Você está na página 1de 2

(Fuvest) "Vivemos mais uma grave crise, e) não é próprio das elites lançar projetos

repetitiva dentro do ciclo de graves crises que estimulem mudanças na sociedade


que ocupa a energia desta nação. A como um todo.
frustração cresce e a desesperança não
cede. 2. Segundo o espírito do texto, pode-se
Empresários empurrados à condição de dizer também que, no Brasil, só não há
liderança oficial se reúnem em eventos melhor distribuição de renda:
como este, para lamentar o estado de a) por falta de uma política econômica
coisas. O que dizer sem resvalar para o melhor dirigida;
pessimismo, a crítica pungente ou a auto- b) porque não é do interesse das elites,
absolvição? É da história do mundo que as nem têm elas possibilidades de favorecer
elites nunca introduziram mudanças que essa distribuição;
favorecessem a sociedade como um todo. c) porque as elites estão sempre com um
Estaríamos nos enganando se achássemos pé atrás, desconfiadas do poder público;
que estas lideranças empresariais aqui d) porque os recursos acumulados, embora
reunidas teriam a motivação para fazer a suficientes, são manipulados pelas elites;
distribuição de poderes e rendas e) porque, se assim fosse feito, as elites
que uma nação equilibrada precisa ter. reagiriam ao processo de seu
Aliás, é ingenuidade imaginar que a empobrecimento.
vontade de distribuir renda passe pelo
empobrecimento da elite. É também 3. O texto permite afirmar que:
ocioso pensar que nós, da tal elite, temos a) potência mundial de peso, o Brasil está
riqueza suficiente para distribuir. Faço entre as maiores economias do primeiro
sempre, para meu desânimo, a soma do mundo;
faturamento das nossas mil maiores e b) economicamente, o Brasil não tem
melhores empresas, e chego a um número relevo como potência de primeira ordem;
menor do que o faturamento de c) as dificuldades do Brasil são conjunturais
apenas duas empresas japonesas. e se devem especialmente às pressões
Digamos, a Mitsubishi e mais um internacionais;
pouquinho. Sejamos francos. Em termos d) as indústrias de ponta no Brasil estão
mundiais somos irrelevantes como entre as que têm mais alto faturamento
potência econômica, mas ao universal;
mesmo tempo extremamente e) só o idealismo do empresariado
representativos como brasileiro pode reerguer nosso potencial
população. " econômico.
("Discurso de Semler aos Empresários",
Folha de S. Paulo, 4. O ciclo de crises vivido pelo Brasil,
11/09/91) segundo o texto, constitui:
a) um componente instigante para vencer
1. Segundo se depreende do texto, é nossas dificuldades;
possível afirmar que: b) fator conhecido e repetitivo,
a) toda mudança social provém do esforço desimportante de nossa história;
conjunto das elites do país; c) algo que não passa de invenção de
b) nenhum povo é capaz de alterar suas pessimistas desocupados;
estruturas sem o apoio das elites; d) recurso eficaz para chamar a atenção
c) as elites empresariais, produzindo para a nossa realidade;
riquezas, aceleram as mudanças sociais; e) outra forma de desgaste e de consumo
d) em qualquer tempo, as elites sempre se de nossas energias.
dispõem a participar do processo de
distribuição de renda; GOLS DE COCURUTO
O melhor momento do futebol para um
tático é o minuto de silêncio. É quando os
times ficam perfilados, cada jogador com "O possuidor turbado, ou esbulhado, poderá
as mãos nas costas e mais ou menos no manter-se, ou restituir-se, por sua própria
lugar que lhes foi designado no esquema - força, contanto que o faça logo." Ao trazer a
e parados. discussão para o campo jurídico, o antigo
magistrado tentou amenizar o que dissera; a
Então o tático pode olhar o campo como se
rigor, no entanto, suscitou dúvidas cruéis; que
fosse um quadro negro e pensar no futebol quer dizer "por sua própria força?" Será a força
como alguma coisa lógica e diagramável. física do posseiro, ou essa mais aquela que a
Mas aí começa o jogo e tudo desanda. Os ela se soma pelo emprego das armas? O
jogadores se movimentam e o futebol parágrafo único do Código Civil admite dúvidas:
passa a ser regido pelo imponderável, esse "Os atos de defesa, ou de desforço, não
inimigo mortal de qualquer estrategista. O podem ir além do indispensável à manutenção
futebol brasileiro já teve grandes ou restituição da posse". Se o invasor vem
estrategistas cruelmente traídos pela armado, o posseiro pode usar armas? Se o
dinâmica do jogo. O Tim, por exemplo. invasor é plural, vem em bandos, o posseiro
pode contar com a ajuda de amigos ou
Tático exemplar, planejava todo o jogo
contratar seguranças (ou até jagunços) para
numa mesa de botão. Da entrada em defender o que é seu?
campo até a troca de camisetas, incluindo (O Estado de S. Paulo, 04/06/94, A 3)
o minuto de silêncio. Foi um técnico
de sucesso mas nunca conseguiu uma 7. A formulação de uma série de perguntas
reputação no campo à altura de sua a) intenta destacar as contradições do texto
reputação no vestiário. Falava um jogo e o legal.
time jogava outro. O problema do Tim, b) visa a pôr o leitor em dúvida sobre a
diziam todos, era que seus botões eram exatidão da citação.
mais inteligentes do que seus c) pretende representar as inquietações
infundadas do editorialista.
jogadores.
d) procura chamar a atenção para a injustiça do
(L. F. Veríssimo, O Estado de São Paulo, texto legal.
23/08/93) e) busca desacreditar o argumento
representado pela citação da lei.
5. A tese que o autor defende é a de que,
em futebol, 8. A frase "O possuidor turbado, ou esbulhado,
a) o planejamento tático está sujeito à poderá manter-se, ou restituir-se, por sua
interferência do acaso. própria força, contanto que o faça logo".
b) a lógica rege as jogadas. poderá ser corretamente substituída,
c) a inteligência dos jogadores é que decide SEM que haja alteração das relações lógicas,
por:
o jogo.
a) Assim que o fez, o possuidor turbado, ou
d) os momentos iniciais decidem como esbulhado, pode manter-se, ou restituir-se, por
será o jogo. sua própria força.
e) a dinâmica do jogo depende do b) Podendo manter-se, ou restituir-se, por sua
planejamento que o técnico faz. própria força, o possuidor turbado, ou
esbulhado, fá-lo-á logo.
6. No texto, a comparação do campo com c) Fazendo-o logo, o possuidor turbado, ou
um quadro negro aponta esbulhado, poderá manter-se, ou restituir-se,
a) o pessimismo do tático em relação ao por sua própria força.
futuro do jogo. d) O possuidor turbado, ou esbulhado, poderá
manter-se, ou restituir-se, por sua própria
b) um recurso utilizado no vestiário.
força, mesmo que o faça logo.
c) a visão de jogo como movimento e) O possuidor turbado, ou esbulhado, poderá,
contínuo. manter-se, ou restituir-se, por sua própria
d) o recurso didático preferido pelo técnico força, antes que o façam.
Tim.
e) um meio de pensar o jogo como algo
previsível.