Você está na página 1de 2

Questão 1 - até 100 palavras - 2,0 pontos: O que é Biodiversidade e quais restrições

esse conceito pode aceitar? Explique.


Biodiversidade, ou Diversidade Biológica, compreende a variedade de organismos vivos
de todas origens e o ambiente (ecossistemas e complexos ecológicos). Englobando ainda
a diversidade dentro de espécies, entre as espécies e dos ecossistemas.
O conceito possui restrição de espaço (área geográfica delimitada) e de tempo (período de
tempo especificado), visto que ela varia de acordo com o local e pode aumentar ou
diminuir no decorrer do tempo

Questão 2 - até 100 palavras - 2,0 pontos: Qual a contribuição de Charles Lyell e
Thomas Malthus para a teoria de Charles Darwin?
A Teoria do Uniformitarismo (Lyell) indicava que os processos naturais moldavam a Terra
de forma uniforme e gradual e que o surgimento de novas espécies era um processo
constante durante a história geológica (extinção e substituição), fomentando a ideia de
evolução das espécies.
Malthus discorre sobre o crescimento geométrico da população humana que, segundo
Darwin, implica na luta pela sobrevivência que será renovada a cada instante visto que
todo ser que varia, ainda que pouco, torna-se melhor adaptado à sobrevivência. Assim, o
meio limita o crescimento populacional, selecionando os mais adaptados. Gera-se mais
indivíduos conforme menor a probabilidade de sobreviverem.

Questão 3 - até 200 palavras - 2,0 ponto: Um pesquisador está no campo e encontra
uma espécie que ele desconfia ser nova para a ciência. O que ele deverá fazer para
checar isso? E o que ele deverá fazer no caso de ser realmente uma espécie nova?
Inicialmente é necessário examinar de forma individual, ou conjunta, as diversas
características que definem uma espécie (morfológicas, comportamentais, sons,
genéticas...), o que em muitos casos requererá analises laboratoriais. Se, após essa
análise, o pesquisador acreditar ter encontrado um novo ser vivo, ele precisa verificar se o
organismo já foi ou não catalogado através de dados bibliográficos publicados ou
exemplares disponíveis em coleções de museus de história natural, por exemplo.
Após ser confirmado que é de fato uma espécie nova, é preciso escolher um nome para a
espécie de acordo com as regras da taxonomia binomial, portanto, aninhando-a a algum
gênero. E, por fim, publicar uma descrição detalhada, especialmente das características
que a distinguem de outras espécies.

Questão 4 - até 50 palavras por item - 0,5 ponto por item com explicação
correta: Indique para cada frase se ela é verdadeira ou falsa. Explique as verdadeiras e
corrija as falsas.
a) Seleção natural é a sobrevivência dos mais fortes.
Falso.
A seleção natural é a sobrevivência do mais adaptado ao ambiente, não necessariamente
o mais forte. Engloba variação, reprodução diferenciada e hereditariedade, mas não
produz uma população perfeita (ex: genes deletérios, compensação de características)

b) Homo sapiens é a espécie mais evoluída.


Falso.
Não existe espécie mais evoluída do que outra, sendo apenas diferentes de acordo com a
seleção natural. Todas espécies existentes hoje provaram ser os melhores adaptados às
circunstâncias a que foram submetidos.

c) Lineu propôs a taxonomia binomial que é usada até hoje.


Verdadeira.
Houveram apenas pequenas modificações na proposta de Lineu. O nome da espécie é
sempre formado por dois nomes científicos em latim, devendo ser escrito em itálico e
sublinhado. A primeira palavra é o nome do gênero (letra inicial maiúscula) e a segunda
corresponde ao epíteto específico.

d) O fogo é o mais vivo entre os não vivos.


Falso.
Não há como ser “mais” ou “menos” vivo. O fogo é uma reação química entre combustível
e comburente que libera energia; não possui informação genética, evolução e reprodução.
Segundo Lamarck era o elemento não vivo mais importante na composição dos vivos,
segregado em etéreo e calórico (acidifico ou carbônico).

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
CHARLES, Darwin. A Origem das Espécies. Porto: Lello e Irmãos, 2003. E-book.
DUMAS, Leandro Lourenço. COMO SABER SE ESTAMOS DIANTE DE UMA NOVA
ESPÉCIE DE MARIPOSA?. Ciência Hoje, Rio de Janeiro, 5 ago. 2016. Disponível em:
http://cienciahoje.org.br/artigo/como-saber-se-estamos-diante-de-uma-nova-especie-de-
mariposa/. Acesso em: 16 mar. 2019.
EQUÍVOCOS sobre Seleção Natural. [S. l.], 2016. Disponível em:
http://www.ib.usp.br/evosite/evo101/IIIE6Nonrandom.shtml. Acesso em: 15 mar. 2019.
FREITAS, Leandro. A Teoria Evolutiva de Darwin e o Contexto Histórico. Bioikos,
Campinas, 1998. Disponível em: http://periodicos.puc-
campinas.edu.br/seer/index.php/bioikos/article/download/954/931. Acesso em: 17 mar.
2019.
LOPES, Sonia. BIO. Volume único. – 1. Ed. -São Paulo: Saraiva, 2004.
MARKUS, Regina Pekelmann ; RODRIGUES, Miguel Trefaut. BIODIVERSIDADE
HAVERÁ UM MAPA PARA ESTE TESOURO?. Ciência e Cultura, São Paulo, jul/set
2003. Disponível em: http://cienciaecultura.bvs.br/scielo.php?pid=S0009-
67252003000300015&script=sci_arttext. Acesso em: 16 mar. 2019.
MARTINS, Lilian Al-Chueyr Pereira. Lamarck e evolução: as relações entre o vivo e o não
vivo. Grupo de História e Teoria da Ciência - USP, [S. l.], 2014. Disponível em:
LAMARCK E EVOLUÇÃO: AS RELAÇÕES ENTRE O VIVO E O NÃO VIVO. Acesso em:
16 mar. 2019.
RONAN, Colin A. Historia Ilustrada da Ciencia. Rio de Janeiro: Zahar, 2002.
RUSSO, Claudia Augusta de Moraes. Diversidade dos Seres Vivos. Volume único. – 4.
Ed. – Rio de Janeiro: Fundação Cecierj 2018.
WILSON, Edward O. Diversidade de Vida. São Paulo: Companhia do bolso, 2012.