explorador. Esse
grupo fica na Guia Início e se chama Selecionar. Veja-o na figura a seguir:

Grupo Selecionar - Ferramentas para Seleção de Itens

4.2.6. Ferramentas de Unidade

Formatando Discos
Formatar é preparar um disco [ou uma partição] para ser usado como superfície de gravação.
Quando se formata um disco, seus dados são supostamente apagados [na verdade, apenas seu
“índice” tem seu conteúdo completamente apagado], deixando toda a superfície do disco pronta
para ser utilizada para a gravação de novos dados.

Para formatar uma unidade de disco, vá ao local “Este Computador”, selecione a unidade a ser
formatada [no nosso caso a unidade D:] e acione o comando Formatar, presente na guia Gerenciar
dentro de Ferramentas de Unidade que aparece na faixa de opções.

Janela do comando Formatar


aplicada a uma unidade de disco [D:].

Antes de iniciar o processo de formatação propriamente dito, é possível escolher algumas opções, a
saber:

Microsoft Windows – João Antonio Página 49


- Formatação rápida: que resultará, simplesmente, no apagamento da FAT [o “índice” de que falei].
Quando não se escolhe a formatação rápida, o Windows realiza a formatação completa, que
significa apagar a FAT e verificar erros nos clusters [unidades de alocação] após esse apagamento.

- Rótulo do Volume: o nome da unidade de disco [nome que é apresentado no Explorador de


Arquivos];

LEMBRE-SE: o Windows não deixará o usuário formatar a unidade de disco onde ele está
instalado [a unidade C:]. Outras unidades de disco rígido que não são importantes podem ser
formatadas perfeitamente.

Lembre-se também: o comando Formatar pode ser encontrado, também, por meio do botão direito
do mouse sendo clicado na unidade de disco que se deseja formatar!

Otimizar Unidades
Otimizar Unidades é a ferramenta que organiza os clusters [unidades de alocação de dados] em uma
unidade de disco. Pode ser que na prova eles afirmem simplesmente [de forma bem minimalista] “...
Otimizar Unidades organiza os arquivos e pastas no disco...”. A frase não está certa, porque o que é
organizado é a estrutura de clusters [blocos de gravação] em si, mas é uma forma bem “superficial”
de descrever sua função. [Já vi em provas essa frase ser considerada verdadeira quando o nome da
ferramenta Otimizar Unidades ainda era Desfragmentador de Disco!]

O que realmente a Otimização de Unidades faz é reunir os clusters [blocos] que fazem parte de um
mesmo arquivo para que fiquem em posições contíguas na unidade de disco, objetivando, com isso,
a aceleração da leitura e gravação na referida unidade. Vamos à explicação mais detalhada.

Quando usamos um computador, há um processo natural que acontece nas unidades de disco: a
fragmentação. Ou seja, os arquivos gravados em vários clusters têm seus pedaços “separados” pela
superfície do disco. Isso é uma consequência natural do uso dos discos. Na figura a seguir, pode-se
ver, com certo exagero, um arquivo gravado num disco. [Ele pode chegar a ser assim!]

Microsoft Windows – João Antonio Página 50


Arquivo fragmentado no disco.

A Otimização une os pedaços dos arquivos de forma que os blocos do arquivo fiquem em sequência,
para facilitar a leitura por parte do dispositivo mecânico que guia o braço da cabeça de
leitura/gravação da unidade de disco. Depois de otimizar [desfragmentar] uma unidade de disco
rígido, será perceptível a melhoria de seu desempenho.

Arquivo já desfragmentado [otimizado].

O recurso de Otimização também organiza o espaço livre na unidade, separando-a da área onde há
espaço ocupado. Durante o uso normal dos discos, há intercalações entre blocos usados e blocos
livres em sua superfície, devido aos diversos processos com arquivos [apagar, criar, mover, copiar
etc.], e a otimização separa os blocos usados [que organizadamente vão para a parte mais central –
o início – do disco] e os blocos livres [que vão parar na área mais periférica – o final – do mesmo].

Microsoft Windows – João Antonio Página 51


O espaço livre é separado do espaço ocupado após a
otimização.

O recurso Otimizar Unidades só tem sentido [só é justificado] quando usado em unidades de disco
magnéticas [como os Discos Rígidos [HD]]. Apesar de ser possível otimizar unidades construídas por
memória Flash [eletrônicas], como os Pendrives, Cartões de Memória e SSDs [os futuros substitutos
dos HDs], realizar tal operação nestes tipos de memória é inútil, basicamente.

Isso se dá porque, nessas memórias eletrônicas, a velocidade de acesso a qualquer posição da


memória é exatamente a mesma, e não há necessidade da utilização de mecanismos móveis [como
rotacionar o disco ou mexer a cabeça de leitura e gravação] para gravar dados, logo, não há
diferença de os arquivos estão, ou não estão, organizados. Em suma, não há perda de velocidade
numa unidade de memória eletrônica como a que existe em uma unidade magnética/mecânica.

Limpeza
É um utilitário que vasculha as unidades do computador à procura de arquivos que possam ser
apagados pelo usuário a fim de liberar mais espaço nesses discos. Os arquivos encontrados pela
Limpeza são necessariamente arquivos desnecessários [arquivos que o Windows julga que não têm
importância].

O utilitário de Limpeza de disco sugere que podem ser apagados os arquivos que estão na lixeira
[que já deveriam ter sido apagados pelo usuário], os arquivos temporários da Internet [fotos, páginas,
vídeos e tudo o mais que se adquire navegando na Web], arquivos de log [registro de atividades],
arquivos de histórico do Explorador [veremos a seguir] e os arquivos temporários que o sistema
operacional Windows não apagou.

O recurso de Limpeza [antigamente "Limpeza de Disco"] não apaga documentos do usuário, nem
programas instalados no computador.

Microsoft Windows – João Antonio Página 52


BitLocker
É o recurso de segurança do Explorador de Arquivos que criptografa unidades de disco inteiras para
evitar que seus dados sejam acessados por pessoas não autorizadas caso a unidade em questão seja
roubada ou furtada.

APROVEITANDO: CRIPTOGRAFAR é reescrever dados digitais de forma que não possam ser
compreendidos por quem não possui a "chave" [o "segredo"] da criptografia. É um processo
matemático, baseado em cálculos muito complexos e difíceis de quebrar ou burlar.

Lembre-se: o BitLocker é um recurso do Windows para proteger unidades inteiras de disco,


criptografando seu conteúdo.

Compartilhando Recursos
Quando um computador faz parte de uma rede de computadores [ou seja, quando está física e
logicamente conectado a outros computadores], seus recursos [unidades, pastas, impressoras]
podem ser compartilhados com os outros para serem usados por qualquer componente da rede.
Para compartilhar uma pasta com os outros computadores da rede, simplesmente selecione a pasta
e acione a guia Compartilhar e lá você encontrará, entre outras, as opções Criar ou Ingressar em
um grupo doméstico e Pessoas específicas...

Guia Compartilhar

As opções que aparecem dentro de “Compartilhar com” são:

- Parar Compartilhamento: simplesmente não compartilha a pasta selecionada. Retira todos os


compartilhamentos da pasta selecionada. Depois disso, a pasta selecionada só poderá ser acessada
localmente [ou seja, do computador em que ela está] e, a rigor, somente pelo usuário que a criou.

- Grupo Doméstico: configura um Grupo Doméstico, que é uma reunião de computadores com o
intuito de facilitar o compartilhamento de informações entre os usuários – veremos adiante.

- Pessoas Específicas: permite escolher para quem [usuários] e em quais níveis [leitura/gravação] o
compartilhamento vai ser feito. Para esta opção, não é necessário ter um Grupo Doméstico.

Microsoft Windows – João Antonio Página 53


Janela do Compartilhamento p/ Pessoas
Específicas

Também é possível acessar a opção Compartilhar com diretamente do botão direito do mouse
sobre a pasta selecionada, conforme visto a seguir:

Outras Formas de acionar o


Compartilhar Com

4.3. Trabalhando em Rede com o Windows 10

O Windows 10 foi criado especificamente para controlar um único computador, mas traz inúmeros
recursos para que possamos trabalhar facilmente com mais de um deles ligados em rede.

Uma rede de computadores é um conjunto de computadores interligados. Uma rede permite que os
vários computadores troquem informações entre si, por meio, normalmente, do compartilhamento
de recursos [pastas e impressoras, por exemplo].

Por meio do Explorador de Arquivos, é possível “ver” toda a rede. Isso é feito com a ajuda da opção
Rede, que fica no Painel de Navegação do Explorador de Arquivos. Note o item Rede aberto,
mostrando 3 computadores atualmente conectados [sim, eles estão ligados neste momento].

Microsoft Windows – João Antonio Página 54


Item Rede visualizando três
computadores e uma impressora

ALIEN11, ALLINONE-ANA e tsclient são os nomes de três computadores ligados em rede.


NPI98F316, por sua vez, é uma impressora.

Supondo que estejamos trabalhando no computador ALLINONE-ANA e queremos acessar o


computador ALIEN11, é só dar duplo clique nele! Automaticamente, seus compartilhamentos
[pastas que foram compartilhadas dentro dele] vão aparecer [caso, claro, você tenha acesso, como
usuário, a esse micro].

Em Alien11, há três pastas compartilhadas

E para entrarmos no Compartilhamento filmes, basta, também, acionar um clique duplo nesta pasta.
Caso tenhamos direito de acessá-la, ela será normalmente aberta! Perceba o endereço dessa pasta!

Endereço do Compartilhamento filmes

Mas, se clicarmos no ícone que fica à esquerda da Barra de Endereços, veremos o verdadeiro
endereço... Olha aí!

Endereço de Rede Windows

Microsoft Windows – João Antonio Página 55


Explicando: quando estamos numa rede Windows [ou seja, uma rede que usa os protocolos de
comunicação e compartilhamento do sistema Windows], a forma de endereçamento de outros
computadores e seus compartilhamentos segue a seguinte norma:

\\Nome_do_Computador\Nome_do_Compartilhamento

Ou seja, sempre que nos referimos a algum computador localizado na rede, quer seja na barra de
endereços, quer seja no campo de pesquisa [que fica ao lado da barra de endereços], devemos usar
\\ [duas contrabarras] seguido do nome do computador.

Portanto, o endereço:

\\ALIEN11\filmes\GoT

Na verdade, aponta para uma pasta chamada GoT, dentro de uma pasta chamada filmes. A pasta
filmes, por sua vez, está compartilhada, e é localizada dentro de um computador que é conhecido,
na rede, pelo nome de ALIEN11.

CUIDADO COM ISSO, OK? Não usamos / [barra normal], e sim \ [contrabarra], exatamente como
usamos nos endereços de pastas locais [do tipo C:\casa\sala].

Mapeando uma Unidade de Rede


Mapear uma unidade de rede é selecionar um compartilhamento qualquer de outra máquina da
rede e transformá-la em uma unidade de disco virtual em nosso computador. Em outras palavras, é
criar um “atalho”, na forma de uma unidade de disco, que aponta para um compartilhamento em
outro micro.

Para mapear uma unidade, basta acionar o botão direito do mouse na pasta compartilhada e, no
menu de contexto, acionar a opção Mapear Unidade de Rede. Dentro da caixa de diálogo que se
abrirá deve-se informar a letra que a unidade usará [X:, Z:, qualquer uma] e para qual
compartilhamento ela apontará.

Microsoft Windows – João Antonio Página 56


Criando a unidade [Z:], que aponta
para o “\\ALIEN11\filmes”

A opção Reconectar-se na entrada permite garantir que quando o computador for novamente
ligado [e quando aquele usuário voltar a logar-se na máquina, informando seu nome e senha], a
unidade Z: seja novamente conectada ao compartilhamento em questão [sem precisar fazer de novo
o comando Mapear Unidade de Rede].

A opção Conectar usando credenciais diferentes permite que se escolha um nome de usuário
[login] e uma senha diferentes dos atuais [ou seja, diferentes dos usados pelo usuário atualmente
ligado].

Note, na figura seguinte, como fica uma unidade mapeada, apresentada junto com as demais
unidades de disco locais [veja que ela fica “separada” dos grupos “Unidades de Disco Rígidos” e
“Dispositivos com Armazenamento Removível”, em um grupo próprio]:

Unidade Z: – na verdade, um atalho para uma


pasta na rede.

A qualquer momento o usuário poderá “excluir” a unidade mapeada se não a quiser mais. Esse
processo é chamado Desconectar-se, e seu comando também está localizado no menu aberto pelo
botão direito do mouse quando clicado no ícone da unidade mapeada.

Você também pode acionar os comandos Mapear Unidade de Rede e Desconectar Unidade de
Rede na guia Computador, da faixa de opções. Olha só:

Microsoft Windows – João Antonio Página 57


Comandos para Unidade de Rede.

4.4. Configurações / Painel de Controle

O Sistema Operacional Windows 10 traz, como suas versões anteriores, um programa chamado
Painel de Controle, que permite configurar com detalhes os diversos aspectos do programa. Hoje,
porém, o Windows 10 “o escondeu”, preferindo apresentar um menu principal chamado
Configurações, no menu Iniciar.

Menu Configurações, no Menu Iniciar

A janela de configurações se apresenta da seguinte maneira:

Janela Configurações

A Janela Configurações é, em poucas palavras, uma janela com alguns ícones, e cada um desses
ícones representa um quesito específico que pode ser ajustado no Windows.

“João, quer dizer que a janela Configurações substituiu o Painel de


Controle das versões anteriores do Windows?”

Microsoft Windows – João Antonio Página 58


Não, amigo leitor! O Painel de Controle ainda existe, e mantém a “mesma cara” de antes. Só precisa
ser achado pelo campo Pesquisar da barra de tarefas...

O Painel de Controle ainda existe – note que para


ele ser encontrado, foi necessário pesquisa-lo na
Cortana [menu iniciar].

Não iremos analisar minuciosamente os itens da janela Configurações nem do Painel de Controle
neste material porque isso o tornaria muito maior [e mais caro]! Além disso, esse assunto não é tão
importante [lembre-se de que o Explorador de Arquivos é mais importante!].

4.5. Acessórios do Windows

São alguns pequenos aplicativos que acompanham o sistema operacional Windows. Esses
programas têm sérias limitações de uso por não serem profissionais, mas na falta de outro, eles
“quebram um galho”.

Nem todos esses programas podem ser achados dentro da opção Acessórios do Windows, que se
encontra no menu Iniciar. Vamos lembrar de listar quais são...

4.5.1. Calculadora
A Calculadora do Windows simula uma calculadora de bolso e apresenta alguns formatos [modos
de exibição e funcionamento] interessantes. Apenas como uma exceção: a Calculadora não está
localizada dentro de “Acessórios do Windows”, mas está diretamente localizada na listagem de
Aplicativos do Menu Iniciar.

Calculadora no formato científico – ela ainda aceita outros


formatos: o Normal e o Programador, além de conversor de
unidades e cálculo com datas.

Microsoft Windows – João Antonio Página 59


A calculadora pode apresentar-se em alguns modos distintos, acessíveis por um clique naquele
botão lateral formado por três pequenas linhas [ao lado da palavra “CIENTÍFICA” na figura acima]:

- Padrão: apenas com algumas operações matemáticas básicas.

- Científica: contemplando mais operações, comuns às calculadoras científicas.

- Programador: contendo também operações de conversão de base numérica [binário, decimal,


octal e hexadecimal], além de operações booleanas [como AND, OR, XOR, NOT].

- Cálculo de Data: contendo funções para calcular diferenças entre duas datas especificadas e soma
de dias a datas indicadas – muito útil para cálculos com datas.

- Conversor: oferece várias opções para converter unidades de Volume, Comprimento, Peso e Massa,
Ângulo, Temperatura, Energia, Tempo, Pressão etc.

É possível copiar [use CTRL+C] qualquer valor mostrado na calculadora para qualquer aplicativo
que manipule texto ou número, como Word, Excel, Bloco de notas, etc. Também é possível colar,
dentro da calculadora, valores numéricos advindos de quaisquer programas [use CTRL+V para isso].

4.5.2. Bloco de notas


Pequeno programa classificado como Editor de textos que acompanha o Windows. O Bloco de
notas é classificado como Editor de Textos porque permite uma forma bem simples de edição,
apenas escreve e apaga caracteres puros [em código ASCII]. Nesse aplicativo não há formatação
[negrito, itálico, sublinhado, fontes, cores etc.] nem recursos extras [tabelas, figuras, marcadores,
numeração etc.] como no Word.

“João, você está enganado! Há opções de formatação no Bloco de


notas! Sempre escolho fontes na opção Formatar/Fonte do programa.”

Sim, leitor, mas essa opção não formata o texto em si. Ela formata apenas a apresentação do texto
na tela, porém o texto, continua como um texto sem formatação, ou seja, sem efeitos de fonte
atrelados a ele.

Microsoft Windows – João Antonio Página 60


Bloco de notas.

O Bloco de notas, assim como qualquer programa Editor de Texto, é ideal para programação. Isso
porque os programas [códigos] só podem ser escritos em texto puro [texto simples].

4.5.3. Wordpad
Classificado como Processador de textos por possuir recursos de formatação e alguns efeitos a mais,
o Wordpad é, na verdade, uma versão simplificada do Microsoft Word.

Wordpad do Windows 10

No Windows 10, os arquivos do Wordpad são salvos, por padrão, no formato RTF, mas o programa
também pode salvar [e abrir] arquivos TXT, DOCX e até mesmo ODT [do LibreOffice Writer].

4.5.4. Paint
Programa de pintura que acompanha o Windows. O Paint permite que o usuário crie e edite arquivos
de bitmap [imagens formadas por pequenos pontos coloridos – os pixels].

O Paint trabalha com bitmaps [imagens


formadas por pixels - os pequenos
quadradinhos].

Os arquivos feitos pelo Paint são normalmente salvos com a extensão PNG, mas o programa
também permite salvar os desenhos com outros formatos de arquivos de imagem, como JPG [JPEG],
GIF, TIFF e BMP.

Microsoft Windows – João Antonio Página 61


O Paint manipula imagens bitmap, não imagens vetoriais. As imagens vetoriais são usadas em
programas profissionais usados por designers no mundo todo, como o Corel Draw e o Adobe
Illustrator.

4.5.5. Ferramenta de Captura


É um pequeno aplicativo que auxilia o usuário na tarefa de capturar a tela do Windows [a tela inteira
ou apenas trechos dela].

Nas versões anteriores do Windows, quando este aplicativo não existia, era possível utilizar [ainda é
possível hoje], a tecla PRINT SCREEN [ou PRT SCR, ou PRT SCRN] para "tirar uma foto" da tela inteira.
Esse recurso era bem limitado e, no máximo, nos dava o direito de capturar a tela inteira [PRINT
SCREEN] ou capturar a janela ativa [janela que está à frente das demais], com o ALT+PRINT SCREEN.

Com a Ferramenta de Captura, presente dentro de Acessórios do Windows, é possível capturar a tela
inteira, uma janela qualquer [não necessariamente a ativa], uma área da tela [retangular] ou uma
área de formato livre [não necessariamente retangular].

Sim! Atenção a isso! A ferramenta de Captura pode capturar trechos da tela de formato "irregular"
[não retangular] - isso está lá nas opções do programa!!

Outra coisa, peço que você vá mexer lá para confirmar: é possível estabelecer um "timer" [o
programa chama de "atraso"] para que a captura seja feita em alguns segundos. Isso significa a
mesma ideia por trás do timer das máquinas fotográficas, quando se quer que o fotógrafo também
apareça nas fotos. Você determina o tempo, manda capturar a tela, prepara tudo enquanto o tempo
tá contando, e a "foto da tela" é tirada depois que o timer chega ao fim.

O atraso para captura pode ser de 0 [zero] até 5 [cinco] segundos.

4.5.6. Mapa de Caracteres


Ferramenta que apresenta a listagem completa de caracteres [símbolos] possíveis de inserir num
texto. Esses símbolos muitas vezes não conseguem ser inseridos via normal [teclado], porque o
teclado tem um número limitado de teclas e os arquivos das fontes [tipos de letras] têm mais de 65
mil combinações possíveis de caracteres atualmente.

Sim, esses símbolos especiais dependem da FONTE [tipo de letra] que você selecionar. Um símbolo
≈, por exemplo, na fonte ARIAL, pode ser representado como ⇔ na fonte CALIBRI. [isso foi só um

exemplo].

Microsoft Windows – João Antonio Página 62


Cada tipo de fonte [tipo de letra] é, na verdade, uma grande matriz [tabela] de símbolos, cada qual
associado a um código numérico. Quando digitamos algo no teclado, na verdade, estamos pedindo
para inserir "o símbolo associado ao código numérico tal" [a letra A, maiúscula, por exemplo,
equivale ao valor 65]... portanto, dependendo da fonte [tipo de letra], ela pode ser um formato ou
outro...

Observe, na figura a seguir, que o Mapa de Caracteres mostra todos os caracteres de uma
determinada fonte [você pode escolher qual fonte será mostrada na caixa de listagem na parte
superior].

Mapa de Caracteres do Windows 10 - visualizando a fonte


Arial

Observe, também, que há um campo logo na parte inferior da janela que permite selecionar [e
copiar] os caracteres que ali forem escolhidos pelo usuário para serem colados em qualquer
aplicativo onde se queira inseri-los.

É possível inserir os caracteres escolhidos no campo inferior pelo clique em SELECIONAR ou pelo
DUPLO CLIQUE no caractere na tabela. Depois de inserir o caractere desejado [ou mesmo mais de
um deles], basta clicar em COPIAR para depois poder colá-lo em qualquer programa desejado.

4.5.7. Painel de Entrada de Expressões Matemáticas


Recurso que faz uso de telas sensíveis ao toque ou sistemas que reconhecem canetas como
dispositivos de entrada para entender o que o usuário escreve e transformar isso em equações
matemáticas que podem ser inseridas em documentos do Word, planilhas do Excel e qualquer outro
programa que aceite objetos além de textos [não é possível inserir no Bloco de Notas, que só aceita
texto simples].

Microsoft Windows – João Antonio Página 63


Painel de Entrada de Expressões
Matemáticas

Para que este conteúdo seja colocado dentro de qualquer documento, clique no exato local onde
deseja que a equação seja colocada [no Word, por exemplo] e clique no botão INSERIR [mostrado
na parte de baixo da figura acima] - no vídeo em que eu falo sobre este recurso, eu simplesmente
não vi este bendito botão, pode isso?

O importante é que a equação será inserida dentro do programa que você estiver usando, como um
objeto editável, conforme se pode ver na figura a seguir:

Equação Inserida no Word - vira um objeto editável


pelo próprio Word

Na barra de título da janela deste programa, há três opções de menus: Histórico, Opções e Ajuda.
Cada qual com algumas opções de comandos bem interessantes. Não custa muito você dar uma
olhada lá.

4.5.8. Assistência Rápida


É um recurso novo no Windows 10 [não existia antes, em nenhuma versão do Windows]. Por meio
dessa ferramenta, é possível auxiliar alguém que pede ajuda no Windows 10, para que você possa
momentaneamente controlar o computador do solicitante por meio da Internet. É necessário que
aquele que pede ajuda solicite Obter Assistência e aquele que oferece a ajuda clique em Dar
Assistência.

Microsoft Windows – João Antonio Página 64


Assistência Rápida do Windows 10

Uma dica interessante: aquele que seleciona Dar Assistência deve usar o seu login e senha da
Microsoft [será pedido isso a ele] e será dado um código de seis dígitos para que ele possa prestar a
assistência [ele deve informar esse código ao usuário que está pedindo a ajuda]. O usuário que clica
em Obter Assistência deverá digitar esse código de seis dígitos [fornecido previamente pelo
prestador da ajuda] e clicar em Permitir para que o usuário que o irá auxiliar tenha acesso ao seu
computador para controlá-lo!

Sim! Você leu direito: quem PEDE ajuda deve digitar o código fornecido por quem OFERECE a
ajuda.

4.5.9. Gravador de Passos


Recurso bem interessante para registrar, por meio de textos e capturas de tela, todos os cliques e
usos do teclado que um usuário realizar enquanto o gravador estiver ativo.

Por meio deste recurso, é possível facilmente construir documentos de ajuda e de tutorial sobre
componentes do Windows e sobre outros programas sendo utilizados dentro do ambiente Windows.
[adeus trabalho excessivo para construir minhas apostilas!!!]

Como funciona? Fácil: ligue o programa, inicie a gravação dos passos, realize todos os passos
necessários que você deseja registrar no documento, pare a gravação dos passos. Depois disso, um
documento MHTML [HTML da Microsoft] será criado e lhe será solicitado, automaticamente, que ele
seja guardado num arquivo ZIP [compactado]. Portanto, o programa Gravador de Passos registra
tudo num arquivo MHTML, mas já o salva dentro de um arquivo ZIP.

A função oficial do Gravador de Passos é registrar os passos de um usuário para reportar um


problema para a Microsoft ou para alguém que o irá auxiliar posteriormente. O documento gerado

Microsoft Windows – João Antonio Página 65


é muito detalhado acerca de quais as operações que o usuário realizou, o que facilita demais a
resolução dos problemas que possam estar gerando o sintoma reportado pelo usuário.

4.5.10. Demais Acessórios e Programas que Acompanham o Windows 10


Esses programas que vamos listar agora também vêm junto com o Windows 10, mas não estão
dentro da pasta Acessórios do Windows. Eles podem ser encontrados diretamente dentro da lista de
Aplicativos, no menu Iniciar.

Calendário
Este aplicativo dá acesso a um calendário, configurado em conjunto com uma conta Microsoft ou
Google [gmail]. Este aplicativo acessa todos os eventos e compromissos marcados por você em seu
calendário geral.

É necessário ter uma conta Microsoft, Google ou outra que ofereça o recurso de calendário - este
programa apenas irá interagir com o calendário lá no seu provedor.

Câmera
Este aplicativo simples permite a comunicação com a webcam para poder tirar fotografias e realizar
filmagens. Há diversas configurações, como qualidade da filmagem, temporização antes da foto ser
efetivamente tirada, entre outras.

Clima
Aplicativo que dá informações acerca de temperatura, previsão do clima, umidade e outras
informações relacionadas ao clima do local onde o computador está localizado.

Complemento para Telefone


Programa interessante para integrar o computador com Windows 10 a smartphones e tablets que
usam Windows Phone, Android e iOs [sim, é possível realizar integração até mesmo com iPhone].
Os recursos permitem sincronizar dados entre celular e computador de modo que os dois se
comuniquem para sincronizar fotos, vídeos, calendário, entre outros.

Contatar o Suporte
Oferece uma forma de entrar em contato com o suporte da Microsoft para solicitar ajuda a certos
problemas. A tela é bem simples e conta com uma pergunta "How can I help you?" ["Como posso te
ajudar?"] e um campo para você descrever o seu problema. Se eles não conseguirem entender o teu
problema, ou a causa dele, provavelmente vão pedir para você utilizar o Gravador de Passos!

Microsoft Windows – João Antonio Página 66


Dicas
Este pequeno aplicativo tutorial traz muitas dicas interessantes para tornar mais eficiente a
utilização do Windows 10. Os conteúdos são apresentados em vídeos, textos e imagens. Tem uma
boa coleção de dicas bem interessantes aqui, ok? Dá uma olhada depois!

Filmes e TV
Este aplicativo dá acesso à Loja da Microsoft, bem na seção de Filmes e Séries de TV, para que você
possa comprar [ou alugar] filmes ou séries para assistir a elas no seu computador.

Fotos
Aplicativo para gerenciamento de suas fotos [arquivos de imagens presentes em seu computador].
Por meio dele, é possível criar álbuns diversos, separar as fotos automaticamente por data, local,
evento. É possível gerenciar também as fotos presentes no seu OneDrive [sistema de
armazenamento em nuvem fornecido pela Microsoft].

Loja
Dá acesso à Loja da Microsoft, onde é possível adquirir diversos aplicativos [gratuitamente ou não]
para instalar no computador. O mesmo ícone [da sacola de compras] pode ser encontrado na Barra
de Tarefas do Windows 10.

4.5.11. Sistema do Windows


Há um grupo [pasta] de itens na lista de Aplicativos do Windows chamado Sistema do Windows.
Esse conjunto de componentes traz em seu interior diversos programas interessantes que podem
vir a ser cobrados em prova, conforme vistos a seguir:

Pasta Sistema do Windows

Microsoft Windows – João Antonio Página 67


Os itens apresentados aqui que merecem nossa atenção são:

Dispositivos: abre diretamente o item Dispositivos do menu de Configuração do Windows [o ícone


da engrenagem azul faz-nos lembrar das Configurações, não é mesmo?];

Executar: abre o comando Executar [falo mais abaixo sobre ele];

Explorador de Arquivos: já o conhecemos demais, né?

Gerenciador de Tarefas: o mesmo programa conseguido pelo CTRL+ALT+DEL [falamos mais


adiante nele também];

Meu Computador: abre a janela do Explorador de Arquivos diretamente no item Este Computador.

Painel de Controle: abre o famoso Painel de Controle do Windows, em sua versão original, sem a
"roupagem" da janela Configurações.

Programas Padrão: abre o menu Configurações diretamente na tela de Programas Padrão, que
fica dentro do item Sistema – permite configurar quais programas serão responsáveis por abrir quais
tipos de arquivos no computador.

Prompt de Comando: abre uma janela do Prompt, tela semelhante ao ambiente DOS, onde é
possível realizar a digitação de ordens por meio de comandos textuais [e não de cliques com o
mouse]. Sim, estamos falando daquela tela preta, com letras brancas, que a gente normalmente tem
horror! ;-]

Windows Defender: abre o programa Windows Defender, o antimalware [antivírus, anti-qualquer


outro programa malicioso] que vem junto com o Windows. Se você tiver um outro antivírus instalado
em seu computador, o Windows Defender estará desabilitado.

4.6. Outras Dicas Sobre o Windows

Vamos a mais algumas informações que podem ser cobradas em sua prova sobre o Windows 10.
Entenda, porém, que o mais provável é que na sua prova só venham questões sobre o Explorador de
Arquivos! Só é comum que apareçam questões sobre outros pontos do Windows se houver
quantidade interessante de questões na prova [tipo: 2 ou 3 só para Windows]...

Microsoft Windows – João Antonio Página 68


4.6.1. Combinações com a tecla [Logotipo do Windows]
Além de CTRL, SHIFT e ALT com as quais nunca nos acostumamos, a tecla Logotipo do Windows
[vista no início deste capítulo] pode ser usada em combinações com outras teclas para acionar
comandos mais rapidamente. Conheça as combinações:

Acione... ...para...

+E Abrir o Windows Explorer

+R Abrir a janela do comando Executar

Mostrar o Desktop [Área de Trabalho] – faz as janelas abertas atualmente


+D
desaparecerem e reaparecerem

+M Minimizar todas as janelas [não as restaura]

Bloquear o computador, exigindo senha para que ele possa voltar a ser
+L
utilizado.

Abrir a janela de configuração de projeção – permitindo que se definam as


+P
opções de projeção {imagem do Windows em mais de uma tela}.

+T Alternar entre os botões abertos na Barra de Tarefas.

Acionar um menu lateral que pode ser acionado por meio de teclado – ideal
+X
para pessoas com necessidades motoras especiais.

Acionar o utilitário “Central de Facilidade de Acesso” para ajudar as


+U definições de acessibilidade, como Lupa, Teclado Virtual, Narrador, entre
outras.

Abrir a janela de Configurações do Windows 10 [a central de controle do


+I
sistema, que “assumiu o papel” do Painel de Controle].

4.6.2. Atributos dos Arquivos


Como todo sistema operacional, o Windows grava os arquivos em seu disco com algumas
“características” próprias, que chamamos de atributos.

Microsoft Windows – João Antonio Página 69


Quando clicamos com o botão direito do mouse em um arquivo e acionamos o comando
Propriedades, temos acesso às informações a respeito do arquivo, como data de criação, nome,
tamanho e também podemos ver seus atributos.

Além dos dois primeiros atributos apresentados na parte inferior da janela, temos acesso aos
Atributos Avançados, por meio do botão Avançados..., também nesta janela.

Janela Propriedades do Arquivo e


Caixa Atributos Avançados

A estrutura por meio da qual o Windows grava seus arquivos define três atributos possíveis a
qualquer arquivo:

- Somente Leitura: define que o arquivo não poderá ser salvo, apenas lido. Ou seja, um arquivo
marcado com esse atributo não pode ser modificado a menos que se retire a definição de Somente
Leitura.

- Oculto: define que o arquivo não será visto nas janelas do Explorador de Arquivos. Só é possível
acessar esse arquivo se o nome dele for conhecido [ou se a opção de visualizar arquivos ocultos
estiver ligada no Explorador].

E dentro da janela Atributos Avançados [acessível por meio do botão Avançados...]:

- O arquivo está pronto para ser arquivado [antigamente chamado de “Arquivo Morto”, ou
“Arquivamento”]: define que o arquivo em questão participará do próximo backup a ser realizado
no computador. Esse atributo só é interessante para programas de backup.

- Permitir que o conteúdo do arquivo seja indexado junto com as propriedades do arquivo: inclui
o conteúdo do arquivo na tabela de índice de pesquisa do Windows [essa tabela normalmente
contém apenas as propriedades básicas do arquivo, como data de modificação, data de criação,
tamanho etc.].

Microsoft Windows – João Antonio Página 70


- Compactar o conteúdo: grava o arquivo no disco de forma compactada, assim, o arquivo é
armazenado consumindo muito menos bytes em disco.

- Criptografar o conteúdo: grava o arquivo no disco, escrevendo-o de forma embaralhada


[criptografada], assim, ele só poderá ser aberto pelo usuário que o criou, quando este faz seu logon
no Windows.

4.6.3. Windows Update


Recurso que permite ao Windows se conectar aos servidores da Microsoft para se “atualizar” com os
novos componentes e programas que a Microsoft coloca à disposição dos usuários.

Regularmente a Microsoft coloca, na Internet, pequenos programas corretivos ou atualizações do


Windows [e do Office, como o Word e Excel] para que os usuários possam ter sempre um sistema
novo e seguro [pelo menos, é esse o intuito]. O Windows Update é uma opção da seção Atualização
e Segurança, da janela Configurações que faz a busca dessas novidades nos servidores da Microsoft
e as instala no computador [com a autorização do usuário].

Windows Update [na janela


Configurações]

As atualizações “isoladas”, uma a uma, são, normalmente, conhecidas como Patches [“curativos”].

De vez em quando, a Microsoft libera, de uma vez só, um grande pacote de atualizações reunidas,
aliadas a novos recursos. Essa “operação plástica” é chamada de Service Pack [“Pacote de Serviços”].

Um Service Pack demora muito para ser lançado pela Microsoft, e, normalmente, traz mudanças
significativas em vários aspectos para o sistema operacional.

Só um lembrete: algumas dessas atualizações exigem que se reinicie o computador para que
tenham efeito [pois algumas delas só se instalam ou no momento do desligamento, ou no momento
da inicialização do Windows].

Microsoft Windows – João Antonio Página 71


4.6.4. Comando Executar
Permite ao usuário abrir qualquer arquivo [executável ou de dados] e pasta desde que se conheça o
endereço completo para achar o referido objeto. O comando Executar é encontrado no menu Iniciar
[em Aplicativos / Sistema do Windows / Executar]. Verifique, a seguir, a janela do comando
executar em ação.

Janela do Comando Executar

Note a necessidade de escrever o caminho completo para o objeto que se deseja abrir [seja um
programa, um arquivo, uma pasta ou uma página da Internet].

É possível, inclusive, executar arquivos em outros computadores da rede, bastando informar


\\computador\diretórios\arquivo.

4.6.5. Comandos de Desligamento


O comando Ligar/Desligar é acionado normalmente por meio da opção própria no menu Iniciar.

Comando Ligar/Desligar do Windows 10 e suas Opções

As opções apresentadas nesta caixa são:

- Desligar: o computador será desligado;

- Reiniciar: o computador será desligado e religado imediatamente;

Microsoft Windows – João Antonio Página 72


- Suspender: coloca o computador em estado suspenso [estado de baixo consumo de energia], onde
monitor, discos rígidos e outros equipamentos são desligados, mas o sistema continua sendo
executado na memória principal. Lembre-se de que neste estado, o processador e a memória
principal continuam funcionando [além, claro, da placa mãe], mas os circuitos desnecessários são
desligados. Ou seja, o micro continua ligado!

- Hibernar: grava todo o conteúdo da memória principal em um arquivo no disco rígido e, em


seguida, desliga o computador. Quando o computador for religado, o Windows vai ler o conteúdo
desse arquivo e jogá-lo na memória RAM, para que o computador reinicie exatamente do mesmo
ponto em que havia parado.

Lembre-se de que a Hibernação criará um arquivo, do mesmo tamanho da memória principal


física [a RAM], em uma unidade de disco rígido [normalmente a unidade C:]. Ao reiniciar o
computador, todas as janelas que estavam abertas e todos os textos que estavam sendo vistos
no momento do desligamento do micro serão recuperados exatamente da mesma forma como
estavam no momento da hibernação.

- Fazer Logoff: encerra a sessão de trabalho atual, volta à tela de login e pede que outro usuário
insira seu login e senha [pode ser o mesmo usuário que acabou de sair, também].

4.6.6. CTRL+ALT+DEL
Acionar a combinação de teclas CTRL+ALT+DEL também permite acesso a uma janela que contém
as todas as opções da Caixa Desligar, além de opções para Troca da Senha [do usuário atual] e
acesso ao Gerenciador de Tarefas.

Ao executarmos CTRL+ALT+DEL aparece isso...

Microsoft Windows – João Antonio Página 73


O Gerenciador de Tarefas é um utilitário, pertencente ao Windows, que permite manusear, entre
outras coisas, os programas em execução no computador [programas que estão abertos na
memória RAM - chamados de "Processos"]. É possível, inclusive, excluir um programa da RAM
forçadamente [se ele estiver travado, por exemplo, ou seja, “não estiver respondendo”].

Use, para isto, a opção Finalizar Processo, na guia Processos desta janela!

Gerenciador de Tarefas do Windows 10 –


ATENÇÃO: a tecla de atalho
CTRL+SHIFT+ESC abre esta janela
diretamente, sem passar pela tela azul do
CTRL+ALT+DEL.

4.7. Considerações Finais sobre Windows

Bem, amigo leitor, com isso terminamos o estudo do sistema operacional Windows 10. Há muito
mais coisa nele, sim, mas acredito que o importante para as provas foi bem abordado [acho até que
tem mais coisa do que aquilo que provavelmente você irá enfrentar]... Vamos continuar nossos
estudos com os programas de Texto e Planilha!

Lembre-se de assistir aos vídeos citados neste material, que podem resumir – e apresentar de forma
mais prática – o conteúdo que aqui no material foi minuciosamente detalhado.

Que tal, agora, experimentar seus novos conhecimentos com algumas questões propostas?

Microsoft Windows – João Antonio Página 74


5. Questões Propostas para Fixação

1) Acerca das características do Windows 10, julgue os itens a seguir como CERTOS ou
ERRADOS:

a) O Windows 10 utiliza a ideia de multitarefa preemptiva. Nesse modelo de multitarefa, cada


aplicativo utiliza os recursos do computador (CPU, RAM) por um tempo determinado pelo
Sistema Operacional, evitando que um aplicativo "se aproprie" eternamente do computador,
travando o sistema todo em caso de travamento do aplicativo em questão.

b) Uma das características que o Windows compartilha com outros sistemas operacionais é a
de que ele é Case-Sensitive, ou seja, que ele consegue distinguir entre caracteres maiúsculos
e minúsculos nos nomes dos arquivos e pastas no sistema.

2) Acerca das características principais do Windows, julgue os itens a seguir:

a) No Windows, as principais unidades de disco do computador são nomeadas com uma letra
do alfabeto seguida do sinal de : (dois-pontos). Um exemplo são as unidades A:, B: e C:,
usadas para representar unidades de disco rígido (HD) no computador.

b) O Windows 10 é um sistema operacional predominantemente de 64 bits.

3) Considere o endereço C:\Relatórios\2017\Março\questoes.docx, julgue os itens a seguir:

a) Podemos inferir do endereço que C:, Relatórios e 2017 são diretórios (pastas) e que Março e
questoes.docx são arquivos dentro da pasta 2017.

b) O endereço descrito no enunciado aponta para um arquivo armazenado dentro de uma


unidade de disco rígido.

4) Acerca das características do Windows, julgue os itens a seguir:

a) Numa pasta chamada "casa", é possível ter gravado um arquivo chamado "CASA".

b) Chamamos de "unidade", no Windows, qualquer dispositivo de memória permanente em


nosso computador. Dentro das unidades, podemos criar pastas e arquivos. As informações
que nós gravamos permanentemente são chamadas de arquivos.

Microsoft Windows – João Antonio Página 75


5) Acerca da interface do Windows 10, julgue os itens a seguir:

a) À tela inicial do Windows 10, damos o nome de Desktop, ou Área de Notificação.

b) Barra de Tarefas é o nome dado à barra horizontal que se encontra na parte inferior de
Desktop do Windows. Essa barra possui vários componentes, como a área de notificação e o
botão iniciar.

6) Acerca dos principais componentes da interface do Windows, julgue os itens a seguir:

a) Para abrir o Menu Iniciar, que contém todos os atalhos para todos os aplicativos e
configurações no Windows 10, é possível realizar diversas ações, como clicar no próprio
botão Iniciar, clicar na tecla WIN (tecla com o símbolo do Windows) ou por meio da
combinação CTRL+ALT.

b) CORTANA é o nome dado à assistente pessoal do Windows 10, que permite fazer buscas
dentro do Windows, dentro do computador e em sites da Internet. Ela se apresenta como um
campo de pesquisa localizado na Barra de Tarefas.

7) Julgue os itens a seguir sobre o Windows 10 e seus principais componentes:

a) Ao excluir um atalho do Desktop, ou do menu Iniciar, ou da Tela Inicial resulta no


apagamento do programa a ele associado.

b) A seção de itens MAIS USADOS, na coluna dos aplicativos do Menu Iniciar é composta dos
programas que o usuário deliberadamente fixar nesta área.

c) O Menu Iniciar tem, entre suas áreas, a "Tela Inicial", que traz atalhos de programas como
um mosaico de retângulos para facilitar o uso do Windows por meio de telas Touch Screen
(telas sensíveis ao toque). É possível fixar e desafixar itens da Tela Inicial. Depois de fixado
na tela inicial, um atalho de um programa pode ser redimensionado para retângulos de
tamanhos variados.

8) Acerca dos principais componentes da tela inicial do Windows e do Menu Iniciar, julgue os
itens a seguir:

a) O comando SAIR, no menu Iniciar, efetua o desligamento do computador.

Microsoft Windows – João Antonio Página 76


b) Hibernação é um recurso de desligamento do Windows que permite que o Windows entre
em modo de baixo consumo de energia, permitindo que quando o usuário acione o mouse
ou alguma tecla do teclado, o computador volte a trabalhar imediatamente e todas as
janelas reapareçam abertas exatamente do mesmo jeito que estavam quando a hibernação
foi acionada.

9) Acerca do Menu Iniciar, julgue os itens a seguir:

a) No menu Iniciar, o comando BLOQUEAR serve para travar a sessão do usuário, impedindo o
uso normal do Windows até que o usuário informe, novamente a sua senha para
desbloqueá-lo.

b) A Opção CONFIGURAÇÕES, no Menu Iniciar do Windows 10, substituiu completamente o


recurso anterior chamado Painel de Controle. Por esta razão, o Painel de Controle não mais
existe na versão 10 do Windows.

10) Acerca do mouse no Windows e do menu Iniciar do programa, julgue os itens a seguir:

a) Explorador de Arquivos é o nome dado, no Windows 10, ao programa responsável por


gerenciar o conteúdo do computador, como pastas e arquivos. Em versões anteriores do
Windows, ele era conhecido como Internet Explorer.

b) Ao clicar em qualquer ponto do Windows com o botão direito do mouse (também chamado
de botão auxiliar), surge um menu cujas opções referem-se ao local onde se clicou - ou seja,
as opções do menu do botão direito mudam de acordo com o local onde o clique ocorreu. A
esse menu "mutante" damos o nome de Menu de Contexto.

11) Acerca da barra de tarefas do Windows 10, julgue os itens a seguir:

a) Alguns ícones na barra de tarefas apresentam uma linha horizontal abaixo deles. Isso
significa que esses ícones estão afixados na barra de tarefas.

b) Os ícones que apontam para os programas e que estão fixos na barra de tarefas são apenas
atalhos para os programas originais. Se o usuário os retirar da barra de tarefas do Windows,
não estará apagando ou desinstalando os programas de seu computador.

12) Acerca da barra de tarefas e de seus botões, julgue os itens a seguir:

Microsoft Windows – João Antonio Página 77


a) A Central de Ações do Windows é representada por um ícone em formato de "balãozinho"
localizado na Área de notificação. Este programa residente mostra "alertas" sobre o Windows
para o usuário sobre diversas questões de segurança, por exemplo.

b) A barra de tarefas pode ser posicionada no topo do Desktop e também nas laterais do
Desktop. Para fazer isso, basta clicar em qualquer área sem ícones da barra de tarefas e
arrastá-la para a posição desejada.

13) Acerca da Cortana, assistente pessoal do Windows 10, julgue os itens a seguir:

a) O campo de pesquisa da CORTANA no menu iniciar é usado apenas para procurar programas
e aplicativos dentro do menu iniciar.

b) CORTANA é a assistente pessoal do Windows 10, auxiliando o usuário em pesquisar por


conteúdo através da digitação de partes do conteúdo pesquisado ou mesmo por meio de
comandos de voz para a realização de ações diversas.

c) CORTANA faz pesquisas na Web originalmente pelo sistema de buscas do Google.

14) Acerca dos componentes de uma janela do Windows, julgue os itens a seguir:

a) Um clique no botão X da janela realiza o imediato fechamento da janela em questão.

b) Outra maneira de maximizar uma janela, ou de restaurá-la ao seu tamanho original, caso já
esteja maximizada, é aplicar um duplo-clique na barra de títulos da referida janela.

15) Acerca do uso natural das janelas do Windows 10, julgue os itens a seguir:

a) Ao arrastar pelas bordas da janela, é possível movê-la pelo Desktop, inclusive arrastando-a
para as bordas do Desktop para que seja maximizada, ou para que altere seu tamanho para
redimensionar para a metade da tela.

b) Outra forma de Maximizar uma janela é por meio do arrasto da janela até que ela toque no
centro da borda superior do Desktop.

16) Acerca das principais operações com janelas, julgue os itens a seguir:

a) Ribbon, ou faixa de opções, é o novo nome dado às barras de menu nas janelas atuais. (essa
assertiva está associada ao vídeo 05a - "Alguns Segredos das janelas").

Microsoft Windows – João Antonio Página 78


b) É possível fechar uma janela por meio do botão X que aprece no topo direito da miniatura
(thumb) da janela que surge ao posicionar o mouse sobre o botão da janela na barra de
tarefas.

c) A combinação de teclas de atalho que fecha uma janela no Windows 10 é ALT+F4.

17) Acerca da interface do Explorador de Arquivos do Windows 10, julgue os itens a seguir:

a) O Painel do Conteúdo, a grande área à direita na Interface do Explorador de arquivos, é


responsável por mostrar o conteúdo (pastas, arquivos e demais objetos) da pasta que você
selecionou no painel de navegação.

b) O painel localizado à esquerda da interface do Explorador de Arquivos, também conhecido


como Painel de Navegação, permite a visualização de toda a estrutura do computador como
um grande organograma, com todos os níveis e subníveis. É possível visualizar, nesta área,
unidades de disco, pastas, diretórios em geral e arquivos de todo o computador e mesmo até
de outros computadores pela rede.

18) Acerca da interface do Explorador de Arquivos do Windows 10, julgue os itens a seguir:

a) Na barra de endereços do Explorador de Arquivos, o último nome apresentado é exatamente


o nome da pasta cujo conteúdo está sendo visualizado no momento. Ou seja, o último nome
na barra de endereços é o nome da pasta que está neste momento aberta sendo explorada.

b) Por meio de indicadores visuais, na forma de setas, localizados ao lado das pastas no Painel
de Navegação, é possível concluir, sem precisar olhar para o painel de conteúdo, se uma
pasta está vazia ou se ela possui arquivos em seu interior.

19) Acerca da interface do Explorador de Arquivos do Windows 10, julgue os itens a seguir:

a) DETALHES é o layout de visualização que permite visualizar o conteúdo organizando os


itens em colunas que permitem rapidamente ordenar a exibição por critérios como NOME,
DATA DE MODIFICAÇÃO, TAMANHO e TIPO dos arquivos, facilitando a leitura e o processo
de encontrar tais arquivos na listagem.

b) DIRETÓRIO é o nome dado a qualquer item da estrutura do computador que pode ter
conteúdo - arquivos e pastas. Unidades de Disco e Pastas são diretórios. Arquivos não são
considerados Diretórios.

Microsoft Windows – João Antonio Página 79


20) Acerca da interface do Explorador de Arquivos do Windows 10, julgue os itens a seguir:

a) A melhor descrição do que é um DIRETÓRIO é uma LISTAGEM.

b) Os dois modos de Layout acessíveis por meio dos botões na barra de status da janela, na
parte inferior direita do Explorador de Arquivos são DETALHES e ÍCONES MÉDIOS.

21) Acerca da Criação de Pastas e Arquivos no Explorador de Arquivos do Windows 10, julgue os
itens a seguir:

a) Para criar uma pasta dentro da Unidade D:, é correto clicar com o botão direito do mouse em
qualquer área em branco em D: e acionar a opção NOVA PASTA.

b) Uma pasta só está oficialmente criada depois que seu nome é definido pelo usuário.

c) É possível criar uma pasta por meio do botão NOVO ITEM, no grupo NOVO da guia INÍCIO do
Explorador de Arquivos.

22) Acerca da Criação de Pastas e Arquivos no Explorador de Arquivos do Windows 10, julgue os
itens a seguir como CERTOS ou ERRADOS

a) Ao pressionar a tecla ESC logo após solicitar a criação de uma pasta, o usuário realiza o
cancelamento da criação desta pasta.

b) O Explorador de Arquivos do Windows 10 oferece ao usuário a possibilidade de criar, além


de pastas, arquivos de diversos tipos, como Documentos do Word, Planilhas do Excel.

c) A criação de uma pasta pode ser realizada, também, por meio da combinação de teclas
CTRL+SHIFT+N.

23) Acerca do ato de Renomear Pastas e Arquivos no Explorador de Arquivos do Windows 10,
julgue os itens a seguir:

a) A tecla de atalho para executar o comando RENOMEAR é F2.

b) Dois arquivos podem ter o mesmo nome, dentro da mesma pasta, desde que apresentem
extensões diferentes.

Microsoft Windows – João Antonio Página 80


24) Sobre o Explorador de Arquivos e os comandos de renomear arquivos e pastas, julgue os
itens a seguir como CERTOS ou ERRADOS:

a) Para converter um arquivo DOCX (Word) para PDF (Adobe Reader), é suficiente alterar-lhe
a extensão.

b) Uma das formas de executar o comando RENOMEAR é: (a) SELECIONAR o objeto desejado;
(b) CLICAR no nome do objeto; (c) DIGITAR o novo nome; e (d) acionar ENTER.

25) Acerca dos comandos de exclusão de arquivos e pastas, julgue os itens a seguir:

a) A opção MOSTRAR CONFIRMAÇÃO DE RECICLAGEM é usada para definir se a lixeira será


usada ou não naquele computador.

b) Tanto a tecla DELETE (DEL) como a combinação de teclas CTRL+D podem ser usadas para
realizar a exclusão de um arquivo ou pasta.

26) Acerca dos comandos de exclusão de arquivos e pastas e dos conceitos da Lixeira, julgue os
itens a seguir:

a) O Windows 10 cria uma pasta "Lixeira" em cada unidade de disco do computador, incluindo
Discos Rígidos e Pendrives.

b) A lixeira tem um tamanho máximo configurável nas Propriedades da Lixeira. Essa


configuração permite a escolha deste tamanho por % da capacidade de armazenamento do
Disco em questão.

c) A Lixeira mantém arquivos e pastas em seu conteúdo por tempo determinado pelo usuário,
apagando-os automaticamente quando este tempo é atingido.

27) Acerca dos conceitos de Exclusão de Arquivos, julgue os itens a seguir:

a) Quando um arquivo é apagado definitivamente, o Windows pode recuperá-lo naturalmente


usando comandos e recursos existentes na Lixeira.

b) Para excluir definitivamente um arquivo, pode-se usar a combinação de teclas


CTRL+DELETE.

Microsoft Windows – João Antonio Página 81


c) Um arquivo excluído definitivamente de uma unidade de Pendrive pode ser recuperado por
ferramentas de recuperação de arquivos encontradas em programas de terceiros.

28) Acerca dos processos de cópia e movimentação de arquivos e pastas, julgue os itens a seguir:

a) Só é possível mover um arquivo entre pastas da mesma unidade de disco.

b) Ao arrastar um arquivo contido numa pasta da unidade C: para um pendrive, o arquivo


original não deixa a sua pasta de origem.

c) Os processos de cópia e movimentação de arquivos oferecem ao usuário resultados idênticos


por meio da execução de etapas bem semelhantes.

29) Ainda sobre copiar e mover arquivos e pastas, julgue os itens a seguir:

a) A tecla de atalho CTRL+V pode ser usada para concluir tanto o processo de movimentação
como o processo de cópia de um arquivo.

b) O processo de cópia de um arquivo pode ser realizado por meio da utilização dos comandos
RECORTAR e COPIAR.

30) Considerando um arquivo chamado RELATÓRIO dentro de uma pasta chamada


DOCUMENTOS, localizada na unidade C:, julgue os itens a seguir:

a) Não é necessário segurar a tecla SHIFT durante o arrasto do referido arquivo para a pasta
PLANILHAS da unidade C: caso se deseje movê-lo.

b) Caso o arquivo seja arrastado para a pasta PLANILHAS, na unidade C:, será efetivado um
processo de cópia do referido arquivo.

c) Caso o arquivo seja arrastado para a pasta PLANILHAS, na unidade D:, será efetivado um
processo de cópia do referido arquivo.

31) Acerca dos diversos comandos do Explorador de Arquivos, julgue os itens a seguir:

a) Para selecionar vários arquivos adjacentes, é suficiente clicar no primeiro arquivo e,


segurando a tecla CTRL, clicar no último arquivo da listagem desejada.

Microsoft Windows – João Antonio Página 82


b) Ao renomear diversos arquivos selecionados simultaneamente, o Windows adicionará um
indicador para diferenciar os nomes de arquivos que seriam idênticos. Esse indicador é um
número entre parênteses.

c) A combinação de teclas que permite a seleção de TODOS OS OBJETOS contidos no painel de


conteúdo do Explorador de Arquivos é CTRL+A.

32) Acerca dos principais recursos do Explorador de Arquivos do Windows 10, julgue os itens a
seguir como CERTOS ou ERRADOS:

a) Arquivos ocultos são arquivos que receberam o atributo "oculto" em suas propriedades.
Arquivos ocultos não podem ser vistos no Explorador de Arquivos, sob nenhuma hipótese.

b) Por meio do botão ZIP, na guia COMPARTILHAR, é possível transformar vários arquivos em
um único arquivo compactado com extensão ZIP. Os arquivos ZIP são vistos como "pastas"
no Explorador de Arquivos do Windows 10 e, por isso, aparecem também no Painel de
Navegação do programa.

c) O Recurso de Histórico do Explorador de Arquivos registra diversas versões dos seus arquivos,
consumindo mais espaço em disco, mas oferecendo a capacidade de restaurar o conteúdo
dos arquivos a versões anteriores.

33) Acerca das ferramentas gerais do Explorador de Arquivos, julgue os itens a seguir:

a) Por meio do campo PESQUISAR, ao lado da barra de endereços do Explorador de Arquivos,


é possível localizar arquivos, na pasta em questão, por meio de seus nomes (ou trechos de
seus nomes) e de seus conteúdos (ou trechos de seus conteúdos).

b) Na guia EXIBIR do Explorador de Arquivos, é possível ligar um recurso de acessibilidade


chamado CAIXAS DE SELEÇÃO DE ITEM. Por meio deste comando, será habilitada uma caixa
de seleção ao lado de cada ícone de arquivo ou pasta, para permitir a seleção múltipla destes
apenas por meio do uso do mouse.

c) A guia EXTRAIR só aparece quando o usuário seleciona um arquivo que está compactado
dentro de um arquivo ZIP. Ela permite que este arquivo seja retirado da pasta compactada
ZIP.

34) Acerca das principais ferramentas do Explorador de Arquivos, julgue os itens a seguir:

Microsoft Windows – João Antonio Página 83


a) NTFS é um sistema de arquivos (conjunto de regras de gravação em discos) usado pelo
sistema operacional Windows para normalmente Discos Rígidos, mas é possível usá-lo em
pendrives também.

b) Quando o usuário seleciona um item de Unidade de Disco, surgem ferramentas de Unidade,


na guia GERENCIAR. Entre eles, pode-se mencionar o comando LIMPEZA, que dá ao usuário
a capacidade de apagar completamente todo o conteúdo do disco, definindo o sistema de
arquivos e o tamanho da unidade de alocação do disco, preparando-o para ser usado.

c) Os botões GIRAR À ESQUERDA e GIRAR À DIREITA são ferramentas existentes na guia


GERENCIAR, das Ferramentas de Imagem, que aparece quando se seleciona um arquivo de
imagem, como os que têm extensão JPG, JPEG, BMP, PNG e GIF, por exemplo.

35) Acerca das ferramentas e recursos do Explorador de Arquivos do Windows, julgue os itens a
seguir:

a) O Comando REPRODUÇÃO AUTOMÁTICA serve para definir o comportamento do sistema


Windows quando da inserção de uma unidade de disco removível no sistema.

b) O recurso chamado BitLocker criptografa as unidades de disco rígido no computador para


fornecer proteção avançada contra roubo ou a exposição de dados nos computadores e nas
unidades removíveis perdidas ou roubadas.

c) O comando OTIMIZAR UNIDADES é usado para organizar os dados em um disco magnético


(como um disco rígido). Num pendrive, o processo de otimização de unidades é dispensável.

36) Acerca do recurso de Configurações do Windows 10, julgue os itens a seguir:

a) As operações de Backup e Recuperação de dados no Windows 10 podem ser encontradas


no item Atualização e Segurança.

b) O Menu Configurações substitui completamente o Painel de Controle, razão pela qual este
programa não se encontra mais acessível nas novas versões do Windows, como o Windows
10.

37) Acerca do Menu Configurações e das opções que podemos alterar dentro do Windows 10,
julgue os itens a seguir como CERTOS ou ERRADOS.

Microsoft Windows – João Antonio Página 84


a) Os ajustes acerca do formato da Barra de Tarefas e do Menu Iniciar podem ser encontrados
no item Facilidade de Acesso, no Menu de Configurações do Windows 10.

b) É possível ajustar configurações como a conexão Wi-Fi, VPN, Modo Avião e a conexão com
fio (Ethernet) por meio de opções presentes no item Rede e Internet do menu Configurações.

38) Acerca do Menu Configurações e das opções que podemos alterar dentro do Windows 10,
julgue os itens a seguir como CERTOS ou ERRADOS.

a) É possível alterar os aplicativos padrão que serão usados para abrir certos tipos de arquivos
por suas extensões dentro do item Sistema, no Menu Configurações.

b) Para alterar a resolução da tela mostrada no monitor, pode-se fazer uso de opções
encontradas dentro do item Dispositivos.

39) Acerca do Menu Configurações e das opções que podemos alterar dentro do Windows 10,
julgue os itens a seguir como CERTOS ou ERRADOS.

a) Teclas de Filtragem são uma opção, dentro de Facilidades de Acesso, que emite sons sempre
que o usuário pressiona uma tecla de travamento, como Caps Lock, Scroll Lock e Num Lock.

b) Teclas de Aderência são uma opção, dentro de Facilidades de Acesso, que permite o
travamento facilitado das teclas CTRL, SHIFT e ALT, permitindo que o usuário as trave sem
precisar mantê-las pressionadas, ou seja, travando-as apenas com um simples toque.

40) Acerca das configurações do Windows 10, julgue os itens a seguir:

a) O menu Configurações e o Painel de Controle do Windows 10 existem concomitantemente


e de forma concorrente. As opções do Configurações são mais recentes e mais completas
que as opções de ajustes oferecidas pelo Painel de Controle.

b) O recurso Windows Update substituir o antigo antivírus da Microsoft, o Windows Defender.


Ambos podem ser configurados no item Atualização e Segurança, no Menu Configurações.

41) Acerca dos acessórios do Windows 10, julgue os itens a seguir:

a) O Paint é um programa de edição de imagens bitmap (imagens formadas por mosaicos de


pequenos quadrados chamados pixels). Seu formato padrão de arquivos salvos é BMP.

Microsoft Windows – João Antonio Página 85


b) O Wordpad é um programa processador de textos que acompanha o Windows 10. O
Wordpad é capaz de salvar textos em formato rico (RTF), aceitando, portando efeitos de
formatação do texto, além de permitir a inserção de imagens, tabelas e outros objetos além
do texto em si. É possível usar o Wordpad para salvar arquivos em formato DOCX e ODT, por
exemplo, usados pelos programas profissionais de processamento de textos.

c) O Bloco de Notas é um programa Editor de Texto que acompanha o Windows 10. Ele é capaz
de manipular arquivos de texto simples, apenas. Isso significa que o Bloco de Notas não
consegue oferecer opções de texto rico (RTF), como o Wordpad.

42) Acerca dos acessórios do Windows 10, julgue os itens a seguir:

a) O navegador Microsoft Internet Explorer é a nova versão do navegador que acompanha o


Windows 10, substituindo definitivamente, a versão anterior, o Microsoft Edge.

b) A Ferramenta de Captura permite capturar trechos da tela do Windows, criando imagens


bitmap que podem ser coladas em diversos programas, como o Bloco de Notas.

43) Acerca dos acessórios do Windows 10, julgue os itens a seguir:

a) Gravador de Passos é usado para capturar diversos trechos da tela do Windows em


sequencia a cada clique que o usuário efetua enquanto o processo de gravação estiver ativo.

b) O recurso de Assistência Rápida permite que duas pessoas (usuários) se conectem para que
uma delas possa ajudar a outra na utilização do computador com Windows 10.

44) Acerca dos acessórios do Windows 10, julgue os itens a seguir em CERTOS ou ERRADOS:

a) Bitmaps são exemplos de imagens construídas por meio de equações matemáticas. O Paint
consegue manipular imagens formadas por pequenos quadrados (pixels) - essas imagens
são chamadas de Imagens vetoriais.

b) O Mapa de Caracteres dá acesso à coletânea de caracteres que não podem ser inseridos pelo
teclado. Todos os caracteres possíveis de encontrar por meio do teclado não são encontrados
por este acessório.

45) Acerca dos acessórios do Windows 10, julgue os itens a seguir:

Microsoft Windows – João Antonio Página 86


a) Arquivos com extensão MP3, MP4, AVI, MPEG e WAV podem ser abertos naturalmente pelo
acessório Wordpad.

b) Processadores de Texto como o Wordpad não conseguem salvar arquivos no formato TXT
porque tais programas utilizam normalmente efeitos de formatação, como Negrito e Itálico.
O programa Bloco de Notas, por sua vez, não consegue salvar arquivos com o formato DOC,
porque não tem condições de escrever no formato de texto rico - texto com efeitos.

46) Acerca dos vários recursos do Windows 10, julgue os itens a seguir:

a) Dentre as opções da Central de Ações do Windows 10, podemos mencionar os itens VPN,
Rede, Modo Tablet, Projetar e Modo Avião.

b) O acesso ao gerenciador de tarefas do Windows 10 se dá por meio do uso da combinação de


teclas CTRL+ALT+DELETE.

47) Acerca dos vários recursos do Windows 10, julgue os itens a seguir:

a) Após acionar CTRL+ALT+DELETE, várias opções são apresentadas, entre as quais a opção
Sair, que permite que o usuário encerre a sua sessão do Windows.

b) Gerenciador de Tarefas é o aplicativo que permite organizar o horário de execução das


tarefas que o usuário tem que realizar, como uma agenda de compromissos.

48) Acerca dos vários recursos do Windows 10, julgue os itens a seguir:

a) Por meio do item Loja, é possível encontrar e instalar aplicativos diversos, gratuitos ou por
meio de pagamento.

b) A calculadora do Windows permite o envio dos resultados dos seus cálculos por meio do
comando COPIAR, de modo que se possa colar o resultado em qualquer programa que aceita
texto ou número.

49) Acerca dos vários recursos do Windows 10, julgue os itens a seguir:

a) A opção Lupa, dentro de Acessórios do Windows, no menu Iniciar, permite ampliar certas
áreas da tela para facilitar a leitura por parte de quem tem dificuldades visuais.

Microsoft Windows – João Antonio Página 87


b) O Firewall do Windows é uma ferramenta completa de proteção contra invasões,
comunicações suspeitas e malware diversos. A utilização do Firewall do Windows dispensa
a instalação de programas antivírus, como o próprio Windows Defender.

50) Acerca dos vários recursos do Windows 10, julgue os itens a seguir:

a) O Gerenciador de Tarefas permite fechar aplicativos diversos, travados ou não, por meio da
opção Finalizar Tarefa.

b) O recurso Complemento para Telefone permite configurar a integração entre o Windows 10


e um smartphone, seja ele Android, Windows Phone ou iOs.

Microsoft Windows – João Antonio Página 88


6. Comentários das Questões Propostas

1)

a) CERTO: O Windows usa multitarefa preemptiva. A definição deste sistema está perfeita na
assertiva: quem controla o "tempo" exercido por cada aplicativo na CPU não é o próprio
aplicativo, e sim o sistema operacional, que funcionará como um grande "guarda de trânsito"
num cruzamento movimentado: ora parando alguns "carros", ora deixando-os seguir.

b) ERRADO: O Windows NÃO É Case-Sensitive, ou seja, ele não faz diferença entre letras
maiúsculas e minúsculas nos nomes de arquivos e pastas. Desta forma, arquivos como
CASA.TXT e casa.txt são considerados exatamente o mesmo nome.

2)

a) ERRADO: A: e B: são representações reservadas para as antigas unidades de disquete do


computador, que, por causa de não serem mais usadas, normalmente nem são apresentadas
no Windows. C: é, sim, representação da unidade de disco rígido do computador - se só
houver um - será C:.

b) CERTO: o Windows 10 é distribuído, majoritariamente, em versões de 64 bits. Ainda é


possível encontrar versões (menos comuns) deste sistema ainda para 32 bits - mas isso é
bem pouco comum já que, há anos, nossos computadores têm vindo com arquitetura de 64
bits.

3)

a) ERRADO: só é arquivo o final do endereço. Todos os setores do endereço que estão


separados por / e, por isso, identificam "níveis" hierárquicos, são diretórios (pastas). C:\ não
é uma pasta... é um diretório, mas não uma pasta. Logo: "C:" é uma unidade de disco, "C:\" é
um diretório, "Relatórios", "2017", "Março" são diretórios (mais precisamente, pastas) e,
finalmente, "questões.docx" é um arquivo.

b) CERTO: o endereço começa com "C:", única letra de unidade que nos confere certeza de tipo
da memória em questão. C: é necessariamente um disco rígido.

Microsoft Windows – João Antonio Página 89


4)

a) CERTO: Apesar de "CASA" e "casa" serem exatamente o mesmo nome para o Windows (ele
não é Case-Sensitive), isso é possível, sim! A proibição a "mesmo nome" é restrita a dois
objetos dentro da MESMA PASTA. Não é o caso... nessa assertiva, nós temos uma pasta "casa"
e, dentro dela, um arquivo "CASA". Um arquivo dentro de uma pasta, e não dois objetos
dentro de uma mesma terceira pasta. NADA ERRADO com a questão.

b) CERTO: definição correta sobre unidades, pastas e arquivos.

5)

a) ERRADO: O nome é Desktop ou Área de TRABALHO. A Área de Notificação é a pequena área


que fica à direita da barra de tarefas.

b) CERTO: nada a acrescentar.

6)

a) ERRADO: o único erro da questão está no final: o CTRL+ALT... Essa combinação não faz nada.
A combinação para abrir o menu iniciar é CTRL+ESC. O restante da questão está perfeito!

b) CERTO: Cortana é um aplicativo que acompanha o Windows 10 para ajudar o usuário a


realizar tarefas fáceis, pesquisas dentro e fora do computador.

7)

a) ERRADO: Apagar um atalho para um programa NÃO AFETA em nada a existência e o


funcionamento do programa em questão. Atalhos são apenas "apontadores" para os
programas - apagando-os, nós apagamos o apontador em si, mas não afetamos os
programas.

b) ERRADO: A área de "Mais Usados" traz os atalhos para os programas mais usados pelo
usuário, e esta listagem muda constantemente. Não são itens fixos, não são itens
manualmente colocados. Eles são automaticamente colocados ali pelo próprio Windows e a
listagem muda constantemente de acordo com os programas que nós usamos.

c) CERTO: descrição perfeita do uso da Tela Inicial do Menu Iniciar.

Microsoft Windows – João Antonio Página 90


8)

a) ERRADO: o comando SAIR efetua o LOGOFF do usuário. Ele encerra a sessão de trabalho do
usuário que está naquele momento usando o Windows 10. Esse Logoff leva à tela de login
(tela em que o usuário deve se identificar com nome e senha para entrar no Windows) - o
Micro não é desligado - apenas o Windows é bloqueado para uso até que algum usuário se
identifique e comece a usá-lo.

b) ERRADO: Esta é a descrição do SUSPENDER (entrar em modo de baixo consumo de energia


- ou seja, NÃO DESLIGAR A MÁQUINA). Ocorre que a Hibernação realmente DESLIGA O
COMPUTADOR, armazenando o conteúdo da RAM num arquivo no disco rígido (arquivo de
hibernação). Quando o micro for RELIGADO (por meio do botão de LIGAR no gabinete), as
janelas realmente voltam a apresentar-se como estavam quando a hibernação foi acionada
- mas note: HIBERNAR DESLIGA O MICRO, SALVANDO O CONTEÚDO DA MEMÓRIA RAM
(MEMÓRIA PRINCIPAL) no disco rígido.

9)

a) CERTO: o comando bloquear serve para travar o Windows, impedindo-o de realizar qualquer
operação durante esse bloqueio. Só informando a senha do usuário que bloqueou o
computador resultará no desbloqueio.. Porém, se um usuário não tem a senha para
desbloquear, na tela de Bloqueio do Windows, é possível fazer outras coisas, porque há as
opções de desligamento - Desligar, Reiniciar, Hibernar e Suspender (não se exige senha para
isso!! ATENÇÃO!).

b) ERRADO: O Painel de Controle ainda existe no Windows 10. Ele apenas "saiu da vitrine" - está
"escondido no estoque" - pode ser encontrado por meio da pesquisa pela CORTANA - vai lá e
digita "Painel" e você vai encontrá-lo! O comando CONFIGURAÇÕES reúne grande parte dos
recursos oferecidos no Painel de Controle, tornando-o meio "obsoleto" e "dispensável". MAS
ELE AINDA EXISTE!

10)

a) ERRADO: o único erro dessa questão é a penúltima palavra "Internet". (se você caiu nessa,
não se critique... criei essa questão justamente para testar a sua atenção!) - O antigo nome

Microsoft Windows – João Antonio Página 91


do Explorador de Arquivos era "WINDOWS Explorer" - Internet Explorer é o nome de um
navegador Web. Rá! Se você caiu, cumpri meu dever! ;-) O restante da assertiva está certo!

b) CERTO: descrição perfeita do botão direito do mouse.

11)

a) ERRADO: ícones que apresentam essa pequena linha horizontal abaixo de si indicam que
aqueles programas estão ABERTOS (em uso). É justamente um dos critérios para que um
ícone venha para a barra de tarefas - o outro é justamente o fato de estarem afixados na
Barra de Tarefas. Quando um programa está aberto, não se pode afirmar nada acerca de se
ele está afixado ou não.

b) CERTO: nada a acrescentar.

12)

a) CERTO: Central de Ações é um sistema de "notificações" (alertas) ao usuário acerca de certos


critérios pré-definidos, mas, em especial, questões de segurança do sistema.

b) CERTO: definição correta e suficiente.

13)

a) ERRADO: CORTANA também faz essa procura, mas ela faz MUITO MAIS: permite buscar
conteúdo da Internet, permite marcar e desmarcar compromisso na agenda ou executar
comandos diversos por meio de comandos de voz do usuário.

b) CERTO: Cortana é muito completa... não é só para pesquisar digitando, não.

c) ERRADO: em sua configuração padrão (original), a Cortana utiliza o site de busca da própria
Microsoft: o BING.

14)

a) ERRADO: se você clica no X para fechar a janela, o Windows só fecha a janela imediatamente
se todo o conteúdo da janela for salvo ou se o usuário deliberadamente informar que quer
descartá-lo. O Windows PERGUNTA ao usuário se quer salvar ou descartar o conteúdo
sempre que percebe o comando de fechamento e há conteúdo não salvo na janela.

Microsoft Windows – João Antonio Página 92


b) CERTO: além de clicar no botão maximizar (ou rest. Tamanho), é possível, sim, como visto,
maximizar e restaurar a janela por meio do clique-duplo na barra de títulos da janela.

15)

a) ERRADO: arrastar pela borda de uma janela, ela é redimensionada, e não movida. Para
mover uma janela, deve-se arrastá-la pela barra de título.

b) CERTO: essa operação realmente maximiza a janela que está sendo arrastada.

16)

a) ERRADO: Ribbon é uma interface que propicia apresentar todos os comandos de um


programa (uma janela) na forma de botões reunidos em GRUPOS por sua aplicação. Tais
grupos são reunidos em GUIAS (ou ABAS) específicas. Tais guias são a parte mais "parecida"
com que se poderia chamar de "menus" do tipo de interface anterior.

b) CERTO: sim, conforme visto na aula em vídeo, ao posicionar o mouse sobre o botão referente
a uma janela aberta localizado na barra de tarefas, surge uma miniatura da janela
(chamamos de "thumb", que quer dizer "polegar"), nessa miniatura, podemos clicar no botão
do X dela para realizar o procedimento de fechamento da janela.

c) CERTO: a combinação de teclas que é usada como atalho para a operação de fechamento
de uma janela é, realmente, ALT+F4.

17)

a) CERTO: descrição correta sobre o Painel de Conteúdo.

b) ERRADO: o único erro da questão é "arquivos" - O painel da navegação NÃO mostra arquivos.
ARQUIVOS NÃO APARECEM no painel da navegação! Não esquece disso, ok?

18)

a) CERTO: independente de se esse último nome está, ou não, sucedida de uma última seta, o
último nome apresentado é o nome da pasta que está sendo visualizada neste momento.
Note: na barra de endereços NÃO APARECEM nomes de arquivos!!

Microsoft Windows – João Antonio Página 93


b) ERRADO: as setas que aparecem ao lado de algumas pastas no Painel de Navegação não
informam se estas pastas têm arquivos dentro. Elas informam se estas pastas possuem
SUBPASTAS dentro. Arquivos só podem, realmente, ser vistos dentro do Painel de Conteúdo.
O erro da questão é a utilização, APENAS, da palavra "arquivos". Se essa palavra fosse
trocada por "subpastas" (ou "pastas"), a questão estaria 100% correta.

19)

a) CERTO: O layout detalhes mostra os itens em colunas apresentando, além dos seus nomes,
algumas outras informações para que seja mais fácil achar itens por vários critérios.

b) CERTO: perfeita definição de Diretórios. Embora o Explorador de Arquivos "entenda" ou


"simule entender" arquivos ZIP como sendo pastas (o Explorador de Arquivos do Windows
10 TRATA arquivos ZIP como pastas).

20)

a) CERTO: DIRETÓRIO é uma listagem de itens. No caso de um diretório de computador, seria


uma lista que aponta para todos os itens em suas posições do disco. Esses itens são
"apresentados" na tela como "estando dentro do diretório" - uma forma lúdica e bem
acessível de entender a relação entre diretórios e os itens para os quais apontam.

b) ERRADO: os dois botões localizados na parte inferior direita da janela do Explorador de


Arquivos são DETALHES e ÍCONES GRANDES.

21)

a) ERRADO: a sequência correta é: (a) clicar com o botão direito do mouse; (b) clicar na opção
NOVO; (c) dentro do menu que se abre, clicar em PASTA. Não existe a opção NOVA PASTA
dentro do menu do botão direito.

b) ERRADO: Ao acionar o comando NOVA PASTA (ou o botão direito do mouse, NOVO, PASTA),
a pasta já é criada com o nome Nova Pasta. Automaticamente, o Explorador de Arquivos já
abre o nome desta pasta para ser trocado. Ou seja, a pasta é criada, SIM, na hora da execução
do comando, antes do usuário alterar o nome para o nome de sua preferência.

Microsoft Windows – João Antonio Página 94


c) CERTO: apesar de existir um botão NOVA PASTA próprio para esta finalidade, também é
possível criar uma pasta por meio do botão NOVO ITEM - este botão também serve para criar
outros itens, como diversos tipos de arquivos.

22)

a) ERRADO: a tecla ESC realiza o cancelamento da alteração do nome da pasta. Ao criar a pasta,
ela ESTÁ CRIADA, e o Explorador de Arquivos mantém o seu nome editável. O ESC apenas
desiste de alterar esse nome, deixando a pasta com o nome original: Nova Pasta.

b) CERTO: o modo "tradicional" de criar arquivos é salvando-os diretamente nos programas que
os editam (Word, Excel etc.), mas o Explorador de Arquivos consegue, sim, criar arquivos por
meio da opção NOVO ITEM, na guia INÍCIO, ou por meio do botão direito do mouse.

c) CERTO: essa é a COMBINAÇÃO DE TECLAS usada como ATALHO para executar o comando
NOVA PASTA.

23)

a) CERTO: usamos a tecla F2, no Explorador de Arquivos, para acionar o comando RENOMEAR.

b) CERTO: note bem: quando o elaborador apresenta uma questão como essa, diferenciando
"nome" de "extensão", é porque ele considera "nome" como sendo a parte que está ANTES
DO PONTO. Mas a extensão é, sim, parte do nome... Logo, se dois arquivos têm extensões
diferentes, é óbvio deduzir que eles têm nomes diferentes! SEMPRE QUE FOR PERGUNTADO
ASSIM, diferenciando nome de extensão, responda VERDADEIRO!

24)

a) ERRADO: O processo de conversão exige mudança no conteúdo do arquivo (é um processo


oficial, grande, demorado - em que o conteúdo é realmente transformado). A alteração de
uma extensão não converte o conteúdo, apenas faz com que o Windows passe a crer que o
arquivo é de outro formato e, com isso, deva ser aberto por outro programa.

b) CERTO: perfeita definição de uma das formas de realizar o comando RENOMEAR.

25)

Microsoft Windows – João Antonio Página 95


a) ERRADO: a opção MOSTRAR CONFIRMAÇÃO DE RECICLAGEM é usada para configurar o
aparecimento (ou não) da pergunta de confirmação de envio para a lixeira. NOTE: Esta opção
NÃO AFETA quando o usuário pede para EXCLUIR DEFINITIVAMENTE o arquivo - para a
exclusão permanente, o Explorador SEMPRE vai perguntar a confirmação do usuário,
mesmo que esta opção esteja desligada.

b) CERTO: a exclusão de arquivos e pastas pode ser realizada por DELETE (normal e
historicamente conhecido).

26)

a) CERTO: em cada unidade de disco (do tipo Disco Rígido ou Pendrive) tem, dentro de si, criada
uma Lixeira (uma pasta oculta chamada "Trash"). Antigamente, discos removíveis
(Pendrives) não tinham direito a Lixeiras, só os Discos Rígidos - o Windows 10 passou a ser
mais "inclusivo" neste caso!

b) ERRADO: antigamente, a Lixeira era configurada por meio de PERCENTUAL do tamanho da


unidade de disco. No Windows 10, a Lixeira é configurada por valores absolutos -
determinação manual do usuário em MEGABYTES.

c) ERRADO: a Lixeira é uma pasta como outra qualquer. Ela armazena pastas e arquivos que o
usuário tentou apagar por tempo indeterminado - só os retirando de lá quando o usuário: (a)
apaga-os da lixeira; ou (b) restaura-os para seus locais de origem.

27)

a) ERRADO: o Windows não possui ferramentas para recuperação de arquivos que foram
DEFINITIVAMENTE APAGADOS. O Windows só consegue "recuperar" arquivos que estão na
Lixeira, ou seja, arquivos que nem sequer foram apagados!

b) ERRADO: a combinação para a exclusão definitiva é SHIFT+DELETE. Lembrando: o


CTRL+SHIFT+D não exclui definitivamente.

c) CERTO: a forma de apagamento de arquivos do Windows é "superficial" - o Windows não


destrói os dados de um arquivo - ele apenas "desapropria" - tornando a área onde o arquivo
está disponível para ser usada. Caso você recupere a posse daquela área antes de o Windows
usá-la na gravação de novos dados, você conseguirá recuperar o arquivo totalmente.

Microsoft Windows – João Antonio Página 96


28)

a) ERRADO: é possível mover arquivos e pastas de qualquer lugar para qualquer outro lugar,
independentemente de em que unidades eles estão e para quais unidades vão. A questão é
uma armadilha para você cair por causa da regrinha do "arrasto" do arquivo entre pastas da
mesma unidade.

b) CERTO: arrastar um arquivo entre pastas de unidades diferentes (C: e Pendrive, no caso da
questão) resulta na cópia do referido arquivo, o que, com certeza, faz com que ele não saia
da pasta de origem.

c) ERRADO: COPIAR é criar uma duplicata, uma cópia, do objeto original. MOVER é transferir o
objeto original de uma pasta para outra. Eles não oferecem resultados idênticos.

29)

a) CERTO: A combinação CTRL+V é o atalho do comando COLAR, que é usado para a conclusão
de qualquer procedimento que tenha iniciado com RECORTAR (resultado na movimentação)
ou com COPIAR (resultando na cópia do arquivo).

b) ERRADO: o processo de cópia de um arquivo pode ser feito por meio do uso dos comandos
COPIAR (no início) e COLAR (na conclusão). O RECORTAR é usado para iniciar o processo de
movimentação.

30)

a) CERTO: o arrasto entre pastas da mesma unidade já resulta na movimentação do arquivo


arrastado, sem que seja necessário segurar a tecla SHIFT para isso.

b) ERRADO: o arrasto entre pastas da mesma unidade resulta na movimentação do arquivo


arrastado, não se sua cópia.

c) CERTO: o arrasto entre unidades diferentes resulta em cópia do arquivo arrastado.

31)

a) ERRADO: a questão estaria perfeita se ao invés de CTRL estivesse descrito SHIFT.

Microsoft Windows – João Antonio Página 97


b) CERTO: Vários arquivos selecionados batizados com o mesmo nome resultam em nome(1),
nome(2), nome(3) e assim sucessivamente.

c) CERTO: CTRL+A é o equivalente ao comando SELECIONAR TUDO no Explorador de Arquivos.

32)

a) ERRADO: arquivos ocultos podem ser vistos no Explorador. Basta marcar a opção de
Mostrar/Ocultar Itens Ocultos, na guia EXIBIR do Explorador.

b) CERTO: tanto a descrição do modo de compactar, como a definição do arquivo ZIP estão
corretas.

c) CERTO: o recurso Histórico serve, sim, para o objetivo descrito na questão. Para que isso
ocorra, sim, é necessário gravar em disco as diversas versões do arquivo - ocupando, com
isso, mais espaço em disco.

33)

a) CERTO: o campo de pesquisa do Explorador consegue achar arquivos por seus nomes e seus
conteúdos - esse campo realiza a busca apenas na pasta que está sendo explorada no
momento.

b) CERTO: definição perfeita do comando CAIXAS DE SELEÇÃO DE ITEM.

c) ERRADO: a guia EXTRAIR aparece quando o usuário seleciona um arquivo ZIP em si.

34)

a) CERTO: definição perfeita do sistema de arquivos NTFS.

b) ERRADO: em primeiro lugar, o recurso LIMPEZA serve para apagar os arquivos


desnecessários do disco (arquivos temporários, arquivos de cache da internet, arquivos na
lixeira etc.). A descrição mostrada acima não é do comando LIMPEZA, é do comando
FORMATAR.

c) CERTO: definição perfeita - extensões apresentadas são de imagens, sim!

35)

Microsoft Windows – João Antonio Página 98


a) CERTO: o recurso de REPRODUÇÃO AUTOMÁTICA configura o Windows para realizar certas
ações automáticas quando da inserção de um pendrive ou de um CD/DVD, por exemplo.

b) CERTO: esta, inclusive, é a definição de BitLocker existente no site da própria Microsoft.

c) CERTO: Otimizar Unidades é um recurso antigamente conhecido como Desfragmentar. Esse


recurso não tem sentido numa unidade Flash (como Pendrives e SSDs), mas é muito útil para
aumentar o desempenho de unidades magnéticas, como o Disco Rígido (HD).

36)

a) CERTO: o item Atualização e Segurança traz várias opções, entre elas as operações de
Backup e Recuperação.

b) ERRADO: o Painel de Controle ainda existe, embora tenha sido posto "em segundo plano"
depois da chegada do Menu Configurações. Na verdade, este menu é uma "roupagem" nova
para o Painel de Controle.

37)

a) ERRADO: tanto a configuração de Barra de Tarefas quando a configuração de Menu Iniciar


podem ser encontradas dentro do item Personalização, não no item Facilidade de Acesso.

b) CERTO: esses itens estão dentro do ícone Rede e Internet.

38)

a) CERTO: o item Sistema possui o subitem Aplicativos Padrão, onde podemos configurar quais
aplicativos abrem quais tipos de arquivos.

b) ERRADO: a alteração da resolução da tela pode ser feita no item Tela, dentro do ícone
Sistema (não Dispositivos).

39)

Microsoft Windows – João Antonio Página 99


a) ERRADO: O recurso que emite sons para as teclas de LOCK é chamado Teclas de Alternância.
As teclas de Filtragem são o recurso para evitar a repetição involuntária de caracteres por
usuários que têm tremores ou dificuldades de mobilidade.

b) CERTO: definição perfeita das teclas de Aderência.

40)

a) ERRADO: Painel de Controle e Configurações apontam, direta ou indiretamente, para os


mesmos ajustes - ou seja, para a mesma coleção de configurações.

b) ERRADO: Windows Update é o sistema de atualização automática do Windows


(eventualmente indo pesquisar por novos pacotes de softwares atualizados no site da
Microsoft); Windows Defender é, sim, o "antivírus", ou "antimalware" do Windows 10 - um
programa para proteger seu computador contra programas maliciosos (malware), inclusive
Vírus de computador.

41)

a) ERRADO: o único erro da assertiva é o BMP, porque no Windows 10, o formato padrão do
Paint é a extensão PNG (um dos formatos de imagens mais usados na Internet).

b) CERTO: definição perfeita do Wordpad - lembrando que o arquivo padrão do Wordpad é o


de extensão RTF (Texto Rico).

c) CERTO: definição perfeita do Bloco de Notas e de suas limitações - lembre-se que a extensão
dos arquivos de texto simples é TXT.

42)

a) ERRADO: O Microsoft Edge veio junto com o Windows 10 justamente para tornar obsoleto e
desnecessário o Internet Explorer. Lembre-se, porém: os dois estão convivendo
pacificamente, ainda no Windows 10 - os dois existem normalmente no programa.

b) ERRADO: tá tudo certo com a questão, exceto pelo fato de mencionar o Bloco de Notas. Afinal
de contas, o Bloco de Notas é um editor de texto simples: ele não aceita imagens em seu
conteúdo.

43)

Microsoft Windows – João Antonio Página 100


a) CERTO: O gravador de passos tira sucessivas "fotos" (capturas de tela) a cada clique que o
usuário efetua no sistema. O Gravador de Passos cria, ainda, o documento (texto) que explica
(descreve) cada etapa (cada clique) associada a cada imagem. Lembrar que o Gravador de
Passos salva arquivos no formado ZIP, apenas.

b) CERTO: definição correta do recurso Assistência Rápida.

44)

a) ERRADO: Para que esta questão esteja certa, é necessário inverter a posição das palavras
Bitmaps e vetoriais - os conceitos estão invertidos.

b) ERRADO: o Mapa de Caracteres apresenta caracteres (símbolos) acessíveis (ou não) pelo
teclado. As nossas letras comuns, nossos números, as pontuações e outros símbolos
especiais - acessíveis ou não pelo teclado - são perfeitamente encontrados no Mapa de
Caracteres.

45)

a) ERRADO: MP3 e WAV são tipos de arquivos de som; MP4, AVI e MPEG são extensões de
arquivos de vídeo. O acessório do Windows feito para abrir tais arquivos é o Windows Media
Player, não o Wordpad.

b) ERRADO: processadores de texto conseguem, sim, salvar arquivos com o formato TXT. O
programa irá, simplesmente, avisar ao usuário que ignorará qualquer "efeito" extraordinário,
como negrito, itálico e cores.

46)

a) CERTO: entre as opções dentro da Central de Ações, é possível encontrar as opções citadas
na assertiva, sim.

b) CERTO: ao acionar CTRL+ALT+DELETE (ou DEL), abre-se a tela de pré-bloqueio do Windows,


permitindo, entre outras opções, o acesso ao Gerenciador de Tarefas.

47)

Microsoft Windows – João Antonio Página 101


a) CERTO: o comando SAIR, dentro da tela de pré-bloqueio, é equivalente à opção Fazer Logoff
(Sair) do Menu Iniciar - isso fecha a sessão do usuário naquele computador, exigindo que um
novo usuário informe seu login e senha para entrar no sistema posteriormente.

b) ERRADO: Gerenciador de Tarefas (Task Manager) é um programa que dá acesso aos


processos (programas) em execução no computador no momento.

48)

a) CERTO: você poderá iniciar o processo de localização, download e instalação de qualquer


aplicativo disponível na Loja da Microsoft. Alguns deles são gratuitos, alguns deles só podem
ser instalados por meio de pagamento.

b) CERTO: qualquer resultado e dado na calculadora pode ser copiado da calculadora e colado
em qualquer programa, como o Word e o Excel, por exemplo... também para outros
acessórios, como o Bloco de Notas e o Wordpad.

49)

a) _ERRADO: A Lupa não está em Acessórios do Windows. A Lupa está dentro de Facilidades de
Acesso, no Menu Iniciar! Presta atenção! Se você errou erra, saiba: é essa falta de atenção
que os elaboradores tentam explorar para ferrar você!

b) ERRADO: firewall protege contra invasões. Antivírus protege contra a ação de programas
maliciosos. São dois programas diferentes para dois problemas diferentes - qualquer
questão que diga que um deles dispensa o uso do outro estará necessariamente ERRADA.

50)

a) CERTO: o Gerenciador de Tarefas permite fechar forçadamente um programa qualquer


(normalmente fazemos isso quando ele trava e nos proíbe de fechá-lo por meios normais) -
o botão Finalizar Tarefa, dentro de Gerenciador de Tarefas serve para forçar o fechamento
de tais programas, estando travados ou não.

b) CERTO: definição perfeita do recurso Complemento para Telefone.

Microsoft Windows – João Antonio Página 102


Palavras do Professor
Prezado amigo aluno, estimada amiga aluna,
Creia totalmente de que você é o resultado de suas
próprias decisões! Boas ou ruins! Abrace isso! Não se
entregue! Não se deixe vencer! E, quando conseguir
se tornar servidor(a) público(a), não se corrompa!
Honre o esforço de sua vida!
Lembre-se: só você é capaz de vencer as suas
batalhas! Ninguém mais! Não coloque a
responsabilidade nas costas de qualquer outra
pessoa! Sente a bunda na cadeira e vá estudar,
porque se a nomeação será a sua, o esforço para
chegar lá também o é! Mãos à obra!
Conte sempre comigo! Acesse minhas redes sociais e
me siga! Trarei questões e comentários, além de
diversos produtos para todos vocês constantemente!
João Antonio

Microsoft Windows – João Antonio Página 103