Você está na página 1de 10

A IMPORTÂNCIA DA LUDICIDADE NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM

CIDADE
2018
A IMPORTÂNCIA DA LUDICIDADE NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM

Artigo Científico encaminhado à

cidade
2018
RESUMO

Este trabalho tem como objetivo principal focar sobre a utilização do lúdico no processo de
aprendizagem infantil, seja em sala de aula ou em atividades extracurriculares. O primeiro passo foi
procurar compreender a importância do lúdico, assim como o mesmo interfere no processo de
aprendizagem dos alunos. Através do levantamento de dados, foi possível, realizar uma apresentação
em relação à necessidade do lúdico fazer parte da rotina escolar, deixando claro que as atividades
lúdicas potencializam e auxiliam o desenvolvimento das crianças em diversos aspectos (físico,
psicológico, social e cognitivo). Dessa forma, a possibilidade de provar que a prática lúdica é benéfica
em relação à construção de conhecimento e informações, principalmente na fase infantil, e também
auxilia no raciocínio lógico, melhorando as interações, auxiliando na criatividade. É função dos
educadores utilizarem o lúdico como objeto de trabalho para auxiliar na aprendizagem.

Palavras-chave: Lúdico. Aprendizagem. Educação. Desenvolvimento


4

INTRODUÇÃO

A aprendizagem na infância é um processo que demanda tempo, dedicação,


paciência e formas diferentes, a fim de atrair a atenção dos alunos, visto que nessa
fase, a dispersão de atenção é maior.
O presente trabalho busca realizar a compreensão de como o lúdico pode ser
uma ferramenta muito útil para o processo de ensino aprendizagem, entretanto,
muitas vezes por falta de informação e conhecimento específico, os professores não
sabem como inserir as brincadeiras certas que colaboram para o ensino, lhes faltando
domínio desse recurso e principalmente, capacitações adequadas que abordem esse
assunto.
A metodologia escolhida foi a de cunho bibliográfico, embasando-se no ponto
de vista de vários autores que defendem o lúdico como uma ferramenta que não
apenas complementa o ato da aprendizagem, mas também renova a prática
pedagógica.
A intenção de desenvolver uma pesquisa referente ao lúdico é buscar
esclarecer pontos em relação à essa prática, analisando como a ludicidade pode
melhorar o contato das crianças com o conteúdo aplicado em sala de aula; como a
ludicidade precisa ser vista como um recurso que inova a prática educacional. A
motivação inicial da pesquisa partiu do intuito de analisar os aspectos que podem levar
as crianças à aprender de forma mais dinâmica e se divertindo. O principal objetivo
desta pesquisa é compreender qual a importância da relação do brincar no contexto
educativo, visto que conforme as muitas fontes pesquisadas, o período da infância é
fundamental para que as crianças desenvolvam e apreendam novos conhecimentos,
e estão mais sujeitas à memorização. O foco do trabalho será analisar a construção
do lúdico na educação e a sua necessidade de ensinar, utilizando-se dessa
ferramenta, em sala de aula.
O lúdico deve ser visto como um recurso fundamental no processo de inserção
da aprendizagem, visto que as crianças vivem imersas em um cenário de fantasia e
sonhos, no qual o universo do faz de conta e a realidade se confundem e é nesse
momento que a concentração, a interação social, cultural e pessoal são favoráveis,
colaborando para o processo de aprendizado (MODESTO, RUBIO; 2014).
5

Perceber o quanto o lúdico pode auxiliar na aprendizagem é um papel


importante a ser avaliado pelo professor, pois ele, como mediador de conhecimento
deve estar atento às ferramentas que mais corroboram para a fixação das informações
e conceitos, principalmente na fase da infância.
Em muitas pesquisas já realizadas, é comprovado que através do lúdico as
crianças possuem a capacidade de exercer a imaginação, criando reformulações do
que vive em sua realidade, assim como apresenta associações ao meio em que está
inserida. Com a contribuição das brincadeiras e jogos, a mesma desenvolve novas
visões da sua realidade e assim produz novos conhecimentos, além de memorizar
melhor as informações recebidas.
Espera-se que o trabalho em questão auxilie os professores e as pessoas
envolvidas no meio educacional na compreensão do papel do lúdico no processo
ensino-aprendizagem, e que os professores o quanto o lúdico colabora para uma
aprendizagem condizente com a realidade e corrobora para o desenvolvimento do
aluno em todos os aspectos.
6

DESENVOLVIMENTO

De acordo com Salomão e Martini (2007), a origem da palavra lúdico provém


de “ludus” que significa “jogos” e “brincar”, e em relação ao ato de brincar se inserem
os jogos, diversão e os brinquedos, que auxiliam na aprendizagem. Os autores
elencam que,

O ato de brincar estimula o uso da memória que ao entrar em ação se amplia


e organiza o material a ser lembrado, tudo isto está relacionado com
aparecimento gradativos dos processos da linguagem que ao reorganizarem
a vivência emocional e eleva a criança a um nível de processos psíquicos
(SALOMÃO; MARTINI, 2007, p. 4).

Enxergar a ludicidade como aliada no processo de ensino-aprendizagem pode


compor um ensino mais agradável, além de garantir a inovação da prática pedagógica
dos professores.
Para Vygotsky, quando as crianças são inclusas no ambiente social, ela se
torna um produto do contexto cultural. Esse processo de interação colabora para
explorar a imaginação, a memória e registro das mesmas e também corrobora para a
criação de experiências (SALOMÃO; MARTINI, 2007).
Dallabona e Mendes (2004, p. 2) acreditam que

O lúdico permite um desenvolvimento global e uma visão de mundo mais real.


Por meio das descobertas e da criatividade, a criança pode se expressar,
analisar, criticar e transformar a realidade. Se bem aplicada e compreendida,
a educação lúdica poderá contribuir para a melhoria do ensino, quer na
qualificação ou formação crítica do educando, quer para redefinir valores e
para melhorar o relacionamento das pessoas na sociedade.

A partir do exposto, pode-se observar que a ludicidade estimula diversos


aspectos e colabora para o desenvolvimento da criança em todos os aspectos e
colabora para o desenvolvimento da criança, em todos os aspectos, podendo
modificar até mesmo, a realidade que a criança pertence, pois ela desenvolve
aspectos críticos e melhora o seu relacionamento com os demais membros da
comunidade.
7

Se torna necessário ressaltar a importância da criação e desenvolvimento de


jogos e brincadeiras no trabalho psicopedagógico, visto que através do contato com
as brincadeiras, as crianças acabam desenvolvendo suas potencialidades,
descobrindo suas habilidades, e pode auxiliar na aprendizagem de forma que
identifiquem possíveis problemas em relação ao ritmo de aprendizado que cada aluno
possui, realizando também uma integração entre as diversas áreas de aprendizagem
que estão inclusas no desenvolvimento infantil como um todo.
A ludicidade se torna uma ferramenta importante já que ela desperta sensações
e colabora para o desenvolvimento das crianças como seres humanos, “No decorrer
do desenvolvimento integral, a criança cresce e compreende a realidade por meio de
brincadeiras e do faz de conta, que em alguns momentos são representações da vida
adulta. A criança também libera emoções de diferentes origens e intensidades,
demonstrando suas preferências e seus interesses pessoais” (ASSIS, 2016, p. 18).
É importante observar que o desenvolvimento da criança como indivíduo social
é um aspecto fundamental para ser analisado. O desenvolvimento infantil trata-se de
uma parte fundamental quando as crianças começam a frequentar a escola, pois é na
instituição que ela entra em contato com diversos aspectos, saindo da integração
somente em família, e passando para a integração com outros membros da
sociedade.
De acordo com Machado (2013, p. 19-20),

O mundo infantil é equipado de subsídios que contribuem para o


desenvolvimento e aprendizagem da criança, as descobertas são eminentes
e constantes a cada fase da infância, onde o lúdico se faz presente e
necessário para que a criança desfrute da infância de forma plena. As
brincadeiras e os jogos devem fazer parte do contexto cotidiano das crianças,
não apenas na visão de ocupá-las ou levá-las a gastar energia física, mas
também podem ser veículos interessantes para que sejam trabalhados
aspectos importantes, como desenvolvimento cognitivo, afetivo, valores
morais, coletividade, crescimento físico, etc.

Vygotsky (1984) e Piaget (1975) comentam que o desenvolvimento ocorre de


maneira não linear mas evolui, e é nesse meio que a imaginação se constrói. Quando
a criança aprende brincando, ela não perde essa capacidade que desenvolveu
durante a brincadeira, e o aprendizado flui. Através da formação de conceitos que
8

ocorre na aprendizagem e é justamente no ato de brincar que se dá um espaço


abrangente para se formar conceitos (DALLABONA; MENDES, 2004).
O desenvolvimento através do ensino com o lúdico assume uma parte
importante no processo de crescimento intelectual,

O mundo infantil é equipado de subsídios que contribuem para o


desenvolvimento e aprendizagem da criança, as descobertas são eminentes
e constantes a cada fase da infância, onde o lúdico se faz presente e
necessário para que a criança desfrute da infância de forma plena. As
brincadeiras e os jogos devem fazer parte do contexto cotidiano das crianças,
não apenas na visão de ocupá-las ou levá-las a gastar energia física, mas
também podem ser veículos interessantes para que sejam trabalhados
aspectos importantes, como desenvolvimento cognitivo, afetivo, valores
morais, coletividade, crescimento físico, etc (MACHADO, 2013, p. 19 -20).

Sendo assim, os aspectos cognitivos são desenvolvidos e dependendo da faixa etária


as brincadeiras se diferem para beneficiar cada criança de forma exata, auxiliando no
desenvolvimento adequado para cada idade.
Modesto e Rubio (2014) apud Kishimoto, julgam que uma das tarefas que mais
marcam os primeiros anos de aprendizagem são o fato de construir representações,
possibilitando o “jogo” com a realidade e dessa forma possibilitando a construção do
pensamento, adquirindo automaticamente o conhecimento.
9

CONCLUSÃO

Em relação ao lúdico, percebe-se que o aprendizado pode acontecer com a


utilização da fantasia, auxiliando no despertar do interesse dos alunos pela
aprendizagem de novos assuntos. Importante saber que a escola precisa desenvolver
meios de aprendizagem associadas ao prazer, e para isso dar certo, é necessário que
haja uma junção entre alunos interessados e professores preparados que saibam
ensinar de forma inovadora e dinâmica.
Os professores são o caminho para inserir a aprendizagem aos alunos, e para
isso, necessitam incorporar estratégias pedagógicas contemporâneas que auxiliem na
formação dos diversos tipos de pessoas, sabendo apreciar cada ponto forte dos
alunos. Os professores precisam disponibilizar aos alunos momentos dinâmicos para
colaborar na produção de conhecimentos. Ensinar não significa apenas transmitir as
informações, o professor precisa saber atrair a atenção dos alunos, mediando as
informações através de atividades dinâmicas e eficientes para o processo de
aprendizagem.
Ensinar de forma lúdica é uma metodologia que enaltece a aprendizagem de
maneira prazerosa, no qual o ato de aprender se torna mais alegre e interessante,
facilitando até mesmo a memorização. Com uma aprendizagem bem qualificada,
estaremos proporcionando uma formação das pessoas como seres sociais e o lúdico
é um dos caminhos para atingir esse objetivo.
Conclui-se que os professores são os principais mediadores de conhecimento
e por essa razão é papel deles incorporar o lúdico na prática educativa, e assim
possibilitará uma aprendizagem rica e eficiente à todos os envolvidos.
10

REFERÊNCIAS

ASSIS, Crispiliana Carla de. Ludicidade na Educação Infantil. 2016. Trabalho de


Conclusão de Curso. Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

DALLABONA, Sandra Regina; MENDES, Sueli Maria Schmitt. O lúdico na educação


infantil: jogar, brincar, uma forma de educar. Revista de divulgação técnico-
científica do ICPG, v. 1, n. 4, p. 107-112, 2004.

MACHADO, Jaelina Félix. Jogos na prática escolar da educação infantil: o lúdico


na construção do conhecimento. 2013.

MODESTO, Monica Cristina; RUBIO, Juliana de Alcântara Silveira. A importância da


ludicidade na construção do conhecimento. Revista Eletrônica Saberes da
Educação, v. 5, n. 1, p. 1-16, 2014.

SALOMÃO, Hérica Aparecida Souza; MARTINI, Marilaine; A importância do lúdico na


educação infantil: enfocando a brincadeira e as situações de ensino não direcionado.
Portal dos Psicólogos, 2007.

KISHIMOTO, T. M. (Org.) Jogo, brinquedo, brincadeira e a educação. 7ª ed. São


Paulo. Cortez, 2003.