Você está na página 1de 14

0

UNIVERSIDADE ANHANGUERA UNIDERP – CEAD


POLO – CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA
CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM GESTÃO AMBIENTAL

PROJETO INTERDISCIPLINAR APLICADO AO CURSO DE TECNOLOGIA EM


GESTÃO AMBIENTAL

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS

NAVIRAÍ – MS
2018
1

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS

Projeto Interdisciplinar apresentado à Universidade


Anhaguera UNIDERP – CEAD como requisito para
a obtenção de nota no curso de tecnologia de
gestão ambiental, sob orientação supervisionada do
Profº. Esp. xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx.

MAVIRAÍ – MS
2018
RESUMO

A destinação adequada dos rejeitos oriundos das diversas atividades


humanas constitui um grande desafio, principalmente aos países em
2

desenvolvimento. Em relação aos resíduos sólidos urbanos, no Brasil apenas 32,2%


dos municípios destinam seus rejeitos em aterros - 13,8% aterros sanitários e 18,4%
aterros controlados – contra 63,6% os que dispõem em lixões. A maioria dos
municípios apresenta uma gestão precária dos resíduos sólidos, é limitada a
varrição e capina dos logradouros, coleta diária dos rejeitos na zona urbana e
disposição final em um lixão. A aquisição de recursos para a implementação de uma
usina de triagem e compostagem pode trazer grandes benefícios aos municípios,
possibilitando a redução significativa da quantidade de lixo a ser descartada
diariamente, alem da geração de empregos e redução dos impactos causados pela
atual forma de disposição final do lixo. Assim, tornou-se necessária a caracterização
dos resíduos domiciliares, sendo constatado que aproximadamente 58% desses são
constituídos de matéria orgânica, passível de ser transformada em composto
orgânico pelo processo de compostagem. Faz-se necessária também a proposição
de elementos essenciais a gestão adequada dos resíduos sólidos urbanos, como a
criação de um departamento responsável pela limpeza urbana e a adoção de planos
de educação ambiental e coleta seletiva.

SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO..................................................................................................................4
2. OBJETIVO GERAL..........................................................................................................5
2.1 OBJETIVOS ESPECÍFICOS.......................................................................................5
3

3. JUSTIFICATIVA................................................................................................................5
4. PROBLEMÁTICA.............................................................................................................6
5. REFERENCIAL TEÓRICO.............................................................................................7
6. METODOLOGIA...............................................................................................................9
7. CONSIDERAÇÕES FINAIS..........................................................................................11
8. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS...........................................................................13

1. INTRODUÇÃO

Tema: Gerenciamento de Resíduos Sólidos Urbanos.

Público-alvo: População e Prefeituras


4

Um dos maiores problemas que aflige as administrações municipais no Brasil,


é a destinação dos rejeitos gerados nas mais diversas atividades humanas. Esses
resíduos, que podem ser líquidos, gasosos ou sólidos, quando eliminados
inadequadamente, traduzem-se em poluição, contaminação e, sobretudo, no
desperdício de recursos naturais, como o ar, os mananciais e o solo.

A problemática resultante da geração dos Resíduos Sólidos Urbanos, é cada


vez mais preocupante devido ao grande crescimento populacional e ao
desenvolvimento das ultimas décadas, o que levou ao aumento do consumo de bens
e, consequentemente, da geração de lixo.

A gestão da “limpeza publica” e dos Resíduos Sólidos e de responsabilidade


das prefeituras. A destinação adequada dos resíduos, aquela que garante menores
impactos ao meio ambiente, tem se tornado um desafio, principalmente para as
cidades de pequeno porte, devido a carência de recursos humanos qualificados,
tecnológicos e financeiros, sem mencionar o problema ocasionado pelos descasos
administrativos relacionadas aos Resíduos Sólidos, típico de políticas municipais
brasileiras.

Este projeto de pesquisa tem a finalidade, de mostrar o descaso no


gerenciamento de Resíduos Sólidos, como também trazer soluções e idéias aos
municípios de pequeno porte que dispõem seus rejeitos a céu aberto, sem nenhum
tratamento prévio. A gestão adotada por esses municípios traz sérios problemas a
comunidade, como desvalorização das áreas próximas ao lixão, atração de vetores
de doenças, contaminação do solo, do ar e das águas subterrâneas e superficiais
pela geração de chorume e emanação de gases fétidos e tóxicos resultantes da
decomposição.

Nesse contexto, há a necessidade da ação efetiva das comunidades locais


onde a gestão dos Resíduos Sólidos não é adequada.

2. OBJETIVO GERAL

O objetivo geral deste trabalho é apresentar um diagnostico parcial acerca


dos Resíduos Sólidos Urbanos, mostrar o descaso no gerenciamento, como também
5

trazer soluções e idéias aos municípios de pequeno porte, sem nenhum tratamento
prévio. Objetivando, inclusive, propor uma melhoria na qualidade da gestão
municipal.

2.1 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

 Levantar informações sobre os Resíduos Sólidos Urbanos, seus impactos


ambientais, econômicos e sociais;

 Levantar informações sobre a gestão dos municípios, envolvendo Resíduos


Sólidos Urbanos;

 Apresentar possíveis instrumentos para programas de gerenciamento de


Resíduos Sólidos Urbanos, educação ambiental e mitigação dos impactos
causados pela atual forma de disposição de resíduos.

3. JUSTIFICATIVA

A escolha deste tema surgiu da necessidade em mostrar a importância do


gerenciamento adequado dos resíduos sólidos urbanos.

Um dos maiores problemas que aflige as administrações municipais no Brasil,


é a destinação dos rejeitos gerados nas mais diversas atividades humanas. O
problema resultante da geração dos resíduos sólidos urbanos é cada vez mais
preocupante devido ao grande crescimento populacional e ao desenvolvimento das
últimas décadas, o que levou ao aumento do consumo de bens e,
consequentemente da geração de lixo.

A destinação adequada dos rejeitos oriundos das diversas atividades


humanas constitui um grande desafio, principalmente aos países em
desenvolvimento.

A preocupação com a conservação do meio ambiente e o futuro das novas


gerações, não é apenas uma simples jogada de marketing. Temos realmente que
nos preocupar com o futuro e nos adequar ao meio, para continuarmos usufruindo
dele por muitas gerações.
6

Nesse contexto, há a necessidade da ação efetiva das comunidades e


governantes na gestão desses Resíduos Sólidos, no sentido de minimizar a geração
destes através da diminuição do consumo; reutilização de materiais, prolongando,
assim, a vida útil dos aterros sanitários; segregação, na fonte, dos resíduos com alto
potencial contaminante, daqueles de origem orgânica, e ainda do lixo seco e,
principalmente, fiscalizando as ações governamentais de gestão dos Resíduos
Sólidos Urbanos, sobretudo no que diz respeito à continuidade de tais políticas para
o seu pleno sucesso.

4. PROBLEMÁTICA

Inicialmente, é importante frisar que segundo o artigo 30 da Constituição


Federal, estabelece que: é de competência dos municípios “organizar e prestar
assistência direta ou indiretamente sob regime de concessão ou permissão aos
serviços públicos de interesse local” (Constituição Federal, 1988). Sendo assim, os
municípios têm incumbência de gerenciar os Resíduos Sólidos Urbanos gerados em
seu território.

Com isso, observamos que em algumas regiões do Brasil o gerenciamento


não é adequado. Não se sabe ao certo se por incompetência da administração ou se
por falta de recursos.

Podemos citar algumas recomendações a serem observadas na solução


deste problema:

 E fundamental a realização de um estudo dos impactos da área degradada


pelo lixão, sobretudo das condições dos corpos d’água existentes no local;

 Obviamente, o GRSU do município devera objetivar a extensão do serviço


de coleta as comunidades rurais;

 E preciso investir na educação ambiental e patrimonial da comunidade,


buscando seu envolvimento com a problemática em questão, pois sem a
participação efetiva da comunidade, o funcionamento do sistema de gestão
a ser implementado estará fadado ao declínio, alimentando o antigo “circulo
vicioso” da não perseverança de projetos socioculturais e ambientais
existentes em muitas administrações políticas.
7

5. REFERENCIAL TEÓRICO

O gerenciamento integrado dos Resíduos Sólidos “trata-se do conjunto


articulado de ações normativas, operacionais, financeiras e de planejamento que
uma administração municipal desenvolve (com base em critérios sanitários,
ambientais e econômicos) para coletar, tratar e dispor o lixo de sua cidade.”
(CEMPRE, 2001 apud LOPES, 2003). Implica, portanto, a busca continua de
parceiros, especialmente junto à lideranças da sociedade e de entidades
importantes na comunidade.

As instituições responsáveis pelo sistema de Gerenciamento de Resíduos


Sólidos Urbanos devem contar com uma estrutura organizacional que forneça o
suporte necessário ao desenvolvimento das atividades do sistema de
gerenciamento. Abrange vários subsistemas com funções diversas, como de
planejamento estratégico, técnico, operacional, gerencial, recursos humanos, entre
outros (CASTILHOS JR. et al., 2002).

Um sistema de gerenciamento ideal e aquele que objetiva minimizar a


quantidade de lixo gerada, levando em conta o atendimento das necessidades
sociais e buscando a sustentabilidade do sistema. Vinculado a isso, tem-se a
utilização de processos de recuperação dos resíduos como a reciclagem, a escolha
de um método de disposição menos agressivo ao meio ambiente e condizente com
a situação do município e principalmente, a conscientização e participação efetiva da
comunidade para garantir o sucesso do sistema de Gerenciamento de Resíduos
Sólidos Urbanos.

Observamos na tabela e no gráfico abaixo, onde nos mostra como se divide em média
os resíduos jogados nos lixões das cidades:

Resíduos
Matéria Papel
Plástico Vidro Metal Trapos Outros Total
orgânica Papelão
% 53% 13% 17% 1% 1% 8% 6% 100%
8

Neste contexto, torna-se relevante a implantação de programas de coleta


seletiva do lixo – embasada no efetivo envolvimento da população e na adequada e
completa ação dos órgãos responsáveis pelo Gerenciamento – que consiste na
separação, na fonte geradora, dos resíduos recicláveis, como papel, vidro e plástico
(ou lixo seco do lixo úmido). A coleta seletiva tem como vantagens principais facilitar
a reciclagem, devido a conservação das propriedades físicas de alguns materiais,
por mantê-los segregados de outros resíduos, elevando seu potencial de
aproveitamento e facilitando os serviços de triagem para posterior tratamento e
destinação final. Também e de suma importância a adoção de programas de
educação ambiental para a sensibilização da comunidade, levando-a
gradativamente ao consumo consciente, sendo este o principal foco dos programas
de conscientização ambiental.

Finalmente, o pleno funcionamento do Gerenciamento de Resíduos Sólidos


Urbanos depende da atuação de subsistemas específicos nos quais possam atuar
não somente agentes vinculados a prefeitura, mas também:

 A população, empenhada na separação e acondicionamento diferenciado


dos materiais recicláveis em casa;

 Os grandes geradores, responsáveis pelos próprios rejeitos;


9

 Os catadores, organizados em cooperativas, capazes de atender a coleta


de recicláveis oferecidos pela população e comercializá-los junto às fontes
de beneficiamento;

 Os estabelecimentos que tratam da saúde, tornando seus resíduos inertes


ou oferecidos à coleta diferenciada, quando isso for imprescindível, sem
desconsiderar as normas e resoluções relativas ao gerenciamento dos
Resíduos Sólidos (resolução da Agencia Nacional de Vigilância Sanitária –
ANVISA RDC 306/2004 e resolução CONAMA 358);

 A prefeitura, através de seus agentes, instituições e empresas contratadas,


que por meio de acordos, convênios e parcerias deve exercer papel
protagonista no gerenciamento integrado de todo o sistema.

6. METODOLOGIA

O método desta pesquisa é fundamentado em pesquisas analisadas em


fontes bibliográficas, levantamento de dados através de alguns autores, acervos
educacionais e sites, especializados no assunto. Além de entrevistas e observações,
oferecendo meios para definir e solucionar problemas conhecidos e recorrentes.

Sobre as pesquisas bibliográficas, Boccato (2006) afirma que:


A pesquisa bibliográfica busca a resolução de um problema (hipótese) por
meio de referenciais teóricos publicados, analisando e discutindo as várias
contribuições científicas. Esse tipo de pesquisa trará subsídios para o
conhecimento sobre o que foi pesquisado, como e sob que enfoque e/ou
perspectivas foi tratado o assunto apresentado na literatura científica. Para
tanto, é de suma importância que o pesquisador realize um planejamento
sistemático do processo de pesquisa, compreendendo desde a definição
temática, passando pela construção lógica do trabalho até a decisão da sua
forma de comunicação e divulgação.

Após a seleção desses materiais daremos início ao desenvolvimento do


trabalho. Apresenta-se uma pesquisa qualitativa. Na análise qualitativa, segundo o
autor Richardson (2008), “os estudos que empregam uma metodologia qualitativa
podem descrever a complexidade de determinado problema, analisar a interação de
certas variáveis, compreender e classificar processos dinâmicos vividos por grupos
sociais [...]”.
10

Através desse estudo, realização da coleta de dados, participação criteriosa,


análise e reflexão, se estruturaram informações valiosas para o desenvolvimento
desta pesquisa.
11

7. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Atualmente, a destinação final dos Resíduos Sólidos Urbanos se tornou um


problema cada vez mais difícil de ser resolvido. Tecnologias estão surgindo para
tentar solucioná-lo e aferir uma destinação final mais nobre para os resíduos
gerados.

O lixo pode deixar de ser a grande problemática, tornando-se uma fonte


geradora de empregos e matérias-primas para vários setores da economia. Mas,
para que todas essas soluções sejam eficazes, é necessário o empenho efetivo de
todos, governo e sociedade civil, num trabalho conjunto em prol de melhores
condições ambientais.

Nesse contexto, e fundamental que as prefeituras, responsáveis pelo


gerenciamento adotem um sistema de Gerenciamento de Resíduos Sólidos
Urbanos, o qual reúne todo o contingente necessário à gestão adequada. E para
essa implementação, é fundamental a criação de um departamento responsável pela
limpeza urbana e a qualificação profissional dos agentes encarregados de sua
gestão.

Cabe salientar que as despesas serão elevadas a principio, mas são


incontáveis os benefícios a serem obtidos nos âmbitos ambiental, socioeconômico e
cultural.

Façamos então as seguintes recomendações:

 Com a instalação de uma usina de triagem, serão necessários


monitoramentos periódicos do processo de compostagem para o pleno
funcionamento;

 É fundamental a realização de um estudo dos impactos da área degradada


pelos lixões, sobretudo das condições dos corpos d’água existentes. As
secretárias de meio ambiente, com seus técnicos podem orientar
tecnicamente a mitigação desses impactos e recuperação da área;

 É importante que se faça duas outras amostragens em épocas distintas do


ano, para aumentar a credibilidade dos dados;
12

 Obviamente, o Gestão de Resíduos Urbanos dos município deveram objetivar


a extensão do serviço de coleta as comunidades rurais, passando a atender
100% da população;

 Futuramente, seria interessante que se fizesse uma analise das


características químicas, biológicas e do teor de umidade do lixo para a
obtenção de maiores informações quanto às propriedades dos resíduos e
melhor exploração de seus potenciais;

 E preciso investir na educação ambiental e patrimonial das comunidades,


buscando seu envolvimento com a problemática em questão, pois sem a
participação efetiva da comunidade, o funcionamento do sistema de gestão a
ser implementado estará fadado ao declínio, alimentando o antigo “circulo
vicioso” da não perseverança de projetos socioculturais e ambientais
existentes em muitas administrações políticas.
13

8. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ANVISA – AGENCIA NACIONAL DE VIGILANCIA SANITARIA. Resolução RDC no

306, de 07 de dezembro de 2004. Dispõe sobre o Regulamento Técnico para o


gerenciamento de resíduos de serviços de saúde. Diário Oficial da União de 10
de dezembro de 2004.

ABNT – ASSOCIACAO BRASILEIRA DE NORMAS TECNICAS. Resíduos Sólidos –

Classificação. NBR 10004. 2004

ABRE – Associação Brasileira de Embalagens. Reciclagem no Brasil. Disponível


em: <http://www.abre.org.br/meio_reci_brasil.php>. acesso em: 20 de abril de 2018.

BOCCATO, V. R. C. Metodologia da pesquisa bibliográfica. Univ. Cidade São


Paulo: São Paulo, 2006.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades@. Disponível em:


<http://www.ibge.gov.br/cidadesat/default.php>. Acesso em: 19 de abril de 2018.

LOPES, A. A. Estudo da gestão e do gerenciamento integrado dos resíduos sólidos


urbanos no município de São Carlos (SP). São Carlos: 2003. 194f.. Dissertação
(Mestrado em Engenharia Ciências da Engenharia Ambiental) – escola de
Engenharia de São Carlos, Universidade Federal de São Paulo.

Você também pode gostar