Você está na página 1de 2

Universidade Federal Fluminense

Departamento de Sociologia e Metodologia das Ciências Sociais

Introdução ao Pensamento Social Brasileiro

Professora: Carmen Lúcia Tavares

Aluna : Carolina dos Santos Borges

Resenha : Joaquim Nabuco – Minha Formação

Começando pelo capítulo 5 ( Primeira viagem á Europa) o autor destaca


sua primeira viagem á Europa e como a mesma influiu para enfraquecer as
tendências republicanas e fortificar as monárquicas. Ele diz que a intolerância
era o característico do republicanismo agressivo francês e essa seria uma fobia
da liberdade e do mundo.
Ou seja, uma descrição de sentimentos experimentados na viagem.,

No capítulo 10, Nabuco fala sobre uma solidificação política pessoal e da


monarquia como parte da atmosfera moral da Inglaterra e de uma forte
influência inglesa e de uma tentativa de comparação entre as raças Francesas e
Inglesas. Ele diz que os franceses ( o gênio francês) possui os raios estéticos ,
todos os raios do espírito humano, e os ingleses não teriam esses raios , o autor
fala da Inglaterra como “ A China da Europa” ou seja, tem uma individualidade
inamolgável. Para ele, a França representaria melhor o mundo, a humanidade,
pois além de ter o maior número de faculdades criadoras, possui também a
maior soma de hereditariedade humana e possibilidades evolutivas.

Como o próprio Nabuco fala, o “inglês” possui um tipo de exclusivismo, mas em


compensação, a raça inglesa parece mais sã, com mais vigor.

No capítulo 11, o autor reforça seus elogios à Londres e aprofunda seus estudos
na política britância. E no capítulo seguinte, Nabuco passa à falar sobre uma
superioridade da Monarquia sobre a República, comparando França e Inglaterra,
pendendo para a Monarquia, pois segundo ele,o povo seria liberal , visto que o rei, não
governa, reina ( diferente da República onde o presidente controla e detém todos os
poderes – judiciário, legislativo e executivo.)

Por fim, no capítulo 13 o autor admite estar tomado pelo espírito inglês
monárquico.