Você está na página 1de 8

Aquisição de dados

O que é aquisição de dados?

A aquisição de dados (DAQ) é o processo de acompanhamento de um fenômeno, através


da medição de variáveis elétrica ou físicas, como tensão, corrente, temperatura, pressão ou
som, com o uso de um computador.

Um sistema de aquisição de dados (DAQ) é formado por sensores, hardware de aquisição e


medição de dados e um computador com software programável.

Em comparação com os sistemas tradicionais de medição, os sistemas DAQ baseados em


computadores exploram a capacidade de processamento, produtividade, sistemas de
visualização e recursos de conectividades dos computadores. Com isso, se tem uma
solução de medição mais poderosa, flexível e de melhor custo-benefício.

Funções dos dispositivos DAQ

● Entradas analógicas medem sinais analógicos.


● Saídas analógicas geram sinais analógicos.
● Entradas/saídas digitais medem e geram sinais digitais.
● Contadores/temporizadores contam eventos digitais ou geram pulsos/sinais digitais.

Há dispositivos que são dedicados a somente uma das funções relacionadas acima e há
dispositivos multifuncionais, que trabalham com todas elas. É possível encontrar
dispositivos DAQ com um número fixo de canais para uma única função, incluindo entradas
analógicas, saídas analógicas, entradas/saídas digitais ou contadores.

Taxa de amostragem

É a quantidade de amostras de um sinal analógico coletadas em uma determinada


unidade de tempo, para conversão em um sinal digital. Sendo uma frequência, é
comumente medida em Hertz (Hz). Amostras são os valores de um sinal analógico
medidos em um determinado instante.

A taxa de amostragem a ser usada em uma aplicação dependerá da componente máxima


de frequência do sinal que será medida ou gerada. O teorema de Shannon-Nyquist diz que
para reconstruir com exatidão um sinal é necessário fazer sua amostragem em uma
frequência que seja pelo menos o dobro da maior componente de frequência desse sinal.
Entretanto, na prática, é comum utilizar-se pelo menos 10 vezes a frequência máxima para
representar o formato de seu sinal

Observação 1: O teorema mostra que um sinal analógico, limitado em banda, que foi
amostrado, pode ser perfeitamente recuperado a partir de uma sequência infinita de
amostras, se a taxa de amostragem for maior que 2*Fm amostras por segundo, onde Fm é
a maior frequência do sinal original.
Observação 2: o teorema compara a frequência da amostragem com a frequência do
fenômeno e estipula um mínimo para que assim se saiba se a amostragem é muita ou
pouca.

Para um processo de frequência máxima (Fp) a frequência de amostragem (Fa) deve ser no
mínimo 2*Fp

Fa ≥ 2 * Fp

Para saber as frequências é necessário realizar a transformada de Fourier. Ela é uma


ferramenta matemática capaz de decompor um sinal em funções senoidais nas frequências
dominantes do sinal. Ex: pode-se fazer isso com a voz. Em sistemas computacionais esse
método é usado através da transformada discreta ( ou rápida) de Fourier (FFT) para assim
gerar um algoritmo que irá realizar o processo de decomposição.

O que é um sensor?

A medição de um fenômeno físico, como a temperatura de um processo industrial,


intensidade de uma fonte luminosa ou força aplicada a um objeto, começa pelo sensor. Um
sensor, também chamado de transdutor, converte um fenômeno físico em um sinal elétrico
mensurável.

Dependendo do tipo de sensor, sua saída elétrica pode ser uma característica de tensão,
corrente, resistência ou outro atributo elétrico que varie com o tempo. Alguns sensores
podem exigir componentes e circuitos adicionais para fornecer um sinal que possa ser lido
com exatidão e segurança por um dispositivo DAQ.

Quadro 1: Exemplos de sensores comuns

Sensor Fenômeno

Termopar ,RTD, termistor Temperatura

Fotossensor, LDR Luz

Microfone Som

Strain gage, transdutor piezoelétrico Força e pressão

Potenciômetro, encoder óptico Posição e deslocamento

Acelerômetro Aceleração

Eletrodo de pH pH

Sinal
Ente presente na transmissão da informação. A Partir do sinal tem-se a sua decodificação e
assim se obtém a informação.

No computador a unidade básica de informação (menor unidade) que pode ser armazenada
ou transmitida é o bit. Um bit pode assumir somente 2 valores:
● 0 (desligado): corte
● 1 (ligado): passagem de energia

As informações também podem ser armazenadas em um conjunto de bits , chamado de


bytes. A codificação comum (quantidade de bits por byte) é de ​byte é de 8 ​bits​, embora
possa ter outras quantidades, como 7. Sendo assim, o total de combinação de bytes que se
pode ter é de:
28 = 256 possibilidades de bytes diferentes

Figura 1: Sistema de aquisição de dados digitais

1. O fenômeno físico emite um sinal físico, como temperatura , pressão , luz.


2. Esse sinal é captado por um sensor, porém ele vem acompanhado de ruído. Assim
temos o sinal analógico.
3. A maioria d​os sinais analógicos requer alguma forma de preparação antes de
poderem ser digitalizados. Sendo assim se condiciona o sinal. O condicionamento
de sinal é a manipulação (transformação) de um sinal de maneira a prepará-lo para
o próximo estágio ​de processamento e ​para que se possa tirar o máximo de
resolução desses sinais quando estes forem digitalizados​. Neste caso os principais
p​rocessos de condicionamento de sinal são:

● Filtragem​: para amenizar o ruído. Deve-se saber a relação sinal/ ruído. Se a


integridade do sinal não for duas vezes a do ruído não se mede.
● Amplificação do sinal existente
● Atenuação
● Excitação
● Linearização
● Isolamento Elétrico

4. Posteriormente ocorre a conversão do sinal de valores analógico para valores


digitais, isso é feito com o uso de conversores analógico-digitais (ADCs).
5. Por fim o sinal condicionado e convertido para valores digitais (decodificado) e a
informação que ele carrega pode ser armazenada no computador na forma de bits e
bytes. Essa informação pode ser posterior visualizada na forma de gráficos ou
valores na tela do computador.

Sinal analógico

É dado por uma função matemática contínua. Onde:

Essa função pode ser expressa pela curva no primeiro gráfico abaixo, sendo assim
podemos relacionar a amostragem do sinal analógico com o tempo e assim obter o sinal
digital.

Figura 2: Ralação anaólgico - amostragem - digital


Conversores analógico-digitais (ADCs)

Transformam uma tensão analógica em um número binário (série de 1 e 0), e depois,


eventualmente, em números na base 10 para a leitura em um medidor, monitor, ou gráfico.

O número de dígitos binários (bits) que representa a medida determina a resolução do


conversor digital. No entanto, o número digital é apenas uma aproximação do valor real da
tensão analógica, num instante particular, porque a tensão só pode ser representada
digitalmente em intervalos discretos.

A relação matemática mostra como o número de bits de um ADC determina sua resolução
teórica específica: Um ADC n-bit tem uma resolução de uma parte em 2n .

Por exemplo, um ADC de 12-bit tem um resolução de uma parte em 4096, pois 212 = 4.096.
Assim, um ADC de 12 bits com um máximo de entrada de 10 VDC (​VDC – voltagem em
corrente contínua)​ pode resolver a medição em 10 Vdc / 4096 = 0,00244 Vdc = 2,44 mV.

Do mesmo modo, para a mesma faixa de 0 a 10 Vcc, um ADC de resolução 16-bit é 10/ 216
= 10 / 65.536 = 0,153 mV.

Quantas vezes é maior a resolução de um sistema DAQ de 12 bits do que a resolução de


um sistema de 10 bits?

212 / 210 = 4

Software programável e sua relação com a linguagem utilizada

As aplicações de aquisição de dados são frequentemente controladas por


programas(softwares) desenvolvidos em linguagens de propósito geral tais como Assembly,
BASIC, C, C++, C#, Fortran, Java, LabVIEW, Lisp, Pascal, etc.

Sistemas de aquisição de dados “Stand alone” (​para seu funcionamento não necessitam de
um ​software auxiliar, como um ​interpretador​, sob o qual terão de ser executados em cima
desse software) ​são frequentemente chamados de “Dataloggers”.

Calibração

Os circuitos de DAQ possuem sensores, cujos quais possuem limitações em suas


especificações e podem provocar desvios dos valores calculados. Para evitar desvios e
melhor as medições se faz a calibração.

REaliza-se a calibração para assegurar que os valores a serem medidos não tenham
influência de erro do equipamento, ou seja, que o equipamento esteja dentro dos padrões
estabelecidos. Ela é um conjunto de ações que estabelece a relação entre os valores
medidos pelo equipamento e os que deveriam ser apresentados, quando estimulados por
padrões conhecidos.

A partir dos resultados obtidos, podem ser tomadas ações corretivas de ajuste do
equipamento para colocar as medidas dentro das especificações deste equipamento. Sendo
assim, uma calibração permitirá que sejam realizados os ajustes necessários para que o
circuito atinja a precisão desejada. As ações corretivas/ ajustes podem ser realizadas por
hardware, sendo necessário projetar recursos no hardware para isso (potenciômetros, por
exemplo), ou por software, definindo-se constantes de calibração para serem utilizados no
software para a correção (dentro do código). Isso é feito através da construção da curva de
calibração .
 
Exemplo 1- Sinal pneumático em sinal analógico- Calibração

● Faixa do sinal: 3 psig - 15 psig


● O sinal pneumático é relacionado com a abertura da válvula, ou seja fornecendo um
valor de sinal pneumático a válvula irá se abrir ou fechar.
● Suponha uma válvula linear . Figura 3 e 4.

Figura 3 e 4 : Curva da válvula linear

● Criar código para calibrar o sinal: regular a mola para as pressões de ar.

Figura 5: Curva de calibração (ar para abrir)


Figura 6: Curva de calibração (ar para fechar)

Exemplo 2- Sinal pneumático e elétrico em sinal analógico- Calibração

● Usa-se corrente contínua (DC) nesse processo , se quiser alternar a corrente deve
se usar uma codificação. Os valores podem ser expressos em tensão elétrica (0 a
5V) ou em corrente elétrica (4-20mA) , sendo a última mais usada em controle.
● Não se usa corrente alternada (AC) pois quando formos agregas a informação a
mesma irá oscilar.

Figura 7: Curva de calibração sinal elétrico

Ruído no sinal

É um termo geral para modificações indesejadas que um ​sinal pode sofrer durante a captura,
armazenamento, transmissão, processamento ou conversão. Às vezes, a palavra também é
usada para significar sinais que são aleatórios que não contêm informações úteis. Ele tem haver
com a terceira lei da termodinâmica. Suas origens podem ser :
● Artificial : a presença de uma bobina ,em uma máquina ou equipamento, da interferência
no sinal .
● Natural: vem da atmosfera
● Térmico: movimento das partículas
● Processo
● Medição
● Turbulência
● Equipamentos elétricos
Entropia da informação

A informação só degenera, não se organiza. Devido a presença do ruído.

Filtros

Os filtros são usados para eliminar o risco e assim obter o verdadeiro valor da variável
desejada. Eles podem ser:
● Analógicos: não existe processamento matemático, não interage com a computação,
não é maleável. (é algo físico) Ex: circuito RC
● Digital: implica em computação , é extremamente maleável (ajustável), existe
processamento matemático.

Observação: os filtros digitais precisam de poder de processamento grande se a


amostragem for grande, por isso as vezes não é vantajoso quando se tem muitos dados.
Sendo assim, nesse caso se dá a preferencia para filtros analógicos.