Você está na página 1de 45

MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS b) Heterogêneos: É o número que indica coisas de

Prof. Ulisses Marçal de Carvalho espécie diferentes.


RACIOCÍCIO MATEMÁTICO NO SISTEMA DE Ex.: 5 lápis e 3 cadernos.
NUMERAÇÃO DECIMAL.
iii) Pelas Partes Que Indicam:
O objetivo desse capítulo é mostrar o raciocínio matemático a) Inteiro: É um número que consta só de unidades.
empregado com método indutivo em diversas situação envolvendo
o sistema de numeração decimal. Veremos também que a partir de Ex.: 3 cadernos e 6 livros
resultados gerais, podemos obter soluções simples em algumas Os números podem ser:
situações numéricas. (a1) Simples: É o número formado de um só
ALGARISMO.
1. NÚMERO Ex.: 2, 3, 4, 5.
ALGARISMO: São os símbolos que representam os
1.1 Definição: É o resultado da comparação de uma números.
grandeza com a unidade. (a2) Compostos: É o número formado por dois ou mais
algarismos.
1.2 Grandeza: É tudo aquilo que pode ser pesado, Ex.: 25, 37, 54, 14, 128, 1459.
medido ou contado. As grandezas de classificam em: b) Fracionário: É o número que indica uma ou mais
partes da unidade.
a) Contínuas: São as grandezas que podem ser 2 1 5
Ex.: , , .
aumentadas ou diminuídas de uma quantidade 3 5 9
qualquer. FRAÇÃO: Parte igual em que foi dividido o inteiro.
Ex.: Uma peça de pano, um rolo da barbante. Os números fracionários se dividem em:

b) Descontínuas: São as grandezas que só podem ser


aumentadas ou diminuídas de uma quantidade
determinada.
Ex.: Uma porção de bolas, um grupo de pessoas.

c) Homogêneas: São grandeza da mesma espécie.


Ex.: 3 lápis e 5 lápis ou 4 bolas e 7 bolas.

d) Heterogêneas: São as grandezas de espécie


diferentes.
Ex.: 2 lápis e 3 cadernos ou 5 bolas e 6 laranjas.
c) Misto: É o número formado por um número inteiro e
1.3 Unidade: É uma grandeza que serve para medir um número fracionário.
outras grandezas da mesma espécie. A grandeza Decimal : 5,3; 7,252525...
escolhida para unidade é arbitrária, mas é necessário 
Classificam-se em:  1 2
que seja perfeitamente definida.  Ordinário : 2 ; 4
 3 5
Observações:
1.4 Classificação dos Números: Os números são (1) Sistema de Numeração: É o conjunto de processos
classificados em: empregados para se representar os números.
(2) Algarismos Significativos: São os algarismos – 1, 2, 3,
i) Por Sua Natureza: 4,5, 6, 7, 8 e 9. Um algarismo significativo tem dois
a) Concreto: É o número que determina a espécie de valores:
unidade a que se refere. - Absoluto: É o valor que o algarismo possui quando
Ex.: 3 bolas, 5 camisas, 7 cadernos, ... escrito isoladamente.
Ex.: No número 5.349 – o algarismo 5 vale 5, o algarismo
b) Abstrato: É o número que não determina a espécie 3, vale 3; e assim por diante.
de unidade a que se refere. - Relativo: É o valor posicional que o algarismo possui de
Ex.: 5, 6, 4, 8, ... acordo com o lugar que ele ocupa na escrita do número.
Ex.: No número 5.349 – o algarismo 5 vale 5.000, o
ii) Por Sua Espécie: algarismo 3, vale 300; e assim por diante.]
a) Homogêneos: É o número que indica coisas de
mesma espécie. VEJAMOS ALGUNS TIPOS DE PROBLEMAS RELATIVOS
Ex.: 5 cadernos e 9 cadernos. AOS NÚMEROS

1
números de 2 algarismos e são necessários 90 x 2 = 180 algarismos
01. De 257 a 641 incluídos esses números, quantos para escrevê-los.
(iii) Os números de 3 algarismos começam em 100 até 999 incluídos;
números inteiros e consecutivos existem? são, portanto: 999 – 100 = 899  899 + 1 = 900. São, portanto, 900
números de 3 algarismos e são necessários 900 x 3 = 2700
Obs.: Basta subtrair do maior número o menor, e somar uma algarismos para escrevê-los.
unidade.
Conclusão: para escrever todos os números de 1, 2, e 3 algarismos,
641 – 257 = 384 → 384 + 1 = 385 números. serão necessários: 9 + 180 + 2700 = 2889 algarismos.

02. De 345 a 789 incluídos esses números, quantos 14. Calcular o número de algarismos necessários para
números inteiros e consecutivos existem? escrever todos os números naturais de 1 até 88.

03. De 480 a 720 incluídos esses números, quantos Solução:


números inteiros e consecutivos existem? (i) Os números de 1 algarismo começam de 1 até 9 incluídos: 9 – 1 =
8  8 + 1 = 9. São, portanto, 9 números de 1 algarismo e são
necessários 9 x 1 = 9 algarismos para escrevê-los.
04. De 371 a 840 incluídos esses números, quantos (ii) Os números de 2 algarismos começam em 10 até 99 incluídos;
números inteiros e consecutivos existem? são, portanto: 88 – 10 = 78  78 + 1 = 79. São, portanto, 79
números de 2 algarismos e são necessários 79 x 2 = 158 algarismos
05. De 31 a 700, calcule quantos números inteiros e para escrevê-los.
consecutivos existem, incluindo esses números. Conclusão: para escrever todos os números de 1, 2, e 3 algarismos,
serão necessários: 9 + 158 = 167 algarismos.
06. De 345 a 789 excluídos esses números, quantos
números inteiros e consecutivos existem? 15. Calcular o número de algarismos necessários para
escrever todos os números naturais de 30 até 176.
Obs.: Basta subtrair do maior número o menor, e diminuirmos uma R: 371
unidade.

345 – 789 = 444 → 444 - 1 = 443 números. 16. Determinar o número de algarismos necessários
para escrever todos os números naturais de 31 até 245.
07. De 257 a 641 excluídos esses números, quantos R: 576
números inteiros e consecutivos existem?
17. Calcular o número de algarismos necessários para
08. De 132 a 186 excluídos esses números, quantos escrever todos os números naturais de 30 até 91.
números inteiros e consecutivos existem? R: 124

09. De 20 a 251, calcule quantos números inteiros e 18. Calcular o número de algarismos necessários para
consecutivos existem, excluindo esses números. escrever todos os números naturais de 37 até 239.
R: 546
10. Calcule quantos números inteiros e consecutivos
existem de 243 excluído e 527 incluído. 19. Quantos algarismos são necessários para
escrevermos todos os números de 1 a 934, inclusive.
Obs.: Basta subtrairmos do número maior o menor. R: 2.694
527 – 243 = 284 números.
20. Quantos algarismos são necessários para
escrevermos todos os números de 7 a 32.427, inclusive.
11. Calcule quantos números inteiros e consecutivos R: 151.023
existem de 180 excluído e 320 incluído.
21. Quantos algarismos são necessários para
12. Calcule quantos números inteiros e consecutivos escrevermos todos os números de três algarismos.
existem de 230 incluído e 890 excluído. R: 2700
13. Calcular o número de algarismos necessários para 22. Calcular o número de algarismos necessários para
escrever todos os números de 1, 2 e 3 algarismos. escrever todos os números naturais de cinco
Solução:
(i) Os números de 1 algarismo começam de 1 até 9 incluídos: 9 – 1 = algarismos.
8  8 + 1 = 9. São, portanto, 9 números de 1 algarismo e são R: 450.000
necessários 9 x 1 = 9* algarismos para escrevê-los.
(ii) Os números de 2 algarismos começam em 10 até 99 incluídos; 23. Calcular o número de algarismos necessários para
são, portanto: 99 – 10 = 89  89 + 1 = 90. São, portanto, 90
escrever todos os números naturais de sete algarismos.
2
R: 63.000.000 32. Para enumerar as páginas de um livro foram
necessários 570 algarismos. Calcular quantas páginas
24. Determinar o número de algarismos necessários para tem esse livro.
de escrever os números pares de 6 até 281 inclusive. R: 229

Solução: 33. Para enumerar as páginas de um livro foram


(i) De 6 a 9 existem dois números pares: 6 e 8. necessários 1.296 algarismos. Calcular quantas páginas
(ii) De 10 a 99 existem: 99 – 10 = 89 + 1 = 90 números, dos quais 45
são pares, de dois algarismos. tem esse livro.
(iii) DE 100 até 281 existem: 281 – 100 = 181 + 1 = 182 números dos R: 468
quais 91 são pares, de três algarismos.
34. Para enumerar as páginas de um livro foram
Conclusão: para escrevermos os números pares de 6 até 281
utilizaremos:
necessários 3.421 algarismos. Calcular quantas páginas
2x1=2 tem esse livro.
45 x 2 = 90 R: 1.132
91 x 3 = 273
Soma = 365 algarismos! 35. Uma pessoa, para numerar as páginas de um álbum,
cobrou $ 15,30. Quantas páginas tinha o álbum,
25. Determinar o número de algarismos necessários sabendo-se que cobra $0,05 por algarismos?
para de escrever os números ímpares de 5 até 175 R: 138
inclusive.
R: 207 36. Um artista foi contratado para enumerar as páginas
de um álbum, devendo ganhar $5,00 por algarismo
26. Para numerar as 126 páginas de uma apostila, desenhado. Recebeu por esse trabalho $1.710,00.
calcule quantos algarismos foram necessários. Calcule quantas páginas tinha o álbum.
R: 150
Solução:
(i) Da pagina 1 até a 9 foram utilizados: 9 – 1 = 8 + 1 = 9 números de
1 algarismo. Logo, 9 x 1 = 9 algarismos. 37. Escrevendo-se a série natural dos números inteiros,
(ii) Da pagina 10 até a 99 foram utilizados: 99 – 10 = 89 + 1 = 90 sem separar os algarismos, obtém-se:
números de 2 algarismos. Logo, 90 x 2 = 180 algarismos. 1234567891011121314151617... Determine o
(iii) DA pagina 100 até a 126 foram utilizados: 126 – 100 = 26 + 1 = algarismo que ocupa o 1173º lugar.
27 números de 3 algarismos. Logo, 27 x 3 = 81 algarismos.
Conclusão: 9 + 180 + 81 = 270 algarismos!
Solução:
(i) Se 1 até 9 escreve-se: 9 x 1 = 9 algarismos.
27. Em um cinema há 150 poltronas. Calcule quantos (ii) DE 10 até 99 escreve-se: 90 x 2 = 180 algarismos, isto é, 180  2
algarismos serão necessários para enumerá-las? = 90
R: 342 Então, até o número 99 escreve-se 189 (180 + 9) algarismos. A partir
do 100, os números são de três algarismos. Logo, 1173 – 189 = 984.
Então, 984  3 = 427. Logo, o algarismo que ocupa o 1173º lugar é
28. Em um teatro há 130 cadeiras. Calcule quantos o 7.
algarismos serão necessários para enumerá-las?
R: 282 38. Escrevendo-se a série natural dos números inteiros,
sem separar os algarismos. Determinar o algarismo que
29. Se um livro tiver 2.593 páginas, quantos algarismos ocupa o 1200º lugar.
serão necessários para enumerá-las? R: 6
R: 9.265
39. Escrevendo-se a série natural dos números inteiros,
30. Para enumerar as páginas de um livro foram sem separar os algarismos. Determinar o algarismo que
necessários 270 algarismos. Calcular quantas páginas ocupa o 1536º lugar.
tem esse livro. R: 8
40. Escrevendo-se a série natural dos números inteiros,
Solução: sem separar os algarismos. Determinar o algarismo que
(i) Para enumerar as 9 primeiras páginas usam-se: 9 x 1 = 9
algarismos. ocupa o 3456º lugar.
(ii) Para enumerar as 90 páginas seguintes usam-se: 90 x 2 = 180 R: 8
algarismos.
Observe que, até agora, já usamos: 180 + 9 = 189 algarismos. De modo geral, para:
Temos, então, 270 – 189 = 81 algarismos, que serão utilizados para
enumerar páginas de três algarismos. Logo, 81  3 = 27 páginas.
Portanto, o total de páginas será: 9 + 90 + 27 = 126. 01. Calcular o número de algarismos necessários para
se escrever os números de 1, 2, 3, 4, ..., n algarismos,
3
centenas, em geral, das unidades de ordem n na série
Solução: natural dos números de 1 até 10n.
(i) Os números de 1 algarismo começam de 1 e vão até 10, exclusive:
Solução:
10 – 1 = 9 números e são necessários 9 x 1 = 9 algarismos para
escrever;
O algarismo 6 aparece de 10 em 10 no lugar das unidades;
Repete-se, pois, 10n : 10 = 10n – 1 vezes nessa posição. O algarismo 6
(ii) Os números de 2 algarismo começam de 10 e vão até 100 ou 102,
ocupa a posição das dezenas ou unidades de 2ª ordem nos dez
exclusive: 102 – 10 = 10(10 - 1) = 90 números e são necessários 90 x
números de cada centena terminados por 60, 61, 62, 63, ..., 69.
2 = 180 algarismos para escrever;
Como há 10n : 102 = 10n – 2 centenas, o algarismo 6 aparece 10n – 2 x
10 = 10n – 1 vezes na posição das unidades de 2ª ordem (dezenas).
(iii) Os números de 3 algarismo começam de 100 (102) e vão até 1000
O algarismo 6 ocupa a posição das centenas ou unidades de 3ª
(103), exclusive: 103 – 102 = 102(10 – 1) = 100 x 90 = 900 números e
ordem em cada um dos cem números de milhares terminados por
são necessários 900 x 3 = 2700 algarismos para escrever;
600, 601, 602, 603, ..., 699.
Como há 10n : 103 = 10n –3 números de milhares, o algarismo 6
(iv) Em geral: Os números de n algarismos começam de 10n – 1 e vão
aparece 10n – 3 x 102 = 10n – 1 vezes na posição das unidades de 3ª
até 10n, exclusive; há, portanto:
ordem (centenas).
Analogamente, vemos que o algarismo 6 aparece sempre 10n – 1
10n – 10n – 1 = 10n – 1(10 – 1) = 10n – 1 x 9 números e são necessários
vezes na posição das unidades de quarta, quinta, sexta, ..., n-ésima
para escrever:
ordem.
n x 10n – 1 x 9  9n x 10n−1 Obs.: Considerando-se qualquer outro algarismo o resultado será o
mesmo.
02. Determinar o número de algarismos necessários R: 10n – 1 vezes!
para se escrever todos os números de 1 até 10 n,
exclusive. 05. Determinar o número de vezes que o algarismo 6 é
Solução: escrito na série natural dos números naturais de 1 até
10n.
Pelos resultados obtidos acima, podemos escreve:
9 números de 1 algarismo; Solução:
9 x 10 números de 2 algarismos; O algarismo 6 ocupa 10n – 1 vezes a posição das unidades de cada
9 x 102 números de 3 algarismos; ordem;
.... Como de 1 até 10n, exclusive, há n ordem de unidades, segue-se que
9 x 10n – 1 números de n algarismos; o algarismo 6 é escrito 10n – 1 x n vezes.

Logo, podemos escrever respectivamente: R: n x 10n – 1 vezes!

9 algarismos; 06. Certo número “a” é formado de cinco algarismos.


2 x 9 x 10 algarismos;
3 x 9 x 102 algarismos;
Acrescentando o algarismo 2 à direita desse número
.... tem-se o número b = a2, evidentemente formado de seis
n x 9 x 10n – 1 algarismos; algarismos. Entretanto, se acrescentarmos 2 à esquerda
do número “a” o número c = 2a, é claro que “c” é
Por conseguinte, o números total de algarismos necessários para se formado também de seis algarismos. Determinar o
escrever os números de 1 até 10n, exclusive, é:
b
número “a”, sabendo que =3 .
9 + 2 x 9 x 10 + 3 x 9 x 102 + ... + n x 9 x 10n – 1 = c
Solução:
= 9 (1 + 2 x 10 + 3 x 102 + 4 x 103 + ... + n x 10n – 1) algarismos.
b = a2  b = 10a + 2
03. Calcular o número de algarismos necessários para c = 2a  c = 2 x100.000 + a  c = 200.000 + a
escrever os números de 1 até 1996, exclusive. b
Como = 3  b = 3c  10a + 2 = 3(200.000 + a)
c
Solução: = 600.000 + 3a
Tem-se: 1996 = 1000 + 996 = 103 + 996
O número de algarismos necessários para se escrever os números de  10a − 3a = 600.000 − 2
1 até 103, exclusive, é:  7a = 599.998
9 (1 + 2 x 10 + 3 x 102) = 9(2 + 20 + 300) = 9 x 321 = 2.889. 599.998
a=
De 103, inclusive, até 1996, exclusive, há 996 números de 4 7
algarismos e para os escrever são necessários 4 x 996 = 3.984  a = 85.714
algarismos.
Por conseguinte, o número procurado de algarismos é: 2.889 + 3.984
= 6.873 algarismos. Vejamos mais alguns problemas

04. Determinar o número de vezes que o algarismo 6


ocupa a posição das unidades, das dezenas, das

4
01. Escrevendo-se a sucessão dos número naturais, sem
separar os algarismos, determine o algarismo que 08. Determinar o número de vezes que o algarismo 8
ocupa o 2342º lugar. aparece na sucessão dos números de 1 até 1.000.
R: 300
Solução:
Se 1 a 9 são 9 números de um algarismo. Logo, utilizamos 9 x 1 = 9 09. Determinar o número de vezes que o algarismo 4
alg.
De 10 a 99 são 90 números de dois algarismos. Logo, utilizamos 90 aparece na sucessão dos números de 1 até 10.000.
x 2 = 180 alg. R: 500
Até agora utilizamos 9 + 180 = 189 algarismos.
Como são 2342 algarismos, restam, ainda, 2342 – 189 = 1253. 10. Determinar o número de vezes que o algarismo 2
Então: 2153  3, temos:
aparece na sucessão dos números de 1 até 100.000.
2153 3
717 R: 5.000
05
23 11. Escrevendo-se os números de 1 até 537, determine
(2) quantas vezes aparecerá o algarismo 8?
717 números de 3 algarismos. Logo, até agora, temos: 9 + 90 + 717
= 816. Solução:
Mas veja que, na divisão, que não é exata, sobraram 2 algarismos Do número 537, podemos escrever: 537 = 500 + 37
para escrevermos o número 817. Na parte relativa a 37, o algarismo 8 aparece três vezes, isto é: 508,
Se o resto tivesse sido (1), o número seria o 8, mas com tivemos 518, 528.
resto (2) o número que ocupa a 2342º é o algarismo 1. Na parte relativa a 500, isto é, cinco centenas, o algarismo 8 figurou
R: 1 10 vezes como unidade em cada dezena e 10 vezes como dezena em
cada centena. Apareceu, portanto: 5 x (10 + 10) = 100 vezes.
Nas centenas não apareceu nenhuma vez, isto porque, ao
02. Escrevendo-se a sucessão dos número naturais, escrevermos o último número 537, não havíamos chegado a
sem separar os algarismos, determine o algarismo que empregar o algarismo 8, como algarismo das centenas.
ocupa o 985º lugar. Concluímos, então, que o algarismo 8 aparece: 3 + 100 = 103 vezes
R: 3 quando se escreve se 1 até 537.
R: 103 vezes

03. Escrevendo-se a sucessão dos número naturais,


12. Escrevendo-se os números de 1 até 537, determine
sem separar os algarismos, determine o algarismo que
quantas vezes aparecerá o algarismo 5?
ocupa o 1234º lugar.
R: 142
R: 4
13. Escrevendo-se os números de 1 até 327, determine
04. Escrevendo-se a sucessão dos número naturais,
quantas vezes aparecerá o algarismo 4?
sem separar os algarismos, determine o 60º algarismo
R: 62
escrito.
R: 3
14. Escrevendo-se os números inteiros desde 1 até
2.850, determine quantas vezes aparecerá o algarismo
05. Escrevendo-se a sucessão dos número naturais,
sete.
sem separar os algarismos, determine o 500º algarismo
R: 865
escrito.
R: 0.
Observação:

06. Escrevendo-se a sucessão dos número naturais, “Intercalando-se zeros entre os algarismos de um número o
sem separar os algarismos, determine o 1800º aumento que sofre o número será igual ao PRODUTO da
algarismo escrito. parte do número que fica à esquerda dos zeros intercalados,
R: 6. seguidos de tantos zeros quantos forem os algarismos que
ficam à direita dos zeros intercalados; por tantos noves
07. Determinar o número de vezes que o algarismo 3 quantos forem os zeros intercalados.”
aparece na sucessão dos números de 1 até 100.000.
15. Que alteração sofre o número 23.486 quando se
Solução: introduz um zero entre os algarismos 3 e 4?
Se 1 até 100.000 equivale a de 1 até 105.
Como algarismo das unidades o 3 aparece 10n – 1, isto é, 105 – 1 = 104. Solução:
Como algarismo das dezenas o 3 aparece 10n – 1, isto é, 105 – 1 = 104. 23.000 x 9 = 207. 000, aumento sofrido
Como algarismo das centenas o 3 aparece 10n – 1, isto é, 105 – 1 = 104. Prova: 230.486 – 23.486 = 207.000.
Como algarismo de milhar o 3 aparece 10n – 1, isto é, 105 – 1 = 104.
Concluímos que, de 1 até 105, o algarismo 3 aparece 5 x 104 = 5 x
10.000 = 50.000 vezes!
5
16. Que alteração sofre o número 34.567 quando se ____________________________________________
introduz dois zeros entre os algarismos 5 e 6? ____________________________________________
____________________________________________
Solução: ____________________________________________
34.500 x 99 = 3.415.500, aumento sofrido!
Prova: 3.450.067 – 34.567 = 3.415.500. ____________________________________________
____________________________________________
17. Que alteração sofre o número 2.548 quando se ____________________________________________
introduz um zero entre os algarismos 5 e 4? ____________________________________________
R: 22.500 ____________________________________________
____________________________________________
18. Que alteração sofre o número 1957 quando se ____________________________________________
introduz dois zeros entre os algarismos 9 e 5? ____________________________________________
R: 188.100 ____________________________________________
____________________________________________
19. Que alteração sofre o número 678 quando se ____________________________________________
introduz um zero entre os algarismos 6 e 7? ____________________________________________
R: 54.000 ____________________________________________
____________________________________________
20. Qual a 1732º letra da sequência ____________________________________________
ABCDEABCDEABCDEABCDE...? ____________________________________________
____________________________________________
Solução: ____________________________________________
Veja que a sequência é formada por ABCDE seguido de ABCDE, isto ____________________________________________
é, de 5 em 5 letras. Logo, devemos dividir 1732 por 5 e obter o resto ____________________________________________
dessa divisão, assim, teremos:
____________________________________________
1732 5
346
____________________________________________
23 ____________________________________________
32
____________________________________________
____________________________________________
(2) → sobram duas letrar além da sequência
____________________________________________
Logo, só podemos escrever da próxima sequência as letras AB,
Portanto, a letra que ocupa 1732ª é a letra B!
____________________________________________
____________________________________________
21. Qual a 2080º letra da sequência ____________________________________________
DCABDCABDCABDCAB...? ____________________________________________
R: B ____________________________________________
____________________________________________
22. Qual a 1993º letra da sequência ____________________________________________
ABCDEABCDEABCDEABCDE...? ____________________________________________
R: A ____________________________________________
____________________________________________
23. Qual a 1039º letra da sequência ____________________________________________
ABCDEABCDEABCDEABCDE...? ____________________________________________
R: C ____________________________________________
____________________________________________
24. Qual a 1473º letra da sequência ____________________________________________
CDEFGHCDEFGH...? ____________________________________________
R: E ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS

6
Prof. Ulisses Marçal de Carvalho SISTEMA DE BASE 2: São usados os algarismos 0 e 1. Este
RACIOCÍCIO MATEMÁTICO NO SISTEMA DE sistema é conhecido como SISTEMA BINÁRIO.
NUMERAÇÃO DECIMAL. – PARTE II.
SISTEMA DE BASE 16: São usados os algarismos 0, 1, 2,
2. SISTEMA DE NUMERAÇÃO 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9 e os símbolos A, b, C, d, E, F para
Os sistemas de numeração se caracterizam por sua BASE. representar os números 10, 11, 12, 13, 14 e 15,
O números de algarismos de um sistema é igual a base. respectivamente. Este sistema também é conhecido
como SISTEMA HEXADECIMAL.
2.1 SISTEMA DE NUMERAÇÃO DECIMAL Obs.: Como este sistema utiliza as letras A, b, C, d, E, F
Já conhecemos o sistema de numeração decimal ou de para representar os numerais 10, 11, 12, 13, 14 e 15
base 10, que utiliza os 10 algarismos 0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, respectivamente, alguns numerais escritos na base 16
8 e 9 para representação dos números reais. podem possuir somente letras.
Um aspecto muito importante da representação de um
número, ou seja, do seu numeral, é o valor posicional Exemplos:
dos algarismos que o compõe. Assim, por exemplo, no O numeral 64218 escrito na base 16 fica: FAdA.
número 234 (duzentos e trinta e quatro) o algarismo 2 O numeral 12237514 escrito na base 16 fica: bAbACA
possui valor de posição 200, o algarismo 3 possui valor O numeral 186 escrito na base 16 fica: bA.
posicional 30 e o algarismo 4, valor posicional 4.
Podemos escrever: 2.4 PASSAR UM NÚMERO DO SISTEMA DE BASE 10 PARA
UM SISTEMA DE BASE QUALQUER
Neste caso, devemos utilizar o seguinte algoritmo:
DIVIDIR, SUCESSIVAMENTE, O NÚMERO Pela base que se
quer.
JUSTIFICATIVA: Para justifica este algoritmo, vamos
inicialmente, considerar a base 10.
Exemplos:
01. Escrever o número (370)10 no sistema de base 8.
Solução:

2.2 REPRESENTAÇÃO GENÉRICA DE UM NÚMERO 02. O número 584 está escrito no sistema decimal,
No sistema de numeração decimal, um número de
escrevê-lo no sistema de base 6.
numeral (abcd...j) composto por n algarismos a, b, c, d,
Solução:
..., j pode ser representado genericamente por:

(abcd j) a.10n 1
b.10n 2
c.10n 3
j.100
onde (abcd j ) possui n algarismos
Obs.: Dividimos o número pela base desejada, a seguir,
2.3 O SISTEMA DE NUMERAÇÃO BINÁRIO dividimos o quociente obtido pela base; continua-se
Analogamente ao sistema de numeração decimal, que dividindo-se os quocientes obtidos até encontrar um
usa os dez algarismos 0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8 e 9 para quociente menor que a base. O número escrito na nova
representar os números na base 10, podemos base será, então, formado pelo último quociente
considerar o sistema de numeração BINÁRIO, que utiliza seguido dos restos encontrados, escritos em sentido
apenas os algarismos 0 e 1 para representar os números contrário, isto é, do último resto até o primeiro.
na BASE 2.
NOTA: De forma genérica, um sistema de numeração de 03. O número 83452 está escrito na base 10, escreva-o
base b, com b maior ou igual a 2 (b ≥ 2), será aquele no sistema de base 7.
sistema que usará os algarismos 0, 1, 2, 3, ..., b – 1.

Exemplos:
SISTEMA DE BASE 10: São usados os algarismos 0, 1, 2,
3, ..., 9. (83452)10 = (465205)7.
04. O número 83452 está escrito na base 10, escreva-o
SISTEMA DE BASE 8: São usados os algarismos 0, 1, 2, 3, no sistema de base 4.
..., 7. Este sistema é conhecido como SISTEMA OCTAL. R: (0113330)4
7
05. O número 83452 está escrito na base 10, escreva-o
no sistema de base 5.
R: (231342)5
06. Escreva o número 288 no sistema de base 3.
R: (124)5.
R: (31200)3
02. Escreva o número (2132)3 na base 4.
07. Escreva o número 43456 no sistema de base 6.
R: (422)4.
R: (533103)6.

2.5 PASSAR UM NÚMERO DO SISTEMA DE BASE QUALQUER


03. Escreva o número (1212)5 na base 2.
PARA UM SISTEMA DE BASE SECIMAL R: (1001010)2.

Vejamos como se faz: 04. Escreva o número (102)5 na base 4.


R: (122)4.
Escreva uma SOMA onde as parcelas são:
05. Calcule a base do sistema de numeração em que o
➢ O algarismo da unidade, vezes à base elevada a zero; número 23 do sistema decimal se escreve 32.
➢ O algarismo das dezenas, vezes à base elevada a um;
➢ O algarismo das centenas, vezes à base elevada a dois;
Solução:
➢ O algarismo das milhares, vezes à base elevada a três;
E assim por diante ...
Seja x a base desejada, então temos: (32)x = 23

Exemplos:
01. O número (562)8 está escrito na base 8. Escreva-o na base
decimal.
Solução: 06. Calcule a base do sistema de numeração em que o
(562)8 = 2 x 80 + 6 x 81 + 5 x 82 = 2 x 1 + 6 x 8 + 5 x 64 número 45 do sistema decimal se escreve 63.
= 2 + 48 + 320 R: 7.
= 370
02. O número (2412)6 está escrito na base 6. Escreva-o 07. Calcule a base do sistema de numeração em que o
na base decimal. número 38 do sistema de base 10, se escreve 46.
R: 584. R: 8.

03. Escreva o número (213)4 na base 10. 08. Calcule a base do sistema de numeração em que o
R: 39. número 223 do sistema decimal se escreve 337.
Solução:
04. Escreva o número (2416)3 na base 10. Seja x a base desejada, então temos: (337)x = 223.
R: 99.

05. Escreva o número (465205)7 na base 10.


R: 83452.

Escreva o número (2001)2 na base 10.


R: 17.

2.6 PASSAR UM NÚMERO DO SISTEMA DE BASE QUALQUER A base procurada é 8.


PARA UM SISTEMA DE BASE QUALQUER
Como fazer: 09. Calcule a base do sistema de numeração em que o
Passamos o número para a base decimal e, em seguida, número 38 do sistema decimal se escreve 123.
passamos o número obtido para a base desejada. R: 5.

01. Escreva o número (213)4 na base 5. 10. Calcule a base do sistema de numeração em que o
número 122 do sistema decimal se escreve 145.
Solução: R: 9

(i) Passamos (213)4 para a base decimal; 11. Um número de dois algarismos, escritos na base 7,
escreve-se na base 9 com os algarismos e ordem
(213)4 = 3 x 40 + 1 x 41 + 2 x 42 = 3 + 4 + 32 = 39 inversa. Determinar esse número na base 10;
(ii) Agora, passamos o número 39, que está escrito na correspondente ao número na base 7 e na base 9.
base 10, para a base pedida, nesse caso, a base 5.
8
____________________________________________
Solução: Seja ab o número. Então: (ab)7 = (ba)9. ____________________________________________
____________________________________________
(ab)7 = (ba)9 ____________________________________________
b x 7 0 + a x 7 1 = a x 90 + b x 91 ____________________________________________
b + 7a = a + 9b ____________________________________________
6a = 8b ____________________________________________
3a = 4b ____________________________________________
Para que a igualdade desses produtos exista, devemos ____________________________________________
ter: a = 4 e b = 3. ____________________________________________
Logo, o número será: (43)7 ou (34)9 ____________________________________________
Na base 10 teremos: ____________________________________________
(43)7 = 3 x 70 + 4 x 71 = 3 + 28 = 31 ou ____________________________________________
(34)9 = 4 x 90 + 3 x 91 = 4 + 27 = 31. ____________________________________________
____________________________________________
12. Um número de dois algarismos, escritos na base 3, ____________________________________________
escreve-se na base 5 com os algarismos e ordem ____________________________________________
inversa. Determinar esse número na base 10; ____________________________________________
correspondente ao número na base 3 e na base 5. ____________________________________________
R: 7. ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________ ____________________________________________
____________________________________________
____________________________________________ MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS
____________________________________________ Prof. Ulisses Marçal de Carvalho
____________________________________________
3. NÚMEROS INTEIROS
9
(iv) Somando-se ou subtraindo-se o mesmo número do
As operações fundamentais com os números inteiros minuendo e do subtraendo, o resto não se altera.
são quatro: 17 → Minuendo 17 + 2 = 19
➢ Adição 
−5 → subtraendo  5 + 2 = −7
➢ Subtração 
12 → resto  12
➢ Multiplicação
➢ Divisão (v) O resto varia no mesmo sentido que varia o
minuendo, isto é:
3.1 Adição: é a operação que tem por fim reunir vários a) Somando-se qualquer número ao minuendo, o resto
números homogêneos em um só. Os números que ficará aumentado desse número.
compõe a SOMA são as PARCELAS e o resultado da 17 → Minuendo 17 + 2 = 19

operação chama-se SOMA. −5 → subtraendo  −5
12 → resto  14 → 14 = 12 + 2

PROPRIEDADES DA ADIÇÃO: b) Diminuindo-se qualquer número do minuendo, o
resto ficará diminuído desse número.
a) Elemento neutro: O ZERO é o elemento neutro da 17 → Minuendo 17 − 2 = 15
adição nos números naturais. 
−5 → subtraendo  −5
5 + 0 = 5; 0 + 7 = 7.
12 → resto  10 → 10 = 12 − 2
b) Fechamento: A soma de dois ou mais números 
naturais é sempre um número natural. (vi) O resto varia em sentido contrário ao que varia o
2 + 5 = 7;2 + 8 + 5 = 15 subtraendo, isto é:
c) Comutativa: A ordem das parcelas não altera a soma. a) Somando-se qualquer número ao subtraendo, o
3 + 5 + 2 = 10 resto ficará diminuído desse número.
5 + 2 + 3 = 10 12 12
2 + 3 + 5 = 10 −4 → 4 + 2 → −
d) Associativa: Numa soma indicada de várias parcelas, 8 6 → 6 =8−2
podemos substituir várias de suas parcelas pela sua b) Diminuindo-se qualquer número do subtraendo, o
respectiva soma. resto ficará aumentado desse número.
5 + 3 + 7 + 2 = (5 + 3 ) + (7 + 2) = 8 + 9 = 17. 16 16
5 + 3 + 7 + 2 = (5 + 3 + 7) + 2 = 15 + 2 = 17.
−6 → 6 − 2 → −
Obs1.: Quando se aumenta uma parcela de uma certa 10 12 → 12 = 10 + 2
quantidade, a soma fica aumentada dessa quantidade. (vii) Somando-se certo número ao minuendo e
Obs1.: Quando se diminui uma parcela de uma certa diminuindo-se outro número do subtraendo, o resto
quantidade, a soma fica diminuída dessa quantidade. ficará aumentado da soma desses números.
20 → 20 + 6 = 26
3.2 Subtração: a operação que tem por fim tirar um −8 → 8 − 5 → −
número MENOR, chamado SUBTRAENDO, de outro 12 23 → ( 23 − 12 ) = 11 = 6 + 5
número MAIOR, chamado MINUENDO; e cujo
resultado chama-se DIFERENÇA ou RESTO. (viii) Diminuindo certo número do minuendo e
aumentando-se de outro número o subtraendo, o
Observação: resto ficará diminuído da soma desses números.
(i) A subtração não é comutativa, nem associativa e 20 → 20 − 6 = 14
nem possui elemento neutro. −8 → 8 + 2 → −10
12 4 → (12 − 4 ) = 8 = 6 + 2
(ii) O minuendo é igual ao subtraendo somado com o
resto.
Questões:
17 → Minuendo  01. Calcule o minuendo de uma subtração, sabendo

−5 → subtraendo 17 = 5 + 12 que o resto é 15 e o subtraendo 115.
12 → resto  R: 130.

(iii) A soma do minuendo com o subtraendo e com o 02. Numa subtração, o dobro do minuendo é 160.
resto, é igual ao dobro do minuendo. Calcule o resto, sabendo que o subtraendo vale 20.
R: 60.
17 → Minuendo 

−5 → subtraendo 17 + 5 + 12 = 34 → 34 = 2 x17 03. Calculada a diferença de dois números, obteve-se
12 → resto 
 120. Houve, porém, no minuendo um erro de 20, para
10
mais e no subtraendo um erro de 10 para mais. Calcule
a diferença. h) Quando se soma um certo número a um dos fatores,
R: 110. o produto fica aumentado de uma quantidade igual ao
número multiplicado pelo outro fator.
04. Calculada a diferença de dois números, obteve-se 5 →5+ 2 = 7
180. Houve, porém, no minuendo um erro de 50, para x4 x4
mais e no subtraendo um erro de 30 para mais. Calcule
20 28 → 28 − 20 = 8 = 2 x4
a diferença.
R: 160.
i) Quando se subtrai um certo número de um dos
fatores, o produto fica subtraído de uma quantidade
05. A soma dos três números que figuram em uma
igual ao número, multiplicado pelo outro fator.
subtração é 7492. O resto excede o subtraendo de
5 →5−2 = 3
3438. Calcule os três números.
R: 3746, 154 e 3592. x4 x4
20 12 → 20 − 12 = 8 = 2 x 4
06. Numa subtração, a soma do minuendo, do
subtraendo e do resto é igual a 516. O subtraendo é j) Quando se multiplica um do fatores por um número,
igual ao resto. Calcule o minuendo e o resto. o produto fica multiplicado por esse número.
R: 258 e 129. 5 → 5 x2 = 10
x4 x4
3.3 Multiplicação: Multiplicar é repetir um número
20 40 → 40 = 20 x2
chamado MULTIPLICANDO, tantas vezes quantas são
as unidades de outro número, chamado
MULTIPLICADOR. k) Quando se divide um dos fatores por um número, o
produto fica dividido por esse número.
Obs.: Na multiplicação, os termos são os FATORES e o 15 → 15 / 3 = 5
resultado é o PRODUTO. x4 x4
60 20 → 20 = 60 / 3
PROPRIEDADES DA MULTIPLICAÇÃO
Questões:
a) Elemento neutro: o Um (1) é o elemento neutro da
multiplicação. 01. O produto de dois números é 120, diminuindo-se
de 3 unidades o multiplicando, o produto será 96.
b) Fechamento: O produto de dois números naturais é Calcule o multiplicando e o multiplicador.
sempre um número natural. R: 15 e 8;

c) Comutativa: A ordem dos fatores não altera o 02. O produto de dois números, que é 594 será 429 se
produto. diminuirmos 5 do multiplicador. Calcule o primeiro e o
segundo fatores.
d) Associativa: Num produto de vários fatores R: 18 e 33.
podemos substituir dois ou mais deles pelo seu
produto. 03. O produto de dois números é 120, aumentando-se
de 5 unidades o multiplicador, o produto será 160.
e) Distributiva em Relação a Adição: Para se Calcule o multiplicador.
multiplicar uma soma por um número, multiplica-se R: 8.
cada uma das parcelas pelo número dado e soma-se os
produtos. 04. O produto de dois números é 248. Multiplicando-se
em deles por 2 e o outro por 3, calcule o produto desses
f) Distributiva em Relação a Subtração: Para se dois novos números.
multiplicar uma diferença por um número, basta R: 1488.
multiplicar cada termo da diferença por esse número 3.4 Divisão: É a operação que tem por fim achar
e, a seguir, subtrai-se os produtos. quantas vezes um número contém outro. Os números
g) Elemento nulo: Quando um dos fatores é ZERO, o que entram na formação de uma divisão são:
produto é ZERO.
a) Dividendo: É o número que há de ser dividido;
5 x 0 = 0; 3 x 5 x 7 x 0 x 8 = 0

11
b) Divisor: É o número que indica em quantas partes 03. Numa divisão o quociente é igual ao divisor e o
iguais deverá ser dividido o dividendo; resto é o maior possível. Sabendo que a soma do
c) Quociente: É o resultado da divisão; divisor e do quociente é igual a 6, calcule o dividendo.
d) Resto: É o que sobra da divisão, no caso dela não ser R: 11.
exata.
04. O dividendo de uma subtração é 237, o resto é 16
ATENÇÃO! e o divisor é o menor possível, calcule o quociente.
R: 13.

05. Numa divisão, o divisor é 257, o quociente é 59 e o


resto é o maior possível. Calcule o dividendo.
R: 15.419.

06. Numa divisão, o divisor é 12, o quociente é 10 e o


(ii) O maior resto de uma divisão é o divisor menos uma
reto é o maior possível. Calcule o dividendo.
unidade:
R: 131.

07. Numa divisão, o divisor é 28, o quociente é o


quádruplo do divisor e o resto é o maior possível.
Calcular o dividendo.
Obs1.: Multiplicando-se ou dividindo-se o dividendo e o R: 3.163.
divisor por um mesmo número (diferente de zero) o
quociente não se altera, mas, o resto fica multiplicado 08. Numa divisão, o quociente é 48, o resto é a terça
ou dividido por esse número. parte do quociente e é o maior possível. Calcule o
dividendo.
Obs2.: O quociente varia no mesmo sentido do R: 832.
dividendo, isto é:
09. Numa divisão, o quociente é 12; o divisor é o dobro
a) Multiplicando-se o dividendo por um número, o do quociente e o resto é o maior possível. Calcule o
quociente fica multiplicado por esse número. dividendo.
R: 311.
b) Dividindo-se o dividendo por um número, o
quociente fica dividido por esse número. 10. Em uma divisão, o dividendo é 5043, o quociente é
14 e o resto é 185. Calcule o divisor.
Obs3.: O quociente varia em sentido contrário ao que R: 347.
varia o divisor, isto é:
11. Numa divisão, o divisor é 298, o quociente é o triplo
a) Multiplicando-se o divisor por um número, o do divisor e o resto é o maior possível. Determine o
quociente fica dividido por esse número. dividendo.
R: 266.709.
b) Dividindo-se o divisor por um número, o quociente
fica multiplicado por esse número. 12. Numa divisão, o divisor é 15, o quociente é 16, e o
resto é o maior possível. Calcule o dividendo.
R: 254.
Questões:
________________________________________________
01. Calcule o maior número que dividido por 11 dê um ________________________________________________
________________________________________________
resto igual ao quociente.
________________________________________________
R: 120.
________________________________________________
________________________________________________
02. Calcule o quociente de uma divisão, sabendo que, ________________________________________________
aumentando 52 unidades ao dividendo e 4 unidades ao
divisor, o quociente e o resto não se alteram. MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS
R: 13. Prof. Ulisses Marçal de Carvalho
4. NÚMEROS FRACIONÁRIOS

12
Quando um todo ou uma unidade é dividido em partes a) Frações próprias: São aquelas em que o numerador é
iguais, uma dessas partes ou a reunião de várias menor que o denominador.
formam o que chamamos de uma fração do todo. Exemplos:
Para se representar uma fração são, portanto,
necessários dois números inteiros:
a) O primeiro, para indicar em quantas partes iguais foi b) Frações impróprias: São aquelas em que o numerador
dividida a unidade (ou todo) e que dá nome a cada parte é maior ou igual ao denominador.
e, por essa razão, chama-se denominador da fração; Exemplos:
b) O segundo, que indica o número de partes que foram
reunidas ou tomadas da unidade e, por isso, chama-se
c) Frações aparentes: São aquelas cujo numerador é
numerador da fração.
múltiplo do denominador. Elas pertencem ao grupo das
O numerador e o denominador constituem o que
frações impróprias.
chamamos de termos da fração.
Exemplos:
Exemplos:

4.3 Frações particulares


Para formar uma fração de uma grandeza, dividimos a
grandeza pelo denominador (número de partes iguais)
e multiplicamos o resultado pelo numerador (número
4.1 Nomenclaturas das frações de partes tomadas). Assim, podemos concluir:
1 – Frações com denominadores de 1 a 10: -- Se o numerador é zero, a fração é igual a zero:
Enuncia-se: meios, terços, quartos, quintos, sextos,
sétimos, oitavos, nonos e décimos.
Exemplos: -- Se o denominador é um, a fração é igual ao
numerador:

--) Se o denominador é zero, a fração não tem sentido (a


divisão por zero é impossível).
--) Se o numerador e o denominador são iguais, a fração
é igual à unidade.

4.4 Números mistos


2 – Frações com denominadores potências de 10: São números compostos por uma parte inteira e outra
Enuncia-se: décimos, centésimos, milésimos, décimos parte fracionária. Podemos transformar uma fração
de milésimos, centésimos de milésimos etc. imprópria na forma mista, ou vice-versa, sem recorrer a
Exemplos: desenhos ou figuras.
Exemplos:

4.5 Frações equivalentes


Duas ou mais frações que representam a mesma parte
da unidade são chamadas frações equivalentes (têm o
3 – Denominadores diferentes dos citados
mesmo valor). Quando multiplicamos ou dividimos os
anteriormente:
termos de uma fração por um mesmo número natural,
Enuncia-se o numerador e, em seguida, o denominador
diferente de zero, obtemos uma fração equivalente à
seguido da palavra “avos”.
fração inicial.
Exemplos:
Exemplos:

4.2 Tipos de frações


13
A diferença entre duas frações com denominadores
4.6 Frações irredutíveis iguais é uma fração cujo denominador é igual ao das
São todas as frações em que o numerador e o frações dadas e cujo numerador é a diferença dos
denominador são números primos entre si. numeradores.
Exemplos: Exemplo:

Ao somar ou subtrair frações que têm denominadores


4.7 Comparação e simplificação de fração diferentes, devemos primeiro reduzi-las ao mesmo
a) Comparação denominador e depois aplicar a regra anterior.
Quando duas frações têm denominadores iguais, a Exemplo:
maior das frações é aquela que tem o maior numerador.

Quando vamos comparar duas frações que têm mmc (6, 9, 12, 18) = 36, portanto o denominador
denominadores diferentes, reduzimos ao mesmo comum será 36.
denominador e aplicamos a regra.
Exemplo:
Comparar as frações 5/6 e 5/7 entre si.
b) Multiplicação: O produto de duas frações é outra
Como as frações têm denominadores diferentes, fração, cujo numerador é o produto dos numeradores
reduzindo-as ao mesmo denominador. dados e o denominador é o produto dos
denominadores dados.
mmc (6, 7) = 42, daí: Exemplo:

c) Divisão: O quociente de uma fração por outra é igual


Lembrando que: 5/6 é equivalente a 35/42 e 5/7 é ao produto da primeira fração pelo inverso da segunda
equivalente a 30/42. fração.
Exemplo:
Assim sendo, observamos que o numerador da primeira
fração é maior que o numerador da segunda fração,
portanto: 4.10 Números decimais e frações decimais
O sistema de numeração decimal apresenta a seguinte
ordem posicional dos algarismos locados no número:
4.8 Simplificação
Simplificar uma fração é dividir seus termos por um
➢ Unidades simples (1)
mesmo número e obter termos menores que os iniciais,
➢ Dezenas (10)
formando outra fração equivalente à primeira.
➢ Centenas (100)
Exemplo: Vamos simplificar pelo método das divisões
➢ Unidade de milhar (1000)
sucessivas até obter a forma irredutível (numerador e
denominador primos entre si) da fração 120/440.

4.9 Operações com frações

a) Adição e subtração: A soma de frações com


denominadores iguais é uma fração cujo denominador
é igual ao das parcelas e cujo numerador é a soma dos
numeradores das parcelas.
Eis alguns numerais e como devem ser lidos:
Exemplo:
✓ 0,9: nove décimos
14
✓ 0,17: dezessete centésimos Para dividir um numeral decimal por 10, 100 ou 1.000
✓ 0,254: duzentos e cinquenta e quatro milésimos etc., basta deslocar a vírgula uma, duas ou três etc.
✓ 5,6: cinco inteiros e seis décimos casas decimais para a esquerda.
✓ 7,18: sete inteiros e dezoito centésimos 5,196 ÷ 10 = 0,5196
✓ 27,391: vinte e sete inteiros, trezentos e noventa e 6,4 ÷ 1 000 = 0,0064
um milésimos 67 ÷ 10 000 = 0,0067
✓ 472,1256: quatrocentos e setenta e dois inteiros e
mil, duzentos, cinquenta e seis décimos-milésimos. 4.12 Dízimas periódicas simples e compostas

4.11 Transformação de frações ordinárias em decimais a) Decimais exatos: Decimais exatos são numerais
e vice-versa decimais obtidos a partir de frações irredutíveis. Vamos,
por exemplo, transformar em numerais decimais as
a) Representação fracionária frações irredutíveis a seguir:
Exemplos:
Exemplo: Vamos transformar os números decimais
0,097 e 5,691 na forma fracionária.

Note-se que o numeral decimal 0,097 representa 97


milésimos e o numeral decimal 5,691, representa cinco
inteiros e seiscentos e noventa e um milésimos.
Para transformar um numeral decimal em fração b) Dízimas periódicas simples: Uma dízima periódica é
decimal, escreve-se uma fração cujo numerador é o simples quando seu período tem início logo após a
numeral decimal sem a vírgula e cujo denominador é o vírgula (na ordem décimo de unidade).
algarismo 1 (um) seguido de tantos zeros quantas Exemplos:
forem as casas decimais do numeral dado.
Para transformar uma fração decimal em número
decimal, escreve-se o numerador da fração com tantas
ordens (ou casas) decimais forem os zeros do
denominador.

Exemplo: Vamos transformar os números fracionários c) Dízimas periódicas compostas: Uma dízima
37/100 e 2.417/1000 na sua forma decimal. periódica é composta quando existir(em) algarismo(s)
na ordem dos décimos, centésimos, milésimos, etc.
➢ 37 ocupará duas casas decimais após a vírgula, pois que não faz(em) parte do período.
está dividido por 100 (2 zeros), então: 0,37 Exemplos:
➢ 2.417 ocupará três casas decimais após a vírgula, 1,8333..........................parte inteira: 1
pois está dividido por 1.000 (3 zeros), então: 2,417. parte periódica ou período: 3
parte não periódica: 8
b) Representação decimal: propriedades 29,31727272............... parte inteira: 29
parte periódica ou período: 72
Um numeral decimal não se altera quando retiramos ou parte não periódica: 31
acrescentamos um ou mais zeros à direita da parte 341,834751751751..... parte inteira: 341
decimal. parte periódica ou período: 751
2,51 = 2,510 = 2,5100 = 2,51000... parte não periódica: 834.

Para multiplicar um numeral decimal por 10, 100 ou Fração geradora da dízima periódica ou geratriz da
1.000 etc. basta deslocar a vírgula uma, duas, três, etc. dízima
casas decimais para a direita. Quando dividimos o numerador de uma fração
irredutível pelo denominador, obtemos uma dízima
12,7 × 10 = 127 periódica (simples ou composta) e dizemos que a
132,85 × 100 = 13 852 fração primitiva é chamada de geratriz da dízima
1,345 × 10 000 = 13 450 periódica.
Exemplo: 5/11 é a geratriz da dízima 0,454545...
15
OBTENÇÃO DE UMA FRAÇÃO GERATRIZ: Chama-se Segundo: Uma fração irredutível, cujo denominador
fração geratriz de uma dízima periódica a fração que não contém o fator 2 e nem o fator 5, converte-se em
deu origem a essa dízima, isto é, aquela que gerou a uma Dízima Periódica Simples.
dízima. 2 5 5
Exemplo: Converter as frações , e em números
3 3 11
Conceito: A geratriz de uma dízima periódica simples decimais.
é uma fração na qual o numerador é igual ao período
da dízima e o denominador é formado por tantos noves Solução: Como os denominadores das frações não
quantos são os algarismos do período. contém os fatores 2 e 5, concluímos que o resultado
será uma Dízima Periódica Simples.
Exemplos: 2 5 5
=,666..., = 1,666... e = 0, 454545...
3 3 11
Terceiro: Uma fração irredutível, cujo denominador
contiver os fatores 2 ou 5 juntamente com fatores
Conceito: A geratriz de uma dízima periódica
primos diferentes, converte-se em uma Dízima
composta é uma fração na qual:
Periódica Composta. O número de algarismos da parte
não periódica é dado pelo maior expoente que tiver um
– O numerador é formado escrevendo-se a parte não
dos fatores 2 ou 5.
periódica seguida do período. Do número formado,
subtrai-se a parte não periódica.
Exemplo: Converter a fração 7 em um número
12
– O denominador é formado por tantos noves quantos decimal.
são os algarismos do período e por tantos zeros Solução: Converte-se em dízima periódica composta
quantos são os algarismos da parte não periódica.
Exemplos: pois, 7 = 72 além do fator 2 aparece o fator 3; e a
12 2 .3
parte não periódica terá dois algarismos que é o
expoente 2 do fator 2.
Veja: 7 = 0,58333...
12

Exercício
01. Em que espécie de número decimal se convertem
as frações.
89 409 232 60 95
4.13 CARACTERÍSTICA DE CONVERTIBILIDADE
(a) (b) (c) (d ) (e)
160 420 231 210 180
Primeiro: Uma fração ordinária irredutível, que não (a) Decimal exata
contém no denominador outros fatores diferentes de (b) Dízima Periódica Composta
2 e de 5, converte-se em um número decimal exato. O (c) Dízima Periódica Simples
(d) Dízima Periódica Simples
número de algarismos decimais é dado pelo maior
(e) Dízima Periódica Composta
expoente que tiver um dos fatores 2 e 5
5 5
Ex1.: = 4 como o denominador não contém outro 02. Calcular, exatamente, a operação: 2,555... +
16 2 0,636363...
fator diferente de 2, a fração se converte num número 19
decimal exato e terá 4 algarismos decimais, pois o R: 3
99
expoente do fator 2 é 4.
03. 3,(18) + 1,(45) + 0,(27) + 5,090909...
R: 10
Veja: 5 = 0,3125
16
04. (0,5 + 0,333...x 1,25) / (0,8333... – 1,25)
Ex2.: 7 = 7 3 converte-se em um número decimal R: 1
05. (
250 2.5 0, 75 + 0,8333...)
exato, pois não contém outros fatores além do 2 e do
5; e terá 3 casas decimais já que 3 é o maior expoente (1,166... + 0, 625)
dentre os fatores 2 e 5. R: 2
Veja: 7 = 0,028
250 Exercícios resolvidos

16
1. (FCC) João tinha uma caixa com pregos, mas perdeu d) é uma dízima periódica sem representação decimal
3 da quantidade inicial. Depois, ele usou 5 do que finita;
11 8 e) não pode ser calculado porque não podemos somar
sobrou na caixa. Qual fração representa a parte de dízimas periódicas.
pregos que sobrou na caixa? Resolução:
Lembramos, inicialmente, que os valores indicados na
coluna X ÷ Y correspondem ao resultado da divisão do
valor presente na coluna X pelo correspondente na
coluna Y, na mesma linha. Logo, a soma dos três
resultados apresentados na coluna X ÷ Y poderá ser
representada pela soma a seguir: mmc (2; 3; 6) = 6.
Resolução:

A quantidade inicial de pregos será representada pela


fração inteira, igual a 1.
Ao perder uma quantidade equivalente a 3/11 de
pregos, João ficou com: 1 − 3 = 11 − 3 = 8 de pregos De acordo com o valor encontrado, a soma “S” é
11 11 11
A seguir, João usou 5/8 do que sobrou, ou seja, 5/8 de representada por um número natural e par. (c).
1
4. (FEC) Ache o valor de 10 − 3, 2 x1,7 .
8/11 resultando em: 5 x 8 = 5 . 0,8 −1
8 11 11
1
a) –28,4. d) 28,4.
A fração que representa a parte de pregos que sobrou b) 2,28. e) 0,228. c) –22,8.
na caixa, após João usar a quantidade anterior, será de: Resolução:
8 5 8−5 3
− = = .
11 11 11 11
2. (FEC) Ana comeu 2/3 da quantidade total de
bombons de uma caixa, e sua irmã comeu 1/4 da
5. (FEC) Calcule:
mesma quantidade total. A fração correspondente à
quantidade de bombons que as duas comeram juntas
é de:

Resolução: Letra (e).


Inicialmente, determinaremos a fração do número de
bombons consumidos por Ana e sua irmã: 6. (FGV) Ordenando os números racionais
13 2 5
p = , q = e r = , obtemos:
24 3 8
A seguir, determinaremos a fração que corresponde à a) p < r < q. d) q < r < p.
quantidade de bombons que sobrou na caixa: b) q < p < r. e) r < q < p.
c) r < p < q.
Letra (b). Letra (b).

3. (FCC) Observe os dados apresentados na tabela: 7. (FGV) A soma da dízima periódica 0,444... com o
número decimal exato 0,21 é igual à seguinte fração:

Se S for a soma dos três resultados apresentados na


coluna X ÷ Y, é correto afirmar que S:
a) é divisível por 3; Letra (b).
b) é múltiplo de 5; 8. (NCE) Ao fazer uma divisão entre dois números
c) é um número par; inteiros numa calculadora, Josimar obteve como
17
resultado: 0,1234123412341234. Assinale o item que Cabral, Luiz Cláudio. Matemática básica explicada
pode indicar a divisão feita por Josimar: passo a passo [recurso eletrônico] / Luiz Cláudio Durão
Cabral, Mauro César de Abreu Nunes. - Rio de Janeiro:
Elsevier, 2013. Recurso digital (Provas e concursos).

Góes, Hilder Bezerra. Góes, Ubaldo


Teixeira. Matemática para Concurso. 7ª ed., São Paulo:
Letra (e).
ABC Editora, 2004.
9. (CFC) Dê a fração geratriz da dízima periódica
0,12555...

Letra (c).

10. (NCE) As dízimas periódicas simples formadas por


apenas um algarismo equivalem a frações ordinárias,
conforme exemplificado a seguir:

Portanto, o valor de (0,666...) × (0,666...) + (0,333...) ×


(0,333...) é igual a:
a) 0,111... c) 0,333...
b) 0,222... . d) 0,444... e) 0,555...
Letra (e).

11 (FCC) Cristina foi passear e gastou 1/4 do dinheiro


que levou para comprar o ingresso para um show e do
que restou no restaurante que foi depois do
espetáculo. Se, ao final, Cristina ficou com R$24,00,
com que quantia ela saiu de casa?
Considere a quantia inicial como sendo: “x” reais.
a) R$ 64,00. d) R$ 256,00.
b) R$ 96,00. e) R$ 320,00.
c) R$ 160,00.
Letra (c).

REFERENCIAS
MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS
Prof. Ulisses Marçal de Carvalho
18
Resposta: SIM.
5. DIVISORES DE UM NÚMERO NATURAL: D(N) 1.749.836 termina em 36, que é um número divisível
por 4 (pois 36 ÷ 4 = 9, número natural).
5.1. CRITÉRIOS DE DIVISIBILIDADE
5.2.4 Divisibilidade por 5:
Os critérios de divisibilidade são constituídos por
regras práticas que nos possibilitam dizer se um Um número natural é divisível por 5 quando termina
determinado número natural é ou não divisível por em 0 ou 5.
outro número natural, sem que seja preciso efetuar
essa divisão. Exemplos:
a) 13.245 é divisível por 5?
5.1.1 Divisibilidade por 2: Resposta: SIM.
3245 é divisível por 5, pois o número termina em 5.
Um número natural é divisível por 2 quando é par, isto
é, quando termina em 0; 2; 4; 6; 8. b) 678.940 é divisível por 5?
Resposta: SIM.
Exemplos: 678940 é divisível por 5, pois o número termina em 0.
Os números 3990, 9892, 43314, 132546, 752418 são
números divisíveis por 2, porque terminam em, 5.2.5 Divisibilidade por 6:
respectivamente: 0; 2; 4; 6; 8.
Um número natural é divisível por 6 quando é divisível
5.1.2 Divisibilidade por 3: por 2 (número par) e por 3, simultaneamente.

Um número natural é divisível por 3 quando a soma de Exemplos:


todos os seus algarismos forma um número divisível a) 72.450 é divisível por 6?
por 3, ou seja, um múltiplo de 3. Resposta: SIM.
72.450 é um número par, logo é divisível por 2;
Exemplos: 72 450 = 7 + 2 + 4 + 5 + 0 = 18, que é divisível por 3 (pois
a) 1.104 é divisível por 3? 18 ÷ 3 = 6, número natural), logo o número 72.450
Resposta: SIM. é divisível por 2 e 3, simultaneamente, então, ele é
É divisível por 3, pois seus algarismos quando somados: divisível por 6.
1 + 1 + 0 + 4 = 6, que é um número divisível por 3
(porque 6 ÷ 3 = 2, que é um número natural). b) 112.704 é divisível por 6?
b) 2.791.035 é divisível por 3? Resposta: SIM.
Resposta: SIM. 12.704 é um número par, logo é divisível por 2;
2.791.035 é constituído de algarismos que somados: 2 12.704 = 1 + 1 + 2 + 7 + 0 + 4 = 15, que é divisível por 3
+ 7 + 9 + 1 + 0 + 3 + + 5 = 27, gera um número divisível (pois 15 ÷ 3 = 5, número inteiro), logo o número 72.450
por 3 (pois 27 ÷ 3 = 9, número natural). é divisível por 2 e 3, simultaneamente, então, ele é
divisível por 6.
5.2.3 Divisibilidade por 4:
5.2.6 Divisibilidade por 7:
Um número natural é divisível por 4 quando seus dois
últimos algarismos são 00 ou formam outro número Um número natural é divisível por 7 quando a diferença
natural que é divisível por 4. entre as suas dezenas e o dobro do valor do seu
algarismo das unidades é divisível por 7.
Exemplos:
a) 5.400 é divisível por 4? Exemplos:
Resposta: SIM. a) 819 é divisível por 7?
5.400 é um número divisível por 4, pois termina em 00. Resposta: SIM.
81 – (2 × 9) = 81 – 18 = 63, que é um número divisível
b) 653.524 é divisível por 4? por 7 (pois 63 ÷ 7 = 9, número natural), então, o
Resposta: SIM. número 819 também é divisível por 7.
653.524 termina em 24, que é um número divisível por b) 5.404 é divisível por 7?
4 (pois 24 ÷ 4 = 6, número natural); Resposta: SIM.
540 – (2 × 4) = 540 – 8 = 532.
c) 1.749.836 é divisível por 4?

19
53 – (2 × 2) = 53 – 4 = 49, que é um número divisível Assim sendo, um número divisível por 10 termina
por 7 (pois 49 ÷ 7 = 7, número natural), então, número obrigatoriamente em 0 (algarismo das unidades é 0).
5.404 também é divisível por 7.
Exemplos:
c) 47.768 é divisível por 7? a) 320 é divisível por 10, pois o número termina em 0.
Resposta: SIM.
4.776 – (2 × 8) = 4.776 – 16 = 4.760 b) 12.700 é divisível por 10, pois o número termina em
476 – (2 × 0) = 476 – 0 = 476 0.
47 – (2 × 6) = 47 – 12 = 35, que é um número divisível
por 7 (pois 35 ÷ 7 = 5, número natural), então, número c) 459.000 é divisível por 10, pois o número termina
47.768 também é divisível por 7. em 0.

5.2.7 Divisibilidade por 8: 5.2.10 Divisibilidade por 11:

Um número natural é divisível por 8 quando seus três Um número natural é divisível por 11 quando o valor
últimos algarismos forem absoluto entre a diferença da soma dos algarismos de
000 ou esses três últimos algarismos formarem um ordem ímpar para a soma dos algarismos de ordem par
número também divisível por 8. for 0 ou um número divisível por 11.

Exemplos: Exemplos:
a) 57000 é divisível por 8, pois seus três últimos a) 8591 é divisível por 11?
algarismos são 000. Resposta: SIM.

b) 67024 é divisível por 8, porque seus três últimos


algarismos formam o número
024, que é divisível por 8 (pois 24 ÷ 8 = 3, número
natural).
➢ Soma dos algarismos de ordem ímpar (1ª ordem +
c) 34.125 não é divisível por 8, porque seus três últimos 3ª ordem): 1 + 5 = 6;
algarismos formam o número 125, que não é divisível ➢ Soma dos algarismos de ordem par (2ª ordem + 4ª
por 8 (pois 125 ÷ 8 = 15,625, que não é um número ordem): 9 + 8 = 17;
natural). ➢ Diferença entre a soma dos algarismos de ordem
ímpar e a soma dos algarismos de ordem par: 6 – 17 =
5.2.8 Divisibilidade por 9: –11;
➢ Valor absoluto dessa diferença: 11, que é um
Um número natural é divisível por 9 quando a soma de número divisível por 11 (pois 11 ÷ 11 = 1, número
todos os seus algarismos formam um número que é natural), logo o número 8.591 também é divisível por
divisível por 9. 11.

Exemplos: b) 953.876 é divisível por 11?


a) 477 é divisível por 9? Resposta: SIM.
Resposta: SIM.
477 = 4 + 7 + 7 = 18, como 18 é divisível por 9 (pois 18
÷ 9 = 2, número natural), logo o número 477 é divisível
por 9.

b) 4.698 é divisível por 9?


Resposta: SIM.
➢ Soma dos algarismos de ordem ímpar (1ª ordem +
4.698 = 4 + 6 + 9 + 8 = 27, como 27 é divisível por 9 (pois
3ª ordem + 5ª ordem): 6 + 8 + 5 = 19;
27 ÷ 9 = 3, número natural), logo o número 4.698 é
➢ Soma dos algarismos de ordem par (2ª ordem + 4ª
divisível por 9.
ordem + 6ª ordem): 7 + 3 + 9 = 19;
➢ Diferença entre a soma dos algarismos de ordem
5.2.9 Divisibilidade por 10:
ímpar e a soma dos algarismos de ordem par: 19 – 19 =
Um número natural é divisível por 10 se for divisível por
0;
2 (número par) e também por 5, simultaneamente.

20
➢ Valor absoluto dessa diferença: 0, que é um número b) 674.952 é divisível por 12?
divisível por 11 (pois 0 ÷ 11 = 0, número natural), logo Resposta: SIM.
o número 953.876 também é divisível por 11. 674.952 = 6 + 7 + 4 + 9 + 5 + 2 = 33, que é um número
divisível por 3 (pois 33 ÷ 3 = 11, número natural);
c) 181.907 é divisível por 11? 674.952 termina em 52, que é um número divisível por
Resposta: SIM. 4 (pois 52 ÷ 4 = 13, número natural).
Logo, o número 674.952 é divisível por 12, porque é
divisível por 3 e 4, simultaneamente (674.952 ÷ 12 =
56.246).

c) 573.900 é divisível por 12?


Resposta: SIM.
573.900 = 5 + 7 + 3 + 9 + 0 + 0 = 24, que é um número
➢ Soma dos algarismos de ordem ímpar (1ª ordem + divisível por 3 (pois 24 ÷ 3 = 8, número natural);
3ª ordem + 5ª ordem): 7 + 9 + 8 = 24; 573.900 termina em 00, logo trata-se de um número
➢ Soma dos algarismos de ordem par (2ª ordem + 4ª divisível por 4.
ordem + 6ª ordem): 0 + 1 + 1 = 2; diferença entre a Logo, o número 573.900 é divisível por 12, porque é
soma dos algarismos de ordem ímpar e a soma dos divisível por 3 e 4, simultaneamente (573.900 ÷ 12 =
algarismos de ordem par: 24 – 2 = 22; 47.825).
➢ Valor absoluto dessa diferença: 22, que é um
número divisível por 11 (pois 22 ÷ 11 = 2, número 5.2.12 Divisibilidade por 13:
natural), logo o número 181.907 também é divisível
por 11. Um número natural é divisível por 13 quando a soma
da sua quantidade de dezenas com o quádruplo do
Obs.: Outra forma de determinar se um número valor do seu algarismo das unidades dá origem a um
natural é divisível por 11 é isolar o algarismo que número divisível por 13.
representa a unidade, tomar o número formado pelos
demais algarismos e subtrair desse algarismo que Exemplos:
isolamos, inicialmente, da seguinte forma: a) 481 é divisível por 13?
Resposta: SIM.
Exemplos: 48 + (4 × 1) = 48 + 4 = 52, que é um número divisível
a) 671 é divisível por 11? por 13 (pois 52 ÷ 13 = 4, número natural), logo o
Resposta: SIM. número 481 é divisível por 13.
67 – 1 = 66, que é um número divisível por 11 (pois 66
÷ 11 = 6, número natural); b) 2.847 é divisível por 13?
Resposta: SIM.
b) 5.962 é divisível por 11? 284 + (4 × 7) = 284 + 28 = 312;
5.962 = 596 – 2 = 594 31 + (4 × 2) = 31 + 8 = 39 (pois 39 ÷ 13 = 3, número
594 = 59 – 4 = 55, que é um número divisível por 11 natural), logo o número 2.847 é divisível por 13 (2.847
(pois 55 ÷ 11 = 5, número natural). ÷ 13 = 219).

5.2.11 Divisibilidade por 12: 5.2.13 Divisibilidade por 14:

Um número natural é divisível por 12 quando for Um número natural é divisível por 14 quando for
divisível por 3 e 4, simultaneamente. divisível por 2 (número par) e por 7, simultaneamente.

Exemplos: Exemplo:
a) 231.456 é divisível por 12? a) 938 é divisível por 14?
Resposta: SIM. Resposta: SIM.
231.456 = 2 + 3 + 1 + 4 + 5 + 6 = 21, que é um número 938 é um número par, logo é divisível por 2;
divisível por 3 (pois 21 93 – (2 × 8) = 93 – 16 = 77, que é um número divisível
÷ 3 = 7, número natural); por 7 (pois 77 ÷ 7 = 11, número natural), então o
231.456 termina em 56, que é um número divisível por número 938 também é divisível por 7; logo, 938 é
4 (pois 56 ÷ 4 = 14, número natural). divisível por 2 e 7, simultaneamente, então ele é
Logo, o número 231.456 é divisível por 12, porque é divisível por 14, logo: 938 ÷ 14 = 67.
divisível por 3 e 4, simultaneamente (231.456 ÷ 12 =
19.288).
21
b) 26.376 é divisível por 14?
Resposta: SIM.
26.376 é um número par, logo é divisível por 2;
2637 – (2 × 6) = 2637– 12 = 2625;
262 – (2 × 5) = 262 – 10 = 252
25 – (2 × 2) = 25 – 4 = 21, que é um número divisível
por 7 (pois 21 ÷ 7 = 3, número natural), então o
número 26.376 também é divisível por 7.
Logo, 26.376 é divisível por 2 e 7, simultaneamente,
então ele é divisível por 14 (26.376 ÷ 14 = 1.884).

5.2.14 Divisibilidade por 15:

Um número natural é divisível por 15 quando for


divisível por 3 e por 5, simultaneamente. Assim sendo,
um número divisível por 15 termina obrigatoriamente
em 0 (algarismo das unidades é 0) ou 5 (algarismo das
unidades é 5).

Exemplos:
a) 3.720 é divisível por 15?
Resposta: SIM.
3.720 é divisível por 3, pois 3 + 7 + 2 + 0 = 12, que é um
número divisível por 3 (pois 12 ÷ 3 = 4, número
natural);
3.720 é divisível por 5, pois o número termina em 0,
logo o número 3.720 é divisível por 3 e 5,
simultaneamente, então ele é divisível por 15 (3.720 ÷
15 = 248).

b) 81.345 é divisível por 15?


Resposta: SIM.
81.345 é divisível por 3, pois 8 + 1 + 3 + 4 + 5 = 21, que
é um número divisível por 3 (pois 21 ÷ 3 = 7, número
natural);
81.345 é divisível por 5, pois o número termina em 5,
logo, 81.345 é divisível por 3 e 5, simultaneamente,
então ele é divisível por 15 (81.345 ÷ 15 = 5.423).

22
MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS Multiplicamos, agora, cada um dos fatores primos
Prof. Ulisses Marçal de Carvalho seguintes pelos divisores obtidos que estiverem à
6. MDC E MMC direita do traço vertical e acima desses fatores,
colocando o produto nas linhas correspondentes, sem
6.1 CONJUNTO DOS DIVISORES DE UM NÚMERO repetir os produtos.
NATURAL
Um número natural não nulo b é divisor do número
natural a quando a é divisível por b. O conjunto dos
divisores do número natural a é o conjunto D(a)
formado por todos os números naturais que são
divisores de a.

6.2 DISPOSITIVO PRÁTICO


O dispositivo prático permite encontrar o conjunto dos
divisores de um número.
O próximo fator primo, 3, multiplicará, além da
Vamos explicar esse dispositivo, aplicando-o ao unidade, todos os valores obtidos anteriormente pela
número 144. multiplicação do fator primo de número 2, ou seja,
Decompomos o número 144 em fatores primos. multiplicará os valores 1, 2, 4, 8 e 16.

Colocamos um traço vertical ao lado dos fatores


primos. À direita desse traço, numa linha acima do A seguir, o próprio fator primo 3, que se repete,
primeiro fator primo, colocamos o número 1, que é multiplicará apenas os valores obtidos pela linha
divisor natural de todos os números. anterior, ou seja, pelos números 3, 6, 12, 24 e 48,
obtendo, finalmente, os seguintes divisores:

Multiplicamos o primeiro fator primo pelo divisor 1 e


colocamos o resultado na linha correspondente a ele. D(144) = {1; 2; 3; 4; 6; 8; 9; 12; 16; 18; 24; 36; 48; 72;
144}
Total de divisores de 144: 15 divisores.
a) Quais e quantos são os divisores de 360?

23
D(360) = {1; 2; 3; 4; 5; 6; 8; 9; 10; 12; 15; 18; 20; 24; 30; Decompomos o número 540 em fatores primos:
36; 40; 45; 60; 72; 90; 120; 180; 360}
Total de divisores de 360: 24 divisores.

6.3 PROPRIEDADE DOS DIVISORES DE UM NÚMERO


NATURAL
Tomemos como exemplo os valores encontrados para
os divisores de 144.

Exercícios resolvidos
1. (CFC) O número de divisores naturais de 80, que
são múltiplos de 5, é:
a) 4. d) 7.
Os divisores, na ordem em que aparecem, são: 1; 2; 4; b) 5. e) 8.
8; 16; 3; 6; 12; 24; 48; 9; 18; 36; 72; 144. c) 6.

Ao determinarmos os divisores de um número natural, Resolução:


os valores encontrados, na ordem em que aparecem, Pelo método da fatoração, temos os seguintes
formam a seguinte relação: se multiplicarmos o 1° divisores de 80:
divisor (“1”) com o último (“144”), o 2° divisor (“2”)
com o penúltimo (“72”), o 3° divisor (“4”) com o
antepenúltimo (“36”) e, assim, sucessivamente,
encontraremos sempre, do resultado obtido do
produto entre eles, o valor correspondente a “144”,
então veja:

D(80) = {1; 2; 4; 5; 8; 10; 16; 20; 40; 80}


Desses divisores, os que são múltiplos de 5 serão: M(5)
= {5; 10; 20; 40; 80}. Portanto, temos 5 divisores de 80
que são múltiplos de 5. Gabarito: B.

2. (CFC) No maior número natural de três algarismos,


divisível por 2 e por 3, simultaneamente, a diferença
entre os valores absolutos dos algarismos das dezenas
6.4 QUANTIDADE OU TOTAL DE DIVISORES NATURAIS e das unidades é:
DE UM NÚMERO NATURAL COMPOSTO a) 1. d) 4.
b) 2. e) 5.
Considere um número natural composto “N” com a sua c) 3.
seguinte decomposição em fatores primos naturais: a; Resolução:
b; c; ...; j; k; sejam seus respectivos expoentes os
números naturais: p; q; r; ....... s; t. Assim podemos Inicialmente, devemos lembrar que um número será
escrever que “N” vale: divisível por 2 quando for par e, por 3, quando a soma
N = ap x bq x cr x ... x js x kt de seus algarismos for um número divisível por 3.
O número de divisores de “N”, ou seja, o número de Assim, deduziremos, em ordem crescente, os números
elementos (n) pertencentes ao conjunto D(N) é de três algarismos que são divisíveis por 2 e 3, ao
calculado através da fórmula: mesmo tempo, iniciando-se pelo número 999.
999 não é divisível por 2, já que não é par.
n(N) = (p + 1) × (q + 1) × (r + 1) × .... × (s + 1) × (t + 1) É divisível por 3, já que a soma de seus algarismos (9 +
9 + 9 = 27) é um número divisível por 3.
Exemplo: 998 é divisível por 2, já que é par.
a) Quantos divisores tem o número 540?

24
Não é divisível por 3, já que a soma de seus algarismos Resolução:
(9 + 9 + 8 = 26) não resulta em um número divisível por Chamaremos de “x” o menor inteiro positivo pelo qual
3. devemos dividir 2.016 para que tenhamos um número
997 não é divisível por 2, já que o mesmo não é par. inteiro quadrado perfeito que denominaremos de “y”.
Não é divisível por 3, já que a soma de seus algarismos Assim, podemos escrever a seguinte relação:
(9 + 9 + 7 = 25) não resulta em um número divisível por 2106
3. = y , onde “x” é um número inteiro e “y” é um
x
996 é divisível por 2, já que é par. número inteiro e quadrado perfeito.
É divisível por 3, já que a soma de seus algarismos (9 + Obs.: Lembramos que um número é dito quadrado
9 + 6 = 24) é um número divisível por 3. perfeito quando sua raiz quadrada for um número
inteiro exato.
Portanto, o maior número de 3 algarismos que é Observe, pela relação anterior, que além de “x”, “y”
divisível por 2 e 3, simultaneamente, é o 996. Assim, a também é um divisor de 2.016, ou seja, dividindo-se
diferença entre o número que representa o algarismo 2106
da casa das dezenas (9) pelo número que representa o 2.016 por “y” encontramos o valor de “x”: =x
algarismo das casas das unidades (6) vale: 9 – 6 = 3 y
Gabarito: C. ,ou ainda: 2.106 = ×.y
Determinando os divisores de 2.016, obtemos:
3. (CFC) É divisível, simultaneamente, por 6 e por 9 o
número:
a) 732. d) 738.
b) 734. e) 740.
c) 736.
Gabarito: D

4. (FCC) Numa reunião, o número de mulheres


presentes excede o número de homens em 20 Em ordem crescente: 1, 2, 3, 4, 6, 7, 8, 9, 12, 14, 16, 18,
unidades. Se o produto do número de mulheres pelo 21, 24, 28, 32, 36, 42, 48, 56, 63, 72, 84, 96, 112, 126,
de homens é 156, o total de pessoas presentes nessa 144, 168, 224, 252, 288, 336, 504, 672, 1.008, 2.016
reunião é: Assim, os possíveis valores de “y” (um quadrado
a) 24. d) 32. perfeito) serão determinados pela divisão entre 2.016
b) 28. e) 36. e seus divisores. Veja os possíveis valores na tabela a
c) 30. seguir.
Gabarito: D

5. (CESd) O número de divisores naturais do número


720 é:
a) 15. d) 60.
b) 20. e) 72.
c) 30.
Gabarito: C

6. (CFC) Três divisores comuns de 120 e 60, diferentes


de 1, são: Portanto, o menor valor de “x” pelo qual devemos
a) 10, 12 e 120. d) 10, 15 e 30. dividir 2.016 para que tenhamos um inteiro quadrado
b) 0, 60 e 120. e) 10, 15 e 40. perfeito “y” é o valor 14, pois 2.016/14=144 que um
c) 3, 4 e 8. número quadrado perfeito.
Gabarito: D
8. (FCC) Seja X um número qualquer, inteiro e positivo,
7. (FEC) Qual o menor inteiro positivo pelo qual e seja Y o inteiro que se obtém invertendo a ordem dos
devemos dividir 2.016 para que tenhamos um inteiro algarismos de X. Por exemplo, se X = 834, então Y =
quadrado perfeito? 438. É correto afirmar que a diferença X – Y é sempre
a) 30. d) 21. um número:
b) 2. e) 14. a) par. d) divisível por 9.
c) 3. b) positivo. e) múltiplo de 6.
Gabarito: E c) quadrado perfeito.
Gabarito: D
25
Resolução: Observando-se a soma de seus algarismos: 8 + 8 + 7 +
Seja um número qualquer de três algarismos “X”, do 7 = 30, logo, concluímos que esse número será divisível
tipo: “abc”. Então, um número “Y”, invertendo-se a por 3.
ordem dos algarismos de “X” será dado por: “cba”. Gabarito: B
Decompondo em unidade, dezena e centena, teremos,
para cada número: 11. (PMB) Sendo A = 2 × 3 × 52 e B = 22 × 33, então, o
abc = 100a + 10b + c número de divisores de A × B é:
cba = 100c + 10b + a a) 60. d) 90.
Subtraindo-se “abc” de “cba”, teremos: b) 70. e) 95.
(100a + 10b + c) – (100c + 10b + a) = 100a – a + 10b – c) 80.
10b + c – 100c = 99a – 99c = 99(a – c) Resolução:
Observando-se o resultado anterior “99(a – c)”, Determinando o produto A × B:
podemos verificar que o mesmo é múltiplo de 9, A × B = (2 × 3 × 52) × (22 × 33) ⇒ A × B = 21 + 2 × 31 + 3 ×
portanto, será divisível por 9. 52 ⇒ A × B = 23 × 34 × 52. Calculando o número de
divisores de “A × B”, tomando os expoentes
9. (FCC) Das alternativas a seguir, o único número encontrados:
ímpar entre 100 e 200, que é divisível por 7 é: n(A × B) = (3 + 1) × (4 + 1) × (2 + 1) = 4 × 5 × 3 = 60
a) 107. d) 163. Gabarito: A
b) 133. e) 185.
c) 141. 6.5 MÁXIMO DIVISOR COMUM – MDC
O máximo divisor comum (MDC) entre dois ou mais
Resolução: números naturais é o maior de seus divisores comuns.
Lembramos que um número natural é divisível por 7
quando a diferença entre as suas dezenas e o dobro do 6.5.1 PROCESSOS PARA DETERMINAR O MDC
valor do seu algarismo das unidades é divisível por 7. Utilizaremos três processos, mostrados a seguir, para
Assim, testando essa definição para cada alternativa, determinar o MDC entre dois ou mais números e, por
teremos: último, utilizaremos o algoritmo de Euclides, outro
107: 10 – 2 × 7 = 10 – 14 = –4; como –4 não é divisível processo prático, para determinar o máximo divisor
por 7, então 107 também não será. comum.
133: 13 – 2 × 3 = 13 – 6 = 7; como 7 é divisível por 7,
então 133 também será. a) Por intersecção (U = N*)
141: 14 – 2 × 1 = 14 – 2 = 12; como 12 não é divisível Qual o máximo divisor comum (MDC) entre 18, 27 e
por 7, então 141 também não será. 45?
163: 16 – 2 × 3 = 16 – 6 = 10; como 10 não é divisível Primeiro determinamos os divisores dos números 18,
por 7, então 163 também não será. 45 e 27.
185: 18 – 2 × 5 = 18 – 10 = 8; como 8 não é divisível D(18) = {1, 2, 3, 6, 9, 18};
por 7, então 185 também não será. D(27) = {1, 3, 9, 27};
Logo, D(45) = {1, 3, 5, 9, 15, 45}.
Gabarito: B Fazendo a intersecção entre D(18), D(27) e D(45),
temos:
10. (FCC/2007) Seja X a diferença entre o maior D(18) = {1, 2, 3, 6, 9, 18};
número inteiro com quatro algarismos distintos e o D(27) = {1, 3, 9, 27};
maior número inteiro com três algarismos. Assim D(45) = {1, 3, 5, 9, 15, 45}.
sendo, é correto afirmar que X é um número: D(18) ∩ D(27) ∩ D(45) = {1, 3, 9}
a) par. d) múltiplo de 5. Dentre os divisores comuns achados, consideramos
b) divisível por 3. e) primo. que o maior deles corresponde ao MDC:
c) quadrado perfeito. MDC (18, 27, 45) = 9.
Resolução:
Seja o maior número de quatro algarismos, todos b) Por decomposição em fatores primos (fatoração
distintos entre si: 9876 completa):
Seja, agora, o maior número inteiro com três Achar o máximo divisor comum (MDC) dos números 54
algarismos: 999 e 405.
Determinando “X”, que representa a diferença entre Para isso, basta tomar os fatores comuns aos dois ou
esses dois números, teremos: mais números naturais com seu menor expoente.
9876 – 999 = 8877 Decompondo os números em fatores primos, obtemos:
54 = 2.33 e 405 = 34.5

26
O fator comum a 54 e 405 com menor expoente é 33.
Logo o MDC (54, 405) = 33 = 27.

c) Pelo processo prático: Logo, “a” e “b” são primos entre si.
Achar o máximo divisor comum (MDC) dos números
180, 240 e 270. Exemplo: MDC (18; 42) = 6 (A = 18 e B = 42)
Fatorando-se, simultaneamente, os três valores
anteriores:
Logo, 3 e 7 são primos entre si.

2ª propriedade: Dividindo-se a soma de dois ou mais


números pelo máximo divisor comum entre eles, o
quociente obtido é igual à soma de dois ou mais
números primos entre si.

6.5.2 ALGORITMO DE EUCLIDES Onde, “a” e “b” são primos entre si.

Use o algoritmo de Euclides (ou método das divisões Exemplo: MDC (18; 42) = 6 (A = 18 e B = 42)
sucessivas) para calcular o MDC (16, 24).
Resolução:
O algoritmo de Euclides é descrito a seguir.
3ª propriedade: Dividindo-se a diferença de dois
números pelo máximo divisor comum entre eles, o
quociente obtido é igual à diferença de dois números
primos entre si.
Logo, temos que MDC (16,24) = 8 (último resto não
nulo).
Onde, “a” e “b” são primos entre si.
6.5.3 PROPRIEDADES BÁSICAS DO MDC
Exemplo: MDC (18; 42) = 6 (A = 18 e B = 42)
1ª propriedade: se o MDC (a; b) = 1 então, a e b são
denominados primos relativos ou primos entre si.
Exemplo: MDC (8; 15) = 1, então 8 e 15 são primos
entre si.
2ª propriedade: se MDC (a; b) = q, então MDC (k × a; k 4ª propriedade: Dividindo-se o produto de dois
× b) = kq, com k ≠ 0. números pelo quadrado do máximo divisor comum
Exemplo: MDC (5; 11) = 1. Então, MDC (30; 66) = 6, pois: entre eles, o quociente obtido é igual ao produto de
MDC (6 × 5; 6 × 11) = 6 × 1 = 6 dois números primos entre si.
3ª propriedade: dois números consecutivos são
sempre primos entre si, ou seja: MDC (k; k + 1) = 1
Exemplo: MDC (21; 22) = 1. Onde, “a” e “b” são primos entre si.
4ª propriedade: Multiplicando-se ou dividindo-se dois
ou mais números por um terceiro diferente se zero, o Exemplo: MDC (18; 42) = 6 (A = 18 e B = 42)
seu MDC ficará multiplicado ou dividido por esse
terceiro número;
5ª propriedade: Todo número que divide dois outros,
divide também seu MDC;
6ª propriedade: Todos os divisores comuns de dois ou
Exercícios resolvidos
mais números são também divisores do seu MDC.
1. (CFC) O máximo divisor comum entre 11, 18 e 25 é:
a) 5. d) 2.
6.5.3.1 OUTRAS PROPRIEDADES DO MDC
b) 4. e) 1.
1ª propriedade: Dividindo-se dois números pelo
c) 3.
máximo divisor comum entre eles, os quocientes
Resolução:
obtidos são números primos entre si:

27
Neste exercício, devemos observar, inicialmente, se os administrativos e o número de elementos em cada
números são primos entre si. Analisando os divisores equipe serão, respectivamente, iguais a:
de cada número: a) 4, 6 e 6. d) 8, 12 e 3.
D(11) = {1; 11} b) 6, 9 e 4. e) 8, 9 e 2.
D(18) = {1; 2; 3; 6; 9; 18} c) 2, 3 e 12.
D(25) = {1; 5; 25}
Como o único divisor comum é o número 1, então os Resolução:
números 11; 18 e 25 são primos entre si; então, neste Se cada equipe deve ser formada apenas por
caso: MDC (11; 18; 25) = 1 profissionais do mesmo cargo, deve ter o mesmo
Gabarito: E. número de elementos, o qual deve ser o maior
2. (CESd) O MDC (420, 480, 600) é um número múltiplo possível, então determinaremos máximo divisor
de: comum entre essas duas quantidades.
a) 12. d) 25. MDC (24; 36) = MDC (12 × 2; 12 × 3) = 12, sendo 2 e 3
b) 16. e) 36. primos entre si, teremos o número 12 como maior
c) 18. divisor comum entre esses valores. Assim, o número de
Resolução: elementos em cada equipe será igual a 12.
Pelo método das fatorações simultâneas: Para o número de equipes de motoristas, o número de
equipes de auxiliares administrativos, teremos,
respectivamente:

Portanto, teremos duas equipes de motoristas, três


equipes de auxiliares administrativos e 12 elementos
Das alternativas apresentadas, verificamos que 60 é por equipe.
múltiplo de 12. Gabarito: C.
Gabarito: A.
5. (FCC) Um auxiliar de enfermagem pretende usar a
5 2
3. (EsSA) O MDC de dois números “A” e “B” é 2 × 3 × menor quantidade possível de gavetas para acomodar
54 × 7. Sendo “A” = 2x × 34 × 5z × 7 e “B” = 26 × 3y × 55 × 120 frascos de um tipo de medicamento, 150 frascos
7, então “xyz” é igual a: de outro tipo e 225 frascos de um terceiro tipo. Se ele
a) 20. d) 40. colocar a mesma quantidade de frascos em todas as
b) 80. e) 11. gavetas, e medicamentos de um único tipo em cada
c) 60. uma delas, quantas gavetas deverá usar?
Resolução: a) 33. d) 99.
b) 48. e) 165.
c) 75.
Seja o MDC (A; B) = 25 × 32 × 54 × 7
O MDC entre dois ou mais números, em suas formas Resolução:
fatoradas, é dado pelos menores expoentes de seus Se o auxiliar colocar a mesma quantidade de frascos
fatores comuns, então, comparando os valores, em todas as gavetas, e medicamentos de um único tipo
podemos deduzir que: x = 5, y = 2 e z = 4 em cada uma delas, quantas gavetas deverá usar,
Fazendo x.y.z = 5 × 2 × 4 = 40 sabendo-se que ele deve usar a menor quantidade de
Gabarito: D. gavetas, ou seja, o maior número de frascos possível
em cada gaveta?
4. (Cespe/UnB) Considere que um tribunal tenha 24 Como devemos dividir três quantidades distintas em
motoristas e 36 auxiliares administrativos e que, para partes iguais e de maior valor possível, então devemos
agilizar o atendimento aos magistrados e demais determinar o máximo divisor comum entre essas
servidores da casa, o presidente determine que os quantidades.
motoristas e os auxiliares sejam divididos em equipes. Utilizando-se o método das fatorações simultâneas:
Cada equipe deve ser formada apenas por profissionais
do mesmo cargo, deve ter o mesmo número de
elementos e esse número de elementos deve ser o
maior possível. Nessa situação, o número de equipes
de motoristas, o número de equipes de auxiliares

28
Logo, o total de gavetas utilizadas será determinado Resolução:
pela divisão entre o total de medicamentos pela
quantidade de medicamentos que serão acomodadas Se a divisão conterá apenas canetas com tinta de uma
em cada gaveta. mesma cor e se todos os pacotes devem conter igual
120 + 150 + 225 495 número de canetas, contendo a menor quantidade de
= = 33 gavetas. pacotes possível, ou seja, contento o maior número de
15 15
Gabarito: A. canetas possível em cada pacote, então
determinaremos o máximo divisor comum entre essas
6. (FCC) Uma Repartição Pública recebeu 143 quantidades de canetas:
microcomputadores e 104 impressoras para distribuir Utilizando-se o método das fatorações simultâneas:
a algumas de suas seções. Esses aparelhos serão
divididos em lotes, todos com igual quantidade de
aparelhos. Se cada lote deve ter um único tipo de
aparelho, o menor número de lotes formados deverá
ser:
a) 8. d) 20.
b) 11. e) 21.
c) 19.
Para a menor quantidade de pacotes, teremos:
Resolução:

Se esses aparelhos serão divididos em lotes, todos com


igual quantidade de aparelhos e, se em cada lote deve Portanto, teremos 5 + 7 = 12 pacotes de canetas.
ter um único tipo de aparelho, então para o menor Gabarito: C.
número de lotes formados, deveremos ter o máximo
de aparelhos acomodados em cada lote. Assim, 6.6 MÍNIMO MÚLTIPLO COMUM – MMC
determinando o máximo divisor comum entre essas
quantidades: Minimação (operação), menor múltiplo comum
Utilizando-se o método das fatorações simultâneas: (resultado).
Minimação é a operação que associa a dois ou mais
números naturais o seu menor múltiplo, comum, cuja
abreviatura é mmc, excluindo-se o zero.

6.6.1 PROCESSOS PARA DETERMINAR O MMC

Para o número de lotes de aparelhos, teremos: MMC (4; 6; 8) = ? ou 4 M 6 M 8 = ?

a) Por intersecção (U = N*):

M4 = {4; 8; 12; 16; 20; 24; 28; 32; 36; 40; 44; 48; 52; ...}
Portanto, teremos 8 + 11 = 19 lotes de aparelhos. M6 = {6; 12; 18; 24; 30; 36; 42; 48; 54; 60; 66; 72; ...}
Gabarito: C. M8 = {8; 16; 24; 32; 40; 48; 56; 64; 72; 80; 88; 96; ...}
M4 ∩ M6 ∩ M8 = {24, 48, ...}
7. (FCC) No almoxarifado de certa empresa havia dois
tipos de canetas esferográficas: 224 com tinta azul e O MMC de dois ou mais números é dado pelo menor
160 com tinta vermelha. Um funcionário foi incumbido valor da intersecção dos conjuntos dos múltiplos desses
de empacotar todas essas canetas de modo que cada números.
pacote contenha apenas canetas com tinta de uma
mesma cor. Se todos os pacotes devem conter igual Portanto: mmc (4; 6; 8) = 24 ou 4 M 6 M 8 = 24
número de canetas, a menor quantidade de pacotes
que ele poderá obter é: b) Por decomposição em fatores primos (fatoração
completa):
a) 8. d) 14. 4 = 22
b) 10. e) 16. 6=2×3
c) 12. 8 = 23

29
O MMC de dois ou mais números é o produto dos 2. (PMB) O maior múltiplo comum de 12 e 60 que está
fatores primos comuns e não comuns, cada um deles entre 100 e 200 é:
tomado com o seu maior expoente. a) 60. d) 180.
b) 120. e) 200.
Portanto: 4 = 22, 6 = 2 × 3, 8 = 23. c) 150.

MMC (4; 6; 8) = 2³ × 3 = 8 × 3 = 24 3. (NCE) A soma de três múltiplos consecutivos de 7 é


210. A soma dos valores absolutos dos algarismos do
c) Pelo processo tradicional: maior desses números é:
a) 7. d) 14.
b) 9. e) 15.
c) 11.

4. Se “x” é um número natural múltiplo de 3 e de 5, tal


que 50 < x < 100, então a soma dos valores que “x”
6.6.2. PROPRIEDADES DO MMC pode assumir é:
a) 225. d) 315.
1a propriedade: O mmc de dois números primos entre b) 280. e) 341.
si é o produto deles. c) 310.
Exemplo: MMC (6; 11) = 6 × 11 = 66.
2a propriedade: O mmc de dois números em que o 5. Qual destes números não é múltiplo de 12 nem de
maior é divisível pelo menor é o maior deles. 16?
Exemplo: MMC (4; 12) = 12. a) 84. d) 192.
3ª propriedade: Multiplicando ou dividindo dois b) 80. e) 98.
números por um outro número diferente de zero, o c) 48.
mmc aparece multiplicado ou dividido por esse outro.
Exemplo: MMC (12; 18) = 36, assim, MMC (12 × 2; 18 × 6. (TRT) No almoxarifado de certa Repartição Pública
2) = 36 × 2 há três lotes de partas iguais: o primeiro com 60, o
4ª propriedade: Dividindo-se o mínimo múltiplo segundo com 105 e o terceiro com 135 pastas. Um
comum de dois números pelo máximo divisor comum funcionário deve empilhá-las, colocando cada lote de
entre eles, o quociente obtido é igual ao produto de modo que, ao final de seu trabalho, ele tenha obtido
dois números primos entre si. pilhas com igual quantidade de pastas. Nestas
condições, o menor número de pilhas que ele poderá
mmc( A, B)
= a .b obter é:
MDC ( A, B) a) 3 b) 15 c) 20 d) 60 e) 100
Onde “a” e “b” são primos entre si.
7. (TRT) A associação de funcionários de certa empresa
Exemplo: Sejam os números A = 12, B = 18, o MDC (12; promove palestras regularmente: Uma a cada 3 meses,
18) = 6 e o MMC (12; 18) = 36. outra a cada 6 meses e outra a cada 8 meses. Se, em
mmc(12,18) 36 a = 2 1990, as três palestras foram dadas de, julho, a próxima
= = 6 = 2 . 3 coincidência de época das palestras será em:
MDC (12,18) 6 b = 3
a) junho de 1991 b) julho de 1991 c) abril de 1992
5a propriedade: Multiplicando-se o mínimo múltiplo
d) junho de 1992 e) julho de 1992.
comum de dois números pelo máximo divisor comum
entre eles, o resultado obtido é o produto desses
8. (TRT) Um funcionário recebeu 3 lotes de pastas para
números.
colocar num arquivo morto. O primeiro lote tinha 240
mmc( A, B) . MDC ( A, B) = A . B pastas; o segundo 360; o terceiro 180. Ele deseja
mmc( A, B) . MDC ( A, B) = A . B  36.6 = 12.18 repartir os 3 lotos em pacotes contendo todos a
216 216 mesma quantidade de pastas e a maior quantidade de
QUESTÕES DE CONCURSOS pastas possíveis. O número de pacotes que ele fará é:
a) 6 d) 15
1. (Cesgranrio) Quantos são os números inteiros, b) 10 e) 18.
compreendidos entre 100 e 200, que são múltiplos de c) 13.
3 e, simultaneamente, não são múltiplos de 5?
a) 13. d) 26. 9. (TTN) Numa corrida de automóveis, o primeiro
b) 16. e) 27. corredor dá a volta completa na pista em 10 segundos;
c) 21.
30
o segundo, em 11 segundos e o terceiro em 12
segundos. Quantas voltas terá dado cada um,
respectivamente, até o momento em que passarão
juntos na linha de saída?
a) 66, 60 e 55 b) 62, 58 e 54 c) 60, 55 e 50
d) 50, 45 e 40 e) 40, 36 e 32.

10. (TRE) Três funcionários de um escritório cumprem,


sistematicamente, horas-extras de trabalho, inclusive
aos sábados ou domingos: um deles a cada 15 dias,
outro a cada 18 dias e o terceiro a cada 20 dias. Se,
hoje, os três cumprirem horas-extras, a próxima vez em
que irão cumpri-las num mesmo dia será daqui a:
a) um mês b) um bimestre c) um trimestre
d) um semestre e) um ano.

11. (TRE) Sabe-se que o MDC dos números A = 2x x 33 x


54; B = 23 x 3y x 52 e C = 24 x 34 x 5z é igual a 180. Nessas
condições x + y + z é igual a:
a) 2 b) 3 c) 4 d) 5 e) 6

12. (TRT) Seja A7B um número inteiro e positivo, de


três algarismos, no qual B e A representam os
algarismos das unidades e das centenas,
respectivamente. Para que esse número seja divisível
por 15, calcule quantas possibilidades de escolha
temos para A7B.
a) 6 b) 7 c) 8 d) 9 e) 10

31
MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS
Prof. Ulisses Marçal de Carvalho
7.

32
MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS
Prof. Ulisses Marçal de Carvalho 8.2. EQUAÇÃO DO 1° GRAU
8. EQUAÇÃO DO PRIMEIRO GRAU
Equação do 1° grau é toda equação da forma ax + b = 0,
8.1 EQUAÇÃO com a ≠ 0.

8.1.1 SENTENÇA ABERTA E EQUAÇÃO 8.2.1 CÁLCULO DE UMA EQUAÇÃO DO 1° GRAU

Analisando as sentenças 1º) Resolva as equações abaixo:


a) 2x - 4 = x - 7
(I) 2 . 6 – 1 = 13
Resolução:
(II) 2 . 7 – 1 = 13 2x - 4 = x - 7
2x - x = -7 + 4
(III) 2 . x – 1 = 13
x = - 3.
Podemos fazer as seguintes considerações: SE LIGA!
Quando mudamos o número ou expressão de um
A sentença (I) é falsa, pois 2 . 6 – 1 = 12 – 1 = 11 13; membro, trocamos a operação: soma pela subtração,
A sentença (II) é verdadeira, pois 2 . 7 – 1 = 14 – 1 = 13; subtração pela soma e multiplicação pela divisão.

A sentença 2x – 1 = 13 não é verdadeira nem falsa, pois b) 4. (x - 3) = 5x – 6


x, chamado variável, representa qualquer número. Este Resolução:
tipo de sentença é um exemplo de sentença aberta. 4(x - 3) = 5x - 6 obs.: 4 (x - 3) = 4.x - 4.3 = 4x - 12.
Equação é toda sentença aberta que exprime uma 4x - 12 = 5x - 6
relação de igualdade. A palavra equação tem o prefixo 4x - 5x = - 6 + 12
equi, que em latim significa igual. -x = 6 (-1)
obs.: O coeficiente de x não pode ser negativo, por isso
Substituindo x por 7, a sentença aberta 2x – 1 = 13 se multiplicamos por -1 a expressão. x = 6.
transforma em 2 . 7 – 1 = 13, que é uma sentença
verdadeira. Dizemos então que 7 é uma raiz (ou uma 8.2.2 PROBLEMAS ENVOLVENDO EQUAÇÃO DO 1. °
solução) da equação 2x – 1 = 13. GRAU
Uma das maiores dificuldades do concursando é
Substituindo x por 6 a sentença aberta 2x – 1 = 3 se
interpretar o problema e reconhecer o assunto. Toda
transforma em 2 . 6 – 1 = 13 que é falsa. Dizemos então
questão que envolve uma equação informará uma
que 6 não é raiz da equação 2x – 1 = 13. quantidade desconhecida.
Exemplos: LINGUAGEM ALGÉBRICA LINGUAGEM CORRENTE
x Número desconhecido
a) 2x - 8 = 0 2x O dobro de um número
b) 4x (x - 9) = 22 3x O triplo de um número
4x O quádruplo de um número
8.1.2 RAIZ E CONJUNTO VERDADE x A metade de um número
2
Raiz (ou solução) de uma equação é um número que x A terça parte de um número
transforma a sentença aberta em sentença verdadeira.
3
Conjunto verdade ou conjunto solução de uma equação
x, x + 1, x + 2, ... Números consecutivos
é o conjunto de todas, e somente, as raízes. Resolver
2n Número par
uma equação é determinar o seu conjunto verdade.
2n + 1 Número ímpar
Exemplos: 2n + 1, 2n + 4, 2n + 6, ... Números pares consecutivos
2n + 1, 2n + 3, 2n + 5, ... Números ímpares consecutivos
01. O número 2 é raiz da equação 3x – 1 = 5, pois 1 O inverso se um número
substituindo x por 2 a sentença aberta 3x – 1 = 5 se x
transforma em 3 . 2 – 1 = 5, que é uma sentença
verdadeira. Exemplo 01. A diferença entre o quádruplo de um
número e a terça parte desse mesmo número é 187. Esse
02. O número 4 não é raiz da equação 3x – 1 = 5, pois, número é:
substituindo x por 4, a sentença aberta 3x – 1 = 5 se (A) primo
transforma em 3 . 4 – 1 = 5, que é uma sentença falsa. (B) múltipla de 11

33
(C) múltiplo de 3
(D) divisível por 4 O sistema de equação do 1º grau com duas variáveis
(E) múltiplo de 5 possui a mesma solução para as duas equações.

RESOLUÇÃO: 8.3.1 Cálculo de um sistema de equação com duas


x variáveis
Quádruplo: 4x e terça parte =
3
x Os métodos são: adição, substituição e comparação.
4x − = 187
3
3.4x – x = 187.3 Obs.: Você deve ser perguntar: qual o melhor método?
12x - x = 561 Depende do formato da questão. Por hora vamos
11x = 561 treinar o método da adição.
561  x = 51
x= Exemplos: Resolva os sistemas abaixo:
11
51 é múltiplo de 3, pois 51 é divisível por 3.
Resposta: letra C.

SE LIGUE!
As expressões do e em matemática têm a função de O processo da adição somente pode ser utilizado
multiplicação. quando somarmos as duas equações e uma variável
desaparecer. Nesse caso é possível, pois y somado com
Exemplo 2. Qual a idade atual de uma pessoa se daqui a - y é igual a zero.
8 anos ela terá exatamente o triplo da idade que tinha há
8 anos?
(A) 15 anos.
(B) 16 anos.
(C) 24 anos.
(D) 30 anos.
(E) 32 anos. Subsistindo o valor de x = 8 na primeira equação para
RESOLUÇÃO: encontrar a outra variável. (Podemos escolher a
Questão que envolve tempo: passado, presente e primeira ou a segunda equação).
futuro. É importante fazer a tabela abaixo.

Passado Presente Futuro


x-8 x x+8
Nesse caso não podemos somar as equações direto,
FIQUE ESPERTO! pois nem x nem y irão desaparecer. Quando isso
acontecer devemos realizar o seguinte processo:
✓ A idade no passado é x - 8.
✓ A idade no presente é x. 1º Passo: Escolher uma variável para ser anulada; nesse
✓ A idade no futuro é x + 8. caso, escolheremos a variável x.

A questão informa que a idade do futuro é o triplo da 2º Passo: Multiplicar as equações pelos coeficientes
idade do passado: Futuro = 3. Passado invertidos de x.
x + 8 = 3 . (x – 8)
x + 8 = 3x – 24 Na primeira equação temos 2x, logo o coeficiente de x
x – 3x = - 24 + 8 é 2. A segunda equação será multiplicada por 2. Na
-2x = -16 (-1) segunda equação temos 3x, logo o coeficiente de x é 3.
2x = 16 A primeira equação será multiplicada por 3.
16
x=  x = 8.
2 3º Passo: Como os coeficientes são 2 e 3, na hora de
Cuidado: a idade no passado é x - 8, por isso ficou 3(x -
multiplicar devemos escolher um dos números para ser
8). Lembre-se de que é o triplo da idade no passado e
negativo.
por isso são obrigatórios os parênteses.
Lembre-se: se os coeficientes tiverem sinais iguais, o
8.3 SISTEMA DE EQUAÇÕES DO 1° GRAU
produto deve conter; um número negativo e outro
34
positivo; se os coeficientes tiverem sinais diferentes, os
números do produto devem ter sinais iguais. Não se
esqueça de olhar o sinal!

Escolhendo a primeira equação temos:

Exercícios

01. Resolva os sistemas abaixo, pelo método da ADIÇÃO

 x + y = 32  3x − y = 1
a)  b) 
 x − y = 10 x + 2 y = 5
 x + 2 y = 27 x+ y = 6
c)  d) 
 x − y = −3 3x − 2 y = 13
x + 2 y = 3 2 x + 3 y = 7
e)  f) 
3x + y = 4  4x + y = 9
 x + 3 y = −4 x + y = 5
g)  h) 
2 x − y = 6 x − y =1
2 x + 5 y = 17 x + 2 y = 7
i)  j) 
3x − 2 y = 16 x − 2y = 3

35
MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS
Prof. Ulisses Marçal de Carvalho
8. MATEMÁTICA FINANCEIRA OU COMERCIAL

Estes tutoriais trarão uma série de tópicos sobre


Através de um cálculo da regra de três (já estudado
matemática básica de nível primário e secundário e que
anteriormente), temos:
são pontos fundamentais em concursos públicos
R$ 200,00 --------------- 100%
realizados, e até mesmo podem servir como fonte de
X --------------- 30%
consultas e recursos. Neste vigésimo - sexto tutorial
X = 200 . 30
serão tratados assuntos sobre noções básicas com
100
operações comerciais de lucros e prejuízos, descontos
X = 6000
por dentro, desconto por fora, uma vez que no tutorial
100
anterior, foi visto o assunto juros. Também serão
X = R$ 60,00 (valor do lucro total na operação)
abordados cálculos financeiros, bem como definições,
Em toda operação, envolvendo problemas relacionados
exemplos e problemas resolvidos. Este tutorial não tem
com porcentagem sobre o custo do produto, as partes
como objetivo ser apenas a única fonte de leitura,
obrigatórias de cálculos na operação são:
sendo necessário o estudo em livros técnicos e um
» Venda
acompanhamento personalizado em questões de maior
» Custo
abrangência, porém serve como uma fonte de
» Lucro (ou prejuízo, conforme operação)
direcionamento e consulta.
Para que haja uma memorização melhor sobre estes
elementos fundamentais de cálculo sobre porcentagem
OPERAÇÕES COMERCIAIS – LUCROS E PREJUÍZOS
de custo, observe:
* Noção de compra e venda de mercadoria
C = CUSTO
Todo comerciante compra uma certa mercadoria por
V = VENDA
um determinado preço, que é chamado de preço de
L = LUCRO
custo, e em seguida, efetua a revenda do mesmo com
P = PREJUÍZO
lucro ou prejuízo, dependendo do preço que a
mercadoria foi passada ao mercado consumidor.
Exercícios para fixar conteúdo sobre CUSTO, VENDA,
Em tutoriais anteriores, estudamos sobre porcentagem
LUCRO E PREJUÍZO
e juros, e agora iremos aplicar alguns conhecimentos
para tratar deste assunto.
Para uma melhor compreensão do tema acima,
Em problemas envolvendo porcentagem sobre compra
veremos como resolver os problemas abaixo.
e venda de mercadorias, temos os seguintes casos
Vale lembrar que estes exercícios são base para estudos
distintos:
para provas em concursos. É necessário exercitar os
» Porcentagem (%) sobre venda
fundamentos aprendidos para uma melhor
» Porcentagem (%) sobre custo
performance, ainda mais em se tratando de
E porque ter noção desta distinção?? Ela se torna muito
matemática, onde a prática é essencial.
importante na resolução de problemas envolvendo
Para poder resolver os problemas citados com
dinheiro.
facilidade, basta saber as seguintes questões:
- O preço de custo (ou preço de compra) é sempre igual
PORCENTAGEM SOBRE O PREÇO DE CUSTO
a 100% (cem por cento)
- A venda do produto (com prejuízo na operação) é
Quando o cálculo sobre o preço de lucro (ou prejuízo) é
sempre igual ao preço de custo menos o prejuízo, da
calculado, em bases percentuais, em cima do preço de
seguinte forma:
custo do produto adquirido, temos o que é chamado de
porcentagem sobre o custo.
C–P=V ou V=C–P
Este é o processo normal, e que é usado e adotado no
100% - 30% = 70% 70% = 100% - 30%
mercado comercial.
Desta forma, se um comerciante ou pessoa física,
- a venda do produto (com lucro na operação) é sempre
compra um determinado produto por um valor de R$
igual à soma do custo mais o lucro, da seguinte forma:
200,00 (preço de custo) e este for ser revendido com
um lucro de 30%, isto quer dizer que nesta operação o
C+L=V ou V=C+L
lucro em espécie da operação é de R$ 30,00 (lucro) para
100% + 30% = 130% 130% = 100% + 30%
cada valor de R$ 100,00 do preço do custo.
Acompanhe o raciocínio:

36
a) Qual o preço que é possível vender um produto que 2ª operação de venda (25% de lucro) ### C + L = V --à
teve seu custo de R$ 700,00, para se ter um lucro final 100% + 25% = 125%
de 15%? (valor da casa R$ 22.000,00)
Solução: 22.000 ----- 100% (custo da operação)
C * L = V » 100% + 15% = 115% X ----- 125% (venda da operação)
R$ 700,00 ---------- 100% (custo da operação) X = 22.000 . 125 / 100 = R$ 27.500,00
X ---------- 115% (venda da operação) 3ª operação de venda (30% de lucro) ### C + L = V --à
X = 115 . 700 100% + 30% = 130%
100 (valor da casa R$ 27.500,00)
X = 10.500/100 = R$ 805,00 27.500 ----- 100% (custo da operação)
O valor do produto será de R$ 805,00 X ----- 130% (venda da operação)
b) Qual o preço que é possível vender um produto que X = 27.500 . 130 / 100 = R$ 35.750,00
teve seu custo de R$ 300,00, para se ter um lucro final O valor final da casa foi de R$ 35.750,00
de 50%? e) Uma pessoa vendeu um aparelho de som que custou
Solução: R$ 1.200,00 com 40% de prejuízo sobre o custo. Qual
C * L = V » 100% + 50% = 150% foi o prejuízo desta operação??
R$ 300,00 ---------- 100% (custo da operação) Solução:
X ---------- 150% (venda da operação) 1.200 ----- 100% (custo da operação)
X = 150 . 300 X ----- 40% (prejuízo da operação)
100 X = 1.200 . 40
X = 45000/100 = R$ 450,00 100
O valor do produto será de R$ 450,00 X = 48000 / 100 = R$ 480,00
c) Uma pessoa vendeu um automóvel pelo valor de R$ O prejuízo desta operação foi de R$ 480,00.
25.000,00, ganhando o valor de 20% (vinte por cento)
sobre o custo. Qual foi o lucro desta pessoa nesta 1 PORCENTAGEM
operação?
Solução: Denominamos razões percentuais as razões cujos
C + L = V » 100% + 20% = 120% consequentes sejam iguais a 100.
25.000 ---------- 120% (venda da operação)
X ---------- 20% (lucro da operação) Exemplo: 30/100(trinta por cento); 20/100 (vinte por
X = 25.000 . 20 cento) 30/100 corresponde a 30% e 20/100
120 corresponde a 20%.
X = 500.000 / 120 = R$ 4.166,67 (valor arredondado)
O lucro da operação foi de R$ 4.166,67 Exemplo:
c) Uma geladeira foi vendida com um lucro final de 35%.
Calcule o valor da venda, sabendo que o lucro na 1) Em uma classe de 30 alunos, 15 foram aprovados.
operação foi de R$ 250,00. Qual a taxa percentual de aprovação?
Solução: 30 - 100 onde: 30x = 100 X 15
C + L = V - à 100% + 35% = 135% 15 - X 30x = 1500
250 ---------- 35% (lucro da operação) x = 1500/30 = 50%
X ---------- 135% (venda da operação)
X = 135 . 250 2) Ao comprar um livro, obtive um desconto de R$3,00.
35 Qual o preço do livro sabendo que a taxa de desconto
X = 33.750 / 35 = R$ 964,29 (valor arredondado) foi de 5%?
O valor da venda foi de R$ 964,29 3 – 5 5x = 300
d) Uma casa foi comprada por R$ 20.000,00, e x - 100 x = 300/5 = 60
revendida em sucessivos negócios com lucros
sequentes de 15%, 25% e 30%. Nesta operação, qual foi Agora responda os testes a seguir:
o último preço de venda da casa??
Solução: 1. Em uma classe de 50 alunos faltaram 15. Qual a
1ª operação de venda (15% de lucro) ### C + L = V --à quantidade de alunos presentes em porcentagem?
100% + 15% = 115% a) 30%
20.000 ----- 100% (custo da operação) b) 70%
X ----- 110% (venda da operação) c) 25%
X = 20.000 . 110 / 100 = R$ 22.000,00 d) 35%

37
produto. Ao final dessas transações, haveria alteração
2.Por quanto devo vender um objeto que me custou R$ no preço original do produto? Quem levaria vantagem:
150, para ter um lucro de 20% sobre o custo? o comerciante ou o cliente?
a) R$ 170,00 10) Uma mistura é formada por 120 ml de leite e 30 ml
b) R$ 180,00 de água.
c) R$ 185,00 a) qual a taxa percentual de leite na mistura? E de água?
d) R$ 190,00
b) Adicionando-se 10 ml de água à mistura, qual será a
Resolva os problemas abaixo: participação percentual de água na mistura?

1) De um exame para habilitação de motorista c) Retirando-se 10 ml de água da mistura original, qual


participaram 380 candidatos, sabe – se que a taxa de será a participação percentual de água na mistura?
reprovação foi de 15%. Qual o número de aprovados e
reprovados? 11) O Sr. Mathias tem R$ 12.000,00 para investir pelo
prazo de um ano. Ele pretende investir parte numa
2) Uma bolsa é vendida por R$ 32,00. Se o seu preço aplicação A que tem um rendimento esperado de 15%
fosse aumentado em 20% Quanto passaria a custar? ao ano sobre o valor investido, e o restante numa outra
aplicação B, que dá um rendimento de 20% sobre o
3) O preço de venda de um compact disc é de R$ 22,00. valor investido. Qual o rendimento anual esperado se
Quanto passará a custar o compact disc se a loja ele aplicar R$ 7.000,00 em A e R$ 5.000,00 em B?
anunciar:
2 TRANSAÇÕES COMERCIAIS – LUCRO E PREJUÍZO
a) um desconto de 12%
b) um acréscimo de 5% Em qualquer transação comercial pode haver lucro ou
prejuízo.
4) Um caderno teve seu preço reajustado de R$ 2,60
para R$ 2,90. Qual é a taxa percentual de aumento? FÓRMULAS
5) Em certo país, a Paraisolândia, o salário mínimo, após
sofrer um aumento de 4%, passou a ser de R$ 312,00. Para transações comerciais com lucro: V = C + L
Qual era o valor do salário mínimo nesse país? Onde V – Preço de venda; C – Preço de custo; L – Lucro.

6) Certa mercadoria custava R$ 24,00 e passou a custar Transações comerciais com prejuízo: V = C – P
R$ 30,00. Qual a taxa percentual de aumento?
Onde V – Preço de venda; C – Preço de custo; P –
7) Da 1ª fase de um concurso participaram 20 mil Prejuízo
candidatos, dos quais 74% não foram aprovados para a
2ª fase. Dos participantes da 2ª fase, 64% não Exemplos práticos
conseguiram aprovação.
a) Quantos candidatos foram aprovados nesse 1) Um equipamento comprado por R$ 3.000,00 deverá
concurso? ser vendido a que preço, para que proporcione o lucro
b) Qual a taxa de reprovados? de 25% sobre o preço de venda?
Temos:
8) A comissão de um corretor de imóveis é igual a 5% C – R$ 3.0000,00
do valor de cada venda efetuada. L – 25% do preço de compra – ou seja L = 25/100.3000
= 750,00
a) um apartamento foi vendido por R$ 62.400,00. Portanto o equipamento deverá ser vendido por:
Determine a comissão recebida pelo corretor. V=C+L
V = 3000 + 750
b) Um proprietário recebe, pela venda de uma casa, R$ V = 3750
79.800,00, já descontada a comissão do corretor,
determine o valor da comissão. 2) Mercedes vendeu uma bicicleta por R$ 300,00 tendo
um lucro nessa transação de 30% sobre a venda.
9) O preço de um produto é de R$ 50,00 e um Quanto pagou pela bicicleta?
comerciante decide reajustá-lo em 20%. Diante da V – 300
insistência de um cliente, o comerciante concede, L – 30% sobre a venda, ou seja 30/100.300 = 90
então um desconto de 20% sobre o novo preço do Como: V = C + L

38
300 = C + 90 2.000,00. Havendo aumento de 25% no preço de cada
C = 300 – 90 caixa, quantas caixas ele poderá comprar com a mesma
C = 210 quantia?
Pagou R$ 210,00 pela bicicleta.
ATIVIDADE PARA CLASSE

3) Um comerciante vai vender seus produtos que 1) Efetue as porcentagens abaixo:


custaram R$ 500,00 com um prejuízo de 15% do preço c) 20% de 45
de custo. Nestas condições qual será o preço de venda d) 75% de 500
de seus produtos?
C – 500 2) No Brasil os inúmeros problemas sociais pertencem
P – 15% do preço de custo – R$ 75,00 a 80% da população. Sabendo-se que 30 milhões de
V =? pessoas não sofrem com estas questões sociais,
V=C–P quantos são os menos favorecidos?
V = 500 – 75
V = 425 3) Nas eleições de 07 de Outubro de 1990 em uma urna
O preço de venda será R$ 425,00 para 415 votantes havia apenas 332 votos. Qual o
percentual de eleitores que deixaram de votar?
4) Vendi um aparelho eletrônico por R$ 300,00 com
prejuízo de 25% do preço de custo. Quanto eu havia 4) Numa indústria trabalham 323 homens. As mulheres
pago por ele? representam 66% dos empregados. Quantos
V = 300 funcionários trabalham nessa indústria?
P = 25% do custo (que não temos) logo 25/100 de C =
0,25C 5) Segundo dados de 1995, apenas 0,8% da população
C =? brasileira possuía microcomputadores. Numa cidade
V=C–P com 3000 habitantes, onde se aplicou este índice, o
300 = C – 0,25C número de pessoas que possuía microcomputadores é:
300 = 0,75C (10%)² é igual a:
C = 300/0,75
C = 400, Paguei R$ 400,00 por ele. 6) Num exame de seleção do CDT/ETEP na prova de
matemática de 15 exercícios, com 4 perguntas cada um,
EXERCÍCIOS um candidato acertou 48 itens. Qual foi a porcentagem
de erros desse candidato?
1) Natália quer vender um apartamento que custou R$
160.000,00 lucrando 30% do preço de custo. Qual será 7) No primeiro dia de um certo mês, uma ação estava
o preço de venda do apartamento de Natália? cotada em R$ 20,00. Do dia 1º até o dia 10 deste mês
2) Luís comprou um carro por R$ 25.000,00 e vendeu-o sofreu um aumento de 10% e do dia 11 até o dia 20
por R$ 30.000,00. Calcule qual a porcentagem de lucro sofreu novo aumento de 20%. A quanto foi cotada essa
em relação ao: ação no dia 20 deste mês?
a) Preço de Custo
b) Preço de Venda 8) Um investidor aplicou R$ 5.000,00 em caderneta de
poupança no dia 01/09, em 01/10 foi creditado o
3) Nilva vendeu seu terreno por R$ 30.000,00 com um rendimento referente ao mês de Setembro, que foi de
prejuízo de 20% em relação ao preço de custo. Quanto 3,5% e, em 01/11 foi creditado o rendimento do mês de
ela havia pago pelo terreno? Outubro. Se após esse último crédito o saldo passou a
ser de R$ 5.392,35, determine o rendimento do mês de
OUTROS EXERCÍCIOS DE APRENDIZAGEM Outubro em %?

1) Paguei com multa R$ 18.450,00 por uma prestação 9) Em um colégio estudam 750 alunos. Desses 52%
cujo valor era de R$ 15.000,00. Qual a taxa percentual estudam no período da tarde. Quantos estudam no
da multa? período da tarde?
10) No fim de uma temporada, uma equipe de basquete
2) Um investidor comprou um terreno por R$ 15.000,00 havia ganho 25 jogos dos 40 disputados. Qual foi a
e vendeu-o um ano depois por R$ 18.750,00, qual o porcentagem de partidas ganhas pelo clube no final da
lucro em porcentagem do preço de custo? temporada?
3) Manuel compra 100 caixas de laranja por R$

39
empregar procedimentos matemáticos para simplificar
11) calcule a quantia da qual: a operação financeira a um Fluxo de Caixa.

a) 42 representa 5% CAPITAL
b) 33 representa 5,5%
c) 280 representa 8% O Capital é o valor aplicado através de alguma operação
d) 320 representa 1,25% financeira. Também conhecido como: Principal, Valor
e) meio representa quanto por cento de 5/8? Atual, Valor Presente ou Valor Aplicado. Em inglês usa-
se Present Value (indicado pela tecla PV nas
12) Uma nota promissória cujo valor era de R$ 5.000,00 calculadoras financeiras).
foi paga com um desconto de R$ 250. Qual a taxa de
desconto? JUROS

13) Vendi uma mercadoria recebendo 25% de entrada Representam a remuneração do Capital empregado em
e o restante em 3 prestações de 160 e uma de 180. Qual alguma atividade produtiva. Os juros podem ser
o preço da mercadoria? capitalizados segundo dois regimes: simples ou
compostos.
14) Em quanto por cento aumentou o a população de
uma cidade que era de 67.200 habitantes e agora é de JUROS SIMPLES:
92.400 habitantes?
O juro de cada intervalo de tempo sempre é calculado
15) Um comerciante comprou 120 bonés a R$ 8,00 cada sobre o capital inicial emprestado ou aplicado.
um. Vendeu a metade a R$ 10,00 e o restante a R$
12,00. De quanto por cento foi o lucro? JUROS COMPOSTOS:

16) Comprou-se um objeto por R$ 60,00 e deseja-se O juro de cada intervalo de tempo é calculado a partir
ganhar 25% sobre o preço de venda. Qual deve ser o do saldo no início de correspondente intervalo. Ou seja:
preço? o juro de cada intervalo de tempo é incorporado ao
capital inicial e passa a render juros também.
17) Um objeto foi vendido com um prejuízo de 40%
sobre o preço de custo. Sabendo que esse objeto custou O juro é a remuneração pelo empréstimo do dinheiro.
R$ 30,00, qual foi o preço de venda? Ele existe porque a maioria das pessoas prefere o
consumo imediato, e está disposta a pagar um preço
18) Uma pessoa tendo adquirido um relógio por R$ por isto. Por outro lado, quem for capaz de esperar até
125,00 só conseguiu vendê-lo com um prejuízo de 8% possuir a quantia suficiente para adquirir seu desejo, e
sobre o custo. Por quanto vendeu o relógio? neste ínterim estiver disposta a emprestar esta quantia
a alguém, menos paciente, deve ser recompensado por
19) Um objeto que custou R$558,00 foi vendido com esta abstinência na proporção do tempo e risco, que a
um prejuízo de 12% sobre o preço de venda. Qual o operação envolver. O tempo, o risco e a quantidade de
valor apurado na venda? dinheiro disponível no mercado para empréstimos
definem qual deverá ser a remuneração, mais
20) Vendi um objeto por R$ 276,00 e ganhei na venda conhecida como taxa de juros.
15% sobre o preço de custo. Quanto custou o objeto?
Quando usamos juros simples e juros compostos?
21) Uma agência vendeu um carro por R$ 8.500,00
sabendo que na venda teve um prejuízo de 15% sobre A maioria das operações envolvendo dinheiro utiliza
o preço de venda, quanto custou esse carro? juros compostos. Estão incluídas: compras a médio e
longo prazo, compras com cartão de crédito,
22) Um terreno foi vendido por R$ 50.600,00 dando um empréstimos bancários, as aplicações financeiras usuais
prejuízo de 8% sobre o preço de venda. Quanto havia como Caderneta de Poupança e aplicações em fundos
custado? de renda fixa, etc. Raramente encontramos uso para o
regime de juros simples: é o caso das operações de
A Matemática Financeira é uma ferramenta útil na curtíssimo prazo, e do processo de desconto simples de
análise de algumas alternativas de investimentos ou duplicatas.
financiamentos de bens de consumo. Consiste em
TAXA DE JUROS

40
3 – Calcule o juro a ser pago por um empréstimo de R$
A taxa de juros indica qual remuneração será paga ao 9.200, à taxa de 5% ao trimestre, durante 3 trimestres?
dinheiro emprestado, para um determinado período.
Ela vem normalmente expressa da forma percentual, 4 – Um capital de R$ 56.800 foi empregado, à taxa de
em seguida da especificação do período de tempo a que 0,75% ao mês, durante 2,5 meses. Calcule o juro
se refere: produzido.
8 % a.a. - (a.a. significa ao ano).
10 % a.t. - (a.t. significa ao trimestre). 5 – Calcule o montante de uma aplicação de R$
Outra forma de apresentação da taxa de juros é a 8.200,00 por um prazo de 8 meses no regime de juro
unitária, que é igual a taxa percentual dividida por 100, simples à taxa de 1,5% ao mês.
sem o símbolo %:
0,15 a.m. - (a.m. significa ao mês). 6 – Que montante receberá um aplicador que tenha
0,10 a.q. - (a.q. significa ao quadrimestre) investido R$ 28.000 ,00 durante 15 meses, à taxa de 3%
ao mês?
JUROS SIMPLES
TAXAS PROPORCIONAIS
O regime de juros será simples quando o percentual de
juros incidir apenas sobre o valor principal. Sobre os Duas taxas são proporcionais quando seus valores
juros gerados a cada período não incidirão novos juros. formam uma proporção com os tempos as elas
Valor Principal ou simplesmente principal é o valor referidos, reduzidos à mesma unidade.
inicial emprestado ou aplicado, antes de somarmos os Para resolvermos qualquer problema é necessária que
juros. Transformando em fórmula temos: J = C . i . n tempo e taxa estejam na mesma unidade por exemplo
taxa ao mês e tempo em meses, taxa ao ano e tempo
Onde: também ao ano, taxa ao bimestre e tempo ao bimestre.
J = juros
C = Capital Exemplos:
i = taxa de juros
n = número de períodos 1 – Calcule a taxa mensal proporcional a 30% ao ano.
Resolução
Exemplo: Temos uma dívida de R$ 1000,00 que deve ser Em um ano temos 12 meses então: 30/12 = 2,5% ao mês
paga com juros de 8% a.m. pelo regime de juros simples 30% ao ano é proporcional a 2,5% ao mês.
e devemos pagá-la em 2 meses. Os juros que pagarei
serão: J = 1000 x 0.08 x 2 = 160 2 – Calcule a taxa mensal proporcional a 0,08% ao dia.
Resolução
Ao somarmos os juros ao valor principal temos o Em um mês temos 30 dias logo:
montante. 0,08 x 30 = 2,4 % ao mês.
Montante = Capital + Juros
Montante = Capital + (Capital x Taxa de juros x Número 3 – Calcule a taxa anual proporcional a 8 % ao trimestre.
de períodos) Resolução
M = C . (1 + i . n) Em um ano temos quatro trimestres – JAN/FEV/MAR;
Aí teríamos: ABR/MAI/JUN; JUL/AGO/SET; OUT/NOV/DEZ.
8 x 4 = 32% ao ano
M = 1000 + 160 = 1160 Ou Resolva os exercícios abaixo:
M = 1000. (1+8/100.2)
M = 1160 1) Calcule a taxa mensal proporcional a:
a) 9% a.t. (ao trimestre)
EXERCÍCIOS SOBRE JUROS SIMPLES: b) 24% a.s. (ao semestre)
c) 0,04%a.d. (ao dia)
1) Tomou-se emprestada a importância de R$ 1.200
pelo prazo de 2 anos, à taxa de 30% ao ano. Qual será o 2) Calcule a taxa anual proporcional a:
valor do juro a ser pago? a) 1,5%a.m. (ao mês) b) 8% a.t. (ao trimestre)
c) 21% a.s. (ao semestre)
2 – Aplicou-se a importância de R$ 3.000,00, pelo prazo d) 0,05% a.d. (ao dia)
de 3 meses, à taxa de 1,2% ao mês. Qual o valor do juro
a receber? Agora resolva os problemas abaixo:

41
1) Um capital de R$ 2.400 é aplicado durante 10 meses, O desconto pode ser feito considerando-se como
à taxa de 25% ao ano. Determine o juro obtido. capital o valor nominal ou o valor atual. No primeiro
caso, é denominado desconto comercial; no segundo,
2) Calcule o correspondente a um capital de R$ 18.500, desconto racional.
aplicado durante 2 anos, 4 meses e 10 dias, à taxa de
36% ao ano. DESCONTO COMERCIAL
OBS: Transformar a taxa e o tempo ambos em dias. –
Considerar o ano comercial que é de 360 dias) Chamamos de desconto comercial, bancário ou por fora
o equivalente ao juro simples, produzido pelo valor
3) Calcule o juro resultante de uma aplicação de R$ nominal do título no período de tempo correspondente
32.500, à taxa de 18% ao ano, durante 3 meses. e a à taxa fixada.
Termos que são usados no Valor do desconto
4) Calcule o juro de um capital de R$ 5.000, em regime comercial:
de juro simples, durante 2 anos 4 meses, à taxa de 24% d – o valor do desconto comercial
ao ano. N – o valor nominal do título
5) Que montante receberá um aplicador que tenha A – O valor atual comercial ou valor descontado
investido R$ 28.000 durante 15 meses à taxa de 3% ao comercial
mês. n – O tempo (nº de períodos)
i – Taxa de desconto
6) Qual o capital inicial necessário para se ter um Fórmula d = N . i . n
montante de R$ 14.800 daqui a 18 meses, a uma taxa Valor atual comercial
de 48% ao ano, no regime de juro simples. O valor atual comercial ou valor descontado comercial
é dado por:
7) Calcule o montante de uma aplicação de R$ 5.000, à A=N–d
taxa de 2,5 % ao mês, durante 2 anos. Ou então substituindo d pelo seu valor obtido vem:
A = N (1 – i x n)
8) Uma pessoa aplicou R$ 90.000 no mercado
financeiro e, após 5 anos, recebeu o montante de R$ EXEMPLOS:
180.000. Qual foi a taxa anual?
1 - Um título de R$ 6.000 vai ser descontado à taxa de
DESCONTO SIMPLES 2,1 % ao mês. Faltando 45 dias para o vencimento do
título, determine:
Se uma pessoa deve uma quantia de dinheiro numa a) O valor do desconto comercial
data futura, é normal que se entregue ao devedor um
título de crédito, que é o comprovante dessa dívida. Resolução:
Todo título de crédito tem uma data de vencimento,
porém o devedor pode resgatá-lo antecipadamente, Temos: N = 6.000; n = 45 dias; i = 2,1%ao mês fazemos
obtendo com esse abatimento denominado desconto. a conversão para taxa ao dia: em um mês temos 30 dias
Exemplos de títulos de crédito: então: 2,1/30 = 0,07%ao dia
a) Nota promissória: é um comprovante de aplicação de Usando a fórmula: d = N . i . n
um capital com vencimento pré-determinado. É um d = 6000. 0,07/100 . 45
título muito usado entre pessoas físicas e uma d = 189 (desconto comercial)
instituição financeira. b) O valor atual comercial
b) Duplicata: é um título emitido por uma pessoa A=N–d
jurídica contra seus clientes (pessoa física ou jurídica) , A = 6000 – 189
para o qual ele vendeu mercadorias a prazo ou prestou A = 5.811
serviços a serem pagos no futuro, segundo um O valor atual comercial é de r$ 5.811
contrato.
c) Letra de Câmbio: Assim como a nota promissória , é Obteríamos o mesmo resultado usando a formula
um comprovante de uma aplicação de capital com abaixo:
vencimento predeterminado ; porém, é um título ao
portador, emitido exclusivamente por uma instituição A = N (1-i.n) e d = N-A
financeira. A = 6000 (1 – 0,0007 . 45) = 5811
d) Desconto: é a quantia a ser abatida ao valor nominal, d = N – A = 6000 – 5811 = 189
isto é, a diferença entre o valor nominal e o valor atual.

42
2) Uma duplicata de R$ 6.900 foi resgatado antes de seu d) Qual o valor atual?
vencimento por R$ 6.072. Calcule o tempo de
antecipação, sabendo que a taxa de desconto comercial 6) Qual o desconto experimentado por um título de R$
foi de 4% ao mês. 1.500, à taxa de desconto de 10% ao mês, se o resgate
Temos: N = 6.900; A = 6.072; i = 4% ao mês 4/100 = 0,04 é feito:
A = N ( 1 –i .n) a) um mês antes do vencimento
6072 = 6900 (1- 0,04.n)
6072 = 6900 - 276n b) 60 dias antes do vencimento.
276n = 6900-6072
276n = 828 7) Um título de R$ 420,00 é descontado 45 dias antes
n = 828/276 do vencimento à taxa de 3% ao mês. Qual é o valor do
n = 3 meses resgate?

O problema poderia ser resolvido empregando a 8) Sendo 48% a taxa anual de desconto utilizada por
fórmula do desconto d = N.i.n, lembrando que: uma instituição, qual seria o valor de um título de R$
d=N–A 20.000,00 descontado 4 meses antes do vencimento?
d = 6900 – 6072 = 828 9) O valor nominal de uma duplicata a ser descontada à
d = N.i.n taxa de 2,5% ao mês é R$ 700,00. Calcule o valor atual
828 = 6900 . 0,04. N da duplicata, se for descontado:
828 = 276n a) 12 dias antes do vencimento
n = 828/276 b) 53 dias antes do vencimento
n = 3 meses
JUROS COMPOSTOS
EXERCÍCIOS
O regime de juros compostos é o mais comum no
1) Uma duplicata cujo valor nominal é de R$ 2.000 foi sistema financeiro e, portanto, o mais útil para cálculos
resgatado 2 meses antes do vencimento à taxa de 30% de problemas do dia-a-dia. Os juros gerados a cada
ao ano. Qual o desconto comercial? período são incorporados ao principal para o cálculo
dos juros do período seguinte.
2) Um título no valor nominal de R$ 8.400, com
vencimento em 18/10 é resgatado em 20/07. Se a taxa Chamamos de capitalização o momento em que os
de juro contratado foi de 54%ao ano, qual o valor juros são incorporados ao principal. Após três meses de
comercial descontado? capitalização, temos:

3) Um título de R$ 4.800 foi resgatado antes do seu 1º mês: M =C.(1 + i)


vencimento por R$ 4.476, sabendo que a taxa de 2º mês: o principal é igual ao montante do mês anterior:
desconto comercial é de 32,4% ao ano, calcule o tempo M = C x (1 + i) x (1 + i)
de antecipação do resgate? 3º mês: o principal é igual ao montante do mês anterior:
M = C x (1 + i) x (1 + i) x (1 + i)
4) Determine o desconto de uma promissória de R$ Simplificando, obtemos a fórmula:
3.000, à taxa de 40% ao ano, resgatada 75 dias antes do M =C . (1 + i)n
vencimento.
Importante: a taxa i tem que ser expressa na mesma
5) Um título de valor nominal de R$ 900,00com medida de tempo de n, ou seja, taxa de juros ao mês
vencimento para 150 dias será descontado em um para n meses. Para calcularmos apenas os juros basta
banco que opera coma taxa de desconto de 6% ao mês: diminuir o principal do montante ao final do período:
Calcule:
a) O prazo de antecipação é de 3 meses. Qual o J=M–C
desconto? Exemplo:

b) Calcule o valor atual Calcule o montante de um capital de R$6.000,00,


aplicado a juros compostos, durante 1 ano, à taxa de
c) Se o resgate for feito 48 dias antes do vencimento, 3,5% ao mês. (use log 1,035=0,0149 e log
qual será o desconto? 1,509=0,1788)
Resolução:

43
C = R$6.000,00 compreendido entre 3 de abril e 6 de junho do mesmo
t = 1 ano = 12 meses ano. (Considere ano civil entre as datas).
i = 3,5 % a.m. = 0,035
M =? 10 - (fácil) Qual a taxa anual efetiva que permite a
duplicação de um capital no prazo de 42 meses?
Usando a fórmula M=C.(1+i)n, obtemos:
M = 6000.(1+0,035)12 = 6000. (1,035)12 11 - (média) Na compra de um Bem cujo valor à vista é
Fazendo x = 1,03512 e aplicando logaritmos, de R$ 140,00, deve-se pagar uma entrada mais duas
encontramos: prestações de R$ 80,00 no fim dos próximos 2 meses.
log x = log 1,03512 => log x = 12 log 1,035 => log x = Considerando uma taxa de juros de 20% am, qual o
0,1788 => x = 1,509 valor da entrada?
Então M = 6000.1,509 = 9054.
Portanto o montante é R$9.054,00 12 - (média) Por um equipamento de R$ 360.000,00
paga-se uma entrada de 20% mais dois pagamentos
EXERCÍCIOS DE JUROS COMPOSTOS mensais consecutivos. Se o primeiro pagamento for de
R$ 180.000,00 e a taxa de juros efetiva aplicada, de 10%
1- (fácil) Calcular o montante de uma aplicação de R$ am, calcular o valor do segundo pagamento.
3.500,00, pelas seguintes taxas efetivas e prazos:
a) 4% am e 6 meses 13 - (média) Um capital de R$ 50.000,00 rendeu R$
b) 8% at e 18 meses 1.000,00 em um determinado prazo. Se o prazo fosse
c) 12% aa e 18 meses dois meses maior, o rendimento aumentaria em R$
2.060,40. Calcular a taxa de juros efetiva ao mês ganha
2 - (fácil) Em que prazo um capital de R$ 18.000,00 pela aplicação e o prazo em meses.
acumula um montante de R$ 83.743,00 à taxa efetiva
de 15% am? 14 - (média) Dois capitais foram aplicados durante 2
anos, o primeiro a juros efetivos de 2% am e o segundo,
3 - (fácil) Uma empresa pretende comprar um a 1,5 am. O primeiro capital é R$ 10.000,00 maior que
equipamento de R$ 100.000,00 daqui a 4 anos com o o segundo e seu rendimento excedeu em R$ 6.700,00 o
montante de uma aplicação financeira. Calcular o valor rendimento do segundo capital. Calcular o valor de cada
da aplicação necessária se os juros efetivos ganhos um dos capitais.
forem de:
a) 13% at b) 18% aa c) 14% as d) 12% am 15 - (média) Um certo capital após 4 meses
transformou-se em R$ 850,85. Esse capital, diminuído
4 - (fácil) Um capital de R$ 51.879,31 aplicado por 6 dos juros ganhos nesse prazo, reduz-se a R$ 549,15.
meses resultou em R$ 120.000,00. Qual a taxa efetiva Calcular o capital e a taxa de juros efetiva ao mês ganha
ganha? na aplicação.

5 - (fácil) Em quanto tempo triplica uma população que 16 - (difícil) Um capital foi aplicado a juros efetivos de
cresce à taxa de 3% aa? 30% aa. Após 3 anos, resgatou-se a metade dos juros
ganhos e, logo depois, o resto do montante foi
6 - (fácil) A rentabilidade efetiva de um investimento é reaplicado à taxa efetiva de 32% aa, obtendo-se um
de 10% aa. Se os juros ganhos forem de R$ 27.473,00, rendimento de R$ 102,30 no prazo de 1 ano. Calcular o
sobre um capital investido de R$ 83.000,00, quanto valor do capital inicialmente aplicado.
tempo o capital ficará aplicado?
17 - (média) Determine o capital que aplicado durante
7 - (fácil) Em quanto tempo o rendimento gerado por 3 meses à taxa efetiva composta de 4% am produz um
um capital iguala-se ao próprio capital, aplicando-se montante que excede em R$ 500,00 ao montante que
uma taxa efetiva de 5% am? seria obtido se o mesmo capital fosse aplicado pelo
mesmo prazo a juros simples de 4% am.
8 - (fácil) Quanto tempo deve transcorrer para que a
relação entre um capital de R$ 8.000,00, aplicado a 18 - (média) Uma pessoa depositou R$ 1.000,00 em um
juros efetivos de 4% am, e seu montante seja igual a fundo que paga juros efetivos de 5% am, com o objetivo
4/10? de dispor de R$ 1.102,50 dentro de 2 meses. Passados
24 dias após a aplicação, a taxa efetiva baixou para 4%
9 - (fácil) Calcular o rendimento de um capital de R$ am. Quanto tempo adicional terá de esperar para obter
7.000,00 aplicado à taxa efetiva de 1% am no período o capital requerido?

44
19 - (média) Um capital de R$ 4.000,00 foi aplicado
dividido em duas parcelas, a primeira à taxa efetiva de
6% at e a segunda a 2% am. Se após 8 meses os
montantes de ambas as parcelas se igualam,
determinar o valor de cada parcela.

20 - (fácil) Um capital aplicado em um fundo duplicou


seu valor entre 11 de julho e 22 de dezembro do mesmo
ano. A que taxa efetiva mensal foi aplicado?

21 - (fácil) Determinar o valor dos juros pagos por um


empréstimo de R$ 2.000,00 contratado à taxa efetiva
de 5% am pelo prazo de 25 dias.

45