Você está na página 1de 33
Introdução Micologia Sónia Centeno Lima, PhD CMDT-LA/UEI de Clínica das Doenças Tropicais/IHMT
Introdução Micologia
Sónia Centeno Lima, PhD
CMDT-LA/UEI de Clínica das Doenças
Tropicais/IHMT
“Os fungos são um grupo de organismos eucariotas não- móveis com parede celular definida, sem
“Os fungos são um grupo de organismos eucariotas não-
móveis com parede celular definida, sem clorofila, que se
reproduzem através de esporos”, Kwong-Chung & Bennett
• Características gerais dos fungos • Características morfológicas e estruturais • Célula fúngica (estrutura
• Características gerais dos fungos
• Características morfológicas e estruturais
• Célula fúngica (estrutura e ultraestrutura)
• Estrutura das hifas
• Reprodução
• Nutrição e metabolismo
CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS FUNGOS
CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS
FUNGOS
Os fungos conjuntamente com as bactérias heterotróficas são os principais decompositores da biosfera, degradando
Os fungos conjuntamente com as bactérias heterotróficas são os principais
decompositores da biosfera, degradando produtos orgânicos e reciclando o
carbono, nitrogénio e outros elementos para o solo e ar
Como decompositores, podem “entrar em conflito”com os
interesses humanos, uma vez que podem crescer em praticamente
qualquer substrato
A maioria são saprófitas, vivendo sobre/ de matéria orgânica de
organismos mortos
Patogénicos
3 características dos fungos: 1. A unidade estrutural básica é (quase sempre) a hifa (a,
3 características dos fungos:
1. A unidade estrutural básica é (quase sempre) a hifa (a, b)
2. Elemento de dispersão é normalmente o esporo (c)
3. A nutrição é heterotrófica por absorção (produzem enzimas que
degradam o substrato orgânico e absorvem os nutrientes solúveis)
Outras características: 1. A maioria é multicelular 2. Não móveis 3. Parede celular rígida contendo
Outras características:
1. A maioria é multicelular
2. Não móveis
3. Parede celular rígida contendo quitina
4. Crescimento indeterminado
O crescimento do micélio é assim:
• Centrífugo em todas as direcções
• Sempre apical ou lateral
• Acumulação de vesículas derivadas do RE no ápice das hifas (com
enzimas que degradam a parede antiga e sintetizam os novos
componentes da parede)
Estrutura vegetativa Leveduras Filamentosos Dimórficos PARASITA (in vivo) - levedura SAPRÓFITA (in vitro) -
Estrutura vegetativa
Leveduras
Filamentosos
Dimórficos
PARASITA (in vivo) - levedura
SAPRÓFITA (in vitro) - filamentoso
Filamentos de diâmetro irregular (5 a 15 µm) não septados (cenocíticos). Aparentemente os septos surgem
Filamentos de diâmetro irregular (5 a 15 µm) não septados
(cenocíticos). Aparentemente os septos surgem para separar as partes
vivas do micélio morto.
As ramificações são em ângulo recto.
São características dos Zygomycetes
Filamentos de diâmetro regular (3 a 5 µm), septados.
Os septos surgem em intervalos mais ou menos regulares, com um ou
mais poros diferenciados que permitem a passagem de citoplasma e
núcleos de uma artículo ao outro.
As ramificações fazem-se em ângulo agudo
A célula fúngica
A célula fúngica
CL corpo lipídico CW corpo de Woronin DI dictiosomas LS lisosoma MES mesosoma MI mitocôndria
CL
corpo lipídico
CW
corpo de Woronin
DI
dictiosomas
LS
lisosoma
MES
mesosoma
MI
mitocôndria
MP
membr. plasmática
MTC
microtúbulos citoplasmát.
MTN
microtúbulos nucleares
NC
nucléolo
NU
núcleo
PC
parede celular
PV
provacúolo
R
ribossomas
RE
retículo endoplasmático
S
septo
SPI
‘spizenkörper’
V
vacúolo
VA
vesículas apicais
Parede celular – multicamadas, composta por quitina e outros polissacáridos tais como glucanos, mananos, glucomananos,
Parede celular – multicamadas, composta por quitina e outros
polissacáridos tais como glucanos, mananos, glucomananos,
galactomananos e péptidos; alguns fungos produzem uma
cápsula extracelular polissacarídica
Membrana celular – composta por glicoproteínas, lípidos e ergosterol (diferente das membranas dos mamíferos que
Membrana celular – composta por glicoproteínas, lípidos e ergosterol
(diferente das membranas dos mamíferos que contêm colesterol)
Nutrição e metabolismo
Nutrição e metabolismo
Devido às suas paredes celulares rígidas, os fungos são incapazes de ingerir pequenos microorganismos ou
Devido às suas paredes celulares rígidas, os fungos são incapazes de
ingerir pequenos microorganismos ou outras partículas
Os fungos produzem enzimas que libertam sobre o substrato e
absorvem as pequenas moléculas que vão sendo produzidas,
principalmente na extremidade (ou próximo) em crescimento das
hifas
Todos são heterotróficos: saprófitas, parasitas ou simbiontes
Alguns, em especial as leveduras, obtêm a sua energia através de fermentação, produzindo alcoól etílico
Alguns, em especial as leveduras, obtêm a sua energia através de
fermentação, produzindo alcoól etílico a partir de glucose
O glicogénio é o principal polissacárido de reserva em alguns fungos;
outros utilizam lípidos como reserva
Respiração quase exclusivamente oxidativa; pouca capacidade para
anaerobiose
REPRODUÇÃO
REPRODUÇÃO
A multiplicação e reprodução dos fungos faz-se através de esporos produzidos de dois modos: 1.
A multiplicação e reprodução dos fungos faz-se através de esporos
produzidos de dois modos:
1. Sexuada - teleomorfo
2. Assexuada – anamorfo
3. Ambas as formas em simultâneo – holomorfo
Reprodução assexuada
É a mais frequente e simples. Envolve a divisão do núcleo por
mitose. Podemos distinguir assim os esporos endógenos e
exógenos.
Reprodução assexuada
Reprodução assexuada
Leveduras LEVEDURASLEVEDURASLEVEDURASLEVEDURAS Gemulação Fissão
Leveduras
LEVEDURASLEVEDURASLEVEDURASLEVEDURAS
Gemulação
Fissão
Esporos endógenos – designados endósporos ou esporangiósporos. (Ex: Rhizopus, Mucor, Absidia ) Esporangiósporos
Esporos endógenos – designados endósporos ou esporangiósporos.
(Ex: Rhizopus, Mucor, Absidia )
Esporangiósporos
Esporângio
Ar
Columela
Esporangióforo
Apófise
Rizóides
Hifa somática
Substrato
Esporos exógenos – conídios ou exósporos. ConConíídiosdios ArtrosporosArtrosporos
Esporos exógenos – conídios ou exósporos.
ConConíídiosdios
ArtrosporosArtrosporos
Taxonomia dos fungos
Taxonomia dos fungos
Reino Fungi Filo Zigomicota -Fungos saprófitas do solo e parasitas de animais e plantas -Hifas
Reino Fungi
Filo Zigomicota
-Fungos saprófitas do solo e parasitas de animais e plantas
-Hifas cenocíticas
-Reprodução assexuada por aplanósporos
-Reprodução sexuada (qd conhecida), nm por fusão de
isogametângios zigosporângio zigósporo
Filo Ascomicota -Fungos saprófitas, simbiontes e parasitas do Homem de animais e plantas -Soma pode
Filo Ascomicota
-Fungos saprófitas, simbiontes e parasitas do Homem de
animais e plantas
-Soma pode ser unicelular; geralmente filamentoso e
septado
Septo incompleto e aberto
-Septos podem ser fechados por elementos especiais –
corpos de Woronin
-Reprodução assexuada por conídios
-Reprodução sexuada por ascósporos, produzidos em ascos,
Septo incompleto fechado com
um corpo de Woronin
que podem estar livres ou no interior de estruturas especiais
- ascocarpos
Filo Basidiomicota -Fungos saprófitas, simbiontes e parasitas do Homem de animais e plantas -Soma pode
Filo Basidiomicota
-Fungos saprófitas, simbiontes e parasitas do Homem de
animais e plantas
-Soma pode ser unicelular; geralmente filamentoso e
septado
-Septos com forma especial e estrutura de barril - doliporos
-Reprodução sexuada por basidiósporos, implantados
exteriormente em basídios (formas e tipos mt importantes
na taxonomia). Os basidios podem ser produzidos em
basidiocarpos.
Filo Deuteromicota -Fungos saprófitas, simbiontes e parasitas do Homem de animais e plantas -Soma pode
Filo Deuteromicota
-Fungos saprófitas, simbiontes e parasitas do Homem de
animais e plantas
-Soma pode ser unicelular ou filamentoso e septado
-Os septos podem ser fechados por corpos de Woronin
-Única reprodução conhecida – assexuada – através de
conídios provenientes de diferentes células conidiogéneas.
Ambas mt imp no posicionamento taxonómico destes
fungos.
-Apesar de não se conhecer a rep sex. a maioria das suas
características aproximam-nos dos Ascomicota
Micoses – infecções causadas por fungos
Micoses – infecções causadas
por fungos
Fontes de infecção - Fungos saprófitas a mais importante; várias espécies susceptíveis de infectar o
Fontes de infecção
- Fungos saprófitas a mais importante; várias
espécies susceptíveis de infectar o Homem, cujo
habitat é o solo ou as plantas
(micoses endémicas – histoplasmose ou
coccidioidomicose)
- Contágio entre homens- menos frequente, mas
Homem ou animais doentes podem ser reservatórios e contribuir para a disseminação dos esporos Fungos
Homem ou animais doentes podem ser
reservatórios e contribuir para a disseminação dos
esporos
Fungos antropofílicos
Fungos zoofílicos
Classificação das micoses -Micoses cutâneas e mucocutâneas -Micoses subcutâneas -Micoses sistémicas ou profundas
Classificação das micoses
-Micoses cutâneas e mucocutâneas
-Micoses subcutâneas
-Micoses sistémicas ou profundas
Micoses oportunistas