Você está na página 1de 8

Pesquisa / Research

LUZ, JMQ; BITTAR, CA; OLIVEIRA RC; NASCIMENTO, AR; NOGUEIRA, APO. 2016. Desempenho e divergência genética de genótipos de tomate
para processamento industrial. Horticultura Brasileira 34: 483-490. DOI - http://dx.doi.org/10.1590/S0102-053620160406

Desempenho e divergência genética de genótipos de tomate para


processamento industrial
José MQ Luz1; Cecilia A Bittar1; Roberta C Oliveira1; Abadia R Nascimento2; Ana PO Nogueira1
1
Universidade Federal de Uberlandia (UFU), Uberlândia-MG, Brasil; jmagno@ufu.br; ceciliabial@yahoo.com.br; robertacamargoss@
gmail.com; ana.paula@ufu.br; 2Universidade Federal de Goiás (UFG), Goiania-GO, Brasil; abadiadosreis@ufg.br

RESUMO ABSTRACT
O crescimento do mercado de tomate para processamento in- Performance and genetic divergence of tomato genotypes for
dustrial desperta o interesse de instituições nacionais e empresas industrial processing
multinacionais produtoras de sementes de hortaliças no desenvol- The growth of the tomato market for industrial processing arouses
vimento de novos híbridos. Neste sentido, objetivou-se avaliar o the interest of national institutions and multinational companies of
desempenho e a divergência genética de genótipos de tomate, quanto vegetable seeds in the development of new hybrids. The objective
às características firmeza de fruto, concentração de maturação dos of the study was evaluate the performance and genetic divergence
frutos, índice de retenção do pedúnculo, vigor da planta, cobertura of tomato genotypes, with respect to fruit firmness, fruit maturation
foliar do fruto, sanidade da planta, produção média por planta e teor concentration, jointless, plant vigor, leaf cover of the fruit, plant
de sólidos solúveis (°Brix). Foram avaliados 53 híbridos, sendo três healthiness, average yield per plant and soluble solids (°Brix).
testemunhas, um deles o H9553, o híbrido mais plantado no Brasil. First, we evaluated 53 hybrids, three of them being controls and
Apenas 12 genótipos e o híbrido comercial H9553 atenderam aos one of the controls being H9553, the most sown hybrid in Brazil.
critérios necessários para tomates destinados ao processamento, Only 12 genotypes and the commercial hybrid H9553 presented the
com base nas características firmeza, concentração de maturação necessary criteria for processing tomatoes, based on characteristics
dos frutos e ausência de índice de retenção do pedúnculo. Os ge- fruit firmness, concentration of fruit maturation and lack of peduncle
nótipos 1, 18 e 48 destacam-se quanto ao teor de sólidos solúveis, retention index. Genotypes 1, 18 and 48 stood out for soluble solids,
concentração de maturação e firmeza dos frutos, respectivamente. concentration of fruit maturation and fruit firmness, respectively.
A análise de divergência genética e agrupamentos revela que os The genetic divergence and groupings reveals that genotypes 1 and
genótipos 1 e 18 apresentam maior dissimilaridade dos demais ge- 18 present dissimilarity from the other genotypes. While the first
nótipos. Enquanto o primeiro demonstrou maiores médias de vigor showed a higher average plant vigor, leaf cover of the fruit, plant
de planta, cobertura foliar do fruto, sanidade da planta e °Brix, o sanity and °Brix, the second revealed a lower average fruit firmness,
segundo revelou menores valores nas avaliações firmeza de frutos, concentration of fruit maturation and °Brix. Hybrid 3, 6, 8, 14, 24,
concentração de maturação dos frutos e °Brix. Os híbridos 3, 6, 8, 37 and 48 showed genetic similarity with the commercial hybrid
14, 24, 37 e 48 apresentaram similaridade fenotípica com o híbrido H9553, which characterizes them as potential for generating new
comercial H9553, o que os caracteriza como potenciais para serem hybrids with high productivity and quality and, consequently, with
utilizados como novas opções no mercado, uma vez que apresentam acceptability of the industrial tomato production chain. Additionally,
alta produtividade e qualidade e, portanto, aceitabilidade na cadeia due to their favorable characteristics, they can be used for further
produtiva de tomate industrial. Ademais, podem ser utilizados para crosses with genotypes of other groups which also present favorable
cruzamentos futuros com genótipos de outros grupos, que também characteristics.
apresentem características favoráveis.

Palavras-chave: Solanum lycopersicum, híbridos, qualidade de Keywords: Solanum lycopersicum, hybrids genotype, fruit quality,
frutos, análise de agrupamento, °Brix. cluster analysis, °Brix.

(Recebido para publicação em 5 de fevereiro de 2015; aceito em 14 de abril de 2016)


(Received on February 5, 2015; accepted on April 14, 2016)

O tomateiro (Solanum lycopersicum)


é considerado uma das hortaliças
de maior importância econômica em
pasta (Agrianual, 2012). O segmento de
processamento industrial concentra-se
em Goiás (86%), São Paulo (12,7%) e
Seus constituintes conferem excelente
sabor, desempenham funções impor-
tantes no organismo humano, como o
escala mundial. No Brasil a produção Minas Gerais (1,3%), com 23 agroindús- carotenoide licopeno, β-caroteno, ácido
anual está em torno de 4,1 milhões de trias de atomatados (Vilela et al., 2012). ascórbico e uma gama de compostos
toneladas em 65 mil hectares. Os frutos Os frutos, com grande popularidade fenólicos que podem reduzir o risco de
obtidos são destinados tanto para o e volume consumido, servem como uma desenvolvimento de doenças cardio-
consumo in natura, quanto para o pro- importante fonte de nutrientes em dietas vasculares e retardar ou amenizar os
cessamento na forma de suco, molho e contemporâneas (Breksa et al., 2015). efeitos dos radicais livres, moléculas

Hortic. bras., v34, n. 4, out. - dez. 2016 483


JMQ Luz et al.

instáveis que danificam as células sadias a introdução de cultivares e avaliação no Brasil, especialmente no que tange
do organismo (Fontes & Silva, 2005; do desempenho agronômico (Boiteux a resistências às doenças: requeima
Chanforana et al., 2012). et al., 2012). Essa prática ainda con- (Phytophthora infestans), pinta preta
O tomate destinado à indústria tinua nos dias atuais, pela introdução (Alternaria sp.), mancha bacteriana
tem importância significativa para os de cultivares híbridas e, considerando (Xanthomonas sp.), pinta- bacteriana
produtores devido a sua remuneração as distintas condições edafoclimáticas (Pseudomonas syringae pv. Tomato),
superior a de outros cultivos que são brasileiras em relação ao local de ori- vira-cabeça-do-tomateiro (tospovírus)
produzidos de maneira intercalada gem do desenvolvimento dos híbridos, e gemivirus, uma vez que as condições
(Carvalho & Campos, 2009). Neste torna-se essencial a etapa de seleção de climáticas do país são favoráveis para
segmento de produção, geralmente híbridos, com vistas a disponibilizar o estabelecimento e disseminação de
opta-se por plantas de crescimento de- para o produtor novas opções de cultivo diversos patógenos.
terminado, devido ao seu porte reduzido que adaptem e tolerem às doenças e O ensaio foi realizado na Fazenda
e maior uniformidade de maturação, pragas do país, bem como mantenha os Barro do Capoeirão, situada no mu-
facilitando a colheita mecanizada para atributos de qualidade e propriedades nicípio de Inhumas, estado de Goiás
o processamento industrial. A carac- nutracêuticas. (16°21’S, 49°29’O, altitude 770 m),
terística hábito de crescimento possui Uma das etapas fundamentais no em um solo predominantemente do tipo
herança monogênica com dominância melhoramento de plantas é a iden- Latossolo Vermelho distroférrico.
completa do alelo SP (Self-Pruning) tificação de genitores superiores e Foram avaliados 53 genótipos,
sobre o alelo sp (self-pruning), sendo divergentes que permitam a obtenção sendo três testemunhas. Os híbridos
o fenótipo hábito determinado condi- de populações segregantes com maior receberam códigos de 1 a 53, sendo que
cionado pelo recessivo (Boiteux et al., variabilidade genética. Em tomateiro, as testemunhas, E6203, Perfect Peel e
2012). Por outro lado, Piotto & Peres os genitores potenciais são os acessos Heinz9553, receberam os códigos 28, 29
(2012) comentam que pesquisas mais de banco de germoplasma, variedades e 53, respectivamente. As testemunhas
recentes têm demonstrado que o hábito e linhagens elites. Não obstante, para o foram selecionadas mediante os crité-
de crescimento no tomateiro possui desenvolvimento de novas cultivares, a rios: cultivares com ampla distribuição
herança mais complexa. seleção e uso de híbridos comerciais é de plantios nas principais regiões produ-
A obtenção de genótipos superiores uma alternativa, pois são formados por toras, alto potencial produtivo, unifor-
resulta da combinação entre parentais linhagens geneticamente superiores para midade na concentração de maturação,
divergentes, os quais possuem genes uma ampla gama de características agro- capacidade de permanência dos frutos
que conferem melhores características nômicas e de resistência à doenças (Vogt na planta, firmeza dos frutos e retenção
de produção, qualidades organolépticas et al., 2012). O estudo de divergência do pedúnculo (Jointless).
e de adaptação a estresses abióticos e genética envolvendo híbridos para sele- O delineamento experimental foi de
bióticos (Rocha et al., 2010). ção de genitores tem sido relatado para blocos ao acaso, com três repetições. As
Apesar do grande potencial pro- espécies produtoras de grãos, olerícolas parcelas experimentais foram compostas
dutivo das cultivares disponíveis no e frutíferas (Bastiane et al., 2006; Sávio por três linhas de plantio de tomate espa-
mercado, a espécie apresenta alta sus- et al., 2008; Aramendiz-Tatis et al., çadas em 1,20 metros, com dez plantas
cetibilidade a uma gama de patógenos 2011; Evgenidis et al., 2011; Simon et de tomate espaçadas em 50 cm, em cada
(bactérias, fungos e vírus) o que pode al., 2012; Teodoro et al., 2015). linha, totalizando 18 m2 de área por
prejudicar o desenvolvimento da cultura Neste sentido, objetivou-se avaliar parcela. As linhas laterais e duas plantas
e comprometer em sua totalidade a pro- o comportamento agronômico de ge- de cada extremidade da linha central
dução (Oliveira et al., 2008). Ampliar os nótipos de tomateiro de crescimento foram consideradas como bordaduras.
investimentos em inovação, em busca determinado destinado para o mercado As avaliações foram realizadas nas seis
de genótipos mais resistentes às doen- brasileiro de processamento de frutos. plantas centrais de cada parcela, o que
ças, tolerantes a pragas, eficientes na representou uma área útil de 3,6 m2.
absorção de nutrientes, com ênfase em A área foi irrigada por pivô central.
MATERIAL E MÉTODOS O solo foi preparado com uma aração
rendimento, qualidade e diferenciação
de produtos, são desafios que estão co- a 25 cm de profundidade e gradeado
locados para o setor nos próximos anos Os genótipos utilizados foram hí- duas vezes. Na sequência foi realizada
(Brito & Castro, 2010). Em tomateiro bridos de tomate de hábito de cresci- a adubação de plantio com 700 kg/ha
industrial é fundamental considerar tam- mento determinado desenvolvidos pela do adubo formulação 03-34-08 (NPK)+
bém o teor de sólidos solúveis (°Brix), empresa Harris Moran Clause (HM. 8% Ca + 1,8% S + 0,1% B + 0,3% Mn.
coloração do fruto, cobertura foliar, Clause), em sua estação experimental A adubação de cobertura foi realiza-
firmeza, resistência a doenças, retenção nos Estados Unidos. da após 15 dias do plantio (DAP) com
do pedúnculo na planta e produtividade. Os híbridos foram obtidos a partir 350 kg/ha de 25-05-05 (NPK) + 5% S
O melhoramento genético do toma- de um programa de melhoramento que + 2% Mg; 370 kg/ha de KCl (60% de
teiro no Brasil, realizado pelo setor pri- visa atender as necessidades inerentes K2O); 10 kg/ha de 07-12-40 (NPK) +
vado, ocorre desde a década de 70 com às condições específicas que ocorrem 11% S + 2% Mg; e 10 kg/ha de 20-05-05
484 Hortic. bras., v34, n. 4, out. - dez. 2016
Desempenho e divergência genética de genótipos de tomate para processamento industrial

+ 39% S + 1,7% Mg. com muito baixa (1), baixa (2), média detectada variabilidade genética entre
O semeio foi realizado no dia 07 (3), alta (4) e muito alta (5) concentração os híbridos, as médias foram agrupadas
de abril de 2010 no Viveiro Emra, de maturação. pelo teste Scott-Knott. As análises foram
localizado em Hidrolândia-GO. Após A avaliação do nível de retenção foi realizadas no Programa GENES (Apli-
o semeio as bandejas permaneceram 4 realizada a partir de duas plantas inteiras cativo Computacional em Genética e
dias na estufa de germinação, mantendo de cada parcela. As plantas foram acon- Estatística Experimental) (Cruz, 2013).
uma temperatura de 21°C e umidade de dicionadas em sacos plásticos, os quais Os dados dos híbridos não descarta-
75%. Terminado esse período, as mudas foram sacudidos até que todos os frutos dos foram utilizados para estudo de di-
foram levadas para as estufas, onde per- presentes nas plantas se desprendessem. vergência fenotípica entre os híbridos do
maneceram até o transplante. Híbridos que apresentaram pedúnculos tomateiro, com base em sete caracteres
O transplante das mudas para o retidos aos frutos foram descartados. (firmeza de frutos, concentração de ma-
campo ocorreu no dia 12 de maio de Os híbridos que apresentaram ca- turação, vigor de planta, cobertura foliar,
2010, plantando-se uma muda por cova, racterísticas favoráveis na primeira sanidade, produção e °Brix).
manualmente. etapa de avaliação foram classificados Considerando as médias dos valores
Para a colheita e avaliação do expe- em níveis (notas de 1 a 5) quanto às se- fenotípicos dos sete caracteres estuda-
rimento foi observado o momento em guintes características: vigor da planta, dos, foi obtida a distância generalizada
que a maioria dos híbridos atingiram cobertura foliar do fruto e sanidade da de Mahalanobis entre os híbridos que
uma quantidade ideal de frutos maduros, planta. Também foi mensurada a produ- passaram pela fase de pré-seleção. Pos-
o que aconteceu nos dias 14, 15 e 16 de ção média por planta e teor de sólidos teriormente, obteve-se um dendrograma
setembro de 2010, aos 160 dias após solúveis (°Brix). pela método da ligação média entre
a semeadura (DAS) e 125 dias após o As plantas foram avaliadas grupo [Unweighted Pair-Group Method
transplante (DAT), no qual os frutos se vis ualmente, em análise do diâmetro using Arithmetic Averages (UPGMA)]
encontravam com coloração vermelho dos ramos. Foram atribuídas notas de 1 e, também, realizou-se o agrupamento
intenso. a 5 referentes a vigor muito baixo (1), dos genótipos pelo método de otimiza-
A primeira etapa de avaliação foi baixo (2), médio (3), alto (4) e muito ção de Tocher. Os critérios adotados para
de carácter eliminatório. Desta forma, alto (5). obter o dendrograma e agrupamento
os híbridos com nota média dos frutos A cobertura foliar do fruto foi avalia- estão descritos em Cruz et al. (2011).
inferior a 3 pontos, para firmeza do da, observando-se a exposição dos frutos Foi determinada a contribuição
fruto, concentração de maturação e ao sol. Frutos muito expostos não atin- relativa das características na dissimila-
classificados como jointless para índice gem a coloração adequada e depreciam ridade dos genótipos pela metodologia
de retenção do pedúnculo foram descar- a qualidade da polpa no momento do de Singh (1981).
tados e não participaram das análises processamento. Foram atribuídas notas
posteriores. de 1 a 5 que variam de cobertura foliar
RESULTADOS E DISCUSSÃO
Frutos muito macios, com baixa muito ruim (1), ruim (2), média (3), boa
concentração de maturação, bem como (4) e muito boa (5).
Quanto à incidência de doenças em Entre os 53 híbridos avaliados, ape-
os que possuíram a característica
toda a planta (folhas, ramos e frutos), nas os híbridos 1, 2, 3, 4, 6, 8, 14, 18,
jointless (retenção do pedúnculo) são
os índices variaram de muito baixa (1), 24, 30, 37, 48 e 53 foram classificados
indesejáveis para o processamento, o
baixa (2), média (3), alta (4) a muito alta para a segunda etapa de avaliação (Ta-
que justificou sua eliminação.
(5) sanidade da planta. bela 1). Os demais foram descartados
A firmeza dos frutos de tomate foi devido à inadequação das características
mensurada pela compressão do fruto Foram pesados todos os frutos ideais
principais necessárias ao processamento
com a ponta dos dedos. Adotou-se uma para processamento, ou seja, aqueles
dos frutos de tomate, ou seja, somente
escala que variou entre fruto muito que estavam com a coloração vermelha,
os híbridos que apresentaram firmeza
macio (nota 1), macio (2), médio (3), de três plantas por parcela. O peso total
do fruto suficiente para resistir aos im-
firme (4) e muito firme (5). Frutos muito foi divido por três, obtendo-se a produ- pactos da colheita mecânica como a do
macios amassaram com facilidade, ao ção média por planta. transporte até a indústria, concentração
passo que frutos muito firmes resistiram Foram colhidos aleatoriamente dez de maturação dos frutos em um mesmo
à pressão física e não apresentaram frutos de cada parcela útil de todos os período e retenção do pendúculo perma-
deformações. genótipos classificados na primeira eta- neceram para as análises subsequentes.
Em cultivos em que a colheita é me- pa da avaliação. Para análise de sólidos A seleção inicial é essencial, pois
canizada, faz-se necessário que o maior solúveis utilizou-se um refratômetro maximiza a produção de frutos efetivos
número de frutos atinja o ponto ideal de digital, para o qual foi transferido uma para o processamento e a inclusão do
colheita (maturação no desenvolvimen- gota de sumo de cada fruto e determi- gene que confere ou influencia na carac-
to) em um mesmo intervalo de tempo. nado o °Brix. terística retenção do pedúnculo, jointless
Assim, foram atribuídas, visualmente, Os dados foram submetidos à aná- e arthritic, respectivamente. A ausência
notas de 1 a 5, referentes a genótipos lise de variância (ANOVA), e quando de “joelho” faz com que o pedúnculo
Hortic. bras., v34, n. 4, out. - dez. 2016 485
JMQ Luz et al.

Tabela 1. Classificação dos genótipos quanto à firmeza de fruto (FF), concentração de matu- fique aderido à planta, o que facilita o
ração dos frutos (CMF) e índice de retenção do pedúnculo (IRP) {classification of genotypes processo de colheita, uma vez que evita
on fruit firmness (FF), fruit maturation concentration (CMF) and peduncle retention index o trabalho de remoção dos pedúnculos
(IRP)}. Uberlândia, UFU, 2011.
na linha de processamento.
Genótipo FF CMF IRP Conclusão Dos 13 híbridos restantes, o híbrido
1 4,00 3,00 Arthritic Classificado 48 apresentou numericamente a maior
2 3,67 4,00 Arthritic Classificado
média de firmeza (4,33), com frutos fir-
3 3,67 4,00 Arthritic Classificado
mes a muito firmes, o qual não se diferiu
4 3,00 3,33 Arthritic Classificado
5 3,67 4,00 Jointed Descartado significativamente dos híbridos 1; 8; 18;
6 3,33 3,67 Jointless Classificado 24; 37 e 53, que revelaram frutos firmes,
7 2,33 Descartado e, portanto, com boa qualidade para
8 4,00 4,00 Arthritic Classificado serem enviados para o processamento
9 4,00 2,33 Descartado industrial (Tabela 2).
10 2,33 Descartado Frutos com média firmeza a firmes
11 2,33 Descartado (3,0 a 3,67) caracterizaram os demais
12 3,33 2,33 Descartado
híbridos. É importante lembrar que,
13 3,00 2,33 Descartado
frutos com média firmeza (3,00) im-
14 3,67 4,00 Arthritic Classificado
15 2,33 Descartado
plicam razoável resistência dos frutos
16 4,00 2,33 Descartado aos impactos, o que pode gerar perdas
17 4,00 2,00 Descartado no intervalo entre a colheita e o bene-
18 4,00 4,33 Jointless Classificado ficiamento para obtenção dos produtos
19 2,33 Descartado industrializados (Tabela 2).
20 3,00 2,67 Descartado Quanto à concentração de maturação
21 3,67 2,00 Descartado dos frutos, apenas os híbridos 1, 4 e 37
22 2,67 Descartado demonstraram média concentração de
23 2,00 Descartado maturação. Os demais híbridos revela-
24 4,00 4,00 Arthritic Classificado
ram alta uniformidade das plantas, com
25 1,33 Descartado
a maioria dos frutos com estádio de
26 3,33 2,67 Descartado
27 2,00 Descartado
maturação em um mesmo período de
28 1,00 Descartado tempo, o que facilitou diversas opera-
29 2,33 Descartado ções, em especial a colheita (Tabela 2).
30 3,33 4,00 Arthritic Classificado Segundo Aragão et al. (2004), es-
31 2,67 2,67 Descartado tudos têm demonstrado que existe uma
32 3,67 2,00 Descartado correlação entre o ciclo do tomateiro
33 3,00 2,67 Descartado com a firmeza e o teor de sólido solú-
34 1,67 Descartado veis dos frutos, em que cultivares mais
35 2,00 Descartado
precoces apresentam menor firmeza de
36 2,00 Descartado
frutos e teor de sólidos solúveis.
37 4,00 3,33 Jointless Classificado
38 2,00 Descartado O vigor e a sanidade das plantas,
39 2,00 Descartado cobertura foliar do fruto e produção
40 3,67 2,33 Descartado média por planta não se diferiram entre
41 4,00 4,00 Jointed Descartado os híbridos avaliados (Tabela 2). As
42 2,67 2,67 Descartado plantas apresentaram vigor de médio a
43 4,00 2,00 Descartado muito alto, a cobertura foliar do fruto e
44 1,67 Descartado a sanidade das plantas variaram entre
45 1,67 Descartado baixa a alta, com produção média de
46 1,67 Descartado 4,07 a 6,02 kg/planta de frutos.
47 4,00 2,33 Descartado
Para o teor de sólidos solúveis,
48 4,33 4,00 Jointless Classificado
49 2,00 Descartado apesar de ter sido classificado como
50 2,33 Descartado baixo em todos os híbridos devido a
51 2,33 Descartado interferência do clima e dos manejos da
52 3,00 2,67 Descartado irrigação e adubação, observou-se des-
53 4,00 4,00 Arthritic Classificado taque destes constituintes no híbrido 1
FF com notas variando de 1 a 5 onde 1= muito macio e 5= muito firme; CMF com notas (4,60) e menor quantidade no genótipo 4
variando de 1 a 5 onde 1= muito baixa e 5= muito alta (FF evaluated with grades varying (3,87). Os demais híbridos não diferiram
from 1 to 5 where 1= very soft and 5= highly firm; CMF with grades varying from 1 to 5 entre si (Tabela 2).
where 1= low concentration and 5= highly concentrated). A produção do tomateiro é uma das
486 Hortic. bras., v34, n. 4, out. - dez. 2016
Desempenho e divergência genética de genótipos de tomate para processamento industrial

características mais importantes e essen- Tabela 2. Firmeza de fruto (FF), concentração de maturação dos frutos (CMF), vigor da
ciais objetivadas no melhoramento, no planta (VP), cobertura foliar do fruto (CFF), sanidade da planta (S), produção média por
entanto, é de herança poligênica, apre- planta (P) e teor de sólidos solúveis (°Brix) dos genótipos classificados {fruit firmness (FF),
sentando alta influência ambiental. A fruit maturation concentration (CMF), plant vigor (VP), leaf cover of the fruit (CFF), plant
health (S), average yield per plant (P) and soluble solids (°Brix) of classified genotypes}.
capacidade de produção está em função
Uberlândia, UFU, 2011.
do efeito do genótipo de cada cultivar,
das condições ambientais de cultivo Genótipo FF CMF VP CFF S P (kg/planta) °Brix
e da interação entre ambos (Jidavu et 1 4,00 a 3,00 b 4,00 a* 4,00 a 4,00 a 4,42 a 4,60 a
al., 2006).
2 3,67 b 4,00 a 3,67 a 2,33 a 2,33 a 5,32 a 3,97 ab
Seleguini et al. (2007) afirmaram
que a melhor maneira das cultivares 3 3,67 b 4,00 a 3,67 a 3,33 a 3,33 a 4,07 a 4,17 ab
de tomate industrial aumentarem a 4 3,00 b 3,33 b 3,33 a 3,67 a 3,33 a 4,93 a 3,87 b
produtividade é por meio do acréscimo 6 3,33 b 3,67 a 3,33 a 3,33 a 3,00 a 5,37 a 4,20 ab
do número de frutos por planta. Figuei-
redo (2013), em estudo com linhagens 8 4,00 a 4,00 a 3,33 a 2,67 a 2,67 a 5,67 a 4,50 ab
de tomateiro com aptidão industrial 14 3,67 b 4,00 a 3,67 a 3,33 a 3,67 a 5,67 a 4,27 ab
também observou a relação entre maior 18 4,00 a 4,33 a 4,33 a 4,00 a 3,67 a 5,22 a 4,03 ab
número de frutos produzidos por planta
24 4,00 a 4,00 a 3,00 a 3,33 a 2,67 a 6,02 a 4,10 ab
e produtividade.
A maioria das cultivares de to- 30 3,33 b 4,00 a 4,00 a 3,33 a 4,00 a 5,65 a 4,13 ab
mateiro disponíveis no mercado para 37 4,00 a 3,33 b 3,67 a 3,00 a 3,33 a 5,28 a 4,23 ab
industrialização apresentam valores de 48 4,33 a 4,00 a 3,67 a 3,33 a 3,00 a 5,08 a 4,33 ab
sólidos solúveis próximo de 4,5°Brix,
53 4,00 a 4,00 a 4,67 a 3,67 a 3,00 a 4,17 a 4,33 ab
valor considerado baixo diante das ne-
cessidades industriais, que preza como CV (%) 10,02 8,38 15,23 21,62 22,67 21,03 5,04
ideal 5°Brix (Melo & Vilela, 2005) e FF com notas variando de 1 a 5 onde 1= muito macio e 5= muito firme; CMF com notas
neste sentido, atualmente os melhoristas variando de 1 a 5 onde 1= muito baixa e 5= muito alta; VP com notas variando de 1 a 5 onde
têm trabalhado na busca de variedades 1= muito baixo e 5= alto; CFF com notas variando de 1 a 5 onde 1= muito ruim e 5= muito
que acumulem mais sólidos solúveis, boa; S com notas variando de 1 a 5 onde 1= muito baixa e 5= muito alta (FF evaluated with
conforme alguns genótipos apresenta- grades varying from 1 to 5 where 1= very soft and 5= highly firm; CMF with grades varying
from 1 to 5 where 1= low concentration and 5= highly concentrated; VP with grades varying
ram neste trabalho.
from 1 to 5 where 1= low vigor and 5= high vigor; CFF with grades varying from 1 to 5
A resposta de um genótipo quanto à where 1= poorly concentrated and 5= highly concentrated; S with grades varying from 1 to
sanidade das plantas auxilia no posicio- 5 where 1= very low sanity and 5= very good sanity); Médias com a mesma letra na coluna
namento da melhor época em que cada não diferem entre si pelo teste Scott-Knott ao nível de 0,05 de significância (means with the
genótipo deve ser plantado. Dentre as same letter in the column do not differ by Scott Knott test, 5%).
condições climáticas, períodos chuvosos
determinam a tomada de decisão pelo Tabela 3. Agrupamento de híbridos de tomateiro pelo método de otimização de Tocher, a partir
alto grau de relação com as doenças (re- das distâncias generalizadas de Mahalanobis (grouping of tomato hybrids using the optimization
queima, alternaria, xantomonas, pseudo- Tocher method, from the generalized Mahalanobis distances). Uberlândia, UFU, 2011.
monas, vira cabeça e gemivirus). Isto foi Grupo Genótipos
observado no resultado da testemunha
deste trabalho, que apresentou nota de I 3, 6, 8, 14, 24, 37, 48, 53
sanidade baixa, visto que este híbrido II 2, 18, 30
é posicionado comercialmente para ser III 4
conduzidos em épocas não chuvosas. IV 1
Alguns híbridos experimentais (1 e 30)
revelaram média 4 para esta caracterís-
tica, logo destacam-se pelo potencial no Cerrado nas próximas décadas, o al., 2004).
genético desses materiais em resistirem que maximiza a eficiência dos fatores Pela dissimilaridade genética entre
à pressão de doenças, principalmente econômicos e ambientais. os híbridos, com base nos caracteres
bacterianas. As informações obtidas por meio avaliados (firmeza de fruto, concen-
Para Melo & Vilena (2005), o desen- da avaliação de um conjunto de hí- tração de maturação dos frutos, vigor
volvimento de híbridos com resistência bridos são ferramentas importantes na da planta, cobertura foliar do fruto,
genética aos patógenos, além de ser seleção de novas cultivares superiores, sanidade da planta, produção e °Brix),
a solução mais racional do ponto de o que contribui para a oferta de novos verificou-se que os híbridos mais si-
vista ambiental, pode proporcionar o materiais potenciais no mercado de milares foram os híbridos 8 e 48, cujo
crescimento da agroindústria do tomate tomate para processamento (Aragão et valor de D2 foi de 2,95. Por outro lado,
Hortic. bras., v34, n. 4, out. - dez. 2016 487
JMQ Luz et al.

ção do genótipo 4. Em análise do teste


8
48 de médias, observou-se que o híbrido 4
24 apresentou notas inferiores para firmeza
37 de frutos, concentração de maturação
3
14
dos frutos e °Brix. Este método também
6 posicionou o híbrido 53 (Heinz 9553)
4 para o grupo I. A similaridade genética
18 entre os híbridos deste programa de
30
2 melhoramento e o híbrido 53 evidenciou
53 uma possível relação entre os materiais.
1 O fato de existirem acessos seme-
lhantes às cultivares comerciais é inte-
0 10 20 30 40 50 60 70 80 90 100 ressante, pois, permite a incorporação
0 4,1 8,1 12,2 16,3 20,3 24,4 28,5 32,5 36,6 40,7 de algum atributo positivo, como a
resistência a pragas ou doenças, sem
Figura 1. Dendrograma ilustrativo da análise de 13 genótipos de tomate pelo método da afetar significativamente os caracteres
ligação média entre grupo (UPGMA) obtido com a distância generalizada de Mahalanobis relevantes obtidos ao longo dos pro-
gerada com sete caracteres (firmeza de fruto, concentração de maturação dos frutos, vigor gramas de melhoramento (Marim et
da planta, cobertura foliar do fruto, sanidade da planta, produção e °Brix) {illustrative al., 2009).
dendrogram analysis of 13 tomato genotypes by the average linkage method between group O critério de seleção pelo método
(UPGMA) obtained with the generalized distance of Mahalanobis generated with seven
de Tocher agrupa a maioria dos aces-
characters (fruit firmness, fruit maturation concentration, plant vigor, leaf cover of the fruit,
plant health, production and °Brix)}; Coeficiente de correlação cofenética (r)= 0,76**.
sos em poucos grupos, e, em híbridos
Distorção= 16,9%. (cophenetic correlation coefficient (r)= 0,76**. Distortion= 16,9%). com maior dissimilaridade, formam-
Uberlândia, UFU, 2011. -se grupos com apenas um genótipo.
Isso ocorre devido ao agrupamento
ser influenciado pela distância entre os
a maior dissimilaridade genética de significativo, conjuntamente com o híbridos, o qual considera a maior entre
75,42 foi verificada entre os híbridos 1 exame visual do dendrograma. Um as menores distâncias encontradas na
e 18 (Tabela 3). corte significativo em torno de 27% de matriz de dissimilaridade (Vasconcelos
O estudo da diversidade intraespe- dissimilaridade possibilitou a formação et al., 2007). Este aspecto fora obser-
cífica visa atender à crescente demanda de cinco grupos distintos. vado neste estudo, com a formação dos
mundial por alimentos, além de manter grupos III e IV, com apenas um genótipo
O grupo I reuniu os híbridos 8,
a capacidade da espécie para lidar com o por grupo.
48, 24 e 37, o grupo II foi constituído
clima, mudanças e outros tipos de estres- pelos híbridos 3, 14, 6 e 4, o grupo III Azevedo et al. (2014), em estudo da
se (Castro et al., 2010). Além disso, per- foi composto pelos híbridos 18 e 30, o divergência entre genótipos de couve
mite selecionar os melhores genitores grupo IV pelos híbridos 2 e 53 e o grupo também observaram predominância dos
sem a necessidade de avaliação direta V compilou apenas o híbrido 1 (Figura genótipos em um grupo (77%) e forma-
de sua descendência (Faleiro, 2007). 1). Ao observar as médias de cada va- ção de grupos com apenas um genótipo,
O foco nos híbridos promissores, riável analisada, nota-se que o híbrido quando utilizou-se o método de Tocher.
acelera as etapas dentro do programa de 1 revelou os maiores valores quanto ao Os autores salientaram que, embora haja
melhoramento genético. Desta forma, vigor de planta, cobertura foliar do fruto, genótipos com grande divergência gené-
quanto menor o grau de parentesco entre sanidade da planta e °Brix. tica entre si, o agrupamento da maioria
dois genitores, maior será o número de dos genótipos em um grupo evidencia
O agrupamento dos 13 híbridos de
locus divergentes, e consequentemente a similaridade entre os genótipos, o
tomate pelo método de Tocher, com a
menor similaridade genética entre estes utilização da distância generalizada de que, de acordo com Silva et al. (2011),
indivíduos (Cruz, 2010). Mahalanobis como medida de distância refere-se a uma base genética estreita.
Utilizando a matriz de dissimilarida- genética, obtida com sete caracteres O método de Tocher, tem sido utili-
de de Mahalanobis para gerar o dendro- agronômicos, gerou a formação de zado em estudos de divergência genética
grama pelo método UPGMA, obteve-se quatro grupos: I: híbridos 3, 6, 8, 14, em várias olerícolas como a alface (Oli-
um coeficiente de correlação cofenética 24, 37, 48, 53; II: genótipo 2, 18, 30; III: veira et al., 2004), a melancia (Souza et
de 0,76 e distorção de 16,9%, o que genótipo 4 e IV: genótipo 1 (Tabela 3). al., 2005), pimenta e pimentão (Sudré et
evidencia uma adequada relação entre O grupo I teve o maior número de al., 2005), melão “pele de sapo” (Nunes
a matriz de distância e o dendrograma representantes, seguido pelo grupo II. et al., 2011a) e melão do grupo Inodorus
gerado (Figura 1). Por este método, houve consideráveis (Nunes et al., 2011b).
Para análise do dendrograma, con- alterações na forma de agrupamento dos Com relação à contribuição relativa
siderou-se a possibilidade de corte híbridos, especialmente com a segrega- dos caracteres para diversidade pelo
488 Hortic. bras., v34, n. 4, out. - dez. 2016
Desempenho e divergência genética de genótipos de tomate para processamento industrial

método de Sing (1981), observou-se que 482p. and cultivars. International Journal of
a firmeza de frutos, concentração de ma- ARAGÃO, FAS; GIORDANO, LB; MELO, PCT; Agronomy Article ID 697879, 7p.
BOITEUX, LS. 2004. Desempenho de híbrido FALEIRO, FG. 2007. Marcadores Genético-
turação, vigor de planta, cobertura foliar, de tomateiro para processamento industrial. Moleculares. Brasília: EMBRAPA. 102p.
sanidade, produção e °Brix contribuíram Horticultura Brasileira 22: 529-533. FIGUEIREDO, AST. 2013. Capacidade de
com 16,9; 33,9; 9,9; 5,2; 6,8; 3,9 e ARAM EN D IZ-TATIS , H ; S U D RÉ, C P ; combinação e divergência genética de
23,3%, respectivamente. Portanto, a ca- GONÇALVES, LSA; RODRIGUES, R. 2011. linhagens de tomateiro com aptidão industrial.
Potencial agronômico e divergência genética Guarapuava: UNIOESTE. 98p (Dissertação
racterística concentração de maturação
entre genótipos de berinjela nas condições do mestrado).
e °Brix foram as que mais contribuíram Caribe Colombiano. Horticultura Brasileira FONTES, PCR; SILVA, DJH. 2005. Cultura do
para dissimilaridade genética. 24: 174-180. tomate. In: FONTES, PCR (ed). Olericultura:
Figueiredo (2013) também relatou AZEVEDO, AM; ANDRADE JÚNIOR, VC; Teoria e Prática. Viçosa. p. 458-475.
FERNANDES, JSC; PEDROSA, CE; JIDAVU, M; SESTRA, R.; APAHIDEAN, M;
o teor de sólidos solúveis como um dos
VALADARES, NR; FERREIRA, MAM; SESTRA, A. 2006. The response of several
fatores que mais contribuíram para a dis- MARTINS, RAV. 2014. Divergência genética tomato cultivars for processing in central
similaridade entre híbridos ou linhagens. e importância de caracteres morfológicos em Transylvania conditions. Notulae Botanicae
Concluiu-se que apenas 12 híbridos genótipos de couve. Horticultura Brasileira Horti Agrobotanici Cluj-Napoca 54-61.
32: 48-54. MARIM, BG; SILVA, DJH; CARNEIRO,
experimentais e o híbrido comercial
BASTIANE, M; OLIVEIRA, AC; CRISTOFANI, PCS; MIRANDA, GV; MATTEDI, AP;
H9553 atendem aos critérios necessários M; MACHADO, MA. 2006. Diversidade CALIMAN, FRB. 2009. Variabilidade
para tomates destinados ao processa- genética entre híbridos de laranja-doce genética e importância relativa de caracteres
mento, com base nas características: e tangor ‘Murcott’ avaliada por fAFLP e em acessos de germoplasma de tomateiro.
firmeza, concentração de maturação dos RAPD. Pesquisa Agropecuária Brasileira Pesquisa Agropecuária Brasileira 44: 1283-
41: 779-784. 1290.
frutos e ausência de índice de retenção
BOITEUX, LS; FONSECA, MEN; GIORDANO, MELO, PCT; VILELA, NJ. 2005. Desafio e
do pedúnculo. Os híbridos 1, 18 e 48 LB; MELO, PCT. 2012. Melhoramento perspectivas para a cadeia brasileira do tomate
destacaram-se quanto ao teor de sólidos g e n é t i c o . I n : C L E M E N T E , F M V T; para processamento industrial. Horticultura
solúveis, concentração de maturação e BOITEUX, LS. (eds). Produção de tomate Brasileira 23: 154-157.
firmeza dos frutos, respectivamente. para processamento industrial. Brasília: NUNES, GH; COSTA FILHO, JA; SILVA, DJH;
Embrapa. p. 31-50. CARNEIRO, PCS; DANTAS, DJ. 2011a.
A análise de divergência genética BREKSA, AP; ROBERTSONB, LD; LABATE, Divergência genética entre linhagens de melão
e agrupamentos revela que os híbridos JA; KING, BA, KING, DE. 2015. Pele de Sapo. Revista Ciência Agronômica
1 e 18 apresentam dissimilaridade dos Physicochemical and morphological analysis 42: 765-773.
demais híbridos. Sendo que o primeiro of ten tomato varieties identifies quality traits NUNES, GH; MELO, DRM; DANTAS, DJ;
more readily manipulated through breeding ARAGÃO, FAS; NUNES, EWL. 2011b.
demonstrou maiores médias de vigor and traditional selection methods. Journal of Divergência genética entre linhagens de
de planta, cobertura foliar do fruto, Food Composition and Analysis 42: 16-25. melão do grupo Inodorus. Revista Ciência
sanidade da planta e °Brix, o segundo BRITO, L; CASTRO, SD. 2010. Expansão da Agronômica 42: 448-456.
revela menores médias para firmeza de produção de tomate industrial no Brasil e em O L I V E I R A , A C B ; S E D I YA M A , M A N ;
frutos, concentração de maturação dos Goiás. Boletim da Seplan. Disponível em: PEDROSA, MW; GARCIA, NCP; GARCIA,
http://www.seplan.go.gov.br/ Acessado em 01 SLR. 2004. Divergência genética e descarte
frutos e °Brix. de janeiro de. 2012. de variáveis em alface cultivada sob sistema
Os híbridos 3, 6, 8, 14, 24, 37 e 48 CARVALHO, CRR; CAMPOS, FR. 2009. Análise hidropônico. Acta Scientiarum 26: 211-217.
apresentam similaridade genética com dos aspectos econômicos e ambientais da OLIVEIRA, ACR; VELOSO, VRS; BARROS,
o híbrido comercial H9553, o que os cadeia agroindustrial do tomate no estado RG; FERNANDES, PM; SOUZA, ERB.
de Goiás. Boletim Goiano de Geografia 29: 2008. Captura de Tuta absoluta (Meyrick)
caracteriza como potenciais para se-
163-168. (Lepidoptera: Gelechiidae) com armadilha
rem utilizados como novas opções no CASTRO, JPA; NICKI, C; MILAGRES, CCA; luminosa na cultura do tomateiro tutorado.
mercado, uma vez que apresentam alta MATTEDI, AP; MARIM, BG; SILVA, DJH. Pesquisa Agropecuária Tropical 38: 153-157.
produtividade, qualidade e, portanto, 2010. Genetic diversity among tomato’s PIOTTO, FA; PERES, LEP. 2012. Base genética
aceitabilidade na cadeia produtiva de subsamples for prebreeding. Crop Breeding do hábito de crescimento e florescimento em
and Applied Biotechnology 10: 74-82. tomateiro e sua importância na agricultura.
tomate industrial. Além disso, podem ser
CHANFORANA, C; LOONISA, M; MORAA, Ciência Rural 42: 1941-1946.
utilizados para cruzamentos futuros com N; CARIS-VEYRATA, C; DUFOUR, C. R O C H A , M C ; G O N Ç A LV E S , L S A ;
híbridos de outros grupos, que também 2012. The impact of industrial processing on RODRIGUES, R; SILVA, PRA; CARMO,
apresentem características favoráveis. health-beneficial tomato microconstituents. MGF; ABBOUD, ACS. 2010. Uso do
Food Chemistry 134: 1786-1795. algoritmo de Gower na determinação da
CRUZ, CD. 2010. Princípios de genética divergência genética entre acessos de tomateiro
AGRADECIMENTOS quantitativa. Viçosa: UFV. 394p. (1a do grupo cereja. Acta Scientiarum 32: 423-431.
reimpressão). SÁVIO, FL; FARIA, PN; PEREIRA, WA;
CRUZ, CD. 2013. Genes: a software package OLIVEIRA, AB; TARDIN, FD; RODRIGUES,
Os autores agradeçem à FAPEMIG for analysis in experimental statistics and JAS; SCHAFFERT, RE. 2008. Divergência
pelo apoio financeiro ao presente tra- quantitative genetics. Acta Scientiarum genética em híbridos de sorgo cultivados
Agronomy 3: 271-276. sob diferentes níveis de fósforo, em solução
balho. nutritiva. Revista Brasileira de Milho e Sorgo
CRUZ, CD; FERREIRA, FM; PESSONI, LA.
2011. Biometria aplicada ao estudo de 7: 305-321.
diversidade genética. Viçosa: UFV. 620p. SELEGUINI, A; SENO, S; FARIA JÚNIOR,
REFERÊNCIAS EVGENIDIS, G; TRAKA-MAVRONA, E; MJA. 2007. Híbridos de tomateiro industrial
KOUTSIKA-SOTIRIOU, M. 2011. Analysis cultivado em ambiente protegido e campo
AGRIANUAL. 2012. Batata. São Paulo: FNP. as a tool in the assessment of tomato hybrids aberto. Científica 35: 80-87.

Hortic. bras., v34, n. 4, out. - dez. 2016 489


JMQ Luz et al.

SILVA, GC; OLIVEIRA, FJ; ANUNCIAÇÃO melancia. Horticultura Brasileira 23: 179-183. LL; RESENDE JÚNIOR, MFR. 2007. Método
FILHO, CJ; NETO, DES; MELO, LJOT. SUDRÉ, CP; RODRIGUES, R; RIVA, EM; alternativo para análise de agrupamento.
2011. Divergência genética entre genótipos de KARASAWA, M; AMARAL JÚNIOR, AT. Pesquisa Agropecuária Brasileira 42: 1421-
cana de açúcar. Revista Brasileira de Ciências 2005. Divergência genética entre acessos 1428.
Agrárias 6: 52-58. de pimenta e pimentão utilizando técnicas VILELA, NJ; MELO, PCT; BOITEUX, LS;
SIMON, GA; KAMADA, T; MONTEIRO, M. multivariadas. Horticultura Brasileira 23: CLEMENTE, FMVT. 2012. Melhoramento
2012. Divergência genética em milho de 22-27. g e n é t i c o . I n : C L E M E N T E , F M V T;
BOITEUX, LS (eds). Produção de tomate
primeira e segunda safra. Semina 33: 449-458. TEODORO, PE; RIBEIRO, LP; CORREA, CCG; para processamento industrial. Brasília:
SINGH, D. 1981. The relative importance of SILVA, FA; CAPRISTO, DP; MARQUES, Embrapa. 1: 17-27.
characters affecting genetic divergence. Indian RA; SOUZA, MC; TORRES, FE. 2015. VOGT, GA; ELIAS, HT; STAFORT, R;
Journal of Genetics and Plant Breeding 41: Genetic divergence among maize hybrids in BALBINOT JÚNIOR, AA. 2012. Estimativa
237-2145. Cerrado pantanal Ecotone . Bioscience Journal da divergência genética em híbridos de milho
SOUZA, FF; QUEIRÓ,Z MA; DIAS, RSC. 31: 1319-1324. destinados à formação de novas populações.
2005. Divergência genética em linhagens de VASCONCELOS, ES; CRUZ, CD; BHERING, Revista Agropecuária Catarinense 25: 80-83.

490 Hortic. bras., v34, n. 4, out. - dez. 2016