Você está na página 1de 18

0

Assane Manuel Saide


Atumane Manuel Rocha
Amade Namicano
Chucuro Abdala
Laura Arnaldo Atanásio Fora

Energia Solar

Universidade Pedagógica
Nampula
2019
1

Assane Manuel Saide

Atumane Manuel Rocha

Amade Namicano

Chucuro Abdala

Laura Arnaldo Atanásio Fora

Energia Solar

Trabalho de carácter avaliativo, da Cadeira de


Recursos Energéticos, a ser apresentado ao
departamento de Ciências de Terra e Ambiente,
como requisito de avaliação parcial, para
obtenção de grau de licenciatura.

Docente:

Universidade Pedagógica

Nampula

2019
2

Índice
Introdução ......................................................................................................................................................... 3
Objetivos............................................................................................................................................................ 3
1.0. Conceitos ............................................................................................................................................... 4
1.1. Energia Solar ............................................................................................................................................. 4
1.2. Histórico Sobre a Energia Solar ............................................................................................................... 4
1.3. Relação da Energia Solar com a Geologia ............................................................................................... 5
2.0. Tipos de Aproveitamento da Energia Solar ....................................................................................... 5
2.1.Arquitetura Bioclimática ........................................................................................................................... 5
2.2. Energia Solar Térmica .............................................................................................................................. 5
2.2.1. Geração nas Usinas Heliotermicas ........................................................................................................ 6
2.3. Energia Solar Fotovoltaica ....................................................................................................................... 7
2.3.1. Sistemas fotovoltaicos ....................................................................................................................... 8
Classificação dos sistemas fotovoltaicos ............................................................................................................ 8
2.3.1.1. Sistemas Isolados .......................................................................................................................... 8
2.3.1.2. Sistemas Híbridos ......................................................................................................................... 8
2.3.1.3. Sistemas Autônomos (Puros) ....................................................................................................... 8
2.3.1.4. Sistemas Autônomos Sem Armazenamento ............................................................................... 9
Componentes de Um Sistema Fotovoltaico Autônomo ................................................................................. 9
2.3.1.5. Sistemas Conectados à Rede (On-Grid) ..................................................................................... 9
Componentes de Um Sistema Fotovoltaico Conectado À Rede (On-Grid) ............................................... 10
3.0. Energia Solar em Moçambique ......................................................................................................... 11
3.1. Consumo da Energia Solar em Moçambique ................................................................................... 11
4.0. Geração e Uso da Energia Solar no Mundo ..................................................................................... 12
4.1. Uso da energia Solar na Califórnia ................................................................................................... 12
4.1.1. Uso da energia Solar na Alemanha ............................................................................................... 12
4.2. Maiores Usinas Solares do Mundo ......................................................................................................... 13
4.2.1. Solar Star (EUA)................................................................................................................................... 13
4.2.2. Topaz Solar Farm (EUA) ..................................................................................................................... 13
4.2.3. Desert Sunlight Solar Farm (EUA) ..................................................................................................... 14
4.2.3. Longyangxia Hydro-solar (China) ...................................................................................................... 14
4.2.4. Copper Mountain Solar Facility (EUA) ............................................................................................. 14
4.2.5. Agua Caliente Solar Project (EUA) .................................................................................................... 15
Conclusão ........................................................................................................................................................ 16

Referencias Bibliográficas ............................................................................................................................. 17


3

Introdução
Durante o desenvolvimento da nossa sociedade ficou evidente a carência de energia em todos
possíveis locais da convivência humana. Assim, o aumento do custo dos combustíveis fosseis e a
preocupação com o meio ambiente provocaram um avanço considerável no sector de geração de
energia de recursos renováveis não como fontes de energia alternativa, mas como fontes de energia
primárias, cujas principais representantes são:
 Energia Hidrelétrica;
 Biomassa;
 Energia Eólica;
 Energia Solar.
Importa referir que todas essas formas de energia derivam da energia solar. É através da energia do sol
que altera o estado físico da água, fazendo com que essa migre e possa ser represada e aproveitada nas
usinas hidrelétricas. O aquecimento das massas de ar provoca os ventos, que são aproveitados nos
aerogeradores dos parques eólicos É a energia solar, absorvida na fotossíntese, que dá vida às plantas
utilizadas como fonte de energia de biomassa. As formas de energia renovável mencionadas acima são
as que se renovam a cada dia, permitindo um desenvolvimento sustentável da vida e sociedade
humana.
Objetivos
É objetivo do presente trabalho em abordagem, caracterizar a energia solar procurando entender as
seguintes questões científicas: oque, onde, como, quando e por quê? De forma a compreender esta
forma de energia. Em sua abordagem, irá se descrever as várias técnicas de geração de energia
eléctrica a partir da energia solar dos quais se refere os sistemas Arquitetura Bioclimáica; Efeito
Fototérmico; Efeito Fotovoltaico; sua relação com a geologia; vantagem e desvantagens; locais
potenciais em Moçambique para implantação de projectos de produção de energia eléctrica através da
energia solar.
4

1.0.Conceitos
1.1. Energia Solar
Considera-se Energia Solar todo tipo de captação de energia luminosa, energia térmica (e suas
combinações) proveniente do sol, e posterior transformação dessa energia captada em alguma forma
utilizável pelo homem, seja diretamente para aquecimento de água ou ainda como energia elétrica ou
energia térmica. Para QUELHAS (2008) é a Energia obtida da através da conversão directa da luz em:
Electrecidade e aquecimento de água. No sol, é a fusão atómica responsável pela liberação dessa
energia – um gigantesco processo termonuclear que converte cerca de 650 milhões de hidrogénios em
Hélio cada segundo. Na terra a energia solar é a origem do ciclo de água, do vento e da fotossíntese do
reino vegetal, do qual depende o reino animal através das cadeias alimentares (DIENSTMANN,
2009).
1.2. Histórico Sobre a Energia Solar
A adoração ao sol pode ser reconhecida nos limites iniciais da história da humanidade. Astecas na
América, os aborígenes da Oceânia, os celtas da Europa, os povos da China e do antigo Egito
praticamente todos os povos agrários adoravam o sol.
Gregos e romanos utilizaram aquilo que hoje chamamos de uso passivo do sol — o uso da arquitetura
para aproveitar a luz e o calor solar no aquecimento de ambientes interiores. O grego Sócrates
escreveu, “em casas que possuem sua face para o sul, o sol de inverno penetra no pórtico”. Romanos
avançaram na técnica, utilizando vidros nas fachadas voltadas ao sul para guardar o calor do sol de
inverno. Assim, a quantidade de madeira queimada para aquecimento diminuía. O uso passivo do sol
continua sendo a maneira mais econômica de se usá-la.
Auguste Mouchot, matemático francês, questionou o pensamento amplamente difundido na Revolução
Industrial do século IX de que os combustíveis fósseis nunca acabariam. “Um dia, as indústrias não
vão mais achar dentro da Europa os recursos para satisfazer sua prodígia expansão. O carvão, sem
dúvida, vai acabar. O que a indústria vai fazer então?”, Perguntou Mouchot, que em 1861 inventou
uma máquina à vapor impulsionada unicamente pelo sol. Mas o baixo custo do carvão inglês
condenou sua cara invenção.
Ao longo de muitos anos, a evolução na tecnologia de uso direto do sol como fonte de energia foi
relativamente lenta. Em 1921, Albert Einstein ganhava o Nobel de Física por sua pesquisa no efeito
fotoelétrico, o fenômeno básico da geração de energia por painéis fotovoltáicos. Cinquenta anos antes,
William Grylls Adams descobria que o selênio produzia eletricidade quando exposto à luz, fato
demonstrado pelo alemão Heinrich Hertz em 1887. Data de 1953 a primeira célula solar de capaz de
produzir uma corrente mensurável, pela Bell Laboratories, nos Estados Unidos.
Em 1973, com o embargo das nações árabes no fornecimento de petróleo, a explosão do custo do
produto demonstrou o quanto a sociedade moderna dependia de combustíveis fósseis. O investimento
na tecnologia solar foi massivo, mas a queda do preço do petróleo impediu que tecnologias solares se
tornassem competitivas.
5

O novo aumento do custo do petróleo depois de 2001 e a consciência ecológica do uso de fontes
renováveis de energia provocaram um aumento expressivo da indústria solar no Japão e na Alemanha.
A economia de escala ressuscita, assim, a atenção global na energia solar.
1.3. Relação da Energia Solar com a Geologia
Quando a luz solar irradia diretamente sobre as camadas rochosas, com uma intensidade acentuada
alteras suas propriedades físicas. Durante esse processo os materiais constituintes da rocha tendem a
dilatar-se, quebrando a ligações que condicionam a resistência do material e, consequentemente
ocasionam-se fracturas.
2.0.Tipos de Aproveitamento da Energia Solar
A fonte de energia que mantém qualquer ecossistema é o sol. Assim, a energia luminosa proveniente
do sol é captada e metabolizada pelos produtores, que na sua maioria são seres fotossintetizantes,
portanto os autotróficos.
A energia solar que chega à Terra e um ano é muito maior que o consumo humano de energia no
mesmo período. Infelizmente todo esse potencial não é aproveitado. O aproveitamento artificial da
energia solar pode ser feito de três modos:
 Arquitetura Bioclimática;
 Efeito Fototérmico;
 Efeito Fotovoltaico

2.1.Arquitetura Bioclimática
A arquitetura bioclimática consiste em formas de aproveitamento da luz natural do sol, do calor ou
evitando-o através de formas de integração arquitetónica às condições locais. Para aproveitar
corretamente as condições naturais, a edificação devem ser planejadas cuidadosamente, o que pode
significar um alto rendimento no aproveitamento da energia natural do sol, economizando outras
formas de energia mais sofisticadas. Temos como exemplo, os sistemas que aproveitam melhor a luz
natural durante o dia, economizando eletricidade.
2.2. Energia Solar Térmica
O efeito fototérmico consiste na captação da Irradiação Solar e conversão direta em calor. É o que
ocorre com os Sistemas de Aquecimento Solar que utilizam os Coletores Solares como dispositivo de
captação energética.
Os Sistemas de Aquecimento Solar estão difundidos no Brasil, principalmente devido à sua
tecnologia mais simples e aos bons preços. São óptimos complementos aos sistemas fotovoltaicos,
pois fornecem de maneira eficaz e barata, a energia necessária ao aquecimento da água para uso
sanitário, aquecimento de piscinas e climatização ambiente.
6

Figura 1 - Sistema de aquecimento solar


2.2.1. Geração nas Usinas Heliotermicas
Energia heliotérmica ou energia solar térmica concentrada é uma tecnologia de geração de energia
elétrica que transforma a irradiação solar directa em energia térmica e subsequentemente em energia
elétrica. Através da concentração dos raios solares diretos, temperaturas acima de 1000°C podem ser
atingidos.

Figura 2. Sistema de geração de Usinas Heliotermicas


7

Nas usinas heliotérmicas, a produção de eletricidade acontece em dois passos:


1. Primeiro: os raios solares concentrados aquecem um receptor;
2. Segundo: depois, este calor (350ºC - 1000ºC) é usado para iniciar o processo
convencional da geração de energia elétrica por meio da movimentação de uma turbina.
Uma usina solar térmica concentrada consiste em duas partes:
1. o coletor térmico e o ciclo de potência. Espelhos de configurações variadas servem para
concentrar os raios solares; no foco dos espelhos circula um fluído de trabalho que é
aquecido com o calor da concentração.
2. No ciclo de potência acontece a expansão desse fluído de trabalho ou fluído térmico que
podem ser sais fundidos (nitrato de sódio e nitrato de potássio), óleos térmicos, etc.

2.3. Energia Solar Fotovoltaica


O efeito fotovoltaico, observado por Edmond Bequerel em 1839, consiste no aparecimento de
uma diferença de potencial nos extremos de um semicondutor, quando esse absorve a luz visível.
São incontestáveis as vantagens da energia solar fotovoltaica:
 A matéria-prima é inesgotável;
 Não há emissão de poluentes durante a geração da eletricidade;
 Os sistemas podem ser instalados em todo o globo.
Infelizmente a energia solar fotovoltaica tem suas deficiências:
 A densidade (o luxo de potencial que chega à superfície terrestre) é pequeno (<1 kW/m²),
se comparado às fontes fósseis;
 A energia solar disponível em uma localidade vária sazonalmente, além de ser afetada
pelas condições climatológicas;
 Os equipamentos de captação e conversão requerem investimentos financeiros iniciais
mais elevados que os sistemas convencionais.
O baixo luxo de potencial solar requer grande área captadora, para obter maiores potências. A
variabilidade da Irradiação Solar implica no uso de sistemas de armazenamento, que são, em
geral, pouco deficientes. Já o alto investimento inicial, leva a considerar a viabilidade econômica
de um projeto, tendo em conta sua vida útil e todas as vantagens da utilização dessa forma de
energia.
8

2.3.1. Sistemas fotovoltaicos


Um sistema fotovoltaico é uma fonte de potência elétrica, na qual as células fotovoltaicas
transformam a Radiação Solar diretamente em energia elétrica.
Os sistemas fotovoltaicos podem ser implantados em qualquer localidade que tenha radiação
solar suficiente. Sistemas fotovoltaicos não utilizam combustíveis, não possuem partes móveis, e
por serem dispositivos de estado sólido, requerem menor manutenção. Durante o seu
funcionamento não produzem ruído acústico ou eletromagnético, e tampouco emitem gases
tóxicos ou outro tipo de poluição ambiental.
A confiabilidade dos sistemas fotovoltaicos é tão alta, que são utilizados em locais inóspitos
como: espaço, desertos, selvas, regiões remotas, etc.
Classificação dos sistemas fotovoltaicos
Os sistemas fotovoltaicos são classificados de acordo à forma como é feita a geração ou entrega
da energia elétrica em:
 Sistemas Isolados;
 Sistemas conectados à rede (On-Grid)
2.3.1.1.Sistemas Isolados
Um Sistema Fotovoltaico Isolado é aquele que não tem contato com a rede de distribuição de
eletricidade das concessionárias. Os sistemas isolados podem ser classificados em Híbridos ou
Autônomos (Puros). Os sistemas autônomos podem ser com, ou sem armazenamento elétrico.
2.3.1.2.Sistemas Híbridos
Um sistema fotovoltaico híbrido trabalha em conjunto com outro sistema de geração elétrica, que
pode ser um aerogerador (no caso de um sistema híbrido solar-eólico), um moto-gerador a
combustível líquido (ex.: diesel), ou qualquer outro sistema de geração elétrica.
Um sistema híbrido pode ou não possuir sistema de armazenamento de energia. Quando possui,
geralmente o sistema de armazenamento tem autonomia menor ou igual a um dia.
2.3.1.3.Sistemas Autônomos (Puros)
Um sistema fotovoltaico puro é aquele que não possui outra forma de geração de eletricidade.
Devido ao fato de o sistema só gerar eletricidade nas horas de sol, os sistemas autônomos são
dotados de acumuladores que armazenam a energia para os períodos sem sol, o que acontece
todas as noites, e também nos períodos chuvosos ou nublados. Os acumuladores são
9

dimensionados de acordo à autonomia que o sistema deve ter, e essa varia de acordo às
condições climatológicas da localidade onde será implantado o sistema fotovoltaico.
2.3.1.4.Sistemas Autônomos Sem Armazenamento
São sistemas que funcionam somente durante as horas de sol. Temos como exemplo os sistemas
de bombeamento de água. As características das bombas são calculadas levando em
consideração a necessidade água e o potencial Solar da localidade. O painel fotovoltaico é
dimensionado para fornecer potencial para a bomba. Apesar de, geralmente, não utilizarem
sistemas de armazenamento elétrico, o armazenamento energético é feito na forma de água no
reservatório.
Componentes de Um Sistema Fotovoltaico Autônomo
Um sistema fotovoltaico residencial autônomo, geralmente, possui os seguintes components:

1 – Painel fotovoltaico;
2 – Controlador de
Carga/Descarga das baterias;
3 – Banco de baterias;
4 – Inversor autônomo, para
cargas em CA;
5 – Cargas CC ou CA;

Figura 3. Componentes de um sistema fotovoltaico autônomo


2.3.1.5.Sistemas Conectados à Rede (On-Grid)
Os sistemas fotovoltaicos conectados à rede fornecem energia para as redes de distribuição. Todo
o potencial gerado é rapidamente escoado para a rede, que age como uma carga, absorvendo a
energia.
Os sistemas conectados à rede, também chamados de on-grid, geralmente não utilizam sistemas
de armazenamento de energia, e por isso são mais eficientes que os sistemas autônomos, além
de, geralmente, serem mais baratos. Os sistemas On-Grid dependem de regulamentação e
10

legislação favorável, pois usam a rede de Distribuição das concessionárias para o escoamento da
energia gerada.

Figura 4. Os sistemas conectados à rede


1. Módulos Fotovoltaicos
2. Inversor Grid-Tie –Transforma a corrente contínua do painel em corrente alternada de
127 V/220V e 60Hz, compatível com a eletricidade da rede.
3. Interruptor de Segurança.
4. Quadro de Luz - distribui energia para casa.
5. A eletricidade alimenta os utensílios e eletrodomésticos
6. O excedente volta para a rede elétrica através do medidor fazendo-o rodar ao contrário,
reduzindo a tarifa de energia elétrica.
Componentes de Um Sistema Fotovoltaico Conectado À Rede (On-Grid)
Um sistema fotovoltaico conectado à rede, geralmente, possui os seguintes componentes

1. Painel fotovoltaico;
2. Caixa de Junção do painel
fotovoltaico;
3. Cabeamento;
4. Inversor Grid-Tie;
5. Medidor (es) de energia;

Figura 7 - Componentes de um sistema fotovoltaico on-grid


11

3.0. Energia Solar em Moçambique


A energia solar é o principal recurso renovável de Moçambique. A irradiação global no país
varia entre 1.785 e 2.206 kWh/m2/ ano, o que se traduz num potencial estimado em 23.000 GW.
Este recurso é bastante abundante e consistente em grande parte do país, com as Províncias de
Tete, Niassa, Nampula, Cabo Delgado e Zambézia a serem as que apresentam maior irradiação
(FUNAE-ATLAS, 2017).
3.1.Consumo da Energia Solar em Moçambique
A energia solar é empregada em diversos sectores, tendo como foco a electrificação dos hospitais
e escolas, nas zonas rurais. Não obstante, nas ligações de sistemas de telecomunicações, sistemas
de bombeamento de água e na utilização para aquecimento de água. Tem-se como exemplos,
concretos, a electrificação da Escola e Centro de Saúde em Chipindaumue no distrito de Gondola
e uma Escola em Honde no distrito de Barúè (2005 financiamento do DED) serviço alemão para
desenvolvimento técnico. Electrificação em Mavonde (Manica), Mungari (Guro) com recurso a
sistema fotovoltáico tendo beneficiado 131 pessoas, sendo 65 em Mungari e 66 em Mavonde
(QUELHAS, 2008).
Partindo do princípio de que a energia solar é uma energia renovável, de acordo com a politica
energética de 03 de Março de 1998 (I serie - numero 8), o Governo Moçambicano promove a sua
utilização uma vez que, em geral, esta representa a solução economicamente mais viável no meio
rural e em zonas remotas, adequando-se perfeitamente ao contexto disperso em que as
populações vivem.

Figura 5. Locais Potenciais para a Instalação de Usinas de Energia Solar em Moçambique


12

4.0. Geração e Uso da Energia Solar no Mundo


Sabe-se que a fonte solar possui o maior potencial de geração de todas as outras fontes juntas,
renováveis ou não. Só para se ter uma ideia, a radiação solar que atinge a terra em um dia seria
capaz de alimentar nosso consumo elétrico por um ano inteiro. Por esse e outros motivos é que a
grande maioria dos países do mundo inteiro estão apostando cada vez mais no uso da energia
solar, visando assim suprir as suas demandas energéticas com uma fonte limpa e renovável.
Países como Estados Unidos e China estão liderando a geração de energia solar no mundo.
Além desses países, podemos citar a Alemanha, cuja meta é suprir 100% do consumo energético
por meio de fontes renováveis até o ano de 2050.
4.1.Uso da energia Solar na Califórnia
Os Estados Unidos, juntamente com a China, são atualmente os líderes na geração de energia
solar no mundo. Devido a “corrida solar” existente entre eles, os investimentos feitos por esses
países no ano passado foram os grandes responsáveis pelo aumento de 50% na capacidade
mundial instalada da tecnologia. Dentre os estados americanos, podemos citar a Califórnia como
o pináculo da geração e uso da energia Solar, possuindo quase a metade de toda capacidade solar
instalada do país.
De acordo com o US Energy Information Administration (EIA, ou Administração de Informação
de Energia dos EUA,).A Califórnia gerou tanta energia através da luz do sol que ela acabou
abastecendo, por algumas horas desse dia, mais da metade do consumo elétrico de seus 39
milhões de habitantes, essa energia veio não somente das grandes usinas solares instaladas no
estado, mas também dos próprios painéis instalados nas casas dos consumidores. A EIA estima
que, durante as horas de pico de geração desse dia, 4 milhões de kWh (quilowatt-hora) foram
gerados, um avanço e tanto para um estado que, apenas 15 anos atrás, não produzia quase
nenhuma energia solar.
4.1.1. Uso da energia Solar na Alemanha
O mesmo excesso de geração de energia limpa aconteceu na Alemanha, ensolarado e de bons
ventos fez com que a geração elétrica por fontes renováveis (Solar, eólica, biomassa e
hidrelétrica) abastecesse cerca de 87% do consumo elétrico do país, quase 55 GW dos 63 GW.
13

4.2. Maiores Usinas Solares do Mundo


4.2.1. Solar Star (EUA)
Com uma capacidade produtiva de 579 megawatts, a Solar Star é a maior usina solar do mundo.
Localizada em Rosamond, na Califórnia, as obras da estação de energia fotovoltaica foram
concluídas em junho de 2015 — são cerca de 1,7 milhão de painéis solares distribuídos em um
espaço de 3200 acres.

Fonte: http://www.ecotechtube.com/flashes/detail/39/the-largest-solar-plant-on-earth
4.2.2. Topaz Solar Farm (EUA)
A partir de um projeto de 2,5 bilhões de dólares, a Topaz Solar Farm foi construída em San Luis
Obispo, na Califórnia, em um terreno de 640 acres. A construção teve início em 2011 e foi
completada em 2014, com um conjunto de 9 milhões de painéis fotovoltaicos que produzem
energia suficiente para abastecer cerca de 160 mil residências nos Estados Unidos: são 550
megawatts de potência. A estação energética poupa a emissão de 377 mil toneladas anuais de gás
carbônico.

Fonte:http://www.dailymail.co.uk/sciencetech/article-2853208/Watch-world-s-largest-solar
14

4.2.3. Desert Sunlight Solar Farm (EUA)


Mais uma grande usina californiana! Desde o primeiro semestre de 2015, a Desert Sunlight Solar Farm
tem, assim como a Topaz Solar, uma potência de 550 megawatts. A diferença é que esta, localizada no
Deserto Central da Califórnia, utiliza uma área menor para produzir a mesma quantidade de energia, o
que torna sua produção energética ainda mais sustentável: são 16 quilômetros quadrados. O projeto foi
desenvolvido a partir de um investimento de 1,46 bilhão de dólares.

Fonte: https://energyvulture.com/tag/desert-sunlight-solar-farm/
4.2.3. Longyangxia Hydro-solar (China)
Com capacidade de 480 megawatts, a usina e represa Longyangxia é a maior estação de
produção de energia com tecnologia mista hidro-solar em todo o mundo. Localizada na província
chinesa de Qinghai, a planta foi desenhada e construída pela Powerchina em uma área de 9,16
quilômetros quadrados.

4.2.4. Copper Mountain Solar Facility (EUA)


Com um projeto de quatro fases, a Copper Mountain Solar Facility, localizada em Nevada, vai
chegar a 552 megawatts de potência quando estiver concluída.
Hoje, com o terceiro estágio da construção concluído em 2015, a potência da planta é de 458
megawatts. Em 2010, quando a fase foi concluída, a estação era a maior dos EUA com apenas 58
megawatts, demonstrando o crescimento da produção de energia solar no país.
15

Fonte: http://en.clemessy.com/our-projects/current-projects/cestas-solar-power-plant/

4.2.5. Agua Caliente Solar Project (EUA)


Três tipos de painéis solares de capa fina, cada um com capacidade entre 75 e 77 watts,
produzem os 290 megawatts de energia da Agua Caliente Solar Project, usina localizada em
Yuma, no Arizona. Administrada pela NRG Energy e com distribuição de energia pela Pacific
Gas & Electric, a estação recebeu em fevereiro de 2012 o título de projeto do ano na premiação
The Excellence in Renewable Energy Awards.

http://www.powermag.com/agua-caliente-solar-project-yuma-county-arizona/
16

Conclusão
A energia solar é tida como a fonte de todas energias existentes no planeta; visto que é a partir da
energia do Sol que se dá a evaporação, origem do ciclo das águas, que possibilita o represamento
e a consequente geração de eletricidade (hidroeletricidade). A radiação solar também induz a
circulação atmosférica em larga escala, causando os ventos. Petróleo, carvão e gás natural foram
gerados a partir de resíduos de plantas e animais que, originalmente, obtiveram a energia
necessária ao seu desenvolvimento, da radiação solar.
Dai surge a sua relação com a geologia à quando dos processos fotossintéticos sobretudo quando
se fala da maturação orgânica e também o ciclo de carbono.
Todavia, considerada fonte de energia limpa, pois ela não emite gases que criam o efeito de
estufa tal como o carvão, petróleos e outros e apresenta enumeras vantagens.
A energia solar é empregada em diversos sectores, tendo como foco a electrificação dos hospitais
e escolas, nas zonas rurais é por via disso que o sector energético (FUNAE) moçambicano tem
valorizado os recursos energéticos renováveis como o caso da energia solar criando politicas
motivacionais de implantação de projectos de produção de energia eléctrica através de sistemas
fotovoltaicos para atender as necessidades da população localizada em zonas rurais onde a rede
de distribuição da corrente eléctrica nacional é quase inexistente.
17

Referencias Bibliográficas
QUELHAS, J. Fernandes. Tipos de Energia, vantagens e desvantagens, Direcao Provincial dos
Recursos Minerais de Manica, Chimoio, 2008.
CERAGIOLI, Paulo César. Manual de Energia Solar Fotovoltaica. Disponível em:
htp://rf.com.br/sites/rf.com.br/iles/docs/SolarMan97.pdf. 1997.
GREENPRO. Energia Fotovoltaica- Manual de Tecnologias, Projecto e Instalação. Dis-ponível
em: htp:// greenpro.de/po/fotovoltaico.pdf. 2004.

www.fem.unicamp.br& pt.wikipedia.org/wiki/Energia-solar

FUNAE. 2016. Comunicação por email com Isália Dimene. 14 de Junho de 2016. Maputo
FUNAE. 2017. Comunicação por email com Jornal Rodrigues. 19 de Maio de 2017. Maputo
FUNAE. 2017. Comunicação por email com Isália Dimene, António Saide, Filipe Mondlane,
Jornal Rodrigues, Constantino Cachela, Edson Uamusse e Aires Saete. 13 de Setembro de 2017.
Maputo