Você está na página 1de 5

Sistema de cifrar acordes

1) Sistema inglês: a b c
2) Sistema alemão-russo: T t S D
3) Sistema francês: I i IV V

Modulação

1) acorde pivot

1) acorde da 1ª
tonalidade
Passos

2) acorde pivot

3) acorde dissonante
(V7)

4) acorde da 2ª
tonalidade

Exemplos:
1.1) dóM - sibM (0 - 2b)

I - ii=iii* - V7 - I
(Dó - rém - Fá7 - Sib)

*neste caso, dois acordes pivot possíveis - rém ou Fá

1.2) dóM - siM (0 - 5#)

I - iii=iv* - V7 - I
(Dó - mim - Fá#7 - Si)

*recorre à escala mista: si-dó#-ré#-mi (escala maior) fá#-sol-lá#-si (escala menor harmónica)
1.3) sibM - siM (2b - 5#; diferença de 7)

I - iii=ii* - V7 - I - iii=iv - V7 - I
(Sib - rém - Sol7 - Dó - mim - Fá#7 - Si)

*neste caso, foi necessário recorrer a outra tonalidade (DóM), visto que se tratava de uma diferença grande

2) enarmónica (por enarmonia1)

2.1) por 7 dim - acorde com três 3ªm; 7º grau de qualquer escala (vii)

2.2) por acorde de 6ª aumentada

Sequência
é uma repetição de um motivo melódico ou de uma série harmónica numa altura diferente

1) sequência tonal - criada a partir da repetição mantendo a mesma


- marcha harmónica: intervalo
tonalidade e alterando intervalos e acordes (não modula)
de transposição
- sequência … total: afeta a
2) sequência real - mantem todos os intervalos e acordes, mas
melodia e a harmonia
altera a tonalidade em cada fragmento (modula)

1
notas, acordes ou intervalos que se escrevem de maneira diferente mas soam de maneira igual
Miniatura
(peça curta)

Respetivas cadências
Formas de período Descrição (e exemplos)
(o.t.=noutra tonalidade)

1) a - a1 àD-àT 2 frases com inícios iguais (forma de tema)

não há repetição (típica de andamentos


2) a - b àD-àT
lentos de sonatas)
à D - à D/à T (o.t.) - à T (*pode começar
3) a - a1 - a2* 3 inícios iguais
o.t.)

4) a - a1 - a2 - a3 à D - à D/à T (o.t.) - à D/à T (o.t.) - à T 4 inícios iguais (forma de estudo)

2ª frase repete início da primeira + outro


5) a - a1 - b à D - à D/à T (o.t.) - à T
material (Grieg, Chopin, Schumann)
típica de árias (Verdi, Mozart, Puccini): 1
6) a - b - b1 à D - à D/à T (o.t.) - à T
cantor - 2º cantor discorda - cantam juntos

7) a - b - a à D - à D/à T (o.t.) - à T -

4 (termina em D) + 4 (começa em T) NB: Ordem hierárquica:


4+4, 8+8, 8+9
Não é cad. à T, porque é uma repetição motivo - frase - parte - andamento - sinfonia

Atenção!

 a - diferente de - A (a = frase, A = parte)


 Tema - diferente de - melodia (tema tem forma de período [ex: a a1], aparece no início da obra)
 Quando tem repetição ou variação, mas com cadência à tónica, é a mesma letra.
E

a a a a1
àT àT
àT àT
DóM LáM
Alargamento e epílogo
(podem existir os dois em simultâneo)

➢ epílogo - é um fragmento de curta duração2 com carácter de conclusão3 que surge depois de uma
cadência final. Muitas vezes, repete últimos compassos antes da cad. final.

➢ alargamento - fragmento antes de uma cad. final com função de alargar a 2ª frase do período
[ex: a - a1; 4 à D - 2 + 204+ 2 à T + 45]

Como achar um alargamento?


1- Pode começar depois de uma cad. interrompida (V-vi)
2- Quando aparece música diferente no meio da 2ª frase
3- Quando a 2ª frase é bastante maior que a 1ª.

Formas binária e ternária

Forma binária - forma composta por 2 partes, das quais a 1ª parte tem forma tipo a - a1 e a 2º
parte é dividida em 2 secções: a 1ª secção chama-se desenvolvimento e a 2ª
secção é uma repetição do período inicial.

4+4 4+4

nunca tem
introdução
A B pode ter uma
coda no fim
a - a1 desenvolvimento - a1
8 +/- 8 (9, 7)

Critérios:

1- Desenvolvimento é curto e tem metade dos compassos do tema (período inicial)


2- Reexposição é só da 2ª frase do período inicial

Onde encontrar:

Miniaturas, 2º ou 3º andamentos de sonatas e sinfonias, forma do tema para variações.

2 Por exemplo: 2 cc.


3 Por exemplo: D-T, D-T
4 Alargamento (20 cc.)
5 Epílogo (4 cc.)
Forma ternária - forma composta por 3 partes, das quais a 1ª parte tem forma tipo a - a1 e a 2º
parte é um desenvolvimento ou episódio e a 3ª parte é uma reexposição integral
do tema inicial.
Pode ter
alargamento

A B A
e/ou epílogo

quase sempre tem


pode ter uma coda, que
introdução a - a1 desenvolvimento a - a1 pode ser muito
ou episódio6
grande
8 8 8
(26) (24) (25)

Onde encontrar:

Miniaturas, formas de andamentos intermédios de sonata, sinfonia e concerto

Diferenças:

1- Na forma binária, o desenvolvimento tem mais ou menos metade de compassos do período inicial,
enquanto na forma ternária é igual ou mais.

2- Na forma binária, existe só a reexposição da 2ª frase do tema. Na forma ternária, é uma


reexposição integral.

3- A forma binária nunca apresenta episódios.

Como compor miniatura?

1. Escolher um motivo melódico


2. A partir deste motivo, criar um tema.
3. Tem de ter uma das formas de período (ou pode ser também forma ternária ou binária).
4. A 1ª cadência é à D.
5. A 2ª frase tem alargamento.
6. Depois da cadência final, fazer epílogo.
7. Tem que ter textura.
8. Mínimo: 1 página; Máximo: 4 páginas.
9. Pelo menos 2 modulações (1ª tonalidade + 2 outras)

6 Episódio é uma parte que apresenta um novo tema