Você está na página 1de 4

NORMAS PARA PREPARAÇÃO DO RESUMO EXPANDIDO PARA O XIX

SEMINÁRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UEFS

Estas instruções têm como objetivo orientar os autores na preparação do resumo


expandido para o XIX Seminário de Iniciação Científica da Universidade Estadual de
Feira de Santana (XIX SEMIC). O resumo expandido deverá ter no mínimo 2 (duas) e
no máximo 4 (quatro) páginas, incluindo ilustrações em forma de quadros, tabelas,
fluxogramas, figuras e referências. Desse total, pelo menos duas páginas devem ser
dedicadas para o texto. A qualidade do texto (gramática, ortografia e digitação) é de
responsabilidade do(s) autor(es) e será considerada como critério de avaliação da
Comissão Científica. O resumo expandido deverá ser enviado como arquivo anexado no
formato “.doc” por duas vias: (1) pelo sistema de inscrição do SEMIC, e (2) para o e-
mail semic.uefs2015@gmail.com. O tamanho máximo do arquivo não deverá exceder
dois (2) MBytes. Cada inscrito terá direito a enviar apenas um resumo como autor
principal. Não há limite para o envio de trabalhos como coautor. O resumo expandido,
formatado segundo este documento modelo, deverá ser salvo no formato Word para
Windows (versão 1997 ou superior) ou outro editor de texto similar e deverá ser
nomeado com o primeiro nome e último sobrenome do primeiro autor (exemplos:
ANTONIO_SILVA; ANA_SANTOS). O texto deverá ser digitado em fonte Times New
Roman, tamanho 12 (doze), no formato do papel A4, com margens em 2,5 cm, para
todas. O espaçamento entre linhas deverá ser simples. Os parágrafos devem receber
alinhamento justificado, com primeira linha com parágrafo 1,25 cm. Não deverá existir
tabulação no texto.
Obs: Favor não alterar o tipo e tamanho das fontes ou espaço entre as linhas para
adicionar mais texto ao número limitado de páginas. Da mesma forma, não deve
ser alterado o tamanho das páginas nem as margens deste modelo.
O resumo deverá ser organizado em tópicos contendo Título, Palavras-Chave,
Introdução, Material e Métodos ou Metodologia, Resultados e/ou Discussão (ou Análise
e Discussão dos Resultados), Conclusão ou Considerações Finais, e Referências.

Modelo:
O Título deverá ser escrito em letras maiúsculas, tamanho 12 (doze), negrito e
centralizado. Os nomes dos autores devem ser redigidos em negrito, tamanho 12 (doze),
não abreviados, estar em alinhamento centralizado e separados por ponto-e-vírgula (;).
O nome do apresentador do trabalho deverá ser sublinhado. Os números sobrescritos
correspondentes às instituições e endereços devem ser colocados após o nome completo
do autor. Redigir o endereço dos autores em tamanho 9 (nove), iniciando pela categoria
(bolsista/estagiário, orientador, participante), seguido pelas repartições correspondentes,
nome da instituição, e e-mail. As palavras-chave serão em número de 3 (três) e
separadas por vírgula.

Contato: pppg.ic.uefs@gmail.com; semic.uefs2015@gmail.com


TÍTULO DO RESUMO

Primeiro Autor1; Segundo Autor2; Terceiro Autor3 e Quarto Autor4


1. Bolsista PIBIC/CNPq, Graduando em Nome do Curso, Universidade Estadual de Feira de Santana, e-mail:
fulano@provedor.br
2. Orientador, Departamento de nome, Universidade Estadual de Feira de Santana, e-mail: beltrano@provedor.br
3. Participante do projeto ou núcleo tal, Departamento de Nome, Universidade Estadual de Feira de Santana, e-mail:
codinome@provedor.br
4. Participante do projeto ou núcleo tal, Departamento de Nome, Universidade Estadual de Feira de Santana, e-mail:
codinome@provedor.br

PALAVRAS-CHAVE: uma; duas; três.

INTRODUÇÃO
Na introdução deve ser utilizada bibliografia apropriada para formular os problemas
abordados e a justificativa da importância do assunto, deixando claro o(s) objetivo(s) do
trabalho. Os nomes científicos devem estar em itálico. Siglas e abreviaturas, quando
usadas pela primeira vez, devem ser precedidas do seu significado por extenso, como no
exemplo: Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS). Números até dez, devem
estar por extenso, a menos que sejam seguidos de alguma unidade de medida, ou
indiquem figuras ou tabelas. Unidades de medidas e símbolos devem seguir o Sistema
Internacional.

MATERIAL E MÉTODOS OU METODOLOGIA (ou equivalente)


Deve ser indicado procedimento utilizado na realização da investigação. Dependendo da
natureza do trabalho, uma caracterização da área experimental deve ser inserida neste
tópico, tornando claras as condições em que a pesquisa foi realizada. Os métodos
utilizados, quando já publicados, devem ser citados no texto e relacionados nas
referências.

RESULTADOS E/OU DISCUSSÃO (ou Análise e discussão dos resultados)


Apresentação e discussão dos resultados obtidos. Ilustração como figuras, gráficos,
fluxogramas e tabelas deverão ser incluídas no corpo do texto. Figuras e tabelas devem
estar centralizadas entre as margens do texto. Figuras, fotos e gráficos devem ser
apresentados com tamanho e detalhes suficientes. As fotos devem ser convertidas para o
formato “JPEG” com resolução de 150 dpi antes de serem inseridas e centralizadas. Os
gráficos serão considerados como figuras e devem apresentar-se sem bordas, descritos
com o mesmo tipo de letra do texto, tamanho 8 (oito) e título na posição inferior do
mesmo. A legenda deve estar no lado direito do gráfico. Tabelas devem ser digitadas
utilizando a função Tabela do Word. Evitar tabelas extensas, privilegiando-se dados
médios, adequar tamanho ao espaço útil do papel, autoformatadas na opção clássico 1 e
suas legendas devem ser auto-explicativas. A numeração da ilustração deve ser
sucessiva em algarismos arábicos (Tabela 1; Figura 1, por exemplo).
Tabela 1. Principais características anatômicas das folhas de oito espécies de Pouteria
Aublet (Sapotaceae) ocorrentes no estado da Bahia.
Espécies
Caracteres
1 2 3 4 5 6 7 8
Ornamentação cuticular na epiderme adaxial + - + - - - + -
Paredes anticlinais retas + - - - + + - -
Paredes anticlinais sinuosas - + + + - - + +
Estômato anomocítico - - - - + - + -
Estômato anisocítico + + + + - + - +
Mesofilo dorsiventral + + + - + + + +
Mesofilo isobilateral - - - + - - - -
Número de camadas da epiderme 1 1 1 1 2 1 1 3
Número de camadas de parênquima 2 2 1 1 3 2 2 3
paliçádico
Laticíferos + + + + + + + +
Tricomas - + + + - + + -
Legenda: 1. Pouteria andarahiensis T.D.Penn., 2. P. caimito (Ruiz & Pavón) Radlk., 3. P. gardneri
(Mart. & Miq.) Baehni, 4. P. gardneriana (A.DC.) Radlk., 5. P. grandiflora (A.DC.) Baehni, 6. P.
ramiflora (Mart.) Radlk., 7. P. torta (Mart.) Radlk., 8. P. venosa (Mart.) Baehni. (+) = presente; (-) =
ausente.

Figura 1: Tipos polínicos observados nas amostras coletadas na


Chapada Diamantina-BA. A - Acanthaceae (Anisacanthus); B -
Apocynaceae (Prestonia); C-; Arecaceae. D - Asteraceae; E -
Bignoniaceae (Zeyheria); F - Campanulaceae (Centropogun); G -
Lamiaceae (Hyptis); H - Malvaceae (Helicteres); I - Malvaceae
(Pavonia) J - Mimosa pudica K - Myrtaceae (Eucalyptus) L –
Poaceae.
As citações bibliográficas no texto deverão seguir os seguintes modelos: Quate (1965);
(Quate, 1965); Erwin & Sott (1980); Guimarães et al. (1983). Os artigos devem ser
citados em ordem cronológica. Todas as referências mencionadas no texto devem ser
arroladas no final do trabalho. O último nome dos autores deve ser digitado em
MAIÚSCULAS (ver modelo abaixo). Periódicos deverão ser abreviados de acordo com
o World List of Scientific Periodicals ou como indicado pelo próprio periódico ou, em
caso de dúvida, buscar no site: http://library.caltech.edu/reference/abbreviations. A
forma de citações das referências deve estar de acordo com os exemplos aqui
apresentados.

CONSIDERAÇÕES FINAIS (ou Conclusão)


O(s) último(s) parágrafo(s) dos resultados e discussão deve trazer as conclusões
sumarizadas na forma de texto corrido.

REFERÊNCIAS
CUNHA, S.S; LIMA, P.R.L. 2006. Influência do tipo de reforço no comportamento à
flexão de painéis laminados. In: XI Seminário de Iniciação Científica da UEFS, Feira de
Santana, p.21-22.
HENNIG, W. 1981. Insect phylogeny. Chichester, John Wiley, 514p.
HERWIN, T.L.; J.C. SCOTT. 1980. Seasonal and size patterns, trophic structure, and
richness of Coleoptera in the tropical arboreal ecosystem: the fauna of the tree Luchea
seemannii Triana and Planch in the Canal Zone of Panama. Coleopt. Bull. 34(3): 305-
322.
HULL, D.L. 1974. Darwinism and historiography. In: T.F. GLICK (ed.), The
Comparative reception of Darwinism, pp. 388-402. Austin, Univ. Texas.
LIMA, P.R.L. 2004. Análise teórica e experimental de compósitos reforçados com
fibras de sisal. Universidade Federal do Rio de Janeiro, Tese.
MORI, S.A., B.M. BOOM; G.T. PRANCE. 1981. Distribution patterns and
conservation of eastern Brazilian coastal tree species. Brittonia 33 (2): 233-245.
POLHILL, R.M.; P.H. RAVEN (eds.) 1981. Advances em Legume Systematics. London,
Royal Botanic Gardens Kew, 1049 p.
PUNT, W., S. BLACKMORE, S. NILSSON; A. LE THOMAS. 1999 [online]. Glossary
of pollen and spore terminology. Homepage:
http://www.bio.uu.nl/~palaeo/glossary/glos-int.htm
QUATE, L.W. 1965. A taxonomic study of Philipine Psychodidae. Pacif. Ins. 7(4): 815-
902.
SILVEIRA, L.T. 1991. Revisão taxonômica do gênero Periandra Mart. ex Benth.
Univ. Estadual de Campinas, MSc diss.

Você também pode gostar