Você está na página 1de 176

ÍNDICE

1.- DADOS DE OBRA...................................................................................................... 2


1.1.- Normas consideradas...................................................................................... 2
1.2.- Estados limites............................................................................................... 2
1.2.1.- Situações de projeto................................................................................. 2
1.2.2.- Combinações........................................................................................... 3

2.- ESTRUTURA............................................................................................................. 3
2.1.- Geometria....................................................................................................... 3
2.1.1.- Nós........................................................................................................ 3
2.1.2.- Barras.................................................................................................... 4
2.2.- Cargas............................................................................................................ 8
2.2.1.- Barras.................................................................................................... 8
2.3.- Resultados...................................................................................................... 9
2.3.1.- Nós........................................................................................................ 9
2.3.2.- Barras.................................................................................................... 9
2.3.3.- Sismo .................................................................................................... 139
2.4.- Ligações......................................................................................................... 139
2.4.1.- Especificações para ligações soldadas.......................................................... 139
2.4.2.- Especificações para ligações aparafusadas.................................................... 141
2.4.3.- Referências e simbologia........................................................................... 142
2.4.4.- Relação................................................................................................... 144
2.4.5.- Memória de cálculo................................................................................... 144
2.4.6.- Quantit................................................................................................... 170
2.5.- Placas de base................................................................................................ 170
2.5.1.- Descrição................................................................................................ 170
2.5.2.- Quantitativos placas de base...................................................................... 170
2.5.3.- Quantitativos parafusos placas de base........................................................ 170
2.5.4.- Verificação das placas de ancoragem........................................................... 171
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

1.- DADOS DE OBRA


1.1.- Normas consideradas
Concreto: NBR 6118:2003
Aços laminados e soldados: ABNT NBR 8800:2008
Categoria de uso: Edificações comerciais, de escritórios e de acesso público

1.2.- Estados limites


E.L.U. Concreto NRB 6118:2003(ELU)
E.L.U. Aço laminado NBR 8800: 2008
Deslocamentos Ações características

1.2.1.- Situações de projeto

Para as distintas situações de projeto, as combinações de ações serão definidas de acordo com os
seguintes critérios:

- Com coeficientes de combinação

- Sem coeficientes de combinação

- Onde:

Gk Ação permanente
Qk Ação variável
γG Coeficiente parcial de segurança das ações permanentes
γQ,1 Coeficiente parcial de segurança da ação variável principal
γQ,i Coeficiente parcial de segurança das ações variáveis de acompanhamento
ψp,1 Coeficiente de combinação da ação variável principal
ψa,i Coeficiente de combinação das ações variáveis de acompanhamento

Para cada situação de projeto e estado limite, os coeficientes a utilizar serão:

E.L.U. Concreto: NBR 6118:2003

Situação 1
Coeficientes parciais de segurança (γ) Coeficientes de combinação (ψ)
Favorável Desfavorável Principal (ψp) Acompanhamento (ψa)
Permanente (G) 1.000 1.400 - -
Sobrecarga (Q) 0.000 1.400 1.000 0.700

E.L.U. Aço laminado: ABNT NBR 8800:2008

Página 2
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Normal
Coeficientes parciais de segurança (γ) Coeficientes de combinação (ψ)
Favorável Desfavorável Principal (ψp) Acompanhamento (ψa)
Permanente (G) 1.000 1.500 - -
Sobrecarga (Q) 0.000 1.500 1.000 0.700

Deslocamentos

Ações variáveis sem sismo


Coeficientes parciais de segurança (γ)
Favorável Desfavorável
Permanente (G) 1.000 1.000
Sobrecarga (Q) 0.000 1.000

1.2.2.- Combinações

Nomes das ações


AP Permanente
SCU 1 SCU 1

E.L.U. Concreto

Comb. AP SCU 1
1 1.000
2 1.400
3 1.000 1.400
4 1.400 1.400

E.L.U. Aço laminado

Comb. AP SCU 1
1 1.000
2 1.500
3 1.000 1.500
4 1.500 1.500

Deslocamentos

Comb. AP SCU 1
1 1.000
2 1.000 1.000

2.- ESTRUTURA
2.1.- Geometria
2.1.1.- Nós
Referências:
∆x, ∆y, ∆z: Deslocamentos prescritos em eixos globais.

Página 3
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

θx, θy, θz: Rotações prescritas em eixos globais.

Cada grau de liberdade marca-se com 'X' se estiver restringido e, caso contrário, com '-'.

Nós
Coordenadas Vínculo c/ exterior
Referência X Y Z Vinculação interna
∆x ∆y ∆z θx θy θz
(m) (m) (m)
N1 0.000 0.000 0.000 - - - - - - Engastado
N2 4.000 0.000 0.000 - - - - - - Engastado
N3 4.000 5.000 0.000 - - - - - - Engastado
N4 4.000 10.000 0.000 - - - - - - Engastado
N5 0.000 10.000 0.000 - - - - - - Engastado
N6 0.000 5.000 0.000 - - - - - - Engastado
N7 0.000 2.500 0.000 - - - - - - Engastado
N8 4.000 2.500 0.000 - - - - - - Engastado
N9 0.000 7.500 0.000 - - - - - - Engastado
N10 4.000 7.500 0.000 - - - - - - Engastado
N11 4.000 0.000 -3.000 X X X X X X Engastado
N12 4.000 5.000 -3.000 X X X X X X Engastado
N13 0.000 0.000 -3.000 X X X X X X Engastado
N14 0.000 5.000 -3.000 X X X X X X Engastado
N15 0.000 10.000 -3.000 X X X X X X Engastado
N16 4.000 10.000 -3.000 X X X X X X Engastado

2.1.2.- Barras

2.1.2.1.- Materiais utilizados


Materiais utilizados
Material E G fy α·t γ
ν
Tipo Designação (MPa) (MPa) (MPa) (m/m°C) (kN/m³)
Aço laminado A-36 250Mpa 200000.00 0.300 77000.00 250.00 0.000012 77.01
Notação:
E: Módulo de elasticidade
ν: Módulo de poisson
G: Módulo de corte
fy: Limite elástico
α·t: Coeficiente de dilatação
γ: Peso específico

2.1.2.2.- Descrição
Descrição
Comprimento
Material
Barra Peça (m) LbSup. LbInf.
Perfil(Série) βxy βxz
(Ni/Nf) (Ni/Nf) Indeformável Indeformável (m) (m)
Tipo Designação Deformável
origem extremo
Aço A-36 W 200 x 15,0
N1/N2 N1/N2 0.104 3.792 0.104 1.00 1.00 4.000 4.000
laminado 250Mpa (Perfil I)
W 200 x 26,6
N2/N8 N2/N3 - 2.500 - 1.00 1.00 2.500 2.500
(Perfil I)
W 200 x 26,6
N8/N3 N2/N3 - 2.500 - 1.00 1.00 2.500 2.500
(Perfil I)
W 200 x 26,6
N3/N10 N3/N4 - 2.500 - 1.00 1.00 2.500 2.500
(Perfil I)

Página 4
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Descrição
Comprimento
Material
Barra Peça (m) LbSup. LbInf.
Perfil(Série) βxy βxz
(Ni/Nf) (Ni/Nf) Indeformável Indeformável (m) (m)
Tipo Designação Deformável
origem extremo
W 200 x 26,6
N10/N4 N3/N4 - 2.500 - 1.00 1.00 2.500 2.500
(Perfil I)
W 200 x 15,0
N5/N4 N5/N4 0.104 3.792 0.104 1.00 1.00 4.000 4.000
(Perfil I)
W 200 x 26,6
N6/N9 N6/N5 - 2.500 - 1.00 1.00 2.500 2.500
(Perfil I)
W 200 x 26,6
N9/N5 N6/N5 - 2.500 - 1.00 1.00 2.500 2.500
(Perfil I)
W 200 x 26,6
N1/N7 N1/N6 - 2.500 - 1.00 1.00 2.500 2.500
(Perfil I)
W 200 x 26,6
N7/N6 N1/N6 - 2.500 - 1.00 1.00 2.500 2.500
(Perfil I)
W 200 x 26,6
N6/N3 N6/N3 0.104 3.792 0.104 1.00 1.00 4.000 4.000
(Perfil I)
W 200 x 26,6
N7/N8 N7/N8 - 4.000 - 1.00 1.00 4.000 4.000
(Perfil I)
W 200 x 26,6
N9/N10 N9/N10 - 4.000 - 1.00 1.00 4.000 4.000
(Perfil I)
W 200 x 26,6
N11/N2 N11/N2 - 2.800 0.200 0.70 0.70 3.000 3.000
(Perfil I)
W 200 x 26,6
N12/N3 N12/N3 - 2.793 0.207 0.70 0.70 3.000 3.000
(Perfil I)
W 200 x 26,6
N13/N1 N13/N1 - 2.800 0.200 0.70 0.70 3.000 3.000
(Perfil I)
W 200 x 26,6
N14/N6 N14/N6 - 2.793 0.207 0.70 0.70 3.000 3.000
(Perfil I)
W 200 x 26,6
N15/N5 N15/N5 - 2.800 0.200 0.70 0.70 3.000 3.000
(Perfil I)
W 200 x 26,6
N16/N4 N16/N4 - 2.800 0.200 0.70 0.70 3.000 3.000
(Perfil I)
L 38x38x3.2
(Cantoneiras
N11/N3 N11/N3 - 5.831 - 0.00 0.00 - -
de abas
iguais)
L 38x38x3.2
(Cantoneiras
N16/N3 N16/N3 - 5.831 - 0.00 0.00 - -
de abas
iguais)
L 38x38x3.2
(Cantoneiras
N12/N4 N12/N4 - 5.831 - 0.00 0.00 - -
de abas
iguais)
L 38x38x3.2
(Cantoneiras
N12/N2 N12/N2 - 5.831 - 0.00 0.00 - -
de abas
iguais)
L 38x38x3.2
(Cantoneiras
N13/N6 N13/N6 - 5.831 - 0.00 0.00 - -
de abas
iguais)
L 38x38x3.2
(Cantoneiras
N15/N6 N15/N6 - 5.831 - 0.00 0.00 - -
de abas
iguais)
L 38x38x3.2
(Cantoneiras
N14/N5 N14/N5 - 5.831 - 0.00 0.00 - -
de abas
iguais)
L 38x38x3.2
(Cantoneiras
N14/N1 N14/N1 - 5.831 - 0.00 0.00 - -
de abas
iguais)

Página 5
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Descrição
Comprimento
Material
Barra Peça (m) LbSup. LbInf.
Perfil(Série) βxy βxz
(Ni/Nf) (Ni/Nf) Indeformável Indeformável (m) (m)
Tipo Designação Deformável
origem extremo
Notação:
Ni: Nó inicial
Nf: Nó final
βxy : Coeficiente de flambagem no plano 'XY'
βxz : Coeficiente de flambagem no plano 'XZ'
LbSup.: Espaçamento entre travamentos do banzo superior
LbInf.: Espaçamento entre travamentos do banzo inferior

2.1.2.3.- Características mecânicas

Tipos de peça
Ref. Peças
1 N1/N2 e N5/N4
2 N2/N3, N3/N4, N6/N5, N1/N6, N6/N3, N7/N8, N9/N10, N11/N2, N12/N3, N13/N1, N14/N6,
N15/N5 e N16/N4
3 N11/N3, N16/N3, N12/N4, N12/N2, N13/N6, N15/N6, N14/N5 e N14/N1

Características mecânicas
Material A Avy Avz Iyy Izz It
Ref. Descrição
Tipo Designação (cm²) (cm²) (cm²) (cm4) (cm4) (cm4)
Aço A-36 1
W 200 x 15,0, (Perfil I) 19.40 7.80 7.34 1305.00 87.00 1.44
laminado 250Mpa
2 W 200 x 26,6, (Perfil I) 34.20 16.76 9.93 2611.00 330.00 6.49
3 L 38x38x3.2, (Cantoneiras de abas iguais) 2.32 1.12 1.12 3.33 3.33 0.08
Notação:
Ref.: Referência
A: Área da seção transversal
Avy: Área de esforço cortante da seção segundo o eixo local 'Y'
Avz: Área de esforço cortante da seção segundo o eixo local 'Z'
Iyy: Inércia da seção em torno do eixo local 'Y'
Izz: Inércia da seção em torno do eixo local 'Z'
It: Inércia à torção
As características mecânicas das peças correspondem à seção no ponto médio das mesmas.

Página 6
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

2.1.2.4.- Tabela de ferro


Tabela de ferro
Material Peça Comprimento Volume Peso
Perfil(Série)
Tipo Designação (Ni/Nf) (m) (m³) (kg)
Aço laminado A-36 250Mpa N1/N2 W 200 x 15,0 (Perfil I) 4.000 0.008 60.92
N2/N3 W 200 x 26,6 (Perfil I) 5.000 0.017 134.24
N3/N4 W 200 x 26,6 (Perfil I) 5.000 0.017 134.23
N5/N4 W 200 x 15,0 (Perfil I) 4.000 0.008 60.92
N6/N5 W 200 x 26,6 (Perfil I) 5.000 0.017 134.23
N1/N6 W 200 x 26,6 (Perfil I) 5.000 0.017 134.24
N6/N3 W 200 x 26,6 (Perfil I) 4.000 0.014 107.39
N7/N8 W 200 x 26,6 (Perfil I) 4.000 0.014 107.39
N9/N10 W 200 x 26,6 (Perfil I) 4.000 0.014 107.39
N11/N2 W 200 x 26,6 (Perfil I) 3.000 0.010 80.54
N12/N3 W 200 x 26,6 (Perfil I) 3.000 0.010 80.54
N13/N1 W 200 x 26,6 (Perfil I) 3.000 0.010 80.54
N14/N6 W 200 x 26,6 (Perfil I) 3.000 0.010 80.54
N15/N5 W 200 x 26,6 (Perfil I) 3.000 0.010 80.54
N16/N4 W 200 x 26,6 (Perfil I) 3.000 0.010 80.54
L 38x38x3.2 (Cantoneiras de
N11/N3 5.831 0.001 10.62
abas iguais)
L 38x38x3.2 (Cantoneiras de
N16/N3 5.831 0.001 10.62
abas iguais)
L 38x38x3.2 (Cantoneiras de
N12/N4 5.831 0.001 10.62
abas iguais)
L 38x38x3.2 (Cantoneiras de
N12/N2 5.831 0.001 10.62
abas iguais)
L 38x38x3.2 (Cantoneiras de
N13/N6 5.831 0.001 10.62
abas iguais)
L 38x38x3.2 (Cantoneiras de
N15/N6 5.831 0.001 10.62
abas iguais)
L 38x38x3.2 (Cantoneiras de
N14/N5 5.831 0.001 10.62
abas iguais)
L 38x38x3.2 (Cantoneiras de
N14/N1 5.831 0.001 10.62
abas iguais)
Notação:
Ni: Nó inicial
Nf: Nó final

2.1.2.5.- Tabela resumo


Tabela resumo
Material Comprimento Volume Peso
Série Perfil Perfil Série Material Perfil Série Material Perfil Série Material
Tipo Designação
(m) (m) (m) (m³) (m³) (m³) (kg) (kg) (kg)
W 200 x 15,0 8.000 0.016 121.83
W 200 x 26,6 50.000 0.171 1342.35
Perfil I 58.000 0.187 1464.18
L 38x38x3.2 46.648 0.011 84.95
Cantoneiras de abas iguais 46.648 0.011 84.95
Aço
104.648 0.197 1549.14
laminado A-36 250Mpa

2.1.2.6.- Medição de superfícies

Página 7
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Aço laminado: Medição das superfícies a pintar


Superfície unitária Comprimento Formas
Série Perfil
(m²/m) (m) (m²)
W 200 x 15,0 0.791 8.000 6.331
Perfil I
W 200 x 26,6 0.934 50.000 46.720
Cantoneiras de abas iguais L 38x38x3.2 0.152 46.648 7.109
Total 60.160

2.2.- Cargas
2.2.1.- Barras
Referências:
'P1', 'P2':
Cargas pontuais, uniformes, em faixa e momentos pontuais: 'P1' é o valor da carga. 'P2' não se
utiliza.
Cargas trapezoidais: 'P1' é o valor da carga no ponto onde começa (L1) e 'P2' é o valor da
carga no ponto onde termina (L2).
Cargas triangulares: 'P1' é o valor máximo da carga. 'P2' não se utiliza.
Incrementos de temperatura: 'P1' e 'P2' são os valores da temperatura nas faces exteriores ou
paramentos da peça. A orientação da variação do incremento de temperatura sobre a seção
transversal dependerá da direção selecionada.

'L1', 'L2':
Cargas e momentos pontuais: 'L1' é a distância entre o nó inicial da barra e a posição onde se
aplica a carga. 'L2' não se utiliza.
Cargas trapezoidais, em faixa, e triangulares: 'L1' é a distância entre o nó inicial da barra e a
posição onde começa a carga, 'L2' é a distância entre o nó inicial da barra e a posição onde
termina a carga.

Unidades:
Cargas concentradas: kN
Momentos pontuais: kN·m.
Cargas uniformes, em faixa, triangulares e trapezoidais: kN/m.
Incrementos de temperatura: °C.

Cargas em barras
Valores Posição Direção
Barra Hipótese(s) Tipo L1 L2
P1 P2 Eixos X Y Z
(m) (m)
N1/N2 Permanente Uniforme 0.149 - - - Globais 0.000 0.000 -1.000
N1/N2 Permanente Uniforme 1.875 - - - Globais 0.000 0.000 -1.000
N1/N2 Permanente Uniforme 3.750 - - - Globais 0.000 0.000 -1.000
N2/N8 Permanente Uniforme 0.263 - - - Globais 0.000 0.000 -1.000
N8/N3 Permanente Uniforme 0.263 - - - Globais 0.000 0.000 -1.000
N3/N10 Permanente Uniforme 0.263 - - - Globais 0.000 0.000 -1.000
N10/N4 Permanente Uniforme 0.263 - - - Globais 0.000 0.000 -1.000
N5/N4 Permanente Uniforme 0.149 - - - Globais 0.000 0.000 -1.000
N5/N4 Permanente Uniforme 1.875 - - - Globais 0.000 0.000 -1.000
N5/N4 Permanente Uniforme 3.750 - - - Globais 0.000 0.000 -1.000
N6/N9 Permanente Uniforme 0.263 - - - Globais 0.000 0.000 -1.000
N9/N5 Permanente Uniforme 0.263 - - - Globais 0.000 0.000 -1.000
N1/N7 Permanente Uniforme 0.263 - - - Globais 0.000 0.000 -1.000
N7/N6 Permanente Uniforme 0.263 - - - Globais 0.000 0.000 -1.000

Página 8
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Cargas em barras
Valores Posição Direção
Barra Hipótese(s) Tipo L1 L2
P1 P2 Eixos X Y Z
(m) (m)
N6/N3 Permanente Uniforme 0.263 - - - Globais 0.000 0.000 -1.000
N6/N3 Permanente Uniforme 3.750 - - - Globais 0.000 0.000 -1.000
N6/N3 Permanente Uniforme 7.500 - - - Globais 0.000 0.000 -1.000
N7/N8 Permanente Uniforme 0.263 - - - Globais 0.000 0.000 -1.000
N7/N8 Permanente Uniforme 3.750 - - - Globais 0.000 0.000 -1.000
N7/N8 Permanente Uniforme 7.500 - - - Globais 0.000 0.000 -1.000
N9/N10 Permanente Uniforme 0.263 - - - Globais 0.000 0.000 -1.000
N9/N10 Permanente Uniforme 3.750 - - - Globais 0.000 0.000 -1.000
N9/N10 Permanente Uniforme 7.500 - - - Globais 0.000 0.000 -1.000
N11/N2 Permanente Uniforme 0.263 - - - Globais 0.000 0.000 -1.000
N12/N3 Permanente Uniforme 0.263 - - - Globais 0.000 0.000 -1.000
N13/N1 Permanente Uniforme 0.263 - - - Globais 0.000 0.000 -1.000
N14/N6 Permanente Uniforme 0.263 - - - Globais 0.000 0.000 -1.000
N15/N5 Permanente Uniforme 0.263 - - - Globais 0.000 0.000 -1.000
N16/N4 Permanente Uniforme 0.263 - - - Globais 0.000 0.000 -1.000

2.3.- Resultados
2.3.1.- Nós
2.3.1.1.- Reações
Referências:
Rx, Ry, Rz: Reações em nós com deslocamentos restringidos (forças).
Mx, My, Mz: Reações em nós com rotações restringidas (momentos).
2.3.1.1.1.- Hipótese(s)

Reações nos nós, por hipóteses/ações


Reações em eixos globais
Referência Descrição Rx Ry Rz Mx My Mz
(kN) (kN) (kN) (kN·m) (kN·m) (kN·m)
N11 Permanente -3.447 0.079 24.616 0.01 -3.15 0.00
SCU 1 0.000 0.000 0.000 0.00 0.00 0.00
N12 Permanente -5.989 0.000 47.950 0.00 -5.47 0.00
SCU 1 0.000 0.000 0.000 0.00 0.00 0.00
N13 Permanente 3.447 0.079 24.616 0.01 3.15 0.00
SCU 1 0.000 0.000 0.000 0.00 0.00 0.00
N14 Permanente 5.989 0.000 47.950 0.00 5.47 0.00
SCU 1 0.000 0.000 0.000 0.00 0.00 0.00
N15 Permanente 3.447 -0.079 24.616 -0.01 3.15 0.00
SCU 1 0.000 0.000 0.000 0.00 0.00 0.00
N16 Permanente -3.447 -0.079 24.616 -0.01 -3.15 0.00
SCU 1 0.000 0.000 0.000 0.00 0.00 0.00

2.3.2.- Barras
2.3.2.1.- Esforços
Referências:
N: Esforço axial (kN)
Página 9
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Vy: Esforço cortante segundo o eixo local Y da barra. (kN)


Vz: Esforço cortante segundo o eixo local Z da barra. (kN)
Mt: Momento torsor (kN·m)
My: Momento fletor no plano 'XZ' (rotação da seção em relação ao eixo local 'Y' da barra). (kN·m)
Mz: Momento fletor no plano 'XY' (rotação da seção em relação ao eixo local 'Z' da barra). (kN·m)
2.3.2.1.1.- Envoltórias
Envoltórias dos esforços em barras
Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.104 m 0.578 m 1.052 m 1.526 m 2.000 m 2.474 m 2.948 m 3.422 m 3.896 m
N1/N2 Aço laminado Nmín -5.168 -5.168 -5.168 -5.168 -5.168 -5.168 -5.168 -5.168 -5.168
Nmáx -3.446 -3.446 -3.446 -3.446 -3.446 -3.446 -3.446 -3.446 -3.446
Vymín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vymáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vzmín -17.323 -12.317 -8.211 -4.106 0.000 2.737 5.474 8.211 11.549
Vzmáx -11.549 -8.211 -5.474 -2.737 0.000 4.106 8.211 12.317 17.323
Mtmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mtmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymín -8.52 -1.71 2.10 4.05 4.70 4.05 2.10 -1.71 -8.52
Mymáx -5.68 -1.14 3.16 6.08 7.05 6.08 3.16 -1.14 -5.68
Mzmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mzmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.000 m 0.208 m 0.625 m 0.833 m 1.250 m 1.667 m 1.875 m 2.292 m 2.500 m
N2/N8 Aço laminado Nmín -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119
Nmáx -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079
Vymín -0.003 -0.003 -0.003 -0.003 -0.003 -0.003 -0.003 -0.003 -0.003
Vymáx -0.002 -0.002 -0.002 -0.002 -0.002 -0.002 -0.002 -0.002 -0.002
Vzmín -18.258 -18.175 -18.011 -17.928 -17.764 -17.599 -17.517 -17.352 -17.270
Vzmáx -12.172 -12.117 -12.007 -11.952 -11.843 -11.733 -11.678 -11.568 -11.513
Mtmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mtmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymín 0.00 2.53 7.56 10.05 15.01 19.92 22.36 27.20 29.61
Mymáx 0.00 3.80 11.33 15.08 22.51 29.88 33.54 40.80 44.41
Mzmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mzmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.01 0.01 0.01

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.000 m 0.208 m 0.625 m 0.833 m 1.250 m 1.667 m 1.875 m 2.292 m 2.500 m
N8/N3 Aço laminado Nmín -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119
Nmáx -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079
Vymín 0.002 0.002 0.002 0.002 0.002 0.002 0.002 0.002 0.002
Vymáx 0.003 0.003 0.003 0.003 0.003 0.003 0.003 0.003 0.003
Vzmín 11.513 11.568 11.678 11.733 11.843 11.952 12.007 12.117 12.172
Vzmáx 17.270 17.352 17.517 17.599 17.764 17.928 18.011 18.175 18.258
Mtmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mtmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymín 29.61 27.20 22.36 19.92 15.01 10.05 7.56 2.53 0.00
Mymáx 44.41 40.80 33.54 29.88 22.51 15.08 11.33 3.80 0.00
Mzmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mzmáx 0.01 0.01 0.01 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.000 m 0.208 m 0.625 m 0.833 m 1.250 m 1.667 m 1.875 m 2.292 m 2.500 m
N3/N10 Aço laminado Nmín -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119
Nmáx -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079

Página 10
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.000 m 0.208 m 0.625 m 0.833 m 1.250 m 1.667 m 1.875 m 2.292 m 2.500 m
Vymín -0.003 -0.003 -0.003 -0.003 -0.003 -0.003 -0.003 -0.003 -0.003
Vymáx -0.002 -0.002 -0.002 -0.002 -0.002 -0.002 -0.002 -0.002 -0.002
Vzmín -18.258 -18.175 -18.011 -17.928 -17.764 -17.599 -17.517 -17.352 -17.270
Vzmáx -12.172 -12.117 -12.007 -11.952 -11.843 -11.733 -11.678 -11.568 -11.513
Mtmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mtmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymín 0.00 2.53 7.56 10.05 15.01 19.92 22.36 27.20 29.61
Mymáx 0.00 3.80 11.33 15.08 22.51 29.88 33.54 40.80 44.41
Mzmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mzmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.01 0.01 0.01

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.000 m 0.208 m 0.625 m 0.833 m 1.250 m 1.667 m 1.875 m 2.292 m 2.500 m
N10/N4 Aço laminado Nmín -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119
Nmáx -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079
Vymín 0.002 0.002 0.002 0.002 0.002 0.002 0.002 0.002 0.002
Vymáx 0.003 0.003 0.003 0.003 0.003 0.003 0.003 0.003 0.003
Vzmín 11.513 11.568 11.678 11.733 11.843 11.952 12.007 12.117 12.172
Vzmáx 17.270 17.352 17.517 17.599 17.764 17.928 18.011 18.175 18.258
Mtmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mtmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymín 29.61 27.20 22.36 19.92 15.01 10.05 7.56 2.53 0.00
Mymáx 44.41 40.80 33.54 29.88 22.51 15.08 11.33 3.80 0.00
Mzmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mzmáx 0.01 0.01 0.01 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.104 m 0.578 m 1.052 m 1.526 m 2.000 m 2.474 m 2.948 m 3.422 m 3.896 m
N5/N4 Aço laminado Nmín -5.168 -5.168 -5.168 -5.168 -5.168 -5.168 -5.168 -5.168 -5.168
Nmáx -3.446 -3.446 -3.446 -3.446 -3.446 -3.446 -3.446 -3.446 -3.446
Vymín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vymáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vzmín -17.323 -12.317 -8.211 -4.106 0.000 2.737 5.474 8.211 11.549
Vzmáx -11.549 -8.211 -5.474 -2.737 0.000 4.106 8.211 12.317 17.323
Mtmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mtmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymín -8.52 -1.71 2.10 4.05 4.70 4.05 2.10 -1.71 -8.52
Mymáx -5.68 -1.14 3.16 6.08 7.05 6.08 3.16 -1.14 -5.68
Mzmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mzmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.000 m 0.208 m 0.625 m 0.833 m 1.250 m 1.667 m 1.875 m 2.292 m 2.500 m
N6/N9 Aço laminado Nmín -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119
Nmáx -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079
Vymín 0.002 0.002 0.002 0.002 0.002 0.002 0.002 0.002 0.002
Vymáx 0.003 0.003 0.003 0.003 0.003 0.003 0.003 0.003 0.003
Vzmín -18.258 -18.175 -18.011 -17.928 -17.764 -17.599 -17.517 -17.352 -17.270
Vzmáx -12.172 -12.117 -12.007 -11.952 -11.843 -11.733 -11.678 -11.568 -11.513
Mtmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mtmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymín 0.00 2.53 7.56 10.05 15.01 19.92 22.36 27.20 29.61
Mymáx 0.00 3.80 11.33 15.08 22.51 29.88 33.54 40.80 44.41
Mzmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 -0.01 -0.01 -0.01

Página 11
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.000 m 0.208 m 0.625 m 0.833 m 1.250 m 1.667 m 1.875 m 2.292 m 2.500 m
Mzmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.000 m 0.208 m 0.625 m 0.833 m 1.250 m 1.667 m 1.875 m 2.292 m 2.500 m
N9/N5 Aço laminado Nmín -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119
Nmáx -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079
Vymín -0.003 -0.003 -0.003 -0.003 -0.003 -0.003 -0.003 -0.003 -0.003
Vymáx -0.002 -0.002 -0.002 -0.002 -0.002 -0.002 -0.002 -0.002 -0.002
Vzmín 11.513 11.568 11.678 11.733 11.843 11.952 12.007 12.117 12.172
Vzmáx 17.270 17.352 17.517 17.599 17.764 17.928 18.011 18.175 18.258
Mtmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mtmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymín 29.61 27.20 22.36 19.92 15.01 10.05 7.56 2.53 0.00
Mymáx 44.41 40.80 33.54 29.88 22.51 15.08 11.33 3.80 0.00
Mzmín -0.01 -0.01 -0.01 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mzmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.000 m 0.208 m 0.625 m 0.833 m 1.250 m 1.667 m 1.875 m 2.292 m 2.500 m
N1/N7 Aço laminado Nmín -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119
Nmáx -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079
Vymín 0.002 0.002 0.002 0.002 0.002 0.002 0.002 0.002 0.002
Vymáx 0.003 0.003 0.003 0.003 0.003 0.003 0.003 0.003 0.003
Vzmín -18.258 -18.175 -18.011 -17.928 -17.764 -17.599 -17.517 -17.352 -17.270
Vzmáx -12.172 -12.117 -12.007 -11.952 -11.843 -11.733 -11.678 -11.568 -11.513
Mtmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mtmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymín 0.00 2.53 7.56 10.05 15.01 19.92 22.36 27.20 29.61
Mymáx 0.00 3.80 11.33 15.08 22.51 29.88 33.54 40.80 44.41
Mzmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 -0.01 -0.01 -0.01
Mzmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.000 m 0.208 m 0.625 m 0.833 m 1.250 m 1.667 m 1.875 m 2.292 m 2.500 m
N7/N6 Aço laminado Nmín -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119 -0.119
Nmáx -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079 -0.079
Vymín -0.003 -0.003 -0.003 -0.003 -0.003 -0.003 -0.003 -0.003 -0.003
Vymáx -0.002 -0.002 -0.002 -0.002 -0.002 -0.002 -0.002 -0.002 -0.002
Vzmín 11.513 11.568 11.678 11.733 11.843 11.952 12.007 12.117 12.172
Vzmáx 17.270 17.352 17.517 17.599 17.764 17.928 18.011 18.175 18.258
Mtmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mtmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymín 29.61 27.20 22.36 19.92 15.01 10.05 7.56 2.53 0.00
Mymáx 44.41 40.80 33.54 29.88 22.51 15.08 11.33 3.80 0.00
Mzmín -0.01 -0.01 -0.01 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mzmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.104 m 0.578 m 1.052 m 1.526 m 2.000 m 2.474 m 2.948 m 3.422 m 3.896 m
N6/N3 Aço laminado Nmín -8.978 -8.978 -8.978 -8.978 -8.978 -8.978 -8.978 -8.978 -8.978
Nmáx -5.986 -5.986 -5.986 -5.986 -5.986 -5.986 -5.986 -5.986 -5.986
Vymín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vymáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000

Página 12
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.104 m 0.578 m 1.052 m 1.526 m 2.000 m 2.474 m 2.948 m 3.422 m 3.896 m
Vzmín -34.540 -24.558 -16.372 -8.186 0.000 5.457 10.915 16.372 23.027
Vzmáx -23.027 -16.372 -10.915 -5.457 0.000 8.186 16.372 24.558 34.540
Mtmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mtmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymín -14.31 -0.73 5.98 9.86 11.15 9.86 5.98 -0.73 -14.31
Mymáx -9.54 -0.49 8.97 14.79 16.73 14.79 8.97 -0.49 -9.54
Mzmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mzmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.000 m 0.500 m 1.000 m 1.500 m 2.000 m 2.500 m 3.000 m 3.500 m 4.000 m
N7/N8 Aço laminado Nmín -0.006 -0.006 -0.006 -0.006 -0.006 -0.006 -0.006 -0.006 -0.006
Nmáx -0.004 -0.004 -0.004 -0.004 -0.004 -0.004 -0.004 -0.004 -0.004
Vymín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vymáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vzmín -34.540 -25.905 -17.270 -8.635 0.000 5.757 11.513 17.270 23.027
Vzmáx -23.027 -17.270 -11.513 -5.757 0.000 8.635 17.270 25.905 34.540
Mtmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mtmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymín 0.00 10.07 17.27 21.59 23.03 21.59 17.27 10.07 0.00
Mymáx 0.00 15.11 25.91 32.38 34.54 32.38 25.91 15.11 0.00
Mzmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mzmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.000 m 0.500 m 1.000 m 1.500 m 2.000 m 2.500 m 3.000 m 3.500 m 4.000 m
N9/N10 Aço laminado Nmín -0.006 -0.006 -0.006 -0.006 -0.006 -0.006 -0.006 -0.006 -0.006
Nmáx -0.004 -0.004 -0.004 -0.004 -0.004 -0.004 -0.004 -0.004 -0.004
Vymín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vymáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vzmín -34.540 -25.905 -17.270 -8.635 0.000 5.757 11.513 17.270 23.027
Vzmáx -23.027 -17.270 -11.513 -5.757 0.000 8.635 17.270 25.905 34.540
Mtmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mtmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymín 0.00 10.07 17.27 21.59 23.03 21.59 17.27 10.07 0.00
Mymáx 0.00 15.11 25.91 32.38 34.54 32.38 25.91 15.11 0.00
Mzmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mzmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.000 m 0.400 m 0.600 m 1.000 m 1.400 m 1.800 m 2.200 m 2.400 m 2.800 m
N11/N2 Aço laminado Nmín -36.845 -36.687 -36.608 -36.450 -36.292 -36.134 -35.976 -35.897 -35.739
Nmáx -24.563 -24.458 -24.405 -24.300 -24.195 -24.089 -23.984 -23.931 -23.826
Vymín 0.009 0.009 0.009 0.009 0.009 0.009 0.009 0.009 0.009
Vymáx 0.013 0.013 0.013 0.013 0.013 0.013 0.013 0.013 0.013
Vzmín -5.171 -5.171 -5.171 -5.171 -5.171 -5.171 -5.171 -5.171 -5.171
Vzmáx -3.447 -3.447 -3.447 -3.447 -3.447 -3.447 -3.447 -3.447 -3.447
Mtmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mtmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymín -4.72 -2.65 -1.62 0.30 1.68 3.06 4.44 5.13 6.51
Mymáx -3.15 -1.77 -1.08 0.45 2.52 4.59 6.66 7.69 9.76
Mzmín 0.01 0.00 0.00 0.00 -0.01 -0.01 -0.02 -0.02 -0.02
Mzmáx 0.01 0.01 0.00 0.00 0.00 -0.01 -0.01 -0.01 -0.02

Página 13
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.000 m 0.399 m 0.599 m 0.998 m 1.397 m 1.796 m 2.195 m 2.394 m 2.793 m
N12/N3 Aço laminado Nmín -72.083 -71.925 -71.846 -71.688 -71.531 -71.373 -71.216 -71.137 -70.979
Nmáx -48.055 -47.950 -47.897 -47.792 -47.687 -47.582 -47.477 -47.424 -47.319
Vymín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vymáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vzmín -8.984 -8.984 -8.984 -8.984 -8.984 -8.984 -8.984 -8.984 -8.984
Vzmáx -5.989 -5.989 -5.989 -5.989 -5.989 -5.989 -5.989 -5.989 -5.989
Mtmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mtmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymín -8.21 -4.63 -2.84 0.50 2.89 5.28 7.67 8.86 11.25
Mymáx -5.47 -3.09 -1.89 0.75 4.33 7.92 11.50 13.30 16.88
Mzmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mzmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.000 m 0.400 m 0.600 m 1.000 m 1.400 m 1.800 m 2.200 m 2.400 m 2.800 m
N13/N1 Aço laminado Nmín -36.845 -36.687 -36.608 -36.450 -36.292 -36.134 -35.976 -35.897 -35.739
Nmáx -24.563 -24.458 -24.405 -24.300 -24.195 -24.089 -23.984 -23.931 -23.826
Vymín 0.009 0.009 0.009 0.009 0.009 0.009 0.009 0.009 0.009
Vymáx 0.013 0.013 0.013 0.013 0.013 0.013 0.013 0.013 0.013
Vzmín 3.447 3.447 3.447 3.447 3.447 3.447 3.447 3.447 3.447
Vzmáx 5.171 5.171 5.171 5.171 5.171 5.171 5.171 5.171 5.171
Mtmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mtmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymín 3.15 1.77 1.08 -0.45 -2.52 -4.59 -6.66 -7.69 -9.76
Mymáx 4.72 2.65 1.62 -0.30 -1.68 -3.06 -4.44 -5.13 -6.51
Mzmín 0.01 0.00 0.00 0.00 -0.01 -0.01 -0.02 -0.02 -0.02
Mzmáx 0.01 0.01 0.00 0.00 0.00 -0.01 -0.01 -0.01 -0.02

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.000 m 0.399 m 0.599 m 0.998 m 1.397 m 1.796 m 2.195 m 2.394 m 2.793 m
N14/N6 Aço laminado Nmín -72.083 -71.925 -71.846 -71.688 -71.531 -71.373 -71.216 -71.137 -70.979
Nmáx -48.055 -47.950 -47.897 -47.792 -47.687 -47.582 -47.477 -47.424 -47.319
Vymín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vymáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vzmín 5.989 5.989 5.989 5.989 5.989 5.989 5.989 5.989 5.989
Vzmáx 8.984 8.984 8.984 8.984 8.984 8.984 8.984 8.984 8.984
Mtmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mtmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymín 5.47 3.09 1.89 -0.75 -4.33 -7.92 -11.50 -13.30 -16.88
Mymáx 8.21 4.63 2.84 -0.50 -2.89 -5.28 -7.67 -8.86 -11.25
Mzmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mzmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.000 m 0.400 m 0.600 m 1.000 m 1.400 m 1.800 m 2.200 m 2.400 m 2.800 m
N15/N5 Aço laminado Nmín -36.845 -36.687 -36.608 -36.450 -36.292 -36.134 -35.976 -35.897 -35.739
Nmáx -24.563 -24.458 -24.405 -24.300 -24.195 -24.089 -23.984 -23.931 -23.826
Vymín -0.013 -0.013 -0.013 -0.013 -0.013 -0.013 -0.013 -0.013 -0.013
Vymáx -0.009 -0.009 -0.009 -0.009 -0.009 -0.009 -0.009 -0.009 -0.009
Vzmín 3.447 3.447 3.447 3.447 3.447 3.447 3.447 3.447 3.447
Vzmáx 5.171 5.171 5.171 5.171 5.171 5.171 5.171 5.171 5.171
Mtmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mtmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymín 3.15 1.77 1.08 -0.45 -2.52 -4.59 -6.66 -7.69 -9.76

Página 14
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.000 m 0.400 m 0.600 m 1.000 m 1.400 m 1.800 m 2.200 m 2.400 m 2.800 m
Mymáx 4.72 2.65 1.62 -0.30 -1.68 -3.06 -4.44 -5.13 -6.51
Mzmín -0.01 -0.01 0.00 0.00 0.00 0.01 0.01 0.01 0.02
Mzmáx -0.01 0.00 0.00 0.00 0.01 0.01 0.02 0.02 0.02

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.000 m 0.400 m 0.600 m 1.000 m 1.400 m 1.800 m 2.200 m 2.400 m 2.800 m
N16/N4 Aço laminado Nmín -36.845 -36.687 -36.608 -36.450 -36.292 -36.134 -35.976 -35.897 -35.739
Nmáx -24.563 -24.458 -24.405 -24.300 -24.195 -24.089 -23.984 -23.931 -23.826
Vymín -0.013 -0.013 -0.013 -0.013 -0.013 -0.013 -0.013 -0.013 -0.013
Vymáx -0.009 -0.009 -0.009 -0.009 -0.009 -0.009 -0.009 -0.009 -0.009
Vzmín -5.171 -5.171 -5.171 -5.171 -5.171 -5.171 -5.171 -5.171 -5.171
Vzmáx -3.447 -3.447 -3.447 -3.447 -3.447 -3.447 -3.447 -3.447 -3.447
Mtmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mtmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymín -4.72 -2.65 -1.62 0.30 1.68 3.06 4.44 5.13 6.51
Mymáx -3.15 -1.77 -1.08 0.45 2.52 4.59 6.66 7.69 9.76
Mzmín -0.01 -0.01 0.00 0.00 0.00 0.01 0.01 0.01 0.02
Mzmáx -0.01 0.00 0.00 0.00 0.01 0.01 0.02 0.02 0.02

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.000 m 0.729 m 1.458 m 2.187 m 2.915 m 3.644 m 4.373 m 5.102 m 5.831 m
N11/N3 Aço laminado Nmín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Nmáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vymín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vymáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vzmín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vzmáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Mtmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mtmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mzmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mzmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.000 m 0.729 m 1.458 m 2.187 m 2.915 m 3.644 m 4.373 m 5.102 m 5.831 m
N16/N3 Aço laminado Nmín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Nmáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vymín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vymáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vzmín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vzmáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Mtmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mtmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mzmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mzmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.000 m 0.729 m 1.458 m 2.187 m 2.915 m 3.644 m 4.373 m 5.102 m 5.831 m
N12/N4 Aço laminado Nmín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Nmáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000

Página 15
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.000 m 0.729 m 1.458 m 2.187 m 2.915 m 3.644 m 4.373 m 5.102 m 5.831 m
Vymín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vymáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vzmín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vzmáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Mtmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mtmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mzmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mzmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.000 m 0.729 m 1.458 m 2.187 m 2.915 m 3.644 m 4.373 m 5.102 m 5.831 m
N12/N2 Aço laminado Nmín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Nmáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vymín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vymáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vzmín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vzmáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Mtmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mtmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mzmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mzmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.000 m 0.729 m 1.458 m 2.187 m 2.915 m 3.644 m 4.373 m 5.102 m 5.831 m
N13/N6 Aço laminado Nmín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Nmáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vymín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vymáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vzmín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vzmáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Mtmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mtmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mzmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mzmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.000 m 0.729 m 1.458 m 2.187 m 2.915 m 3.644 m 4.373 m 5.102 m 5.831 m
N15/N6 Aço laminado Nmín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Nmáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vymín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vymáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vzmín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vzmáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Mtmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mtmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mzmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00

Página 16
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.000 m 0.729 m 1.458 m 2.187 m 2.915 m 3.644 m 4.373 m 5.102 m 5.831 m
Mzmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.000 m 0.729 m 1.458 m 2.187 m 2.915 m 3.644 m 4.373 m 5.102 m 5.831 m
N14/N5 Aço laminado Nmín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Nmáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vymín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vymáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vzmín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vzmáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Mtmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mtmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mzmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mzmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00

Envoltórias dos esforços em barras


Posições na barra
Barra Tipo de combinação Esforço
0.000 m 0.729 m 1.458 m 2.187 m 2.915 m 3.644 m 4.373 m 5.102 m 5.831 m
N14/N1 Aço laminado Nmín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Nmáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vymín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vymáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vzmín 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Vzmáx 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000 0.000
Mtmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mtmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mymáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mzmín 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00
Mzmáx 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00 0.00

2.3.2.2.- Verificações E.L.U. (Completo)


Nota: Mostra-se o relatório completo de verificações realizadas para as 10 barras com maior coeficiente
de aproveitamento.

Página 17
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Barra N7/N6
Perfil: W 200 x 26,6
Material: Aço (A-36 250Mpa)
Nós Características mecânicas
Comprimento
Y
(m) Área Ix(1) Iy(1) It(2)
Inicial Final
(cm²) (cm4) (cm4) (cm4)
N7 N6 2.500 34.20 2611.00 330.00 6.49
Notas:
(1)
Inércia em relação ao eixo indicado
(2)
Momento de inércia à torção uniforme
Flambagem Flambagem lateral
X
Plano ZX Plano ZY Aba sup. Aba inf.
β 1.00 1.00 1.00 1.00
LK 2.500 2.500 2.500 2.500
Cb - 1.000
Notação:
β: Coeficiente de flambagem
LK: Comprimento de flambagem (m)
Cb: Fator de modificação para o momento crítico

Limitação do índice de esbeltez (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.4)


O índice de esbeltez das barras comprimidas, tomado como o maior relação entre
o comprimento de flambagem e o raio de giração, não deve ser superior a 200.

λ : 80.5

Onde:
λ: Índice de esbeltez.
λx : 28.6
λy : 80.5
Sendo:
Kx·Lx: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo
X. Kx·Lx : 2.500 m
Ky·Ly: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo
Y. Ky·Ly : 2.500 m
rx,ry: Raios de giração em relação aos eixos principales X, Y, rx : 8.74 cm
respectivamente. ry : 3.11 cm

Resistência à tração (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.2)


A verificação não será executada, já que não existe esforço axial de tração.

Resistência à compressão (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3)


Deve satisfazer:

η < 0.001

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se para a combinação


de ações 1.5·AP.

Página 18
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Nc,Sd: Força axial de compressão solicitante de cálculo, desfavorável. Nc,Sd : 0.12 kN


A força axial de compressão resistente de cálculo, Nc,Rd, deve ser
determinada pela expressão:

Nc,Rd : 551.38 kN

Onde:
χ: Fator de redução total associado à resistência à compressão. χ : 0.709
Q: Fator de redução total associado à flambagem local. Q : 1.000
Ag: Área bruta da seção transversal da barra. Ag : 34.20 cm²
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
Fator de redução χ: (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.3)

χ : 0.709
Onde:
λ0: Índice de esbeltez reduzido.

λ0 : 0.906

Sendo:
Q: Fator de redução total associado à flambagem
local. Q : 1.000
Ag: Área bruta da seção transversal da barra. Ag : 34.20 cm²
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Ne: Força axial de flambagem elástica. Ne : 1042.23 kN
Força axial de flambagem elástica: (ABNT NBR 8800:2008, Anexo E)
A força axial de flambagem elástica, Ne, de uma barra com seção
transversal duplamente simétrica ou simétrica em relação a um ponto, é
dada pelo menor valor entre os obtidos por (a), (b) e (c): Ne : 1042.23 kN
(a) Para flambagem por flexão em relação ao eixo principal de
inércia X da seção transversal:

Nex : 8246.25 kN

Onde:
Kx·Lx: Comprimento de flambagem por flexão em relação
ao eixo X. Kx·Lx : 2.500 m
Ix: Momento de inércia da seção transversal em relação ao
eixo X. Ix : 2611.00 cm4
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
(b) Para flambagem por flexão em relação ao eixo principal de
inércia Y da seção transversal:

Ney : 1042.23 kN

Onde:
Ky·Ly: Comprimento de flambagem por flexão em relação
ao eixo Y. Ky·Ly : 2.500 m
Iy: Momento de inércia da seção transversal em relação ao
eixo Y. Iy : 330.00 cm4

Página 19
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa


(c) Para flambagem por torção em relação ao eixo longitudinal Z:

Nez : 1775.23 kN

Onde:
Kz·Lz: Comprimento de flambagem por torção. Kz·Lz : 2.500 m
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
Cw: Constante de empenamento da seção transversal. Cw : 32507.91 cm6
G: Módulo de elasticidade transversal do aço. G : 77000 MPa
J: Constante de torção da seção transversal. J : 6.49 cm4
r0: Raio de giração polar da seção bruta em relação ao
centro de cisalhamento.

r0 : 9.27 cm

Onde:
rx,ry: Raios de giração em relação aos eixos rx : 8.74 cm
principales X, Y, respectivamente. ry : 3.11 cm
X0,Y0: Coordenadas do centro de cisalhamento na X0 : mm
0.00
direção dos eixos principales X, Y,
respectivamente. Y0 : 0.00 mm
Flambagem local de barras axialmente comprimidas: (ABNT NBR
8800:2008, Anexo F)
Não se aplica nenhuma redução, já que todos os elementos componentes
da seção transversal possuem relações entre largura e espessura (b/t)
que não superam os valores limite dados na Tabela F.1.
Mesa: Elemento do Grupo 4 da Tabela F.1.
7.92 ≤ 15.84
Sendo:
(b/t): Relação entre largura e espessura. (b/t) : 7.92
Onde:
b: Largura. b : 66.50 mm
t: Espessura. t : 8.40 mm
(b/t)lim: Relação limite entre largura e espessura.

(b/t)lim : 15.84

Onde:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Alma: Elemento do Grupo 2 da Tabela F.1.
32.79 ≤ 42.14
Sendo:
(b/t): Relação entre largura e espessura. (b/t) : 32.79
Onde:
b: Largura. b : 190.20 mm
t: Espessura. t : 5.80 mm
(b/t)lim: Relação limite entre largura e espessura.

Página 20
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

(b/t)lim : 42.14

Onde:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

Resistência à flexão eixo X (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2)


Deve satisfazer:

η : 0.789

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N7, para a


combinação de ações 1.5·AP.
MSd+: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. MSd+ : 44.41 kN·m
Já que 'λ ≤ λr', deve-se considerar viga de alma não-esbelta (ABNT NBR
32.79 ≤ 161.22
8800:2008, Anexo G).
Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre as faces h : 190.20 mm
internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λr : 161.22

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
O momento fletor resistente de cálculo MRd de vigas de alma não-esbelta
deve ser tomado como o menor valor entre os obtidos nas seguintes
secções: MRd : 56.26 kN·m
(a) Máximo momento fletor resistente de cálculo (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.4.2.2):

MRd : 86.00 kN·m

Onde:
Wx: Módulo de resistência elástico mínimo da seção Wx : 252.27 cm³
transversal em relação ao eixo de flexão.
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(b) Estado-límite último de flambagem lateral com torção, FLT (ABNT
NBR 8800:2008, Anexo G):

80.48 > 49.78

Página 21
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

80.48 ≤ 161.85

MRd : 56.26 kN·m

Onde:

λ : 80.48

Sendo:
Lb,sup: Distância entre duas seções contidas à
flambagem lateral com torção. Lb,sup : 2.500 m
ry: Raio de giração da seção em relação ao eixo
principal de inercia perpendicular ao eixo de flexão. ry : 3.11 cm

λp : 49.78

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

λr : 161.85

Sendo:
Iy: Momento de inércia da seção transversal em
relação ao eixo Y. Iy : 330.00 cm4
J: Constante de torção da seção transversal. J : 6.49 cm4
Cw: Constante de empenamento da seção
transversal. Cw : 32507.91 cm6

β1 : 0.034 cm-1

Mpl : 68.58 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 274.33 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

Mr : 44.15 kN·m
Sendo:
Wx: Módulo de resistência elástico mínimo da Wx : 252.27 cm³
seção transversal em relação ao eixo de flexão.
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
σr : 75.0 MPa
Cb: Fator de modificação para diagrama de momento
fletor não-uniforme. Cb : 1.00
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do
material. γ a1 : 1.10
(c) Estado-límite último de flambagem local da mesa comprimida,
FLM (ABNT NBR 8800:2008, Anexo G):

7.92 ≤ 10.75

Página 22
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

MRd : 62.35 kN·m

Onde:

λ : 7.92

Sendo:
bf: Largura da mesa comprimida bf : 133.00 mm
tf: Espessura da mesa comprimida. tf : 8.40 mm

λp : 10.75

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 68.58 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 274.33 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do
material. γ a1 : 1.10
(d) Estado-límite último de flambagem local da alma, FLA (ABNT NBR
8800:2008, Anexo G):

32.79 ≤ 106.35

MRd : 62.35 kN·m

Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre h : 190.20 mm
as faces internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λp : 106.35

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 68.58 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 274.33 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do
material. γ a1 : 1.10

Página 23
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência à flexão eixo Y (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2)


Deve satisfazer:

η < 0.001

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N7, para a


combinação de ações 1.5·AP.
MSd : Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. MSd : kN·m
- -
0.01
O momento fletor resistente de cálculo MRd deve ser tomado como o menor
valor entre os obtidos nas seguintes secções: MRd : 16.41 kN·m
(a) Máximo momento fletor resistente de cálculo (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.4.2.2):

MRd : 16.92 kN·m

Onde:
Wy: Módulo de resistência elástico mínimo da seção Wy : 49.62 cm³
transversal em relação ao eixo de flexão.
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(b) Estado-límite último de flambagem local da mesa comprimida, FLM
(ABNT NBR 8800:2008, Anexo G):

7.92 ≤ 10.75

MRd : 17.25 kN·m

Onde:

λ : 7.92

Sendo:
bf: Largura da mesa comprimida bf : 133.00 mm
tf: Espessura da mesa comprimida. tf : 8.40 mm

λp : 10.75

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 18.97 kN
Onde:
Zy: Módulo de resistência plástico. Zy : 75.89 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(c) Estado-límite último de flambagem local da alma, FLA (ABNT NBR
8800:2008, Anexo G):

32.79 > 31.68

Página 24
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

32.79 ≤ 39.60

MRd : 16.41 kN·m

Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre as h : 190.20 mm
faces internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λp : 31.68

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

λr : 39.60

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 18.97 kN
Onde:
Zy: Módulo de resistência plástico. Zy : 75.89 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mr : 12.41 kN·m
Sendo:
Wef,y: Módulo de resistência mínimo elástico, relativo
ao eixo de flexão, para uma seção que tem uma
mesa comprimida de largura igual a bef dada por
F.3.2, com σ igual a fy. Wef,y : 49.62 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 25
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência ao esforço cortante X (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.3)


Deve satisfazer:

η < 0.001

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se para a combinação de


ações 1.5·AP.
VSd: Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. VSd < 0.01 kN
A força cortante resistente de cálculo, VRd, deve ser determinada pela
expressão:
7.92 ≤ 34.08

VRd : 304.69 kN

Onde:

λ : 7.92

Sendo:
bf: Largura das mesas. bf : 133.00 mm
tf: Espessura das mesas. tf : 8.40 mm

λp : 34.08

Sendo:
kv: Coeficiente de flambagem. kv : 1.20
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Vpl : 335.16 kN
Sendo:
Aw: Área efetiva de cisalhamento
Aw : 22.34 cm²
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 26
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência ao esforço cortante Y (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.3)


Deve satisfazer:

η : 0.112

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N6, para a


combinação de ações 1.5·AP.
VSd: Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. VSd : 18.26 kN
A força cortante resistente de cálculo, VRd, deve ser determinada pela
expressão:
32.79 ≤ 69.57

VRd : 163.72 kN

Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre as faces h : 190.20 mm
internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λp : 69.57

Sendo:
kv: Coeficiente de flambagem. kv : 5.00
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Vpl : 180.09 kN
Sendo:
Aw: Área efetiva de cisalhamento
Aw : 12.01 cm²
d: Altura total da seção transversal. d : 207.00 mm
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 27
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência ao esforço axial e flexão combinados (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.1.2)
Deve satisfazer:

η : 0.790

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N7, para a


combinação de ações 1.5·AP.
Nc,Sd: Força axial de compressão solicitante de cálculo, desfavorável. Nc,Sd : 0.12 kN
Mx,Sd: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. Mx,Sd : kN·m
+
44.41
My,Sd: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. My,Sd :-
0.01 kN·m

0.000 < 0.200

η : 0.790

Onde:
Nc,Rd: Força axial resistente de cálculo de compressão (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.3). Nc,Rd : 551.38 kN
Mx,Rd,My,Rd: Momentos fletores resistentes de cálculo, Mx,Rd : kN·m
56.26
respectivamente em relação aos eixos X e Y da seção transversal
(ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2). My,Rd : 16.41 kN·m

Resistência à torção (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.2.1)


A verificação não é necessária, já que não existe momento torsor.

Resistência ao momento de torção, força axial, momento fletor e força cortante (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.5.2.2)
Não há interacção entre a esforço axial, momento flector, esforço transverso e momento torsor. Portanto,
a verificação não é necessária.

Resistência a interações de esforços e momento de torção (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.2.3)
Deve satisfazer:

η : 0.134

O coeficiente de aproveitamento desfavorável produz-se no nó N6, para a


combinação de ações 1.5·AP no ponto da seção transversal de coordenadas X
= 0.00 mm, Y = 0.00 mm em relação ao centro de gravidade.
As tensões tangenciais τSd vêm dadas por:

τSd : -16.8 MPa


Onde:

τVx,Sd : 0.0 MPa

Sendo:
Vx,Sd : Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. Vx,Sd : kN
- -
0.00

Página 28
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Sy: Momento estático, em relação ao eixo Y, da parte da secção Sy : 0.00 cm³


situada a um lado do ponto de verificação.
Iy: Momento de inércia da seção transversal em relação ao eixo
Y. Iy : 330.00 cm4
t: Espessura. t : 5.80 mm

τVy,Sd : -16.8 MPa

Sendo:
Vy,Sd+: Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. Vy,Sd+ : 18.26 kN
Sx: Momento estático, em relação ao eixo X, da parte da secção Sx : 139.53 cm³
situada a um lado do ponto de verificação.
Ix: Momento de inércia da seção transversal em relação ao eixo
X. Ix : 2611.00 cm4
t: Espessura. t : 5.80 mm

τTSd : 0.0 MPa

Sendo:
TSd: Momento de torção solicitante de cálculo, desfavorável. TSd : 0.00 kN·m
J: Constante de torção da seção transversal. J : 6.49 cm4
t: Espessura. t : 5.80 mm
A tensão resistente de cálculo, τRd, é dada pelo menor valor entre os obtidos
por a) e b): τRd : 125.7 MPa
(a) Tensão resistente de cálculo para os estados-limites de escoamento
sob efeito de tensão de cisalhamento:

τRd : 136.4 MPa

Onde:
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(b) Tensão resistente de cálculo para os estados-limites de instabilidade
ou flambagem sob efeito de tensão cisalhamento:

τRd : 125.7 MPa

Onde:
χ: Fator de redução total associado à resistência à compressão
(ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.3).

χ : 0.922
Sendo:

λ0 : 0.441

τe : 770.9 MPa

σE : 154.2 MPa

Onde:

Página 29
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

kv: Coeficiente de flambagem (ABNT NBR


8800:2008, Artigo 5.4.3). kv : 5.00
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
ν: Coeficiente de Poisson. ν : 0.30
t: Espessura. t : 5.80 mm
h: Largura. h : 198.60 mm
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 30
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Barra N2/N8
Perfil: W 200 x 26,6
Material: Aço (A-36 250Mpa)
Nós Características mecânicas
Comprimento
Y
(m) Área Ix(1) Iy(1) It(2)
Inicial Final
(cm²) (cm4) (cm4) (cm4)
N2 N8 2.500 34.20 2611.00 330.00 6.49
Notas:
(1)
Inércia em relação ao eixo indicado
(2)
Momento de inércia à torção uniforme
Flambagem Flambagem lateral
X
Plano ZX Plano ZY Aba sup. Aba inf.
β 1.00 1.00 1.00 1.00
LK 2.500 2.500 2.500 2.500
Cb - 1.000
Notação:
β: Coeficiente de flambagem
LK: Comprimento de flambagem (m)
Cb: Fator de modificação para o momento crítico

Limitação do índice de esbeltez (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.4)


O índice de esbeltez das barras comprimidas, tomado como o maior relação entre
o comprimento de flambagem e o raio de giração, não deve ser superior a 200.

λ : 80.5

Onde:
λ: Índice de esbeltez.
λx : 28.6
λy : 80.5
Sendo:
Kx·Lx: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo
X. Kx·Lx : 2.500 m
Ky·Ly: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo
Y. Ky·Ly : 2.500 m
rx,ry: Raios de giração em relação aos eixos principales X, Y, rx : 8.74 cm
respectivamente. ry : 3.11 cm

Resistência à tração (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.2)


A verificação não será executada, já que não existe esforço axial de tração.

Resistência à compressão (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3)


Deve satisfazer:

η < 0.001

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se para a combinação


de ações 1.5·AP.

Página 31
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Nc,Sd: Força axial de compressão solicitante de cálculo, desfavorável. Nc,Sd : 0.12 kN


A força axial de compressão resistente de cálculo, Nc,Rd, deve ser
determinada pela expressão:

Nc,Rd : 551.38 kN

Onde:
χ: Fator de redução total associado à resistência à compressão. χ : 0.709
Q: Fator de redução total associado à flambagem local. Q : 1.000
Ag: Área bruta da seção transversal da barra. Ag : 34.20 cm²
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
Fator de redução χ: (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.3)

χ : 0.709
Onde:
λ0: Índice de esbeltez reduzido.

λ0 : 0.906

Sendo:
Q: Fator de redução total associado à flambagem
local. Q : 1.000
Ag: Área bruta da seção transversal da barra. Ag : 34.20 cm²
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Ne: Força axial de flambagem elástica. Ne : 1042.23 kN
Força axial de flambagem elástica: (ABNT NBR 8800:2008, Anexo E)
A força axial de flambagem elástica, Ne, de uma barra com seção
transversal duplamente simétrica ou simétrica em relação a um ponto, é
dada pelo menor valor entre os obtidos por (a), (b) e (c): Ne : 1042.23 kN
(a) Para flambagem por flexão em relação ao eixo principal de
inércia X da seção transversal:

Nex : 8246.25 kN

Onde:
Kx·Lx: Comprimento de flambagem por flexão em relação
ao eixo X. Kx·Lx : 2.500 m
Ix: Momento de inércia da seção transversal em relação ao
eixo X. Ix : 2611.00 cm4
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
(b) Para flambagem por flexão em relação ao eixo principal de
inércia Y da seção transversal:

Ney : 1042.23 kN

Onde:
Ky·Ly: Comprimento de flambagem por flexão em relação
ao eixo Y. Ky·Ly : 2.500 m
Iy: Momento de inércia da seção transversal em relação ao
eixo Y. Iy : 330.00 cm4

Página 32
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa


(c) Para flambagem por torção em relação ao eixo longitudinal Z:

Nez : 1775.23 kN

Onde:
Kz·Lz: Comprimento de flambagem por torção. Kz·Lz : 2.500 m
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
Cw: Constante de empenamento da seção transversal. Cw : 32507.91 cm6
G: Módulo de elasticidade transversal do aço. G : 77000 MPa
J: Constante de torção da seção transversal. J : 6.49 cm4
r0: Raio de giração polar da seção bruta em relação ao
centro de cisalhamento.

r0 : 9.27 cm

Onde:
rx,ry: Raios de giração em relação aos eixos rx : 8.74 cm
principales X, Y, respectivamente. ry : 3.11 cm
X0,Y0: Coordenadas do centro de cisalhamento na X0 : mm
0.00
direção dos eixos principales X, Y,
respectivamente. Y0 : 0.00 mm
Flambagem local de barras axialmente comprimidas: (ABNT NBR
8800:2008, Anexo F)
Não se aplica nenhuma redução, já que todos os elementos componentes
da seção transversal possuem relações entre largura e espessura (b/t)
que não superam os valores limite dados na Tabela F.1.
Mesa: Elemento do Grupo 4 da Tabela F.1.
7.92 ≤ 15.84
Sendo:
(b/t): Relação entre largura e espessura. (b/t) : 7.92
Onde:
b: Largura. b : 66.50 mm
t: Espessura. t : 8.40 mm
(b/t)lim: Relação limite entre largura e espessura.

(b/t)lim : 15.84

Onde:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Alma: Elemento do Grupo 2 da Tabela F.1.
32.79 ≤ 42.14
Sendo:
(b/t): Relação entre largura e espessura. (b/t) : 32.79
Onde:
b: Largura. b : 190.20 mm
t: Espessura. t : 5.80 mm
(b/t)lim: Relação limite entre largura e espessura.

Página 33
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

(b/t)lim : 42.14

Onde:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

Resistência à flexão eixo X (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2)


Deve satisfazer:

η : 0.789

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N8, para a


combinação de ações 1.5·AP.
MSd+: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. MSd+ : 44.41 kN·m
Já que 'λ ≤ λr', deve-se considerar viga de alma não-esbelta (ABNT NBR
32.79 ≤ 161.22
8800:2008, Anexo G).
Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre as faces h : 190.20 mm
internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λr : 161.22

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
O momento fletor resistente de cálculo MRd de vigas de alma não-esbelta
deve ser tomado como o menor valor entre os obtidos nas seguintes
secções: MRd : 56.26 kN·m
(a) Máximo momento fletor resistente de cálculo (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.4.2.2):

MRd : 86.00 kN·m

Onde:
Wx: Módulo de resistência elástico mínimo da seção Wx : 252.27 cm³
transversal em relação ao eixo de flexão.
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(b) Estado-límite último de flambagem lateral com torção, FLT (ABNT
NBR 8800:2008, Anexo G):

80.48 > 49.78

Página 34
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

80.48 ≤ 161.85

MRd : 56.26 kN·m

Onde:

λ : 80.48

Sendo:
Lb,sup: Distância entre duas seções contidas à
flambagem lateral com torção. Lb,sup : 2.500 m
ry: Raio de giração da seção em relação ao eixo
principal de inercia perpendicular ao eixo de flexão. ry : 3.11 cm

λp : 49.78

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

λr : 161.85

Sendo:
Iy: Momento de inércia da seção transversal em
relação ao eixo Y. Iy : 330.00 cm4
J: Constante de torção da seção transversal. J : 6.49 cm4
Cw: Constante de empenamento da seção
transversal. Cw : 32507.91 cm6

β1 : 0.034 cm-1

Mpl : 68.58 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 274.33 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

Mr : 44.15 kN·m
Sendo:
Wx: Módulo de resistência elástico mínimo da Wx : 252.27 cm³
seção transversal em relação ao eixo de flexão.
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
σr : 75.0 MPa
Cb: Fator de modificação para diagrama de momento
fletor não-uniforme. Cb : 1.00
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do
material. γ a1 : 1.10
(c) Estado-límite último de flambagem local da mesa comprimida,
FLM (ABNT NBR 8800:2008, Anexo G):

7.92 ≤ 10.75

Página 35
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

MRd : 62.35 kN·m

Onde:

λ : 7.92

Sendo:
bf: Largura da mesa comprimida bf : 133.00 mm
tf: Espessura da mesa comprimida. tf : 8.40 mm

λp : 10.75

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 68.58 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 274.33 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do
material. γ a1 : 1.10
(d) Estado-límite último de flambagem local da alma, FLA (ABNT NBR
8800:2008, Anexo G):

32.79 ≤ 106.35

MRd : 62.35 kN·m

Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre h : 190.20 mm
as faces internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λp : 106.35

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 68.58 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 274.33 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do
material. γ a1 : 1.10

Página 36
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência à flexão eixo Y (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2)


Deve satisfazer:

η < 0.001

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N8, para a


combinação de ações 1.5·AP.
MSd : Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. MSd : kN·m
+ +
0.01
O momento fletor resistente de cálculo MRd deve ser tomado como o menor
valor entre os obtidos nas seguintes secções: MRd : 16.41 kN·m
(a) Máximo momento fletor resistente de cálculo (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.4.2.2):

MRd : 16.92 kN·m

Onde:
Wy: Módulo de resistência elástico mínimo da seção Wy : 49.62 cm³
transversal em relação ao eixo de flexão.
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(b) Estado-límite último de flambagem local da mesa comprimida, FLM
(ABNT NBR 8800:2008, Anexo G):

7.92 ≤ 10.75

MRd : 17.25 kN·m

Onde:

λ : 7.92

Sendo:
bf: Largura da mesa comprimida bf : 133.00 mm
tf: Espessura da mesa comprimida. tf : 8.40 mm

λp : 10.75

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 18.97 kN
Onde:
Zy: Módulo de resistência plástico. Zy : 75.89 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(c) Estado-límite último de flambagem local da alma, FLA (ABNT NBR
8800:2008, Anexo G):

32.79 > 31.68

Página 37
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

32.79 ≤ 39.60

MRd : 16.41 kN·m

Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre as h : 190.20 mm
faces internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λp : 31.68

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

λr : 39.60

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 18.97 kN
Onde:
Zy: Módulo de resistência plástico. Zy : 75.89 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mr : 12.41 kN·m
Sendo:
Wef,y: Módulo de resistência mínimo elástico, relativo
ao eixo de flexão, para uma seção que tem uma
mesa comprimida de largura igual a bef dada por
F.3.2, com σ igual a fy. Wef,y : 49.62 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 38
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência ao esforço cortante X (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.3)


Deve satisfazer:

η < 0.001

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se para a combinação de


ações 1.5·AP.
VSd: Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. VSd < 0.01 kN
A força cortante resistente de cálculo, VRd, deve ser determinada pela
expressão:
7.92 ≤ 34.08

VRd : 304.69 kN

Onde:

λ : 7.92

Sendo:
bf: Largura das mesas. bf : 133.00 mm
tf: Espessura das mesas. tf : 8.40 mm

λp : 34.08

Sendo:
kv: Coeficiente de flambagem. kv : 1.20
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Vpl : 335.16 kN
Sendo:
Aw: Área efetiva de cisalhamento
Aw : 22.34 cm²
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 39
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência ao esforço cortante Y (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.3)


Deve satisfazer:

η : 0.112

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N2, para a


combinação de ações 1.5·AP.
VSd: Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. VSd : 18.26 kN
A força cortante resistente de cálculo, VRd, deve ser determinada pela
expressão:
32.79 ≤ 69.57

VRd : 163.72 kN

Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre as faces h : 190.20 mm
internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λp : 69.57

Sendo:
kv: Coeficiente de flambagem. kv : 5.00
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Vpl : 180.09 kN
Sendo:
Aw: Área efetiva de cisalhamento
Aw : 12.01 cm²
d: Altura total da seção transversal. d : 207.00 mm
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 40
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência ao esforço axial e flexão combinados (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.1.2)
Deve satisfazer:

η : 0.790

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N8, para a


combinação de ações 1.5·AP.
Nc,Sd: Força axial de compressão solicitante de cálculo, desfavorável. Nc,Sd : 0.12 kN
Mx,Sd: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. Mx,Sd : kN·m
+
44.41
My,Sd: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. My,Sd +
: 0.01 kN·m

0.000 < 0.200

η : 0.790

Onde:
Nc,Rd: Força axial resistente de cálculo de compressão (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.3). Nc,Rd : 551.38 kN
Mx,Rd,My,Rd: Momentos fletores resistentes de cálculo, Mx,Rd : kN·m
56.26
respectivamente em relação aos eixos X e Y da seção transversal
(ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2). My,Rd : 16.41 kN·m

Resistência à torção (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.2.1)


A verificação não é necessária, já que não existe momento torsor.

Resistência ao momento de torção, força axial, momento fletor e força cortante (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.5.2.2)
Não há interacção entre a esforço axial, momento flector, esforço transverso e momento torsor. Portanto,
a verificação não é necessária.

Resistência a interações de esforços e momento de torção (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.2.3)
Deve satisfazer:

η : 0.134

O coeficiente de aproveitamento desfavorável produz-se no nó N2, para a


combinação de ações 1.5·AP no ponto da seção transversal de coordenadas X
= 0.00 mm, Y = 0.00 mm em relação ao centro de gravidade.
As tensões tangenciais τSd vêm dadas por:

τSd : 16.8 MPa


Onde:

τVx,Sd : 0.0 MPa

Sendo:
Vx,Sd : Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. Vx,Sd : kN
- -
0.00

Página 41
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Sy: Momento estático, em relação ao eixo Y, da parte da secção Sy : 0.00 cm³


situada a um lado do ponto de verificação.
Iy: Momento de inércia da seção transversal em relação ao eixo
Y. Iy : 330.00 cm4
t: Espessura. t : 5.80 mm

τVy,Sd : 16.8 MPa

Sendo:
Vy,Sd-: Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. Vy,Sd- : 18.26 kN
Sx: Momento estático, em relação ao eixo X, da parte da secção Sx : 139.53 cm³
situada a um lado do ponto de verificação.
Ix: Momento de inércia da seção transversal em relação ao eixo
X. Ix : 2611.00 cm4
t: Espessura. t : 5.80 mm

τTSd : 0.0 MPa

Sendo:
TSd: Momento de torção solicitante de cálculo, desfavorável. TSd : 0.00 kN·m
J: Constante de torção da seção transversal. J : 6.49 cm4
t: Espessura. t : 5.80 mm
A tensão resistente de cálculo, τRd, é dada pelo menor valor entre os obtidos
por a) e b): τRd : 125.7 MPa
(a) Tensão resistente de cálculo para os estados-limites de escoamento
sob efeito de tensão de cisalhamento:

τRd : 136.4 MPa

Onde:
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(b) Tensão resistente de cálculo para os estados-limites de instabilidade
ou flambagem sob efeito de tensão cisalhamento:

τRd : 125.7 MPa

Onde:
χ: Fator de redução total associado à resistência à compressão
(ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.3).

χ : 0.922
Sendo:

λ0 : 0.441

τe : 770.9 MPa

σE : 154.2 MPa

Onde:

Página 42
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

kv: Coeficiente de flambagem (ABNT NBR


8800:2008, Artigo 5.4.3). kv : 5.00
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
ν: Coeficiente de Poisson. ν : 0.30
t: Espessura. t : 5.80 mm
h: Largura. h : 198.60 mm
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 43
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Barra N8/N3
Perfil: W 200 x 26,6
Material: Aço (A-36 250Mpa)
Nós Características mecânicas
Comprimento
Y
(m) Área Ix(1) Iy(1) It(2)
Inicial Final
(cm²) (cm4) (cm4) (cm4)
N8 N3 2.500 34.20 2611.00 330.00 6.49
Notas:
(1)
Inércia em relação ao eixo indicado
(2)
Momento de inércia à torção uniforme
Flambagem Flambagem lateral
X
Plano ZX Plano ZY Aba sup. Aba inf.
β 1.00 1.00 1.00 1.00
LK 2.500 2.500 2.500 2.500
Cb - 1.000
Notação:
β: Coeficiente de flambagem
LK: Comprimento de flambagem (m)
Cb: Fator de modificação para o momento crítico

Limitação do índice de esbeltez (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.4)


O índice de esbeltez das barras comprimidas, tomado como o maior relação entre
o comprimento de flambagem e o raio de giração, não deve ser superior a 200.

λ : 80.5

Onde:
λ: Índice de esbeltez.
λx : 28.6
λy : 80.5
Sendo:
Kx·Lx: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo
X. Kx·Lx : 2.500 m
Ky·Ly: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo
Y. Ky·Ly : 2.500 m
rx,ry: Raios de giração em relação aos eixos principales X, Y, rx : 8.74 cm
respectivamente. ry : 3.11 cm

Resistência à tração (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.2)


A verificação não será executada, já que não existe esforço axial de tração.

Resistência à compressão (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3)


Deve satisfazer:

η < 0.001

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se para a combinação


de ações 1.5·AP.

Página 44
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Nc,Sd: Força axial de compressão solicitante de cálculo, desfavorável. Nc,Sd : 0.12 kN


A força axial de compressão resistente de cálculo, Nc,Rd, deve ser
determinada pela expressão:

Nc,Rd : 551.38 kN

Onde:
χ: Fator de redução total associado à resistência à compressão. χ : 0.709
Q: Fator de redução total associado à flambagem local. Q : 1.000
Ag: Área bruta da seção transversal da barra. Ag : 34.20 cm²
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
Fator de redução χ: (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.3)

χ : 0.709
Onde:
λ0: Índice de esbeltez reduzido.

λ0 : 0.906

Sendo:
Q: Fator de redução total associado à flambagem
local. Q : 1.000
Ag: Área bruta da seção transversal da barra. Ag : 34.20 cm²
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Ne: Força axial de flambagem elástica. Ne : 1042.23 kN
Força axial de flambagem elástica: (ABNT NBR 8800:2008, Anexo E)
A força axial de flambagem elástica, Ne, de uma barra com seção
transversal duplamente simétrica ou simétrica em relação a um ponto, é
dada pelo menor valor entre os obtidos por (a), (b) e (c): Ne : 1042.23 kN
(a) Para flambagem por flexão em relação ao eixo principal de
inércia X da seção transversal:

Nex : 8246.25 kN

Onde:
Kx·Lx: Comprimento de flambagem por flexão em relação
ao eixo X. Kx·Lx : 2.500 m
Ix: Momento de inércia da seção transversal em relação ao
eixo X. Ix : 2611.00 cm4
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
(b) Para flambagem por flexão em relação ao eixo principal de
inércia Y da seção transversal:

Ney : 1042.23 kN

Onde:
Ky·Ly: Comprimento de flambagem por flexão em relação
ao eixo Y. Ky·Ly : 2.500 m
Iy: Momento de inércia da seção transversal em relação ao
eixo Y. Iy : 330.00 cm4

Página 45
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa


(c) Para flambagem por torção em relação ao eixo longitudinal Z:

Nez : 1775.23 kN

Onde:
Kz·Lz: Comprimento de flambagem por torção. Kz·Lz : 2.500 m
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
Cw: Constante de empenamento da seção transversal. Cw : 32507.91 cm6
G: Módulo de elasticidade transversal do aço. G : 77000 MPa
J: Constante de torção da seção transversal. J : 6.49 cm4
r0: Raio de giração polar da seção bruta em relação ao
centro de cisalhamento.

r0 : 9.27 cm

Onde:
rx,ry: Raios de giração em relação aos eixos rx : 8.74 cm
principales X, Y, respectivamente. ry : 3.11 cm
X0,Y0: Coordenadas do centro de cisalhamento na X0 : mm
0.00
direção dos eixos principales X, Y,
respectivamente. Y0 : 0.00 mm
Flambagem local de barras axialmente comprimidas: (ABNT NBR
8800:2008, Anexo F)
Não se aplica nenhuma redução, já que todos os elementos componentes
da seção transversal possuem relações entre largura e espessura (b/t)
que não superam os valores limite dados na Tabela F.1.
Mesa: Elemento do Grupo 4 da Tabela F.1.
7.92 ≤ 15.84
Sendo:
(b/t): Relação entre largura e espessura. (b/t) : 7.92
Onde:
b: Largura. b : 66.50 mm
t: Espessura. t : 8.40 mm
(b/t)lim: Relação limite entre largura e espessura.

(b/t)lim : 15.84

Onde:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Alma: Elemento do Grupo 2 da Tabela F.1.
32.79 ≤ 42.14
Sendo:
(b/t): Relação entre largura e espessura. (b/t) : 32.79
Onde:
b: Largura. b : 190.20 mm
t: Espessura. t : 5.80 mm
(b/t)lim: Relação limite entre largura e espessura.

Página 46
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

(b/t)lim : 42.14

Onde:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

Resistência à flexão eixo X (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2)


Deve satisfazer:

η : 0.789

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N8, para a


combinação de ações 1.5·AP.
MSd+: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. MSd+ : 44.41 kN·m
Já que 'λ ≤ λr', deve-se considerar viga de alma não-esbelta (ABNT NBR
32.79 ≤ 161.22
8800:2008, Anexo G).
Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre as faces h : 190.20 mm
internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λr : 161.22

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
O momento fletor resistente de cálculo MRd de vigas de alma não-esbelta
deve ser tomado como o menor valor entre os obtidos nas seguintes
secções: MRd : 56.26 kN·m
(a) Máximo momento fletor resistente de cálculo (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.4.2.2):

MRd : 86.00 kN·m

Onde:
Wx: Módulo de resistência elástico mínimo da seção Wx : 252.27 cm³
transversal em relação ao eixo de flexão.
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(b) Estado-límite último de flambagem lateral com torção, FLT (ABNT
NBR 8800:2008, Anexo G):

80.48 > 49.78

Página 47
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

80.48 ≤ 161.85

MRd : 56.26 kN·m

Onde:

λ : 80.48

Sendo:
Lb,sup: Distância entre duas seções contidas à
flambagem lateral com torção. Lb,sup : 2.500 m
ry: Raio de giração da seção em relação ao eixo
principal de inercia perpendicular ao eixo de flexão. ry : 3.11 cm

λp : 49.78

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

λr : 161.85

Sendo:
Iy: Momento de inércia da seção transversal em
relação ao eixo Y. Iy : 330.00 cm4
J: Constante de torção da seção transversal. J : 6.49 cm4
Cw: Constante de empenamento da seção
transversal. Cw : 32507.91 cm6

β1 : 0.034 cm-1

Mpl : 68.58 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 274.33 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

Mr : 44.15 kN·m
Sendo:
Wx: Módulo de resistência elástico mínimo da Wx : 252.27 cm³
seção transversal em relação ao eixo de flexão.
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
σr : 75.0 MPa
Cb: Fator de modificação para diagrama de momento
fletor não-uniforme. Cb : 1.00
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do
material. γ a1 : 1.10
(c) Estado-límite último de flambagem local da mesa comprimida,
FLM (ABNT NBR 8800:2008, Anexo G):

7.92 ≤ 10.75

Página 48
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

MRd : 62.35 kN·m

Onde:

λ : 7.92

Sendo:
bf: Largura da mesa comprimida bf : 133.00 mm
tf: Espessura da mesa comprimida. tf : 8.40 mm

λp : 10.75

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 68.58 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 274.33 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do
material. γ a1 : 1.10
(d) Estado-límite último de flambagem local da alma, FLA (ABNT NBR
8800:2008, Anexo G):

32.79 ≤ 106.35

MRd : 62.35 kN·m

Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre h : 190.20 mm
as faces internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λp : 106.35

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 68.58 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 274.33 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do
material. γ a1 : 1.10

Página 49
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência à flexão eixo Y (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2)


Deve satisfazer:

η < 0.001

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N8, para a


combinação de ações 1.5·AP.
MSd : Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. MSd : kN·m
+ +
0.01
O momento fletor resistente de cálculo MRd deve ser tomado como o menor
valor entre os obtidos nas seguintes secções: MRd : 16.41 kN·m
(a) Máximo momento fletor resistente de cálculo (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.4.2.2):

MRd : 16.92 kN·m

Onde:
Wy: Módulo de resistência elástico mínimo da seção Wy : 49.62 cm³
transversal em relação ao eixo de flexão.
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(b) Estado-límite último de flambagem local da mesa comprimida, FLM
(ABNT NBR 8800:2008, Anexo G):

7.92 ≤ 10.75

MRd : 17.25 kN·m

Onde:

λ : 7.92

Sendo:
bf: Largura da mesa comprimida bf : 133.00 mm
tf: Espessura da mesa comprimida. tf : 8.40 mm

λp : 10.75

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 18.97 kN
Onde:
Zy: Módulo de resistência plástico. Zy : 75.89 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(c) Estado-límite último de flambagem local da alma, FLA (ABNT NBR
8800:2008, Anexo G):

32.79 > 31.68

Página 50
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

32.79 ≤ 39.60

MRd : 16.41 kN·m

Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre as h : 190.20 mm
faces internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λp : 31.68

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

λr : 39.60

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 18.97 kN
Onde:
Zy: Módulo de resistência plástico. Zy : 75.89 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mr : 12.41 kN·m
Sendo:
Wef,y: Módulo de resistência mínimo elástico, relativo
ao eixo de flexão, para uma seção que tem uma
mesa comprimida de largura igual a bef dada por
F.3.2, com σ igual a fy. Wef,y : 49.62 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 51
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência ao esforço cortante X (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.3)


Deve satisfazer:

η < 0.001

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se para a combinação de


ações 1.5·AP.
VSd: Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. VSd < 0.01 kN
A força cortante resistente de cálculo, VRd, deve ser determinada pela
expressão:
7.92 ≤ 34.08

VRd : 304.69 kN

Onde:

λ : 7.92

Sendo:
bf: Largura das mesas. bf : 133.00 mm
tf: Espessura das mesas. tf : 8.40 mm

λp : 34.08

Sendo:
kv: Coeficiente de flambagem. kv : 1.20
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Vpl : 335.16 kN
Sendo:
Aw: Área efetiva de cisalhamento
Aw : 22.34 cm²
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 52
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência ao esforço cortante Y (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.3)


Deve satisfazer:

η : 0.112

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N3, para a


combinação de ações 1.5·AP.
VSd: Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. VSd : 18.26 kN
A força cortante resistente de cálculo, VRd, deve ser determinada pela
expressão:
32.79 ≤ 69.57

VRd : 163.72 kN

Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre as faces h : 190.20 mm
internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λp : 69.57

Sendo:
kv: Coeficiente de flambagem. kv : 5.00
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Vpl : 180.09 kN
Sendo:
Aw: Área efetiva de cisalhamento
Aw : 12.01 cm²
d: Altura total da seção transversal. d : 207.00 mm
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 53
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência ao esforço axial e flexão combinados (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.1.2)
Deve satisfazer:

η : 0.790

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N8, para a


combinação de ações 1.5·AP.
Nc,Sd: Força axial de compressão solicitante de cálculo, desfavorável. Nc,Sd : 0.12 kN
Mx,Sd: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. Mx,Sd : kN·m
+
44.41
My,Sd: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. My,Sd +
: 0.01 kN·m

0.000 < 0.200

η : 0.790

Onde:
Nc,Rd: Força axial resistente de cálculo de compressão (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.3). Nc,Rd : 551.38 kN
Mx,Rd,My,Rd: Momentos fletores resistentes de cálculo, Mx,Rd : kN·m
56.26
respectivamente em relação aos eixos X e Y da seção transversal
(ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2). My,Rd : 16.41 kN·m

Resistência à torção (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.2.1)


A verificação não é necessária, já que não existe momento torsor.

Resistência ao momento de torção, força axial, momento fletor e força cortante (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.5.2.2)
Não há interacção entre a esforço axial, momento flector, esforço transverso e momento torsor. Portanto,
a verificação não é necessária.

Resistência a interações de esforços e momento de torção (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.2.3)
Deve satisfazer:

η : 0.134

O coeficiente de aproveitamento desfavorável produz-se no nó N3, para a


combinação de ações 1.5·AP no ponto da seção transversal de coordenadas X
= 0.00 mm, Y = 0.00 mm em relação ao centro de gravidade.
As tensões tangenciais τSd vêm dadas por:

τSd : -16.8 MPa


Onde:

τVx,Sd : 0.0 MPa

Sendo:
Vx,Sd : Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. Vx,Sd : kN
+ +
0.00

Página 54
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Sy: Momento estático, em relação ao eixo Y, da parte da secção Sy : 0.00 cm³


situada a um lado do ponto de verificação.
Iy: Momento de inércia da seção transversal em relação ao eixo
Y. Iy : 330.00 cm4
t: Espessura. t : 5.80 mm

τVy,Sd : -16.8 MPa

Sendo:
Vy,Sd+: Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. Vy,Sd+ : 18.26 kN
Sx: Momento estático, em relação ao eixo X, da parte da secção Sx : 139.53 cm³
situada a um lado do ponto de verificação.
Ix: Momento de inércia da seção transversal em relação ao eixo
X. Ix : 2611.00 cm4
t: Espessura. t : 5.80 mm

τTSd : 0.0 MPa

Sendo:
TSd: Momento de torção solicitante de cálculo, desfavorável. TSd : 0.00 kN·m
J: Constante de torção da seção transversal. J : 6.49 cm4
t: Espessura. t : 5.80 mm
A tensão resistente de cálculo, τRd, é dada pelo menor valor entre os obtidos
por a) e b): τRd : 125.7 MPa
(a) Tensão resistente de cálculo para os estados-limites de escoamento
sob efeito de tensão de cisalhamento:

τRd : 136.4 MPa

Onde:
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(b) Tensão resistente de cálculo para os estados-limites de instabilidade
ou flambagem sob efeito de tensão cisalhamento:

τRd : 125.7 MPa

Onde:
χ: Fator de redução total associado à resistência à compressão
(ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.3).

χ : 0.922
Sendo:

λ0 : 0.441

τe : 770.9 MPa

σE : 154.2 MPa

Onde:

Página 55
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

kv: Coeficiente de flambagem (ABNT NBR


8800:2008, Artigo 5.4.3). kv : 5.00
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
ν: Coeficiente de Poisson. ν : 0.30
t: Espessura. t : 5.80 mm
h: Largura. h : 198.60 mm
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 56
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Barra N3/N10
Perfil: W 200 x 26,6
Material: Aço (A-36 250Mpa)
Nós Características mecânicas
Comprimento
Y
(m) Área Ix(1) Iy(1) It(2)
Inicial Final
(cm²) (cm4) (cm4) (cm4)
N3 N10 2.500 34.20 2611.00 330.00 6.49
Notas:
(1)
Inércia em relação ao eixo indicado
(2)
Momento de inércia à torção uniforme
Flambagem Flambagem lateral
X
Plano ZX Plano ZY Aba sup. Aba inf.
β 1.00 1.00 1.00 1.00
LK 2.500 2.500 2.500 2.500
Cb - 1.000
Notação:
β: Coeficiente de flambagem
LK: Comprimento de flambagem (m)
Cb: Fator de modificação para o momento crítico

Limitação do índice de esbeltez (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.4)


O índice de esbeltez das barras comprimidas, tomado como o maior relação entre
o comprimento de flambagem e o raio de giração, não deve ser superior a 200.

λ : 80.5

Onde:
λ: Índice de esbeltez.
λx : 28.6
λy : 80.5
Sendo:
Kx·Lx: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo
X. Kx·Lx : 2.500 m
Ky·Ly: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo
Y. Ky·Ly : 2.500 m
rx,ry: Raios de giração em relação aos eixos principales X, Y, rx : 8.74 cm
respectivamente. ry : 3.11 cm

Resistência à tração (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.2)


A verificação não será executada, já que não existe esforço axial de tração.

Resistência à compressão (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3)


Deve satisfazer:

η < 0.001

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se para a combinação


de ações 1.5·AP.

Página 57
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Nc,Sd: Força axial de compressão solicitante de cálculo, desfavorável. Nc,Sd : 0.12 kN


A força axial de compressão resistente de cálculo, Nc,Rd, deve ser
determinada pela expressão:

Nc,Rd : 551.38 kN

Onde:
χ: Fator de redução total associado à resistência à compressão. χ : 0.709
Q: Fator de redução total associado à flambagem local. Q : 1.000
Ag: Área bruta da seção transversal da barra. Ag : 34.20 cm²
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
Fator de redução χ: (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.3)

χ : 0.709
Onde:
λ0: Índice de esbeltez reduzido.

λ0 : 0.906

Sendo:
Q: Fator de redução total associado à flambagem
local. Q : 1.000
Ag: Área bruta da seção transversal da barra. Ag : 34.20 cm²
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Ne: Força axial de flambagem elástica. Ne : 1042.23 kN
Força axial de flambagem elástica: (ABNT NBR 8800:2008, Anexo E)
A força axial de flambagem elástica, Ne, de uma barra com seção
transversal duplamente simétrica ou simétrica em relação a um ponto, é
dada pelo menor valor entre os obtidos por (a), (b) e (c): Ne : 1042.23 kN
(a) Para flambagem por flexão em relação ao eixo principal de
inércia X da seção transversal:

Nex : 8246.25 kN

Onde:
Kx·Lx: Comprimento de flambagem por flexão em relação
ao eixo X. Kx·Lx : 2.500 m
Ix: Momento de inércia da seção transversal em relação ao
eixo X. Ix : 2611.00 cm4
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
(b) Para flambagem por flexão em relação ao eixo principal de
inércia Y da seção transversal:

Ney : 1042.23 kN

Onde:
Ky·Ly: Comprimento de flambagem por flexão em relação
ao eixo Y. Ky·Ly : 2.500 m
Iy: Momento de inércia da seção transversal em relação ao
eixo Y. Iy : 330.00 cm4

Página 58
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa


(c) Para flambagem por torção em relação ao eixo longitudinal Z:

Nez : 1775.23 kN

Onde:
Kz·Lz: Comprimento de flambagem por torção. Kz·Lz : 2.500 m
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
Cw: Constante de empenamento da seção transversal. Cw : 32507.91 cm6
G: Módulo de elasticidade transversal do aço. G : 77000 MPa
J: Constante de torção da seção transversal. J : 6.49 cm4
r0: Raio de giração polar da seção bruta em relação ao
centro de cisalhamento.

r0 : 9.27 cm

Onde:
rx,ry: Raios de giração em relação aos eixos rx : 8.74 cm
principales X, Y, respectivamente. ry : 3.11 cm
X0,Y0: Coordenadas do centro de cisalhamento na X0 : mm
0.00
direção dos eixos principales X, Y,
respectivamente. Y0 : 0.00 mm
Flambagem local de barras axialmente comprimidas: (ABNT NBR
8800:2008, Anexo F)
Não se aplica nenhuma redução, já que todos os elementos componentes
da seção transversal possuem relações entre largura e espessura (b/t)
que não superam os valores limite dados na Tabela F.1.
Mesa: Elemento do Grupo 4 da Tabela F.1.
7.92 ≤ 15.84
Sendo:
(b/t): Relação entre largura e espessura. (b/t) : 7.92
Onde:
b: Largura. b : 66.50 mm
t: Espessura. t : 8.40 mm
(b/t)lim: Relação limite entre largura e espessura.

(b/t)lim : 15.84

Onde:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Alma: Elemento do Grupo 2 da Tabela F.1.
32.79 ≤ 42.14
Sendo:
(b/t): Relação entre largura e espessura. (b/t) : 32.79
Onde:
b: Largura. b : 190.20 mm
t: Espessura. t : 5.80 mm
(b/t)lim: Relação limite entre largura e espessura.

Página 59
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

(b/t)lim : 42.14

Onde:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

Resistência à flexão eixo X (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2)


Deve satisfazer:

η : 0.789

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N10, para a


combinação de ações 1.5·AP.
MSd+: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. MSd+ : 44.41 kN·m
Já que 'λ ≤ λr', deve-se considerar viga de alma não-esbelta (ABNT NBR
32.79 ≤ 161.22
8800:2008, Anexo G).
Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre as faces h : 190.20 mm
internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λr : 161.22

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
O momento fletor resistente de cálculo MRd de vigas de alma não-esbelta
deve ser tomado como o menor valor entre os obtidos nas seguintes
secções: MRd : 56.26 kN·m
(a) Máximo momento fletor resistente de cálculo (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.4.2.2):

MRd : 86.00 kN·m

Onde:
Wx: Módulo de resistência elástico mínimo da seção Wx : 252.27 cm³
transversal em relação ao eixo de flexão.
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(b) Estado-límite último de flambagem lateral com torção, FLT (ABNT
NBR 8800:2008, Anexo G):

80.48 > 49.78

Página 60
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

80.48 ≤ 161.85

MRd : 56.26 kN·m

Onde:

λ : 80.48

Sendo:
Lb,sup: Distância entre duas seções contidas à
flambagem lateral com torção. Lb,sup : 2.500 m
ry: Raio de giração da seção em relação ao eixo
principal de inercia perpendicular ao eixo de flexão. ry : 3.11 cm

λp : 49.78

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

λr : 161.85

Sendo:
Iy: Momento de inércia da seção transversal em
relação ao eixo Y. Iy : 330.00 cm4
J: Constante de torção da seção transversal. J : 6.49 cm4
Cw: Constante de empenamento da seção
transversal. Cw : 32507.91 cm6

β1 : 0.034 cm-1

Mpl : 68.58 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 274.33 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

Mr : 44.15 kN·m
Sendo:
Wx: Módulo de resistência elástico mínimo da Wx : 252.27 cm³
seção transversal em relação ao eixo de flexão.
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
σr : 75.0 MPa
Cb: Fator de modificação para diagrama de momento
fletor não-uniforme. Cb : 1.00
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do
material. γ a1 : 1.10
(c) Estado-límite último de flambagem local da mesa comprimida,
FLM (ABNT NBR 8800:2008, Anexo G):

7.92 ≤ 10.75

Página 61
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

MRd : 62.35 kN·m

Onde:

λ : 7.92

Sendo:
bf: Largura da mesa comprimida bf : 133.00 mm
tf: Espessura da mesa comprimida. tf : 8.40 mm

λp : 10.75

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 68.58 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 274.33 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do
material. γ a1 : 1.10
(d) Estado-límite último de flambagem local da alma, FLA (ABNT NBR
8800:2008, Anexo G):

32.79 ≤ 106.35

MRd : 62.35 kN·m

Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre h : 190.20 mm
as faces internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λp : 106.35

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 68.58 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 274.33 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do
material. γ a1 : 1.10

Página 62
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência à flexão eixo Y (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2)


Deve satisfazer:

η < 0.001

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N10, para a


combinação de ações 1.5·AP.
MSd : Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. MSd : kN·m
+ +
0.01
O momento fletor resistente de cálculo MRd deve ser tomado como o menor
valor entre os obtidos nas seguintes secções: MRd : 16.41 kN·m
(a) Máximo momento fletor resistente de cálculo (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.4.2.2):

MRd : 16.92 kN·m

Onde:
Wy: Módulo de resistência elástico mínimo da seção Wy : 49.62 cm³
transversal em relação ao eixo de flexão.
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(b) Estado-límite último de flambagem local da mesa comprimida, FLM
(ABNT NBR 8800:2008, Anexo G):

7.92 ≤ 10.75

MRd : 17.25 kN·m

Onde:

λ : 7.92

Sendo:
bf: Largura da mesa comprimida bf : 133.00 mm
tf: Espessura da mesa comprimida. tf : 8.40 mm

λp : 10.75

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 18.97 kN
Onde:
Zy: Módulo de resistência plástico. Zy : 75.89 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(c) Estado-límite último de flambagem local da alma, FLA (ABNT NBR
8800:2008, Anexo G):

32.79 > 31.68

Página 63
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

32.79 ≤ 39.60

MRd : 16.41 kN·m

Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre as h : 190.20 mm
faces internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λp : 31.68

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

λr : 39.60

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 18.97 kN
Onde:
Zy: Módulo de resistência plástico. Zy : 75.89 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mr : 12.41 kN·m
Sendo:
Wef,y: Módulo de resistência mínimo elástico, relativo
ao eixo de flexão, para uma seção que tem uma
mesa comprimida de largura igual a bef dada por
F.3.2, com σ igual a fy. Wef,y : 49.62 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 64
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência ao esforço cortante X (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.3)


Deve satisfazer:

η < 0.001

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se para a combinação de


ações 1.5·AP.
VSd: Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. VSd < 0.01 kN
A força cortante resistente de cálculo, VRd, deve ser determinada pela
expressão:
7.92 ≤ 34.08

VRd : 304.69 kN

Onde:

λ : 7.92

Sendo:
bf: Largura das mesas. bf : 133.00 mm
tf: Espessura das mesas. tf : 8.40 mm

λp : 34.08

Sendo:
kv: Coeficiente de flambagem. kv : 1.20
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Vpl : 335.16 kN
Sendo:
Aw: Área efetiva de cisalhamento
Aw : 22.34 cm²
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 65
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência ao esforço cortante Y (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.3)


Deve satisfazer:

η : 0.112

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N3, para a


combinação de ações 1.5·AP.
VSd: Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. VSd : 18.26 kN
A força cortante resistente de cálculo, VRd, deve ser determinada pela
expressão:
32.79 ≤ 69.57

VRd : 163.72 kN

Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre as faces h : 190.20 mm
internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λp : 69.57

Sendo:
kv: Coeficiente de flambagem. kv : 5.00
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Vpl : 180.09 kN
Sendo:
Aw: Área efetiva de cisalhamento
Aw : 12.01 cm²
d: Altura total da seção transversal. d : 207.00 mm
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 66
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência ao esforço axial e flexão combinados (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.1.2)
Deve satisfazer:

η : 0.790

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N10, para a


combinação de ações 1.5·AP.
Nc,Sd: Força axial de compressão solicitante de cálculo, desfavorável. Nc,Sd : 0.12 kN
Mx,Sd: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. Mx,Sd : kN·m
+
44.41
My,Sd: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. My,Sd +
: 0.01 kN·m

0.000 < 0.200

η : 0.790

Onde:
Nc,Rd: Força axial resistente de cálculo de compressão (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.3). Nc,Rd : 551.38 kN
Mx,Rd,My,Rd: Momentos fletores resistentes de cálculo, Mx,Rd : kN·m
56.26
respectivamente em relação aos eixos X e Y da seção transversal
(ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2). My,Rd : 16.41 kN·m

Resistência à torção (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.2.1)


A verificação não é necessária, já que não existe momento torsor.

Resistência ao momento de torção, força axial, momento fletor e força cortante (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.5.2.2)
Não há interacção entre a esforço axial, momento flector, esforço transverso e momento torsor. Portanto,
a verificação não é necessária.

Resistência a interações de esforços e momento de torção (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.2.3)
Deve satisfazer:

η : 0.134

O coeficiente de aproveitamento desfavorável produz-se no nó N3, para a


combinação de ações 1.5·AP no ponto da seção transversal de coordenadas X
= 0.00 mm, Y = 0.00 mm em relação ao centro de gravidade.
As tensões tangenciais τSd vêm dadas por:

τSd : 16.8 MPa


Onde:

τVx,Sd : 0.0 MPa

Sendo:
Vx,Sd : Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. Vx,Sd : kN
- -
0.00

Página 67
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Sy: Momento estático, em relação ao eixo Y, da parte da secção Sy : 0.00 cm³


situada a um lado do ponto de verificação.
Iy: Momento de inércia da seção transversal em relação ao eixo
Y. Iy : 330.00 cm4
t: Espessura. t : 5.80 mm

τVy,Sd : 16.8 MPa

Sendo:
Vy,Sd-: Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. Vy,Sd- : 18.26 kN
Sx: Momento estático, em relação ao eixo X, da parte da secção Sx : 139.53 cm³
situada a um lado do ponto de verificação.
Ix: Momento de inércia da seção transversal em relação ao eixo
X. Ix : 2611.00 cm4
t: Espessura. t : 5.80 mm

τTSd : 0.0 MPa

Sendo:
TSd: Momento de torção solicitante de cálculo, desfavorável. TSd : 0.00 kN·m
J: Constante de torção da seção transversal. J : 6.49 cm4
t: Espessura. t : 5.80 mm
A tensão resistente de cálculo, τRd, é dada pelo menor valor entre os obtidos
por a) e b): τRd : 125.7 MPa
(a) Tensão resistente de cálculo para os estados-limites de escoamento
sob efeito de tensão de cisalhamento:

τRd : 136.4 MPa

Onde:
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(b) Tensão resistente de cálculo para os estados-limites de instabilidade
ou flambagem sob efeito de tensão cisalhamento:

τRd : 125.7 MPa

Onde:
χ: Fator de redução total associado à resistência à compressão
(ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.3).

χ : 0.922
Sendo:

λ0 : 0.441

τe : 770.9 MPa

σE : 154.2 MPa

Onde:

Página 68
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

kv: Coeficiente de flambagem (ABNT NBR


8800:2008, Artigo 5.4.3). kv : 5.00
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
ν: Coeficiente de Poisson. ν : 0.30
t: Espessura. t : 5.80 mm
h: Largura. h : 198.60 mm
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 69
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Barra N10/N4
Perfil: W 200 x 26,6
Material: Aço (A-36 250Mpa)
Nós Características mecânicas
Comprimento
Y
(m) Área Ix(1) Iy(1) It(2)
Inicial Final
(cm²) (cm4) (cm4) (cm4)
N10 N4 2.500 34.20 2611.00 330.00 6.49
Notas:
(1)
Inércia em relação ao eixo indicado
(2)
Momento de inércia à torção uniforme
Flambagem Flambagem lateral
X
Plano ZX Plano ZY Aba sup. Aba inf.
β 1.00 1.00 1.00 1.00
LK 2.500 2.500 2.500 2.500
Cb - 1.000
Notação:
β: Coeficiente de flambagem
LK: Comprimento de flambagem (m)
Cb: Fator de modificação para o momento crítico

Limitação do índice de esbeltez (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.4)


O índice de esbeltez das barras comprimidas, tomado como o maior relação entre
o comprimento de flambagem e o raio de giração, não deve ser superior a 200.

λ : 80.5

Onde:
λ: Índice de esbeltez.
λx : 28.6
λy : 80.5
Sendo:
Kx·Lx: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo
X. Kx·Lx : 2.500 m
Ky·Ly: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo
Y. Ky·Ly : 2.500 m
rx,ry: Raios de giração em relação aos eixos principales X, Y, rx : 8.74 cm
respectivamente. ry : 3.11 cm

Resistência à tração (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.2)


A verificação não será executada, já que não existe esforço axial de tração.

Resistência à compressão (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3)


Deve satisfazer:

η < 0.001

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se para a combinação


de ações 1.5·AP.

Página 70
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Nc,Sd: Força axial de compressão solicitante de cálculo, desfavorável. Nc,Sd : 0.12 kN


A força axial de compressão resistente de cálculo, Nc,Rd, deve ser
determinada pela expressão:

Nc,Rd : 551.38 kN

Onde:
χ: Fator de redução total associado à resistência à compressão. χ : 0.709
Q: Fator de redução total associado à flambagem local. Q : 1.000
Ag: Área bruta da seção transversal da barra. Ag : 34.20 cm²
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
Fator de redução χ: (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.3)

χ : 0.709
Onde:
λ0: Índice de esbeltez reduzido.

λ0 : 0.906

Sendo:
Q: Fator de redução total associado à flambagem
local. Q : 1.000
Ag: Área bruta da seção transversal da barra. Ag : 34.20 cm²
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Ne: Força axial de flambagem elástica. Ne : 1042.23 kN
Força axial de flambagem elástica: (ABNT NBR 8800:2008, Anexo E)
A força axial de flambagem elástica, Ne, de uma barra com seção
transversal duplamente simétrica ou simétrica em relação a um ponto, é
dada pelo menor valor entre os obtidos por (a), (b) e (c): Ne : 1042.23 kN
(a) Para flambagem por flexão em relação ao eixo principal de
inércia X da seção transversal:

Nex : 8246.25 kN

Onde:
Kx·Lx: Comprimento de flambagem por flexão em relação
ao eixo X. Kx·Lx : 2.500 m
Ix: Momento de inércia da seção transversal em relação ao
eixo X. Ix : 2611.00 cm4
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
(b) Para flambagem por flexão em relação ao eixo principal de
inércia Y da seção transversal:

Ney : 1042.23 kN

Onde:
Ky·Ly: Comprimento de flambagem por flexão em relação
ao eixo Y. Ky·Ly : 2.500 m
Iy: Momento de inércia da seção transversal em relação ao
eixo Y. Iy : 330.00 cm4

Página 71
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa


(c) Para flambagem por torção em relação ao eixo longitudinal Z:

Nez : 1775.23 kN

Onde:
Kz·Lz: Comprimento de flambagem por torção. Kz·Lz : 2.500 m
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
Cw: Constante de empenamento da seção transversal. Cw : 32507.91 cm6
G: Módulo de elasticidade transversal do aço. G : 77000 MPa
J: Constante de torção da seção transversal. J : 6.49 cm4
r0: Raio de giração polar da seção bruta em relação ao
centro de cisalhamento.

r0 : 9.27 cm

Onde:
rx,ry: Raios de giração em relação aos eixos rx : 8.74 cm
principales X, Y, respectivamente. ry : 3.11 cm
X0,Y0: Coordenadas do centro de cisalhamento na X0 : mm
0.00
direção dos eixos principales X, Y,
respectivamente. Y0 : 0.00 mm
Flambagem local de barras axialmente comprimidas: (ABNT NBR
8800:2008, Anexo F)
Não se aplica nenhuma redução, já que todos os elementos componentes
da seção transversal possuem relações entre largura e espessura (b/t)
que não superam os valores limite dados na Tabela F.1.
Mesa: Elemento do Grupo 4 da Tabela F.1.
7.92 ≤ 15.84
Sendo:
(b/t): Relação entre largura e espessura. (b/t) : 7.92
Onde:
b: Largura. b : 66.50 mm
t: Espessura. t : 8.40 mm
(b/t)lim: Relação limite entre largura e espessura.

(b/t)lim : 15.84

Onde:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Alma: Elemento do Grupo 2 da Tabela F.1.
32.79 ≤ 42.14
Sendo:
(b/t): Relação entre largura e espessura. (b/t) : 32.79
Onde:
b: Largura. b : 190.20 mm
t: Espessura. t : 5.80 mm
(b/t)lim: Relação limite entre largura e espessura.

Página 72
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

(b/t)lim : 42.14

Onde:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

Resistência à flexão eixo X (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2)


Deve satisfazer:

η : 0.789

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N10, para a


combinação de ações 1.5·AP.
MSd+: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. MSd+ : 44.41 kN·m
Já que 'λ ≤ λr', deve-se considerar viga de alma não-esbelta (ABNT NBR
32.79 ≤ 161.22
8800:2008, Anexo G).
Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre as faces h : 190.20 mm
internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λr : 161.22

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
O momento fletor resistente de cálculo MRd de vigas de alma não-esbelta
deve ser tomado como o menor valor entre os obtidos nas seguintes
secções: MRd : 56.26 kN·m
(a) Máximo momento fletor resistente de cálculo (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.4.2.2):

MRd : 86.00 kN·m

Onde:
Wx: Módulo de resistência elástico mínimo da seção Wx : 252.27 cm³
transversal em relação ao eixo de flexão.
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(b) Estado-límite último de flambagem lateral com torção, FLT (ABNT
NBR 8800:2008, Anexo G):

80.48 > 49.78

Página 73
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

80.48 ≤ 161.85

MRd : 56.26 kN·m

Onde:

λ : 80.48

Sendo:
Lb,sup: Distância entre duas seções contidas à
flambagem lateral com torção. Lb,sup : 2.500 m
ry: Raio de giração da seção em relação ao eixo
principal de inercia perpendicular ao eixo de flexão. ry : 3.11 cm

λp : 49.78

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

λr : 161.85

Sendo:
Iy: Momento de inércia da seção transversal em
relação ao eixo Y. Iy : 330.00 cm4
J: Constante de torção da seção transversal. J : 6.49 cm4
Cw: Constante de empenamento da seção
transversal. Cw : 32507.91 cm6

β1 : 0.034 cm-1

Mpl : 68.58 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 274.33 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

Mr : 44.15 kN·m
Sendo:
Wx: Módulo de resistência elástico mínimo da Wx : 252.27 cm³
seção transversal em relação ao eixo de flexão.
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
σr : 75.0 MPa
Cb: Fator de modificação para diagrama de momento
fletor não-uniforme. Cb : 1.00
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do
material. γ a1 : 1.10
(c) Estado-límite último de flambagem local da mesa comprimida,
FLM (ABNT NBR 8800:2008, Anexo G):

7.92 ≤ 10.75

Página 74
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

MRd : 62.35 kN·m

Onde:

λ : 7.92

Sendo:
bf: Largura da mesa comprimida bf : 133.00 mm
tf: Espessura da mesa comprimida. tf : 8.40 mm

λp : 10.75

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 68.58 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 274.33 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do
material. γ a1 : 1.10
(d) Estado-límite último de flambagem local da alma, FLA (ABNT NBR
8800:2008, Anexo G):

32.79 ≤ 106.35

MRd : 62.35 kN·m

Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre h : 190.20 mm
as faces internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λp : 106.35

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 68.58 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 274.33 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do
material. γ a1 : 1.10

Página 75
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência à flexão eixo Y (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2)


Deve satisfazer:

η < 0.001

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N10, para a


combinação de ações 1.5·AP.
MSd : Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. MSd : kN·m
+ +
0.01
O momento fletor resistente de cálculo MRd deve ser tomado como o menor
valor entre os obtidos nas seguintes secções: MRd : 16.41 kN·m
(a) Máximo momento fletor resistente de cálculo (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.4.2.2):

MRd : 16.92 kN·m

Onde:
Wy: Módulo de resistência elástico mínimo da seção Wy : 49.62 cm³
transversal em relação ao eixo de flexão.
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(b) Estado-límite último de flambagem local da mesa comprimida, FLM
(ABNT NBR 8800:2008, Anexo G):

7.92 ≤ 10.75

MRd : 17.25 kN·m

Onde:

λ : 7.92

Sendo:
bf: Largura da mesa comprimida bf : 133.00 mm
tf: Espessura da mesa comprimida. tf : 8.40 mm

λp : 10.75

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 18.97 kN
Onde:
Zy: Módulo de resistência plástico. Zy : 75.89 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(c) Estado-límite último de flambagem local da alma, FLA (ABNT NBR
8800:2008, Anexo G):

32.79 > 31.68

Página 76
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

32.79 ≤ 39.60

MRd : 16.41 kN·m

Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre as h : 190.20 mm
faces internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λp : 31.68

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

λr : 39.60

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 18.97 kN
Onde:
Zy: Módulo de resistência plástico. Zy : 75.89 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mr : 12.41 kN·m
Sendo:
Wef,y: Módulo de resistência mínimo elástico, relativo
ao eixo de flexão, para uma seção que tem uma
mesa comprimida de largura igual a bef dada por
F.3.2, com σ igual a fy. Wef,y : 49.62 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 77
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência ao esforço cortante X (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.3)


Deve satisfazer:

η < 0.001

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se para a combinação de


ações 1.5·AP.
VSd: Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. VSd < 0.01 kN
A força cortante resistente de cálculo, VRd, deve ser determinada pela
expressão:
7.92 ≤ 34.08

VRd : 304.69 kN

Onde:

λ : 7.92

Sendo:
bf: Largura das mesas. bf : 133.00 mm
tf: Espessura das mesas. tf : 8.40 mm

λp : 34.08

Sendo:
kv: Coeficiente de flambagem. kv : 1.20
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Vpl : 335.16 kN
Sendo:
Aw: Área efetiva de cisalhamento
Aw : 22.34 cm²
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 78
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência ao esforço cortante Y (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.3)


Deve satisfazer:

η : 0.112

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N4, para a


combinação de ações 1.5·AP.
VSd: Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. VSd : 18.26 kN
A força cortante resistente de cálculo, VRd, deve ser determinada pela
expressão:
32.79 ≤ 69.57

VRd : 163.72 kN

Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre as faces h : 190.20 mm
internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λp : 69.57

Sendo:
kv: Coeficiente de flambagem. kv : 5.00
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Vpl : 180.09 kN
Sendo:
Aw: Área efetiva de cisalhamento
Aw : 12.01 cm²
d: Altura total da seção transversal. d : 207.00 mm
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 79
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência ao esforço axial e flexão combinados (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.1.2)
Deve satisfazer:

η : 0.790

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N10, para a


combinação de ações 1.5·AP.
Nc,Sd: Força axial de compressão solicitante de cálculo, desfavorável. Nc,Sd : 0.12 kN
Mx,Sd: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. Mx,Sd : kN·m
+
44.41
My,Sd: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. My,Sd +
: 0.01 kN·m

0.000 < 0.200

η : 0.790

Onde:
Nc,Rd: Força axial resistente de cálculo de compressão (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.3). Nc,Rd : 551.38 kN
Mx,Rd,My,Rd: Momentos fletores resistentes de cálculo, Mx,Rd : kN·m
56.26
respectivamente em relação aos eixos X e Y da seção transversal
(ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2). My,Rd : 16.41 kN·m

Resistência à torção (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.2.1)


A verificação não é necessária, já que não existe momento torsor.

Resistência ao momento de torção, força axial, momento fletor e força cortante (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.5.2.2)
Não há interacção entre a esforço axial, momento flector, esforço transverso e momento torsor. Portanto,
a verificação não é necessária.

Resistência a interações de esforços e momento de torção (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.2.3)
Deve satisfazer:

η : 0.134

O coeficiente de aproveitamento desfavorável produz-se no nó N4, para a


combinação de ações 1.5·AP no ponto da seção transversal de coordenadas X
= 0.00 mm, Y = 0.00 mm em relação ao centro de gravidade.
As tensões tangenciais τSd vêm dadas por:

τSd : -16.8 MPa


Onde:

τVx,Sd : 0.0 MPa

Sendo:
Vx,Sd : Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. Vx,Sd : kN
+ +
0.00

Página 80
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Sy: Momento estático, em relação ao eixo Y, da parte da secção Sy : 0.00 cm³


situada a um lado do ponto de verificação.
Iy: Momento de inércia da seção transversal em relação ao eixo
Y. Iy : 330.00 cm4
t: Espessura. t : 5.80 mm

τVy,Sd : -16.8 MPa

Sendo:
Vy,Sd+: Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. Vy,Sd+ : 18.26 kN
Sx: Momento estático, em relação ao eixo X, da parte da secção Sx : 139.53 cm³
situada a um lado do ponto de verificação.
Ix: Momento de inércia da seção transversal em relação ao eixo
X. Ix : 2611.00 cm4
t: Espessura. t : 5.80 mm

τTSd : 0.0 MPa

Sendo:
TSd: Momento de torção solicitante de cálculo, desfavorável. TSd : 0.00 kN·m
J: Constante de torção da seção transversal. J : 6.49 cm4
t: Espessura. t : 5.80 mm
A tensão resistente de cálculo, τRd, é dada pelo menor valor entre os obtidos
por a) e b): τRd : 125.7 MPa
(a) Tensão resistente de cálculo para os estados-limites de escoamento
sob efeito de tensão de cisalhamento:

τRd : 136.4 MPa

Onde:
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(b) Tensão resistente de cálculo para os estados-limites de instabilidade
ou flambagem sob efeito de tensão cisalhamento:

τRd : 125.7 MPa

Onde:
χ: Fator de redução total associado à resistência à compressão
(ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.3).

χ : 0.922
Sendo:

λ0 : 0.441

τe : 770.9 MPa

σE : 154.2 MPa

Onde:

Página 81
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

kv: Coeficiente de flambagem (ABNT NBR


8800:2008, Artigo 5.4.3). kv : 5.00
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
ν: Coeficiente de Poisson. ν : 0.30
t: Espessura. t : 5.80 mm
h: Largura. h : 198.60 mm
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 82
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Barra N1/N7
Perfil: W 200 x 26,6
Material: Aço (A-36 250Mpa)
Nós Características mecânicas
Comprimento
Y
(m) Área Ix(1) Iy(1) It(2)
Inicial Final
(cm²) (cm4) (cm4) (cm4)
N1 N7 2.500 34.20 2611.00 330.00 6.49
Notas:
(1)
Inércia em relação ao eixo indicado
(2)
Momento de inércia à torção uniforme
Flambagem Flambagem lateral
X
Plano ZX Plano ZY Aba sup. Aba inf.
β 1.00 1.00 1.00 1.00
LK 2.500 2.500 2.500 2.500
Cb - 1.000
Notação:
β: Coeficiente de flambagem
LK: Comprimento de flambagem (m)
Cb: Fator de modificação para o momento crítico

Limitação do índice de esbeltez (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.4)


O índice de esbeltez das barras comprimidas, tomado como o maior relação entre
o comprimento de flambagem e o raio de giração, não deve ser superior a 200.

λ : 80.5

Onde:
λ: Índice de esbeltez.
λx : 28.6
λy : 80.5
Sendo:
Kx·Lx: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo
X. Kx·Lx : 2.500 m
Ky·Ly: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo
Y. Ky·Ly : 2.500 m
rx,ry: Raios de giração em relação aos eixos principales X, Y, rx : 8.74 cm
respectivamente. ry : 3.11 cm

Resistência à tração (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.2)


A verificação não será executada, já que não existe esforço axial de tração.

Resistência à compressão (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3)


Deve satisfazer:

η < 0.001

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se para a combinação


de ações 1.5·AP.

Página 83
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Nc,Sd: Força axial de compressão solicitante de cálculo, desfavorável. Nc,Sd : 0.12 kN


A força axial de compressão resistente de cálculo, Nc,Rd, deve ser
determinada pela expressão:

Nc,Rd : 551.38 kN

Onde:
χ: Fator de redução total associado à resistência à compressão. χ : 0.709
Q: Fator de redução total associado à flambagem local. Q : 1.000
Ag: Área bruta da seção transversal da barra. Ag : 34.20 cm²
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
Fator de redução χ: (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.3)

χ : 0.709
Onde:
λ0: Índice de esbeltez reduzido.

λ0 : 0.906

Sendo:
Q: Fator de redução total associado à flambagem
local. Q : 1.000
Ag: Área bruta da seção transversal da barra. Ag : 34.20 cm²
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Ne: Força axial de flambagem elástica. Ne : 1042.23 kN
Força axial de flambagem elástica: (ABNT NBR 8800:2008, Anexo E)
A força axial de flambagem elástica, Ne, de uma barra com seção
transversal duplamente simétrica ou simétrica em relação a um ponto, é
dada pelo menor valor entre os obtidos por (a), (b) e (c): Ne : 1042.23 kN
(a) Para flambagem por flexão em relação ao eixo principal de
inércia X da seção transversal:

Nex : 8246.25 kN

Onde:
Kx·Lx: Comprimento de flambagem por flexão em relação
ao eixo X. Kx·Lx : 2.500 m
Ix: Momento de inércia da seção transversal em relação ao
eixo X. Ix : 2611.00 cm4
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
(b) Para flambagem por flexão em relação ao eixo principal de
inércia Y da seção transversal:

Ney : 1042.23 kN

Onde:
Ky·Ly: Comprimento de flambagem por flexão em relação
ao eixo Y. Ky·Ly : 2.500 m
Iy: Momento de inércia da seção transversal em relação ao
eixo Y. Iy : 330.00 cm4

Página 84
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa


(c) Para flambagem por torção em relação ao eixo longitudinal Z:

Nez : 1775.23 kN

Onde:
Kz·Lz: Comprimento de flambagem por torção. Kz·Lz : 2.500 m
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
Cw: Constante de empenamento da seção transversal. Cw : 32507.91 cm6
G: Módulo de elasticidade transversal do aço. G : 77000 MPa
J: Constante de torção da seção transversal. J : 6.49 cm4
r0: Raio de giração polar da seção bruta em relação ao
centro de cisalhamento.

r0 : 9.27 cm

Onde:
rx,ry: Raios de giração em relação aos eixos rx : 8.74 cm
principales X, Y, respectivamente. ry : 3.11 cm
X0,Y0: Coordenadas do centro de cisalhamento na X0 : mm
0.00
direção dos eixos principales X, Y,
respectivamente. Y0 : 0.00 mm
Flambagem local de barras axialmente comprimidas: (ABNT NBR
8800:2008, Anexo F)
Não se aplica nenhuma redução, já que todos os elementos componentes
da seção transversal possuem relações entre largura e espessura (b/t)
que não superam os valores limite dados na Tabela F.1.
Mesa: Elemento do Grupo 4 da Tabela F.1.
7.92 ≤ 15.84
Sendo:
(b/t): Relação entre largura e espessura. (b/t) : 7.92
Onde:
b: Largura. b : 66.50 mm
t: Espessura. t : 8.40 mm
(b/t)lim: Relação limite entre largura e espessura.

(b/t)lim : 15.84

Onde:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Alma: Elemento do Grupo 2 da Tabela F.1.
32.79 ≤ 42.14
Sendo:
(b/t): Relação entre largura e espessura. (b/t) : 32.79
Onde:
b: Largura. b : 190.20 mm
t: Espessura. t : 5.80 mm
(b/t)lim: Relação limite entre largura e espessura.

Página 85
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

(b/t)lim : 42.14

Onde:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

Resistência à flexão eixo X (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2)


Deve satisfazer:

η : 0.789

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N7, para a


combinação de ações 1.5·AP.
MSd+: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. MSd+ : 44.41 kN·m
Já que 'λ ≤ λr', deve-se considerar viga de alma não-esbelta (ABNT NBR
32.79 ≤ 161.22
8800:2008, Anexo G).
Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre as faces h : 190.20 mm
internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λr : 161.22

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
O momento fletor resistente de cálculo MRd de vigas de alma não-esbelta
deve ser tomado como o menor valor entre os obtidos nas seguintes
secções: MRd : 56.26 kN·m
(a) Máximo momento fletor resistente de cálculo (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.4.2.2):

MRd : 86.00 kN·m

Onde:
Wx: Módulo de resistência elástico mínimo da seção Wx : 252.27 cm³
transversal em relação ao eixo de flexão.
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(b) Estado-límite último de flambagem lateral com torção, FLT (ABNT
NBR 8800:2008, Anexo G):

80.48 > 49.78

Página 86
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

80.48 ≤ 161.85

MRd : 56.26 kN·m

Onde:

λ : 80.48

Sendo:
Lb,sup: Distância entre duas seções contidas à
flambagem lateral com torção. Lb,sup : 2.500 m
ry: Raio de giração da seção em relação ao eixo
principal de inercia perpendicular ao eixo de flexão. ry : 3.11 cm

λp : 49.78

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

λr : 161.85

Sendo:
Iy: Momento de inércia da seção transversal em
relação ao eixo Y. Iy : 330.00 cm4
J: Constante de torção da seção transversal. J : 6.49 cm4
Cw: Constante de empenamento da seção
transversal. Cw : 32507.91 cm6

β1 : 0.034 cm-1

Mpl : 68.58 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 274.33 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

Mr : 44.15 kN·m
Sendo:
Wx: Módulo de resistência elástico mínimo da Wx : 252.27 cm³
seção transversal em relação ao eixo de flexão.
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
σr : 75.0 MPa
Cb: Fator de modificação para diagrama de momento
fletor não-uniforme. Cb : 1.00
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do
material. γ a1 : 1.10
(c) Estado-límite último de flambagem local da mesa comprimida,
FLM (ABNT NBR 8800:2008, Anexo G):

7.92 ≤ 10.75

Página 87
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

MRd : 62.35 kN·m

Onde:

λ : 7.92

Sendo:
bf: Largura da mesa comprimida bf : 133.00 mm
tf: Espessura da mesa comprimida. tf : 8.40 mm

λp : 10.75

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 68.58 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 274.33 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do
material. γ a1 : 1.10
(d) Estado-límite último de flambagem local da alma, FLA (ABNT NBR
8800:2008, Anexo G):

32.79 ≤ 106.35

MRd : 62.35 kN·m

Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre h : 190.20 mm
as faces internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λp : 106.35

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 68.58 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 274.33 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do
material. γ a1 : 1.10

Página 88
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência à flexão eixo Y (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2)


Deve satisfazer:

η < 0.001

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N7, para a


combinação de ações 1.5·AP.
MSd : Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. MSd : kN·m
- -
0.01
O momento fletor resistente de cálculo MRd deve ser tomado como o menor
valor entre os obtidos nas seguintes secções: MRd : 16.41 kN·m
(a) Máximo momento fletor resistente de cálculo (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.4.2.2):

MRd : 16.92 kN·m

Onde:
Wy: Módulo de resistência elástico mínimo da seção Wy : 49.62 cm³
transversal em relação ao eixo de flexão.
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(b) Estado-límite último de flambagem local da mesa comprimida, FLM
(ABNT NBR 8800:2008, Anexo G):

7.92 ≤ 10.75

MRd : 17.25 kN·m

Onde:

λ : 7.92

Sendo:
bf: Largura da mesa comprimida bf : 133.00 mm
tf: Espessura da mesa comprimida. tf : 8.40 mm

λp : 10.75

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 18.97 kN
Onde:
Zy: Módulo de resistência plástico. Zy : 75.89 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(c) Estado-límite último de flambagem local da alma, FLA (ABNT NBR
8800:2008, Anexo G):

32.79 > 31.68

Página 89
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

32.79 ≤ 39.60

MRd : 16.41 kN·m

Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre as h : 190.20 mm
faces internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λp : 31.68

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

λr : 39.60

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 18.97 kN
Onde:
Zy: Módulo de resistência plástico. Zy : 75.89 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mr : 12.41 kN·m
Sendo:
Wef,y: Módulo de resistência mínimo elástico, relativo
ao eixo de flexão, para uma seção que tem uma
mesa comprimida de largura igual a bef dada por
F.3.2, com σ igual a fy. Wef,y : 49.62 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 90
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência ao esforço cortante X (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.3)


Deve satisfazer:

η < 0.001

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se para a combinação de


ações 1.5·AP.
VSd: Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. VSd < 0.01 kN
A força cortante resistente de cálculo, VRd, deve ser determinada pela
expressão:
7.92 ≤ 34.08

VRd : 304.69 kN

Onde:

λ : 7.92

Sendo:
bf: Largura das mesas. bf : 133.00 mm
tf: Espessura das mesas. tf : 8.40 mm

λp : 34.08

Sendo:
kv: Coeficiente de flambagem. kv : 1.20
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Vpl : 335.16 kN
Sendo:
Aw: Área efetiva de cisalhamento
Aw : 22.34 cm²
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 91
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência ao esforço cortante Y (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.3)


Deve satisfazer:

η : 0.112

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N1, para a


combinação de ações 1.5·AP.
VSd: Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. VSd : 18.26 kN
A força cortante resistente de cálculo, VRd, deve ser determinada pela
expressão:
32.79 ≤ 69.57

VRd : 163.72 kN

Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre as faces h : 190.20 mm
internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λp : 69.57

Sendo:
kv: Coeficiente de flambagem. kv : 5.00
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Vpl : 180.09 kN
Sendo:
Aw: Área efetiva de cisalhamento
Aw : 12.01 cm²
d: Altura total da seção transversal. d : 207.00 mm
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 92
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência ao esforço axial e flexão combinados (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.1.2)
Deve satisfazer:

η : 0.790

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N7, para a


combinação de ações 1.5·AP.
Nc,Sd: Força axial de compressão solicitante de cálculo, desfavorável. Nc,Sd : 0.12 kN
Mx,Sd: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. Mx,Sd : kN·m
+
44.41
My,Sd: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. My,Sd : -
0.01 kN·m

0.000 < 0.200

η : 0.790

Onde:
Nc,Rd: Força axial resistente de cálculo de compressão (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.3). Nc,Rd : 551.38 kN
Mx,Rd,My,Rd: Momentos fletores resistentes de cálculo, Mx,Rd : kN·m
56.26
respectivamente em relação aos eixos X e Y da seção transversal
(ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2). My,Rd : 16.41 kN·m

Resistência à torção (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.2.1)


A verificação não é necessária, já que não existe momento torsor.

Resistência ao momento de torção, força axial, momento fletor e força cortante (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.5.2.2)
Não há interacção entre a esforço axial, momento flector, esforço transverso e momento torsor. Portanto,
a verificação não é necessária.

Resistência a interações de esforços e momento de torção (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.2.3)
Deve satisfazer:

η : 0.134

O coeficiente de aproveitamento desfavorável produz-se no nó N1, para a


combinação de ações 1.5·AP no ponto da seção transversal de coordenadas X
= 0.00 mm, Y = 0.00 mm em relação ao centro de gravidade.
As tensões tangenciais τSd vêm dadas por:

τSd : 16.8 MPa


Onde:

τVx,Sd : 0.0 MPa

Sendo:
Vx,Sd : Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. Vx,Sd : kN
+ +
0.00

Página 93
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Sy: Momento estático, em relação ao eixo Y, da parte da secção Sy : 0.00 cm³


situada a um lado do ponto de verificação.
Iy: Momento de inércia da seção transversal em relação ao eixo
Y. Iy : 330.00 cm4
t: Espessura. t : 5.80 mm

τVy,Sd : 16.8 MPa

Sendo:
Vy,Sd-: Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. Vy,Sd- : 18.26 kN
Sx: Momento estático, em relação ao eixo X, da parte da secção Sx : 139.53 cm³
situada a um lado do ponto de verificação.
Ix: Momento de inércia da seção transversal em relação ao eixo
X. Ix : 2611.00 cm4
t: Espessura. t : 5.80 mm

τTSd : 0.0 MPa

Sendo:
TSd: Momento de torção solicitante de cálculo, desfavorável. TSd : 0.00 kN·m
J: Constante de torção da seção transversal. J : 6.49 cm4
t: Espessura. t : 5.80 mm
A tensão resistente de cálculo, τRd, é dada pelo menor valor entre os obtidos
por a) e b): τRd : 125.7 MPa
(a) Tensão resistente de cálculo para os estados-limites de escoamento
sob efeito de tensão de cisalhamento:

τRd : 136.4 MPa

Onde:
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(b) Tensão resistente de cálculo para os estados-limites de instabilidade
ou flambagem sob efeito de tensão cisalhamento:

τRd : 125.7 MPa

Onde:
χ: Fator de redução total associado à resistência à compressão
(ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.3).

χ : 0.922
Sendo:

λ0 : 0.441

τe : 770.9 MPa

σE : 154.2 MPa

Onde:

Página 94
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

kv: Coeficiente de flambagem (ABNT NBR


8800:2008, Artigo 5.4.3). kv : 5.00
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
ν: Coeficiente de Poisson. ν : 0.30
t: Espessura. t : 5.80 mm
h: Largura. h : 198.60 mm
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 95
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Barra N6/N9
Perfil: W 200 x 26,6
Material: Aço (A-36 250Mpa)
Nós Características mecânicas
Comprimento
Y
(m) Área Ix(1) Iy(1) It(2)
Inicial Final
(cm²) (cm4) (cm4) (cm4)
N6 N9 2.500 34.20 2611.00 330.00 6.49
Notas:
(1)
Inércia em relação ao eixo indicado
(2)
Momento de inércia à torção uniforme
Flambagem Flambagem lateral
X
Plano ZX Plano ZY Aba sup. Aba inf.
β 1.00 1.00 1.00 1.00
LK 2.500 2.500 2.500 2.500
Cb - 1.000
Notação:
β: Coeficiente de flambagem
LK: Comprimento de flambagem (m)
Cb: Fator de modificação para o momento crítico

Limitação do índice de esbeltez (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.4)


O índice de esbeltez das barras comprimidas, tomado como o maior relação entre
o comprimento de flambagem e o raio de giração, não deve ser superior a 200.

λ : 80.5

Onde:
λ: Índice de esbeltez.
λx : 28.6
λy : 80.5
Sendo:
Kx·Lx: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo
X. Kx·Lx : 2.500 m
Ky·Ly: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo
Y. Ky·Ly : 2.500 m
rx,ry: Raios de giração em relação aos eixos principales X, Y, rx : 8.74 cm
respectivamente. ry : 3.11 cm

Resistência à tração (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.2)


A verificação não será executada, já que não existe esforço axial de tração.

Resistência à compressão (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3)


Deve satisfazer:

η < 0.001

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se para a combinação


de ações 1.5·AP.

Página 96
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Nc,Sd: Força axial de compressão solicitante de cálculo, desfavorável. Nc,Sd : 0.12 kN


A força axial de compressão resistente de cálculo, Nc,Rd, deve ser
determinada pela expressão:

Nc,Rd : 551.38 kN

Onde:
χ: Fator de redução total associado à resistência à compressão. χ : 0.709
Q: Fator de redução total associado à flambagem local. Q : 1.000
Ag: Área bruta da seção transversal da barra. Ag : 34.20 cm²
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
Fator de redução χ: (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.3)

χ : 0.709
Onde:
λ0: Índice de esbeltez reduzido.

λ0 : 0.906

Sendo:
Q: Fator de redução total associado à flambagem
local. Q : 1.000
Ag: Área bruta da seção transversal da barra. Ag : 34.20 cm²
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Ne: Força axial de flambagem elástica. Ne : 1042.23 kN
Força axial de flambagem elástica: (ABNT NBR 8800:2008, Anexo E)
A força axial de flambagem elástica, Ne, de uma barra com seção
transversal duplamente simétrica ou simétrica em relação a um ponto, é
dada pelo menor valor entre os obtidos por (a), (b) e (c): Ne : 1042.23 kN
(a) Para flambagem por flexão em relação ao eixo principal de
inércia X da seção transversal:

Nex : 8246.25 kN

Onde:
Kx·Lx: Comprimento de flambagem por flexão em relação
ao eixo X. Kx·Lx : 2.500 m
Ix: Momento de inércia da seção transversal em relação ao
eixo X. Ix : 2611.00 cm4
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
(b) Para flambagem por flexão em relação ao eixo principal de
inércia Y da seção transversal:

Ney : 1042.23 kN

Onde:
Ky·Ly: Comprimento de flambagem por flexão em relação
ao eixo Y. Ky·Ly : 2.500 m
Iy: Momento de inércia da seção transversal em relação ao
eixo Y. Iy : 330.00 cm4

Página 97
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa


(c) Para flambagem por torção em relação ao eixo longitudinal Z:

Nez : 1775.23 kN

Onde:
Kz·Lz: Comprimento de flambagem por torção. Kz·Lz : 2.500 m
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
Cw: Constante de empenamento da seção transversal. Cw : 32507.91 cm6
G: Módulo de elasticidade transversal do aço. G : 77000 MPa
J: Constante de torção da seção transversal. J : 6.49 cm4
r0: Raio de giração polar da seção bruta em relação ao
centro de cisalhamento.

r0 : 9.27 cm

Onde:
rx,ry: Raios de giração em relação aos eixos rx : 8.74 cm
principales X, Y, respectivamente. ry : 3.11 cm
X0,Y0: Coordenadas do centro de cisalhamento na X0 : mm
0.00
direção dos eixos principales X, Y,
respectivamente. Y0 : 0.00 mm
Flambagem local de barras axialmente comprimidas: (ABNT NBR
8800:2008, Anexo F)
Não se aplica nenhuma redução, já que todos os elementos componentes
da seção transversal possuem relações entre largura e espessura (b/t)
que não superam os valores limite dados na Tabela F.1.
Mesa: Elemento do Grupo 4 da Tabela F.1.
7.92 ≤ 15.84
Sendo:
(b/t): Relação entre largura e espessura. (b/t) : 7.92
Onde:
b: Largura. b : 66.50 mm
t: Espessura. t : 8.40 mm
(b/t)lim: Relação limite entre largura e espessura.

(b/t)lim : 15.84

Onde:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Alma: Elemento do Grupo 2 da Tabela F.1.
32.79 ≤ 42.14
Sendo:
(b/t): Relação entre largura e espessura. (b/t) : 32.79
Onde:
b: Largura. b : 190.20 mm
t: Espessura. t : 5.80 mm
(b/t)lim: Relação limite entre largura e espessura.

Página 98
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

(b/t)lim : 42.14

Onde:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

Resistência à flexão eixo X (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2)


Deve satisfazer:

η : 0.789

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N9, para a


combinação de ações 1.5·AP.
MSd+: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. MSd+ : 44.41 kN·m
Já que 'λ ≤ λr', deve-se considerar viga de alma não-esbelta (ABNT NBR
32.79 ≤ 161.22
8800:2008, Anexo G).
Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre as faces h : 190.20 mm
internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λr : 161.22

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
O momento fletor resistente de cálculo MRd de vigas de alma não-esbelta
deve ser tomado como o menor valor entre os obtidos nas seguintes
secções: MRd : 56.26 kN·m
(a) Máximo momento fletor resistente de cálculo (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.4.2.2):

MRd : 86.00 kN·m

Onde:
Wx: Módulo de resistência elástico mínimo da seção Wx : 252.27 cm³
transversal em relação ao eixo de flexão.
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(b) Estado-límite último de flambagem lateral com torção, FLT (ABNT
NBR 8800:2008, Anexo G):

80.48 > 49.78

Página 99
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

80.48 ≤ 161.85

MRd : 56.26 kN·m

Onde:

λ : 80.48

Sendo:
Lb,sup: Distância entre duas seções contidas à
flambagem lateral com torção. Lb,sup : 2.500 m
ry: Raio de giração da seção em relação ao eixo
principal de inercia perpendicular ao eixo de flexão. ry : 3.11 cm

λp : 49.78

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

λr : 161.85

Sendo:
Iy: Momento de inércia da seção transversal em
relação ao eixo Y. Iy : 330.00 cm4
J: Constante de torção da seção transversal. J : 6.49 cm4
Cw: Constante de empenamento da seção
transversal. Cw : 32507.91 cm6

β1 : 0.034 cm-1

Mpl : 68.58 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 274.33 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

Mr : 44.15 kN·m
Sendo:
Wx: Módulo de resistência elástico mínimo da Wx : 252.27 cm³
seção transversal em relação ao eixo de flexão.
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
σr : 75.0 MPa
Cb: Fator de modificação para diagrama de momento
fletor não-uniforme. Cb : 1.00
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do
material. γ a1 : 1.10
(c) Estado-límite último de flambagem local da mesa comprimida,
FLM (ABNT NBR 8800:2008, Anexo G):

7.92 ≤ 10.75

Página 100
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

MRd : 62.35 kN·m

Onde:

λ : 7.92

Sendo:
bf: Largura da mesa comprimida bf : 133.00 mm
tf: Espessura da mesa comprimida. tf : 8.40 mm

λp : 10.75

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 68.58 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 274.33 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do
material. γ a1 : 1.10
(d) Estado-límite último de flambagem local da alma, FLA (ABNT NBR
8800:2008, Anexo G):

32.79 ≤ 106.35

MRd : 62.35 kN·m

Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre h : 190.20 mm
as faces internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λp : 106.35

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 68.58 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 274.33 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do
material. γ a1 : 1.10

Página 101
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência à flexão eixo Y (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2)


Deve satisfazer:

η < 0.001

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N9, para a


combinação de ações 1.5·AP.
MSd : Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. MSd : kN·m
- -
0.01
O momento fletor resistente de cálculo MRd deve ser tomado como o menor
valor entre os obtidos nas seguintes secções: MRd : 16.41 kN·m
(a) Máximo momento fletor resistente de cálculo (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.4.2.2):

MRd : 16.92 kN·m

Onde:
Wy: Módulo de resistência elástico mínimo da seção Wy : 49.62 cm³
transversal em relação ao eixo de flexão.
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(b) Estado-límite último de flambagem local da mesa comprimida, FLM
(ABNT NBR 8800:2008, Anexo G):

7.92 ≤ 10.75

MRd : 17.25 kN·m

Onde:

λ : 7.92

Sendo:
bf: Largura da mesa comprimida bf : 133.00 mm
tf: Espessura da mesa comprimida. tf : 8.40 mm

λp : 10.75

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 18.97 kN
Onde:
Zy: Módulo de resistência plástico. Zy : 75.89 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(c) Estado-límite último de flambagem local da alma, FLA (ABNT NBR
8800:2008, Anexo G):

32.79 > 31.68

Página 102
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

32.79 ≤ 39.60

MRd : 16.41 kN·m

Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre as h : 190.20 mm
faces internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λp : 31.68

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

λr : 39.60

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 18.97 kN
Onde:
Zy: Módulo de resistência plástico. Zy : 75.89 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mr : 12.41 kN·m
Sendo:
Wef,y: Módulo de resistência mínimo elástico, relativo
ao eixo de flexão, para uma seção que tem uma
mesa comprimida de largura igual a bef dada por
F.3.2, com σ igual a fy. Wef,y : 49.62 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 103
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência ao esforço cortante X (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.3)


Deve satisfazer:

η < 0.001

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se para a combinação de


ações 1.5·AP.
VSd: Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. VSd < 0.01 kN
A força cortante resistente de cálculo, VRd, deve ser determinada pela
expressão:
7.92 ≤ 34.08

VRd : 304.69 kN

Onde:

λ : 7.92

Sendo:
bf: Largura das mesas. bf : 133.00 mm
tf: Espessura das mesas. tf : 8.40 mm

λp : 34.08

Sendo:
kv: Coeficiente de flambagem. kv : 1.20
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Vpl : 335.16 kN
Sendo:
Aw: Área efetiva de cisalhamento
Aw : 22.34 cm²
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 104
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência ao esforço cortante Y (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.3)


Deve satisfazer:

η : 0.112

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N6, para a


combinação de ações 1.5·AP.
VSd: Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. VSd : 18.26 kN
A força cortante resistente de cálculo, VRd, deve ser determinada pela
expressão:
32.79 ≤ 69.57

VRd : 163.72 kN

Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre as faces h : 190.20 mm
internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λp : 69.57

Sendo:
kv: Coeficiente de flambagem. kv : 5.00
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Vpl : 180.09 kN
Sendo:
Aw: Área efetiva de cisalhamento
Aw : 12.01 cm²
d: Altura total da seção transversal. d : 207.00 mm
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 105
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência ao esforço axial e flexão combinados (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.1.2)
Deve satisfazer:

η : 0.790

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N9, para a


combinação de ações 1.5·AP.
Nc,Sd: Força axial de compressão solicitante de cálculo, desfavorável. Nc,Sd : 0.12 kN
Mx,Sd: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. Mx,Sd : kN·m
+
44.41
My,Sd: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. My,Sd : -
0.01 kN·m

0.000 < 0.200

η : 0.790

Onde:
Nc,Rd: Força axial resistente de cálculo de compressão (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.3). Nc,Rd : 551.38 kN
Mx,Rd,My,Rd: Momentos fletores resistentes de cálculo, Mx,Rd : kN·m
56.26
respectivamente em relação aos eixos X e Y da seção transversal
(ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2). My,Rd : 16.41 kN·m

Resistência à torção (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.2.1)


A verificação não é necessária, já que não existe momento torsor.

Resistência ao momento de torção, força axial, momento fletor e força cortante (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.5.2.2)
Não há interacção entre a esforço axial, momento flector, esforço transverso e momento torsor. Portanto,
a verificação não é necessária.

Resistência a interações de esforços e momento de torção (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.2.3)
Deve satisfazer:

η : 0.134

O coeficiente de aproveitamento desfavorável produz-se no nó N6, para a


combinação de ações 1.5·AP no ponto da seção transversal de coordenadas X
= 0.00 mm, Y = 0.00 mm em relação ao centro de gravidade.
As tensões tangenciais τSd vêm dadas por:

τSd : 16.8 MPa


Onde:

τVx,Sd : 0.0 MPa

Sendo:
Vx,Sd : Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. Vx,Sd : kN
+ +
0.00

Página 106
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Sy: Momento estático, em relação ao eixo Y, da parte da secção Sy : 0.00 cm³


situada a um lado do ponto de verificação.
Iy: Momento de inércia da seção transversal em relação ao eixo
Y. Iy : 330.00 cm4
t: Espessura. t : 5.80 mm

τVy,Sd : 16.8 MPa

Sendo:
Vy,Sd-: Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. Vy,Sd- : 18.26 kN
Sx: Momento estático, em relação ao eixo X, da parte da secção Sx : 139.53 cm³
situada a um lado do ponto de verificação.
Ix: Momento de inércia da seção transversal em relação ao eixo
X. Ix : 2611.00 cm4
t: Espessura. t : 5.80 mm

τTSd : 0.0 MPa

Sendo:
TSd: Momento de torção solicitante de cálculo, desfavorável. TSd : 0.00 kN·m
J: Constante de torção da seção transversal. J : 6.49 cm4
t: Espessura. t : 5.80 mm
A tensão resistente de cálculo, τRd, é dada pelo menor valor entre os obtidos
por a) e b): τRd : 125.7 MPa
(a) Tensão resistente de cálculo para os estados-limites de escoamento
sob efeito de tensão de cisalhamento:

τRd : 136.4 MPa

Onde:
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(b) Tensão resistente de cálculo para os estados-limites de instabilidade
ou flambagem sob efeito de tensão cisalhamento:

τRd : 125.7 MPa

Onde:
χ: Fator de redução total associado à resistência à compressão
(ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.3).

χ : 0.922
Sendo:

λ0 : 0.441

τe : 770.9 MPa

σE : 154.2 MPa

Onde:

Página 107
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

kv: Coeficiente de flambagem (ABNT NBR


8800:2008, Artigo 5.4.3). kv : 5.00
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
ν: Coeficiente de Poisson. ν : 0.30
t: Espessura. t : 5.80 mm
h: Largura. h : 198.60 mm
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 108
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Barra N9/N5
Perfil: W 200 x 26,6
Material: Aço (A-36 250Mpa)
Nós Características mecânicas
Comprimento
Y
(m) Área Ix(1) Iy(1) It(2)
Inicial Final
(cm²) (cm4) (cm4) (cm4)
N9 N5 2.500 34.20 2611.00 330.00 6.49
Notas:
(1)
Inércia em relação ao eixo indicado
(2)
Momento de inércia à torção uniforme
Flambagem Flambagem lateral
X
Plano ZX Plano ZY Aba sup. Aba inf.
β 1.00 1.00 1.00 1.00
LK 2.500 2.500 2.500 2.500
Cb - 1.000
Notação:
β: Coeficiente de flambagem
LK: Comprimento de flambagem (m)
Cb: Fator de modificação para o momento crítico

Limitação do índice de esbeltez (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.4)


O índice de esbeltez das barras comprimidas, tomado como o maior relação entre
o comprimento de flambagem e o raio de giração, não deve ser superior a 200.

λ : 80.5

Onde:
λ: Índice de esbeltez.
λx : 28.6
λy : 80.5
Sendo:
Kx·Lx: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo
X. Kx·Lx : 2.500 m
Ky·Ly: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo
Y. Ky·Ly : 2.500 m
rx,ry: Raios de giração em relação aos eixos principales X, Y, rx : 8.74 cm
respectivamente. ry : 3.11 cm

Resistência à tração (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.2)


A verificação não será executada, já que não existe esforço axial de tração.

Resistência à compressão (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3)


Deve satisfazer:

η < 0.001

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se para a combinação


de ações 1.5·AP.

Página 109
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Nc,Sd: Força axial de compressão solicitante de cálculo, desfavorável. Nc,Sd : 0.12 kN


A força axial de compressão resistente de cálculo, Nc,Rd, deve ser
determinada pela expressão:

Nc,Rd : 551.38 kN

Onde:
χ: Fator de redução total associado à resistência à compressão. χ : 0.709
Q: Fator de redução total associado à flambagem local. Q : 1.000
Ag: Área bruta da seção transversal da barra. Ag : 34.20 cm²
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
Fator de redução χ: (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.3)

χ : 0.709
Onde:
λ0: Índice de esbeltez reduzido.

λ0 : 0.906

Sendo:
Q: Fator de redução total associado à flambagem
local. Q : 1.000
Ag: Área bruta da seção transversal da barra. Ag : 34.20 cm²
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Ne: Força axial de flambagem elástica. Ne : 1042.23 kN
Força axial de flambagem elástica: (ABNT NBR 8800:2008, Anexo E)
A força axial de flambagem elástica, Ne, de uma barra com seção
transversal duplamente simétrica ou simétrica em relação a um ponto, é
dada pelo menor valor entre os obtidos por (a), (b) e (c): Ne : 1042.23 kN
(a) Para flambagem por flexão em relação ao eixo principal de
inércia X da seção transversal:

Nex : 8246.25 kN

Onde:
Kx·Lx: Comprimento de flambagem por flexão em relação
ao eixo X. Kx·Lx : 2.500 m
Ix: Momento de inércia da seção transversal em relação ao
eixo X. Ix : 2611.00 cm4
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
(b) Para flambagem por flexão em relação ao eixo principal de
inércia Y da seção transversal:

Ney : 1042.23 kN

Onde:
Ky·Ly: Comprimento de flambagem por flexão em relação
ao eixo Y. Ky·Ly : 2.500 m
Iy: Momento de inércia da seção transversal em relação ao
eixo Y. Iy : 330.00 cm4

Página 110
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa


(c) Para flambagem por torção em relação ao eixo longitudinal Z:

Nez : 1775.23 kN

Onde:
Kz·Lz: Comprimento de flambagem por torção. Kz·Lz : 2.500 m
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
Cw: Constante de empenamento da seção transversal. Cw : 32507.91 cm6
G: Módulo de elasticidade transversal do aço. G : 77000 MPa
J: Constante de torção da seção transversal. J : 6.49 cm4
r0: Raio de giração polar da seção bruta em relação ao
centro de cisalhamento.

r0 : 9.27 cm

Onde:
rx,ry: Raios de giração em relação aos eixos rx : 8.74 cm
principales X, Y, respectivamente. ry : 3.11 cm
X0,Y0: Coordenadas do centro de cisalhamento na X0 : mm
0.00
direção dos eixos principales X, Y,
respectivamente. Y0 : 0.00 mm
Flambagem local de barras axialmente comprimidas: (ABNT NBR
8800:2008, Anexo F)
Não se aplica nenhuma redução, já que todos os elementos componentes
da seção transversal possuem relações entre largura e espessura (b/t)
que não superam os valores limite dados na Tabela F.1.
Mesa: Elemento do Grupo 4 da Tabela F.1.
7.92 ≤ 15.84
Sendo:
(b/t): Relação entre largura e espessura. (b/t) : 7.92
Onde:
b: Largura. b : 66.50 mm
t: Espessura. t : 8.40 mm
(b/t)lim: Relação limite entre largura e espessura.

(b/t)lim : 15.84

Onde:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Alma: Elemento do Grupo 2 da Tabela F.1.
32.79 ≤ 42.14
Sendo:
(b/t): Relação entre largura e espessura. (b/t) : 32.79
Onde:
b: Largura. b : 190.20 mm
t: Espessura. t : 5.80 mm
(b/t)lim: Relação limite entre largura e espessura.

Página 111
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

(b/t)lim : 42.14

Onde:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

Resistência à flexão eixo X (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2)


Deve satisfazer:

η : 0.789

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N9, para a


combinação de ações 1.5·AP.
MSd+: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. MSd+ : 44.41 kN·m
Já que 'λ ≤ λr', deve-se considerar viga de alma não-esbelta (ABNT NBR
32.79 ≤ 161.22
8800:2008, Anexo G).
Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre as faces h : 190.20 mm
internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λr : 161.22

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
O momento fletor resistente de cálculo MRd de vigas de alma não-esbelta
deve ser tomado como o menor valor entre os obtidos nas seguintes
secções: MRd : 56.26 kN·m
(a) Máximo momento fletor resistente de cálculo (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.4.2.2):

MRd : 86.00 kN·m

Onde:
Wx: Módulo de resistência elástico mínimo da seção Wx : 252.27 cm³
transversal em relação ao eixo de flexão.
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(b) Estado-límite último de flambagem lateral com torção, FLT (ABNT
NBR 8800:2008, Anexo G):

80.48 > 49.78

Página 112
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

80.48 ≤ 161.85

MRd : 56.26 kN·m

Onde:

λ : 80.48

Sendo:
Lb,sup: Distância entre duas seções contidas à
flambagem lateral com torção. Lb,sup : 2.500 m
ry: Raio de giração da seção em relação ao eixo
principal de inercia perpendicular ao eixo de flexão. ry : 3.11 cm

λp : 49.78

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

λr : 161.85

Sendo:
Iy: Momento de inércia da seção transversal em
relação ao eixo Y. Iy : 330.00 cm4
J: Constante de torção da seção transversal. J : 6.49 cm4
Cw: Constante de empenamento da seção
transversal. Cw : 32507.91 cm6

β1 : 0.034 cm-1

Mpl : 68.58 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 274.33 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

Mr : 44.15 kN·m
Sendo:
Wx: Módulo de resistência elástico mínimo da Wx : 252.27 cm³
seção transversal em relação ao eixo de flexão.
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
σr : 75.0 MPa
Cb: Fator de modificação para diagrama de momento
fletor não-uniforme. Cb : 1.00
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do
material. γ a1 : 1.10
(c) Estado-límite último de flambagem local da mesa comprimida,
FLM (ABNT NBR 8800:2008, Anexo G):

7.92 ≤ 10.75

Página 113
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

MRd : 62.35 kN·m

Onde:

λ : 7.92

Sendo:
bf: Largura da mesa comprimida bf : 133.00 mm
tf: Espessura da mesa comprimida. tf : 8.40 mm

λp : 10.75

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 68.58 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 274.33 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do
material. γ a1 : 1.10
(d) Estado-límite último de flambagem local da alma, FLA (ABNT NBR
8800:2008, Anexo G):

32.79 ≤ 106.35

MRd : 62.35 kN·m

Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre h : 190.20 mm
as faces internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λp : 106.35

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 68.58 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 274.33 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do
material. γ a1 : 1.10

Página 114
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência à flexão eixo Y (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2)


Deve satisfazer:

η < 0.001

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N9, para a


combinação de ações 1.5·AP.
MSd : Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. MSd : kN·m
- -
0.01
O momento fletor resistente de cálculo MRd deve ser tomado como o menor
valor entre os obtidos nas seguintes secções: MRd : 16.41 kN·m
(a) Máximo momento fletor resistente de cálculo (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.4.2.2):

MRd : 16.92 kN·m

Onde:
Wy: Módulo de resistência elástico mínimo da seção Wy : 49.62 cm³
transversal em relação ao eixo de flexão.
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(b) Estado-límite último de flambagem local da mesa comprimida, FLM
(ABNT NBR 8800:2008, Anexo G):

7.92 ≤ 10.75

MRd : 17.25 kN·m

Onde:

λ : 7.92

Sendo:
bf: Largura da mesa comprimida bf : 133.00 mm
tf: Espessura da mesa comprimida. tf : 8.40 mm

λp : 10.75

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 18.97 kN
Onde:
Zy: Módulo de resistência plástico. Zy : 75.89 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(c) Estado-límite último de flambagem local da alma, FLA (ABNT NBR
8800:2008, Anexo G):

32.79 > 31.68

Página 115
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

32.79 ≤ 39.60

MRd : 16.41 kN·m

Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre as h : 190.20 mm
faces internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λp : 31.68

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

λr : 39.60

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 18.97 kN
Onde:
Zy: Módulo de resistência plástico. Zy : 75.89 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mr : 12.41 kN·m
Sendo:
Wef,y: Módulo de resistência mínimo elástico, relativo
ao eixo de flexão, para uma seção que tem uma
mesa comprimida de largura igual a bef dada por
F.3.2, com σ igual a fy. Wef,y : 49.62 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 116
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência ao esforço cortante X (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.3)


Deve satisfazer:

η < 0.001

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se para a combinação de


ações 1.5·AP.
VSd: Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. VSd < 0.01 kN
A força cortante resistente de cálculo, VRd, deve ser determinada pela
expressão:
7.92 ≤ 34.08

VRd : 304.69 kN

Onde:

λ : 7.92

Sendo:
bf: Largura das mesas. bf : 133.00 mm
tf: Espessura das mesas. tf : 8.40 mm

λp : 34.08

Sendo:
kv: Coeficiente de flambagem. kv : 1.20
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Vpl : 335.16 kN
Sendo:
Aw: Área efetiva de cisalhamento
Aw : 22.34 cm²
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 117
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência ao esforço cortante Y (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.3)


Deve satisfazer:

η : 0.112

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N5, para a


combinação de ações 1.5·AP.
VSd: Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. VSd : 18.26 kN
A força cortante resistente de cálculo, VRd, deve ser determinada pela
expressão:
32.79 ≤ 69.57

VRd : 163.72 kN

Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre as faces h : 190.20 mm
internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λp : 69.57

Sendo:
kv: Coeficiente de flambagem. kv : 5.00
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Vpl : 180.09 kN
Sendo:
Aw: Área efetiva de cisalhamento
Aw : 12.01 cm²
d: Altura total da seção transversal. d : 207.00 mm
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 118
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência ao esforço axial e flexão combinados (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.1.2)
Deve satisfazer:

η : 0.790

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N9, para a


combinação de ações 1.5·AP.
Nc,Sd: Força axial de compressão solicitante de cálculo, desfavorável. Nc,Sd : 0.12 kN
Mx,Sd: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. Mx,Sd : kN·m
+
44.41
My,Sd: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. My,Sd :-
0.01 kN·m

0.000 < 0.200

η : 0.790

Onde:
Nc,Rd: Força axial resistente de cálculo de compressão (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.3). Nc,Rd : 551.38 kN
Mx,Rd,My,Rd: Momentos fletores resistentes de cálculo, Mx,Rd : kN·m
56.26
respectivamente em relação aos eixos X e Y da seção transversal
(ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2). My,Rd : 16.41 kN·m

Resistência à torção (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.2.1)


A verificação não é necessária, já que não existe momento torsor.

Resistência ao momento de torção, força axial, momento fletor e força cortante (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.5.2.2)
Não há interacção entre a esforço axial, momento flector, esforço transverso e momento torsor. Portanto,
a verificação não é necessária.

Resistência a interações de esforços e momento de torção (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.2.3)
Deve satisfazer:

η : 0.134

O coeficiente de aproveitamento desfavorável produz-se no nó N5, para a


combinação de ações 1.5·AP no ponto da seção transversal de coordenadas X
= 0.00 mm, Y = 0.00 mm em relação ao centro de gravidade.
As tensões tangenciais τSd vêm dadas por:

τSd : -16.8 MPa


Onde:

τVx,Sd : 0.0 MPa

Sendo:
Vx,Sd : Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. Vx,Sd : kN
- -
0.00

Página 119
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Sy: Momento estático, em relação ao eixo Y, da parte da secção Sy : 0.00 cm³


situada a um lado do ponto de verificação.
Iy: Momento de inércia da seção transversal em relação ao eixo
Y. Iy : 330.00 cm4
t: Espessura. t : 5.80 mm

τVy,Sd : -16.8 MPa

Sendo:
Vy,Sd+: Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. Vy,Sd+ : 18.26 kN
Sx: Momento estático, em relação ao eixo X, da parte da secção Sx : 139.53 cm³
situada a um lado do ponto de verificação.
Ix: Momento de inércia da seção transversal em relação ao eixo
X. Ix : 2611.00 cm4
t: Espessura. t : 5.80 mm

τTSd : 0.0 MPa

Sendo:
TSd: Momento de torção solicitante de cálculo, desfavorável. TSd : 0.00 kN·m
J: Constante de torção da seção transversal. J : 6.49 cm4
t: Espessura. t : 5.80 mm
A tensão resistente de cálculo, τRd, é dada pelo menor valor entre os obtidos
por a) e b): τRd : 125.7 MPa
(a) Tensão resistente de cálculo para os estados-limites de escoamento
sob efeito de tensão de cisalhamento:

τRd : 136.4 MPa

Onde:
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(b) Tensão resistente de cálculo para os estados-limites de instabilidade
ou flambagem sob efeito de tensão cisalhamento:

τRd : 125.7 MPa

Onde:
χ: Fator de redução total associado à resistência à compressão
(ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.3).

χ : 0.922
Sendo:

λ0 : 0.441

τe : 770.9 MPa

σE : 154.2 MPa

Onde:

Página 120
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

kv: Coeficiente de flambagem (ABNT NBR


8800:2008, Artigo 5.4.3). kv : 5.00
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
ν: Coeficiente de Poisson. ν : 0.30
t: Espessura. t : 5.80 mm
h: Largura. h : 198.60 mm
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 121
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Barra N9/N10
Perfil: W 200 x 26,6
Material: Aço (A-36 250Mpa)
Nós Características mecânicas
Comprimento
Y
(m) Área Ix(1) Iy(1) It(2)
Inicial Final
(cm²) (cm4) (cm4) (cm4)
N9 N10 4.000 34.20 2611.00 330.00 6.49
Notas:
(1)
Inércia em relação ao eixo indicado
(2)
Momento de inércia à torção uniforme
Flambagem Flambagem lateral
X
Plano ZX Plano ZY Aba sup. Aba inf.
β 1.00 1.00 1.00 1.00
LK 4.000 4.000 4.000 4.000
Cb - 1.000
Notação:
β: Coeficiente de flambagem
LK: Comprimento de flambagem (m)
Cb: Fator de modificação para o momento crítico

Limitação do índice de esbeltez (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.4)


O índice de esbeltez das barras comprimidas, tomado como o maior relação
entre o comprimento de flambagem e o raio de giração, não deve ser superior a
200.

λ : 128.8

Onde:
λ: Índice de esbeltez.
λx : 45.8
λy : 128.8
Sendo:
Kx·Lx: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo
X. Kx·Lx : 4.000 m
Ky·Ly: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo
Y. Ky·Ly : 4.000 m
rx,ry: Raios de giração em relação aos eixos principales X, Y, rx : 8.74 cm
respectivamente. ry : 3.11 cm

Resistência à tração (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.2)


A verificação não será executada, já que não existe esforço axial de tração.

Resistência à compressão (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3)


Deve satisfazer:

η < 0.001

Página 122
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se para a combinação


de ações 1.5·AP.
Nc,Sd: Força axial de compressão solicitante de cálculo, desfavorável. Nc,Sd : 0.01 kN
A força axial de compressão resistente de cálculo, Nc,Rd, deve ser
determinada pela expressão:

Nc,Rd : 322.72 kN

Onde:
χ: Fator de redução total associado à resistência à compressão. χ : 0.415
Q: Fator de redução total associado à flambagem local. Q : 1.000
Ag: Área bruta da seção transversal da barra. Ag : 34.20 cm²
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
Fator de redução χ: (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.3)

χ : 0.415
Onde:
λ0: Índice de esbeltez reduzido.

λ0 : 1.449

Sendo:
Q: Fator de redução total associado à flambagem
local. Q : 1.000
Ag: Área bruta da seção transversal da barra. Ag : 34.20 cm²
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Ne: Força axial de flambagem elástica. Ne : 407.12 kN
Força axial de flambagem elástica: (ABNT NBR 8800:2008, Anexo E)
A força axial de flambagem elástica, Ne, de uma barra com seção
transversal duplamente simétrica ou simétrica em relação a um ponto, é
dada pelo menor valor entre os obtidos por (a), (b) e (c): Ne : 407.12 kN
(a) Para flambagem por flexão em relação ao eixo principal de
inércia X da seção transversal:

Nex : 3221.19 kN

Onde:
Kx·Lx: Comprimento de flambagem por flexão em relação
ao eixo X. Kx·Lx : 4.000 m
Ix: Momento de inércia da seção transversal em relação ao
eixo X. Ix : 2611.00 cm4
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
(b) Para flambagem por flexão em relação ao eixo principal de
inércia Y da seção transversal:

Ney : 407.12 kN

Onde:
Ky·Ly: Comprimento de flambagem por flexão em relação
ao eixo Y. Ky·Ly : 4.000 m

Página 123
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Iy: Momento de inércia da seção transversal em relação ao


eixo Y. Iy : 330.00 cm4
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
(c) Para flambagem por torção em relação ao eixo longitudinal Z:

Nez : 1047.70 kN

Onde:
Kz·Lz: Comprimento de flambagem por torção. Kz·Lz : 4.000 m
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
Cw: Constante de empenamento da seção transversal. Cw : 32507.91 cm6
G: Módulo de elasticidade transversal do aço. G : 77000 MPa
J: Constante de torção da seção transversal. J : 6.49 cm4
r0: Raio de giração polar da seção bruta em relação ao
centro de cisalhamento.

r0 : 9.27 cm

Onde:
rx,ry: Raios de giração em relação aos eixos rx : 8.74 cm
principales X, Y, respectivamente. ry : 3.11 cm
X0,Y0: Coordenadas do centro de cisalhamento na X0 : mm
0.00
direção dos eixos principales X, Y,
respectivamente. Y0 : 0.00 mm
Flambagem local de barras axialmente comprimidas: (ABNT NBR
8800:2008, Anexo F)
Não se aplica nenhuma redução, já que todos os elementos componentes
da seção transversal possuem relações entre largura e espessura (b/t)
que não superam os valores limite dados na Tabela F.1.
Mesa: Elemento do Grupo 4 da Tabela F.1.
7.92 ≤ 15.84
Sendo:
(b/t): Relação entre largura e espessura. (b/t) : 7.92
Onde:
b: Largura. b : 66.50 mm
t: Espessura. t : 8.40 mm
(b/t)lim: Relação limite entre largura e espessura.

(b/t)lim : 15.84

Onde:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Alma: Elemento do Grupo 2 da Tabela F.1.
32.79 ≤ 42.14
Sendo:
(b/t): Relação entre largura e espessura. (b/t) : 32.79
Onde:
b: Largura. b : 190.20 mm
t: Espessura. t : 5.80 mm
Página 124
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

(b/t)lim: Relação limite entre largura e espessura.

(b/t)lim : 42.14

Onde:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

Resistência à flexão eixo X (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2)


Deve satisfazer:

η : 0.740

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se num ponto situado


a uma distância de 2.000 m do nó N9, para a combinação de ações
1.5·AP.
MSd+: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. MSd+ : 34.54 kN·m
Já que 'λ ≤ λr', deve-se considerar viga de alma não-esbelta (ABNT NBR
32.79 ≤ 161.22
8800:2008, Anexo G).
Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre as faces h : 190.20 mm
internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λr : 161.22

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
O momento fletor resistente de cálculo MRd de vigas de alma não-esbelta
deve ser tomado como o menor valor entre os obtidos nas seguintes
secções: MRd : 46.69 kN·m
(a) Máximo momento fletor resistente de cálculo (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.4.2.2):

MRd : 86.00 kN·m

Onde:
Wx: Módulo de resistência elástico mínimo da seção Wx : 252.27 cm³
transversal em relação ao eixo de flexão.
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(b) Estado-límite último de flambagem lateral com torção, FLT
(ABNT NBR 8800:2008, Anexo G):

Página 125
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

128.77 > 49.78

128.77 ≤ 161.85

MRd : 46.69 kN·m

Onde:

λ : 128.77

Sendo:
Lb,sup: Distância entre duas seções contidas à
flambagem lateral com torção. Lb,sup : 4.000 m
ry: Raio de giração da seção em relação ao eixo
principal de inercia perpendicular ao eixo de
flexão. ry : 3.11 cm

λp : 49.78

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

λr : 161.85

Sendo:
Iy: Momento de inércia da seção transversal em
relação ao eixo Y. Iy : 330.00 cm4
J: Constante de torção da seção transversal. J : 6.49 cm4
Cw: Constante de empenamento da seção
transversal. Cw : 32507.91 cm6

β1 : 0.034 cm-1

Mpl : 68.58 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 274.33 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

Mr : 44.15 kN·m
Sendo:
Wx: Módulo de resistência elástico mínimo da Wx : 252.27 cm³
seção transversal em relação ao eixo de flexão.
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
σr : 75.0 MPa
Cb: Fator de modificação para diagrama de momento
fletor não-uniforme. Cb : 1.00
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do
material. γ a1 : 1.10
(c) Estado-límite último de flambagem local da mesa comprimida,
FLM (ABNT NBR 8800:2008, Anexo G):

Página 126
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

7.92 ≤ 10.75

MRd : 62.35 kN·m

Onde:

λ : 7.92

Sendo:
bf: Largura da mesa comprimida bf : 133.00 mm
tf: Espessura da mesa comprimida. tf : 8.40 mm

λp : 10.75

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 68.58 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 274.33 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do
material. γ a1 : 1.10
(d) Estado-límite último de flambagem local da alma, FLA (ABNT
NBR 8800:2008, Anexo G):

32.79 ≤ 106.35

MRd : 62.35 kN·m

Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre h : 190.20 mm
as faces internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λp : 106.35

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 68.58 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 274.33 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do
material. γ a1 : 1.10

Página 127
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência à flexão eixo Y (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2)


A verificação não será executada, já que não existe momento fletor.

Resistência ao esforço cortante X (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.3)


A verificação não será executada, já que não existe esforço cortante.

Resistência ao esforço cortante Y (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.3)


Deve satisfazer:

η : 0.211

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N9, para a


combinação de ações 1.5·AP.
VSd: Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. VSd : 34.54 kN
A força cortante resistente de cálculo, VRd, deve ser determinada pela
expressão:
32.79 ≤ 69.57

VRd : 163.72 kN

Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre as faces h : 190.20 mm
internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λp : 69.57

Sendo:
kv: Coeficiente de flambagem. kv : 5.00
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Vpl : 180.09 kN
Sendo:
Aw: Área efetiva de cisalhamento
Aw : 12.01 cm²
d: Altura total da seção transversal. d : 207.00 mm
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 128
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência ao esforço axial e flexão combinados (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.1.2)
Deve satisfazer:

η : 0.740

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se num ponto situado a


uma distância de 2.000 m do nó N9, para a combinação de ações 1.5·AP.
Nc,Sd: Força axial de compressão solicitante de cálculo, desfavorável. Nc,Sd : 0.01 kN
Mx,Sd: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. Mx,Sd : kN·m
+
34.54
My,Sd: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. My,Sd : -
0.00 kN·m

0.000 < 0.200

η : 0.740

Onde:
Nc,Rd: Força axial resistente de cálculo de compressão (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.3). Nc,Rd : 322.72 kN
Mx,Rd,My,Rd: Momentos fletores resistentes de cálculo, Mx,Rd : kN·m
46.69
respectivamente em relação aos eixos X e Y da seção transversal
(ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2). My,Rd : 16.41 kN·m

Resistência à torção (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.2.1)


A verificação não é necessária, já que não existe momento torsor.

Resistência ao momento de torção, força axial, momento fletor e força cortante (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.5.2.2)
Não há interacção entre a esforço axial, momento flector, esforço transverso e momento torsor. Portanto,
a verificação não é necessária.

Resistência a interações de esforços e momento de torção (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.2.3)
Não há interacção entre os dois esforços transversos nem entre o momento torsor, esforço axial,
momentos flectores e esforços transversos. Portanto, a verificação não é necessária.

Página 129
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Barra N7/N8
Perfil: W 200 x 26,6
Material: Aço (A-36 250Mpa)
Nós Características mecânicas
Comprimento
Y
(m) Área Ix(1) Iy(1) It(2)
Inicial Final
(cm²) (cm4) (cm4) (cm4)
N7 N8 4.000 34.20 2611.00 330.00 6.49
Notas:
(1)
Inércia em relação ao eixo indicado
(2)
Momento de inércia à torção uniforme
Flambagem Flambagem lateral
X
Plano ZX Plano ZY Aba sup. Aba inf.
β 1.00 1.00 1.00 1.00
LK 4.000 4.000 4.000 4.000
Cb - 1.000
Notação:
β: Coeficiente de flambagem
LK: Comprimento de flambagem (m)
Cb: Fator de modificação para o momento crítico

Limitação do índice de esbeltez (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.4)


O índice de esbeltez das barras comprimidas, tomado como o maior relação
entre o comprimento de flambagem e o raio de giração, não deve ser superior a
200.

λ : 128.8

Onde:
λ: Índice de esbeltez.
λx : 45.8
λy : 128.8
Sendo:
Kx·Lx: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo
X. Kx·Lx : 4.000 m
Ky·Ly: Comprimento de flambagem por flexão em relação ao eixo
Y. Ky·Ly : 4.000 m
rx,ry: Raios de giração em relação aos eixos principales X, Y, rx : 8.74 cm
respectivamente. ry : 3.11 cm

Resistência à tração (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.2)


A verificação não será executada, já que não existe esforço axial de tração.

Resistência à compressão (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3)


Deve satisfazer:

η < 0.001

Página 130
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se para a combinação


de ações 1.5·AP.
Nc,Sd: Força axial de compressão solicitante de cálculo, desfavorável. Nc,Sd : 0.01 kN
A força axial de compressão resistente de cálculo, Nc,Rd, deve ser
determinada pela expressão:

Nc,Rd : 322.72 kN

Onde:
χ: Fator de redução total associado à resistência à compressão. χ : 0.415
Q: Fator de redução total associado à flambagem local. Q : 1.000
Ag: Área bruta da seção transversal da barra. Ag : 34.20 cm²
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
Fator de redução χ: (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.3.3)

χ : 0.415
Onde:
λ0: Índice de esbeltez reduzido.

λ0 : 1.449

Sendo:
Q: Fator de redução total associado à flambagem
local. Q : 1.000
Ag: Área bruta da seção transversal da barra. Ag : 34.20 cm²
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Ne: Força axial de flambagem elástica. Ne : 407.12 kN
Força axial de flambagem elástica: (ABNT NBR 8800:2008, Anexo E)
A força axial de flambagem elástica, Ne, de uma barra com seção
transversal duplamente simétrica ou simétrica em relação a um ponto, é
dada pelo menor valor entre os obtidos por (a), (b) e (c): Ne : 407.12 kN
(a) Para flambagem por flexão em relação ao eixo principal de
inércia X da seção transversal:

Nex : 3221.19 kN

Onde:
Kx·Lx: Comprimento de flambagem por flexão em relação
ao eixo X. Kx·Lx : 4.000 m
Ix: Momento de inércia da seção transversal em relação ao
eixo X. Ix : 2611.00 cm4
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
(b) Para flambagem por flexão em relação ao eixo principal de
inércia Y da seção transversal:

Ney : 407.12 kN

Onde:
Ky·Ly: Comprimento de flambagem por flexão em relação
ao eixo Y. Ky·Ly : 4.000 m

Página 131
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Iy: Momento de inércia da seção transversal em relação ao


eixo Y. Iy : 330.00 cm4
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
(c) Para flambagem por torção em relação ao eixo longitudinal Z:

Nez : 1047.70 kN

Onde:
Kz·Lz: Comprimento de flambagem por torção. Kz·Lz : 4.000 m
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
Cw: Constante de empenamento da seção transversal. Cw : 32507.91 cm6
G: Módulo de elasticidade transversal do aço. G : 77000 MPa
J: Constante de torção da seção transversal. J : 6.49 cm4
r0: Raio de giração polar da seção bruta em relação ao
centro de cisalhamento.

r0 : 9.27 cm

Onde:
rx,ry: Raios de giração em relação aos eixos rx : 8.74 cm
principales X, Y, respectivamente. ry : 3.11 cm
X0,Y0: Coordenadas do centro de cisalhamento na X0 : mm
0.00
direção dos eixos principales X, Y,
respectivamente. Y0 : 0.00 mm
Flambagem local de barras axialmente comprimidas: (ABNT NBR
8800:2008, Anexo F)
Não se aplica nenhuma redução, já que todos os elementos componentes
da seção transversal possuem relações entre largura e espessura (b/t)
que não superam os valores limite dados na Tabela F.1.
Mesa: Elemento do Grupo 4 da Tabela F.1.
7.92 ≤ 15.84
Sendo:
(b/t): Relação entre largura e espessura. (b/t) : 7.92
Onde:
b: Largura. b : 66.50 mm
t: Espessura. t : 8.40 mm
(b/t)lim: Relação limite entre largura e espessura.

(b/t)lim : 15.84

Onde:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Alma: Elemento do Grupo 2 da Tabela F.1.
32.79 ≤ 42.14
Sendo:
(b/t): Relação entre largura e espessura. (b/t) : 32.79
Onde:
b: Largura. b : 190.20 mm
t: Espessura. t : 5.80 mm
Página 132
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

(b/t)lim: Relação limite entre largura e espessura.

(b/t)lim : 42.14

Onde:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

Resistência à flexão eixo X (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2)


Deve satisfazer:

η : 0.740

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se num ponto situado


a uma distância de 2.000 m do nó N7, para a combinação de ações
1.5·AP.
MSd+: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. MSd+ : 34.54 kN·m
Já que 'λ ≤ λr', deve-se considerar viga de alma não-esbelta (ABNT NBR
32.79 ≤ 161.22
8800:2008, Anexo G).
Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre as faces h : 190.20 mm
internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λr : 161.22

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
O momento fletor resistente de cálculo MRd de vigas de alma não-esbelta
deve ser tomado como o menor valor entre os obtidos nas seguintes
secções: MRd : 46.69 kN·m
(a) Máximo momento fletor resistente de cálculo (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.4.2.2):

MRd : 86.00 kN·m

Onde:
Wx: Módulo de resistência elástico mínimo da seção Wx : 252.27 cm³
transversal em relação ao eixo de flexão.
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10
(b) Estado-límite último de flambagem lateral com torção, FLT
(ABNT NBR 8800:2008, Anexo G):

Página 133
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

128.77 > 49.78

128.77 ≤ 161.85

MRd : 46.69 kN·m

Onde:

λ : 128.77

Sendo:
Lb,sup: Distância entre duas seções contidas à
flambagem lateral com torção. Lb,sup : 4.000 m
ry: Raio de giração da seção em relação ao eixo
principal de inercia perpendicular ao eixo de
flexão. ry : 3.11 cm

λp : 49.78

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

λr : 161.85

Sendo:
Iy: Momento de inércia da seção transversal em
relação ao eixo Y. Iy : 330.00 cm4
J: Constante de torção da seção transversal. J : 6.49 cm4
Cw: Constante de empenamento da seção
transversal. Cw : 32507.91 cm6

β1 : 0.034 cm-1

Mpl : 68.58 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 274.33 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa

Mr : 44.15 kN·m
Sendo:
Wx: Módulo de resistência elástico mínimo da Wx : 252.27 cm³
seção transversal em relação ao eixo de flexão.
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
σr : 75.0 MPa
Cb: Fator de modificação para diagrama de momento
fletor não-uniforme. Cb : 1.00
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do
material. γ a1 : 1.10
(c) Estado-límite último de flambagem local da mesa comprimida,
FLM (ABNT NBR 8800:2008, Anexo G):

Página 134
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

7.92 ≤ 10.75

MRd : 62.35 kN·m

Onde:

λ : 7.92

Sendo:
bf: Largura da mesa comprimida bf : 133.00 mm
tf: Espessura da mesa comprimida. tf : 8.40 mm

λp : 10.75

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 68.58 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 274.33 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do
material. γ a1 : 1.10
(d) Estado-límite último de flambagem local da alma, FLA (ABNT
NBR 8800:2008, Anexo G):

32.79 ≤ 106.35

MRd : 62.35 kN·m

Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre h : 190.20 mm
as faces internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λp : 106.35

Sendo:
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Mpl : 68.58 kN
Onde:
Zx: Módulo de resistência plástico. Zx : 274.33 cm³
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do
material. γ a1 : 1.10

Página 135
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência à flexão eixo Y (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2)


A verificação não será executada, já que não existe momento fletor.

Resistência ao esforço cortante X (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.3)


A verificação não será executada, já que não existe esforço cortante.

Resistência ao esforço cortante Y (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.3)


Deve satisfazer:

η : 0.211

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se no nó N7, para a


combinação de ações 1.5·AP.
VSd: Esforço cortante solicitante de cálculo, desfavorável. VSd : 34.54 kN
A força cortante resistente de cálculo, VRd, deve ser determinada pela
expressão:
32.79 ≤ 69.57

VRd : 163.72 kN

Onde:

λ : 32.79

Sendo:
h: Altura da alma, tomada igual à distancia entre as faces h : 190.20 mm
internas das mesas.
tw: Espessura da alma. tw : 5.80 mm

λp : 69.57

Sendo:
kv: Coeficiente de flambagem. kv : 5.00
E: Módulo de elasticidade do aço. E : 200000 MPa
fy: Resistência ao escoamento do aço. fy : 250.0 MPa
Vpl : 180.09 kN
Sendo:
Aw: Área efetiva de cisalhamento
Aw : 12.01 cm²
d: Altura total da seção transversal. d : 207.00 mm
γ a1: Coeficiente de ponderaçaõ da resistência do material. γ a1 : 1.10

Página 136
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Resistência ao esforço axial e flexão combinados (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.1.2)
Deve satisfazer:

η : 0.740

O esforço solicitante de cálculo desfavorável produz-se num ponto situado a


uma distância de 2.000 m do nó N7, para a combinação de ações 1.5·AP.
Nc,Sd: Força axial de compressão solicitante de cálculo, desfavorável. Nc,Sd : 0.01 kN
Mx,Sd: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. Mx,Sd : kN·m
+
34.54
My,Sd: Momento fletor solicitante de cálculo, desfavorável. My,Sd : -
0.00 kN·m

0.000 < 0.200

η : 0.740

Onde:
Nc,Rd: Força axial resistente de cálculo de compressão (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.3). Nc,Rd : 322.72 kN
Mx,Rd,My,Rd: Momentos fletores resistentes de cálculo, Mx,Rd : kN·m
46.69
respectivamente em relação aos eixos X e Y da seção transversal
(ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.4.2). My,Rd : 16.41 kN·m

Resistência à torção (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.2.1)


A verificação não é necessária, já que não existe momento torsor.

Resistência ao momento de torção, força axial, momento fletor e força cortante (ABNT NBR
8800:2008, Artigo 5.5.2.2)
Não há interacção entre a esforço axial, momento flector, esforço transverso e momento torsor. Portanto,
a verificação não é necessária.

Resistência a interações de esforços e momento de torção (ABNT NBR 8800:2008, Artigo 5.5.2.3)
Não há interacção entre os dois esforços transversos nem entre o momento torsor, esforço axial,
momentos flectores e esforços transversos. Portanto, a verificação não é necessária.

Página 137
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

2.3.2.3.- Verificações E.L.U. (Resumido)


VERIFICAÇÕES (ABNT NBR 8800:2008)
Barras Estado
λ Nt Nc Mx My Vx Vy NMxMy T NMVT στf
x: 0.104 m x: 0.104 m x: 0.104 m PASSA
N1/N2 λ ≤ 200.0 N.P.(1) η = 6.0 N.P.(2) N.P.(3) N.P.(4) N.P.(5) N.P.(6)
η = 62.1 η = 14.8 η = 65.1 η = 65.1
x: 2.5 m x: 2.5 m x: 0 m x: 2.5 m x: 0 m PASSA
N2/N8 λ ≤ 200.0 N.P.(1) η < 0.1 η < 0.1 N.P.(4) N.P.(5)
η = 78.9 η < 0.1 η = 11.2 η = 79.0 η = 13.4 η = 79.0
x: 0 m x: 0 m x: 2.5 m x: 0 m x: 2.5 m PASSA
N8/N3 λ ≤ 200.0 N.P.(1) η < 0.1 η < 0.1 N.P.(4) N.P.(5)
η = 78.9 η < 0.1 η = 11.2 η = 79.0 η = 13.4 η = 79.0
x: 2.5 m x: 2.5 m x: 0 m x: 2.5 m x: 0 m PASSA
N3/N10 λ ≤ 200.0 N.P.(1) η < 0.1 η < 0.1 N.P.(4) N.P.(5)
η = 78.9 η < 0.1 η = 11.2 η = 79.0 η = 13.4 η = 79.0
x: 0 m x: 0 m x: 2.5 m x: 0 m x: 2.5 m PASSA
N10/N4 λ ≤ 200.0 N.P.(1) η < 0.1 η < 0.1 N.P.(4) N.P.(5)
η = 78.9 η < 0.1 η = 11.2 η = 79.0 η = 13.4 η = 79.0
x: 0.104 m x: 0.104 m x: 0.104 m PASSA
N5/N4 λ ≤ 200.0 N.P.(1) η = 6.0 N.P.(2) N.P.(3) N.P.(4) N.P.(5) N.P.(6)
η = 62.1 η = 14.8 η = 65.1 η = 65.1
x: 2.5 m x: 2.5 m x: 0 m x: 2.5 m x: 0 m PASSA
N6/N9 λ ≤ 200.0 N.P.(1) η < 0.1 η < 0.1 N.P.(4) N.P.(5)
η = 78.9 η < 0.1 η = 11.2 η = 79.0 η = 13.4 η = 79.0
x: 0 m x: 0 m x: 2.5 m x: 0 m x: 2.5 m PASSA
N9/N5 λ ≤ 200.0 N.P.(1) η < 0.1 η < 0.1 N.P.(4) N.P.(5)
η = 78.9 η < 0.1 η = 11.2 η = 79.0 η = 13.4 η = 79.0
x: 2.5 m x: 2.5 m x: 0 m x: 2.5 m x: 0 m PASSA
N1/N7 λ ≤ 200.0 N.P.(1) η < 0.1 η < 0.1 N.P.(4) N.P.(5)
η = 78.9 η < 0.1 η = 11.2 η = 79.0 η = 13.4 η = 79.0
x: 0 m x: 0 m x: 2.5 m x: 0 m x: 2.5 m PASSA
N7/N6 λ ≤ 200.0 N.P.(1) η < 0.1 η < 0.1 N.P.(4) N.P.(5)
η = 78.9 η < 0.1 η = 11.2 η = 79.0 η = 13.4 η = 79.0
x: 2 m x: 0.104 m x: 2 m PASSA
N6/N3 λ ≤ 200.0 N.P.(1) η = 2.8 N.P.(2) N.P.(3) N.P.(4) N.P.(5) N.P.(6)
η = 35.8 η = 21.1 η = 37.2 η = 37.2
x: 2 m x: 0 m x: 2 m PASSA
N7/N8 λ ≤ 200.0 N.P.(1) η < 0.1 N.P.(2) N.P.(3) N.P.(4) N.P.(5) N.P.(6)
η = 74.0 η = 21.1 η = 74.0 η = 74.0
x: 2 m x: 0 m x: 2 m PASSA
N9/N10 λ ≤ 200.0 N.P.(1) η < 0.1 N.P.(2) N.P.(3) N.P.(4) N.P.(5) N.P.(6)
η = 74.0 η = 21.1 η = 74.0 η = 74.0
x: 0 m x: 2.8 m x: 2.8 m x: 2.8 m PASSA
N11/N2 λ ≤ 200.0 N.P.(1) η < 0.1 η = 3.2 N.P.(4) N.P.(5) η = 3.8
η = 6.1 η = 18.4 η = 0.1 η = 21.5 η = 21.5
x: 0 m x: 2.79 m x: 2.79 m PASSA
N12/N3 λ ≤ 200.0 N.P.(1) N.P.(2) N.P.(3) η = 5.5 N.P.(4) N.P.(5) N.P.(6)
η = 12.0 η = 31.8 η = 37.7 η = 37.7
x: 0 m x: 2.8 m x: 2.8 m x: 2.8 m PASSA
N13/N1 λ ≤ 200.0 N.P.(1) η < 0.1 η = 3.2 N.P.(4) N.P.(5) η = 3.8
η = 6.1 η = 18.4 η = 0.1 η = 21.5 η = 21.5
x: 0 m x: 2.79 m x: 2.79 m PASSA
N14/N6 λ ≤ 200.0 N.P.(1) N.P.(2) N.P.(3) η = 5.5 N.P.(4) N.P.(5) N.P.(6)
η = 12.0 η = 31.8 η = 37.7 η = 37.7
x: 0 m x: 2.8 m x: 2.8 m x: 2.8 m PASSA
N15/N5 λ ≤ 200.0 N.P.(1) η < 0.1 η = 3.2 N.P.(4) N.P.(5) η = 3.8
η = 6.1 η = 18.4 η = 0.1 η = 21.5 η = 21.5
x: 0 m x: 2.8 m x: 2.8 m x: 2.8 m PASSA
N16/N4 λ ≤ 200.0 N.P.(1) η < 0.1 η = 3.2 N.P.(4) N.P.(5) η = 3.8
η = 6.1 η = 18.4 η = 0.1 η = 21.5 η = 21.5
N11/N3 N.P.(7) N.P.(1) N.P.(8) N.P.(2) N.P.(2) N.P.(3) N.P.(3) N.P.(9) N.P.(4) N.P.(5) N.P.(10) NÃO PROCEDE
N16/N3 N.P.(7) N.P.(1) N.P.(8) N.P.(2) N.P.(2) N.P.(3) N.P.(3) N.P.(9) N.P.(4) N.P.(5) N.P.(10) NÃO PROCEDE
N12/N4 N.P.(7) N.P.(1) N.P.(8) N.P.(2) N.P.(2) N.P.(3) N.P.(3) N.P.(9) N.P.(4) N.P.(5) N.P.(10) NÃO PROCEDE
N12/N2 N.P.(7) N.P.(1) N.P.(8) N.P.(2) N.P.(2) N.P.(3) N.P.(3) N.P.(9) N.P.(4) N.P.(5) N.P.(10) NÃO PROCEDE
N13/N6 N.P.(7) N.P.(1) N.P.(8) N.P.(2) N.P.(2) N.P.(3) N.P.(3) N.P.(9) N.P.(4) N.P.(5) N.P.(10) NÃO PROCEDE
N15/N6 N.P.(7) N.P.(1) N.P.(8) N.P.(2) N.P.(2) N.P.(3) N.P.(3) N.P.(9) N.P.(4) N.P.(5) N.P.(10) NÃO PROCEDE
N14/N5 N.P.(7) N.P.(1) N.P.(8) N.P.(2) N.P.(2) N.P.(3) N.P.(3) N.P.(9) N.P.(4) N.P.(5) N.P.(10) NÃO PROCEDE
N14/N1 N.P.(7) N.P.(1) N.P.(8) N.P.(2) N.P.(2) N.P.(3) N.P.(3) N.P.(9) N.P.(4) N.P.(5) N.P.(10) NÃO PROCEDE
Notação:
λ: Limitação do índice de esbeltez
Nt: Resistência à tração
Nc: Resistência à compressão
Mx: Resistência à flexão eixo X
My: Resistência à flexão eixo Y
Vx: Resistência ao esforço cortante X
Vy: Resistência ao esforço cortante Y
NMxMy: Resistência ao esforço axial e flexão combinados
T: Resistência à torção
NMVT: Resistência ao momento de torção, força axial, momento fletor e força cortante
σ τ f: Resistência a interações de esforços e momento de torção
x: Distância à origem da barra
η: Coeficiente de aproveitamento (%)
N.P.: Não procede

Página 138
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

VERIFICAÇÕES (ABNT NBR 8800:2008)


Barras Estado
λ Nt Nc Mx My Vx Vy NMxMy T NMVT στf
Verificações desnecessárias para o tipo de perfil (N.P.):
(1)
A verificação não será executada, já que não existe esforço axial de tração.
A verificação não será executada, já que não existe momento fletor.
(2)

(3)
A verificação não será executada, já que não existe esforço cortante.
A verificação não é necessária, já que não existe momento torsor.
(4)

(5)
Não há interacção entre a esforço axial, momento flector, esforço transverso e momento torsor. Portanto, a verificação não é necessária.
(6)
Não há interacção entre os dois esforços transversos nem entre o momento torsor, esforço axial, momentos flectores e esforços transversos. Portanto, a verificação não é
necessária.
(7)
A verificação não procede, já que não há força axial de compressão.
A verificação não será executada, já que não existe esforço axial de compressão.
(8)

(9)
Este caso não está contemplado pela norma e, portanto, não é possível realizar a verificação.
(10)
Não há interacção entre os dois esforços transversos, nem entre os dois momentos flectores, nem entre esforço axial e flexão nem entre momento torsor, esforço axial,
momentos flectores e esforços transversos. Portanto, a verificação não é necessária.

2.3.3.- Sismo
Sem ação de sismo

2.4.- Ligações
2.4.1.- Especificações para ligações soldadas
Norma:
ABNT NBR 8800:2008: Projeto de estruturas de aço e de estruturas mistas de aço e concreto de
edificios. Artículo 6: Condições específicas para o dimensionamento de ligações metálicas.

Materiais:
- Perfis (Material base): A-36 250Mpa.

- Material de adição (soldas): Eletrodos da série E60XX. Para os materiais utilizados e o procedimento
de solda SMAW (Arco elétrico com eletrodo revestido), cumprem-se as condições de compatibilidade
entre materiais exigidas pelo item 6.2.4 ABNT NBR 8800:2008.

Definições para soldas em ângulo:


- Garganta efetiva: é igual à menor distância medida desde a raiz à face plana teórica da solda (item
6.2.2.2 b) ABNT NBR 8800:2008).

- Lado do cordão: é o menor dos dois lados situados nas faces de fusão do maior triângulo que pode
ser inscrito na seção da solda (item 6.2.2.2 b) ABNT NBR 8800:2008).

- Raiz da solda: é a interseção das faces de fusão (item 6.2.2.2 b) ABNT NBR 8800:2008).

- Comprimento efetivo do cordão de solda: é igual ao comprimento total da solda com dimensões
uniformes, incluídos os retornos (item 6.2.2.2 c) ABNT NBR 8800:2008).

Disposições construtivas:
1) As prescrições consideradas neste projeto aplicam-se a ligações soldadas nas quais:

- Os aços das peças a unir têm um limite elástico não superior a 100 ksi [690 MPa] (item 1.2 (1)
AWS D1.1/D1.1M:2002).

- As espessuras das peças a unir são pelo menos de 1/8 in [3mm] (item 1.2 (2) AWS
D1.1/D1.1M:2002).

- As peças soldadas não são de seção tubular.

2) Em soldas de topo de penetração total ou parcial verifica-se que:

- O comprimento efetivo das soldas de penetração total ou parcial é igual ao seu comprimento total,
o qual é igual ao comprimento da parte unida (item 6.2.2.1 b) ABNT NBR 8800:2008).

- Em soldas de penetração total, a garganta efetiva é igual à menor espessura das peças unidas
(item 6.2.2.1 c) ABNT NBR 8800:2008).
Página 139
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

- Em soldas de penetração parcial, a espessura mínima da garganta efetiva cumpre os valores da


seguinte tabela:

Tabela 9 ABNT NBR 8800:2008


Menor espessura das peças a Espessura mínima de
unir garganta efetiva
(mm) (mm)
Menor que ou igual a 6.35 3
Menor que ou igual a 12.5 5
Menor que ou igual a 19 6
Menor que ou igual a 37.5 8
Menor que ou igual a 57 10
Menor que ou igual a 152 13
Maior que 152 16

- A espessura de garganta efetiva das soldas de penetração parcial determina-se segundo a tabela
5 ABNT NBR 8800:2008.

3) Em soldas em ângulo verifica-se que:

- O tamanho mínimo do lado de uma soldadura de ângulo cumpre com os valores da seguinte
tabela:

Tabela 10 ABNT NBR 8800:2008


Menor espessura das peças a Tamanho mínimo do lado de
unir uma solda em ângulo(*)
(mm) (mm)
Menor que ou igual a 6.35 3
Menor que ou igual a 12.5 5
Menor que ou igual a 19 6
Maior que 19 8
(*)
Executada em uma só passada

- O tamanho máximo do lado de uma solda em ângulo ao longo das bordas de peças soldadas
cumpre o especificado no item 6.2.6.2.2 ABNT NBR 8800:2008, o qual exige que:

- ao longo das bordas de material com espessura inferior a 6.35 mm, seja menor ou igual à
espessura do material.

- ao longo das bordas de material com espessura igual ou superior 6.35 mm, seja menor ou
igual à espessura do material menos 1.5 mm.

- O comprimento efetivo de um cordão de solda em ângulo cumpre que é maior que ou igual a 4
vezes o tamanho do seu lado, ou que o lado não se considera maior que o 25 % do comprimento
efetivo da solda. Além disso, o comprimento efetivo de uma solda em ângulo exposta a qualquer
solicitação de cálculo não é inferior a 40 mm (item 6.2.6.2.3 ABNT NBR 8800:2008).

4) No detalhe das soldas indica-se o comprimento efetivo do cordão (comprimento sobre o qual o
cordão tem o seu tamanho completo). Para alcançar tal comprimento, pode ser necessário prolongar o
cordão rodeando os cantos, com o mesmo tamanho de cordão.

5) As soldas de ângulo de ligações em 'T' com ângulos menores que 30° não se consideram como
efetivas para a transmissão das cargas aplicadas (item 2.3.3.4 AWS D1.1/D1.1M:2002).

6) Nos processos de fabricação e montagem deverão ser cumpridos os requisitos indicados no capítulo
5 de AWS D1.1/D1.1M:2002. No que diz respeito à preparação do metal base, exige-se que as

Página 140
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

superfícies sobre as quais se depositará o metal de adição devem ser suaves, uniformes, e livres de
fissuras e outras descontinuidades que afetariam a qualidade ou resistência da solda. As superfícies a
soldar, e as superfícies adjacentes a uma solda, deverão estar também livres de lâminas, escamas,
óxido solto ou aderido, escória, ferrugem, humidade, óleo, gordura e outros materiais estranhos que
impeçam uma solda apropriada ou produzam emissões prejudiciais.

Verificações:
- A resistência de cálculo dos cordões de solda determina-se de acordo com o item 6.2.5 ABNT NBR
8800:2008.

- O método utilizado para a verificação da resistência dos cordões de solda é aquele em que as tensões
calculadas nos cordões (resultante vetorial), consideram-se como tensões de corte aplicadas sobre a
área efetiva (item 2.5.4.1 AWS D1.1/D1.1M:2002).

- A área efetiva de um cordão de solda é igual ao produto do comprimento efetivo do cordão pela
espessura de garganta efetiva (itens 6.2.2.1 a) e 6.2.2.2 a) ABNT NBR 8800:2008).

- Na verificação da resistência dos cordões de solda considerou-se uma solicitação mínima de cálculo
de 45kN (item 6.1.5.2 ABNT NBR 8800:2008).

2.4.2.- Especificações para ligações aparafusadas


Norma:
ABNT NBR 8800:2008: Projeto de estruturas de aço e de estruturas mistas de aço e concreto de
edificios. 6.3 Parafusos e barras redondas rosqueadas.

Materiais:
- Perfis (Material base): A-36 250Mpa.
- Classe de aço dos parafusos utilizados: ASTM A325 (item 6.3 ABNT NBR 8800:2008).

Disposições construtivas:
1) Consideraram-se as seguintes distâncias mínimas e máximas entre eixos de furos e entre estes e as
bordas das peças:

Disposições construtivas para parafusos, segundo itens 6.3.9, 6.3.10, 6.3.11 e 6.3.12 ABNT
NBR 8800:2008
À borda da peça
Distâncias Entre furos Entre parafusos
db mm
Mínimas 1/2" 22 2.7·db --
150 mm 200 mm
Máximas --
12t 14t
Notas:
db: Diâmetro do parafuso
t: Menor espessura das peças que se unem.

2) Uma vez montadas as peças, todas as superfícies de ligação, incluídas as adjacentes às cabeças dos
parafusos, porcas e anilhas, devem estar livres de pequenas lâminas (exceto aquelas firmemente
aderidas ao material), rebarbas, sujeira ou qualquer outra matéria estranha que impeça o perfeito
contato entre as peças.

3) Os parafusos devem estar alinhados para permitir a inserção dos parafusos sem danificar as suas
roscas.

4) Deve-se verificar, antes da colocação, se as porcas podem deslocar-se livremente sobre o parafuso
correspondente.

5) Em cada parafuso será colocada uma anilha no lado da cabeça e outra no lado da porca.
Página 141
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

6) Os furos devem realizar-se através de broca ou outro processo que proporcione um acabamento
equivalente.

7) A furação é admitida para peças de espessura não superior ao diâmetro do parafuso mais 3 mm.
Para espessuras maiores, os furos devem ser realizados através de broca, ou através de furação prévia
com matriz de diâmetro inferior a 3.5 mm do diâmetro definitivo, para depois perfurar até ao diâmetro
nominal.

8) Não é permitida a reutilização de parafusos ASTM A325 galvanizados. Os outros parafusos ASTM
A325 podem ser reutilizados uma única vez, se for aprovado pelo engenheiro responsável. O reaperto
de parafusos previamente apertados que se tenham soltado durante o aperto de parafusos vizinhos
não se considera reutilização.

9) Condições para o aperto dos parafusos não pré-tensionados:


- Cada conjunto de parafuso, porca e anilhas deve alcançar a condição de aperto máximo sem
sobrecarregar os parafusos. Esta condição é a que poderia conseguir um operário com alguns
impactos aplicados por uma chave de impacto ou pelo esforço máximo aplicado por um operário
usando uma chave normal.

- O aperto deve ser realizado a partir dos parafusos localizados na parte mais rígida da ligação,
seguindo na direção das bordas livres. Inclusive, é conveniente realizar algum ciclo de aperto
adicional.

Verificações:
- São feitas as verificações indicadas nos itens 6.3.3, 6.3.4 e 6.3.5 de ABNT NBR 8800:2008.
- Na verificação da resistência das ligações parafusadas considerou-se uma solicitação mínima de
cálculo de 45kN (artigo 6.1.5.2 ABNT NBR 8800:2008).

2.4.3.- Referências e simbologia


Para a representação dos símbolos de soldas consideram-se as indicações da norma ANSI/AWS
A2.4-98 'STANDARD SYMBOLS FOR WELDING, BRAZING, AND NONDESTRUCTIVE EXAMINATION'.

Método de representação de soldas

Conforme a figura 2 de ANSI/AWS A2.4-98 e os tipos de soldas utilizados neste projeto, desenvolve-se
o seguinte esquema de representação de uma solda:

Referências:
1: seta (ligação entre 2 e 6)
2: linha de referência
3: símbolo de solda
5
4: símbolo solda perimetral.
4 2
5: símbolo de solda no local de montagem.
1 D 6: linha do desenho que identifica a ligação proposta.
S: profundidade do bisel. Em soldas em ângulo, é o lado do cordão
S(E) L

6
3
de solda.
(E): tamanho do cordão em soldas de topo.
L: comprimento efetivo do cordão de solda
D: dado suplementar. Em geral, a série de eletrodo a utilizar e o
processo pré-qualificado de solda.

A informação relacionada com o lado da ligação soldada à qual aponta a seta, coloca-se por baixo da
linha de referência, enquanto que para o lado oposto, indica-se acima da linha de referência:

Página 142
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

OS OS OS

AS AS AS

AS OS AS AS

OS

OS

Onde:

OS(Other Side): é o outro lado da seta

AS(Arrow Side): é o lado da seta

Referência 3

Designação Ilustração Símbolo

Solda de filete

Solda de topo em 'V' simples (com chanfro)

Solda de topo em bisel simples

Solda de topo em bisel duplo

Solda de topo em bisel simples com chanfro de raiz largo

Solda combinada de topo em bisel simples e em ângulo

Solda de topo em bisel simples com lado curvo

Método de representação dos parafusos de uma ligação

Referências:
N: Quantidade de parafusos
Ø"[in]: Diâmetro nominal
Ø"xL",Tb,SPCb L"[in]: Comprimento nominal do parafuso
(N)
Tb: Tipo ou grau do parafuso
Ø",SPCn,Cn SPCb: Classe de qualidade do aço do parafuso
SPCn: Classe de qualidade do aço da porca
m Ø",SPCw,Tw Cn: Classe ou grau da porca
m: Quantidade de anilhas
SPCw: Classe de aço da anilha
Tw: Tipo ou grau da anilha

Página 143
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

2.4.4.- Relação
Tipo Quantidade Nós
1 2 N1 e N4
2 2 N2 e N5
3 2 N3 e N6
4 4 N7, N8, N9 e N10

2.4.5.- Memória de cálculo

2.4.5.1.- Tipo 1
Nós (2): N1 e N4.

a) Detalhe

60

3 Furos Ø 14.3 mm 30 120


17

32 32
40.563 63

43

33
220
17

43 68
6 Furos Ø 14.3 mm
60

22

Detalhe do recorte da viga Chapa frontal da viga W 200 x 15,0


W 200 x 26,6 (e = 7 mm)
D
B

A
E60XX
Chapa
A

Chapa lateral SMAW 3


120x220x7 Enrijecedor
80x170x8
190x60x9
47.5
18.5

Viga
55.5

Viga d1 d1 E60XX 3 179 Viga


W 200 x 15,0 SMAW 3 179
W 200 x 26,6 W 200 x 26,6

C C

Enrijecedor
1/2"x1 3/4", Tipo 1, ASTM A325T
(3) 10 190x60x9
1/2", ASTM A563, C 1/2"x1 3/4", Tipo 1, ASTM A325T E60XX
(6) SMAW 3
2 1/2", ASTM F436, Tipo 1 1/2", ASTM A563, C
E60XX 4 170 2 1/2", ASTM F436, Tipo 1
SMAW 4 170
Viga
Pilar Pilar Pilar
W 200 x 15,0
W 200 x 26,6 W 200 x 26,6 W 200 x 26,6
D
A

A
Corte D - D Corte A - A
Corte B - B
3 170 E60XX
3 170 SMAW

80 Enrijecedor Enrijecedor
190x60x9 190x60x9
40 Viga Chapa E60XX 5 50 5 50 E60XX
SMAW 5 50 5 50 SMAW
W 200 x 15,0 120x220x7
22

170
2263

3 Furos Ø 14.3 mm

E60XX 5 50 5 50 E60XX
Chapa lateral SMAW 5 50 5 50 SMAW
106.4 80x170x8 Enrijecedor
Chapa lateral da viga W 200 x 26,6 Enrijecedor
190x60x9
190x60x9
(e = 8 mm)
3 170 E60XX
Viga 3 170 SMAW
W 200 x 26,6

Corte C - C d1.Detalhe de soldas: enrijecedores


a Pilar W 200 x 26,6

Página 144
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

b) Descrição dos componentes da ligação

Perfis
ão Geometria Aço
Altura Largura Espessura Espessura

Peça fy fu
cr

Esquema total da aba da mesa da alma Tipo


es

(MPa) (MPa)
(mm) (mm) (mm) (mm)
D

5.8

8.4
Pilar W 200 x 26,6 207 133 8.4 5.8 A-36 250Mpa 250.0 400.0
207

133
4.3
5.2

Viga W 200 x 15,0 200 100 5.2 4.3 A-36 250Mpa 250.0 400.0
200

100
5.8
8.4

Viga W 200 x 26,6 207 133 8.4 5.8 A-36 250Mpa 250.0 400.0
207

133

Elementos complementares
Geometria Furos Aço
Peça Largura Altura Espessura Diâmetro fy fu
Esquema Quantidade Tipo
(mm) (mm) (mm) (mm) (MPa) (MPa)

A-36
60

Enrijecedor 190.2 60 9 - - 250.0 400.0


190.2
250Mpa

Chapa
frontal: A-36
220

120 220 7 6 14.3 250.0 400.0


Viga W 200 250Mpa
x 15,0
120

Chapa
lateral: A-36
170

80 170 8 3 14.3 250.0 400.0


Viga W 200 250Mpa
x 26,6
80

Página 145
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Parafusos
Geometria Aço
Descrição Comprimento fy fu
Esquema Diâmetro
(mm) (MPa) (MPa)

1/2"x1 3/4", Tipo 1, ASTM A325T


1/2", ASTM A563, C 1/2" 44.5 635.0 825.0
2 1/2", ASTM F436, Tipo 1

c) Verificação

1) Pilar W 200 x 26,6

Verificações de resistência
Componente Verificação Unidades Desfavorável Resistente Aprov. (%)
Esbeltez - 32.79 70.00 46.85
Painel
Cortante kN 41.144 163.718 25.13
Tração por flexão kN 18.570 44.488 41.74
Viga W Viga W
200 x

Aba
15,0

Tração kN 8.820 128.659 6.86


Alma Tração kN 19.499 69.868 27.91
Punção kN 0.119 281.564 0.04
200 x
26,6

Alma
Flexão por força perpendicular kN 0.119 34.158 0.35

Verificação de cordões de solda


Coef. de
Perimetral

Metal base Eletrodo Tensões minoração de


ão

Lado resistências
Descrição Tipo P.S.
(1)

(mm)
ec

fy fw Desfavorável Resistente Aprov.


Ex

γa1 γw1 γw2


(MPa) (MPa) (MPa) (MPa) (%)
Solda do
enrijecedor
De Em E60XX
superior às -- 5 250.0 SMAW 139.9 184.4 75.83 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
abas do
pilar
Solda do
enrijecedor
De Em E60XX
superior à -- 3 250.0 SMAW 62.3 184.4 33.79 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
alma do
pilar
Solda do
enrijecedor
De Em E60XX
inferior às -- 5 250.0 SMAW 127.3 184.4 69.01 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
abas do
pilar
Solda do
enrijecedor
De Em E60XX
inferior à -- 3 250.0 SMAW 62.3 184.4 33.79 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
alma do
pilar
Solda do
enrijecedor
De Em E60XX
superior às -- 5 250.0 SMAW 139.9 184.4 75.83 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
abas do
pilar
Solda do
enrijecedor
De Em E60XX
superior à -- 3 250.0 SMAW 62.3 184.4 33.79 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
alma do
pilar

Página 146
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Verificação de cordões de solda


Coef. de

Perimetral
Metal base Eletrodo Tensões minoração de

o
Lado

çã
Descrição Tipo P.S.
(1)
resistências

u
(mm)

ec
fy fw Desfavorável Resistente Aprov.

Ex
γa1 γw1 γw2
(MPa) (MPa) (MPa) (MPa) (%)
Solda do
enrijecedor
De Em E60XX
inferior às -- 5 250.0 SMAW 127.3 184.4 69.01 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
abas do
pilar
Solda do
enrijecedor
De Em E60XX
inferior à -- 3 250.0 SMAW 62.3 184.4 33.79 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
alma do
pilar
(1)
Procedimento de solda

2) Viga W 200 x 15,0

Verificações de resistência
Componente Verificação Unidades Desfavorável Resistente Aprov. (%)
Chapa frontal Tração por flexão kN 9.543 15.847 60.22
Compressão kN 51.654 118.182 43.71
Aba
Tração kN 9.161 59.091 15.50
Alma Tração kN 18.817 56.788 33.14

Verificação de cordões de solda


Coef. de
Perimetral

Metal base Eletrodo Tensões minoração de


ão

Lado resistências
Descrição Tipo P.S.(1)

(mm)
ec

fy fw Desfavorável Resistente Aprov.


Ex

γa1 γw1 γw2


(MPa) (MPa) (MPa) (MPa) (%)
Solda da
De Em E60XX
aba X 3 250.0 SMAW 123.7 184.4 67.04 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
superior
Solda da De Em E60XX
-- 3 250.0 SMAW 96.8 184.4 52.46 1.10 -- 1.35
alma filete oficina (415.0)
Solda da
De Em E60XX
aba X 3 250.0 SMAW 94.2 184.4 51.07 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
inferior
Procedimento de solda
(1)

Verificações para os parafusos

5 6

3 4

1 2

Página 147
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Aprov. Máx. (%)


Interação
tração e
Parafuso

Cortante Tração
esforço
Diâmetro cortante
Desfavorável Resistente Aprov. Desfavorável Resistente Aprov. Aprov.
Verificação Verificação
(kN) (kN) (%) (kN) (kN) (%) (%)
Seção transversal 7.500 30.965 24.22 Haste 0.818 55.986 1.46
1 1/2" 24.22 24.22
Esmagamento 7.500 63.218 11.86 Punção 0.818 93.592 0.87
Seção transversal 7.500 30.965 24.22 Haste 0.818 55.986 1.46
2 1/2" 24.22 24.22
Esmagamento 7.500 63.218 11.86 Punção 0.818 93.592 0.87
Seção transversal 7.500 30.965 24.22 Haste 15.430 55.986 27.56
3 1/2" 29.10 29.10
Esmagamento 7.500 63.218 11.86 Punção 15.430 93.592 16.49
Seção transversal 7.500 30.965 24.22 Haste 15.430 55.986 27.56
4 1/2" 29.10 29.10
Esmagamento 7.500 63.218 11.86 Punção 15.430 93.592 16.49
Seção transversal 7.500 30.965 24.22 Haste 26.763 55.986 47.80
5 1/2" 48.70 48.70
Esmagamento 7.500 63.218 11.86 Punção 26.763 93.592 28.59
Seção transversal 7.500 30.965 24.22 Haste 26.763 55.986 47.80
6 1/2" 48.70 48.70
Esmagamento 7.500 63.218 11.86 Punção 26.763 93.592 28.59

Página 148
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Plano xy Plano xz
Rigidez rotacional inicial
(kN·m/rad) (kN·m/rad)
Calculada para momentos positivos 1022.53 4527.73
Calculada para momentos negativos 1022.53 4527.73

Comportamento da ligação para flexão simples no plano xz

Momento (kN·m)

Mj,Rd = 15.080

(2/3)·Mj,Rd = 10.060
8.520

5.680
-37.834

-9.954

-2.222

2.222

9.954

37.834
Rotação (mRad)

(2/3)·Mj,Rd = -10.060

Mj,Rd = -15.080

Momento-rotação
Momento-rotação em todas as combinações
Reta de inclinação igual à rigidez rotacional inicial para M(+) (4527.73 kN·m/rad)

3) Viga W 200 x 26,6

O cálculo foi realizado considerando que o perfil encontra-se contraventado frente à flambagem
lateral.

Verificações de resistência
Componente Verificação Unidades Desfavorável Resistente Aprov. (%)
Flambagem local MPa 46.713 213.266 21.90
Chapa lateral Esmagamento kN 20.714 50.980 40.63
Rasgamento kN 45.000 133.460 33.72

Página 149
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Esmagamento kN 20.714 49.678 41.70


Alma Rasgamento kN 45.000 131.740 34.16
Flambagem local MPa 97.384 188.115 51.77

Verificação de cordões de solda


Coef. de

Perimetral
Metal base Eletrodo Tensões minoração de
o Lado
çã
Descrição Tipo P.S.(1) resistências
cu

(mm)
e

fy fw Desfavorável Resistente Aprov.


Ex

γa1 γw1 γw2


(MPa) (MPa) (MPa) (MPa) (%)
Solda da
De Em E60XX
chapa -- 4 250.0 SMAW 46.8 184.4 25.37 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
lateral
Procedimento de solda
(1)

Verificações para os parafusos

Aprov. Máx. (%)


Interação
tração e
Parafuso

Cortante Tração
esforço
Diâmetro cortante
Desfavorável Resistente Aprov. Desfavorável Resistente Aprov. Aprov.
Verificação Verificação
(kN) (kN) (%) (kN) (kN) (%) (%)
Seção transversal 20.714 30.965 66.89 Haste 0.000 55.986 0.00
1 1/2" 66.89 66.89
Esmagamento 20.714 50.980 40.63 Punção 0.000 77.548 0.00
Seção transversal 15.000 30.965 48.44 Haste 0.000 55.986 0.00
2 1/2" 48.44 48.44
Esmagamento 15.000 72.249 20.76 Punção 0.000 77.548 0.00
Seção transversal 20.714 30.965 66.89 Haste 0.000 55.986 0.00
3 1/2" 66.89 66.89
Esmagamento 20.714 72.249 28.67 Punção 0.000 77.548 0.00

Página 150
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

d) Quantit.

Soldas
Lado Comprimento de cordões
Classe de resistência Execução Tipo
(mm) (mm)
3 2111
E60XX Em oficina De filete 4 340
5 800

Chapas
Dimensões Peso
Material Tipo Quantidade
(mm) (kg)
Enrijecedores 4 190x60x9 3.23
1 120x220x7 1.45
A-36 250Mpa Chapas
1 80x170x8 0.85
Total 5.53

Elementos para aparafusar


Tipo Material Quantidade Descrição
Parafusos ASTM A325 9 1/2"x1 3/4", Tipo 1, ASTM A325T
Porcas Grau C 9 1/2", ASTM A563
Anilhas Tipo 1 18 1/2", ASTM F436

Página 151
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

2.4.5.2.- Tipo 2
Nós (2): N2 e N5.

a) Detalhe

60

120 30 3 Furos Ø 14.3 mm

17
32 32

40.563 63
43

33
220

17
43 68

6 Furos Ø 14.3 mm
60

22

Chapa frontal da viga W 200 x 15,0 Detalhe do recorte da viga


(e = 7 mm) W 200 x 26,6

D
A

B
E60XX
Chapa

A
3 SMAW
Enrijecedor 120x220x7
190x60x9

47.5

18.5
Viga

55.5
Viga 3 179 E60XX d1 d1 Viga
3 179 SMAW W 200 x 15,0
W 200 x 26,6 W 200 x 26,6

C C

Enrijecedor
1/2"x1 3/4", Tipo 1, ASTM A325T
190x60x9 10 (3)
E60XX 1/2"x1 3/4", Tipo 1, ASTM A325T 1/2", ASTM A563, C
3 SMAW (6)
1/2", ASTM A563, C 2 1/2", ASTM F436, Tipo 1
2 1/2", ASTM F436, Tipo 1 4 170 E60XX
4 170 SMAW
Viga
Pilar Pilar Pilar
W 200 x 15,0
W 200 x 26,6 W 200 x 26,6 W 200 x 26,6
D
A

A
Corte A - A Corte D - D
Corte B - B
3 170 E60XX
3 170 SMAW

Enrijecedor Enrijecedor 80
190x60x9 190x60x9
E60XX 5 50 5 50 E60XX Chapa Viga 40
SMAW 5 50 5 50 SMAW
120x220x7 W 200 x 15,0

22
170

2263
3 Furos Ø 14.3 mm

E60XX 5 50 5 50 E60XX
SMAW 5 50 5 50 SMAW Chapa lateral
80x170x8 100.6
Enrijecedor
190x60x9
Enrijecedor Chapa lateral da viga W 200 x 26,6
190x60x9
(e = 8 mm)
3 170 E60XX
3 170 SMAW Viga
W 200 x 26,6

d1.Detalhe de soldas: enrijecedores Corte C - C


a Pilar W 200 x 26,6

b) Descrição dos componentes da ligação

Perfis
Geometria Aço
ão

Altura Largura Espessura Espessura


Peça fy fu
cr

Esquema total da aba da mesa da alma Tipo


es

(MPa) (MPa)
(mm) (mm) (mm) (mm)
D

5.8
8.4

Pilar W 200 x 26,6 207 133 8.4 5.8 A-36 250Mpa 250.0 400.0
207

133
4.3
5.2

Viga W 200 x 15,0 200 100 5.2 4.3 A-36 250Mpa 250.0 400.0
200

100
5.8
8.4

Viga W 200 x 26,6 207 133 8.4 5.8 A-36 250Mpa 250.0 400.0
207

133

Página 152
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Elementos complementares
Geometria Furos Aço
Peça Largura Altura Espessura Diâmetro fy fu
Esquema Quantidade Tipo
(mm) (mm) (mm) (mm) (MPa) (MPa)

A-36
60

Enrijecedor 190.2 60 9 - - 250.0 400.0


190.2
250Mpa

Chapa
frontal: A-36
220

120 220 7 6 14.3 250.0 400.0


Viga W 200 250Mpa
x 15,0
120

Chapa
lateral: A-36
170

80 170 8 3 14.3 250.0 400.0


Viga W 200 250Mpa
x 26,6
80

Parafusos
Geometria Aço
Descrição Comprimento fy fu
Esquema Diâmetro
(mm) (MPa) (MPa)

1/2"x1 3/4", Tipo 1, ASTM A325T


1/2", ASTM A563, C 1/2" 44.5 635.0 825.0
2 1/2", ASTM F436, Tipo 1

c) Verificação

1) Pilar W 200 x 26,6

Verificações de resistência
Componente Verificação Unidades Desfavorável Resistente Aprov. (%)
Esbeltez - 32.79 70.00 46.85
Painel
Cortante kN 41.144 163.718 25.13
Tração por flexão kN 18.570 44.488 41.74
Viga W Viga W
200 x

Aba
15,0

Tração kN 8.820 128.659 6.86


Alma Tração kN 19.499 69.868 27.91
Punção kN 0.119 281.564 0.04
200 x
26,6

Alma
Flexão por força perpendicular kN 0.119 34.158 0.35

Página 153
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Verificação de cordões de solda


Coef. de

Perimetral
Metal base Eletrodo Tensões minoração de

o
Lado

çã
Descrição Tipo P.S.
(1)
resistências

u
(mm)

ec
fy fw Desfavorável Resistente Aprov.

Ex
γa1 γw1 γw2
(MPa) (MPa) (MPa) (MPa) (%)
Solda do
enrijecedor
De Em E60XX
superior às -- 5 250.0 SMAW 139.9 184.4 75.83 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
abas do
pilar
Solda do
enrijecedor
De Em E60XX
superior à -- 3 250.0 SMAW 62.3 184.4 33.79 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
alma do
pilar
Solda do
enrijecedor
De Em E60XX
inferior às -- 5 250.0 SMAW 127.3 184.4 69.01 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
abas do
pilar
Solda do
enrijecedor
De Em E60XX
inferior à -- 3 250.0 SMAW 62.3 184.4 33.79 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
alma do
pilar
Solda do
enrijecedor
De Em E60XX
superior às -- 5 250.0 SMAW 139.9 184.4 75.83 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
abas do
pilar
Solda do
enrijecedor
De Em E60XX
superior à -- 3 250.0 SMAW 62.3 184.4 33.79 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
alma do
pilar
Solda do
enrijecedor
De Em E60XX
inferior às -- 5 250.0 SMAW 127.3 184.4 69.01 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
abas do
pilar
Solda do
enrijecedor
De Em E60XX
inferior à -- 3 250.0 SMAW 62.3 184.4 33.79 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
alma do
pilar
(1)
Procedimento de solda

2) Viga W 200 x 15,0

Verificações de resistência
Componente Verificação Unidades Desfavorável Resistente Aprov. (%)
Chapa frontal Tração por flexão kN 9.543 15.847 60.22
Compressão kN 51.654 118.182 43.71
Aba
Tração kN 9.161 59.091 15.50
Alma Tração kN 18.817 56.788 33.14

Verificação de cordões de solda


Coef. de
Perimetral

Metal base Eletrodo Tensões minoração de


ão

Lado resistências
Descrição Tipo P.S.(1)

(mm)
ec

fy fw Desfavorável Resistente Aprov.


Ex

γa1 γw1 γw2


(MPa) (MPa) (MPa) (MPa) (%)
Solda da
De Em E60XX
aba X 3 250.0 SMAW 123.7 184.4 67.04 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
superior
Solda da De Em E60XX
-- 3 250.0 SMAW 96.8 184.4 52.46 1.10 -- 1.35
alma filete oficina (415.0)

Página 154
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Verificação de cordões de solda


Coef. de

Perimetral
Metal base Eletrodo Tensões minoração de

o
Lado

çã
Descrição Tipo P.S.(1) resistências

cu
(mm)

e
fy fw Desfavorável Resistente Aprov.

Ex
γa1 γw1 γw2
(MPa) (MPa) (MPa) (MPa) (%)
Solda da
De Em E60XX
aba X 3 250.0 SMAW 94.2 184.4 51.07 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
inferior
Procedimento de solda
(1)

Verificações para os parafusos

5 6

3 4

1 2

Aprov. Máx. (%)


Interação
tração e
Parafuso

Cortante Tração
esforço
Diâmetro cortante
Desfavorável Resistente Aprov. Desfavorável Resistente Aprov. Aprov.
Verificação Verificação
(kN) (kN) (%) (kN) (kN) (%) (%)
Seção transversal 7.500 30.965 24.22 Haste 0.818 55.986 1.46
1 1/2" 24.22 24.22
Esmagamento 7.500 63.218 11.86 Punção 0.818 93.592 0.87
Seção transversal 7.500 30.965 24.22 Haste 0.818 55.986 1.46
2 1/2" 24.22 24.22
Esmagamento 7.500 63.218 11.86 Punção 0.818 93.592 0.87
Seção transversal 7.500 30.965 24.22 Haste 15.430 55.986 27.56
3 1/2" 29.10 29.10
Esmagamento 7.500 63.218 11.86 Punção 15.430 93.592 16.49
Seção transversal 7.500 30.965 24.22 Haste 15.430 55.986 27.56
4 1/2" 29.10 29.10
Esmagamento 7.500 63.218 11.86 Punção 15.430 93.592 16.49
Seção transversal 7.500 30.965 24.22 Haste 26.763 55.986 47.80
5 1/2" 48.70 48.70
Esmagamento 7.500 63.218 11.86 Punção 26.763 93.592 28.59
Seção transversal 7.500 30.965 24.22 Haste 26.763 55.986 47.80
6 1/2" 48.70 48.70
Esmagamento 7.500 63.218 11.86 Punção 26.763 93.592 28.59

Página 155
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Plano xy Plano xz
Rigidez rotacional inicial
(kN·m/rad) (kN·m/rad)
Calculada para momentos positivos 1022.53 4527.73
Calculada para momentos negativos 1022.53 4527.73

Comportamento da ligação para flexão simples no plano xz

Momento (kN·m)

Mj,Rd = 15.080

(2/3)·Mj,Rd = 10.060
8.520

5.680
-37.834

-9.954

-2.222

2.222

9.954

37.834
Rotação (mRad)

(2/3)·Mj,Rd = -10.060

Mj,Rd = -15.080

Momento-rotação
Momento-rotação em todas as combinações
Reta de inclinação igual à rigidez rotacional inicial para M(+) (4527.73 kN·m/rad)

3) Viga W 200 x 26,6

O cálculo foi realizado considerando que o perfil encontra-se contraventado frente à flambagem
lateral.

Verificações de resistência
Componente Verificação Unidades Desfavorável Resistente Aprov. (%)
Flambagem local MPa 46.713 213.266 21.90
Chapa lateral Esmagamento kN 20.714 50.980 40.63
Rasgamento kN 45.000 133.460 33.72

Página 156
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Esmagamento kN 20.714 49.678 41.70


Alma Rasgamento kN 45.000 131.740 34.16
Flambagem local MPa 97.384 188.115 51.77

Verificação de cordões de solda


Coef. de

Perimetral
Metal base Eletrodo Tensões minoração de
o Lado
çã
Descrição Tipo P.S.(1) resistências
cu

(mm)
e

fy fw Desfavorável Resistente Aprov.


Ex

γa1 γw1 γw2


(MPa) (MPa) (MPa) (MPa) (%)
Solda da
De Em E60XX
chapa -- 4 250.0 SMAW 46.8 184.4 25.37 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
lateral
Procedimento de solda
(1)

Verificações para os parafusos

Aprov. Máx. (%)


Interação
tração e
Parafuso

Cortante Tração
esforço
Diâmetro cortante
Desfavorável Resistente Aprov. Desfavorável Resistente Aprov. Aprov.
Verificação Verificação
(kN) (kN) (%) (kN) (kN) (%) (%)
Seção transversal 20.714 30.965 66.89 Haste 0.000 55.986 0.00
1 1/2" 66.89 66.89
Esmagamento 20.714 50.980 40.63 Punção 0.000 77.548 0.00
Seção transversal 15.000 30.965 48.44 Haste 0.000 55.986 0.00
2 1/2" 48.44 48.44
Esmagamento 15.000 72.249 20.76 Punção 0.000 77.548 0.00
Seção transversal 20.714 30.965 66.89 Haste 0.000 55.986 0.00
3 1/2" 66.89 66.89
Esmagamento 20.714 72.249 28.67 Punção 0.000 77.548 0.00

Página 157
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

d) Quantit.

Soldas
Lado Comprimento de cordões
Classe de resistência Execução Tipo
(mm) (mm)
3 2111
E60XX Em oficina De filete 4 340
5 800

Chapas
Dimensões Peso
Material Tipo Quantidade
(mm) (kg)
Enrijecedores 4 190x60x9 3.23
1 120x220x7 1.45
A-36 250Mpa Chapas
1 80x170x8 0.85
Total 5.53

Elementos para aparafusar


Tipo Material Quantidade Descrição
Parafusos ASTM A325 9 1/2"x1 3/4", Tipo 1, ASTM A325T
Porcas Grau C 9 1/2", ASTM A563
Anilhas Tipo 1 18 1/2", ASTM F436

Página 158
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

2.4.5.3.- Tipo 3
Nós (2): N3 e N6.

a) Detalhe

135
80 80
39 39
40 40

46

34
22

22
230
170

170
46 69
6 Furos Ø 14.3 mm
2263

2263
3 Furos Ø 14.3 mm 3 Furos Ø 14.3 mm

38

Chapa lateral da viga (b) W 200 x 26,6 Chapa frontal da viga (a) W 200 x 26,6 Chapa lateral da viga (c) W 200 x 26,6
(e = 8 mm) (e = 9 mm) (e = 8 mm)
C

C
E
Chapa E60XX Chapa

B
SMAW 5
135x230x9 Enrijecedor Enrijecedor 135x230x9
190x63x9 190x63x9
49.1

49.1
d1 Viga (a) d1 d1 Viga (a) d1
Viga (c) Viga (b)
W 200 x 26,6 W 200 x 26,6
D D W 200 x 26,6 W 200 x 26,6 D D

Enrijecedor Enrijecedor
E60XX 3 173 E60XX
1/2"x1 3/4", Tipo 1, ASTM A325T 190x63x9 SMAW 3 173 5 SMAW 190x63x9 1/2"x1 3/4", Tipo 1, ASTM A325T
(6) (6)
1/2", ASTM A563, C 1/2", ASTM A563, C
2 1/2", ASTM F436, Tipo 1 Viga (a) 2 1/2", ASTM F436, Tipo 1
W 200 x 26,6
Pilar Pilar Pilar
W 200 x 26,6 W 200 x 26,6 W 200 x 26,6
A

B
C

C
Corte B - B Corte A - A
Corte C - C

Viga (b)
3 170 E60XX W 200 x 26,6
3 170 SMAW
B

A
Enrijecedor
Enrijecedor 10 190x63x9
190x63x9
18.5

18.5

Chapa lateral
55.5

55.5

Viga (b) Viga (c) 100.6 Chapa Viga (a)


E60XX 5 54 5 54 E60XX
80x170x8 135x230x9 W 200 x 26,6
SMAW 5 54 5 54 SMAW W 200 x 26,6 W 200 x 26,6

1/2"x1 3/4", Tipo 1, ASTM A325T 1/2"x1 3/4", Tipo 1, ASTM A325T
(3) 10 (3)
E60XX 5 54 5 54 E60XX 1/2", ASTM A563, C 1/2", ASTM A563, C
SMAW 5 54 5 54 SMAW 2 1/2", ASTM F436, Tipo 1 2 1/2", ASTM F436, Tipo 1 Chapa lateral
E60XX 4 170 4 170 E60XX 80x170x8 100.6
Enrijecedor SMAW 4 170 4 170 SMAW Enrijecedor
190x63x9 190x63x9
Pilar
W 200 x 26,6
3 170 E60XX
3 170 SMAW Viga (c)
W 200 x 26,6
B

Corte E - E
d1.Detalhe de soldas: enrijecedores Corte D - D
a Pilar W 200 x 26,6
64 64

3 Furos Ø 14.3 mm 30 30 3 Furos Ø 14.3 mm


17

17
40.563 63

40.563 63
17

17

64 64

Detalhe do recorte da viga (c) Detalhe do recorte da viga (b)


W 200 x 26,6 W 200 x 26,6

b) Descrição dos componentes da ligação

Perfis
Geometria Aço
ão

Altura Largura Espessura Espessura


Peça fy fu
cr

Esquema total da aba da mesa da alma Tipo


es

(MPa) (MPa)
(mm) (mm) (mm) (mm)
D

5.8
8.4

Pilar W 200 x 26,6 207 133 8.4 5.8 A-36 250Mpa 250.0 400.0
207

133
5.8
8.4

Viga W 200 x 26,6 207 133 8.4 5.8 A-36 250Mpa 250.0 400.0
207

133

Página 159
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Elementos complementares
Geometria Furos Aço
Peça Largura Altura Espessura Diâmetro fy fu
Esquema Quantidade Tipo
(mm) (mm) (mm) (mm) (MPa) (MPa)

A-36
63.6

Enrijecedor 190.2 63.6 9 - - 250.0 400.0


250Mpa
190.2

Chapa
frontal: A-36
230

135 230 9 6 14.3 250.0 400.0


Viga (a) W 250Mpa
200 x 26,6
135

Chapa
lateral: A-36
170

80 170 8 3 14.3 250.0 400.0


Viga (b) W 250Mpa
200 x 26,6
80

Chapa
lateral: A-36
170

80 170 8 3 14.3 250.0 400.0


Viga (c) W 250Mpa
200 x 26,6
80

Parafusos
Geometria Aço
Descrição Comprimento fy fu
Esquema Diâmetro
(mm) (MPa) (MPa)

1/2"x1 3/4", Tipo 1, ASTM A325T


1/2", ASTM A563, C 1/2" 44.5 635.0 825.0
2 1/2", ASTM F436, Tipo 1

Página 160
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

c) Verificação

1) Pilar W 200 x 26,6

Verificações de resistência
Componente Verificação Unidades Desfavorável Resistente Aprov. (%)
Esbeltez - 32.79 70.00 46.85
Painel
Cortante kN 67.530 163.718 41.25
Tração por flexão kN 28.886 44.488 64.93
Viga (c) Viga (b) Viga (a)
W 200
x 26,6

Aba
Tração kN 13.720 131.040 10.47
Alma Tração kN 30.332 69.868 43.41
Punção kN 0.119 281.564 0.04
W 200 W 200
x 26,6

Alma
Flexão por força perpendicular kN 0.119 34.158 0.35

Punção kN 0.119 281.564 0.04


x 26,6

Alma
Flexão por força perpendicular kN 0.119 34.158 0.35

Verificação de cordões de solda


Coef. de
Perimetral

Metal base Eletrodo Tensões minoração de


ão

Lado resistências
Descrição Tipo P.S.(1)

(mm)
ec

fy fw Desfavorável Resistente Aprov.


Ex

γa1 γw1 γw2


(MPa) (MPa) (MPa) (MPa) (%)
Solda do
enrijecedor
De Em E60XX
superior às -- 5 250.0 SMAW 118.7 184.4 64.37 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
abas do
pilar
Solda do
enrijecedor
De Em E60XX
superior à -- 3 250.0 SMAW 62.3 184.4 33.79 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
alma do
pilar
Solda do
enrijecedor
De Em E60XX
inferior às -- 5 250.0 SMAW 118.7 184.4 64.37 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
abas do
pilar
Solda do
enrijecedor
De Em E60XX
inferior à -- 3 250.0 SMAW 62.3 184.4 33.79 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
alma do
pilar
Solda do
enrijecedor
De Em E60XX
superior às -- 5 250.0 SMAW 118.7 184.4 64.37 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
abas do
pilar
Solda do
enrijecedor
De Em E60XX
superior à -- 3 250.0 SMAW 62.3 184.4 33.79 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
alma do
pilar
Solda do
enrijecedor
De Em E60XX
inferior às -- 5 250.0 SMAW 118.7 184.4 64.37 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
abas do
pilar
Solda do
enrijecedor
De Em E60XX
inferior à -- 3 250.0 SMAW 62.3 184.4 33.79 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
alma do
pilar
(1)
Procedimento de solda

Página 161
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

2) Viga (a) W 200 x 26,6

Verificações de resistência
Componente Verificação Unidades Desfavorável Resistente Aprov. (%)
Chapa frontal Tração por flexão kN 28.886 46.041 62.74
Compressão kN 94.998 253.909 37.41
Aba
Tração kN 14.836 123.296 12.03
Alma Tração kN 28.101 73.355 38.31

Verificação de cordões de solda


Coef. de
Perimetral

Metal base Eletrodo Tensões minoração de


o

Lado
çã

Descrição Tipo P.S.(1) resistências


cu

(mm)
e

fy fw Desfavorável Resistente Aprov.


Ex

γa1 γw1 γw2


(MPa) (MPa) (MPa) (MPa) (%)
Solda da
De Em E60XX
aba X 5 250.0 SMAW 89.3 184.4 48.40 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
superior
Solda da De Em E60XX
-- 3 250.0 SMAW 164.0 184.4 88.91 1.10 -- 1.35
alma filete oficina (415.0)
Solda da
De Em E60XX
aba X 5 250.0 SMAW 83.2 184.4 45.09 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
inferior
Procedimento de solda
(1)

Verificações para os parafusos

5 6

3 4

1 2

Aprov. Máx. (%)

Interação
tração e
Parafuso

Cortante Tração
esforço
Diâmetro cortante
Desfavorável Resistente Aprov. Desfavorável Resistente Aprov. Aprov.
Verificação Verificação
(kN) (kN) (%) (kN) (kN) (%) (%)
Seção transversal 7.500 30.965 24.22 Haste 3.953 55.986 7.06
1 1/2" 24.22 24.22
Esmagamento 7.500 75.861 9.89 Punção 3.953 112.311 3.52
Seção transversal 7.500 30.965 24.22 Haste 3.953 55.986 7.06
2 1/2" 24.22 24.22
Esmagamento 7.500 75.861 9.89 Punção 3.953 112.311 3.52
Seção transversal 7.500 30.965 24.22 Haste 23.627 55.986 42.20
3 1/2" 46.12 46.12
Esmagamento 7.500 75.861 9.89 Punção 23.627 112.311 21.04
Seção transversal 7.500 30.965 24.22 Haste 23.627 55.986 42.20
4 1/2" 46.12 46.12
Esmagamento 7.500 75.861 9.89 Punção 23.627 112.311 21.04
Seção transversal 7.500 30.965 24.22 Haste 36.351 55.986 64.93
5 1/2" 67.54 67.54
Esmagamento 7.500 75.861 9.89 Punção 36.351 112.311 32.37
Seção transversal 7.500 30.965 24.22 Haste 36.351 55.986 64.93
6 1/2" 67.54 67.54
Esmagamento 7.500 75.861 9.89 Punção 36.351 112.311 32.37

Página 162
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Plano xy Plano xz
Rigidez rotacional inicial
(kN·m/rad) (kN·m/rad)
Calculada para momentos positivos 4203.18 5338.53
Calculada para momentos negativos 4203.18 5338.53

Comportamento da ligação para flexão simples no plano xz

Momento (kN·m)

Mj,Rd = 23.170

(2/3)·Mj,Rd = 15.440
14.310

9.540
-31.921

-12.968

-2.891

2.891

12.968

31.921

Rotação (mRad)

(2/3)·Mj,Rd = -15.440

Mj,Rd = -23.170

Momento-rotação
Momento-rotação em todas as combinações
Reta de inclinação igual à rigidez rotacional inicial para M(+) (5338.53 kN·m/rad)

3) Viga (c) W 200 x 26,6

O cálculo foi realizado considerando que o perfil encontra-se contraventado frente à flambagem
lateral.

Verificações de resistência
Componente Verificação Unidades Desfavorável Resistente Aprov. (%)
Flambagem local MPa 46.713 213.266 21.90
Chapa lateral Esmagamento kN 20.714 50.980 40.63
Rasgamento kN 45.000 133.460 33.72

Página 163
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Esmagamento kN 20.714 49.678 41.70


Alma Rasgamento kN 45.000 131.740 34.16
Flambagem local MPa 102.958 182.883 56.30

Verificação de cordões de solda


Coef. de

Perimetral
Metal base Eletrodo Tensões minoração de
o Lado
çã
Descrição Tipo P.S.(1) resistências
cu

(mm)
e

fy fw Desfavorável Resistente Aprov.


Ex

γa1 γw1 γw2


(MPa) (MPa) (MPa) (MPa) (%)
Solda da
De Em E60XX
chapa -- 4 250.0 SMAW 46.8 184.4 25.37 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
lateral
Procedimento de solda
(1)

Verificações para os parafusos

Aprov. Máx. (%)


Interação
tração e
Parafuso

Cortante Tração
esforço
Diâmetro cortante
Desfavorável Resistente Aprov. Desfavorável Resistente Aprov. Aprov.
Verificação Verificação
(kN) (kN) (%) (kN) (kN) (%) (%)
Seção transversal 20.714 30.965 66.89 Haste 0.000 55.986 0.00
1 1/2" 66.89 66.89
Esmagamento 20.714 50.980 40.63 Punção 0.000 77.548 0.00
Seção transversal 15.000 30.965 48.44 Haste 0.000 55.986 0.00
2 1/2" 48.44 48.44
Esmagamento 15.000 72.249 20.76 Punção 0.000 77.548 0.00
Seção transversal 20.714 30.965 66.89 Haste 0.000 55.986 0.00
3 1/2" 66.89 66.89
Esmagamento 20.714 72.249 28.67 Punção 0.000 77.548 0.00

4) Viga (b) W 200 x 26,6

O cálculo foi realizado considerando que o perfil encontra-se contraventado frente à flambagem
lateral.

Verificações de resistência
Componente Verificação Unidades Desfavorável Resistente Aprov. (%)
Flambagem local MPa 46.713 213.266 21.90
Chapa lateral Esmagamento kN 20.714 50.980 40.63
Rasgamento kN 45.000 133.460 33.72
Esmagamento kN 20.714 49.678 41.70
Alma Rasgamento kN 45.000 131.740 34.16
Flambagem local MPa 102.958 182.883 56.30

Página 164
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Verificação de cordões de solda


Coef. de

Perimetral
Metal base Eletrodo Tensões minoração de

o
Lado

çã
Descrição Tipo P.S.(1) resistências

cu
(mm)

e
fy fw Desfavorável Resistente Aprov.

Ex
γa1 γw1 γw2
(MPa) (MPa) (MPa) (MPa) (%)
Solda da
De Em E60XX
chapa -- 4 250.0 SMAW 46.8 184.4 25.37 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
lateral
Procedimento de solda
(1)

Verificações para os parafusos

Aprov. Máx. (%)


Interação
tração e
Parafuso

Cortante Tração
esforço
Diâmetro cortante
Desfavorável Resistente Aprov. Desfavorável Resistente Aprov. Aprov.
Verificação Verificação
(kN) (kN) (%) (kN) (kN) (%) (%)
Seção transversal 20.714 30.965 66.89 Haste 0.000 55.986 0.00
1 1/2" 66.89 66.89
Esmagamento 20.714 50.980 40.63 Punção 0.000 77.548 0.00
Seção transversal 15.000 30.965 48.44 Haste 0.000 55.986 0.00
2 1/2" 48.44 48.44
Esmagamento 15.000 72.249 20.76 Punção 0.000 77.548 0.00
Seção transversal 20.714 30.965 66.89 Haste 0.000 55.986 0.00
3 1/2" 66.89 66.89
Esmagamento 20.714 72.249 28.67 Punção 0.000 77.548 0.00

Página 165
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

d) Quantit.

Soldas
Lado Comprimento de cordões
Classe de resistência Execução Tipo
(mm) (mm)
3 1708
E60XX Em oficina De filete 4 680
5 1378

Chapas
Dimensões Peso
Material Tipo Quantidade
(mm) (kg)
Enrijecedores 4 190x63x9 3.42
2 80x170x8 1.71
A-36 250Mpa Chapas
1 135x230x9 2.19
Total 7.32

Elementos para aparafusar


Tipo Material Quantidade Descrição
Parafusos ASTM A325 12 1/2"x1 3/4", Tipo 1, ASTM A325T
Porcas Grau C 12 1/2", ASTM A563
Anilhas Tipo 1 24 1/2", ASTM F436

Página 166
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

2.4.5.4.- Tipo 4
Nós (4): N7, N8, N9 e N10.

a) Detalhe

B
C

1/2"x1 3/4", Tipo 1, ASTM A325T


(3) Chapa lateral
Chapa lateral Viga secundária 1/2", ASTM A563, C
80x170x8
80x170x8 W 200 x 26,6 2 1/2", ASTM F436, Tipo 1
Viga secundária
W 200 x 26,6

A A
Viga principal
W 200 x 26,6
Viga principal
W 200 x 26,6
Corte C - C

B
C

Corte B - B
64

3 Furos Ø 14.3 mm
30

Viga principal Viga secundária


17

W 200 x 26,6 10 W 200 x 26,6


63
40.5 63
17

64 Chapa lateral
C C
80x170x8

Detalhe do extremo da viga secundária


W 200 x 26,6 Corte A - A
80

Viga principal 40
40.5

W 200 x 26,6
22

Chapa lateral
170

80x170x8 3 Furos Ø 14.3 mm


22 63

4 170 E60XX
4 170 SMAW

Chapa lateral da viga W 200 x 26,6


Detalhe da solda da chapa lateral. (e = 8 mm)

b) Descrição dos componentes da ligação

Perfis
Geometria Aço
ão

Peça Altura Largura Espessura Espessura


fy fu
cr

Esquema total da aba da mesa da alma Tipo


es

(MPa) (MPa)
(mm) (mm) (mm) (mm)
D

5.8
8.4

Viga principal W 200 x 26,6 207 133 8.4 5.8 A-36 250Mpa 250.0 400.0
207

133
5.8
8.4

Viga secundária W 200 x 26,6 207 133 8.4 5.8 A-36 250Mpa 250.0 400.0
207

133

Página 167
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Elementos complementares
Geometria Furos Aço
Peça Largura Altura Espessura Diâmetro fy fu
Esquema Quantidade Tipo
(mm) (mm) (mm) (mm) (MPa) (MPa)

Chapa
lateral: Viga
A-36
170

secundária 80 170 8 3 14.3 250.0 400.0


250Mpa
W 200 x
26,6
80

Parafusos
Geometria Aço
Descrição Comprimento fy fu
Esquema Diâmetro
(mm) (MPa) (MPa)

1/2"x1 3/4", Tipo 1, ASTM A325T


1/2", ASTM A563, C 1/2" 44.5 635.0 825.0
2 1/2", ASTM F436, Tipo 1

c) Verificação

1) Viga principal W 200 x 26,6

Verificações de resistência
Componente Verificação Unidades Desfavorável Resistente Aprov. (%)
Punção kN 0.006 84.679 0.01
Alma
Flexão por força perpendicular kN 0.006 83.131 0.01

2) Viga secundária W 200 x 26,6

O cálculo foi realizado considerando que o perfil encontra-se contraventado frente à flambagem
lateral.

Verificações de resistência
Componente Verificação Unidades Desfavorável Resistente Aprov. (%)
Flambagem local MPa 46.713 213.266 21.90
Chapa lateral Esmagamento kN 20.714 50.980 40.63
Rasgamento kN 45.000 133.460 33.72
Esmagamento kN 20.714 40.058 51.71
Alma Rasgamento kN 45.000 99.346 45.30
Flambagem local MPa 118.440 167.368 70.77

Verificação de cordões de solda


Coef. de
Perimetral

Metal base Eletrodo Tensões minoração de


ão

Lado resistências
Descrição Tipo P.S.(1)

(mm)
ec

fy fw Desfavorável Resistente Aprov.


Ex

γa1 γw1 γw2


(MPa) (MPa) (MPa) (MPa) (%)
Solda da
De Em E60XX
chapa -- 4 250.0 SMAW 52.3 184.4 28.36 1.10 -- 1.35
filete oficina (415.0)
lateral
Procedimento de solda
(1)

Página 168
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Verificações para os parafusos

Aprov. Máx. (%)


Interação
tração e
Parafuso

Cortante Tração
esforço
Diâmetro cortante
Desfavorável Resistente Aprov. Desfavorável Resistente Aprov. Aprov.
Verificação Verificação
(kN) (kN) (%) (kN) (kN) (%) (%)
Seção transversal 20.714 30.965 66.89 Haste 0.000 55.986 0.00
1 1/2" 66.89 66.89
Esmagamento 20.714 50.980 40.63 Punção 0.000 77.548 0.00
Seção transversal 15.000 30.965 48.44 Haste 0.000 55.986 0.00
2 1/2" 48.44 48.44
Esmagamento 15.000 72.249 20.76 Punção 0.000 77.548 0.00
Seção transversal 20.714 30.965 66.89 Haste 0.000 55.986 0.00
3 1/2" 66.89 66.89
Esmagamento 20.714 72.249 28.67 Punção 0.000 77.548 0.00

d) Quantit.

Soldas
Lado Comprimento de cordões
Classe de resistência Execução Tipo
(mm) (mm)
E60XX Em oficina De filete 4 340

Chapas
Dimensões Peso
Material Tipo Quantidade
(mm) (kg)
Chapas 1 80x170x8 0.85
A-36 250Mpa
Total 0.85

Elementos para aparafusar


Tipo Material Quantidade Descrição
Parafusos ASTM A325 3 1/2"x1 3/4", Tipo 1, ASTM A325T
Porcas Grau C 3 1/2", ASTM A563
Anilhas Tipo 1 6 1/2", ASTM F436

Página 169
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

2.4.6.- Quantit.
Soldas
Lado Comprimento de cordões
Classe de resistência Execução Tipo
(mm) (mm)
3 11862
E60XX Em oficina De filete 4 4080
5 5956

Chapas
Dimensões Peso
Material Tipo Quantidade
(mm) (kg)
16 190x60x9 12.90
Enrijecedores
8 190x63x9 6.84
4 120x220x7 5.80
A-36 250Mpa
Chapas 12 80x170x8 10.25
2 135x230x9 4.39
Total 40.18

Elementos para aparafusar


Tipo Material Quantidade Descrição
Parafusos ASTM A325 72 1/2"x1 3/4", Tipo 1, ASTM A325T
Porcas Grau C 72 1/2", ASTM A563
Anilhas Tipo 1 144 1/2", ASTM F436

2.5.- Placas de base


2.5.1.- Descrição

Descrição
Referência Placa base Disposição Enrijecedores Parafusos
Largura X: 250 mm
N11,N12,N13, Posição X: Centrada Paralelos X: - 4Ø12.66 mm L=30 cm
Largura Y: 350 mm
N14,N15,N16 Posição Y: Centrada Paralelos Y: - Dobra a 180 graus
Espessura: 14 mm

2.5.2.- Quantitativos placas de base

Pilares Aço Peso kgf Totais kgf


N11, N12, N13, N14, N15,
N16 A-36 6 x 9.62
57.70
Totais 57.70

2.5.3.- Quantitativos parafusos placas de base

Pilares Parafusos Aço Comprimento m Peso kgf Totais m Totais kgf


N11, N12, N13, N14, N15,
N16 24Ø12.66 mm L=49 cm ASTM A-307 (liso) 24 x 0.49 24 x 0.49
11.79 11.65
Totais 11.79 11.65

Página 170
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

2.5.4.- Verificação das placas de ancoragem


Referência: N11

-Placa base: Largura X: 250 mm Largura Y: 350 mm Espessura: 14 mm


-Parafusos: 4Ø12.66 mm L=30 cm Dobra a 180 graus
-Disposição: Posição X: Centrada Posição Y: Centrada
Verificação Valores Estado
Distância mínima entre chumbadores: Mínimo: 37 mm
3 diâmetros Calculado: 190 mm Passa
Distância mínima chumbador-perfil: Mínimo: 18 mm
1.5 diâmetros Calculado: 51 mm Passa
Distância mínima chumbador-borda: Mínimo: 25 mm
2 diâmetros Calculado: 30 mm Passa
Comprimento mínimo do parafuso: Mínimo: 27 cm
Calcula-se o comprimento de ancoragem necessário por aderência. Calculado: 30 cm Passa
Ancoragem chumbador no concreto:
- Tração: Máximo: 16.73 kN
Calculado: 1.63 kN Passa
- Cortante: Máximo: 11.71 kN
Calculado: 1.21 kN Passa
- Tração + Cortante: Máximo: 16.73 kN
Calculado: 3.35 kN Passa
Tração chumbadores: Máximo: 45.93 kN
Calculado: 1.75 kN Passa
Tensão de Von Mises nos chumbadores: Máximo: 364.5 MPa
Calculado: 24.1244 MPa Passa
Esmagamento chumbador na placa: Máximo: 99.7 kN
Limite de esforço de corte em um chumbador atuando contra a placa Calculado: 1.29 kN Passa
Tensão de Von Mises em seções globais: Máximo: 250 MPa
- Direita: Calculado: 21.1014 MPa Passa
- Esquerda: Calculado: 20.8114 MPa Passa
- Acima: Calculado: 18.5121 MPa Passa
- Abaixo: Calculado: 105.54 MPa Passa
Flecha global equivalente:
Limite da deformabilidade dos balanços Mínimo: 250
- Direita: Calculado: 13022.1 Passa
- Esquerda: Calculado: 13314.9 Passa
- Acima: Calculado: 4763.61 Passa
- Abaixo: Calculado: 858.671 Passa
Tensão de Von Mises local: Máximo: 250 MPa
Tensão por tração de chumbadores sobre placas em balanço Calculado: 0 MPa Passa
Todas as verificações foram cumpridas
Referência: N12

-Placa base: Largura X: 250 mm Largura Y: 350 mm Espessura: 14 mm


-Parafusos: 4Ø12.66 mm L=30 cm Dobra a 180 graus
-Disposição: Posição X: Centrada Posição Y: Centrada
Verificação Valores Estado
Distância mínima entre chumbadores: Mínimo: 37 mm
3 diâmetros Calculado: 190 mm Passa
Distância mínima chumbador-perfil: Mínimo: 18 mm
1.5 diâmetros Calculado: 51 mm Passa

Página 171
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Referência: N12

-Placa base: Largura X: 250 mm Largura Y: 350 mm Espessura: 14 mm


-Parafusos: 4Ø12.66 mm L=30 cm Dobra a 180 graus
-Disposição: Posição X: Centrada Posição Y: Centrada
Verificação Valores Estado
Distância mínima chumbador-borda: Mínimo: 25 mm
2 diâmetros Calculado: 30 mm Passa
Comprimento mínimo do parafuso: Mínimo: 27 cm
Calcula-se o comprimento de ancoragem necessário por aderência. Calculado: 30 cm Passa
Ancoragem chumbador no concreto:
- Tração: Máximo: 16.73 kN
Calculado: 2.22 kN Passa
- Cortante: Máximo: 11.71 kN
Calculado: 2.1 kN Passa
- Tração + Cortante: Máximo: 16.73 kN
Calculado: 5.21 kN Passa
Tração chumbadores: Máximo: 45.93 kN
Calculado: 2.39 kN Passa
Tensão de Von Mises nos chumbadores: Máximo: 364.5 MPa
Calculado: 39.187 MPa Passa
Esmagamento chumbador na placa: Máximo: 99.7 kN
Limite de esforço de corte em um chumbador atuando contra a placa Calculado: 2.25 kN Passa
Tensão de Von Mises em seções globais: Máximo: 250 MPa
- Direita: Calculado: 41.4141 MPa Passa
- Esquerda: Calculado: 41.4141 MPa Passa
- Acima: Calculado: 25.6732 MPa Passa
- Abaixo: Calculado: 185.6 MPa Passa
Flecha global equivalente:
Limite da deformabilidade dos balanços Mínimo: 250
- Direita: Calculado: 5971.79 Passa
- Esquerda: Calculado: 5971.79 Passa
- Acima: Calculado: 3448.94 Passa
- Abaixo: Calculado: 489.178 Passa
Tensão de Von Mises local: Máximo: 250 MPa
Tensão por tração de chumbadores sobre placas em balanço Calculado: 0 MPa Passa
Todas as verificações foram cumpridas
Referência: N13

-Placa base: Largura X: 250 mm Largura Y: 350 mm Espessura: 14 mm


-Parafusos: 4Ø12.66 mm L=30 cm Dobra a 180 graus
-Disposição: Posição X: Centrada Posição Y: Centrada
Verificação Valores Estado
Distância mínima entre chumbadores: Mínimo: 37 mm
3 diâmetros Calculado: 190 mm Passa
Distância mínima chumbador-perfil: Mínimo: 18 mm
1.5 diâmetros Calculado: 51 mm Passa
Distância mínima chumbador-borda: Mínimo: 25 mm
2 diâmetros Calculado: 30 mm Passa
Comprimento mínimo do parafuso: Mínimo: 27 cm
Calcula-se o comprimento de ancoragem necessário por aderência. Calculado: 30 cm Passa
Ancoragem chumbador no concreto:

Página 172
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Referência: N13

-Placa base: Largura X: 250 mm Largura Y: 350 mm Espessura: 14 mm


-Parafusos: 4Ø12.66 mm L=30 cm Dobra a 180 graus
-Disposição: Posição X: Centrada Posição Y: Centrada
Verificação Valores Estado
- Tração: Máximo: 16.73 kN
Calculado: 1.63 kN Passa
- Cortante: Máximo: 11.71 kN
Calculado: 1.21 kN Passa
- Tração + Cortante: Máximo: 16.73 kN
Calculado: 3.35 kN Passa
Tração chumbadores: Máximo: 45.93 kN
Calculado: 1.75 kN Passa
Tensão de Von Mises nos chumbadores: Máximo: 364.5 MPa
Calculado: 24.1244 MPa Passa
Esmagamento chumbador na placa: Máximo: 99.7 kN
Limite de esforço de corte em um chumbador atuando contra a placa Calculado: 1.29 kN Passa
Tensão de Von Mises em seções globais: Máximo: 250 MPa
- Direita: Calculado: 21.1014 MPa Passa
- Esquerda: Calculado: 20.8114 MPa Passa
- Acima: Calculado: 105.54 MPa Passa
- Abaixo: Calculado: 18.5121 MPa Passa
Flecha global equivalente:
Limite da deformabilidade dos balanços Mínimo: 250
- Direita: Calculado: 13022.1 Passa
- Esquerda: Calculado: 13314.9 Passa
- Acima: Calculado: 858.671 Passa
- Abaixo: Calculado: 4763.61 Passa
Tensão de Von Mises local: Máximo: 250 MPa
Tensão por tração de chumbadores sobre placas em balanço Calculado: 0 MPa Passa
Todas as verificações foram cumpridas
Referência: N14

-Placa base: Largura X: 250 mm Largura Y: 350 mm Espessura: 14 mm


-Parafusos: 4Ø12.66 mm L=30 cm Dobra a 180 graus
-Disposição: Posição X: Centrada Posição Y: Centrada
Verificação Valores Estado
Distância mínima entre chumbadores: Mínimo: 37 mm
3 diâmetros Calculado: 190 mm Passa
Distância mínima chumbador-perfil: Mínimo: 18 mm
1.5 diâmetros Calculado: 51 mm Passa
Distância mínima chumbador-borda: Mínimo: 25 mm
2 diâmetros Calculado: 30 mm Passa
Comprimento mínimo do parafuso: Mínimo: 27 cm
Calcula-se o comprimento de ancoragem necessário por aderência. Calculado: 30 cm Passa
Ancoragem chumbador no concreto:
- Tração: Máximo: 16.73 kN
Calculado: 2.22 kN Passa
- Cortante: Máximo: 11.71 kN
Calculado: 2.1 kN Passa
- Tração + Cortante: Máximo: 16.73 kN
Calculado: 5.21 kN Passa
Página 173
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Referência: N14

-Placa base: Largura X: 250 mm Largura Y: 350 mm Espessura: 14 mm


-Parafusos: 4Ø12.66 mm L=30 cm Dobra a 180 graus
-Disposição: Posição X: Centrada Posição Y: Centrada
Verificação Valores Estado
Tração chumbadores: Máximo: 45.93 kN
Calculado: 2.39 kN Passa
Tensão de Von Mises nos chumbadores: Máximo: 364.5 MPa
Calculado: 39.187 MPa Passa
Esmagamento chumbador na placa: Máximo: 99.7 kN
Limite de esforço de corte em um chumbador atuando contra a placa Calculado: 2.25 kN Passa
Tensão de Von Mises em seções globais: Máximo: 250 MPa
- Direita: Calculado: 41.4141 MPa Passa
- Esquerda: Calculado: 41.4141 MPa Passa
- Acima: Calculado: 185.6 MPa Passa
- Abaixo: Calculado: 25.6732 MPa Passa
Flecha global equivalente:
Limite da deformabilidade dos balanços Mínimo: 250
- Direita: Calculado: 5971.79 Passa
- Esquerda: Calculado: 5971.79 Passa
- Acima: Calculado: 489.178 Passa
- Abaixo: Calculado: 3448.94 Passa
Tensão de Von Mises local: Máximo: 250 MPa
Tensão por tração de chumbadores sobre placas em balanço Calculado: 0 MPa Passa
Todas as verificações foram cumpridas
Referência: N15

-Placa base: Largura X: 250 mm Largura Y: 350 mm Espessura: 14 mm


-Parafusos: 4Ø12.66 mm L=30 cm Dobra a 180 graus
-Disposição: Posição X: Centrada Posição Y: Centrada
Verificação Valores Estado
Distância mínima entre chumbadores: Mínimo: 37 mm
3 diâmetros Calculado: 190 mm Passa
Distância mínima chumbador-perfil: Mínimo: 18 mm
1.5 diâmetros Calculado: 51 mm Passa
Distância mínima chumbador-borda: Mínimo: 25 mm
2 diâmetros Calculado: 30 mm Passa
Comprimento mínimo do parafuso: Mínimo: 27 cm
Calcula-se o comprimento de ancoragem necessário por aderência. Calculado: 30 cm Passa
Ancoragem chumbador no concreto:
- Tração: Máximo: 16.73 kN
Calculado: 1.63 kN Passa
- Cortante: Máximo: 11.71 kN
Calculado: 1.21 kN Passa
- Tração + Cortante: Máximo: 16.73 kN
Calculado: 3.35 kN Passa
Tração chumbadores: Máximo: 45.93 kN
Calculado: 1.75 kN Passa
Tensão de Von Mises nos chumbadores: Máximo: 364.5 MPa
Calculado: 24.1244 MPa Passa
Esmagamento chumbador na placa: Máximo: 99.7 kN
Limite de esforço de corte em um chumbador atuando contra a placa Calculado: 1.29 kN Passa
Página 174
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Referência: N15

-Placa base: Largura X: 250 mm Largura Y: 350 mm Espessura: 14 mm


-Parafusos: 4Ø12.66 mm L=30 cm Dobra a 180 graus
-Disposição: Posição X: Centrada Posição Y: Centrada
Verificação Valores Estado
Tensão de Von Mises em seções globais: Máximo: 250 MPa
- Direita: Calculado: 20.8114 MPa Passa
- Esquerda: Calculado: 21.1014 MPa Passa
- Acima: Calculado: 105.54 MPa Passa
- Abaixo: Calculado: 18.5121 MPa Passa
Flecha global equivalente:
Limite da deformabilidade dos balanços Mínimo: 250
- Direita: Calculado: 13314.9 Passa
- Esquerda: Calculado: 13022.1 Passa
- Acima: Calculado: 858.671 Passa
- Abaixo: Calculado: 4763.61 Passa
Tensão de Von Mises local: Máximo: 250 MPa
Tensão por tração de chumbadores sobre placas em balanço Calculado: 0 MPa Passa
Todas as verificações foram cumpridas
Referência: N16

-Placa base: Largura X: 250 mm Largura Y: 350 mm Espessura: 14 mm


-Parafusos: 4Ø12.66 mm L=30 cm Dobra a 180 graus
-Disposição: Posição X: Centrada Posição Y: Centrada
Verificação Valores Estado
Distância mínima entre chumbadores: Mínimo: 37 mm
3 diâmetros Calculado: 190 mm Passa
Distância mínima chumbador-perfil: Mínimo: 18 mm
1.5 diâmetros Calculado: 51 mm Passa
Distância mínima chumbador-borda: Mínimo: 25 mm
2 diâmetros Calculado: 30 mm Passa
Comprimento mínimo do parafuso: Mínimo: 27 cm
Calcula-se o comprimento de ancoragem necessário por aderência. Calculado: 30 cm Passa
Ancoragem chumbador no concreto:
- Tração: Máximo: 16.73 kN
Calculado: 1.63 kN Passa
- Cortante: Máximo: 11.71 kN
Calculado: 1.21 kN Passa
- Tração + Cortante: Máximo: 16.73 kN
Calculado: 3.35 kN Passa
Tração chumbadores: Máximo: 45.93 kN
Calculado: 1.75 kN Passa
Tensão de Von Mises nos chumbadores: Máximo: 364.5 MPa
Calculado: 24.1244 MPa Passa
Esmagamento chumbador na placa: Máximo: 99.7 kN
Limite de esforço de corte em um chumbador atuando contra a placa Calculado: 1.29 kN Passa
Tensão de Von Mises em seções globais: Máximo: 250 MPa
- Direita: Calculado: 20.8114 MPa Passa
- Esquerda: Calculado: 21.1014 MPa Passa
- Acima: Calculado: 18.5121 MPa Passa
- Abaixo: Calculado: 105.54 MPa Passa

Página 175
Relatórios
trabalho estruturas metalicas - mezanino Data: 21/04/14

Referência: N16

-Placa base: Largura X: 250 mm Largura Y: 350 mm Espessura: 14 mm


-Parafusos: 4Ø12.66 mm L=30 cm Dobra a 180 graus
-Disposição: Posição X: Centrada Posição Y: Centrada
Verificação Valores Estado
Flecha global equivalente:
Limite da deformabilidade dos balanços Mínimo: 250
- Direita: Calculado: 13314.9 Passa
- Esquerda: Calculado: 13022.1 Passa
- Acima: Calculado: 4763.61 Passa
- Abaixo: Calculado: 858.671 Passa
Tensão de Von Mises local: Máximo: 250 MPa
Tensão por tração de chumbadores sobre placas em balanço Calculado: 0 MPa Passa
Todas as verificações foram cumpridas

Página 176