Você está na página 1de 31

Ficha técnica

2017 – SEBRAE MINAS


Todos os direitos reservados. É permitida a reprodução total ou parcial, de qualquer forma
ou por qualquer meio, desde que divulgadas as fontes.

SEBRAE MINAS

Olavo Machado Júnior


Presidente do Conselho Deliberativo

Afonso Maria Rocha


Diretor-superintendente

Marden Márcio Magalhães


Diretor de Operações

Anderson Costa Cabido


Diretor-técnico

Unidade de Atendimento
Mônica Xavier Segantini de Castro
Gerente

Viviane Soares da Costa


Laurana Silva Viana
Equipe Técnica

Beatriz de Carvalho
Marcos Dalariva
Colaboração

Consultoria Jurídica
Nemer Caldeira Brant Advogados
Apresentação
Quer abrir o seu próprio negócio? Ponto de Partida: aqui começa o sucesso

O Ponto de Partida é um produto do Sebrae Minas, que reúne informações essenciais


sobre os vários aspectos da abertura de um negócio. Ele é dividido em dois manuais, um
com aspectos gerais e outro com específicos.

Neste manual, você encontrará informações relativas ao negócio de seu interesse, que
respondem a questões do tipo “como funciona o empreendimento?”, “quais os
equipamentos necessários?”, “existe legislação específica?”, “quais são as instituições
ligadas a esta atividade?”, entre outras.

No entanto, o presente produto contém orientações gerais para orientar o candidato a


empresário, não podendo o Sebrae Minas se responsabilizar pelo resultado final do
empreendimento. O sucesso do negócio dependerá de outros fatores como, por exemplo,
experiência, comportamento empreendedor, mercado, entre outros.

A equipe de profissionais responsável pelo produto tem a preocupação de manter as


informações atualizadas, por meio de consultas em diversas fontes: instituições setoriais,
consultores especializados, associações, sindicatos e empresários.

O Sebrae Minas dispõe de programas que orientam e capacitam os empreendedores e


empresários no desenvolvimento dos negócios. Para mais informações, visite um dos
Pontos de Atendimento, acesse www.sebraemg.com.br ou ligue 0800 570 0800.

Atenção: é recomendável a leitura do manual “Como montar uma indústria”,


para obtenção de outras informações importantes e complementares.
Sumário

1 - Perfil empreendedor ........................................................................................ 5


1.1 Características para atuar no negócio ...................................... 5
1.2 Na prática ............................................................................ 6
2 - Conhecendo sobre o negócio ......................................................................... 7
2.1 Como funciona o negócio ....................................................... 7
2.1 Na prática ............................................................................ 9
3 - Aspectos legais ............................................................................................. 10
3.1 Preparando as condições para formalizar ............................... 10
3.2 Legislação específica ........................................................... 11
3.3 Licenças Específicas ............................................................ 15
3.4 Formalização do Negócio ..................................................... 16
3.5 Proteção da ideia | Modelo de Negócios ................................. 17
3.6 Enquadramento tributário .................................................... 17
3.7 Estruturando a relação com público consumidor ...................... 18
3.8 Fundamentação legal .......................................................... 20
4 – Estruturando a abertura do negócio ................................................................ 21
4.1 Investimento inicial e capital de giro ..................................... 21
4.2 Formação do preço de venda ................................................ 22
4.3 Formação da equipe ............................................................ 22
4.4 Equipamentos, móveis e utensílios ........................................ 23
4.5 Design de ambientes ........................................................... 24
4.6 Dicas para divulgação do negócio .......................................... 25
4.7 Controles gerenciais ............................................................ 26
4.8 Na prática .......................................................................... 27
5 - Ampliando o conhecimento sobre o seu negócio ............................................. 28
5.1 Endereços úteis .................................................................. 28
5.1 Sugestão de vídeo .............................................................. 29
Referências ....................................................................................................... 30
Saiba como montar: Empresa de Torrefação e Moagem de Café 5

1 - Perfil empreendedor
Você está preparado para ser dono desse negócio?

1.1 Características para atuar no negócio

Empreendedorismo pode ser definido como a disposição ou capacidade de idealizar e


realizar projetos, serviços ou negócios.

Vários estudos vêm sendo realizados para entender melhor esse tema, que vem ganhando
força nos últimos anos. O mais conhecido é o Global Entrepreneurship Monitor (GEM). De
acordo com o estudo as motivações para se empreender se dividem entre necessidade e
oportunidade, ambas influenciadas pela estagnação ou crescimento da economia, além da
familiaridade com o tema empreendedorismo.

De acordo com o GEM os empreendedores por necessidade são aqueles que iniciam um
empreendimento autônomo por não possuírem melhores opções de trabalho, abrindo um
negócio a fim de gerar renda para si e suas famílias. Já os empreendedores por
oportunidade optam por iniciar um novo negócio mesmo quando possuem alternativas de
emprego e renda, para manter ou aumentar sua renda, ou ainda, pelo desejo de
independência no trabalho.

Independente da motivação para investir na montagem de um negócio é muito importante


que os empreendedores se preocupem antes de mais nada com a sua vocação/perfil para
estar à frente de uma empresa. Pois muitas vezes o empresário desiste do negócio quando
os primeiros desafios aparecem.

Algumas características essenciais que precisam ser desenvolvidas são:

 Busca de oportunidades e iniciativa: Observa o ambiente identificar as


necessidades a serem satisfeitas e age proativamente para fazer as coisas
acontecer.

 Persistência: Não desiste diante dos obstáculos. Tem paciência para deixar a
ideia amadurecer e se esforça para o negócio se estabelecer;
 Correr riscos calculados: Se arrisca para colocar a ideia em prática, mas sem
correr riscos desmedidos, apenas o suficiente para avançar.

 Exigência de qualidade e eficiência: Preocupar-se em entregar o melhor


para o seu cliente e investe em processos e procedimentos para cumprir os
padrões estabelecidos;

 Comprometimento: Envolver-se com a equipe para atingir os objetivos e se


responsabilizar pelos resultados da empresa;

Atualizado em: abr./2017


Saiba como montar: Empresa de Torrefação e Moagem de Café 6

 Busca de informações: Busca se atualizar constantemente sobre o mercado e


sobre o seu negócio como forma de conseguir uma vantagem competitiva em
relação a sua concorrência;

 Estabelecimento de metas: Estabelece objetivos claros e metas mensuráveis


de curto e longo prazo;

 Planejamento e monitoramento sistemáticos: Toma decisões baseadas em


fatos e dados gerados por todas áreas da empresa e no ambiente externo;

 Persuasão e rede de contatos: Constrói bons relacionamentos comerciais e


influencia pessoas (equipe, clientes, fornecedores, parceiros, etc.);

 Independência e autoconfiança: Apresenta autonomia para agir e acredita


nas suas ideias e decisões.

É preciso ressaltar que nem sempre uma pessoa reúne todos os comportamentos
empreendedores. No entanto, é preciso conhecê-los e buscar o aprimoramento dessas
características.

1.2 Na prática

Para auxiliar nesta etapa sugerimos os cursos à distância e a leitura do Guia Essencial
disponível em nossa Biblioteca Digital:

 Curso: Aprender a empreender (EAD Sebrae)


 Curso: Desperte seu potencial (EAD Sebrae)
 Dicas: Características empreendedoras (EAD Sebrae)
 Guia Essencial para novos empreendedores: Descoberta – Vol.1

Mais informações: ligue 0800 570 0800 ou acesse o atendimento online disponível em
nosso site.

Atualizado em: abr./2017


Saiba como montar: Empresa de Torrefação e Moagem de Café 7

2 - Conhecendo sobre o negócio


Saiba mais sobre a montagem e o funcionamento do seu futuro empreendimento

2.1 Como funciona o negócio

O consumidor brasileiro vem, nos últimos anos, readquirindo um antigo e tradicional


hábito: o de tomar café. A afirmação soa estranha para muitos, mas a verdade é que,
durante praticamente toda a década de 1980, o consumo per capita de café caiu de
maneira assustadora para muitas indústrias e representantes do setor. A virada começou a
ser registrada apenas no início dos anos 1990, quando a preocupação com a qualidade
passou a ser mais efetiva.

Hoje, no Brasil, há mercado interno suficiente para absorver a produção de pequenas


indústrias de torrefação e moagem, por ser o café um produto de grande consumo em
todas as regiões brasileiras. Porém, é bom lembrar que, embora o mercado seja amplo, a
concorrência é grande e vai desde os pequenos negócios a grandes empresas nacionais.

O mercado cafeeiro busca o aumento da competitividade por meio do diferencial em


relação aos concorrentes, como qualidade, custos, automação e o aprimoramento com as
novas tecnologias.

Antes de abrir a empresa, o empreendedor deverá fazer uma pesquisa para saber qual é o
tipo de café mais apreciado pelo público que pretende atender, quais são os preços
praticados pelas marcas concorrentes, os tipos de embalagem etc.

Outro aspecto importante é a qualidade do produto que se pretende oferecer. No Brasil a


qualificação do café, é feita de acordo com a classificação do tipo, números de defeitos,
características de qualidade do produto e pelo tipo de bebida que ele apresenta.

A indústria de torrefação e moagem é responsável pelo processamento da matéria-prima


com o objetivo de disponibilizá-la para o consumidor em forma de produto final. A função
de uma torrefadora vai muito além do que torrar e moer abrange, por exemplo, oferecer
qualidade, preços acessíveis e procurar desenvolver estratégias de marketing junto ao seu
público-alvo dentre outras ações.

É possível que uma torrefadora ofereça vários produtos além do café tradicional, como por
exemplo, café solúvel, produtos derivados do café (capuccino), café orgânico, café
descafeinado e café com origem controlada.

Recomenda-se que uma torrefadora de café seja instalada em um local arejado com ar
limpo e seco para não comprometer a qualidade do produto final. O empreendedor deve
primar por aspectos que garantam a qualidade de seu produto, por se tratar de uma
empresa produtora de alimentos a higiene deve ser um fator primordial.

Atualizado em: abr./2017


Saiba como montar: Empresa de Torrefação e Moagem de Café 8

Para garantir mercado para o seu produto, o empresário deverá ser bastante ousado, ágil
e conhecedor dos produtos e hábitos comerciais praticados pelos concorrentes e,
principalmente, saber avaliar tendências e hábitos dos consumidores.

Tipos de café

- Café Gourmert
São aqueles cafés considerados mais raros e exclusivos, excelentes, que têm somente
atributos de qualidade positivos, características únicas e marcantes. Normalmente, esses
cafés têm doçura própria, dispensando o uso de açúcar, além de aroma e sabor que
lembram cereais torrados, flores, frutas ou achocolatados.

- Cafés Superiores
São os produtos de qualidade reconhecidamente boa, acessíveis aos consumidores que a
valorizam e que mantêm a sua fidelidade à bebida. O valor agregado deve ser alto o
suficiente para permitir a utilização de matérias-primas superiores, ótimas embalagens e
reinvestimento permanente na categoria.

- Cafés Tradicionais
Os cafés tradicionais são aqueles cafés produzidos a partir de blends de grãos que
valorizam o equilíbrio entre a excelência da bebida e o sabor. Estão disponibilizados no
mercado hoje, em embalagens tipo "almofada" ou fechadas no sistema de vácuo. A venda
a granel é admitida com outros tipos de embalagens, desde que com prazos de validade
inferiores a 40 dias após a torração. Enquadram-se aqui também os cafés extrafortes.

- Cafés Funcionais
São os produtos que fornecem algo mais além do prazer da bebida, contribuindo para o
bem-estar do consumidor e satisfazendo a sua necessidade de cuidados com a saúde. São
os cafés descafeinados, vitaminados, orgânicos, enriquecidos, etc.

- Cafés Inovadores
São os produtos de uma nova geração tecnológica de produtos, como os cappuccinos, os
shakes, cafés com leite, cafés gelados enlatados, etc.

Selo ABIC

A Associação Brasileira da Indústria de Café - ABIC realiza uma análise da qualidade do


café comercializado no varejo, detectando se o produto é livre de impurezas, ou se nele é
feito algum tipo de mistura.

Para obter o selo de pureza, e empresa deverá se associar à ABIC e realizar todos os
procedimentos solicitados pela Associação.

Para que a empresa passe pela inspeção será necessário que ela já tenha o produto no
mercado.

Atualizado em: abr./2017


Saiba como montar: Empresa de Torrefação e Moagem de Café 9

2.1 Na prática

Para auxiliar nesta etapa sugerimos os cursos à distância e a leitura do Guia Essencial
disponível em nossa Biblioteca Digital:

 Cartilha: Meu 1º Negócio - Dicas de quem chegou lá


 Curso: Invista no Planejamento (EAD Sebrae)
 Guia Essencial para novos empreendedores: Ideação - Vol. 2 e Modelagem e
proposta de valor – Vol. 3
 Manual: Como Elaborar uma Pesquisa de Mercado
 Vídeo: Dicas de quem já chegou lá!

Sites de instituições para apoiar na busca de informações de mercado e estudos:

□ Centro Sebrae de Sustentabilidade


http://sustentabilidade.sebrae.com.br/Sustentabilidade/

□ IBGE
http://www.ibge.gov.br/home/

□ Sebrae SIM – Sistema de Inteligência de Mercado


http://www.sebraemercados.com.br/sim/

□ Sebrae - Sistema de Inteligência Setorial


http://www.sebraeinteligenciasetorial.com.br

Mais informações: 0800 570 0800 ou acesse nosso atendimento online disponível em
nosso site.

Atualizado em: abr./2017


Saiba como montar: Empresa de Torrefação e Moagem de Café 10

3 - Aspectos legais
Conheça as leis que regulamentam o negócio que você pretende montar

Essa seção tem como objetivo principal apresentar a regulamentação a ser observada por
você que pretende montar uma empresa de torrefação e moagem de café, além de
fornecer ferramentas e técnicas jurídicas para o desenvolvimento inicial do seu negócio.

Os dois objetivos fazem parte de um contexto maior, de planejamento jurídico do


empreendimento, etapa necessária para desenvolver as suas atividades de forma
madura e profissional desde a fase de concepção da ideia.

O planejamento jurídico é relevante não somente para se reduzir riscos das mais diversas
naturezas (trabalhista, concorrencial, fiscal, dentre outros), mas também, para obter
alguma economia tributária e para se assegurar que o modelo de negócio adotado é
compatível com a legislação em vigor.

IMPORTANTE!
Recomenda-se também a leitura do manual “Como abrir uma
Indústria”, pois nele você terá acesso às principais ferramentas jurídicas
para a montagem do negócio.

3.1 Preparando as condições para formalizar

Em geral, a formalização inicial de um empreendimento, seja ele de qualquer natureza,


envolve algumas preocupações básicas, para as quais você deve se atentar. São elas:

 A atividade a ser desenvolvida é compatível com a legislação?


 Quais são as licenças exigidas para a sua atividade?
 Como formalizar o seu negócio?
 Como proteger a sua ideia/modelo de negócios?
 Qual o enquadramento tributário mais adequado ao seu negócio?
 Como estruturar as relações entre sócios?
 Como estruturar as relações entre empregados e estagiários?
 Como me relacionar junto ao público consumidor?

De nada adianta ter uma boa ideia, se ela não puder ser operacionalizada por restrições
legais. Essas restrições podem ser das mais diversas naturezas: fiscais, ambientais,
trabalhistas, dentre outras.

Por esses motivos, você deve se certificar de que a atividade pretendida e o modelo de
negócios proposto são compatíveis com a legislação em vigor.

Atualizado em: abr./2017


Saiba como montar: Empresa de Torrefação e Moagem de Café 11

3.2 Legislação específica

No caso de uma empresa de Torrefação e Moagem de Café, há legislação específica para


empreender nesse segmento. Além das leis estaduais e nacionais, você deve estar
igualmente atento aos respectivos pareceres, decretos e outros dispositivos que
regulamentam sua atividade e suas peculiaridades.

Antes de tratarmos dos deveres e obrigações legais a serem observados pela empresa,
vamos destacar os principais dispositivos normativos, de forma que você, posteriormente,
possa aprofundar os conhecimentos jurídicos sobre o seu negócio.

LEGISLAÇÃO CONTEÚDO

Lei Federal Dispõe sobre o registro de empresas nas entidades fiscalizadoras do


nº 6.839/1980 exercício de profissões.
Lei Federal Institui a classificação de produtos vegetais, subprodutos e resíduos de
nº 9.972/2000 valor econômico, e dá outras providências.
Decreto-lei
Institui normas básicas sobre alimentos.
nº 986/1969
Decreto Federal Dispõe sobre Normas Técnicas Especiais Reguladoras do Emprego de
nº 50.040/1961 Aditivos Químicos a Alimentos.
Decreto Federal Aprova o Regulamento da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, e dá
nº 3.029/1999 outras providências.
Aprova o Regulamento Técnico sobre Condições Higiênico-Sanitárias e
Portaria Anvisa
de Boas Práticas de Fabricação para Estabelecimentos
nº 326/1997
Produtores/Industrializadores de Alimentos.
Dispõe sobre o Manual de Procedimentos Básicos para registro e
Resolução RDC Anvisa
dispensa da obrigatória de registro de produtos pertinentes à área de
nº 23/2000
alimentos.
Resolução RDC Anvisa Aprova o regulamento técnico sobre rotulagem de alimentos
nº 259/2002 embalados.
Resolução RDC Anvisa Aprova o Regulamento Técnico de Porções de Alimentos Embalados
nº 359/2003 para Fins de Rotulagem Nutricional.
Resolução RDC Anvisa Aprova o Regulamento Técnico sobre Rotulagem Nutricional de
nº 360/2003 Alimentos Embalados, tornando obrigatória a rotulagem nutricional.
Resolução RDC Anvisa Aprova o Regulamento Técnico para café, cevada, chá, erva-mate e
nº 277/2005 produtos solúveis.
Resolução RDC Anvisa Dispõe sobre as categorias de alimentos e embalagens isentos e com
nº 27/2010 obrigatoriedade de registro sanitário.

Com base nessas leis, o esquema abaixo traz um resumo das principais obrigações e
deveres a serem observados por você que pretende montar a sua própria empresa de
torrefação e moagem de café.

Atualizado em: abr./2017


Saiba como montar: Empresa de Torrefação e Moagem de Café 12

Para que a empresa de torrefação e moagem possam funcionar ela


estará sujeita à responsabilidade técnica de um profissional devidamente
habilitado perante o Conselho de Classe Regional.
Responsabilidade
técnica
Considerando que a responsabilidade técnica para a atividade não é
privativa de químico, sugerimos que consulte também os Conselhos de
Nutricionista e Conselho de Engenharia e Agronomia (Engenheiro de
Alimentos).

Pontua-se, ainda, algumas exigências que a Empresa deve observar, como podemos ver
nos quadros abaixo:

De acordo com a Resolução RDC nº 27, de 6 de agosto de 2010, expedida


pela Anvisa, estão isentos da obrigatoriedade de registro sanitário os
seguintes alimentos e embalagens: café e produtos solúveis.

Apesar da isenção, você deve informar à autoridade sanitária estadual ou


Registro do municipal, num prazo máximo de até dez dias, a data de início da fabricação
produto dos produtos dispensados de registro, conforme previsto na Resolução RDC
nº 23/2000, também da Anvisa.

A partir de então pode iniciar a comercialização dos produtos. Após esse


comunicado, a vigilância sanitária terá um prazo de 60 dias, para proceder a
inspeção sanitária na unidade fabril.

O Decreto-lei nº 986, de 21 de outubro de 1969, institui normas básicas


sobre alimentos. Para fins de fiscalização sanitária, a mencionada legislação
define no artigo 2º, inciso I, que considera alimento toda substância ou
mistura de substâncias, no estado sólido, líquido, pastoso ou qualquer outra
forma adequada, destinadas a fornecer ao organismo humano os elementos
normais à sua formação, manutenção e desenvolvimento.

Normas sobre Esse Regulamento Técnico foi instituído pelo Ministério da Saúde, e seu
alimentos estrito cumprimento não desobriga o empreendimento de observar outras
normas incidentes sobre a atividade, principalmente de caráter higiênico-
sanitário.

Informações detalhadas sobre normatização da atividade de torrefação e


moagem de café devem ser solicitadas diretamente junto à Anvisa, posto que
as regras aplicáveis ao empreendimento são instituídas através de normas
infra-legais, podendo citar Portarias, Resoluções e outras.
Resolução da Diretoria Colegiada da Anvisa RDC nº 277, de 22 de setembro
de 2005, que aprovou o “Regulamento técnico para café, cevada, chá,
erva-mate e produtos solúveis”. Sobre o regulamento cumpre destacar:
Alcance; Definição; Requisitos gerais; Rotulagem e Requisitos específicos.

Portaria n° 326 da Secretaria de Vigilância Sanitária do Ministério da Saúde,

Atualizado em: abr./2017


Saiba como montar: Empresa de Torrefação e Moagem de Café 13

de 30 de julho de 1997, que instituiu o Regulamento Técnico sobre


Condições Higiênico-Sanitárias e de Boas Práticas de Fabricação para
Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimentos. Sobre
o regulamento cumpre destacar: Finalidades; Objetivo; Campo de aplicação.

Quanto a rotulagem do produto final será necessário seguir as recomendações específicas


das normas regulamentadoras do setor e podemos resumir no quadro abaixo:

A Resolução RDC Anvisa nº 259, de 20 de setembro de 2002 se aplica à


rotulagem de todo alimento que seja comercializado, qualquer que seja sua
origem, embalado na ausência do cliente, e pronto para oferta ao consumidor.

A norma comentada traz conceitos importantes que merecem ser reproduzidos:

1. Rotulagem: É toda inscrição, legenda, imagem ou toda matéria descritiva ou


gráfica, escrita, impressa, estampada, gravada, gravada em relevo ou
litografada ou colada sobre a embalagem do alimento.
2. Embalagem: É o recipiente, o pacote ou a embalagem destinada a garantir a
conservação e facilitar o transporte e manuseio dos alimentos.
3. Alimento embalado: É todo o alimento que está contido em uma
embalagem pronta para ser oferecida ao consumidor.
4. Consumidor: É toda pessoa física ou jurídica que adquire ou utiliza
Normas sobre alimentos.
alimentos 5. Ingrediente: É toda substância, incluídos os aditivos alimentares, que se
emprega na fabricação ou preparo de alimentos, e que está presente no
produto final em sua forma original ou modificada.
6. Matéria-prima: É toda substância que para ser utilizada como alimento
necessita sofrer tratamento e ou transformação de natureza física, química ou
biológica.
7. Aditivo Alimentar: É qualquer ingrediente adicionado intencionalmente aos
alimentos, sem propósito de nutrir, com o objetivo de modificar as
características físicas, químicas, biológicas ou sensoriais, durante a
fabricação, processamento, preparação, tratamento, embalagem,
acondicionamento, armazenagem, transporte ou manipulação de um
alimento. Isto implicará direta ou indiretamente fazer com que o próprio
aditivo ou seus produtos se tornem componentes do alimento. Esta definição
não inclui os contaminantes ou substâncias nutritivas que sejam incorporadas
ao alimento para manter ou melhorar suas propriedades nutricionais.
8. Aditivo Alimentar: É qualquer ingrediente adicionado intencionalmente aos
alimentos, sem propósito de nutrir, com o objetivo de modificar as
características físicas, químicas, biológicas ou sensoriais, durante a
fabricação, processamento, preparação, tratamento, embalagem,
acondicionamento, armazenagem, transporte ou manipulação de um
Rotulagem alimento. Isto implicará direta ou indiretamente fazer com que o próprio
aditivo ou seus produtos se tornem componentes do alimento. Esta definição
não inclui os contaminantes ou substâncias nutritivas que sejam incorporadas
ao alimento para manter ou melhorar suas propriedades nutricionais.
9. Alimento: É toda substância que se ingere no estado natural, semi-elaborada
ou elaborada, destinada ao consumo humano, incluídas as bebidas e qualquer

Atualizado em: abr./2017


Saiba como montar: Empresa de Torrefação e Moagem de Café 14

outra substância utilizada em sua elaboração, preparo ou tratamento,


excluídos os cosméticos, o tabaco e as substâncias utilizadas unicamente
como medicamentos.
10. Fracionamento de alimento: É a operação pela qual o alimento é
dividido e acondicionado, para atender a sua distribuição, comercialização e
disponibilização ao consumidor.

Todo rótulo deve conter as seguintes informações:

1. Denominação de venda do alimento


2. Lista de ingredientes
3. Conteúdos líquidos
4. Identificação da origem
5. Nome ou razão social e endereço do importador, no caso de alimentos
importados
6. Identificação do lote
7. Prazo de validade
8. Instruções sobre o preparo e uso do alimento, quando necessário.

A Resolução RDC Anvisa nº 359, de 23 de dezembro de 2003 se aplica à


rotulagem nutricional dos alimentos produzidos e comercializados, qualquer que
seja sua origem, embalados na ausência do cliente e prontos para serem
oferecidos aos consumidores.

A referida norma traz definições relevantes e alguns conceitos merecem


destaque:

1. Porção: é a quantidade média do alimento que deveria ser consumida por


pessoas sadias, maiores de 36 meses de idade em cada ocasião de
consumo, com a finalidade de promover uma alimentação saudável.
2. Medida Caseira: é um utensílio comumente utilizado pelo consumidor para
medir alimentos.
3. Unidade: cada um dos produtos alimentícios iguais ou similares contidos
em uma mesma embalagem.
4. Fração: parte de um todo.
5. Fatia ou rodela: fração de espessura uniforme que se obtém de um
alimento.
6. Prato preparado semi-pronto ou pronto: alimento preparado, cozido ou
pré-cozido que não requer adição de ingredientes para seu consumo.

A referida resolução trata, entre outros assuntos, da metodologia a ser


empregada para determinar o tamanho da porção.

A Resolução RDC Anvisa nº 360, de 23 de dezembro de 2003 torna obrigatória a


rotulagem nutricional de alimentos embalados na ausência do cliente e prontos
para serem oferecidos aos consumidores.

A rotulagem nutricional compreende a declaração de valor energético e


nutrientes, e a declaração de propriedades nutricionais (informação nutricional
complementar).

Atualizado em: abr./2017


Saiba como montar: Empresa de Torrefação e Moagem de Café 15

3.3 Licenças Específicas

A Empresa de Torrefação e Moagem de Café deve obter licença ou autorização


específica para desenvolver suas atividades. Elas são as seguintes:

LICENÇAS OU AUTORIZAÇÃO ÓRGÃO


Licença ou Alvará de Funcionamento Prefeitura
Licença do Corpo de Bombeiros Corpo de Bombeiros

Licença Sanitária Secretaria Municipal de Vigilância Sanitária

Licenciamento Ambiental Órgãos municipais ou estaduais de Meio Ambiente

Cuidado!
É extremamente importante que você disponha de todas as licenças e que
elas sejam regularmente validadas junto às respectivas autoridades
regulatórias. Um fiscal da Prefeitura, do Conselho, por exemplo, pode
visitar a Empresa a qualquer momento para verificar se ela dispõe das
autorizações necessárias para operar no mercado.

Observações Importantes:
Nota 1: Se sua empresa descumprir algum requisito legal poderá
sofrer as seguintes penalidades, sem prejuízo de outras:
 Advertência;
 Multa;
 Suspensão parcial ou total de atividades;
 Não concessão, restrição, ou suspensão de incentivos
fiscais e de outros benefícios concedidos pelo estado ou
por empresa sob o seu controle direto ou indireto,
enquanto perdurar a infração.

Nota 2: É essencial estar atento aos cuidados com o consumidor

Atualizado em: abr./2017


Saiba como montar: Empresa de Torrefação e Moagem de Café 16

3.4 Formalização do Negócio

A escolha do formato jurídico da sua Empresa de Torrefação e Moagem de Café


dependerá de como você deseja conduzir suas atividades. Dentre os mais diversos
interesses que você possa ter para empreender, alguns são particularmente sensíveis em
termos jurídicos nesse momento inicial do empreendimento.

Tipo de Atividade:

É importante que você possua uma visão de médio-longo prazo sobre as atividades que
poderão ser desenvolvidas na sua empresa, uma vez que, para emitir Notas Fiscais e
cobrar de forma legítima pelo seu trabalho, a atividade deverá estar expressamente
descrita no objeto social da empresa e ser permitidas no(s) CNAE (Classificação Nacional
de Atividades Econômicas) selecionado(s) no momento do registro.

A CNAE é o instrumento de padronização nacional dos códigos de atividade econômica e


dos critérios de enquadramento, elaborado sob a coordenação da Secretaria da Receita
Federal e orientação técnica do IBGE e utilizada pelos diversos órgãos da Administração
Tributária do país, inclusive pela Administração Pública na identificação da atividade
econômica em cadastros e registros de pessoa jurídica, bem como, para efeitos de
tributação.

Portanto, é importantíssima a correta classificação da atividade econômica do


estabelecimento, pois ela influenciará significativamente na forma da tributação da sua
empresa.

De acordo com a Classificação Nacional de Atividades Econômicas – CNAE, a atividade de


torrefação e moagem de café1 (1081-3/02) compreende:

- A fabricação de café torrado em grãos;


- A fabricação de café torrado e moído;
- A fabricação de café descafeinado.

Perfil Empresarial:

Cada tipo de empresa apresenta características distintas, que podem ser mais ou menos
compatíveis ao perfil que você busca para o seu negócio. Nesse sentido, para definir se a
empresa será constituída como uma Sociedade Limitada ou Empresa Individual de
Responsabilidade Limitada, por exemplo, deverá levar em consideração não somente os

1
A classificação acima é uma indicação para melhor entendimento do negócio e o que ele
compreende. O Sebrae Minas se isenta de responsabilidades quanto ao enquadramento do negócio
na CNAE, devendo o empreendedor consultar um profissional de contabilidade antes mesmo do
registro da empresa.

Atualizado em: abr./2017


Saiba como montar: Empresa de Torrefação e Moagem de Café 17

custos e a burocracia envolvida em cada um dos tipos societários, mas na forma como
você conduzirá o negócio.

Complemente a sua leitura!


Para saber mais sobre a formalização de empresas consulte o manual “Como abrir
uma indústria” disponível em nossa Biblioteca Digital.

Assim que definir a forma jurídica do seu negócio, você deverá realizar o registro da sua
empresa. O primeiro passo é fazer o registro empresarial, que garantirá ao
empreendimento a condição de empresa formalizada (com CNPJ, reserva de nome e
contrato social averbado em órgão público). Logo depois faça o registro profissional, que
garantirá à empresa a habilitação para operar no segmento de Torrefação e Moagem de
Café.

3.5 Proteção da ideia | Modelo de Negócios

Uma das principais preocupações das empresas em estágio inicial de desenvolvimento é


de que forma poderão proteger suas ideias e modelos de negócios de divulgações
indevidas e de eventuais investidas da concorrência.

Essas proteções se dão, basicamente, através da realização de registros de propriedade


intelectual e da formalização de contratos. Isto é, para proteger a sua ideia e seu modelo
de negócios, você pode promover o registro perante órgãos competentes (como o Instituto
Nacional da Propriedade Intelectual - INPI e Cartórios) e pode estabelecer contratos com
cláusulas referentes à propriedade intelectual junto a sócios, empregados, prestadores de
serviços, estagiários, dentre outros.

Complemente a sua leitura!


Para saber mais sobre as formas de proteção de uma ideia de negócio e registro de
marca consulte o manual “Como abrir uma indústria” disponível em nossa Biblioteca
Digital.

3.6 Enquadramento tributário

Uma das escolhas a serem feitas durante a fase de formalização de um empreendimento é a


definição do seu enquadramento tributário. Essa decisão dependerá, sobretudo, do modelo
de negócio adotado. Contudo, outras variáveis devem ser levadas em consideração. São

Atualizado em: abr./2017


Saiba como montar: Empresa de Torrefação e Moagem de Café 18

elas:

 Previsão de faturamento (ou seja, a receita bruta);


 Previsão de despesas operacionais;
 Margem de lucro;
 Valor da despesa com empregados.

É a partir do levantamento dessas informações que você poderá comparar e escolher o


regime tributário que melhor se adéqua ao seu modelo de negócios, de acordo com a sua
atividade e faturamento.

Os principais tributos incidem sobre a atividade de Torrefação e Moagem de Café são:

Receitas de venda de produtos e IPI; ICMS; ISS; PIS/COFINS e Contribuições


serviços previdenciárias.
Importações de bens, serviços e Imposto de Importação; IPI; PIS/COFINS;
tecnologia CIDE; ICMS e ISS.
Folha de salários Contribuições previdenciárias e INSS.
Patrimônio ITR; IPTU e IPVA.
Atividades reguladas Taxa da Anatel; FUST e FUNTEL.
Lucro IRPJ e CSL.

Atenção!
Uma vez escolhido o regime de tributação, não será possível alterá-lo
até o próximo exercício social (ano fiscal)

Complemente a sua leitura!


Para saber mais sobre os regimes de tributação consulte o manual “Como abrir uma
indústria” disponível em nossa Biblioteca Digital.

3.7 Estruturando a relação com público consumidor

O Código de Defesa do Consumidor (CDC) foi instituído pela Lei Federal nº 8.078/90, que
visa, sobretudo, harmonizar os interesses de consumidores e fornecedores, assegurando:

Atualizado em: abr./2017


Saiba como montar: Empresa de Torrefação e Moagem de Café 19

 O atendimento das necessidades dos consumidores;


 O respeito à sua dignidade, saúde e segurança;
 A proteção de seus interesses econômicos;
 Melhoria da sua qualidade de vida, bem como a transparência e harmonia das
relações de consumo.

Nesse contexto, para se montar uma Empresa de Torrefação e Moagem de Café,


deve-se atentar aos direitos e deveres do consumidor para se evitar penalidades dos
órgãos fiscalizadores de consumo. Dessa forma, é recomendável observar:

 Cuidado quanto à publicidade enganosa ou abusiva. Nunca prometa algo que não
possa cumprir, tal como um produto com especificações diferentes das que são de
fato entregues;
 Forneça sempre informação clara e de fácil visualização do preço;
 Cuidado com possíveis formas de cobrança, nunca exponha o consumidor ao
ridículo, nem o constranja ou o ameace;
 A oferta e a apresentação de produtos devem assegurar informações corretas,
claras, precisas, ostensivas e em língua portuguesa sobre suas características,
qualidade, quantidade, composição, preço, garantia, prazos de validade e origem,
entre outros dados, bem como sobre os riscos que apresentam à saúde e
segurança dos consumidores.

Os Órgãos de Defesa do Consumidor têm como obrigação legal a fiscalização das relações
de consumo. A não observância das regras de consumo sujeita a agência às seguintes
penalidades, que poderão ser aplicadas isolada ou cumulativamente, sem prejuízo das de
natureza cível e penal:

 Multa;
 Apreensão do produto;
 Inutilização do produto;
 Suspensão de fornecimento de produtos ou serviços;
 Suspensão temporária de atividade;
 Cassação de licença do estabelecimento ou de atividade;
 Interdição, total ou parcial, do estabelecimento;
 Imposição de contrapropaganda.

Importante:
A legislação brasileira está sujeita a alterações constantes. É necessário e indispensável
que o empreendedor solicite às autoridades fiscais informações atualizadas sobre
exigências e requisitos legais para a regularização da pessoa jurídica e a exploração da
atividade econômica. As instruções recebidas sobre legislação devem ser confirmadas
pelas autoridades fiscais e pelo profissional de contabilidade responsável pela escrita fiscal
da empresa.

Atualizado em: abr./2017


Saiba como montar: Empresa de Torrefação e Moagem de Café 20

3.8 Fundamentação legal

LEGISLAÇÃO CONTEÚDO

Lei Federal nº 2.800, de Cria os Conselhos Federal e Regionais de química, dispõe sobre o
18 de junho de 1956 exercício da profissão de químico e dá outras providências.
Lei Federal nº 6.839, de Dispõe sobre o registro de empresas nas entidades fiscalizadoras do
30 de outubro de 1980 exercício de profissões.
Lei Federal nº 9.782, de Define o Sistema Nacional de Vigilância Sanitária, cria a Agência
26 de janeiro de 1999 Nacional de Vigilância Sanitária, e dá outras providências.
Lei Federal nº 9.972, de Institui a classificação de produtos vegetais, subprodutos e resíduos de
25 de maio de 2000 valor econômico, e dá outras providências.)
Decreto-lei nº 986, de
Institui normas básicas sobre alimentos.
21 de outubro de 1969
Decreto Federal nº
Dispõe sobre Normas Técnicas Especiais Reguladoras do Emprego de
50.040, de 24 de
Aditivos Químicos a Alimentos)
janeiro de 1961
Decreto Federal nº
85.877, de 07 de abril Estabelece normas para execução da Lei nº 2.800/56.
de 1981
Decreto Federal nº
Aprova o Regulamento da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, e dá
3.029, de 16 de abril de
outras providências.
1999
Portaria nº 326 da
Secretaria de Vigilância Aprova o Regulamento Técnico sobre Condições Higiênico-Sanitárias e
Sanitária do Ministério de Boas Práticas de Fabricação para Estabelecimentos
da Saúde, de 30 de Produtores/Industrializadores de Alimentos.
julho de 1997
Resolução RDC Anvisa –
Agência Nacional de Dispõe sobre o Manual de Procedimentos Básicos para registro e
Vigilância Sanitária nº dispensa da obrigatória de registro de produtos pertinentes à área de
23, de 15 de março de alimentos.)
2000
Resolução RDC Anvisa –
Agência Nacional de
Aprova o regulamento técnico sobre rotulagem de alimentos
Vigilância Sanitária nº
embalados.
259, de 20 de setembro
de 2002
Resolução RDC Anvisa –
Agência Nacional de
Aprova o Regulamento Técnico de Porções de Alimentos Embalados
Vigilância Sanitária nº
para Fins de Rotulagem Nutricional.
359, de 23 de dezembro
de 2003
Resolução RDC Anvisa –
Agência Nacional de
Dispõe sobre as categorias de alimentos e embalagens isentos e com
Vigilância Sanitária nº
obrigatoriedade de registro sanitário.
27, de 06 de agosto de
2010

Atualizado em: abr./2017


Saiba como montar: Empresa de Torrefação e Moagem de Café 21

4 – Estruturando a abertura do negócio


Conheça os aspectos gerais do seu futuro empreendimento

4.1 Investimento inicial e capital de giro

Ao contrário do que muita gente pensa o investimento inicial não se resume apenas ao
recurso utilizado para compra de máquinas e equipamentos.

O investimento inicial engloba todos os itens necessários para abertura da empresa


torrefação e moagem de café, incluindo a quantia necessária para sua sobrevivência
nos primeiros meses de atividade. Lembre-se que leva um tempo para que as pessoas
conheçam a sua empresa e fechem os contratos na quantidade necessária para se manter
no mercado e gerar lucro.

O investimento inicial é composto pelos investimentos fixos, capital de giro e


investimentos pré-operacionais e contemplam por exemplo:

 Investimentos fixos (são todos os bens que você deve comprar para que seu
negócio possa funcionar):
 Aquisição de imóvel (não é aluguel);
 Máquinas e equipamentos;
 Móveis e utensílios;
 Veículos.

 Capital de giro (é o valor necessário para manter a empresa funcionando e


compreende a compra de insumos e estoque, financiamento das vendas a prazo e o
pagamento das despesas)
 Estoque inicial;
 Caixa mínimo.

 Investimentos pré-operacionais: (é o valor necessário para preparar a empresa


para exercer suas atividades)
 Despesas de legalização;
 Obras civis ou reformas;
 Divulgação;
 Treinamentos.

A correta identificação de todos os investimentos é imprescindível, pois possibilita que


você conheça o montante necessário para que a empresa esteja apta a iniciar as
operações no que diz respeito à estrutura física e preparação financeira.

Atualizado em: abr./2017


Saiba como montar: Empresa de Torrefação e Moagem de Café 22

4.2 Formação do preço de venda

Um dos principais desafios enfrentados por você que deseja montar um negócio, é definir
um preço de venda que além de ser atrativo para o seu cliente contabilize todos os custos
e despesas envolvidos neste processo e ainda comporte uma margem de lucro.

A determinação do preço de venda é tarefa fundamental para o planejamento empresarial,


pois além do retorno sobre os investimentos, os preços praticados também irão
proporcionar crescimento e a sustentabilidade do negócio.

Existem pelo menos dois métodos para ajudar você a calcular o preço de venda do seu
produto ou serviço:

o Preço a partir do custo: é a maneira da empresa calcular seu preço de venda de


dentro para fora, ou seja, o preço ideal é calculado para cobrir todos os custos e
despesas, possibilitando ainda a obtenção do lucro desejado.

o Preço a partir da concorrência: parte-se do preço praticado no mercado pela


concorrência, ou seja, de fora para dentro, e é feito um cálculo interno para
verificar se esse preço cobrirá todos os custos e despesas da empresa e se haverá
o lucro desejado.

Comece a sua empresa com os preços calculados corretamente, pois qualquer erro nesse
sentido poderá comprometer a saúde financeira do seu negócio e até mesmo inviabilizar a
sua permanência no mercado.

4.3 Formação da equipe

O ser humano é peça fundamental para o sucesso de qualquer negócio. Por esse motivo a
empresa precisa assegurar que o perfil do funcionário está alinhado com o cargo que ele
irá desenvolver.

Um dos maiores desafios dos empresários tem sido formar uma equipe de trabalho
comprometida com os objetivos do negócio. Isso ocorre às vezes por falta de mão de obra
qualificada e em outros momentos por falta de conhecimento das técnicas de contratação
e retenção de talentos, ou seja, profissionais que contribuem para o alcance dos
resultados organizacionais.

Como sabemos os encargos trabalhistas são pesados, principalmente para uma


microempresa que muitas vezes não tem como pagar altos salários para sua equipe. E
mesmo que pudessem, algumas pesquisas indicam que os funcionários muitas vezes
permanecem na empresa pelos benéficos que ela oferece e pela qualidade do clima
organizacional.

Atualizado em: abr./2017


Saiba como montar: Empresa de Torrefação e Moagem de Café 23

Sugestão de composição de funcionários, que irá variar de acordo com as necessidades do


empreendimento:

 Assistente-administrativo e financeiro
 Carregador (carga e descarga de mercadorias)
 Classificador de café
 Comprador
 Embalador
 Gerente
 Misturador/torrador de café
 Supervisor de produção

Há também alguns prestadores de serviços de que você poderá precisar:

 Advogado
 Contador
 Designer de produtos
 Bombeiro hidráulico
 Eletricista
 Pedreiro
 Pintor
 Responsável técnico

4.4 Equipamentos, móveis e utensílios

Todas as etapas que envolvem a materialização de um negócio podem gerar excesso de


empolgação por parte do empresário que, se não mantiver os pés no chão, gasta mais do
que o planejado.

Os equipamentos devem ser adquiridos após analisar quais são essenciais para o
funcionamento da agência e que impactarão diretamente no atendimento ao cliente, na
qualidade do trabalho e nos resultados da empresa.

Sugestão de alguns equipamentos:

 Moedor
 Empacotadora
 Seladora de embalagem;
 Descascador de café
 Elevador de café cru
 Embalagens;
 Mexedor para café torrado
 Silo para grãos torrados;

Atualizado em: abr./2017


Saiba como montar: Empresa de Torrefação e Moagem de Café 24

 Separador de pedras/peneira
 Sistema de resfriamento dos grãos
 Torrador

Consulte os sites indicados para localizar fornecedores para o seu negócio:

Cartão BNDES
Fornecedores em áreas diversos produtos

https://www.cartaobndes.gov.br

4.5 Design de ambientes

O design de ambientes compreende o planejamento de ocupação e uso dos espaços,


alinhando aspectos conceituais, funcionais, estéticos e econômicos. Esse trabalho
proporciona ambientes confortáveis, eficientes e produtivos ao trabalho, ao modo de viver
das pessoas e aos ambientes empresariais. É uma estratégia de diferenciação.

Para elaboração de projeto que atenda às necessidades específicas de seu negócio,


consulte um profissional especializado, o designer de ambientes.

O layout precisa facilitar a realização dos processos, transporte de mercadorias e


circulação de funcionários. A adequação às exigências técnicas também é fundamental.

Área de produção

- As instalações da área de produção devem ser projetadas de forma a possibilitar o


fluxo ordenado.

Circulação/DML/Copa/Administração

- Definir um local para o depósito de material de limpeza (DML), que contenha


tanque e espaço para armazenagem do lixo.
- As empresas devem oferecer a seus empregados condições de conforto e de
higiene que garantam refeições adequadas por ocasião dos intervalos previstos na
jornada de trabalho, bem como meios para conservar e aquecer o alimento na
hipótese do trabalhador trazer de casa.
- Em todos os locais de trabalho deve haver iluminação, natural ou artificial,
adequada à natureza da atividade.

Atualizado em: abr./2017


Saiba como montar: Empresa de Torrefação e Moagem de Café 25

- Um ambiente confortável gera bem-estar e disposição, aumentando a


produtividade.
-
Instalações Sanitárias - IS:

- As instalações sanitárias (IS) devem possuir lavatórios e estar supridas de produtos


destinados à higiene pessoal.
- As instalações sanitárias (IS) não podem se comunicar diretamente com os locais
de trabalho ou destinado às refeições. É interessante que sejam separadas por
sexo!
- Os revestimentos utilizados nas instalações sanitárias (IS) devem ser impermeáveis
e laváveis.
- Os coletores de resíduos das IS devem também ser dotados de tampa e acionados
sem contato manual.

4.6 Dicas para divulgação do negócio

A divulgação é importante ao longo da trajetória da empresa. Mas no momento da


implantação do negócio, ela servirá para apresentar a marca para o mercado e despertar
nos clientes o desejo de conhecer a sua empresa e os serviços que serão oferecidos.

A divulgação de um negócio passa necessariamente por algumas perguntas:

 Quem é o meu Público Alvo?


 Meu foco é Pessoas Físicas e/ou Pessoas Jurídicas?
 O que meus clientes gostam de ver e ouvir nas propagandas?
 Onde eu estou localizado?
 Qual o tamanho de minha cidade?
 Qual minha capacidade de investir na divulgação?

A partir das respostas a essas indagações, você poderá definir quais estratégias e mídias
usar para divulgar o seu negócio.

Existem estratégias e ações que são utilizadas para qualquer negócio, independentemente
do perfil dos clientes. São ações virtuais, representadas pelo uso das Redes Sociais, como
uma página no Facebook – Fanpage, Instagran, WhatsApp, Twiter e outras, ou através de
um site que pode gerar um custo maior, principalmente pela criação e hospedagem em um
provedor de Internet.

As Redes Sociais atingem mais de 75% dos clientes, independente dos produtos que
compram, por isso são estratégias usadas para qualquer negócio.

Mas também existem algumas estratégias que são representadas por mídias tradicionais e
de custo baixo, como panfletagens e veículos de som. A utilização dessas mídias irá

Atualizado em: abr./2017


Saiba como montar: Empresa de Torrefação e Moagem de Café 26

depender da localização e da legislação vigente nas cidades, definidas pelas Prefeituras,


que podem ou não permitir o uso desses meios de divulgação.

Pensando em uma empresa de torrefação e moagem de café, além das mídias


genéricas você pode utilizar:

 Envio de e-mail marketing para os potenciais clientes da sua empresa informando


sobre a proposta de trabalho e o seu diferencial.
 Distribuição de folder e participação em feiras do segmento e empresariais.
 Realização de telemarketing: o ideal é realiza-lo após o envio de outras mídias (e-
mail, folder, ações nas Redes Sociais) como uma ação de confirmação do
recebimento e reforço dessas mídias.
Mas atenção! Ao fazer uso de Telemarketing é importante ter cuidados com os
horários das ligações, evitando incômodos em horários inoportunos e finais de
semana.

E lembre-se! A divulgação também passa pelo seu Ponto de venda e o atendimento


oferecido aos clientes, a famosa divulgação boca a boca.

4.7 Controles gerenciais

Pesquisas apontam que os dois primeiros anos são os mais críticos para uma empresa.
Essa fase é permeada de muitas incertezas, inclusive em alguns casos, de falta de preparo
gerencial.

Nesse período a preocupação principal é cuidar para que o negócio deslanche e se firme
cada vez mais no mercado. Para tanto é necessário implantar e monitorar alguns controles
gerencias e de processos. Além disso, é preciso acompanhar a evolução das necessidades
dos clientes, bem como, superar constantemente suas expectativas.

Invista em ações que valorizam o patrimônio do empreendimento, diminuem os custos da


empresa e se revertem em ganhos financeiros, dotando-a de maior competitividade! Além
de criar uma imagem de credibilidade junto aos clientes, fornecedores e sociedade.

A seguir são apresentados alguns controles gerencias básicos, mas essenciais para que
consiga comandar o seu negócio. Para evitar que você perca o fio da meada comece a
utilizá-los no primeiro dia de funcionamento do seu negócio. E a medida que o negócio for
amadurecendo você poderá utilizar outras ferramentas para monitoramento da empresa.

• Controle diário de caixa: irá te auxiliar no registro de tudo que entra e sai do
caixa da empresa, possibilitando identificar com o que seu dinheiro está sendo
gasto.

Atualizado em: abr./2017


Saiba como montar: Empresa de Torrefação e Moagem de Café 27

• Controle diário de vendas: possibilitará que você monitore o volume das vendas
diárias à vista, a prazo e o total das vendas acumuladas no mês.

• Controle mensal de contas a receber: por meio deste controle você registrará
as previsões de recebimentos originados das vendas a prazo.

• Controle de estoque: possibilita registrar e acompanhar a movimentação de itens


e valores no estoque.

• Cadastro de clientes: as informações coletadas nesse cadastro serão essenciais


para que você consiga conhecer melhor seus clientes e atendê-los de forma mais
personalizada.

• Plano de divulgação: esse plano de divulgação deve ser planejado para no


mínimo os 6 meses seguintes à inauguração da empresa. Ele será essencial para
que você consiga aproveitar ao máximo as possibilidades de vendas de cada mês,
principalmente as datas comemorativas, escolhendo promoções adequadas a cada
período.

4.8 Na prática

Para auxiliar nesta etapa sugerimos os cursos à distância e a leitura dos materiais
disponíveis em nossa Biblioteca Digital:

 Curso: Iniciando um Pequeno e Grande Negócio (EAD Sebrae)


 Curso: Desenvolva a sua empresa (EAD Sebrae)
 Guia Essencial para novos empreendedores: Implantação - Vol. 4
 Material: Modelo de Negócios - Kit Completo
 Infográfico: Como formar o Preço de Venda
 Manual: Como elaborar o preço de venda
 Manual e software: Como Elaborar um Plano de negócios
 Caderno de Gestão – ME – Micro e pequena empresa

• Mais informações: 0800 570 0800 ou acesse nosso atendimento online disponível
em nosso site

Atualizado em: abr./2017


Saiba como montar: Empresa de torrefação e moagem de café 28

5 - Ampliando o conhecimento sobre o seu negócio


Saiba onde você poderá obter mais informações

5.1 Endereços úteis

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE CAFÉ - ABIC


Tel.: (21) 2206-6161 / Fax: 2206-6155
www.abic.com.br

CONSELHO REGIONAL DE QUÍMICA DE MINAS GERAIS – CRQ


Rua São Paulo, 409 – 16º andar – Centro
30170-902 – Belo Horizonte – MG
Tel.: (31) 3279-9800 – Fax: (31) 3279-9801
www.crqmg.org.br

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA
SUPERINTENDÊNCIA FEDERAL DE AGRICULTURA NO ESTADO DE MINAS GERAIS – SFA-MG
Av. Raja Gabaglia, 245 – Cidade Jardim
30380-090 – Belo Horizonte – MG
Tel.: (31) 3250-0306 – Fax: (31) 3250-0314
www.agricultura.gov.br

FUNDAÇÃO ESTADUAL DO MEIO AMBIENTE – FEAM


Sede – Cidade Administrativa do Estado de Minas Gerais
Rodovia Prefeito Américo Gianetti, s/nº - Serra Verde
31630-900 - Belo Horizonte – MG
Telefone Geral da Cidade Administrativa: (31) 3915-1000
www.feam.br

INSTITUTO MINEIRO DE AGROPECUÁRIA - IMA


Rodovia Prefeito Américo Gianetti, s/nº - Serra Verde
31630-900 - Belo Horizonte – MG
Telefone Geral da Cidade Administrativa: (31) 3915-1000
Site: www.ima.mg.gov.br

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DE MINAS GERAIS


Cidade Administrativa do Estado de Minas Gerais
Rodovia Prefeito Américo Gianetti, s/nº - Serra Verde
31630-900 - Belo Horizonte – MG
Tel.: (31) 3916 – 0453
www.saude.mg.gov.br

SINDICATO DA INDÚSTRIA DE CAFÉ DO ESTADO DE MINAS GERAIS


Rua Tupis, 457 – 7º andar – Centro
30190-060 - Belo Horizonte - MG
Telefax: (31) 3226-2757 | 3226-2410 | 3226-2864
www.sindicafe-mg.com.br

Atualizado em: abr./2017


Saiba como montar: Empresa de torrefação e moagem de café 29

5.1 Sugestão de vídeo

Como montar e operar uma torrefadora de café


Duração: 80 min. (Acompanha manual)

* São abordados os seguintes assuntos: produção e beneficiamento do café; classificação


do café; comercialização do café; blend; infraestrutura e funcionamento de uma
torrefadora de café; estratégias para o sucesso; e custos de montagem e funcionamento de
uma torrefadora.

**Este curso é oferecido em dois formatos: em livro + DVD ou online

O vídeo pode ser adquirido no CPT - CENTRO DE PRODUÇÕES TÉCNICAS


Telefax: (31) 3899-7000
www.cpt.com.br

Atualizado em: abr./2017


Saiba como montar: Empresa de torrefação e moagem de café 30

Referências

Agência Nacional de Vigilância Sanitária.


Disponível em: <http://www.anvisa.gov.br>. Acesso em: 17 abr. 2017.

Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais.


Disponível em: <http://www.almg.gov.br>. Acesso em: 17 abr. 2017.

Classificação Nacional de Atividade Econômica – CNAE.


Disponível em: <http://www.cnae.ibge.gov.br>. Acesso em: 17 abr. 2017.

LEITE, Valéria Serpa. Preciso de que tipo de licença para abrir o meu negócio? Pequenas
Empresas Grandes Negócios, São Paulo, n. 249, p.104-105, out. 2009.

Presidência da República.
Disponível em: <http://www.presidencia.gov.br>. Acesso em: 17 abr. 2017.

Revista Cafeicultura.
Disponível em: <http://www.revistacafeicultura.com.br/index.php?tipo=ler&mat=15272>.
Acesso em: 18 out. 2010.

Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável – Semad.


Disponível em: <http://www.semad.mg.gov.br>. Acesso em: 7 ago. 2013.

Sindicato da Indústria de Café do estado de São Paulo.


Disponível em: <http://www.sindicafesp.com.br/quali_ind.html>. Acesso em: 02 jul. 2010.

Atualizado em: abr./2017


Saiba como montar: Empresa de torrefação e moagem de café 31

Atualizado em: abr./2017