Você está na página 1de 49

QUÍMICA mais abundante, em massa, é o oxigênio.

O sal mais
abundante dissolvido na água é o cloreto de sódio (NaCl). Em
LIVRO 3 termos de massa, o cloro é mais abundante que o sódio.
Depois do sódio, o magnésio é o metal mais abundante nos
Química Geral e Inorgânica oceanos. Portanto:
O > H > Cl > Na > Mg
Capítulo 1 – Química Descritiva Resposta: A

18) 2 H2 (g) + O2 (g) Æ 2 H2O (l) + energia


3) No ar atmosférico, encontramos, em ordem decrescente de CO2 e N2 são extintores de incêndio enquanto CH4 é com-
abundância: bustível.
N2 > O2 > Ar Resposta: B
Resposta: D
19) O oxigênio é produzido, industrialmente, pela destilação
4) Pelo aumento da poluição (queima de combustíveis fósseis). fracionada do ar liquefeito.
Resposta: E Resposta: A

5) (1) Verdadeiro. 20) a) 2 KBrO3 ææÆ 2 KBr + 3 O2


D
Manipulando o aparelho de forma a deixá-lo com gases que Gás oxigênio
existiam na atmosfera primitiva, obtiveram-se compostos b) Não, pois é impossível um material qualquer não ser
orgânicos complexos. composto por elementos químicos.
(2) Falso.
A teoria da geração espontânea diz que seres vivos com- 22) As três etapas que faltam no esquema de tratamento da água
plexos, como insetos e ratos, nascem de um amontoado são:
de matéria bruta num processo rápido. A etapa A representa uma filtração grosseira, pois retira
(3) Falso. sólidos suspensos na água.
O processo descrito é químico. A etapa C representa uma decantação, pois está ocorrendo a
sedimentação dos sólidos devido à reação entre Al2(SO4)3 e
7) A terra e o ar são misturas, a água é uma substância composta CaO na etapa B.
e o fogo é forma de energia. Água potável é mistura. A etapa E representa uma cloração, pois a última etapa
Corretos: 02, 04, 08, 16, 32 (Soma: 62) representa uma fluoretação.
Resposta: A
8) O metal mais abundante na crosta terrestre é o alumínio.
O > Si > Al 23) Floculação: reação do Al2(SO4)3 com base formando um
Resposta: A composto gelatinoso.
Desinfecção: formação do hipoclorito, que é um poderoso
9) Bauxita: Al2O3 . 2H2O germicida.
Magnetita: Fe3O4 Filtração, peneiração, decantação e aeração são processos
Pirolusita: MnO2 mecânicos.
Hematita: Fe2O3 Resposta: C

Resposta: B
24) Água dura é água natural relativamente rica em sais de cálcio
e magnésio.
10) Sódio e cloro, pois há na água do mar grande quantidade de
Resposta: A
NaCl dissolvida.
Resposta: B
26) Mármore Æ CaCO3
Ácido muriático Æ HCl
11) De acordo com a tabela de abundância, descrita pela geologia.
Gás incolor Æ CO2
O > Si > Al
CaCO3 (s) + 2 HCl (aq) Æ H2CO3 (aq) + CaCl2 (s)
Resposta: C

12) A substância mais abundante nos oceanos é a água (H2O). Em H2O (l) + CO2 (g)
número de átomos, o elemento mais abundante é o hidrogê- Resposta: B
nio. Mas, como a massa atômica do oxigênio (16 u) é 16 vezes
maior que a massa atômica do hidrogênio (1 u), o elemento

–1
ææÆ Br– (aq) + BrO– (aq) + 2 H+ (aq)
27) Br2 (aq) + H2O (l) ¨ææ 40) H2S2O7 + H2O Æ 2 H2SO4
Ø
Reação semelhante ao gás cloro.
O O
Resposta: E HO ↑OH– O HO ↑
O
S +
H
↑ OH → S
↑ OH
+ + S + S
↑ O ↑ ↓ OH

28) Exemplo: Na Cl , K I– O HO ↓
O O
O
Resposta: C
Resposta: B
Oxidação
29) H2O (l) + Cl2 (g) Æ Cl– (aq) + ClO– (aq) + 2 H+ (aq)

Formação de íons 1– 4+
Resposta: D 41) 4 FeS2 + 11 O2 Æ 2 Fe2O3 + 8 SO2
Resposta: C
30) O v i n a g r e é u m a s o l u ç ã o a q u o s a d e á c i d o a c é t i co
(H3C — COOH). O produto, à base de amoníaco, tem caráter 42) a) Falso.
básico (NH3). Ele aparece na 2.a etapa.
A água sanitária é uma solução contendo um agente oxidante b) Correto.
(NaClO). Ele é o catalisador porque entra e sai na reação sem
1+ Redução alteração.
(ClO) 1– ææææÆ Cl1–
43) Os óxidos de enxofre têm caráter ácido, isto é, reagem com
O lava-louças é uma solução contendo um detergente. água produzindo ácidos.
Resposta: C
(R — SO3– Na+)
Resposta: B 44) A água corrente irá tirar o resíduo de H2SO4 que está no
ferimento e o bicarbonato irá neutralizar a ação corrosiva.
31) (01) Verdadeiro. Resposta: C
Zn (s) + 2 HCl (aq) Æ ZnCl2 (aq) + H2 (g)
(02) Verdadeiro. 48) X = N2, Y = H2, Z = H2SO4
CaCO3 (s) + 2 HCl (aq) Æ CaCl2 (aq) + H2CO3 (aq) Resposta: B

H2O (l) + CO2 (g) 49) HNO3 (aq) + NH3 (aq) Æ NH4NO3 (aq) (nitrato de amônio)
(04) Falso.
O CO2 não é inflamável. H2SO4 (aq) + 2 NH3 (aq) Æ (NH4)2SO4 (aq) (sulfato de amônio)
(08) Falso.
A massa molecular de H2 é diferente de CO2. 50) 1) Correto.
(16) Falso. 2) Falso.
As densidades são diferentes. O ácido nítrico é HNO3.
Soma: (03) 3) Correto.
4) Correto.
33) I) Falsa.
51) Haber-Bosch
O uso de cloro e césio é importante e é preciso que sejam
P, D
usados de maneira correta. N2 (g) + 3 H2 (g) æææææÆ 2 NH3 (g)
Catalisador
II) Correta.
III) Correta. O NH3 obtido pelo processo Haber-Bosch é utilizado no
IV) Correta. processo de obtenção do HNO3 (Ostwald).
Resposta: E Catalisador
4 NH3 (g) + 5 O2 (g) æææææÆ 4 NO (g) + 6 H2O (g)

38) O O2 não é um catalisador porque participa efetivamente da 2 NO (g) + O2 (g) æÆ 2 NO2 (g)
reação. 3 NO2 (g) + H2O (l) æÆ 2 HNO3 (aq) + NO (g)
Resposta: D A reação entre o NH3 e o HNO3
NH3 + HNO3 æÆ NH4NO3
39) 01) Correto.
02) Correto. Resposta: D
04) Correto.
08) Correto. 52) I. Correta.
16) Correto. A solução alcalina reage com o CO2 (óxido ácido) sepa-
32) Falso. rando os gases.
O SO2 é um óxido ácido. II. Correta.
64) Correto. Como são substâncias diferentes contidas no ar, podem ser
Soma: 95 obtidas pelo fato de terem pontos de ebulição diferentes.

2–
III. Correta. 71) (5) O cobre (Cu) é usado em redes elétricas, pois é um bom
Como são substâncias diferentes, possuem pontos de condutor de eletricidade.
liquefação diferentes, podendo, assim, serem obtidas (3) O carbono (C) tem a propriedade de formar cadeias.
dessa forma. (1) O magnésio (Mg) combina-se com oxigênio liberando
Resposta: E energia, principalmente na forma de luz branca intensa:
2Mg + O2 Æ 2MgO + energia.
(2) O alumínio (Al) é obtido por eletrólise da bauxita:
58) Uma das razões para que a extração e o uso do ferro tenham
(Al2O3 . 2H2O).
ocorrido após a do cobre ou estanho é a necessidade de
(4) O elemento oxigênio (O) forma o ozônio (O3), que absorve
temperaturas mais elevadas para sua extração e moldagem. a maior parte da luz ultravioleta (camada de ozônio).
Resposta: B Resposta: E

59) O bronze é uma solução sólida de cobre e estanho. 73) Bronze: Cu + Sn


A liga de bronze é uma mistura homogênea, portanto, trata- Mármore: CaCO3
se de uma solução sólida. Resposta: E
Resposta: A
74) I. Ne
61) Carvão é encontrado em depósitos subterrâneos. O metal II. Cl
ouro é encontrado puro, pois trata-se de metal nobre. III. Cu
Resposta: B IV. Au
Resposta: A
66) Mármore: CaCO3
Vidro: contém Si 77) a) HgS (s) + O2 (g) Æ Hg (l) + SO2 (g)
Aço cromado: Fe + C + Cr b) Ligação iônica, pois ocorre entre metal e ametal.
Resposta: B
78) Ni2S3 (s) + 4 O2 (g) Æ 2 NiO (s) + 3 SO2 (g)
67) Calcário: CaCO3 2 NiO (s) + 2 C (s) Æ 2 Ni (s) + 2 CO (g)
Aço: Fe + C O ––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––
||
Acetona: CH3 — C — CH3 Ni2S3 (s) + 4 O2 (g) + 2 C (s) Æ 2 Ni (s) + 3 SO2 (g) + 2 CO (g)
Resposta: B Resposta: D

68) a) Brilho metálico. 79) Al


b) FeO (s) + CO (g) æÆ Fe (s) + CO2 (g) Fe
72 g ––––––––––––––– 56 g Si
100 g –––––––––––––– x g Na
72 . x = 100 . 56 Ca
Resposta: B
100 . 56
x = –––––––
72
80) Resposta: A
5 600
x = ––––––
72 81) Cl2 (g) + H2O (l) Æ HCl (aq) + HClO (aq)
2 Li (s) + 2 H2O (l) Æ 2 LiOH (aq) + H2 (g)
x = 77,77 g Resposta: B

Fe2O3 (s) + 3 CO (g) æÆ 2 Fe (s) + 3 CO2 (g)


82) a) Falso.
160 g ––––––––––––––––– 112 g
O procedimento de diluição do H2SO4 consiste em adi-
100 g ––––––––––––––––– x cionar o H2SO4 na água, gota a gota.
160 . x = 100 . 112 b) Falso.
O sódio reage violentamente com a água liberando o H2,
11 200
x = ––––––– que é um gás inflamável.
160
c) Falso.
x = 70 g O etanol irá se volatizar tornando o ar do local inflamável.
d) Falso.
Assim, o FeO possibilitará a maior obtenção de Fe.
O tolueno não se mistura à água e a mesma irá ebulir
c) O C O antes.
Redução e) Correto.
Resposta: E
4+ 0
69) SnO2 (s) + 2 C (s) æÆ Sn (l) + 2 CO (g)
D
Resposta: C

–3
83) 01) Correta.
02) Correta.
04) Correta.
08) Correta.
16) Falsa.
C + O2 Æ CO2
1 : 1 \ 1 átomo de C : 2 átomos de O
32) Falsa.
Não é um agente desinfetante.
64) Falsa.
É um dos produtos da combustão completa de combus-
tíveis de origem orgânica.

87) 2 NaHCO3 (s) + H2SO4 (aq) Æ Na2SO4 (aq) + 2 H2CO3 (aq)

2 H2O (l) + 2 CO2 (g)


Resposta: A

88) As bactérias desnitrificantes estão no final do ciclo liberando


N2 para a atmosfera.
Resposta: A

89) E

90) A queima de combustíveis fósseis libera óxidos de enxofre e


a produção de metais a partir de sulfetos metálicos também.
Resposta: A

91) I. Correta.
II. Correta.
III. Falsa.
A segunda reação não produz gases combustíveis.
Resposta: B

92) A ordem da pior para a melhor é I, III, II.


I. O subproduto é HCl, que é agressivo ao meio ambiente.
II. Não gera subproduto, portanto é a melhor do ponto de
vista da química verde.
III. O subproduto é H2O, que não é agressivo.
Resposta: B

4–
QUÍMICA 18) A: catodo: 2 H2O + 2 e– Æ H2 + 2 OH–
B: anodo: 2 I– Æ 2 e– + I2
LIVRO 3 Resposta: D

Físico-Química
21) II Aumenta a superfície de contato
Capítulo 1 – Eletroquímica II: Eletrólise HNO3
I Cu ææÆ Cu2+
IV retira o polímero.
9) Correta.
III Cu2+ + 2 e– Æ Cu
Célula galvânica: espontânea (DE0 > 0)
Resposta: A
Célula eletrolítica: não espontânea (DE0 < 0)

D 22) Catodo: 2 H2O (l) + 2 e– Æ H2 (g) + 2 OH– (aq) E0 = – 0,83 V (maior)


10) NaCl (s) æÆ Na+ (l) + Cl– (l) (fundido)
Anodo: 2 I– (aq) Æ I2 (aq) + 2 e– E0 = – 0,54 V (maior)
Na+ (l) + e– Æ Na (l)
Resposta: A
2 Na + O2 Æ Na2O2 (sódio muito reativo)
Resposta: B
D
23) NaF (s) æÆ NaF (l)
11) Alto consumo de energia térmica: 1000°C 2 F– (l) Æ F2 (g) + 2 e–
Alto consumo de energia elétrica: 297 kJ/mol de Al Resposta: E
Resposta: A
24) Na2SO4 (s) Æ 2 Na+ (aq) + SO2–
4
(aq)
13) a) CaO + H2O Æ Ca(OH)2 Catodo: 2 H2O + 2 e– Æ H2 + 2 OH–
A Anodo: H2O Æ 2 e– + 1/2 O2 + 2 H+
Mg2+ + 2OH– Æ Mg(OH)2 Resposta: B
B
2 Cl– Æ 2 e– + Cl2
1+ 0
C
25) H2O ææÆ H2 redução
H2 + Cl2 Æ 2 HCl
3– 2+
D
2 NH3 + 5/2 O2 Æ 2 NO + 3 H2O oxidação
D
b) MgCl2 æÆ Mg2+ (l) + 2 Cl– (l) 4+ 5+ 2+
3 NO2 + H2O Æ 2 HNO3 + NO desproporcionamento ou auto
Redução: Mg2+ (l) + 2 e– Æ Mg (l)
oxidorredução
Oxidação: 2 Cl– (l) Æ 2 e– + Cl2 (g)
Resposta: A
D
c) CaCO3 æÆ CaO + CO2
26) Catodo: 2H2O + 2 e– Æ H2 + 2 OH–
14) (1) Errada. C não metal Anodo: 2 OH– Æ 2 e– + 1/2 O2 + H2O
(2) Correta. Efeito Joule Resposta: C
(3) Correta. 2 Fe + O2 Æ 2 FeO
(4) Correta. Fe2+ + 2 e– Æ Fe 27) (1) Incorreta. CuSO4
Corretos: 2, 3 e 4
(2) Correta. Fe + Cu2+ Æ Fe2+ + Cu
(3) Correta. Fe Æ Fe2+ + 2 e–
15) (01) Correta. Na+: cátion; Cl–: ânion
(4) Correta. Processo não espontâneo
(02) Incorreta. Ligação iônica
Corretos: 2, 3 e 4
(04) Correta. Presença de íons livres.
(08) Incorreta. Compostos iônicos e moleculares que ionizam.
(16) Correta. No anodo sempre ocorre oxidação. 28) a) 2 I– Æ 2 e– + I2
(32) Correta. Na+ (aq) + e– Æ Na (s) E0 = – 2,72 V
b) polo positivo (anodo)
Corretos: 01, 04, 16 e 32 (soma: 53)
I2 + amido Æ composto azul

16) Catodo: ígnea: Na+ (l) + e– Æ Na (l) 31) Catodo: 2 H2O + 2 e– Æ H2 + 2 OH– (meio básico)
aquosa: 2 H2O + 2 e– Æ H2 + 2 OH– Anodo: H2O Æ 2 e– + 1/2 O2 + 2 H+ (meio ácido)
Fenolftaleína em meio básico é vermelha.
Resposta: A
Resposta: A

–5
32)  Catodo: 2 H2O + 2 e– Æ H2 + 2 OH– (meio básico) 53) i = 1,93 A
Fenolftaleína em meio básico é vermelha. t = 8 min e 20 s = 500 s
Resposta: E Q = i t \ Q = 1,93 A . 500 s \ Q = 965 C
96500 C –––––– 1 mol
D
33) (01) Incorreta. Fenômeno físico: H2O (s) æÆ H2O (l) 965 C –––––– x
– +
(02) Incorreta. H2O Æ 2 e + 1/2 O2 + 2 H ; O2: comburente \ x = 0,01 mol
(04) Correta. Ocorreu a decomposição da água. n 0,01 mol
M = ––– \ M = –––––––––– \ M = 0,02 mol/L
(08) Correta. Concentração massa por volume. V 0,5 L
(16) Incorreta. H2: combustível.
(32) Correta. Não se retira H2 do gelo. 54) V = 0,5 L
Corretos: 04, 08, 32 (soma: 44) M = 0,1 mol/L
n n
M = ––– \ 0,1 mol/L = –––––
35) Catodo: Cu2+ + 2 e– Æ Cu V 0,5 L
moeda
n = 0,05 mol
Resposta: C
Ni2+ + 2 e– Æ Ni

36) Catodo: 2 H+ + 2e– Æ H2 2 . 96500 C –––––––– 1 mol


x –––––––– 0,05 mol
1 volume
x = 9650 C
Anodo: H2O Æ 2 e– + 1/2 O2 + 2 H+
Q=it
0,5 volume
Resposta: 3 9650 C = 1 A t
t = 9650 s
37) I. Correta. A semirreação é química e a deposição é física. 160,8 min
II. Correta. DE0 < 0. Resposta: B
III. Incorreta. Consumo de energia elétrica.
IV. Correta. Para haver a deposição do metal. 55) A = 675 cm2
V. Incorreta. Catodo é o ferro. e = 0,1 mm = 0,01 cm
Resposta: 04 V=A.e
V = 675 cm2 . 0,01 cm \ V = 6,75 cm3
38) I. Correta. Latão no catodo (polo negativo). m m
II. Correta. Para haver a deposição do Ni. d = ––– \ 8,9 g/cm3 = ––––––––– \ m = 8,9 . 6,75 g
V 6,75 cm3
III. Incorreta. Eletrólise não ocorre se a fonte for de corrente
Ni2+ + 2 e– æÆ Ni
alternada.
2 . 96500 C ––––––– 58 g
Resposta: D
x ––––––– 8,9 . 6,75g
x = 199905 C
39) I. Chapa de prata: Ag Æ Ag+ + e–
II. Objeto de cobre: Ag+ + e– Æ Ag Q=it
III. Amperímetro: medidor de corrente elétrica 199905 C = 32,9 A t
Resposta: E t = 6076 s \ 101 min

41) Latão: Cu + Zn 56) a) NaCl NaOH


Ferro galvanizado: Fe + Zn 58,5 g –––––– 0,75 . 40 g
Resposta: B 100 g –––––– x
\ x = 51,3 g
42) Catodo: Ni2+ + 2 e– Æ Ni b) Catodo: 2 H2O + 2 e– Æ H2 + 2 OH–
Resposta: C
Anodo: 2 Cl– Æ 2 e– + Cl2
44) Eletrodo ativo de Ni (anodo): Ni Æ Ni2+ + 2 e–
Eletrodo de Cu (catodo): Ni2+ + 2 e– Æ Ni c) Sim. A platina é inerte.
Resposta: E
57) I. Incorreta.
45) Béquer A: célula galvânica e–
Pb æÆ Ag
Béquer B: célula eletrolítica
II. Correta. Ag+ + e– Æ Ag
(0) Correta. Zn Æ Zn2+ + 2 e– III. Correta.
(1) Incorreta: Ocorrerá depósito de Zn no prego de ferro. Pb Æ Pb2+ + 2 e–
(2) Correta. 207,2 g –––––– 2 mol
(3) Incorreta: Reação de oxidorredução. x –––––– 0,01 mol
(4) Correta. No eletrodo de Cu e prego ocorreu deposição e \ x = 1,036 g
nos eletrodos de Zn ocorreu corrosão. IV. Incorreta. Pb + 2 Ag+ Æ Pb2+ + 2 Ag
Corretos: 0, 2 e 4 Resposta: C

6–
58) 5 g ––––––– 100% 67) X4+ + 4 e– ææÆ X
x ––––––– 2,04% 4 . 96 500 C –––––– 119 g
x = 0,102 g 96 50 C –––––– y
\ y = 2,975 g
0,34 . 10–3 g ––––––– 1 C Resposta: D
0,102 g ––––––– y
y = 300 C 68) 2 Cl – æÆ 2 e– + Cl 2 NaCl ou FeCl 3
3L
Q = it Resposta: C
300 = 0,01 At
t = 30 000 s 69) Al 3+ + 3e– æÆ Al
3 mol –––– 27 g
60) Ag+ + e– æÆ Ag x –––– 675 g
96 500 C –––––– 108 g x = 75 mol
300 C –––––– x Resposta: D
\ x = 0,336 g
70) Mx+ + x e ææÆ M
61) Na barra B ocorreu corrosão x . 96 500 C –––––– 112 g
Resposta: D 19 300 C –––––– 11,2 g
x=2 M2+
62) Pb2+ + 2e– æÆ Pb Resposta: B
2 mol ––––– 207 g
x ––––– 2,07 g 71) a) Catodo: 2 H+ + 2 e– Æ H2
\ x = 0,02 mol Anodo: H2O Æ 2 e– + 1/2 O2 + 2 H+
Resposta: B b) 56 mL de H2, 28 mL de O2
c) 2 . 96 500 C ––––– 22,4 L
63) Cr3+ + 3 e– æÆ Cr x ––––– 56 . 10–3 L
3 mol ––––– 52 g \ x = 482,5 C
x ––––– 5,2 g Q = i t \ 482,5 C = 0,5 A t \ t = 965 s
\ x = 0,3 mol
Resposta: D 75) 9,65 . 104 C –––––––––– 6,0 . 1023 elétrons
x –––––––––– 1 e–
64) t = 48min e 15 s = 2895 s 9,65 . 104
x = –––––––––– \ 1,6 . 10–19C
i = 0,2 A 6,0 . 1023
Q = i t \ Q = 0,2 A . 2895 s
Resposta: B
\ Q = 579 C
Zn æÆ Zn2+ + 2 e–
77) 2 Cl– æÆ 2 e– + Cl2
65,4 g ––––––––– 2 . 96 500 C
2 F –––– 1 mol
x ––––––––– 579 C
1 F –––– 0,5 mol
\ x = 0,1962 g
Resposta: C
Resposta: B

78) (1) Incorreta.


65) Cu2+ + 2 e– ææææÆ Cu
2+ 4+
2 . 6,02 . 1023 e– –––––– 63,5 g SnCl2 ææÆ SnCl4
x –––––– 0,317 g D=2
5+ 2+
\ x = 6,02 . 1021 elétrons HNO3 ææÆ NO
Resposta: E D=3
(2) Incorreta.
66) Ni2+ + 2 e– ææÆ Ni DE0 < 0 célula eletrolítica.
2 mol –––––– 58,71 g (3) Incorreta.
1,0 . 10–3 mol –––––– x Sofre oxidação.
\ x = 29,35 . 10–3 g (4) Correta.
Eletrólise ígnea do Al2O3.
58,71 g ––––––– 1 mol (5) Incorreta.
29,35 . 10–3 g ––––––– y Cu2+ + 2 e– æÆ Cu
\ y = 5,0 . 10–4 mol 2 F ––––– 63,5 g
Resposta: A 0,2 F –––– 6,35 g
Correto: 4

–7
79) a) NaCl (aq) æÆ Na+ (aq) + Cl– (aq) 84) Ni2+ + 2 e– æÆ Ni
1 mol/L 1 mol/L 1 mol/L 2 mol –––– 58,70 g
Total: 2 mol/L curva B x –––– 29,35 g
x = 1 mol
ZnCl2 (aq) æÆ Zn2+ (aq) + 2 Cl– (aq)
1 mol/L 1 mol/L 2 mol/L Cu2+ + 2 e– æÆ Cu
Total = 3 mol/L curva C 2 mol –––– 63,5 g
1 mol –––– y
b) Zn2+ + 2 e– æÆ Zn y = 31,75 g
2 F ––––– 65,4 g
4 F ––––– x Fe3+ + 3 e– æÆ Fe
x = 130,8 g 3 mol –––– 55,80 g
1 mol –––– z
80) Mg2+ +2 e– æÆ Mg z = 18,6 g
2F ––––– 24 g Resposta: C
8,3 F ––––– x
x = 99,6 g 85) Ni2+ + 2 e– æÆ Ni
2 mol –––– 58,71 g
100 000 g –––––– 100% x –––– m
99,6 g –––––– x
x = 0,1% Au3+ + 3 e– æÆ Au
Resposta: B 3 mol –––– 196,97 g
x –––– m’
81) a) 1.a célula
2m 3m’ m
Ag+ + e– æÆ Ag –––––– = –––––––– \ –––– = 0,45
58,71 196,97 m’
1 mol –––– 107,1 g
x –––– 0,107 g Resposta: B
x = 0,001 mol
86) Polo positivo: anodo: Ag Æ Ag+ + e– (diminui)
b) 2.a célula Resposta: A
Me3+ + 3 e– æÆ Me
3 mol ––––– x 87) Ag ææÆ Ag+ + e–
0,001 mol ––––– 0,0186 g 107,87 g ––––––– 96 500 C
x = 55,8 g \ 55,8 g/mol x ––––––– 4,83 C
x = 53,99 . 10–4 g (diminui)
82) 25 L –––––––––– 2 . 96 500 C
x –––––––––– 9650 C 88) a) Cu2+ + 2 e– æÆ Cu
x = 1,25 L 2 mol –––– 1 mol
Resposta: B x ––––– 0,05 mol
\ x = 0,1 mol

83) Ax+ + x e– æÆ A
5,0 . 10–3 mol ––––––– 1 pilha
x mol –––– 1 mol
0,1 mol ––––––– y
4 mol –––– 4 mol
\ y = 20 pilhas
x=1

b) 1 mol –––––––– 63,5 g


Bx+ + x e– æÆ B
0,05 mol ––––– x
x mol –––– 1 mol
\ x = 3,175 g
4 mol –––– 1 mol
x=4
89) a) anodo: Cu Æ 2e– + Cu2+
catodo: Cu2+ + 2 e– Æ Cu0
Cx+ + x e– æÆ C
célula: Cu (anodo) Æ Cu (catodo)
x mol –––– 1 mol
4 mol –––– 2 mol b) Cu2+ + 2e– ææÆ Cu i=1A t = 3h = 10800s
x=2 2 . 96 500 C –––––– 63,5 g
Resposta: C 10 800 C –––––– x
\ x = 3,55 g

8–
90) (1) Incorreta. 95)  = equivalente eletroquímico
Há consumo de energia. Resposta: E
(2) Incorreta.
Catodo. 96) i = 50 A
(3) Correta.
m = 5,6 g
Facilita a dissolução do chumbo.
t = 3 min e 20 s = 200 s ?
(4) Incorreta.
Eit
[Pb2+]3 m = ––––––– \ m =  i t
K = ––––––– 96500
[Cr3+]2
5,6 g =  . 50 A . 200 s
(5) Correta.
DE0 = – 0,614V
 = 0,56 . 10–3 g/C
(6) Incorreta.
 = 0,56 mg/C
Resposta: A
Cr3+ + 3e– æÆ Cr Q = 10 A . 480 s
3 . 96500 C –––– 52 g
4800 C –––– x
x = 0,862 g

Itens corretos: 3 e 5

91) a) Au3+ + 3Cl– Æ Au + 3/2Cl2


b) Au3+ + 3e– æÆ Au
3 . 96500 C –––– 197 g
x –––– 6 g
x = 8817 C

Q=it
8817 C = 2,5 A t
t = 3527 s

58,8 min

92) a) 1 m2 –––––––– 1,61 . 1019 átomos


5 m2 –––––––– x
x = 8,05 . 1019 átomos

6,02 . 1023 átomos –––––– 58,7 g


8,05 . 1019 átomos –––––– y
y = 7,85 . 10–3 g

b) Ni2+ + 2e– æÆ Ni
2 . 96500 C –––– 58,7 g
x –––– 7,85 . 10–3 g
\ x = 25,81 C

7 . 10–6 A –––––– 1 cm2


x –––––– 5 . 104 cm2
x = 0,35 A
Q = i t \ 25,81 C = 0,35 A . t
t = 73,74 s

93) 1 faraday corresponde a carga de 1 mol de elétrons, isto é,


6 . 1023 elétrons.
Resposta: C

96 500 C
94) ––––––––– = carga do elétron = 1,6 . 10–19C
6 . 1023
Resposta: A

–9
QUÍMICA 17) I. Falsa.
A produção de amoníaco diminui aumentando a tempe-
LIVRO 3 ratura até 100°C.
Físico-Química II. Verdadeira.
Desloca no sentido de NH3 (contração de volume).
Capítulo 2 – Equilíbrio Químico II:
III. Verdadeira.
Deslocamento de Equilíbrio e Equilíbrio Iônico
Introduzindo-se H2 no sistema, o equilíbrio desloca no
sentido de NH3.
10) I. Favorece.
IV. Falsa.
Introdução de N2 (aumenta a sua concentração) desloca o
[NH3]2
equilíbrio no sentido do NH3. K = ––––––––––
[H2]3 . [N2]
II. Favorece.
V. Verdadeira.
Aumento da pressão do sistema desloca o equilíbrio no
Resposta: 02
sentido do NH3 (contração de volume).
III. Não favorece.
18) a) A 10°C, pois a solubilidade de um gás em um líquido
O catalisador não desloca equilíbrios.
aumenta com a diminuição da temperatura.
Resposta: A
b) Em sua base, pois a solubilidade de um gás em um líquido
aumenta com a pressão parcial do gás.
11) Em águas quentes o equilíbrio citado está deslocado no
sentido de CaCO3 (corais), pois a concentração de CO2 é
19) I. Falsa.
pequena.
A quantidade de fosgênio aumenta, aumentando-se a
Resposta: B
temperatura (sentido endotérmico).
II. Falsa.
12) Nas reações a, b, c e e não ocorrem variações de volume,
Diminuindo-se a quantidade de CO desloca o equilíbrio no
portanto a pressão não desloca esses equilíbrios.
sentido dos reagentes (CO e Cl2).
CaCO3 (s) Æ
¨ CaO (s) + CO2 (g) pressão desloca III. Verdadeira.
0 volume 0 volume 1 volume
A constante de equilíbrio depende da temperatura e como
Resposta: D
é escrita a equação química.
IV. Verdadeira.
13) a)
ácido + álcool Æ éster + água Desloca no sentido de COCl2.
¨
V. Falsa.
início 3 mol 3 mol ––– ––– [COCl2]  [Cl2]
reage e Resposta: 05
2 mol 2 mol 2 mol 2 mol
forma
equilíbrio 1 mol 1 mol 2 mol 2 mol 20) Durante o andamento desta decomposição, a pressão total da
mistura gasosa aumenta (quantidade em mols dos produtos
2 2 é maior que a quantidade em mols do reagente).
––– . –––
[éster] [ água] V V Resposta: B
KC = ––––––––––––––– \ KC = ––––––––––
[ácido] [álcool] 1 1
––– . ––– 21) Ao diminuir a pressão do sistema o equilíbrio desloca no
V V
KC = 4 sentido de CaO (expansão de volume).
Æ CaO (s) + CO (g)
CaCO3 (s) ¨
b) O equilíbrio será deslocado para a formação dos produtos. 2
0 volume 1 volume
14) O valor do KC mostra que a concentração de HmCO é maior Resposta: B
que HmO2 indicando que a hemoglobina tem maior afinidade
com o CO. 22) Estado I
Resposta: 01 [HDO]2 (0,6)2
KC = –––––––––––– \ ––––––– \ KC = 4
[H2O] [D2O] 0,9 . 0,1
16) I. Errada.
O equilíbrio desloca no sentido 2. Estado II
II. Errada. KC = 4 (temperatura constante).
O equilíbrio desloca no sentido 2. Resposta: B
III. Correta.
O equilíbrio desloca no sentido 2 (exotérmico). 23) Ao diminuir a pressão do sistema o equilíbrio desloca no
IV. Correta. sentido de CO + H2 (expansão de volume).
O equilíbrio desloca no sentido 1 (expansão de volume). Æ CO (g) + H (g)
C (s) + H2O (g ¨ 2
V. Correta. 1 volume 2 volumes
Catalisador não desloca equilíbrio. Resposta: D
Resposta: B

10 –
24) Aumentando a temperatura do sistema o equilíbrio desloca b)
CO (g) + H2O (g) Æ
¨ CO2 (g) + H2 (g)
no sentido dos reagentes (sentido endotérmico).
[H2]  [I2]  [HI] Ø início 1 1 3 3
Devido ao aumento da temperatura, o equilíbrio é alcançado
reage e
mais cedo. x x x x
forma
O gráfico que representa esse acontecimento refere-se a
equilíbrio 1+x 1+x 3–x 3–x
alternativa b.
Resposta: B (3 – x)2 3–x
4 = ––––––– \ 2 = ––––––– \ 2 + 2x = 3 – x
(1 + x)2 1+x
25) A constante de equilíbrio não depende das concentrações dos
participantes no equilíbrio. x = 1/3
Resposta: B 4 8
[CO] = [H2O] = ––– mol/L [CO2] = [H2] = ––– mol/L
3 3
p2SO
3
26) Kp = –––––––––––– como p = x . P, temos:
p2SO . pO 33) Um catalisador aumenta as velocidades das reações direta e
2 2
inversa.
x2SO . P2 1 O aumento da temperatura diminui o rendimento, pois a
3
Kp = ––––––––––––– \ 4,0 . 104 = 6,0 . 104 . –––
2 3 reação direta é exotérmica.
xSO . xO . P P
2 2
O rendimento de qualquer reação reversível é menor que
P = 1,5 \ 1,5 atm 100%.
Resposta: A O rendimento da amônia aumenta com o aumento da pressão.
Resposta: E
27) a) A reação de síntese da amônia é um processo exotérmico,
pois o rendimento aumenta com a dimunuição da 34) Adicionando benzeno no sistema, vai dissolver I2 (s) produ-
temperatura. zindo I2 dissolvido no benzeno, conforme a equação:
b) 20% ––––––– 50 t I2 (s) Æ
¨ I2 (benzeno)
50% ––––––– x O aumento da quantidade do I2 (benzeno) desloca o equilíbrio
\ x = 125 t inicial no sentido dos produtos. Teremos:
Acréscimo de 75 t. [Cu2+ (aq)] Ø CuI (s) 
c) Não, a temperatura estará entre 300°C e 350°C. Resposta: E

[WI6] pWI 36) A constante será diferente de 9,0 se alterar a temperatura.


28) a) KC = ––––––– 6
ou Kp = ––––––
[I2]3 p3 Resposta: A
I 2

b) A formação do WI6 (g) a partir dos elementos é exotérmica, 37) Aumentando a temperatura, o equilíbrio desloca no sentido 1
pois em temperatura baixa o equilíbrio está deslocado no (endotérmico).
sentido de WI6. Resposta: B

29) I. Certa.
38) Aumentando a temperatura, o equilíbrio desloca no sentido
Acrescentando mais CO na mistura em equilíbrio este será
dos reagentes. Teremos:
deslocado no sentido dos produtos.
[H2]  [I2]  [HI] Ø
II. Errada.
Resposta: E
Gás inerte adicionado não desloca equilíbrio, pois não
altera as pressões parciais.
III. Errada. H3C

H3C — CH3
A pressão não desloca esse equilíbrio, pois não ocorre 39) a) C = CH2 + HO — H C—



variação de volume. H3C OH
H3C
Resposta: A + 267 kJ + 497 kJ – 389 kJ – 410 kJ
DH = – 35 kJ
30) Æ 2 H O (g)
2 H2 (g) + O2 (g) ¨ 2
Equilíbrio 1
3 volumes 2 volumes b) Aumentando AI_QUI0002936a
a quantidade de água e diminuindo a tempe-
NH (g) + HCl (g) ¨ Æ NH Cl (s) ratura, desloca-se o equilíbrio no sentido de formação de B.
3 4
Equilíbrio 2
2 volumes 0 volume
Resposta: B 43) O produto PV não se mantém constante, pois o equilíbrio é
deslocado no sentido de H2 diminuindo a quantidade de
[CO2] [H2] 3.3 matéria.
31) a) Q = ––––––––––– \ Q = –––––– Q=9 PV = n R T
[CO] [H2O] 1.1
diminui
No sentido de formação do CO, pois Q > K Resposta: C

– 11
44) A formação de estalactites (CaCO3) é favorecida em ambientes 54) O valor da constante de equilíbrio não depende da
ricos em íons Ca2+, pois o equilíbrio é deslocado no sentido do concentração de O2.
CaCO3. Resposta: E
Resposta: B
55) Temperatura aumenta Æ K diminui Æ exotérmica
46) O aumento de pressão desloca no sentido do NH3 diminuindo Resposta: C
a quantidade de matéria.
Æ 2 NH (g)
N2 (g) + 3 H2 (g) ¨ 3 56) a) CH4(g) + H2O(g) Æ
¨ CO(g) + 3H2(g)
4 mol 2 mol
Resposta: D b) 450°C
K2 = 1,2 . 10–3
47) Na reação II, o aumento de pressão desloca no sentido do NH3 [CO] [H2]3 0,40 . (0,30)3
Q = ––––––––––– Q = –––––––––––– Q = 1,2 . 10–3
(direita). [CH4] [H2O] 1,00 . 9,00
Resposta: A
Q = K (equilíbrio)
48) No sangue arterial o equilíbrio está deslocado no sentido a e c) Síntese da amônia (K2 diminui com a temperatura).
no sangue venoso está deslocado no sentido b.
Em um recipiente com baixa concentração de O2, o equilíbrio 57) A reação direta é endotérmica, pois K aumenta com a
estará deslocado no sentido b. Haverá um aumento do volume temperatura.
de sangue venoso e uma redução do volume de sangue A pressão não desloca esse equilíbrio, pois não ocorre
arterial. variação de volume.
Resposta: 4 Catalisador não desloca equilíbrios.
Resposta: E
49) 10: adição de X: [X] 
[Z] 0,8
12 a 16: KC = ––––––– \ KC = ––––––– \ KC = 1,6 58) a) H2 + I2 Æ 2 HI
¨
[X] [Y] 1,0 . 0,5
início 1 1 –––
16 a 18: [Z]  [X] Ø [Y] Ø aumento da pressão
0,9 reage e forma x x 2x
18 a 24: K’C = ––––––– \ K’C = 2,5
0,9 . 0,4
T2  T1 equilíbrio 1–x 1–x 2x

24: adição de Z: [Z] 


[HI]2 (2x)2 2x
Resposta: A KC = ––––––– 49 = ––––––– \ 7 = –––––
[H2] [I2] (1 – x)2 1–x

50) Uma diminuição da temperatura provoca um aumento da


7
constante de equilíbrio, pois a reação direta é exotérmica. 7 – 7x = 2x \ x = –––
9
Resposta: C

2 14
Æ P
51) 2X + 3Y ¨ [H2] = [I2] = ––– mol/L [HI] = ––– mol/L
9 9
Pelo aumento da concentração de Y, o equilíbrio desloca no
sentido do produto (aumentando a sua concentração).
b) A reação direta é exotérmica, portanto K diminui com o
Resposta: C
aumento da temperatura.

53) I. Correta.
59) Falso. As reações nunca cessam.
[B1] 6
1) K1 = –––– \ K1 = ––– \ K1 = 2 Falso. Volume diminui.
[A1] 3
Verdadeiro. No início só temos NO2.
[B2] 4 Verdadeiro.
2) K2 = –––– \ K2 = ––– \ K2 = 2
[A2] 2 2 NO2 Æ ¨ N2O4
2 (+ 33) +9
K1 = K2 (mesma temperatura).
DH = + 9 kJ – 66 kJ \ DH = – 57 kJ
II. Correta.
3 Verdadeiro. Um aumento de volume desloca no sentido de
[B3]
3) K3 = –––– \ K3 = ––– \ K3 = 3 NO2.
[A3] 1

60) 2 NO2 Æ ¨ N2O4


K3 > K2 = K1 (maior temperatura).
castanha incolor
III. Correta. A reação de dimerização é exotérmica, pois o aumento da
K aumenta com a temperatura. temperatura desloca no sentido de NO2.
Resposta: A

12 –
61) (1) Correta. III. Correta.
Devido ao equilíbrio, o rendimento não é total. K diminui com o aumento da temperatura.
(2) Errada. IV. Errada.
Estão presentes N2, H2 e NH3. Desloca no sentido de N2 e H2.
(3) Correta. Resposta: B
K diminui com a temperatura.
(4) Correta. 68) Y corresponde ao gráfico II.
O equilíbrio desloca no sentido de NH3. Aumento da temperatura [A] Ø [B]  equilíbrio é atingido mais
rapidamente.
62) Adição de gás nobre não desloca equilíbrios. Z corresponde ao gráfico I.
Resposta: B Catalisador não deloca equilíbrios, não altera as concentrações
de A e B e o equilíbrio é atingido mais rapidamente.
63) Aumentando a temperatura desloca o equilíbrio no sentido de
NO2 (endotérmico). 69) a) 25 L –––––– 1 mol
Resposta: A 22,5 . 10–3 L –––––– x
\ x = 9 . 10–4 mol
Æ 2 NO (g)
64) II. 2 NO (g) + O2 (g) ¨ 2
kJ 2 (+ 90,4) 0 2 (+ 33,9) b) Hb + 4 O2 Æ Hb(O2)4
DH = ∑DHf – ∑DHf M –––––– 4 mol
produtos reagentes
15 g ––––– 9 . 10–4 mol
DH = + 67,8 kJ – (+ 180,8 kJ)
M = 6,6 . 104 g/mol
DH = – 113 kJ
Æ 2 HNO (aq) + NO (g) c) O consumo de O2(aq) no segundo equilíbrio provoca o
III. 3 NO2 (g) + H2O (l) ¨ 3
deslocamento do primeiro equilíbrio para a direita.
kJ 3 (+ 33,9) – 285,8 2 (– 173,2) + 90,4
DH = ∑DHf – ∑DHf Æ
produtos reagentes
70) a) CO + 2 H2 ¨ CH3OH
DH = – 346,4 kJ + 90,4 kJ – (+ 101,7 kJ) – (– 285,8 kJ)
início 2 2 –––
DH = – 71,9 kJ reage e forma 0,5 1 0,5
É necessário resfriar o sistema, pois as etapas II e III são
equilíbrio 1,5 1 0,5
exotérmicas.

[CH3OH] 0,5 1
65) 01)Errada. KC = –––––––––– \ K= –––––– \ K= ––
[CO] [H2]2 1,5 . 1 3
Provoca oxidação do N2.
02)Errada. Æ CH OH
b) CO + 2 H2 ¨ 3
Processo endotérmico. kJ – 110 0 – 201
04)Correta.
DH = ∑DHf – ∑DHf
Sentido endotérmico. produtos reagentes

08)Errada. DH = – 201 kJ + 110kJ


K1 DH = – 91 kJ
16)Errada. Aumento da temperatura desloca no sentido de CO e H2
Maior concentração de NO. (sentido endotérmico).
32)Errada.
Não ocorre variação de volume. 72) 2 NO2 Æ
¨ N2O4
64)Correta.
V n n’ PV = (n + n’) RT
V’ > V 2a a
66) 200 atm e 750 K R = 40%
N2 + 3 H2 æÆ 2 NH3 n + 2a n’ – a P’V’ = (n + n’ + a) R T

0,3 L 3 . 0,30 L 2 mol (100%) P’V’ > PV


3 . 0,30 L 0,8 mol (40%) O produto PV aumenta com o volume.
3 . 0,30 L 0,8 . 17 g
6,0 . 105 L –––– x 73) (0-0) Correta. A quantidade de H2O diminui deslocando o
equilíbrio no sentido dos produtos.
x = 90 . 105 g\9. 103 kg
(1-1) Errada. Aumenta o rendimento (desloca no sentido dos
Resposta: D
produtos).
(2-2) Errada. Aumenta o rendimento (desloca no sentido dos
67) I. Correta.
produtos).
K aumenta com a diminuição da temperatura.
(3-3) Correta. Desloca no sentido dos reagentes.
II. Errada.
(4-4) Correta. Desloca no sentido dos reagentes.
Aumenta a velocidade.

– 13
74) (01) Errada. II. Errada.
Produz menos que 1 mol de Na2CO3. Mais forte: HClO4 (maior Kd)
(02) Errada. III. Errada.
Absorve 30,5 kcal. 5+
HClO3
(04) Correta.
Desloca no sentido dos produtos. 91) A presença de carga negativa torna mais difícil a saída do H+.
(08) Correta. H3AsO4 > H2AsO4– > HAsO2–
4 \ K1 > K2 > K3
A reação direta é endotérmica. Resposta: B
(16) Correta.
Desloca no sentido dos reagentes (contração de 92) Sendo Kn a constante de ionização associada à equação
volume). global, temos, portanto
(32) Errada. Kn = K1 . K2 . K3
A temperatura exerce influência sobre o grau de Resposta: B
decomposição.

93) HClO4 Æ H+ + ClO4–


75) a) 2 NH3 Æ
¨ N2 + 3 H2 ácido grande quantidade de íons dissolvidos
[N2] . [H2]3 1 . 33 forte
KC = –––––––––– \ KC = –––––– \ KC = 8,3 Resposta: A
[NH3]2 1,82

95) a1 > a2 K1 > K2


b) N2 + 3 H2 Æ
¨ 2 NH2 Resposta: D
1 1
K ’C = –––– \ K ’C = –––– \ K ’C = 0,12 96) HCl ææÆ H+ + Cl–
KC 8,3
0,0010 mol/L 0,001 mol/L 0,001 mol/L menor quantidade
c) A proposta deve ser rejeitada, pois catalisador não desloca de íons
equilíbrio, sendo impossível aumentar a conversão de N2 e
0,0020 mol/L 0,002 mol/L 0,002 mol/L maior quantidade
H2 a NH3.
de íons
76) A) DH < 0 KC > 1 Æ K3 Resposta: C
B) DH > 0 KC > 1 Æ K1
C) DH > 0 Æ K2 97) Maior Ka Æ mais forte o ácido
Resposta: A Álcool < água < fenol < ácido carboxílico
Resposta: C
77) a) Exotérmica, pois o rendimento diminui com o aumento da
temperatura. 98) A solução aquosa de HCl é eletricamente neutra, pois a con-
b) O aumento de pressão desloca no sentido em que há centração total de íons positivos é igual a concentração total
contração de volume. de íons negativos.
[H+] = [Cl–] + [OH–]
84) Maior Ka: HNO2
Resposta: B Resposta: C

85) Menor Ka: H2S 105) Ka = 1,8 . 10–5 a = 3% = 3 . 10–2 M?


Resposta: A
Ka = a2 M \ 1,8 . 10–5 = (3 . 10–2)2 M \ M = 2,0 . 10–2 mol/L
86) Na expressão do K não entra sólido: Resposta: A
[Zn2+ (aq)]
K = ––––––––––
[Cu2+ (aq)] 106) M = 0,1 mol/L a = 7 . 10–3 % \ = 7 . 10–5
Resposta: E [H+] = a M \ [H+] = 7 . 10–5 . 10–1 mol/L \ [H+] = 7 . 10–6 mol/L
[(CN–)] = 7 . 10–6 mol/L
87) O ácido acético (maior Ka) é mais forte que o ácido hipocloroso
(menor Ka). 107) Ka = 1,0 . 10–5 M = 0,1 mol/L
Resposta: B Ka = a2 M \ 1,0 . 10–5 = a2 . 10–1 \ a = 10–2 = 1%

88) Maior Ka Æ mais forte o ácido 108) Ka = a2 M 1,0 . 10–5 = a2 . 10–3 \ a = 10–1 = 10%
Resposta: B

110) M = 10–2 mol/L a = 1% = 10–2


89) Maior Ka: HNO2 (mais forte)
Ka = a2 M \ Ka = (10–2)2 . 10–2 \ Ka = 10–6
Resposta: D
Resposta: D

90) I. Correta.
O aumento do Nox do Cl acompanha a força do ácido.

14 –
111) CH3COOH M = 60 g/mol adicionado 0,1 mol 120) O equilíbrio de dissociação do HF sofre um deslocamento para
60 g ––––– 1 mol a direita, pois a concentração de íons H+ diminui.
0,06 g ––––– x Resposta: A
\ x = 0,001 mol (ioniza)
121) Aumento da temperatura da solução desloca o equilíbrio no
0,001
a = ––––– \ a = 10–2 = 1% sentido 1 (endotérmico).
0,1
Resposta: E

112) M = 0,02 mol/L a = 15% = 15 . 10–2 Ka ?


122) Adição de íons OH– no equilíbrio desloca no sentido de
a2 M (15 . 10–2)2 . 2 . 10–2 formação de CO2–
Ka = ––––– \ Ka = ––––––––––––––––––– \ Ka = 5,3 . 10–4 3.
1–a 1 – 0,15 Resposta: C
Resposta: A
123) I. Errada.
113) Ka = 7,2 . 10–10 M = 1 mol/L Adição de OH– desloca o equilíbrio no sentido da mine-
ralização.
Ka = a2 M \ 7,2 . 10–10 = a2 . 1 \ a = 
7,2 . 10–5
II. Errada.
[H+] = a . M \ [H+] = 
7,2 . 10–5 mol/L Não interfere no equilíbrio.
Resposta: B III. Correta.
Adição de íons H+ desloca o equilíbrio no sentido da desmi-
114) Mesma temperatura: K1 = K2 neralização, pois diminui a concentração de OH– devido a
Solução 2 é mais diluída: a2 > a1 neutralização (H+ + OH– Æ H2O)
Resposta: E Resposta: C

115) Aumento da concentração: a diminui 124) Adição de íons OH– desloca o equilíbrio no sentido de forma-
Ionização é endotérmica: a aumenta ção de S2–, pois diminui a concentração de H3O+ devido a
Resposta: B neutralização (H3O+ + OH– Æ 2 H2O)
Resposta: D
116) a = grau de dissociação
Resposta: A 126) I. Errada.
Adição de HNO3 aumenta acidez da solução deslocando o
117) [Acetato] diminui, pois aumenta o volume da solução. equilíbrio no sentido de formação de Ca2+.
n II. Correta.
[Acetato] = ––
V Adição de NaOH diminui acidez da solução deslocando o
equilíbrio no sentido de formação de CaCO3.
A quantidade de íons acetato aumenta, pois o equilíbrio é III. Correta.
deslocado no seu sentido. Adição de íons HCO3– desloca o equilíbrio no sentido de
Resposta: D CaCO3.
Resposta: B
118) NH4OH Æ +
¨ NH4 + OH–
Adição de íons NH4+ desloca o equilíbrio no sentido de NH4OH 128) Adição de NH3 desloca o equilíbrio no sentido de In–, pois a
diminuindo o grau de dissociação. concentração de H+ diminui devido a reação NH3 + H+ Æ NH+4.
A constante de ionização permanece constante, pois não Resposta: E
houve mudança de temperatura.
Resposta: D 129) Adicionando OH– desloca o equilíbrio no sentido de CN–,
pois a concentração de H3O+ diminui devido à neutralização
119) 01) Errada. (H3O + OH– Æ 2 H2O).
A adição de íons acetato desloca o equilíbrio no sentido Resposta: B
de CH3COOH diminuindo a quantidade de íons H+.
[HA] . [F–] K1 10–4
02) Errada. 130) K = –––––––––– \ –––– = ––––– \ K = 10
a diminui. [HF] [A–] K2 10–5
04) Correta. Resposta: C
08) Errada.
Adição de íons OH– no equilíbrio diminui a concentração 132) Adição de CH3COO– desloca o equilíbrio no sentido de
de íons H+ devido a neutralização (H+ + OH– Æ H2O). CH3COOH diminuindo a concentração de íons H+.
16) Errada. Resposta: A
Ka varia com a temperatura.
32) Errada. 133) Adição de F– desloca o equilíbrio no sentido de HF
Ácido fraco. aumentando a sua concentração.
Resposta: C

– 15
134) 01) Correto.
No suco de limão temos íons H+ que vão deslocar o
equilíbrio fornecido no sentido da cor A.
02) Errado.
04) Correto.
[H+] [In–]
Ka = ––––––––
[HIn]
08) Errado.
H3BO3 é ácido fraco.

135) I. A camada aquosa fica azul, pois o composto A é azul.


II. A camada aquosa fica incolor, pois o composto A foi
neutralizado.
III. A camada aquosa fica azul, pois o composto B foi
neutralizado originando o composto A (azul).
Resposta: E

16 –
QUÍMICA 11) I. Verdadeiro.
NaCN (s) + H+ (aq) Æ +
¨ Na (aq) + HCN (g)
Ao serem adicionados ácidos, a concentração de íons H+
LIVRO 3 é aumentada, deslocando o equilíbrio no sentido da
Físico-Química produção de HCN (para a direita).

Capítulo 3 – Conceitos de Ácidos e Bases


II. Verdadeiro.

9) 01) Verdadeiro.
NaCN (s) + H+ (aq) Na+ (aq) + HCN (g)

{
base ácido

III.Falso.
AI_QUI0003866
Ao ser adicionada uma base, esta consome os íons H+,
deslocando o equilíbrio para a esquerda, no sentido do
02) Verdadeiro.
consumo de HCN (g).
NaNO3 fi nitrato de sódio
Resposta: D
04) Falso.
(NH4)2SO4 æÆ 2 NH4+ + 1SO2– 4
 
2 mol 1 mol H+
H+
08) Falso.
Eles estão ligados a átomos de oxigênio 12) HSO4– + OH– H2O + SO42–
ácido 1 base 2 ácido 2 base 1
par
conjugado
par conjugado
16) Verdadeiro.
H+ H+ Resposta: B

2 NH3 + H2SO4 2 NH+4 + SO2–


4 AI_QUI0003867
base ácido ácido base H+ H+
32) Falso.
São 4 covalentes normais e 2 covalentes coordenadas. 13) a) H2O + HCl H3O+ + Cl –

AI_QUI0003864 base ácido


H2O é base (receptora de prótons)

H+ H+
Resposta: 19
+
b) H2O + NH3 NH4 + OH–

H+ ácido base
H+
10) H2O é ácido (doadora de prótons)
NH3 + H2O NH4+ + HO–
Obs.: a H2O é uma substância anfiprótica, ou seja, pode reagir
base ácido ácido base como ácido ouAI_QUI0003868
base.
H+ H+

HNO3 + H2O H3O+ + NO–3 H+


ácido base ácido base
14) HCO3– + X H2CO3
H+ H+ base

H+
HCl + H2O H3O+ + Cl –
– 2–
ácido base ácido base HCO3 + Y CO3

H+ H+ ácido
HCO–3 é uma espécie anfiprótica, ou seja, pode atuar como
+
HNO3 + HCl H2NO3 + Cl – ácido ou base.
AI_QUI0003869
base ácido ácido base Resposta: D
Resposta: B

– 17
AI_QUI0003865
H+ H+ H+ H+

15) I. H3O+ + OH– H2O + H2O 17) CH3O– + NH3 CH3OH + NH2–
ácido 1 base 2 ácido 2 base 1 base ácido ácido base
Resposta: B

H+ H+ H+
H+ AI_QUI0003872

II. CH3COOH + H2O H3O+ + CH3COO– 18) OH– + X H2O + Y


ácido 1 base 2 ácido 2 base 1 base ácido

Resposta: B

H+ H+ AI_QUI0003873
H+ H+

5
III. H2O + NH3 NH4+ + OH– pares conjugados
19) NH3 + H2O NH4+ + OH– +
NH4 / NH3 ;
ácido 1 base 2 ácido 2 base 1
base 2 ácido 1 ácido 2 base 1 H2O / OH–

H+ H+

5
pares conjugados
H+ H+ +
HCl + H2O H3O + Cl– HCl / Cl– ;
ácido 1 base 2 ácido 2 base 1 H3O+ / H2O
IV. H2O + CO32– HCO3– + OH–
ácido 1 base 2 ácido 2 base 1
H+ H+

AI_QUI0003874+
20) HBrO4 + H2SO4 H3SO4 + BrO4–
H+ H+
ácido 1 base 2 ácido 2 base 1
V. HCl + NH3 NH4+ + Cl–
Resposta: B
ácido 1 base 2 ácido 2 base 1

AI_QUI0003875
H+ H+

Resposta: A 21) H2O + C2H5O – C2H5OH + OH–


AI_QUI0003870
ácido 1 base 2 ácido 2 base 1

H+ H+ H+
H+

16) H2SO4 + H2O HSO4– + H3O+ NH3 + C2H5O – C2H5OH + NH2–


ácido base base ácido ácido 1 base 2 ácido 2 base 1
H+ Resposta: A
H+
AI_QUI0003876
H2SO4 + OH– HSO– + H2O H+ H+
4
ácido base base ácido
26) S2– (aq) + H2O– HS– (aq) + OH– (aq)
H+ H+
base 2 ácido 1 ácido 2 base 1
2–
HSO4– + H2O H3O+ + SO4

ácido base ácido base H+ H+


H+ H+
HCl (aq) + H2O H3O– (aq) + Cl– (aq)
HSO4– + HNO3 H2SO4 + NO3– ácido 1 base 2 ácido 2 base 1
base ácido ácido base a) a H2O é a substância anfiprótica.
H+ b) H2O/OH– e HS–/S2–
H+
c) De acordo com AI_QUI0003877
a teoria protônica de Brönsted-Lowry, o
H2SO4 + HF H2F+ + HSO4– ânion Cl– é uma base (receptor de prótons).
ácido base ácido base De acordo com a Teoria Eletrônica de Lewis, o ânion Cl– é
uma base (apresenta par de elétron).
Resposta: C
AI_QUI0003871
18 –
Cl– + H+ Æ HCl 33) De acordo com Brönsted-Lowry:
base ácido complexo coordenado H+ H+

27) A amônia (NH3) apresenta par de elétrons não ligante e faz NH3 + H2O NH4
+
+ OH–
ligação coordenada em ambas as reações.
base 2 ácido 1 ácido 2 base 1
A amônia é base segundo Lewis em ambas as reações.
Resposta: C
De acordo com Lewis:
Ag+ + 2 NH3 Æ [Ag(NH3)2]+
ácido base complexo coordenado
H+ H+ AI_QUI0003880
Resposta: D

28) NH+4 + S 2– NH3 + HS–


ácido 1 base 2 base 1 ácido 2 34) Cu2+ + 4 NH3 Æ [Cu(NH3)4]2+
ácido base complexo coordenado
Segundo Brönsted-Lowry, o ânion S2– é uma base (recebe Resposta: C
próton).
H+ + S2– Æ AI_QUI0003878
HS–
ácido base complexo coordenado
Segundo Lewis, o ânion S2– é uma base (cede par de elétron). 35)
Resposta: A
b) Propriedades básicas, pois a amônia apresenta par de
29) Hg2+ + 4 I–
Æ HgI2– elétrons disponível.
4
ácido base complexo coordenado
36) De acordo com Brönsted-Lowry:
O íon Hg2+ é um ácido segundo Lewis.
Resposta: B H+ H+

H2SO4 + HNO3 H2NO3+ + HSO4–


30) 01) Verdadeiro.
ácido 1 base 2 ácido 2 base 1
02) Verdadeiro.
De acordo com Brönsted-Lowry: De acordo com Lewis:
H+ + HNO3 Æ H2NO3+
H+ H+
ácido AI_QUI0003881
base complexo coordenado
Resposta: E
NH3 + H2O NH4+ + OH–
base 2 ácido 1 ácido 2 base 1

par conjugado
par conjugado 37)

Pares conjugados: H2O/OH– e NH4+/NH3


04) Verdadeiro. AI_QUI0003879
De acordo com Lewis:
NH3 + H+ Æ NH4+ BF3 + F– Æ BF4–
base ácido complexo coordenado ácido base complexo coordenado
08) Falso. Resposta: A
Resposta: 07

38) a) A Teoria de Arrhenius só considera soluções aquosas.


b) A Teoria de Brönsted-Lowry só considera reações que
ocorrem com transferência de prótons.
31)

39) I. Verdadeiro.
Resposta: B O zanamivir apresenta vários pares de elétrons não
ligantes.
32) De acordo com Lewis: II. Falso.
Fe2+ + 6 CN– Æ [Fe(CN)6]4– Nenhuma das duas moléculas apresenta a função fenol.
ácido base complexo coordenado
Resposta: A

– 19
III.Falso. 08) Falso.
O ácido fosfórico neutraliza a base NaOH adicionada. A adição de HCl, aumenta a concentração de íons H+,
Resposta: A deslocando o equilíbrio para a esquerda.
16) Verdadeiro.
40) (V) As moléculas de H2O são doadoras de pares de elétrons. A velocidade da reação inversa pode ser expressa por:
(F) O meio é ácido, logo, [H+] > 1,0 . 10–7 mol . L–1 (a 25°C) v = k . [H+] . [CH3COO–]
(V) Como a adição de AlCl3 produz uma solução com pH < 7, 32) Verdadeiro.
pode-se afirmar que o AlCl3 apresenta caráter ácido e sua 1 H3CCOOH + 1 NaOH Æ H3CCOO–Na+ + H2O
solução aquosa apresenta [H+] > 1,0 . 10–7 mol L–1.  
(V) A espécie [Al(H2O)6]3+ é doadora de prótons, e portanto, 1 mol 1 mol
comporta-se como ácido de Brönsted. Resposta: 51
(V) Solvatação é o processo de interação entre o soluto e o
solvente. 50) 01) Falso.
Segundo Arrhenius, ácidos são todas as substâncias que

 
45) HNO3 NO–3 HNO2 NO–2 ao serem colocadas em água, sofrem ionização liberando
mais mais mais mais íons H+.
forte fraca fraco forte 02) Verdadeiro.
Resposta: B Segundo Brönsted, ácidos são substâncias capazes de
doar prótons.

 
46) HCN CN– HNO2 NO–2 04) Falso.
mais mais mais mais As espécies H+, Cu2+ e AlCl3 são receptoras de par de
fraco forte forte fraca elétron e, portanto, ácidos de Lewis.
Resposta: D A espécie NH3 apresenta par de elétrons disponível e,
portanto é uma base de Lewis.
08) Falso.
H+ H+ A força de um ácido ou de uma base aumenta com o
aumento de sua capacidade de ionização em água.
47) HONO (aq) + CN – (aq) HCN (aq) + ONO– (aq) 16) Verdadeiro.
Quanto mais forte é o ácido, mais fraca é sua base
ácido 1 base 2 ácido 2 base 2
mais mais mais mais conjugada.
forte forte fraco fraca Resposta: 18

K = 1,1 . 106 H+ H+
AI_QUI0003884
Como a constante de equilíbrio é muito alta, pode-se afirmar A B C D
que a quantidade de produtos e maior que a quantidade de 51) H3C — CO2H + H2O H3O+ + CH3 — CO–2
reagentes.
ácido base ácido base
Resposta: B
fraco fraca forte forte

48) Quanto mais fraca é a base, mais forte será o seu ácido par conjugado
conjugado.
par conjugado
O ácido mais forte é aquele que apresenta a maior constante
de ionização. De acordo com Lewis:
Resposta: E H+ + H2OAI_QUI0003885
Æ H3O+
ácido base complexo coordenado
49) CH3COOH ¨ Æ CH COO– + H+ K = 1,8 . 10–5
3 01) Verdadeiro.
01) Verdadeiro. H3O+ é chamado hidrônio.
Constante pequena, portanto o ácido é fraco e, neste 02) Falso.
caso, existem mais moléculas do que íons. Se um ácido é fraco, sua base conjugada é forte.
02) Verdadeiro. 04) Verdadeiro.
O ânion CH3COO– é um receptor de prótons. H2O é doadora de par de elétrons.
04) Falso. 08) Verdadeiro.
O ácido CH3COOH é um monoácido, pois apresenta um
único átomo de hidrogênio ionizável. CH3 — CO2– é o íon acetato.

16) Verdadeiro.
H2O e H3O+ formam um par conjugado.
32) Verdadeiro.
H3O+ é ácido de Brönsted-Lowry, pois é doador de próton.
Resposta: 61

20 –
52) I. Correto. 64) I. Quanto mais forte a ligação (Y — H) mais fraco será o
Na equação 3, a espécie OH– é doadora de prótons, ácido.
portanto é um ácido, como a constante é muito pequena, II. Quanto mais eletronegativo for o átomo Y, mais forte será
o ácido é muitíssimo fraco. o ácido.
II. Correto. IV. Quanto mais estável for Y–, mais forte é o ácido.
III. Correto. Resposta: C
H+ H+

HNO2 + X NO–2 + Y 65)


ácido base
Como o flúor é eletron-atraente, quanto mais átomos de flúor
par conjugado mais livre fica o átomo de hidrogênio da carboxila e, portanto,
IV. Correto. mais forte é o ácido.
Quanto maior a constante, mais forte é o ácido. Resposta: A
HNO2AI_QUI0003886
NH4+
KC @ 10–4 > KC @ 10–10
66) A anilina é a mais fraca das bases, pois o
V. Correto.
NH4+ (aq) Æ
¨ NH3 (aq) + H+ (aq) KC @ 10–10
1
H+ (aq) + NO–2 (aq) Æ
¨ HNO2 (aq) KC @ –––– @ 104
10–4 o grupo é elétron-atraente enquanto os gru-
––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––––
Somando as 2 equações, obtém-se:
NH4+ (aq) + NO2– (aq) Æ pos alquila são elétron-repelentes.
¨ NH3 (aq) + HNO2 (aq)
KC @ 10–10 . 104 Resposta: E

KC @ 10–6
O
Resposta: A
67) I) H3C C C II) OH
H2 OH
60) HClO4: m = 4 – 1 = 3 ácido muito forte ácido carboxílico fenol
HNO3: m = 3 – 1 = 2 ácido forte
H3PO4: m = 4 – 3 = 1 ácido semiforte
H3BO3: m = 3 – 3 = 0 ácido fraco
III) C C OH IV) H3C CH2 OH
Resposta: C
H2 H2
álcool álcool
61) I. H2SO4: m = 4 – 2 = 2 ácido forte
II. HClO4: m = 4 – 1 = 3 ácido muito forte Os compostos I e II apresentam caráter ácido e, portanto, têm
III. H2S: ácido fraco QUI-0005162-b
ação sobre indicadores.
IV. H3PO4: m = 4 – 3 = 1 ácido semiforte Resposta: D
Resposta: A

62) HF: ácido semiforte


68)
HCl: ácido forte
HBr: ácido forte
HI: ácido forte
Resposta: D

H O
63) H3C C C
e-
X e- O H
e-
Captura de cátion hidrogênio (H+) representa caráter básico. A
Se X atrair elétrons, ocorre um deslocamento dos elétrons, substância mais básica é a dietilamina, pois apresenta dois
QUI-0005156-a
liberando mais facilmente o íon H+. grupos elétrons-repelentes ligados ao nitrogênio.
Resposta: C Resposta: B

– 21
O Cl O b) A forma III está em maior quantidade, pois, devido ao excesso
de amônia no meio, as formas I e II dissociam liberando
69) I) H3C C II) Cl C C
prótons para a amônia, produzindo a forma III.
OH Cl OH +
N — H + •• NH3 Æ
¨ N + NH4+
ácido carboxílico ácido carboxílico

III) OH IV) H3C CH2 OH

fenol álcool

Álcool apresenta caráter neutro.


Fenol apresenta caráter ácido mas é mais fraco que ácidos
QUI-0005164-a
carboxílicos. Ácido tricloroacético apresenta 3 átomos de cloro
que são elétron-atraentes e, neste caso, é mais forte que o
ácido acético.
Resposta: A

70) O átomo de flúor (F) é elétron-atraente como o átomo de


iodo (I). Como o flúor é mais eletronegativo que o iodo,
substituir X por F, a ligação O — H na carboxila fica mais solta
e libera o próton mais facilmente.
Resposta: C

71)

b)

Ordem crescente de eletronegatividade: H < Cl < F


Ordem crescente de acidez: III < I < II

72) a) Temos as seguintes equações de dissociação:

H+ + K1 = 1 . 10-3

+
N N
H
base mais fraca
anel piridínico
(ácido mais forte)

H+ + K2 = 1 . 10-8
+
N N
H CH3 CH3
anel pirrolidínico base mais forte
(ácido mais fraco)

Pelo exposto, o nitrogênio do anel pirrolidínico é mais básico,


pois sua base conjugada é mais forte.

22 – QUI-0005328-b
QUÍMICA I) NaCl Æ Na+ + Cl–

q=1+1=2
LIVRO 3
i = 1 + a . (q – 1)
Físico-Química i = 1 + 1 (2 – 1)
iII = 2,0
Capítulo 4 – Propriedades Coligativas das Soluções
iI 1,8
––– = –––– = 0,9
iII 2,0
5) 6 . 1023 moléculas –––––––– 180 g
x –––––––– 18 g
10) Na2SO4 Æ +
¨ 2 Na + SO2–
x = 6 . 1022 moléculas 4

q=2+1=3
Como a glicose não sofre ionização, o número de partículas
i = 1 + a (q – 1)
dispersas é igual ao número de moléculas.
2,6 = 1 + a (3 – 1)
6) H3PO4 Æ +
¨ 3H + 1 PO3–
4 a = 0,8 \ 80%
Resposta: B
q=3+1=4
i = 1 + a (q – 1) i = 1 + 0,3 (4 – 1) i = 1,9 11) CaCl2 Æ
¨ Ca
2+ + 2Cl–

q=1+2=3
7) 6 . 1023 moléculas –––––––– 36,5 g
i = 1 + a (q – 1)
x –––––––– 3,65 g
i = 1 + 0,8 (3 – 1)
x = 6 . 1022 moléculas
i = 2,6
HCl Æ + – Nd = 1 mol = 6 . 1023 partículas
¨ 1 H + 1 Cl
Npd = Nd . i
q=1+1=2
Npd = 6 . 1023 . 2,6
i = 1 + a (q – 1) i = 1 + 0,8 (2 – 1) i = 1,8
Npd = 1,56 . 1024 partículas
Número de partículas dispersas
Número de moléculas dissolvidas 12) a) CaCl2 Æ
¨ Ca
2+ + 2 Cl–
 
Npd = Nd . i q=1+2=3
Npd = 6 . 1022 . 1,8
i = 1 + a (q – 1)
Npd = 1,08 . 1023 partículas 2,5 = 1 + a (3 – 1)
a = 0,75
8) Em 1 litro tem-se 0,2 mol de H2SO4.
H2SO4 Æ +
¨ 2 H + SO4
2– b) FeCl3 Æ
¨ Fe
3+ + 3 Cl–

q=2+1=3 q=1+3=4
i = 1 + a (q – 1)
i = 1 + a (q – 1)
i = 1 + 0,8 (3 – 1) i = 2,6
3 = 1 + a (4 – 1)
Número de moléculas dissolvidas a = 0,67

Nd = 0,2 . 6 . 1023 = 1,2 . 1023 moléculas c) NaCl Æ
¨ Na+ + Cl–

Número de partículas dispersas q=1+1=2



Npd = Nd . i = 1,2 . 1023 . 2,6 i = 1 + a (q – 1)
1,9 = 1 + a (2 – 1)
Npd = 3,12 . 1023 partículas
a = 0,9

9) I) HCl Æ + –
d) Na2CO3 Æ CO2–
¨ H + Cl +
¨ 2 Na + 3

q=1+1=2 q=2+1=3
i = 1 + a . (q – 1) i = 1 + a (q – 1)
i = 1 + 0,8 (2 – 1) 2,6 = 1 + a (3 – 1)
iI = 1,8 a = 0,8
Resposta: C

– 23
13) I) KCl Æ +
¨ K + Cl– 28) • O líquido que evapora com maior velocidade é aquele que
tiver a menor temperatura de ebulição, neste caso, sulfeto
q=1+1=2 de carbono (CS2). O líquido que possui interações mais
i = 1 + a (q – 1) fortes entre suas moléculas é aquele que tem maior
1,9 = 1 + a (2 – 1) temperatura de ebulição, neste caso, água (H2O).
aI = 0,9 • Em localidades de grandes altitudes a pressão atmosférica
é menor e, portanto, o ponto de ebulição da água é menor.
II) Na2SO4 Æ +
¨ 2 Na + SO2–
4
29) Ao resfriar o balão (molhar com água fria) a pressão interna
q=2+1=3 diminui, diminuindo o ponto de ebulição de água.
i = 1 + a (q – 1) Resposta: D
2,8 = 1 + a (3 – 1)
aII = 0,9 30) Como o CCl4 apresenta maior pressão de vapor, ele contribui
mais para a pressão total.
aI 0,9
––– = –––– = 1 Resposta: D
aII 0,9

31) Quanto maior a temperatura maior é a pressão de vapor.


Resposta: A
T
TA = 60°C
24) a) Do gráfico
B = 70°C
32) Quanto maior a temperatura de ebulição do líquido, menos
volátil ele é e, consequentemente, menor será a quantidade
b) de vapor no tubo.
Resposta: E

33) A pressão de vapor só depende da temperatura e da natureza


do líquido.
Resposta: B

34) A pressão de vapor só depende da temperatura e da natureza


O líquido A tem maior pressão de vapor e ela vale
do líquido.
aproximadamente 0,8 atm.
Resposta: D

25) A substância menos volátil é aquela que apresenta menor

T
pressão de vapor, ou seja, CH3COOH. Téter @ 32°C
35) a) Do gráfico
Resposta: A etanol @ 77°C

b) Sob pressão de 500 mm de Hg os pontos de ebulição do


26) éter dietílico e do etanol, são respectivamente, 22°C e 67°C
5 OH
l4

aproximadamente. (Vide gráfico).


P
CH
CC

H
2

(mHg) Neste caso, o éter dietílico a 50°C é gasoso e o etanol a


3 COO
HO
DO

50°C é líquido.
2

CH 2

843
36) O ponto de ebulição é atingido quando a pressão de vapor do
813 líquido se iguala à pressão externa. Como os líquidos estão no
mesmo local, a pressão externa é a mesma e, portanto,
700 quando em ebulição, as pressões de vapor são iguais.
Resposta: B
355
332
202 37) A pressão de vapor depende da temperatura.
Resposta: E
80 T (ºC)
38) No nível do mar, a água ferve a 100°C, pois a pressão atmos-
As substâncias CCl4 e C2H5OH estão totalmente vaporizadas. férica é de 760 mmHg. Em locais acima do nível do mar a
Resposta: B pressão atmosférica é menor e, consequentemente, o ponto
de ebulição será menor.
27) As pressões P1, P2 e PQUI-0005330-a
3 são iguais, pois a pressão de vapor não Resposta: C
depende da quantidade de líquido e sim da temperatura e da
natureza do líquido. 39) 1) Verdadeiro.
Resposta: B Substâncias com baixo ponto de ebulição evaporam
facilmente podendo contaminar o ambiente.

24 –
2) Verdadeiro. 44) a)
Quanto maior a temperatura maior a velocidade das
moléculas dos gases e vapores e maior a velocidade das
reações químicas.
3) Verdadeiro.
Quanto maior a altitude, menor a pressão atmosférica e
maior a rapidez da vaporização.

40) A ebulição ocorre quando a pressão de vapor se iguala a Temperatura de ebulição é 140°C.
pressão atmosférica. b) Do gráfico: P = 2 atm e T = 65°C
Como a pressão local é 150 mmHg, qualquer líquido que tenha
a pressão de vapor maior ou igual a 150 mmHg entraria em
ebulição.
Resposta: C

41) Quanto mais volátil a substância, maior será sua pressão de


vapor saturante. A 25°C, CO2 é gás; Br2 e Hg são líquidos. A
ligação metálica no Hg é mais forte que a força de van der
Waals no Br2.
Resposta: A 45) A transformação citada é representada pela flecha “c”.
“Bolas de gelo”
volatilização
42) a) O etanol é o líquido  A  B sólido ææææææÆ gás
De acordo com o gráfico, o etanol é o que apresenta maior
pressão de vapor. 46) Do gráfico: y = 67 atm
b) Verificando no gráfico, a 25°C: Compressão isotérmica = aumento de pressão a temperatura
PH O = 25 mmHg e petanol = 56,25 mmHg constante.
2
h = petanol – pH O = 56,25 – 25
2
h = 31,25 mm

c) O líquido que apresenta maior valor de DH é  água


 o etanol
As pontes de hidrogênio na água são mais intensas que no
etanol.
d) A 25°C a pH O = 25 mmHg.
2
No gráfico, verifica-se que para petanol ser 25 mmHg, a
temperatura deve ser 10°C. Do gráfico: x = – 78°C
Nas condições descritas, a temperatura do etanol deve ser
de 10°C.

43) a) P.V. = n . R . T
m atm . L
0,035atm.1 000 L = ––––––––– .0,082 . ––––––––– (27 + 273) K
18 g/mol mol . K
m = 25,6 g
Como a densidade da água é 1 g . mL–1, então V = 25,6 mL Resposta: D
Para chegar à pressão de 0,035 atm, só evaporam 25,6 mL
de água. 47) De acordo com o gráfico, sob pressões abaixo de 5,1 atm não
1 mol existe dióxido de carbono líquido.
evaporam 
b) 40,7 kJ ––––––––––– 18 g de H2O Resposta: B
x ––––––––––– 1 000 g de H2O
 48) 01) Falso.
1 L de H2O A pressão de vapor deve ser igual à pressão exercida
sobre o líquido.
x = 2261,11 kJ 02) Verdadeiro.
A vaporização é um processo endotérmico.

– 25
04) Verdadeiro. H2O
c) HCl (g) æææÆ H+ (aq) + Cl– (aq)
Quando a pressão de vapor iguala a pressão externa, o
material passa para o estado gasoso.
0,1 mol/L 0,2 mol/L
08) Verdadeiro.
Nos líquidos, as partículas estão mais próximas e,
portanto, a densidade é maior. H2O
d) HCl (g) æææÆ H+ (aq) + Cl– (aq)
16) Verdadeiro.
Quanto mais volátil for o líquido, maior será sua pressão 0,2 mol/L 0,4 mol/L
de vapor.
Resposta: 30
H2O
e) NaOH (s) æææÆ Na+ (aq) + OH– (aq)
49) Como o ponto triplo é superior a 1 atm, pode-se dizer que
abaixo desta pressão, não existe CO2 líquido. 0,1 mol/L 0,2 mol/L
Resposta: A
Quanto maior o n.o de partículas dispersas, menor a pressão de
54) 1) Falso. vapor.
Quanto mais volátil o líquido, maior sua pressão de vapor. Resposta: D
pA < pB \ B é mais volátil que A.
2) Falso. 57) Quanto mais partículas dispersas, menor a pressão de vapor.
B é mais volátil e, portanto, apresenta menor temperatura Resposta: C
de ebulição.
3) Falso.
58) Cálculo do fator de van’t Hoff: i = 1 + a (q – 1)
A pressão de vapor não depende do volume do líquido.
BaCl2: i = 1 + 0,8 . (3 – 1)
4) Verdadeiro.
A temperatura de ebulição depende da pressão externa. 1 Ba2+ + 2 Cl– i = 2,6
Quanto maior a pressão externa, maior será a
K3[Fe(CN)6]: i = 1 + 0,5 . (4 – 1)
temperatura de ebulição.
5) Verdadeiro. 3 K+ + 1 Fe(CN)3–
6 i = 2,5
Tonometria: ao ser adicionado um soluto não volátil a um
Como a concentração é a mesma, aquele que tiver maior “i”
solvente, a pressão de vapor do solvente diminui.
terá o maior número de partículas dispersas e, consequen-
6) Verdadeiro.
temente, maior abaixamento na pressão de vapor.
Temperatura de ebulição da água quando submetida a
Resposta: BaCl2
uma pressão externa de 760 mmHg é 100°C e, portanto,
sua pressão de vapor nesta temperatura é 760 mmHg.
Dp
59) –––– = Kt . Mm . i
55) O efeito coligativo é diretamente proporcional ao número de P
partículas dispersas por unidade de volume.
Quanto mais partículas dispersas, menor a pressão de vapor.
Sistema x: apenas solvente (maior pressão de vapor) i = 1 (glicose é composto molecular)
Sistema y: 1 mol de naftaleno –––––––– 128 g
ny –––––––– 5 g Dp MH O nglicose
2
–––– = ––––––– . –––––––––––––– . 1
ny = 0,04 mol P 1 000 mH O em kg
2

Sistema z: 1 mol de naftaceno –––––––– 228 g m 90 g


nz –––––––– 5 g nglicose = –––– = ––––––––––– = 0,5 mol
M 180 g/mol
nz = 0,02 mol
Dp 18 0,5
–––– = ––––– . –––––
Ordem crescente de partículas dispersas: x < z < y P 1 000 0,25
Ordem crescente de pressão de vapor: py < pz < px
Resposta: C Dp
–––– = 0,036
P
56) Considerando o ácido 100% ionizado:
H2O
a) sacarose (s) æææÆ sacarose (aq)
Dp
0,1 mol 0,1 mol/L 60) –––– = Kt . Mm . i
P
H2O
b) sacarose (s) æææÆ sacarose (aq) NaCl Æ 1 Na+ + 1 Cl–
0,2 mol 0,2 mol/L
q=2

26 –
Cálculo do i: 63) O abaixamento da pressão de vapor foi de 10 mmHg, pois a
i = 1 + a (q – 1) pressão de vapor da água é 760 mmHg e a pressão de vapor
i = 1 + 1 (2 – 1) da solução é 750 mmHg.
Dp
i=2
–––– = Kt . Mm . i
P
Cálculo do Kt:
MH O 18 Dp Æ abaixamento absoluto
2
Kt = –––––––– = –––––––– = 0,018
1 000 1 000 P Æ PH O
2
i Æ solução não eletrolítica
Cálculo do Mm:
5,85
nNaCl –––––
58,5 10 MH O nsoluto
Mm = –––––––––––––– = –––––––– = 0,2 2
–––– = –––––––– . ––––––––––––– . 1
mH O em kg 0,5 760 1 000 mH O em kg
2 2

Dp msoluto
–––– = 0,018 . 0,2 . 2 ––––––––
P 10 18 Msoluto
–––– = –––––– . ––––––––– . 1
760 1 000 0,135
Dp
–––– = 7,2 . 10–3
P 10 18 15 1
–––– = –––––– . ––––––––– . ––––––
760 1 000 Msoluto 0,135
Dp
61) –––– = Kt . Mm . i
P 18 . 15 . 760
Msoluto = –––––––––––––––––
10 . 1 000 . 0,135
Cálculo do i:
i = 1 + a (q – 1)
Msoluto = 152 g/mol
CaCl2 Æ Ca2+ + 2 Cl– i = 1 + 0,95 (3 – 1) i = 2,9
Massa molecular = 152 u
q=3
Resposta: D
Dp MH O nCaCl
2 2
–––– = ––––––– . –––––––––––––– .i 66) A) ureia Æ ureia
P 1 000 mH O em kg
2
0,2 mol/kg 0,2 mol/kg
Dp 18 0,4
–––– = ––––– . ––––– . 2,9 B) NaCl Æ Na+ + Cl –
P 1 000 0,2
0,1 mol/kg 0,2 mol/kg
Dp
–––– = 0,1044
P C) HCl Æ H+ + Cl –

0,1 mol/kg 0,2 mol/kg

Dp Como os números de partículas dispersas são iguais o efeito


62) –––– = Kt . Mm . i
P coligativo é igual.
Resposta: A
Dp = Kt . Mm . i . P
H2O
Cálculo do Kt: 67) BaCl2 (s) ææÆ Ba2+ (aq) + 2 Cl – (aq)
MH O 18 0,010 mol/L 0,030 mol/L
2
Kt = –––––––– = –––––––– = 0,018
1 000 1 000
H2O
C6H12O6 (s) ææÆ C6H12O6 (aq)
Cálculo do Mm:
41 0,010 mol/L 0,010 mol/L
nsacarose –––––
342
Mm = –––––––––––––– = ––––––– = 0,342
mH O em kg 0,35 Como o número de partículas dispersas da primeira solução é
2
o triplo do número de partículas dispersas da segunda
Cálculo do i: solução, pode-se afirmar que o abaixamento do ponto de
i = 1 (sacarose é composto molecular) congelação da primeira é cerca de três vezes maior que o da
Dp = 0,018 . 0,342 . 1 . 21 segunda.
Resposta: C
Dp = 0,13 mm de Hg

– 27
H2O H2O
68) I. C12H22O11 ææÆ C12H22O11 Me(NO3)2 ææÆ Me2+ + 2 NO3–
x mol/kg x mol/kg
0,05 mol/L 0,15 mol/L

H2O 0,10 mol/L –––––––– 0,18°C


II. NaCl ææÆ Na+ + Cl – 0,15 mol/L –––––––– x
y mol/kg 2y mol/kg x = 0,27 fi abaixamento

O ponto de solidificação será – 0,27°C


H2O Resposta: C
III. MgSO4 ææÆ Mg2+ + SO42–

z mol/kg 2z mol/kg H2O


Æ H+ + H CCOO–
74) A: ácido acético: H3CCOOH ¨ææ 3
H2O
IV. MgCl2 ææÆ Mg2+ + 2 Cl– (ácido fraco)
x mol/L entre (x e 2x) mol/L
w mol/kg 3w mol/kg
(mais próximo a x)
Para que o abaixamento do ponto de congelamento seja o
H2O
mesmo, o número de partículas deve ser o mesmo: Æ H+ + Cl–
B: cloreto de hidrogênio: HCl ¨ææ
x = 2y = 2z = 3w
(ácidoforte)
Resposta: C x mol/L entre (x e 2x) mol/L

(mais próximo a 2x)


69) Ao se adicionar um soluto a um solvente, o ponto de
congelamento do solvente é diminuido.
C: sacarose: C12H22O11 æÆ C12H22O11
Resposta: B
x mol/L x mol/L
70) Para que o abaixamento seja o mesmo, o número de partículas
do soluto por unidade de massa de solvente deve ser o Ordem crescente do número de partículas dispersas:
mesmo. C<A<B
Resposta: B Ordem crescente da temperatura de congelação:
B<A<C
71) Para ter o maior ponto de solidificação, deve ter o menor Resposta: E
número de partículas dispersas, ou seja, a água pura.
Resposta: E Para NaCl: 0,010 (I)
0,370 = KC . ––––– . 2
0,1
75) DtC = KC . Mm . i i=2
72) Cálculo de KC: Para sal x: 0,010 (II)
0,925 = KC . ––––– . i
DtC = KC . Mm . i Æ 1 (açúcar não ioniza) 0,1
i=?
naçúcar
1,86 = KC . –––––––––––– Dividindo II por I:
mH O em kg 0,925 KC . 0,1 . i
2 i=5
––––––– = ––––––––––––
1 0,370 K C . 0,1 . 2
1,86 = KC . –––
1
O sal x deve formar 5 íons na dissociação:
KC = 1,86 kg . K . mol–1 a) H3CCOO–Na+ ææÆ H3CCOO– + Na+

2 íons i=2
Cálculo da mH que continua na solução:
2O
DtC = KC . Mm . i b) Na2CO3 ææÆ 2Na+ + CO32–
naçúcar
3,72 = 1,86 . –––––––––––– 3 íons i=3
mH O em kg
2
c) Fe(NO3)3 ææÆ Fe3+ + 3 NO3–
mH = 0,5 kg = 500 g
2O 4 íons i=4
mH que evapora = 1 000 g – 500 g = 500 g
2O
d) Cr2(SO4)3 ææÆ 2 Cr3+ + 3 SO42–
Resposta: D
5 íons i=5
73) O abaixamento é proporcional à concentração:
e) NH4Cl ææÆ NH4+ + Cl –
H2O
C6H12O6 ææÆ C6H12O6
2 íons i=2
0,1 mol/L 0,1 mol/L
Resposta: D

28 –
76) a) T4 < T2 < T1 = T3 e) HNO3 æÆ H+ + NO3–
b) Garrafas 1 e 3 contém apenas H2O e, portanto não tem 0,30 mol/L
partículas dispersas. T1 = T3 0,60 mol/L
Garrafa 2 contém sacarose, que não ioniza e, neste caso, a
Quanto mais partículas dispersas menor o ponto de
concentração final é 0,5 mol dm–3.
congelação.
Garrafa 4 contém NaCl, que dissocia formando íons Na+ e
Resposta: E
Cl– e, neste caso, a concentração final é 1,0 mol dm–3.
Ordem crescente de partículas dispersas: 1 = 3 < 2 < 4.
80) Pode-se medir a temperatura de congelamento, pois a solução
Quanto maior o número de partículas dispersas, menor
com mais partículas dispersas (ácido forte) terá menor
será a temperatura de congelamento e, portanto menor
temperatura de congelamento.
será a temperatura do equilíbrio.
Resposta: D
Ordem crescente de temperatura do equilíbrio:
T4 < T2 < T1 = T3
81) CaCl2 ææÆ 1 Ca2+ + 2 Cl–
H2O H2O
77) KNO3 ææÆ K+ + NO–3 MgSO4 ææÆ Mg2+ + SO2–4 q=3
x mol/L x mol/L i = 1 + a (q – 1)
2x mol/L 2x mol/L
i = 1 + 0,8 (3 – 1)
H2O i = 2,6
Cr(NO3)3 ææÆ Cr3+ + 3 NO–3
x mol/L
DtC = KC . Mm . i
4x mol/L
DtC = 1,86 . 0,2 . 2,6
Ordem crescente de partículas dispersas: DtC = 0,97°C
KNO3 = MgSO4 < Cr(NO3)3
Temperatura de congelamento = – 0,97°C
Quanto mais partículas dispersas, menor o ponto de con-
gelação.
82) Fe2(SO4)3 ææÆ 2 Fe3+ + 3 SO2–
Ordem crescente de pontos de congelação: 4

Cr(NO3)3 < KNO3 = MgSO4


q=5
Resposta: C
i = 1 + a (q – 1)
78) Ação b i = 1 + 1 (5 – 1)
a) Glicerina æÆ Glicerina i=5
1 mol 1 mol
DtC = KC . Mm . i
b) Na2SO4 æÆ 2 Na+ + SO2–
4 DtC = 1,86 . 0,5 . 5
1 mol DtC = 4,65°C
3 mol
Temperatura de congelação = – 4,65°C

c) NaNO3 æÆ Na+ + NO–3


1 mol 83) Solução não eletrolítica: i = 1
2 mol
DtC = KC . Mm . i
nA
Quanto mais partículas dispersas menor o ponto de 0,372 = 1,86 . –––––––––––– . 1
congelamento. mH O em kg
2

79) a) CaBr2 æÆ Ca2+ + 2 Br– mA


––––
0,10 mol/L MA
0,30 mol/L 0,372 = 1,86 . –––––––– .1
0,1
b) KBr æÆ K+ + Br– mA Æ massa
0,20 mol/L MA Æ massa molar
0,40 mol/L 4
––––
c) Na2SO4 æÆ 2Na+ + SO42– MA
0,372 = 1,86 . –––––––– . 1
0,10 mol/L 0,1
0,30 mol/L

d) C6H12O6 æÆ C6H12O6 MA = 200 g/mol \ MM = 200 u


0,50 mol/L
0,50 mol/L

– 29
87) Substância pura apresenta ponto de ebulição constante, mas 92) Quanto maior o número de partículas dispersas, maior será a
ao se adicionar partículas dispersas, o ponto de ebulição de temperatura de ebulição.
um líquido aumenta.
Resposta: D I. H2O pura (sem partículas dispersas)

88) As três soluções são não eletrolíticas (não ionizam): II. NaCl æÆ Na+ + Cl –
I) ureia æÆ ureia
1 mol/L 1 mol/L 0,5 mol/L 1,00 mol/L

II) glicerina æÆ glicerina III. C6H12O6 æÆ C6H12O6


1 mol/L 1 mol/L
0,50 mol/L 0,50 mol/L
III) glicose æÆ glicose
1 mol/L 1 mol/L IV. NaCl æÆ Na+ + Cl –

Neste caso, o número de partículas dispersas é o mesmo e, 0,25 mol/L 0,50 mol/L
portanto, a temperatura de início de ebulição será a mesma.
V. C6H12O6 æÆ C6H12O6
Resposta: D

89) NaCl ææÆ Na+ + Cl – Na3PO4 ææÆ 3 Na+ + PO3– 0,25 mol/L 0,25 mol/L
4
0,1 mol/L 0,1 mol/L Resposta: B
0,2 mol/L 0,4 mol/L
93) Quanto mais partículas dispersas, maior será o ponto de
K2SO4 ææÆ 2 K+ + SO42– C6H12O6 ææÆ C6H12O6
ebulição, menor será o ponto de solidificação e menor será a
0,1 mol/L 0,1 mol/L
0,3 mol/L 0,1 mol/L pressão de vapor.
Resposta: C
Quanto mais partículas dispersas maior a temperatura de
ebulição. 94) O vapor é basicamente água enquanto a solução residual vai
Ordem crescente de partículas dispersas, ou seja, ordem se tornando cada vez mais concentrada em NaCl .
crescente dos pontos de ebulição. Resposta: E
Glicose (0,1 mol/L) < cloreto de sódio (0,2 mol/L) < sulfato de
potássio (0,3 mol/L) < fosfato trissódico (0,4 mol/L) 95) Tende a aumentar, pois conforme a ebulição vai ocorrendo, a
Neste caso:
quantidade de água na solução vai diminuindo e a solução vai
Glicose Æ IV; cloreto de sódio Æ III; sulfato de potássio Æ II;
se tornando mais concentrada.
fosfato trissódico Æ I
Quanto mais concentrada a solução, maior o ponto de
Resposta: A
ebulição.
90) a) Num lugar onde a pressão ambiente é de 720 mmHg, a
água ferverá abaixo de 100°C. 96) II. A temperatura de ebulição será maior quanto mais intensa
b) Se a temperatura de ebulição é maior pode-se concluir que for a força da ligação química intermolecular.
a pressão de vapor é menor.
III. A temperatura de ebulição será maior quanto maior for a
c) A ebulição ocorre quando a pressão de vapor se iguala a
pressão exercida sobre o líquido.
pressão ambiente. (Recipientes abertos).
d) Ao adicionar partículas dispersas, a temperatura de IV. Quanto mais partículas dispersas maior será a temperatura
ebulição aumenta. de ebulição.
Resposta: E Resposta: D

91) Quanto mais partículas dispersas, maior será o ponto de


97) I. C6H12O6 æÆ C6H12O6
ebulição.
A) sacarose æÆ sacarose 0,1 mol/kg 0,1 mol/kg
0,6 mol/kg 0,6 mol/kg
II. NaCl æÆ Na+ + Cl –
B) KCl æÆ K+ + Cl –
0,1 mol/kg 0,2 mol/kg
0,5 mol/kg 1,0 mol/kg
III. KNO3 æÆ K+ + NO3–
C) Na2SO4 æÆ 2 Na+ + SO2–
4
0,1 mol/kg 0,2 mol/kg
0,5 mol/kg 1,5 mol/kg

IV. H3CCOOH ææÆ H+ + H3CCOO–


Ordem crescente de partículas dispersas: A < B < C
Ordem crescente de pontos de ebulição: A < B < C 0,1 mol/kg entre 0,1 e 0,2 mol/kg mas
Resposta: C mais próximo a 0,1 mol/kg (ácido fraco)
Resposta: B

30 –
98) I. Ao ser resfriada, congela-se em temperatura menor do que DTC = 3,79°C
a água pura.
II. Ao ser aquecida, ferve em temperatura maior que a água b) Considerando que o soluto não sofra ionização: i = 1
pura. Dte = Ke . Mm . i
III. Como o açúcar não ioniza, a condutibilidade da água não é nsoluto
0,60 = 5,03 . ––––––––––––– . 1
alterada. mCCl em kg
Resposta: C 4

msoluto
––––––––
99) Em recipientes abertos, a ebulição ocorre quando a pressão Msoluto
de vapor do líquido se iguala à pressão ambiente. 0,60 = 5,03 . ––––––––––– . 1
0,1
Resposta: E
3
––––––––
100) Do gráfico percebe-se que a temperatura de ebulição de B é Msoluto
maior que a de A. 0,60 = 5,03 . ––––––––––– . 1
0,1

Msoluto = 251,5 g/mol \ MMsoluto = 251,5 u


 
massa molar massa molecular

103) Cálculo do aumento da temperatura de ebulição:


Dte = 77,4°C – 77,0°C
Neste caso, pode-se afirmar que A é mais volátil que B.
Se o líquido A for um solvente puro, o líquido B pode ser uma Dte = 0,4°C
solução de um soluto não volátil nesse solvente.
Cálculo da massa de soluto não ionizado: i = 1
Resposta: B
Dte = Ke . Mm . i
msoluto
101) Amostra A: sem partículas dispersas ––––––––
Amostra B: mais partículas dispersas Msoluto
0,4 = 0,92 . ––––––––––––––– . 1
Amostra C: menos partíulas dispersas msolvente em kg
Ordem crescente de partículas dispersas: A < C < B
msoluto
Ordem crescente de temperaturas de ebulição: A < C < B ––––––––
A amostra B apresenta mais partículas dispersas e, 175
0,4 = 0,92 . ––––––––––– . 1
consequentemente, maior temperatura de ebulição. 0,25
Cálculo do volume por diluição:
CB . VB = CC . VC msoluto = 19 g
280 g . L–1 . VB = 35 g . L–1 . (VB + 7) L

água adicionada 104) Cálculo do aumento da temperatura de ebulição:

VB = 1 L Æ 1,8 g de glicose não ioniza \ i = 1

Dte = Ke . Mm . i
102) a) Aumento do ponto de ebulição: mglicose
––––––––
DTe = Ke . Mm . i Mglicose
Dte = 0,52 . ––––––––––––––– . 1
0,60 = 5,03 . Mm . i (I) mH O em kg
2

Diminuição do ponto de congelamento: 1,8


DTC = KC . Mm . i –––––
180
DTC = 31,8 . Mm . i (II) Dte = 0,52 . –––––––– . 1
0,1
Dividindo II por I:
Dte = 0,052°C
DtC 31,8 . Mm . i
–––– = ––––––––––––– Æ 3,42 g de sacarose não ioniza \ i = 1
0,60 5,03 . Mm . i
msacarose
Obs.: “Mm” e “i” podem-se cancelar, pois as soluções têm ––––––––
a mesma composição. Msacarose
Dte = 0,52 . ––––––––––––––– . 1
31,8 . 0,60 mH O em kg
DTC = –––––––––– 2
5,03

– 31
3,42 * Como a sacarose não ioniza em água, i = 1
–––––– * Cálculo da quantidade de sacarose em 1 L de solução:
342
Dte = 0,52 . ––––––––– . 1
M = 1,2 mol/L \ em 1 L de solução tem-se:
0,1
1,2 mol de sacarose
Dte = 0,052°C
MC = (12 . 12 + 22 . 1 + 11 . 16) g/mol = 342 g/mol
Somando as duas variações: Dte = 0,104°C 12H22O11
total

1 mol de sacarose ––––––– 342 g


Ponto de ebulição será: Te = 100°C + 0,104°C = 100,104°C
1,2 mol de sacarose –––––––– x

ponto de ebulição a 760 mmHg x = 410,4 g de sacarose

105) Cálculo do Ke:


* Cálculo da massa de solução em 1 L de solução:
Dte = Ke . Mm . i
nsoluto d = 1,0104 g/cm3 \ 1 cm3 = 1 mL tem-se 1,0104 g de solução
2,40 = Ke . –––––––––––––––– . 1
msolvente em kg 1 cm3 ––––––––– 1,0104 g de solução
1 000 cm3 ––––––––– y
1
2,40 = Ke . ––– . 1
1 1 litro

Ke = 2,40°C . mol–1 . kg y = 1010,4 g de solução

Cálculo da massa molar do soluto: * Cálculo da massa da água em 1 L de solução:


Dte = Ke . Mm . i
msoluto msolução = msacarose + mH
2O
––––––––
Msoluto 1010,4 g = 410,4 g + mH
0,464 = 2,40 . ––––––––––––––– . 1 2O
msolvente em kg
mH = 600 g
2,4 2O
––––––––
Msoluto
0,464 = 2,40 . ––––––––––– . 1 * Cálculo da concentração em mol por quilograma de
0,1 solvente (Mm):
nsacarose 1,2 mol
M = 124 g/mol Mm = –––––––––––––––– = ––––––––– = 2 mol/kg = 2 molal
msolvente em kg 0,6 kg
Cálculo do número de átomos “x” na substância simples Ax.
MMA = MAA . x * Cálculo da constante molal ebuliométrica (Ke):
x
  Dte = Ke . Mm . i
massa massa
1 K = Ke . 2 molal . 1
molecular atômica

Ke = 0,5 K/molal
124 = 31 . x

x=4 * Cálculo da constante molal criométrica (KC):

Resposta: C DtC = KC . Mm . i

4 K = KC . 2 molal . 1
106) Do gráfico retira-se o abaixamento do ponto de congelamento
(DtC) e o aumento do ponto de ebulição (Dte)
KC = 2 K/molal

115) Ao administrar o soro fisiológico com a mesma pressão


osmótica dos glóbulos vermelhos, não ocorre osmose, e
consequentemente, eles não estouram ou murcham.
Resposta: C

116) Cálculo da concentração de glicose em mol/L:


1 mol ––––– 180 g
x ––––– 54 g/L
x = 0,30 mol/L

32 –
Cálculo da concentração dos íons Ca2+ e Cl –: Quanto mais partículas dispersas, maior será a pressão
H2O osmótica, neste caso, p3 = p4 < p1 < p2
CaCl2 ææÆ Ca2+ + 2 Cl– b) Osmose é a passagem de um solvente por uma membrana
y mol/L 2 y mol/L semipermeável.

3 y mol/L 120) A água irá passar do lado esquerdo para o direito por osmose,
devido a diferença de concentração. Neste caso, a pressão do
3 y = 0,30 (soluções isotônicas) lado direito irá aumentar até atingir um novo equilíbrio.
y = 0,10 mol/L Resposta: B
[Ca2+] = 0,10 mol/L
[Cl –] = 0,20 mol/L 121) O solvente passa por membranas semipermeáveis do meio
Resposta: E hipotônico para o meio hipertônico. Se a célula ira murchar,
ela perderá água e neste caso é o meio hipotônico em relação
117) Por osmose, a água sairá do compartimento em que estiver, a solução salina. A pressão osmótica da solução salina é maior
em direção aos das soluções de cloreto de sódio. que a da célula devido a ser mais concentrada.
Pode-se afirmar que a água está no compartimento B. Quanto maior a concentração da solução salina externa, maior
Como no final, o volume do compartimento C fica maior que será o fluxo de solvente da célula para o meio.
o do A, pode-se afirmar que entrou mais água em C, e, neste Resposta: 22 (corretos: 02, 04 e 16)
caso, a solução do compartimento C era mais concentrada.
Quanto mais partículas dispersas, maior a pressão osmótica e 122) “Se as células vermelhas do sangue (meio hipertônico) forem
menor a pressão de vapor. Neste caso, a solução do removidas para um béquer contendo água destilada (meio
compartimento C tem maior pressão osmótica e menor hipotônico), haverá passagem da água para dentro das células
pressão de vapor. (por osmose).
Resposta: Corretas: 1 e 3 Se as células (meio hipotônico) forem colocadas numa solução
salina concentrada, haverá migração da água para fora das
118) Cálculo da concentração dos íons em solução: células por osmose com o enrugamento delas.
H2O As soluções projetadas para injeções endovenosas devem ter
NaCl ææÆ Na+ + Cl– pressões osmóticas próximas às das soluções contidas nas
0,1 mol/L células (para que não ocorra a osmose)”.
0,2 mol/L Resposta: A
H2O
MgCl2 ææÆ Mg2+ + 2 Cl–
123) a) Cálculo da concentração dos íons:
0,1 mol/L
0,3 mol/L NaCl ææÆ Na+ + Cl–
0,15 mol/L
Como a solução de cloreto de magnésio tem mais partículas 0,30 mol/L
dispersas, pode-se afirmar que ela é a melhor condutora de
eletricidade, apresenta menor pressão de vapor, congela-se a Cálculo da pressão osmótica:
uma temperatura mais baixa, tem maior pressão osmótica e p=MRT
maior ponto de ebulição.
mol k Pa . L
Resposta: A p = 0,30 ––––––– . 8,3 . ––––––– . (273 + 37) K
L mol . K
119) a) Cálculo do número de partículas dispersas (Npd):
H2O
p = 771,9 kPa
1) NaCl ææÆ Na+ + Cl–
0,10 mol/L
0,20 mol/L b) Para serem isotônicas, as concentrações devem ser iguais.
*Cálculo da concentração na bebida:
H2O
2) MgCl2 ææÆ Mg2+ + 2 Cl– Sacarose
0,10 mol/L 1 mol ––––––– 342 g
0,30 mol/L x ––––––– 35 g
x = 0,102 mol
H2O
3) C6H12O6 ææÆ C6H12O6
0,10 mol/L Sais monovalentes
0,10 mol/L
H2O xy æÆ x+ + y–
4) C12H22O11 ææÆ C12H22O11 0,015 mol
0,10 mol/L 0,030 mol
0,10 mol/L Quantidade de matéria total: 0,102 + 0,030 = 0,132 mol
Npd: 3 = 4 < 1 < 2 Como no rótulo a informação é de volume 500 mL, então

– 33
0,132 mol 127) a) Quando imerso em água, o volume do sistema, por ser
M = ––––––––– fi M = 0,264 mol/L
mais concentrado, irá aumentar devido à osmose.
0,5 L
b) Decanoato de sódio
Não são isotônicas, pois: 0,30 mol/L ≠ 0,264 mol/L O
  H3C — (CH2)8 — C
NaCl bebida O–Na+

Confirmando: Pentanoato de sódio


*Cálculo da pressão osmótica da bebida: O
k Pa . L H3C — (CH2)3 — C
p = 0,264 mol/L . 8,3 ––––––––– . (273 + 37) K O–Na+
mol . K
Os dois sais apresentam a mesma quantidade de partículas
dispersas, mesma pressão osmótica, pois as concentrações
p = 679,3 kPa
são iguais e as quantidades de íons também são iguais.
Neste caso, ao ser imerso em solução de pentanoato de
Não são isotônicas pois: 771,9 kPa ≠ 679,3 kPa
sódio, o volume não se altera, pois não ocorre osmose.
 
NaCl bebida
128) Ao reagir I e III forma-se precipitado, de acordo com a equação
K+ (aq) + Cl– (aq) + Ag+ (aq) + NO–3 (aq) Æ AgCl (s) + K+ (aq) + NO–3 (aq)
124) Se o teor de íons de sódio no interior da célula for superior ao
A quantidade de íons por unidade de volume diminui e,
externo, a água fluirá do meio externo (hipotônico) para
portanto, a condutividade elétrica específica também diminui.
dentro da célula (hipertônico) por osmose.
Resposta: E
Resposta: E

129) Para ser injetado na corrente sanguínea sem causar danos, a


125) Cálculo das concentrações de partículas dispersas nas
pressão osmótica do medicamento deve ser igual à do sangue.
soluções:
Resposta: E
I. C6H12O6 æÆ C6H12O6
0,030 mol/L 0,030 mol/L
130) O efeito coligativo depende do produto M . i (número de
Æ
II. H3CCOOH ¨ææ H+ + H3CCOO– partículas em concentração mol/L)
0,030 mol/L
entre 0,030 mol/L e KBr i = 2; M = 0,2mol/L
0,060 mol/L (ácido fraco) M i = 0,4 mol/L
III. CaCl2 æÆ Ca2+ + 2 Cl– FeBr3 i = 4; M = 0,1mol/L
0,010 mol/L M . i = 0,4mol/L
0,030 mol/L
Como o número de partículas em mol/L é o mesmo, teremos:
Ordem de partículas dispersas: I @ III < II I. A pressão osmótica das duas soluções será a mesma.
II. A pressão de vapor da água será igual nos dois balões.
a) Quanto mais partículas dispersas menor a pressão de Resposta: A
vapor, portanto:
pII < pI @ pIII 131) a) Hidrofílico é todo material que tem afinidade por água:
b) Quanto mais partículas dispersas maior a pressão entre o açúcar e a água ocorre afinidade devido às pontes
osmótica, portanto: pI @ pIII < pII de hidrogênio que se estabelecem entre as moléculas de
c) Quanto mais partículas dispersas maior a temperatura de água e as moléculas do açúcar.
ebulição, portanto: DTI @ DTIII < DTII b) Existe, mas acontece que no caso do sal a adição de soluto
Resposta: A é menor que no caso do açúcar e, portanto, a pressão
osmótica é menor.
126) a) Solução A pois é a menos concentrada e, portanto
apresenta a maior pressão de vapor e menor pressão 132) Cálculo da concentração em mol/L dos íons em solução:
osmótica.
b) Ci . Vi = Cf . Vf fi Vf = 90% . Vi = 90% . 2 L = 1,8 L 1 mol de NaCl ––––––– 58,5 g
9g x –––––––– 5,85 g/L
–––– . 2 L = Cf . 1,8 L x = 0,1 mol/L de NaCl
L

NaCl Æ Na+ + Cl–


Cf = 10 g/L 0,1 mol/L
0,2 mol/L

34 –
Cálculo da pressão osmótica (p):
p=M.R.T
mol atm . L
p = 0,2 –––––– . 0,082 ––––––––– . (27 + 273) K
L mol . K

p = 4,92 atm

Resposta: C

133) p = M . R T
atm . L
7,626 atm = M . 0,082 ––––––––– . (37 + 273) K
mol . K

M = 0,30 mol/L

Resposta: B

134) p = M . R T
L . mmHg
1,7 . 104 mmHg = M . 62,3 –––––––––– . 273 K
K . mol
M = 1,0 mol/L

1,0 mol de glicose em 1,0 litro de solvente


x y
Resposta: D

135) Osmose é a passagem de solvente e, portanto, a membrana


deve ser impermeável ao soluto.
Resposta: C

136) Para que os pistões não se movam, as forças devem se anular,


ou seja, a p2 = p1 + p
Neste caso: p = p2 – p1
Resposta: C

137) Para que os índices sejam utilizados nos cálculos, o composto


AxBy deve sofrer dissociação ou ionização de acordo com a
equação:
AxBy æÆ x Ay+ + y Bx–
Neste caso, com a formação dos íons temos solução
eletrolítica.
Resposta: A

138) Cálculo da concentração em mol/L:


p=M.R.T
atm . L
1,23 atm = M . 0,082 ––––––––– . (27 + 273) K
mol . K

M = 0,05 mol/L

Cálculo da quantidade de matéria em 900 mL:


0,05 mol ––––––– 1 000 mL fi 1 L
x ––––––– 900 mL
x = 0,045 mol
Cálculo da massa molar da substância A:
0,045 mol ––––––– 18 g
1 mol ––––––– y
y = 400 g \ M = 400 g /mol \ MM = 400 u


massa molar massa molecular
Resposta: E

– 35
QUÍMICA
9) (1)
LIVRO 3

Química Orgânica Na reação indicada observa-se a formação de HCl com a


introdução do grupo metila (CH3) no anel benzênico. Para
Capítulo 1 – Reações Orgânicas a ocorrência desta, há a necessidade da substituição de um
átomo de hidrogênio do benzeno.
Br
6) I. Br 2
(2) CH3 C C CH3 CH3 C C CH3
CCl4
Analisando a fórmula molecular dos compostos orgânicos Br
de reagentes (C2H6O) e produtos (C2H4) com saída de água, Pela fórmula molecular do reagente (C4H6) e do produto
podemos afirmar que ocorreu uma reação de eliminação. (C4H6Br2) podemos concluir que houve a introdução de 2 áto-
O mos de bromo,QUI-0004989-b
evidenciando uma reação de adição.

II. H3 C C + HO CH2 CH3 (3)


OH
Analisando o reagente (C2H5Cl) e o produto orgânico
O (C2H4), pode-se concluir que houve a eliminação de um
átomo de hidrogênio e um átomo de cloro.
H3 C C + H2 O
Resposta B
O CH2 CH3
A reação entre ácido carboxílico e álcool, levando à
formação de éster e água, chama-se esterificação.
10)
QUI-0004981-b
III.

Observando a variação do número de oxidação (Nox) dos


carbonos assinalados, conclui-se que é uma reação de
oxidação.
IV.

Analisando as fórmulas moleculares dos reagentes (C2H6O)


e produtos (C2H5Br) observa-se que ocorreu uma
substituição de um grupo OH por um átomo de bromo.
Portanto a reação é de substituição.
Resposta: A

7) CH4 CH3 + H Observa-se na reação que não ocorre variação na quantidade


de átomos e/ou mudança de função, apenas uma mudança no
Observando os produtos gerados nesta reação, podemos
arranjo espacial da molécula, de uma molécula cis para uma
identificar que houve uma ruptura da ligação entre o átomo de
QUI-0004985-a molécula trans. Portanto ocorreu uma isomerização.
carbono e o átomo de hidrogênio. Nessa ruptura cada átomo
Resposta: D
manteve seu elétron, portanto a cisão é chamada de homólise.
Resposta: C
11) Espécies químicas com a capacidade de doar um par de
elétrons são chamadas de nucleófilos. Pelo enunciado, temos
8) o íon CN– e amônia ( •• NH ). Os íons bromo (Br+) e H+ estão
3
deficientes de elétrons (eletrófilos).
Analisando os produtos da reação, observa-se que o átomo
Resposta: D
de cloro apresenta carga elétrica negativa e o íon amônio
(NH4+) carga elétrica positiva. Para a geração desses produtos
13) (01) Falso.
houve a necessidade de ruptura da ligação existente no ácido
Todas as espécies apresentadas são radicais livres, por-
clorídrico (HCl) havendo formação de partículas eletrizadas.
tanto obtidos por cisões homolíticas.
Isso significa que um átomo (cloro) adquiriu o par de elétron,
(02) Falso.
caracterizando uma ruptura heterolítica.
Tratando-se de radicais livres não apresentam carga
Resposta: A
elétrica.

36 –
(04) Verdadeiro. 24) O radical mais estável é aquele que apresenta maior
quantidade de radicais alquil ligados ao carbono que sofreu
(08) Falso. homólise.
Forma cloreto de acila. Portanto, o mais estável é o da alternativa II.

(16) Verdadeiro. 31)

(32) Falso.
Forma uma molécula de massa molecular 50,5 u.

Cl

H3C CH2 CH2 + HCl


H H H
1-cloropropano ou (Reação 1) Observando a fórmula molecular do benzeno (C6H6) e o
17) H C C C H + Cl Cl cloreto de propila produto formado (C6H6Cl6) podemos concluir que ocorreu uma
Cl reação de adição.
H H H
H3C CH CH3 + HCl Resposta: E
2-cloropropano ou (Reação 2)
cloreto de isopropila 32) Pelo enunciado, temos:

A facilidade de substituição ocorre no hidrogênio do:


QUI-0004991-b
Cprimário < Csecundário < Cterciário .

Portanto, o produto com maior quantidade é o da reação 2.


Resposta: C

20) Tendo em vista que a facilidade nas reações de substituição


ocorre no hidrogênio ligado ao carbono:
primário < secundário < terciário; e observando as reações,
podemos concluir como corretas as reações dos itens 1, 4 e 5.

21) Pelo enunciado temos a reação de substituição:

Resposta: B

33) Para que ocorra uma reação de adição a cadeia carbônica


necessita de insaturação. Pela estrutura apresentada no item
II, esta condição se satisfaz.
Resposta: C

34) Pelo enunciado:

Como o exercício coloca como condição a não existência de


carbono assimétrico, devemos desconsiderar a molécula (II).
Resposta: B
Se a reação ocorrer com o I — C2H5, teremos:

22) A reatividade se deve, entre outros fatores a eletronegativi-


dade dos átomos envolvidos, bem como a existência ou
ausência de cargas.
Como é solicitada a ordem decrescente de reatividade, temos:
F2 > Cl2 > Br2 > I2
Resposta: C

Resposta: C
23) Trata-se de uma reação de substituição. O mecanismo da
reação é via radical livre, portanto esta reação se inicia pela
homólise da molécula de cloro.
Resposta: B

– 37
35) O íon nitrônio ataca a cadeia carbônica:

+
Portanto, temos um ataque de um eletrófilo (NO2 ) à cadeia
carbônica.
Resposta: A

39) Catalisador é uma espécie química que tem a finalidade de


acelerar a velocidade de reações, podendo participar de
alguma etapa da reação, desde que seja regenerado no final.
Observando as etapas abaixo, a espécie química que atua
como catalisador é o AlCl3.

Resposta: A

36)

O composto (X) é um hidrocarboneto aromático. Resposta: B


Resposta: B

47) Os orientadores orto-para são saturados, portanto temos


37) como resposta o I, II e IV.
Resposta: D

48) Como a estrutura do tolueno é:

Observando o produto orgânico, temos que a reação


representada forma uma cetona de cadeia aromática.
Resposta: D
e analisando o grupo circulado, pode-se afirmar que as
posições substituídas foram orto e para.
38)

49)

A reação apresentada é uma substituição.

O ácido nítrico (HNO3) atua como base, na presença de ácido


sulfúrico:

•• 

H — O — NO2 + HO — HSO3 æÆ H2NO3 + HSO4
O radical metil ligado ao benzeno é orientador orto/para,
portanto teremos a nitração do tolueno nessas posições,
gerando como produtos o ortonitrotolueno e o
O íon oxônio decompõe-se:
 paranitrotolueno.
H2NO+3 Æ H2O + NO2
Resposta: E

38 –
51) Analisando as duas possibilidades e tendo como base o efeito 55) Item E
dirigente dos grupos, temos:

56) Br
Portanto, podemos concluir que houve a nitração do
bromobenzeno. Br Br
Resposta: C

52) Analisando as possibilidades dos produtos e sabendo que o Br Br


grupo — OH orienta na posição (orto/para), temos:
O + 10Br2 O + 10A

Br Br

Br Br

Br
Tratando-se de uma reação de substituição, o produto A é HBr.

AI_QUI0003075a
Para formar Br2 a partir do composto A (HBr) devemos realizar
uma reação de simples troca com uma substância mais reativa
que o bromo, podendo ser o cloro.
2 HBr + Cl2 Æ 2 HCl + Br2
Resposta: C

57)

Resposta: C

58) Como o bromo é um dirigente orto/para, a posição para já se


encontra ocupada e tratando-se de uma mononitração, só
existe a possibilidade de formação de um composto, que é o
1,4-dibromo-2-nitrobenzeno.

Resposta: E

53) Item A

Resposta: A
54) Item B
60)

– 39
O cloro é orto/para dirigente, portanto teremos as seguintes Trata-se de uma reação de substituição com ataque do grupo
reações: OH–. Este apresenta pares de elétrons, conferindo a ele carga
elétrica negativa (nucleófilo).
Item B Resposta: A

Cl Cl
65) Item I – Verdadeiro.
NO2
Item II – Falso.
+ HO - NO2 H 2O + + HO - NO2
H
|
(1) H — C — Cl + OH– Æ CH3 — OH + Cl–
Cl |
NO2 H
H2 O + Como o átomo de cloro está polarizado negativamente, este
repele o grupo OH–. Assim, o nucleófilo (OH–) faz o ataque no
NO2
outro lado do carbono. Esta reação ocorre em uma única etapa
e é chamada de substituição nucleofilica bimolecular (SN2).
Portanto, sua expressão da velocidade depende da con-
61) centração dos dois reagentes (bimolecular).
QUI-0004758-b Item III – Verdadeiro.
Item IV – Falso.
CH3
|
(2) CH3 — C — Cl + OH– Æ (CH3)3C — OH + Cl–
Como o grupo nitro (NO2) é um dirigente meta, a segunda |
CH3
nitração ficará:
O átomo de cloro está polarizado negativamente e este repele
o grupo OH–. No entanto, o nucleófilo (OH–) não consegue
Item E
realizar o ataque do outro lado, pois ocorrerá impedimento
NO2 NO2 estérico dos grupos metila ligados ao carbono de função.
Assim, há a necessidade da reação se processar em mais de
+ HO - NO2 + H2O uma etapa, sendo a primeira a etapa lenta e definidora da
NO2 velocidade da reação.

1 a. etapa – formação do carbônio – etapa lenta

NO2 NO2 CH3 CH3


| |
H3C — C — Cl Æ H3C — C + Cl–
+ Cl - Cl + HCl | |
CH3 CH3
NO2 Cl NO2

2.a etapa – ataque do nucleófilo – etapa rápida


62) CH3 QUI-0004760-b CH2 - Cl
CH3 CH3
| |
luz  –
H3C — C + OH Æ H3C — C — OH
+ Cl - Cl + HCl
aquecimento | |
CH3 CH3
cloreto de benzila

Em função das condições experimentais, a substituição Portanto, a expressão da velocidade da reação depende da
QUI-0004761-b
ocorrerá na cadeia lateral (Regra C . C. C. = calor, claridade, concentração de um reagente (unimolecular).
cadeia). Essa reação é chamada de substituição nucleofílica
Resposta: B unimolecular (SN1)
Resposta: B
63) Pela reação:
66)

2H2SO4 + HNO3 Æ NO+2 + H3O+ + 2HSO4–

O ácido nítrico (HNO3) atua como doador de par de elétrons


(base de Lewis).
Resposta: D
Dependendo do grupo Y, teremos produtos preferenciais,
alguns dirigentes orientam para a posição orto/para, entre
64) H3C — CH2 — CH2 — Cl + OH– Æ H3C — CH2 — CH2 — OH + Cl–
eles — NH2; — CH3; — OH.
(C3H7OH)

40 –
Outros orientam para a posição meta, entre eles: 83) I. H •• Br (aq) Æ H + •• Br (cisão heterolítica)
O O H
 ••
— NO2 ; — C ;—C • • 
II. H2C • • CH2 + H Æ H2C • • CH2 (adição eletrofílica)
H OH
H Br H
Portanto, a alternativa errada está no item A.  •• •• • •
• 
III. H2C • • CH2 + • Br Æ H2C • • CH2 (adição nucleofílica)
Resposta: A
Resposta: C

93) 1) Falso.
75) CH3
|
CH3 — C — CH3 5 átomos de carbono
|
CH3
Resposta: D
2) Verdadeiro.
H
|
CH3 — C — C CH 6 átomos de carbono
|
77) CH2
|
CH3
3) Verdadeiro.
Resposta: A H2C C CH2 3 átomos de carbono
78) Segundo a Regra de Markovnikov, temos: 4) Verdadeiro.
HC CH 2 átomos de carbono
5) Verdadeiro.

CH3 — CH — CH3
|
CH3

Resposta: B

94)

80)

Resposta: C
Resposta: D

99) Sabendo que, para cada mol de hidrogênio adicionado, há a


necessidade do rompimento de uma ligação insaturada, como
81) houve a reação com 2 mols de hidrogênio, a cadeia carbônica
necessita de 2 insaturações. O composto que satisfaz esta
condição é o buta-1,3-dieno.

Resposta: D

B
82) H2, Pt
H CH3 100)
Br2
C
H H HCl cloroacetileno
A
D Resposta: D
0-0) Falso.
Corresponde ao propeno.
101) Para cada insaturação, utiliza-se 1 mol de hidrogênio (H2), um
1-1) Falso.
AI_QUI0003106a alcenino apresenta 1 ligação dupla e 1 ligação tripla, portanto
É o propano.
3 ligações insaturadas.
2-2) Verdadeiro.
Resposta: C
3-3) Verdadeiro.
4-4) Verdadeiro.

– 41
102) 120)

Resposta: C
Resposta: A

128)
103)

Resposta: D

129) A desidratação de álcool ocorre mais facilmente em:


Resposta: C
álcool terciário > álcool secundário > álcool primário
110) Nos alcanos o ângulo de ligação é 109°28’.
Resposta: D Resposta: B

111) O ângulo de maior estabilidade é o de 109°28’, pois nessas


condições os ligantes estão mais afastados uns dos outros, 130)
minimizando a repulsão.
Resposta: A

112) O mais estável será aquele cujo ângulo de ligação mais se


aproxima de 109°28’.
O menos estável será aquele cujo ângulo de ligação mais se
distancia de 109°28’.
Resposta: C

Resposta: A
115)
OH
|
Resposta: A 131) H3C — CH — CH2 — CH3 æÆ H3C — CH = CH — CH3 + H2O
but-2-eno

116) Para ser isômero necessita da mesma fórmula molecular. A


única alternativa que satisfaz esta condição é a c.
132)
Resposta: C

117) Segundo a teoria das tensões de Bayer, a cadeia cíclica mais


reativa será aquela em que os ângulos de ligação mais se
distanciarem de 109°28’. O ciclo propano é a cadeia que
melhor representa esta característica.
Resposta: C
Reação de eliminação

133) Desidratação intermolecular:


119)

Resposta: E

Resposta: C

42 –
154) Esterificação
134) Ácido carboxílico + álcool Æ éster + água
Neutralização
Ácido + base Æ sal + água
Resposta: C

Resposta: C 155) (1) Falso. A fórmula mínima é C2H4O.


O
||
H3C — C — O — CH2 — CH3

138) (C4H8O2) Æ (C2H4O) fórmula mínima


(2) Falso. São obtidos pela reação de ácido carboxílico e álcool.
(3) Falso. O nome é butanoato de butila.

156) I) Falso. A substância tem o grupo éster.


II) Verdadeiro.
III) Verdadeiro.
Resposta: A Resposta: D

O
157) H3C C + HO CH2 CH2 CH2 CH2 CH3
139) OH (álcool primário)
O
+ H2O
O
pepino
(etanoato de pentila)

CCl4 CH3
O O
B + HCl C (Adição)
H3 C C + HO CH CH3 + H2O
O
OH
CCl4
H3 C CH CH2 + HCl H3 C CH CH3 pera
(não tem C quiral)
Cl
2-cloropropano Resposta: D
Resposta: C QUI-0004747-b
O
QUI-0005011-b 160) H3C — C = CH — CH2 — CH2 — C = CH — CH2O H + C—H

HO
143) CH3 CH3
ácido fórmico

H3C — C = CH — CH2 — CH2 — C = CH — CH2O — C — H + H2O




Resposta: A CH3 CH3 O

Resposta: C
AI_QUI0003174a
144)

162)
Resposta: B

146) 01)Falso. Apresenta cadeia aromática com núcleos separados.


02)Verdadeiro.
04)Verdadeiro.
08)Verdadeiro.
16)Falso.
32)Verdadeiro.
64)Falso. Mostrou-se eficiente após os primeiros quinze dias.
Resposta: C

– 43
181)

164)

Resposta: D

Resposta: B

167) 182)

184)
Resposta: B

168) Reação de esterificação


Ácido + álcool Æ éster + água
Correto: item 3 e 5

O
170) H3C C
O CH2 CH2 CH3 + NaOH

O Resposta: C
H3 C C + HO CH2 CH2 CH3
- +
O Na Álcool
Acetato de propílico 185)
sódio
Resposta: C

172) Para analisar se aQUI-0005017-b


cadeia é normal ou ramificada, é necessário
Resposta: B
observar a fórmula estrutural.
Resposta: E
O
[O]
186) H3C CH CH CH3 2 H3C C
H+
173) OH
Ácido acético
Resposta: B

QUI-0005023-b
Resposta: B
187)

O
O
O3
180) H3C CH2 C CH3 + C H3 C CH2 C CH CH3

H CH3 Resposta: A
CH3
3-metil-2-penteno
ou O O O
3-metilpent-2-eno O3
190) 2 H C + C C H2 C CH CH CH2
Resposta: D H H H 1,3-butadieno
QUI-0005018-b Resposta: D

QUI-0005025-b

44 –
CH3 OH
| O
192) CH3 — CH2 — C — CH — CH2 — CH3 O2
214) CH3 CH2 CH3 C
| |
OH OH Álcool Aldeído H
3-metil-3-4-hexanodiol
Resposta: C
Resposta: B
215)
196) Como a estrutura II apresenta apenas 1 ligação dupla, esta QUI-0005033-a
necessitará de menor volume de Br2 (1.a experiência), portanto
será a amostra Z.
CO2 + H2O
O O
O3
H2CO3 + C CH2 C +
H2O2
X
HO OH
O

+ C CH3

HO
Ácido acético
(vinagre)

2 CO2 + 2 H2O
O O
O3
2 H2CO3 + C CH2 CH2 C Resposta: C
H2O2
Y
HO OH
216)
Resposta: B

QUI-0005026-b
207)

Resposta: B

208)

Resposta: E

Resposta: C 221) I)
OH O OH O
[O] [O]
209) R CH R R C R + H2O H3 C CH CH CH3 H3 C CH C CH3 + H2O

Álcool secundário CH3 CH3

3-metil-2-propanol
Resposta: D
II)
QUI-0005029-b QUI-0005038-b
211) a)

H2SO4 III)
b) 2 CH3OH CH3 O CH3 + H2O
-2 -2 -2

O
H2SO4
c) H3C CH2OH H3 C C
QUI-0005031-a
CrO3
-1 +3
OH
Resposta: D
Resposta: E

QUI-0005032-a – 45
223)
231)

Resposta: B

235) 01)Verdadeiro.
02)Verdadeiro.
04)Falso.
O composto I forma álcool secundário.
08)Falso.
O composto II forma, por oxidação, o ácido a-metilbutírico.
16)Verdadeiro.

Resposta: C
236) (1) Falso.
A oxidação do etanol forma o etanal.
OH O O (2) Verdadeiro.
225) CH3 CH2 + C CH2 CH3 C CH2 CH3 + H2O (3) Verdadeiro.
HO H3 C CH2 O (4) Falso.
Para preparar 600 mL de solução 2%, temos:
Etanol Ácido propanoico Propanoato de etila 600 g –––––– 100%
(substância X)
x ––––––– 2%
OH x = 12 g do aldeído
H2 O
CH3 CH CH3 CH3 CH CH2 Considerando a densidade igual a 1 g/mL.
QUI-0005040-b
(5) Verdadeiro.
2-propanol propeno
(substância Y)
247) (1) Verdadeiro.
OH O (2) Verdadeiro.
KMnO4
CH3 CH2 CH QUI-0005041-b
CH 3 H3 C CH2 C CH3 + H2O (3) Falso.
A combustão incompleta ocorre quando a quantidade de
butan-2-ol butanona
(substância Z) oxigênio é menor.

Resposta: B
248)

228) I. Verdadeiro. QUI-0005042-b


II. Verdadeiro.
III. Falso. A reação indicada refere-se ao teste de Tollens. Esse
teste só é funcional na presença de aldeídos.
IV. Verdadeiro.
Resposta: D
Resposta: A

229) O reativo de Tollens forma espelho de prata quando se reage


249) C8H18 + 25/2 O2 Æ 8 CO2 + 9 H2O
com aldeído.
Resposta: E 4 litros ––––––– 25 mols de C8H18
40 litros ––––––– x
230) 1) Falso. x = 250 mol de C8H18

Pela reação balanceada:


1 mol de C8H18 –––––––– 8 mol de CO2
250 mol de C8H18 –––––– x’
2) Verdadeiro.
x’ = 2 000 mol de CO2
3) Verdadeiro.
4) Falso. Resposta: D
Não há reação de oxidação em cetonas.
250) A questão aborda a reação química de combustão
Resposta: C

46 –
251) C8H18 + 12,5 O2 Æ 8 CO2 + 9 H2O Portanto a fórmula do hidrocarboneto é C10H8.
gasolina Resposta: D

C2H6O + 3 O2 Æ 2 CO2 + 3 H2O 257) I. Verdadeiro.


etanol II. Falso.
Resposta: C (B) C10H18O + 14 O2 Æ 10 CO2 + 9 H2O
(D) C10H16O + 13,5 O2 Æ 10 CO2 + 8 H2O
252) I) C2H6 + 3,5 O2 Æ 2 CO2 + 3 H2O III. Verdadeiro.
Resposta: E
alcano

II) C2H4 + 3 O2 Æ 2 CO2 + 2 H2O 259) O etanol é álcool e não libera H+ quando dissolvido em água.
alceno Resposta: A

III) C2H5OH + 3 O2 Æ 2 CO2 + 3 H2O


263) A função fenol é um ácido orgânico, por esse motivo grupo
álcool OH reage com NaOH.
IV) H3C — O — CH3 + 3 O2 Æ 2 CO2 + 3 H2O A função fenol é caracterizada pelo grupo — OH ligado ao
benzeno.
éter
Resposta: E
O
V) H3C — C + 2,5 O2 Æ 2 CO2 + 2 H2O 265) I. C2H6O Æ etanol ou éter metílico
H II. C2H4O2 Æ ácido etanoico
aldeído III. CH2O Æ metanal
Resposta: A
IV. C6H6O Æ fenol
V. C6H12O6 Æ glicose
253) Vitamina C + 5 O2 æÆ 6 CO2 + 4 H2O
6 carbono Resposta: C
8 hidrogênio
x + 10 oxigênio = 16 oxigênio 267) Bases orgânicas são aminas.
x = C6H8O6 Resposta: D
Resposta: D
268) Ácidos carboxílicos e fenóis são ácidos, portanto podem ser
254) Metano utilizados como conservantes:
C6H5CO2H
CH4 + 2 O2 æÆ CO2 + 2 H2O
Propano HO O
C3H8 + 5 O2 æÆ 3 CO2 + 4 H2O C
Éter dietílico
C4H10O + 6 O2 æÆ 4 CO2 + 5 H2O
Acetileno ácido benzoico
C2H2 + 2,5 O2 æÆ 2 CO2 + H2O
Benzeno
C6H6 + 7,5 O2 æÆ 6 CO2 + 3 H2O 269) (1) Falso. O nome correto é butano-2,4-diamina.
Resposta: E QUI-0004746-a
(2) Falso. Ambas são aminas.
(3) Verdadeiro.
255) CxHy + 4 O2 æÆ 3 CO2 + 2 H2O (4) Verdadeiro.
mol nos reagentes mol nos produtos
270) (1) Falso. Por serem espécies ácidas, o pH será menor que 7.
3 carbono
(2) Verdadeiro.
4 hidrogênio
(3) Verdadeiro.
8 oxigênio = 8 oxigênio
x=3
272) O composto I tem a função ácido carboxílico e fenol, ambas
y=4
com característica ácida.
Resposta: E
Resposta: B

256) 0,5 mol de hidrocarboneto + O2 Æ 5 CO2 + 2 H2O


Então: 275) (01) Verdadeiro.
1 mol de hidrocarboneto + O2 Æ 10 CO2 + 4 H2O (02) Falso. A estrutura I representa uma cetona e álcool.
Nos produtos: (04) Verdadeiro.
10 mol de CO2 fornece 10 mol de carbono (08) Falso. Representa um éster (estrutura IV)
4 mol de H2O fornece 8 mol de hidrogênio (16) Falso. A estrutura IV não apresenta.

– 47
276) I é ácido e II é álcool.
III é fenol e IV é um álcool. 0
305) H3C Cl + Mg H3 C MgCl(X)
VI apresenta grupos elétron-atraentes.
Resposta: A O OH
H2 O
H 3C MgCl(X) + C CH CH3 H 3C CH CH CH3 (Y)
279) A estrutura II é mais forte que a estrutura I, pois apresenta
H CH3 CH3
mais grupos elétron-repelentes.
3-metil-butan-2-ol
Resposta: B
Resposta: D
280) Para capturar cátions de hidrogênio necessitamos de uma
QUI-0005049-b
base. A base mais forte dos itens é a dietilamina. 306)
Resposta: B
R CH CH CH2MgBr + H OH
281) (001) Verdadeiro.
R CH CH CH3 + Mg(OH)Br

(002) Falso. O produto X é o . Resposta: E

(004) Verdadeiro. QUI-0005050-b


(008) Verdadeiro. Cl CH3
(016) Verdadeiro. 309) + Cl2 + H3C - MgCl

(A) (B)
282) (001) Verdadeiro.
(002) Verdadeiro. Resposta: C
(004) Falso. O ácido trifluoracético apresenta grupos elétron- QUI-0004763-b
atraentes, o que torna este ácido mais forte que o ácido 318)
acético.
(008) Verdadeiro.
(016) Verdadeiro.

Resposta: A
285)

319)

Resposta: B Resposta: D

302) O composto de Grignard segue a fórmula R — Mg X, onde X


é um halogênio. 320)
Resposta: A

303)

Resposta: A
Resposta: A
H2SO4
322) 2 H3C CH2OH H3 C CH2 O CH2 CH3 + H2O
OH 140°C
(X)
H2 O
304) A + H3C MgCl H3 C CH CH3 + Mg(OH)Cl H3 C CH2 CH2 OH + Na

Portanto o composto A é o etanal. H3 C CH2 CH2 O- Na+ + CH3 Cl


Resposta: D (Y)
QUI-0005043-b
H3 C CH2 CH2 O CH3 + NaCl
(Z)
Resposta: B

48 – QUI-0005054-b
335)
323)

Resposta: C

Resposta: E

324)

Resposta: E

326)

Resposta: B

329)

Resposta: C

331) O acetileno, em condições ambientes, é um gás, obtido


facilmente por hidrólise do carbureto ou carbeto de cálcio e
cada vez mais empregado na fabricação de materiais
poliméricos.
Resposta: C

333) Al4C3 + 12 H2O Æ 3 CH4 + 4 Al(OH)3


metano
Resposta: E

334) Al4C3 + 12 H2O Æ 3 CH4 + 4 Al(OH)3


metano
CaC2 + 2 H2O Æ C2H2 + Ca(OH)2
etino
Resposta: D

– 49