Você está na página 1de 6

Êxodo 12.

26-27
Introdução
→ Almoço especial para Páscoa
Filé de tilápia ao molho de vinho tinto – Tata Pereira [4mi – 90mil]
→ Vídeos sobre o “verdadeiro significado da páscoa”
→ Está claro que nos preocupamos com isso. Mas porquê?
Leitura – Êxodo 12.26-27

Elucidação
→ O livro tem três temas dominantes
a. A libertação do povo e sua saída do Egito [caps. 1-18]
i. Confirmando Sua fidelidade e misericórdia
b. A revelação sinaítica [caps. 19-24]
i. Afirmando o Seu amor pactual e santidade
c. A ordem do tabernáculo [caps. 25-40]
i. Manifestando sua presença e graça
→ Os três temas apontam para Cristo
a. Ele liberta o povo da culpa, da morte e do pecado
b. Ele santifica o povo, pelo poder de Sua Palavra
c. Manifesta a Glória de Deus ao povo e com ele habita
→ O tema principal é o êxodo
a. Se repete sempre [saída de Abraão, da Babilônia, do mundo]
b. Esta é a essência da Páscoa
c. Esta é a principal festa de Israel
→ Neste capítulo
a. O Senhor instrui a Moisés sobre o ritual
b. Moisés instrui o povo acerca disso
c. Evento histórico: o Senhor fere o Egito e poupa/liberta seu povo
d. O Senhor institui o ritual
Proposição
Trata-se do significado da Páscoa (AT). Esse texto levanta três (ST) preocupações
para nós hoje (PC):
(1) O próprio significado da Páscoa
(2) A importância do significado da Páscoa
(3) A relevância desse significado para hoje

Primeiro Ponto: O próprio significado da Páscoa


→ Dificuldades de entendimento
– Etimologia incerta
– Acordo sobre o significado em Ex 12.13 [passar por cima]
– Evolução do ritual
celebração doméstica, depois no templo central
no deserto, depois na terra prometida
com o povo ajuntado, depois em dispersão etc.
→ Designa um ritual
– Prescrições diversas
época e duração
participantes autorizados
forma de realização
→ Designa um evento histórico
– Uma expectativa de livramento, nos termos da promessa
comparar Ex 6.6 com 12.27
– Sacrifício de caráter expiatório
cordeiro macho, sem defeito, sacrificado por uma família
morto em substituição por seus algozes
seu sangue aspergido sobre portas das casas
comido às pressas, com ervas amargas
– O livramento cumprido
o Senhor feriu aos primogênitos do Egito
Ele poupou os filhos de Israel
isso levou à libertação do povo
→ Significado do evento e seu memorial
– Distinção entre Israel e outros povos
“E todo primogênito na terra do Egito morrerá, desde o
primogênito de Faraó, que se assenta no seu trono, até ao primogênito
da serva que está junto à mó, e todo primogênito dos animais. Haverá
grande clamor em toda a terra do Egito, qual nunca houve, nem haverá
jamais; porém contra nenhum dos filhos de Israel, desde os homens até
aos animais, nem ainda um cão rosnará, para que saibais que o
SENHOR fez distinção entre os egípcios e os israelitas” [Ex 11.5-7]

– Israel pertence ao Senhor


“Dirás a Faraó: Assim diz o SENHOR: Israel é meu filho, meu
primogênito” [Ex 4.22]

oferta pacífica: representa a comunhão entre Deus e Seu povo


– o Senhor liberta Israel de seus inimigos
“nos tirou do Egito com poderosa mão, e com braço estendido, e
com grande espanto, e com sinais, e com milagres” [Dt 26.8]

– Ele é o Senhor Deus, Soberano e Todo-Poderoso


“...executarei juízo sobre todos os deuses do Egito. Eu sou o
SENHOR” [Ex 12.12b]

Segundo Ponto: A importância do significado da Páscoa


→ Uma passagem catequética [pergunta e resposta]
– Semelhante a outras [Ex13.14-16; Dt 6.20-25; Js 4.6-7,21-22]
– Instrução às futuras gerações do povo do pacto
– Conferir vitalidade à história da salvação no presente da comunidade
→ Deus exige que o povo compreenda esse ritual
– Ele estabeleceu o ritual como memorial solene [Ex 12.14]
– Ele revela a si mesmo por meio da história e de sua memória
revela o quê Ele fez – feriu com ira, poupou com misericórdia
revela porque Ele fez – por fidelidade ao pacto
revela como Ele fez – no tempo estabelecido e com mão poderosa
– Ele revela Israel a si mesmo por meio desse ritual
escravo no Egito
necessitado da salvação do Senhor
povo de possessão do Senhor
→ Lembrar e compreender
– Os salmos nos instruem a
louvar ao Senhor
“Rendei graças ao SENHOR, porque ele é bom, porque a sua
misericórdia dura para sempre... àquele que feriu o Egito nos seus
primogênitos, porque a sua misericórdia dura para sempre; e tirou a
Israel do meio deles, porque a sua misericórdia dura para sempre” [Sl
136.1,10,11]

orar com confiança por restauração


“Trouxeste uma videira do Egito, expulsaste as nações e a
plantaste... Ó Deus dos Exércitos, volta-te, nós te rogamos, olha do céu,
e vê, e visita esta vinha” [Sl 80.8,14]

nos proteger da iniquidade


“Cedo, porém, se esqueceram das suas obras e não lhe
aguardaram os desígnios; entregaram-se à cobiça, no deserto; e
tentaram a Deus na solidão.” [Sl 106.13,14]

– Os profetas constantemente advertiam a partir da memória pascal


“Pelo que assim diz o Senhor, o SENHOR dos Exércitos: Povo
meu, que habitas em Sião, não temas a Assíria, quando te ferir com a
vara e contra ti levantar o seu bastão à maneira dos egípcios... Porque
o SENHOR dos Exércitos suscitará contra ela um flagelo, como a
matança de Midiã junto à penha de Orebe; a sua vara estará sobre o
mar, e ele a levantará como fez no Egito” [Is 10.24,26]

Terceiro Ponto: A relevância desse significado para hoje


→ A Páscoa e o Novo Testamento
– Mencionada pelos quatro evangelistas
– Período em que Cristo cumpriu o plano redentivo de Deus
– Apóstolo Paulo [1Co 5.7,8]
faz menção de Cristo como “cordeiro pascal”
associa a vida cristã aos “asmos da sinceridade e da verdade”
→ A Páscoa e a igreja primitiva
– Mais antiga festa anual do calendário cristão
– Incorporou significado da Páscoa judaica à redenção em Cristo
“festa da Páscoa do Salvador” [Eusébio de Cesareia]
→ A Páscoa e a Ceia do Senhor
– Evangelhos apresentam última ceia como refeição pascal [Lc 22.15]
– Uma ceia memorial é a essência do ritual da Páscoa judaica
– As palavras da instituição atendem a uma prescrição pascal
a necessidade de explicação e compreensão de seu sentido
→ Diferença entre Páscoa judaica e a cristã
– Não em termos de antes e depois
a segunda esclarece a primeira como a primeira, a segunda
– Não em termos de política e espiritualidade
as duas têm consequências políticas e espirituais
– A grande diferença se dá no plano escatológico
a segunda cumpre e completa a primeira
Aplicações
→ Meditemos no significado da Páscoa
– a fim de conhecermos a Deus e os seus grandes feitos
poder, soberania, santidade, fidelidade, bondade etc.
– a fim de lembramos quem somos
povo de sua posse, da aliança, amado do Senhor, liberto etc.
– a fim de nos santificarmos a Deus
para O louvarmos como é devido
para buscar consolo e confiança na aflição
para sermos guardados de pecar contra o Senhor, nosso Senhor
→ Proclamemos o seu significado
– com o fim de edificar, não de exercer desprezo
– aos nossos filhos, às nossas ovelhas
– ao mundo que não conhece a Deus e seus poderosos feitos
→ Atualizemos o seu significado
– que ele nos sirva para melhor nos instruir à Ceia do Senhor
– que nos sirva para compreendermos nossa vida como êxodo cristão
e nos instrua sobre nossa própria peregrinação
para que vejamos na liberdade em Cristo, sua obra de salvação

Discriminação:
Ao crente,
Este é um convite para a alegria na “Páscoa do Salvador”
No fato de que o Senhor nos poupa da destruição
E nos liberta da escravidão do pecado e da morte
Ao descrente,
Esta pode ser a sua primeira Páscoa,
Nada de ovo de chocolate ou almoço com peixe
Sim, o banquete da graça com Cristo
Do qual participam os que Ele amou desde a eternidade
Os que se arrependem de seus pecados e nEle confiam