Você está na página 1de 4

Programa de Pós-Graduação em História, Política e Bens Culturais - Mestrado Acadêmico e

Doutorado em História, Política e Bens Culturais

Disciplina: História, Ditadura e Democracia: novas abordagens


Professora: Dulce Pandolfi
Período: 1ºsemestre de 2018
Horário: Quartas-feiras, das l4:00 às 18:00 h

Ementa
A ideia do curso é traçar um panorama dos temas e debates que têm marcado a produção historiográfica
relativa aos fundamentos e à dinâmica político-institucional da ditadura implantada no Brasil em 1964,
assim como tentar compreender os avanços e os limites do regime democrático que sucedeu o regime
ditatorial, atentando para suas rupturas e continuidades. Nesse sentido, entender os diversos sentidos da
democracia será de fundamental importância. O período analisado no curso será do golpe de 64 até os
dias atuais. Experiências semelhantes ocorridas em outros países, sobretudo na América Latina, também
serão contempladas. O curso abrigará, ainda, debates sobre os movimentos sociais que emergiram no
contexto político em tela e buscará conectá-los às discussões contemporâneas acerca da cidadania em
suas múltiplas vertentes. Além de explorar os novos sentidos dos movimentos sociais, pretende-se
estudar alguns casos específicos, buscando entender os diferentes padrões de relação entre a política
institucionalizada e a política não institucionalizada, assim como o impacto que essas relações têm sobre
a configuração dos atores sociais e suas práticas políticas.

Aulas e Bibliografia

1. Apresentação do programa. Cidadania e Democracia (7/3)

Carvalho, José Murilo. Cidadania no Brasil: o longo caminho. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira,
2001, p 199-229. (Cap. 4 e Conclusão)

2. História do tempo presente, ditadura, democracia e socialismo (14/3)

Bédarida, François. “Tempo presente e presença da história”. In: Amado, Janaína e Ferreira, Marieta
de Moraes (orgs.). Usos e abusos da História Oral. Editora da FGV, 1996.

Coutinho, Carlos Nelson. Democracia e Socialismo: questões de princípio e contexto brasileiro. São
Paulo, Cortez, 1992.

Reis, Daniel Aarão. “Ditadura e democracia: questões e controvérsias”. In: Martinho, Francisco
Palomanes. Ditadura e democracia. Editora da UERJ, 2008, p.13-23.

3. Crise política e o golpe de 1964. (21/3)

Santos, Wanderley Guilherme dos. Quem dará o golpe no Brasil. Cadernos do Povo Brasileiro, Rio de
Janeiro, Civilização Brasileira, 1962.

Figueiredo, Argelina Cheibub. Democracia ou reformas? São Paulo, Paz e Terra, 1993, p 171-202.

Ferreira, Jorge. “Esquerdas no Panfleto. A crise de 1964 no jornal da Frente de Mobilização Popular.”
Anos 90. Porto Alegre, v. 16, n.29, 2009, p. 81-124.
Ferreira, Jorge e Gomes, Angela de Castro. 1964: o golpe que derrubou um presidente, pôs fim ao
regime democrático e instituiu a ditadura no Brasil. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2014, p 279-
383.

4. Ditadura e historiografia (28/3)

Reis, Daniel Aarão. Ditadura Militar, esquerdas e sociedade. Rio de Janeiro, Zahar, 2005.

Fico, Carlos. “O golpe: o estado da arte”. In: ___________. Além do Golpe. Versões e controvérsias
sobre 1964 e a ditadura militar. Rio de Janeiro, Record, 2004.

5. Ditadura, entidades da sociedade civil e movimentos sociais (4/4)

Fernandes, Rubem Cesar. Privado porém público: o terceiro setor na América Latina. Rio de Janeiro,
Relume Dumará, 1994, p. 15-107.

Durhan, Eunice Ribeiro. “Movimentos Sociais: a construção da cidadania”. Novos Estudos CEPRAP,
São Paulo, 1984.

Cardoso, Ruth. “Movimentos Sociais na América Latina”. Revista Brasileira de Ciências Sociais. São
Paulo, n.3, 1987.

6- Ditadura e movimentos sociais (11/4)

Sader, Eder. Quando novos personagens entram em cena: Experiências e lutas dos trabalhadores da
Grande São Paulo 1970-1980. Rio de janeiro, Paz e Terra, 1988, p. 25-60 e p. 197-315 (Capítulos I e
IV).

Pandolfi, Dulce e Grynszpan, Mario. “Poder público e favela: uma relação delicada”. In Oliveira, Lucia
Lippi (org.). Cidade: histórias e desafios. Rio de Janeiro, FGV, 2002.

Green, James. “Abaixo a repressão. Mais amor e mais tesão. Uma memória sobre a ditadura e o
movimento de gays e lésbicas de São Paulo na época da abertura.” In Acervo , vol. 7, n.1, jan/jun 2014,
p. 53-82.

7- Ditadura, Democracia e movimentos sociais (18/4)

Grynszpan, Mario. “A questão agrária no Brasil pós-1964 e o MST”. In: Ferreira, Jorge e Delgado,
Lucilia de Almeida Neves. O Brasil Republicano: o tempo da ditadura. Rio de Janeiro, Civilização
Brasileira, 2003, p. 315-348.

Sigaud. Lygia. “Ocupações de Terras, Estado e Movimentos Sociais no Brasil”. Cadernos de


Antropologia Social n. 20, 2004, p 11- 23.

Negro, Antônio Luigi. “Servir ao povo de todo coração”: Mulheres militantes e mulheres operárias no
ABC na década de 70. In: Santos, Cecília MacDowell et alii (orgs.). Desarquivando a ditadura.
Memória e Justiça no Brasil. São Paulo, Hucitec, 2009, v. I, p. 84-109.

Cordeiro, Janaína Martins. “A mulher brasileira está nas trincheiras”. In: ________. Direitas em
movimento: a campanha da mulher pela democracia e a ditadura no Brasil. Rio de Janeiro, Editora da
FGV, 2009, p. 40-100.

Green, James. Apesar de vocês. Oposição à ditadura brasileira nos Estados Unidos, 1964-1985. São
Paulo, Companhia das Letras, 2009.
8. Partidos, ditadura e transição democrática. (25/4)
Grinberg, Lucia. Partido político ou bode expiatório. Um estudo sobre a Aliança Renovadora Nacional
– Arena (1965-1979). Rio de Janeiro, Maud, 2009.

Motta, Rodrigo P. Sá. Partido e sociedade: a trajetória do MDB. Ouro Preto, UFOP, 1997.

Meneguello, Rachel. PT, a formação de um partido 1979-1982. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1989, p
42- 64. (24/10)

9. Ditadura e Igreja Católica (2/5)

Delgado, Lucilia de Almeida Neves. “Catolicismo: direitos sociais e direitos humanos (1960-1970)”.
In: Ferreira, Jorge e Delgado, Lucilia de Almeida Neves (orgs.). O Brasil Republicano: o tempo da
ditadura. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2003, p. 95-131.

Serbin, Kenneth. “Encontros improváveis” e “Conclusão”. In: Serbin, Kenneth. Diálogos na sombra.
Bispos e militares, tortura e justiça social na ditadura. São Paulo, Companhia das Letras, 2001, p. 17-
77 e p. 408-442.

10. A dinâmica militar, novas esquerdas e imprensa alternativa (9/5)

Martins Filho, José Roberto. A ditadura revisitada: unidade ou desunião? In: Reis, Daniel Aarão,
Ridente, Marcelo e Patto, Rodrigo (orgs.). O golpe e a ditadura militar: 40 anos depois. São Paulo,
Edusc, 2004, p. 125-140.

Araújo, Maria Paula Nascimento. A utopia fragmentada: as novas esquerdas no Brasil e no mundo na
década de 70. Rio de Janeiro, Editora FGV, 2000.

11. Dilemas: luta armada, exílio e transformações partidárias (16/5)

Acselrad, Henri. Sinais de fumaça na cidade: uma sociologia da clandestinidade na luta contra a
ditadura no Brasil. Rio de Janeiro, Lamparina, 2015, p.73-117 e p. 189-218.

Da-Rin, Silvio. Hércules 56. 2007. (filme)

Meneguello, Rachel. “A face dominante da esquerda brasileira: avanços, mudanças e dilemas do Partido
dos Trabalhadores.” Cadernos Adenauer, ano IV, 2003, n. 1 p.39-55

12. Pactos políticos, consensos e dissensos (23/5)

Silva, Francisco Carlos Teixeira da. “Crise da ditadura militar e o processo de abertura política no
Brasil”. In: Ferreira, Jorge e Delgado, Lucília de Almeida Neves. O Brasil Republicano: o tempo da
ditadura. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2003, p.243-279.

Greco, Heloísa A. “Anistia anamnese vs. Anistia amnésia: a dimensão trágica da luta pela anistia.” In:
Santos, Cecília MacDowell et alii (orgs.). Desarquivando a ditadura. Memória e Justiça no Brasil. v.
II, São Paulo, Hucitec, 2009, p. 524-540

Mezarroba, Glenda. “Entre reparações, meias verdades e impunidade: o difícil rompimento com o
legado da ditadura no Brasil”. Revista Internacional de Direitos Humanos, v. 7, n. 13, p. 7-26, dez.
2010.

13. O que resta da ditadura. (30/5)


Motta, Rodrigo Patto Sá. “Ruptura e continuidade na ditadura brasileira: a influência da cultura política”
in Abreu, Luciano A. de; Motta, Rodrigo P. S. (orgs.). Autoritarismo e cultura política. Porto Alegre:
Edipucrs, Ed. FGV, 2013, p. 9-32.

Mezarobba, Glenda. “De que se fala, quando se diz ‘Justiça de transição’?” BIB, n. 67, 2009, p. 111-
122.

Abrão, Paulo; Genro, Tarso. “Justiça de transição”. In: Avritzer, Leonardo et alli. Dimensões políticas
da Justiça. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013, p. 579-592.

Brito, Alexandra B. de. "'Justiça transicional' em câmara lenta: o caso do Brasil". In: Pinto, Antonio C.;
Martinho, Francisco C. Palomanes. O passado que não passa: a sombra das ditaduras na Europa do
Sul e na América Latina. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2013, p. 235-260.

14- Impasses da Democracia. (6/6)

Rancière, Jacques. O Ódio à Democracia. São Paulo, Boitempo, 2014.

Silva, Francisco Carlos Teixeira da. “Transição política, democracia e crise: esboço de uma história
comparadas nas instituições políticas na América do Sul” In Martinho, Francisco Palomanes. Ditadura
e democracia. Editora da UERJ, 2008, p. 165-178.

Jelin, Elizabeth; Hershberg, Eric. Construindo a democracia: direitos humanos, cidadania e sociedade
na América Latina. São Paulo: Edusp, 2006.

15- Impasses da Democracia. (13/6)

Singer. André. “Raízes Sociais do Lulismo” Novos Estudos Ceprab, nov, 2009, p 83-102.

Avritzer, Leonardo. Impasses da Democracia no Brasil. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2016

Santos, Wanderley Guilherme dos. A Democracia Impedida: o Brasil no século XXI. Rio de Janeiro,
FGV, 2017.