Você está na página 1de 4

OS EUA NO SÉCULO XIX

1- A ordem política

- Com a independência surgiram os primeiros partidos políticos que expressavam


muito mais grupos de interesses comuns no Congresso. Foram eles:

• republicanos → defendiam um poder central com limites. Apoiavam a fundação da


república como modelo político. Acreditavam na criação de um estado democrático
composto por pequenos proprietários rurais que viveriam dos frutos de seu trabalho.
Alimentavam-se dos ideais greco-latinos, em especial, da democracia ateniense. Contra um
poder central abusivo e autoritário, defendiam o papel preponderante dos estados. Seu
principal líder foi Thomas Jefferson;
• federalistas → originados do grupo conhecido como: "the federalist." Defendiam um
poder central forte garantindo a integração da federação. Em parte, sonhavam com um
regime estável, como a monarquia inglesa. Na prática defendiam uma monarquia sem
Rei.Apoiavam a fundação de um banco com privilégios de um estado, o embrião do Federal
Bank (o Banco Central). Também defendiam um sistema de impostos sob controle da
União. Além disso, conseguiram aprovar na Constituinte, artigos que privilegiavam os
setores mais ricos como, por exemplo, o voto censitário.

- Thomas Jefferson (1801-1809):

• republicano que sucedeu o líder federalista John Adams;


• criação de uma nova capital, Washington, cuja arquitetura lembra a escola ateniense;
• eliminou os vícios aristocráticos da Constituição norte-americana;
• iniciou a expansão do país com a compra da Louisiana, à França, por 15 milhões de
dólares em 1803;
• a aproximação com os federalistas e o apoio ao seu governo resultaram na extinção dos
dois partidos.

- Segunda Guerra de Independência (1812-1815):

• laços econômicos entre os EEUU e a França napoleônica descumprindo o bloqueio


marítimo inglês;
• incapacidade do poder central em garantir o território (ocupação militar inglesa, incêndio
de Washington pelos ingleses) fortaleceu a defesa da permanente manutenção de armas e
treino militar para os cidadãos.

- Democratas: surgiram como expressão do avanço para o Oeste- em 1850, o Oeste


possuía cerca de 3 milhões de habitantes -, em sua maioria homens livres. Caracterizou-se
pela defesa do sufrágio universal masculino fruto da sua própria representação composta,
em sua maioria, por pequenos e médios proprietários rurais oriundos da imigração. A
eleição do general Andrew Jackson (1828-1837) - que derrotou os ingleses em Nova
Orléans na Segunda Guerra de Independência -, marcou a influência nacional dos
democratas. Entre suas realizações, destacam-se o combate aos privilégios do Banco
Nacional, a delegação da administração aos que haviam obtido vitórias eleitorais, abrindo a
participação da sociedade nas ações governamentais.

2- A conquista do Oeste

- Estatuto do Noroeste (1787): territórios com 5.000 homens adultos poderiam ter
governo próprio, embora sem representação no governo central. Com 60.000, o território
tornar-se-ia estado membro da União com plenos direitos. Tal política favorecia o avanço
do trabalho livre em detrimento do escravo.

- Expansão:

• ingresso de imigrantes - irlandeses, alemães, italianos - garantiu o processo de ocupação


do Oeste;
• abertura das terras para a ocupação por parte dos imigrantes estimulou a ida ao Oeste;
• integrou o Oeste ao Leste mediante dois processos → ligação ferroviária e criação do
canal Erie que ligava os rios Mississipe e Ohio com Nova York.

3- Guerras contra o México e Indígenas

3.1- Guerra contra o México

- Por volta de 1825, o governo mexicano liberou o território do Texas para colonos
norte-americanos. O baixo preço da terra, cerca de 12 cents contra 1 dólar no EUA,
estimulou o ingresso de 20.000 colonos.

- Esses colonos utilizavam trabalhadores escravos. A abolição da escravidão no


México, em 1829, provocou a revolta dos colonos norte-americanos, que derrotaram o
exército mexicano com o apoio discreto do governo dos EUA.

- A rebelião culminou com a fundação, em 1836, da República da Estrela Solitária.


Em 1845, o Texas foi admitido como integrante dos EEUU.

- No mesmo ano, tropas norte-americanas invadiram o México objetivando a


conquista das férteis terras da Califórnia, além do acesso ao Pacífico.

- A guerra mostrou a fragilidade das tropas mexicanas e resultou no Tratado de


Guadalupe-Hidalgo (1848) que cedeu a Califórnia, Arizona e Novo México para os EUA.

3.2- As guerras indígenas

- Com a descoberta de ouro na Califórnia (1850) ocorreu um massivo deslocamento


populacional para esta região. Tal fato implicou aumento na produção de gêneros
alimentícios e na criação de gado.

- A decadência da mineração tornou a criação de gado uma alternativa econômica


para os antigos mineradores. No entanto, o búfalo (bisão) disputava com o gado os pastos
naturais da região das planícies. Visando garantir seus pastos, os criadores criaram grupos
de caçadores para exterminar o búfalo das planícies.

- A caça ao búfalo afetou a população indígena em sua dieta alimentar pois era a sua
principal fonte de alimento. Com suas terras ocupadas pelos brancos e sem sua caça, os
índios definhavam com elevados índices de mortalidade infantil. Lutar contra o invasor
branco foi sua última tentativa de sobrevivência.

- A ausência de maiores armamentos e de estratégias eficazes de combate resultou no


massacre das comunidades indígenas que acabavam confinadas em reservas administradas
pelo governo onde a fome e a miséria eram constantes.

4- A Guerra Civil (1861-1865)

4.1- Antecedentes

- Diferenças entre os projetos econômicos do Norte e do Sul se acentuaram com a


expansão para o oeste e impediam a consolidação de estruturas capitalistas no país.

- Compromisso de Missouri (1820): paralelo 36° 30' dividia o país. Ao sul do


paralelo, território escravista; ao norte, não-escravista.

- O ingresso da Califórnia na União quebrou o Compromisso. Ela só aceitava


ingressar se pudesse se assumir como não-escravista mesmo estando ao sul do paralelo.

- Em 1850 foi acertado o Compromisso de Clay que transferiu para os parlamentos


estaduais a manutenção ou não da escravidão. Além disso, ficou acertado que os estados
não-escravistas devolveriam os escravos fugitivos do sul para os respectivos proprietários
rompendo com uma política adotada por grupos abolicionistas de facilitar a fuga visando a
obtenção da liberdade no Norte.

- A eleição de Abraham Lincoln em 1860 ampliou as tensões no país. Ao defender a


abolição levou os estados sulistas a iniciarem processo de secessão diante da União - o
primeiro estado a abandonar a União foi a Carolina do Sul, em 20/12/1860. A pressão do
governo Lincoln para evitar a secessão resultou no conflito militar.

4.2- A guerra

- Sul: inicialmente conseguiu manter suas tropas abastecidas e armadas em virtude do


contato comercial com a Inglaterra e do apoio da população sulista (serviço militar
obrigatório foi instituído em 1862, mobilização de homens jovens e velhos para o combate,
maior disposição de combate de seus soldados, etc.).

- Entretanto, as limitações impostas pelo bloqueio naval nortista dificultaram a


importação de armas e de matéria-prima que abasteceria o exército sulista. Além disso, o
peso industrial do Norte passou a fazer a diferença numa guerra de longa duração. Some-se
ao contexto, a estratégia adotada por Ulisses Grant quando assumiu o comando das tropas
do Norte: destruição de todas as fontes de recursos econômicos do Sul, não aceitação de
qualquer troca de prisioneiros reduzindo a disponibilidade de soldados para os sulistas e
reforço do bloqueio aos portos sulistas isolando a região do comércio externo.

- Após a guerra o Norte iniciou a recuperação do Sul mediante a concessão de


créditos. Na prática, incorporou-se a economia sulista ao capitalismo nortista. Apesar da
reconstrução sobrevive a desconfiança entre sulistas e nortistas ainda hoje.

4.3- A situação do negro

- A abolição da escravidão foi votada em 1863. Entretanto inexistiu uma efetiva


política de integração social, o que resultou na marginalização da população de escravos
libertos. Desemprego, subemprego, baixos salários, exclusão educacional e racismo
marcaram o cotidiano da população negra no Sul.

- A extensão do voto aos ex-escravos ocorreu em 1896. Após a década de 50 no


século XX iniciou processo de luta da população negra contra a discriminação (leis
segregacionistas, limites ao acesso de escolas e universidades, defesa de políticas de cotas
raciais,etc.). O movimento dos direitos civis liderados por Martin Luther King foi a
expressão da luta destes setores sociais nos EEUU.