Você está na página 1de 36

CÁLCULO ESTRUTURAL SOBRADO RESIDENCIAL

Palmas - TO

2018
ALLANA BRITO MOTA

JOÃO VITOR MACIEL MARQUES

JONATHAS NORONHA FERNANDES

VINICIUS BASTOS GOMES

CÁLCULO ESTRUTURAL SOBRADO RESIDENCIAL

Trabalho apresentado ao Professor Alexon Braga Dantas


disciplina de Estruturas de Concreto Armado II, 8º período
de Engenharia Civil da Faculdade Católica do Tocantins.

Palmas-TO

2018.
1. INTRODUÇÃO
Lajes nervuradas são “lajes moldadas no local ou com nervuras pré-moldadas, cuja
zona de tração é constituída por nervuras entre as quais pode ser colocado material
inerte" (NBR 6118/2003). São constituídas por um conjunto de vigas que se cruzam,
solidarizadas pela mesa, adquirindo um comportamento intermediário entre o de laje
maciça e o de grelha.
A eliminação do concreto abaixo da linha neutra permite reduzir o peso próprio e
melhor aproveitar o aço e o concreto. A resistência à tração é concentrada nas
nervuras, assim os materiais de enchimento apenas substituem o concreto, sem
colaborar na resistência.
Essas reduções propiciam uma simplificação na execução, uma economia de
materiais, de mão de obra e de fôrmas. Além disso, possibilita a industrialização,
reduzindo as perdas e aumentando a produtividade, racionalizando a construção.

2. OBJETIVOS

OBJETIVO GERAL:

Aprender o dimensionamento estrutural de lajes nervuradas de um sobrado


residencial.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS:

 Escolher adequadamente os materiais a serem utilizados na construção.

 Estimar as cargas atuantes na estrutura e dimensioná-la de forma a suportar


tais solicitações.

 Dimensionar corretamente as armaduras da laje e elaborar os projetos com


detalhamento.
3. JUSTIFICATIVAS DAS ESCOLHAS DOS MATERIAIS

Aço:

É uma liga metálica de ferro e carbono, com um percentual de 0,03% a 2,00% de


participação do carbono, que lhe confere maior ductilidade, possibilitando sua dobra
para a execução das armaduras.

O aço utilizado nas estruturas de concreto é classificado, conforme o valor


característico da resistência de escoamento (fyk). No caso do trabalho, optou-se por
utilizar o CA 50, sua resistência (fyk) é equivalente a 500 MPa. As barras de aço são
fabricadas com bitolas iguais ou maiores do que 5mm.

Concreto:

Para ser considerado concreto estrutural, este deve ter um fck maior ou igual a
20MPa. Portanto, optou-se pelo C25, muito utilizado nas construções prediais em
geral, devido as baixas deformações e permeabilidade.

- Cubetas:

- Treliças:

Utilizada nas lajes nervuradas armadas em 1 direção,

4. Considerações

As paredes externas terão espessura de 20 cm. As paredes internas serão de 15 cm


e vão facear os pilares de tal forma que a diferença de espessura irá aparecer na
face interna da escada.

5. Disposição de vigas e pilares

Foram dispostos os pilares mantendo um afastamento entre três e seis metros.


Começamos pelos pilares de canto, em seguidas os pilares centrais da escada, e
por fim foram lançados pilares de extremidade de acordo com a necessidade,
observando o comprimento dos vãos. Estão nomeados da seguinte forma:

● Pilares de canto: P01, P03, P10 e P12.


● Pilares de extremidade: P02, P04, P06, P08, P09 e P11.
● Pilares centrais: P05 e P07.

As vigas foram dispostas de acordo com os pilares. Optamos por uma viga sobre
viga (V205) pois não poderíamos deixar um vão tão grande e, se colocássemos um
pilar no fim dela, este ficaria muito próximo do pilar central da escada (P07).

6. Área de influência
A área de influência de cada pilar pode ser obtida dividindo-se as distâncias entre
seus eixos em intervalos que variam entre 0,4 ℓ e 0,6ℓ, dependendo da posição do
pilar na estrutura, conforme o seguinte critério:

● Relacionado pilar de canto com pilar de extremidade:


o 0,4ℓ pilar de canto e 0,6ℓ pilar de extremidade.
● Relacionando pilar de extremidade com pilar de centro:
o 0,4ℓ pilar de extremidade e 0,6ℓ pilar de centro.
➢ Relacionando pilares de mesma categoria:
o 0,5ℓ para cada pilar.

7. Cálculo da área de influência

𝐴𝑖1 = 2,14 × 0,91 = 1,95 𝑚²


𝐴𝑖2 = 2,14 × 0,91 = 1,95 𝑚2

𝐴𝑖3 = 3,71 × 2,14 = 7,94 𝑚2

𝐴𝑖4 = (2,12 × 3,15) + (1,44 × 1,25) = 8,47 𝑚2

𝐴𝑖5 = 1,03 × 1,25 = 1,29 𝑚²

𝐴𝑖6 = (2,12 × 0,56) + (2,59 × 2,12) + (2,81 × 4,04) = 18,03 𝑚²

𝐴𝑖7 = 5,01 × 1,67 = 8,37 𝑚²

𝐴𝑖8 = 1,03 × 2,81 = 2,90 𝑚²

𝐴𝑖9 = 4,04 × 1,87 = 7,55 𝑚²

𝐴𝑖10 = 1,03 × 1,87 = 1,93 𝑚2

𝐴𝑖 11 = 1,78 × 1,67 = 2,97 𝑚²

8. Pré-dimensionamento dos pilares

Para pré-dimensionar a seção transversal, fizemos um dimensionamento


simplificado a uma compressão centrada equivalente.

1,45 × 𝑁𝑑
𝐴𝑐 =
0,6. 𝑓𝑐𝑘 + 0,42

Onde: Ac = área da seção transversal do pilar (cm²);


Nd = força normal de cálculo (kN) = 1,4 × 10 × 𝐴𝑖 × 𝑛
fck = resistência à compressão característica do concreto (kN/cm²).
𝑞𝑚 = 10 𝑘𝑁/𝑚²

1,45×1,4×10×1,52×2
P₁ → 𝐴𝑐 = = 32,14 𝑐𝑚² → 20x20
(0,6×2,5)+0,42

1,45×1,4×10×3,68×2
P₂ → 𝐴𝑐 = = 77,82 𝑐𝑚² → 20x20
(0,6×2,5)+0,42
1,45×1,4×10×0,94×2
P₃ → 𝐴𝑐 = = 19,88 𝑐𝑚² → 20x20
(0,6×2,5)+0,42

1,45×1,4×10×6,20×2
P₄ → 𝐴𝑐 = = 131,10 𝑐𝑚² → 20x20
(0,6×2,5)+0,42

1,45×1,4×10×13,20×2
P₅ → 𝐴𝑐 = = 279,12 𝑐𝑚² → 20x20
(0,6×2,5)+0,42

1,45×1,4×10×2,60×2
P₆ = 𝐴𝑐 = = 54,98 𝑐𝑚² → 20x20
(0,6×2,5)+0,42

1,45×1,4×10×16,86×2
P₇ → 𝐴𝑐 = = 356,52 𝑐𝑚² → 20x20
(0,6×2,5)+0,42

1,45×1,4×10×2,89×2
P₈ → 𝐴𝑐 = = 61,11 𝑐𝑚² → 20x20
(0,6×2,5)+0,42

1,45×1,4×10×8,37×2
P₉ = P₁₉ → 𝐴𝑐 = = 177 𝑐𝑚² → 20x20
(0,6×2,5)+0,42

1,45×1,4×10×2,97×2
P₁₀ = P₂₃ → 𝐴𝑐 = = 62,80 𝑐𝑚² → 20x20
(0,6×2,5)+0,42

1,45×1,4×10×7,55×2
P₁₁ = P₂₁ → 𝐴𝑐 = = 159,65 𝑐𝑚² → 20x20
(0,6×2,5)+0,42

1,45×1,4×10×1,93×2
P₁₂ = P₂₂ → 𝐴𝑐 = = 40,81 𝑐𝑚² → 20x20
(0,6×2,5)+0,42

1,45×1,4×10×1,95×2
P₁₃ = P₁₄ → 𝐴𝑐 = = 41,23 𝑐𝑚² → 20x20
(0,6×2,5)+0,42

1,45×1,4×10×7,94×2
P₁₅ → 𝐴𝑐 = = 167,90 𝑐𝑚² → 20x20
(0,6×2,5)+0,42

1,45×1,4×10×8,6×2
P₁₆ → 𝐴𝑐 = = 181,85 𝑐𝑚² → 20x20
(0,6×2,5)+0,42

1,45×1,4×10×1,29×2
P₁₇ → 𝐴𝑐 = = 27,28 𝑐𝑚² → 20x20
(0,6×2,5)+0,42

1,45×1,4×10×18,03×2
P₁₈ → 𝐴𝑐 = = 381,26 𝑐𝑚² → 20x20
(0,6×2,5)+0,42

1,45×1,4×10×2,90×2
P₂₀ → 𝐴𝑐 = = 61,32 𝑐𝑚² → 20x20
(0,6×2,5)+0,42

9. Pré-dimensionamento das vigas


𝐿 𝐿
Normalmente a altura h das vigas se localiza entre e , sendo L o vão entre
12 15

pilares. Para que haja estabilidade lateral da viga adotamos:


𝑙₀
𝑏≥ 𝑏 ≥ 𝛽𝑓𝑙 . ℎ
50

Onde:
➢ b – a largura da zona comprimida;
➢ h – é a altura total da viga;
➢ ℓ₀ – é o comprimento do flange comprimido, entre os suportes que
garantam o contraventamento lateral;
➢ βfl – é o coeficiente que depende da forma da viga (conforme tabela
abaixo).

V101a = V201 = V102a = V202a = V105 = V205 = V106a = V206a


𝐿 𝐿 4,10 4,10
≤ℎ≤ → ≤ℎ≤ → 0,273 ≤ ℎ ≤ 0,342 → h = 30 cm
15 12 15 12
𝑏 ≥ 0,4 × 30 → 𝑏 ≥ 12 𝑐𝑚 → b = 12cm

● V101b = V102b = V202b = V103 = V203 = V104 = V204 = V106b = V206b


𝐿 𝐿 2,44 2,44
≤ℎ≤ → ≤ℎ≤ → 0,162 ≤ ℎ ≤ 0,203 → h = 20 cm
15 12 15 12
𝑏 ≥ 0,4 × 20 → 𝑏 ≥ 8 𝑐𝑚 → b = 10 cm

● V107a = V207a
𝐿 𝐿 4,35 4,35
≤ℎ≤ → ≤ℎ≤ → 0,29 ≤ ℎ ≤ 0,362 → h = 35 cm
15 12 15 12
𝑏 ≥ 0,4 × 30 → 𝑏 ≥ 12 𝑐𝑚 → b = 12cm

● V108a = V208a = V109a = V209a


𝐿 𝐿 4,58 4,58
≤ℎ≤ → ≤ℎ≤ → 0,305 ≤ ℎ ≤ 0,382 → h = 35 cm
15 12 15 12
𝑏 ≥ 0,4 × 35 → 𝑏 ≥ 14 𝑐𝑚 → b = 14 cm

● V107b = V207b
𝐿 𝐿 4,67 4,67
≤ℎ≤ → ≤ℎ≤ → 0,311 ≤ ℎ ≤ 0,389 → h = 35 cm
15 12 15 12
𝑏 ≥ 0,4 × 35 → 𝑏 ≥ 14 𝑐𝑚 → b = 14 cm

● V108b =
V208b = V109b
= V209b
𝐿 𝐿
≤ℎ≤ →
15 12
4,45 4,45
≤ℎ≤ →
15 12
0,297 ≤ ℎ ≤ 0,37 →
h = 35 cm
𝑏 ≥ 0,4 × 30 → 𝑏 ≥ 12 𝑐𝑚 → b = 12 cm
● V107c = V207c = V108c = V208c =109c
𝐿 𝐿 2,18 2,18
≤ℎ≤ → ≤ℎ≤ → 0,145 ≤ ℎ ≤ 0,18 → h = 20 cm
15 12 15 12
𝑏 ≥ 0,4 × 20 → 𝑏 ≥ 8 𝑐𝑚 → b = 10 cm

Concluímos, através dos cálculos, que a viga mais solicitada necessita de


uma altura de 35 cm. Então, padronizamos as nossas vigas nas dimensões 15x35
cm.

10. Pré-dimensionamento das lajes em 2 direções


𝑙
A altura das lajes foi calculada da seguinte maneira: h = 30 .

Sendo ℓ é o menor comprimento da laje.

Tubulações com Ø < 10 mm, portanto hf = 5 cm.

●L201

211
ℎ𝑤: = 7,03 𝑐𝑚 ≅ 8𝑐𝑚.
30
ℎ𝑡 = ℎ𝑤 + ℎ𝑓ℎ𝑡 = 8 + 5 = 13𝑐𝑚

●L202

402
ℎ𝑤: = 13,4𝑐𝑚 ≅ 14𝑐𝑚.
30
ℎ𝑡 = ℎ𝑤 + ℎ𝑓ℎ𝑡 = 14 + 5 = 19𝑐𝑚

●L204

240
ℎ𝑤: = 8 𝑐𝑚
30
ℎ𝑡 = ℎ𝑤 + ℎ𝑓ℎ𝑡 = 8 + 5 = 13𝑐𝑚

●L205

401
ℎ𝑤: = 13,4𝑐𝑚 ≅ 14𝑐𝑚.
30
ℎ𝑡 = ℎ𝑤 + ℎ𝑓ℎ𝑡 = 14 + 5 = 19𝑐𝑚
Para facilidade de cálculo o valor de ht adotado foi de 20cm para todas as lajes.

1. Estudo das Lajes em 2 Direções

As lajes são classificadas quanto a sua forma, tipos de apoio e esquema de


cálculo. Quanto ao esquema de cálculo elas podem ter uma ou duas direções. As
distâncias consideradas para o cálculo são as distâncias do vão teórico,
necessitando assim calcular o do comprimento efetivo (face a face da viga).

1.1 Cálculo do comprimento efetivo


ℓef = ℓ₀ + a₁ + a₂

● L201:
𝑎₁ = 0,3 × ℎ = 0,3 × 20 = 6 𝑐𝑚 𝑎₂ = 0,3 × ℎ = 0,3 × 20 = 6 𝑐𝑚
𝑡1 15 𝑡₂ 15
= = 7,5 𝑐𝑚 𝑎₂ = = = 7,5 𝑐𝑚
2 2 2 2

Como 6 cm é menor que 7,2 cm, usaremos 6 cm para somar ao vão livre e encontrar o
teórico.
ℓef a = 395 + 6 + 6 = 407 cm
ℓef b = 205 + 6 + 6 = 217 cm

● L203:
𝑎₁ = 0,3 × ℎ = 0,3 × 20 = 6 𝑐𝑚 𝑎₂ = 0,3 × ℎ = 0,3 × 20 = 6 𝑐𝑚
𝑡1 15 𝑡₂ 15
= = 7,5 𝑐𝑚 𝑎₂ = = = 7,5 𝑐𝑚
2 2 2 2

ℓef a = 234 + 6 + 6 = 246 cm


ℓef b = 95 + 6 + 6 = 107 cm

● L202:
𝑎₁ = 0,3 × ℎ = 0,3 × 20 = 6 𝑐𝑚 𝑎₂ = 0,3 × ℎ = 0,3 × 12 = 6 𝑐𝑚
𝑡1 15 𝑡₂ 15
= = 7,5 𝑐𝑚 𝑎₂ = = = 7,5 𝑐𝑚
2 2 2 2
ℓef a = 452 + 6 + 6 = 464 cm
ℓef b = 395 + 6 + 6 = 407 cm

● L204:
𝑎₁ = 0,3 × ℎ = 0,3 × 20 = 6 𝑐𝑚 𝑎₂ = 0,3 × ℎ = 0,3 × 20 = 6 𝑐𝑚
𝑡1 15 𝑡₂ 15
= = 7,5 𝑐𝑚 𝑎₂ = = = 7,5 𝑐𝑚
2 2 2 2

ℓef a = 234 + 6 + 6 = 246 cm


ℓef b = 445 + 6 + 6 = 457 cm

● L205:
𝑎₁ = 0,3 × ℎ = 0,3 × 20 = 6 𝑐𝑚 𝑎₂ = 0,3 × ℎ = 0,3 × 20 = 6 𝑐𝑚
𝑡1 15 𝑡₂ 15
= = 7,5 𝑐𝑚 𝑎₂ = = = 7,5 𝑐𝑚
2 2 2 2

ℓef a = 395 + 6 + 6 = 407 cm


ℓef b = 423 + 6 + 6 = 435 cm

1.2 Direções das Lajes


𝐿
> 2 → 𝐴𝑟𝑚𝑎𝑑𝑎 𝑒𝑚 1 𝑑𝑖𝑟𝑒çã𝑜
𝑙
𝐿
≤ 2 → 𝐴𝑟𝑚𝑎𝑑𝑎 𝑒𝑚 2 𝑑𝑖𝑟𝑒çõ𝑒𝑠
𝑙

● L201
407
= 1,9 → 2 𝑑𝑖𝑟𝑒çõ𝑒𝑠
217

● L203
246
= 2,3 → 1 𝑑𝑖𝑟𝑒çã𝑜
107

● L202
464
= 1,14 → 2 𝑑𝑖𝑟𝑒çõ𝑒𝑠
407
● L204
457
= 1,86 → 2 𝑑𝑖𝑟𝑒çõ𝑒𝑠
246

● L205
435
= 1,07 → 2 𝑑𝑖𝑟𝑒çõ𝑒𝑠
407

1.3 Análise das Vinculações das Lajes


Quanto aos tipos de apoio eles podem ser engastados, apoiados ou em
balanço. Os cálculos devem ser feitos na forma vertical e horizontal.

Vinculações Verticais:
407● L202 – L203
= 101,75 𝑐𝑚 < 240 𝑐𝑚 → 𝐿202 𝑒𝑛𝑔𝑎𝑠𝑡𝑎𝑑𝑎 𝑒𝑚 𝐿203
4

407● L202 – L204


= 101,75 𝑐𝑚 < 240 𝑐𝑚 → 𝐿202 𝑒𝑛𝑔𝑎𝑠𝑡𝑎𝑑𝑎 𝑒𝑚 𝐿204
4

407● L204 – L205


= 101,75 𝑐𝑚 < 240 𝑐𝑚 → 𝐿205 𝑒𝑛𝑔𝑎𝑠𝑡𝑎𝑑𝑎 𝑒𝑚 𝐿204
4

Vinculações Horizontais
● L201 – L202
464
= 116 𝑐𝑚 < 211 𝑐𝑚 → 𝐿202 𝑒𝑛𝑔𝑎𝑠𝑡𝑎𝑑𝑎 𝑒𝑚 𝐿201
4

● L202 – L205
464
= 116 𝑐𝑚 < 211 𝑐𝑚 → 𝐿202 𝑒𝑛𝑔𝑎𝑠𝑡𝑎𝑑𝑎 𝑒𝑚 𝐿205
4

→ Plantas das Lajes com suas respectivas vinculações:

Laje L202 antes do cálculo para determinação de bordo com


vinculações mistas

Laje L202 depois do cálculo para determinação de bordo com


vinculações mistas

1.4 Estimativa das Cargas Atuantes


As cargas atuantes são as cargas que atuam nas lajes. Elas são peso próprio
da laje, peso da regularização, peso do enchimento, peso do revestimento, peso dos
elementos construtivos fixos, pesos das instalações permanentes, etc.

Laje Peso Revestimento Sobrecarga Parede Total


Próprio (KN/m²) (KN/m²) (KN/m²) (KN/m²)
(KN/m²)

L201 2,4 1 2 2,1 7,5


L202 2,4 1 2 2,1 7,5
L204 2,4 1 2 2,1 7,5
L205 2,4 1 2 2,1 7,5

Adotar Lo = 50cm < 65 cm.

De acordo com a NBR 6118


Revestimento: 1kN/m²
quso:2kN/m² (Uso Residencial)
qparede: 2,1kN/m²

Volume= [2 𝑥 (0,05 𝑥 0,15 𝑥 0,6)] + [2 𝑥(0,05 𝑥 0,5𝑥 0,15)](0,05 𝑥 0,5𝑥 0,15) +


(0,05 𝑥 0,6 𝑥 0,6) = 0,0345m³
Ppgomo= Volume x γc (25 kN/m³)
Ppgomo= 0,0345 x 25 = 0,86 kN
q(gomo) = Pp/A
0,86
q(gomo) = ≅ 2,4 𝑘𝑁/𝑚²
0,6𝑥0,6
qtotal = G + Q
qtotal = 5,5 + 2 = 7,5 kN/m²

Verificação das Flechas


Flechas são o estado-limite de deformação das lajes. Para calculá-la é necessário
saber o estádio de cálculo de cada seção crítica considerada. Classificam-se em
flechas imediatas e flechas diferidas no tempo. A flecha imediata ocorre quando é
aplicado o primeiro carregamento na peça, que não leva em conta os efeitos da
fluência (deformação permanente de materiais quando estão sujeitos a cargas ou
tensões constantes e está em função do tempo). A flecha diferida no tempo leva em
conta o fato do carregamento atuar na estrutura ao longo do tempo, causando a sua
deformação lenta ou fluência.
● Cálculo da carga total p: (p= P + 0,3Q)
p = 5,5 + 0,3 x 2 = 6,1 kN/m²

Concreto utilizado: C25

𝐸𝑐𝑠 = 01.5600. √𝑓𝑐𝑘

𝐸𝑐𝑠 = 1 𝑥 5600 𝑥 √25 = 28000 𝑀𝑃𝑎 𝑜𝑢 2800 𝑘𝑁/𝑐𝑚²

𝐿𝑜𝑥 . 𝐿𝑜𝑦 0,5𝑥0,5


𝜀= = = 0,7
𝑆𝑥 . 𝑆𝑦 0,6𝑥0,6

He= [ ( 1 − 𝜀) 𝑥 ℎ³ + 𝜀𝑥ℎ𝑓³]1/3
He= [ ( 1 − 0,7) 20³ + 0,7𝑥5³]1/3 = 13,5 𝑐𝑚

v= 0,2  Coeficiente de Poison

𝐸𝑐𝑠 𝑥 ℎ𝑒³
𝐷=
12𝑥 (1 − 𝑣 2 )

2.800𝑥13,5³
𝐷= = 598.000 kN.cm ou 5.980 kN.m
12𝑥(1−0,22 )

Segundo Tab. 2.1 (Araújo)

●L201

𝐿𝑦 217
= = 0,53 ≅ 0,55 → 𝑤𝑐 = 4,67
𝐿𝑥 407

𝑞𝑥𝐿𝑥 4
So=0,001 x wc x 𝐷
6,1𝑥2,174
So=0,001 x 4,67 x = 1,06𝑥10−4 𝑚 𝑜𝑢 0,106𝑚𝑚 𝑜𝑢 0,0106𝑐𝑚
5𝑥980

Considerando Fluência φ=2,5


S∞= (1+ φ) x So

S∞=(1+2,5) x 0,0106= 0,0371cm

Flecha Limite (NBR 6118)


𝐿𝑥 217
𝑆𝑙𝑖𝑚 = = = 0,0868
250 250

S∞ < Slim  Ok!

●L202

𝐿𝑦 407
= = 0,88 ≅ 0,90 → 𝑤𝑐 = 2,62
𝐿𝑥 464

𝑞𝑥𝐿𝑥 4
So = 0,001 x wc x 𝐷
4,074 𝑥6,1
So = 0,001 x 2,62 x = 7,33𝑥10−4 𝑚 𝑜𝑢 0,733 𝑚𝑚 𝑜𝑢 0,0733𝑐𝑚
5.980

Considerando Fluência φ=2,5

S∞= (1+ φ)xSo

S∞=(1+2,5)x0,0733= 0,257cm

Flecha Limite (NBR 6118)


𝐿𝑦 407
𝑆𝑙𝑖𝑚 = = = 1,63𝑐𝑚
250 250

S∞ < Slim  Ok!

●L204

𝐿𝑥 246
= = 0,54 ≅ 0,55 → 𝑤𝑐 = 4,67
𝐿𝑦 457
𝑞𝑥𝐿𝑥 4
So = 0,001 x wc x 𝐷
2,474 𝑥6,1
So=0,001x4,67x = 1,77𝑥10−4 𝑚 𝑜𝑢 0,177𝑚𝑚 𝑜𝑢 0,0177𝑐𝑚
5.980

Considerando Fluência φ=2,5

S∞= (1+ φ) x So

S∞=(1+2,5) x 0,0177= 0,062cm

Flecha Limite (NBR 6118)


𝐿𝑥 247
𝑆𝑙𝑖𝑚 = = = 0,988𝑐𝑚 → 𝑂𝑘!
250 250

S∞ < Slim  Ok!

●L205

𝐿𝑥 407
= = 0,94 ≅ 0,95 → 𝑤𝑐 = 2,03
𝐿𝑦 435

𝑞𝑥𝐿𝑥 4
So = 0,001 x wc x 𝐷
4,074 𝑥6,1
So = 0,001 x 2,03 x = 5,68𝑥10−4 𝑚 𝑜𝑢 0,568 𝑚𝑚 𝑜𝑢 0,0568 𝑐𝑚
5.980

Considerando Fluência φ=2,5

S∞= (1+ φ) x So

S∞=(1+2,5) x 0,0568= 0,199cm

Flecha Limite (NBR 6118)


𝐿𝑥 407
𝑆𝑙𝑖𝑚 = = = 1,63 𝑐𝑚
250 250

S∞ < Slim  Ok!


1.5 Cálculo: Quinhões de Carga

𝐿𝑥
𝜀 = 𝐿𝑦 Tab. 3.1

Px = Kx x q Py= Ky x q

●L201

407
𝜀= = 1,87 ≅ 1,90
217

Kx = 0,839 e Ky = 0,161
Px = 0,839 x 6,1 = 5,12 kN/m²
Py = 0,161 x 6,1 = 0,98 kN/m²

●L202
407
𝜀= = 0,88 ≅ 0,90
464

Kx = 0,116 e Ky = 0,884
Px = 0,116 x 6,1 = 0,71 kN/m²
Py = 0,884 x 6,1 = 5,39 kN/m²

●L204
246
𝜀= = 0,53 ≅ 0,55
457

Kx = 0,186 e Ky = 0,814
Px = 0,186 x 6,1 = 1,13 kN/m²
Py = 0,814 x 6,1 = 4,97 kN/m²

●L205
407
𝜀= = 0,93 ≅ 0,95
435
Kx = 0,449 e Ky = 0,551
Px = 0,449 x 6,1 = 2,74 kN/m²
Py = 0,551 x 6,1 = 3,36 kN/m²

8.7 Esforços nas lajes: (momentos fletores e reações de apoio)

𝑞𝑥𝐿² 𝑞𝑥𝐿
𝑀= 𝑉=
8 2

M = 0,5 x m V = 0,5 x v

●L201

5,12 𝑥 2,17² 𝑘𝑁. 𝑚


𝑚𝑥 = = 3,01
8 𝑚
Mx = 0,5 x 3,01 = 1,51 kN.m/nervura

0,98 𝑥 4,07² 𝑘𝑁. 𝑚


𝑚𝑦 = = 2,03
8 𝑚
My = 2,03 x 0,5 = 1,02 kN.m/nervura

5,12 𝑥 2,17 𝑘𝑁
𝑣𝑥 = = 5,56
2 𝑚
Vx = 5,56 x 0,5 = 2,78 kN

0,98𝑥4,07 2 𝑘𝑁
𝑣𝑦 = =
2 𝑚
Vy = 2 x 0,5 = 1 kN

●L202

0,71 𝑥 4,64² 𝑘𝑁. 𝑚


𝑚𝑥 = = 7,64
8 𝑚
Mx = 7,64 x 0,5 = 3,82 kN.m/nervura
5,39 𝑥 4,07² 𝑘𝑁. 𝑚
𝑚𝑦 = = 11,16
8 𝑚
My = 11,16 x 0,5 = 5,58 kN.m/nervura

0,71 𝑥 4,64 𝑘𝑁
𝑣𝑥 = = 1,65
2 𝑚
Vx = 1,65 x 0,5 = 0,83 kN

5,39 𝑥 4,07 𝑘𝑁
𝑣𝑦 = = 10,97
2 𝑚
Vy = 10,97 x 0,5 = 5,59 kN

●L204

1,13 𝑥 2,46² 𝑘𝑁. 𝑚


𝑚𝑥 = = 0,85
8 𝑚
Mx = 0,85 x 0,5 = 0,43 kN.m/nervura

4,97 𝑥 4,57² 𝑘𝑁. 𝑚


𝑚𝑦 = = 12,97
8 𝑚
My = 12,97 x 0,5 = 6,49 kN.m/nervura

1,13 𝑥 2,46 𝑘𝑁
𝑣𝑥 = = 1,39
2 𝑚
Vx = 1,39 x 0,5 = 0,7 kN

4,97 𝑥 4,57 𝑘𝑁
𝑣𝑦 = = 11,36
2 𝑚
Vy = 11,36 x 0,5 = 5,68 kN

●L205

2,74 𝑥 4,07² 𝑘𝑁. 𝑚


𝑚𝑥 = = 5,67
8 𝑚
Mx = 5,67 x 0,5 = 2,84 kN.m/nervura

3,36 𝑥 4,35² 𝑘𝑁. 𝑚


𝑚𝑦 = = 7,95
8 𝑚
My = 7,95 x 0,5 = 3,98 kN.m/nervura
2,74 𝑥 4,07 𝑘𝑁
𝑣𝑥 = = 5,58
2 𝑚
Vx = 5,58 x 0,5 = 2,79 kN

3,36 𝑥 4,35 𝑘𝑁
𝑣𝑦 = = 7,31
2 𝑚
Vy = 7,31 x 0,5 = 3,66 kN

Obs: Não foram empregados os coeficientes redutores de Marcus devido à pouca


rigidez das lajes nervuradas.

LAJE mx my Mx My vx vy Vx Vy

L201 3,01 2,03 1,51 1,02 5,56 2 2,78 1

L202 7,64 11,16 3,82 5,58 1,65 10,97 0,83 5,59

L204 0,85 12,97 0,43 6,49 1,39 11,36 0,7 5,68

L205 5,67 7,95 2,84 3,98 5,58 7,31 2,79 3,66

1.6 Armadura de Flexão


Cálculo das armaduras utilizando CA-50

𝑀𝑑
𝑏1 ≤ {0,1 𝑥 𝑎 8 𝑥 ℎ𝑓 0,5 𝑥 𝑏2 𝐴𝑠 = 𝐹𝑦𝑑 𝑥 (𝑑−0,4𝑥)

𝑏3 ≤ {0,1 𝑥 𝑎 6 𝑥 ℎ𝑓

𝑀𝑑 ℎ𝑓
𝑏𝑓 ≤ {𝑏𝑤 + 𝑏1 + 𝑏3 𝑏𝑤 + 2𝑥𝑏1 50𝑐𝑚 𝑑𝑜 = 0,85.𝑓𝑐𝑑.𝑏𝑓.ℎ𝑓 + d=
2

0,9 x ht
ou d=h-c-Ø/2

● L201
𝑏1 ≤ {0,1𝑥217 = 21,7 𝑐𝑚 8𝑥5 = 40 𝑐𝑚 0,5𝑥50 = 25 𝑐𝑚

𝑏3 ≤ {0,1𝑥217 = 21,7 𝑐𝑚 6𝑥5 = 30𝑐𝑚

𝑏𝑓 ≤ {5 + 21,7 + 21,7 = 48,4𝑐𝑚 5 + 2𝑥21,7 = 48,4 𝑐𝑚 50𝑐𝑚

● Direção X

1,4 𝑥 151 5
𝑑𝑜 = 2,5 + 2 = 3,08 𝑐𝑚 → 𝐿𝑁 𝐶𝑜𝑟𝑡𝑎 𝑎 𝑀𝑒𝑠𝑎
0,85 𝑥 𝑥 48,4 𝑥 5
1,4

d = 0,9 x 20 = 18cm

Adotar Domínio 2.

x/d=0,18  x = 0,18 x d  x = 0,18 x 18 = 3,24cm


1,4 𝑥 151
𝐴𝑠𝑥 = = 0,29 𝑐𝑚2 /𝑛𝑒𝑟𝑣𝑢𝑟𝑎
50
𝑥(18 − 0,4𝑥3,24)
1,15

Tab. 3.2 (Araújo)  2 Ø5mm , Asx-proj: 0,39 𝑐𝑚2 /𝑛𝑒𝑟𝑣𝑢𝑟𝑎

● Direção Y

1,4 𝑥 102 5
𝑑𝑜 = 2,5 + 2 = 2,89 𝑐𝑚 → 𝐿𝑁 𝐶𝑜𝑟𝑡𝑎 𝑎 𝑀𝑒𝑠𝑎
0,85 𝑥 𝑥 48,4 𝑥 5
1,4

d = 18cm x = 3,24cm
1,4 𝑥 102
𝐴𝑠𝑦 = = 0,2 𝑐𝑚2 /𝑛𝑒𝑟𝑣𝑢𝑟𝑎
50
𝑥(18 − 0,4𝑥3,24)
1,15

Tab. 3.2 (Araújo)  2 Ø4,2mm, Asy-proj: 0,28 𝑐𝑚2 /𝑛𝑒𝑟𝑣𝑢𝑟𝑎

● L202

𝑏1 ≤ {0,1 𝑥 407 = 40,7𝑐𝑚 8 𝑥 5 = 40 𝑐𝑚 0,5 𝑥 50 = 25 𝑐𝑚


𝑏3 ≤ {0,1 𝑥 407 = 40,7𝑐𝑚 6𝑥5 = 30𝑐𝑚

𝑏𝑓 ≤ {5 + 25 + 30 = 60𝑐𝑚 5 + 2𝑥25 = 55 𝑐𝑚 50𝑐𝑚

● Direção X

1,4 𝑥 382 5
𝑑𝑜 = 2,5 + 2 = 2,91 𝑐𝑚 → 𝐿𝑁 𝐶𝑜𝑟𝑡𝑎 𝑎 𝑀𝑒𝑠𝑎
0,85 𝑥 𝑥 50 𝑥 5
1,4

d = 0,9 x 20 = 18 cm x = 3,24 cm
1,4 𝑥 382
𝐴𝑠𝑥 = = 0,74 𝑚2 /𝑛𝑒𝑟𝑣𝑢𝑟𝑎
50
𝑥(18 − 0,4𝑥3,24)
1,15

Tab. 3.2 (Araújo)  2 Ø8mm, Asx-proj: 1,01 𝑐𝑚2 /𝑛𝑒𝑟𝑣𝑢𝑟𝑎

● Direção Y

1,4 𝑥 558 5
𝑑𝑜 = 2,5 + 2 = 4,56 𝑐𝑚 → 𝐿𝑁 𝐶𝑜𝑟𝑡𝑎 𝑎 𝑀𝑒𝑠𝑎
0,85 𝑥50𝑥5
1,4

d = 18cm x = 3,24 cm
1,4 𝑥 558
𝐴𝑠𝑦 = = 2,06 𝑐𝑚2 /𝑛𝑒𝑟𝑣𝑢𝑟𝑎
50
𝑥(18 − 0,4𝑥3,24)
1,15

Tab. 3.2 (Araújo)  2 Ø12,5mm, Asy-proj: 2,45 𝑐𝑚2 /𝑛𝑒𝑟𝑣𝑢𝑟𝑎

● L204

𝑏1 ≤ {0,1 𝑥 246 = 24,6 𝑐𝑚 8 𝑥 5 = 40 𝑐𝑚 0,5 𝑥 50 = 25 𝑐𝑚


𝑏3 ≤ {0,1 𝑥 246 = 24,6 𝑐𝑚 6 𝑥 5 = 30𝑐𝑚

𝑏𝑓 ≤ {5 + 24,6 + 24,6 = 54,2 𝑐𝑚 5 + 2𝑥24,6 = 54,2 𝑐𝑚 50𝑐𝑚

● Direção X

1,4 𝑥 43 5
𝑑𝑜 = 2,5 + 2 = 2,66𝑐𝑚 → 𝐿𝑁 𝐶𝑜𝑟𝑡𝑎 𝑎 𝑀𝑒𝑠𝑎
0,85 𝑥 𝑥 50 𝑥 5
1,4

d = 0,9 x 20 = 18 cm x = 3,24cm
1,4 𝑥 43
𝐴𝑠𝑥 = = 0,077𝑚2 /𝑛𝑒𝑟𝑣𝑢𝑟𝑎
50
𝑥(18 − 0,4𝑥3,24)
1,15

Tab. 3.2 (Araújo)  2 Ø3,4mm, Asx – proj: 0,18 𝑐𝑚2 /𝑛𝑒𝑟𝑣𝑢𝑟𝑎

● Direção Y

1,4 𝑥 649 5
𝑑𝑜 = 2,5 + 2 = 4,90 𝑐𝑚 → 𝐿𝑁 𝐶𝑜𝑟𝑡𝑎 𝑎 𝑀𝑒𝑠𝑎
0,85 𝑥 𝑥 50 𝑥 5
1,4

d = 18cm x = 3,24cm
1,4 𝑥 649
𝐴𝑠𝑦 = = 1,25 𝑐𝑚2 /𝑛𝑒𝑟𝑣𝑢𝑟𝑎
50
𝑥(18 − 0,4𝑥3,24)
1,15

Tab. 3.2 (Araújo)  2 Ø10mm, Asy-proj: 1,57 𝑐𝑚2 /𝑛𝑒𝑟𝑣𝑢𝑟𝑎

● L205

𝑏1 ≤ {0,1 𝑥 407 = 40,7𝑐𝑚 8 𝑥 5 = 40 𝑐𝑚 0,5 𝑥 50 = 25 𝑐𝑚


𝑏3 ≤ {0,1 𝑥 407 = 40,7𝑐𝑚 6𝑥5 = 30𝑐𝑚

𝑏𝑓 ≤ {5 + 25 + 30 = 60𝑐𝑚 5 + 2𝑥25 = 55 𝑐𝑚 50𝑐𝑚

● Direção X

1,4 𝑥 284 5
𝑑𝑜 = 2,5 + 2 = 3,55 𝑐𝑚 → 𝐿𝑁 𝐶𝑜𝑟𝑡𝑎 𝑎 𝑀𝑒𝑠𝑎
0,85 𝑥 𝑥 50 𝑥 5
1,4

d = 0,9 x 20 = 18 cm x = 3,24cm
1,4 𝑥 284
𝐴𝑠𝑥 = = 0,55 𝑐𝑚2 /𝑛𝑒𝑟𝑣𝑢𝑟𝑎
50
𝑥(18 − 0,4𝑥3,24)
1,15

Tab. 13.2 (Araújo)  2 Ø6,3mm, Asx-proj: 0,62 𝑐𝑚2 /𝑛𝑒𝑟𝑣𝑢𝑟𝑎

● Direção Y

1,4 𝑥 398 5
𝑑𝑜 = 2,5 + 2 = 3,97 𝑐𝑚 → 𝐿𝑁 𝐶𝑜𝑟𝑡𝑎 𝑎 𝑀𝑒𝑠𝑎
0,85 𝑥 𝑥 50 𝑥 5
1,4

d = 18cm x = 3,24cm
1,4 𝑥 407
𝐴𝑠𝑦 = = 0,77𝑐𝑚2 /𝑛𝑒𝑟𝑣𝑢𝑟𝑎
50
𝑥(18 − 0,4𝑥3,24)
1,15

Tab. 3.2 (Araújo)  2 Ø8mm, Asy-proj: 1,01 𝑐𝑚2 /𝑛𝑒𝑟𝑣𝑢𝑟𝑎

1.7 Armadura de Cisalhamento

𝜏𝑤𝑢 = {0,3 𝑥 𝑓𝑐𝑑 4,5 𝑀𝑃𝑎 → 𝜏𝑤𝑢 = {0,3 𝑥 (25 − 1,4) = 5,3 𝑀𝑃𝑎 4,5 𝑀𝑃𝑎

𝑉𝑑
𝜏𝑤 =
𝑏𝑤. 𝑑
● L201

● Direção X

1,4 𝑥 2,78
𝜏𝑤 = = 43,24 𝑥 10−3 𝑀𝑃𝑎
5 𝑥 18

𝜏𝑤< 𝜏𝑤𝑢 = 𝑁ã𝑜 𝑃𝑟𝑒𝑐𝑖𝑠𝑎 𝑑𝑒 𝐸𝑠𝑡𝑟𝑖𝑏𝑜

● Direção Y

1,4 𝑥 1
𝜏𝑤 = = 0,016 𝑀𝑃𝑎
5 𝑥 18

𝜏𝑤< 𝜏𝑤𝑢 = 𝑁ã𝑜 𝑃𝑟𝑒𝑐𝑖𝑠𝑎 𝑑𝑒 𝐸𝑠𝑡𝑟𝑖𝑏𝑜

● L202

● Direção X

1,4 𝑥 0,83
𝜏𝑤 = = 0,013 𝑀𝑃𝑎
5 𝑥 18
𝜏𝑤< 𝜏𝑤𝑢 = 𝑁ã𝑜 𝑃𝑟𝑒𝑐𝑖𝑠𝑎 𝑑𝑒 𝐸𝑠𝑡𝑟𝑖𝑏𝑜

● Direção Y

1,4 𝑥 5,6
𝜏𝑤 = = 0,087 𝑀𝑃𝑎
5 𝑥18

𝜏𝑤< 𝜏𝑤𝑢 = 𝑁ã𝑜 𝑃𝑟𝑒𝑐𝑖𝑠𝑎 𝑑𝑒 𝐸𝑠𝑡𝑟𝑖𝑏𝑜

● L204

● Direção X

1,4 𝑥 0,70
𝜏𝑤 = = 0,011 𝑀𝑃𝑎
5 𝑥 18

𝜏𝑤< 𝜏𝑤𝑢 = 𝑁ã𝑜 𝑃𝑟𝑒𝑐𝑖𝑠𝑎 𝑑𝑒 𝐸𝑠𝑡𝑟𝑖𝑏𝑜

● Direção Y

1,4 𝑥 5,68
𝜏𝑤 = = 0,09 𝑀𝑃𝑎
5 𝑥 18

𝜏𝑤< 𝜏𝑤𝑢 = 𝑁ã𝑜 𝑃𝑟𝑒𝑐𝑖𝑠𝑎 𝑑𝑒 𝐸𝑠𝑡𝑟𝑖𝑏𝑜

● L205

● Direção X

1,4 𝑥 2,79
𝜏𝑤 = = 0,043 𝑀𝑃𝑎
5 𝑥 18
𝜏𝑤< 𝜏𝑤𝑢 = 𝑁ã𝑜 𝑃𝑟𝑒𝑐𝑖𝑠𝑎 𝑑𝑒 𝐸𝑠𝑡𝑟𝑖𝑏𝑜

● Direção Y

1,4 𝑥 3,66
𝜏𝑤 = = 0,057 𝑀𝑃𝑎
5 𝑥 18

𝜏𝑤< 𝜏𝑤𝑢 = 𝑁ã𝑜 𝑃𝑟𝑒𝑐𝑖𝑠𝑎 𝑑𝑒 𝐸𝑠𝑡𝑟𝑖𝑏𝑜

1.8 Armadura de Canto

𝐴𝑠𝑥
𝐴𝑠𝑐𝑎𝑛𝑡𝑜𝑥 =
2
𝐴𝑠𝑦
𝐴𝑠𝑐𝑎𝑛𝑡𝑜𝑦 =
2

Tab. A3.1 (Araújo)

● L201

0,29
𝐴𝑠𝑐𝑎𝑛𝑡𝑜𝑥 = = 0,145 𝑐𝑚2 /𝑚 Ø4,2mm s/ 30cm, Ascantox-proj: 0,46 𝑐𝑚2 /𝑚
2
0,2
𝐴𝑠𝑐𝑎𝑛𝑡𝑜𝑦 = =0,10 𝑐𝑚2 /𝑚 Ø4,2mm s/ 30cm, Ascantoy-proj: 0,46 𝑐𝑚2 /𝑚
2

● L202

0,74
𝐴𝑠𝑐𝑎𝑛𝑡𝑜𝑥 = = 0,37 𝑐𝑚2 /𝑚 Ø4,2mm s/ 30cm, Ascantox-proj: 0,46 𝑐𝑚2 /𝑚
2
2,06
𝐴𝑠𝑐𝑎𝑛𝑡𝑜𝑦 = = 1,03 𝑐𝑚2 /𝑚 Ø6,3mm s/ 30cm, Ascantoy-proj: 1,04 𝑐𝑚2 /𝑚
2

● L204

0,077
𝐴𝑠𝑐𝑎𝑛𝑡𝑜𝑥 = = 0,039 𝑐𝑚2 /𝑚 Ø4,2mm s/ 30cm,
2

Ascantox-proj: 0,46 𝑐𝑚2 /𝑚


1,25
𝐴𝑠𝑐𝑎𝑛𝑡𝑜𝑦 = = 0,63 𝑐𝑚2 /𝑚 Ø5,0mm s/ 30cm, Ascantoy-proj: 0,65 𝑐𝑚2 /𝑚
2

● L205

0,55 𝑐𝑚2
𝐴𝑠𝑐𝑎𝑛𝑡𝑜𝑥 = = 0,28 Ø4,2mm s/ 30cm, Ascantox-proj: 0,46 𝑐𝑚2 /𝑚
2 𝑚
0,77
𝐴𝑠𝑐𝑎𝑛𝑡𝑜𝑦 = = 0,39 𝑐𝑚2 /𝑚 Ø4,2mm s/ 30cm, Ascantoy-proj: 0,46 𝑐𝑚2 /𝑚
2

1.9 Armadura da Mesa

𝑐𝑚2
𝐴𝑠𝑚𝑒𝑠𝑎 ≤ {0,9 0,15𝑥ℎ𝑓
𝑚
𝑐𝑚2
𝐴𝑠𝑚𝑒𝑠𝑎 ≤ {0,9 0,15𝑥5 = 0,75𝑐𝑚2 /𝑚
𝑚

Tab. A3.1 (Araújo)

Ø5,00 s/ 20cm

Detalhamento

L-10 = 60 x Nc N° de cubas

Nn = Nc + 1

Número de Nervuras

●L201

- Ncx:
217 – 10 = 60 x Ncx
Nc = 4

- Ncy
407 – 10 = 60 x Ncy
Nc = 7

- NNx
NNx = 4+1 = 5

- NNy
NNy = 7+1 = 8

●L202

- Ncx:
407 – 10 = 60 x Ncx
Ncx = 7

- Ncy
464 – 10 = 60 x Ncy
Ncy = 8

- NNx
NNx = 7+1 = 8

- NNy
NNy = 8+1 = 9

●L204

- Ncx:
246 – 10 = 60 x Ncx
Ncx = 4

- Ncy
457 – 10 = 60 x Ncy
Ncy = 7

- NNx
NNx = 4+1 = 5

- NNy
NNy = 7+1 = 8

●L205

- Ncx:
407 – 10 = 60 x Ncx
Ncx = 7

- Ncy
435 – 10 = 60 x Ncy
Ncy = 7

- NNx
NNx = 7+1 = 8

- NNy
NNy = 7+1 = 8

9 Dimensionamento da escada

A seguir encontra-se a escada referente ao sobrado. A mesma será


dimensionada na sequência.
9.1 Pré-dimensionamento

- Escada de dois vãos paralelos;


- Altura dos degraus (e) de 17 cm;
- Largura dos degraus (a) de 30 cm;
- Peitoril com carga correspondente a 1,5 kN/m;
- Concreto C30;
- Aço CA-50.
1) Inclinação da escada:

𝑒 17
𝑡𝑔 ∝ = = = 0,56667
𝑎 30

∝ = 29,54°

2) Vão da escada:
𝑙 = 0,10 + 1,50 + (8 ∗ 0,30) + 0,10 = 4,10𝑚
Adotando h = 15 cm.

3) Composição de cargas

Patamar:

Peso próprio do patamar = 25 kN/m³ * 0,15 m = 3,75 kN/m²


Revestimento = 1,0 kN/m²
Carga acidental = 2,5 kN/m²
CARGA TOTAL = 7,25 kN/m²

Lance:

Peso próprio do lance = 25 kN/m³ * (h/(cos α + e/2) = 25 * (0,1724 + 0,17/2) = 6,44


kN/m²
Revestimento = 1,0 kN/m²
Carga acidental = 2,5 kN/m²

Peitoril = 1,5 kN/m / 1,5 m = 1,0 kN/m²


CARGA TOTAL = 10,94 kN/m²

4) Reações e vinculações
1,60 2,50 𝑘𝑁
𝑅𝐴 = 7,25 ∗ 1,60 ∗ ( + 2,50) + 10,94 ∗ 2,50 ∗ ( ) = 17,67
2 2 𝑚

1,60 2,50 𝑘𝑁
𝑅𝐵 = 7,25 ∗ 1,60 ∗ ( ) + 10,94 ∗ 2,50 ∗ ( + 1,60) = 21,27
2 2 𝑚

21,27 2
21,27 10,94 ∗ (10,94) 𝑚
𝑀𝑚𝑎𝑥 = 21,27 ∗ ( )− = 20,68 𝑘𝑁.
10,94 2 𝑚

Mmax = 20,68 kN.m/m

5) Armadura principal

d = h – c – 0,5 = 15 – 3,0 – 0,5 = 11,50 cm


𝑑 2 ∗ 1,4 ∗ 2068
𝑥= 1 − √1 −
𝜆 3,0
0,85 ∗ (1,4) ∗ 100 ∗ (11,5)2
( )

𝑥 = 1,85 𝑐𝑚

x/d = 1,85/11,50 = 0,156 < 0,25 OK!

𝛼𝑐 ∗ 𝜆 ∗ 𝑓𝑐𝑑 ∗ 𝑏 ∗ 𝑥
𝐴𝑠 =
𝑓𝑦𝑑

3,0
0,85 ∗ 0,8 ∗ (1,4) ∗ 100 ∗ 1,85
𝐴𝑠 = = 6,20 𝑐𝑚²/𝑚
50
1,15

𝑐𝑚2
𝐴𝑠𝑚𝑖𝑛 = 0,15% ∗ 𝑏 ∗ ℎ = 0,0015 ∗ 100 ∗ 15 = 2,25 < 𝐴𝑠 (𝑜𝑘!)
𝑚

Adotando: 10 c/ 12 cm.

6) Armadura de distribuição

Adotando: 5 c/ 15 cm.
7) Detalhamento das armaduras