Você está na página 1de 29

© Pallas Editora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução.

manual do
professor
Elaborado por:
Eneida Duarte Gaspar

ponciá vicêncio
Conceição Evaristo
Categoria 6
(1° ao 3° ano do Ensino Médio)
© Pallas Editora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução.

Sobre a obra
Ponciá Vicêncio não é um romance divertido ou leve. É a his‑
tória de pessoas que lutam contra todos os obstáculos para
tentar realizar suas esperanças. Mas também não é um livro
triste, porque essas esperanças, umas mais, outras menos, con‑
tinuam vivas até o fim da história e além, alimentando novos
projetos de vida.
Quando travamos conhecimento com Ponciá Vicêncio,
ela é uma mulher madura. Já emigrou, trabalhou duro, casou,
teve filhos. E agora lembra o passado enquanto mergulha nas
brumas do que um médico iria diagnosticar como doença
mental.
Mas o texto não fica só nas lembranças de Ponciá. Elas
se entrelaçam com viagens ao passado que explicam essas lem‑
branças e com flagrantes da vida de vários personagens que
nutrem a esperança de um reencontro com os entes queridos
perdidos pelo mundo. A falta de capítulos bem definidos aju‑
da a perceber a ligação estreita entre todas essas narrativas que
se fundem numa só: a história de uma família descendente de
escravos africanos, rica em saber mas que só conseguiu usar
esse saber como estratégia de sobrevivência, e que enfrenta,
com os poucos recursos que tem, as mudanças sociais impostas
pelo fim da escravidão no país.
Se pensarmos na história da própria Conceição Evaristo
(menina pobre criada numa favela de Belo Horizonte – MG,
mais tarde professora, doutora em Literatura Comparada e
um dos grandes expoentes da literatura brasileira), vamos en‑
tender que, como todas as suas obras, este livro é o resultado
daquilo que a própria Conceição chama de “escrevivência”: a
escrita que se alimenta da experiência de vida da autora. O
que, de certa forma, nos dá a esperança de que existe um ca‑
minho (ou vários) para quem deseja lutar por dignidade e fe‑
licidade para si e para os demais.

2
© Pallas Editora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução.

Sobre a autora
Conceição Evaristo
A obra de Conceição Evaristo é um resgate de sua própria his‑
tória e uma reflexão sobre as condições de vida das populações
pobres, em especial dos homens e mulheres negros e negras
no Brasil.
Nascida em 1946 em Belo Horizonte (MG), apesar da
pobreza da família, Conceição teve contato com a literatura
desde criança, pois sua mãe contava histórias e coletava livros
e revistas para os filhos. Aos 25 anos, Conceição terminou
o Curso Normal, trabalhando enquanto estudava. Em 1973
passou no concurso para professora primária (atual primeiro
segmento do ensino fundamental) no então Estado da Gua‑
nabara (atual município do Rio de Janeiro), onde trabalhou até
2006 como professora e pesquisadora. Graduou­‑se em Letras
(UFRJ, 1990), fez mestrado em Literatura (PUC­‑Rio, 1996) e
doutorado em Literatura Comparada (UFF, 2011). Foi profes‑
sora colaboradora em programas de pós­‑graduação de diver‑
sas universidades e outras organizações no Brasil e nos EUA,
tendo como focos principais história e cultura afro­‑brasileira
e africana, literatura negra e escrevivência de mulheres negras.
Desde 1990, Conceição publicou contos e poemas em
revistas e coletâneas no Brasil e no exterior. A partir de 2003
começou a publicar de forma independente, produzindo ro‑
mances, antologias poéticas e coletâneas de contos.
Conceição recebeu, entre outras honrarias, Homenagem
do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos do Negro do
Rio de Janeiro (2003), Menção Honrosa Mulher Negra Yabá
CRIOLA – Rio de Janeiro (2004), Homenagem no I Semi‑
nário Conjunto da Consciência Negra: DeNegrir e Quilolo
PROAFRO – Rio de Janeiro (2005), Prêmio Ori, Secretaria
Municipal das Culturas – Rio de Janeiro (2007), Prêmio Ca‑
mélia da Liberdade, CEAP – Centro de Articulação de Popu‑
lações Marginalizadas – Rio de Janeiro (2007), Homenagem,

3
© Pallas Editora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução.

13º Festival da Mulher afro­‑latina e caribenha (2013), Prêmio


Jabuti (2015) e Homenagem às escritoras negras do Brasil –
Iporinchê (2016).

Sugestões de atividades
Os africanos no Brasil
Esta atividade consiste numa pesquisa sobre a história, a pre‑
sença, a significância e a herança africanas no Brasil.

Áreas de conhecimento, Competências e Habilidades


• LÍNGUA PORTUGUESA: Mobilizar práticas de lingua‑
gem no universo digital, considerando as dimensões técni‑
cas, críticas, criativas, éticas e estéticas, para expandir as for‑
mas de produzir sentidos, de engajar­‑se em práticas autorais
e coletivas, e de aprender a aprender nos campos da ciência,
cultura, trabalho, informação e vida pessoal e coletiva.
–– Fazer curadoria de informações, tendo em vista diferentes
propósitos e projetos discursivos.
–– Selecionar informações, dados e argumentos em fontes
confiáveis, impressas e digitais, e utilizá­‑los de forma refe‑
renciada, para que o texto a ser produzido tenha um nível de
aprofundamento adequado (para além do senso comum) e
contemple a sustentação das posições defendidas.
–– Elaborar roteiros para a produção de vídeos variados
(vlog, videoclipe, videominuto, documentário etc.), apre‑
sentações teatrais, narrativas multimídia e transmídia, pod‑
casts, playlists comentadas etc., para ampliar as possibilida‑
des de produção de sentidos e engajar­‑se de forma reflexiva
em práticas autorais e coletivas.
–– Utilizar softwares de edição de textos, fotos, vídeos e áu‑
dio, além de ferramentas e ambientes colaborativos para criar
textos e produções multissemióticas com finalidades diversas,
explorando os recursos e efeitos disponíveis e apropriando­‑se

4
© Pallas Editora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução.

de práticas colaborativas de escrita, de construção coletiva do


conhecimento e de desenvolvimento de projetos.
• CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS: Analisar a for‑
mação de territórios e fronteiras em diferentes tempos e
espaços, mediante a compreensão dos processos sociais, po‑
líticos, econômicos e culturais geradores de conflito e ne‑
gociação, desigualdade e igualdade, exclusão e inclusão e de
situações que envolvam o exercício arbitrário do poder.
–– Analisar e caracterizar as dinâmicas das populações, das
mercadorias e do capital nos diversos continentes, com des‑
taque para a mobilidade e a fixação de pessoas, grupos hu‑
manos e povos, em função de eventos naturais, políticos,
econômicos, sociais e culturais.
–– Analisar e avaliar os impactos das tecnologias na estru‑
turação e nas dinâmicas das sociedades contemporâneas
(fluxos populacionais, financeiros, de mercadorias, de infor‑
mações, de valores éticos e culturais etc.), bem como suas
interferências nas decisões políticas, sociais, ambientais,
econômicas e culturais.
–– Contrapor os diversos significados de território, frontei‑
ras e vazio (espacial, temporal e cultural) em diferentes so‑
ciedades, contextualizando e relativizando visões dualistas
como civilização/barbárie, nomadismo/sedentarismo e ci‑
dade/campo, entre outras.
–– Comparar e avaliar os processos de ocupação do espa‑
ço e a formação de territórios, territorialidades e fronteiras,
identificando o papel de diferentes agentes (como grupos
sociais e culturais, impérios, Estados Nacionais e organis‑
mos internacionais) e considerando os conflitos populacio‑
nais (internos e externos), a diversidade étnico­‑cultural e
as características socioeconômicas, políticas e tecnológicas.
–– Analisar a produção de diferentes territorialidades em
suas dimensões culturais, econômicas, ambientais, políticas
e sociais, no Brasil e no mundo contemporâneo, com desta‑
que para as culturas juvenis.

5
© Pallas Editora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução.

–– Compreender e aplicar os princípios de localização, dis‑


tribuição, ordem, extensão, conexão, entre outros, relacio‑
nados com o raciocínio geográfico, na análise da ocupação
humana e da produção do espaço em diferentes tempos.
• CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS: Analisar processos
políticos, econômicos, sociais, ambientais e culturais nos âm‑
bitos local, regional, nacional e mundial em diferentes tem‑
pos, a partir de procedimentos epistemológicos e científicos,
de modo a compreender e posicionar­‑se criticamente com
relação a esses processos e às possíveis relações entre eles.
–– Analisar e comparar diferentes fontes e narrativas ex‑
pressas em diversas linguagens, com vistas à compreensão e
à crítica de ideias filosóficas e processos e eventos históri‑
cos, geográficos, políticos, econômicos, sociais, ambientais
e culturais.
–– Identificar, analisar e discutir as circunstâncias históricas,
geográficas, políticas, econômicas, sociais, ambientais e cul‑
turais da emergência de matrizes conceituais hegemônicas
(etnocentrismo, evolução, modernidade etc.), comparando­
‑as a narrativas que contemplem outros agentes e discursos.
–– Elaborar hipóteses, selecionar evidências e compor ar‑
gumentos relativos a processos políticos, econômicos, so‑
ciais, ambientais, culturais e epistemológicos, com base na
sistematização de dados e informações de natureza quali‑
tativa e quantitativa (expressões artísticas, textos filosófi‑
cos e sociológicos, documentos históricos, gráficos, mapas,
tabelas etc.).
–– Analisar objetos da cultura material e imaterial como
suporte de conhecimentos, valores, crenças e práticas que
singularizam diferentes sociedades inseridas no tempo e
no espaço. Identificar, contextualizar e criticar as tipologias
evolutivas (como populações nômades e sedentárias, entre
outras) e as oposições dicotômicas (cidade/campo, cultura/
natureza, civilizados/bárbaros, razão/sensibilidade, mate‑
rial/virtual etc.), explicitando as ambiguidades e a comple‑

6
© Pallas Editora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução.

xidade dos conceitos e dos sujeitos envolvidos em diferentes


circunstâncias e processos.
–– Utilizar as linguagens cartográfica, gráfica e iconográfica
e de diferentes gêneros textuais e as tecnologias digitais de
informação e comunicação de forma crítica, significativa,
reflexiva e ética nas diversas práticas sociais (incluindo as
escolares) para se comunicar, acessar e disseminar informa‑
ções, produzir conhecimentos, resolver problemas e exercer
protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva.

Descrição
• A partir da leitura do livro, proponha uma pesquisa sobre
os africanos no Brasil: origem dos africanos escravizados,
como vinham para o Brasil, onde trabalhavam, como viviam,
como resistiram à escravidão, quais foram as suas contribui‑
ções para a sociedade brasileira, problemas pós­‑escravidão
e perspectivas atuais. Dependendo do lugar onde os alunos
vivem, a pesquisa pode ser orientada para o levantamento
da formação da população e da cultura do local.
• Apresente alguns materiais adicionais, como revistas, livros,
vídeos etc., que ajudem a despertar curiosidades e levantar
questões entre os alunos.
• Oriente os alunos na elaboração de um projeto de pesquisa,
com a criação de uma lista de questões a serem respondidas
e ideias para a forma de apresentação dos resultados.
• Ajude os alunos na elaboração de estratégias de pesquisa
(consulta a materiais impressos e sites da internet, entrevis‑
tas etc.) e do registro das informações colhidas, de acordo
com as possibilidades do grupo.
• Oriente os alunos na distribuição das tarefas e agendamen‑
to de prazos para o cumprimento das tarefas.
• Ajude os alunos em relação ao acesso e à utilização dos re‑
cursos de pesquisa.
• Quando os alunos trouxerem o material coletado, oriente­‑os
no processo de organização, síntese e discussão dos dados.

7
© Pallas Editora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução.

• Os resultados da pesquisa podem ser usados na elaboração


de documentos escritos, exposições, álbuns, painéis e outras
formas de apresentação.

Recursos
• Recurso primário: o próprio livro.
• Recursos adicionais: fontes de pesquisa (livros, sites na in‑
ternet, jornais, revistas, entrevistas com pessoas conhecidas
etc.). Material para escrita, desenho e outras formas de re‑
gistro e apresentação.

Desenvolvimentos e conexões
Como preparação para outras atividades sugeridas neste Ma‑
nual, proponha que os alunos, na fase de organização do ma‑
terial obtido na pesquisa, elabore listas de datas históricas,
personalidades de destaque e elementos da cultura material
(vestuário, utensílios, esculturas, tecidos, imagens etc.) e ima‑
terial (culinária, danças, jogos, lutas, brincadeiras, folguedos,
músicas etc.) de origem africana.

Comunidades remanescentes de quilombos


Esta atividade consiste numa pesquisa sobre a situação atual e
as perspectivas das comunidades remanescentes de quilombos
no Brasil.

Áreas de conhecimento, Competências e Habilidades


• LÍNGUA PORTUGUESA: Mobilizar práticas de lingua‑
gem no universo digital, considerando as dimensões técni‑
cas, críticas, criativas, éticas e estéticas, para expandir as for‑
mas de produzir sentidos, de engajar­‑se em práticas autorais
e coletivas, e de aprender a aprender nos campos da ciência,
cultura, trabalho, informação e vida pessoal e coletiva.
–– Fazer curadoria de informações, tendo em vista diferentes
propósitos e projetos discursivos.

8
© Pallas Editora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução.

–– Selecionar informações, dados e argumentos em fontes


confiáveis, impressas e digitais, e utilizá­‑los de forma refe‑
renciada, para que o texto a ser produzido tenha um nível de
aprofundamento adequado (para além do senso comum) e
contemple a sustentação das posições defendidas.
–– Elaborar roteiros para a produção de vídeos variados
(vlog, videoclipe, videominuto, documentário etc.), apre‑
sentações teatrais, narrativas multimídia e transmídia, pod‑
casts, playlists comentadas etc., para ampliar as possibilida‑
des de produção de sentidos e engajar­‑se de forma reflexiva
em práticas autorais e coletivas.
–– Utilizar softwares de edição de textos, fotos, vídeos e áu‑
dio, além de ferramentas e ambientes colaborativos para
criar textos e produções multissemióticas com finalida‑
des diversas, explorando os recursos e efeitos disponíveis
e apropriando­‑se de práticas colaborativas de escrita, de
construção coletiva do conhecimento e de desenvolvimento
de projetos.
• CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS: Analisar a for‑
mação de territórios e fronteiras em diferentes tempos e
espaços, mediante a compreensão dos processos sociais, po‑
líticos, econômicos e culturais geradores de conflito e ne‑
gociação, desigualdade e igualdade, exclusão e inclusão e de
situações que envolvam o exercício arbitrário do poder.
–– Analisar e caracterizar as dinâmicas das populações, das
mercadorias e do capital nos diversos continentes, com des‑
taque para a mobilidade e a fixação de pessoas, grupos hu‑
manos e povos, em função de eventos naturais, políticos,
econômicos, sociais e culturais.
–– Analisar e avaliar os impactos das tecnologias na estru‑
turação e nas dinâmicas das sociedades contemporâneas
(fluxos populacionais, financeiros, de mercadorias, de infor‑
mações, de valores éticos e culturais etc.), bem como suas
interferências nas decisões políticas, sociais, ambientais,
econômicas e culturais.

9
© Pallas Editora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução.

–– Contrapor os diversos significados de território, frontei‑


ras e vazio (espacial, temporal e cultural) em diferentes so‑
ciedades, contextualizando e relativizando visões dualistas
como civilização/barbárie, nomadismo/sedentarismo e ci‑
dade/campo, entre outras.
–– Comparar e avaliar os processos de ocupação do espa‑
ço e a formação de territórios, territorialidades e fronteiras,
identificando o papel de diferentes agentes (como grupos
sociais e culturais, impérios, Estados Nacionais e organis‑
mos internacionais) e considerando os conflitos populacio‑
nais (internos e externos), a diversidade étnico­‑cultural e
as características socioeconômicas, políticas e tecnológicas.
–– Analisar a produção de diferentes territorialidades em
suas dimensões culturais, econômicas, ambientais, políticas
e sociais, no Brasil e no mundo contemporâneo, com desta‑
que para as culturas juvenis.
–– Compreender e aplicar os princípios de localização, dis‑
tribuição, ordem, extensão, conexão, entre outros, relacio‑
nados com o raciocínio geográfico, na análise da ocupação
humana e da produção do espaço em diferentes tempos.
• CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS: Analisar proces‑
sos políticos, econômicos, sociais, ambientais e culturais
nos âmbitos local, regional, nacional e mundial em dife‑
rentes tempos, a partir de procedimentos epistemológicos e
científicos, de modo a compreender e posicionar­‑se critica‑
mente com relação a esses processos e às possíveis relações
entre eles.
–– Analisar e comparar diferentes fontes e narrativas ex‑
pressas em diversas linguagens, com vistas à compreensão e
à crítica de ideias filosóficas e processos e eventos históri‑
cos, geográficos, políticos, econômicos, sociais, ambientais
e culturais.
–– Identificar, analisar e discutir as circunstâncias históricas,
geográficas, políticas, econômicas, sociais, ambientais e cul‑
turais da emergência de matrizes conceituais hegemônicas

10
© Pallas Editora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução.

(etnocentrismo, evolução, modernidade etc.), comparando­


‑as a narrativas que contemplem outros agentes e discursos.
–– Elaborar hipóteses, selecionar evidências e compor argu‑
mentos relativos a processos políticos, econômicos, sociais,
ambientais, culturais e epistemológicos, com base na siste‑
matização de dados e informações de natureza qualitativa e
quantitativa (expressões artísticas, textos filosóficos e socio‑
lógicos, documentos históricos, gráficos, mapas, tabelas etc.).
–– Analisar objetos da cultura material e imaterial como
suporte de conhecimentos, valores, crenças e práticas que
singularizam diferentes sociedades inseridas no tempo e
no espaço. Identificar, contextualizar e criticar as tipologias
evolutivas (como populações nômades e sedentárias, entre
outras) e as oposições dicotômicas (cidade/campo, cultura/
natureza, civilizados/bárbaros, razão/sensibilidade, mate‑
rial/virtual etc.), explicitando as ambiguidades e a comple‑
xidade dos conceitos e dos sujeitos envolvidos em diferentes
circunstâncias e processos.
–– Utilizar as linguagens cartográfica, gráfica e iconográfica
e de diferentes gêneros textuais e as tecnologias digitais de
informação e comunicação de forma crítica, significativa,
reflexiva e ética nas diversas práticas sociais (incluindo as
escolares) para se comunicar, acessar e disseminar informa‑
ções, produzir conhecimentos, resolver problemas e exercer
protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva.

Descrição
• A partir da leitura do livro, proponha uma pesquisa sobre as
comunidades remanescentes de quilombos (CRQs) abor‑
dando temas como: sua origem, mecanismos de formação
dessas comunidades, sua estrutura e organização econômi‑
ca e social, o modo de vida de seus moradores, problemas
que enfrentam, seu mapeamento atual, as questões acerca
da propriedade da terra, a significância de sua preservação,
as ações neste sentido e as perspectivas futuras.

11
© Pallas Editora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução.

• Apresente alguns materiais adicionais, como revistas, livros,


vídeos etc., que ajudem a despertar curiosidades e levantar
questões entre os alunos.
• Oriente os alunos na elaboração de um projeto de pesquisa,
com a criação de uma lista de questões a serem respondi‑
das e ideias para a forma de apresentação dos resultados.
Destaque a importância de elaborar mapas e tabelas com a
distribuição e a população das CRQs.
• Ajude os alunos na elaboração de estratégias de pesquisa
(consulta a materiais impressos e sites da internet, entrevis‑
tas etc.) e do registro das informações colhidas, de acordo
com as possibilidades do grupo.
• Oriente os alunos na distribuição das tarefas e agendamen‑
to de prazos para o cumprimento das tarefas.
• Ajude os alunos em relação ao acesso e à utilização dos re‑
cursos de pesquisa.
• Quando os alunos trouxerem o material coletado, oriente­‑os
no processo de organização, síntese e discussão dos dados.
• Os resultados da pesquisa podem ser usados na elaboração
de documentos escritos, exposições, álbuns, painéis e outras
formas de apresentação.

Recursos
• Recurso primário: o próprio livro.
• Recursos adicionais: fontes de pesquisa (livros, sites na in‑
ternet – com especial atenção para a Fundação Palmares –,
jornais, revistas, entrevistas com pessoas conhecidas etc.).
Material para escrita, desenho e outras formas de registro e
apresentação.

Desenvolvimentos e conexões
Após o entendimento dos conceitos básicos, o tema pode ser
desenvolvido de várias formas:
1) levantamento e mapeamento das CRQs em todo o
país e especialmente na região onde os alunos vivem,

12
© Pallas Editora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução.

pesquisando a origem e as características atuais desses


assentamentos;
2) comparar dados socio­econômicos e de saúde das CRQs
com os mesmos dados da população geral (do local, estado,
grande região ou país);
3) pesquisar as ações de governo e de outros tipos de insti­
tuições voltadas para essas populações e discutir, com base
em dados coletados, sua eficácia real.

Heranças africanas
A proposta desta atividade é proporcionar aos alunos conhe‑
cimentos e experiências em aspectos da cultura afro­‑brasileira
por meio da realização de pesquisas, oficinas e eventos culturais.

Áreas de conhecimento, Competências e Habilidades


• LÍNGUA PORTUGUESA: Mobilizar práticas de lingua‑
gem no universo digital, considerando as dimensões técni‑
cas, críticas, criativas, éticas e estéticas, para expandir as for‑
mas de produzir sentidos, de engajar­‑se em práticas autorais
e coletivas, e de aprender a aprender nos campos da ciência,
cultura, trabalho, informação e vida pessoal e coletiva.
–– Fazer curadoria de informações, tendo em vista diferentes
propósitos e projetos discursivos.
–– Selecionar informações, dados e argumentos em fontes
confiáveis, impressas e digitais, e utilizá­‑los de forma refe‑
renciada, para que o texto a ser produzido tenha um nível de
aprofundamento adequado (para além do senso comum) e
contemple a sustentação das posições defendidas.
–– Elaborar roteiros para a produção de vídeos variados
(vlog, videoclipe, videominuto, documentário etc.), apre‑
sentações teatrais, narrativas multimídia e transmídia, pod‑
casts, playlists comentadas etc., para ampliar as possibilida‑
des de produção de sentidos e engajar­‑se de forma reflexiva
em práticas autorais e coletivas.

13
© Pallas Editora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução.

–– Utilizar softwares de edição de textos, fotos, vídeos e áu‑


dio, além de ferramentas e ambientes colaborativos para
criar textos e produções multissemióticas com finalida‑
des diversas, explorando os recursos e efeitos disponíveis
e apropriando­‑se de práticas colaborativas de escrita, de
construção coletiva do conhecimento e de desenvolvimento
de projetos.
• CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS: Analisar processos
políticos, econômicos, sociais, ambientais e culturais nos âm‑
bitos local, regional, nacional e mundial em diferentes tem‑
pos, a partir de procedimentos epistemológicos e científicos,
de modo a compreender e posicionar­‑se criticamente com
relação a esses processos e às possíveis relações entre eles.
–– Analisar e comparar diferentes fontes e narrativas expres‑
sas em diversas linguagens, com vistas à compreensão e à
crítica de ideias filosóficas e processos e eventos históri‑
cos, geográficos, políticos, econômicos, sociais, ambientais
e culturais.
–– Identificar, analisar e discutir as circunstâncias históricas,
geográficas, políticas, econômicas, sociais, ambientais e cul‑
turais da emergência de matrizes conceituais hegemônicas
(etnocentrismo, evolução, modernidade etc.), comparando­
‑as a narrativas que contemplem outros agentes e discursos.
–– Elaborar hipóteses, selecionar evidências e compor argu‑
mentos relativos a processos políticos, econômicos, sociais,
ambientais, culturais e epistemológicos, com base na siste‑
matização de dados e informações de natureza qualitativa e
quantitativa (expressões artísticas, textos filosóficos e socio‑
lógicos, documentos históricos, gráficos, mapas, tabelas etc.).
–– Analisar objetos da cultura material e imaterial como
suporte de conhecimentos, valores, crenças e práticas que
singularizam diferentes sociedades inseridas no tempo e
no espaço. Identificar, contextualizar e criticar as tipologias
evolutivas (como populações nômades e sedentárias, entre
outras) e as oposições dicotômicas (cidade/campo, cultura/

14
© Pallas Editora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução.

natureza, civilizados/bárbaros, razão/sensibilidade, mate‑


rial/virtual etc.), explicitando as ambiguidades e a comple‑
xidade dos conceitos e dos sujeitos envolvidos em diferentes
circunstâncias e processos.
–– Utilizar as linguagens cartográfica, gráfica e iconográfica
e de diferentes gêneros textuais e as tecnologias digitais de
informação e comunicação de forma crítica, significativa,
reflexiva e ética nas diversas práticas sociais (incluindo as
escolares) para se comunicar, acessar e disseminar informa‑
ções, produzir conhecimentos, resolver problemas e exercer
protagonismo e autoria na vida pessoal e coletiva.
• LINGUAGENS E SUAS TECNOLOGIAS: Apreciar
esteticamente as mais diversas produções artísticas e cul‑
turais, considerando suas características locais, regionais e
globais, e mobilizar seus conhecimentos sobre as linguagens
artísticas para dar significado e (re)construir produções au‑
torais individuais e coletivas, de maneira crítica e criativa,
com respeito à diversidade de saberes, identidades e culturas.
–– Apropriar­‑se do patrimônio artístico e da cultura cor‑
poral de movimento de diferentes tempos e lugares, com‑
preendendo a sua diversidade, bem como os processos de
disputa por legitimidade.
–– Fruir e apreciar esteticamente diversas manifestações ar‑
tísticas e culturais, das locais às mundiais, assim como delas
participar, de modo a aguçar continuamente a sensibilidade,
a imaginação e a criatividade.
–– Expressar­‑se e atuar em processos criativos que integrem
diferentes linguagens artísticas e referências estéticas e cul‑
turais, recorrendo a conhecimentos de naturezas diversas
(artísticos, históricos, sociais e políticos) e experiências in‑
dividuais e coletivas.
–– Relacionar as práticas artísticas e da cultura corporal do
movimento às diferentes dimensões da vida social, cultural,
política, histórica e econômica.

15
© Pallas Editora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução.

Descrição
A partir da realização da atividade “Os africanos no Brasil”,
proponha a pesquisa e experimentação de aspectos da cultura
brasileira de raiz africana.
• Etapa 1: preparação
–– Examine com os alunos a lista de elementos culturais
identificados durante a pesquisa sobre os africanos no Brasil.
–– Oriente o grupo no planejamento do trabalho. Depen‑
dendo da finalidade (finalizar uma sequência de estudo,
uma comemoração etc.), podem ser selecionados diferentes
temas, como por exemplo:
1) Alimentação – alimentos vindos da África, preparações,
técnicas culinárias;
2) Artes dramáticas – contação de histórias (a arte do griot),
declamação, representação, festas;
3) Artes visuais – esculturas, desenhos, tecidos, utensílios,
adornos, vestuário etc.;
4) Atividades físicas – brincadeiras, danças, jogos, lutas;
5) Música – instrumentos e cantigas.
• Etapa 2: execução
–– Planeje com os alunos o tipo de informação que deverá
ser buscada: modelos, procedimentos, receitas, histórias, ex‑
plicações etc.
–– Nos casos em que for necessário e possível (como nas
atividades físicas), procure a assistência de um profissional
especializado.
–– Ajude os alunos na divisão de tarefas, previsão de prazos,
planejamento da busca de dados e em relação ao acesso e à
utilização dos recursos de pesquisa.
–– Quando os alunos trouxerem o material coletado, oriente­
‑os no processo de organização, síntese e discussão dos dados.
–– Nos casos que envolvam artes visuais, ajude os alunos a fa‑
zer o projeto, providenciar os materiais e produzir os objetos.
–– Os resultados da atividade podem ser usados na elabora‑
ção de documentos (manuais de jogos, cadernos de recei‑

16
© Pallas Editora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução.

tas, técnicas de artesanato etc.), exposições, álbuns, painéis


e exibições.

Recursos:
• Recursos primários: o próprio livro e os dados obtidos na
atividade “Os africanos no Brasil”.
• Recursos adicionais: fontes de pesquisa (livros, sites na in‑
ternet, jornais, revistas, entrevistas com pessoas conhecidas
etc.). Material para escrita, desenho e outras formas de re‑
gistro e apresentação.

Oficina literária: histórias de vida


A proposta da atividade é criar textos com o registro da his‑
tória das próprias famílias e de conhecidos, procurando for‑
mar conexões entre histórias pessoais e a história dos africa‑
nos no Brasil.

Áreas de conhecimento, Competências e Habilidades


• LÍNGUA PORTUGUESA: Mobilizar práticas de lingua‑
gem no universo digital, considerando as dimensões técni‑
cas, críticas, criativas, éticas e estéticas, para expandir as for‑
mas de produzir sentidos, de engajar­‑se em práticas autorais
e coletivas, e de aprender a aprender nos campos da ciência,
cultura, trabalho, informação e vida pessoal e coletiva.
–– Fazer curadoria de informações, tendo em vista diferentes
propósitos e projetos discursivos.
–– Selecionar informações, dados e argumentos em fontes
confiáveis, impressas e digitais, e utilizá­‑los de forma refe‑
renciada, para que o texto a ser produzido tenha um nível de
aprofundamento adequado (para além do senso comum) e
contemple a sustentação das posições defendidas.
–– Elaborar roteiros para a produção de vídeos variados
(vlog, videoclipe, videominuto, documentário etc.), apre‑
sentações teatrais, narrativas multimídia e transmídia, pod‑

17
© Pallas Editora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução.

casts, playlists comentadas etc., para ampliar as possibilida‑


des de produção de sentidos e engajar­‑se de forma reflexiva
em práticas autorais e coletivas.
–– Utilizar softwares de edição de textos, fotos, vídeos e áu‑
dio, além de ferramentas e ambientes colaborativos para
criar textos e produções multissemióticas com finalida‑
des diversas, explorando os recursos e efeitos disponíveis
e apropriando­‑se de práticas colaborativas de escrita, de
construção coletiva do conhecimento e de desenvolvimento
de projetos.
• LÍNGUA PORTUGUESA: Compreender as línguas
como fenômeno (geo)político, histórico, social, variável, he‑
terogêneo e sensível aos contextos de uso, reconhecendo­‑as
e vivenciando­‑as como formas de expressões identitárias,
pessoais e coletivas, bem como respeitando as variedades
linguísticas e agindo no enfrentamento de preconceitos de
qualquer natureza.
–– Produzir e analisar textos orais, considerando sua adequa‑
ção aos contextos de produção, à forma composicional e ao
estilo do gênero em questão, à clareza, à progressão temática
e à variedade linguística empregada, como também aos ele‑
mentos relacionados à fala (modulação de voz, entonação,
ritmo, altura e intensidade, respiração etc.) e à cinestesia
(postura corporal, movimentos e gestualidade significativa,
expressão facial, contato de olho com plateia etc.).
–– Analisar o fenômeno da variação linguística, em seus
diferentes níveis (variação fonético­ ‑fonológica, lexical,
sintática, semântica e estilístico­‑pragmática) e em suas di‑
ferentes dimensões (regional, histórica, social, situacional,
ocupacional, etária etc.), de forma a ampliar a compreensão
sobre a natureza viva e dinâmica da língua e sobre o fenô‑
meno da constituição de variedades linguísticas de prestígio
e estigmatizadas, e a fundamentar o respeito às variedades
linguísticas e o combate a preconceitos linguísticos.

18
© Pallas Editora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução.

Descrição
• A partir da leitura do romance, proponha que os alunos co‑
letem e registrem histórias narradas por parentes e conheci‑
dos. Esse material pode ser organizado de formas diversas:
1) cada aluno pode produzir um caderno com narrativas
que contem a própria história e a de sua família;
2) cada aluno pode se concentrar em um evento que consi‑
dere significativo na vida da família, e reunir narrativas li‑
gadas a ele: as pessoas envolvidas, o que ocorreu, como cada
pessoa participou, como cada uma vivenciou o fato etc.;
3) a turma pode produzir um caderno coletivo, reunindo
narrativas que contem a história da região onde vivem;
4) a turma pode eleger alguns temas importantes na região
em que vive e se dividir em grupos, cada um dos quais cole‑
tará narrativas sobre um dos temas.
• Esse material poderá ser usado em exposições, eventos pú‑
blicos, coletâneas etc.

Recursos
• Recurso primário: o próprio livro.
• Recursos adicionais: outros livros e entrevistas com paren‑
tes e outras pessoas conhecidas. Material para escrita, dese‑
nho e outras formas de registro e apresentação.

Desenvolvimentos e conexões
As histórias de vida e família podem ser usadas como fonte
de informações para estudo da história local, bem como para
ilustrar e fundamentar estudos, debates e projetos nas áreas de
ciências humanas e linguagens.

Escritores negros e literatura negra


A proposta da atividade é conhecer autores e obras das litera‑
turas africanas e afro­‑brasileira.

19
© Pallas Editora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução.

Áreas de conhecimento, Competências e Habilidades


• LÍNGUA PORTUGUESA: Mobilizar práticas de lin‑
guagem no universo digital, considerando as dimensões
técnicas, críticas, criativas, éticas e estéticas, para expandir
as formas de produzir sentidos, de engajar­‑se em práticas
autorais e coletivas, e de aprender a aprender nos campos
da ciência, cultura, trabalho, informação e vida pessoal e
coletiva.
–– Fazer curadoria de informações, tendo em vista diferentes
propósitos e projetos discursivos.
–– Selecionar informações, dados e argumentos em fontes
confiáveis, impressas e digitais, e utilizá­‑los de forma refe‑
renciada, para que o texto a ser produzido tenha um nível de
aprofundamento adequado (para além do senso comum) e
contemple a sustentação das posições defendidas.
–– Elaborar roteiros para a produção de vídeos variados
(vlog, videoclipe, videominuto, documentário etc.), apre‑
sentações teatrais, narrativas multimídia e transmídia, pod‑
casts, playlists comentadas etc., para ampliar as possibilida‑
des de produção de sentidos e engajar­‑se de forma reflexiva
em práticas autorais e coletivas.
–– Utilizar softwares de edição de textos, fotos, vídeos e áu‑
dio, além de ferramentas e ambientes colaborativos para
criar textos e produções multissemióticas com finalida‑
des diversas, explorando os recursos e efeitos disponíveis
e apropriando­‑se de práticas colaborativas de escrita, de
construção coletiva do conhecimento e de desenvolvimento
de projetos.
• LÍNGUA PORTUGUESA: Compreender as línguas
como fenômeno (geo)político, histórico, social, variável, he‑
terogêneo e sensível aos contextos de uso, reconhecendo­‑as
e vivenciando­‑as como formas de expressões identitárias,
pessoais e coletivas, bem como respeitando as variedades
linguísticas e agindo no enfrentamento de preconceitos de
qualquer natureza.

20
© Pallas Editora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução.

–– Produzir e analisar textos orais, considerando sua adequa‑


ção aos contextos de produção, à forma composicional e ao
estilo do gênero em questão, à clareza, à progressão temática
e à variedade linguística empregada, como também aos ele‑
mentos relacionados à fala (modulação de voz, entonação,
ritmo, altura e intensidade, respiração etc.) e à cinestesia
(postura corporal, movimentos e gestualidade significativa,
expressão facial, contato de olho com plateia etc.).
–– Analisar o fenômeno da variação linguística, em seus
diferentes níveis (variação fonético­ ‑fonológica, lexical,
sintática, semântica e estilístico­‑pragmática) e em suas di‑
ferentes dimensões (regional, histórica, social, situacional,
ocupacional, etária etc.), de forma a ampliar a compreensão
sobre a natureza viva e dinâmica da língua e sobre o fenô‑
meno da constituição de variedades linguísticas de prestígio
e estigmatizadas, e a fundamentar o respeito às variedades
linguísticas e o combate a preconceitos linguísticos.

Descrição
• A partir da pessoa de Conceição Evaristo, proponha que
os alunos pesquisem autores e obras representativos da li‑
teratura afro­‑brasileira. Esse estudo pode ter diferentes en‑
foques:
1) estudar em profundidade a obra de um determinado
autor;
2) traçar um panorama que abranja diversos autores, com
exemplos das obras mais significativas de cada um;
3) eleger temas (evento histórico, questão do cotidiano etc.)
e levantar obras que mostrem como diferentes autores tra‑
taram o mesmo tema;
4) listar e analisar autores ligados a um determinado gê‑
nero literário, a um estilo etc., apresentando exemplos de
suas obras.
• Os produtos das atividades podem ser exposições, debates,
representações, leituras dramáticas comentadas etc.

21
© Pallas Editora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução.

Recursos
• Recurso primário: o próprio livro.
• Recursos adicionais: fontes de pesquisa (livros, sites na in‑
ternet, jornais, revistas, entrevistas com pessoas conhecidas
etc.). Material para escrita, desenho e outras formas de re‑
gistro e apresentação.

Grandes nomes afro­‑brasileiros das artes


A proposta da atividade é conhecer autores e obras afro­
‑brasileiros nas diversas linguagens artísticas.

Áreas de conhecimento, Competências e Habilidades


• LÍNGUA PORTUGUESA: Mobilizar práticas de lingua‑
gem no universo digital, considerando as dimensões técni‑
cas, críticas, criativas, éticas e estéticas, para expandir as for‑
mas de produzir sentidos, de engajar­‑se em práticas autorais
e coletivas, e de aprender a aprender nos campos da ciência,
cultura, trabalho, informação e vida pessoal e coletiva.
–– Fazer curadoria de informações, tendo em vista diferentes
propósitos e projetos discursivos.
–– Selecionar informações, dados e argumentos em fontes
confiáveis, impressas e digitais, e utilizá­‑los de forma refe‑
renciada, para que o texto a ser produzido tenha um nível de
aprofundamento adequado (para além do senso comum) e
contemple a sustentação das posições defendidas.
–– Elaborar roteiros para a produção de vídeos variados
(vlog, videoclipe, videominuto, documentário etc.), apre‑
sentações teatrais, narrativas multimídia e transmídia, pod‑
casts, playlists comentadas etc., para ampliar as possibilida‑
des de produção de sentidos e engajar­‑se de forma reflexiva
em práticas autorais e coletivas.
–– Utilizar softwares de edição de textos, fotos, vídeos e áu‑
dio, além de ferramentas e ambientes colaborativos para criar
textos e produções multissemióticas com finalidades diversas,

22
© Pallas Editora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução.

explorando os recursos e efeitos disponíveis e apropriando­‑se


de práticas colaborativas de escrita, de construção coletiva do
conhecimento e de desenvolvimento de projetos.
• LINGUAGENS E SUAS TECNOLOGIAS: Apreciar
esteticamente as mais diversas produções artísticas e cul‑
turais, considerando suas características locais, regionais e
globais, e mobilizar seus conhecimentos sobre as linguagens
artísticas para dar significado e (re)construir produções au‑
torais individuais e coletivas, de maneira crítica e criativa,
com respeito à diversidade de saberes, identidades e culturas.
–– Apropriar­‑se do patrimônio artístico e da cultura cor‑
poral de movimento de diferentes tempos e lugares, com‑
preendendo a sua diversidade, bem como os processos de
disputa por legitimidade.
–– Fruir e apreciar esteticamente diversas manifestações ar‑
tísticas e culturais, das locais às mundiais, assim como delas
participar, de modo a aguçar continuamente a sensibilidade,
a imaginação e a criatividade.
–– Expressar­‑se e atuar em processos criativos que integrem
diferentes linguagens artísticas e referências estéticas e cul‑
turais, recorrendo a conhecimentos de naturezas diversas
(artísticos, históricos, sociais e políticos) e experiências in‑
dividuais e coletivas.
–– Relacionar as práticas artísticas e da cultura corporal do
movimento às diferentes dimensões da vida social, cultural,
política, histórica e econômica.

Descrição
• A partir da atividade “Heranças africanas”, proponha que os
alunos pesquisem autores e obras representativos das artes
afro­‑brasileiras. Esse estudo pode ter diferentes enfoques:
1) estudar em profundidade a obra de um determinado
autor;
2) traçar um panorama que abranja diversos autores, com
exemplos das obras mais significativas de cada um;

23
© Pallas Editora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução.

3) eleger temas (evento histórico, questão do cotidiano etc.)


e levantar obras que mostrem como diferentes autores tra‑
taram o mesmo tema;
4) listar e analisar autores ligados a uma determinada lin‑
guagem, a um estilo etc., apresentando exemplos de suas
obras.
• Os produtos das atividades podem ser utilizados em expo‑
sições, debates, representações, leituras dramáticas comen‑
tadas etc.

Recursos
• Recurso primário: o próprio livro.
• Recursos adicionais: fontes de pesquisa (livros, sites na in‑
ternet, jornais, revistas, entrevistas com pessoas conhecidas
etc.). Material para escrita, desenho e outras formas de re‑
gistro e apresentação.

Recursos diversos
Os sites e portais listados a seguir são algumas das fontes de
material educativo e informativo que podem ser encontradas
na internet. Entre as possibilidades de uso dos materiais dis‑
poníveis estão (de acordo com as possibilidades locais): vídeos
e animações que podem ser exibidos diretamente no compu‑
tador; fotos, desenhos e outros materiais didáticos e do noti‑
ciário atual que podem ser baixados e impressos para serem
postos à disposição dos alunos; modelos de atividades didáti‑
cas e recursos de apoio ao professor.

Publicações acadêmicas
As revistas citadas disponibilizam online os conteúdos de seus
exemplares, gratuitamente e sem necessidade de cadastro.
Afro­‑Ásia, revista do Centro de Estudos Afro­‑Orientais da
Universidade Federal da Bahia <http://www.afroasia.ufba.br>

24
© Pallas Editora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução.

– publica estudos sobre os povos africanos, os afrodescenden‑


tes no Brasil e as regiões da Ásia com história de ocupação
portuguesa.
Sankofa, revista da Universidade de São Paulo <http://www.
revistas.usp.br/sankofa/index> – publica estudos sobre a Áfri‑
ca, afrodescendentes, escravidão, eurocentrismo e temas afins.
Tempo, revista do Departamento de História da Universidade
Federal Fluminense <http://www.historia.uff.br/tempo/site/>
– cada número é dedicado a um tema como: Violência e cida‑
dania, Identidade e exclusão etc.

Bibliotecas e repositórios de obras


Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin da Universidade de
São Paulo (USP) <https://www.bbm.usp.br/> – disponibiliza li‑
teratura, obras de viajantes que descreveram o Brasil (como De‑
bret), imagens em formato JPG (mapas antigos, gravuras) e ou‑
tros materiais de domínio público, livres para uso não comercial.
Biblioteca Digital do Senado Federal <http://www2.senado.
leg.br/bdsf/> – disponibiliza uma grande quantidade de pu‑
blicações de domínio público ou com autorização dos autores
para publicação digital. São livros, artigos, leis, jornais, revistas
e obras raras que podem ser baixados gratuitamente.
Biblioteca Nacional Digital do Brasil <https://bndigital.bn.
gov.br/> – o acervo digital da Biblioteca Nacional disponi‑
biliza livros, jornais, revistas, manuscritos, fotos etc. que, se
forem de domínio público, podem ser baixados para uso não
comercial.
Biblioteca Pública de Nova Iorque <http://digitalcollections.
nypl.org> – tem uma grande quantidade de obras, especial‑
mente imagens, que, quando são de domínio público, podem
ser copiadas e usadas sem restrições.
Domínio Público <http://www.dominiopublico.gov.br/pes‑
quisa/PesquisaObraForm.jsp> – portal do governo federal
brasileiro que dá acesso a obras guardadas em várias bibliote‑
cas do país, disponíveis para uso não comercial.

25
© Pallas Editora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução.

Gallica <http://gallica.bnf.fr/> – a coleção digital da Bibliote‑


ca Nacional da França contém muitos materiais de domínio
público que podem ser baixados para uso não comercial.
Internet Archive <https://archive.org> – plataforma na inter‑
net que disponibiliza obras em domínio público guardadas em
várias bibliotecas virtuais do mundo.
Universidades – as instituições de ensino superior com pro‑
gramas de pós­‑graduação geralmente têm em seus portais na
internet um banco de teses e dissertações onde os trabalhos de
seus estudantes estão disponíveis para uso não comercial.

Fontes de material educativo


IBGE <https://www.ibge.gov.br/index.php> – o menu “Es‑
tatísticas” disponibiliza os dados censitários. O menu “Bi‑
blioteca” permite pesquisar no acervo de fotos, livros, mapas
e periódicos que, dependendo do caso, podem ser baixados.
O menu “Nossos sites” permite acessar áreas específicas do
portal como: Séries Estatísticas (que oferece séries históricas
de diversos dados, permitindo criar tabelas personalizadas),
SIDRA (Banco de Tabelas Estatísticas, com muitas tabelas
prontas), Mapas (que podem ser baixados), Revistas de Geo‑
grafia e Estatística (disponíveis em pdf ), Países (recurso com
informações sobre os países do mundo), Cidades (com dados
sobre Estados e Cidades do Brasil), IBGE Explica (canal do
IBGE no YouTube com uma coleção de vídeos) e recursos
destinados a estudantes do ensino básico (IBGE – 7 a 12 e
IBGE teen).
MultiRio <http://www.multirio.rj.gov.br/> – empresa da
Prefeitura do Rio de Janeiro que disponibiliza (para uso não
comercial) vídeos e minijogos educativos, reportagens, publi‑
cações, gravações dos programas da WebRádio e materiais
para professores (objetos de aprendizagem, modelos de aula,
cursos).
Portal do Professor <http://portaldoprofessor.mec.gov.br/in‑
dex.html> – portal do MEC que disponibiliza (para uso não

26
© Pallas Editora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução.

comercial) recursos educacionais multimídia, cadernos didá‑


ticos, sites temáticos e sugestões de aulas para todos os níveis
do ensino básico, organizadas em coleções dedicadas a temas
como inclusão, multiculturalismo, qualidade de vida, ética etc.
Sendo um espaço colaborativo, professores podem postar mo‑
delos de aula.
TV Brasil <http://tvbrasil.ebc.com.br/> – televisão pública
pertencente à Empresa Brasil de Comunicação. Disponibiliza,
para serem visualizados no site, vídeos de notícias e reporta‑
gens.
TV Escola <http://tvescola.mec.gov.br/tve/home> – televisão
pública do Ministério da Educação destinada a professores e
estudantes. Disponibiliza (para uso não comercial) uma co‑
leção de vídeos organizados por temas e materiais didáticos
(conteúdos temáticos e modelos de aulas).
VOC <http://voc.cplp.org/> – o Vocabulário Ortográfico Co‑
mum da Língua Portuguesa (VOC) é o recurso oficial de refe‑
rência para a escrita do português. O site contém o vocabulário
comum a todos os países da Comunidade dos Países de Lín‑
gua Portuguesa (CPLP) e vocabulários de cada país com suas
especificidades. Além disso, inclui um vocabulário toponímico
e um dicionário de formas não adaptadas, com termos em ou‑
tras línguas usados em áreas de conhecimento específicas.

Sites de organizações e instituições


CEAP, Centro de Articulação de Populações Marginaliza‑
das <http://ceaprj.org.br/> – ONG fundada no RJ por ex­
‑internos da antiga Funabem, que estabelece parcerias para
desenvolver projetos nas áreas de Educação, Formação para
o Trabalho, Direitos Humanos e Defesa da Liberdade Reli‑
giosa. O CEAP disponibiliza alguns vídeos e outros materiais
sobre suas ações.
Fundação Cultural Palmares <http://www.palmares.gov.br/>
– órgão do Ministério da Cultura voltado para a promoção
e preservação da arte e da cultura afro­‑brasileira. Tem mate‑

27
© Pallas Editora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução.

riais sobre comunidades quilombolas, manifestações culturais


e patrimônio afro­‑brasileiro (música, artesanato, religião etc.).
Gueledés Instituto da Mulher Negra <https://www.geledes.
org.br/> – tem informações, dados e recursos auxiliares (inclu‑
sive planos de aula) sobre questões étnico­‑raciais e de gênero.
Instituto Identidades do Brasil <http://simaigualdaderacial.
com.br/idbr/> – ONG responsável pela campanha “Sim à
Igualdade Racial”. No site há informações sobre as atividades
da ONG e formas de compartilhar experiências.
Unesco, representação no Brasil <http://www.unesco.org/
new/pt/brasilia> – disponibiliza gratuitamente diversos ma‑
teriais (para uso não comercial). Os relacionados ao tema des‑
te livro incluem: a coleção História Geral da África; informa‑
ções sobre o programa de produção de materiais pedagógicos
sobre história e cultura da África e sobre as relações África­
‑Brasil; informações e materiais sobre a Década Internacio‑
nal de Afrodescendentes da ONU (2015­‑2024), que inclui a
campanha Vidas Negras, pelo fim da violência contra a juven‑
tude negra no Brasil; e materiais como o Índice de Vulnera‑
bilidade Juvenil à Violência 2017, que aborda a desigualdade
racial no Brasil.

Fontes de informações e notícias na internet


EBC, Empresa Brasil de Comunicação <http://www.ebc.com.
br/> – empresa federal que reúne as empresas públicas fede‑
rais de comunicações, que são as emissoras de rádio (MEC,
Nacional e emisssoras parceiras) e TV (TV Brasil e canais
parceiros), além da Agência Brasil (que produz conteúdos vei‑
culados por emissoras parceiras, sites, redes sociais etc.) e do
portal EBC, onde podem ser encontradas notícias, matérias
especiais, arquivos de áudio e vídeo, e transmissões ao vivo das
rádios e TVs do sistema.
Jornais, revistas etc. – o site Guia de Mídia <https://www.
guiademidia.com.br/> contém uma lista de links para páginas
de jornais, revistas, emissoras de rádio e TV online.

28
© Pallas Editora. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução.

Portais de empresas de comunicações – portais como G1


<http://www.globo.com/> e R7 <https://www.r7.com/> dão
acesso a páginas de noticiário, publicações (jornais, revistas)
e emissoras de TV e rádio pertencentes ao grupo, onde estão
disponíveis notícias, reportagens, imagens, vídeos etc.

Leis
Diário Oficial da União <http://www.imprensanacional.gov.
br/> – contém as leis federais brasileiras no exemplar da data
de sua publicação oficial.
Diário Oficial dos estados e municípios – contêm as leis locais
de cada estado ou município do país, em suas datas de publi‑
cação. Suas páginas podem ser localizadas por busca na inter‑
net ou nos portais dos governos estaduais e municipais.
Portal da legislação <http://www4.planalto.gov.br/legislacao>
– disponibiliza uma grande coleção de materiais jurídicos do
governo federal, incluindo as atuais constituições federal e es‑
taduais, as constituiçoes federais anteriores, leis do império e
da república, medidas provisórias, decretos, projetos de lei etc.
Esse material também pode ser encontrado na página da Sub‑
chefia para Assuntos Jurídicos da Casa Civil da Presidência
da República <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/>. A se‑
ção “Constituições anteriores” do Portal da legislação <http://
www4.planalto.gov.br/legislacao/portal­‑ legis/legislacao­
‑historica/constituicoes­
‑anteriores­‑1>, que não aparece no
menu, disponibiliza todas as constituições brasileiras.

As Áreas de conhecimento, Competências e Habilidades


apresentadas nas sugestões de atividades foram extraídas da
proposta da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para
o Ensino Médio do MEC, divulgada em 2018.

29