Você está na página 1de 1

��������� A import�ncia do uso da bengala.

Muitos atribuem � bengala um instrumento de identifica��o que aquele individuo �


"cego�. Esta concep��o na maioria das vezes surge da pr�pria pessoa cega e que por
preconceito consigo mesmo, muitos se recusam ao uso da bengala.
Mas a bengala � s�mbolo de vit�ria e independ�ncia para aqueles que as usam, pois
com ela podemos perceber as mais diferentes sensa��es t�teis. � com ela que o cego
conquistou n�o s� a sua independ�ncia e autonomia, mas conquistou tamb�m o respeito
de ser um cidad�o atuante, pronto a ingressar a faculdade e ao mercado de trabalho,

assim tamb�m como a admira��o de todos.


Se desde cedo a crian�a cega ou com vis�o reduzida for conscientizada e estimulada
pela fam�lia a usar a bengala, poder� lidar muito mais com as dificuldades pr�prias

e peculiares da inf�ncia do que com uma sobrecarga de problemas e tabus adicionada


pelos receios, incertezas e preconceitos do adulto. O mesmo certamente acontece
com o adolescente e com o adulto, pois as dificuldades e caracter�sticas destas
fases ser�o enfrentadas e resolvidas sem o estresse da preponder�ncia da sua
condi��o
de deficiente visual. Isto �: Julia antes de ser cega, � uma crian�a; Miguel, um
jovem acima da sua defici�ncia visual e Francisco, um adulto apesar da sua vis�o
reduzida.

Conhe�a um pouco mais como tudo come�ou...

�Em 1945, o ex�rcito americano sentia-se passivo e inoperante diante dos soldados
cegados na guerra; 2358, recrutas recebendo pens�o do governo e com sua locomo��o
comprometida. Primeiro Tenente Oftalmologista, Richard Hoover, junto com sua
equipe, prop�s estudar e tratar o problema da cegueira e o mecanismo da marcha.
Hoover
criou um m�todo revolucion�rio de locomo��o. Usando um instrumento que lembrava um
bast�o, mas com fun��o, material e comprimento diferentes. A aplica��o desta
t�cnica
foi um sucesso extraordin�rio. Hoover desenvolveu um sistema de explora��o para ser
efetuado com o toque da ponta da bengala, que transmitiria todas as sensa��es
t�teis detectadas por ela. 1948, terminada a primeira etapa, Hoover estendeu o
projeto aos demais soldados cegos. Vendo o interesse da sociedade civil, educadores

e familiares dos cegos civis, a partir da� difundiu-se, a todos os interessados, a


t�cnica da bengala longa. A t�cnica de Hoover pela sua comprovada efic�cia, segue
sendo a �nica em vigor em todo o mundo. 1957, Joseph Albert Apenjo, enviado pela
ONU ao Brasil, veio transmitir as t�cnicas de orienta��o e mobilidade ao primeiro
grupo de profissionais interessados.�

Fonte :�http://sacescola.blogspot.com.br/2010/03/importancia-do-uso-da-bengala.html
.....................................................

3.����������� RE

Você também pode gostar