Você está na página 1de 107

Marcos

Vinícius Campez
Sobre mim

Marcos Vinícius Campez

- Bacharelado em Sistemas de Informação
- Usuário GNU/Linux desde 2006
- Escreve arCgos para o Viva o Linux
- Militante do uso do SoHware Livre
- Desenvolvedor Web e Consultor Linux
- Fundador da empresa Byte Livre
Introdução
Obje;vos deste Curso
à Entender por completo os conceitos de toda plataforma Zabbix.

à Aplicar configurações básicas, intermediárias e avançadas.

à Administrar toda a plataforma Zabbix.

à  Desenvolver todo um ambiente de produção uClizando a plataforma Zabbix.
Pré-requisitos
à Conhecimento básico/intermediário em GNU/Linux.

à Conhecimento básico/intermediário na distribuição CentOS.

à Conhecimento básico/intermediário em Redes e Infraestrutura.

à  Conhecimento básico em Shell Script.
Por que monitorar?
→ Controle total e centralizado de todo o parque computacional.

→ Análise mais detalhada de cada disposiCvo de rede.

→ Relatórios detalhados dos problemas ocorridos.

→ Melhora significaCva no tempo de ação a desastre, caso ocorra algum.

→ Melhora significaCva em segurança da informação.

→ Aviso ou resolvimento automáCco de algum problema ocorrido.

→ “Melhor prevenir do que remediar”.
O que é o Zabbix?
→ SoHware que monitora diversos parâmetros de uma rede como a integridade
e desempenho dos servidores.

→ Oferece excelentes relatórios e visualização de dados de recursos com base
nos dados armazenados.

→ Usa um mecanismo de noCficação flexível que permite aos usuários configurar
e-mail com alertas para qualquer evento, o que permite uma reação rápida para
os problemas de qualquer disposiCvo de rede monitorado pelo mesmo.

→ É escrito e distribuído sob a GNU General Public License versão 2. Isso significa
que seu código-fonte é distribuído gratuitamente e está disponível para o público
em geral.
Vantagens de se u;lizar o Zabbix
→ Solução Open Source.

→ Suporte para SNMP, ICMP e outros protocolos.

→ Monitoramento distribuído com administração centralizada na web;

→ Agentes de alta performance (soHware de cliente para Linux, Solaris, HP-UX,
AIX, FreeBSD, OpenBSD, OS X, Tru64/OSF1, Windows NT 4.0, Windows 2000,
Windows 2003, Windows XP, Windows 7/8, etc).

→ Permissões flexíveis de usuário.

→ Interface baseada na web.

→ Comunidade atuante e documentação detalhada em PT_BR.
Módulos do
Zabbix
Zabbix Server (zabbix-server)
→ É o centro da plataforma Zabbix.

→ É o componente central para o qual os agentes reportam a disponibilidade,
integridade de informações e estaqsCcas dos servidores monitorados.

→ É nele que toda a configuração, estaqsCcas e dados operacionais são
armazenados, sendo o componente que parCcipará aCvamente alertando os
administradores quando surgirem problemas em qualquer um dos sistemas
monitorados.
Zabbix Proxy (zabbix-proxy)
→ É uma parte opcional da implantação do Zabbix.

→ Coleta dados de desempenho e disponibilidade, em nome do Zabbix Server.

→ Todos os dados coletados localmente são transferidos para o Zabbix Proxy e
depois enviados para o Zabbix Server.

→ É uma solução ideal para um controle centralizado de locais remotos, filiais,
não havendo a necessidade dos administradores de redes locais.
Zabbix Agente (zabbix-agent)
→ É instalado nos disposiCvos de redes em que serão monitorados.

→ O agente vai reunir informações operacionais do sistema em que está em
execução, e informar esses dados ao Zabbix (Proxy ou diretamente ao Server)
para posterior processamento.

→Conta com agentes nas plataformas: Linux, Solaris, HP-UX, AIX, FreeBSD,
OpenBSD, OS X, Tru64/OSF1, Windows NT 4.0, Windows 2000, Windows 2003,
Windows XP, Windows 7/8, etc.
Zabbix Web
→ Permite fácil acesso aos dados de monitoramento e configuração do Zabbix
em qualquer lugar e em qualquer plataforma.

→ A interface é uma parte do Zabbix Server.

→ É geralmente (mas não necessariamente) executada na mesma máquina ssica
que o Zabbix Server.
Topologia de rede Zabbix s/ Zabbix Proxy
Topologia de rede Zabbix c/ Zabbix Proxy
Instalação
Zabbix Server
Instalação do Zabbix Server (zabbix-server)
Pré-requisitos:

→ CentOS 7 instalado em máquina ssica ou virtual.

→ Acesso a internet.

→ Processador Intel ou AMD, 64 bits com clock de 1.5 Ghz.

→ Memória RAM de 1GB.

→ Espaço livre em disco de 10GB para instalação e logs.

→ Iptables e Selinux desabilitados.

→ IP fixo na rede interna.
Instalação do Zabbix Server (zabbix-server)
à Os procedimentos de configuração e instalação se encontram no arquivo
instalacao_zabbix_server.txt em anexo a este curso.
Instalação
Zabbix Agente
Instalação do Zabbix Agente (zabbix-agent)
Linux:

→ Os procedimentos de configuração e instalação se encontram no arquivo
instalacao_zabbix_agente_linux.txt em anexo a este curso.
Instalação do Zabbix Agente (zabbix-agent)
Windows:

→ Realize o download no site oficial do Zabbix:
Instalação do Zabbix Agente (zabbix-agent)
Windows:

→ Crie a pasta C:\Zabbix e descompacte os arquivos dentro dela:
Instalação do Zabbix Agente (zabbix-agent)
Windows:

Edite as seguintes configurações no arquivo zabbix_agentd.win.conf

→ Server: ip_do_zabbix_server
→ Hostname: idenCficacao_do_computador
→ StartAgents=5
→ DebugLevel=3
→ LogFile=C:\Zabbix\zabbix_agentd.log
→ Timeout=3
Instalação do Zabbix Agente (zabbix-agent)
Windows:

→ Entre no Command como Administrador e execute o seguinte comando:

C:\Zabbix\bin\win32\zabbix_agentd.exe -i -c C:\Zabbix\zabbix_agentd.win.conf

→ A saída deve ser semelhante a da imagem abaixo:
Instalação do Zabbix Agente (zabbix-agent)
Windows:

→ Vá em Serviços procure pelo serviço Zabbix Agent e coloque-o como
AutomáCco, iniciando o mesmo.
Instalação do Zabbix Agente (zabbix-agent)
Windows:

→ Não se esqueça de:

→ Desbloquear as portas 10050 e 10051 no Firewall.

→ Liberar as mesmas portas no Firewall de seu AnCvírus.

→ Caso o problema de comunicação con;nue:

→ Reiniciar o computador (Recomendado).
Instalação
Zabbix Proxy
Instalação do Zabbix Proxy (zabbix-proxy)
à Os procedimentos de configuração e instalação se encontram no arquivo
instalacao_zabbix_proxy.txt em anexo a este curso.
Interface
Adminitra;va
Interface Administra;va
Zabbix Web:

→ Informações apresentadas em vídeos.
Hosts e
Grupos de Hosts
hxps://www.zabbix.com/documentaCon/3.4/pt/manual/config/hosts
Hosts e Grupos de Hosts
O que é um host?

à Podemos resumir a definição de host como sendo qualquer elemento de sua
rede que possua um IP e tenha capacidade de comunicação com o Zabbix, seja
através de coletas aCvas ou passivas.

à Exemplos comuns de hosts são: servidores, estações de trabalho, switches,
roteadores, etc.

à Criar os hosts é uma das primeiras tarefas de monitoração no Zabbix. Por
exemplo, se você deseja monitorar alguns parâmetros em um servidor “X”, você
precisa primeiramente criar um host chamado, digamos: “Servidor X” e adicionar
itens a serem monitorados nele.

à Os hosts são organizados dentro de grupos de hosts e todo host deverá
parCcipar de, no mínimo, um grupo.
Itens
hxps://www.zabbix.com/documentaCon/3.4/pt/manual/config/items
Itens
O que é um item?

à Os itens são a forma que o Zabbix uCliza para receber dados de um host. Uma
vez que você configure um host, você precisará adicionar itens para iniciar a
coleta de dados. Um item é uma métrica individual.

à A cada item você pode definir o Cpo de dado que será coletado do host. Por
isso você precisa uClizar uma chave de item. Então um item com a chave
system.cpu.load irá coletar informação sobre a carga do processador, enquanto
um item com a chave net.if.in coletará informação sobre o tráfego de entrada.

à Para definir parâmetros específicos da chave, você deverá incluí-los entre
colchetes. Então a chave system.cpu.load[avg5] retornará informação sobre a
carga média do processador nos úlCmos 5 minutos, enquanto net.if.in[eth0]
retornará o tráfego de entrada apenas da interface 'eth0'.
Triggers
hxps://www.zabbix.com/documentaCon/3.4/pt/manual/config/triggers
Triggers
O que é uma trigger?

à As triggers são expressões lógicas que analisam os dados coletados pelos itens
e representam o estado do sistema em relação aos mesmos.

à Enquanto os itens são uClizados para coletar dados, é impensável esperar que
alguém tenha tempo para analisar manualmente todos os valores coletados para
alertar sobre desvios e limites.

à O trabalho de analisar os dados deve ser deixado a cargo das expressões das
triggers.

à Uma expressão de trigger permite definir um limite aceitável de dados. Logo,
quando o dado recebido fugir do limite aceitável a trigger será acionada,
mudando seu estado de “OK” para “INCIDENTE”.
Triggers
Dependência de Triggers

à  Dependências de triggers como o próprio nome já diz, faz com que uma
trigger dependa de outra para que a mesma dispare. Desta maneira evitamos
disparos indesejáveis de triggers, podendo nos causar alguns falsos posiCvos.

Exemplo:

à Teremos duas triggers (Trigger 1 e Trigger 2).

à Teremos uma dependência de trigger na Trigger 2 com a Trigger 1, ou seja, a
Trigger 2 só será disparada caso o status da Trigger 1 seja OK e o dela PROBLEM.
Templates
hxps://www.zabbix.com/documentaCon/3.4/pt/manual/config/templates
Templates
O que é um template?

à Um template é um conjunto de enCdades que pode ser associadas de forma
fácil e conveniente a vários hosts.

à As enCdades podem ser:

à Itens
à Triggers
à Gráficos
à Aplicações
à Telas (desde o Zabbix 2.0)
à Regras de autobusca (LLD) (desde o Zabbix 2.0)
à Cenários web (desde o Zabbix 2.2)
Templates
O que é um template?

à Os templates são usados normalmente para agrupar conjuntos comuns de
monitoração para aplicações ou serviços específicos (tal qual o Apache, MySQL,
PostgreSQL, Pos•ix…) e são associados de forma cumulaCva nos hosts.
Templates
Herança de Templates

à Com a aba Associado aos Templates é possível criar uma Herança de
Templates.

à A Herança de Templates funciona muito parecido ao que acontece em
linguagem de programação orientada a objetos.

à Associando um template a outro, o template “pai” herda todas as
configurações do template “filho”.

à Acelera consideravelmente o processo de configuração do monitoramento.

Ac;ons
hxps://www.zabbix.com/documentaCon/3.4/pt/manual/config/noCficaCons/acCon
Ac;ons
O que é uma ac;on?

à Se você precisa que algumas operações ocorram como resultado de eventos
(por exemplo, enviar uma noCficação), você precisa configurar ações.

à  Ações podem ser definidas como respostas a eventos, independente do seu
Cpo:

à Eventos de trigger (incidentes) - quando o status de uma trigger é
modificado de OK para INCIDENTE ou quando retorna

à Eventos de descoberta (quando algo é detectado)

à Eventos de autorregistro (quando novos agentes se autorregistram)

à Eventos internos (quando itens passam para o estado de 'não suportado'
ou triggers vão para o estado 'desconhecido’)
Comandos
Remotos
hxps://www.zabbix.com/documentaCon/3.4/pt/manual/config/noCficaCons/acCon/
operaCon/remote_command
Comandos Remotos
O que são os comandos remotos?

à  Com os comandos remotos você pode definir um comando a ser executado
automaCcamente sob determinada condição.

à  Desta maneira, os comandos remotos são um mecanismo eficiente para


monitoração pró-aCva.

Exemplos:

à Reiniciar automaCcamente alguma aplicação (servidor web, aplicações,
CRM) se ele não esCver respondendo.

à Liberar automaCcamente espaço em disco.

à UClizar o comando IPMI de 'reboot' para reiniciar remotamente um
servidor que não responde.
Comandos Remotos
c/ Ac;ons
Comandos Remotos c/ Ac;ons
→ Informações apresentadas em vídeos.
User Parameters
hxps://www.zabbix.com/documentaCon/3.4/pt/manual/config/items/userparameters
User Parameters
O que são os User Parameters?

à  Algumas vezes você pode precisar executar uma verificação que não faça
parte do kit de testes naCvos do Zabbix. Nestes casos os User Parameters
(Parâmetros do Usuário) poderão estender as funcionalidades da solução
para novos testes desenvolvidos por você.

à  Você pode desenvolver um comando que extraia os dados que você precisa e
incluí-lo como um 'User Parameter' no arquivo de configuração do agente.

à  Um parâmetro de usuário tem a sintaxe a seguir:

à  UserParameter=<key>,<command>
Screens
hxps://www.zabbix.com/documentaCon/3.4/pt/manual/config/visualisaCon/screens
Screens
O que são Screens (Telas)?

à O recurso de telas do Zabbix tem por objeCvo possibilitar a agregação de
dados de várias fontes em uma visualização rápida na mesma página. A sua
construção é rápida, fácil e intuiCva.

à As telas do Zabbix são basicamente uma tabela. Separadas em linhas e
colunas você pode definir um elemento a ser exibido em cada célula.
Slideshows
hxps://www.zabbix.com/documentaCon/3.4/pt/manual/config/visualisaCon/slides
Slideshows
O que são Slideshows (Apresentação de Slides)?

à Em uma apresentação de slides você pode configurar uma determinada
sequencia de Screens (Telas) para serem apresentadas em determinado intervalo
de tempo (customizável).

à Algumas vezes é necessária a alternação entre telas, isso pode ser feito
manualmente mas com certeza é algo que seria extremamente tedioso. A função
de Slideshow vem para nos auxiliar nisso.
Mapas
hxps://www.zabbix.com/documentaCon/3.4/pt/manual/config/visualisaCon/maps
Mapas
O que são Mapas?

à Se você tem uma rede para administrar, você provavelmente irá querer ter
uma visão geral de sua infraestrutura. Você pode uClizar o Zabbix para ter estes
mapas apresentando sua rede e sendo sensibilizados pelos eventos que
esCverem ocorrendo.

à A parCr da versão 3.0 do Zabbix todos os usuários podem criar seus mapas de
rede, os mapas podem ser definidos como públicos (disponíveis par todos os
usuários) ou privados (disponíveis somente para determinados usuários).
Gráficos
hxps://www.zabbix.com/documentaCon/3.0/pt/manual/web_interface/
frontend_secCons/monitoring/graphs
Gráficos
à O Zabbix além de criar gráficos automaCcamente assim que o valor de um
item é recebido, permite também a sua personalização.

à Com a personalização de gráficos é possível resultados muito mais níCdos do
que se deseja monitorar.

à É possível a comparação de vários gráficos em um só.

à Criando gráficos personalizados, fica mais fácil de entender algum problema
que esteja acontecendo ou prever algum problema futuro.
Inventário
hxps://www.zabbix.com/documentaCon/3.4/pt/manual/config/hosts/inventory
Inventário
à Você pode pode manter um inventário dos disposiCvos em sua rede através
do Zabbix.

à Existe um menu especial chamado Inventário na interface web do Zabbix. Nele
não será apresentado nenhuma informação a não ser que você habilite o
inventário nos hosts e os mesmos sejam preenchidos, de forma manual ou
automáCca.

à O foco do Zabbix NUNCA foi se tornar uma ferramenta de inventário e SIM
uma ferramenta de monitoramento.

à O Zabbix há alguns anos, incorporou uma ferramenta BÁSICA de inventários
para servidores e aCvos de rede.

à Na versão 2.0 foi incorporado o preenchimento automáCco do inventário a
parCr de dados coletados por seus itens.
Monitoramento
Web
hxps://www.zabbix.com/documentaCon/3.4/pt/manual/web_monitoring
Monitoramento Web
à  Com o Zabbix você pode verificar a disponibilidade de diversos aspectos de
sites web.

à  Verificar se determinada URL está disponível.

à  Obter a velocidade de acesso a determinada página Web.

à  Obter tempo de resposta a determinada página Web.

à  Checar o que está causando lenCdão em um sistema ou página Web.

à  Para executar a verificação web o Zabbix Server precisa ser configurado com
suporte ao cURL (libcurl).
Períodos de
Manutenção
hxps://www.zabbix.com/documentaCon/3.4/pt/manual/web_interface/
frontend_secCons/configuraCon/maintenance
Períodos de Manutenção
à  O Zabbix permite que você defina períodos de manutenção em hosts ou
grupos de hosts. Os períodos de manutenção podem ser de dois Cpos: com
coleta de dados; sem coleta de dados.

à  Durante períodos de manutenção “com coleta de dados” as triggers serão


processadas e os eventos serão criados, entretanto, será possível configurar
as ações para não enviar as noCficações / comandos remotos.

à  Já em um período de manutenção “sem coleta de dados” nada é coletado.



à  Com isso é possível realizar testes em nossos Grupos de Hosts sem que o
Zabbix colete esses dados “sujos”. Deixando assim, nossos dados livres de
falsos posiCvos ou de informações conflitantes.

à Geralmente uClizado quando se deseja testar itens ou triggers novos ou
até configurações de comunicações com outros Proxys ou Nodes.
Serviços de TI
hxps://www.zabbix.com/documentaCon/3.4/pt/manual/web_interface/
frontend_secCons/monitoring/it_services
Serviços de TI
à Muito interessante para gerentes de redes verificarem se um
determinado serviço está dentro dos padrões acordados com os clientes.

à  Serviços de TI são lincados em Triggers.

à Exemplo: checar a disponibilidade do site: hxps://bytelivre.net.
Monitoramento
SNMP
hxps://www.zabbix.com/documentaCon/3.4/pt/manual/config/items/itemtypes/snmp
Monitoramento SNMP
à  Simple Network Management Protocol - Protocolo Simples de Gerência de
Rede.

à  É um protocolo da camada de aplicação de gerência qpica de redes IP, que


facilita o intercâmbio de informação entre os disposiCvos de rede.

à  Possibilita aos administradores de rede gerenciar o desempenho da rede,


encontrar e resolver seus eventuais problemas, e fornecer informações para o
planejamento de sua expansão, dentre outras.

à  Você poderá precisar uClizar o protocolo SNMP para monitorar disposiCvos


como impressoras, switches, roteadores ou nobreaks que, normalmente,
possuem interfaces SNMP habilitadas e onde é impraCcável manter um
Zabbix Agent funcionando.
Monitoramento SNMP
à  Zabbix conta com suporte naCvo ao SNMP (v1, v2 e v3).

à  Geralmente, é uClizado para monitorar aCvos de rede que não possuem


suporte a instalação de um agente (zabbix_agent).

à  Possui informações detalhadas, não apenas idenCficar se está ou não online.

à  Podemos monitorar por SNMP uClizando dois modos:

à  SNMP e SNMP Trap.


Monitoramento SNMP
SNMP:

à O disposiCvo a ser monitorado trabalha como um Servidor e o Zabbix
como um Cliente.

à Comunicação acontece na porta 161/UDP.

SNMP Trap:

à O disposiCvo a ser monitorado trabalha como Agente, ficando
responsável por enviar os itens para o Zabbix.

à Comunicação acontece na porta 162/UDP.
Monitoramento SNMP
à  Para que o Zabbix tenha suporte a SNMP, é necessário que no momento da
compilação, tenha sido posto a opção: --with-net-snmp.

à  É necessário também, que o Servidor Zabbix conte com o pacote netsnmp-


uCls.

à  Para consultar informações de SNMP em um disposiCvo, podemos fazer de 3


maneiras:

à  Em modo texto com o comando snmpwalk e snmptranslate.

à  Em modo gráfico com o programa MIBBrowser (recomendado).

à  Manual do disposiCvo (recomendado).


Monitoramento
Windows
(Perf_Counter)
hxps://www.zabbix.com/documentaCon/3.4/pt/manual/config/items/perfcounters
Monitoramento Windows
à  Para deixar o monitoramento de hosts com Windows mais avançado e
personalizável, devemos uClizar os contadores de performance
(perf_counter).

à  Para obter um lista de objetos registrados em cada sistema, uClizaremos o


TypePerf.exe.

à  O TypePerf.exe possuí várias opções de execução, porém iremos uCliza-lo


somente para coletarmos os contadores de objetos instalados no sistema.
Macros
hxps://www.zabbix.com/documentaCon/3.4/pt/manual/config/macros
Macros
à  O Zabbix suporta um grande número de Macros que podem ser uClizadas em
várias situações.

à  Macros são variáveis, idenCficadas pela sintaxe {MACRO}, que possui um


valor específico dependendo do contexto.

à  O Macro é uClizado na maioria das vezes em Templates.

à  A uClização dos macros é altamente recomendada para o reaproveitamento


de configurações ou para criação de itens dinâmicos.

à  Existem dois Cpos de macros – os que o Zabbix já suporta por padrão


(supported by locaCon) e os personalizados pelos usuários (user macros).
Autobusca
Low Level Discovery (LLD)

hxps://www.zabbix.com/documentaCon/3.4/pt/manual/discovery/
low_level_discovery
Autobusca – Low Level Discovery (LLD)
à  O LLD – Autobusca interna, foi implantada na versão 2.x do Zabbix e
melhorada na versão 3.x.

à  Em versões anteriores era possível descobrir a rede, mas não o que exisCa em
cada Host.

à  Nas versões 3.x é possível criar regras de descoberta interna no Host que são
executadas periodicamente.

à  Exemplo de uso do LLD: Notar adição de um novo volume de disco ou uma


nova interface de rede do servidor e já monitora-la automaCcamente.

à  Com o LLD é possível também a adição automáCca de itens, triggers, gráficos


e o principal: de Hosts!
LLD Personalizado
LLD Personalizado
à  A documentação do Zabbix por melhor que seja, não consegue demonstrar o
quão fácil é o uso de autobuscas personalizadas.

à  Dessa forma, a maioria dos usuários tem receio de tentar criar este Cpo de
processo.

à  Para quem possui um conhecimento básico de desenvolvimento, com as


autobuscas personalizadas é possível fazer milagres!

à  Se você não possui conhecimento algum em programação, o processo pode


parecer mais complexo do que realmente é.

à  Quando você ver o que é possível fazer com o LLD personalizado, tenho
certeza que se você ainda não tem conhecimento em desenvolvimento, vai
correr atrás para ter!
LLD Personalizado
à  Nosso exemplo seguirá o seguinte fluxo:

à  Servidor Zabbix, requisita ao agente dele mesmo, o valor de uma chave.

à  O agente retorna uma matriz de valores no formato JSON.

à  O Servidor Zabbix trabalha com os dados gerados.

à  Para isso, iremos trabalhar com duas tecnologias de script: PHP e Bash.

à  Este LLD descobrirá todos os diretórios da pasta raiz de nosso Zabbix Web e
irá monitorar o total de arquivos que existem em cada um dos diretórios
descobertos.
Expressões
Regulares
hxps://www.zabbix.com/documentaCon/3.4/pt/manual/regular_expressions
Expressões Regulares
à  Quando aCvamos um processo de autobusca, a regra genérica de descoberta
pode, e muitas vezes o faz, trazer elementos que não desejamos monitorar.

à  Como por exemplo um interface de loopback.

à  O Zabbix consegue realizar um filtro, uClizando as expressões regulares.

à  As expressões regulares uClizam o padrão POSIX para filtrar os dados.

à  Para exemplificar seu uso, iremos pesquisar somente as pastas do nosso


Zabbix Web que comecem com a letra i (são elas: images e include).
Autodescoberta
de Redes
hxps://www.zabbix.com/documentaCon/3.4/pt/manual/discovery/network_discovery
Autodescoberta de Redes
à  O Zabbix pode ser uClizado também como ferramenta básica de gestão de
IPs.

à  A Autodescoberta de Redes nos permite:

à  Conhecer quais IPs estão sendo uClizados na sua rede.

à  Conhecer quais IPs estão sendo monitorados.

à  Agrupar os IPs por intervalo e por conjunto de caracterísCcas comuns.

à  Na maioria das vezes, os Hosts são adicionados no monitoramento de forma


tardia, normalmente após um incidente percebido pelo usuário, para que não
aconteça isso, podemos uClizar o conceito de Autodescoberta de Redes.
Baseline
hxps://www.zabbix.com/documentaCon/3.4/pt/manual/config/items/itemtypes/
calculated
Baseline – Itens Calculados
à  Segundo o ITIL v3, baseline é “Uma Linha de base de desempenho que pode
ser usada para medir mudanças no desempenho durante todo o período em
que um Serviço de TI esCver na aCva”.

à  Com o Zabbix, é possível a construção de linhas de base por meio do recurso


de itens calculados.
Zabbix Trapper
hxps://www.zabbix.com/documentaCon/3.4/pt/manual/config/items/itemtypes/
trapper
Zabbix Trapper
à  Em determinadas situações pode-se não ter conhecimento suficiente na
equipe para configurar um determinado monitoramento.

à  Situações comuns para o uso de uma trap:

à  Uma aplicação cujo tempo de transações que alteram os dados do


sistema deva ser monitorado (transferência entre contas correntes).

à  Processos que levam um grande tempo para serem executados, como


por exemplo, um processo de backup.

à  Nestas situações pode-se optar por alterar o código da aplicação para que ela
envie para o Zabbix uma trap, ou seja, um sinalizador toda vez que ocorrer
algo que deva ser monitorado.
SNMP Trap
hxps://www.zabbix.com/documentaCon/3.4/pt/manual/config/items/itemtypes/
snmptrap
SNMP Trap
à  Veremos como funciona o envio de traps no protocolo SNMP (semelhante ao
Zabbix Trapper).

à  Como configurar o ambiente para que esses traps sejam enviados ao Zabbix
no formato ideal.

à  O fluxo de funcionamento do envio de traps através do SNMP se dá da


seguinte maneira:

à  Definimos os níveis de traps a serem enviados (log, execute e net).

à  Qual comunidade será uClizada para autenCcação (public).

à  Definir a opção de geração de logs


Autobusca c/
LLD e SNMP
Autobusca c/ LLD e SNMP
à  Criar processos de autobusca personalizados uClizando a indexação SNMP
como origem dos dados.

à  Faremos uma autobusca personalizada em um roteador uClizando o SNMP


para que descubra as interfaces de rede e a quanCdade de tráfego de entrada
em cada uma delas.
Manutenção no
Zabbix
Manutenção no Zabbix
à  Cedo ou tarde, você precisará atualizar o Zabbix para uma versão mais
recente ou proceder uma limpeza manual dos dados.

à  Você precisa de alguma maneira, fazer com que os usuários não acessem o
sistema enquanto esCver realizando esta manutenção, pois alterações em
paralelo atrapalham e podem comprometer o banco de dados.

à  Para proceder com essa manutenção, é necessário que façamos o bloqueio ao


acesso do Zabbix Web.
Planejamento de
Banco de Dados
Planejamento de Banco de Dados
→ Variáveis (O que faz aumentar o volume do Banco de Dados):

1. Valores Processados por Segundo (VPS).

2. Dados Históricos.

3. Dados Estaqscos.

4. Dados de Eventos.
Planejamento de Banco de Dados
1. Valores Processados por Segundo (VPS):

→ VPS = Qtd. de itens monitorados / Taxa de atualização em segs.

Exemplo:

→ VPS = 1000 / 60

→ VPS = 16,67 novos registros no Banco de Dados a cada segundo.
Planejamento de Banco de Dados
2. Dados Históricos:

→ Histórico = Dias * 24 * 3600 * VPS * bytes

Explicando:

→ 24 = Qtd. de horas em 1 dia.

→ 3600 = Qtd. de segundos em 1 hora.

→ bytes = Qtd. de bytes para manter 1 único valor no BD.


PS.: 1 único valor de histórico no BD consome geralmente 50 bytes.
Planejamento de Banco de Dados
2. Dados Históricos:

Exemplo de uso de espaço em disco do BD em 1 mês:

→ Histórico = Dias * 24 * 3600 * VPS * bytes

→ Histórico = 30 * 24 * 3600 * 16,67 * 50

→ Histórico = 2,01 Gb/mês.
Planejamento de Banco de Dados
3. Dados Estajs;cos:

→ EstaqsCca = (Itens/3600) * (24 * 3600 * Dias) * bytes

Explicando:

→ Itens = Qtd. de itens a serem monitorados.

→ Dias = Qtd. de dias de armazen. para dados de estaqsCcas.

→ bytes = Qtd. de bytes para manter 1 único registro no BD.


PS.: 1 único valor de estaqsCca no BD consome geralmente 128 bytes.
Planejamento de Banco de Dados
3. Dados Estajs;cos:

Exemplo de uso de espaço em disco do BD em 1 ano:

→ EstaqsCca = (Itens/3600) * (24 * 3600 * Dias) * bytes

→ EstaqsCca = (1000/3600) * (24 * 3600 * 365) * 128

→ EstaqsCca = 1,04 Gb/ano.
Planejamento de Banco de Dados
4. Dados de Eventos:

→ Eventos = Dias * Eventos * 24 * 3600 * bytes

Explicando:

→ Dias = Qtd. de dias de armazen. para dados de eventos.

→ Eventos = Qtd. de eventos gerados por seg.

→ bytes = Qtd. de bytes para manter 1 único registro no BD.


PS.: 1 único registro de eventos no BD consome geralmente 130 bytes.
Planejamento de Banco de Dados
4. Dados de Eventos:

Exemplo de uso do espaço em disco do BD em 1 ano:

→ Eventos = Dias * Eventos * 24 * 3600 * 130

→ Eventos = 365 * 1 * 24 * 3600 * 130

→ Eventos = 3,81 Gb/ano.
Planejamento de Banco de Dados
Total de espaço em disco em 1 ano:

→ Total = Histórico + EstaqsCca + Eventos

Explicando:

→ Histórico = Qtd. de armarzen. em Gb de histórico em 1 ano.

→ EstaqsCca = Qtd. de armarzen. em Gb de estaqsCca em 1 ano.

→ Eventos = Qtd. de armarzen. em Gb de eventos em 1 ano.
Planejamento de Banco de Dados
Total de espaço em disco em 1 ano:

→ Total = Histórico + EstaqsCca + Eventos

→ Total = (2,01 * 12) + 1,04 + 3,81

→ Total = 25,2 + 1,04 + 3,81

→ Total = 30,5 Gb/ano.

PS.: O Histórico foi calculado por mês no exemplo anterior, por isso foi
mulCplicado o mesmo por 12, para mostrar o valor anual.
Desinstalando
o Zabbix
Desinstalando o Zabbix
Remover o Banco de Dados

→ echo “Drop database zabbix;” | mysql -uroot -p

Remover Interface Web

→ rm -rf /var/www/html/zabbix

Remover arquivos binários

→ rm -rf /usr/local/sbin/zabbix_*

Remover arquivos de configuração

→ rm -rf /usr/local/etc/zabbix_*
Desinstalando o Zabbix
Remover arquivos de sistema

→ rm -rf /etc/systemd/system/zabbix_*