Você está na página 1de 2

Roteiro – Prova Prática Parasitologia

Leishmania

LTA LVA
Agente etiológico Leishmania sp. Leishmania infantum chagasi
Local das Amastígotas SMF da pele SMF de órgãos linfóides
Tubo digestório dos
Local das Pro/Paramastígotas Tubo digestório do L. longipalpis
flebotomíneos
Roedores, canídeos, primatas, Canídeos, morcego, roedores,
Hospedeiros vertebrados
edentados, marsupiais primatas
Picada do L. longipalpis, drogas
Picada de lutzomyia sp = injetáveis, transfusão sanguínea >
Transmissão mosquito-palha, birigui, tatuquira congênito e venéro são raros
(promastígota metacíclica) (promastígota metacíclica ou
amastigota)
Cutânea x Cutaneomucosa x Assintomática x Aguda x
Formas Clínicas
Difusa Sintomática Crônica
Biópsia + Histopatológico,
Diagnóstico Punção de MO+Esfregaço
Montenegro (- para LCD)
Glucantime (CI: gestantes, Glucantime (CI: gestantes,
Tratamento cardiopatas, nefropatas), cardiopatas, nefropatas),
Anfotericina B Anfotericina B

Doença de Chagas

Agente etiológico Trypanossoma cruzi


Local das Esfero/Epi/Tripomastígotas Tubo digestório do triatomíneo
Local das Amastígotas Intracelular: SMF e músculo
Local das Tripomastígotas Sanguíneas Extracelular: sangue
Formas infectantes Todas MENOS EPIMASTÍGOTAS
Vetor (tripomastígotas metacíclicas e pele lesada ou
Transmissão mucosa íntegra/lesada), transfusão, congênita,
acidentes, oral, transplante - COI–O NÃO!
Aguda x Crônica Assintomática x Crônica
Sintomática (cardíaca, digestiva –
Formas Clínicas megaesôfago/cólon – e Nervosa). Outras:
transfusional (FEBRE), congênita, no
imunossuprimido
Positividade parasitológica e/ou sorológica;
Forma Crônica Assintomática ausência de sintomatologia; ECG normal; coração;
esôfago e cólon normais
Diagnóstico Aguda (direitos) x Crônica (Indiretos)
Tratamento Benzonidazol ou Tratamento específico

Triconomoníase

Agente Etiológico Trichomonas vaginalis


Formas Evolutivas Trofozoítos apenas
Local do Trofozoíto TGU feminino/masculino
Transmissão Venérea*, contato
 Mulheres: corrimento vaginal, prurido,
dispaneuria, dor em baixo volume
Quadro Clínico
 Homens: assintomáticos, sinais/sintomas
frustros.
 Mulheres: problemas relacionados com a
gravidez; infertilidade (DIP); infecção pelo
Complicações
HIV;
 Homens: prostatite, balanopostite, cistite.
Exame microscópico de preparações a fresco* - vê
Diagnóstico
movimentação de flagelo/fixadas ou após cultivo;
Tratamento Metronidazol, tinidazol, tratar paciente+parceiro(a).
Giardíase x Amebíase

Giardíase Amebíase
Agente etiológico Giardia lamblia Entamoeba histolytica
Trofozoíto, Pré-Cisto, Cisto e
Formas Evolutivas Trofozoíto e Cisto
Metacisto
Local do cisto Fezes formadas Fezes formadas
Local do trofozoíto Intestino Delgado Intestino Grosso
Formas infectantes Cisto Cisto
Ingestão de cistos em água, Ingestão de cistos em água,
Transmissão
alimentos contaminados alimentos contaminados
 Assintomática;
 Intestinal: Colite Não
Assintomático, diarreia com ou
Desentérica, Colite
Quadro Clínico/ Formas Clínicas sem muco/sangue,
Desentérica
ESTEATORREIA, má absorção
 Extraintestinal (fígado*,
cérebro e pulmão)
Coproparasitológico (trofozoíto
Coproparasitológico (trofozoíto
em fezes diarreicas e cisto em
Diagnóstico em fezes diarreicas e cisto em
fezes formadas)
fezes formadas)
EI: sorológico + imagem
Derivados imidazólicos,
Tratamento Derivados imidazólicos
Albendazol, Nitazoxanida

Achados Parasitose
Úlcera crateriforme/”Bauru” LTA (Cutânea)
“Nariz de anta/tapir” LTA (Cutaneomucosa)
Febre intermitente, HEmegalia, pancitopenia,
LVA (Sintomática Crônica)
sangramentos, emagrecimento
Sinal de Romaña ou Chagoma de inoculação Doença de Chagas (sinais locais da fase aguda)
“Colo em framboesa”/colpitis macularis, “colo
Tricomoníase
tigrado”
Esteatorréia, má absorção Giardíase
“Úlcera em botão de camisa” Amebíase Intestinal
Abscesso hepático Amebíase Extraintestinal