Você está na página 1de 9

Módulo 8:

A Cultura da Gare

História da Cultura e das Artes

Catarina Oliveira

Joana Machado

Rui Almeida

Abril, 2019
Índice
Introdução ...................................................................................................... 3
Desenvolvimento ............................................................................................. 4
Contextualização histórica ........................................................................ 4
Economia Europeia no início do séc. XIX ..................................................... 4
Luta de Classes e Revolução Industrial ...................................................... 5
Gare ........................................................................................................ 6
Estado da arte .......................................................................................... 7
Principais características da pintura .......................................................... 7
ESCULTURA ............................................................................................. 8
Conclusão ....................................................................................................... 9
Introdução

No presente trabalho irão ser abordados os conteúdos lecionados durante as


aulas do módulo oito, que tem como tema “A cultura da Gare”.

O trabalho contempla uma contextualização histórica sobre o período e as


mudanças que este implicou, bem como uma abordagem ao estado da arte e
principais caraterísticas da mesma.
Desenvolvimento
Contextualização histórica

Europa
Com a queda do Império Napoleónico, foram surgindo novos países.

Regimes Políticos
Com o surgimento de novos países, foram também surgindo os regimes
políticos:

Regime Absolutista/Monárquico - O rei possui os 3 poderes: Judicial, Executivo


e Legislativo;

Regime Democrático/ Parlamentar - É o governo feito pelo povo de maneira


representativa. Monarquias Parlamentares - o rei apenas fica com o poder
executivo.

Economia Europeia no início do séc. XIX


 Com o desenvolvimento das Revoluções Agrícolas, Transportes e
Industrial, foi permitido:
 Novas tecnologias agrícolas (Aumento da produção, melhoria dos
alimentos e aumento da população);
 Desenvolvimento das indústrias têxteis e metalúrgicas (Diminuição do
desemprego);
 Melhoria dos transportes, tornando-os mais eficientes, permitindo a
melhor circulação de capitais.

 Surgiu o capitalismo: sistema económico em que os meios de produção


e distribuição são de propriedade privada, com fins lucrativos. Existiram
3 tipos de capitalismo:

 Capitalismo Colonial - Dinheiro feito pelo comércio colonial;


 Capitalismo Industrial - Dinheiro feito pelas indústrias têxteis;
 Capitalismo Financeiro - Dinheiro depositado no banco era investido
gerava mais dinheiro.
Maneiras de produção:
Manufatura inicialmente, sendo mais tarde substituída pela maquinofatura.

Novas fontes de Energia

Petróleo;

Eletricidade.

Luta de Classes e Revolução Industrial

Com o aparecimento da Revolução Industrial, muitos foram os operários que se


deslocaram para trabalhar nas fábricas têxteis e metalúrgicas. Mas o problema
é que os operários recebiam salários miseráveis, viviam em habitações
minúsculas e sem condições higiénicas. Para pôr fim a essas situações foi
criado o sindicato, que servia para proteger os operários. Defendiam uma
igualdade social, coletivização dos meios de produção e ditadura do
proletariado (os operários passam a governar o país).
Gare

É uma estação de caminhos de ferro que teve como principal função receber
pessoas vindas do campo.
As cidades foram crescendo em tamanho e população, por isso, foi necessário
um novo plano urbanístico: Praças maiores, Avenidas, Iluminação e Esgotos.
Todos estes acontecimentos levaram à utilização de novos materiais, como o
ferro e o vidro.

Gare do Oriente- Lisboa


Gare Du Nord- Paris

Estado da arte

Impressionismo foi um movimento artístico que revolucionou


profundamente a pintura e deu início às grandes tendências da arte do século
XX. Havia algumas considerações gerais, muito mais práticas do que teóricas,
que os artistas seguiam nos seus procedimentos técnicos para obter os
resultados que caracterizaram a pintura impressionista.

Principais características da pintura

 A pintura deve apresentar as tonalidades que os objetos adquirem ao


refletir a luz solar num determinado momento, pois as cores da natureza
modificam-se constantemente, dependendo da incidência da luz do sol.
 As figuras não devem ter contornos nítidos, pois a linha é uma abstração
do ser humano para representar imagens.
 As sombras devem ser luminosas e coloridas, tal como é a impressão
visual que nos causam, e não escuras ou pretas, como os pintores
costumavam representá-las no passado.
 Os contrastes de luz e sombra devem ser obtidos de acordo com a lei
das cores complementares. Assim, um amarelo próximo a um violeta
produz uma impressão de luz e de sombra muito mais real do que o
claro-escuro tão valorizado pelos pintores barrocos.

“Impressão, nascer do sol” - Claude Monet “O Almoço dos Barqueiros”- Pierre-Auguste Renoir
ESCULTURA

Assim como a pintura, a escultura trouxe uma grande inovação na sua


linguagem. Os três conceitos básicos dessa inovação foram:

 A fusão da luz e das sombras;


 A ambição de obter estátuas visíveis a partir do maior número possível
de ângulos;
 Obra inacabada, como exemplo ideal do processo criativo do artista.

Os temas da escultura impressionista, como na pintura, surgiram do ambiente


quotidiano e da literatura clássica em voga na época.

“A mão de Deus” - Auguste Rodin


Conclusão

Concluindo este trabalho, realizámos que atingimos uma maior consolidação da


matéria, e um conhecimento mais abrangente sobre este período histórico, as
mudanças sociais e culturais que este provocou bem como a caraterização e
estado da arte centrada no período abordado.